APIMEC- Seminário de Petróleo e Gás Rio de Janeiro, Agosto 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APIMEC- Seminário de Petróleo e Gás Rio de Janeiro, Agosto 2011"

Transcrição

1 Desafios Logísticos para a Exploração e Produção do Pré-Sal APIMEC- Seminário de Petróleo e Gás Rio de Janeiro, Agosto 2011

2 Aviso Legal Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos e/ou resultados futuros ( forward-looking statements ), baseadas em estimativas, análises e projeções sujeitas às condições de mercado e que, portanto, estão fora do controle da Wilson, Sons. Fatores importantes, que podem gerar diferenças significativas entre os resultados reais e as expectativas sobre eventos ou resultados futuros da Companhia, incluem: condições econômicas no Brasil e exterior; tecnologia; condições do mercado financeiro; incertezas a respeito dos resultados de suas operações futuras, estratégia, objetivos; bem como outros fatores descritos na seção Fatores de Risco, disponíveis em prospecto oficial da Companhia e protocolados junto à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Os resultados operacionais e financeiros da Companhia, apresentados a seguir, foram compilados em conformidade com regras contábeis em padrão IFRS ( International Financial Reporting Standards ), exceto onde expresso o contrário. O relatório de auditores independentes e as notas explicativas são considerados partes integrais das demonstrações financeiras da Wilson, Sons.

3 O Grupo Wilson, Sons Panorama do Mercado Brasileiro de Óleo e Gás Cadeia de Suprimentos de E&P Bases de Apoio Offshore no Brasil Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Oportunidades e Desafios da Logística Offshore

4 O Grupo Wilson, Sons Panorama do Mercado Brasileiro de Óleo e Gás Cadeia de Suprimentos de E&P Bases de Apoio Offshore no Brasil Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Oportunidades e Desafios da Logística Offshore

5 O Grupo Wilson, Sons Um dos maiores operadores integrados de serviços marítimos, portuários e de logística do Brasil; Com mais de 170 anos de história, presta serviços especializados nos segmentos de terminais portuários, rebocagem, apoio marítimo a offshore, logística, agenciamento marítimo e indústria naval; Cerca de funcionários; Capital Aberto na Bovespa: WSON11 (2007).

6 Estrutura Corporativa Sistema Terminais e Logística Sistema Marítimo TECON Salvador TECON Rio Grande Comercio Internacional Oil&Gas Economia Doméstica

7 Cadeia de Suprimentos Oil & Gas Fábrica

8 Serviços Oil & Gas Nós provemos soluções logísticas para toda a cadeia de suprimentos de Oil&Gas.

9 O Grupo Wilson, Sons Panorama do Mercado Brasileiro de Óleo e Gás Cadeia de Suprimentos de E&P Bases de Apoio Offshore no Brasil Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Oportunidades e Desafios da Logística Offshore

10 Brasil possui um papel de destaque no mercado mundial de Oil&Gas. Após 10 rodadas exploratórias e duas rodadas de campos marginais promovidas pela ANP, existem 81 empresas atuando no setor de E&P, em 23 bacias. Bacia da Foz do Amazonas Bacia do Pará-Maranhão Bacia do Amazonas Bacia de Barreirinhas Bacia do Solimões Bacia do Ceará Bacia do Parnaíba Bacia Potiguar Bacia do Rio do Peixe Bacia de Pernambuco-Paraíba Bacia de Parecis Bacia de São Francisco Bacia de Tucano-Sul Bacia de Sergipe-Alagoas Bacia do Recôncavo Bacia de Camamu-Almada Bacia de Jequitinhonha Bacia de Mucuri Bacia do Espírito Santo Bacia de Campos Bacia do Paraná Bacia de Santos Bacia de Pelotas Bacias Sedimentares Atualmente em Produção Bacias Sedimentares em Exploração

11 Apesar da abertura do mercado, a Petrobras é ainda o principal player do setor de E&P, operando mais de 50% dos blocos exploratórios e aproximadamente 88% dos campos em produção e desenvolvimento. Blocos Exploratórios Camarão, Pinaúna, Sardinha Nautilus, Peregrino Atlanta, Oliva Campos em Desenvolvimento Bijupirá, Salema Argonauta, Abalone, Ostra Polvo Frade Tartaruga Campos em Produção Mar Terra Mar Petrobras Terra Outros Mar Terra Fonte: ANP. Dezembro 2010.

12 Millones de barriles por día Milhões de barris por dia A produção brasileira de petróleo, notadamente offshore (91%), teve um crescimento substancial nos últimos anos. Em 2007, o país atingiu a autossuficência volumétrica, e, em 2010 produção foi de 2,05 milhões de bpd. Produção e Comércio Internacional de Petróleo - Brasil 2,50 2,00 2,05 1,50 1,00 0,50 0,63 0,34 Produção Producción Importación Importação Exportación Exportação Fonte: ANP.

13 Em adição à importante contribuição da Bacia de Campos para a produção brasileira (88%), é esperado um grande crescimento da produção na Bacia de Santos, em razão das descobertas no pré sal. Fuente: Petrobras, ANP.

14 Mil boe/dia A produção de petróleo no Brasil deve atingir aproximadamente 7 milhões de boe/dia em Produção Total de Petróleo no Brasil mil boed IOC OGX Petrobras Fonte: Petrobras, OGX, estimativas WS.

15 O Grupo Wilson, Sons Panorama do Mercado Brasileiro de Óleo e Gás Cadeia de Suprimentos de E&P Bases de Apoio Offshore no Brasil Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Oportunidades e Desafios da Logística Offshore

16 As fases do Upstream (Exploração, Desenvolvimento e Produção) demandam bens e serviços diferenciados, sendo que a atividade de Apoio Logístico está presente em todas as fases. Exploração Desenv. da Produção Produção Refino Distribuição 1 - Serviços de informação de Reservatórios 2 - Contratos de perfuração 3 - Serviço de perfuração e de equipamentos 4 - Revestimento e completação de poços 5 - Infra-estrutura 6 - Produção e manutenção 7 - Desativação 8 - Apoio Logístico Fonte: BNDES - Estudos de alternativas regulatórias, institucionais e financeiras para a exploração e produção de petróleo e gás natural e para o desenvolvimento industrial da cadeia produtiva de petróleo e gás natural no Brasil. Alta Relevância Baixa Relevância

17 O Apoio Logístico envolve o transporte de pessoas e carga, além de armazenagem. Exploração Desenvolvimento da Produção Produção Upstream % do custo para a empresa petroleira 10% Tubos Carga Geral Baritina Bentonita Fluidos Água Óleo Diesel 10% 60% PSV AHTS FSV Offshore LH TS SV Fornecedores Legenda: Retroárea 20% Transporte de Passageiros Base de Apoio Offshore E&P Offshore FPSO Unidade Fixa de Produção Sonda Outros (Navio Especial, Cisterna, Monobóia) Transporte Armaz Base Aérea Fonte: Viságio.

18 O Grupo Wilson, Sons Panorama do Mercado Brasileiro de Óleo e Gás Cadeia de Suprimentos de E&P Bases de Apoio Offshore no Brasil Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Oportunidades e Desafios da Logística Offshore

19 As Bases de Apoio Offshore atuam como o ponto central de suporte às operações de exploração e produção de petróleo e gás. Estrutura Equipamentos; Mão-de-Obra; Pátio para armazenagem; Armazéns; Tancagens (água, fluidos, combustíveis); Sistemas de comunicação / informação.

20 As Bases de Apoio desempenham todas as atividades necessárias para atender às demandas offshore ao longo do ciclo de vida da atividade de E&P. Serviços Operação portuária em embarcações de apoio marítimo às plataformas de petróleo; Armazenagem em trânsito e movimentação de cargas; Fornecimento de água, combustível e de todo tipo de produto a granel para embarcações, plataformas offshore e sondas; Recebimento e administração de resíduos oriundos das plataformas; Desembaraço aduaneiro; Combate à emergências; Procurement (sourcing estratégico); Inspeção de equipamentos; Planejamento e execução de logística de transporte nacional e internacional; Gestão de resíduos.

21 A principal Base de Apoio Offshore do Brasil é a base de Imbetiba, em Macaé/RJ, da Petrobras, que atende, majoritariamente, a Bacia de Campos. ~450 atracações/mês; ~850 mil/ton ano

22 Outro importante ponto de apoio, em especial para as operações na Bacia de Santos (pré-sal) é o Porto do Rio, onde a Petrobras é atendida pela Brasco, do Grupo Wilson, Sons. 24 Operação Atual: Área 24: Patio e atraque; Área 22: Patio; Área 16 (coberta): Prod Químicos Fonte: Petrobras,

23 Dentre os operadores logísticos privados, a Brasco, do Grupo Wilson, Sons, possui papel de destaque. Sua principal Base de Apoio é a de Niterói/RJ. Vitória Niterói Salvador Guaxindiba São Luis

24 Existem 3 investimentos anunciados em Bases de Apoio: para suporte logístico ao pré-sal, a Petrobras considera desenvolver três novas bases de apoio Ubú (ES), Itaguaí (RJ) e no Guarujá (SP). Porto da Samarco Porto MG SP RJ ES Área de Préembarque Praia do Além RETROÁRE A PORTO E&P Ubú AEROPORTO E&P VILA MILITAR PONTE DE LIGAÇÃO (~250m) PÍER E PRÉ- EMBA RQUE Santos Itaguaí Fonte: Petrobras.

25 São diversos os aspectos técnicos a serem considerados na seleção de uma instalação de apoio offshore. Localização das reservas; Programas exploratórios e de desenvolvimento da produção; Localização da base; Capacidade aduaneira; Alfândega na propriedade; Sistemas de informática e capacidade de gerenciamento de cargas; Acesso terrestre à base; Capacitação da mão-de-obra; SMS política, normas e procedimentos; Área disponível de pátio; Equipamentos da base: Certificação de empilhadeiras e guindastes, além dos operadores; Certificação de cestas e conteineres; Área de armazenagem; Acesso marítimo ao cais; Distância do cais à retro área; Acesso aéreo à base; Calado do canal de acesso e cais; Capacidade de operação no cais; Silos de graneis sólidos e plantas de fluidos de perfuração e completação; Tanques de água e diesel; Diversificação dos provedores de serviços; Certificação de eslingas e outros acessórios; Gerenciamento de resíduos; Capacidade multiusuário; Acesso às outras empresas de serviço; Legislação Técnica; Trabalho; Ambiental; Tributária.

26 O Grupo Wilson, Sons Panorama do Mercado Brasileiro de Óleo e Gás Cadeia de Suprimentos de E&P Bases de Apoio Offshore no Brasil Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Oportunidades e Desafios da Logística Offshore

27 Existem aproximadamente 270 embarcações de apoio marítimo (Offshore Support Vessels OSV) operando no Brasil. Cliente Petrobras Outras Skandi Fluminense AHTS BHP NorSkan Bandeira Brasileira Estrangeira Saveiros Atobá PSV t, Wilson, Sons Obs.: Os gráficos consideram apenas PSV >= t DWT e AHTS >= BHP. Fonte: OBC, outubro 2010.

28 A Petrobras possui agressivo plano de contratações de embarcações offshore a serem construídas no Brasil, de forma a atender sua crescente demanda e substituir barcos de bandeira estrangeira. Há também crescente demanda por parte das demais empresas de petróleo operando no Brasil. Programa de Construções no Brasil AHTS AHTS TS PSV PSV ORSV TOTAL Contratado em 2008/9 Contratado em 2009/10 Plano original - total por tipo Fonte: OBC Demanda Total por Embarcações de Apoio Offshore (OSVs) da Petrobras Fonte: Petrobras. 0 Actual (Dec 09)

29 O Grupo Wilson, Sons Panorama do Mercado Brasileiro de Óleo e Gás Cadeia de Suprimentos de E&P Bases de Apoio Offshore no Brasil Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Oportunidades e Desafios da Logística Offshore

30 A perspectiva de aumento da produção de petróleo e gás no Brasil resultará na demanda crescente por serviços e ativos logísticos offshore. Bases Embarcações Novas fronteiras exploratórias; Poucos operadores logísticos integrados (destaque para a Wilson, Sons); Novos clientes (prestadores de serviços); Localização; Restrições ambientais/licenças; Acesso rodoviário; Otimização de fluxo/ inteligência logística (localização dos fornecedores versus operadores). Substituição de embarcações estrangeiras; Renovação da frota Contratos de longo prazo; Novas tecnologias para atendimento da demanda (ancoragem, supply chain, pessoal, subsea, sistemas flutuantes, SMS); Inteligência logística para atendimento ao pré-sal (distancias maiores, novas tecnologias de perfuração e produção). Oportunidades Desafios

31 No entanto, é também importante aperfeiçoar os processos logísticos de forma a garantir excelência operacional e em custos. Mapeamento dos fluxos/processos e atuação nos segmentos geradores de custos; Busca de soluções otimizadas; Redução de: Custos logísticos totais; Prazos; Imobilizações; Desperdícios; Ociosidade; Ajustes; Paradas.

32 O grande desafio é implementar, de forma eficiente, uma Gestão de Supply Chain Avançada numa indústria complexa e com inúmeros fornecedores. Gestão de Supply Chain Básica Madura Avançada Foco na eficiência de Custos Foco na eficiência de Processos Foco em Integração, Agilidade e Sincronização oferta e demanda

33 Tecnologia de Informação apoiando Gestão de Carga de Plataforma. Visibilidade, Transparência e Controle materiais próprios, alugados e resíduos. GESTÃO DE RESÍDUOS MATERIAIS/EQUIPAMENTOS FORNECEDORES BASE DE APOIO UNIDADE OFFSHORE

34 Estudo da malha e otimização da rede logística. Vitória Macaé/ZEN Porto do Rio Sepetiba Guarujá Porto Porto Porto Porto Porto Base Base Base Base Base Fabricante Fabricante Fabricante Fabricante Fabricante Localização ótima para evitar redundância

35 Otimização do frete rodoviário e consolidação de estoque para garantir mínimo custo total e maior disponibilidade na ponta. Macaé Transporte offshore Porto do RJ Porto do RJ Milk run Milk run Aeroporto do RJ Fornecedores Fornecedores Transporte regular e expresso Terminal Multicliente Milk run Transporte regular e expresso

36 A inteligência logística de ponta é um desafio para a indústria como um todo e só é possível a partir da integração entre o provedor de serviços logísticos e a empresa de petróleo. DESAFIOS PARA O APOIO LOGÍSTICO OFFSHORE INVESTIMENTO EM INFRAESTRUTURA RECURSOS HUMANOS INTELIGÊNCIA LOGÍSTICA Demanda por novas Bases de Apoio localização, requisitos técnicos e ambientais, linhas de crédito; Demanda por Embarcações de Apoio estaleiros, linhas de crédito. Profundo conhecimento em processos Logísticos Acesso aos melhores profissionais, métodos e técnicas Formação na velocidade adequada; Retenção de recursos. Ferramentas de otimização; Conhecimento sistematizado Visibilidade total Integração com Clientes e Fornecedores.

37 Obrigada! Wilson, Sons Renata Pereira Diretora Executiva - BRASCO

38

O grande. desafio da margem. MA Teresina BACIA DA FOZ DO AMAZONAS BACIA DO PARÁ-MARANHÃO BACIA DE BRAGANÇA-VIZEU BACIA DE BARREIRINHAS BACIA DE MARAJÓ

O grande. desafio da margem. MA Teresina BACIA DA FOZ DO AMAZONAS BACIA DO PARÁ-MARANHÃO BACIA DE BRAGANÇA-VIZEU BACIA DE BARREIRINHAS BACIA DE MARAJÓ BM-FZA-4 O grande ipo r é desafio da margem BM-PAMA-3 Macapá BACIA DA FOZ DO AMAZONAS BM-PAMA10 BM-PAMA-11 BM-PAMA-12 BM-PAMA-8 BACIA DO PARÁ-MARANHÃO BM-PAMA-13 BM-PAMA-14 BM-PAMA-15 Rio Amazonas BM-PAMA-16

Leia mais

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014

Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho / 2014 Os Desafios do Pré-Sal: Riscos e Oportunidades para o País As Políticas Industrial e de Inovação no setor de Petróleo e Gás Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Junho

Leia mais

Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas. 19 de novembro de 2013

Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas. 19 de novembro de 2013 Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas 19 de novembro de 2013 Agenda PNG 2013-2017 Política de Conteúdo Local da Petrobras Oportunidades de Negócio Ações de Fomento

Leia mais

Presente, Futuro e Desenvolvimento dos Projetos da Bacia de Santos

Presente, Futuro e Desenvolvimento dos Projetos da Bacia de Santos Santos, novembro de 2015. Presente, Futuro e Desenvolvimento dos Projetos da Bacia de Santos José Marcelo Luvizotto UO-BS/ENGP BACIAS SEDIMENTARES BRASILEIRAS Unidades Operacionais de E&P Tacutu Foz do

Leia mais

Petrobras - PNG 2015/2019 Mercado de Embarcações de Apoio no Brasil. Rio de Janeiro 27 de Agosto de 2015

Petrobras - PNG 2015/2019 Mercado de Embarcações de Apoio no Brasil. Rio de Janeiro 27 de Agosto de 2015 Petrobras - PNG 2015/2019 Mercado de Embarcações de Apoio no Brasil Rio de Janeiro 27 de Agosto de 2015 Cláudio Araújo Gerente Geral de Contratações E&P - Serviços 2ª Conferência OAB/RJ de Direito Marítimo

Leia mais

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO

OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO OPORTUNIDADES NO ESPÍRITO SANTO Seminário A competitividade do comércio exterior capixaba: infraestrutura logística e controle aduaneiro Cristina Vellozo Santos Subsecretária de Estado de Desenvolvimento

Leia mais

Logística e Infra-estrutura

Logística e Infra-estrutura Siderurgia Mineração Cimento Logística e Infra-estrutura CSN apresenta Plataforma Logística CSN em Itaguaí Plataforma Logística CSN em Itaguaí Um projeto alinhado às necessidades do Brasil Plataforma Logística

Leia mais

Áreas em oferta na Nona Rodada de Licitações para Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural

Áreas em oferta na Nona Rodada de Licitações para Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural Áreas em oferta na Nona Rodada de Licitações para Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural Magda Chambriard Superintendência de Definição de Blocos - ANP Sumário Política Governamental Estudos da

Leia mais

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Seminário BNDES: Desenvolvimento da cadeia de fornecedores de petróleo e gás Guilherme Estrella Diretor de E&P Rio Rio de de Janeiro, 1º 1º de de setembro

Leia mais

OSX Apresentação Institucional. Agosto, 2011

OSX Apresentação Institucional. Agosto, 2011 OSX Apresentação Institucional Agosto, 20 Estrutura da OSX Estrutura Organizacional 78,9%* Free Float 2,% Holding Provedor de equipamentos e serviços integrados para exploração e produção de petróleo e

Leia mais

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

EDISON CHOUEST OFFSHORE ESPÍRITO SANTO BRASIL 2012

EDISON CHOUEST OFFSHORE ESPÍRITO SANTO BRASIL 2012 EDISON CHOUEST OFFSHORE ESPÍRITO SANTO BRASIL 2012 EDISON CHOUEST OFFSHORE BASE DE APOIO LOGÍSTICO OFFSHORE ITAPEMIRIM - ES Sumário Quem Somos Presença no Brasil O Projeto Itapemirim, ES O Projeto Conceitual

Leia mais

Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil

Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil Perspectivas para o Setor de petróleo e gás natural no Brasil Comissão de Minas e Energia Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio Câmara dos Deputados João Carlos de Luca Presidente

Leia mais

Lições aprendidas durante a realização de um grande projeto com final feliz na Wilson, Sons

Lições aprendidas durante a realização de um grande projeto com final feliz na Wilson, Sons Lições aprendidas durante a realização de um grande projeto com final feliz na Wilson, Sons A Wilson Sons Quem Somos? Um dos maiores operadores de serviços portuários, marítimos e logísticos terrestres

Leia mais

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Coordenadoria de Conteúdo Local Marintec South America / 12ª Navalshore, 12/08/15 A Política de Conteúdo Local Definição: Política

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

OGPar: Ativos e Situação Atual A Nova Companhia

OGPar: Ativos e Situação Atual A Nova Companhia OGPar: Ativos e Situação Atual A Nova Companhia 27 de Novembro de 2014 Agenda 1 2 3 4 Histórico Ativos Situação Atual Próximos Passos 2 Histórico Histórico: Visão Geral Empresa brasileira independente

Leia mais

A Importância do Porto Brasileiro no Desenvolvimento da Cabotagem. Fabrízio Pierdomenico

A Importância do Porto Brasileiro no Desenvolvimento da Cabotagem. Fabrízio Pierdomenico Secretaria Especial de Portos da Presidência da República A Importância do Porto Brasileiro no Desenvolvimento da Cabotagem C- Fabrízio Pierdomenico Sub-Secretário de Planejamento e Desenvolvimento Portuário

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE Resultados da Indústria da Construção Naval Brasileira 2010

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE Resultados da Indústria da Construção Naval Brasileira 2010 1 Carteiras de encomendas dos estaleiros brasileiros 2010 Obras em andamento Carteiras de encomendas dos estaleiros RJ Empreendimentos TPB Particip. % Rio de Janeiro EISA 26 1.276.600 Rio Nave 2 3.000

Leia mais

Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco

Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco Investimentos em Prospecção: Bacia do São Francisco Haroldo Lima Diretor-Geral da ANP Comissão de Serviços de Infra-Estrutura Senado Federal 27 de março de 2008 Situação atual do O&G no Brasil (2007) Reservas

Leia mais

Os desafios da ANP: Pré-Sal e Biocombustíveis

Os desafios da ANP: Pré-Sal e Biocombustíveis Os desafios da ANP: Pré-Sal e Biocombustíveis Comissão de Serviços de Infra-Estrutura Desafios para um país emergente Luis Eduardo Duque Dutra Chefe de Gabinete da Diretoria Geral Professor Adjunto EQ/UFRJ

Leia mais

A indústria de construção naval brasileira

A indústria de construção naval brasileira A indústria de construção naval brasileira Apresentação ao BNDES Cenário Nacional O mercado: o segmento offshore Plataformas fixas Plataformas semi-submersíveis - FPU FPSO FSO José Roberto Simas e Alberto

Leia mais

Cenário de Investimentos no segmento de óleo e gás. (visão do IBP)

Cenário de Investimentos no segmento de óleo e gás. (visão do IBP) Cenário de Investimentos no segmento de óleo e gás. (visão do IBP) Fundado em 1957 INSTITUTO BRASILEIRO DE PETRÓLEO, GÁS E BIOCOMBUSTÍVEIS - IBP Missão: Promover o desenvolvimento das atividades de exploração

Leia mais

II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE

II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE II.2.1. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE DE PERFURAÇÃO E DAS EMBARCAÇÕES DE APOIO A) EMBARCAÇÕES DE APOIO Para o apoio logístico (transporte de materiais, transporte de resíduos,

Leia mais

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público nº 345 novembro 2014 Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público Odebrecht 70 anos: histórico e perspectivas em Óleo e Gás Foz Saneatins passa a se chamar Odebrecht Ambiental Saneatins

Leia mais

8ª Feira da Metalmecânica, Energia e Automação MEC SHOW 2015. Operações da Petrobras no ES: Oportunidades para o Mercado Local

8ª Feira da Metalmecânica, Energia e Automação MEC SHOW 2015. Operações da Petrobras no ES: Oportunidades para o Mercado Local 8ª Feira da Metalmecânica, Energia e Automação MEC SHOW 2015 Operações da Petrobras no ES: Oportunidades para o Mercado Local José Luiz Marcusso Vitória, 28 de Julho de 2015 PRINCIPAIS PROJETOS DE PRODUÇÃO

Leia mais

FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO

FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO FÓRUM REGIONAL ESPÍRITO SANTO PLANO ESTRATÉGICO 2015 Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nas atividades da indústria de óleo, gás e energia, nos mercados nacional

Leia mais

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás

Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor Petróleo e Gás Santos Offshore Alfredo Renault Santos, 10 de abril de 2014. Sumário I PERSPECTIVAS E INVESTIMENTOS DO SETOR II A CADEIA DE FORNECEDORES III

Leia mais

Empresa de classe global, concebida para honrar a excelência em operação portuária capixaba, alinhada com as justas expectativas dos clientes,

Empresa de classe global, concebida para honrar a excelência em operação portuária capixaba, alinhada com as justas expectativas dos clientes, Empresa de classe global, concebida para honrar a excelência em operação portuária capixaba, alinhada com as justas expectativas dos clientes, sociedade, profissionais, governos e investidores. O Mercado

Leia mais

13 de agosto de 2015. Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15

13 de agosto de 2015. Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15 13 de agosto de 2015 Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15 Agenda Visão Geral Destaques Financeiros Atualização de Ativos DESTAQUES DO PERÍODO Manati produziu média de 5,7 MM m³ por dia no 2T15 e 6M15

Leia mais

Pesquisa. Os Problemas da Empresa Exportadora Brasileira 2008. Entraves e Prioridades

Pesquisa. Os Problemas da Empresa Exportadora Brasileira 2008. Entraves e Prioridades Pesquisa Os Problemas da Empresa Exportadora Brasileira 2008 Entraves e Prioridades Renato Fonseca Brasília, 1 de outubro de 2008 Apresentação 1. Amostra 2. Entraves à expansão das exportações 3. Tributação

Leia mais

Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza

Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza Petrobras fará verdadeira revolução na Logística da Indústria do Petróleo

Leia mais

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO

EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO Objetivo Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas e sustentáveis, na implantação de projetos de óleo e gás no Brasil e no exterior. 1 Desafios Históricos:

Leia mais

Com estrutura voltada para atendimento no mercado de Óleo e Gás contemplando:

Com estrutura voltada para atendimento no mercado de Óleo e Gás contemplando: A Gavea Logística é uma operadora logística que oferece soluções de logística Portuária, Marítima e Terrestre, em seus terminais localizados no Rio de, e. Com estrutura voltada para atendimento no mercado

Leia mais

Seminário APIMEC. Desafios da OGPar em um cenário de recuperação judicial e retração do preço do petróleo. Pedro Serio Gerente Jurídico

Seminário APIMEC. Desafios da OGPar em um cenário de recuperação judicial e retração do preço do petróleo. Pedro Serio Gerente Jurídico Seminário APIMEC Desafios da OGPar em um cenário de recuperação judicial e retração do preço do petróleo Pedro Serio Gerente Jurídico 22 de outubro de 2015 Agenda 1. Da Crise à Recuperação 2. Mudança de

Leia mais

3 Contextualização do mercado

3 Contextualização do mercado 3 Contextualização do mercado 3.1. A cadeia de suprimentos do setor de exploração e produção de Petróleo A produção brasileira de petróleo registrou crescimento substancial nos últimos anos. Em 2007, o

Leia mais

O papel da agência reguladora para o fortalecimento do Transporte Marítimo. Murillo de Moraes R. C. Barbosa Diretor da ANTAQ

O papel da agência reguladora para o fortalecimento do Transporte Marítimo. Murillo de Moraes R. C. Barbosa Diretor da ANTAQ O papel da agência reguladora para o fortalecimento do Transporte Marítimo Murillo de Moraes R. C. Barbosa Diretor da ANTAQ Salvador - BA, 10 de março de 2008 Regulação do transporte aquaviário e das atividades

Leia mais

MECSHOW 2015. Julho 29, 2015

MECSHOW 2015. Julho 29, 2015 MECSHOW 2015 Julho 29, 2015 PORTO CENTRAL MERCADO O PROJETO REDE GLOBAL DE PORTOS INTERIOR NEGÓCIOS LAYOUT & CRONOGRAMA ROTAS DE COMÉRCIO Mercado brasileiro principal: Ásia-Pacífico Distancias longas Distancias

Leia mais

Indústria Naval e Offshore no Brasil

Indústria Naval e Offshore no Brasil Indústria Naval e Offshore no Brasil Agenda 1. A Política de Conteúdo Local e a Retomada da Indústria Naval no Brasil. 2. Cadeia Produtiva do Setor Naval (Navipeças). 3. Produtividade da Indústria Naval

Leia mais

MACAÉ SOLUÇÕES PARA OS DESAFIOS DA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO. Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil - BRITCHAM

MACAÉ SOLUÇÕES PARA OS DESAFIOS DA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO. Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil - BRITCHAM MACAÉ SOLUÇÕES PARA OS DESAFIOS DA INDÚSTRIA DO PETRÓLEO Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil - BRITCHAM 31/10/2013 1 Sumário 1 DADOS ESTATISTICOS DE MACAÉ 2 MACAÉ CIDADE DO PETRÓLEO 3 AÇÕES

Leia mais

Tema: Reconhecimento e Recompensa: Estratégias para Boas Práticas Palestrante: Antônio Linhares

Tema: Reconhecimento e Recompensa: Estratégias para Boas Práticas Palestrante: Antônio Linhares Tema: Reconhecimento e Recompensa: Estratégias para Boas Práticas Palestrante: Antônio Linhares Quem somos... Uma das maiores operadoras de serviços portuários, marítimos e logísticos do Brasil. Iniciamos

Leia mais

PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL

PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL HISTÓRICO ESTADO DE SANTA CATARINA PORTO DE SÃO FRANCISCO DO SUL A história do Porto de São Francisco do Sul teve inicio em dezembro de 1912, quando a Companhia Estrada de Ferro São Paulo - Rio Grande

Leia mais

CADASTRO DE VISTORIA

CADASTRO DE VISTORIA 01 - Empresa: COMPANHIA VALE DO RIO DOCE - CVRD 02 - Endereço da Sede (Rua, Avenida, etc) Avenida Dante Micheline 04 - Complemento: Ponta de Tubarão 08 - CEP: 29090-900 11 CNPJ/MF: (Sede) 33 592 510 /

Leia mais

Oportunidades para a Cadeia. 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011

Oportunidades para a Cadeia. 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011 Oportunidades para a Cadeia de Suprimentos de E&P 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011 Aviso Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem

Leia mais

PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS. José Luiz Marcusso E&P / UN-BS. São Paulo, 11 de maio de 2010

PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS. José Luiz Marcusso E&P / UN-BS. São Paulo, 11 de maio de 2010 PLANO DE NEGÓCIOS DA PETROBRAS PROJETOS DA BACIA DE SANTOS José Luiz Marcusso E&P / UN-BS São Paulo, 11 de maio de 2010 1 1 AVISO As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais

Leia mais

Logistica e Distribuição. Conceito. Nomenclatura dos Operadores Logísticos

Logistica e Distribuição. Conceito. Nomenclatura dos Operadores Logísticos A terceirização de serviços logísticos se constitui uma das Logística e Distribuição novas tendências da prática empresarial moderna, principalmente dentro dos conceitos da Gestão da Cadeia de Suprimentos

Leia mais

Agência Nacional do Petróleo

Agência Nacional do Petróleo Agência Nacional do Petróleo Ivan de Araújo Simões Filho Superintendente de Promoção de Licitações Procedimentos Informações Gerais 53 Blocos 12 bacias Áreas grandes 79.000 km2 em mar; 11.000 km2 em terra

Leia mais

PORTO DO RIO GRANDE ORIGEM

PORTO DO RIO GRANDE ORIGEM PORTO DO RIO GRANDE ORIGEM O início da construção do Porto Velho do Rio Grande data de 1869 e sua inauguração aconteceu em 11 de outubro de 1872. Em 2 de junho de 1910,começou a implantação do Porto Novo,

Leia mais

Guia da Quarta Rodada de Licitações

Guia da Quarta Rodada de Licitações Guia da Quarta Rodada de Licitações Esse Guia tem como o objetivo, informar e esclarecer possíveis dúvidas em relação a documentos que deverão ser apresentados e valores das Taxas de Participação do processo

Leia mais

CENÁRIO ATUAL, DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O SEGMENTO DE APOIO OFFSHORE ABEAM ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE APOIO MARÍTIMO

CENÁRIO ATUAL, DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O SEGMENTO DE APOIO OFFSHORE ABEAM ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE APOIO MARÍTIMO CENÁRIO ATUAL, DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O SEGMENTO DE APOIO OFFSHORE ABEAM ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE APOIO MARÍTIMO ABEAM Associação Brasileira das Empresas de Apoio MaríImo A navegação

Leia mais

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA

AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA AEROPORTO INTERNACIONAL DE CABO FRIO UMA NOVA OPÇÃO LOGÍSTICA Conferência Internacional sobre Capital Privado em Aeroportos FIESP / CIESP 23/Abril/2009 A Costa da Sol Operadora Aeroportuária S.A. é uma

Leia mais

IAGC. Associação Internacional dos Contratistas de Geofísica. Possui um Comitê Ambiental cuja missão é:

IAGC. Associação Internacional dos Contratistas de Geofísica. Possui um Comitê Ambiental cuja missão é: IAGC Associação Internacional dos Contratistas de Geofísica Possui um Comitê Ambiental cuja missão é: Estabelecer um fórum no qual se facilite o intercâmbio dos aspectos ambientais e assuntos relacionados

Leia mais

Diretrizes Ambientais

Diretrizes Ambientais Diretrizes Ambientais 11ª Rodada de Licitações Luciene Ferreira Pedrosa M.Sc. Planejamento Ambiental Assessora da Diretoria-Geral Superintendência de Segurança Operacional e Meio Ambiente Base Legal Resolução

Leia mais

A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro

A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro Rio de Janeiro Localização Sudeste do Brasil (56% do PIB nacional) Área 43.90 km 2 (0,5% do território brasileiro) População 5,4 Mi (8,4% do total)

Leia mais

Conselho de Administração do EEP e acionistas em dois momentos. No alto, em encontro com o Sr. Norberto Odebrecht durante a oficialização de parceria

Conselho de Administração do EEP e acionistas em dois momentos. No alto, em encontro com o Sr. Norberto Odebrecht durante a oficialização de parceria Conselho de Administração do EEP e acionistas em dois momentos. No alto, em encontro com o Sr. Norberto Odebrecht durante a oficialização de parceria tecnológica com a Kawasaki na sede da Odebrecht S.A.

Leia mais

O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS. Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS

O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS. Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS O PRÉ SAL E SEUS DESAFIOS Carlos Tadeu da Costa Fraga Gerente Executivo do Centro de Pesquisas da PETROBRAS 1 Pré-sal História geológica 164 130 122 108 152 Milhões Milhões Milhões Forma atual de de anos

Leia mais

INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA

INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA UM NOVO MOMENTO DA INDÚSTRIA NAVAL BRASILEIRA ENSEADA. A QUALIDADE, A PRODUTIVIDADE E A TECNOLOGIA DOS MELHORES ESTALEIROS DO MUNDO AGORA NO BRASIL Resultado da associação entre Odebrecht, OAS, UTC e Kawasaki,

Leia mais

Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009

Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009 Teleconferência / Webcast DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 2 o trimestre de 2009 (Legislação Societária) Almir Guilherme Barbassa Diretor Financeiro e de Relações com Investidores 18 de Agosto de 2009 Reservatório

Leia mais

Relações com Investidores. www.petroriosa.com.br ri@petroriosa.com.br +55 21 3721-3810 2T15. Divulgação de Resultados

Relações com Investidores. www.petroriosa.com.br ri@petroriosa.com.br +55 21 3721-3810 2T15. Divulgação de Resultados Relações com Investidores www.petroriosa.com.br ri@petroriosa.com.br +55 21 3721-3810 2T15 Divulgação de Resultados RESULTADOS REFERENTES AO 2T15 Rio de Janeiro, 20 de agosto de 2015 A Petro Rio S.A. (

Leia mais

26 a 28 de setembro de 2014 RIOCENTRO Rio de Janeiro - RJ. Um evento paralelo da

26 a 28 de setembro de 2014 RIOCENTRO Rio de Janeiro - RJ. Um evento paralelo da 26 a 28 de setembro de 2014 RIOCENTRO Rio de Janeiro - RJ Um evento paralelo da Uma iniciativa inédita no cenário brasileiro, o evento Fenacargo Fórum Especial Nacional do Transporte de Cargas será realizado

Leia mais

Programa Temático 2053 Petróleo e Gás

Programa Temático 2053 Petróleo e Gás Programa Temático 2053 Petróleo e Gás Objetivo 0057 Implantar sistemas coordenados de exploração, produção e processamento de petróleo e gás natural, em terra e mar, com conteúdo local, bem como de transporte

Leia mais

A Marinha Mercante do Brasil. Agosto / 2015

A Marinha Mercante do Brasil. Agosto / 2015 A Marinha Mercante do Brasil Agosto / 2015 Informações sobre o Syndarma Fundado em 5 de outubro de 1934, é a representação oficial da navegação marítima comercial do Brasil. Abriga duas associações: a

Leia mais

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Sumário A Empresa - Petrobras A Exploração e Produção de Óleo e Gás Gestão Ambiental

Leia mais

SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO

SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS SUAPE Movimentação de Cargas Complexo Industrial Portuário Movimentação de Cargas TECON Suape Novo Terminal de Containers Localização Privilegiada

Leia mais

Yusen Logistics do Brazil. Supply Chain Solutions

Yusen Logistics do Brazil. Supply Chain Solutions Yusen Logistics do Brazil Supply Chain Solutions Yusen Logistics Group NYK A YUSEN LOGISTICS é uma empresa do Grupo NYK (fundada em Tóquio em 1885), que atua na gestão do fluxo de bens, serviços e informações

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços

Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços Sumário Rio de Janeiro em números Energia Petróleo Carteira de Investimentos Rio de Janeiro em números Comércio Exterior Rio bate

Leia mais

TUP (TERMINAL DE USO PRIVADO)

TUP (TERMINAL DE USO PRIVADO) TUP (TERMINAL DE USO PRIVADO) A HISTÓRICO. O TUP do Estaleiro Brasa Ltda foi o primeiro Terminal de Uso Privado autorizado pela Secretaria de Portos da Presidência da Republica (SEP/PR) com a interveniência

Leia mais

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO

ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO ANEXO XII ATIVIDADES NÃO REALIZADAS POR RESTRIÇÃO DE PESSOAL E DE ORÇAMENTO QUADRO 1 Atividades a não serem realizadas por restrição

Leia mais

PLATEC Plataformas Tecnológicas

PLATEC Plataformas Tecnológicas Programa de Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor de Óleo e Gás - MULTIFOR PLATEC Plataformas Tecnológicas Barcos de Apoio Offshore Porto Alegre - RS em 26/03/2013 ONIP - MULTIFOR PROGRAMA DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades

Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades RAIMUNDO LUTIF Gerente Estruturação Negócio Fortaleza Ceará Fortaleza, 13 / setembro/ 2011. 1 AVISO Estas apresentações podem conter previsões

Leia mais

26 de Novembro de 2013. Reunião APIMEC QGEP

26 de Novembro de 2013. Reunião APIMEC QGEP 26 de Novembro de 2013 Reunião APIMEC QGEP Agenda Visão Geral da QGEP Portfólio Balanceado Principal Ativo em Produção Posição Financeira Privilegiada Estratégia de Crescimento VISÃO GERAL DO GRUPO QUEIROZ

Leia mais

A TCI BPO. Focada na customização e desenvolvimento de soluções específicas para apoiar e dar suporte à Indústrias, a TCI BPO faz uso do contingente:

A TCI BPO. Focada na customização e desenvolvimento de soluções específicas para apoiar e dar suporte à Indústrias, a TCI BPO faz uso do contingente: Serviços A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e práticas

Leia mais

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009

Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 Nota à Imprensa 11 de maio de 2009 Lucro líquido de R$ 5 bilhões 816 milhões no 1º trimestre de 2009 O preço médio do barril do petróleo tipo Brent caiu 55%, passando de US$ 97 no 1º trimestre de 2008

Leia mais

Gás Natural em Terra Rodada de Licitações 2013

Gás Natural em Terra Rodada de Licitações 2013 Gás Natural em Terra Rodada de Licitações 2013 XI Seminário Internacional Britcham de Energia Não Convencionais Olavo Colela Júnior Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) 10

Leia mais

O MERCADO DE APOIO OFFSHORE

O MERCADO DE APOIO OFFSHORE O MERCADO DE APOIO OFFSHORE MARÇO / 2010 Histórico da atividade de Apoio Marítimo Título do no Brasil Slide 120 100 80 60 40 20 0 13 1968 a 1975 Implantação As primeiras descobertas de petróleo em mar

Leia mais

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol

Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos. Profª Caroline Pauletto Spanhol Logística e Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos Profª Caroline Pauletto Spanhol Cadeia de Abastecimento Conceitos e Definições Elementos Principais Entendendo a Cadeia de Abastecimento Integrada Importância

Leia mais

Diferenciais Competitivos do Porto do Rio Grande

Diferenciais Competitivos do Porto do Rio Grande Diferenciais Competitivos do Porto do Rio Grande Fórum de Infraestrutura e Logística do RS Nov/2009 Eng. Darci Tartari Divisão de Planejamento Localização do Porto do Rio Grande no Conesul São Francisco

Leia mais

PLANO DECENAL - ANP. Mauro Barbosa de Araújo Superintendência de Definição de Blocos

PLANO DECENAL - ANP. Mauro Barbosa de Araújo Superintendência de Definição de Blocos PLANO DECENAL - ANP Planejamento das Atividades de Estudos Geológicos & Geofísicos nas Bacias Sedimentares Brasileiras Visando a Exploração de Petróleo e Gás Natural Mauro Barbosa de Araújo Superintendência

Leia mais

SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore

SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore Cenário da construção naval brasileira Balanço de 2014 e visão para 2015 Conteúdo Página Apresentação 2 FMM 6 Navios de

Leia mais

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013

Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Encontro para fomento da Micro e Pequena Empresa no entorno do EEP SICM Salvador - 04/06/2013 Gerente de Relações Institucionais Marcio Mendonça Cruz Revitalização Revitalização da da indústria indústria

Leia mais

PLATEC PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS PLATEC FPSO automação e instrumentação do top side

PLATEC PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS PLATEC FPSO automação e instrumentação do top side Programa de Desenvolvimento de Fornecedores para o Setor de Óleo e Gás - MULTIFOR PLATEC PLATAFORMAS TECNOLÓGICAS PLATEC FPSO automação e instrumentação do top side São Paulo - 16/10/2013 ONIP - MULTIFOR

Leia mais

O PAPEL DO OPERADOR LOGÍSTICO O PROCESSO DE AGREGAR VALOR AO CLIE TE ESTUDO DE CASO DA FASSI A

O PAPEL DO OPERADOR LOGÍSTICO O PROCESSO DE AGREGAR VALOR AO CLIE TE ESTUDO DE CASO DA FASSI A O PAPEL DO OPERADOR LOGÍSTICO O PROCESSO DE AGREGAR VALOR AO CLIE TE ESTUDO DE CASO DA FASSI A Thames Richard Silva Dissertação de Mestrado em Gestão de Negócios, Programa de Pós-Graduação em Gestão de

Leia mais

Polo Produtivo 2 de Julho

Polo Produtivo 2 de Julho Polo Produtivo 2 de Julho Cadeia de Óleo & Gás offshore, onshore e Indústria Naval Recôncavo - Bahia Apoio: OBJETIVO Implantação de um complexo Industrial para atender a crescente demanda da Indústria

Leia mais

Desafios na. Operação em Águas. Profundas no Brasil. Click to edit Master text styles. Second level Third level

Desafios na. Operação em Águas. Profundas no Brasil. Click to edit Master text styles. Second level Third level 29 de agosto de 2012 Desafios na Click to edit Master text styles Operação em Águas Second level Third level Profundas no Brasil Fourth level» Fifth level Jacques Braile Saliés, Ph.D. Agenda Motivação

Leia mais

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL

LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL LOG-IN LOGÍSTICA INTERMODAL Seminário: Terminais, Ferrovias e Contêineres Maio/2009 A Empresa Nossa Atuação Logística de Minério de Ferro Transporte, manuseio e armazenagem de minério de ferro e pelotas

Leia mais

Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras

Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras Desenvolvimento de Competências Alinhadas com as Estratégias Empresariais: O caso Petrobras Sumário A Petrobras Os Desafios O Alinhamento Estratégico - Gestão por Competências - A Concepção da Universidade

Leia mais

Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do

Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do Sec. XIX Porta de entrada dos imigrantes e comércio fluvial. 2001-1905 Primeiro estudos técnicos 1914 Construção do molhe sul 1938 Primeiro trecho do cais (233m) 1950/56 Complementação do cais (total 703m)

Leia mais

1 de 3 24/1/2011 13:49

1 de 3 24/1/2011 13:49 Petrobras prepara blitz marítima para atender pré-sal - Indústria - ig http://economia.ig.com.br/empresas/industria/petrobras+prepara+blitz... 1 de 3 24/1/2011 13:49 Último Segundo Economia Esporte TV

Leia mais

Curso Técnico em Logística com ênfase em Gestão Portuária

Curso Técnico em Logística com ênfase em Gestão Portuária Curso Técnico em Logística com ênfase em Gestão Portuária Sobre o Curso: O Curso Técnico com ênfase em Gestão Portuária tem como principal objetivo promover a qualificação profissional para atender às

Leia mais

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos:

A TCI BPO. Nossos diferenciais competitivos: Varejo e-commerce A TCI BPO Com atuação em todo o Brasil, a TCI oferece excelência na prestação dos serviços em BPO - Business Process Outsourcing, levando aos seus clientes as melhores competências e

Leia mais

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível SEMINÁRIO JURÍDICO-FISCAL E WORKSHOP TÉCNICO DA 4 a RODADA DE LICITAÇÕES DA ANP CAPACIDADE Clique para editar NACIONAL os estilos do texto DA mestre CADEIA Segundo DE nível SUPRIMENTO PARA PETRÓLEO E GÁS

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DO TERMINAL DE TUBARÃO

MEMORIAL DESCRITIVO DO TERMINAL DE TUBARÃO ÍNDICE ITEM DESCRIÇÃO PÁGINA 1 INFORMAÇÕES DOS TERMINAIS PORTUÁRIOS 3 2 TERMINAIS PORTUÁRIOS DO COMPLEXO DE TUBARÃO 3 3 4 3.1 TERMINAL PORTUÁRIO DE MINÉRIO DE FERRO DE TUBARÃO - TU 4 3.1.1. PÍER 1 - NORTE

Leia mais

ÍNDICE HISTÓRICO BAHIA EM NÚMEROS INCENTIVOS MERCADO INFRA-ESTRUTURA NOVOS PROJETOS. Seminário Jurídico-Fiscal Brasil Round 6

ÍNDICE HISTÓRICO BAHIA EM NÚMEROS INCENTIVOS MERCADO INFRA-ESTRUTURA NOVOS PROJETOS. Seminário Jurídico-Fiscal Brasil Round 6 Seminário Jurídico-Fiscal Brasil Round 6 INFRA- ESTRUTURA PARA E&P NO ESTADO DA BAHIA Rio de Janeiro, 18 de março de 2004 ÍNDICE 1 HISTÓRICO 2 BAHIA EM NÚMEROS 3 INCENTIVOS 4 MERCADO 5 INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO CODIN COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Panorama da Indústria Naval e Offshore 26.03.2013 Indústria Naval Brasileira Source: SINAVAL RIO GRANDE DO SUL EBR Estaleiros do

Leia mais

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010.

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010. Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário Porto Alegre, agosto de 2010. APOIO AO Polo Naval - Rio Grande Atuação integrada do Governo, por meio da SEINFRA e SEDAI, voltada

Leia mais

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014 NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014 Em

Leia mais

Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE. Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012

Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE. Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012 Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC ONSHORE Workshop Tecnológico Sondas de Perfuração Onshore FIEBE Salvador/BA 31 de julho de 2012 PLATEC - CONCEITUAL Plataformas Tecnológicas É uma base de conhecimentos

Leia mais

Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária

Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária Secretaria de Portos da Presidência da República Investimentos do Governo Federal nos Portos do Brasil e o Plano Nacional de Logística Portuária Ministro Leônidas Cristino São Luiz, abril 2011 AGENDA:

Leia mais

Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação

Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação Pré-sal, Desenvolvimento Industrial e Inovação André Tosi Furtado Departamento de Política Científica e Tecnológica Instituto de Geociências UNICAMP VIII Congresso Brasileiro de Planejamento Energético

Leia mais