O MERCADO DE APOIO OFFSHORE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O MERCADO DE APOIO OFFSHORE"

Transcrição

1 O MERCADO DE APOIO OFFSHORE MARÇO / 2010

2 Histórico da atividade de Apoio Marítimo Título do no Brasil Slide a 1975 Implantação As primeiras descobertas de petróleo em mar aberto. A importação das primeiras 13 embarcações pela Petrobrás

3 Histórico da atividade de Apoio Marítimo Título do no Brasil Slide a 1981 Expansão Frota brasileira atinge 44 navios. A Petrobras transfere para as empresas de Apoio Marítimo a operação da frota

4 Histórico da atividade de Apoio Marítimo Título do no Brasil Slide a 1989 Consolidação Operação das primeiras plataformas semi-submersíveis. A frota de apoio marítimo atinge nível recorde de 110 navios de bandeira brasileira

5 Histórico da atividade de Apoio Marítimo Título do no Brasil Slide a 1997 Desregulamentação Abertura indiscriminada do setor de apoio marítimo causa fechamento de empresas, venda de navios, perda de empregos e tecnologia; A frota de bandeira brasileira cai para 43 navios

6 Histórico da atividade de Apoio Marítimo no Brasil em diante Nova proposta 1997: Lei n o regulamentando, também, o Apoio Marítimo. A ABEAM apresenta programa de Modernização da frota, com construção local de navios de apoio. A proposta é encampada pelos governos Federal e Estadual e implementada pela Petrobras o que muda o perfil do setor. Os navios de bandeira brasileira recuperam sua presença no mercado : Lei n o 9.432

7 Mercado da atividade de Apoio Marítimo Título do no Brasil Slide 99 empresas brasileiras autorizadas pela ANTAQ. Cerca de 50 empresas operando (de fato) no apoio marítimo. 23 empresas associadas à ABEAM. Uma frota de 267 embarcações (132 de bandeira brasileira e 135 estrangeiras). 2008: cerca de US$ 765 milhões gastos com afretamentos (fonte: ANTAQ). Hoje estima-se superior a US$ 1 bi.

8 Mercado da atividade de Apoio Marítimo Título do no Brasil Slide Principais clientes oil companies: Petrobrás Shell Statoil Devon Anadarko Exxon Chevron OGX Maersk Outros

9 Perfil Título da Frota do Slide de Apoio Marítimo TIPO BANDEIRA AHTS PSV RSV MINI SUPPLY LH UT CREW BOAT OSRV WSV PLSV BRAS ESTR TOTAL TOTAL: 267 EMBARCAÇÕES Cerca de 40 embarcações operam para as oil companies fora do mercado Petrobrás.

10 Evolução da Frota de Apoio Marítimo Título do Slide N o de embarcações Brasileiras Estrangeiras Lei n o 9.432

11 As embarcações de apoio podem ser divididas nos seguintes classes principais: AHTS Anchor Handling and Tug Supply Manuseio de âncoras, Reboque e suprimento. PSV Platform Supply Vessel Embarcação de suprimento às plataformas RSV ROV Support Vessel embarcacões equipadas com veículo de operação remota MS Mini Supridor LH Line handling Manuseio de espias UT UTILITY BOAT - Supridores de cargas rápidas Crewboat transporte de tripulantes para as plataformas OSRV Oil Spill Response Vessel combate a derramamento de óleo WSV Well Stimulation Vessel estimulação de poços PLSV Pipe Laying Support Vessel Construção e lançamento de linhas DSV Diving Support Vessel embarcações de suporte ao mergulho

12 Manuseio e Reboque (AHTS Anchor Handling Tug Supply) São navios utilizados para rebocar e posicionar plataformas. Sua característica principal é enorme relação entre a potência de tração (150 toneladas de tração estática em média) e a arqueação. Devido à necessidade de recolher e lançar âncoras, a manobrabilidade da embarcação e a perícia do pessoal de bordo são fatores essenciais.

13 Manuseio e Reboque (AHTS Anchor Handling Tug Supply)

14 Manuseio e Reboque (AHTS Anchor Handling Tug Supply)

15 Suprimentos (PSV Platform Support Vessel) Esta classe de navio é utilizada para atender as necessidades de suprimento das plataformas, navios-sonda e embarcações maiores, operando dentro da Bacia Petrolífera. Estas embarcações movimentam óleo combustível, água potável, produtos químicos, água industrial, tubulações e ferramentas especiais, granéis, rancho etc.

16 Suprimentos (PSV Platform Support Vessel)

17 Suprimentos (PSV Platform Support Vessel)

18 Suporte às Operações de ROV Veículo de Operação Remota (RSV ROV Support Vessel) São embarcações equipadas com sistemas de posicionamento dinâmico, além de outras instalações utilizadas nas operações com veículo de operação remota.

19 Suporte às Operações de ROV Veículo de Operação Remota (RSV ROV Support Vessel)

20 Suporte às Operações de ROV Veículo de Operação Remota (RSV ROV Support Vessel)

21 Suporte às Operações de ROV Veículo de Operação Remota (RSV ROV Support Vessel)

22 Suporte às Operações de ROV Veículo de Operação Remota (RSV ROV Support Vessel)

23 Suporte às Operações de ROV Veículo de Operação Remota (RSV ROV Support Vessel)

24 MS Mini Supridor

25 CB Crewboat movimentação de tripulantes para as plataformas Embarcação utilizada para trocas de turmas nas plataformas - embarcações de alta velocidade.

26 UT Utility supridor para entrega de cargas rápidas. Embarcação com alta velocidade.

27 Frota de Apoio Marítimo Tipos de Título do Slide Embarcação OSRV - Oil Spill Response Vessel Combate a derramamento de óleo.

28 OSRV - Oil Spill Response Vessel Combate a derramamento de óleo.

29 Combate a Incêndio (Fire Fighting) Embarcações de apoio em geral possuem bombas e canhões de incêndio com capacidade de aplicar jatos à vazão de até m3 de água por hora, para atender em caso de emergência, as solicitações de socorro e incêndios em plataformas e/ou embarcações.

30 WSV Well Stimulation Vessel (estimulação de poços)

31 WSV Well Stimulation Vessel (estimulação de poços)

32 PLSV Pipe Laying Support Vessel lançamento de linhas rígidas e flexiveis

33 PLSV Pipe Laying Support Vessel lançamento de linhas flexíveis

34 PLSV Pipe Laying Support Vessel lançamento de linhas rígidas

35 Lançamento de Linha (PLSV Pipe Laying Support Vessel)

36 Título do Slide O QUE É A CONSTRUÇÃO SUBMARINA

37 Apoio Marítimo dificuldades do setor Tripulação Brasileira Elevada demanda por oficiais de Marinha Mercante Alto custo dos salários das tripulações Enorme dificuldade de formar tripulantes e técnicos. Composição típica de um navio dos tipos AHTS, RSV, PLSV e WSV é de até 22 tripulantes marítimos e de 20 a50 profissionais técnicos. Contratos de Serviço x Time Charter Como contratar com as operadoras de óleo e gás que não são EBN s (só Petrobras e OGX são) já que a ANTAQ, por interpretacao da Lei 9.432, impede que sejam firmados contratos de afretamento com não EBN s, onerando o setor. Importação de navios Circularização (60 + 7) dias de antecedência à importação da embarcação A RN 72 exige maior nº de tripulantes brasileiros em todas as posições 1/3 após 90 dias e 2/3 após 180 dias. Prazo de validade de 12 meses para os CAA s Repetro morosidade e burocratização da liberação de embarcações e equipamentos importados.

38 Apoio Marítimo empresas associadas Empresas brasileiras associadas à ABEAM (23) Acergy Astromarítima BOS BRAM CBO Delba Finarge Locar Gulf Marine Maersk Norskan Saveiros Seabulk Sealion Siem Consub Skymar Subsea 7 Sulnorte Superpesa Technip Tranship Trico UP Offshore

39

Apoio Marítimo no Brasil

Apoio Marítimo no Brasil Desafios do Setor de Apoio Marítimo no Brasil SETEMBRO / 2010 Apoio Marítimo no Brasil 109 empresas brasileiras autorizadas pela ANTAQ; Cerca de 50empresas operando (de fato) no apoio marítimo; 24 empresas

Leia mais

CENÁRIO ATUAL, DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O SEGMENTO DE APOIO OFFSHORE ABEAM ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE APOIO MARÍTIMO

CENÁRIO ATUAL, DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O SEGMENTO DE APOIO OFFSHORE ABEAM ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE APOIO MARÍTIMO CENÁRIO ATUAL, DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARA O SEGMENTO DE APOIO OFFSHORE ABEAM ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DAS EMPRESAS DE APOIO MARÍTIMO ABEAM Associação Brasileira das Empresas de Apoio MaríImo A navegação

Leia mais

Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil - Março / 2017

Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil - Março / 2017 Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil - Março / 2017 2 Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Março / 2017 Item Página 1. Apresentação / Definição 3 2. Visão Geral da Frota Total de

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE NAVEGAÇÃO MARÍTIMA

SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE NAVEGAÇÃO MARÍTIMA SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE NAVEGAÇÃO MARÍTIMA PRESS KIT SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE NAVEGAÇÃO MARÍTIMA Fundado em 5 de outubro de 1934, o Syndarma é a representação oficial da navegação

Leia mais

Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil - Maio / 2017

Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil - Maio / 2017 Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil - Maio / 2017 2 Frota de Embarcações de Apoio Marítimo no Brasil Maio / 2017 Item Página 1. Apresentação / Definição 3 2. Visão Geral da Frota Total de

Leia mais

Associação Brasileira das Empresas de Apoio Marítimo. Aspectos Legais Highlights

Associação Brasileira das Empresas de Apoio Marítimo. Aspectos Legais Highlights Associação Brasileira das Empresas de Apoio Marítimo Aspectos Legais Highlights Agosto/2015 ABEAM Quemsomos Fundada em 1977, ABEAM representa 43 empresas que operam embarcações de apoio marítimo no Brasil

Leia mais

A Marinha Mercante do Brasil. Agosto / 2015

A Marinha Mercante do Brasil. Agosto / 2015 A Marinha Mercante do Brasil Agosto / 2015 Informações sobre o Syndarma Fundado em 5 de outubro de 1934, é a representação oficial da navegação marítima comercial do Brasil. Abriga duas associações: a

Leia mais

Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima

Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima Sindicato Nacional das Empresas de Navegação Marítima Iº Simpósio da Amazônia de Segurança notransporte Regional Fluvial O Syndarma e a Capacitação Profissional atual dos Marítimos Contra-Almirante Luiz

Leia mais

Petrobras - PNG 2015/2019 Mercado de Embarcações de Apoio no Brasil. Rio de Janeiro 27 de Agosto de 2015

Petrobras - PNG 2015/2019 Mercado de Embarcações de Apoio no Brasil. Rio de Janeiro 27 de Agosto de 2015 Petrobras - PNG 2015/2019 Mercado de Embarcações de Apoio no Brasil Rio de Janeiro 27 de Agosto de 2015 Cláudio Araújo Gerente Geral de Contratações E&P - Serviços 2ª Conferência OAB/RJ de Direito Marítimo

Leia mais

PETROBRAS: Dimensão da Demanda Gerada pela Exploração e Transporte de Petróleo

PETROBRAS: Dimensão da Demanda Gerada pela Exploração e Transporte de Petróleo PETROBRAS: Dimensão da Demanda Gerada pela Exploração e Transporte de Petróleo Jorge Luiz Zelada Gerente Geral E&P e Transporte Marítimo ENGENHARIA Rio de Janeiro, 08 de Outubro de 2003 Plataformas de

Leia mais

Novo Marco Legal do Setor Portuário e Ações Governamentais em Curso. Reflexos para a Marinha Mercante Brasileira. Fernando Fonseca Diretor

Novo Marco Legal do Setor Portuário e Ações Governamentais em Curso. Reflexos para a Marinha Mercante Brasileira. Fernando Fonseca Diretor Novo Marco Legal do Setor Portuário e Ações Governamentais em Curso Reflexos para a Marinha Mercante Brasileira Fernando Fonseca Diretor Rio de Janeiro, 25 de maio de 2015 DADOS GERAIS SOBRE O BRASIL 2

Leia mais

Panorama da Navegação. Marítima e de Apoio

Panorama da Navegação. Marítima e de Apoio 2011 Panorama da Navegação Marítima e de Apoio Superintendência da Navegação Marítima e de Apoio SNM / ANTAQ 30/05/2012 SUMÁRIO O transporte marítimo... 2 Longo curso... 2 Cabotagem... 6 Frota mercante

Leia mais

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP

Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Conteúdo Local na Construção Naval e Offshore Brasileira: O papel da ANP Coordenadoria de Conteúdo Local Marintec South America / 12ª Navalshore, 12/08/15 A Política de Conteúdo Local Definição: Política

Leia mais

pedro.calmon.@pcfa.com.br

pedro.calmon.@pcfa.com.br pedro.calmon.@pcfa.com.br Montevideo, 27 de junho de 2013 Órgãos públicos: Agência Nacional do Petróleo ANP Autoridade Marítima DPC e CPp Receita Federal Aduana Instituto Nacional do Meio Ambiente IBAMA

Leia mais

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público

Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público nº 345 novembro 2014 Odebrecht Mobilidade: mais investimentos em transporte público Odebrecht 70 anos: histórico e perspectivas em Óleo e Gás Foz Saneatins passa a se chamar Odebrecht Ambiental Saneatins

Leia mais

Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas. 19 de novembro de 2013

Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas. 19 de novembro de 2013 Política de Conteúdo Local - Oportunidades de Negócios para Pequenas Empresas 19 de novembro de 2013 Agenda PNG 2013-2017 Política de Conteúdo Local da Petrobras Oportunidades de Negócio Ações de Fomento

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS - AMPLIAÇÃO CAXIMBAU - ANTAQ

MEMORIAL DESCRITIVO DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS - AMPLIAÇÃO CAXIMBAU - ANTAQ DATA: 20/05/2015 FL.: 1/22 DAS INSTALAÇÕES PORTUÁRIAS - AMPLIAÇÃO CAXIMBAU - ANTAQ CLIENTE Nome Departamento Data Visto Aprovado Aprovado sem Comentários Aprovado com Comentários Não Aprovado As informações

Leia mais

Italian Young Ship-owners Group of Confitarma

Italian Young Ship-owners Group of Confitarma Italian Young Ship-owners Group of Confitarma The Brazilian Economy Climbs World Rankings: Which are the Opportunities for the Italian Shipping Companies? October 28, 2010 The Planet 120 million years

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE Resultados da Indústria da Construção Naval Brasileira 2010

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE Resultados da Indústria da Construção Naval Brasileira 2010 1 Carteiras de encomendas dos estaleiros brasileiros 2010 Obras em andamento Carteiras de encomendas dos estaleiros RJ Empreendimentos TPB Particip. % Rio de Janeiro EISA 26 1.276.600 Rio Nave 2 3.000

Leia mais

A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro

A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro A Indústria naval e offshore no Estado do Rio De Janeiro Rio de Janeiro Localização Sudeste do Brasil (56% do PIB nacional) Área 43.90 km 2 (0,5% do território brasileiro) População 5,4 Mi (8,4% do total)

Leia mais

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P

Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Oportunidades para a cadeia de suprimentos em E&P Seminário BNDES: Desenvolvimento da cadeia de fornecedores de petróleo e gás Guilherme Estrella Diretor de E&P Rio Rio de de Janeiro, 1º 1º de de setembro

Leia mais

Automation Engineering and Technical Support

Automation Engineering and Technical Support Automation Engineering and Technical Support SKM é uma empresa de engenharia, fabricação e serviço, 100% brasileira e, desde 1992, esta focada em fornecer soluções abrangentes e serviços para a Marinha

Leia mais

Projeto de Nacionalização de Baleeiras - PROMINP E&P 11

Projeto de Nacionalização de Baleeiras - PROMINP E&P 11 Projeto de Nacionalização de Baleeiras - PROMINP E&P 11 Sergio Granati Rib Offshore Serviços Técnicos de Petróleo Ltda. Garibaldi - RS Novembro/2007 Rib Offshore Fabricante de embarcações e produtos voltados

Leia mais

OFFSHORE EM SERVIÇO E.R. OFFSHORE

OFFSHORE EM SERVIÇO E.R. OFFSHORE OFFSHORE EM SERVIÇO E.R. OFFSHORE 53 33 N 009 59 E HAMBURGO SABEMOS O QUE ESTÁ EM JOGO NAS ATIVIDADES OFFSHORE. É POR ISSO QUE TEMOS UM FORTE COMPROMISSO COM A SEGURANÇA DE NOSSAS OPERAÇÕES E COM A PROMOÇÃO

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA INDIVIDUAL PEI FPSO OSX-1

PLANO DE EMERGÊNCIA INDIVIDUAL PEI FPSO OSX-1 Pág. 1/9 I DIMENSIONAMENTO, ESTRATÉGIA E TEMPOS DE RESPOSTA Para casos de incidentes de vazamento de óleo no mar, deverão ser adotadas uma das seguintes alternativas, ou uma combinação destas: acompanhamento

Leia mais

http://notes.ufsc.br/aplic/pesquisa.nsf/ab67bcefa48...

http://notes.ufsc.br/aplic/pesquisa.nsf/ab67bcefa48... Formulário de Pesquisa http://notes.ufsc.br/aplic/pesquisa.nsf/ab67bcefa48... Universidade Federal de Santa Catarina Atividades de Pesquisa Formulário de Tramitação e Registro Situação:Aprovação/Depto

Leia mais

Relatório INDÚSTRIA NAVAL VOLUME IV. Julho de 2009

Relatório INDÚSTRIA NAVAL VOLUME IV. Julho de 2009 Relatório de Acompanhamento Setorial INDÚSTRIA NAVAL VOLUME IV Julho de 2009 RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO SETORIAL INDÚSTRIA NAVAL Volume IV Equipe: José Augusto Gaspar Ruas Vanessa Moraes Lugli Pesquisadores

Leia mais

Frota de Embarcações de Apoio Marítimo em Operação no Brasil - Dezembro / 2014

Frota de Embarcações de Apoio Marítimo em Operação no Brasil - Dezembro / 2014 Frota de Embarcações de Apoio Marítimo em Operação no Brasil - Dezembro / 2014 2 Frota de Embarcações de Apoio Marítimo em Operação no Brasil Dezembro / 2014 Discriminação Página 1. Apresentação / Glossário.

Leia mais

SKM é uma empresa de engenharia, industrialização e serviço, 100% brasileira e, desde 1992, esta focada em fornecer soluções abrangentes e serviços

SKM é uma empresa de engenharia, industrialização e serviço, 100% brasileira e, desde 1992, esta focada em fornecer soluções abrangentes e serviços Engenharia de Automação & Assistência Técnica SKM é uma empresa de engenharia, industrialização e serviço, 100% brasileira e, desde 1992, esta focada em fornecer soluções abrangentes e serviços para a

Leia mais

O Afretamento de Embarcações Estrangeiras Operadas por EBN

O Afretamento de Embarcações Estrangeiras Operadas por EBN O Afretamento de Embarcações Estrangeiras Operadas por EBN Heloisa Vicente de França Carvalhal Gerente de Afretamento da Navegação Marítima e de Apoio Afretamento Marítimo Brasília, 21 de agosto de 2008

Leia mais

SECTOR NAVAL QUAL O RUMO?

SECTOR NAVAL QUAL O RUMO? SECTOR NAVAL QUAL O RUMO? 1 CONSTRUÇÃO NAVAL & OFFSHORE CORE BUSINESS & KNOW-HOW As capacidades demonstradas ao longo dos projectos têm levado ao aumento da confiança dos nossos clientes e garantido a

Leia mais

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE

SINDICATO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO E REPARAÇÃO NAVAL E OFFSHORE 1 A demanda por plataformas de produção de petróleo Abril 2010 A demanda por plataformas de produção de diversos tipos é estimada em cerca de 150 unidades até 2020. A demanda estimada da Petrobras é de

Leia mais

SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore

SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore SINAVAL Sindicato Nacional da Indústria da Construção e Reparação Naval e Offshore Cenário da construção naval brasileira Balanço de 2014 e visão para 2015 Conteúdo Página Apresentação 2 FMM 6 Navios de

Leia mais

II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE

II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE II.2. CARACTERIZAÇÃO DA ATIVIDADE II.2.1. IDENTIFICAÇÃO DA UNIDADE DE PERFURAÇÃO E DAS EMBARCAÇÕES DE APOIO A) EMBARCAÇÕES DE APOIO Para o apoio logístico (transporte de materiais, transporte de resíduos,

Leia mais

O Sistema Brasileiro de Navegação e Desempenho Portuário.

O Sistema Brasileiro de Navegação e Desempenho Portuário. AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTES AQUAVIÁRIOS O Sistema Brasileiro de Navegação e Desempenho Portuário. Tiago Lima Diretor Geral em exercício ANTAQ ESTRUTURA DE ESTADO ANTAQ : ASPECTOS INSTITUCIONAIS Criada

Leia mais

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional

A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ. CAMPUS 2014 Brésil Internacional A INDÚSTRIA DE PETRÓLEO & GÁS NO ESTADO DO RJ CAMPUS 2014 Brésil Internacional Agenda PetróleoeGásNaturalnoBrasileRiodeJaneiro Situação da Indústria Naval Sistema FIRJAN: Soluções para Indústria de P&G

Leia mais

TÁXI AÉREO NO BRASIL

TÁXI AÉREO NO BRASIL TÁXI AÉREO NO BRASIL 1 TÁXI AÉREO NO BRASIL Número de empresas no Brasil : 177 ( ANAC) Frota: 510 aviões (monomotores, bimotores, turbo-hélices e jatos) 240 helicópteros (aeronaves leves, médias e de grande

Leia mais

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014

NAGI PG. As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado. Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014 NAGI PG NÚCLEO DE APOIO À GESTÃO DA INOVAÇÃO NA CADEIA DE PETRÓLEO E GÁS As Oportunidades do Pré-sal: Como minha indústria pode participar deste mercado Eng. Virgilio Calças Filho Sorocaba 27/02/2014 Em

Leia mais

Apoio do BNDES para o Setor de P&G

Apoio do BNDES para o Setor de P&G Apoio do BNDES para o Setor de P&G Rodrigo Matos Huet de Bacellar Superintendente Área de Insumos Básicos Setembro / 2013 MERCADO de P&G BRASILEIRO É importante ter a dimensão desse desafio Pré-sal: um

Leia mais

1. Introdução 1.1. Histórico do crescimento da produção de petróleo no Brasil

1. Introdução 1.1. Histórico do crescimento da produção de petróleo no Brasil 1. Introdução 1.1. Histórico do crescimento da produção de petróleo no Brasil A Petrobrás alcançou em julho de 2005 a média de produção de 1,76 milhões de barris por dia, sendo destes 1,45 milhões só na

Leia mais

EDISON CHOUEST OFFSHORE ESPÍRITO SANTO BRASIL 2012

EDISON CHOUEST OFFSHORE ESPÍRITO SANTO BRASIL 2012 EDISON CHOUEST OFFSHORE ESPÍRITO SANTO BRASIL 2012 EDISON CHOUEST OFFSHORE BASE DE APOIO LOGÍSTICO OFFSHORE ITAPEMIRIM - ES Sumário Quem Somos Presença no Brasil O Projeto Itapemirim, ES O Projeto Conceitual

Leia mais

Quem somos. ANA LUIZA CRUZ VIZACO alc@kvcvlaw.com.br Skype: ana.luiza.cruz.vizaco. BASHIR KARIM VAKIL bkv@kvcvlaw.com.br Skype: bashir.karim.

Quem somos. ANA LUIZA CRUZ VIZACO alc@kvcvlaw.com.br Skype: ana.luiza.cruz.vizaco. BASHIR KARIM VAKIL bkv@kvcvlaw.com.br Skype: bashir.karim. O nosso objetivo Fundado em 2011, por dois ex-sócios de um escritório renomado do Rio de Janeiro, Karim Vakil & Cruz Vizaco Advogados é um escritório boutique que visa estabelecer-se como uma alternativa

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE

PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE PÓS GRADUAÇÃO EM PETRÓLEO E GÁS PARTE II PRODUÇÃO ONSHORE E OFFSHORE PERFURAÇÃO BREVE RESUMO A perfuração de um poço de petróleo é realizada através de uma sonda, uma grande estrutura que contém diversos

Leia mais

Petróleo e Meio Ambiente

Petróleo e Meio Ambiente Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Petróleo e Meio Ambiente Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira Acidentes na Indústria de Petróleo Acidentes com Plataformas

Leia mais

Fernando Fonseca Diretor

Fernando Fonseca Diretor 2ª Conferência OAB-RJ de Direito Marítimo e Portuário Desafios e Tendências da Navegação e da Logística Portuária no Brasil NAVEGAÇÃO DE APOIO MARÍTIMO E LOGÍSTICA OFFSHORE Fernando Fonseca Diretor Rio

Leia mais

A indústria de construção naval brasileira

A indústria de construção naval brasileira Apresentação ao BNDES Cenário Nacional A indústria O mercado Situação da frota Situação do trade Cabotagem Longo Curso Apoio Marítimo Pesca Ildefonso Côrtes Julho de 2003 Ivens Consult 1 A indústria Existe

Leia mais

The Oil Finance Specialists

The Oil Finance Specialists Release 18 th March 2013 O Renascimento da Construção Naval Brasileira Posição do Brasil no mercado mundial O cenário da construção naval mundial se mostra cada vez mais volátil, com a China e Coréia se

Leia mais

3 Contextualização do mercado

3 Contextualização do mercado 3 Contextualização do mercado 3.1. A cadeia de suprimentos do setor de exploração e produção de Petróleo A produção brasileira de petróleo registrou crescimento substancial nos últimos anos. Em 2007, o

Leia mais

Apresentação Corporativa

Apresentação Corporativa Apresentação Corporativa Nossa Empresa A TerraMar Treinamentos foi fundada no ano de 2009, objetivando o atendimento às empresas do setor marítimo no tocante aos treinamentos de segurança, aprimoramento

Leia mais

PLATAFORMAS MARÍTIMAS Desenvolvimento das estruturas offshore Plataformas Fixas Parte 1

PLATAFORMAS MARÍTIMAS Desenvolvimento das estruturas offshore Plataformas Fixas Parte 1 PLATAFORMAS MARÍTIMAS Desenvolvimento das estruturas offshore Plataformas Fixas Parte 1 INTRODUÇÃO Com o declínio das reservas onshore e offshore em águas rasas, a exploração e produção em águas profundas

Leia mais

ESTALEIRO EISA MOMENTO ATUAL E PERSPECTIVAS APIMEC 26/03/2013

ESTALEIRO EISA MOMENTO ATUAL E PERSPECTIVAS APIMEC 26/03/2013 ESTALEIRO EISA MOMENTO ATUAL E PERSPECTIVAS APIMEC 26/03/2013 SUMÁRIO O GRUPO O EISA PROJETOS MILITARES SYNERGY ENTERPRISES -Shipbuilding & Repair -Offshore repair and conversions shipyards SYNERGY RESOURCES

Leia mais

Embarcações de Apoio Offshore e Barcos de Trabalho

Embarcações de Apoio Offshore e Barcos de Trabalho Embarcações de Apoio Offshore e Barcos de Trabalho - Líder Mundial em C Em 2012, a tornou-se a primeira classificadora do mundo a possuir mais de 200 milhões de toneladas de arqueação bruta em seu registro.

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE. Resolução Normativa nº 72/2006 COORDENAÇÃO GERAL DE IMIGRAÇÃO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE. Resolução Normativa nº 72/2006 COORDENAÇÃO GERAL DE IMIGRAÇÃO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO - MTE Resolução Normativa nº 72/2006 COORDENAÇÃO GERAL DE IMIGRAÇÃO DIRETRIZES DA RESOLUÇÃO 72 Aumentar a competitividade internacional da navegação marítima e do setor

Leia mais

ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP

ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS - APP ANEXO II.7-1 - ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS Pág. 1/19 ANÁLISE PRELIMINAR DE PERIGOS CLIENTE PETROBRAS REV. 00 DATA Out/2010 FOLHA 1/19 INSTALAÇÃO Unidade Marítima de Perfuração NS-21 (Ocean Clipper)

Leia mais

EMERGENCIAS OFFSHORE ACIDENTES EM PLATAFORMAS DE PETRÓLEO. Prof. Osni Guaiano

EMERGENCIAS OFFSHORE ACIDENTES EM PLATAFORMAS DE PETRÓLEO. Prof. Osni Guaiano EMERGENCIAS OFFSHORE ACIDENTES EM PLATAFORMAS DE PETRÓLEO Prof. Osni Guaiano Rio de Janeiro, 2014 RESUMO A exploração e a produção de petróleo e gás natural são atividades que visam suprir à crescente

Leia mais

* Respectivamente chefe, gerente e engenheiro do departamento de Gás, Petróleo e bens de capital sob Encomenda do bndes.

* Respectivamente chefe, gerente e engenheiro do departamento de Gás, Petróleo e bens de capital sob Encomenda do bndes. Priscila Branquinho das Dores Elisa salomão lage lucas Duarte Processi* * Respectivamente chefe, gerente e engenheiro do departamento de Gás, Petróleo e bens de capital sob Encomenda do bndes. Construção

Leia mais

Karen Luiza Batista da Costa (UFF/Macaé) Denise Cristina de Oliveira Nascimento (UFF/Macaé) Ailton da Silva Ferreira (UFF/Macaé)

Karen Luiza Batista da Costa (UFF/Macaé) Denise Cristina de Oliveira Nascimento (UFF/Macaé) Ailton da Silva Ferreira (UFF/Macaé) WWWCONVIBRAORG Importação de embarcações marítimo às atividades de petróleo em uma empresa de Macaé Karen Luiza Batista da Costa (UFF/Macaé) Denise Cristina de Oliveira Nascimento (UFF/Macaé) Ailton da

Leia mais

Prioridades do FMM em 2011 (novas construções) SINAVAL Cenário do 4º Trimestre Balanço 2011

Prioridades do FMM em 2011 (novas construções) SINAVAL Cenário do 4º Trimestre Balanço 2011 Prioridades do FMM em 2011 (novas construções) SINAVAL Cenário do 4º Trimestre Balanço 2011 A prioridade de financiamentos concedida em duas reuniões do Conselho Diretor do Fundo da Marinha Mercante, em

Leia mais

Oportunidades para a Cadeia. 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011

Oportunidades para a Cadeia. 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011 Oportunidades para a Cadeia de Suprimentos de E&P 8º Encontro Nacional do PROMINP São Luís, 24/11/2011 Aviso Estas apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem

Leia mais

Teleconferência e Webcast Divulgação de Resultados do 1T de maio de 2013

Teleconferência e Webcast Divulgação de Resultados do 1T de maio de 2013 Teleconferência e Webcast Divulgação de Resultados do 1T13 17 de maio de 2013 1 Aviso Legal Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos e/ou resultados futuros

Leia mais

Seminário Internacional sobre Hidrovias

Seminário Internacional sobre Hidrovias Seminário Internacional sobre Hidrovias Estação de Transbordo de Cargas ETC Instalação Portuária Pública de Pequeno Porte IP4 Navegação Interior Navegação Marítima e Apoio Portuário Esfera de atuação ANTAQ

Leia mais

SETOR MARÍTIMO MERCADO DE EMBARCAÇÕES DE APOIO MARÍTIMO ÀS PLATAFORMAS DE PETRÓLEO: OPORTUNIDADES E DESAFIOS

SETOR MARÍTIMO MERCADO DE EMBARCAÇÕES DE APOIO MARÍTIMO ÀS PLATAFORMAS DE PETRÓLEO: OPORTUNIDADES E DESAFIOS MERCADO DE EMBARCAÇÕES DE APOIO MARÍTIMO ÀS PLATAFORMAS DE PETRÓLEO: OPORTUNIDADES E DESAFIOS Ricardo Cunha da Costa Victor Hugo Pires Guilherme Penin Santos de Lima* * Respectivamente, gerente e economistas

Leia mais

A OceanPact é uma empresa brasileira especializada no gerenciamento e resposta a emergências nos ambientes marinho e costeiro.

A OceanPact é uma empresa brasileira especializada no gerenciamento e resposta a emergências nos ambientes marinho e costeiro. comprometimento A OceanPact é uma empresa brasileira especializada no gerenciamento e resposta a emergências nos ambientes marinho e costeiro. Oferecemos todo tipo de serviços e soluções associados à preparação

Leia mais

Bacia de Santos cria novo ciclo de desenvolvimento tecnológico e logístico

Bacia de Santos cria novo ciclo de desenvolvimento tecnológico e logístico Equipamentos, partes, peças e prestadores de serviços para as Indústrias Naval e Offshore www.guiaoffshore.com.br R$ 13,90 Bacia de Santos cria novo ciclo de desenvolvimento tecnológico e logístico Petrobras:

Leia mais

1. Informações Institucionais

1. Informações Institucionais 1. Informações Institucionais Nossa Empresa Líder mundial em eventos de negócios e consumo, a Reed Exhibitions atua na criação de contatos, conteúdo e comunidades com o poder de transformar negócios Números

Leia mais

Tecnologia RFID na Gestão de Ativos

Tecnologia RFID na Gestão de Ativos Warehousing Transport Field Operations Maintenance & Inspection Tecnologia RFID na Gestão de Ativos DESAFIOS Existe uma solução de tecnologia viável e econômica disponível para gerir de forma eficaz e

Leia mais

Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza

Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza Petrobras fará verdadeira revolução na Logística da Indústria do Petróleo

Leia mais

INTRODUÇÃO AO APOIO MARÍTIMO

INTRODUÇÃO AO APOIO MARÍTIMO INTRODUÇÃO AO APOIO MARÍTIMO MARCOS MACHADO DA SILVEIRA 1 MARCOS MACHADO DA SILVEIRA INTRODUÇÃO AO APOIO MARÍTIMO 1ª edição Niterói/RJ Edição do Autor 2013 2 2013 Marcos Machado da Silveira Direitos reservados

Leia mais

PC PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO

PC PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO PC PERFURAÇÃO E COMPLETAÇÃO Introdução: As atividades de perfuração de poços de petróleo são do seguimento upstream, que consiste em métodos que visam a segurança e a produtividade do poço. Para tais operações

Leia mais

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES

1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES 1º Workshop Tecnológico PLATEC Sondas de Perfuração Marítima Vitoria/ES FEV - 2013 Mercado de atuação do EEP descobertas do pré-sal: o Brasil se transformou no grande mercado para diversos equipamentos

Leia mais

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS

EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS PROCESSOS INDUSTRIAIS ORGÂNICOS EXPLORAÇÃO E PRODUÇÃO- EQUIPAMENTOS UTILIZADOS PERFURAÇÃO - INTRODUÇÃO A perfuração de um poço de petróleo é realizada através de uma sonda, conforme ilustrado nas figuras

Leia mais

SMIT, SERVIÇOS MARÍTIMOS DE MOÇAMBIQUE, LIMITADA PARCEIRO MOÇAMBICANO DE SOLUÇÕES MARÍTIMAS

SMIT, SERVIÇOS MARÍTIMOS DE MOÇAMBIQUE, LIMITADA PARCEIRO MOÇAMBICANO DE SOLUÇÕES MARÍTIMAS SMIT, SERVIÇOS MARÍTIMOS DE MOÇAMBIQUE, LIMITADA PARCEIRO MOÇAMBICANO DE SOLUÇÕES MARÍTIMAS 2 QUEM SOMOS 3 UMA EMPRESA LOCAL QUE REÚNE REQUESITOS INTERNACIONAIS A Smit Serviços Marítimos de Moçambique

Leia mais

ENFERMAGEM OFF-SHORE

ENFERMAGEM OFF-SHORE ENFERMAGEM OFF-SHORE Facilitadora: Enfª FLÁVIA SUELANE A primeira descoberta de petróleo no Ceará foi no campo de Xaréu em 1976, em Fevereiro de 1978 foi descoberto o campo de Curimã e em Maio do mesmo

Leia mais

A Siderurgia brasileira de aços planos e o Atendimento ao Mercado Naval e Offshore

A Siderurgia brasileira de aços planos e o Atendimento ao Mercado Naval e Offshore A Siderurgia brasileira de aços planos e o Atendimento ao Mercado Naval e Offshore Workshop de Tecnologia de Construção Naval e Offshore PROMINP Firjan, 24 de Junho de 2009 Sergio Leite de Andrade Vice

Leia mais

7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA

7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA 7.1.1 DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA EMISSÃO DO AIT ATESTADO DE INSCRIÇÃO TEMPORÁRIA DE EMBARCAÇÃO ESTRANGEIRA 1) Requerimento ao CP/DL. 2) Ofício/carta da empresa contendo razão social do armador, proprietário,

Leia mais

I N D Ú S T R I A N A V A L

I N D Ú S T R I A N A V A L I N D Ú S T R I A N A V A L J a n e i r o d e 2 0 0 5 C O N J U N T U R A E C O N Ô M I C A 2 6 C O N C E N T R A ÇIÃN O D EÚ CS OT NR ÔI MA I CN A V A L Vindo à tona Cláudia Lobo do Rio Depois de atingir

Leia mais

Mitigação dos Atrasos na Partida das Embarcações do Porto de Imbetiba nos Atendimentos dos Ativos de Produção e Sondas da Bacia de Campos.

Mitigação dos Atrasos na Partida das Embarcações do Porto de Imbetiba nos Atendimentos dos Ativos de Produção e Sondas da Bacia de Campos. Mitigação dos Atrasos na Partida das Embarcações do Porto de Imbetiba nos Atendimentos dos Ativos de Produção e Sondas da Bacia de Campos. Marcelo Maciel Monteiro Universidade Federal Fluminense Rua Passo

Leia mais

Tubos cladeados. Tubos resistentes à corrosão. Tubos cladeados

Tubos cladeados. Tubos resistentes à corrosão. Tubos cladeados 1 Tubos cladeados Tubos resistentes à corrosão Tubos cladeados Tubos especiais e componentes prontos para a instalação Tubulações pré-fabricadas e componentes soldados Vasos, tanques e torres Construção

Leia mais

MAR - Registo Internacional de Navios da Madeira

MAR - Registo Internacional de Navios da Madeira MAR - Registo Internacional de Navios da Madeira MAR: Registo Internacional de Navios da Madeira S.D.M. - Sociedade de Desenvolvimento da Madeira, S.A. Rua da Mouraria, n.º 9-1.º P. O. Box 4164, 9001-801

Leia mais

"Oportunidades e desafios nos serviços de logística no setor de P&G. 22 de Agosto de 2013

Oportunidades e desafios nos serviços de logística no setor de P&G. 22 de Agosto de 2013 "Oportunidades e desafios nos serviços de logística no setor de P&G 22 de Agosto de 2013 SUMÁRIO 1.INTRODUÇÃO 2.RELEVÂNCIA DO SETOR DE P&G NO BRASIL 3.CENÁRIO ATUAL 4.DESAFIOS 5.CONCLUSÃO SUMÁRIO 1.INTRODUÇÃO

Leia mais

Agenda. Destaques OGX. Organograma. Portfolio OGX. Finanças. Execução do Plano de Negócios

Agenda. Destaques OGX. Organograma. Portfolio OGX. Finanças. Execução do Plano de Negócios Reunião APIMEC 2009 Aviso Legal Esta apresentação e seu teor constituem informação de propriedade da Companhia, não podendo ser reproduzidos ou divulgados no todo ou em parte sem a sua prévia anuência

Leia mais

TARIFA DO PORTO DE SUAPE

TARIFA DO PORTO DE SUAPE SUAPE COMPLEXO INDUSTRIAL PORTUÁRIO TARIFA DO PORTO DE SUAPE Homologada pela RESOLUÇÃO Nº 4.091, DE 7 DE MAIO DE 2015 (D.O.U. de 08.05.15) TABELA 1 UTILIZAÇÃO DA INFRAESTRUTURA MARÍTIMA (Taxas devidas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO. Cláudio Roberto Fernandes Décourt Vice-Presidente Executivo

DESENVOLVIMENTO DO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO. Cláudio Roberto Fernandes Décourt Vice-Presidente Executivo DESENVOLVIMENTO DO TRANSPORTE AQUAVIÁRIO Cláudio Roberto Fernandes Décourt Vice-Presidente Executivo Outubro / 2003 A MARINHA MERCANTE BRASILEIRA MMB ítens abordados: transporte internacional; cabotagem;

Leia mais

PROPOSTA DE ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2016 / 2018 =

PROPOSTA DE ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2016 / 2018 = PROPOSTA DE ACORDO COLETIVO DE TRABALHO = 2016 / 2018 = Acordo Coletivo de Trabalho que fazem, de um lado, as Empresas de apoio marítimo, doravante denominadas Empresas acordantes, a saber: ACAMIN NAVEGAÇÃO

Leia mais

INTRODUÇÃO. Tradução: fora da terra. Mais empregado como a área da plataforma continental até uma lâmina d água de 2000 metros, no caso do Brasil.

INTRODUÇÃO. Tradução: fora da terra. Mais empregado como a área da plataforma continental até uma lâmina d água de 2000 metros, no caso do Brasil. INTRODUÇÃO 1. OFF-SHORE Tradução: fora da terra. Mais empregado como a área da plataforma continental até uma lâmina d água de 2000 metros, no caso do Brasil. 2. O MEIO AMBIENTE Vento Age nas partes expostas

Leia mais

CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO

CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO O escoamento das plataformas é feito através de dutos que podem ser denominados dutos rígidos ou dutos flexíveis, de acordo com o material de que são constituidos.

Leia mais

Atividades de Exploração e. Produção - E&P. Contingências

Atividades de Exploração e. Produção - E&P. Contingências Atividades de Exploração e Produção - E&P Contingências Maio/2012 Atividades de E&P Sísmica Produção Perfuração Sísmica Perfuração Plataforma fixa Sonda autoelevatória Sonda semisubmersíve l Navio Sonda

Leia mais

II.3 - INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS PARA RESPOSTA. II.3.1 - Sistema de alerta de derramamento de óleo

II.3 - INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS PARA RESPOSTA. II.3.1 - Sistema de alerta de derramamento de óleo 1 / 19 II.3 - INFORMAÇÕES E PROCEDIMENTOS PARA RESPOSTA II.3.1 - Sistema de alerta de derramamento de óleo II.3.1.1 - Sistema de alerta de derramamento de óleo da P-55 Todos os alertas de derramamento

Leia mais

A Marinha Mercante Brasileira. Escola de Guerra Naval Curso de Política e Estratégia Marítimas Curso de Estado-Maior para Oficiais Superiores

A Marinha Mercante Brasileira. Escola de Guerra Naval Curso de Política e Estratégia Marítimas Curso de Estado-Maior para Oficiais Superiores A Marinha Mercante Brasileira Escola de Guerra Naval Curso de Política e Estratégia Marítimas Curso de Estado-Maior para Oficiais Superiores André Luís Souto de Arruda Coelho Superintendente da Navegação

Leia mais

construção naval e offshore no Brasil

construção naval e offshore no Brasil construção naval e offshore no Brasil 1 agenda a indústria naval e offshore no Brasil a indústria naval e offshore no mundo visão do negócio empresas Brasileiras demanda Petrobras gestão de engenharia

Leia mais

Techplus Automação. Samarone Ruas Diretor de Aplicações Techplus Automação

Techplus Automação. Samarone Ruas Diretor de Aplicações Techplus Automação Techplus Automação Samarone Ruas Diretor de Aplicações Techplus Automação Samarone Guimarães Ruas Diretor Executivo e Sócio da Techplus Automação Responsável pela implantação de dezenas de projetos em

Leia mais

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO

SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO SISTEMAS DE PRODUÇÃO DE PETRÓLEO ROTEIRO INSTALAÇÕES MARÍTIMAS GESTÃO E ENGENHARIA DE PETRÓLEO E GÁS Introdução; Tipos de Unidades de Perfuração e Completação; Tipos de Unidades e Sistemas de Produção;

Leia mais

O Transporte Aquaviário como Solução Logística e Ambiental

O Transporte Aquaviário como Solução Logística e Ambiental O Transporte Aquaviário como Solução Logística e Ambiental Brazil 2010 BTG Pactual Eleventh Annual CEO Conference Fernando Fialho Diretor-Geral da ANTAQ Data: 09/03/2010 Local: Grand Hyatt São Paulo, São

Leia mais

Contribuição para o Aperfeiçoamento de uma Política para a Indústria Naval e a Marinha Mercante

Contribuição para o Aperfeiçoamento de uma Política para a Indústria Naval e a Marinha Mercante Contribuição para o Aperfeiçoamento de uma Política para a Indústria Naval e a Marinha Mercante NOVAS CONSTRUÇÕES Eng. Agenor C. Junqueira Leite Presidente Trabalhos Publicados -Política Governamental

Leia mais

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS. 1º Seminário sobre Cabotagem Brasileira ANTAQ

MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS. 1º Seminário sobre Cabotagem Brasileira ANTAQ MARINHA DO BRASIL DIRETORIA DE PORTOS E COSTAS 1º Seminário sobre Cabotagem Brasileira ANTAQ 12 e 13 AGO 2009 Formação de Profissionais para a Marinha Mercante CALTE (RM1) Luiz Antonio M. de Malafaia Superintendente

Leia mais

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010.

Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário. Porto Alegre, agosto de 2010. Projetos Atuais e Futuros da CAIXA RS junto ao mercado Naval e Portuário Porto Alegre, agosto de 2010. APOIO AO Polo Naval - Rio Grande Atuação integrada do Governo, por meio da SEINFRA e SEDAI, voltada

Leia mais

ÍNDICE 1 BENS MÓVEIS FROTAS. 04 2 ABASTECIMENTO DE BENS. 05 3 ABASTECIMENTO DE BOMBAS. 06 4 ABERTURA DE CHAMADO PARA CONSERTO SOLICITAÇÃO/ATENDIMENTO

ÍNDICE 1 BENS MÓVEIS FROTAS. 04 2 ABASTECIMENTO DE BENS. 05 3 ABASTECIMENTO DE BOMBAS. 06 4 ABERTURA DE CHAMADO PARA CONSERTO SOLICITAÇÃO/ATENDIMENTO 1 2 ÍNDICE 1 BENS MÓVEIS FROTAS... 04 2 ABASTECIMENTO DE BENS... 05 3 ABASTECIMENTO DE BOMBAS... 06 4 ABERTURA DE CHAMADO PARA CONSERTO SOLICITAÇÃO/ATENDIMENTO. 07 5 AGENDA BEM/ ALUGUEL VEÍCULOS... 08

Leia mais

UM PROFISSIONAL DIFERENCIADO

UM PROFISSIONAL DIFERENCIADO UM PROFISSIONAL DIFERENCIADO W W W. R I G C R E W B A Y. C O M O ENGENHEIRO SUBMARINO O Engenheiro Submarino, ou Subsea Engineer, é o profissional responsável pela manutenção e operação dos equipamentos

Leia mais

Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval. São Paulo, 23 de outubro de 2007

Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval. São Paulo, 23 de outubro de 2007 Legislação de Cabotagem no Brasil: oportunidades e entraves para a indústria de construção naval São Paulo, 23 de outubro de 2007 O transporte por cabotagem cresce solidamente no Brasil Milhões de Toneladas

Leia mais

PETROBRAS UO-BS oportunidades para micro, pequenas e médias empresas no Pre-sal

PETROBRAS UO-BS oportunidades para micro, pequenas e médias empresas no Pre-sal PETROBRAS UO-BS oportunidades para micro, pequenas e médias empresas no Pre-sal Rosewelter BALBINO de Barros Coordenador de Conteúdo Local e Relacionamento com Mercado Fornecedor UNIDADE DE OPERAÇÕES DE

Leia mais