5th Pan American Conference for NDT 2-6 October 2011, Cancun, Mexico. INSPEÇÃO DE FLARES EM OPERAÇÃO COM VEÍCULOS AÉREOS NÃO TRIPULADOS (VANTs)

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "5th Pan American Conference for NDT 2-6 October 2011, Cancun, Mexico. INSPEÇÃO DE FLARES EM OPERAÇÃO COM VEÍCULOS AÉREOS NÃO TRIPULADOS (VANTs)"

Transcrição

1 5th Pan American Conference for NDT 2-6 October 2011, Cancun, Mexico INSPEÇÃO DE FLARES EM OPERAÇÃO COM VEÍCULOS AÉREOS NÃO TRIPULADOS (VANTs) Carla Alves Marinho 1, Celso de Souza, Tsukasa Motomura, Adalberto Gonçalves da Silva 1 Petrobras Research Center Leopoldo A. Miguez de Melo, CENPES PETROBRAS, Av. Horácio Macedo, 950, Cidade Universitária, Rio de Janeiro, RJ, Brazil. Phone: ; Abstract O emprego de Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) na inspeção remota de estruturas, áreas abertas, equipamentos e facilidades industriais encontra aplicação ainda muito incipiente no Brasil, apesar do imenso potencial que estes veículos apresentam. Esta via tecnológica representa a melhor solução para a inspeção de flares em operação, havendo algumas empresas especializadas, fora do país, as quais já prestaram seus serviços a outras empresas petrolíferas: a inspeção consiste no ensaio visual e/ou termográfico dos queimadores, com registro e comentários a respeito de condições. No país ainda não haviam empresas capacitadas para este tipo de trabalho em ambiente offshore e a PETROBRAS, identificando esta necessidade, investiu em um projeto visando prover a solução no mercado nacional. Para isso, algumas empresas brasileiras experientes com helimodelismo foram recrutadas e submetidas a testes de avaliação e adaptação, em terra e em alto mar. O artigo tem como objetivo apresentar o estudo desenvolvido referente aos tipos de flares das unidades da Petrobras, bem como os resultados dos primeiros testes de campo executados com cada contratada. Com a finalização do projeto, três empresas foram consideradas capacitadas para a realização de serviços de inspeção de flares em operação nas plataformas da PETROBRAS: Helicamera, Brendler Modelismo e Aerial Inspect. Keywords: Inspeção remota em serviço, VANTs 1. Introdução Para atender a uma demanda dos órgãos de Exploração e Produção (E&P) da PETROBRAS, a qual ansiava pela possibilidade de realizar uma inspeção no flare de uma plataforma sem parar sua produção, o Centro de Pesquisas da Companhia (CENPES) estudou diversas possibilidades até chegar à opção de utilizar veículos aéreos não tripulados (VANTs), operados à distância, por controle remoto. A via tecnológica, inédita no Brasil, começou a ser estudada em 2009 pela equipe de inspeção do CENPES, porém, não bastava chegar à conclusão de que o uso de um helimodelo seria a melhor opção: era preciso encontrar empresas que pudessem realizar a operação para avaliá-las. Ainda em 2009, três empresas brasileiras foram selecionadas e participaram da primeira bateria de testes em ambiente onshore. Os locais escolhidos foram a Refinaria de Paulínia (REPLAN) e a unidade do E&P em Urucu (UO-AM). Após o sucesso nestas condições, as empresas foram convidadas, no fim de 2010, para uma segunda etapa de testes em uma plataforma marítima. A semi submersível P-52, localizada no campo de Roncador, foi a escolhida, oferecendo, além dos desafios inerentes às condições climáticas mais severas que as encontradas em terra, o maior flare instalado em uma plataforma brasileira. Os resultados bem sucedidos sugerem que a tecnologia é robusta e que as empresas estão aptas ao trabalho offshore a ser executado em qualquer uma outra plataforma. 2. Sistemas de Tocha: os Objetos da Inspeção

2 O sistema de tocha, conhecido também como sistema de flare, tem a função de descartar com segurança o gás não aproveitado nas plataformas, evitando a formação de nuvem inflamável que poderia provocar explosão ou incêndio [1]. O sistema trabalha com eficiência quando os combustíveis (componentes orgânicos voláteis, ou VOCs Volatile Organic Compounds) são completamente convertidos em produtos de combustão não tóxicos, e sem geração de fumaça [2]. De acordo com a norma PETROBRAS N-2665 [3], um sistema de tocha seria definido como o conjunto de equipamentos constituído por vasos de pressão, tubulações, bombas, queimadores e estrutura de fixação, com a finalidade de queima de gases provenientes de uma unidade de processo. 2.1 Tipos de tocha As plataformas da PETROBRAS são equipadas com os seguintes tipos de tocha: 1 Pipe flare ou Utility flare É a tocha mais simples, composta por um tubo aberto. A figura 1 mostra o pipe flare da unidade UO-AM. Pipe flare assistido por ar Altura = 80 m Figura 1 Pipe flare da UO-AM Este tipo de tocha é característico de plataformas antigas e unidades onshore. É aquele que parece oferecer menor dificuldade à inspeção remota com VANTs. 2 - Multiponto ou Multiflare A tocha é composta de vários conjuntos de queimadores denominados estágios. Um sinal de processo, geralmente pressão, é interligado ao painel de controle da tocha que abre as válvulas dos estágios adequados para uma faixa de vazão de gás [1]. A figura 2 mostra um flare deste tipo. Típico sistema instalado em plataformas mais recentes. Devido à sua configuração, quantidade e disposição de queimadores, pode oferecer maiores dificuldades à inspeção com VANTs. A aproximação dos veículos tende a ser menor no que se refere aos conjuntos centrais de queimadores, exigindo mais qualidade e resolução dos sistemas de inspeção visual e termográfica.

3 Figura 2 Flare multiponto [1] 3 - Multiponto com tulipa móvel É uma tocha cujo estagiamento é feito pela calibração das molas das tulipas móveis. A área na base da tulipa por onde sai o gás é variável de acordo com a vazão, porque a tulipa se move de acordo com a resultante das forças peso e de empuxo de gás na mola que a sustenta [1]. No que se refere aos desafios à inspeção com VANTs, as considerações são análogas ao caso anterior. 4 Multiponto com gás de assistência É utilizado como queimador de gás de baixa pressão. Tem a configuração de um multiponto acrescido de uma saída de gás do sistema de alta pressão junto a cada um dos queimadores. O gás de alta pressão aumenta a mistura de ar e melhora a combustão [1]. A figura 3 mostra um flare multiponto com tulipas móveis e multiponto com gás de assistência. (a) (b) Figura 3 (a)flare multiponto com tulipas móveis e multiponto com gás de assistência; (b)flare multiponto com tulipa móvel (1).

4 O prazo de uma intervenção em flare varia de 10 a 20 dias, utilizando o método convencional de montagem offshore, o que representa uma perda de receita significativa, e a mobilização de grandes recursos de logística e de montagem. A inspeção em serviço da região superior do flare (tip) representa um ganho para as unidades da empresa, uma vez que gera informações que subsidiam a decisão quanto à continuidade operacional do sistema de tocha. A execução desta inspeção por meio de veículos aéreos não tripulados proporciona um ganho adicional de segurança, uma vez que não expõe os indivíduos a qualquer risco. Em outubro de 2009 foi realizada uma pesquisa a respeito da quantidade e dos tipos de flares presentes nas instalações da Companhia. Esta pesquisa não incluiu as unidades contratadas do E&P. O Quadro 1 sumariza os resultados. Quadro I Mapa completo dos sistemas de tocha das plataformas da Petrobras Área de Negócio Tipo de Inclinação da lança flare Horizontal Vertical Inclinada Multiflare Multiflare E&P com tulipa mável Pipeflare Total 45 ABASTECIMENTO e E&P onshore Pipeflare TOTAL GERAL Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs): a Via Tecnológica VANTS são veículos aéreos que operam sem piloto a bordo e são capazes de se sustentar em vôo por meios aerodinâmicos. São controlados remotamente de forma autônoma, semiautônoma ou através de uma combinação destas capacidades, e podem conduzir vários tipos de cargas úteis (payloads), tornando-os capazes de executar atividades específicas dentro da atmosfera da Terra, ou além, por uma duração que se relaciona com sua missão [4]. Nos últimos anos, o desenvolvimento e aprimoramento de VANTs (ou UAVs, Unmanned Aerial Vehicles) para emprego em ambiente civil têm avançado continuamente. Atestando o interesse freqüente relativo a este segmento, organizações internacionais como a européia UVS International (Unmanned Vehicle Systems International), foram criadas para a troca de informações no que diz respeito ao desenvolvimento, produção e operação de VANTs em empresas, indústrias, centros de pesquisa e universidades. Existe uma infinidade de tipos de projetos de VANTs os quais podem ser categorizados, segundo a UVS International, em três famílias distintas, cada qual com várias subdivisões, totalizando 16 tipos diferentes de modelo. Os helimodelos utilizados pelas empresas brasileiras participantes do projeto enquadram-se na família tática, categoria mini, a qual se caracteriza por uma autonomia de voo sempre inferior a 2h, capacidade de carga de até 30kg, alcance de até 10km e altitude de voo entre 150 e 300m [5]. Os VANTS podem ser movidos a baterias elétricas, propulsionados por motores a combustão ou turbina. Simplificadamente

5 pode-se dizer que o tipo de propulsão influencia na autonomia de voo e na capacidade de carga. Apesar do imenso campo de possibilidades, no Brasil o emprego de VANTs pela sociedade civil ainda é pequeno; na área de inspeção de equipamentos é ainda mais restrito. As poucas empresas nacionais interessadas neste segmento oferecem apenas a inspeção visual com apoio de filmagem e fotografia aérea. No projeto concebeu-se desde o início o emprego de VANTs do tipo helimodelos para inspeção de flares por questões de eficiência, qualidade e, acima de tudo, segurança dos trabalhadores. Helicópteros são classificados como veículos VTOL (Vertical Take Off and Landing), ou seja, por sua capacidade de manobra representam a melhor opção para a execução deste tipo de trabalho com sistemas de tocha. O veículo é comandado por um piloto, responsável pelo pouso, decolagem e movimentação aérea, e guiado por controle remoto. Já o controle da movimentação da câmera (de filmagem, fotográfica ou termográfica), além da aquisição de imagens, é feito por um profissional operador de câmera. Os dois especialistas devem trabalhar próximos entre si, em um local seguro para a rota de vôo. 4. Seleção das Empresas Nacionais: Primeiros Testes 4.1 Pesquisa de Empresas Helimodelistas no Mercado Internacional Não existem muitas empresas oferecendo serviços de inspeção de flares com emprego de VANTs, tendo sido mapeadas algumas prestadoras na Europa e EUA. Todas estas companhias diferiam das empresas nacionais pelo fato de oferecerem o serviço de termografia em adição à inspeção visual. A experiência que atestam possuir no segmento de inspeção também supera a das concorrentes brasileiras. Todas também trabalham com VANTs de categoria mini. Era intenção da PETROBRAS conhecer de perto o trabalho destas prestadoras, as quais alegavam bem sucedida experiência offshore, e por isso buscou-se um contato para a execução de serviços piloto em instalações da Companhia. No entanto, as empresas não apresentaram interesse no trabalho, ou não representaram opções interessantes para a PETROBRAS, e, assim sendo, decidiu-se que o trabalho com as equipes nacionais seria conduzido sem quaisquer comparativos. 4.2 Seleção de Helimodelistas no Mercado Nacional Após um considerável período de buscas e contatos com empresas brasileiras que pudessem futuramente prover o serviço desejado, a PETROBRAS mapeou quatro prestadoras interessadas em atender o segmento de inspeção de equipamentos. No primeiro momento, estas empresas foram testadas em ambiente onshore, sendo que uma delas foi reprovada. As demais, consideradas aptas, foram escaladas para a bateria de testes mais decisiva, conduzida em alto mar. A primeira a ser testada foi a empresa Helicamera, executando um serviço de fotografia aérea nas instalações da REPLAN. A Helicamera opera um modelo movido a bateria elétrica, cuja autonomia de voo é de 7minutos (podendo ser estendida pelo arranjo de baterias em série) e a capacidade de carga de cerca de 3,0kg.

6 O segundo e o terceiro teste em terra foram executados na UO-AM, a pedido dos técnicos da unidade, os quais desejavam obter imagens de um dos sistemas de tocha da planta. As empresas Aerial Inspect e Brendler Modelismo realizaram serviços de fotografia aérea e termografia no flare da unidade. Ambas utilizaram veículos propulsionados a motores de combustão interna, movidos a gasolina, os quais têm aproximadamente a mesma autonomia (cerca de 20min) e capacidade de carga (até 10kg). As diferenças entre um VANT e outro residem nas modificações aerodinâmicas que os pilotos executam para otimizar as características de seus veículos de acordo com suas percepções e habilidades. A termografia foi realizada com emprego da câmera Flir P-65, da própria unidade, e com a orientação da equipe do CENPES, já que as empresas não dispõem de termocâmeras e nem são capacitadas na técnica. A quarta empresa selecionada foi avaliada na Refinaria Gabriel Passos (REGAP), tendo sido reprovada por ter perdido o helimodelo durante as operações de trimagem (operação executada antes do início da operação com um helimodelo, visando garantir o balanceamento do VANT durante todo o período de voo), ou seja, antes mesmo do início do teste. 5. Teste offshore: Plataforma P-52 Dando continuidade ao processo de capacitação de fornecedores no mercado nacional, o CENPES encaminhou algumas recomendações técnicas para as empresas, de modo que as mesmas realizassem determinadas adaptações nos veículos antes dos testes de qualificação no mar. Cada helimodelista foi livre para, adicionalmente, implementar outras melhorias que também lhes proporcionassem mais segurança nas operações. A unidade do Rio de Janeiro (UO-RIO) manifestou interesse na aplicação de helimodelos para a inspeção do flare da plataforma P-52. Com 124 metros de comprimento de lança, descontada a inclinação aproximada de 45º, o flare da P-52 representa aproximadamente uma elevação de 90 metros de altura, o que equivale a um edifício de 30 andares. As empresas Helicamera, Brendler Modelismo e Aerial Inspect foram avaliadas, em momentos diferentes, na execução da inspeção deste sistema de tocha. Em todos os casos a trimagem dos VANTs foi feita no heliponto da plataforma, e as empresas foram submetidas à mesma rotina de trabalho. Nas proximidades do flare, um heliponto foi improvisado em um local estratégico da planta para facilitar a rota da aeronave e proporcionar segurança às equipes. Os técnicos do CENPES e da unidade participaram ativamente dos testes, orientando as prestadoras na execução do serviço. O pequeno veículo, equipado com uma câmera de fotografia, de vídeo ou com um equipamento termográfico, consegue uma aproximação muito maior do sistema de tocha que um helicóptero convencional, posicionando-se para obter imagens a partir de ângulos que não seriam acessíveis numa inspeção tradicional. A figura 4 mostra alguns momentos da inspeção realizada por cada uma das três empresas. Destaca-se, porém, que devido às políticas de segurança da informação dentro da Companhia não serão apresentadas quaisquer imagens referentes aos queimadores do flare em questão, bem como fotografias das instalações da plataforma.

7 Figura 4 Momentos da inspeção realizada por cada uma das três empresas: (a)helicamera na preparação do veículo no heliponto; (b)decolagem do VANT; (c)helimodelo da Brendler fotografando o tip do flare; (d)piloto e operador de câmera; (e) Aerial: piloto e operador de câmera; (f)equipe preparando o VANT para um segundo voo. O único entrave para a realização das operações com VANTs é a instabilidade atmosférica, pois o vento forte e a chuva impedem a manobra segura do veículo. Por esta razão, a

8 velocidade do vento foi acompanhada antes e durante a execução dos testes. A empresa Helicamera encarou as piores condições de vento (entre 45 e 57km/h, com rajadas de até 95km/h), tendo conseguido trabalhar apenas minutos antes do desembarque da equipe, quando a velocidade do vento caiu um pouco, possibilitando a realização de um voo. O VANT decolou sob ventos de 23km/h e pousou em condições de 38km/h (com picos de 42km/h); apesar do pouco tempo, o serviço de fotografia aérea foi concluído com sucesso. Durante o embarque da empresa Brendler Modelismo as condições de vento foram bem mais favoráveis (velocidade média de 33km/h, com picos de 54km/h), possibilitando a tomada de várias fotografias aéreas, a execução de uma filmagem e de um ensaio termográfico. A empresa Aerial Inspect trabalhou com as melhores condições de vento (velocidade média de 29km/h, com picos de 36km/h), e adquiriu diversas fotografias aéreas além de ter realizado uma filmagem. Este trabalho serviu também de insumo para que a equipe do CENPES pudesse recomendar que as helimodelistas providenciassem outras melhorias em seus veículos, como a instalação de sensores medidores de velocidade do vento, de temperatura ambiente, quantidade de combustível etc... Tais modificações foram sugeridas e as empresas informaram que estão providenciando na medida do possível. 6. Impactos Positivos da Solução Viabilizada Sem a utilização desta tecnologia pioneira, a produção da plataforma P-52, por exemplo, precisaria ser interrompida para a inspeção ser realizada por técnicos que subiriam os vários degraus que levam ao topo da lança. A plataforma precisaria parar por, pelo menos, um dia; em casos mais complicados de manutenção, a paralisação poderia chegar a sete dias. Cada dia de interrupção das atividades de uma plataforma do porte da P-52 significa um prejuízo de cerca de US$ 9 milhões de dólares. Atualmente, a recomendação interna é que as inspeções de flares aconteçam a cada 24 meses, de acordo com a norma PETROBRAS N A vantagem da nova tecnologia é não precisar esperar esse tempo para obter informações a respeito do flare, já que é possível visualizar o sistema de tocha, seus queimadores e estrutura sem parar a operação ou oferecer qualquer risco aos trabalhadores, facilidades da empresa ou ao meio ambiente. A N-2665, que foi revisada, considera o emprego de VANTs na inspeção de sistemas de tocha, contudo, vale ressaltar que as inspeções intrusivas, e conseqüente parada operacional, continuam sendo necessárias e devem ser executadas, no máximo, a cada 72 meses. Os VANTs poderão ser requisitados não só para fotografia/filmagem aérea de flares como para qualquer outra demanda em pontos inacessíveis das plataformas ou de outras áreas da Companhia. Entretanto, se a unidade quiser que se execute termografia aérea, deverá disponibilizar uma câmera termográfica para a empresa helimodelista e um termografista, próprio ou contratado, deve acompanhar a operação. Futuramente outras empresas helimodelistas podem se juntar ao cadastro dos prestadores de serviços capacitados a atender às demandas da PETROBRAS, porém, tais empresas devem antes ser avaliadas tecnicamente pela equipe do CENPES. 7. Conclusões

9 VANTS são veículos aéreos que operam sem piloto a bordo e são capazes de se sustentar em vôo por meios aerodinâmicos. São controlados remotamente de forma autônoma, semiautônoma ou através de uma combinação destas capacidades, e podem conduzir vários tipos de cargas úteis. Representam uma via tecnológica muito interessante para uma infinidade de serviços de inspeção/observação remota. O projeto ora conduzido pela PETROBRAS proporcionou a seleção e qualificação de três fornecedores nacionais do serviço de filmagem/fotografia aérea de sistemas de tocha com uso de VANTs, com possibilidade de execução de termografia, desde que com apoio de profissional termografista. A vantagem da nova tecnologia é a possibilidade de se obter informações a respeito do flare sem precisar interromper a operação do sistema, já que é possível visualizar os queimadores e a estrutura sem oferecer qualquer risco aos trabalhadores, facilidades da empresa ou ao meio ambiente. A economia de custos decorrente do emprego de VANTs na inspeção de flares torna o projeto de altíssimo interesse para a indústria do petróleo/petroquímica. A solução é muito interessante para a aplicação na inspeção de estruturas, áreas abertas, equipamentos e facilidades industriais, além do atendimento de diversas demandas da sociedade civil. Agradecimentos Aos profissionais pilotos helimodelistas e seus operadores de câmera: José Antônio de Assis e Milene de Assis (Helicamera), Lúcifer e Talisson Brendler (Brendler), Leandro e Maurício Jardim, e ao mecânico Jailson (Aerial). Aos colegas da REPLAN, UO-AM, REGAP e P-52. References 1. Motomura, T., Sistema de Tocha (Flare), Apostila de curso da UN-BC, (2007); 2. acessado em 04/08/2009; 3. PETROBRAS N-2665, Inspeção em Serviço de Sistema de Tocha ( Flare ), julho de 2010; 4. ASTM_ pdf, acesso em 13/01/2009.

PARA QUE SERVE O QUADRICOPTERO SIRIUS SD4:

PARA QUE SERVE O QUADRICOPTERO SIRIUS SD4: Skydrones, nova empresa gaucha de aviônica, que atua no desenvolvimento de microvants veículos aéreos não tripulados, testa seu protótipo SIRIUS SD4, com novo sistema de telemetria. O produto estará pronto

Leia mais

Sua empresa ainda desmonta equipamentos industriais para avaliação de suas condições internas?

Sua empresa ainda desmonta equipamentos industriais para avaliação de suas condições internas? Sua empresa ainda desmonta equipamentos industriais para avaliação de suas condições internas? Reduza custos: Para garantir a durabilidade dos equipamentos, ações de manutenção preditiva e preventiva se

Leia mais

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos

Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Emissões e Consumo do Veículo Convencional e VEH: Resultados Medidos Suzana Kahn Ribeiro Programa de Engenharia de Transportes COPPE/UFRJ IVIG Instituto Virtual Internacional de Mudanças Climáticas Estrutura

Leia mais

0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br. Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná

0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br. Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná 0800 709 8000 - www.brasifmaquinas.com.br Distribuidor exclusivo: Distrito Federal. Espírito Santo. Goiás. Minas Gerais. Paraná Santa Catarina. São Paulo. Rio Grande do Sul. Tocantins ÍNDICE Confiança

Leia mais

Ao descolarmos de uma grande altitude a densidade diminui, o que acontece à sustentação?

Ao descolarmos de uma grande altitude a densidade diminui, o que acontece à sustentação? O que é a aerodinâmica? Aerodinâmica é o estudo do ar em movimento e das forças que actuam em superfícies sólidas, chamadas asas, que se movem no ar. Aerodinâmica deriva do grego "aer", ar, e "dynamis",

Leia mais

Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge

Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge Veículos Aéreos Não Tripulados (VANTs) no contexto do monitoramento agrícola Lúcio André de Castro Jorge lacjorge@gmail.com VANTS NA AGRICULTURA Vantagens sobre aeronaves convencionais e satélites Custo

Leia mais

Segurança e Produtividade Marcelo Massaharu Yamane

Segurança e Produtividade Marcelo Massaharu Yamane Segurança e Produtividade Marcelo Massaharu Yamane Plataformas Tesoura Elétrica Características operacionais - Ideal para serviços que demandam maior espaço no deck de trabalho ou baixos níveis de ruído,

Leia mais

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos São José dos Campos, 7 de novembro de 2008 A Embraer (BOVESPA:

Leia mais

Realização. Apoio. Patrocínio

Realização. Apoio. Patrocínio Realização Apoio Patrocínio Ações Indutoras na Área de Defesa MCT/FINEP 4ª CNCTI AÇÕES FINEP NA ÁREA DE VANT Seminário Internacional de Veículos Aéreos Não Tripulados A Missão da FINEP Promover e financiar

Leia mais

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis.

GNV. Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. GNV Combustível de baixo impacto ambiental para frotas de Táxis. REUNIÃO DE ESPECIALISTAS SOBRE TRANSPORTE URBANO SUSTENTÁVEL MODERNIZAR E TORNAR ECOLÓGICA A FROTA DE TÁXIS NAS CIDADES LATINO AMERICANAS

Leia mais

Vazão ou fluxo: quantidade de fluido (liquido, gás ou vapor) que passa pela secao reta de um duto por unidade de tempo.

Vazão ou fluxo: quantidade de fluido (liquido, gás ou vapor) que passa pela secao reta de um duto por unidade de tempo. Medição de Vazão 1 Introdução Vazão ou fluxo: quantidade de fluido (liquido, gás ou vapor) que passa pela secao reta de um duto por unidade de tempo. Transporte de fluidos: gasodutos e oleodutos. Serviços

Leia mais

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014

Oportunidades e desafios de qualificação profissional. III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Oportunidades e desafios de qualificação profissional III Balanço do Setor Naval e Offshore do Rio de Janeiro FIRJAN - 06/06/2014 Petrobras Plano de Negócios 2014-2018 Inovação e Desenvolvimento Tecnológico

Leia mais

Preços de Frete Rodoviário no Brasil

Preços de Frete Rodoviário no Brasil Preços de Frete Rodoviário no Brasil Maria Fernanda Hijjar O Brasil é um país fortemente voltado para o uso do modal rodoviário, conseqüência das baixas restrições para operação e dos longos anos de priorização

Leia mais

IMPLANTAÇÃO ENGENHARIA IND. E COM. LTDA. Q -110-111. R.02 16-02-2005, folha 1 de 5.

IMPLANTAÇÃO ENGENHARIA IND. E COM. LTDA. Q -110-111. R.02 16-02-2005, folha 1 de 5. R.02 16-02-2005, folha 1 de 5. Sistema Simples de Queima de Biogás para Estações de Tratamento de Efluentes. Projetado e construído para operar com a vazão total unidade, porém necessitando de um sistema

Leia mais

M a n u a l d o M e c â n i c o

M a n u a l d o M e c â n i c o M a n u a l d o M e c â n i c o folder2.indd 1 20/11/2009 14 12 35 Manual do Mecânico GNV GÁS NATURAL VEICULAR Entenda o GNV e saiba quais os cuidados necessários para a manutenção de veículos que utilizam

Leia mais

Células de combustível

Células de combustível Células de combustível A procura de energia no Mundo está a aumentar a um ritmo alarmante. A organização WETO (World Energy Technology and Climate Policy Outlook) prevê um crescimento anual de 1,8 % do

Leia mais

Lúcio Ma>as Eng. Diretor Lucio.ma>as@novaterrageo.com.br www.novaterrageo.com.br

Lúcio Ma>as Eng. Diretor Lucio.ma>as@novaterrageo.com.br www.novaterrageo.com.br Lúcio Ma>as Eng. Diretor Lucio.ma>as@novaterrageo.com.br www.novaterrageo.com.br Carlos Jamel Biólogo, Diretor cjamel@novaterrageo.com.br www.novaterrageo.com.br Webinar - A Invasão dos VANTs 13/08/2012

Leia mais

Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro.

Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro. Resultados do teste com o ônibus elétrico na cidade do Rio de Janeiro. Guilherme Wilson 1 ; Sérgio Peixoto dos Santos 2 ; Taisa Calvette 3 ; Richele Cabral 4 ; Christiane Chafim 5 ; Giselle Ribeiro 6 ;

Leia mais

OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS

OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS OS DESAFIOS DO INTERIOR DE SÃO PAULO EM ATRAIR E CONTRATAR EXECUTIVOS EDITORIAL Bem vindos à nossa pesquisa. No Brasil desde 2000, a Michael Page foi a primeira consultoria internacional de recrutamento

Leia mais

Eberhardt Comércio e Assist. Técnica. Ltda.

Eberhardt Comércio e Assist. Técnica. Ltda. Rua das Cerejeiras, 80 Ressacada CEP 88307-330 Itajaí SC Fone/Fax: (47) 3349 6850 Email: vendas@ecr-sc.com.br Guia de instalação, operação e manutenção do sistema de monitoramento de poços ECR. Cuidados

Leia mais

PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL

PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL PROJETO OCEANOP INFORMAÇÕES METEOROLÓGICAS PARA REGIÃO OCEÂNICA DO BRASIL Angelo Barcelos BARBARIOLI 1, César Henrique de Assis RIBEIRO 1 & Luiz Silva do COUTO 1 RESUMO O monitoramento permanente de parâmetros

Leia mais

Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima

Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução O Projeto Granja São Roque de redução

Leia mais

5 Mecanismo de seleção de componentes

5 Mecanismo de seleção de componentes Mecanismo de seleção de componentes 50 5 Mecanismo de seleção de componentes O Kaluana Original, apresentado em detalhes no capítulo 3 deste trabalho, é um middleware que facilita a construção de aplicações

Leia mais

GERENCIAMENTO DA TAXA DE CORROSÃO POR CUPONS POR PERDA DE MASSA CUPONNET. Elcione Simor PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS

GERENCIAMENTO DA TAXA DE CORROSÃO POR CUPONS POR PERDA DE MASSA CUPONNET. Elcione Simor PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS GERENCIAMENTO DA TAXA DE CORROSÃO POR CUPONS POR PERDA DE MASSA CUPONNET Elcione Simor PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS André Pereira Novais INFOTEC CONSULTORIA & PLANEJAMENTO 6 COTEQ Conferência sobre

Leia mais

SPIE EM EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTES

SPIE EM EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTES EM EMPRESAS DE PEQUENO E MÉDIO PORTES Agenda Petroquímica União SPIE Serviço Próprio de Inspeção de Equipamentos -Cronologia - Benefícios Imediatos - Constituição do SPIE - Desencorajamento - Importância

Leia mais

AÇÕES DA PETROBRAS PARA FORTALECIMENTO DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO

AÇÕES DA PETROBRAS PARA FORTALECIMENTO DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO SEMINÁRIO IAAC AÇÕES DA PETROBRAS PARA FORTALECIMENTO DO SISTEMA BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO ERNANI TURAZZI Gerente do Cadastro de Fornecedores e FABIANO GONÇALVES MARTINS Gerente de Avaliação Técnica de

Leia mais

UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga

UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga CENTRO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga 16 Valores Introdução No âmbito da ufcd 5811 Sistemas de transporte e elevação de cargas, foi-nos

Leia mais

DEMANDA GT. Arranjos alternativos para geração eólica

DEMANDA GT. Arranjos alternativos para geração eólica DEMANDA GT Arranjos alternativos para geração eólica OBJETIVOS Desenvolver uma turbina eólica de eixo vertical de pás fixas, de pequeno porte e custo reduzido. Realizar ensaios de rendimento do equipamento

Leia mais

Índice. Classificação. Mais leve do que o ar. Curso n 4 Aeronaves

Índice. Classificação. Mais leve do que o ar. Curso n 4 Aeronaves Curso n 4 Aeronaves Aeronaves são quaisquer máquinas capazes de sustentar vôo, e a grande maioria deles também são capazes de alçar vôo por meios próprios. Índice 1 Classificação o Mais leve do que o ar

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM Como funciona um aerogerador Componentes de um aerogerador Gôndola:contém os componentes chaves do aerogerador. Pás do rotor:captura o vento e transmite sua potência até o cubo que está acoplado ao eixo

Leia mais

Figura 1 - Utilização conjugada de Câmera IR, com sniffer - Fonte: FLIR Systems

Figura 1 - Utilização conjugada de Câmera IR, com sniffer - Fonte: FLIR Systems Câmera GasFindIR da FLIR Systems Por Aline Voigt Nadolni - Petrobras Sobre o GasFindIR Informações gerais - segundo o fabricante FLIR Systems, Inc. O GasFindIR é, segundo a FLIR Systems, uma câmera portátil,

Leia mais

Ventilação e evacuação de fumaça li

Ventilação e evacuação de fumaça li Ventilação e evacuação de fumaça li A ventilação operacional li Objetivo EL SABER HACER Utilizar a técnica de ventilação de forma eficaz e segura, nas operações tanto de extinção como de evacuação de fumaça

Leia mais

nova geração de motores a gasolina Guia de produtos

nova geração de motores a gasolina Guia de produtos nova geração de motores a gasolina Guia de produtos VOLVO PENTA MOTORES MARÍTIMOS A GASOLINA O futuro está aqui. A Volvo Penta, líder absoluta em inovações náuticas, estabelece o novo padrão em tecnologia

Leia mais

BELL 206L4 Conceituado helicóptero capaz de realizar multi-missões com baixos custos operacionais.

BELL 206L4 Conceituado helicóptero capaz de realizar multi-missões com baixos custos operacionais. PORTUGUÊS BELL 206L4 Conceituado helicóptero capaz de realizar multi-missões com baixos custos operacionais. CORPORATIVO ENERGIA O Bell 206L4 foi projetado para ser o local de trabalho em voo ideal. Ele

Leia mais

PETRÓLEO E GÁS. Os serviços da Cugnier abrangem:

PETRÓLEO E GÁS. Os serviços da Cugnier abrangem: PETRÓLEO E GÁS Os serviços da Cugnier abrangem: PETRÓLEO E GÁS A Cugnier está credenciada junto à estatal Petrobras através do CRCC (Certificado de Registro e Classificação Cadastral), possuindo aprovação

Leia mais

CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO

CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO CAPÍTULO 4 ESCOAMENTO DA PRODUÇÃO ESCOAMENTO O escoamento das plataformas é feito através de dutos que podem ser denominados dutos rígidos ou dutos flexíveis, de acordo com o material de que são constituidos.

Leia mais

TREINAMENTO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO-DESTRUTIVOS.

TREINAMENTO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO-DESTRUTIVOS. TREINAMENTO, QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PESSOAL EM ENSAIOS NÃO-DESTRUTIVOS. Paulo César Francisco Henriques Consultor - Rua Tirol 690 / 206 - Jacarepaguá - Rio de Janeiro RJ 22.750-007 pcfhenriques@ig.com.br

Leia mais

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA I AULA 05: LOGÍSTICA INTEGRADA E OUTRAS QUESTÕES TÓPICO 05: MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAS O manuseio de materiais representa atividade de maior custo logístico, além de consumir

Leia mais

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível

Terceiro nível Quarto nível Quinto nível SEMINÁRIO JURÍDICO-FISCAL E WORKSHOP TÉCNICO DA 4 a RODADA DE LICITAÇÕES DA ANP CAPACIDADE Clique para editar NACIONAL os estilos do texto DA mestre CADEIA Segundo DE nível SUPRIMENTO PARA PETRÓLEO E GÁS

Leia mais

Converter carro para GNV reduz gastos; veja prós e contras

Converter carro para GNV reduz gastos; veja prós e contras Converter carro para GNV reduz gastos; veja prós e contras Carro com dinheiro no compartimento do combustível: Para quem percorre quilometragens altas, a economia com o GNV pode compensar o custo do kit

Leia mais

CA Clarity PPM. Visão geral. Benefícios. agility made possible

CA Clarity PPM. Visão geral. Benefícios. agility made possible FOLHA DO PRODUTO CA Clarity PPM agility made possible O CA Clarity Project & Portfolio Management (CA Clarity PPM) o ajuda a inovar com agilidade, a transformar seu portfólio com confiança e a manter os

Leia mais

Táxi Aéreo Dezembro de 2012

Táxi Aéreo Dezembro de 2012 Táxi Aéreo Dezembro de 2012 Os números do taxi aéreo no Brasil 188 empresas atuando em todo Brasil 1237 aviões 325 helicópteros 1.500.000 passageiros transportados por ano 80.000 empregos diretos e indiretos

Leia mais

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras

Cadastro de Fornecedores. de Bens e Serviços da Petrobras Cadastro de Fornecedores de Bens e Serviços da Petrobras Plano Estratégico PETROBRAS Missão Atuar de forma segura e rentável, com responsabilidade social e ambiental, nos mercados nacional e internacional,

Leia mais

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução

Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Aeroportos e sistemas aeroportuários: introdução Definições e Conceitos AERÓDROMO: Área definida sobre a terra ou água destinada à chegada, partida e movimentação de aeronaves; AERÓDROMO CONTROLADO: Aeródromo

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA O USO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) EM EDIFICAÇÕES CLASSIFICADAS COMO PROCEDIMENTO SIMPLIFICADO

ORIENTAÇÕES PARA O USO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) EM EDIFICAÇÕES CLASSIFICADAS COMO PROCEDIMENTO SIMPLIFICADO CORPO DE BOMBEIROS MILITAR DO PARÁ CENTRO DE ATIVIDADES TÉCNICAS ORIENTAÇÕES PARA O USO DE GÁS LIQUEFEITO DE PETRÓLEO (GLP) EM EDIFICAÇÕES CLASSIFICADAS COMO PROCEDIMENTO SIMPLIFICADO Belém 2014 / Versão

Leia mais

Cimitarra 560 Sundeck CUSTO-BENEFÍCIO É A PALAVRA-CHAVE

Cimitarra 560 Sundeck CUSTO-BENEFÍCIO É A PALAVRA-CHAVE Cimitarra 560 Sundeck CUSTO-BENEFÍCIO É A PALAVRA-CHAVE UTILIZANDO O CONCEITO DO SUNDECK, ONDE O FLYBRIDGE FICA INTEGRADO AO DESENHO DO BARCO, MESCLANDO O HARD TOP COM TETO ELÉTRICO, O ESTALEIRO GAÚCHO

Leia mais

JUSTIFICATIVAS PROPOSTA de LIMITES DE EMISSÕES FONTES EXISTENTES REFINARIAS

JUSTIFICATIVAS PROPOSTA de LIMITES DE EMISSÕES FONTES EXISTENTES REFINARIAS JUSTIFICATIVAS PROPOSTA de LIMITES DE EMISSÕES FONTES EXISTENTES REFINARIAS 1. Objetivo: Considerando os limites estabelecidos pela CONAMA 382 como referências para as fontes existentes, este documento

Leia mais

Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight

Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight CUSTOMER SUCCESS STORY Scitum reduz em 50% o tempo de produção de relatórios com CA Business Service Insight PERFIL DO CLIENTE Indústria: Serviços de TI Empresa: Scitum Funcionários: 450+ EMPRESA Empresa

Leia mais

INSPEÇÃO BASEADA EM RISCO SEGUNDO API 581 APLICAÇÃO DO API-RBI SOFTWARE

INSPEÇÃO BASEADA EM RISCO SEGUNDO API 581 APLICAÇÃO DO API-RBI SOFTWARE INSPEÇÃO BASEADA EM RISCO SEGUNDO API 581 APLICAÇÃO DO API-RBI SOFTWARE Carlos Bruno Eckstein PETROBRAS/CENPES/PDEAB/Engenharia Básica de Equipamentos Edneu Jatkoski PETROBRAS/REPLAN/MI/Inspeção de Equipamentos

Leia mais

Sistema de posicionamento de alta velocidade da Bosch 0 100 o em apenas 1 segundo! Para manter a imagem focada no ecrã, em quaisquer condições

Sistema de posicionamento de alta velocidade da Bosch 0 100 o em apenas 1 segundo! Para manter a imagem focada no ecrã, em quaisquer condições Sistema de posicionamento de alta velocidade da Bosch 0 100 o em apenas 1 segundo! Para manter a imagem focada no ecrã, em quaisquer condições Sistema de posicionamento de alta velocidade De 0 a 100º em

Leia mais

BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA

BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA BOMBEAMENTO DE ÁGUA COM ENERGIA SOLAR FOTOVOLTAICA Eng. Carlos Alberto Alvarenga Solenerg Engenharia e Comércio Ltda. Rua dos Inconfidentes, 1075/ 502 Funcionários - CEP: 30.140-120 - Belo Horizonte -

Leia mais

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Alterações no Conteúdo Local para sondas.

Assunto: 13ª Rodada de Licitações de Blocos e de Campos Marginais - Alterações no Conteúdo Local para sondas. 48380.001019/2015-00 MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA Secretaria de Petróleo, Gás Natural e Combustíveis Renováveis Departamento de Política de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural NOTA TÉCNICA

Leia mais

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares

Arranjo Unidades Físico Típicas de Indústria. Unidades de Produção e Instalações Auxiliares O cina de Manutenção A localização deve obedecer os seguintes princípios: - Proximidade das unidades de maior concentração de equipamentos e das instalações sujeitas a manutenção mais freqüente; - Proximidade

Leia mais

Material de estudo ROBÔS NO ESPAÇO. André Luiz Carvalho Ottoni

Material de estudo ROBÔS NO ESPAÇO. André Luiz Carvalho Ottoni Material de estudo ROBÔS NO ESPAÇO 2010 André Luiz Carvalho Ottoni Robôs no Espaço O spacewalker (veste robótica). O spacewalker, que significa andador espacial, é uma veste robótica projetada para os

Leia mais

Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza

Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza Cadeia logística segura aplicada a portos e petróleo (mobilidade e rastreabilidade) Prof. Dr. Paulo Roberto Schroeder de Souza Petrobras fará verdadeira revolução na Logística da Indústria do Petróleo

Leia mais

Drone AIR6 Aplicações na Área Pública

Drone AIR6 Aplicações na Área Pública Drone AIR6 Aplicações na Área Pública A mais conceituada fabricante de drones para uso profissional. Os drones da AIRBORNE ROBOTICS são fabricados na Áustria e oferecem voos automatizados para diversas

Leia mais

Mantendo você conectado

Mantendo você conectado Mantendo você conectado Telecomunicações Mantendo você conectado 1 A FG Wilson tem atendido as necessidades do setor de telecomunicações nos últimos 47 anos com nossos grupos geradores a diesel e a gás.

Leia mais

AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão )

AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão ) GMI/021 21 a 26 de Outubro de 2001 Campinas - São Paulo - Brasil GRUPO XII GESTÃO DA MANUTENÇÃO AUDITORIA DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS (Subestações de Alta e Extra Alta Tensão ) João Carlos Santos Schneider

Leia mais

O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação

O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação O perigo das cinzas vulcânicas para a aviação No dia 15 de dezembro de 1989, o voo KLM 867, operado por um Boeing 747-406M, o PH-BFC, decolou de Amsterdam com destino ao Aeroporto de Narita, no Japão,

Leia mais

EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO

EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO EMPILHADEIRAS A COMBUSTÃO Uma empilhadeira é uma máquina industrial utilizada para levantar e carregar materiais, normalmente através de garfos de metal que são inseridos por debaixo da carga. Geralmente,

Leia mais

Prêmio AEA 2015 - Projetos de Meio Ambiente

Prêmio AEA 2015 - Projetos de Meio Ambiente Prêmio AEA 2015 - Projetos de Meio Ambiente Desenvolvimento de uma Bomba Elétrica de Combustível Flex com foco na Eficiência Responsáveis pelo Projeto (Erwin Franieck, Celso Favero, Lazaro Melo, Rafael

Leia mais

A irrigação à noite também não é uma boa ideia porque pode deixar as folhas molhadas durante a noite um convite ao crescimento de fungos.

A irrigação à noite também não é uma boa ideia porque pode deixar as folhas molhadas durante a noite um convite ao crescimento de fungos. MANEIRAS DE ECONOMIZAR ÁGUA NA IRRIGAÇÃO: TÓPICO I: IRRIGAÇÃO PARA PAISAGISMO RESIDENCIAL. Agora vamos iniciar as maneiras de economizar água de irrigação. 1 Se você já tem um sistema instalado: 1.1. Faça

Leia mais

ÍNDICE. Sumário. Apoios. Media Partners. Dados Gerais. Conferência. Expositores. Visitantes. Campanha de Marketing. Mídia Espontânea.

ÍNDICE. Sumário. Apoios. Media Partners. Dados Gerais. Conferência. Expositores. Visitantes. Campanha de Marketing. Mídia Espontânea. ÍNDICE Sumário Apoios Media Partners Dados Gerais Conferência Expositores Visitantes Campanha de Marketing Mídia Espontânea Imagens 2 Sumário O Evento A 7ª Edição da BRASIL OFFSHORE - Feira e Conferência

Leia mais

Estratégias Empresariais de Adaptação

Estratégias Empresariais de Adaptação Estratégias Empresariais de Adaptação Seminário: Cenários Corporativos de Riscos Climáticos no Brasil e a Inovação Regulatória da Administração Barack Obama 29 de setembro, 2015 MISSÃO Expandir continuamente

Leia mais

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES

LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE PROJETOS COMPLEMENTARES LOCAIS DE TRABALHO COM QUALIDADE E PRODUTIVIDADE 01 NOSSOS SERVIÇOS Após 35 anos de experiência na área de edificações para o mercado imobiliário gaúcho, a BENCKEARQUITETURA, juntamente com a BENCKECONSTRUÇÕES,

Leia mais

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL Obrigado por escolher equipamentos FLUHYDRO SYSTEMS. Os sistemas óleo hidráulicos são hoje, as melhores, mais seguras e econômicas

Leia mais

LOCALIZADORES AVANÇADOS DE CABOS E CONDUTAS SUBTERRADAS SISTEMA ULTRA

LOCALIZADORES AVANÇADOS DE CABOS E CONDUTAS SUBTERRADAS SISTEMA ULTRA LOCALIZADORES AVANÇADOS DE CABOS E CONDUTAS SUBTERRADAS SISTEMA ULTRA A complexidade de serviços subterrados, tais como cabos elétricas, condutas de água, cabos de telecomunicações, etc. aumenta cada vez

Leia mais

Roberto Oliveira Diretor Comercial. Aquecedores de Piscina a Gás por Imersão. Brasil : Fins Terapêuticos Demais Países: Sem restrição

Roberto Oliveira Diretor Comercial. Aquecedores de Piscina a Gás por Imersão. Brasil : Fins Terapêuticos Demais Países: Sem restrição Roberto Oliveira Diretor Comercial Aquecedores de Piscina a Gás por Imersão 2015 Brasil : Fins Terapêuticos Demais Países: Sem restrição Sobre a RK Metalúrgica - Experiência com a área de alta tensão desde

Leia mais

Willis Latin American Energy Conference

Willis Latin American Energy Conference Willis Latin American Energy Conference Planejamento Financeiro e Gestão de Riscos outubro 2012 Cátia Diniz Gerente Setorial de Seguros Internacionais Estas apresentações podem conter previsões acerca

Leia mais

Como organizar um processo de planejamento estratégico

Como organizar um processo de planejamento estratégico Como organizar um processo de planejamento estratégico Introdução Planejamento estratégico é o processo que fixa as grandes orientações que permitem às empresas modificar, melhorar ou fortalecer a sua

Leia mais

Seminário Combustíveis Alternativos para a Ai Aviação. 29 e 30 de novembro de 2011

Seminário Combustíveis Alternativos para a Ai Aviação. 29 e 30 de novembro de 2011 Seminário Combustíveis Alternativos para a Ai Aviação 29 e 30 de novembro de 2011 Realização Apoio Viabilizando o Uso dos Biocombustíveis i Uma Perspectiva Operacional e Econômica Conteúdo As necessidades

Leia mais

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas

IW10. Rev.: 02. Especificações Técnicas IW10 Rev.: 02 Especificações Técnicas Sumário 1. INTRODUÇÃO... 1 2. COMPOSIÇÃO DO IW10... 2 2.1 Placa Principal... 2 2.2 Módulos de Sensores... 5 3. APLICAÇÕES... 6 3.1 Monitoramento Local... 7 3.2 Monitoramento

Leia mais

O ciclo de vida das instalações elétricas e de instrumentação em Atmosferas Explosivas

O ciclo de vida das instalações elétricas e de instrumentação em Atmosferas Explosivas O ciclo de vida das instalações elétricas e de instrumentação em Atmosferas Explosivas Roberval Bulgarelli Petrobras Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão Coordenador do Subcomitê SC-31 do Cobei Bulgarelli

Leia mais

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Sumário A Empresa - Petrobras A Exploração e Produção de Óleo e Gás Gestão Ambiental

Leia mais

Sistemas Inteligentes Lista de Exercícios sobre Busca

Sistemas Inteligentes Lista de Exercícios sobre Busca Sistemas Inteligentes Lista de Exercícios sobre Busca 1) A* - Problema do metrô de Paris Suponha que queremos construir um sistema para auxiliar um usuário do metrô de Paris a saber o trajeto mais rápido

Leia mais

1. Informações Institucionais

1. Informações Institucionais 1. Informações Institucionais Nossa Empresa Líder mundial em eventos de negócios e consumo, a Reed Exhibitions atua na criação de contatos, conteúdo e comunidades com o poder de transformar negócios Números

Leia mais

FORMAÇÃO DE INSPETOR DE EQUIPAMENTOS. Manuel Joaquim de Castro Lourenço Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca CEFET/RJ

FORMAÇÃO DE INSPETOR DE EQUIPAMENTOS. Manuel Joaquim de Castro Lourenço Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca CEFET/RJ FORMAÇÃO DE INSPETOR DE EQUIPAMENTOS Manuel Joaquim de Castro Lourenço Centro Federal de Educação Tecnológica Celso Suckow da Fonseca CEFET/RJ Marcelo Maciel Pereira Fundação Brasileira de Tecnologia da

Leia mais

APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS

APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS Programa Plataformas Tecnológicas PLATEC II Workshop Tecnológico APOIO TECNOLÓGICO PARA A INDÚSTRIA BRASILEIRA DE NAVIPEÇAS Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo IPT Apoio tecnológico

Leia mais

GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Realização:

GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS. Realização: GESTÃO DE SERVIÇOS DE TI: OTIMIZAÇÃO DE RECURSOS E PROCESSOS Realização: Ademar Luccio Albertin Mais de 10 anos de experiência em Governança e Gestão de TI, atuando em projetos nacionais e internacionais

Leia mais

SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO

SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO SISTEMAS AVANÇADOS DE CÂMARAS DE VIDEO PARA INSPEÇÃO MODELOS VIS 200 / VIS 250 Generalidades: Os sistemas de inspeção VIS 200 e VIS 250 são equipamentos de grande robustez, a preço económico, mas de elevada

Leia mais

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ

Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional de Mudanças Globais IVIG/COPPE/UFRJ Formação e Capacitação de Recursos Humanos p/exploração de Recursos Energéticos e Geração de Energia Prof. Marcos Aurélio Vasconcelos de Freitas (mfreitas@ivig.coppe.ufrj.br) Instituto Virtual Internacional

Leia mais

#Fluxo. da Mobilidade de Informação na. Indústria da Construção Civil: Pesquisa e resultados recentes

#Fluxo. da Mobilidade de Informação na. Indústria da Construção Civil: Pesquisa e resultados recentes #Fluxo da Mobilidade de Informação na Indústria da Construção Civil: Pesquisa e resultados recentes introdução Muitas foram as áreas da indústria que se beneficiaram dos avanços tecnológicos voltados ao

Leia mais

Engenharia Gerencial. A cogeração como alternativa aos desafios energéticos

Engenharia Gerencial. A cogeração como alternativa aos desafios energéticos A cogeração como alternativa aos desafios energéticos A visão corrente de que o Brasil possui um dos maiores parques de energia hidrelétrica do mundo, nos afasta de uma realidade um pouco distante disto.

Leia mais

CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS. Engº. Gilberto Mian

CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS. Engº. Gilberto Mian CUIDADOS BÁSICOS NA ESCOLHA E USO DE ELEVADORES DE OBRAS Engº. Gilberto Mian SOBRE A METAX A Metax é especializada em Engenharia de Acesso, fornecendo soluções para acesso e elevação de carga, atuando

Leia mais

DESFRUTE O LUXO QUE LEVA VOCÊ MAIS LONGE. VAI MAIS LONGE, MAIS RÁPIDO. DADOS DE DESEMPENHO

DESFRUTE O LUXO QUE LEVA VOCÊ MAIS LONGE. VAI MAIS LONGE, MAIS RÁPIDO. DADOS DE DESEMPENHO PR-JAJ VAI MAIS LONGE, MAIS RÁPIDO. Quando se fala em desempenho, o Phenom 100 é o líder em sua classe. Com motores Pratt and Whitney, sua capacidade de alcance de voo de quase 1.200 nm e de decolagem

Leia mais

Anexo III Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

Anexo III Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Anexo III Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Através deste anexo, a Brascarbon Consultoria Projetos e Representação Ltda. descreve como o projeto - Brascarbon Projeto

Leia mais

GP18-050LX. Fabricadas no Brasil. As empilhadeiras ideais para as mais variadas operações com carga de 1.800 até 2.500kg

GP18-050LX. Fabricadas no Brasil. As empilhadeiras ideais para as mais variadas operações com carga de 1.800 até 2.500kg GP18-050LX As empilhadeiras ideais para as mais variadas operações com carga de 1.800 até 2.500 Fabricadas no Brasil Empilhadeiras Contrabalançadas Nova família Yale LX contrabalançada com operador sentado

Leia mais

Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável-SEMAD

Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável-SEMAD Secretaria do Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável-SEMAD Diretoria de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais e Eventos Críticos DPIFE Palestrante: JARBAS JORGE DE ALCÂNTARA Téc.

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA.

SCHWEITZER ENGINEERING LABORATORIES, COMERCIAL LTDA. COMO CRIAR UM ELEMENTO DE DETECÇÃO DE ARCO VOLTAICO RÁPIDO E SELETIVO, UTILIZANDO ELEMENTOS DE SOBRECORRENTE E INTENSIDADE LUMINOSA Eduardo Zanirato / Geraldo Rocha Resumo - O guia apresenta a lógica para

Leia mais

PLATAFORMA ELEVATÓRIA MODELO ACCESS BASIC ACIONAMENTO POR FUSO

PLATAFORMA ELEVATÓRIA MODELO ACCESS BASIC ACIONAMENTO POR FUSO PLATAFORMA ELEVATÓRIA MODELO ACCESS BASIC ACIONAMENTO POR FUSO PLATAFORMA ELEVATÓRIA MODELO ACCESS BASIC Indicação Indicada para permitir acesso a desníveis de até 2m. Acesso a mezaninos, entradas de edifícios

Leia mais

Grande parte dos planejadores

Grande parte dos planejadores ARTIGO Fotos: Divulgação Decidindo com o apoio integrado de simulação e otimização Oscar Porto e Marcelo Moretti Fioroni O processo de tomada de decisão Grande parte dos planejadores das empresas ainda

Leia mais

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial ersores de Freqüência na Refrigeração Industrial Os inversores de freqüência possuem um vasto campo de aplicações dentro da área de refrigeração industrial. São utilizados nas bombas de pressurização,

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÕES PRÁTICAS

GUIA DE ORIENTAÇÕES PRÁTICAS GUIA DE ORIENTAÇÕES PRÁTICAS Professores e Coordenadores Pedagógicos 1. INTRODUÇÃO 2. PROPOSTA PEDAGÓGICA 3. COMO UTILIZAR 4. COMO ACESSAR A PLATAFORMA 5. ACOMPANHAMENTO DOS ALUNOS 6. CONTROLE DE CRÉDITOS

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Tubos cladeados. Tubos resistentes à corrosão. Tubos cladeados

Tubos cladeados. Tubos resistentes à corrosão. Tubos cladeados 1 Tubos cladeados Tubos resistentes à corrosão Tubos cladeados Tubos especiais e componentes prontos para a instalação Tubulações pré-fabricadas e componentes soldados Vasos, tanques e torres Construção

Leia mais

MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL. Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência

MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL. Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência MARCOPOLO LANÇA NOVO ÔNIBUS VIALE BRT, O MAIS AVANÇADO PRODUZIDO NO BRASIL Veículo utiliza conceitos inéditos de design, conforto e eficiência A Marcopolo lança o seu mais novo e moderno ônibus urbano,

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Curso Tecnológico de Redes de Computadores Disciplina: Infraestrutura de Redes de Computadores - 1º período Professor: José Maurício S. Pinheiro AULA 01 Conceitos

Leia mais