Ciclo de Vida Típico das Conferências Científicas

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ciclo de Vida Típico das Conferências Científicas"

Transcrição

1 Ciclo de Vida Típico das Conferências Científicas Projeto Integrador / 2013 (Ana Moreira) Planeamento 25 Fev Fev Março Abril Maio Junho Julho /3 - Proposta Pensar 26/4 - Interface Arquitectura Pensar 6/6 Protótipo Implementar 24/6 - Doc Aprender Implementar Comunicar

2 A curto prazo (aulas) Apresentação da Proposta (22/3) 27/2 4/3 6/3 11/3 25 Fev Março Hoje! Domínio Requi sitos Enunciado Design Thinking A curto prazo (objectivos) Hoje! Proposta (22/3) Interface Arquitectura (26/4) 25 Fev Abril Perceber o contexto Identificar o problema Definir o que querem fazer Definir a experiência dos utilizadores Definir uma arquitectura

3 Sumário Conferências (sem fins lucrativos) Coordenação Organização Programa Participação Conferências (sem fins lucrativos)

4 Conferências para quê? Divulgar as descobertas científicas e tecnológicas mais recentes Apresentar o meu trabalho e obter reações dos pares Publicar um artigo nas atas da conferência Networking: conhecer outros que trabalham no mesmo domínio; estabelecer parcerias (locais e) internacionais, abrindo novas possibilidades de colaboração... e ainda... Conhecer a história e as atrações do país organizador Conhecer a cultura e vida social de outro país Viajar Viver novas experiências Fazer novos amigos... e muitas outras razões profissionais e pessoais

5 Variantes? Objectivos: científicos, tecnológicos, comerciais, e combinações destes Âmbito: regional/local, internacional Tipo: variados; eis dois exemplos Conferência principal com ou sem eventos satélite, com uma única comissão de programa oficial Conferência multi-track, com uma comissão de programa por track Duração: 1 dia a 7 dias Dimensão: poucas dezenas a milhares de participantes Algumas perguntas relevantes Quem garante a existência de uma conferência ao longo dos anos? (ICSE está a celebrar 35 anos de existência) Quem garante a qualidade científica e técnica de cada edição? Quem garante a logística e apoio financeiro de cada edição?

6 Atores principais? Responsáveis pela coordenação Presidente da Comissão Coordenadora e seus membros (steering committee) Responsáveis pelo programa técnico e científico Presidente da Comissão de Programa e seus membros (Outras comissões por evento satélite) Responsáveis pela organização local Presidente da Comissão de Organização e seus membros Atores principais Comissão Coordenadora Comissão Organizadora Comissão Programa

7 E quais as principais actividades? Coordenação Programa Organização e... claro, Participação Coordenação

8 Objectivos Contribuir para promover o avanço da investigação e desenvolvimento na área científica da conferência Responsabilidades Constituir e guiar cada edição da conferência Seleccionar os Presidentes das Comissões Organizadora e de Programa de cada edição Escolher o local de realização das edições futuras, com base nas propostas recebidas Estabelecer e avaliar as práticas que ligam os organizadores de cada sessão para garantir o sucesso técnico e financeiro continuado Assegurar que a conferência serve os interesses da comunidade

9 Organização Organização: timeline Pré-Preparação (Presidente da CO) ( 3-4 anos antes) Preparação (Presidente e membros CO) ( até meses antes) Execução (Todos) ( 2-3 semanas antes e durante) Análise (Presidente CP) ( até vários meses depois...)

10 Pré-Preparação Era uma vez... Ideia individual (Presidente da CO) Promover o meu trabalho, a minha instituição (e o meu país) Partilhar com os meus colaboradores (e alunos) uma experiência enriquecedora Quando e onde? Preparação da proposta para a Comissão Coordenadora (bidding)

11 Preparação da Proposta Constituir equipa: entre 6 e 15 pessoas Finantial chair, webchair, sponsor chair, proceedings chair, industry liason, social media chair, local chair, publicity chair... e possivelmente algumas das pessoas para workshop chair, tutorial chair, demo chair, poster chair, doctoral symposium chair, educators chair, student volunteer chair,... Negociar datas e local Preparar orçamento Preparar e submeter proposta à Comissão Coordenadora... e uns meses depois... Yeah! I ve won!

12 Preparação ( 18 meses antes) Contratos e Orçamento Há patrocinador oficial? (ACM, IEEE, AITO, AOSA,...) Preparar orçamentos para aprovação do patrocinador (restrições impostas: 15% surplus, 12% contingency, 16$/participant,...) Negociar e assinar contratos impostos pelo patrocinador com local de acolhimento da conferência (hotel, centro de congressos, universidade,...)

13 Mais contratos... Escolher e reservar local para os eventos sociais: banquete, 2 recepções de boas vindas,... Estes são momentos de eleição para mostrar o que o país tem de melhor Escolher empresa de catering 2 coffee breaks diários, almoços, recepções, banquete Planear transportes para participantes Para o banquete, excursões, entre locais distintos do evento,... Patrocinadores adicionais: para oferecer o melhor aos participantes! E muito trabalho... Atribuir responsabilidades aos vários membros da equipa e garantir coordenação constante Definição do apoio técnico necessário Página da conferência Publicidade e media: chamadas para os vários tipos de trabalhos solicitados Negociação do alojamento para os participantes Preparação do processo de inscrição Controlo do timeline presente e futuro

14 Participantes à vista! (3-4 meses antes) Preparação do programa técnico Inscrições: registos e pagamentos Actualização da página: inscrições, programa, hotéis, transportes, restaurantes,... Reservas alojamento Publicidade: chamada à participação Oportunidades para os alunos (student volunteers) Execução (Início 2-3 semanas antes)

15 Antecipação Pastas dos participantes: atas, programa técnico impresso, publicidade, souvenirs Reservas alojamento Sinalética Verificação das salas e equipamento Verificação do orçamento Finalização de ementas Ajuda continuada aos participantes E o grande momento chegou! Receção dos participantes Mais inscrições no local Atenção constante aos participantes Controlo diário de tarefas e plano para o dia seguinte Recolha dos inquéritos pedidos aos participantes Partida dos participantes e celebrar, mas sobretudo RELAXAR!

16 Análise Lições a partilhar Avaliação dos inquéritos preenchidos pelos participantes Auto-avaliação crítica Relatório final com lições a partilhar com os futuros organizadores (melhorias, modificações, inovações) Últimas facturas pagas, fecho de contas e relatório para o patrocinador

17 Mostly Office... Ajuda? Programa

18 Programa: timeline Constituição (Presidente CP) ( meses antes) Submissão (Autores) ( 6 meses antes) Revisão (Membros da CP) ( durante 8 semanas) Seleção (Presidente e membros CP) ( 4 meses antes) Atas (Presidente CP) ( 2 meses antes) Constituição

19 Comissão de Programa Comissão Coordenadora (CC) escolhe o Presidente da Comissão de Programa (PCP) PCP escolhe os membros da Comissão de Programa (CP), constituindo a sua equipa PCP define: CFP (call for papers), datas importantes, regras de avaliação e seleção de artigos Responsabilidades do PCP Assegurar um processo de revisão e seleção justo que resulte num programa de qualidade Submeter à CC a lista da CP, processo de revisão, datas importantes e chamada de trabalhos Monitorar as avaliações, assegurando a sua qualidade; liderar o processo de discussão e seleção Submeter CC proposta de keynote speakers Escolher o melhor artigo; escolher o melhor avaliador; produzir certificados Produzir as atas e coordenar com a editora (Springer, ACM, IEEE)

20 PCP colabora com PCO Verificar viabilidade de despesas (keynotes, reunião com membros da comissão de programa para seleção final dos artigos) Fornecer os elementos necessários para a publicidade e página da conferência Fornecer a lista de artigos e autorias para constituição do programa a publicar Submissão&Revisão

21 Submissão e distribuição Autores submetem resumos Membros CP inserem escolhas (aka bidding), conflitos de interesse e expertise nos vários tópicos Autores submetem artigo completo (7-10 dias depois) Presidente da CP distribui artigos para avaliação satisfazendo restrições: pelo menos 3 avaliações por artigo distribuição equitativa entre os membros conflitos de interesse expertise escolhas/bid Revisão e notificações Membros da CP avaliam os artigos PCP coordena discussão das avaliações PCP coordena seleção dos artigos a aceitar PCP notifica autores (aceitação/rejeição) Autores de artigos aceites submetem versão final PCP prepara atas para publicação e envia à editora PCP organiza programa (define sessões) e atribui moderadores (membros da CP) PCP envia programa para PCO

22 E para ajudar? Existem vários sistemas que automatizam uma parte do processo: Easychair e HotCRP (gratuitos), Cyberchair e Precision (pagos),... No CyberChair

23 Página de submissão (Autores) Página de submissão cont d

24 Página do PCP (início) PCP: revisores e distribuição

25 Membros CP: expertise Membros da CP: bidding

26 PCP: controlo submissão revisões Membro CP: avaliação artigo

27 Membro CP: avaliações todas (Discussão e) Seleção

28 Métodos distintos Discussão electrónica/online, apenas Discussão on-line seguida de reunião física com todos os membros da CP Para grandes eventos: comissão executiva adicional (Program Board) Criada pelo PCP para ajudar a garantir qualidade das avaliações e das decisões Membro CP: Discussão online

29 Membro CP: vista global Código de cores White: Review not yet submitted Pink: Only your review has been submitted Green: Classification A Light Green: Classification B Light blue: Classification C Blue: Classification D Yellow: Classification conflict - AC or BD Red: Serious classification conflict - AD Gold: Accepted Paper Reunião final: seleção

30 Atas Produção das atas Receber as versões finais dos artigos aceites (camera-ready) Compor o livro: introdução, foreword, ToC, capítulos, índice de autores, índice de revisores adicionais, patrocinadores Submissão dos ficheiros à editora

31 Produção das atas (cont d) Atas enviadas para a organização para distribuição pelos participantes tendência mais recente é para atas electrónicas Participação

32 Com que objectivo? As melhores conferências para trabalho não são sempre as maiores e com os palestrantes mais famosos Os workshops (8-25 participantes) são normalmente muito mais produtivos Os investigadores não vão a uma conferência se não tiverem um trabalho a apresentar (fundamental para financiamento) As apresentações devem espicaçar a curiosidade (apenas 20 min) - os detalhes estão no artigo Boa ocasião para organizar pequenas reuniões e conhecer outros participantes Antes da viagem Procurar financiamento Fazer a inscrição Reservar hotel Comprar o bilhete Preparar a apresentação Planear a chegada: mapas, transportes locais, encontros com colegas e amigos

33 Prontos para o desafio? O que se segue?

34 A curto prazo (aulas) 27/2 Apresentação da Proposta (22/3) 4/3 6/3 13/3 11/3 18/ Fev 26 Março 20/3 25/3 3/4 Hoje! Domínio Requi sitos Prep WS-1 Desenho Interface Gestão de Projecto Enunciado Design Mobile Thinking & Touch Des. Mob Web Mob A muito curto prazo DATA Título Descrição 4 Março 6 Março Domínio do Problema Design Thinking Ciclo de vida de uma Conferência Científica (Ana Moreira) Método para desenho de soluções / artefactos (Pedro Janeiro) 5 e 6 Março Prática 01 Recenseamento do grupo e apresentação da turma; Apresentação dos resultados dos TPCs; Dúvidas no enunciado e sua interpretação; Organização do vosso trabalho no imediato. Grupos; Registo no SRTA; Planeamento das chefias Familiarização com o

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS

OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS OCUPAÇÃO CIENTÍFICA DE JOVENS NAS FÉRIAS 2015 REGULAMENTO Artigo 1º Âmbito e Enquadramento A Ciência Viva Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica promove o programa Ocupação Científica

Leia mais

A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul

A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul Projeto educativo A Ponte entre a Escola e a Ciência Azul A Ponte Entre a Escola e a Ciência Azul é um projeto educativo cujo principal objetivo é a integração ativa de estudantes do ensino secundário

Leia mais

REGULAMENTO DE EVENTOS Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinte Apoio Reitoria

REGULAMENTO DE EVENTOS Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinte Apoio Reitoria REGULAMENTO DE EVENTOS Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinte Apoio Reitoria 1.0 (Professor Doutor Rui Oliveira) Revisto e Confirmado por: Data de Aprovação Inicial Página (José João Amoreira)

Leia mais

O Comitê Gestor da CEIHC é composto por postos deliberativos e postos consultivos.

O Comitê Gestor da CEIHC é composto por postos deliberativos e postos consultivos. REGIMENTO DA COMISSÃO ESPECIAL DE INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO (CEIHC-SBC) Data de Aprovação em Assembléia: 26 de outubro de 2011 1 Objetivo A Comissão Especial de

Leia mais

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor Folha de Factos A informação contida neste documento representa a visão actual da Microsoft Corporation sobre os assuntos discutidos,

Leia mais

Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15

Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15 O Departamento de Informática (DI) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) procura criar e estreitar

Leia mais

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO EFECTIVIDADE DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS PROJECTO ESSE Orientações para as visitas às escolas 1 Introdução As visitas às escolas realizadas segundo o modelo

Leia mais

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT PROCEDIMENTO Ref. Pcd. 3-sGRHF Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT Data: 14 /07/2011 Elaboração Nome: Fátima Serafim e Helena

Leia mais

Vodafone Conferencing Como criar uma reunião

Vodafone Conferencing Como criar uma reunião Vodafone User Guide Vodafone Conferencing Como criar uma reunião Um guia passo-a-passo sobre como configurar uma reunião através do serviço Vodafone Conferencing. Visão geral Pode utilizar a Vodafone Conferencing

Leia mais

Novas Formas de Aprender e Empreender

Novas Formas de Aprender e Empreender Novas Formas de Aprender e Empreender DÚVIDAS FREQUENTES 1. Sobre o Prêmio Instituto Claro, Novas Formas de Aprender e Empreender 1.1. O que é o Prêmio? O Prêmio Instituto Claro Novas Formas de Aprender

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO PARCERIA UMA PUBLICAÇÃO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa APRESENTAÇÃO Depois de duas edições,

Leia mais

Regulamento da Rede de Mentores

Regulamento da Rede de Mentores Regulamento da Rede de Mentores 1. Enquadramento A Rede de Mentores é uma iniciativa do Conselho Empresarial do Centro (CEC) e da Associação Industrial do Minho (AIMinho) e está integrada no Projeto Mentor

Leia mais

Normas do Concurso de Ideias de Negócio Escolas Empreendedoras

Normas do Concurso de Ideias de Negócio Escolas Empreendedoras Preâmbulo O concurso de Ideias de Negócio é uma iniciativa da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira. O presente documento visa regular o Concurso de Ideias Escolas Empreendedoras e pretende contribuir

Leia mais

REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci

REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci REGULAMENTO DE MOBILIDADE DE DIPLOMADOS Leonardo da Vinci Tendo a Coordenação em colaboração com o DGA RI, elaborado e submetido uma candidatura ao Programa Leonardo da Vinci, foi esta aprovada pela Agência

Leia mais

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS

AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS Acção 1 1 AÇÃO 2 COOPERAÇÃO PARA A INOVAÇÃO E O INTERCÂMBIO DE BOAS PRÁTICAS A B Parcerias Estratégicas na área da Educação, Formação

Leia mais

Guia Rápido de Vodafone Conferencing

Guia Rápido de Vodafone Conferencing Guia de Utilizador Vodafone Guia Rápido de Vodafone Conferencing O seu pequeno manual para criar, participar e realizar reuniões de Vodafone Conferencing. Vodafone Conferencing Visão geral O que é uma

Leia mais

Manual de Eventos da Comissão Especial de Realidade Virtual (CERV) Versão 0.4

Manual de Eventos da Comissão Especial de Realidade Virtual (CERV) Versão 0.4 Manual de Eventos da Comissão Especial de Realidade Virtual (CERV) Versão 0.4 Este manual tem o objetivo de servir como guia para a organização de eventos da Comissão Especial de Realidade Virtual. Quaisquer

Leia mais

Preparação de um Plano de Trabalho

Preparação de um Plano de Trabalho Preparação de um Plano de Trabalho Tomando em consideração os limites de tempo e recursos dos implementadores, as ferramentas da série Straight to the Point (Directo ao Ponto), da Pathfinder International,

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2015

Regulamento PAPSummer 2015 Regulamento PAPSummer 2015 Artigo 1º Objectivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses (Estudante) de desenvolver um

Leia mais

Perguntas mais frequentes

Perguntas mais frequentes Estas informações, elaboradas conforme os documentos do Plano de Financiamento para Actividades Estudantis, servem de referência e como informações complementares. Para qualquer consulta, é favor contactar

Leia mais

THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE!

THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE! Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida Versão do : 1.3 / Versão Adobe Reader: 9.302 THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE!

Leia mais

CONFERÊNCIA BRASILEIRA EM MÉTODOS ÁGEIS

CONFERÊNCIA BRASILEIRA EM MÉTODOS ÁGEIS CONFERÊNCIA BRASILEIRA EM MÉTODOS ÁGEIS DE 21 A 23 DE OUTUBRO DE 2015, PORTO DE GALINHAS, PE Briefing da Conferência e Oportunidades de Patrocínio PORTO DE GALINHAS, PE CRÉDITOS: SUMMERVILLE BEACH RESORT

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PROGRAMA DE PEQUENOS FINANCIAMENTOS PARA PROJETOS LGBT SMALL GRANTS PROGRAM

FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PROGRAMA DE PEQUENOS FINANCIAMENTOS PARA PROJETOS LGBT SMALL GRANTS PROGRAM FORMULÁRIO DE INSCRIÇÃO PROGRAMA DE PEQUENOS FINANCIAMENTOS PARA PROJETOS LGBT SMALL GRANTS PROGRAM Consulado dos Estados Unidos em Recife Rua Gonçalves Maia, 163 Boa Vista Recife PE Tel: (55-81) 3416-3050

Leia mais

Agile Brazil. Briefing e Oportunidades de Patrocínio. 05 a 07 de novembro Florianópolis, Santa Catarina

Agile Brazil. Briefing e Oportunidades de Patrocínio. 05 a 07 de novembro Florianópolis, Santa Catarina Agile Brazil 2014 Briefing e Oportunidades de Patrocínio 05 a 07 de novembro Florianópolis, Santa Catarina 1 Sobre o Evento Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas A Agile Brazil

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS PREÂMBULO Na sequência da transposição para o ordenamento jurídico nacional da Directiva n.º 2006/43/CE, do Parlamento Europeu e do

Leia mais

PATROCÍNIO - APLICATIVO BUENOS AIRES

PATROCÍNIO - APLICATIVO BUENOS AIRES PATROCÍNIO - APLICATIVO BUENOS AIRES INTRODUÇÃO Há 46 anos o Guia Quatro Rodas realiza reportagens turísticas, rodoviárias e gastronômicas por todo Brasil. Já a revista Viagem e Turismo completa 16 anos

Leia mais

Bolsas Templeton para Professores Visitantes

Bolsas Templeton para Professores Visitantes Bolsas Templeton para Professores Visitantes Ciência, Filosofia e Teologia na América Latina Ian Ramsey Centre (IRC) for Science and Religion University of Oxford Chamada Objetivo e Resumo As Bolsas Oxford

Leia mais

13 a 15/05. liderando resultados múltiplos. Centro de Eventos da PUCRS

13 a 15/05. liderando resultados múltiplos. Centro de Eventos da PUCRS Competitividade: 13 a 15/05 liderando resultados múltiplos Centro de Eventos da PUCRS Competitividade: liderando resultados múltiplos O Congregarh 2015 vai tratar de um tema que tem preocupado muito as

Leia mais

Uma história de sucesso do Programa Marie Curie em Portugal

Uma história de sucesso do Programa Marie Curie em Portugal Ref.: MTKD-CT-2004-014312 Uma história de sucesso do Programa Marie Curie em Portugal por Suhita Osório-Peters CEIFA ambiente Lda Sessão de Divulgação do 7º Programa-Quadro de ID&T Lisboa, 20 de Outubro

Leia mais

Bolsa de Inovação da Secção Regional de Lisboa DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGRAS DE ATRIBUIÇÃO

Bolsa de Inovação da Secção Regional de Lisboa DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGRAS DE ATRIBUIÇÃO A Direcção da Secção Regional de Lisboa da Ordem dos Farmacêuticos, reunida em sessão de 18 de Julho de 2012, deliberou instituir uma Bolsa, destinada a apoiar projectos de investigação e projectos profissionais

Leia mais

Unidade Operacional de Normalização e Certificação de Sistemas e Tecnologias de Informação

Unidade Operacional de Normalização e Certificação de Sistemas e Tecnologias de Informação Procedimento de concessão e acompanhamento da atribuição da Marca ACSS-Software Certificado a produtos de software para utilização nas instituições e Unidade Operacional de Normalização e Certificação

Leia mais

1/12 Perguntas Frequentes sobre o Processo de Candidatura a Bolsas de Formação Contínua Comenius

1/12 Perguntas Frequentes sobre o Processo de Candidatura a Bolsas de Formação Contínua Comenius 1/12 Bem-vinda(o) à Área de Perguntas Frequentes sobre o Processo de Candidatura às Bolsas de Formação Contínua Comenius! Esta área, e respectiva informação disponibilizada, têm como objectivo facilitar

Leia mais

Gestão de Projetos MBE_UFRGS_2012

Gestão de Projetos MBE_UFRGS_2012 Gestão de Projetos MBE_UFRGS_2012 Istefani Carísio de Paula Programa 07/03 - Conceitos, definições e método de GP 14/03 Gestão de Portfólio 21/03- Gestão de Portfólio 28/03 Iniciação e Planejamento do

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 EDITAL PARA SELEÇÃO DE PROJETOS SOCIAIS 2015 1. DO OBJETO 1.1. O presente edital tem por objeto realizar uma chamada pública nacional para seleção de projetos que contribuam para o empoderamento das mulheres

Leia mais

LIÇÃO Interacção na Internet - Web 2.0

LIÇÃO Interacção na Internet - Web 2.0 LIÇÃO Interacção na Internet - Web 2.0 Idade-alvo recomendada: 11 anos Guia da lição Os alunos irão desenvolver uma compreensão básica das considerações de segurança envolvidas na comunicação online. Objectivos

Leia mais

POLÍTICA DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA

POLÍTICA DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA POLÍTICA DO REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Grupo de Trabalho dos Bibliotecários da UNL Abril de 2009 Aprovada na Reunião de 21 de Maio de 2009 do Colégio dos Directores Política

Leia mais

REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO

REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO REGULAMENTO - PRÊMIO EDP INOVAÇÃO 1. OBJETIVOS O Prêmio EDP Inovação é uma iniciativa da EDP Brasil, subsidiária da EDP Energias de Portugal, que visa incentivar a inovação, a sustentabilidade e o empreendedorismo

Leia mais

DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS

DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS DEPARTAMENTO DE FORMAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS CAPACIDADE PROFISSIONAL PARA A ACTIVIDADE DE TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA AS ENTIDADES FORMADORAS ÍNDICE OBJECTIVOS

Leia mais

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES

REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES REGULAMENTO DO PROCESSO ESPECIAL DE ACREDITAÇÃO/RENOVAÇÃO DA ACREDITAÇÃO DE ENTIDADES CANDIDATAS À AVALIAÇÃO E CERTIFICAÇÃO DOS MANUAIS ESCOLARES CAPÍTULO I Âmbito de aplicação Artigo 1.º Objeto e âmbito

Leia mais

Publicação em contexto académico: OJS na prática

Publicação em contexto académico: OJS na prática Publicação em contexto académico: OJS na prática sumário 1. Publicações científicas em ambiente académico: um cenário pouco homogéneo 1.1 o papel das bibliotecas de ensino superior 2. OJS Open Journal

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

Ensino Básico. Regulamento da Competição

Ensino Básico. Regulamento da Competição ESCOLA + Promoção de Eficiência Energética entre Escolas do 1º Ciclo de O Projeto Escola + Ensino Básico Regulamento da Competição Ano Letivo 2014-2015 O Projeto «Escola +» é uma iniciativa da Lisboa E-Nova

Leia mais

GESTÃO DE STOCKS. E INVENTÁRIOS Rentabilize a Sua Organização Melhorando os Procedimentos 3ª EDIÇÃO CURSO

GESTÃO DE STOCKS. E INVENTÁRIOS Rentabilize a Sua Organização Melhorando os Procedimentos 3ª EDIÇÃO CURSO 3ª EDIÇÃO CURSO Técnicas e Métodos Para Racionalizar os Custos GESTÃO DE STOCKS E INVENTÁRIOS Rentabilize a Sua Organização Melhorando os Procedimentos LUANDA 7 e 8 de JULHO de 2014 Saiba porque necessitamos

Leia mais

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique

DESCRIÇÃO DO TRABALHO. Directora Nacional, WWF Moçambique DESCRIÇÃO DO TRABALHO Título de posição: Responde a: Supervisiona: Localização: Gestor de Comunicação Directora Nacional, WWF Moçambique Todo pessoal de comunicações Maputo, Moçambique Data: 19 de Agosto

Leia mais

Conferência de Imprensa Apresentação do Congresso aos Meios de Comunicação Social Horácio Pina Prata Presidente da Direcção da ACIC

Conferência de Imprensa Apresentação do Congresso aos Meios de Comunicação Social Horácio Pina Prata Presidente da Direcção da ACIC Conferência de Imprensa Apresentação do Congresso aos Meios de Comunicação Social Horácio Pina Prata Presidente da Direcção da ACIC Coimbra, 18 de Março de 2004 As métricas O Projecto TIM, globalmente,

Leia mais

3 meses AproCS Divulgação AproCS AproCS

3 meses AproCS Divulgação AproCS AproCS Faz hoje 3 meses que foi lançada a AproCS. Quero agradecer a todos os que entretanto já aderiram à nossa Associação, pela confiança depositada na equipa e no projecto. Divulgação Durante estes primeiros

Leia mais

PATROCÍNIO. 21 de setembro de 2015. Hard skills impulsionando seus projetos OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: OURO MINAS PALACE HOTEL PROPOSTA DE

PATROCÍNIO. 21 de setembro de 2015. Hard skills impulsionando seus projetos OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: OURO MINAS PALACE HOTEL PROPOSTA DE OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: Hard skills impulsionando seus projetos PROPOSTA DE PATROCÍNIO 21 de setembro de 2015 OURO MINAS PALACE HOTEL BELO HORIZONTE MG REALIZAÇÃO Rua Tomé de Souza, 67, 3º andar,

Leia mais

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio

FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio FAQ's - Preparação da mobilidade e questões logísticas do intercâmbio 1. Devo matricular-me na UAc mesmo indo para o estrangeiro? 2. Tenho de pagar propinas na UAc? 3. Tenho que pagar propinas na Universidade

Leia mais

Manual do Professor Como organizar o jogo da Serpente Papa-Léguas na sua escola

Manual do Professor Como organizar o jogo da Serpente Papa-Léguas na sua escola Manual do Professor Como organizar o jogo da Serpente Papa-Léguas na sua escola Índice 1 1. INTRODUÇÃO 3 1.1 O que é o jogo da Serpente Papa-Léguas? 3 1.2 Por quê este jogo? 3 1.3 Calendarização 3 2. O

Leia mais

:: Startup.Edu :: Freire.LAB

:: Startup.Edu :: Freire.LAB :: Startup.Edu :: Freire.LAB Convocatória de educadores, estudantes, empreendedores e pesquisadores criativos com ideias ou projetos para inovar a educação na cidade. Apresentação: O Freire.LAB é um laboratório

Leia mais

Curso de Desenvolvimento em Negócios Sociais e Inclusivos

Curso de Desenvolvimento em Negócios Sociais e Inclusivos Curso de Desenvolvimento em Negócios Sociais e Inclusivos O curso de Desenvolvimento de Negócios Sociais e Inclusivos visa a despertar o interesse de pessoas que queiram empreender na área social. Trata-se

Leia mais

O que é o concurso EUemPT?

O que é o concurso EUemPT? O que é o concurso EUemPT? O concurso EUemPT, uma atividade educativa sobre a UE, é uma iniciativa da Comissão Europeia, promovida pelo Centro de Informação Europeia Jacques Delors, concebida e implementada

Leia mais

ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL

ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL ASSOCIAÇÃO PARA A ECONOMIA CÍVICA PORTUGAL MISSÃO A Associação para a Economia Cívica Portugal é uma Associação privada, sem fins lucrativos cuja missão é: Promover um novo modelo de desenvolvimento económico

Leia mais

1 Criação de uma bolsa anual de árvores para oferta

1 Criação de uma bolsa anual de árvores para oferta Floresta Comum, Qual o objectivo principal do Floresta Comum? O objectivo? O Floresta Comum, é um programa de incentivo à reflorestação com a floresta autóctone portuguesa. Para a concretização deste objectivo,

Leia mais

Organização Profissional de Congressos e Conferências (PCO)

Organização Profissional de Congressos e Conferências (PCO) Organização Profissional de Congressos e Conferências (PCO) Modus operandi O que fazemos: congressos e conferências médicas e científicas, gestão de eventos, reuniões corporativas, apresentação de produtos

Leia mais

Manual do Candidato 2013

Manual do Candidato 2013 Manual do Candidato 2013 Bio Jr. USP O QUE É EMPRESA JÚNIOR? Empresa júnior é uma associação civil formada por alunos matriculados em pelo menos um curso de graduação em institutos de ensino superior.

Leia mais

geas www.sensocomum.pt

geas www.sensocomum.pt geas Como uma aplicação online pode facilitar a gestão da minha associação + fácil fichas de sócio online + rápido consulta de cotas + controlo histórico de alteração dados Com uma ferramenta disponível

Leia mais

Regulamento do Concurso de Ideias do Concelho da Sertã

Regulamento do Concurso de Ideias do Concelho da Sertã Regulamento do Concurso de Ideias do Concelho da Sertã Preâmbulo O concurso de Ideias do Concelho da Sertã é uma iniciativa da Câmara Municipal da Sertã. O presente documento visa regular o Concurso Empreendedorismo

Leia mais

GPPQ Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de I&DT. 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (2007-2013)

GPPQ Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de I&DT. 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (2007-2013) Sessão de Apresentação de Oportunidades de Financiamento para as PME 7º Programa-Quadro de I&DT da União Europeia Investigação para as PME Margarida Garrido margarida.garrido@gppq.mctes.pt Santarém, Escola

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

1. PERGUNTAS FREQUENTES 1.1. INFORMAÇÕES GERAIS

1. PERGUNTAS FREQUENTES 1.1. INFORMAÇÕES GERAIS 1. PERGUNTAS FREQUENTES 1.1. INFORMAÇÕES GERAIS - Quem explora o site Pixel4Winner.com? - Onde está sedeada a sociedade anónima? - Posso ter confiança no site Pixel4Winner.com? - A participação a uma lotaria

Leia mais

Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep

Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep Julho de 2009 Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep A aplicação dbgep é constituída pelos seguintes módulos: Aplicação Função Situação comercial dbgep C Contabilidade em comercialização dbgep

Leia mais

Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL

Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL Concurso de Ideias promovido pela OTIC UTL 2010 Patrocinadores: Preâmbulo A Oficina de Transferência de Tecnologia e de Conhecimento da Universidade Técnica de Lisboa (OTIC UTL) com o lançamento do concurso

Leia mais

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade

Introdução. Confiabilidade. Conformidade. Segurança. Optimização e Disponibilidade Introdução Desenvolvido segundo um modelo de bases de dados relacionais, podem ser realizadas personalizações à medida de cada empresa, em conformidade com o Sistema de Informação existente e diversas

Leia mais

GUIA PARA COMPRA ONLINE

GUIA PARA COMPRA ONLINE GUIA PARA COMPRA ONLINE www.tipsal.pt QUEM SOMOS A TIPSAL - Técnicas Industriais de Protecção e Segurança, Lda foi fundada em 1980. Somos uma empresa de capitais exclusivamente nacionais com sede social

Leia mais

Plataforma de Comunicação Colaborativa. Programa Espaço Atlântico. Guia do utilizador da área Projectos

Plataforma de Comunicação Colaborativa. Programa Espaço Atlântico. Guia do utilizador da área Projectos Plataforma de Comunicação Colaborativa Programa Espaço Atlântico Guia do utilizador da área Projectos Versão Junho 2010 Investindo no nosso futuro comum Guia do utilizador da área Projectos Versão Junho

Leia mais

Coimbra: 16 e 17 de Abril. Faro: 14 e 15 de Maio. Faro: 16 de Maio. Faro: 17 de Maio. Faro: 18 de Maio

Coimbra: 16 e 17 de Abril. Faro: 14 e 15 de Maio. Faro: 16 de Maio. Faro: 17 de Maio. Faro: 18 de Maio 27 de Fevereiro 19 e 20 de Março 16 e 17 de Abril 14 e 15 de Maio 18 e 19 de Junho 9 e 10 de Julho 28 de Fevereiro 21 de Março 18 de Abril 16 de Maio 20 de Junho 11 de Julho 1 de Março 22 de Março 19 de

Leia mais

PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas

PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas 13 de maio de 2015 PPP e Desenvolvimento de Competências Desenvolvimento e implementação de projetos de parcerias de desenvolvimento público-privadas Virpi Stucki Organização das Nações Unidas para o Desenvolvimento

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

Descarbonizar a economia Competitividade Desenvolvimento sustentável

Descarbonizar a economia Competitividade Desenvolvimento sustentável Descarbonizar a economia Competitividade Desenvolvimento sustentável O BCSD Portugal Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável é uma associação sem fins lucrativos, de utilidade pública,

Leia mais

Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e então, pare. Alice no País das Maravilhas Lewis Carrol

Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e então, pare. Alice no País das Maravilhas Lewis Carrol Comece pelo começo, siga até chegar ao fim e então, pare. Alice no País das Maravilhas Lewis Carrol O Grupo Grandarte nasceu da fusão de várias empresas com áreas de negócio complementares. Para responder

Leia mais

Critérios e metodologia de admissão e de classificação e ordenação dos candidatos

Critérios e metodologia de admissão e de classificação e ordenação dos candidatos CONCURSO DOCUMENTAL PARA UM LUGAR DE PROFESSOR COORDENADOR PARA O SETOR DE ÁREAS DISCIPLINARES DE PSICOLOGIA E CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO ÁREA DISCIPLINAR PSICOLOGIA SOCIAL, COMPORTAMENTO E COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL.

Leia mais

O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de aprendizagem?

O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de aprendizagem? Rui Trindade Universidade do Porto Portugal trindade@fpce.up.pt I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DA UNDIME/MG Belo Horizonte 11 de Abril de 2012 O que fazer para transformar uma sala de aula numa comunidade de

Leia mais

Teambuilding (Habitat for Humanity Portugal)

Teambuilding (Habitat for Humanity Portugal) Teambuilding (Habitat for Humanity Portugal) A Habitat for Humanity Portugal é uma organização não governamental sem fins lucrativos de base cristã e ecuménica e procura lutar contra o problema da pobreza

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008 1. INTRODUÇÃO Em apenas 5 anos os OPEN DAYS Semana Europeia das Regiões e Cidades tornaram-se um evento de grande importância para a demonstração da capacidade das regiões e das cidades na promoção do

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS DO CONCELHO DA NAZARÈ

REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS DO CONCELHO DA NAZARÈ REGULAMENTO DO CONCURSO DE IDEIAS DO CONCELHO DA NAZARÈ Preâmbulo O concurso de Ideias do Concelho da Nazaré é uma iniciativa da Câmara Municipal da Nazaré. O presente documento visa regular o Concurso

Leia mais

FUNDO NEPAD/ESPANHA PARA EMPODERAMENTO DAS MULHERES AFRICANAS NOTA DE LAÇAMENTO SEGUNDO APELO DE PROPOSTAS, ABRIL DE 2011

FUNDO NEPAD/ESPANHA PARA EMPODERAMENTO DAS MULHERES AFRICANAS NOTA DE LAÇAMENTO SEGUNDO APELO DE PROPOSTAS, ABRIL DE 2011 FUNDO NEPAD/ESPANHA PARA EMPODERAMENTO DAS MULHERES AFRICANAS NOTA DE LAÇAMENTO SEGUNDO APELO DE PROPOSTAS, ABRIL DE 2011 1. Introdução O Fundo NEPAD/Espanha para Capacitação das Mulheres (NSF) tem a honra

Leia mais

Como Criar Sites Grátis de Sucesso

Como Criar Sites Grátis de Sucesso Truques e Dicas Como Criar Sites Grátis de Sucesso Tudo o Que Precisa Para Ter Sucesso na Internet Gratuitamente! INTRODUÇÃO... 2 COMO ESCOLHER O TEMA DO SITE... 4 DICAS PARA REGISTAR UM DOMÍNIO... 5 COMO

Leia mais

Prémio Excelência no Trabalho 2015

Prémio Excelência no Trabalho 2015 FAQ Frequently Asked Questions Índice Prémio Excelência no Trabalho 2015 INSCRIÇÃO... 2 COMUNICAÇÃO INTERNA... 4 QUESTIONÁRIO DIRIGIDO AOS COLABORADORES... 5 INQUÉRITO À GESTÃO DE TOPO... 7 TRATAMENTO

Leia mais

APC Associação Portuguesa de Criminologia www.apcriminologia.com. Introdução...2

APC Associação Portuguesa de Criminologia www.apcriminologia.com. Introdução...2 Plano de atividades e orçamento para 2013 Índice Introdução...2 1. Objetivos gerais do plano de actividades.2 2. Atividades previstas para 2013 3 2.1. Divulgação e promoção da licenciatura.4 2.2. Planeamento,

Leia mais

VOLUNTARIADO !!!!! O Festival. Guia de Inscrição. Perfis. Requisitos. Áreas de Ação

VOLUNTARIADO !!!!! O Festival. Guia de Inscrição. Perfis. Requisitos. Áreas de Ação VOLUNTARIADO Guia de Inscrição Perfis Sentido de Responsabilidade Capacidade de Comunicação Paciente Amável Sentido Prático Capacidade de Comunicação Versátil Motivado Mentalidade Prática Dinamico Desembaraçado

Leia mais

Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota

Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota Descrição dos serviços Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota Este serviço oferece serviços de Monitorização da infra-estrutura remota Dell (RIM, o Serviço ou Serviços ) conforme

Leia mais

Guião para as ferramentas etwinning

Guião para as ferramentas etwinning Guião para as ferramentas etwinning Registo em etwinning Primeiro passo: Dados de quem regista Segundo passo: Preferências de geminação Terceiro passo: Dados da escola Quarto passo: Perfil da escola Ferramenta

Leia mais

Regulamento do Concurso

Regulamento do Concurso Regulamento do Concurso Preâmbulo Considerando que, constituem objectivos do CRÉDITO AGRÍCOLA, enquanto Entidade Promotora: - Promover iniciativas empresariais inovadoras e conciliadoras com sinergias

Leia mais

Transporte compartilhado (a carona solidária)

Transporte compartilhado (a carona solidária) Quer participar da Semana de Economia Colaborativa, mas você não sabe qual atividade organizar? Este guia fornece algumas sugestões de atividades e informações gerais sobre como participar neste espaço

Leia mais

em colaboração com 2º Seminário em Angola Analisar, definir e desenhar os procedimentos Estabelecer um modelo de Report

em colaboração com 2º Seminário em Angola Analisar, definir e desenhar os procedimentos Estabelecer um modelo de Report em colaboração com Institute of Finance High Level Training for Finance Professionals 2º Seminário em Angola Como Elaborar e Criar o Manual de Políticas e Procedimentos Organize e Obtenha Informação Completa,

Leia mais

os CENSOS vão às ESCOLAS » ensino secundário XV recenseamento geral da população V recenseamento geral da habitação

os CENSOS vão às ESCOLAS » ensino secundário XV recenseamento geral da população V recenseamento geral da habitação os CENSOS vão às ESCOLAS» ensino secundário XV recenseamento geral da população CENSOS 2011 V recenseamento geral da habitação NÍVEL DE ENSINO IDADES LIGAÇÕES CURRICULARES Ensino Secundário 15-18 Geografia

Leia mais

2. CALENDÁRIO 3. ELEGIBILIDADE 4. INSCRIÇÃO DAS PROPOSTAS

2. CALENDÁRIO 3. ELEGIBILIDADE 4. INSCRIÇÃO DAS PROPOSTAS 1. INTRODUÇÃO A Universidade do Porto (U.Porto) e a Universidade de São Paulo (USP) celebraram um Acordo de Cooperação Internacional objetivando a cooperação académica em todas as áreas do conhecimento,

Leia mais

GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA. Estatutos. Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007

GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA. Estatutos. Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007 GET - GRUPO DE ESTUDOS EM TRANSPORTES, ASSOCIAÇÃO CIENTIFICA Estatutos Versão aprovada em assembleia geral de 5 de Janeiro de 2007 Capítulo I Da denominação, dos fins e da sede da Associação Artigo 1º

Leia mais

XIX SEMANA DA TECNOLOGIA & XVIII ENCONTRO ESCOLA COMUNIDADE REGULAMENTO GERAL 2013

XIX SEMANA DA TECNOLOGIA & XVIII ENCONTRO ESCOLA COMUNIDADE REGULAMENTO GERAL 2013 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Campus Nilópolis XIX SEMANA DA TECNOLOGIA & XVIII ENCONTRO

Leia mais

Introdução 02. CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor 04. Passos para criação do CRER Centro de Recursos e Experimentação 05

Introdução 02. CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor 04. Passos para criação do CRER Centro de Recursos e Experimentação 05 criação de empresas em espaço rural guia metodológico para criação e apropriação 0 Introdução 02 O que é o CRER 03 CRER Centro de Recursos e Experimentação 03 CRER Metodologia Integrada de Apoio ao Empreendedor

Leia mais

Concurso de Ideias. Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros

Concurso de Ideias. Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros Congresso Ibérico de Jovens Engenheiros Braga, Maio 2012 REGULAMENTO O Prémio rege-se pelo presente regulamento, sendo o Júri soberano na sua interpretação, aplicação, e resolução de eventuais lacunas.

Leia mais

Indicações para o itunes U

Indicações para o itunes U Índice Descrição geral 1 Primeiros passos 2 Definições do curso 3 Editar e organizar conteúdo 5 Adicionar publicações, tarefas e materiais 6 Gerir e colaborar 8 Gerir as inscrições 9 Melhores práticas

Leia mais

Comunicação durante o processo de auto-avaliação

Comunicação durante o processo de auto-avaliação Comunicação durante o processo de auto-avaliação Durante o processo de auto-avaliação a política de comunicação deve focalizar os ganhos para todas as partes interessadas, colaboradores e cidadãos/clientes.

Leia mais

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC

MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC 30 Dossier Tic Tac Tic Tac MODERNIZAR E MELHORAR AS ESCOLAS ATRAVÉS DAS TIC Texto de Elsa de Barros Ilustração de Luís Lázaro Contribuir para o aumento do sucesso escolar dos alunos, equipando as escolas

Leia mais

NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE INTRODUÇÃO Página: / Revisão:0 MANUAL DE FUNÇÕES NO ÂMBITO DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE XZ Consultores Direção INTRODUÇÃO Página: / Revisão:0 ÍNDICE CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO 1 Mapa de Controlo das Alterações

Leia mais

O que é o Voluntariado? O que é ser Voluntário? Quais são os meus direitos como voluntário? Quais são os meus deveres enquanto voluntário?

O que é o Voluntariado? O que é ser Voluntário? Quais são os meus direitos como voluntário? Quais são os meus deveres enquanto voluntário? Perguntas frequentes sobre o voluntariado e sobre todos os pontos importantes sobre o Festival, de forma a ficares esclarecido com todas as tuas dúvidas. O que é o Voluntariado? Voluntariado é um conjunto

Leia mais

Empreender para Crescer

Empreender para Crescer Empreender para Crescer R. Miguel Coelho Chief EntusiastPersonalBrands Caros Pais e Encarregados de Educação, este ano lectivo, por iniciativa da Assoc. Pais do Colégio, vai iniciar-se em Novembro uma

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS ASSOCIAÇÃO DOS BOLSEIROS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS 2003 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2003 A Associação dos Bolseiros de Investigação Científica, doravante denominada

Leia mais