Ciclo de Vida Típico das Conferências Científicas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ciclo de Vida Típico das Conferências Científicas"

Transcrição

1 Ciclo de Vida Típico das Conferências Científicas Projeto Integrador / 2013 (Ana Moreira) Planeamento 25 Fev Fev Março Abril Maio Junho Julho /3 - Proposta Pensar 26/4 - Interface Arquitectura Pensar 6/6 Protótipo Implementar 24/6 - Doc Aprender Implementar Comunicar

2 A curto prazo (aulas) Apresentação da Proposta (22/3) 27/2 4/3 6/3 11/3 25 Fev Março Hoje! Domínio Requi sitos Enunciado Design Thinking A curto prazo (objectivos) Hoje! Proposta (22/3) Interface Arquitectura (26/4) 25 Fev Abril Perceber o contexto Identificar o problema Definir o que querem fazer Definir a experiência dos utilizadores Definir uma arquitectura

3 Sumário Conferências (sem fins lucrativos) Coordenação Organização Programa Participação Conferências (sem fins lucrativos)

4 Conferências para quê? Divulgar as descobertas científicas e tecnológicas mais recentes Apresentar o meu trabalho e obter reações dos pares Publicar um artigo nas atas da conferência Networking: conhecer outros que trabalham no mesmo domínio; estabelecer parcerias (locais e) internacionais, abrindo novas possibilidades de colaboração... e ainda... Conhecer a história e as atrações do país organizador Conhecer a cultura e vida social de outro país Viajar Viver novas experiências Fazer novos amigos... e muitas outras razões profissionais e pessoais

5 Variantes? Objectivos: científicos, tecnológicos, comerciais, e combinações destes Âmbito: regional/local, internacional Tipo: variados; eis dois exemplos Conferência principal com ou sem eventos satélite, com uma única comissão de programa oficial Conferência multi-track, com uma comissão de programa por track Duração: 1 dia a 7 dias Dimensão: poucas dezenas a milhares de participantes Algumas perguntas relevantes Quem garante a existência de uma conferência ao longo dos anos? (ICSE está a celebrar 35 anos de existência) Quem garante a qualidade científica e técnica de cada edição? Quem garante a logística e apoio financeiro de cada edição?

6 Atores principais? Responsáveis pela coordenação Presidente da Comissão Coordenadora e seus membros (steering committee) Responsáveis pelo programa técnico e científico Presidente da Comissão de Programa e seus membros (Outras comissões por evento satélite) Responsáveis pela organização local Presidente da Comissão de Organização e seus membros Atores principais Comissão Coordenadora Comissão Organizadora Comissão Programa

7 E quais as principais actividades? Coordenação Programa Organização e... claro, Participação Coordenação

8 Objectivos Contribuir para promover o avanço da investigação e desenvolvimento na área científica da conferência Responsabilidades Constituir e guiar cada edição da conferência Seleccionar os Presidentes das Comissões Organizadora e de Programa de cada edição Escolher o local de realização das edições futuras, com base nas propostas recebidas Estabelecer e avaliar as práticas que ligam os organizadores de cada sessão para garantir o sucesso técnico e financeiro continuado Assegurar que a conferência serve os interesses da comunidade

9 Organização Organização: timeline Pré-Preparação (Presidente da CO) ( 3-4 anos antes) Preparação (Presidente e membros CO) ( até meses antes) Execução (Todos) ( 2-3 semanas antes e durante) Análise (Presidente CP) ( até vários meses depois...)

10 Pré-Preparação Era uma vez... Ideia individual (Presidente da CO) Promover o meu trabalho, a minha instituição (e o meu país) Partilhar com os meus colaboradores (e alunos) uma experiência enriquecedora Quando e onde? Preparação da proposta para a Comissão Coordenadora (bidding)

11 Preparação da Proposta Constituir equipa: entre 6 e 15 pessoas Finantial chair, webchair, sponsor chair, proceedings chair, industry liason, social media chair, local chair, publicity chair... e possivelmente algumas das pessoas para workshop chair, tutorial chair, demo chair, poster chair, doctoral symposium chair, educators chair, student volunteer chair,... Negociar datas e local Preparar orçamento Preparar e submeter proposta à Comissão Coordenadora... e uns meses depois... Yeah! I ve won!

12 Preparação ( 18 meses antes) Contratos e Orçamento Há patrocinador oficial? (ACM, IEEE, AITO, AOSA,...) Preparar orçamentos para aprovação do patrocinador (restrições impostas: 15% surplus, 12% contingency, 16$/participant,...) Negociar e assinar contratos impostos pelo patrocinador com local de acolhimento da conferência (hotel, centro de congressos, universidade,...)

13 Mais contratos... Escolher e reservar local para os eventos sociais: banquete, 2 recepções de boas vindas,... Estes são momentos de eleição para mostrar o que o país tem de melhor Escolher empresa de catering 2 coffee breaks diários, almoços, recepções, banquete Planear transportes para participantes Para o banquete, excursões, entre locais distintos do evento,... Patrocinadores adicionais: para oferecer o melhor aos participantes! E muito trabalho... Atribuir responsabilidades aos vários membros da equipa e garantir coordenação constante Definição do apoio técnico necessário Página da conferência Publicidade e media: chamadas para os vários tipos de trabalhos solicitados Negociação do alojamento para os participantes Preparação do processo de inscrição Controlo do timeline presente e futuro

14 Participantes à vista! (3-4 meses antes) Preparação do programa técnico Inscrições: registos e pagamentos Actualização da página: inscrições, programa, hotéis, transportes, restaurantes,... Reservas alojamento Publicidade: chamada à participação Oportunidades para os alunos (student volunteers) Execução (Início 2-3 semanas antes)

15 Antecipação Pastas dos participantes: atas, programa técnico impresso, publicidade, souvenirs Reservas alojamento Sinalética Verificação das salas e equipamento Verificação do orçamento Finalização de ementas Ajuda continuada aos participantes E o grande momento chegou! Receção dos participantes Mais inscrições no local Atenção constante aos participantes Controlo diário de tarefas e plano para o dia seguinte Recolha dos inquéritos pedidos aos participantes Partida dos participantes e celebrar, mas sobretudo RELAXAR!

16 Análise Lições a partilhar Avaliação dos inquéritos preenchidos pelos participantes Auto-avaliação crítica Relatório final com lições a partilhar com os futuros organizadores (melhorias, modificações, inovações) Últimas facturas pagas, fecho de contas e relatório para o patrocinador

17 Mostly Office... Ajuda? Programa

18 Programa: timeline Constituição (Presidente CP) ( meses antes) Submissão (Autores) ( 6 meses antes) Revisão (Membros da CP) ( durante 8 semanas) Seleção (Presidente e membros CP) ( 4 meses antes) Atas (Presidente CP) ( 2 meses antes) Constituição

19 Comissão de Programa Comissão Coordenadora (CC) escolhe o Presidente da Comissão de Programa (PCP) PCP escolhe os membros da Comissão de Programa (CP), constituindo a sua equipa PCP define: CFP (call for papers), datas importantes, regras de avaliação e seleção de artigos Responsabilidades do PCP Assegurar um processo de revisão e seleção justo que resulte num programa de qualidade Submeter à CC a lista da CP, processo de revisão, datas importantes e chamada de trabalhos Monitorar as avaliações, assegurando a sua qualidade; liderar o processo de discussão e seleção Submeter CC proposta de keynote speakers Escolher o melhor artigo; escolher o melhor avaliador; produzir certificados Produzir as atas e coordenar com a editora (Springer, ACM, IEEE)

20 PCP colabora com PCO Verificar viabilidade de despesas (keynotes, reunião com membros da comissão de programa para seleção final dos artigos) Fornecer os elementos necessários para a publicidade e página da conferência Fornecer a lista de artigos e autorias para constituição do programa a publicar Submissão&Revisão

21 Submissão e distribuição Autores submetem resumos Membros CP inserem escolhas (aka bidding), conflitos de interesse e expertise nos vários tópicos Autores submetem artigo completo (7-10 dias depois) Presidente da CP distribui artigos para avaliação satisfazendo restrições: pelo menos 3 avaliações por artigo distribuição equitativa entre os membros conflitos de interesse expertise escolhas/bid Revisão e notificações Membros da CP avaliam os artigos PCP coordena discussão das avaliações PCP coordena seleção dos artigos a aceitar PCP notifica autores (aceitação/rejeição) Autores de artigos aceites submetem versão final PCP prepara atas para publicação e envia à editora PCP organiza programa (define sessões) e atribui moderadores (membros da CP) PCP envia programa para PCO

22 E para ajudar? Existem vários sistemas que automatizam uma parte do processo: Easychair e HotCRP (gratuitos), Cyberchair e Precision (pagos),... No CyberChair

23 Página de submissão (Autores) Página de submissão cont d

24 Página do PCP (início) PCP: revisores e distribuição

25 Membros CP: expertise Membros da CP: bidding

26 PCP: controlo submissão revisões Membro CP: avaliação artigo

27 Membro CP: avaliações todas (Discussão e) Seleção

28 Métodos distintos Discussão electrónica/online, apenas Discussão on-line seguida de reunião física com todos os membros da CP Para grandes eventos: comissão executiva adicional (Program Board) Criada pelo PCP para ajudar a garantir qualidade das avaliações e das decisões Membro CP: Discussão online

29 Membro CP: vista global Código de cores White: Review not yet submitted Pink: Only your review has been submitted Green: Classification A Light Green: Classification B Light blue: Classification C Blue: Classification D Yellow: Classification conflict - AC or BD Red: Serious classification conflict - AD Gold: Accepted Paper Reunião final: seleção

30 Atas Produção das atas Receber as versões finais dos artigos aceites (camera-ready) Compor o livro: introdução, foreword, ToC, capítulos, índice de autores, índice de revisores adicionais, patrocinadores Submissão dos ficheiros à editora

31 Produção das atas (cont d) Atas enviadas para a organização para distribuição pelos participantes tendência mais recente é para atas electrónicas Participação

32 Com que objectivo? As melhores conferências para trabalho não são sempre as maiores e com os palestrantes mais famosos Os workshops (8-25 participantes) são normalmente muito mais produtivos Os investigadores não vão a uma conferência se não tiverem um trabalho a apresentar (fundamental para financiamento) As apresentações devem espicaçar a curiosidade (apenas 20 min) - os detalhes estão no artigo Boa ocasião para organizar pequenas reuniões e conhecer outros participantes Antes da viagem Procurar financiamento Fazer a inscrição Reservar hotel Comprar o bilhete Preparar a apresentação Planear a chegada: mapas, transportes locais, encontros com colegas e amigos

33 Prontos para o desafio? O que se segue?

34 A curto prazo (aulas) 27/2 Apresentação da Proposta (22/3) 4/3 6/3 13/3 11/3 18/ Fev 26 Março 20/3 25/3 3/4 Hoje! Domínio Requi sitos Prep WS-1 Desenho Interface Gestão de Projecto Enunciado Design Mobile Thinking & Touch Des. Mob Web Mob A muito curto prazo DATA Título Descrição 4 Março 6 Março Domínio do Problema Design Thinking Ciclo de vida de uma Conferência Científica (Ana Moreira) Método para desenho de soluções / artefactos (Pedro Janeiro) 5 e 6 Março Prática 01 Recenseamento do grupo e apresentação da turma; Apresentação dos resultados dos TPCs; Dúvidas no enunciado e sua interpretação; Organização do vosso trabalho no imediato. Grupos; Registo no SRTA; Planeamento das chefias Familiarização com o

REGULAMENTO DE EVENTOS Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinte Apoio Reitoria

REGULAMENTO DE EVENTOS Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinte Apoio Reitoria REGULAMENTO DE EVENTOS Elaborado por: Aprovado por: Versão Reitor Gabinte Apoio Reitoria 1.0 (Professor Doutor Rui Oliveira) Revisto e Confirmado por: Data de Aprovação Inicial Página (José João Amoreira)

Leia mais

Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota

Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota Descrição dos serviços Especificações de oferta Monitorização da infra-estrutura remota Este serviço oferece serviços de Monitorização da infra-estrutura remota Dell (RIM, o Serviço ou Serviços ) conforme

Leia mais

Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15

Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15 DEPARTAMENTO DE INFORMÁTICA Programa de Parcerias e Submissão de Propostas 2014/15 O Departamento de Informática (DI) da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FCUL) procura criar e estreitar

Leia mais

LEONARDO DA VINCI PROGRAMME

LEONARDO DA VINCI PROGRAMME Anexo C ao Módulo C3 MANUAL DO FORMANDO Página 1 de 13 PLANEAMENTO DE RECURSOS PARA A ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS DESCRIÇÃO GERAL DO MÓDULO Para produzir um evento, os organizadores contam com a utilização

Leia mais

Relatório de Actividades de 2004

Relatório de Actividades de 2004 Relatório de Actividades de 2004 1. Direcção A direcção da ABIC, como é da sua competência, durante o ano de 2004 coordenou e desenvolveu as seguintes actividades no sentido de cumprir o plano de actividades

Leia mais

em colaboração com 2º Seminário em Angola Analisar, definir e desenhar os procedimentos Estabelecer um modelo de Report

em colaboração com 2º Seminário em Angola Analisar, definir e desenhar os procedimentos Estabelecer um modelo de Report em colaboração com Institute of Finance High Level Training for Finance Professionals 2º Seminário em Angola Como Elaborar e Criar o Manual de Políticas e Procedimentos Organize e Obtenha Informação Completa,

Leia mais

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0

PERIVER PLATAFORMA SOFTWARE REQUIREMENT SPECIFICATION. Periver_SoftwareRequirementSpecification_2008-03-31_v1.0.doc. Versão 1.0 PLATAFORMA Versão 1.0 31 de Março de 2008 TABELA DE REVISÕES Versão Autores Descrição da Versão Aprovadores Data António Rocha Cristina Rodrigues André Ligeiro V0.1r Dinis Monteiro Versão inicial António

Leia mais

Organização Profissional de Congressos e Conferências (PCO)

Organização Profissional de Congressos e Conferências (PCO) Organização Profissional de Congressos e Conferências (PCO) Modus operandi O que fazemos: congressos e conferências médicas e científicas, gestão de eventos, reuniões corporativas, apresentação de produtos

Leia mais

2015 Oportunidades de Auspicios

2015 Oportunidades de Auspicios 2015 Oportunidades de Auspicios officialsite POR QUE SER UM PATROCINADOR Posicionar sua Empresa, Instituição ou Organismo frente aos principais líderes da indústria mundial. Obter uma exposição única no

Leia mais

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos

Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor. Folha de Factos Office 2010 e SharePoint 2010: Produtividade Empresarial no Seu Melhor Folha de Factos A informação contida neste documento representa a visão actual da Microsoft Corporation sobre os assuntos discutidos,

Leia mais

Publicação em contexto académico: OJS na prática

Publicação em contexto académico: OJS na prática Publicação em contexto académico: OJS na prática sumário 1. Publicações científicas em ambiente académico: um cenário pouco homogéneo 1.1 o papel das bibliotecas de ensino superior 2. OJS Open Journal

Leia mais

As Mesas Redondas compostas por oradores convidados de modo a promover o debate nos seguintes domínios:

As Mesas Redondas compostas por oradores convidados de modo a promover o debate nos seguintes domínios: Objectivo: O Congresso de Inovação na Construção Sustentável (CINCOS 12), é um evento organizado pela Plataforma para a Construção Sustentável, reconhecida pelo QREN como entidade gestora do cluster Habitat

Leia mais

AUDITORIA INTERNA QUALIDADE

AUDITORIA INTERNA QUALIDADE 2ª EDIÇÃO Analisar, Monitorizar e Melhorar o Desempenho do Sistema de Gestão da Qualidade AUDITORIA INTERNA QUALIDADE DA LUANDA 22 e 23 de OUTUBRO de 2014 Analise o processo de integração da função Qualidade

Leia mais

Profitability Engineers. 2.ª Edição de 2015

Profitability Engineers. 2.ª Edição de 2015 Profitability Engineers Lean Experts 2.ª Edição de 2015 Lean Experts É uma abordagem sistematizada de melhoria contínua, cujo âmbito está na procura metódica da melhoria dos processos através da redução

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa PARCERIA 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO PARCERIA UMA PUBLICAÇÃO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa APRESENTAÇÃO Depois de duas edições,

Leia mais

Unidade Operacional de Normalização e Certificação de Sistemas e Tecnologias de Informação

Unidade Operacional de Normalização e Certificação de Sistemas e Tecnologias de Informação Procedimento de concessão e acompanhamento da atribuição da Marca ACSS-Software Certificado a produtos de software para utilização nas instituições e Unidade Operacional de Normalização e Certificação

Leia mais

COLIBRI Ambiente Colaborativo Multimédia MÓDULO MOODLE. Rui Ribeiro colibri@fccn.pt. FCCN - Dezembro 2010

COLIBRI Ambiente Colaborativo Multimédia MÓDULO MOODLE. Rui Ribeiro colibri@fccn.pt. FCCN - Dezembro 2010 COLIBRI Ambiente Colaborativo Multimédia MÓDULO MOODLE FCCN - Dezembro 2010 Rui Ribeiro colibri@fccn.pt Módulo COLIBRI Concebido por: José Coelho Universidade Aberta Apoiado por: Rui Ribeiro FCCN Vitor

Leia mais

Normas do Concurso de Ideias de Negócio Escolas Empreendedoras

Normas do Concurso de Ideias de Negócio Escolas Empreendedoras Preâmbulo O concurso de Ideias de Negócio é uma iniciativa da Câmara Municipal de Santa Maria da Feira. O presente documento visa regular o Concurso de Ideias Escolas Empreendedoras e pretende contribuir

Leia mais

5.1 Introdução. 5.2 Project Management Institute (PMI)

5.1 Introdução. 5.2 Project Management Institute (PMI) 5 NORMALIZAÇÃO DA GESTÃO DE PROJETOS 5.1 Introdução Embora tradicionalmente o esforço de normalização pertença à International Standards Organization (ISO), no caso da gestão de projetos a iniciativa tem

Leia mais

CONGRESSO INSULAR DE ENFERMAGEM DA ORDEM DOS ENFERMEIROS MADEIRA - AÇORES DESAFIOS PARA A ENFERMAGEM NO SÉCULO XXI

CONGRESSO INSULAR DE ENFERMAGEM DA ORDEM DOS ENFERMEIROS MADEIRA - AÇORES DESAFIOS PARA A ENFERMAGEM NO SÉCULO XXI CONGRESSO INSULAR DE ENFERMAGEM DA ORDEM DOS ENFERMEIROS MADEIRA - AÇORES DESAFIOS PARA A ENFERMAGEM NO SÉCULO XXI REGULAMENTO PARA SUBMISSÃO E APRESENTAÇÃO DE COMUNICAÇÕES Artigo 1.º Âmbito Compete à

Leia mais

Enunciado do Projecto

Enunciado do Projecto C O M P U T A Ç Ã O M Ó V E L 2 0 0 7 / 2 0 0 8 Enunciado do Projecto 17 de Março de 2008 1. Objectivos Desenvolver uma aplicação num domínio aplicacional específico que envolva replicação e sincronização

Leia mais

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO EFECTIVIDADE DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS PROJECTO ESSE Orientações para as visitas às escolas 1 Introdução As visitas às escolas realizadas segundo o modelo

Leia mais

Union (IRU); - Membro da Comissão Nacional de Transportes de

Union (IRU); - Membro da Comissão Nacional de Transportes de versão portuguesa Direcção Técnica João Manuel Correia Cezília, especialista em Transporte de Mercadorias Perigosas. Breve nota curricular Participa, desde 2001, nos trabalhos de revisão técnica das traduções

Leia mais

Instituto Superior de Ciências da Educação CALENDÁRIO PARA O ANO ACADÉMICO 2015

Instituto Superior de Ciências da Educação CALENDÁRIO PARA O ANO ACADÉMICO 2015 Instituto Superior de Ciências da Educação CALENDÁRIO PARA O ANO ACADÉMICO 2015 I SEMESTRE ACTIVIDADES DATAS PERÍODO Confirmação de matrículas dos estudantes internos 19.01.15 30.01.15 2 Semanas Exames

Leia mais

Bélgica-Bruxelas: Modelo para estudos de viabilidade de um novo projeto relativo a biocombustível comercial sustentável 2013/S 248-431845

Bélgica-Bruxelas: Modelo para estudos de viabilidade de um novo projeto relativo a biocombustível comercial sustentável 2013/S 248-431845 1/5 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:431845-2013:text:pt:html Bélgica-Bruxelas: Modelo para estudos de viabilidade de um novo projeto relativo a biocombustível

Leia mais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais

Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Competências de Gestão para Dirigentes e Técnicos de Associações Empresariais Curso de Formação 2011 Índice PROPOSTA FORMATIVA... 3 Introdução... 3 Objectivo geral... 3 Estrutura... 3 Metodologias... 3

Leia mais

Análise e Acompanhamento de Projetos. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 54p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Análise e Acompanhamento de Projetos. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 54p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Clorisval Gomes Pereira Júnior Possui graduação em Desenho Industrial pela Universidade de Brasília (1993), graduação em Educação Artística pela Universidade de Brasília (1989) e mestrado em Design

Leia mais

4, 5 e 6/Novembro/2010 Curia Palace Hotel Curia, Portugal

4, 5 e 6/Novembro/2010 Curia Palace Hotel Curia, Portugal 4, 5 e 6/Novembro/2010 Curia Palace Hotel Curia, Portugal Objectivo: O Congresso de Inovação na Construção Sustentável (CINCOS 10), é um evento organizado pela Plataforma para a Construção Sustentável,

Leia mais

Manual de Eventos da Comissão Especial de Realidade Virtual (CERV) Versão 0.4

Manual de Eventos da Comissão Especial de Realidade Virtual (CERV) Versão 0.4 Manual de Eventos da Comissão Especial de Realidade Virtual (CERV) Versão 0.4 Este manual tem o objetivo de servir como guia para a organização de eventos da Comissão Especial de Realidade Virtual. Quaisquer

Leia mais

Imagine se pudesse reduzir os inconvenientes e os custos de tornar os seus colaboradores mais acessíveis...

Imagine se pudesse reduzir os inconvenientes e os custos de tornar os seus colaboradores mais acessíveis... Imagine se pudesse reduzir os inconvenientes e os custos de tornar os seus colaboradores mais acessíveis... Como este serviço pode ajudá-lo Faça The uma chances gestão are you ve eficiente invested das

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1/8 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:283598-2014:text:pt:html Itália-Ispra: Contrato-quadro de serviços de imagística, dividido em 2 lotes 2014/S 158-283598

Leia mais

O Comitê Gestor da CEIHC é composto por postos deliberativos e postos consultivos.

O Comitê Gestor da CEIHC é composto por postos deliberativos e postos consultivos. REGIMENTO DA COMISSÃO ESPECIAL DE INTERAÇÃO HUMANO-COMPUTADOR DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE COMPUTAÇÃO (CEIHC-SBC) Data de Aprovação em Assembléia: 26 de outubro de 2011 1 Objetivo A Comissão Especial de

Leia mais

Vodafone Conferencing Como criar uma reunião

Vodafone Conferencing Como criar uma reunião Vodafone User Guide Vodafone Conferencing Como criar uma reunião Um guia passo-a-passo sobre como configurar uma reunião através do serviço Vodafone Conferencing. Visão geral Pode utilizar a Vodafone Conferencing

Leia mais

Agência - Contrato de prestação de serviços - Anúncio de concurso - Concurso público

Agência - Contrato de prestação de serviços - Anúncio de concurso - Concurso público 1/7 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:42434-2015:text:pt:html Irlanda-Dublim: Prestação de serviços para a formação e desenvolvimento do pessoal da Eurofound

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS

REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS REGULAMENTO DO CURSO DE PREPARAÇÃO PARA REVISORES OFICIAIS DE CONTAS PREÂMBULO Na sequência da transposição para o ordenamento jurídico nacional da Directiva n.º 2006/43/CE, do Parlamento Europeu e do

Leia mais

Desenvolvimento Iterativo. Unified Process (UP) Esta abordagem ao desenvolvimento

Desenvolvimento Iterativo. Unified Process (UP) Esta abordagem ao desenvolvimento Desenvolvimento Iterativo Esta abordagem ao desenvolvimento assegura que o sistema cresce de forma incremental assegura que a complexidade se mantém controlada permite ainda obter rápido feedback de várias

Leia mais

Plataforma de Comunicação Colaborativa. Programa Espaço Atlântico. Guia do utilizador da área Projectos

Plataforma de Comunicação Colaborativa. Programa Espaço Atlântico. Guia do utilizador da área Projectos Plataforma de Comunicação Colaborativa Programa Espaço Atlântico Guia do utilizador da área Projectos Versão Junho 2010 Investindo no nosso futuro comum Guia do utilizador da área Projectos Versão Junho

Leia mais

Anúncio de concurso. Serviços

Anúncio de concurso. Serviços 1/7 O presente anúncio no sítio web do TED: http://ted.europa.eu/udl?uri=ted:notice:6786-2013:text:pt:html L-Luxemburgo: Organização e implementação de atividades de formação para reforçar a aplicação

Leia mais

REDES DE COMPUTADORES APRESENTAÇÃO. Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2010/2011

REDES DE COMPUTADORES APRESENTAÇÃO. Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2010/2011 REDES DE COMPUTADORES APRESENTAÇÃO Departamento de Informática da Faculdade de Ciências e Tecnologia da UNL 2010/2011 Docentes Referências da disciplina 2 Docentes Henrique João Lopes Domingos (Teóricas,

Leia mais

MICROSOFT ONENOTE E TOSHIBA CASE STUDY SOLUÇÃO DE CLIENTE

MICROSOFT ONENOTE E TOSHIBA CASE STUDY SOLUÇÃO DE CLIENTE CASE STUDY MICROSOFT ONENOTE E TOSHIBA CASE STUDY SOLUÇÃO DE CLIENTE AGENTE DA WEB AUMENTA A PRODUTIVIDADE E TIRA PARTIDO DE TRABALHO EM EQUIPA MAIS EFICAZ COM PORTÁTEIS TOSHIBA E ONENOTE O acesso partilhado

Leia mais

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT PROCEDIMENTO Ref. Pcd. 3-sGRHF Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT Data: 14 /07/2011 Elaboração Nome: Fátima Serafim e Helena

Leia mais

CONFERÊNCIA BRASILEIRA EM MÉTODOS ÁGEIS

CONFERÊNCIA BRASILEIRA EM MÉTODOS ÁGEIS CONFERÊNCIA BRASILEIRA EM MÉTODOS ÁGEIS DE 21 A 23 DE OUTUBRO DE 2015, PORTO DE GALINHAS, PE Briefing da Conferência e Oportunidades de Patrocínio PORTO DE GALINHAS, PE CRÉDITOS: SUMMERVILLE BEACH RESORT

Leia mais

A experiência no domínio dos Serviços Partilhados em Saúde

A experiência no domínio dos Serviços Partilhados em Saúde A experiência no domínio dos Serviços Partilhados em Saúde Joaquina Matos Vilamoura, 23 Maio 2009 Quem Somos O que Somos? Visão Missão Ser referência como entidade de Serviços Partilhados na área da Saúde,

Leia mais

PLANO DO PROJECTO DE SOFTWARE OO para produtos da Lacertae SW

PLANO DO PROJECTO DE SOFTWARE OO para produtos da Lacertae SW PLANO DO PROJECTO DE SOFTWARE OO para produtos da Lacertae SW 1.0 INTRODUÇÃO 1.1 Âmbito do Projecto O produto destina-se a todos os estabelecimentos de ensino do 2º/3º Ciclo e Ensino Secundário e deverá

Leia mais

Critérios e metodologia de admissão e de classificação e ordenação dos candidatos

Critérios e metodologia de admissão e de classificação e ordenação dos candidatos CONCURSO DOCUMENTAL PARA UM LUGAR DE PROFESSOR COORDENADOR PARA O SETOR DE ÁREAS DISCIPLINARES DE CIÊNCIAS SOCIAIS ÁREA DISCIPLINAR DE SOCIOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA MUDANÇA SOCIAL. Critérios e metodologia

Leia mais

A plataforma. Sistemas de Gestão de Aprendizagem. Carlos Nunes csmnunes@gmail.com

A plataforma. Sistemas de Gestão de Aprendizagem. Carlos Nunes csmnunes@gmail.com A plataforma Sistemas de Gestão de Aprendizagem Carlos Nunes csmnunes@gmail.com O que é o Moodle? É um Sistema de Gestão de Aprendizagem (LMS) e de trabalho colaborativo, acessível através da Internet

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE 1ª EDIÇÃO Requisitos para Implementar, Elaborar e Gerir SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE LUANDA 21 e 22 de OUTUBRO de 2013 Razões pelas quais a sua presença é obrigatória Compreenda as finalidades dos SGQ

Leia mais

THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE!

THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE! Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida Versão do : 1.3 / Versão Adobe Reader: 9.302 THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE!

Leia mais

Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas

Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas Sistema de Gerenciamento de Conferências Tecnológicas Versão 0.1 08/09/09 Instituto de Computação - UNICAMP Grupo: Alexandre Tolstenko 072737 Eddy Nakamura 074822 Letícia Feniman 074165 Marcel Carlos 071675

Leia mais

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE

ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE ACEF/1112/03877 Relatório preliminar da CAE Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Da Beira Interior A.1.a. Identificação

Leia mais

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor

20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor 20 Escola Digital Manual do Utilizador Professor Manual do Utilizador Professor... 1 1. Conhecer o 20 Escola Digital... 4 2. Autenticação... 6 2.1. Criar um registo na LeYa Educação... 6 2.2. Aceder ao

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO. 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO. www.direito.porto.ucp.pt PROGRAMA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA CAMPUS FOZ PORTO Curso Aplicação do direito da concorrência da UE pelos tribunais nacionais Ação de Formação Contínua Tipo B 12, 13 e 14 de MARÇO de 2015 / 2ª EDIÇÃO www.direito.porto.ucp.pt

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

Secção I. ƒ Sistemas empresariais cruzados

Secção I. ƒ Sistemas empresariais cruzados 1 Secção I ƒ Sistemas empresariais cruzados Aplicações empresariais cruzadas 2 ƒ Combinações integradas de subsistemas de informação, que partilham recursos informativos e apoiam processos de negócio de

Leia mais

APCP Newsletter. Verão de 2011. Editorial. Call for papers: VI Congresso da Associação Portuguesa de Ciência Política. Lisboa, 1 a 3 de Março de 2012

APCP Newsletter. Verão de 2011. Editorial. Call for papers: VI Congresso da Associação Portuguesa de Ciência Política. Lisboa, 1 a 3 de Março de 2012 APCP Newsletter Editorial A APCP lança agora, pela primeira vez, a sua Newsletter. Será distribuída em formato digital e também em papel, uma vez por ano. É mais uma forma de tornar públicas as actividades

Leia mais

Nota prévia. Convenções

Nota prévia. Convenções Nota prévia O draft de diagrama de componentes, e respectivas interfaces, foi actualizado pela última vez em 07/12/2007. Este draft servirá de base para as implementações do CyberChair. Caso detecte alguma

Leia mais

ICC 93-6. 17 maio 2005 Original: inglês. Original: Português

ICC 93-6. 17 maio 2005 Original: inglês. Original: Português ICC 93-6 International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café 17 maio 2005 Original: inglês Original: Português P

Leia mais

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU

GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU GUÍA PARA UTILIZAR A WEBNODE EDU Imagina que queres criar o teu próprio site. Normalmente, terías que descarregar e instalar software para começar a programar. Com a Webnode não é preciso instalar nada.

Leia mais

Empreender para Crescer

Empreender para Crescer Empreender para Crescer R. Miguel Coelho Chief EntusiastPersonalBrands Caros Pais e Encarregados de Educação, este ano lectivo, por iniciativa da Assoc. Pais do Colégio, vai iniciar-se em Novembro uma

Leia mais

REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E ACADÉMICOS

REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E ACADÉMICOS Campus Universitário de Viseu REGULAMENTO DOS SERVIÇOS ADMINISTRATIVOS E ACADÉMICOS Preâmbulo O presente Regulamento visa definir os princípios gerais e procedimentos a adotar nos diferentes atos que se

Leia mais

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS

RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS ASSOCIAÇÃO DOS BOLSEIROS DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA RELATÓRIO DE ACTIVIDADES RELATÓRIO DE CONTAS 2003 RELATÓRIO DE ACTIVIDADES 2003 A Associação dos Bolseiros de Investigação Científica, doravante denominada

Leia mais

Diretrizes do curso itunes U

Diretrizes do curso itunes U Diretrizes do curso itunes U Índice Novidades no itunes U 1 Visão geral 2 Primeiros passos 3 Definições do curso 4 Editar e organizar conteúdo 6 Adicionar publicações, tarefas e materiais 7 Gerir as inscrições

Leia mais

Wide Scope. Soluções de Optimização

Wide Scope. Soluções de Optimização Wide Scope Soluções de Optimização 2 Wide Scope Scheduler sequenciamento e optimização da produção A oportunidade para passar a agir, em vez de reagir. Maximizar a capacidade produtiva dos recursos quando

Leia mais

em colaboração com 1º Seminário em Angola Analisar, definir e desenhar os procedimentos Estabelecer um modelo de Report

em colaboração com 1º Seminário em Angola Analisar, definir e desenhar os procedimentos Estabelecer um modelo de Report em colaboração com Institute of Finance High Level Training for Finance Professionals 1º Seminário em Angola Como Elaborar e Criar o Manual de Políticas e Procedimentos para o Departamento Administrativo,

Leia mais

Administração da disciplina

Administração da disciplina Administração da disciplina Agrupamento Vertical de Escolas de Tarouca Documento disponível em: http://avetar.no-ip.org 1.Acesso e utilização da plataforma:. Seleccione a opção Entrar, que se encontra

Leia mais

MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0

MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0 MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0 Alfresco é uma marca registada da Alfresco Software Inc. 1 / 42 Índice de conteúdos Alfresco Visão geral...4 O que é e o que permite...4 Página Inicial do Alfresco...5

Leia mais

ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO

ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO ELABORAÇÃO DE UM GUIÃO DE PESQUISA DE INFORMAÇÃO Este guia pretende ajudar os professores e os alunos na criação de guiões de pesquisa de informação. Os guiões de pesquisa podem ser mais ou menos detalhados,

Leia mais

Regulamento do Concurso de Ideias do Concelho da Sertã

Regulamento do Concurso de Ideias do Concelho da Sertã Regulamento do Concurso de Ideias do Concelho da Sertã Preâmbulo O concurso de Ideias do Concelho da Sertã é uma iniciativa da Câmara Municipal da Sertã. O presente documento visa regular o Concurso Empreendedorismo

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2015

Regulamento PAPSummer 2015 Regulamento PAPSummer 2015 Artigo 1º Objectivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses (Estudante) de desenvolver um

Leia mais

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br

Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo. Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Engenharia de Software II: Criando a Declaração de Escopo Prof. Msc Ricardo Britto DIE-UFPI rbritto@ufpi.edu.br Sumário Desenvolvendo o Plano de Gerenciamento do Projeto. Coletando Requisitos. Declarando

Leia mais

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI

Apresentação do MOODLE. Educação do século XXI Apresentação do MOODLE Educação do século XXI Software social e e-learning Talvez seja o momento de fazer algo nas suas disciplinas! O que pretende do seu sistema de aprendizagem on-line? Fácil criação

Leia mais

Protocol Week Summer School. International School of Protocol in Brussels. 20 a 25 de Julho de 2009

Protocol Week Summer School. International School of Protocol in Brussels. 20 a 25 de Julho de 2009 Protocol Week Summer School International School of Protocol in Brussels 20 a 25 de Julho de 2009 Introdução A International School of Protocol in Brussels apresenta a sua primeira Protocol Week Summer

Leia mais

Inovação Entra em Cena. 6-10 de março de 2016 Atlanta, Georgia Georgia World Congress Center

Inovação Entra em Cena. 6-10 de março de 2016 Atlanta, Georgia Georgia World Congress Center Pittcon 2016: Inscreva-se. Compareça. Explore. The Pittsburgh Conference on Analytical Chemistry and Applied Spectroscopy (Uma Organização da Pensilvânia Sem Fins Lucrativos) 300 Penn Center Boulevard,

Leia mais

Antonio Barbosa - IPAF

Antonio Barbosa - IPAF INSTRUTORES E REUNIÃO GERAL DE MEMBROS DA DO BRASIL PROGRAMA DIA 17.01.2013 08.45-09.00 Recepção e distribuição de material aos participantes 09.00-09.15 Boas vindas aos participantes e apresentação dos

Leia mais

Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000

Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000 Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000 Serviços HP Dados técnicos O Serviço de instalação e arranque da solução de armazenamento de rede HP StoreEasy 5000

Leia mais

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES

PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL TÉCNICO(A) DE AGÊNCIAS DE VIAGENS E TRANSPORTES PERFIL PROFISSIONAL Técnico/a de Agências de Viagens e Transportes Nível 3 CATÁLOGO NACIONAL DE QUALIFICAÇÕES 1/6 ÁREA DE ACTIVIDADE

Leia mais

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011

Guia de Acesso à Formação Online Formando 2011 Plano [1] Guia de Acesso à Formação Online 2011 [2] ÍNDICE ÍNDICE...2 1. Introdução...3 2. Metodologia Formativa...4 3. Actividades...4 4. Apoio e Acompanhamento do Curso...5 5. Avaliação...6 6. Apresentação

Leia mais

PROFESSORES - PASSO A PASSO PARA PARTICIPAÇÃO NA FECETE

PROFESSORES - PASSO A PASSO PARA PARTICIPAÇÃO NA FECETE PROFESSORES - PASSO A PASSO PARA PARTICIPAÇÃO NA FECETE PROFESSOR Este material reúne as informações que você precisa para orientar seus alunos para a participação na FECETE. Identifique na sua escola

Leia mais

VOLUNTARIADO !!!!! O Festival. Guia de Inscrição. Perfis. Requisitos. Áreas de Ação

VOLUNTARIADO !!!!! O Festival. Guia de Inscrição. Perfis. Requisitos. Áreas de Ação VOLUNTARIADO Guia de Inscrição Perfis Sentido de Responsabilidade Capacidade de Comunicação Paciente Amável Sentido Prático Capacidade de Comunicação Versátil Motivado Mentalidade Prática Dinamico Desembaraçado

Leia mais

Manual do Professor Como organizar o jogo da Serpente Papa-Léguas na sua escola

Manual do Professor Como organizar o jogo da Serpente Papa-Léguas na sua escola Manual do Professor Como organizar o jogo da Serpente Papa-Léguas na sua escola Índice 1 1. INTRODUÇÃO 3 1.1 O que é o jogo da Serpente Papa-Léguas? 3 1.2 Por quê este jogo? 3 1.3 Calendarização 3 2. O

Leia mais

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008 1. INTRODUÇÃO Em apenas 5 anos os OPEN DAYS Semana Europeia das Regiões e Cidades tornaram-se um evento de grande importância para a demonstração da capacidade das regiões e das cidades na promoção do

Leia mais

I WORKSHOP. Algarve Nature Tourism Network

I WORKSHOP. Algarve Nature Tourism Network FAST-LAIN: Further Action on Sustainable Tourism - Learning Area Innovation Network I WORKSHOP Algarve Nature Tourism Network Relatório Vila do Bispo, 2 de Março de 2012 Fotografia: Forte de São João do

Leia mais

Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software. Coordenação Geral de Tecnologia da Informação

Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software. Coordenação Geral de Tecnologia da Informação Metodologia de Gestão e Desenvolvimento de Software Coordenação Geral de Tecnologia da Informação 2 Índice 1. Processos Organizacionais... 7 1.1. A gestão da demanda... 7 1.2. e Responsabilidades... 7

Leia mais

PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE

PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE REDIVE GUIA LMS PROJ. Nº 528362 LLP-1-2012-1-NL-ERASMUS-ECUE Projecto financiado com o apoio da Comissão Europeia. A informação contida nesta publicação vincula exclusivamente o autor, não sendo a Comissão

Leia mais

REGIMENTO. Capítulo I - DAS FINALIDADES E OBJETIVOS. Capítulo II - DA ORGANIZAÇÃO

REGIMENTO. Capítulo I - DAS FINALIDADES E OBJETIVOS. Capítulo II - DA ORGANIZAÇÃO REGIMENTO Capítulo I - DAS FINALIDADES E OBJETIVOS Art.1º - O 18º Seminário Nacional de Pesquisa em Enfermagem / SENPE, promovido Associação Brasileira de Enfermagem / ABEn Nacional e realizado pela Associação

Leia mais

Livraria dos Mestres

Livraria dos Mestres Gestão de Projectos Informáticos Livraria dos Mestres 3ª Entrega Empresa B Grupo nº 11 João Maurício nº 53919 Ricardo Carapeto nº 53942 Nuno Almeida nº 53946 Page 1 of 28 Índice 1. Sumário para a Gestão

Leia mais

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros

Pixel. Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros Certified Quality System in compliance with the standard UNI EN ISO 9001:2000. Certificate n SQ.41823. Pixel Aprenda Italiano em Florença Cursos Individuais para Estrangeiros CURSOS INDIVIDUAIS PARA ESTRANGEIROS

Leia mais

Agile Brazil. Briefing e Oportunidades de Patrocínio. 05 a 07 de novembro Florianópolis, Santa Catarina

Agile Brazil. Briefing e Oportunidades de Patrocínio. 05 a 07 de novembro Florianópolis, Santa Catarina Agile Brazil 2014 Briefing e Oportunidades de Patrocínio 05 a 07 de novembro Florianópolis, Santa Catarina 1 Sobre o Evento Indivíduos e interação entre eles mais que processos e ferramentas A Agile Brazil

Leia mais

IDC CIO Summit 2013 O Impacto das Tecnologias de Informação nos Negócios

IDC CIO Summit 2013 O Impacto das Tecnologias de Informação nos Negócios IDC CIO Summit 2013 O Impacto das Tecnologias de Informação nos Negócios 30 de Maio, Hotel EPIC SANA, Luanda UM EVENTO No âmbito do projecto de apoio à Internacionalização 2013, a ANETIE, associação de

Leia mais

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa

3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA. Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas. 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da Moda, Lisboa INICIATIVA INSERIDA NA EVENTO 3.ª CONFERÊNCIA MOBILIDADE URBANA ORGANIZAÇÃO APOIOS UMA PUBLICAÇÃO ALTO PATROCÍNIO Das Novas Tecnologias à Eficiência dos Sistemas 18 de Setembro MUDE Museu do Design e da

Leia mais

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO 1 - Descrição do Plano de Gerenciamento detempo (PMBOK) O gerenciamento de tempo do projeto inclui os processos necessários para realizar o término do projeto no prazo.

Leia mais

Gerenciamento de Projetos

Gerenciamento de Projetos Gerenciamento de Projetos PMI, PMP e PMBOK PMI (Project Management Institute) Estabelecido em 1969 e sediado na Filadélfia, Pensilvânia EUA, o PMI é a principal associação mundial, sem fins lucrativos,

Leia mais

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt

Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria. www.anotherstep.pt Apresentação de Resultados Plano de Ações de Melhoria www.anotherstep.pt 2 Sumário Ponto de situação Plano de Ações de Melhoria PAM Enquadramento e planeamento Selecção das Ações de Melhoria Fichas de

Leia mais

LONDRES Encontro do GAC: Visão Geral pré encontro governamental de alto nível

LONDRES Encontro do GAC: Visão Geral pré encontro governamental de alto nível LONDRES Encontro do GAC: Visão Geral pré encontro governamental de alto nível Domingo, 22 de junho de 2014 14:00 a 14:30 ICANN Londres, Inglaterra CHAIR DRYDEN: Boa tarde. Por favor, tomem seus acentos.

Leia mais

Normas de Funcionamento do Banco Local de Voluntariado de Sines

Normas de Funcionamento do Banco Local de Voluntariado de Sines Normas de Funcionamento do Banco Local de Voluntariado de Sines Preâmbulo O Decreto-Lei n.º 389/99, de 30 de Setembro, no art. 21º, atribui ao Conselho Nacional para a Promoção do Voluntariado (CNPV) competências

Leia mais

24 a 28 de novembro 2013 recife - pernambuco

24 a 28 de novembro 2013 recife - pernambuco 2013 24 a 28 de novembro 2013 recife - pernambuco 2013 De 24 a 28 de Novembro de 2013, será realizado o VIII COBRAS, Congresso Brasileiro de Ácido Sulfúrico, em Recife - PE, no Mar Hotel. Palco dos principais

Leia mais

Inovar em rede. A cidadania na Gestão Pública. www.quidgest.com quidgest@quidgest.com

Inovar em rede. A cidadania na Gestão Pública. www.quidgest.com quidgest@quidgest.com www.quidgest.com quidgest@quidgest.com Inovar em rede A cidadania na Gestão Pública Quidgest Portugal R. Castilho n.º 63 6.º 1250-068 Lisboa Portugal tel. (+351) 213 870 563 / 652 / 660 fax. (+351) 213

Leia mais