Uma história de sucesso do Programa Marie Curie em Portugal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Uma história de sucesso do Programa Marie Curie em Portugal"

Transcrição

1 Ref.: MTKD-CT Uma história de sucesso do Programa Marie Curie em Portugal por Suhita Osório-Peters CEIFA ambiente Lda Sessão de Divulgação do 7º Programa-Quadro de ID&T Lisboa, 20 de Outubro de 2008

2 Enquadramento ToKforCEIFIADE inseriu-se no esquema ToK (Transfer of Knowledge) no âmbito do 6º Programa Quadro (projecto Dev); Uma pequena empresa (CEIFA ambiente Lda) apresentou em Maio de 2004 uma candidatura à Comissão Europeia; Em Outubro desse ano começaram as negociações, depois de o projecto ter sido positivamente avaliado. Motivo que levou a CEIFA a apresentar esta candidatura: desenvolver as suas próprias capacidades técnico-científicas com a ajuda de investigadores e especialistas de outros países.

3 Objectivos do Projecto Criar Capacidades para a Gestão da Transformação em Portugal rumo ao Desenvolvimento Sustentável Hospedar por períodos entre 2 meses e 12 meses cinco investigadores com diversas competências (informática ambiental, eco-arquitectura, eco-design, ecologia industrial e economia ecológica) Estimular a inovação e o lançamento de novos projectos em Portugal visando o desenvolvimento regional sustentável.

4 Preparar a Candidatura Exige muito, muito trabalho! Mas aprende-se que o mais importante é saber dizer exactamente o que se quer, porquê e como O desenvolvimento da proposta exigiu uma profunda reflexão sobre os objectivos estratégicos da empresa, a pesquisa do estado da arte em vários domínios e a identificação das necessidades da CEIFA a médio prazo. A CEIFA trabalhou, já durante a fase de preparação da proposta, com alguns investigadores que conhecia no estrangeiro e que gostaria de convidar a virem trabalhar em Portugal durante alguns meses.

5 Candidatura A elaboração de um plano de trabalhos detalhado foi um dos aspectos que mais atenção exigiu, porque é com base nesse plano que todo o calendário e o orçamento do projecto são feitos. Para garantir aos investigadores convidados um ambiente produtivo de trabalho, fizemos acordos de cooperação com parceiros nacionais: o IADE (para temas relacionados com o eco-design) e a Loja do Saber (para as actividades de divulgação)

6 As negociações Ainda hoje temos saudades do scientific officer e do project officer em Bruxelas que nos acompanharam nos primeiros tempos! Conheciam as limitação de PME para fazer investigação; tentaram dar-nos todo o apoio para assegurar que a empresa não teria problemas de liquidez durante o projecto. Foi um processo bem orientado, que permitiu que o contrato fosse assinado em Abril de 2005, um ano após a entrega da candidatura.

7 O primeiro ano O projecto começou oficialmente em Maio de O primeiro passo foi a angariação de investigadores. As vagas para investigadores foram anunciadas no site do Programa Marie Curie; além disso, a CEIFA enviou informação direccionada a alguns especialistas que a CEIFA gostaria de convidar. Recebemos 19 candidaturas que foram avaliadas com o IADE, de acordo com uma matriz de critérios previamente estabelecidos. Em dois casos foram realizadas entrevistas directas. Depois de apurados os candidatos, foi necessário comunicar a decisão aos candidatos excluídos e convidar os investigadores seleccionados a iniciar negociações com a CEIFA. Nesta fase foi necessário disponibilizar bastantes recursos administrativos para a solução de vários aspectos legais (contratos de trabalho, clarificação do estatuto de bolseiro, vistos de estadia, etc.) bem como de logística (procurar alojamento para os investigadores, etc.)

8 Bolseiros A primeira bolseira chegou a Portugal em Setembro de 2005, para uma estadia de 12 meses que acabou por se prolongar por mais um ano; foi encarregada da coordenação científica de todo o projecto para assegurar uma boa articulação entre os diversos bolseiros; Em Janeiro e em Outubro de 2006 mais dois bolseiros chegaram à CEIFA para períodos de 2 meses cada um deles; em Janeiro de 2007 chegaram os últimos dois bolseiros que trabalharam na CEIFA durante 4 meses cada um. Com excepção de um dos bolseiros, todos os outros dominavam bem a língua portuguesa (foi um dos critérios para a avaliação dos investigadores, embora não fosse um critério decisivo). Todos tinham mais de 10 anos de experiência profissional

9 O essencial A primeira tarefa da coordenadora científica do projecto foi a definição de um projecto de follow up que respondesse à questão: como vamos manter vivas competências adquiridas pela empresa depois de o projecto terminar? Todos os investigadores tiveram que definir os seus próprios projectos tendo em conta este enquadramento. Além disso foi criado um foco comum a todos os projectos (no nosso caso foi definido um foco geográfico: o Oeste). Isto permitiu explorar sinergias e articular várias actividades concretas de forma muito inovadora.

10 Avaliação geral ToKforCEIFIADE foi um projecto muito enriquecedor, teve carácter transdisciplinar e fortemente orientado para a produção de resultados práticos. A CEIFA ganhou competências novas e pôde abrir novos campos de actividade: Avaliação da eficiência material e energética de empreendimentos, tecnologias, instalações industriais, etc. com suporte numa ferramenta electrónica (UMBERTO) Desenvolvimento de estratégias de desenvolvimento regional baseadas em abordagens de economia circular Construção sustentável na sequência do projecto relacionado com a eco-arquitectura) Coordenação de redes (Agenda 21, CREIAS-Oeste, etc.)

11 Outros efeitos positivos Na sequência do projecto ToKforCEIFIADE, a FCT proporcionou a uma jovem investigadora portuguesa o acesso a uma bolsa (com a qual ela está actualmente a fazer o seu mestrado/ doutoramento) Um dos bolseiros teve a possibilidade de requerer um reintegration grant Desenvolvemos, através do projecto, o networking a nível nacional e internacional e mantemos uma excelente comunicação com os investigadores que nos visitaram Devido à experiência que ganhámos com a coordenação de um projecto europeu, somos frequentemente convidados a participar em projectos internacionais

12 Gestão do Projecto Em princípio, não é muito difícil gerir um projecto Marie Curie; no entanto, isso depende, em grande parte, das pessoas que estão em Bruxelas a orientar os processos. No nosso caso, depois o primeiro scientific officer ter sido substituído por outro, temos a lamentar, desde 2007, um enorme atrazo no tratamento dos relatórios e, em consequência, dos pagamentos. Neste momento, já entregámos o relatório final e esperamos que as contas sejam fechadas em breve; mas temos lutado com imensos problemas de liquidez financeira devido à lentidão dos serviços.

13 À Laia de Conclusão Ao preparar uma candidatura destas, é importante, ter uma visão estratégica, saber onde se está, para onde ser quer ir e identificar o que se precisa para lá chegar Contactos pessoais são importantes: a maioria dos investigadores que acabaram por obter uma bolsa eram especialistas que a a CEIFA já conhecia; É importante definir um programa de trabalhos realista e orientado para os objectivos que se pretende obter;

14 ToKforCEIFIADE foi um excelente projecto. Trouxe benefícios à CEIFA, aos investigadores, aos parceiros locais (IADE e LdS) e a muitos outros que puderam ser envolvidos nas muitas actividades de disseminação que organizámos. Alguns projectos desenvolvidos pelos nossos investigadores fazem hoje parte dos planos de desenvolvimento de CMs no Oeste e de empresas que trabalharam connosco.

15 Muito Obrigada!

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008

3. PRINCIPAIS TEMÁTICAS E CARACTERÍSTICAS DE ORGANIZAÇÃO DOS OPEN DAYS 2008 1. INTRODUÇÃO Em apenas 5 anos os OPEN DAYS Semana Europeia das Regiões e Cidades tornaram-se um evento de grande importância para a demonstração da capacidade das regiões e das cidades na promoção do

Leia mais

GPPQ Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de I&DT. 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (2007-2013)

GPPQ Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de I&DT. 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico (2007-2013) Sessão de Apresentação de Oportunidades de Financiamento para as PME 7º Programa-Quadro de I&DT da União Europeia Investigação para as PME Margarida Garrido margarida.garrido@gppq.mctes.pt Santarém, Escola

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS NO ÂMBITO DO QREN ABERTURA DE CONCURSOS SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) - INOVAÇÃO PRODUTIVA Objectivos e Prioridades O presente concurso destina-se a apoiar investimentos

Leia mais

COOPERAÇÃO ENTRE PORTUGAL E ANGOLA EM C&T

COOPERAÇÃO ENTRE PORTUGAL E ANGOLA EM C&T A cooperação Bilateral Angola - Portugal: estado atual e reforço futuro WORKSHOP PROGRAMA HORIZONTE 2020: COOPERAÇÃO EM INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO ENTRE ANGOLA E A UNIÃO EUROPEIA Luanda, 3 e 4 de outubro

Leia mais

Plano de Actividades do CEA para 2006

Plano de Actividades do CEA para 2006 Plano de Actividades do CEA para 2006 A Direcção do CEA propõe-se preparar as condições para atingir diferentes objectivos e procurar apoios para a sua realização. 1. Objectivos Prioritários 1.1 Redesenhar

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

Seventh Research Framework Programme (2007-2013) Paula Galvão paula.galvao@gppq.mctes.pt

Seventh Research Framework Programme (2007-2013) Paula Galvão paula.galvao@gppq.mctes.pt Seventh Research Framework Programme (2007-2013) -Sessão- Oportunidades para as PME no 7º Programa-Quadro de I&DT Paula Galvão paula.galvao@gppq.mctes.pt Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de IDT

Leia mais

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes:

O presente documento suporta a apreciação do ponto 3 da Agenda da reunião da Comissão de Acompanhamento de 13/11/07, sendo composto por duas partes: EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE PME (SI QUALIFICAÇÃO PME) O presente documento suporta a apreciação do ponto 3

Leia mais

aumento da população mundial aumento da produtividade, sustentabilidade dos recursos e segurança alimentar Necessidades:

aumento da população mundial aumento da produtividade, sustentabilidade dos recursos e segurança alimentar Necessidades: Enquadramento Desafios: aumento da população mundial aumento da produtividade, sustentabilidade dos recursos e segurança alimentar Necessidades: eficiência dos sistemas agrícolas e florestais gestão sustentável

Leia mais

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN]

Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Sistema de Incentivos à Inovação e I&DT (Sector Automóvel) Quadro de Referência Estratégico Nacional [QREN] Frederico Mendes & Associados Sociedade de Consultores Lda. Frederico Mendes & Associados é uma

Leia mais

Adenda aos Critérios de Selecção

Adenda aos Critérios de Selecção Adenda aos Critérios de Selecção... Critérios de Selecção SI Qualificação PME EIXO I COMPETITIVIDADE, INOVAÇÃO E CONHECIMENTO INSTRUMENTO: SISTEMA DE INCENTIVOS À QUALIFICAÇÃO E INTERNACIONALIZAÇÃO DE

Leia mais

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento

CETAC.MEDIA. Centro de Estudos. das Tecnologias e Ciências da Comunicação. Regulamento Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação Regulamento Julho de 2008 CAPÍTULO I Natureza, Missão, Atribuições e Constituição Artigo 1º Natureza O Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências

Leia mais

7º. Programa-Quadro. A Experiência da ANIMEE

7º. Programa-Quadro. A Experiência da ANIMEE 7º. Programa-Quadro Projectos de Investigação para Associações A Experiência da ANIMEE Quem é a ANIMEE Uma Associação, de de âmbito nacional, cujo cujo objectivo principal é o de de representar os os interesses

Leia mais

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia

Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia Regulamento do Concurso para Pontos de Contacto Nacionais do 7º Programa-Quadro de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico da União Europeia O Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES)

Leia mais

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS

INCENTIVOS ÀS EMPRESAS INCENTIVOS ÀS EMPRESAS Gestão de Projectos info@ipn-incubadora.pt +351 239 700 300 BEST SCIENCE BASED INCUBATOR AWARD Incentivos às Empresas Objectivos: - Promoção do up-grade das empresas de PME; - Apoiar

Leia mais

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS

REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS REGULAMENTO CONCURSO DE IDEIAS Artigos: 1º OBJECTIVOS São objectivos do Concurso : a) Estimular o empreendedorismo qualificado e inovador junto da comunidade empresarial e académica da região Norte, Centro

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOV-ART NOS TERMOS DA PORTARIA N.º 1103/2008 DE 2 DE OUTUBRO CAPÍTULO I Disposições gerais Artigo 1.º- Âmbito de aplicação O presente Regulamento aplica -se à medida INOV-Art -

Leia mais

Vale Projecto - Simplificado

Vale Projecto - Simplificado IDIT Instituto de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica Vale Projecto - Simplificado VALES Empreendedorismo e Inovação Associados Parceiros / Protocolos IDIT Enquadramento Vale Projecto - Simplificado

Leia mais

ESTABELECIMENTO DO CENTRO DE CONHECIMENTO SOBRE MUDANÇA CLIMÁTICA EM MOÇAMBIQUE

ESTABELECIMENTO DO CENTRO DE CONHECIMENTO SOBRE MUDANÇA CLIMÁTICA EM MOÇAMBIQUE ESTABELECIMENTO DO CENTRO DE CONHECIMENTO SOBRE MUDANÇA CLIMÁTICA EM MOÇAMBIQUE Contexto do Centro de Conhecimento FASE I do INGC Necessidade de um corpo de Moçambicanos preparados para responder os desafios

Leia mais

Programas Europeus. 09 de Julho de 2010 Salão Nobre. Eurodeputada Parlamento Europeu

Programas Europeus. 09 de Julho de 2010 Salão Nobre. Eurodeputada Parlamento Europeu Programas Europeus de Ciência e Inovação 09 de Julho de 2010 Nobre do Instituto Superior Técnico, Lisboa Salão Nobre Maria da Graça Carvalho Eurodeputada Parlamento Europeu ESTRATÉGIA EU2020 CIÊNCIA E

Leia mais

7º PROGRAMA-QUADRO de I&DT. Oportunidades para Cooperação Empresas Sistema Científico. Virgínia Corrêa. www.gppq.mctes.pt

7º PROGRAMA-QUADRO de I&DT. Oportunidades para Cooperação Empresas Sistema Científico. Virgínia Corrêa. www.gppq.mctes.pt 7º PROGRAMA-QUADRO de I&DT Oportunidades para Cooperação Empresas Sistema Científico Virgínia Corrêa Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de IDT www.gppq.mctes.pt Estratégia de Lisboa Conselho Europeu

Leia mais

CANDIDATURAS ABERTAS:

CANDIDATURAS ABERTAS: Resumo das candidaturas aos Sistemas de Incentivos QREN CANDIDATURAS ABERTAS: Sistema de Incentivos à Investigação e Desenvolvimento Tecnológico Tipologia de Projectos Abertura Encerramento Individuais

Leia mais

Sistema de Incentivos

Sistema de Incentivos Sistema de Incentivos Qualificação e Internacionalização de PME amrconsult 13 de Maio de 2010 1 Agenda 1 Enquadramento 2 Condições de elegibilidade 3 Despesas elegíveis 4 Incentivo 2 1 Enquadramento 3

Leia mais

Medidas de apoio à inovação

Medidas de apoio à inovação Medidas de apoio à inovação Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020 Maria Pedro Silva Organização: Apoio Institucional: Grupos Rede INOVAR The Portuguese Agro, Food and Forest Innovation Network Rede

Leia mais

Aviso de abertura do exercício de avaliação das Unidades de I&D 2013

Aviso de abertura do exercício de avaliação das Unidades de I&D 2013 Aviso de abertura do exercício de avaliação das Unidades de I&D 2013 Aviso de abertura do exercício de avaliação das Unidades de I&D 2013 A. Âmbito e objetivos do exercício de avaliação A Fundação para

Leia mais

REGULAMENTO BOLSA DE IDEIAS. Preâmbulo

REGULAMENTO BOLSA DE IDEIAS. Preâmbulo REGULAMENTO Preâmbulo A Bolsa de Ideias CAIE (BI) é uma iniciativa desenvolvida pelo Projecto CAIE Centro de Apoio à Inovação e ao Empreendedorismo, financiado pela Iniciativa Comunitária EQUAL. Esta iniciativa

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA I&D EM PORTUGAL

CARACTERIZAÇÃO DA I&D EM PORTUGAL CARACTERIZAÇÃO DA I&D EM PORTUGAL No ano de 2000, o Conselho Europeu, reunido em Lisboa, fixou o objectivo de na próxima década, tornar-se a economia baseada no conhecimento mais competitiva e dinâmica

Leia mais

Aspectos práticos a ter em conta na elaboração de um proposta para PME

Aspectos práticos a ter em conta na elaboração de um proposta para PME Aspectos práticos a ter em conta na elaboração de um proposta para PME Alexandre Marques Ponto Contacto Nacional L&F, PME, SSH e SiS Aspectos Chave a reter 1.Posição das PME no 7ºPQ 2. Cooperação Internacional

Leia mais

Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013. Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT

Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013. Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT Oportunidades de Financiamento no âmbito do tema ICT: Programa de Trabalho 2013 Elisabete Pires Ponto de Contacto Nacional do tema ICT Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de IDT Fundação da Ciência

Leia mais

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução

Bom dia, Senhoras e Senhores. Introdução Bom dia, Senhoras e Senhores Introdução Gostaria de começar por agradecer o amável convite que o Gabinete do Parlamento Europeu em Lisboa me dirigiu para participar neste debate e felicitar os organizadores

Leia mais

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira

Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Auto-avaliação da Licenciatura em Gestão e Administração Hoteleira Relatório Resumo Junho de 2012 Índice 1. Objectivo... 3 2. Enquadramento... 3 3. Trabalho realizado... 3 4. Dados síntese da Licenciatura

Leia mais

Regulamento. Preâmbulo

Regulamento. Preâmbulo Regulamento Preâmbulo As Empresas e os Empreendedores são a espinha dorsal de qualquer economia, em termos de inovação, de criação de emprego, de distribuição de riqueza e de coesão económica e social

Leia mais

CAPÍTULO VII (Disposições Finais e Transitórias)

CAPÍTULO VII (Disposições Finais e Transitórias) Artigo 18º (Comissão Eleitoral) 1. O procedimento eleitoral será conduzido por uma comissão eleitoral constituída por dois vogais, designados pelo Conselho Científico de entre os seus membros, e presidida

Leia mais

HORIZONTE 2020 Oportunidades de financiamento para as empresas. Cláudia Oliveira GPPQ/FCT Ponto de Contacto Nacional Horizonte 2020

HORIZONTE 2020 Oportunidades de financiamento para as empresas. Cláudia Oliveira GPPQ/FCT Ponto de Contacto Nacional Horizonte 2020 HORIZONTE 2020 Oportunidades de financiamento para as empresas Cláudia Oliveira GPPQ/FCT Ponto de Contacto Nacional Horizonte 2020 Horizonte 2020 Abordagem integrada a todo o ciclo de I&I TRL 0-3 TRL 4-8

Leia mais

INVESTIR EM I&D - PLANO DE ACÇÃO PARA PORTUGAL ATÉ 2010 CIÊNCIA E INOVAÇÃO -PLANO PLANO DE ACÇÃO PARA PORTUGAL ATÉ 2010 - NOVA TIPOLOGIA DE PROJECTOS

INVESTIR EM I&D - PLANO DE ACÇÃO PARA PORTUGAL ATÉ 2010 CIÊNCIA E INOVAÇÃO -PLANO PLANO DE ACÇÃO PARA PORTUGAL ATÉ 2010 - NOVA TIPOLOGIA DE PROJECTOS CIÊNCIA E INOVAÇÃO -PLANO PLANO DE ACÇÃO PARA PORTUGAL ATÉ 2010 - NOVA TIPOLOGIA DE PROJECTOS 1 ENQUADRAMENTO - I - Os objectivos delineados na Estratégia de Lisboa e as conclusões do Conselho de Barcelona,

Leia mais

Global Incentives Solutions*

Global Incentives Solutions* Incentives Solutions Global Incentives Solutions* Informação sobre incentivos ao investimento Número 6, Outubro de 2007 *connectedthinking What s hot Assinatura dos Programas Operacionais (PO) No passado

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO MISSÃO SORRISO DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE/CONTINENTE. Artigo 1.º. Objecto

REGULAMENTO DO CONCURSO MISSÃO SORRISO DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE/CONTINENTE. Artigo 1.º. Objecto REGULAMENTO DO CONCURSO MISSÃO SORRISO DIRECÇÃO-GERAL DA SAÚDE/CONTINENTE Artigo 1.º Objecto A Direcção-Geral da Saúde e a Modelo Continente Hipermercados S.A (adiante Continente ), conferem anualmente,

Leia mais

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO O Exploratório - Centro Ciência Viva de Coimbra torna pública a abertura de concurso para a atribuição de uma Bolsa de

Leia mais

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO

Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO Bolsa de Gestão de Ciência e Tecnologia (BGCT) (M/F) AVISO DE ABERTURA DE CONCURSO O Centro Ciência Viva de Constância torna pública a abertura de concurso para a atribuição de uma Bolsa de Gestão de Ciência

Leia mais

Os Vales de Inovação. Entidade Qualificada no âmbito dos Vales de Inovação do Programa QREN

Os Vales de Inovação. Entidade Qualificada no âmbito dos Vales de Inovação do Programa QREN Os Vales de Inovação Entidade Qualificada no âmbito dos Vales de Inovação do Programa QREN I&DT e Transferência de Tecnologia # Propriedade Industrial # Criação, Moda e Design # Comercialização e Marketing

Leia mais

Entrevista com i2s. Luís Paupério. Presidente. www.i2s.pt. (Basada en oporto) Com quality media press para LA VANGUARDIA

Entrevista com i2s. Luís Paupério. Presidente. www.i2s.pt. (Basada en oporto) Com quality media press para LA VANGUARDIA Entrevista com i2s Luís Paupério Presidente www.i2s.pt (Basada en oporto) Com quality media press para LA VANGUARDIA Esta transcrição reproduz fiel e integralmente a entrevista. As respostas que aqui figuram

Leia mais

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008

Factores Determinantes para o Empreendedorismo. Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 Factores Determinantes para o Empreendedorismo Encontro Empreender Almada 26 de Junho de 2008 IAPMEI Instituto de Apoio às PME e à Inovação Principal instrumento das políticas económicas para Micro e Pequenas

Leia mais

O 7º PROGRAMA QUADRO

O 7º PROGRAMA QUADRO O 7º PROGRAMA QUADRO de I&DT Eduardo Maldonado (Coordenador de NCP) Gabinete de Promoção do 7º Programa-Quadro de IDT Estratégia de Lisboa Conselho Europeu extraordinário de Lisboa (Março de 2000): para

Leia mais

Relatório de Actividades de 2004

Relatório de Actividades de 2004 Relatório de Actividades de 2004 1. Direcção A direcção da ABIC, como é da sua competência, durante o ano de 2004 coordenou e desenvolveu as seguintes actividades no sentido de cumprir o plano de actividades

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT

SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT SISTEMA DE INCENTIVOS À I&DT PROJECTOS DE I&DT EMPRESAS EM CO-PROMOÇÃO AVISO N.º 0 / SI/ 0 REFERENCIAL DE ANÁLISE DO MÉRITO DO PROJECTO Regra geral, o indicador MP (Mérito do Projecto) é determinado através

Leia mais

SME Instrument e Fast Track to Innovation

SME Instrument e Fast Track to Innovation Apoio às PME no H2020 SME Instrument e Fast Track to Innovation Horizonte 2020 Apoio às PME no H2020 H2020 (2014-2020) Três prioridades que se reforçam mutuamente ~79M 7% para o SME Instrument Projectos

Leia mais

Horizonte 2020: Financiamento para empresas na área da Saúde - Oportunidades no Sector das TIC, Biotecnologia, Farmacêutica e Afins

Horizonte 2020: Financiamento para empresas na área da Saúde - Oportunidades no Sector das TIC, Biotecnologia, Farmacêutica e Afins Gabinete de Promoção dos Programa Quadro ID&I Horizonte 2020: Financiamento para empresas na área da Saúde - Oportunidades no Sector das TIC, Biotecnologia, Farmacêutica e Afins João Mil-Homens Lisboa,

Leia mais

E-PME. Iniciativa para a Modernização Tecnológica e Competitividade Global das PMEs. Lisboa, 03 de Abril de 2009

E-PME. Iniciativa para a Modernização Tecnológica e Competitividade Global das PMEs. Lisboa, 03 de Abril de 2009 E-PME Iniciativa para a Modernização Tecnológica e Competitividade Global das PMEs Lisboa, 03 de Abril de 2009 1 Preâmbulo A economia portuguesa é cada vez mais aberta Exportações são 33% do PIB e importações

Leia mais

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007

POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP. 11 Setembro 2007 POLÍTICA DE PME's Debate promovido pela AIP 11 Setembro 2007 Durante o 1º trimestre de 2007, o PIB cresceu 2,0% Crescimento do PIB 2,5% 2,0% 1,5% 1,5% 1,7% 2,0% 1,0% 1,1% 1,0% 0,9% 0,5% 0,5% 0,5% 0,0%

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

AVISO CONCURSO PARA BOLSA DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA

AVISO CONCURSO PARA BOLSA DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA AVISO CONCURSO PARA BOLSA DE GESTÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Encontra-se aberto concurso para atribuição de uma bolsa de gestão de ciência e tecnologia no âmbito do CIDEEFF Centro de Investigação em Direito

Leia mais

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC)

SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 01 / SIAC / 2012 SISTEMA DE APOIO A ACÇÕES COLECTIVAS (SIAC) PROGRAMA ESTRATÉGICO +E+I PROMOÇÃO DA PARTICIPAÇÃO NO 7.º PROGRAMA-QUADRO DE I&DT (UNIÃO EUROPEIA)

Leia mais

BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO 1 Bolsa (BI.01/2014)

BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO 1 Bolsa (BI.01/2014) BOLSA DE INVESTIGAÇÃO CENTRO HOSPITALAR DO PORTO 1 Bolsa (BI.01/2014) Anúncio Encontra-se aberto concurso para a atribuição de uma Bolsa de Investigação, no âmbito das actividades de Ensino, Formação e

Leia mais

Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL

Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL Guia de Participação na MISSÃO PARA O CRESCIMENTO PORTUGAL Encontro Internacional de Negócios Lisboa, 29 de Novembro de 2013 INTRODUÇÃO As PME portuguesas têm vindo a atravessar bastantes dificuldades

Leia mais

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE

NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE NEWSLETTER Nº 13 JANEIRO CONHECIMENTO INOVAÇÃO CRIATIVIDADE EFICIÊNCIA VALOR POTENCIAMOS O VALOR DAS ORGANIZAÇÕES EM DESTAQUE A LINK THINK AVANÇA COM PROGRAMA DE FORMAÇÃO PROFISSONAL PARA 2012 A LINK THINK,

Leia mais

SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA)

SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA) AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS N.º 1 / SAMA/ 2009 SISTEMA DE APOIOS À MODERNIZAÇÃO ADMINISTRATIVA (SAMA) PROJECTOS-PILOTO SUSTENTADOS EM REDES DE NOVA GERAÇÃO OPERAÇÕES INDIVIDUAIS E OPERAÇÕES

Leia mais

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 1. Participação, Cultura e Criatividade Existem diferentes formas de participação na democracia e várias formas de utilização do programa Juventude

Leia mais

Consultoria Estratégica

Consultoria Estratégica Quem somos e o que fazemos A Select Advisor é uma empresa de Consultoria Estratégica Ajudamos à criação de valor, desde a intenção de investimento e angariação de parcerias até ao apoio de candidaturas

Leia mais

ANEXO I ORDENS DE TRABALHO DAS REUNIÕES DO PLENÁRIO DA CPEE

ANEXO I ORDENS DE TRABALHO DAS REUNIÕES DO PLENÁRIO DA CPEE ANEXO I ORDENS DE TRABALHO DAS REUNIÕES DO PLENÁRIO DA CPEE Durante o ano de 2009, nas 8 (oito) reuniões de Plenário da CPEE os assuntos abordados e as matérias alvo de deliberação foram as constantes

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

28-06-12 - Bolsas de Investigação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia

28-06-12 - Bolsas de Investigação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Investigação 28-06-12 - Bolsas de Investigação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Já está em vigor o novo diploma que regula as Bolsas de Investigação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT).

Leia mais

MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK

MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK MANUAL DA INCUBADORA DO TAGUSPARK Data: Outubro de 2013 Índice 1. Introdução... 1 2. Âmbito... 1 3. Modelo de incubação... 2 3.1 Pré-Incubação... 2 3.2 Incubação... 3 3.3 Desenvolvimento Empresarial...

Leia mais

Apoio à Internacionalização

Apoio à Internacionalização Apoio à Internacionalização Incentivos QREN Castelo Branco, 4 de outubro 2012 YUNIT Corporate: João Esmeraldo QREN - Sistema Incentivos Empresas I&DT - Investigação e Desenvolvimento Qualificação - Investimentos

Leia mais

www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E

www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E www.tal-search.com P O R T U G A L E S P A N H A A N G O L A M O Ç A M B I Q U E Quem somos? Quem somos? O que fazemos? O que nos distingue? Onde estamos? 2 Quem somos? APRESENTAÇÃO A Talent Search foi

Leia mais

Anúncio para atribuição de Bolsa de Cientista Convidado no âmbito do Projecto QREN RAD4LIFE

Anúncio para atribuição de Bolsa de Cientista Convidado no âmbito do Projecto QREN RAD4LIFE Anúncio para atribuição de Bolsa de Cientista Convidado no âmbito do Projecto QREN RAD4LIFE O LIP Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas oferece uma bolsa no âmbito do Projecto

Leia mais

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT

PROCEDIMENTO. Ref. Pcd. 3-sGRHF. Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT PROCEDIMENTO Ref. Pcd. 3-sGRHF Bolsas de Investigação Científica da UA, financiadas pela UA ou por outras verbas desde que não provenientes da FCT Data: 14 /07/2011 Elaboração Nome: Fátima Serafim e Helena

Leia mais

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação

Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Os sistemas de informação da Fundação para a Ciência e a Tecnologia: contributo para uma perspectiva integrada da gestão da informação Encontro Internacional de Arquivos Universidade de Évora 3-4 de Outubro

Leia mais

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO

CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO CONVÉNIO CLUSTER DE LOGÍSTICA URBANA DE LISBOA E VALE DO TEJO ÍNDICE FINALIDADE... 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CONSTITUIÇÃO E GOVERNÂNCIA... 4 FINANCIAMENTO... 5 RELATÓRIOS... 5 Ficha de Adesão ao CLUSTER

Leia mais

ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie

ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie ConselhoCientíficodoLNEGCo nselhocientíficodolnegconsel hocientíficodolnegconselho CientíficodoLNEGConselhoCie RELATÓRIO DE ACTIVIDADES ntíficodolnegconselhocientífi Científico 2011 12/31/2011 codolnegconselhocientíficod

Leia mais

2015/2016 INTRODUÇÃO

2015/2016 INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO A concepção de um Prémio Distrital da Qualidade surgiu na sequência da experiência e resultados alcançados com o Programa de Modernização Administrativa das Autarquias de Setúbal (PROMAAS),

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO EVENTO

RELATÓRIO FINAL DO EVENTO RELATÓRIO FINAL DO EVENTO Outubro 2010 1. INTRODUÇÃO Uma vez terminado o evento Start Me Up Alto Minho, apresentam-se de seguida um conjunto de elementos que, em jeito de conclusão, se revelam oportunos

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À

SISTEMA DE INCENTIVOS À SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISOS PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS INOVAÇÃO PRODUTIVA EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Elisabete Félix Turismo de Portugal, I.P. - Direcção de Investimento PRIORIDADE

Leia mais

Investigação e Desenvolvimento, Inovação e Transferência de Tecnologia

Investigação e Desenvolvimento, Inovação e Transferência de Tecnologia Investigação e Desenvolvimento, Inovação e Transferência de Tecnologia Universidade de Évora Paulo Quaresma 28/07/2015 1 Objectivo Análise e discussão das medidas existentes de apoio às actividades de

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM EMPREENDEDORISMO E CRIAÇÃO DE EMPRESAS Artigo 1.º Criação A Universidade

Leia mais

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes)

Processo nº2-responsável de Projetos (2 vagas Empresas diferentes) Processo nº1-project Manager Construction Company Engenheiro Civil para ser Gerente de Projetos - Experiência de 5 anos em empresas relevantes (construção); Alto nível de habilidades organizacionais e

Leia mais

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News

28 PME Líder CRITÉRIOS. Bloomberg News 28 PME Líder CRITÉRIOS Bloomberg News CRITÉ RIOS COMO CHEGAR A PME LÍDER Atingir o Estatuto PME Líder é a ambição de muitas empresas. É este o primeiro passo para chegar a PME Excelência. Saiba o que precisa

Leia mais

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios

Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Serviço de Apoio à Criação de Emprego e estágios Outubro de 2010 Agenda EM DESTAQUE Aderir à REDE! NOTÍCIAS/ EVENTOS Índice Nota Editorial Eventos/Notícias Na Primeira Pessoa Instituição do Mês Protocolos

Leia mais

Bolsa de Inovação da Secção Regional de Lisboa DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGRAS DE ATRIBUIÇÃO

Bolsa de Inovação da Secção Regional de Lisboa DA ORDEM DOS FARMACÊUTICOS REGRAS DE ATRIBUIÇÃO A Direcção da Secção Regional de Lisboa da Ordem dos Farmacêuticos, reunida em sessão de 18 de Julho de 2012, deliberou instituir uma Bolsa, destinada a apoiar projectos de investigação e projectos profissionais

Leia mais

O que esperar do SVE KIT INFORMATIVO PARTE 1 O QUE ESPERAR DO SVE. Programa Juventude em Acção

O que esperar do SVE KIT INFORMATIVO PARTE 1 O QUE ESPERAR DO SVE. Programa Juventude em Acção O QUE ESPERAR DO SVE Programa Juventude em Acção KIT INFORMATIVO Parte 1 Maio de 2011 Introdução Este documento destina-se a voluntários e promotores envolvidos no SVE. Fornece informações claras a voluntários

Leia mais

Aspectos práticos a ter em conta

Aspectos práticos a ter em conta Programa-Quadro de I&I da CE Horizonte 2020: Aspectos práticos a ter em conta 23 de Setembro de 2014 Alexandre Marques NCP Assuntos Legais e Financeiros, PME, Acesso a Financiamento de Risco e EIT 1. Ciclo

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA EM TEMPOS DE CRISE

QUALIDADE DE VIDA EM TEMPOS DE CRISE QUALIDADE DE VIDA EM TEMPOS DE CRISE WORCARE SYNERGIES / TRABALHAR E CUIDAR NA EUROPA Sessão de apresentação 16 Novembro 2010 ISCTE-IUL O que é? Workcare Synergies/Trabalhar e Cuidar na Europa É um projecto

Leia mais

Aviso de Abertura do Concurso para Atribuição de Bolsas Individuais de Doutoramento, de Doutoramento em Empresas e de Pós- Doutoramento 2015

Aviso de Abertura do Concurso para Atribuição de Bolsas Individuais de Doutoramento, de Doutoramento em Empresas e de Pós- Doutoramento 2015 Aviso de Abertura do Concurso para Atribuição de Bolsas Individuais de Doutoramento, de Doutoramento em Empresas e de Pós- Doutoramento 2015 Nos termos do Regulamento de Bolsas de Investigação da Fundação

Leia mais

THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE!

THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE! Programa de Aprendizagem ao Longo da Vida Versão do : 1.3 / Versão Adobe Reader: 9.302 THIS FORM IS ONLY FOR TESTING AND ONLY FOR INTERNAL EUROPEAN COMMISSION / NATIONAL AGENCIES USE. PLEASE DO NOT DISTRIBUTE!

Leia mais

INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR

INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR INDICE INTRODUÇÃO OBJETIVOS RESULTADOS DESTINATÁRIOS CONDIÇÕES DE ACESSO BENEFÍCIOS PARA AS EMPRESAS PARTICIPANTES CLUSTER AGROALIMENTAR PLANO DE AÇÃO DO CLUSTER CONTATOS PARCEIROS 1 INTRODUÇÃO O desafio

Leia mais

Regulamento PAPSummer 2016

Regulamento PAPSummer 2016 Regulamento PAPSummer 2016 Artigo 1º Objetivos do programa, montante e designação das bolsas 1. O programa PAPSummer pretende dar a oportunidade a estudantes portugueses ( Estudante ) de desenvolver um

Leia mais

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)*

FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* FORMULÁRIO DE CANDIDATURA INDIVIDUAL PARA BOLSAS DE DOUTORAMENTO EM EMPRESAS (BDE)* Bolsa / / Reservado aos Serviços A preencher pelo candidato Nome completo: Domínio científico principal (indicar apenas

Leia mais

ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP

ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP I CONFERÊNCIA ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP CADERNO DE CONFERENCISTA ÍNDICE 2 4 6 7 8 9 10 11 12 ENQUADRAMENTO A ENERGIA NA CPLP OBJETIVOS A ENERGIA NA CPLP ESTRUTURA DO EVENTO LOCAL ALTO PATROCÍNIO

Leia mais

OBJECTIVOS PARA O BIÉNIO 2005/2006

OBJECTIVOS PARA O BIÉNIO 2005/2006 OBJECTIVOS PARA O BIÉNIO 2005/2006 Objectivos Gerais: Continuar a lutar pela criação de Emprego Científico; o Organizar uma nova conferência sobre o Emprego Científico; Exigir a regulamentação do novo

Leia mais

CAPI CANISM TAL DE O DE C RISCO APIT AL DE RISCO

CAPI CANISM TAL DE O DE C RISCO APIT AL DE RISCO MECANISMO CAPITAL DE CAPITAL DE RISCO DE RISCO António Carvalho A Portugal Ventures InovCapital AICEP Capital Global Turismo Capital Clarificação de objectivos estratégicos e concentração de meios para

Leia mais

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual

Benefícios Fiscais. Incentivos em regime contratual Benefícios Fiscais O Estatuto dos Benefícios Fiscais consagra um conjunto de medidas de isenção e redução da carga fiscal para diversos tipos de projectos e investimentos. Os incentivos e benefícios fiscais

Leia mais

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO

PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO AVISO PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS Nº 12 / SI / 2009 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO (SI INOVAÇÃO) PROJECTOS DE EMPREENDEDORISMO QUALIFICADO Nos termos do Regulamento do SI Inovação, a apresentação

Leia mais

ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13

ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13 QUEM SOMOS FUNDEC APRESENTAÇÃO HISTÓRIA OBJECTIVOS A

Leia mais

2006-2015. Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006

2006-2015. Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006 2006-2015 Bolsa de Turismo de Lisboa 18 de Janeiro 2006 Portugal 2015 Portugal 2015 - Metas 2005 2015 Douro Douro Oeste Oeste Serra da Estrela Serra da Estrela Alqueva Litoral Alentejano Litoral Alentejano

Leia mais

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS

O QUE É OBJECTIVOS: VANTAGENS O QUE É O Gira Volei é um jogo fácil, divertido e competitivo destinado aos jovens com idade compreendida entre os 8 e os 16 onde apenas se pode utilizar uma técnica: o passe. OBJECTIVOS: Contribuir para

Leia mais

Negociação e Gestão de Carreira Ray Human Capital

Negociação e Gestão de Carreira Ray Human Capital Negociação e Gestão de Carreira Ray Human Capital Março de 2011 Programa de Apresentação 1 2 3 4 Planear Etapas na Carreira Importância da Formação e Networking Tabelas e Valores Salariais Estratégias

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial, cuja Atrair investimento

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas. Porto, 25 de Setembro de 2012

A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas. Porto, 25 de Setembro de 2012 A AICEP e os apoios à internacionalização das empresas Porto, 25 de Setembro de 2012 A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza empresarial,

Leia mais

Guião de Candidatura e de Avaliação dos Projetos para Centros de Co-Localização Portugueses a Integrar Knowledge and Innovation Communities (KIC) do

Guião de Candidatura e de Avaliação dos Projetos para Centros de Co-Localização Portugueses a Integrar Knowledge and Innovation Communities (KIC) do Guião de Candidatura e de Avaliação dos Projetos para Centros de Co-Localização Portugueses a Integrar Knowledge and Innovation Communities (KIC) do European Institute of Technology (EIT) que se apresentem

Leia mais