LER a partir dos 8 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL. O livro qu e. só queria. ser lido JOSÉ JORGE LETRIA. Ilustrações de Daniel Silva

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LER a partir dos 8 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL. O livro qu e. só queria. ser lido JOSÉ JORGE LETRIA. Ilustrações de Daniel Silva"

Transcrição

1 LER a partir dos 8 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL O livro qu e só queria ser lido JOSÉ JORGE LETRIA Ilustrações de Daniel Silva

2 Apresentação da obra Esta é a história de um livro triste. Triste porque já ninguém o lia. Abandonado e esquecido na prateleira de uma estante, só tinha um sonho: voltar a ser lido. Mas como conseguir tal milagre? O livro bem tentava chamar a atenção, mas nada! Até que, um dia, uma notícia imprevista veio alterar a sua sorte e permitir a realização do seu desejo. Leitura da obra Três sessões de leitura em voz alta 1 de 45 minutos. 1.ª sessão: do início da história até ao final da pág ª sessão: da pág. 18 até ao final da pág ª sessão: da pág. 31 até à conclusão da história. 1. Antes da leitura Antes de cada sessão, o adulto (professor, pai ou outro) deve estabelecer um diálogo a propósito do que vai ser lido como forma de motivação e de apoio à leitura em voz alta. 1.ª sessão: a criança manuseia o livro, observando a capa, a ilustração da capa, a contracapa, a lombada e a folha de rosto. a) Partindo do título da obra, a criança formula hipóteses sobre a história que vai ser lida (Que razões levariam o livro a querer ser lido? Haverá livros que nunca foram lidos? Haverá livros que foram lidos e depois esquecidos? Haverá livros que estão sempre a ser lidos?). Procurar que a criança exemplifique com situações que conhece 2. 1 Numa sessão de leitura em voz alta, é aconselhável que a criança disponha do seu próprio livro, de forma a seguir o texto que está a ser lido. Por um lado, esta é uma forma de manter a atenção da criança durante um período de tempo mais longo; por outro lado, a ilustração ajuda, em certas situações, a compreender o que está ser ouvido. 2 Todas as crianças têm contacto com livros: umas têm-no em casa e na escola, outras só na escola. Os livros podem ser muito, pouco ou nada lidos. 2

3 b) A criança observa a ilustração da capa e relaciona-a com o título. c) A criança consulta as informações da contracapa, sobre a autoria da obra e sobre a obra em si. 2.ª sessão: a criança relembra, com apoio do adulto, o que foi lido anteriormente. Descreve a ilustração das págs , observando atentamente o aspecto humanizado do livro, a forma como ele transporta a máquina de escrever e os objectos abandonados que se encontram pelo caminho (dois fogões um de cada lado, um frigorífico, máquinas de lavar roupa, uma televisão, etc.). O que existirá de comum entre todos os objectos da ilustração? 3.ª sessão: a criança relembra, com apoio do adulto, o que foi lido anteriormente. Formula hipóteses sobre a continuação da história (Conseguirão o livro e a máquina de escrever escapar ao abandono e ao esquecimento? Como?). 2. Durante a leitura Durante a leitura, poderão ser feitas curtas interrupções, quando consideradas oportunas só em contexto é possível avaliar dessa oportunidade, (1) para fornecer uma informação, como, por exemplo, o significado de uma palavra, (2) para solicitar que a criança exprima o seu ponto de vista sobre uma situação da história e (3) para observar uma ilustração, relacionando-a com o texto. Estes momentos visam tornar a audição mais leve e aliciante, mas não devem afastar a atenção da criança do enredo da história. Por isso, as sugestões que se seguem poderão ou não ser consideradas. 1.ª sessão: Comparar o livro (protagonista da história) com os outros livros da biblioteca, fazendo, ao mesmo tempo, o seu retrato (pausa no final da pág. 7). Referir as companhias que o livro teve ao longo do tempo (pausa no final da pág. 10). A terminar a primeira sessão de leitura, relembrar a história da máquina de escrever. 3

4 2.ª sessão: Pedir à criança que exprima a sua opinião sobre o assunto que a máquina de escrever e o livro discutem (pausa no final do primeiro parágrafo da pág. 19). Formular hipóteses sobre o significado das sombras das mãos que surgem na ilustração das págs (pausa no final da pág. 23). Relacionar a pergunta que o livro faz no final da pág. 25 com as sombras das mãos. 3.ª sessão: Fazer o retrato físico e psicológico do tio Vicente (pausa no final da pág. 32 e observação da ilustração da pág. 33). Formular hipóteses sobre a forma como o livro pode «dizer» aos moradores da casa que é ele quem possui o segredo do cofre (pausa no final da pág. 36). 3. Depois da leitura Reconto oral A criança pode fazer vários tipos de reconto oral da história que ouviu. a) Reconto integral O narrador é o próprio livro que descreve a biblioteca, os seus «habitantes», a sua vida, a sua amizade com a máquina de escrever, a chegada do computador, as visitas da Margarida, como a máquina de escrever teve de partir, e, finalmente, como conseguiu ele o milagre de voltar a ser lido e apreciado. O narrador é o computador que descreve a sua chegada à biblioteca, como foi recebido pelos seus «habitantes», a sua vida na biblioteca, como se foi tornando o principal centro de atenções e a razão de quase todas as visitas, o que aconteceu à máquina de escrever, como se tornou ele também amigo do livro, a notícia da morte do tio Vicente e o que se passou a seguir. 4

5 b) Reconto de sequências da história O narrador é a máquina de escrever que conta a sua vida na biblioteca, a sua amizade com o livro e como um dia teve de o abandonar porque foi vendido a um antiquário. O narrador é a Margarida que conta como era a biblioteca, por que razão gostava de a frequentar, como lhe agradava a máquina de escrever até ao dia em que descobriu outro utensílio de escrita mais eficiente e se esqueceu da sua querida máquina. Improvisação de diálogo Improvisar diálogos, respeitando as características das personagens da história e o enredo, entre: o livro que só queria ser lido e vários dicionários bilingues; o livro que só queria ser lido e um romance policial; o livro que só queria ser lido e a máquina de escrever; o livro que só queria ser lido e o computador; Mariana e a máquina de escrever; o irmão de Mariana e o antiquário; alguém que fala do Brasil e o pai de Mariana (diálogo ao telefone); a mãe, o pai e o irmão de Mariana, a tia Rosário, etc., depois de alguém (escolher uma das personagens referidas ou outra) ter tropeçado no livro e ter descoberto o papel com o segredo do cofre. Dramatização O reconto prévio do ponto de vista de diferentes personagens, bem como a improvisação de diálogo, são uma excelente preparação para a dramatização da história. A dramatização pode ser feita na escola ou em casa. Os pais, irmãos ou amigos podem colaborar na adaptação do texto, dando-lhe a forma de peça de teatro. Personagens: (1) o livro, (2) um ou vários dicionários, (3) um livro policial, (4) um dossiê com contas de telefone e electricidade ou outros impressos, (5) a máquina de escrever, (6) o computador, (7) a Margarida, (8) o irmão, (9) o antiquário, (10) a tia Rosário, (11) o pai, (12) a mãe, (13) voz off, para o telefonema do Brasil. 5

6 Alargar a informação Outras línguas O livro da nossa história tinha aprendido com os dicionários bilingues da biblioteca a dizer algumas frases noutras línguas. Estas são as frases que ele aprendeu: Português Francês Inglês Espanhol Alemão Obrigado. Merci. Thank you. Até amanhã. À demain. See you tomorrow. Muchas gracias. Hasta mañana. Desculpe. Pardon. Sorry. Pérdon. Posso entrar? Puis-je entrer? Can I come in? Puedo entrar? Danke schön. Bis morgen. Entschuldigung. Kann ich ankommen? E tu? Também as consegues aprender? 6

7 Um pouco de Geografia O Brasil é um país da América do Sul. Os outros são: Argentina Bolívia Chile Colômbia Peru Uruguai Equador Guiana Guiana Francesa Paraguai Suriname Venezuela Escreve no local correcto o nome dos países que ainda não estão assinalados no mapa. Repara também que em todos os países está escrito o nome da sua capital. 7

8 É importante que a criança seja estimulada a guardar as suas memórias de leitura: comentários a personagens, episódios, lugares ; textos inspirados nas histórias lidas; descobertas motivadas pelas actividades realizadas; ilustrações A organização, pela criança, de uma sequência de registos e de documentos que considere interessantes permitir-lhe-á construir um memorando de acontecimentos significativos na sua aventura pelo mundo da ficção. Guias de leitura também disponíveis on-line, em

GUIÃO DE LEITURA. Nome do ilustrador

GUIÃO DE LEITURA. Nome do ilustrador Observa a capa, a ilustração da capa, a contracapa, a lombada e a folha de rosto. 1. A partir da observação da capa, completa: Título da obra: Autor: Ilustrador: Editora: 2. Assinala com uma X de acordo

Leia mais

O livro que falava com o vento e outros contos

O livro que falava com o vento e outros contos LER a partir dos 10 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL O livro que falava com o vento e outros contos JOSÉ JORGE LETRIA Ilustrações de Alain Corbel Apresentação da obra O Livro Que Falava com o Vento

Leia mais

LER a partir dos 6 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL. Histórias a rimar. para ler e brincar ALEXANDRE PARAFITA. Ilustrações de Elsa Navarro

LER a partir dos 6 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL. Histórias a rimar. para ler e brincar ALEXANDRE PARAFITA. Ilustrações de Elsa Navarro LER a partir dos 6 anos GUIA DE LEITURA MARIAALZIRACABRAL Histórias a rimar para ler e brincar ALEXANDRE PARAFITA Ilustrações de Elsa Navarro Apresentação da obra Trata-se de um conjunto de poemas curtos,

Leia mais

A leitura, um bem essencial

A leitura, um bem essencial A leitura, um bem essencial A leitura, um bem essencial A leitura é uma competência básica que todas as pessoas devem adquirir para conseguirem lidar de forma natural com a palavra escrita. Mas aprender

Leia mais

anos GUIA DE LEITURA Manuela Lapa A lesma constipada Bruno Santos

anos GUIA DE LEITURA Manuela Lapa A lesma constipada Bruno Santos GUIA DE LEITURA Manuela Lapa A lesma constipada Bruno Santos +6 anos Apresentação da obra Porque andará a lesma tão atormentada? Permanentemente constipada, não se conforma com a sua condição: tanta humidade

Leia mais

+10 anos GUIA DE LEITURA. Manuela Lapa. Alex Ponto Com Joe Silicone vai à escola. José Fanha Ilustrações de João Fanha

+10 anos GUIA DE LEITURA. Manuela Lapa. Alex Ponto Com Joe Silicone vai à escola. José Fanha Ilustrações de João Fanha GUIA DE LEITURA Manuela Lapa Alex Ponto Com Joe Silicone vai à escola José Fanha Ilustrações de João Fanha +10 anos 2 Apresentação da obra O que terá levado Joe Silicone, personagem virtual, a fugir do

Leia mais

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro

Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro Porquê ler ao meu bebé? Projecto O meu brinquedo é um livro O meu brinquedo é um livro é um projecto de promoção da leitura proposto pela Associação

Leia mais

AVALIAÇÃO DE COMPETÊNCIAS EM LITERACIA DA INFORMAÇÃO

AVALIAÇÃO DE COMPETÊNCIAS EM LITERACIA DA INFORMAÇÃO Preencha o questionário de acordo com o exemplo, utilizando caneta azul ou preta Preencha assim preencha assim AVALIAÇÃO DE COMPETÊNCIAS EM LITERACIA DA INFORMAÇÃO O presente questionário é anónimo e tem

Leia mais

COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM

COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM COMO SE PREPARA UMA REPORTAGEM i DICAS PARA PREPARAR UMA REPORTAGEM Ver, ouvir, compreender e contar eis como se descreve a reportagem, nas escolas de Jornalismo. Para haver reportagem, é indispensável

Leia mais

Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria de Educação Escola Básica Municipal Osmar Cunha

Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria de Educação Escola Básica Municipal Osmar Cunha Prefeitura Municipal de Florianópolis Secretaria de Educação Escola Básica Municipal Osmar Cunha Disciplina: Geografia Professora: Bianca de Souza PLANEJAMENTO ANUAL 2012 7ª SÉRIE - TURMA 76 Primeiro Bimestre

Leia mais

Atividade Pedagógica Teatro de fantoches. Junho 2013

Atividade Pedagógica Teatro de fantoches. Junho 2013 Atividade Pedagógica Teatro de fantoches Junho 2013 III D Teatro de fantoches A criança que ainda não sabe ler convencionalmente pode fazê-lo por meio da escuta da leitura do professor, ainda que não possa

Leia mais

Histórias Tradicionais Portuguesas. Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO. Autora: Lina. Publicado em: www.escolovar.org

Histórias Tradicionais Portuguesas. Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO. Autora: Lina. Publicado em: www.escolovar.org Histórias Tradicionais Portuguesas Alice Vieira AS MOEDAS DE OURO DE PINTO PINTÃO VAMOS CONHECER O LIVRO A CAPA A CONTRACAPA A LOMBADA Observa a capa do livro e responde: 1.Título 2. Nome da autora 3.

Leia mais

Novo Programa de Português do Ensino Básico Roteiro _ SD_ Leitura_ ANO5. Compreensão do Oral LEITURA. Expressão oral. Escrita CEL

Novo Programa de Português do Ensino Básico Roteiro _ SD_ Leitura_ ANO5. Compreensão do Oral LEITURA. Expressão oral. Escrita CEL Compreensão do Oral LEITURA Expressão oral Escrita CEL. 1 Apresentação 1. Nome da Sequência: 2. Contexto/projecto: Intertextualidade do texto adaptado de Peregrinação, de Aquilino Ribeiro, com o original

Leia mais

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS. A Motivação no Ensino Aprendizagem. Questionário sobre as aulas de Inglês

INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS. A Motivação no Ensino Aprendizagem. Questionário sobre as aulas de Inglês Anexo 2 INQUÉRITO POR QUESTIONÁRIO AOS ALUNOS A Motivação no Ensino Aprendizagem Questionário sobre as aulas de Inglês O objectivo deste questionário é ajudar-te a teres um conhecimento melhor de ti próprio

Leia mais

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?)

Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ler em família: viagens partilhadas (com a escola?) Ação nº41/2012 Formadora: Madalena Moniz Faria Lobo San-Bento Formanda: Rosemary Amaral Cabral de Frias Introdução Para se contar histórias a crianças,

Leia mais

anos GUIA DE LEITURA Manuela Lapa Gosto deles porque sim Lara Xavier Ilustrações de Rute Reimão

anos GUIA DE LEITURA Manuela Lapa Gosto deles porque sim Lara Xavier Ilustrações de Rute Reimão GUIA DE LEITURA Manuela Lapa Gosto deles porque sim Lara Xavier Ilustrações de Rute Reimão +8 anos Apresentação da obra Uma criança fala-nos de companheiros de escola por quem sente particular admiração.

Leia mais

A Arte e as Crianças

A Arte e as Crianças A Arte e as Crianças A criança pequena consegue exteriorizar espontaneamente a sua personalidade e as suas experiências inter-individuais, graças aos diversos meios de expressão que estão à sua disposição.

Leia mais

Leitura. orientada. Rui Baptista

Leitura. orientada. Rui Baptista Fichas de Leitura orientada Rui Baptista INTENÇÕES CENTRAIS DO TRABALHO Encorajar o manuseamento do livro/ /objecto como forma de antecipar o conteúdo e de aprender a seleccionar o que se deseja ler. Promover

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto

Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto Agrupamento de Escolas de Rio Tinto AERT E. B. 2, 3 de Rio Tinto CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE INGLÊS - 3º CICLO - 2015/2016 Os critérios de avaliação têm como documentos de referência o Programa de Inglês

Leia mais

Erasmus+ Apoio linguístico online. Tire o máximo partido da sua experiência Erasmus+!

Erasmus+ Apoio linguístico online. Tire o máximo partido da sua experiência Erasmus+! Erasmus+ Apoio linguístico online Tire o máximo partido da sua experiência Erasmus+! Erasmus+: mudar vidas, abrir mentes O Erasmus+ visa promover as competências e a empregabilidade, bem como modernizar

Leia mais

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita

Domínio da linguagem oral e abordagem à escrita I n t e r v e n ç ã o E d u c a t i v a O acompanhamento musical do canto e da dança permite enriquecer e diversificar a expressão musical. Este acompanhamento pode ser realizado pelas crianças, pelo educador

Leia mais

Critérios de Avaliação- 3º ciclo

Critérios de Avaliação- 3º ciclo Critérios de Avaliação- 3º ciclo isciplina INGLÊ Ano: 7º A avaliação certifica as aprendizagens e tem como objetivo a melhoria dessas aprendizagens. Os domínios de referência definidos valorizam a compreensão,

Leia mais

Orientações de Como Estudar Segmento II

Orientações de Como Estudar Segmento II Orientações de Como Estudar Segmento II Aprender é uma tarefa árdua que exige esforço e método e por isso organizamos algumas dicas para ajudá-lo(la) a aprender Como Estudar! Você verá que as orientações

Leia mais

Aprender a escrever pequenos contos: dicas importantes para futuros escritores

Aprender a escrever pequenos contos: dicas importantes para futuros escritores Aprender a escrever pequenos contos: dicas importantes para futuros escritores Escrever não é uma tarefa fácil e, contrariamente ao que se possa pensar, não resulta exclusivamente de acessos de inspiração

Leia mais

História e Atividades de Aprendizagem do Ciclo 4

História e Atividades de Aprendizagem do Ciclo 4 História e Atividades de Aprendizagem do Ciclo 4 História e Atividades de Aprendizagem para o Ciclo 4 de pilotagens, a iniciar em fevereiro de 2013. Instruções Histórias de Aprendizagem do Ciclo 4 Contar

Leia mais

Agora que já sabes que em qualquer BIBLIOTECA existem vários documentos (livros, filmes, jogos, música, revistas/ jornais, computadores).

Agora que já sabes que em qualquer BIBLIOTECA existem vários documentos (livros, filmes, jogos, música, revistas/ jornais, computadores). À DESCOBERTA DA BIBLIOTECA Agora que já sabes que em qualquer BIBLIOTECA existem vários documentos (livros, filmes, jogos, música, revistas/ jornais, computadores). Também já sabes como os livros estão

Leia mais

Conhecendo os países, os continentes e os oceanos

Conhecendo os países, os continentes e os oceanos Conhecendo os países, os continentes e os oceanos nós na sala de aula - módulo: geografia 4º e 5º anos - unidade 5 As atividades propostas pretendem estimular as crianças a perceber as ideias de continente,

Leia mais

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS METAS DE APRENDIZAGEM PARA AS LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ALEMÃO, FRANCÊS, INGLÊS LE I 1º, 2º e 3º CICLOS Direcção Regional da Educação e Formação 2011 Metas de Aprendizagem para as Línguas Estrangeiras Alemão,

Leia mais

PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F

PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F AGRUPAMENTO DE ESCOLAS À BEIRA DOURO- ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA À BEIRA DOURO- MEDAS PLANIFICAÇÃO ANUAL E SEMESTRAL DA TURMA DE PERCURSO CURRICULAR ALTERNATIVO 7º F ANO LECTIVO 2010 / 2011 1º PERÍODO

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira.

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Precisa falar inglês no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Aprender um novo idioma é se sentir como uma criança novamente: faltam palavras para se expressar e a insegurança

Leia mais

ERC/ISCTE Estudo de Recepção dos Meios de Comunicação. Questionários nas Escolas

ERC/ISCTE Estudo de Recepção dos Meios de Comunicação. Questionários nas Escolas ERC/ISCTE Estudo de Recepção dos Meios de Comunicação Questionários nas Escolas Nº de inquiridos: 814 Percentagens de respostas válidas Idade 9 10 11 12 13 14 15,4 18,1 19,5 15,3 17,5 14,1 Sexo Rapaz Rapariga

Leia mais

SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos

SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos CURRÍCULO DO PROGRAMA SESSÃO 1: Descobrindo Seus Sonhos Iniciando o currículo do Sonhe, Realize, o objetivo desta sessão é começar estabelecer um espaço seguro e acolhedor para as participantes, começar

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Propostas de Escrita Criativa. Envelope com as possíveis propostas de texto de escrita criativa

Propostas de Escrita Criativa. Envelope com as possíveis propostas de texto de escrita criativa Propostas de Escrita Criativa Envelope com as possíveis propostas de texto de escrita criativa Exploração da História - O Gato Gonçalves Reconstituição da História em grande grupo e a pares Reconstituição

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS

DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FLÁVIO GONÇALVES PÓVOA DE VARZIM Critérios Específicos de Avaliação DEPARTAMENTO DE LÍNGUAS ESTRANGEIRAS ANO LETIVO 2014/15 Critérios de avaliação específicos da disciplina de

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO DIREÇÃO DE SERVIÇOS DA REGIÃO ALGARVE Agrupamento de Escolas José Belchior Viegas (Sede: Escola Secundária José Belchior Viegas) PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 3ºANO METAS Domínios/ Conteúdos

Leia mais

I.ª Parte. Nome: Ano: Lê o texto que se segue com muita atenção.

I.ª Parte. Nome: Ano: Lê o texto que se segue com muita atenção. Nome: Ano: Turma: Classificação: I.ª Parte Lê o texto que se segue com muita atenção. O JARDIM DO TIO RICARDO O meu tio Ricardo tem um jardim. Como gosta muito de flores e de árvores e outras plantas e

Leia mais

Disciplina:francês Aulas por semana: 4. 7.º anos

Disciplina:francês Aulas por semana: 4. 7.º anos Disciplina:francês Aulas por semana: 4 7.º anos Competências: competências comunicativas da receção e produção adequadas ao ano de escolaridade (Falar, Escrever, Ler, Ouvir) domínio das ferramentas linguísticas

Leia mais

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias

Níveis de desempenho. Perguntar e fornecer opiniões. Perguntar e responder sobre os diferentes tipos de férias Competências.Adquirir conhecimentos sobre a cultura e civilização Anglo- Americana numa perspectiva intercultural. - Aprofundar o conhecimento da realidade Portuguesa através do confronto com aspectos

Leia mais

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO

EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM PORTUGUESA DE LÍNGUA. Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) MARÇO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM DE LÍNGUA PORTUGUESA MARÇO 2013 Expectativas de Aprendizagem de Língua Portuguesa dos anos iniciais do Ensino Fundamental 1º ao 5º ano Anos Iniciais do Ensino Fundamental (1º

Leia mais

SOBRE ESTE LIVRO BOM TRABALHO PARA TODOS!

SOBRE ESTE LIVRO BOM TRABALHO PARA TODOS! As pistas e propostas de trabalho que se seguem são apenas isso mesmo: propostas e pistas, pontos de partida, sugestões, pontapés de saída... Não são lições nem fichas de trabalho, não procuram respostas

Leia mais

ANO LETIVO 2013/2014. 10º ano nível VI - Inglês Planificação a Longo Prazo. Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico

ANO LETIVO 2013/2014. 10º ano nível VI - Inglês Planificação a Longo Prazo. Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico Conteúdos Procedimentos Blocos previstos MÓDULO O trabalho diagnóstico - Leitura de textos MÓDULO 1 - Um mundo de muitas línguas: contacto com outras línguas, experiências e culturas Línguas e culturas

Leia mais

ETAPA 1. Planificar o trabalho

ETAPA 1. Planificar o trabalho ESCOLA SECUNDÁRIA DE SANTA MARIA DA FEIRA Este guião foi construído com base no Modelo PLUS: uma estratégia para a pesquisa e uso de informação e aplica-se ao 2º e 3º ciclos e Secundário. A designação

Leia mais

PROJETO DIDÁTICO BOM DIA TODAS AS CORES

PROJETO DIDÁTICO BOM DIA TODAS AS CORES PROJETO DIDÁTICO BOM DIA TODAS AS CORES OBJETIVOS DO TRABALHO A SER DESENVOLVIDO Vivenciar estratégias de leitura que ajudem as crianças a: Antecipar a leitura apoiando se no título e nas ilustrações;

Leia mais

Introduction to Latin American Economies. Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP

Introduction to Latin American Economies. Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP Introduction to Latin American Economies Fabio Fonseca, Senior Director, FIESP América Latina México América Central Guianas América Andina América Platina Brasil México América Latina México América Central

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe

PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe PROGRAMA DE METODOLOGIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA 11ª Classe Formação de Professores para o Pré-Escolar e para o Ensino Primário Opção: Ensino Primário Ficha Técnica Título Programa de Metodologia

Leia mais

Aprendendo a ESTUDAR. Ensino Fundamental II

Aprendendo a ESTUDAR. Ensino Fundamental II Aprendendo a ESTUDAR Ensino Fundamental II INTRODUÇÃO Onde quer que haja mulheres e homens, há sempre o que fazer, há sempre o que ensinar, há sempre o que aprender. Paulo Freire DICAS EM AULA Cuide da

Leia mais

Benefícios da leitura em voz alta

Benefícios da leitura em voz alta Ler em voz alta Ler em voz alta Benefícios da leitura em voz alta Ajuda a criança a adquirir informação e a desenvolver vários tipos de competências: Memorizar relações entre som e grafia, nas palavras

Leia mais

Exemplos de alfabetização simbólica

Exemplos de alfabetização simbólica Exemplos de alfabetização simbólica 1. Conversa geral 2. Falando sobre... 3. Conversação 4. Anotando comunicação 5. Colocando o aprendiz em controle 6. Horários 7. Planejamento em grupo 8. Organização

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

Homem tropeça anda, corre voará...

Homem tropeça anda, corre voará... Professora: Isabel Maria Ribeiro Madureira de Sousa Fonseca Escola Secundária com 3º Ciclo Padrão da Légua C445 - Projecto de Formação para o Novo Programa de Português do Ensino Básico Turma - D Maio

Leia mais

1. No último ano, alguém fez uso da força para te tirar algo (roubar) que tu transportavas ou vestias?

1. No último ano, alguém fez uso da força para te tirar algo (roubar) que tu transportavas ou vestias? Questionário de Vitimação Juvenil Versão curta, Formato retrospectivo para Jovens (Magalhães, 2008; Adaptado de Hamby, Finkelhor, Ormrod & Turner, 2004) De seguida serão apresentadas algumas questões acerca

Leia mais

Boa Saúde. Brian L. Mishara, Ph.D., Professor do Departamento de Psicologia, Universidade de Quebec Montreal, Canadá

Boa Saúde. Brian L. Mishara, Ph.D., Professor do Departamento de Psicologia, Universidade de Quebec Montreal, Canadá Guia para Pais Boa Saúde Nós cuidamos bastante da saúde física das nossas crianças cuidamos para que comam bem e que estejam agasalhadas quando faz frio e também as motivamos para a prática de esportes

Leia mais

anos GUIA DE LEITURA Filipa Didier Histórias da bruxa Rabuja José Colaço Barreiros Ilustrações de Alain Corbel

anos GUIA DE LEITURA Filipa Didier Histórias da bruxa Rabuja José Colaço Barreiros Ilustrações de Alain Corbel GUIA DE LEITURA Filipa Didier Histórias da bruxa Rabuja José Colaço Barreiros Ilustrações de Alain Corbel +8 anos Apresentação da obra Três histórias em verso que contam episódios da vida de Rabuja, uma

Leia mais

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication

Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Uma Cidade para Todos Ficha Técnica: Design e Impressão Mediana Global Communication Colaboração Nuno Oliveira, coordenador do Serviço de Psicologia do 1º ciclo do Ensino Básico da EMEC - Empresa Municipal

Leia mais

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016

DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE 1º Ciclo - Grupo 110 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: Português 1.º ano 2015/2016 Domínio (Unidade / Tema) Subdomínio / Conteúdos

Leia mais

SOBRE ESTE LIVRO > SIGAM AS PISTAS...

SOBRE ESTE LIVRO > SIGAM AS PISTAS... As pistas e propostas de trabalho que se seguem são apenas isso mesmo: propostas e pistas, pontos de partida, sugestões, pontapés de saída... Não são lições nem fichas de trabalho, não procuram respostas

Leia mais

Boa Saúde. crianças, como lidam com suas dificuldades e decepções?

Boa Saúde. crianças, como lidam com suas dificuldades e decepções? Amigos do Zippy Boa Saúde Nós cuidamos muito da saúde física das nossas crianças - cuidamos para que comam bem, estejam agasalhadas no tempo do frio, as motivamos para a prática de esportes e para se

Leia mais

Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender.

Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. 2009-2010 Quem ensina aprende ao ensinar e quem aprende ensina ao aprender. Paulo Freire 1 ÍNDICE Introdução... 3 Objectivos... 3 Actividades... 3 Localização... 4 Horário provável de funcionamento...

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2015

Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2015 Volume 42 Ano base 2014 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2013-2014

Leia mais

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução

Primeiro Email#1: Rota Problema Solução Esta segunda sequência respeita a estrutura da sequência do Eben que analisamos.o template é adequado aos profissionais que podem (e querem) trabalhar com os três mosqueteiros, ou seja, apresentar uma

Leia mais

Avaliação do valor educativo de um software de elaboração de partituras: um estudo de caso com o programa Finale no 1º ciclo

Avaliação do valor educativo de um software de elaboração de partituras: um estudo de caso com o programa Finale no 1º ciclo Aqui são apresentadas as conclusões finais deste estudo, as suas limitações, bem como algumas recomendações sobre o ensino/aprendizagem da Expressão/Educação Musical com o programa Finale. Estas recomendações

Leia mais

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º 18. DICAS PARA A PRÁTICA Orientação para o trabalho A- Conhecimento de si mesmo Sugestão: Informativo de Orientação Vocacional Aluno Prezado Aluno O objetivo deste questionário é levantar informações para

Leia mais

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 346 779 COD. 152 870

AGRUPAMENTO DE CLARA DE RESENDE COD. 346 779 COD. 152 870 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO ( Aprovados em Conselho Pedagógico de21 de outubro de 2014 ) No caso específico da disciplina de Português, do 6.º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ao nível

Leia mais

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca Nome: Ensino: F undamental 4 o ano urma: Língua Por ortuguesa T ata: D 13/8/09 Você já pensou no significado da palavra conviver? Assim como cada pessoa tem suas características físicas, cada um tem também

Leia mais

Brasil fica em quarto lugar em desigualdade social

Brasil fica em quarto lugar em desigualdade social Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 4 o Bimestre 5 o ano Geografia 1. Leia a notícia, divulgada em vários jornais brasileiros, no dia 21

Leia mais

Agrupamento de escolas de Sardoal Escola EB 2,3/S Dra. Maria Judite Serrão de Andrade BIBLIOTECA ESCOLAR

Agrupamento de escolas de Sardoal Escola EB 2,3/S Dra. Maria Judite Serrão de Andrade BIBLIOTECA ESCOLAR Sophia de Mello Breyner Andresen O BOJADOR Livro recomendado pelo Plano Nacional de Leitura para leitura orientada na sala de aula no 4.º ano de escolaridade - Grau de dificuldade II Livro recomendado

Leia mais

Sai da frente que atrás vem gente

Sai da frente que atrás vem gente Sai da frente que atrás vem gente Oficina III - O prazer da leitura - infantil http://goo.gl/zsxdnu Tente imaginar dois irmãos briguentos, que gostam de ouvir sua mãe cantar, prestam atenção na voz do

Leia mais

Guião para as ferramentas etwinning

Guião para as ferramentas etwinning Guião para as ferramentas etwinning Registo em etwinning Primeiro passo: Dados de quem regista Segundo passo: Preferências de geminação Terceiro passo: Dados da escola Quarto passo: Perfil da escola Ferramenta

Leia mais

yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnm qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc

yuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnm qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxc qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwe rtyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyui opasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopas

Leia mais

ESTUDO DE RECEPÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES (ISCTE/ERC) A CRIANÇA/ADOLESCENTE DO ESTUDO E A FAMÍLIA

ESTUDO DE RECEPÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES (ISCTE/ERC) A CRIANÇA/ADOLESCENTE DO ESTUDO E A FAMÍLIA ESTUDO DE RECEPÇÃO DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PORTUGUESES (ISCTE/ERC) Questionário Pai / Mãe / Encarregado/a de Educação Nota: Não deve escrever o nome e/ou morada em nenhuma das páginas deste questionário

Leia mais

Curso de Formação Especializada em BE/CRE Módulo: Software Educativo e aprendizagem com as TIC

Curso de Formação Especializada em BE/CRE Módulo: Software Educativo e aprendizagem com as TIC Módulo: Software Educativo e aprendizagem com as TIC Trabalho realizado pelas professoras: Graça Pedrosa Ivone Pedroso Outubro 2003 Introdução Concordando com Papert, pensamos que a aprendizagem tipo familiar

Leia mais

AS MELHORES HISTÓRIAS E JOGOS PARA CRIANÇAS

AS MELHORES HISTÓRIAS E JOGOS PARA CRIANÇAS AS MELHORES HISTÓRIAS E JOGOS PARA CRIANÇAS em seu sm t e e tablet P fólio de H tóri Impressão de livros sob demanda para a sua empresa Escolha a sua! TIMOLICO E AMIGOS Público alvo: crianças de até 6

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

Contação de Histórias PEF

Contação de Histórias PEF Contação de Histórias PEF Qual a importância da narração oral? -Exerce influência tanto sobre aspectos intelectuais quanto emocionais da criança. -Tem a capacidade de estimular a imaginação, a criatividade

Leia mais

Esta edição segue as normas do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa.

Esta edição segue as normas do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. [2] Luciano Portela, 2015 Todos os direitos reservados. Não há nenhum empecilho caso queira compartilhar ou reproduzir frases do livro sem permissão, através de qualquer veículo impresso ou eletrônico,

Leia mais

PLANO DA LIÇÃO Aprender sobre Segurança Pessoal On-line

PLANO DA LIÇÃO Aprender sobre Segurança Pessoal On-line PLANO DA LIÇÃO Aprender sobre Segurança Pessoal On-line Idade Recomendada: 5 anos Guia da Lição Os alunos participarão numa discussão de grupo moderada pelo professor de modo a (a) serem expostos ao vocabulário

Leia mais

2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE

2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE Escolas João de Araújo Correia EB 2.3PESO DA RÉGUA Disciplina de Português 6º Ano Ano Letivo 2013/2014 CONTEÚDOS TEMÁTICOS CONTEÚDOS GRAMATICAIS CALENDARIZAÇÃO UNIDADE 0 Ponto de partida Reportagem televisiva

Leia mais

SOBRE A HISTÓRIA BOM TRABALHO PARA TODOS!

SOBRE A HISTÓRIA BOM TRABALHO PARA TODOS! As pistas e propostas de trabalho que se seguem são apenas isso mesmo: propostas e pistas, pontos de partida, sugestões, pontapés de saída... Não são lições nem fichas de trabalho, não procuram respostas

Leia mais

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA

LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA LEITURA ORIENTADA NA SALA DE AULA UMA AVENTURA NO BOSQUE COLEÇÃO UMA AVENTURA ATIVIDADES PROPOSTAS Leitura na aula em voz alta feita pela professora ou pelos alunos que já lêem sem dificuldade. O ritmo

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 4ºANO

PLANIFICAÇÃO ANUAL 2015/2016 PORTUGUÊS - 4ºANO . Interação discursiva Princípios de cortesia e cooperação Informação, explicação; pergunta. Compreensão e expressão Vocabulário: variedade e precisão Informação: essencial e acessória; implícita Facto

Leia mais

Anexo 1. Guião da conversa informal exploratória com as docentes de Língua Estrangeira I Inglês

Anexo 1. Guião da conversa informal exploratória com as docentes de Língua Estrangeira I Inglês ANEXOS Anexo 1 Guião da conversa informal exploratória com as docentes de Língua Estrangeira I Inglês 1. Situação profissional 2. Tempo de serviço no exercício de funções docentes 3. Distância casa/escola

Leia mais

Disponível em: http://www.portacurtas.com.br/filme.asp?cod=2844

Disponível em: http://www.portacurtas.com.br/filme.asp?cod=2844 Filme: Juro que vi: O Curupira Gênero: Animação Diretor: Humberto Avelar Ano: 2003 Duração: 11 min Cor: Colorido Bitola: 35mm País: Brasil Disponível em: http://www.portacurtas.com.br/filme.asp?cod=2844

Leia mais

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO

1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO 1 - JUSTIFICAÇÃO DO PROJECTO A actual transformação do mundo confere a cada um de nós professores, o dever de preparar os nossos alunos, proporcionando-lhes as qualificações básicas necessárias a indivíduos

Leia mais

Orientações. Rebecca Feinstein Winitzer, Editora Massachusetts Department of Public Health Copyright 2005

Orientações. Rebecca Feinstein Winitzer, Editora Massachusetts Department of Public Health Copyright 2005 Orientações Recursos para o cuidado de seu filho Segunda edição Rebecca Feinstein Winitzer, Editora Massachusetts Department of Public Health Copyright 2005 Para informações sobre como obter esta publicação

Leia mais

A Crescimentum. Por que existimos? Como fazemos? O quê fazemos? Porque queremos construir um mundo melhor a partir transformação de líderes.

A Crescimentum. Por que existimos? Como fazemos? O quê fazemos? Porque queremos construir um mundo melhor a partir transformação de líderes. A Crescimentum Por que existimos? Porque queremos construir um mundo melhor a partir transformação de líderes. Como fazemos? Simulação da realidade organizacional; Desenho de uma experiência completa.

Leia mais

Oralidade. Departamento Curricular de Língua Materna e Humanidades Ano Letivo 2015 / 2016

Oralidade. Departamento Curricular de Língua Materna e Humanidades Ano Letivo 2015 / 2016 DOMÍNIOS Oralidade Metas curriculares 1. Escutar para aprender e construir conhecimentos. 2. Produzir um discurso oral com correção. 3. Produzir discursos com diferentes finalidades, tendo em conta a situação

Leia mais

Como tirar passaporte: passo a passo

Como tirar passaporte: passo a passo Passaportes 13/01/2014 Debora Garcia Como tirar passaporte: passo a passo Se você pretende fazer sua primeira viagem internacional esse ano, então veio ao lugar certo. Hoje nós vamos aprender como tirar

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2

Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2 Método PHAST TABELA DE CONTEUDOS METODOLOGIA PHAST... 2 Fases do método PHAST... 3 1. Técnica: Historias Comunitárias... 4 2. Técnica: Enfermeira Felicidade... 5 3. Técnica: Mapeamento comunitário... 6

Leia mais

Conta-me Histórias. Lê atentamente o texto que se segue.

Conta-me Histórias. Lê atentamente o texto que se segue. Prova de Língua Portuguesa 5.º Ano de escolaridade Ano letivo 2013 / 2014-1.ª Chamada Ano lectivo 2012 / 2013 Lê atentamente o texto que se segue. Conta-me Histórias Quando eu era pequena, os campos estavam

Leia mais

Planificação Anual 1º Ciclo 3º ano

Planificação Anual 1º Ciclo 3º ano Planificação Anual 1º Ciclo ano Planificação do Período Língua Portuguesa Descritores de desempenho Compreensão do oral Prestar atenção ao que ouve de modo a tornar possível:, responder a questões sobre

Leia mais

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE

AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE AULA CRIATIVA DE HISTÓRIA - FOLCLORE Mesmo não acreditando na Educação Criativa, o professor pode fazer uma experiência para ver o resultado. É o caso da professora deste relato. Glorinha Aguiar glorinhaaguiar@uol.com.br

Leia mais

O Segredo do Rio. (2004). Miguel Sousa Tavares. 4º ano

O Segredo do Rio. (2004). Miguel Sousa Tavares. 4º ano O Segredo do Rio. (2004). Miguel Sousa Tavares. 4º ano Atividades delineadas para um exemplar por aluno/par. Era uma vez um rapaz que morava numa casa de campo. Era uma casa pequena e branca, com uma chaminé

Leia mais

Metas Curriculares de Português

Metas Curriculares de Português Metas Curriculares de Português Ensino Básico 2.º Ciclo O domínio da ORALIDADE Helena C. Buescu, Maria Regina Rocha, Violante F. Magalhães Objetivos e Descritores de Desempenho Oralidade 5.º Ano Objetivos

Leia mais

Vamos à Biblioteca Actividades de animação para escolas

Vamos à Biblioteca Actividades de animação para escolas Vamos à Biblioteca Actividades de animação para escolas Ano lectivo 2011-2012 histórias oficinas visitas leituras Bibliotecas Municipais do Porto Biblioteca Municipal Almeida Garrett (BMAG) Biblioteca

Leia mais

Vamos começar nossos estudos e descobertas????????

Vamos começar nossos estudos e descobertas???????? Aula 07 RESUMO E RESENHA Vamos iniciar nossos estudos???? Você já deve ter observado que pedimos que leia determinados textos e escreva o que entendeu, solicitamos que escreva o que o autor do texto quis

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas de Salir Biblioteca Escolar 2008/2009. Como fazer um trabalho

Agrupamento Vertical de Escolas de Salir Biblioteca Escolar 2008/2009. Como fazer um trabalho Agrupamento Vertical de Escolas de Salir Biblioteca Escolar 2008/2009 Como fazer um trabalho Etapas na elaboração de um trabalho 1ª Etapa Penso sobre o tema 2ª Etapa Onde vou encontrar a informação? 3ª

Leia mais