1º ENCONTRO DOS INTERLOCUTORES. Clínica, Epidemiologia e Transmissão Hepatite B e C. Celia Regina Cicolo da Silva 12 de maio de 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1º ENCONTRO DOS INTERLOCUTORES. Clínica, Epidemiologia e Transmissão Hepatite B e C. Celia Regina Cicolo da Silva 12 de maio de 2009"

Transcrição

1 1º ENCONTRO DOS INTERLOCUTORES REGIONAIS DE HEPATITES VIRAIS Clínica, Epidemiologia e Transmissão Hepatite B e C Celia Regina Cicolo da Silva 12 de maio de 2009

2 CADEIA DE TRANSMISSÃO DOS VÍRUS Depende: Da história natural da doença e taxa de cronificação Da infectividade do vírus Dos locais onde os vírus se concentram no organismo Da freqüência em que o vírus circula naquele local geográfico e/ou grupo populacional Da capacidade de produção de anticorpos (protetores ou não) e da disponibilidade de imunobiológicos para o controle Da eficácia dos tratamentos dos portadores crônicos Da política de ações preventivas

3 Características dos agentes etiológicos Vírus da Hepatite B (VHB) Material genético DNA. Período de incubação de 40 a 180 dias. Vírus da Hepatite C (VHC) Material genético RNA. Período de incubação de 15 a 160 dias.

4 Apresentação clínica na fase aguda Vírus da Hepatite B (VHB) Vírus da Hepatite C (VHC) Sem sintomas em: Sem sintomas em: - 100% dos neonatos a 70% dos indivíduos - 85 a 95% das crianças de 1 infectados. a 5 anos. - 80% nas crianças maiores de 5 anos e adultos. Evolução para hepatite Evolução para hepatite fulminante em 0,1% fulminante?

5 Hepatite crônica VírusdaHepatiteB(VHB) Evolução para hepatite crônica após a fase aguda 85 a 95% em neonatos VírusdaHepatiteC(VHC) Evolução para hepatite crônica após a fase aguda 75 a 85% dos infectados 30 a 60% em crianças de 1 a 5 anos 5 a 10% em adultos Evolução para cirrose e hepatocarcinoma Até 40% em neonatos 0,5% em adultos Evolução para cirrose e hepatocarcinoma 75 a 85% com hepatite leve e 15 a 25% com hepatite moderada ou grave. 15% com cirrose e hepatocarcinoma

6 CADEIA DE TRANSMISSÃO DOS VÍRUS Depende: Da história natural da doença e taxa de cronificação Da infectividade do vírus Dos locais onde os vírus se concentram no organismo Da freqüência em que o vírus circula naquele local geográfico e/ou grupo populacional Da capacidade de produção de anticorpos (protetores ou não) e da disponibilidade de imunobiológicos para o controle Da eficácia dos tratamentos dos portadores crônicos Da política de ações preventivas

7 INFECTIVIDADE DO VÍRUS A média de soroconversão após acidente ocupacional de fonte positiva: para HIV foi de 0,3%, para o HCV de 1,8% para HBV com replicação de 37 a 62% e sem replicação de 23 a 37% (CDC, 2001)

8 CADEIA DE TRANSMISSÃO DOS VÍRUS Depende: Da história natural da doença e taxa de cronificação Da infectividade do vírus Dos locais onde os vírus se concentram no organismo Da freqüência em que o vírus circula naquele local geográfico e/ou grupo populacional Da capacidade de produção de anticorpos (protetores ou não) e da disponibilidade de imunobiológicos para o controle Da eficácia dos tratamentos dos portadores crônicos Da política de ações preventivas

9 Transmissão do Vírus da Hepatite B Sexual durante contato hetero ou homossexual. Parenteral ou exposição de mucosas ao sangue ou a fluídos corpóreos, como exsudato de feridas, sêmen e secreção vaginal, de pessoas portadoras do vírus- AgHBs reagentes. O sangue é o que contém a mais alta concentração do vírus. Perinatal da mãe AgHBS reagente para o filho, no momento do parto. Horizontal ou familiar devido a proximidade das relações entre crianças menores e os contatos familiares.

10 Transmissão do Vírus da Hepatite C A principal forma de transmissão da Hepatite C é através do sangue - uso de agulhas e seringas contaminadas em injeções, uso de droga injetável e inalável, tatuagens e piercing, transfusão de sangue. A transmissão sexual e da mãe para o bebê também ocorre, porém menos que na Hepatite B. Observação: A taxa de infecção pelo VHC em jovens usuários de drogas é 4 vezes maior do que a infecção pelo HIV. Após 5 anos de uso até 90% dos usuários pode estar infectados.

11 CADEIA DE TRANSMISSÃO DOS VÍRUS Depende: Da história natural da doença e taxa de cronificação Da infectividade do vírus Dos locais onde os vírus se concentram no organismo Da freqüência em que o vírus circula naquele local geográfico e/ou grupo populacional Da capacidade de produção de anticorpos (protetores ou não) e da disponibilidade de imunobiológicos para o controle Da eficácia dos tratamentos dos portadores crônicos Da política de ações preventivas

12 Estimativa da Organização Mundial da Saúde Hepatite B: 2 bilhões de pessoas tiveram contato com o Vírus da Hepatite B (VHB) e destes 350 milhões são portadores crônicos. Hepatite C: 130 milhões de pessoas (3% da população mundial) infectadas pelo Vírus da Hepatite C.

13 Prevalência do VHB e principais i i maneiras de transmissão Área de alta endemicidade: - prevalência de portadores do VHB de 5% a 20% - evidência de infecção prévia pelo VHB em 50% a 95% da população - principal ênfase para infecção adquirida no - principal ênfase para infecção adquirida no período perinatal e na infância. As outras formas de transmissão também ocorrem, com menor ênfase.

14 Prevalência do VHB e principais i i maneiras de transmissão Área de endemicidade intermediária: - prevalência de portadores do VHB de 2% a 5% - evidência de infecção prévia pelo VHB em 30% a 50% da população - misto de infecção na infância e entre adultos. As outras formas ocorrem com menor ênfase.

15 Prevalência do VHB e principais i i maneiras de transmissão Área de endemicidade baixa: - prevalência de portadores do VHB menor 2% - evidência de infecção prévia pelo VHB menor que 30% - maioria das infecções ocorre entre adultos (via sexual, uso de drogas injetáveis ou exposição ocupacional a sangue e material contaminado). As outras formas ocorrem com menor ênfase.

16 Inquérito soro-epidemiológico com base populacional realizado no Município de São Paulo (Focaccia,1998) Taxa global de prevalência para Hepatite B de 5,94%, sendo 1,03 de HBsAg e 4,06% de pessoas imunes. A presença de algum marcador só foi verificada em pessoas com idade igual ou acima de 15 anos. Estimativa de prevalência para hepatite C de 1,42%.

17 PREVALÊNCIA DO VHB E VHC Hepatite B 1,02 % portadores portadores Hepatite C 143% 1,43 Focaccia et al, portadores portadores

18 Não podemos fazer nenhuma grande coisa, só coisas pequenas com Grande Amor. Madre Tereza

Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais

Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Conferência Latino Americana de Saúde no Trabalho São Paulo, 10 a 12 de Outubro

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DA HEPATITE B NA PARAÍBA: ANÁLISE DOS CASOS NOTIFICADOS PELO SINAN

DISTRIBUIÇÃO DA HEPATITE B NA PARAÍBA: ANÁLISE DOS CASOS NOTIFICADOS PELO SINAN DISTRIBUIÇÃO DA HEPATITE B NA PARAÍBA: ANÁLISE DOS CASOS NOTIFICADOS PELO SINAN Luan Caio Andrade de Morais*; Universidade Federal da Paraíba; luancaio_7@hotmail.com Maira Ludna Duarte; Universidade Federal

Leia mais

Hepatites. Inflamação do fígado. Alteração em enzimas hepáticas (alaminotransferase aspartatoaminotransferase e gamaglutamiltransferase ALT AST e GGT

Hepatites. Inflamação do fígado. Alteração em enzimas hepáticas (alaminotransferase aspartatoaminotransferase e gamaglutamiltransferase ALT AST e GGT Hepatites Virais Hepatites Inflamação do fígado Alteração em enzimas hepáticas (alaminotransferase aspartatoaminotransferase e gamaglutamiltransferase ALT AST e GGT Sinais clínicos: Náuseas, dor abdominal,

Leia mais

HEPATITE B e HEPATITE C

HEPATITE B e HEPATITE C Trabalho de Biologia HEPATITE B e HEPATITE C Grupo de Trabalho T.13 : Arthur Zanatta Nº: 06 Guilherme Ramos Nº: 11 Gustavo Duarte Nº: 12 Matheus Georges Nº: 22 Pedro Aguiar Nº: 28 Ricardo Mello Nº: 32

Leia mais

Vírus Hepatotrópicos A B C D E G TT SEN V -

Vírus Hepatotrópicos A B C D E G TT SEN V - HEPATITES VIRAIS Vírus Hepatotrópicos A B C D E G TT SEN V - PERSPECTIVA HISTÓRICA Infecciosa Hepatites virais Sangue A NANB B D E C Transmissão entérica Transmissão parenteral Hipócrates hepatite infecciosa

Leia mais

Acidentes Ocupacionais com Material Biológico

Acidentes Ocupacionais com Material Biológico Acidentes Ocupacionais com Material Biológico Orientações para o atendimento no PS - 2016 Atualizado por CCIH/HU-USP Risco de transmissão Quadro 1 Agente Material Exposição Risco estimado HIV sangue percutânea

Leia mais

Hepatites Virais. Prof. Claudia L. Vitral

Hepatites Virais. Prof. Claudia L. Vitral Hepatites Virais Prof. Claudia L. Vitral HEPATITES VIRAIS DE TRANSMISSÃO PARENTERAL Hepatite B Duas bilhões de pessoas infectadas pelo HBV 350 milhões de portadores crônicos Infecção pelo HBV: possibilidades

Leia mais

AIDS e HPV Cuide-se e previna-se!

AIDS e HPV Cuide-se e previna-se! AIDS e HPV Cuide-se e previna-se! O que é AIDS? Existem várias doenças que são transmissíveis através das relações sexuais e por isso são chamadas DSTs (doenças sexualmente transmissíveis). As mais conhecidas

Leia mais

Acidentes com materiais perfurocortantes

Acidentes com materiais perfurocortantes Acidentes com materiais perfurocortantes Forma de transmissão: Oral-fecal Via respiratória (gotículas ou aérea) Contato Via sanguínea Alto risco Risco Intermediário Sem risco Sangue e fluidos contendo

Leia mais

Hepatites. Inflamação do fígado. Alteração em enzimas hepáticas (alaminotransferase aspartatoaminotransferase e gamaglutamiltransferase ALT AST e GGT

Hepatites. Inflamação do fígado. Alteração em enzimas hepáticas (alaminotransferase aspartatoaminotransferase e gamaglutamiltransferase ALT AST e GGT Hepatites Virais Hepatites Inflamação do fígado Alteração em enzimas hepáticas (alaminotransferase aspartatoaminotransferase e gamaglutamiltransferase ALT AST e GGT Sinais clínicos: Náuseas, dor abdominal,

Leia mais

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1

12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde

Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Programa Nacional para a Prevenção e o Controle das Hepatites Virais Secretaria de Vigilância em Saúde Ministério da Saúde Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Secretaria de Vigilância em

Leia mais

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE HEPATITE A NOTIFICADOS EM UM ESTADO NORDESTINO

PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE HEPATITE A NOTIFICADOS EM UM ESTADO NORDESTINO PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS CASOS DE HEPATITE A NOTIFICADOS EM UM ESTADO NORDESTINO Rayana Cruz de Souza; Universidade Federal da Paraíba; rayana_souza@hotmail.com Maira Ludna Duarte; Universidade Federal

Leia mais

Hepatites Virais PASSATEMPOS. Bom pra cabeça. l CAÇA-PALAVRAS l DOMINOX l CRIPTOGRAMA. l JOGO DOS ERROS E MUITO MAIS

Hepatites Virais PASSATEMPOS. Bom pra cabeça. l CAÇA-PALAVRAS l DOMINOX l CRIPTOGRAMA. l JOGO DOS ERROS E MUITO MAIS Hepatites Virais Bom pra cabeça PASSATEMPOS l CAÇA-PALAVRAS l DOMINOX l CRIPTOGRAMA l JOGO DOS ERROS E MUITO MAIS 2 coquetel Batalha contra a hepatite O Dia Mundial de Combate às Hepatites Virais é celebrado

Leia mais

Hepatite A. Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae

Hepatite A. Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae Hepatite A Género Hepatovírus, Família dos Picornaviridae 160 casos de Hepatite A foram notificados de 1 de janeiro a 7 de abril 50% dos quais foram internados Do total de doentes, 93% eram adultos jovens

Leia mais

O QUE É HEPATITE? QUAIS OS TIPOS?

O QUE É HEPATITE? QUAIS OS TIPOS? HEPATITES ABORDAGEM PRÁTICA O QUE É HEPATITE? QUAIS OS TIPOS? SINTOMAS Variáveis Ictericia fraqueza Cansaço NA MAIORIA DAS VEZES NADA HISTÓRIA NATURAL DA HEPATITE HEPATITE A Transmissao fecal-oral Mais

Leia mais

Informação é a melhor proteção. AIDS

Informação é a melhor proteção. AIDS Informação é a melhor proteção. AIDS AIDS A AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida) atinge indiscriminadamente homens e mulheres e tem assumido proporções assustadoras desde a notificação dos primeiros

Leia mais

Diagnóstico Laboratorial de Infecções Virais. Profa. Claudia Vitral

Diagnóstico Laboratorial de Infecções Virais. Profa. Claudia Vitral Diagnóstico Laboratorial de Infecções Virais Profa. Claudia Vitral Importância do diagnóstico laboratorial virológico Determinar a etiologia e acompanhar o curso de uma infecção viral Avaliar a eficácia

Leia mais

Rotina de condutas para atendimento de acidentes ocupacionais com material biológico

Rotina de condutas para atendimento de acidentes ocupacionais com material biológico Rotina de condutas para atendimento de acidentes ocupacionais com material biológico 1- Introdução: A finalidade desta rotina é orientar a equipe multiprofissional a tomar os cuidados necessários para

Leia mais

HEPATITE B: DIAGNÓSTICO E PREVENÇÃO

HEPATITE B: DIAGNÓSTICO E PREVENÇÃO 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Vigilância sindrômica - II

Vigilância sindrômica - II Vigilância sindrômica - II Vigilância Sindrômica Síndrome Febril indeterminada com manifestações íctero-hemorrágicas (aguda ou crônica) Síndrome Respiratória aguda Síndrome Neurológica Febril Síndrome

Leia mais

8/10/2009 RISCO DE CRONIFICAÇÃO AGENTE TIPO PI VIA DE TRANSMISSÃO FORMA ICTÉRICA

8/10/2009 RISCO DE CRONIFICAÇÃO AGENTE TIPO PI VIA DE TRANSMISSÃO FORMA ICTÉRICA Fco Eugênio D. de Alexandria Infectologista A distribuição das hepatites virais é universal; Ainda representa importante problema de saúde pública; No nosso país, há uma grande variação regional na prevalência

Leia mais

Antivirais. Profa Dra Mônica Santos de Freitas Sunday, December 2, 12

Antivirais. Profa Dra Mônica Santos de Freitas Sunday, December 2, 12 Antivirais Profa Dra Mônica Santos de Freitas 21.11.2012 As vacinas são ótimas na prevenção de doenças O que acontece quando o indivíduo esta doente? A vacina é o melhor tratamento? Existem aproximadamente

Leia mais

HEPATITE B PÓS-TRANSPLANTE A visão do clínico

HEPATITE B PÓS-TRANSPLANTE A visão do clínico Workshop Internacional de Atualização em Hepatologia Curitiba, Abril de 2006 RECIDIVA DA HEPATITE B PÓS-TRANSPLANTE A visão do clínico MÁRIO REIS ÁLVARES DA SILVA Hospital de Clínicas de Porto Alegre Universidade

Leia mais

VACINANDO O PROFISSIONAL DE SAÚDE. Luciana Sgarbi CCIH - FAMEMA

VACINANDO O PROFISSIONAL DE SAÚDE. Luciana Sgarbi CCIH - FAMEMA VACINANDO O PROFISSIONAL DE SAÚDE Luciana Sgarbi CCIH - FAMEMA Vacinando o Profissional da Saúde O Ambiente Hospitalar Maior risco de aquisição e transmissão de doenças infecciosas Vacinando o Profissional

Leia mais

Riscos Biológicos. Acidente Ocupacional com Material Biológico. HIV, HCV e HBV

Riscos Biológicos. Acidente Ocupacional com Material Biológico. HIV, HCV e HBV Riscos Biológicos Acidente Ocupacional com Material Biológico HIV, HCV e HBV Sistema de Vigilância Monitorar práticas existentes Cobertura vacinal Características dos acidentes Riscos de adoecimento Estabelecer

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DAS HEPATITES VIRAIS

NORMA TÉCNICA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DAS HEPATITES VIRAIS ESTADO DE SANTA CATARINA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SUPERINTENDÊNCIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DIRETORIA DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA GERÊNCIA DE VIG. DE DOENÇAS IMUNOPREVENÍVEIS E IMUNIZAÇÃO PROGRAMA

Leia mais

Hospital São Paulo SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Hospital Universitário da UNIFESP Sistema de Gestão da Qualidade

Hospital São Paulo SPDM Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina Hospital Universitário da UNIFESP Sistema de Gestão da Qualidade DOCUMENTO: ACIDENTE OCUPACIONAL COM MATERIAL BIOLÓGICO Página: 1/12 DEFINIÇÃO: Os profissionais da área da saúde (PAS) estão constantemente expostos aos mais diversos grupos de riscos ocupacionais, como

Leia mais

PAINEL SOROLÓGICO DOS MARCADORES VIRAIS DA HEPATITE B NUMA POPULAÇÃO DE UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DE SAÚDE DA UEPG

PAINEL SOROLÓGICO DOS MARCADORES VIRAIS DA HEPATITE B NUMA POPULAÇÃO DE UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DE SAÚDE DA UEPG 8. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: SAÚDE PAINEL SOROLÓGICO DOS MARCADORES VIRAIS DA HEPATITE B NUMA POPULAÇÃO DE UNIVERSITÁRIOS DA ÁREA DE SAÚDE DA UEPG Apresentador 1 SCHUNEMANN,

Leia mais

Área: Versão: Data Criação Ultima Atualização:

Área: Versão: Data Criação Ultima Atualização: Este POP é um modelo para embasar a elaboração, visto que a cada ramo de atividade as descrições e conteúdos podem ser diferentes. Um POP deve propiciar a realidade. POP PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

Leia mais

1/12/2008. HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese. Retrovírus e oncogênese. Retrovírus e oncogênese.

1/12/2008. HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese. Retrovírus e oncogênese. Retrovírus e oncogênese. HIV como modelo de estudo de retrovírus e patogênese Retrovírus e oncogênese. Um pouco de história: 1904: Ellerman and Bang, procurando por bactérias como agentes infecciosos para leucemia em galinhas,

Leia mais

Vigilância sindrômica Síndromes febris ictero-hemorrágicas

Vigilância sindrômica Síndromes febris ictero-hemorrágicas Vigilância sindrômica Síndromes febris ictero-hemorrágicas Estratégias de Vigilância Perfil clínico-epidemiológico e vigilância Várias doenças com apresentações sindrômicas semelhantes Várias formas clínicas

Leia mais

Epidemiologia da Hepatite B

Epidemiologia da Hepatite B 1 Epidemiologia da Hepatite B 1 - Introdução - a primeira referência sobre a icterícia infecciosa foi feita pela Escola Hipocrática nos séculos V a IV a.c. Entretanto, a civilização babilônica registrou

Leia mais

HBsAg Quantitativo Sistema ARCHITECT / Abbott (Clareamento do HBsAg)

HBsAg Quantitativo Sistema ARCHITECT / Abbott (Clareamento do HBsAg) HBsAg Quantitativo Sistema ARCHITECT / Abbott (Clareamento do HBsAg) USO PRETENDIDO O ensaio HBsAg é um imunoensaio de micropartículas por quimioluminescência (CMIA) para a determinação quantitativa do

Leia mais

RECONHECIMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS

RECONHECIMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS RECONHECIMENTO DE RISCOS AMBIENTAIS 1 Registro é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se na mesorregião do Litoral Sul Paulista, na porção paulista do vale do Ribeira e é acessado por

Leia mais

Vigilância das Doenças Preveníveis por Imunização Vacinação do Profissional de Saúde

Vigilância das Doenças Preveníveis por Imunização Vacinação do Profissional de Saúde Vigilância das Doenças Preveníveis por Imunização Vacinação do Profissional de Saúde Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde da Comunidade Departamento de Epidemiologia e Bioestatística Epidemiologia

Leia mais

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO

ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM PROF. CARLOS ALBERTO CONCURSO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ESPECÍFICO DE ENFERMAGEM TEMA 11 PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE VACINAS O que faz uma vacina? Estimula

Leia mais

RELATO DE CASO Identificação: Motivo da consulta: História da Doença atual: História ocupacional: História patológica pregressa: História familiar:

RELATO DE CASO Identificação: Motivo da consulta: História da Doença atual: História ocupacional: História patológica pregressa: História familiar: RELATO DE CASO Identificação: V.L.G.E., 38 anos, branca, casada, natural e procedente de Canoas (RS). Motivo da consulta: diarréia e dor abdominal intensa. História da Doença atual: Paciente procurou o

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE NATÁLIA DI GIAIMO GIUSTI PERFIL SOROLÓGICO PARA HEPATITE B EM EXAMES ADMISSIONAIS NO IAMSPE

SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE NATÁLIA DI GIAIMO GIUSTI PERFIL SOROLÓGICO PARA HEPATITE B EM EXAMES ADMISSIONAIS NO IAMSPE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE PROGRAMA DE APRIMORAMENTO PROFISSIONAL NATÁLIA DI GIAIMO GIUSTI PERFIL SOROLÓGICO PARA HEPATITE B EM EXAMES ADMISSIONAIS NO IAMSPE Prevalência de Imunizados para Hepatite

Leia mais

PREVALÊNCIA DE HEPATITE C NA POPULAÇÃO CARCERÁRIA DO CENTRO PRISIONAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL 1

PREVALÊNCIA DE HEPATITE C NA POPULAÇÃO CARCERÁRIA DO CENTRO PRISIONAL DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL, BRASIL 1 Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 15, n. 1, p. 31-36, 2014. Recebido em: 20.11.2013. Aprovado em: 01.04.2014. ISSN 2179-6890 PREVALÊNCIA DE HEPATITE C NA POPULAÇÃO CARCERÁRIA

Leia mais

Aspectos bioquímicos da HBV. Edna Almeida 2º ano Bioquímica

Aspectos bioquímicos da HBV. Edna Almeida 2º ano Bioquímica Aspectos bioquímicos da infecção viral pelo vírus HBV Edna Almeida 2º ano Bioquímica Introdução ao vírus Foi em 1964 que Blumberg conseguiu identificar o antigénio de superfície deste vírus, e denominou-o

Leia mais

Exercício de Fixação: Características Gerais dos Vírus

Exercício de Fixação: Características Gerais dos Vírus Exercício de Fixação: Características Gerais dos Vírus 01-2017 1- Quais foram as observações feitas por Adolf Mayer que permitiram concluir que o agente etiológico da Doença do Mosaico do tabaco era um

Leia mais

Acidente Ocupacional com Material Biológico. Prevenção e Condutas. Kátia Sanches

Acidente Ocupacional com Material Biológico. Prevenção e Condutas. Kátia Sanches Acidente Ocupacional com Material Biológico Prevenção e Condutas Kátia Sanches Histórico Doença Ocupacional Tucídedes no século IV AC Peste de Atenas. Os médicos desconheciam a natureza da doença e eram

Leia mais

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ FIOCRUZ ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA - ENSP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ FIOCRUZ ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA - ENSP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ FIOCRUZ ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA - ENSP UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS HEPATITES B e C EM MANAUS: PERFIL CLÍNICO-EPIDEMIOLÓGICO E DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DE CASOS CONHECIDOS

Leia mais

Material preparado e disponibilizado por: Luiz Carlos Ribeiro Lamblet Enfermeiro Epidemiologista do Serviço de. Hospital Israelita Albert Einstein SP

Material preparado e disponibilizado por: Luiz Carlos Ribeiro Lamblet Enfermeiro Epidemiologista do Serviço de. Hospital Israelita Albert Einstein SP Material preparado e disponibilizado por: Luiz Carlos Ribeiro Lamblet Enfermeiro Epidemiologista do Serviço de Controle o de Infecção Hospitalar osptaa Hospital Israelita Albert Einstein SP 2009 Manual

Leia mais

Questionário. Para a concretização dos objectivos referidos, solicita-se a sua colaboração no preenchimento do seguinte questionário.

Questionário. Para a concretização dos objectivos referidos, solicita-se a sua colaboração no preenchimento do seguinte questionário. Questionário Eu, Sónia Manuela da Silva Pinto, aluna do 4º ano da Licenciatura em Enfermagem da Universidade Fernando Pessoa, encontro-me a realizar uma investigação Conhecimentos e Comportamentos face

Leia mais

HOMENAGEM AO PAI. Projeto Mexa-se comemora Dia dos Pais prestandohomenagem ao Pai mais idoso

HOMENAGEM AO PAI. Projeto Mexa-se comemora Dia dos Pais prestandohomenagem ao Pai mais idoso Diário Oficial Ano: 2 Edição: 265 Páginas: 8 HOMENAGEM AO PAI Projeto Mexa-se comemora Dia dos Pais prestandohomenagem ao Pai mais idoso O Projeto Mexa-se promove, quinta-feira (7 de agosto), na sede da

Leia mais

2.1- Roteiro de investigação

2.1- Roteiro de investigação CID-10:» B15 (Hepatite A)» B16.2 e B 16.9 (Hepatite aguda B)» B18.1 (Hepatite crônica B)» B17.1 (Hepatite aguda C)» B18.2 (Hepatite cronica C)» B16.0 e B16.1 (Hepatite aguda D)» B18.0 (Hepatite cronica

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CURSO DE FARMÁCIA SANIELE DE SOUSA CARDOSO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CURSO DE FARMÁCIA SANIELE DE SOUSA CARDOSO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA CURSO DE FARMÁCIA SANIELE DE SOUSA CARDOSO ANÁLISE DA SOROPOSITIVIDADE DE ANTI-HBS EM PROFISSIONAIS DE

Leia mais

Carteira de VETPRADO. Hospital Veterinário 24h.

Carteira de VETPRADO. Hospital Veterinário 24h. Carteira de Carteira de VETPRADO Hospital Veterinário 24h www.vetprado.com.br Esquema de VacinaçãoGatos V5 Panleucopenia - Rinotraqueíte - Calicivirose Clamidiose - Leucemia Felina 90Dias 111Dias Raiva

Leia mais

SOROPREVALÊNCIA DO VÍRUS DA HEPATITE B EM CAMINHONEIROS QUE TRAFEGAM NA RODOVIA BR 364 NO ESTADO DE RONDÔNIA, BRASIL

SOROPREVALÊNCIA DO VÍRUS DA HEPATITE B EM CAMINHONEIROS QUE TRAFEGAM NA RODOVIA BR 364 NO ESTADO DE RONDÔNIA, BRASIL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ INSTITUTO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO BIOLOGIA DE AGENTES INFECCIOSOS E PARASITÁRIOS SOROPREVALÊNCIA DO VÍRUS DA HEPATITE B EM CAMINHONEIROS QUE TRAFEGAM

Leia mais

Perfil soroepidemiológico da infecção pelo vírus da hepatite B notificado no município de São Miguel do Oeste, Santa Catarina Flávia Hoffmann Palú *

Perfil soroepidemiológico da infecção pelo vírus da hepatite B notificado no município de São Miguel do Oeste, Santa Catarina Flávia Hoffmann Palú * Perfil soroepidemiológico da infecção pelo vírus da hepatite B notificado no município de São Miguel do Oeste, Santa Catarina Flávia Hoffmann Palú * Resumo Juliana Seger ** A hepatite B é uma doença causada

Leia mais

Avaliação da soroprevalência do vírus da hepatite C em pacientes portadores de doenças sexualmente transmissíveis na cidade de São Paulo

Avaliação da soroprevalência do vírus da hepatite C em pacientes portadores de doenças sexualmente transmissíveis na cidade de São Paulo MARCELO ARNONE Avaliação da soroprevalência do vírus da hepatite C em pacientes portadores de doenças sexualmente transmissíveis na cidade de São Paulo Dissertação apresentada à Faculdade de Medicina da

Leia mais

Importância e Descoberta

Importância e Descoberta Importância e Descoberta OMS - VACINAÇÃO E ÁGUA LIMPA INTERVENÇÕES DE SAÚDE PÚBLICA COM MAIOR IMPACTO NA SAÚDE MUNDIAL, APLICADAS MESMO ANTES DO CONHECIMENTO DA EXISTENCIA DE GERMES EM 1786 JENNER, APÓS

Leia mais

HEPATITES VIRAIS: Risco de transmissão e caracterização do conhecimento de profissionais do bairro Centro de Passos - MG

HEPATITES VIRAIS: Risco de transmissão e caracterização do conhecimento de profissionais do bairro Centro de Passos - MG 6ª Jornada Científica e Tecnológica e 3º Simpósio de Pós-Graduação do IFSULDEMINAS 04 e 05 de novembro de 2014, Pouso Alegre/MG HEPATITES VIRAIS: Risco de transmissão e caracterização do conhecimento de

Leia mais

MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV

MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA. Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV MENINGITE E DOENÇA MENINGOCÓCICA Profa. Maria Lucia Penna Disciplina de Epidemiologia IV Quais são os principais agentes da meningite? Etiologia meningites Brasil 2007-2010 (fonte: SINAN) Etiologia

Leia mais

Sessão conjunta dos Serviços de Gastrohepatologia e Transplante Hepático do Hospital Universitário Walter Cantídio UFC

Sessão conjunta dos Serviços de Gastrohepatologia e Transplante Hepático do Hospital Universitário Walter Cantídio UFC Sessão conjunta dos Serviços de Gastrohepatologia e Transplante Hepático do Hospital Universitário Walter Cantídio UFC José Milton de Castro Lima Fortaleza, 29/3/2011 Caso clínico e discussão Caso clínico

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA

RELATO DE EXPERIÊNCIA RELATO DE EXPERIÊNCIA DETECÇÃO DE HEPATITE C ATRAVÉS DE TESTE RÁPIDO NUMA UAPS: RELATO DE EXPERIÊNCIA Detection of Hepatitis C through a Rapid Test at a Primary Health Care Unit: Experience Report Amaralina

Leia mais

GLICOSE - JEJUM Material: Soro Método..: Colorimétrico Enzimático - Auto Analisador RESULTADO:

GLICOSE - JEJUM Material: Soro Método..: Colorimétrico Enzimático - Auto Analisador RESULTADO: Pag.: 1 de 9 GLICOSE - JEJUM Método..: Colorimétrico Enzimático - Auto Analisador RESULTADO: 96 mg/dl 60 a 99 mg/dl Resultados Anteriores: 53[1/8/2013]; 71[9/12/2012]; 80[3/3/2012]; 74[17/5/2011]; 81[17/11/2006];

Leia mais

Flávia Vieira Diogo 1 Valéria Aparecida da Silva Melo de Souza 1 Flammarion Landre Diogo 1 Jorge Kleber Chavasco 2

Flávia Vieira Diogo 1 Valéria Aparecida da Silva Melo de Souza 1 Flammarion Landre Diogo 1 Jorge Kleber Chavasco 2 Flávia Vieira Diogo 1 Valéria Aparecida da Silva Melo de Souza 1 Flammarion Landre Diogo 1 Jorge Kleber Chavasco 2 Study of the seroprevalence of the hepatitis B virus among blood donors at the Hemotherapy

Leia mais

Durante o tratamento odontológico, as hepatites virais

Durante o tratamento odontológico, as hepatites virais ISSN 00347272 ARTIGO DE REVISÃO Hepatites virais: um fator de risco na prática odontológica Viral hepatitis: a risk factor in dental practice Francisco Augusto Gondim Silva Professor Assistente de Odontologia

Leia mais

Cadeia epidemiológica

Cadeia epidemiológica Universidade Federal de Pelotas Faculdade de Veterinária Cadeia epidemiológica Epidemiologia e ecologia Fábio Raphael Pascoti Bruhn MÁGICO-RELIGIOSAS Pré-história (até 3500 a.c) e idade média (500 a 1500

Leia mais

INFECÇÃO PELO HIV E AIDS

INFECÇÃO PELO HIV E AIDS INFECÇÃO PELO HIV E AIDS Infecção pelo HIV e AIDS 1981: pneumonia por Pneumocystis carinii/jirovecii outros sinais e sintomas: infecção do SNC, infecção disseminada por Candida albicans, perda de peso,

Leia mais

O INVERNO ESTÁ CHEGANDO Temos que dobrar os cuidados

O INVERNO ESTÁ CHEGANDO Temos que dobrar os cuidados O INVERNO ESTÁ CHEGANDO Temos que dobrar os cuidados Com o inverno se aproximando o risco de transmissão de doenças respiratórias aumenta, por isso temos que dobrar os cuidados nessa época. Vejamos juntos

Leia mais

1.4 Metodologias analíticas para isolamento e identificação de micro-organismos em alimentos

1.4 Metodologias analíticas para isolamento e identificação de micro-organismos em alimentos Áreas para Submissão de Resumos (1) Microbiologia de Alimentos Trabalhos relacionados com micro-organismos associados aos alimentos: crescimento, identificação, biossíntese, controle, interação com o hospedeiro,

Leia mais

Curso Preparatório para Residência em Enfermagem Hepatites Virais. Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc

Curso Preparatório para Residência em Enfermagem Hepatites Virais. Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Curso Preparatório para Residência em Enfermagem-2012 Hepatites Virais Prof. Fernando Ramos Gonçalves -Msc Hepatite = distúrbio inflamatório do fígado Fonte: www.gastroalgarve.com Hepatites Infecciosas

Leia mais

CONHECIMENTOS, ATITUDES E COMPORTAMENTOS A RESPEITO DA HEPATITE B PELOS ALUNOS DOS CURSOS DE ODONTOLOGIA, MEDICINA E

CONHECIMENTOS, ATITUDES E COMPORTAMENTOS A RESPEITO DA HEPATITE B PELOS ALUNOS DOS CURSOS DE ODONTOLOGIA, MEDICINA E 0 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA FACULDADE DE ODONTOLOGIA MESTRADO EM ODONTOLOGIA CONHECIMENTOS, ATITUDES E COMPORTAMENTOS A RESPEITO DA HEPATITE B PELOS ALUNOS DOS CURSOS DE ODONTOLOGIA, MEDICINA E ENFERMAGEM

Leia mais

SEROPREVALENCE OF HEPATITIS C IN BLOOD DONORS IN CAMPO MOURÃO - PR AND COMCAM

SEROPREVALENCE OF HEPATITIS C IN BLOOD DONORS IN CAMPO MOURÃO - PR AND COMCAM ISSN:1980-0002 SOROPREVALÊNCIA DE HEPATITE C EM DOADORES DE SANGUE DO MUNICÍPIO DE CAMPO MOURÃO E COMCAM PR Arienne Serrano Alves 1, Aline Paula Isolani 2. Ar tigo Completo RESUMO Este trabalho teve por

Leia mais

Profa. Carolina G. P. Beyrodt

Profa. Carolina G. P. Beyrodt Profa. Carolina G. P. Beyrodt Agente etiológico: Toxoplasma gondii (Protozoário coccídeo do Filo Apicomplexa) Histórico Isolado em 1908 de um roedor do deserto: Ctenodactylus gondii 1923 descrição do primeiro

Leia mais

INDICADORES DEMANDA DE DROGAS

INDICADORES DEMANDA DE DROGAS INDICADORES DEMANDA DE DROGAS BRASIL Observatório Brasileiro de Informações sobre Drogas - OBID Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas- SENAD Ministério da Justiça COMPARAÇÕES ENTRE O I e II LEVANTAMENTOS

Leia mais

Diagnóstico laboratorial das infecções por HBV e HCV

Diagnóstico laboratorial das infecções por HBV e HCV Curso de Formação Doenças Infecciosas Víricas! Porto, 4 de Outubro de 2014 Diagnóstico laboratorial das infecções por HBV e HCV José Miguel Azevedo Pereira!! Professor Auxiliar, Faculdade de Farmácia,

Leia mais

VI Simpósio Estadual de Hepatites Virais B e C

VI Simpósio Estadual de Hepatites Virais B e C BIOLOGIA MOLECULAR DOS VÍRUS DAS HEPATITES B E C Dra REGINA CÉLIA MOREIRA Pesquisadora Científica - Instituto Adolfo Lutz SP regina.moreira7@gmail.com VI Simpósio Estadual de Hepatites Virais B e C VÍRUS

Leia mais

Anemia Infecciosa das Galinhas

Anemia Infecciosa das Galinhas Anemia Infecciosa das Galinhas Leonardo Bozzi Miglino Programa de Pós-graduação - UFPR Mestrado Ciências Veterinárias 2010 Histórico: Isolado e descrito no Japão (1979), chamado de agente da anemia das

Leia mais

A INCIDÊNCIA DE CASOS NOVOS DE AIDS EM CRIANÇA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA/RS/BRASIL 1

A INCIDÊNCIA DE CASOS NOVOS DE AIDS EM CRIANÇA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA/RS/BRASIL 1 A INCIDÊNCIA DE CASOS NOVOS DE AIDS EM CRIANÇA NO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA/RS/BRASIL 1 Brum. C. N. ; Zuge. S. S. ; Ribeiro, A. C. ; Tronco, C. S. ; Tolentino, L. C. ; Santos, É. É. P. ;Padoin, S. M. M.

Leia mais

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli

Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia. Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Tipos de Estudos Clínicos: Classificação da Epidemiologia Profa. Dra. Maria Meimei Brevidelli Roteiro da Apresentação 1. Estrutura da Pesquisa Científica 2. Classificação dos estudos epidemiológicos 3.

Leia mais

Quando parar o tratamento da hepatite B nos cirróticos e não-cirróticos? Deborah Crespo

Quando parar o tratamento da hepatite B nos cirróticos e não-cirróticos? Deborah Crespo Quando parar o tratamento da hepatite B nos cirróticos e não-cirróticos? Deborah Crespo Metas de tratamento da hepatite B crônica Melhora na qualidade de vida e sobrevida Evitando a progressão da doença

Leia mais

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA HEPATITE C Revisão da Literatura

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA HEPATITE C Revisão da Literatura DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DA INFECÇÃO PELO VÍRUS DA HEPATITE C Revisão da Literatura CLÁUDIA REGINA FAVALI SCAVASSA RESUMO Diante da grande importância da infecção causada pelo vírus da hepatite C e da

Leia mais

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017

Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017 Vigilância e prevenção das Doenças de transmissão vertical 2016/2017 Principais Doenças de Transmissão Vertical no Brasil Sífilis congênita HIV-AIDS Hepatites B e C Rubéola congênita Toxoplasmose congênita

Leia mais

Acta Scientiarum. Health Sciences ISSN: Universidade Estadual de Maringá Brasil

Acta Scientiarum. Health Sciences ISSN: Universidade Estadual de Maringá Brasil Acta Scientiarum. Health Sciences ISSN: 1679-9291 eduem@uem.br Universidade Estadual de Maringá Brasil Miyamoto, Sonia Kaori; Bertolini, Dennis Armando Estudo da soroprevalência do AgHBs em gestantes da

Leia mais

Recomendações para terapia antirretroviral em adultos infectados pelo HIV- 2008

Recomendações para terapia antirretroviral em adultos infectados pelo HIV- 2008 Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais Recomendações para terapia antirretroviral em adultos infectados pelo HIV- 2008 Suplemento III - Tratamento

Leia mais

Gabriela Tannus Branco de Araújo, MSc

Gabriela Tannus Branco de Araújo, MSc TEMA: Segurança não custa mais Uma visão econômica OU Custo de prevenir vs. custo de tratar o acidente Gabriela Tannus Branco de Araujo, MSc Gabriela Tannus Branco de Araújo, MSc Nem tudo que é novo inova...

Leia mais

COINFECÇÃO HEPATITE-HIV: DA EPIDEMIOLOGIA AO TRATAMENTO

COINFECÇÃO HEPATITE-HIV: DA EPIDEMIOLOGIA AO TRATAMENTO COINFECÇÃO HEPATITE-HIV: DA EPIDEMIOLOGIA AO TRATAMENTO Murilo Masanobu Tomiyoshi 1 ; Lucas Yuji Igarashi 2 ; Simone Martins Bonafé 3 RESUMO: Este resumo tem o objetivo de informar, atualizar e melhorar

Leia mais

Prevenção e controle das infecções virais

Prevenção e controle das infecções virais Prevenção e controle das infecções virais 1 Medidas de prevenção de doenças virais Redução do risco de exposição Introdução de melhorias sanitárias (ex. infecções entéricas) Veiculação de informações para

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA VANESSA BESEN COSTA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA VANESSA BESEN COSTA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE GRADUAÇÃO EM ODONTOLOGIA VANESSA BESEN COSTA COBERTURA VACINAL E SOROCONVERSÃO PARA A HEPATITE B EM ALUNOS DE ODONTOLOGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA

Leia mais

ENFERMAGEM (PREF. MUNICIPAL DE CASCAVEL-PR / TÉCNICO EM ENFERMAGEM / CONSULPLAN / 2016)

ENFERMAGEM (PREF. MUNICIPAL DE CASCAVEL-PR / TÉCNICO EM ENFERMAGEM / CONSULPLAN / 2016) ENFERMAGEM 21. A desidratação pode ocorrer em crianças sem aleitamento materno, desnutridas, imunodeprimidas, sendo sua incidência maior nas populações de baixo nível socioeconômico. A depressão da fontanela

Leia mais

Incidência e mortalidade por hepatite B, de 2001 a 2009: uma comparação entre o Brasil, Santa Catarina e Florianópolis

Incidência e mortalidade por hepatite B, de 2001 a 2009: uma comparação entre o Brasil, Santa Catarina e Florianópolis Artigo Original Incidência e mortalidade por hepatite B, de 21 a 29: uma comparação entre o Brasil, Santa Catarina e Florianópolis Incidence and mortality rates from hepatitis B from 21 to 29: a comparison

Leia mais

Determinantes do processo saúde-doença. Identificação de riscos à saúde. Claudia Witzel

Determinantes do processo saúde-doença. Identificação de riscos à saúde. Claudia Witzel Determinantes do processo saúde-doença. Identificação de riscos à saúde Claudia Witzel CONCEITOS DE SAÚDE E DOENÇA Saúde pode ser definida como ausência de doença Doença ausência de saúde... Saúde é um

Leia mais

MARCADORES SOROLÓGICOS PARA HEPATITE B APÓS DEZ ANOS DE VACINAÇÃO EM CRIANÇAS DE CRICIÚMA - SC

MARCADORES SOROLÓGICOS PARA HEPATITE B APÓS DEZ ANOS DE VACINAÇÃO EM CRIANÇAS DE CRICIÚMA - SC UNIVERSIDADE DO EXTREMO SUL CATARINENSE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE MARCADORES SOROLÓGICOS PARA HEPATITE B APÓS DEZ ANOS DE VACINAÇÃO EM CRIANÇAS DE CRICIÚMA - SC GLAUCO DANIELLE FAGUNDES

Leia mais

Vírus, Gastroenterites e Diarréias. (Derek Wong)

Vírus, Gastroenterites e Diarréias. (Derek Wong) Vírus, Gastroenterites e Diarréias (Derek Wong) Gastroenterites virais Responsáveis por até 3/4 de todas diarréias de origem infecciosa. Gastroenterite viral é a segunda mais comum causa de doença, suplantada

Leia mais

Infecção prévia por dengue não agrava o quadro de Zika Ter, 27 de Junho de :04 - Última atualização Ter, 27 de Junho de :07

Infecção prévia por dengue não agrava o quadro de Zika Ter, 27 de Junho de :04 - Última atualização Ter, 27 de Junho de :07 Quem é infectado pelo vírus Zika depois de já ter tido dengue aparentemente não apresenta uma enfermidade mais severa do que pessoas sem contato prévio com o vírus da dengue. Essa conclusão decorre de

Leia mais

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito!

9º ano em AÇÃO. Assunção contra o mosquito! Paz e Bem 9º ano em AÇÃO Assunção contra o mosquito! Informações sobre o mosquito Mosquito doméstico Hábitos Reprodução Transmissão vertical DENGUE Transmissão: principalmente pela picada do mosquito

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E SAÚDE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA CAMILA MELLO DOS SANTOS

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E SAÚDE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA CAMILA MELLO DOS SANTOS CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BRASÍLIA FACULDADE DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO E SAÚDE GRADUAÇÃO EM BIOMEDICINA CAMILA MELLO DOS SANTOS A EPIDEMIOLOGIA DA HEPATITE C ENTRE OS ANOS 1999 E 2009 Trabalho de Conclusão

Leia mais

Interação parasito-hospedeiro: A infecção pelos vírus das hepatites de transmissão parenteral (HBV e HCV) Prof. Cláudia L. Vitral

Interação parasito-hospedeiro: A infecção pelos vírus das hepatites de transmissão parenteral (HBV e HCV) Prof. Cláudia L. Vitral Interação parasito-hospedeiro: A infecção pelos vírus das hepatites de transmissão parenteral (HBV e HCV) Prof. Cláudia L. Vitral Os vírus das hepatites Transmissão entérica Vírus da hepatite A (HAV) Fam.

Leia mais

Redalyc. Sistema de Informação Científica. Calixto de Carvalho, Ayla Maria; Evangelista de Araújo, Telma Maria

Redalyc. Sistema de Informação Científica. Calixto de Carvalho, Ayla Maria; Evangelista de Araújo, Telma Maria Redalyc Sistema de Informação Científica Rede de Revistas Científicas da América Latina o Caribe, a Espanha e Portugal Calixto de Carvalho, Ayla Maria; Evangelista de Araújo, Telma Maria Análise da produção

Leia mais

Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança

Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde - particularidades na criança Guarda Junho 2015 Arminda Jorge Particularidades na criança Prematuridade Alteração da barreira cutânea Imunodepressão Ambientes

Leia mais

HEPATITE B EM POPULAÇÕES ESPECIAIS

HEPATITE B EM POPULAÇÕES ESPECIAIS HEPATITE B EM POPULAÇÕES VII WORKSHOP INTERNACIONAL DE ATUALIZAÇÃO EM HEPATOLOGIA Curitiba, 29 a 30 Agosto de 2014 Leila MM Beltrão Pereira MD PhD Prof. Titular de Gastroenterologia FCM Chefe do Serviço

Leia mais

Palavras - chave: Hepatite B, soroprevalência, triagem sorológica.

Palavras - chave: Hepatite B, soroprevalência, triagem sorológica. SOROPREVALÊNCIA DE HEPATITE B NO HEMONÚCLEO DE REDENÇÃO NO PERÍODO DE 2008 A 2009 Hepatitis B seroprevalence in Hemonúcleo of Redenção, in the period 2008 to 2009 Sousa, Daiane Silva de 1 Dantas, Eyme

Leia mais

FARMACOLOGIA. Aula 12 Continuação da aula anterior IMUNIZAÇÃO: ACTIVA E PASSIVA. IMONUGLOBULINAS. VACINAS. LISADOS BACTERIANOS.

FARMACOLOGIA. Aula 12 Continuação da aula anterior IMUNIZAÇÃO: ACTIVA E PASSIVA. IMONUGLOBULINAS. VACINAS. LISADOS BACTERIANOS. FARMACOLOGIA Aula 12 Continuação da aula anterior IMUNIZAÇÃO: ACTIVA E PASSIVA. IMONUGLOBULINAS. VACINAS. LISADOS BACTERIANOS. IMUNIZAÇÃO Protecção contra infecções e doenças cancerígenas. Protecção do

Leia mais

O uso dos testes rápidos como ferramenta efetiva para a saúde pública experiência brasileira

O uso dos testes rápidos como ferramenta efetiva para a saúde pública experiência brasileira O uso dos testes rápidos como ferramenta efetiva para a saúde pública experiência brasileira Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Vigilância, Prevenção e Controle das DST,

Leia mais

HEPATITE B E C: DO RISCO DE CONTAMINAÇÃO POR MATERIAIS DE MANICURE/PEDICURE À PREVENÇÃO Flávia Cristina Alves de Melo 1, Aline Paula Isolani 2

HEPATITE B E C: DO RISCO DE CONTAMINAÇÃO POR MATERIAIS DE MANICURE/PEDICURE À PREVENÇÃO Flávia Cristina Alves de Melo 1, Aline Paula Isolani 2 ISSN:1980-0002 HEPATITE B E C: DO RISCO DE CONTAMINAÇÃO POR MATERIAIS DE MANICURE/PEDICURE À PREVENÇÃO Flávia Cristina Alves de Melo 1, Aline Paula Isolani 2 Ar tigo de Revisão RESUMO As hepatites do tipo

Leia mais