REVISÃO DA LITERATURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REVISÃO DA LITERATURA"

Transcrição

1

2 OBJETIVO O objetivo deste artigo é o de descrever e analisar o grau de implementação de políticas tributárias extrafiscais para promover a sustentabilidade ambiental. Na descrição do objeto do estudo está o detalhamento dos tributos que mais contribuem para preservar áreas verdes e incentivar ações sustentáveis, do ponto de vista ecológico.

3 METODOLOGIA Quanto à análise, esta consiste na aplicação de uma pesquisa através de um questionário, junto aos gestores das Secretarias Municipais de Finanças, para se medir o grau de incorporação das medidas de sustentabilidade ambiental, através de políticas fiscais e também a análise da legislação tributária de cada um dos sete municípios componentes da região do Grande ABCD, para se identificar práticas voltadas à manutenção de um meio ambiente sustentável.

4 DETALHES DA PESQUISA Foi feita uma pesquisa quantitativa para se medir o grau de implementação da tributação ambiental e do uso de incentivos fiscais por parte das prefeituras, na visão de seus gestores, sendo que o questionário continha dez questões, com alternativas de respostas às questões fechadas em escala Likert de cinco pontos, variando de absolutamente até certamente. Além disso, foi feita uma pesquisa qualitativa de análise de legislação tributária para se apurar a existência dos Green Taxes e de isenções e incentivos fiscais ambientais nas legislações dos sete municípios, que são: Santo André, São Caetano do Sul, São Bernardo do Campo, Diadema, Ribeirão Pires, Rio Grande da Serra e Mauá.

5 REVISÃO DA LITERATURA Em termos de referencial teórico, para se justificar a intervenção do Estado na Economia para corrigir falhas de mercado, decorrentes de externalidades negativas no tocante à poluição ambiental, alguns autores informam que tal fenômeno ocorre quando os custos sociais excedem os custos privados (MUSGRAVE; MUSGRAVE, 1980, p. 49) e a solução, em termos de tecnologia variável é que o setor público promova incentivos fiscais para que empresas e famílias adotem soluções tecnológicas que minimizem a poluição(musgrave; MUSGRAVE, 1980, p.610).

6 REVISÃO DA LITERATURA Outros autores detalham o conceito de externalidades, mostrando graficamente como é o equilíbrio competitivo de mercado com tal externalidade, o que é o conceito de tragédia dos comuns, bem como o conceito de imposto pigouviano, o uso da regulamentação por parte dos governos (ANDRADE, 2004, pp ). Em especial, a questão do imposto pigouviano será descrita (DONAIRE; 1999, p. 45), do ponto de vista da internalização do dano ambiental (ALMEIDA, 2004).

7 REVISÃO DA LITERATURA Alguns tributos possuem caráter extrafiscal, dentro de um contexto que envolve a tributação ambiental. Os conceitos de extrafiscalidade e tributação ambiental, bem como os tipos de tributos extrafiscais serão analisados neste artigo (BARICHELLO, ARAÚJO; 2007). Será analisado o direito tributário como instrumento de política econômica e ambiental, bem como os impactos da aplicação da tributação ambiental (MODÉ, 2007). Será discutida a possibilidade de existência de um imposto ambiental (ARAUJO et al, 2003), também conhecido como Green Tax (FERRAZ, 2002). É importante também mencionar o conceito do poluidor-pagador(oliveira, 1999).

8 REVISÃO DA LITERATURA Outros autores detalham o conceito de externalidades, mostrando graficamente como é o equilíbrio competitivo de mercado com tal externalidade, o que é o conceito de tragédia dos comuns, bem como o conceito de imposto pigouviano, o uso da regulamentação por parte dos governos (ANDRADE, 2004, pp ). Em especial, a questão do imposto pigouviano será descrita (DONAIRE; 1999, p. 45), do ponto de vista da internalização do dano ambiental (ALMEIDA, 2004).

9

10 Equilíbrio com externalidade negativa em um mercado competitivo

11 Imposição de um tributo pigouviano para correção de externalidade em mercado competitivo

12 Imposição de um tributo pigouviano para correção de externalidade em mercado competitivo

13 Mecanismos de controle da degradação ambiental: negociação, regulação direta e instrumentos econômicos 1) Regulação privada 2) Regulação pública

14 Mecanismos de controle da degradação ambiental: negociação, regulação direta e instrumentos econômicos 1) Regulação privada 2) Regulação pública

15 Regulação pública 1) Padrões e controles 2) Zoneamento 3) Sistemas de cotas 4) Licenças 4) Instrumentos econômicos (impostos, taxas, tarifas, subsídios) 5) Criação de mercados 6) Mecanismos de devolução de depósitos

16 Tributação ambiental Para Oliveira (1999), o sistema tributário é um eficiente instrumento de transformação econômica e social e, pois, deve estar a serviço da preservação dos recursos ambientais, através do manejo adequado da tributação: a tributação ambiental, isto é, a tributação voltada para a defesa do meio ambiente.

17 Tributação ambiental Uma das formas para se promover a defesa do meio ambiente é através da tributação ambiental que é o emprego de instrumentos tributários para orientar o comportamento dos contribuintes a protesto do meio ambiente, bem como para gerar recursos necessários à prestação de serviços públicos de natureza ambiental. (OLIVEIRA, 1999).

18 Tributação ambiental A tributação ambiental diferencia-se do caráter sancionatório porque não se aplica às atividades ilícitas e visa atender ao princípio do poluidor pagador, que objetiva a internalização dos custos relativos externos de deterioração ambiental, impondo ao agente econômico o ônus dos custos de diminuição do dano ambiental, que está de acordo com o Princípio 16 da Declaração do Rio, de 1992 (MODÉ, 2007).

19 Tributação ambiental Tem uma função muito importante no processo de reforma social não só como fonte de receita mas, sobretudo, como forma de conscientização das pessoas acerca da importância e necessidade de preservação do meio ambiente (ALMEIDA, 2004).

20 Resultados da pesquisa da legislação sobre Tributação ambiental nos municípios componentes da região do ABC

21 Resultados da pesquisa qualitativa e quantitativa sobre Tributação Ambiental nos municípios componentes da região do grande ABC Isenção parcial de IPTU Taxas ambientais Servidores têm consciência da existência de descontos sobre tributos com finalidade de sustentabilidade Há mais incentivos fiscais de desenvolvimento econômico local

TRIBUTAÇÃO COMO INSTRUMENTO PROMOTOR DA SUSTENTABILIDADE: MITO OU VERDADE? UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS COMPONENTES DA REGIÃO DO GRANDE ABC

TRIBUTAÇÃO COMO INSTRUMENTO PROMOTOR DA SUSTENTABILIDADE: MITO OU VERDADE? UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS COMPONENTES DA REGIÃO DO GRANDE ABC TRIBUTAÇÃO COMO INSTRUMENTO PROMOTOR DA SUSTENTABILIDADE: MITO OU VERDADE? UM ESTUDO NOS MUNICÍPIOS COMPONENTES DA REGIÃO DO GRANDE ABC Gustavo Benevides (UNISO) - guben76@gmail.com Marcos Takao Ozaki

Leia mais

desenvolvimento sócioeconômico, interesses da segurança nacional e à proteção da dignidade da vida humana.

desenvolvimento sócioeconômico, interesses da segurança nacional e à proteção da dignidade da vida humana. POLÍTICA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE: Uma visão crítica A Política Nacional do Meio Ambiente tem por objetivo a preservação, melhoria e recuperação da qualidade ambiental propícia à vida, visando assegurar,

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: UMA INTERAÇÃO ENTRE O SETOR PÚBLICO E EMPRESAS. Altamir Thimóteo prof. e-mail: athimoteo@gmail.

RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: UMA INTERAÇÃO ENTRE O SETOR PÚBLICO E EMPRESAS. Altamir Thimóteo prof. e-mail: athimoteo@gmail. RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: UMA INTERAÇÃO ENTRE O SETOR PÚBLICO E EMPRESAS Altamir Thimóteo prof. e-mail: athimoteo@gmail.com Universidade Estadual do Centro-Oeste/Setor de Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

LFG MAPS. Conceitos fundamentais 6 questões

LFG MAPS. Conceitos fundamentais 6 questões ECONOMIA Nível de importância Tema QTDE de Questões Porcentagem % 1 Conceitos fundamentais 6 27% 2 Estrutura de mercado 5 23% 3 Determinação das curvas de procura 3 14% 4 Política fiscal e monetária 2

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 24 abril de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 24 abril de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 24 abril de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico O instrumento governamental da desoneração tributária 1 Desoneração, preços e consumo Um dos principais

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez

Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON. Economia Ecológica. Professor Rodrigo Nobre Fernandez Universidade Federal de Pelotas UFPEL Departamento de Economia - DECON Economia Ecológica Professor Rodrigo Nobre Fernandez Capítulo 9 Industrialização, meio ambiente, inovação e competitividade Pelotas,

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS NO BRASIL: UMA VISÃO GERAL. Agosto/2007

GESTÃO DE RESÍDUOS NO BRASIL: UMA VISÃO GERAL. Agosto/2007 GESTÃO DE RESÍDUOS NO BRASIL: UMA VISÃO GERAL Agosto/2007 Quantidade de Resíduos Sólidos Urbanos Gerada e Coletada em 2005 (ton/dia) Macroregião RSU gerado (ton/dia) Ìndice de Coleta (%) RSU coletado (ton/dia)

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 ÍNDICE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1. OBJETIVO...3 2. APLICAÇÃO...3 3. IMPLEMENTAÇÃO...3 4. REFERÊNCIA...3

Leia mais

Teoria Econômica e meio ambiente: contribuições e limites Uma análise exploratória

Teoria Econômica e meio ambiente: contribuições e limites Uma análise exploratória Teoria Econômica e meio ambiente: contribuições e limites Uma análise exploratória Alain Herscovici Universidade Federal do Espírito Santo, Brazil Programa de Pós-Graduação em Economia CNPq/GEECICC Introdução

Leia mais

Estrutura do Ministério

Estrutura do Ministério Biocombustíveis: Geopolítica e Sustentabilidade MMA UnB USP Ministério do Meio Ambiente MMA Secretaria de Mudanças Climáticas e Qualidade Ambiental SMCQ Estrutura do Ministério Departamento de Licenciamento

Leia mais

POLÍTICAS AMBIENTAIS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EM PALMAS

POLÍTICAS AMBIENTAIS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EM PALMAS POLÍTICAS AMBIENTAIS PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EM PALMAS Germana Pires Coriolano Presidente da Fundação de Meio Ambiente Prefeitura Municipal de Palmas desenvolvimento sustentável é aquele que

Leia mais

A tributação e a proteção jurídica do meio ambiente no Direito brasileiro.

A tributação e a proteção jurídica do meio ambiente no Direito brasileiro. A tributação e a proteção jurídica do meio ambiente no Direito brasileiro. Paulo Sérgio Miranda Gabriel Filho Mestre em Direito UFMT Auditor Fiscal da Receita Federal do Brasil Estrutura da apresentação

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO DA COLETA SELETIVA DOS MATERIAIS DESCARTADOS Programa Nº 05/2016

Leia mais

CONCURSO PGE-SP: ANÁLISE COMPLETA DOS

CONCURSO PGE-SP: ANÁLISE COMPLETA DOS CONCURSO PGE-SP: ANÁLISE COMPLETA DOS CONCURSOS ANTERIORES Considerações Inicias Em sequência a análise do concurso PGE SP analisaremos os três últimos certames realizados: 2002, 2009 e 2010. Com essa

Leia mais

Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos

Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos Orientações Para o Preenchimento do Formulário de Inscrição Preliminar dos Projetos O presente documento tem como objetivo apresentar as diretrizes e orientar no preenchimento do formulário de inscrição

Leia mais

Projeto Piloto de Controle de Queimadas em Quatro municípios da Bacia do Rio São Francisco

Projeto Piloto de Controle de Queimadas em Quatro municípios da Bacia do Rio São Francisco Projeto São Francisco - Áreas Temáticas - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Projeto Piloto de Controle de Queimadas em Quatro municípios da Bacia do Rio São Francisco O Centro

Leia mais

Nosso primeiro objetivo com este documento é requisição de capital para expansão da empresa devido à demanda pelos clientes.

Nosso primeiro objetivo com este documento é requisição de capital para expansão da empresa devido à demanda pelos clientes. Plano de Negócios Sumário 1. Resumo executivo 2. O serviço - Características - Diferencial tecnológico - Pesquisa e desenvolvimento 3. O mercado - Clientes - Concorrentes 4. Empresa - Definição da empresa

Leia mais

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS.

Plano Integrado de Capacitação de Recursos Humanos para a Área da Assistência Social CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS. CAPACITAÇÃO CONSELHEIROS MUNICIPAIS Maio/2010 1º Dia PROGRAMAÇÃO 08h00 às 09h00 - Credenciamento 09h00 às 09h30 Abertura Boas vindas! 09h30 às 10h15 Exposição dialogada: Retrospectiva Luta por Direitos

Leia mais

Incentivar o segmento da construção civil, incorporação imobiliária. Amparar os legítimos interesses dos associados.

Incentivar o segmento da construção civil, incorporação imobiliária. Amparar os legítimos interesses dos associados. Fundada em agosto de 1975, por 13 empresas, a ADEMI-BA completa em 2015, 40 anos de existência sempre optando por projetos alinhados às necessidades da população, colocando em primeiro plano as exigências

Leia mais

A água é um bem de uso do povo

A água é um bem de uso do povo A água é um bem de uso do povo Idéias para divulgação da nova Lei das Águas: Semanalmente, no site Ingá (se possível no site das instituições parceiras), apareceria um banner contendo chamada para cada

Leia mais

Política da Empresa sobre Valores e Responsabilidade

Política da Empresa sobre Valores e Responsabilidade PRINCÍPIOS COMUNS Introdução Em sua declaração de missão, o Grupo TÜV Rheinland reconhece suas responsabilidades sociais, ecológicas e econômicas. Para definir esse compromisso, estabelecemos esta política

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO LEI Nº 1735, DE 06 DE JULHO DE 2007. "DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO CONSELHO MUNICIPAL DE HABITAÇÃO DE INTERESSE SOCIAL DE SÃO GOTARDO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS" Art. 1º. Fica criado o Conselho Municipal da

Leia mais

Portaria n.º 1119/2009, de 30 de Setembro - Série I n.º190

Portaria n.º 1119/2009, de 30 de Setembro - Série I n.º190 Actualiza o zonamento com a introdução de zonas homogéneas do zonamento e delimitação de alguns coeficientes de localização Com a publicação do Decreto-Lei n.º 287/2003, de 12 de Novembro, procedeu-se

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE TECNOLGIA FT

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE TECNOLGIA FT UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS FACULDADE DE TECNOLGIA FT Disciplina: CET- 0307 - Amostragens e Análises Físico-Químicas de Ar, Águas de Abastecimento e Residuárias e Solo. 1 RELATÓRIO DE VISITA TÉCNICA

Leia mais

Palavras-chave: Gestão Ambiental. Vantagem Competitiva. Gestores Qualificados.

Palavras-chave: Gestão Ambiental. Vantagem Competitiva. Gestores Qualificados. A RELEVÂNCIA DA GESTÃO AMBIENTAL PARA ESTUDANTES DE ADMINISTRAÇÃO DA UEG CÂMPUS ANÁPOLIS-CSEH Misley Ferreira Viana¹ Joana D arc Bardella Castro² ¹Graduanda em Administração e Programa Bolsa Monitora de

Leia mais

Resíduos da Construção Civil e o Estado de São Paulo

Resíduos da Construção Civil e o Estado de São Paulo Resíduos da Construção Civil e o Estado de São Paulo JOÃO LUIZ POTENZA Diretor do Centro de Projetos Coordenadoria de Planejamento Ambiental Secretaria do Meio Ambiente Resultados SMA Convênio SMA e SindusConSP

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM OBRAS DE SANEAMENTO: Um olhar do Rio ao Rio

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM OBRAS DE SANEAMENTO: Um olhar do Rio ao Rio EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM OBRAS DE SANEAMENTO: Um olhar do Rio ao Rio SANEPAR OBJETIVO DA PRÁTICA Sensibilizar os atores sociais para questões e práticas socioambientais que promovam a sustentabilidade por

Leia mais

Reforma do PIS/Cofins Questões para discussão

Reforma do PIS/Cofins Questões para discussão Reforma do PIS/Cofins Questões para discussão Apresentação para o Observatório da Reforma Tributária Centro de Cidadania Fiscal - CCiF A proposta do Governo em 2014 A proposta do Governo em 2014 Aspectos

Leia mais

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS

Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Elaboração do Plano de Gestão de Logística Sustentável do Senado Federal - PGLS Sustentabilidade Contexto Aumento no número de pessoas Maior quantidade de recursos explorados Produção e consumo: compras

Leia mais

Política Responsabilidade Socioambiental. 1. Identificação. Título Objetivo

Política Responsabilidade Socioambiental. 1. Identificação. Título Objetivo 1. Identificação Título Objetivo Estrutura Política de Estabelecer padrões de responsabilidade socioambiental da, de modo a abranger aspectos de eficiência, de concorrência e mitigação de risco nesse sentido.

Leia mais

Sumário PARTE I INTRODUÇÃO 1 PARTE II FERRAMENTAS ANALÍTICAS 41. Capítulo 1 O que é economia ambiental? 2

Sumário PARTE I INTRODUÇÃO 1 PARTE II FERRAMENTAS ANALÍTICAS 41. Capítulo 1 O que é economia ambiental? 2 PARTE I INTRODUÇÃO 1 Capítulo 1 O que é economia ambiental? 2 Análise econômica 2 A importância dos incentivos 4 Incentivos: um exemplo residencial 5 Incentivos e o aquecimento global 7 A criação de políticas

Leia mais

Toque 11 Isonomia, Capacidade Contributiva e Progressividade

Toque 11 Isonomia, Capacidade Contributiva e Progressividade Olá pessoal! Neste Toque 11 iremos abordar um tema que pode conter algumas armadilhas. Trata se dos princípios da Isonomia, Capacidade Contributiva e Progressividade. Primeiro, faremos uma breve revisão

Leia mais

Federação Brasileira de Administradores Hospitalares

Federação Brasileira de Administradores Hospitalares Federação Brasileira de Administradores Hospitalares Os mais recentes e importantes avanços da administração hospitalar estarão em discussão na Revista Administrador Hospitalar da FBAH, além de melhores

Leia mais

C,T&I e a Defesa Nacional: a Visão da Indústria

C,T&I e a Defesa Nacional: a Visão da Indústria C, T & I e a Defesa Nacional: A visão da indústria C,T&I e a Defesa: a visão da indústria A indústria e a Defesa Nacional Os desafios de C,T&I no País e a visão da CNI para a Política de Inovação Os desafios

Leia mais

Secretaria Municipal de Gestão Ambiental

Secretaria Municipal de Gestão Ambiental Capítulo III, do Saneamento Básico; Título VI, da Ordem Econômica; Lei Orgânica do município, 30 de março de 1990. Art. 144. O Município manterá sistema de limpeza urbana, coleta, tratamento e destinação

Leia mais

Organização do Centro de Triagem da CPAD - TRT13 Análise e preservação dos processos findos

Organização do Centro de Triagem da CPAD - TRT13 Análise e preservação dos processos findos 1 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 13ª REGIÃO Organização do Centro de Triagem da CPAD - TRT13 Análise e preservação dos processos findos Preservação e acesso à memória

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO Nome da capital/estado: Vitória/Espírito Santo. Endereço do portal: http://www.vitoria.es.gov.br/

IDENTIFICAÇÃO Nome da capital/estado: Vitória/Espírito Santo. Endereço do portal: http://www.vitoria.es.gov.br/ QUESTIONÁRIO 1 DE COLETA DE DADOS GRAU DE MATURIDADE do serviço prestado eletronicamente Aplicação direcionada aos portais institucionais oferecidos pelas prefeituras das capitais brasileiras IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

A EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL VOLTADA À PROBLEMÁTICA DE RESÍDUOS SÓLIDOS

A EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL VOLTADA À PROBLEMÁTICA DE RESÍDUOS SÓLIDOS Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 A EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL VOLTADA À PROBLEMÁTICA DE RESÍDUOS SÓLIDOS Felipe Nicolas de Morais Garcia (*), Leonardo Lima Bandeira, Dr. Francisco Humberto de Carvalho Junior

Leia mais

LEI Nº 002/2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, FAZ SABER,

LEI Nº 002/2006. O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município, FAZ SABER, LEI Nº 002/2006 CRIA O FUNDO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO FUMDUR E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS O PREFEITO MUNICIPAL DE SANTIAGO, no uso das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município,

Leia mais

PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS CORREDOR ECOLÓGICO POR TATIANA MOTTA

PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS CORREDOR ECOLÓGICO POR TATIANA MOTTA PAGAMENTO POR SERVIÇOS AMBIENTAIS CORREDOR ECOLÓGICO POR TATIANA MOTTA Programa Produtor de Água Guaratinguetá/ SP Programa Produtor de Água Programa amparado pela Lei nº 4.252 de 11 de novembro de 2010,

Leia mais

Jornal do Servidor. 2013. O documento, que foi construído com ampla participação dos servidores através de inúmeras reuniões

Jornal do Servidor. 2013. O documento, que foi construído com ampla participação dos servidores através de inúmeras reuniões Jornal do Servidor Sindicato Único dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Blumenau Blumenau Março/Abril 2013 Mais de 1,5 mil servidores reuniram-se na praça da prefeitura, mostrando força e

Leia mais

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa

3 Metodologia. 3.1 Tipo de Pesquisa 3 Metodologia 3.1 Tipo de Pesquisa De acordo com os conceitos propostos por Gil (1996) e Vergara (1997), podemos classificar esta pesquisa segundo dois critérios básicos: Quanto aos fins: Exploratória

Leia mais

Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia

Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia Prefeitura Municipal de Curitiba Secretaria da Informação e Tecnologia A SIT Secretaria da Informação e Tecnologia Restabelecer a Governança de Tecnologia da Informação e Comunicação na Administração Municipal

Leia mais

ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DE UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL CERTIFICADO PELO PBQP-H.

ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DE UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL CERTIFICADO PELO PBQP-H. ANÁLISE DA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL DE UM CONDOMÍNIO RESIDENCIAL CERTIFICADO PELO PBQP-H. Rafael Oliveira de Paula Universidade Estadual de Maringá rafael.odp@gmail.com Manoel Francisco Carreira Universidade

Leia mais

IUS RESUMOS. Introdução ao Direito Empresarial. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Introdução ao Direito Empresarial. Organizado por: Samille Lima Alves Introdução ao Direito Empresarial Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. INTRODUÇÃO AO DIREITO EMPRESARIAL... 3 1. Evolução do direito comercial no mundo... 3 1.1 Das fases do direito comercial...

Leia mais

Esse futuro é hoje com a mobilidade elétrica.

Esse futuro é hoje com a mobilidade elétrica. Imagine um futuro para a sua empresa, em que as deslocações são feitas de forma inovadora, económica, sem emissões e totalmente adequada às suas necessidades. Esse futuro é hoje com a mobilidade elétrica.

Leia mais

AVALIAÇÃO DE LINHAS PÚBLICAS DE CRÉDITO PARA RESTAURAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP) E DE RESERVA LEGAL (RL)

AVALIAÇÃO DE LINHAS PÚBLICAS DE CRÉDITO PARA RESTAURAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP) E DE RESERVA LEGAL (RL) POLICY BRIEF São Paulo, maio de 2016. AVALIAÇÃO DE LINHAS PÚBLICAS DE CRÉDITO PARA RESTAURAÇÃO DE ÁREAS DE PRESERVAÇÃO PERMANENTE (APP) E DE RESERVA LEGAL (RL) SUMÁRIO A partir da necessidade da adequação

Leia mais

1 Introdução. 1.1 O problema

1 Introdução. 1.1 O problema 1 Introdução 1.1 O problema As companhias de capital aberto têm a responsabilidade, com os acionistas, de preservar seus níveis de crescimento e rentabilidade. Elas têm o objetivo de agregar riqueza ao

Leia mais

Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas

Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas Curso de Capacitação de Gestores Municipais para Inventário de GEE e Ações de Mudanças Climáticas Plano de Ação Municipal em Mudanças Climáticas e Monitoramento dos Resultados Florence Karine Laloë Gerente

Leia mais

MARKETING VERDE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: O CASO DE UMA CONSTRUTORA IMOBILIÁRIA DO RECIFE/PE

MARKETING VERDE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: O CASO DE UMA CONSTRUTORA IMOBILIÁRIA DO RECIFE/PE MARKETING VERDE NA CONSTRUÇÃO CIVIL: O CASO DE UMA CONSTRUTORA IMOBILIÁRIA DO RECIFE/PE Givaldo Bezerra da Hora Universidade Federal Rural de Pernambuco-UFRPE givaldobezerra@bol.com.br Maria Rejane Ferreira

Leia mais

O que é o CMDCA O Que é o FUMCAD Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente aprovados pelo CMDCA O que faz o CMDCA

O que é o CMDCA O Que é o FUMCAD Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente aprovados pelo CMDCA O que faz o CMDCA O que é o CMDCA O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, instituído pela Lei Federal 8.069 de 1990, Estatuto da Criança e do Adolescente, criado no município pela Lei nº 780 de 1991,

Leia mais

Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização.

Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização. 04/07/2010 Caderno de prova Este caderno, com oito páginas numeradas sequencialmente, contém cinco questões de Geografia. Não abra o caderno antes de receber autorização. Instruções 1. Verifique se você

Leia mais

Lei 9.795/2009 estabeleceu valores do IPTU de 2010 e 2011

Lei 9.795/2009 estabeleceu valores do IPTU de 2010 e 2011 IPTU 2016 Lei 9.795/2009 estabeleceu valores do IPTU de 2010 e 2011 Reajustes do IPTU pelo IPCA-E/IBGE A partir de 2012 o IPTU é reajustado com base no IPCA-E/IBGE IPTU/2016 reajustado pelo IPCA-E 2015

Leia mais

O uso de remuneração variável para gerar o engajamento sustentável

O uso de remuneração variável para gerar o engajamento sustentável O uso de remuneração variável para gerar o engajamento sustentável Como o ambiente vem mudando a visão tradicional a respeito do engajamento de empregados O que os programas de remuneração por desempenho

Leia mais

104 - Agroecologia e educação no campo: um sonho se tornando realidade na Escola Latino-Americana de Agroecologia

104 - Agroecologia e educação no campo: um sonho se tornando realidade na Escola Latino-Americana de Agroecologia 104 - Agroecologia e educação no campo: um sonho se tornando realidade na Escola Latino-Americana de Agroecologia SILVA, Alex da. AMPPRE, alexagroecologia@gmail.com; SANTOS, Antonia Gomes dos. UNIP, tecantonia@hotmail.com;

Leia mais

BONCRED LEASING S/A. - Arrendamento Mercantil MANUAL DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA)

BONCRED LEASING S/A. - Arrendamento Mercantil MANUAL DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA) BONCRED LEASING S/A. - Arrendamento Mercantil MANUAL DE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA) BONCRED LEASING S/A. ARRENDAMENTO MERCANTIL Manual de Política de Responsabilidade Socioambiental

Leia mais

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE PNMA II (PD 3) RELATÓRIO DO PLANO DE GESTÃO COMPARTILHADA

MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE PNMA II (PD 3) RELATÓRIO DO PLANO DE GESTÃO COMPARTILHADA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE PROGRAMA NACIONAL DO MEIO AMBIENTE PNMA II (PD 3) RELATÓRIO DO PLANO DE GESTÃO COMPARTILHADA COMPONENTE: Desenvolvimento Institucional. SUBCOMPONENTE: Licenciamento Ambiental.

Leia mais

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO TRANSPORTE PÚBLICO A PARTIR DA DEFINIÇÃO DE SERVIÇO ADEQUADO

AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO TRANSPORTE PÚBLICO A PARTIR DA DEFINIÇÃO DE SERVIÇO ADEQUADO AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO TRANSPORTE PÚBLICO A PARTIR DA DEFINIÇÃO DE SERVIÇO ADEQUADO Walysson Tangrins Martins Paulo Cesar Marques da Silva AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DO TRANSPORTE PÚBLICO A PARTIR DA DEFINIÇÃO

Leia mais

LEI Nº 3.758, de 20 de dezembro de 2012

LEI Nº 3.758, de 20 de dezembro de 2012 LEI Nº 3.758, de 20 de dezembro de 2012 EMENTA: Cria a Agência Municipal de Habitação de Vitória de Santo Antão - Pernambuco, e dá outras providências. O PREFEITO CONSTITUCIONAL DA VITÓRIA DE SANTO ANTÃO

Leia mais

Esta Norma Complementar se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. APROVAÇÃO

Esta Norma Complementar se aplica no âmbito da Administração Pública Federal, direta e indireta. APROVAÇÃO 03/IN01/DSIC/GSIPR 00 30/JUN/09 1/5 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA ELABORAÇÃO DE POLÍTICA DE SEGURANÇA

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015

ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015 ANEXO I FORMULÁRIO DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS EM CONSONÂNCIA AO EDITAL Nº 01/2015 NOME DO PROJETO: ORGANIZAÇÃO PROPONENTE: DATA : / / ÍNDICE DO PROJETO ASSUNTO PÁG. I - CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO - TÍTULO

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE POMPÉU PRAÇA GOVERNADOR VALADARES, 12 CENTRO FONE: (37) 3523-1000 FAX: (37) 3523-1391 35.640-000 POMPÉU/MG

PREFEITURA MUNICIPAL DE POMPÉU PRAÇA GOVERNADOR VALADARES, 12 CENTRO FONE: (37) 3523-1000 FAX: (37) 3523-1391 35.640-000 POMPÉU/MG LEI COMPLEMENTAR Nº 002/2009 DISPÕE SOBRE O PROGRAMA MINHA CASA, MINHA VIDA NO MUNICÍPIO DE POMPÉU, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Pompéu/MG, por seus representantes legais, aprovou e

Leia mais

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Programa de Redução de Consumo de Recursos Naturais - Água Sumário 1. Objetivo: Descrição completa do objeto a ser executado --------------------------------- 3 2. Meta

Leia mais

INTERNALIZAÇÃO DO EFD-CONTRIBUIÇÕES NOS CLIENTES DE UM ESCRITÓRIO CONTÁBIL

INTERNALIZAÇÃO DO EFD-CONTRIBUIÇÕES NOS CLIENTES DE UM ESCRITÓRIO CONTÁBIL INTERNALIZAÇÃO DO EFD-CONTRIBUIÇÕES NOS CLIENTES DE UM ESCRITÓRIO CONTÁBIL Náthali Baldissera 1 Diana de Almeida e Silva Stedile 2 INTRODUÇÃO Esta pesquisa apresenta como tema central a internalização

Leia mais

Dia Mundial do Meio Ambiente e da Ecologia

Dia Mundial do Meio Ambiente e da Ecologia Pronunciamento da Deputada ANN PONTES, PMDB-PA., na Sessão do dia 01/06/2006. Pronunciamento Dia Mundial do Meio Ambiente Senhor Presidente, Senhoras e senhores deputados, No próximo dia 05 de junho comemora-se

Leia mais

LEI Nº 5.985 DE 5 DE OUTUBRO DE 2015. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

LEI Nº 5.985 DE 5 DE OUTUBRO DE 2015. O PREFEITO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO, faço saber que a Câmara Municipal decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 5.985 DE 5 DE OUTUBRO DE 2015. Institui incentivos fiscais a investimentos na prestação de serviços de representação realizados através de centrais de teleatendimento estabelecidas nas áreas que

Leia mais

Índice de Sustentabilidade Empresarial ISE. Índice Janeiro de 2016 Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1

Índice de Sustentabilidade Empresarial ISE. Índice Janeiro de 2016 Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1 Índice de Sustentabilidade Empresarial ISE Índice Janeiro de 2016 Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1 Sustentabilidade em Bolsas de Valores Estímulo à transparência

Leia mais

Nome do programa ou pesquisa: Perspectivas para o mercado editorial e livreiro para 2005

Nome do programa ou pesquisa: Perspectivas para o mercado editorial e livreiro para 2005 Data de elaboração da ficha: Fev 2008 Ministério da Cultura (MinC) Câmara Brasileira do Livro (CBL) Dados das organizações: Nome: Ministério da Cultura (MinC) Endereço: Esplanada dos Ministérios, Bl. B

Leia mais

ANDRÉ LUIZ FREITAS LEITE

ANDRÉ LUIZ FREITAS LEITE Tel/Fax: + 55 41 3376 3967 cursos@connectoncursos.com.br 41 3376.3967 cursos@connectoncursos.com.br www.connectoncursos.com.br facebook.com/connecton-mkt CURSO DE ELABORAÇÃO DE PROJETOS SICONV+ + OBTV

Leia mais

3º QUADRIMESTRE 2011 28/02/2012

3º QUADRIMESTRE 2011 28/02/2012 3º QUADRIMESTRE 2011 28/02/2012 Metas assumidas para 2011 Alcançar o equilíbrio das contas. Atender às recomendações dos órgãos de controle. 29/2/2012 2 Cenário em 2010 2010 Resultado Primário Resultado

Leia mais

Resultados VII CBUC. Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação. Leide Takahashi

Resultados VII CBUC. Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação. Leide Takahashi Resultados Leide Takahashi Congresso Brasileiro de Unidades de Conservação Informações gerais TEMA Áreas protegidas: um oceano de riquezas e biodiversidade 23 a 27/09 no Centro de Convenções de Natal (RN)

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 0

CONSULTA PÚBLICA Nº 0 CONSULTA PÚBLICA Nº 0 Alteração do Art. 15 do Regulamento de Numeração do SMP Art. 15 O Código Nacional tem formato padronizado, composto por 2 (dois) caracteres numéricos, representado por séries que

Leia mais

Acionistas: Caixa Geral de Depósitos S.A. (99,99%) e Caixa Participações, SGPS, S.A. (0,01%)

Acionistas: Caixa Geral de Depósitos S.A. (99,99%) e Caixa Participações, SGPS, S.A. (0,01%) DECLARAÇÃO SOBRE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO (PLD) E DO FINANCIAMENTO DO TERRORISMO ( FT ) 1. Informação Institucional Razão Social: Banco Caixa Geral - Brasil S.A. (BCG - Brasil) Endereço: Rua Elvira

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação Geral de Transportes e Logística

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação Geral de Transportes e Logística MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Coordenação Geral de Transportes e Logística Parecer Analítico sobre Regras Regulatórias nº 229/COGTL/SEAE/MF Brasília, 28 de agosto de 2015.

Leia mais

Já conhece o ciclo de Eficiência Energética nos edifícios?

Já conhece o ciclo de Eficiência Energética nos edifícios? Já conhece o ciclo de Eficiência Energética nos edifícios? Encontramo-nos perante o dilema da energia, em que temos de reduzir para metade as emissões de CO2, de modo a evitar o aquecimento global do planeta,

Leia mais

PROPOSTA DE REGULAMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE LINHA INDUSTRIAL ENTRA EM CONSULTA PÚBLICA

PROPOSTA DE REGULAMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE LINHA INDUSTRIAL ENTRA EM CONSULTA PÚBLICA Brasília, 7 de julho de 2004. Agência Nacional de Telecomunicações - APC PROPOSTA DE REGULAMENTO PARA EXPLORAÇÃO DE LINHA INDUSTRIAL ENTRA EM CONSULTA PÚBLICA O conselheiro substituto da Agência Nacional

Leia mais

Modernização da Gestão 22-Apr-2013

Modernização da Gestão 22-Apr-2013 Modernização da Gestão 22-Apr-2013 Acesso à Informação As informações atualizadas relativas à política, organização e atividades exercidas pelos Órgãos e Entidades da Administração Direta e Indireta do

Leia mais

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005

O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY. IV Fórum da Reforma do Estado - São Paulo Set. 2005 O Serviço Civil e a Construção do Futuro EVELYN LEVY A Importância de Serviço Civil Estruturado Bens e Serviços Públicos Governança Reforma da Política Econômica Gasto Público Sustentabilidade Fiscal Fonte:

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A TRIBUTAÇÃO AMBIENTAL FEDERAL ORIENTADA CONSIDERATIONS ABOUT THE FEDERAL ENVIRONMENTAL TAXATION ORIENTED

CONSIDERAÇÕES SOBRE A TRIBUTAÇÃO AMBIENTAL FEDERAL ORIENTADA CONSIDERATIONS ABOUT THE FEDERAL ENVIRONMENTAL TAXATION ORIENTED CONSIDERAÇÕES SOBRE A TRIBUTAÇÃO AMBIENTAL FEDERAL ORIENTADA CONSIDERATIONS ABOUT THE FEDERAL ENVIRONMENTAL TAXATION ORIENTED RESUMO Jeibson dos Santos Justiniano 1 Valmir César Pozzetti 2 O presente artigo

Leia mais

Implementação da progressividade fiscal e extrafiscal do IPTU

Implementação da progressividade fiscal e extrafiscal do IPTU Implementação da progressividade fiscal e extrafiscal do IPTU Competências Sistema Tributário Nacional na Constituição: Do artigo 145 ao 162 estão disposta as previsões constitucionais que regulamentam

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 PRINCÍPIOS... 3 2 OBJETIVOS... 3 3 GOVERNANÇA DA SUSTENTABILIDADE... 3 4 ABRANGÊNCIA DA POLÍTICA... 4 5 ATRIBUIÇÕES

Leia mais

50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas

50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas 50 anos a trabalhar pela saúde das pessoas 0 Intervenções Prácticas para a Melhora dos Processos de Planificação e Gestão Sanitária Mapas Sanitários da Área Municipal da Cidade de Maputo Março Julho 2013

Leia mais

Questionário de Autoavaliação

Questionário de Autoavaliação Promoção TROFÉU AURY LUIZ BODANESE Questionário de Autoavaliação Apoio 1. Orientação geral sobre o processo Para preencher o questionário a seguir, sua empresa rural deverá ter completado pelo menos dois

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS NO ESTADO DA PARAÍBA

GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS NO ESTADO DA PARAÍBA ESTADO DA PARAÍBA SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA E DO MEIO AMBIENTE SECTMA AGÊNCIA EXECUTIVA DE GESTÃO DAS ÁGUAS DO ESTADO DA PARAÍBA - AESA GESTÃO DE RECURSOS HÍDRICOS NO ESTADO DA PARAÍBA

Leia mais

QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS IMPOSTOS MAIS IMPORTANTES - PARTE I

QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS IMPOSTOS MAIS IMPORTANTES - PARTE I QUAIS AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DOS - PARTE I! Imposto de Renda! Lucro Presumido! Lucro Arbitrado! Lucro Real por apuração mensal! COFINS Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas

Leia mais

PROVAS DISCURSIVAS P 3 (questões) e P 4 (parecer) RASCUNHO QUESTÃO 1

PROVAS DISCURSIVAS P 3 (questões) e P 4 (parecer) RASCUNHO QUESTÃO 1 PROVAS DISCURSIVAS P (questões) e P (parecer) Nestas provas, faça o que se pede, usando, caso deseje, os espaços para rascunho indicados no presente caderno. Em seguida, transcreva os textos para o CADERNO

Leia mais

Diagnóstico. Parceria 21 IBAM - ISER

Diagnóstico. Parceria 21 IBAM - ISER Diagnóstico Parceria 21 IBAM - ISER Algumas das grandes questões sociais no Brasil Conflitos de uso da terra; (grandes latifúndios e trabalhadores sem terra) Respeito e preservação de culturas tradicionais

Leia mais

APRESENTAÇÃO

APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO Prefeitura de Itápolis, em continuidade ao trabalho de modernização na gestão pública tributária, priorizando a orientação ao cidadão, ao invés dos instrumentos punitivos e repressivos, e

Leia mais

1. A IMPORTÂNCIA DOS OBJETIVOS EDUCACIONAIS.

1. A IMPORTÂNCIA DOS OBJETIVOS EDUCACIONAIS. Formulação de Objetivos Educacionais 1. A IMPORTÂNCIA DOS OBJETIVOS EDUCACIONAIS. A prática educativa atua no desenvolvimento individual e social dos indivíduos, proporcionando-lhes os meios de apropriação

Leia mais

A Câmara Municipal de Santa Bárbara d Oeste decreta:

A Câmara Municipal de Santa Bárbara d Oeste decreta: PROJETO DE LEI N 18/09 Dispõe sobre a instituição do Programa de Inspeção Ambiental Veicular no Município de Santa Bárbara d Oeste e dá outras providências. A Câmara Municipal de Santa Bárbara d Oeste

Leia mais

Taxa de desemprego diminui

Taxa de desemprego diminui MERCADO DE TRABALHO NA REGIÃO DO ABC 1 Taxa de desemprego diminui 1. As informações da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED, realizada pela Fundação Seade e pelo Dieese, em parceria com o Consórcio Intermunicipal

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM DOURADOS (MS): UMA ANÁLISE DO PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL (PREA) (LOUREIRO, 2006, p. 26)

EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM DOURADOS (MS): UMA ANÁLISE DO PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL (PREA) (LOUREIRO, 2006, p. 26) EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM DOURADOS (MS): UMA ANÁLISE DO PROGRAMA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL (PREA) Maria Riveliza da Silva Universidade Federal da Grande Dourados Bolsista CAPES E-mail: mary_lenocs@hotmail.com

Leia mais

Atualizado em: 10/08/2010

Atualizado em: 10/08/2010 Atualizado em: 10/08/2010 Faculdade Católica Nossa Senhora das Neves Autorizada pela Portaria nº 3.895-MEC DOU 26.11.2004 1. Dados do curso/disciplina Curso: Administração Semestre: 2010.2 Disciplina:

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA EMPRESARIAL

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA EMPRESARIAL CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA EMPRESARIAL As Indústrias Romi S.A. ( ROMI ou Companhia ) têm os seus negócios orientados por um conjunto de valores que observam os mais elevados padrões éticos e morais. Todos

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DO VALOR MONETARIO DA BASE DE CALCULO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO

ATUALIZAÇÃO DO VALOR MONETARIO DA BASE DE CALCULO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO ATUALIZAÇÃO DO VALOR MONETARIO DA BASE DE CALCULO DO IMPOSTO PREDIAL E TERRITORIAL URBANO ORLANDO CARLOS GANDOLFO* 1. A Constituição emendada (art. 153, 29), repetindo o que estava na Constituição Federal

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL TELECOMUNICAÇÕES S.A.

CONTRIBUIÇÃO REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL TELECOMUNICAÇÕES S.A. CONTRIBUIÇÃO REFERENTE À AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº 010/2009 NOME DA INSTITUIÇÃO: COPEL TELECOMUNICAÇÕES S.A. AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL AUDIÊNCIA PÚBLICA O10/2009 Recebimento de contribuições

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 233, DE 2008

CÂMARA DOS DEPUTADOS PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 233, DE 2008 CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Nº 233, DE 2008 Altera o Sistema Tributário Nacional e dá outras providências. Autor: Poder Executivo

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA FINALIDADE TEMA ESCOLHA DO PROFESSOR ORIENTADOR GUIA SEGURANÇA NA COLETA DE MATERIAIS ESPAÇO PARA FICHAMENTOS

PROJETO DE PESQUISA FINALIDADE TEMA ESCOLHA DO PROFESSOR ORIENTADOR GUIA SEGURANÇA NA COLETA DE MATERIAIS ESPAÇO PARA FICHAMENTOS FINALIDADE GUIA SEGURANÇA NA COLETA DE MATERIAIS ESPAÇO PARA FICHAMENTOS TEMA ESCOLHA DO PROFESSOR ORIENTADOR 1 TEMA DELIMITAÇÃO DO TEMA JUSTIFICATIVA 2 PROBLEMAS Sistemas de problematização Formato indagação

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 033/2009 DE 15 DE MAIO DE 2009 INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

PROJETO DE LEI Nº 033/2009 DE 15 DE MAIO DE 2009 INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. PROJETO DE LEI Nº 033/2009 DE 15 DE MAIO DE 2009 INSTITUI O FUNDO MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS. A Câmara Municipal de Santa Rita do Sapucaí aprovou e o Prefeito Municipal sanciona

Leia mais

Aluna do Curso Técnico em Informática do Instituto Federal Farroupilha Câmpus São Borja; 6

Aluna do Curso Técnico em Informática do Instituto Federal Farroupilha Câmpus São Borja; 6 LIXO ELETRÔNICO: UMA ANÁLISE SOB A PERSPECTIVA AMBIENTAL DAS AÇÕES INSTITUCIONAIS DO MUNICÍPIO DE SÃO BORJA/RS Guilherme Pivotto Bortolotto 1 * (FM), Denis da Silva Garcia 2 (FM), Giancarlo Machado Bruno

Leia mais