Risco: um modelo para a mitigação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Risco: um modelo para a mitigação"

Transcrição

1 Risco: um modelo para a mitigação Uma perspectiva dos produtores Que é risco? Uma perspectiva dos produtores Quem vai receber meu café (menos de 24 horas) após a apanha? Como vou conseguir o melhor preço por meu café? Como garantir que vou receber o pagamento? Preciso do dinheiro agora!... para pagar meus apanhadores. Como financiar necessidades da lavoura para a próxima safra? Agrônomos!...Muito bem-vindos! Como me manter informado das melhores práticas agrícolas? Mudanças climáticas?! Entre outras coisas 1

2 Equidade A LEI N.º 2762 Promove um modelo único de equidade entre os membros do setor cafeeiro: Produtores, Beneficiadoras, Torrefadores, Exportadores. 92,3% produzem famílias de produtores menos de 75 sacas. 2

3 Equidade Beneficiadora deve declarar (a cada 15 dias) o total do café recebido ao ICAFÉ JANEIRO Produtor entrega café em coco e recebe pagamento adiantado. **Volume, não peso ABRIL JULHO NOVEMBRO Pagamento adiantado: Produtor Apanha 3

4 Pagamento adiantado: Produtor Questões agrícolas Poda Análise do solo Manutenção da lavoura Pragas e doenças Fertilização controlada Pagamento adiantado: Beneficiadora Como a beneficiadora financia? Empréstimo bancário (US$) Registra empréstimo num mecanismo financeiro, Cobertura de risco cambial. Produtor 4

5 Equidade Produtor entrega café em coco e recebe pagamento adiantado. **Volume, não peso Beneficiadora deve declarar ao ICAFÉ (a cada 15 dias) o total do café recebido JANEIRO Beneficiadora, por lei, deve reajustar pagamento a cada 3 meses, fazendo adiantamentos por conta das vendas. Vendas de café verde (beneficiadora ao exportador ou torrefador), DEVEM ser declaradas ao ICAFÉ, para aprovação conforme preços e diferenciais i i internacionais. i i Toda transação tem um contrato registrado no ICAFÉ. JULHO NOVEMBRO Vendas começam Vendas são verificadas (diferenciais da ICE) Vendas são registradas Preço / Taxa de câmbio a levar em conta no pagamento final ao produtor 5

6 Equidade Produtor entrega café em coco e recebe pagamento adiantado. **Volume, não peso Beneficiadora deve declarar (a cada 15 dias) o total do café recebido ao ICAFÉ JANEIRO Beneficiadora, por lei, deve reajustar pagamento a cada 3 meses, fazendo adiantamentos por conta das vendas. Vendas de café verde (beneficiadora ao exportador ou torrefador) DEVEM ser declaradas ao ICAFÉ, para aprovação conforme preços e diferenciais i i internacionais. i i Cada transação tem um contrato registrado no ICAFÉ. JULHO NOVEMBRO Pagamento FINAL: Total das vendas Despesas aprovadas pelo by ICAFÉ Comissão da beneficiadora (fixada por lei em 9%). Preços FINAIS a pagar: Devem ser publicados nos principais jornais da Costa Rica, e a beneficiadora deve pagar o saldo devedor ao produtor dentro dos 8 dias seguintes. Cobertura de risco cambial Proteção contra taxas de câmbio Quando os contratos são firmados E o cálculo do pagamento final é feito A Coopepalmares pode usar cobertura monetária para proteger o produtor 6

7 Comércio equitativo Produtor recebe 80% do preço de cada saca vendida. Safra de Dados do ICAFÉ Coopepalmares R.L 50 anos ( ) 2012) famílias de produtores 35% mulheres, 65% homens Armazém de produtos agrícolas Programas sociais Agrônomo em tempo integral Armazém de produtos domésticos Financiamento e crédito (1970) Torrefação Serviço médico Fertilizantes orgânicos Programa Especial do Café Programa Ambiental ISO , certificado. 7

8 Costa Rica - Coopepalmares Como o produtor é protegido? Pagamento adiantado Reajustes do pagamento (a cada 3 meses) Margens de lucros (beneficiadora exportador) pré-fixadas pelo modelo ICAFÉ participa do controle do seguinte: Preço Custos de beneficiamento e Análise completa (volume peso) Pagamento final Pagamento final Inclui todas as vendas, Média dos preços Deduções fixas Comércio equitativo US$ / Quintal Price Preço payed pago to ao the Producer / produtor/quintal (Average CR) (média da CR) Price payed to Preço pago ao produtor COOPEPALMARES da COOPEPALMARES Producer //quintal Crop Safra runs vai de APRIL- abril MARCH a março ICAFE Dados DATA do ICAFÉ 8

9 Conclusões O café cresce em terreno fértil, amparado em uma estrutura jurídico-institucional equitativa. O modelo do café da Costa Rica alcança o objetivo de reduzir o risco com base em duas variáveis principais: preço e taxas de câmbio. Eficiência comprovada há mais de 80 anos. O sistema de pagamento final é único no mundo, dando ao produtor o melhor preço para o seu produto e, em paralelo, possibilita a participação equitativa dos demais parceiros da cadeia do café. O risco é mitigado devido a Monitoramento, Registro e Verificação durante todas as fases pelo ICAFÉ. A vida é uma dádiva e nos oferece o privilégio, a oportunidade e a responsabilidade de dar algo em troca, tornando-nos nos melhores. -Anthony Robbins- 9

ED 2180/14. 15 maio 2014 Original: espanhol. Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café

ED 2180/14. 15 maio 2014 Original: espanhol. Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café ED 2180/14 15 maio 2014 Original: espanhol P Pesquisa sobre os custos de transação dos produtores de café 1. O Diretor Executivo apresenta seus cumprimentos e, em nome da Colômbia, encaminha aos Membros

Leia mais

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil

Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Políticas públicas e o financiamento da produção de café no Brasil Organização Internacional do Café - OIC Londres, 21 de setembro de 2010. O Sistema Agroindustrial do Café no Brasil - Overview 1 Cafés

Leia mais

Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos

Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos Subsídios para uma nova política agropecuária com gestão de riscos Evandro Gonçalves Brito Diretoria de Agronegócios / Banco do Brasil Uberlândia (MG), 18 de novembro de 2010. Desafios Globais Os dez maiores

Leia mais

RESOLUCAO 3.856. IV - os recursos do Funcafé repassados às instituições financeiras devem ser remunerados:

RESOLUCAO 3.856. IV - os recursos do Funcafé repassados às instituições financeiras devem ser remunerados: RESOLUCAO 3.856 Dispõe sobre linhas de crédito destinadas aos financiamentos de custeio, colheita, estocagem de café e para Financiamento para Aquisição de Café (FAC), ao amparo de recursos do Fundo de

Leia mais

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café

Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Etapas para a Certificação do Café: Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil) Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Fiscal Federal Agropecuária

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE CAFÉS SUTENTÁVEIS: PROGRAMAS EM ANDAMENTO NO BRASIL SÉRGIO PARREIRAS PEREIRA

CERTIFICAÇÃO DE CAFÉS SUTENTÁVEIS: PROGRAMAS EM ANDAMENTO NO BRASIL SÉRGIO PARREIRAS PEREIRA CERTIFICAÇÃO DE CAFÉS SUTENTÁVEIS: PROGRAMAS EM ANDAMENTO NO BRASIL SÉRGIO PARREIRAS PEREIRA Imperial Estação Agronômica de Campinas 27/06/1887 Centro de Café Alcides Carvalho INTRODUÇÃO O Agronegócio

Leia mais

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas.

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. Definição: Mercado de Câmbio Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. O mercado de Câmbio de TAXAS LIVRES opera com o dólar comercial. TAXAS FLUENTES opera com o dólar flutuante

Leia mais

Além disto, haverá uma nova forma de financiamento do Adiantamento sobre Contrato de Câmbio (ACC) para exportações indiretas. O chamado ACC Indireto

Além disto, haverá uma nova forma de financiamento do Adiantamento sobre Contrato de Câmbio (ACC) para exportações indiretas. O chamado ACC Indireto Informativo PSI APEX, 03/04/2012 Na continuidade do Plano Brasil Maior, uma das principais medidas para aumentar a competitividade do setor exportador brasileiro anunciadas hoje é a redução do percentual

Leia mais

ED 2059/09. 9 fevereiro 2009 Original: inglês. A crise econômica mundial e o setor cafeeiro

ED 2059/09. 9 fevereiro 2009 Original: inglês. A crise econômica mundial e o setor cafeeiro ED 2059/09 9 fevereiro 2009 Original: inglês P A crise econômica mundial e o setor cafeeiro Com seus cumprimentos, o Diretor-Executivo apresenta uma avaliação preliminar dos efeitos da crise econômica

Leia mais

DESCONTO SIMPLES. Os títulos de crédito mais utilizados em operações financeiras são a nota promissória, a duplicata e a letra de câmbio.

DESCONTO SIMPLES. Os títulos de crédito mais utilizados em operações financeiras são a nota promissória, a duplicata e a letra de câmbio. DESCONTO SIMPLES Se uma pessoa deve uma quantia em dinheiro numa data futura, é normal que entregue ao credor um título de crédito, que é o comprovante dessa dívida. Todo título de crédito tem uma data

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em fevereiro de 2009 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Primeiro Trimestre 2015 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

Reabilitação experimental de lavouras de café abandonadas como pequenas unidades de produção familiar em Angola CFC/ICO/15 (AEP: INCA)

Reabilitação experimental de lavouras de café abandonadas como pequenas unidades de produção familiar em Angola CFC/ICO/15 (AEP: INCA) PJ 29 fevereiro 2012 Original: inglês 29/12 Add. 1 (P) P Comitê de Projetos/ Conselho Internacional do Café 5 8 março 2012 Londres, Reino Unido Resumo dos relatórios de andamento apresentados pelas Agências

Leia mais

Soluções de Crédito. Cadeia Produtiva do Café CADA VEZ BOMPRATODOS

Soluções de Crédito. Cadeia Produtiva do Café CADA VEZ BOMPRATODOS Cadeia Produtiva do Café CADA + VEZ BOMPRATODOS Capital de Giro Recebíveis BB Giro Empresa Flex Agro Crédito Agroindustrial Desconto de Cheques/Títulos BB Giro Recebíveis Duplicatas/Cheques/Cartões BB

Leia mais

Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café

Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Produção Integrada Agropecuária (PI Brasil): Norma Técnica Específica da Produção Integrada do Café Marcus Vinícius Martins M.Sc. em Agronomia Coordenador de Produção Integrada da Cadeia Agrícola Secretaria

Leia mais

O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO

O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO O MERCADO DE CAFÉ 1. INTRODUÇÃO O presente boletim tem o objetivo de apresentar a situação atual do mercado, por meio dos dados disponibilizados pelo USDA, CONAB e MAPA. Apresenta-se, posteriormente, a

Leia mais

ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em

ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em ALTA PRODUTIVIDADE EM CAFEEIROS DA CULTIVAR CONILLON, NA REGIÃO DA BACIA DE FURNAS, NO SUL DE MINAS GERAIS. Celio L. Pereira- Eng Agr Consultor em cafeicultura, J.B. Matiello Eng Agr Fundação Procafé e

Leia mais

Aplicações Financeiras

Aplicações Financeiras Prof. Jackson Luis Oshiro joshiro@ibest.com.br Aplicações Financeiras São operações realizadas pelas empresas com o objetivo de gerar recursos financeiros(dinheiro); Normalmente quando existe uma ociosidade

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br CONCEITO É o mercado que reúne compradores e vendedores de moedas estrangeiras, sob supervisão

Leia mais

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAFÉ NOVEMBRO DE 2015

DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAFÉ NOVEMBRO DE 2015 DEPEC - Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos CAFÉ NOVEMBRO DE 2015 PRODUTOS SAFRA 2008/2009 67% Exportação 89% Café verde 18% Alemanha 18% EUA 10% Japão 9% Itália CAFÉ 49,2 milhões de sacas de

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio

Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Conhecimentos Bancários Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Moedas Estrangeiras

Leia mais

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II

OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II OPERAÇÕES FINANCEIRAS DE CURTO PRAZO - PARTE II COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA NACIONAL COM JUROS PÓS FIXADOS EM CDI? COMO FUNCIONAM AS OPERAÇÕES EM MOEDA ESTRANGEIRA? O QUE SÃO OPERAÇÕES DE ACC

Leia mais

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007

BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007 BENEFÍCIOS DA PARTICIPAÇÃO NO ACORDO INTERNATIONAL DO CAFÉ DE 2007 O Acordo Internacional do Café (AIC) de 2007 é um instrumento chave para a cooperação internacional em matéria de café, e participar dele

Leia mais

PJ 71/14. 29 janeiro 2014 Original: francês. Comitê de Projetos 7. a reunião 6 março 2014 Londres, Reino Unido

PJ 71/14. 29 janeiro 2014 Original: francês. Comitê de Projetos 7. a reunião 6 março 2014 Londres, Reino Unido PJ 71/14 29 janeiro 2014 Original: francês P Comitê de Projetos 7. a reunião 6 março 2014 Londres, Reino Unido Desenvolvimento do setor cafeeiro nos Camarões através de uma estrutura de cooperação com

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 2732 RESOLVEU:

RESOLUÇÃO Nº 2732 RESOLVEU: RESOLUÇÃO Nº 2732 Institui linha de crédito, ao amparo de recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (FUNCAFÉ), destinada ao financiamento de estocagem de café, tipo exportação, na rede oficial de

Leia mais

Café Sustentável. Riqueza do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento CAPA. MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO.

Café Sustentável. Riqueza do Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento CAPA. MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO. 12 MA-0005-Cafe_sustentavel_200x200_NOVO.indd 12-1 CAPA 1 30.10.09 16:08:10 Data (M/D/A): 10/30/09 Contato: (61) 3344-8502 Formato (F): 200x200 mm Formato (A): 400x200 mm Data (M/D/A): 10/30/09 Ministério

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em novembro de 2010 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

AS CIDADES DO AGRONEGÓCIO NO SUL DE MINAS: A CONSTITUIÇÃO DE MUZAMBINHO COMO UMA CIDADE FUNCIONAL À PRODUÇÃO CAFEEIRA.

AS CIDADES DO AGRONEGÓCIO NO SUL DE MINAS: A CONSTITUIÇÃO DE MUZAMBINHO COMO UMA CIDADE FUNCIONAL À PRODUÇÃO CAFEEIRA. AS CIDADES DO AGRONEGÓCIO NO SUL DE MINAS: A CONSTITUIÇÃO DE MUZAMBINHO COMO UMA CIDADE FUNCIONAL À PRODUÇÃO CAFEEIRA. Larissa Chiulli Guida lalaguida@yahoo.com.br Discente do curso de Geografia - Unifal-MG

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. Este capítulo dispõe sobre as operações no mercado de câmbio relativas às exportações brasileiras de mercadorias e de serviços. 2. O exportador de mercadorias ou de serviços

Leia mais

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL

08/09/2015. Mundo Evolução da área (índice 100= safra 2000/01) Bolsa de Chicago Relação soja/milho no 1º contrato PROPHETX/AGRURAL PERSPECTIVAS PARA A AGROPECUÁRIA BRASILEIRA NOS PRÓXIMOS 5 ANOS FERNANDO MURARO JR. Engenheiro agrônomo e analista de mercado da AgRural Commodities Agrícolas ANDA 5º CONGRESSO BRASILEIRO DE FERTILIZANTES

Leia mais

Chuvas no Brasil esfriam o mercado, enquanto estimativas da produção para 2014/15 são mais baixas

Chuvas no Brasil esfriam o mercado, enquanto estimativas da produção para 2014/15 são mais baixas Chuvas no Brasil esfriam o mercado, enquanto estimativas da produção para 2014/15 são mais baixas Em novembro os preços do café recuaram e as chuvas contínuas no Brasil seguraram novos aumentos de preços.

Leia mais

Exportações recordes do Brasil influenciam o mercado cafeeiro

Exportações recordes do Brasil influenciam o mercado cafeeiro Exportações recordes do Brasil influenciam o mercado cafeeiro As exportações de café do Brasil alcançaram um volume recorde de 36,8 milhões de sacas no ano-safra de 2014/15 (abril a março), alimentado

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail.

UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail. UNIVERSIDADE DE SANTO AMARO MERCADO DE CAPITAIS PRINCIPAIS PRODUTOS BANCARIOS Prof. Esp. Tomás de Aquino Salomão e-mail tomassalomao@gmail.com Caderneta de Poupança A caderneta de poupança foi criada em

Leia mais

1. Este documento contém um resumo do projeto Controle de pragas e aplicação de

1. Este documento contém um resumo do projeto Controle de pragas e aplicação de WP Board 1063/10 7 julho 2010 Original: inglês Projetos/Fundo Comum P Junta Executiva/ Conselho Internacional do Café 21 24 setembro 2010 Londres, Inglaterra Modelo de controle de pragas e aplicação de

Leia mais

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado

FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO. Produção Integrada de Arroz Irrigado FOLDER PRODUÇÃO INTEGRADA DE ARROZ IRRIGADO Produção Integrada de Arroz Irrigado O que é a Produção Integrada de Arroz Irrigado? A Produção Integrada é definida como um sistema de produção agrícola de

Leia mais

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL

COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL COMISSÃO DE AGRICULTURA, PECUÁRIA, ABASTECIMENTO E DESENVOLVIMENTO RURAL PROJETO DE LEI N 2.468, DE 2003 Estabelece condições especiais de financiamento para a aquisição de veículo utilitário por profissional

Leia mais

SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010.

SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010. MERCADO CAMBIAL Definição e funcionamento Operações Prontas e Futuras Balanço de Pagamentos CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio

Leia mais

Intenções de Investimento

Intenções de Investimento Intenções de Investimento Segundo Trimestre 2014 Principais Resultados:» Preocupações atuais» Intenções de investimento em: Tecnologia / Custeio Maquinas e Equipamentos Gestão de Pessoas Infraestrutura

Leia mais

Modalidades de Pagamento

Modalidades de Pagamento Modalidades de Pagamento Remessa / Pagamento antecipado: Nesta modalidade, o importador realiza o pagamento ao exportador antes do envio da mercadoria. Trata-se da opção mais interessante para o exportador,

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ CEAP 5º CCN 2012.1 DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO O artigo 187 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (Lei das Sociedades por Ações), instituiu a Demonstração do Resultado do Exercício. A Demonstração do Resultado

Leia mais

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática

Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática Lista de Exercícios para a Prova Substitutiva de Matemática Financeira Parfor Matemática 1. Se 35 m de um tecido custam R$ 140, quanto se pagará 12 m? 2. Se 20 tratores levaram 6 dias para realizar um

Leia mais

Seminário Riscos e Gestão do Seguro Rural no Brasil

Seminário Riscos e Gestão do Seguro Rural no Brasil Seminário Riscos e Gestão do Regulamentação para gestão do seguro rural em eventos catastróficos Otávio Ribeiro Damaso Secretário Adjunto de Política Econômica / otavio.damaso@fazenda.gov.br Campinas,

Leia mais

BB Seguro Agrícola Faturamento. Brasília (DF), 06 de Julho de 2011

BB Seguro Agrícola Faturamento. Brasília (DF), 06 de Julho de 2011 BB Seguro Agrícola Faturamento Brasília (DF), 06 de Julho de 2011 1 Mitigadores de Produção/Intempéries. 2 Mitigadores de Preço. 3 Seguro de Faturamento. Exemplos. Mitigadores de Produção/Intemp ão/intempéries

Leia mais

Notificações Brasileiras ao Comitê de Agricultura da Organização Mundial do Comércio (OMC)

Notificações Brasileiras ao Comitê de Agricultura da Organização Mundial do Comércio (OMC) Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Departamento de Acordos Comerciais Notificações Brasileiras ao Comitê de Agricultura da Organização Mundial do Comércio (OMC) Notificações Brasileiras

Leia mais

PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA

PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA PROJETO CAMPO FUTURO CUSTO DE PRODUÇÃO DO CAFÉ EM LUÍS EDUARDO MAGALHÃES-BA Os produtores de Luís Eduardo Magalhães se reuniram, em 09/04, para participarem do levantamento de custos de produção de café

Leia mais

WP Board No. 980/05 Rev. 1

WP Board No. 980/05 Rev. 1 WP Board No. 980/05 Rev. 1 International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café 12 janeiro 2006 Original: inglês Projetos/Fundo

Leia mais

Política Agrícola e Comércio Internacional. Acadêmicos: Aline Clarice Celmar Marcos Micheli Virginia

Política Agrícola e Comércio Internacional. Acadêmicos: Aline Clarice Celmar Marcos Micheli Virginia Política Agrícola e Comércio Internacional Acadêmicos: Aline Clarice Celmar Marcos Micheli Virginia Introdução O seguro agrícola é um dos instrumentos da política agrícola mais eficaz utilizado para minimizar

Leia mais

STJ00085281 NOTA À 9." EDIÇÃO... OBRAS DO AUTOR... 1.2 Operações bancárias... 18. 1.4 Natureza dos contratos de crédito bancário...

STJ00085281 NOTA À 9. EDIÇÃO... OBRAS DO AUTOR... 1.2 Operações bancárias... 18. 1.4 Natureza dos contratos de crédito bancário... STJ00085281 SUMÁRIO NOTA À 9." EDIÇÃO.................. OBRAS DO AUTOR................... 5 7 1. CRÉDITO BANCÁRIO........ 17 1.1 Atividade creditícia dos bancos.............. 17 1.2 Operações bancárias..........................

Leia mais

Preço médio da Soja em MS Período: 06/03 á 11/03 de 2014 - Em R$ por saca de 60 kg

Preço médio da Soja em MS Período: 06/03 á 11/03 de 2014 - Em R$ por saca de 60 kg SOJA» MERCADO INTERNO Na primeira semana de março houve leve apreciação nos preços da saca de 6 Kg de soja em grãos, estes cresceram em média 1,2% em relação aos preços observados 6/mar. Mas em comparação

Leia mais

Do Manual de Crédito Rural, disponível aqui.

Do Manual de Crédito Rural, disponível aqui. Do Manual de Crédito Rural, disponível aqui. TÍTULO: CRÉDITO RURAL CAPÍTULO: Operações - 3 SEÇÃO: Créditos de Custeio - 2 1 - O custeio rural classifica-se como: (Res a) agrícola; b) pecuário; c) de beneficiamento

Leia mais

ANEXOS. Processo de definição da taxa de juros

ANEXOS. Processo de definição da taxa de juros ANEXOS Processo de definição da taxa de juros A taxa de juros constitui-se no mais importante instrumento de política monetária à disposição do Banco Central. Através dela, a autoridade monetária afeta

Leia mais

Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1

Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1 % v. 10, n. 5, maio 2015 Reiteradas Vendas Pressionam a Curva Futura das Cotações do Café 1 A elevação da taxa SELIC anunciada pelo Comitê de Política Monetária (COPOM) na última quarta-feira do mês de

Leia mais

> O MUNDO ESPERA PELA SUA EMPRESA

> O MUNDO ESPERA PELA SUA EMPRESA > O MUNDO ESPERA PELA SUA EMPRESA MILLENNIUM TRADE SOLUTIONS > CONQUISTE NOVOS MERCADOS PARA A SUA EMPRESA A Exportação e Importação, bem como a Internacionalização da sua Empresa, exigem conhecimento

Leia mais

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Rafael Ribeiro Vinhal

INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM. Rafael Ribeiro Vinhal INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA Certificate in Financial Management - CFM Rafael Ribeiro Vinhal COFFEE EXPORT - HEDGE CAMBIAL VIA MERCADO FUTURO DE DÓLAR São Paulo 2012 Rafael Ribeiro Vinhal Coffee

Leia mais

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização

Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização Instrumentos Financeiros de Apoio à Internacionalização Castelo Branco, 04.10.2012 Elisabete Grosso Gabinete de Comércio Externo e Bancos Correspondentes (GCB) 1 Comércio Externo Agenda Principais instrumentos

Leia mais

www.cursosolon.com.br SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial

www.cursosolon.com.br SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial MERCADO DE CÂMBIO CONCEITO É o mercado que reúne compradores e vendedores de moedas estrangeiras, sob supervisão do Banco Central. Os compradores e vendedores são normalmente

Leia mais

ICC 105 19 Rev. 3. 12 março 2014 Original: inglês. Conselho Internacional do Café 112. a sessão 3 7 março 2014 Londres, Reino Unido

ICC 105 19 Rev. 3. 12 março 2014 Original: inglês. Conselho Internacional do Café 112. a sessão 3 7 março 2014 Londres, Reino Unido ICC 105 19 Rev. 3 12 março 2014 Original: inglês P Conselho Internacional do Café 112. a sessão 3 7 março 2014 Londres, Reino Unido Plano de Ação para a Organização Internacional do Café Antecedentes 1.

Leia mais

ICC 109 13. 12 outubro 2012 Original: inglês. Plano de Promoção e Desenvolvimento de Mercado

ICC 109 13. 12 outubro 2012 Original: inglês. Plano de Promoção e Desenvolvimento de Mercado ICC 109 13 12 outubro 2012 Original: inglês P Conselho Internacional do Café 109. a sessão 24 28 setembro 2012 Londres, Reino Unido Plano de Promoção e Desenvolvimento de Mercado Antecedentes Este documento

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO FITOSSANITÁRIA NO AGRONEGÓCIO MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso Abril 2012 ESPM-SUL

PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO FITOSSANITÁRIA NO AGRONEGÓCIO MANUAL DO CANDIDATO. Ingresso Abril 2012 ESPM-SUL PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO FITOSSANITÁRIA NO AGRONEGÓCIO MANUAL DO CANDIDATO Ingresso Abril 2012 ESPM-SUL Rua Guilherme Schell, 350 Santo Antônio Porto Alegre/RS. Instituto Phytus Santa Maria Rua Duque de

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Departamento do Café. Secretaria de Produção e Agroenergia. O café no Brasil

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Departamento do Café. Secretaria de Produção e Agroenergia. O café no Brasil Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Departamento do Café Secretaria de Produção e Agroenergia O café no Brasil Maior produtor e exportador de café do mundo Segundo maior consumidor mundial

Leia mais

COMO AS TRADINGS E AGROINDUSTRIAS PROTEGEM VARIAÇÕES DE PREÇOS COM CUSTOS DE APENAS 01 2005/06). 2% A 3% DO VALOR PROTEGIDO?

COMO AS TRADINGS E AGROINDUSTRIAS PROTEGEM VARIAÇÕES DE PREÇOS COM CUSTOS DE APENAS 01 2005/06). 2% A 3% DO VALOR PROTEGIDO? AGROVISION Brasília Prof. Clímaco Cezar (climaco23@gmail.com) PROGRAMAS: AGRORENDA E PESAGRO AGRORENDA: O SEGURO DE RENDA MUITO BARATO PARA PROTEGER OS INTERESSES DOS AGRICULTORES E DESENVOLVER O AGRONEGÓCIO

Leia mais

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita)

A visão de longo prazo contempla: Produção Exportações líquidas Estoques. Área plantada Produtividade Consumo doméstico (total e per capita) Fornecer aos agentes envolvidos no agronegócio, notadamente as indústrias de insumos agropecuários e de alimentos, além dos produtores, Governo e academia, informações estratégicas sobre a dinâmica futura

Leia mais

Contabilidade Social Carmen Feijó [et al.] 4ª edição

Contabilidade Social Carmen Feijó [et al.] 4ª edição Contabilidade Social Carmen Feijó [et al.] 4ª edição CAPÍTULO 5 BALANÇO DE PAGAMENTOS Professor Rodrigo Nobre Fernandez Pelotas 2015 2 Introdução O balanço de pagamentos é o registro contábil de todas

Leia mais

Comércio justo: Uma cadeia de valor que deu certo. 30.05.2008 São Paulo

Comércio justo: Uma cadeia de valor que deu certo. 30.05.2008 São Paulo Comércio justo: Uma cadeia de valor que deu certo 30.05.2008 São Paulo POR QUE COMERCIO JUSTO? POR QUE COMERCIO JUSTO? Quem trabalha tem direito a uma remuneração equitativa e satisfatória, que lhe permita

Leia mais

Gerente de Mercados da OCB. Brasília, 08 de abril de 2011

Gerente de Mercados da OCB. Brasília, 08 de abril de 2011 ENDIVIDAMENTO DO SETOR AGROPECUÁRIO EVANDRO SCHEID NINAUT Gerente de Mercados da OCB Brasília, 08 de abril de 2011 Organização das Cooperativas Brasileiras Ci Criada em 1.969 IV Congresso Brasileiro i

Leia mais

Política Cambial. Política Cambial e. Balanço de Pagamentos 26/03/2013. Mecanismos de intervenção na Economia. O que é Balanço de Pagamentos?

Política Cambial. Política Cambial e. Balanço de Pagamentos 26/03/2013. Mecanismos de intervenção na Economia. O que é Balanço de Pagamentos? Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agronômicas Depto. de Economia, Sociologia e Tecnologia e Balança de Pagamentos Economia e Administração 3 º sem./medicina Veterinária Núria R. G. Quintana

Leia mais

CLIPPING 04/02/2014 Acesse: www.cncafe.com.br

CLIPPING 04/02/2014 Acesse: www.cncafe.com.br CLIPPING Acesse: www.cncafe.com.br CNC: Boletim Conjuntural do Mercado de Café - Janeiro de 2014 CNC Assessoria técnica Sílvia Pizzol As cotações futuras do café arábica iniciaram 2014 com tendência de

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Estudo das garantias nos contratos mercantis internacionais Vanessa Rugai* Por várias razões, nem sempre os compradores conseguem crédito junto aos seus fornecedores. Uma forma de

Leia mais

PJ 4/11. 10 janeiro 2011 Original: inglês. Comitê de Projetos 1. a reunião 30 março 2011 Londres, Reino Unido

PJ 4/11. 10 janeiro 2011 Original: inglês. Comitê de Projetos 1. a reunião 30 março 2011 Londres, Reino Unido PJ 4/11 10 janeiro 2011 Original: inglês P Comitê de Projetos 1. a reunião 30 março 2011 Londres, Reino Unido Estudo da sustentabilidade da cadeia da oferta de café versus adaptação às mudanças climáticas

Leia mais

MODELOS DE PLANEJAMENTOS E DE RELATÓRIOS DO COMÉRCIO JUSTO

MODELOS DE PLANEJAMENTOS E DE RELATÓRIOS DO COMÉRCIO JUSTO MODELOS DE PLANEJAMENTOS E DE RELATÓRIOS DO COMÉRCIO JUSTO Este modelo pode ajudá-lo a cumprir com os requisitos da seção 4.1.1-4.1.10 sobre Potencial de Desenvolvimento e os requisitos de relatórios na

Leia mais

Essas expressões envolvem uma razão especial denominada porcentagem ou percentagem.

Essas expressões envolvem uma razão especial denominada porcentagem ou percentagem. Faculdades Integradas do Tapajós Professor: Adm. Esp. Wladimir Melo Curso: Administração 2º ADN 1, Gestão Empresarial 2º GEN 1, Processos Gerenciais 2º TPN Disciplina: Matemática Financeira 1. Porcentagem

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é sócio do escritório Stuber Advogados Associados, especializado em Direito Bancário, Mercado de Capitais e Negociações

Leia mais

Bureau de Inteligência Competitiva do. Café. Série Potenciais Concorrentes do Café Brasileiro Peru Nº. 6 28/10/2013. www.icafebr.

Bureau de Inteligência Competitiva do. Café. Série Potenciais Concorrentes do Café Brasileiro Peru Nº. 6 28/10/2013. www.icafebr. Bureau de Inteligência Competitiva do Café Série Potenciais Concorrentes do Café Brasileiro Peru Nº. 6 28/10/2013 www.icafebr.com PARA TER ACESSO AOS DEMAIS RELATÓRIOS DO BUREAU, NOTÍCIAS E COTAÇÕES, ACESSE:

Leia mais

Índice de Confiança do Agronegócio

Índice de Confiança do Agronegócio Índice de Confiança do Agronegócio Terceiro Trimestre 2014 Principais Resultados:» Índice de Confiança do Agronegócio» Índice da Indústria (antes e depois da porteira)» Índice do Produtor Agropecuário

Leia mais

TÍTULO : CRÉDITO RURAL CAPÍTULO : Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) - 9 SEÇÃO : Disposições Gerais - 1

TÍTULO : CRÉDITO RURAL CAPÍTULO : Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) - 9 SEÇÃO : Disposições Gerais - 1 SEÇÃO : Disposições Gerais - 1 1 - Os recursos do Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé) devem ser aplicados em operações de crédito pelas instituições financeiras integrantes do Sistema Nacional

Leia mais

13º Curso de Atualização

13º Curso de Atualização 13º Curso de Atualização Manejo Tecnológico da Lavoura Cafeeira Desafios da Assistência Técnica na Cafeicultura Gustavo Rennó Reis Almeida Engenheiro Agrônomo - MSc. Varginha 15 de julho de 2015 Consultoria

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

COMPRADOR VENDEDOR SACAS PREÇO QUALIDADE. M dcheg. CLIMA (Varginha/MG) r Aberto (hoje) BOLSA / DÓLAR

COMPRADOR VENDEDOR SACAS PREÇO QUALIDADE. M dcheg. CLIMA (Varginha/MG) r Aberto (hoje) BOLSA / DÓLAR M dcheg BARÃO COMISSÁRIA DE CAFÉ LTDA Alameda Otávio Marques de Paiva, 220 Bairro Santa Luiza CEP 37062-670 - Varginha-MG (35) 3214-7725 / 8855-0050 / 8879-0040 / 8876-0030 www.baraocomissariadecafe.com.br

Leia mais

Grupo 1 Cadeias que sofreriam menores ameaças com a liberalização

Grupo 1 Cadeias que sofreriam menores ameaças com a liberalização Grupo 1 Cadeias que sofreriam menores ameaças com a liberalização 1.1 Café Diagnóstico Desde meados da década de 90, a produção mundial de café tem apresentado aumentos significativos, mas que não estão

Leia mais

P R O A G R O. Programa de Garantia da Atividade Agropecuária. Deoclécio Pereira de Souza. Rio Branco (AC) 22-07-2008

P R O A G R O. Programa de Garantia da Atividade Agropecuária. Deoclécio Pereira de Souza. Rio Branco (AC) 22-07-2008 P R O A G R O Programa de Garantia da Atividade Agropecuária Deoclécio Pereira de Souza Rio Branco (AC) 22-07-2008 1 1.a S E G U R O A - M U N D O ANO > 1347 LOCAL > GÊNOVA - Itália FATO > 1º CONTRATO

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos DEREX Declaração decorrentes a recursos mantidos no exterior.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos DEREX Declaração decorrentes a recursos mantidos no exterior. DEREX Declaração decorrentes a recursos mantidos no exterior. 18/03/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Conceito...

Leia mais

Preços se fixam em baixa e o foco passa a ser o próximo ano

Preços se fixam em baixa e o foco passa a ser o próximo ano Preços se fixam em baixa e o foco passa a ser o próximo ano Em novembro cresceram as especulações em relação ao tamanho da próxima safra brasileira de 2016/17 e seu impacto sobre o equilíbrio mundial entre

Leia mais

Introdução: Mercado Financeiro

Introdução: Mercado Financeiro Introdução: Mercado Financeiro Prof. Nilton TÓPICOS Sistema Financeiro Nacional Ativos Financeiros Mercado de Ações 1 Sistema Financeiro Brasileiro Intervém e distribui recursos no mercado Advindos de

Leia mais

Diretoria de Agronegócios. Safra 2013/2014

Diretoria de Agronegócios. Safra 2013/2014 Diretoria de Agronegócios Safra 2013/2014 Agricultura Empresarial Custeio Custeio MCR 6.2 e MCR 6.4 Equalizado 1) Limite recursos controlados: R$ 800 mil, por beneficiário/safra, independentemente da cultura;

Leia mais

Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos

Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos Capítulo 6 Parte A Mercados Derivativos 6.A.1 Apresentação do capítulo Nesta unidade, é abordado o estudo dos diferentes tipos de mercados derivativos. O objetivo deste capítulo é dar ao leitor uma visão

Leia mais

28. Câmbio. 1. Escrituração. 2. Disponibilidades em Moedas Estrangeiras

28. Câmbio. 1. Escrituração. 2. Disponibilidades em Moedas Estrangeiras TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 28. Câmbio 1. Escrituração 1 - Sempre que o ato ou fato administrativo envolver outra moeda além da moeda nacional, a escrituração

Leia mais

Livro:Comércio Internacional e Câmbio Autor: Bruno Ratti Apresentação elaborada por: Alexandre F. Almeida

Livro:Comércio Internacional e Câmbio Autor: Bruno Ratti Apresentação elaborada por: Alexandre F. Almeida Livro:Comércio Internacional e Câmbio Autor: Bruno Ratti Apresentação elaborada por: Alexandre F. Almeida A) transações entre bancos e clientes dentro do país; B) transações entre bancos no mesmo país;

Leia mais

Avenida Paulista, 949 22º andar

Avenida Paulista, 949 22º andar Avenida Paulista, 949 22º andar São Paulo, 30 de novembro de 2012 1 I n t r o d u ç ã o 140 CRÉDITO PRODUÇÃO BRASIL Fase de ouro Fase de crise Fase da agricultura de mercado 133 127 162 120 114 117 105

Leia mais

AMORTIZAÇÃO E EMPRÉSTIMOS

AMORTIZAÇÃO E EMPRÉSTIMOS AMORTIZAÇÃO E EMPRÉSTIMOS Conceitos iniciais Antes de iniciarmos os estudos específicos em relação a cada metodologia de amortização, é necessário conceituar alguns termos utilizados pelo mercado: Amortização:

Leia mais

Commodities Agrícolas

Commodities Agrícolas Commodities Agrícolas quarta-feira, 18 de setembro de 2013 CAFÉ CAFÉ Bolsas Venc Ajuste Máx BM&F Mín Variação Venc Ajuste ICE FUTURES Máx Mín Variação SET13 133,50 0,00 0,00-4,85 SET13 111,05 114,75 111,10-3,75

Leia mais

COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO

COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO COMO CRIAR UM PLANO DE AMORTIZAÇÃO! Sistemas de amortização de empréstimos! Sistema Price! SAC! Fórmulas do Excel! Planilha fornecida Autores: Francisco Cavalcante(cavalcante@netpoint.com.br) Administrador

Leia mais

Curva Futura das Cotações 1 : baixa safra de café em ano de ciclo de alta

Curva Futura das Cotações 1 : baixa safra de café em ano de ciclo de alta Análises e Indicadores do Agronegócio ISSN 1980-0711 Curva Futura das Cotações 1 : baixa safra de café em ano de ciclo de alta Em janeiro de 2014, as expectativas para a trajetória do mercado de juros

Leia mais

ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15

ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15 ALGODÃO EM MATO GROSSO JULHO/15 CONJUNTURA MENSAL ANO 1. Nº 3 O 11º Levantamento de Grãos da Conab, divulgado em 11 de agosto de 2015, manteve suas estimativas para a safra 2014/15, de algodão em pluma

Leia mais

Intenções de Investimento

Intenções de Investimento Intenções de Investimento Terceiro Trimestre 2015 Principais Resultados: Resultados:» Preocupações atuais» Intenções de investimento em: Tecnologia / Custeio Maquinas e Equipamentos Gestão de Pessoas Infraestrutura

Leia mais

Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge

Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge Mercado a Termo e Futuro de Dólar: Estratégias de Hedge 1 Hedge no Mercado a Termo No Brasil, são muito comuns as operações a termo real/dólar. Empresas importadoras, exportadoras, com dívidas ou ativos

Leia mais

ATIVOS FINANCEIROS PROVISÕES TÉCNICAS JAN A MAIO - 2013

ATIVOS FINANCEIROS PROVISÕES TÉCNICAS JAN A MAIO - 2013 ATIVOS FINANCEIROS PROVISÕES TÉCNICAS JAN A MAIO - 2013 1 ANALISE: Esse relatório tem por base os números divulgados pela SUSEP referente aos Exercícios de 2009 a 2012 e ao período de janeiro a maio de

Leia mais

Bem-vindo ao futuro da agricultura Esta apresentação reúne os principais fatos observados nos clientes na safra de 2014/2015 no dia-a-dia com o

Bem-vindo ao futuro da agricultura Esta apresentação reúne os principais fatos observados nos clientes na safra de 2014/2015 no dia-a-dia com o Bem-vindo ao futuro da agricultura Esta apresentação reúne os principais fatos observados nos clientes na safra de 2014/2015 no dia-a-dia com o Strider nas fazendas A queda de braço entre custo e produtividade:

Leia mais

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014

RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 1 Senhores Associados: RELATÓRIO DA GESTÃO 2014 Temos a satisfação de apresentar o Relatório da Gestão e as Demonstrações Contábeis da CREDICOAMO Crédito Rural Cooperativa, relativas às atividades desenvolvidas

Leia mais

Administração Financeira II

Administração Financeira II Administração Financeira II Calculo Financeiro Professor: Roberto César CÁLCULO FINANCEIRO Dinheiro no Tempo Capitalização (Juros) (Montante) Valor Futuro R$ 100,00 R$ 110,00 0 1 (Capital) Valor Presente

Leia mais