Conhecimentos Bancários. Item Mercado de Câmbio

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Conhecimentos Bancários. Item 3.5.3 - Mercado de Câmbio"

Transcrição

1 Conhecimentos Bancários Item Mercado de Câmbio

2 Conhecimentos Bancários Item Mercado de Câmbio Câmbio TROCA

3 Conhecimentos Bancários Item Mercado de Câmbio Câmbio TROCA Moedas Estrangeiras MERCADO DE CÂMBIO

4 Conhecimentos Bancários Item Mercado de Câmbio MERCADO DE CÂMBIO Diretrizes e Normas CMN Execução da Política Cambial BACEN

5 Conhecimentos Bancários Item Mercado de Câmbio MERCADO DE CÂMBIO ÓRGÃO NORMATIVO MÁXIMO Diretrizes e Normas CMN Execução da Política Cambial BACEN ENTIDADE SUPERVISORA

6 Conhecimentos Bancários Item Mercado de Câmbio Câmbio é uma operação financeira caracterizada pela troca de moeda de um país pelo outro; que tem como objetivo facilitar as transações entre os países.

7 É no Mercado Cambial que se estabelece a taxa de câmbio entre a moeda corrente nacional e as dos demais países.

8 É no Mercado Cambial que se estabelece a taxa de câmbio entre a moeda corrente nacional e as dos demais países. É o preço de uma unidade monetária de uma moeda em unidades monetárias de outra moeda

9 A taxa de câmbio é um importante instrumento de política econômica porque afeta todas as transações realizadas com o exterior.

10 A taxa de câmbio é um importante instrumento de política econômica porque afeta todas as transações realizadas com o exterior. Variáveis MACROECONÔMICAS Risco País Nível EMPREGO / DESEMPREGO Inflação Nível de desenvolvimento

11 A taxa de câmbio é um importante instrumento de política econômica porque afeta todas as transações realizadas com o exterior. Variáveis MACROECONÔMICAS Risco País Nível EMPREGO / DESEMPREGO Inflação Nível de desenvolvimento Política Monetária REGIME CAMBIAL

12 A taxa de câmbio é um importante instrumento de política econômica porque afeta todas as transações realizadas com o exterior. Competitividade das mercadorias do país Importações e Exportações

13 A taxa de câmbio é um importante instrumento de política econômica porque afeta todas as transações realizadas com o exterior. Competitividade das mercadorias do país Importações e Exportações Crescimento Econômico

14 A taxa de câmbio é um importante instrumento de política econômica porque afeta todas as transações realizadas com o exterior. Competitividade das mercadorias do país Importações e Exportações Crescimento Econômico Rentabilidade dos títulos nacionais frente aos títulos estrangeiros Taxas de juros e os fluxos financeiros

15 Tipos de TAXAS DE CÂMBIO É o preço de uma unidade monetária de uma moeda em unidades monetárias de outra moeda

16 Tipos de TAXAS DE CÂMBIO É o preço de uma unidade monetária de uma moeda em unidades monetárias de outra moeda Mercado

17 Tipos de TAXAS DE CÂMBIO É o preço de uma unidade monetária de uma moeda em unidades monetárias de outra moeda Regime Cambial Mercado

18 Regime Cambial Flutuante por bandas Definição de intervalos mínimo e máximo para o valor da Moeda Estrangeira.

19 Regime Cambial Flutuante por bandas Definição de intervalos mínimo e máximo para o valor da Moeda Estrangeira. Plano Real 1 US$ = R$ 1,00 1 US$ = R$ 0,86

20 Regime Cambial Flutuante por bandas Definição de intervalos mínimo e máximo para o valor da Moeda Estrangeira. Plano Real 1 US$ = R$ 1,00 1 US$ = R$ 0,86 Atuação do BACEN

21 Regime Cambial 1 US$ = R$ 1,00 1 US$ = R$ 0,86 REAL DESVALORIZADO DOLAR VALORIZADO 1 U$ > R$ 1,00 DOLAR CARO

22 Regime Cambial 1 US$ = R$ 1,00 1 US$ = R$ 0,86 REAL DESVALORIZADO DOLAR VALORIZADO 1 U$ > R$ 1,00 DOLAR CARO EXPORTAÇÃO INFLAÇÃO

23 Regime Cambial 1 US$ = R$ 1,00 1 US$ = R$ 0,86 Atuação do BACEN REAL DESVALORIZADO DOLAR VALORIZADO 1 U$ > R$ 1,00 DOLAR CARO VENDE DOLAR EXPORTAÇÃO INFLAÇÃO PREÇO CAI

24 Regime Cambial 1 US$ = R$ 1,00 1 US$ = R$ 0,86 DOLAR BARATO REAL VALORIZADO DOLAR DESVALORIZADO 1 U$ < R$ 0,86

25 Regime Cambial 1 US$ = R$ 1,00 1 US$ = R$ 0,86 DOLAR BARATO REAL VALORIZADO DOLAR DESVALORIZADO 1 U$ < R$ 0,86 IMPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

26 Regime Cambial 1 US$ = R$ 1,00 1 US$ = R$ 0,86 DOLAR BARATO Atuação do BACEN REAL VALORIZADO DOLAR DESVALORIZADO 1 U$ < R$ 0,86 COMPRA DOLAR PREÇO SOBE IMPORTAÇÃO EXPORTAÇÃO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL

27 Regime Cambial FIXO O Banco Central que determina o valor da moeda. O Banco Central se compromete a comprar e vender moeda estrangeira a um preço fixo Década de 90 Plano Real

28 Regime Cambial FLUTUANTE (Não define bandas) O Banco Central atua sem definir bandas para o Mercado

29 Regime Cambial FLUTUANTE (Não define bandas) O Banco Central atua sem definir bandas para o Mercado DIRTY FLOATING = SUJO É o REGIME ATUAL

30 Algumas Observações: As operações no mercado de câmbio devem: Atender às orientações e procedimentos previstos na legislação e na regulamentação específica (legalidade da transação); Ser registradas no SISBACEN (Sistema de Informações Banco Central do Brasil); Observar as disposições de natureza operacional definidas pelo BACEN.

31 Algumas Observações: Contrato de Câmbio: Instrumento específico firmado entre vendedor e comprador. Segue modelo definido pelo BACEN. Deve ser registrado no Sistema Câmbio (Sistema de registro de Operações de Câmbio) ; Prazo máximo = dias Contratos podem ser cancelados livremente por consenso entre as partes (Exceto: operações simplificadas (até U$ 3.000) e interbancárias)

32 Algumas Observações: Remessas: Transferências financeiras relacionadas ou não a operações comerciais; Permitem que pessoas físicas ou jurídicas, residentes no Brasil, recebam ou enviem recursos do/para o exterior, por meio de uma ordem de pagamento;

33 Formas de REMESSAS permitidas pelo BACEN: Constituição de disponibilidade no exterior; Doações; Dividendos; Investimentos no exterior; Empréstimos; Aposentadoria e pensões; Fins educacionais; Manutenção de pessoas físicas; Heranças Participações em feiras internacionais Etc.

34 SISCOMEX Instrumento automatizado que integra as atividades de registro, acompanhamento e controle das operações de comércio exterior

35 SISCOMEX Instrumento automatizado que integra as atividades de registro, acompanhamento e controle das operações de comércio exterior ADMINISTRAÇÃO: Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) Secretaria da Receita Federal (SRF) Banco Central do Brasil (BACEN) Órgãos gestores do comércio exterior

36 SISCOMEX Instrumento automatizado que integra as atividades de registro, acompanhamento e controle das operações de comércio exterior ADMINISTRAÇÃO: Secretaria de Comércio Exterior (SECEX) Secretaria da Receita Federal (SRF) Banco Central do Brasil (BACEN) Órgãos gestores do comércio exterior USUÁRIOS: Órgãos da administração DIRETA e INDIRETA que atuam no Comércio Exterior; IFs autorizadas a operar com câmbio (SISBACEN); IFs autorizadas pela SECEX a conceder licença de importação; PF e PJ (exportadores, importadores, transportadores) (REI: Registro de Exportadores e Importadores)

37 Tipos de Mercado de Câmbio: Câmbio Manual: é aquele onde o comércio de dinheiro é em espécie, quando pelo menos uma das moedas transacionadas for de país estrangeiro.

38 Tipos de Mercado de Câmbio: Câmbio Primário: é o mercado onde são realizadas operações cambiais entre os bancos e seus clientes não-bancários

39 Tipos de Mercado de Câmbio: Mercado Paralelo: Câmbio compreende todas operações conduzidas por meio de pessoas físicas ou jurídicas não autorizadas a lidar com câmbio.

40 Tipos de Mercado de Câmbio: Mercado de Câmbio a Vista: É o mercado onde são realizadas operações cambiais "Prontas", para entrega em até dois dias úteis.

41 Prática de Prova: O mercado de câmbio envolve a negociação de moedas estrangeiras e as pessoas interessadas em movimentar essas moedas. O câmbio manual é a forma de câmbio que (A) pratica a importação e a exportação por meio de contratos. (B) pratica a troca de moeda estrangeira por uma mercadoria. (C) envolve a compra e a venda de moedas estrangeiras em espécie. (D) envolve a troca de títulos ou documentos representativos da moeda estrangeira. (E) exerce a função de equilíbrio na balança comercial externa.

42 Prática de Prova: O mercado de câmbio envolve a negociação de moedas estrangeiras e as pessoas interessadas em movimentar essas moedas. O câmbio manual é a forma de câmbio que (A) pratica a importação e a exportação por meio de contratos. (B) pratica a troca de moeda estrangeira por uma mercadoria. (C) envolve a compra e a venda de moedas estrangeiras em espécie. (D) envolve a troca de títulos ou documentos representativos da moeda estrangeira. (E) exerce a função de equilíbrio na balança comercial externa.

43 Prática de Prova: O mercado de câmbio envolve a negociação de moedas estrangeiras e as pessoas interessadas em movimentar essas moedas. O câmbio manual é a forma de câmbio que (A) pratica a importação e a exportação por meio de contratos. (B) pratica a troca de moeda estrangeira por uma mercadoria. (C) envolve a compra e a venda de moedas estrangeiras em espécie. (D) envolve a troca de títulos ou documentos representativos da moeda estrangeira. (E) exerce a função de equilíbrio na balança comercial externa.

44 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

45 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

46 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

47 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada. BACEN intervém para alterar a cotação do câmbio

48 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada. ERRADO BACEN intervém para alterar a cotação do câmbio

49 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

50 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. BACEN não determina a Taxa de câmbio (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

51 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. CÂMBIO FIXO (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. BACEN não determina a Taxa de câmbio (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

52 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. CÂMBIO FIXO (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. BACEN não determina a Taxa de câmbio (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada. ERRADO

53 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

54 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. CÂMBIO FIXO (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

55 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. CÂMBIO FIXO ERRADO (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

56 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

57 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada. FLUTUANTE por bandas

58 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada. FLUTUANTE por bandas ERRADO

59 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

60 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. Sem especificar as bandas (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

61 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. Sem especificar as bandas CORRETO (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

62 Prática de Prova: No regime de câmbio flutuante, o Banco Central do Brasil atua no mercado de câmbio, (A) nele intervindo com o objetivo de evitar oscilações bruscas nas cotações. (B) desvalorizando a taxa de câmbio com o objetivo de reduzir o cupom cambial. (C) determinando a taxa de câmbio com o objetivo de incentivar as exportações. (D) fixando a taxa de câmbio com o objetivo de estimular captações externas. (E) livremente, dentro da banda cambial por ele estabelecida e divulgada.

63 Prática de Prova: O mercado cambial é o segmento financeiro em que ocorrem operações de negociação com moedas internacionais. A operação que envolve compra e venda de moedas estrangeiras em espécie é denominada (A) câmbio manual (B) câmbio sacado (C) exportação (D) importação (E) transferência

64 Prática de Prova: O mercado cambial é o segmento financeiro em que ocorrem operações de negociação com moedas internacionais. A operação que envolve compra e venda de moedas estrangeiras em espécie é denominada (A) câmbio manual (B) câmbio sacado (C) exportação (D) importação (E) transferência

65 Prática de Prova: O mercado cambial é o segmento financeiro em que ocorrem operações de negociação com moedas internacionais. A operação que envolve compra e venda de moedas estrangeiras em espécie é denominada (A) câmbio manual (B) câmbio sacado (C) exportação (D) importação (E) transferência

66 Conhecimentos Bancários Até a Próxima Aula!

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - MERCADO DE CÂMBIO Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br CONCEITO É o mercado que reúne compradores e vendedores de moedas estrangeiras, sob supervisão

Leia mais

www.cursosolon.com.br SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial

www.cursosolon.com.br SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial SISTEMA FINANCEIRO Mercado Cambial MERCADO DE CÂMBIO CONCEITO É o mercado que reúne compradores e vendedores de moedas estrangeiras, sob supervisão do Banco Central. Os compradores e vendedores são normalmente

Leia mais

MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS MÓDULO 7 POLÍTICA CAMBIAL

MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS MÓDULO 7 POLÍTICA CAMBIAL MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS MÓDULO 7 POLÍTICA CAMBIAL Índice 1. Política Cambial...3 1.1. Taxa de câmbio fixa... 3 1.2. Taxa de câmbio flutuante... 3 1.3. Padrão currency board... 3 2. Política de

Leia mais

Legislação e regulamentação cambial (principais alterações)

Legislação e regulamentação cambial (principais alterações) Legislação e regulamentação cambial (principais alterações) 1 Medidas cambiais adotadas nos últimos anos Representam importante passo no sentido de atualizar e adequar as regras de câmbio, em continuidade

Leia mais

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas.

Mercado de Câmbio. Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. Definição: Mercado de Câmbio Mercado de câmbio é a denominação para o mercado de troca de moedas. O mercado de Câmbio de TAXAS LIVRES opera com o dólar comercial. TAXAS FLUENTES opera com o dólar flutuante

Leia mais

Política Cambial. Política Cambial e. Balanço de Pagamentos 26/03/2013. Mecanismos de intervenção na Economia. O que é Balanço de Pagamentos?

Política Cambial. Política Cambial e. Balanço de Pagamentos 26/03/2013. Mecanismos de intervenção na Economia. O que é Balanço de Pagamentos? Universidade Estadual Paulista Faculdade de Ciências Agronômicas Depto. de Economia, Sociologia e Tecnologia e Balança de Pagamentos Economia e Administração 3 º sem./medicina Veterinária Núria R. G. Quintana

Leia mais

SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010.

SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio Exterior Exportação/Importação. São Paulo: Saraiva, 2010. MERCADO CAMBIAL Definição e funcionamento Operações Prontas e Futuras Balanço de Pagamentos CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: SOUZA, José Meireles de Sousa. Gestão do Comércio

Leia mais

Administração Financeira. Mercado Cambial Parte 01 Taxas e regimes cambiais

Administração Financeira. Mercado Cambial Parte 01 Taxas e regimes cambiais Administração Financeira Mercado Cambial Parte 01 Taxas e regimes cambiais Taxa de Câmbio - Conceito É o preço de uma unidade de moeda estrangeira denominado em moeda nacional Exemplos: A) Para comprar

Leia mais

OPERAÇÕES DE CÂMBIO. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda

OPERAÇÕES DE CÂMBIO. Profª. MSc. Maria Bernadete Miranda OPERAÇÕES DE CÂMBIO CÂMBIO Câmbio é toda compra, venda ou troca de moeda nacional por moeda estrangeira ou papéis que o representem ou vice-versa. No Brasil em decorrência da atual legislação, sempre uma

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.330. Art. 2º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen.

CIRCULAR Nº 3.330. Art. 2º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Este texto não substitui o publicado no DOU e no Sisbacen. CIRCULAR Nº 3.330 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão extraordinária realizada em 27 de outubro de 2006,com

Leia mais

Taxa de câmbio (19/08/2015)

Taxa de câmbio (19/08/2015) Alicia Ruiz Olalde Taxa de câmbio Uma diferença entre o comércio interno e internacional é que este último envolve moedas de diferentes países. Como todo mercado, o mercado de câmbio conta com uma oferta

Leia mais

Tipos de Mercados de taxas e câmbio Administrativas Flutuantes Bandas Cambiais Prazos de Liquidação das operações (à vista ou pronto, Futuro)

Tipos de Mercados de taxas e câmbio Administrativas Flutuantes Bandas Cambiais Prazos de Liquidação das operações (à vista ou pronto, Futuro) O Mercado de Câmbio no Brasil e suas modalidades: Mercado Primário e Secundário Tipos de Mercados de taxas e câmbio Administrativas Flutuantes Bandas Cambiais Prazos de Liquidação das operações (à vista

Leia mais

Aula nº 10 - MERCADO DE CÂMBIO

Aula nº 10 - MERCADO DE CÂMBIO POLÍTICA CAMBIAL Chama-se política cambial o conjunto de ações do Governo que influem no comportamento do mercado de câmbio e da taxa de O Banco Central executa a política cambial definida pelo Conselho

Leia mais

BANCOS INTERMEDIÁRIOS CORRETORES DE CÂMBIO

BANCOS INTERMEDIÁRIOS CORRETORES DE CÂMBIO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O MERCADO DE CÂMBIO E SEUS AGENTES C.M.N BACEN BANCOS INTERMEDIÁRIOS CORRETORES DE CÂMBIO SISTEMA CAMBIAL VIGENTE NO BRASIL. O regime cambial brasileiro é um regime controlado

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL. Instituições Intervenientes no Comércio Exterior do Brasil e Siscomex COMÉRCIO INTERNACIONAL COMÉRCIO INTERNACIONAL

COMÉRCIO INTERNACIONAL. Instituições Intervenientes no Comércio Exterior do Brasil e Siscomex COMÉRCIO INTERNACIONAL COMÉRCIO INTERNACIONAL Instituições Intervenientes no Comércio Exterior do Brasil e Siscomex Prof.Nelson Guerra Órgãos acima + Ministério das Relações Exteriores. Conheça cada um deles CAMEX: Objetiva a formulação, adoção, implementação

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO

QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO 1 QUADRO COMPARATIVO 1 UNIFICAÇÃO DOS MERCADOS DE CÂMBIO Resolução 3.265, de 4 de março de 2005. (reunião do Mercado de Câmbio de Taxas Livres e do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes e instituição de

Leia mais

Taxa de Câmbio. Recebimento de juros Recebimentos de lucros do exterior Receita de rendas do trabalho

Taxa de Câmbio. Recebimento de juros Recebimentos de lucros do exterior Receita de rendas do trabalho Taxa de Câmbio TAXA DE CÂMBIO No Brasil é usado a CONVENÇÃO DO INCERTO. O valor do dólar é fixo e o variável é a nossa moeda. Por exemplo : 1 US$ = R$ 3,00 Mercado de Divisa No mercado de câmbio as divisas

Leia mais

IGEPP GESTOR - 2013. Política cambial. Relação entre taxa de juros, taxa de câmbio e regimes cambiais. Prof. Eliezer Lopes

IGEPP GESTOR - 2013. Política cambial. Relação entre taxa de juros, taxa de câmbio e regimes cambiais. Prof. Eliezer Lopes IGEPP GESTOR - 2013 Política cambial. Relação entre taxa de juros, taxa de câmbio e regimes cambiais. Prof. Eliezer Lopes MACROECONOMIA ABERTA POLÍTICA FISCAL POLÍTICA MONETÁRIA MERCADO DE BENS PRODUTO

Leia mais

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO

CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO CONHECIMENTOS BANCÁRIOS: - - - - - - POLÍTICA ECONÔMICA & MERCADO FINANCEIRO Prof.Nelson Guerra Ano 2012 www.concursocec.com.br INTRODUÇÃO Trata-se da política utilizada pelo Governo para obter desenvolvimento

Leia mais

MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior

MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior MÓDULO 3 A estrutura brasileira para o comércio exterior O governo brasileiro possui definida uma política voltada para o comércio internacional, onde defende os interesses das empresas nacionais envolvidas,

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS REVISTA JURÍDICA CONSULEX ONLINE Conjuntura Walter Douglas Stuber WALTER DOUGLAS STUBER é sócio do escritório Stuber Advogados Associados, especializado em Direito Bancário, Mercado de Capitais e Negociações

Leia mais

CONTROLE DE CÂMBIO. Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002

CONTROLE DE CÂMBIO. Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002 CONTROLE DE CÂMBIO Laercio Pellegrino, Jr. Veirano & Advogados Associados Março 2002 Por Que o Brasil Controla o Câmbio? Moeda forte é um item escasso no Brasil. Tanto o Governo Brasileiro como as empresas

Leia mais

Exercício para fixação

Exercício para fixação Exercício para fixação Quando o Banco Central deseja baratear os empréstimos e possibilitar maior desenvolvimento empresarial, ele irá adotar uma Política Monetária Expansiva, valendo-se de medidas como

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em fevereiro de 2009 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

Economia. Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos,

Economia. Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos, Economia Comércio Internacional Taxa de Câmbio, Mercado de Divisas e Balança de Pagamentos, Comércio Internacional Objetivos Apresentar o papel da taxa de câmbio na alteração da economia. Iniciar nas noções

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 3.1.3 Formação da Taxa de Juros Parte 2

Conhecimentos Bancários. Item 3.1.3 Formação da Taxa de Juros Parte 2 Conhecimentos Bancários Item 3.1.3 Formação da Taxa de Juros Parte 2 Item 3.1.3 Formação da Taxa de Juros Alguns conceitos importantes: 1. PIB PRODUTO INTERNO BRUTO; 2. Índices de Inflação; 3. Títulos

Leia mais

RESOLUCAO N. 003568. Dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências.

RESOLUCAO N. 003568. Dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências. RESOLUCAO N. 003568 RESOLUCAO 3.568 --------------- Dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964,

Leia mais

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras

Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Prof. Onivaldo Izidoro Pereira Finanças Corporativas Ambiente Econômico Em suas atividades uma empresa relacionase com: Clientes

Leia mais

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade II. Mercado Financeiro e de. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade II Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Definição do mercado financeiro Representa o Sistema Financeiro Nacional Promove o fluxo de recursos através

Leia mais

Livro:Comércio Internacional e Câmbio Autor: Bruno Ratti Apresentação elaborada por: Alexandre F. Almeida

Livro:Comércio Internacional e Câmbio Autor: Bruno Ratti Apresentação elaborada por: Alexandre F. Almeida Livro:Comércio Internacional e Câmbio Autor: Bruno Ratti Apresentação elaborada por: Alexandre F. Almeida A) transações entre bancos e clientes dentro do país; B) transações entre bancos no mesmo país;

Leia mais

AULA 19. Mercado de Câmbio II

AULA 19. Mercado de Câmbio II AULA 19 Mercado de Câmbio II Posição de Câmbio A posição de câmbio é representada pelo saldo das operações de câmbio (compra e venda de moeda estrangeira, de títulos e documentos que as representem e de

Leia mais

Questões de Economia Cesgranrio. Macroeconomia

Questões de Economia Cesgranrio. Macroeconomia Macroeconomia Balanço de Pagamento 1. Cesgranrio ANP 2008 Especialista em Regulação) Quando um país tem um deficit no balanço comercial do seu balanço de pagamentos, pode-se afirmar que a) as exportações

Leia mais

TERMO DE MOEDAS¹ COM GARANTIA. Especificações

TERMO DE MOEDAS¹ COM GARANTIA. Especificações TERMO DE MOEDAS¹ COM GARANTIA Especificações 1. Definições Taxa de câmbio Objeto de negociação do contrato quando a relação for estabelecida em quantidade de reais por uma unidade de moeda estrangeira

Leia mais

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking

Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Cleber Rentroia MBA em Finanças e Banking 1. Quando o IPCA tende a subir além das metas de inflação, qual medida deve ser tomada pelo COPOM: a) Abaixar o compulsório b) Reduzir taxa do redesconto c) Aumentar o crédito d) Elevar a taxa de juros

Leia mais

CIRCULAR N 2.971. Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Art. 1º Regulamentar os seguintes normativos:

CIRCULAR N 2.971. Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Art. 1º Regulamentar os seguintes normativos: CIRCULAR N 2.971 Documento normativo revogado pela Circular nº 3.280, de 9/3/2005. Regulamenta as Resoluções nº 2.644, de 1999, nº 2.694 e nº 2.695, ambas de 2000, e divulga o Regulamento sobre Contas

Leia mais

ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX).

ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX). Aula 12 ÓRGÃOS RESPONSÁVEIS PELO COMÉRCIO INTERNACIONAL NO BRASIL E O SISTEMA INTEGRA- DO DE COMÉRCIO EXTERIOR (SISCOMEX). Segundo LOPES VASQUES (2007) as políticas de regulamentação, normatização e execução

Leia mais

Administração Financeira e Orçamentária I

Administração Financeira e Orçamentária I Administração Financeira e Orçamentária I Sistema Financeiro Brasileiro AFO 1 Conteúdo Instituições e Mercados Financeiros Principais Mercados Financeiros Sistema Financeiro Nacional Ações e Debêntures

Leia mais

7. Mercado Financeiro

7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro 7. Mercado Financeiro Mercado Financeiro O processo onde os recursos excedentes da economia (poupança) são direcionados para o financiamento de empresas (tomadores de crédito). Investidor

Leia mais

Manual de Instrução. Para o preenchimento do questionário sobre OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM EXTERIOR EMPRESAS DE TRANSPORTE

Manual de Instrução. Para o preenchimento do questionário sobre OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM EXTERIOR EMPRESAS DE TRANSPORTE Manual de Instrução Para o preenchimento do questionário sobre OPERAÇÕES E POSIÇÕES COM EXTERIOR EMPRESAS DE TRANSPORTE Direcção de Estatísticas Económicas e Financeiras DEEF 1.Introdução O Manual de Instrução

Leia mais

Capítulo 10: GREMAUD, TONETO JR. E VASCONCELLOS (2002) Setor Externo

Capítulo 10: GREMAUD, TONETO JR. E VASCONCELLOS (2002) Setor Externo Capítulo 10: GREMAUD, TONETO JR. E VASCONCELLOS (2002) Setor Externo BALANÇO DE PAGAMENTOS: É o registro sistemático das transações entre residentes e não-residentes de um país durante determinado período

Leia mais

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros

Unidade III. Operadores. Demais instituições financeiras. Outros intermediários financeiros e administradores de recursos de terceiros MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS Unidade III 6 O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL O sistema financeiro nacional é o conjunto de instituições e instrumentos financeiros que possibilita a transferência de recursos

Leia mais

Vamos usar a seguinte definição: Aumento da taxa de cambio = Desvalorização. Taxa de cambio real : é o preço relativo dos bens em dois paises.

Vamos usar a seguinte definição: Aumento da taxa de cambio = Desvalorização. Taxa de cambio real : é o preço relativo dos bens em dois paises. Vamos usar a seguinte definição: Aumento da taxa de cambio = Desvalorização Uma desvalorização ocorre quando o preço das moedas estrangeiras sob um regime de câmbio fixa é aumentado por uma ação oficial.

Leia mais

FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO REGISTRO DE EXPORTAÇÃO (SISCOMEX)

FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO REGISTRO DE EXPORTAÇÃO (SISCOMEX) FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO REGISTRO DE EXPORTAÇÃO (SISCOMEX) FORMAÇÃO DO PREÇO DE EXPORTAÇÃO A determinação do preço de exportação é um dos aspectos mais importantes e decisivos para a conquista e

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3265. Documento normativo revogado pela Resolução 3.568, de 29/05/2008, a partir de 01/07/2008.

RESOLUÇÃO Nº 3265. Documento normativo revogado pela Resolução 3.568, de 29/05/2008, a partir de 01/07/2008. RESOLUÇÃO Nº 3265 01/07/2008. Documento normativo revogado pela Resolução 3.568, de 29/05/2008, a partir de Dispõe sobre o Mercado de Câmbio e dá outras providências. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma

Leia mais

Introdução: Mercado Financeiro

Introdução: Mercado Financeiro Introdução: Mercado Financeiro Prof. Nilton TÓPICOS Sistema Financeiro Nacional Ativos Financeiros Mercado de Ações 1 Sistema Financeiro Brasileiro Intervém e distribui recursos no mercado Advindos de

Leia mais

CIRCULAR Nº 3249. Art. 3º Divulgar as folhas anexas, necessárias à atualização da CNC. - Carta-Circular 2.201, de 20 de agosto de 1991;

CIRCULAR Nº 3249. Art. 3º Divulgar as folhas anexas, necessárias à atualização da CNC. - Carta-Circular 2.201, de 20 de agosto de 1991; CIRCULAR Nº 3249 Divulga o Regulamento sobre Frete Internacional, e dá outras providências. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, com base nos artigos 9º e 11 da Lei 4.595, de 31 de dezembro

Leia mais

PAGAMENTOS INTERNACIONAIS E TAXA DE CÂMBIO

PAGAMENTOS INTERNACIONAIS E TAXA DE CÂMBIO Pagamentos internacionais Como são feitos? Quais moedas são aceitas como meio de pagamento e em que proporção são trocadas umas pelas outras? Alterações da taxa de câmbio: afetam os preços relativos dos

Leia mais

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES. Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA

SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES. Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL INSTITUIÇÕES Lei 4.595/64 FINANCEIRAS COLETA INTERMEDIAÇÃO APLICAÇÃO CUSTÓDIA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA JUROS PAGOS PELOS TOMADORES - REMUNERAÇÃO PAGA AOS POUPADORES SPREAD

Leia mais

a) constituição e retorno de capitais brasileiros no exterior e de capitais estrangeiros no País;

a) constituição e retorno de capitais brasileiros no exterior e de capitais estrangeiros no País; SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. As pessoas físicas e as pessoas jurídicas podem comprar e vender moeda estrangeira ou realizar transferências internacionais em reais, de qualquer natureza, sem limitação

Leia mais

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor CIRCULAR N 3015 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes para incluir título relativo a Transferências Postais. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada

Leia mais

Introdução. Capitais Internacionais

Introdução. Capitais Internacionais Capitais Internacionais e Mercado de Câmbio no Brasil Atualizado em novembro de 2010 1 Introdução O tratamento aplicável aos fluxos de capitais e às operações de câmbio acompanhou as conjunturas econômicas

Leia mais

Parte III Política Cambial

Parte III Política Cambial Parte III Política Cambial CAPÍTULO 5. A GESTÃO DO REGIME DE CÂMBIO FLUTUANTE NO BRASIL CAPÍTULO 6. A RELAÇÃO ENTRE A TAXA DE CÂMBIO E O DESENVOLVIMENTO Regimes e Política Cambial Apesar da adoção quase

Leia mais

NOTAS ECONÔMICAS. Regimes cambiais dos BRICs revelam diferentes graus de intervenção no câmbio

NOTAS ECONÔMICAS. Regimes cambiais dos BRICs revelam diferentes graus de intervenção no câmbio NOTAS ECONÔMICAS Informativo da Confederação Nacional da Indústria Ano 11 Número 2 12 de julho de 2010 www.cni.org.br Regimes cambiais dos BRICs revelam diferentes graus de intervenção no câmbio Brasil

Leia mais

Curso DSc Bacen - Básico Provas 2001-2010 - Macroeconomia. Prof.: Antonio Carlos Assumpção

Curso DSc Bacen - Básico Provas 2001-2010 - Macroeconomia. Prof.: Antonio Carlos Assumpção Curso DSc Bacen - Básico Provas 2001-2010 - Macroeconomia Prof.: Antonio Carlos Assumpção Contabilidade Nacional Balanço de Pagamentos Sistema Monetário 26- Considere a seguinte equação: Y = C + I + G

Leia mais

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte:

Conhecimentos Bancários. Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos 2ª parte: Conhecimentos Bancários Item 2.1.4- Fundos de Investimentos: São condomínios, que reúnem aplicações de vários indivíduos para investimento

Leia mais

MERCADO CAMBIAL BRASILEIRO RESUMO

MERCADO CAMBIAL BRASILEIRO RESUMO MERCADO CAMBIAL BRASILEIRO Jonas Bordim 1 Luiz Antônio Gazola 2 Wagner Augusto Rodrigues 3 Marcos Rogério Rodrigues 4 RESUMO No mercado cambial brasileiro, as empresas que nele participam devem conhecer

Leia mais

Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros

Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros Diretoria de Assuntos Internacionais Gerência-Executiva de Normatização de Câmbio e Capitais Estrangeiros Geraldo Magela Siqueira Rio de Janeiro 16 / 17 de março de 2010 Contextualização As novas condições

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 11 - Exportação SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. Este capítulo dispõe sobre as operações no mercado de câmbio relativas às exportações brasileiras de mercadorias e de serviços. 2. O exportador de mercadorias ou de serviços

Leia mais

Vamos falar sobre o que são as taxas de câmbio e explicar alguns dos fatores que podem afetar o valor da moeda nos países em todo o mundo.

Vamos falar sobre o que são as taxas de câmbio e explicar alguns dos fatores que podem afetar o valor da moeda nos países em todo o mundo. TAXAS DE CÂMBIO Introdução Todo mundo que viaja para o exterior acaba usando moedas estrangeiras. Normalmente, os turistas compram dólares norte-americanos e, se não for viajar para os Estados Unidos,

Leia mais

Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio

Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio São Paulo, 28 de outubro de 2011 Discurso do Diretor Aldo Luiz Mendes no Seminário sobre Modernização do Sistema Câmbio Bom dia a todos. É com grande prazer que, pela segunda vez, participo de evento para

Leia mais

Unidade III. Mercado Financeiro. Prof. Maurício Felippe Manzalli

Unidade III. Mercado Financeiro. Prof. Maurício Felippe Manzalli Unidade III Mercado Financeiro e de Capitais Prof. Maurício Felippe Manzalli Mercados Financeiros Lembrando da aula anterior Conceitos e Funções da Moeda Política Monetária Política Fiscal Política Cambial

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS ECONOMIA

PADRÃO DE RESPOSTA DAS QUESTÕES DISCURSIVAS ECONOMIA QUESTÕES DISCURSIVAS Questão n o 1 a) Taxa de Câmbio Em setembro/outubro de 2008, houve uma desvalorização do real em relação ao dólar acima de 40%, decorrente do aumento da aversão a risco que provocou

Leia mais

IMPORTAÇÃO 05/08/2015. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Despacho Aduaneiro Tratamento Tributário.

IMPORTAÇÃO 05/08/2015. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Despacho Aduaneiro Tratamento Tributário. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Tratamento Tributário Conceituação Comercial Recebimento da mercadoria pelo comprador ou seu representante, no exterior, de acordo

Leia mais

CIRCULAR Nº 3227. Art. 3º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Alexandre Schwartsman Diretor

CIRCULAR Nº 3227. Art. 3º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Alexandre Schwartsman Diretor CIRCULAR Nº 3227 Documento normativo revogado pela Circular 3280, de 09/03/2005. Altera o Regulamento de Operações de Câmbio de Natureza Financeira do Mercado de Câmbio de Taxas Livres. A Diretoria Colegiada

Leia mais

Preços de Transferência

Preços de Transferência Preços de Transferência Rio de Janeiro 04 de agosto de 2015 Página 1 Juros Operações financeiras, independente dos contratos estarem ou não registrados no BACEN Dedutibilidade dos juros / receita mínima

Leia mais

Produto Vendas Custo da matéria-prima

Produto Vendas Custo da matéria-prima Conceitos básicos de economia A economia pode ser subdividida em dois grandes segmentos: - Macroeconomia: trata da evolução da economia como um todo, analisando a determinação, comportamento e relações

Leia mais

SUPER CURSO DE CONHECIMENTOS BANCÁRIOS E SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SIMULADO 01 - BACEN e CMN Professor: Tiago Zanolla

SUPER CURSO DE CONHECIMENTOS BANCÁRIOS E SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL SIMULADO 01 - BACEN e CMN Professor: Tiago Zanolla SIMULADO Conhecimentos Bancários e SFN QUESTÃO 01 (INÉDITA TZ 2013) Considerando o Sistema Financeiro Nacional, assinale a única alternativa que traz a correta correlação de itens: 1. Funding 2. Spread

Leia mais

DESTAQUES DO DIA. Sua opção de Renda Fixa na Bolsa. Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 INFLAÇÃO

DESTAQUES DO DIA. Sua opção de Renda Fixa na Bolsa. Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 INFLAÇÃO Belo Horizonte, 05 de Janeiro de 2011 DESTAQUES DO DIA INFLAÇÃO A inflação de janeiro, medida pelo IPC- Fipe fechou com alta de 0,54%, acumulando 6,4% em 2010. Outros índices de inflação, o IGP- DI e o

Leia mais

Um Novo Modelo de Desenvolvimento para o Brasil

Um Novo Modelo de Desenvolvimento para o Brasil Um Novo Modelo de Desenvolvimento para o Brasil Yoshiaki Nakano Escola de Economia de São Paulo Fundação Getulio Vargas 26 de Abril de 2006 Um Novo Modelo de Desenvolvimento para o Brasil A Base do Novo

Leia mais

Mercado de Divisas e

Mercado de Divisas e Mercado de Divisas e Taxa de Câmbio Agentes do Mercado de Câmbio Taxa de Câmbio Nominal e Real Taxa de Câmbio Fixa e Flexível http://fernandonogueiracosta.wordpress.com/ Agentes do Mercado Cambial Todos

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Data base da cotação para determinação do valor em reais na nota fiscal de exportação

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Data base da cotação para determinação do valor em reais na nota fiscal de exportação Data nota fiscal de exportação 25/04/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 5 5. Informações

Leia mais

Aplicação (1 + idi) t/n F = S(1 + idi) t=0 1 2 n-1 n. Risco cambial

Aplicação (1 + idi) t/n F = S(1 + idi) t=0 1 2 n-1 n. Risco cambial Comércio e Finanças Internacionais Prof. José Alfredo A. Leite 8c. MERCADO DE CUPÕES CAMBIAIS (Dólar doméstico) 1 Cupões Cambiais São aplicações financeiras em dólares teóricos, chamados de dólares domésticos.

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.376. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI).

CIRCULAR Nº 3.376. Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). CIRCULAR Nº 3.376 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI). A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada em 7 de fevereiro de 2008, com base

Leia mais

MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO Definições, Funcionamento e Evolução Recente. Brasília, 28/10/2015. Alvir Hoffmann Vice-Presidente

MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO Definições, Funcionamento e Evolução Recente. Brasília, 28/10/2015. Alvir Hoffmann Vice-Presidente MERCADO DE CÂMBIO BRASILEIRO Definições, Funcionamento e Evolução Recente Brasília, 28/10/2015 Alvir Hoffmann Vice-Presidente Índice Mercado de Cambio Definições e funcionamento Mercado de Câmbio - Evolução

Leia mais

BANCO DO BRASIL. Profº Agenor paulino Trindade

BANCO DO BRASIL. Profº Agenor paulino Trindade BANCO DO BRASIL Profº Agenor paulino Trindade PREPARATÓRIO PARA O BANCO DO BRASIL Prof. AGENOR PAULINO TRINDADE MERCADO DE CAPITAIS DIRETITOS E PROVENTOS DAS AÇÕES: - Direito de Retirada Reembolso de Capital;

Leia mais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 1 - Disposições Gerais

REGULAMENTO DO MERCADO DE CÂMBIO E CAPITAIS INTERNACIONAIS TÍTULO : 1 - Mercado de Câmbio CAPÍTULO : 1 - Disposições Gerais 1 1. O presente título trata das disposições normativas e dos procedimentos relativos ao mercado de câmbio, de acordo com a Resolução n 3.568, de 29.05.2008. 2. As disposições deste título aplicam-se às

Leia mais

Informações ao BACEN sobre operações de Crédito SCR. RB Capital DTVM

Informações ao BACEN sobre operações de Crédito SCR. RB Capital DTVM Informações ao BACEN sobre operações de Crédito SCR RB Capital DTVM Maio 2011 Objetivo Este documento tem como objetivo estabelecer um guia do registro das operações de crédito no Sistema de Informações

Leia mais

Setor externo estatísticas do comércio exterior

Setor externo estatísticas do comércio exterior Setor externo estatísticas do comércio exterior O comércio é mutuamente benéfico. Duas pessoas não trocam bens e serviços a não ser que ambas esperem obter um benefício. No nosso dia a dia dependemos de

Leia mais

Economia e Mercado. Contextualização. Aula 5. Instrumentalização. Evolução da Moeda. Características Físicas. Prof. Me.

Economia e Mercado. Contextualização. Aula 5. Instrumentalização. Evolução da Moeda. Características Físicas. Prof. Me. Economia e Mercado Aula 5 Contextualização Prof. Me. Ciro Burgos Do escambo ao mercado monetário atual Importância de conhecer o funcionamento do mercado monetário Instrumentalização Taxa de juros e inflação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 3.568 CAPÍTULO I. Art. 3º Os agentes autorizados a operar no mercado de câmbio podem realizar as seguintes operações:

RESOLUÇÃO Nº 3.568 CAPÍTULO I. Art. 3º Os agentes autorizados a operar no mercado de câmbio podem realizar as seguintes operações: RESOLUÇÃO Nº 3.568 Dispõe sobre o mercado de câmbio e dá outras providências. O BANCO CENTRAL DO BRASIL, na forma do art. 9º da Lei nº 4.595, de 31 de dezembro de 1964, torna público que o CONSELHO MONETÁRIO

Leia mais

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Produto BNDES Exim Pós-embarque Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização, no exterior, de bens

Leia mais

SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS

SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESPÍRITO SANTO SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS Prof.: Leonardo Ribeiro 1 Siscomex O Sistema Integrado de Comércio Exterior - SISCOMEX, é um instrumento

Leia mais

Modalidades de Pagamento

Modalidades de Pagamento Modalidades de Pagamento Remessa / Pagamento antecipado: Nesta modalidade, o importador realiza o pagamento ao exportador antes do envio da mercadoria. Trata-se da opção mais interessante para o exportador,

Leia mais

6 - Balanço de Pagamentos

6 - Balanço de Pagamentos Universidade Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Ciências Econômicas Departamento de Ciências Econômicas ECO-2215 - Contabilidade Social Balanço de Pagamentos Estrutura da apresentação 1) Definição

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX Controle Administrativo - Definição Controle exercido por órgãos da Administração Federal

Leia mais

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383

Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10. www.eadempresarial.net.br. www.eadempresarial.net.br - 18 3303-0383 Curso de CPA 10 CERTIFICAÇÃO PROFISSIONAL ANBIMA SÉRIE 10 www.eadempresarial.net.br SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL Uma conceituação bastante abrangente de sistema financeiro poderia ser a de um conjunto de

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

Sumário. Conceitos básicos 63 Estrutura do balanço de pagamentos 64 Poupança externa 68

Sumário. Conceitos básicos 63 Estrutura do balanço de pagamentos 64 Poupança externa 68 Sumário CAPÍTULO l As CONTAS NACIONAIS * l Os agregados macroeconômicos e o fluxo circular da renda 2 Contas nacionais - modelo simplificado 4 Economia fechada e sem governo 4 Economia fechada e com governo

Leia mais

Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança. 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança?

Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança. 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança? Perguntas e Respostas Alteração no rendimento da caderneta de poupança Novas regras 1) Por que o governo decidiu mudar as regras da caderneta de poupança? Por ter parte de sua remuneração (chamada de adicional)

Leia mais

3. Adotam-se, para os fins deste capítulo, as seguintes definições:

3. Adotam-se, para os fins deste capítulo, as seguintes definições: SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. Este capítulo dispõe sobre o registro do investimento estrangeiro direto no País, em moeda nacional ou estrangeira, efetuado de forma declaratória e por meio eletrônico

Leia mais

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento;

d) participação em competições esportivas, incluídos gastos com treinamento; CAPÍTULO : 10 - Viagens Internacionais, Cartões de Uso Internacional e Transferências Postais SEÇÃO : 1 - Viagens Internacionais 1. Esta seção trata das compras e das vendas de moeda estrangeira, inclusive

Leia mais

CIRCULAR N 2694. I - Cópia do Regulamento do Fundo; II - Cópia do registro, na CVM, de distribuição de quotas.

CIRCULAR N 2694. I - Cópia do Regulamento do Fundo; II - Cópia do registro, na CVM, de distribuição de quotas. CIRCULAR N 2694 Estabelece condições para registro de capitais estrangeiros aplicados em Fundos de Investimento Imobiliário, constituídos ao amparo da Instrução CVM nº 205, de 14.01.94, e regulamentação

Leia mais

4. O cadastramento a que se refere o item anterior deve ser efetuado concomitantemente à abertura da conta.

4. O cadastramento a que se refere o item anterior deve ser efetuado concomitantemente à abertura da conta. 1 SEÇÃO : 1 - Disposições Gerais 1. As pessoas físicas ou jurídicas, residentes, domiciliadas ou com sede no exterior, podem ser titulares de contas de depósito em moeda nacional no País, exclusivamente

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO DOCUMENTOS EXIGIDOS NAS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO DISPONIVEL EM: HTTP://WWW.APRENDENDOAEXPORTAR.GOV.BR/SITIO/PAGINAS/COMEXPORTAR/CONTRATOS.HTML No comércio internacional, os documentos desempenham importante

Leia mais

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores

Cartilha de Câmbio. Envio e recebimento de pequenos valores 2009 Cartilha de Câmbio Envio e recebimento de pequenos valores Apresentação O Banco Central do Brasil criou esta cartilha para orientar e esclarecer você, que precisa negociar moeda estrangeira, sobre

Leia mais

Aula 06: Moedas e Bancos

Aula 06: Moedas e Bancos Aula 06: Moedas e Bancos Macroeconomia Agregados Monetários. As contas do Sistema Monetário. Gilmar Ferreira Janeiro 2010 Moeda Conceitualmente, o termo moeda é usado para denominar tudo aquilo que é geralmente

Leia mais

MACROECONOMIA ABERTA

MACROECONOMIA ABERTA MACROECONOMIA ABERTA 1- (APO-MP 2005) Considerando E = taxa real de câmbio calculada considerando os índices de preços interno e no estrangeiro e a taxa nominal de câmbio segundo conceito utilizado no

Leia mais

CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA. Especificações

CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA. Especificações CONTRATO FUTURO DE AÇÚCAR CRISTAL COM LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA Especificações 1. Definições Hedgers: Preço de ajuste (PA): PTAX: Taxa de câmbio referencial BM&FBOVESPA: Dia útil: comitentes que negociam o

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos DEREX Declaração decorrentes a recursos mantidos no exterior.

Parecer Consultoria Tributária Segmentos DEREX Declaração decorrentes a recursos mantidos no exterior. DEREX Declaração decorrentes a recursos mantidos no exterior. 18/03/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Conceito...

Leia mais

Concurso Receita Federal

Concurso Receita Federal PAGAMENTOS INTERNACIONAIS Concurso Receita Federal Analista Prof.Nelson Guerra VISÃO GERAL DE UMA OPERAÇÃO DE IM/EXPORTAÇÃO 1) OPORTUNIDADE NEGOCIAL: Contato importador / exportador. 2) REGULAMENTAÇÃO:

Leia mais