MAIS DE 200 MIL PARTICIPANTES EM DOIS PLANOS DE BENEFÍCIOS

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MAIS DE 200 MIL PARTICIPANTES EM DOIS PLANOS DE BENEFÍCIOS"

Transcrição

1

2 QUANTIDADE DE PARTICIPANTES MAIS DE 200 MIL PARTICIPANTES EM DOIS PLANOS DE BENEFÍCIOS Plano 1 (Ativos Totais: R$ 162,5 bilhões) PREVI Futuro (Ativos Totais: R$ 5,7 bilhões) Pensionistas Aposentados Ativos participantes

3 MISSÃO: GARANTIR O PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS AOS ASSOCIADOS DE FORMA EFICIENTE, SEGURA E SUSTENTÁVEL.

4 GOVERNANÇA

5 GOVERNANÇA TODOS OS MEMBROS DA ADMINISTRAÇÃO SÃO ASSOCIADOS DA PREVI, HÁ MAIS DE 10 ANOS, O QUE RESULTA EM UMA GESTÃO ALTAMENTE COMPROMETIDA. 1. Diretoria Executiva e Conselhos Deliberativo, Fiscal e Consultivos: Metade dos integrantes indicados pelo Banco do Brasil, entre seus funcionários da ativa Metade dos integrantes eleitos por voto direto dos associados 2. Separação de funções entre as Diretorias: Políticas e Diretrizes de Investimentos propostas pela Diretoria de Planejamento (Eleito) Execução da Política de Investimentos pela Diretoria de Investimentos (Indicado) 3. Corpo técnico composto por funcionários do BB cedidos: Associados PREVI, cuidando do próprio patrimônio e futuro Expertise no mercado financeiro, análise de risco, de crédito etc.

6 ORGANOGRAMA

7 PROCESSO DE INVESTIMENTO NÍVEIS DE ANÁLISE E ALÇADAS PARA APROVAÇÃO GARANTEM A QUALIDADE DOS ATIVOS Diretoria Executiva Comitê: Presidência + Diretoria de Investimentos Comitê: Diretoria de Investimentos + Gerentes Comitê: Gerentes + Corpo Técnico Conselho Deliberativo Valores a 5% dos recursos garantidores de cada plano (Plano 1 = R$ 7,9 bilhões e PREVI Futuro = R$ 279 milhões) ou a 0,5% do total dos recursos administrados pela PREVI (R$ 335 milhões) Alçadas definidas no Manual de Competências e Alçadas Parâmetros/ limites definidos na Política e Diretrizes de Investimentos

8 CONTROLES E FISCALIZAÇÕES DIVERSAS INSTÂNCIAS CONTRIBUEM PARA REDUZIR OS RISCOS E AMPLIAR A CONFORMIDADE Controles Externos Controles Internos Previc: 1 fiscalização por ano (média) Conselho Fiscal: 2 relatórios de controles internos por ano e diversas manifestações Auditoria Externa: 6 relatórios anuais Auditoria Interna: 15 trabalhos anuais, passando por todos os processos a cada ciclo de 3 anos Gerência de Conformidade e Controles Internos: 575 processos avaliados anualmente Gerência de Análise Técnica: 12 relatórios de renda fixa e renda variável e 4 sobre aquisições/alienações de imóveis por ano

9 A ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTOS

10 RECEITAS E PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS CERCA DE 50% DOS BENEFÍCIOS PAGOS PELA PREVI SÃO ORIUNDOS DE RECEITA COM ALUGUEIS E DIVIDENDOS DAS EMPRESAS PARTICIPADAS Total de benefícios pagos R$ 26 bi ,5% 45,6% 56,1% R$ 8,4 bi R$ 9,2 bi R$ 8,4 bi

11 SEGURANÇA E SAÚDE PATRIMONIAL NOS ÚLTIMOS TRÊS ANOS, A PREVI PAGOU R$ 26 BILHÕES EM BENEFÍCIOS E, AINDA ASSIM, O PATRIMÔNIO MANTEVE-SE ESTÁVEL ,6 171,1 168,5 R$ bilhões Patrimônio da PREVI

12 RENTABILIDADE DO PLANO 1 A ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTOS TEM SE MOSTRADO ACERTADA: A RENTABILIDADE SUPEROU O ATUARIAL E O IBOVESPA 350% 300% 250% 200% 150% 100% 286,92% 188,31% 90,90% 50% 0% Plano 1 Ibovespa Meta Atuarial

13 RESERVAS DO PLANO 1 A PREVI FECHOU 2014 COM UM SUPERÁVIT ACUMULADO DE R$ 12,5 BILHÕES. Reserva Matemática (compromissos atuais e futuros) R$122,07 bilhões + Reserva de Contingência (excedente) R$12,54 bilhões

14 RENDA FIXA

15 INVESTIMENTOS EM RENDA FIXA TÍTULOS PÚBLICOS INDEXADOS A ÍNDICES DE PREÇOS (NTN-B). A PREVI NÃO TINHA TÍTULOS DE BANCOS QUE SOFRERAM INTERVENÇÃO, NEM EM DÍVIDA SOBERANA DE OUTROS PAÍSES. 10% 3% 1% Total: R$ 57 bilhões R$ 8 bilhões Títulos Públicos Títulos Privados de Instituições Financeiras Tít. Privados de Instituições Não Financeiras Fundos de Investimentos em Renda Fixa VOLUME R$ 49 bilhões R$ 5,7 bilhões R$ 1,9 bilhões R$ 403 milhões 86%

16 RENDA VARIÁVEL

17 INVESTIMENTOS EM RENDA VARIÁVEL A PREVI ESTÁ PRESENTE EM DIVERSOS SETORES DA ECONOMIA, EM ATIVOS ADQUIRIDOS NO FINAL DA DÉCADA DE 90 E QUE APRESENTARAM VALORIZAÇÃO EXPRESSIVA AO LONGO DOS ANOS. 11,33% Total: R$ 91,79 bilhões 3,00% 35,60% 4,00% SEGMENTOS VOLUME 6,98% 7,57% 15,46% 16,06% Mineração Energia Elétrica Bancos Bebidas Alimentos Petróleo e Gás Infraestrutura Outros R$ 32,68 bilhões R$ 14,74 bilhões R$ 14,19 bilhões R$ 6,95 bilhões R$ 6,41 bilhões R$ 3,67 bilhões R$ 2,75 bilhões R$ 10,40 bilhões

18 RENDA VARIÁVEL: SÉRIE HISTÓRICA DO PLANO 1 RENDA VARIÁVEL TEM SIDO UMA ESTRATÉGIA IMPORTANTE PARA O CUMPRIMENTO DA META ATUARIAL NO LONGO PRAZO 200 R$ bilhões ,33 139,93 149,67 151,75 161,23 163,83 159, ,61 114, ,98 38,22 43,35 57,67 70,04 82, ,9% 54,6% 56,1% 61,2% 61,7% 60,5% 66,8% 69,1% 60,9% 64,2% 63,9% 62,2% 60,0% 60,4% 56,2% Total de Investimentos Alocação em Renda Variável CERCA DE 90% DOS ATIVOS DE RENDA VARIÁVEL JÁ COMPUNHAM A CARTEIRA DESDE O INÍCIO DA DÉCADA PASSADA

19 RECEITAS E PAGAMENTO DE BENEFÍCIOS RENDA VARIÁVEL E IMÓVEIS SÃO IMPORTANTES FONTES PARA PAGAMENTO DAS APOSENTADORIAS. DIVIDENDOS, JUROS SOBRE O CAPITAL E RECEITAS DE IMÓVEIS SOMARAM MAIS DE R$ 35 BILHÕES NOS ÚLTIMOS 10 ANOS 15 R$ bilhões ,0 8,4 9,2 8,4 6 4,5 4,5 4,9 5,2 5,8 5,9 6, ,6 (34,2%) 2,2 (48,0%) 2,7 (55,1%) 2,6 (50,5%) 3,3 (57,6%) 3,0 (51,0%) 3,0 (49,0%) 3,6 (39,7%) 4,1 (48,5%) 5,2 (56,1%) 3,8 (45,6%) Total de Benefícios Pagos Valores provenientes Alugueis, Dividendos e JCP

20 RENTABILIDADE DOS INVESTIMENTOS BONS ATIVOS RESISTEM A MOMENTOS CONJUNTURAIS ADVERSOS. Meta Atuarial Renda Variável 60 Rentabilidade (%) Superávit/Défict Acumulado 0,16-2,05-3,62 4,05 9,76 18,87 34,81 52,94 26,31 44,20 26,89 24,66 27,29 24,76 12,54

21 RENDA VARIÁVEL: DESINVESTIMENTOS A PREVI VEM DESINVESTINDO EM ATIVOS DE RENDA VARIÁVEL EM LINHA COM A POLÍTICA DE INVESTIMENTOS DO PLANO 1. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS POSIÇÃO EM RENDA VARIÁVEL VENDAS RV INFERIOR (%) SUPERIOR(%) R$ BILHÕES % R$ BILHÕES ,20 64,40 96,6 64,5 3, ,00 66,00 94,4 62,2 2, ,20 63,20 96,8 60,0 2, ,60 64,60 98,9 60,4 2, ,52 61,52 89,8 56,2 3,1 TOTAL R$ 14,2 BILHÕES

22 A POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

23 TRIPÉ DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS A GESTÃO ADEQUADA DE ATIVOS E PASSIVOS GARANTE HONRAR O CONTRATO PREVIDENCIÁRIO. SOLVÊNCIA: ATIVOS QUE GARANTEM HONRAR OS COMPROMISSOS NO LONGO PRAZO RESERVA MATEMÁTICA HOMENS: 85 / MULHERES: 87 NA ATIVA ATÉ MAIS DE ATIVOS APOSENTADOS E PENSIONISTAS PRÓXIMOS 60 ANOS CONTRATO PREVIDENCIÁRIO RISCO: ATIVOS QUE EQUILIBRAM A RELAÇÃO RISCO/RETORNO ASSOCIADOS (PLANO 1) LIQUIDEZ: ATIVOS ADEQUADOS AO FLUXO DE CAIXA PARA PAGAR BENEFÍCIOS

24 RELACIONAMENTO COM ASSOCIADOS FOCO NA TRANSPARÊNCIA AÇÕES DE PRESTAÇÃO DE CONTAS QUE AUMENTAM AINDA MAIS A TRANSPARÊNCIA DA PREVI JUNTO AOS ASSOCIADOS. Relatório Anual Resultados econômico-financeiros Relatório de Desempenho Trimestral Análises qualitativas dos investimentos Eventos com Associados Apresentações sobre a PREVI e seus ativos Painel Informativo Informações sobre rentabilidade dos ativos, perfil de participantes e benefícios

25

Política Anual de Investimentos

Política Anual de Investimentos Política Anual de Investimentos 2009 1. Introdução... 3 2. Objetivos... 4 3. Modelo de Gestão:... 5 3.1. Acompanhamento da Gestão de Ente Credenciado:... 5 4. Estratégia de Alocação de Recursos:... 6 4.1.

Leia mais

Déficits na FUNCEF. Apresentação da APCEF São Paulo em unidades da Caixa Econômica Federal (maio de 2015)

Déficits na FUNCEF. Apresentação da APCEF São Paulo em unidades da Caixa Econômica Federal (maio de 2015) Déficits na FUNCEF Prováveis razões para a ocorrência de déficit Opções e prazos para equacionamento Instrumentos de Governança da FUNCEF Participante: como monitorar a FUNCEF Apresentação da APCEF São

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL - 004/2013 23/01/2014

RELATÓRIO TRIMESTRAL - 004/2013 23/01/2014 RELATÓRIO TRIMESTRAL - 004/2013 23/01/2014 Regime Próprio de Previdência Social do município de PORTO MURTINHO - MS Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Douglas Arlindo Placêncio Lopes; Atendendo

Leia mais

RISCO DE CRÉDITO PESSOA FÍSICA

RISCO DE CRÉDITO PESSOA FÍSICA 8 DICAS PARA REDUZIR O RISCO DE CRÉDITO PESSOA FÍSICA M2M Escola de Negócios SELECIONAR CLIENTES QUE EFETIVAMENTE APRESENTEM CAPACIDADE DE PAGAMENTO PONTUAL DE SUAS DÍVIDAS É FUNDAMENTAL PARA A REDUÇÃO

Leia mais

Encontro com Participantes. 24 de março de 2016 BEM VINDOS!

Encontro com Participantes. 24 de março de 2016 BEM VINDOS! Encontro com Participantes 24 de março de 2016 BEM VINDOS! AGENDA Assunto Estrutura de Governança Indicadores São Rafael Seguridade Investimentos - Rentabilidade - Estratégia dos Investimentos Outros Assuntos

Leia mais

RELATÓRIO TRIMESTRAL - 002/2013 16/07/2013

RELATÓRIO TRIMESTRAL - 002/2013 16/07/2013 RELATÓRIO TRIMESTRAL - 002/2013 16/07/2013 Regime Próprio de Previdência Social do município de SINOP - MT Prezado(a) Diretor(a) Executivo(a), Sr(a). Cássia Omizzollo; Atendendo a exigência da do Tribunal

Leia mais

Índice de Sustentabilidade Empresarial ISE. Índice Janeiro de 2016 Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1

Índice de Sustentabilidade Empresarial ISE. Índice Janeiro de 2016 Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1 Índice de Sustentabilidade Empresarial ISE Índice Janeiro de 2016 Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Uso Interno x Público 1 Sustentabilidade em Bolsas de Valores Estímulo à transparência

Leia mais

GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO

GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO GOVERNANÇA METROPOLITANA DA REGIÃO METROPOLITANA DO RIO DE JANEIRO A RMRJ NO CONTEXTO NACIONAL: ATUALMENTE EXISTEM 41 REGIÕES METROPOLITANAS NO BRASIL, SENDO QUE 21 POSSUEM MAIS DE 1 MILHÃO DE HABITANTES,

Leia mais

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2015

Projeto de Lei Orçamentária Anual 2015 Projeto de Lei Orçamentária Anual 2015 Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão 11 de novembro de 2014 1 Parâmetros macroeconômicos para 2015 PIB real 3,0% PIB Nominal R$ 5.765,5 bilhões Salário

Leia mais

Análise Econômico-Financeira

Análise Econômico-Financeira Análise Econômico-Financeira Apresentamos a seguir o desempenho econômico-financeiro do exercício de 2015, sob a ótica gerencial, comparando-o com o exercício de 2014. Na visão gerencial, as contas são

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF:

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF: LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS DIVIDENDOS FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDO DE INVESTIMENTO AÇÕES CNPJ/MF: Informações referentes a Dezembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo

Leia mais

Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital

Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital Risco de Liquidez e Gerenciamento de Capital Gerenciamento de Capital Política de Gerenciamento do Risco de Capital Plano de Capital: 2012-2015 Monitoramento mensal do nível de crise de capital As projeções

Leia mais

Políticas Corporativas

Políticas Corporativas 1 IDENTIFICAÇÃO Título: POLÍTICA DE REMUNERAÇÃO DOS ADMINISTRADORES Restrições para Uso: Livre Acesso Controle Reservado Confidencial Controlada Não Controlada Em Revisão 2 - RESPONSÁVEIS Etapa Área Responsável

Leia mais

PRINCÍPIOS ESSENCIAIS

PRINCÍPIOS ESSENCIAIS 02 PRINCÍPIOS ESSENCIAIS Missão, Visão e Valores EM 2015, A PREVI CONDUZIU TRABALHO DE REVISÃO DE SUA VISÃO E VALORES, QUE, JUNTO À MISSÃO DA ENTIDADE, DÃO AS DIRETRIZES PARA SUA GESTÃO E SEUS PLANOS DE

Leia mais

Gestão de Capital & Basileia III

Gestão de Capital & Basileia III Banco do Brasil S. A. Gestão de Capital & Basileia III São Paulo (SP), 22 de maio de 2014 1 Agenda Gestão de Capital Basileia III 2 Gestão de Capital Principais Marcos Normatização pelo Bacen Implementação

Leia mais

Rua Armando Salles de Oliveira, 473 Vila Todos os Santos 13330-585 Indaiatuba SP PABX: (19) 3825-4600 www.seprev.com.br CNPJ 68.004.

Rua Armando Salles de Oliveira, 473 Vila Todos os Santos 13330-585 Indaiatuba SP PABX: (19) 3825-4600 www.seprev.com.br CNPJ 68.004. RESOLUÇÃO Nº 150 DE 16 DE DEZEMBRO DE 2009 O CONSELHO ADMINISTRATIVO DO SEPREV Serviço de Previdência e Assistência Social dos Funcionários Municipais de Indaiatuba, usando das atribuições que lhe são

Leia mais

Relatório Mensal. 2013 Fevereiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS

Relatório Mensal. 2013 Fevereiro. Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal 2013 Fevereiro Instituto de Previdência e Assistência do Município do Rio de Janeiro - PREVI-RIO DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Composição da Carteira Ativos Mobiliários, Imobiliários e Recebíveis

Leia mais

O PAPEL E AS RESPONSABILIDADES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA. Maria Elisabete SilveiraTeixeira

O PAPEL E AS RESPONSABILIDADES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA. Maria Elisabete SilveiraTeixeira ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA Maria Elisabete SilveiraTeixeira ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA Conselho Deliberativo Instância máxima da EFPC, responsável pela definição das políticas e estratégias. É composto

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Gestão Financeira I Prof.ª Thays Silva Diniz 1º Semestre 2012 INTRODUÇÃO À ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Cap.1 A decisão financeira e a empresa 1. Introdução 2. Objetivo e Funções da

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DIVIDENDOS 06.916.384/0001-73. Informações referentes a Julho de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DIVIDENDOS 06.916.384/0001-73. Informações referentes a Julho de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES DIVIDENDOS 06.916.384/0001-73 Informações referentes a Julho de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

AGENDA 1. GESTÃO DOS INVESTIMENTOS 2. SEGREGAÇÃO DOS ATIVOS POR PLANO DE BENEFÍCIOS

AGENDA 1. GESTÃO DOS INVESTIMENTOS 2. SEGREGAÇÃO DOS ATIVOS POR PLANO DE BENEFÍCIOS AGENDA 1. GESTÃO DOS INVESTIMENTOS 2. SEGREGAÇÃO DOS ATIVOS POR PLANO DE BENEFÍCIOS 1ª PARTE GESTÃO DOS INVESTIMENTOS 1. PROCESSO DECISÓRIO 2. POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 3. RESULTADOS 20:36 3 PROCESSO DECISÓRIO

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 2T09 488.249.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 2T09 488.249.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 488.249.000,00 Resultados do 2º Trimestre de 2009 São Paulo, 14 de agosto de 2009 A Bradespar [BOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP

Leia mais

Manual de Gerenciamento de Risco e de Risco de Liquidez

Manual de Gerenciamento de Risco e de Risco de Liquidez Manual de Gerenciamento de Risco e de Risco de Liquidez Junho de 2016 [Type text] Índice Av Pedroso de Morais 1619 cj 110 05419-001 São Paulo SP 55 11 3038 1287 setinvestimentos.com.br I. Objetivo... 2

Leia mais

Conhecimentos Bancários

Conhecimentos Bancários Conhecimentos Bancários Conhecimentos Básicos em Administração Financeira: Fundamentos e Técnicas; Orçamento e Controle de Custos Professor Lucas Silva www.acasadoconcurseiro.com.br Conhecimentos Bancários

Leia mais

Análise Macroeconômica Brasileira

Análise Macroeconômica Brasileira Análise Macroeconômica Brasileira OUT/2013 Shotoku Yamamoto Fundamentos no Tripé: 1 - Superávit Primário; 2 - Meta de Inflação; 3 - Câmbio Flutuante 1 Superávit Primário Conceito: Diferença positiva entre

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919.

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BRADESCO FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO ADVANCED 01.919.660/0001-33 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém

Leia mais

ORÇAMENTO 2016 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 10.347/15 E O PROJETO Nº 400/15

ORÇAMENTO 2016 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 10.347/15 E O PROJETO Nº 400/15 1 ORÇAMENTO 2016 QUADRO COMPARATIVO ENTRE A LEI Nº 10.347/15 E O PROJETO Nº 400/15 LEI Nº 10.347 Estima a receita e fixa a despesa do Estado para o exercício financeiro de 2015. PROJETO DE LEI 400/15 Estima

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS. Planos Assistenciais AMHOR e AMHA Odontológico. Planos Previdenciários Transitório e Misto Adequação da Tábua AT-49 para AT-83

PRESTAÇÃO DE CONTAS. Planos Assistenciais AMHOR e AMHA Odontológico. Planos Previdenciários Transitório e Misto Adequação da Tábua AT-49 para AT-83 RESULTADOS 2007 1 PRESTAÇÃO DE CONTAS Planos Assistenciais AMHOR e AMHA Odontológico Planos Previdenciários Transitório e Misto Adequação da Tábua AT-49 para AT-83 Investimentos Pesquisa de Satisfação

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC SELEÇÃO TOP AÇÕES 02.436.763/0001-05 Informações referentes a Junho de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS MAIO / 2016 SUMÁRIO POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS... 3 1.1. Objetivo... 3 1.2. Princípios Gerais... 3 1.3. Metodologia... 3 1.4. Diretor e Organograma da Área de Risco... 6

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE Classificação das Informações 5/5/2015 Confidencial [ ] Uso Interno [ X ] Uso Público ÍNDICE 1 PRINCÍPIOS... 3 2 OBJETIVOS... 3 3 GOVERNANÇA DA SUSTENTABILIDADE... 3 4 ABRANGÊNCIA DA POLÍTICA... 4 5 ATRIBUIÇÕES

Leia mais

Relatório do Administrador Maxi Renda Fundo de Investimento Imobiliário - FII (CNPJ no. 97.521.225/0001-25) 1º Semestre de 2014

Relatório do Administrador Maxi Renda Fundo de Investimento Imobiliário - FII (CNPJ no. 97.521.225/0001-25) 1º Semestre de 2014 Relatório do Administrador Maxi Renda Fundo de Investimento Imobiliário - FII (CNPJ no. 97.521.225/0001-25) 1º Semestre de 2014 Em conformidade com o Artigo n. 39 da Instrução desta CVM n. 472, de 31 de

Leia mais

Desemprego em SP sobe para 14,7%

Desemprego em SP sobe para 14,7% Boletim 952/2016 Ano VIII 31/03/2016 Desemprego em SP sobe para 14,7% São Paulo - Após quatro meses de relativa estabilidade, a taxa de desemprego na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) registrou

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Informações referentes a fevereiro de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência

Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Jornada do CFO 2015 A caminho da transparência Camila Araújo, sócia de Gestão de Riscos Empresariais e responsável do Centro de Governança Corporativa da Deloitte A pauta da ética e da transparência nunca

Leia mais

Relatório de Gestão Invext FIA. Julho - Agosto

Relatório de Gestão Invext FIA. Julho - Agosto Relatório de Gestão Julho - Agosto 2013 1 Filosofia O é um fundo de ações alinhado com a filosofia de value investing. O fundo possui uma estratégia de gestão que busca capturar de forma contínua oportunidades

Leia mais

PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO

PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO PERSPECTIVAS PARA O CRESCIMENTO Estratégias de Desenvolvimento em Minas Gerais Raphael Guimarães Andrade Secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais Belo Horizonte, 09 de outubro

Leia mais

As perspectivas econômicas de 2016 e as oportunidades a serem observadas na elaboração da Política de Investimentos

As perspectivas econômicas de 2016 e as oportunidades a serem observadas na elaboração da Política de Investimentos UGP- Unidade de Gestão Previdenciária As perspectivas econômicas de 2016 e as oportunidades a serem observadas na elaboração da Política de Investimentos Novembro/2015 Estrutura Especializada BB DTVM (1986)

Leia mais

Banco Central do Brasil. Programa de Educação Financeira do Banco Central

Banco Central do Brasil. Programa de Educação Financeira do Banco Central Banco Central do Brasil Programa de Educação Financeira do Banco Central O Sistema Financeiro Nacional e as funções do Banco Central Departamento de Educação Financeira - DEPEF 18 de Julho de 2013 Ricardo

Leia mais

O Plano Plurianual do governo Lula (2004-2007)

O Plano Plurianual do governo Lula (2004-2007) O Plano Plurianual do governo Lula (2004-2007) Maria Lucia Fattorelli Carneiro - 2003 O PPA Plano Plurianual - foi instituído pela Constituição de 1988, com o objetivo de funcionar como o instrumento de

Leia mais

1. Público - Alvo O FUNDO destina-se a receber aplicações de recursos pelo público em geral, desde que sejam clientes do Banco Citibank S.A.

1. Público - Alvo O FUNDO destina-se a receber aplicações de recursos pelo público em geral, desde que sejam clientes do Banco Citibank S.A. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O FRANKLIN MAXI ACOES FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES CNPJ: 09.217.033/0001-62 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União

Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União Perguntas e respostas sobre a instituição do Regime de Previdência Complementar para os servidores públicos da União 1) O que é o Regime de Previdência Complementar? É um dos regimes que integram o Sistema

Leia mais

A previdência do servidor público e o impacto nas finanças estaduais

A previdência do servidor público e o impacto nas finanças estaduais A previdência do servidor público e o impacto nas finanças estaduais Carlos Henrique Flory Abril de 2014 A PREVIDÊNCIA DO SERVIDOR PÚBLICO ATÉ AS EMENDAS CONTITUCIONAIS DE 1998 E 2003: Mudança de ativo

Leia mais

BOLETIM ECONOMIA & TECNOLOGIA Informativo do Mês de Abril de 2011

BOLETIM ECONOMIA & TECNOLOGIA Informativo do Mês de Abril de 2011 O Informativo Mensal de Conjuntura faz parte das publicações e análises efetuadas pela equipe técnica do Boletim Economia & Tecnologia publicado trimestralmente. O Informativo apresenta uma análise rápida

Leia mais

Em cada aniversário...

Em cada aniversário... Em cada aniversário... Muitos anos de vida! Expectativa de vida Expectativa de vida Em 2050, 25% da população terá mais de 60 anos. Vale a pena ficar velho? Ao mesmo tempo que ficamos felizes com a LONGEVIDADE,

Leia mais

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015

Elekeiroz S.A. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015 Elekeiroz S.. Demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e com o IFRS em 31 de dezembro de 2015 Balanço patrimonial 31 de dezembro de 2015 31 de dezembro de 2014 Passivo

Leia mais

POLÍTICA INVESTIMENTO

POLÍTICA INVESTIMENTO POLÍTICA DE INVESTIMENTO 2015 IBAITIPREVI Instituto de Previdência dos Servidores Públicos do Município de Ibaiti. 1 Índice 1. Introdução: 03 2. Objetivos: 04 3. Estruturas Organizacionais para Tomadas

Leia mais

Secretaria De Estado Da Fazenda

Secretaria De Estado Da Fazenda Secretaria De Estado Da Fazenda COORDENAÇÃO DA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA DO ESTADO - CAFE - Coordenação da Administração Financeira do Estado ORÇAMENTO PÚBLICO Definições de Orçamento Um ato contendo a

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI MASTER RENDA FIXA REFERENCIADO DI 02.367.527/0001-84 Informações referentes a Abril de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI MASTER RENDA FIXA REFERENCIADO DI 02.367.527/0001-84 Informações referentes a Abril de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER FIC FI MASTER RENDA FIXA REFERENCIADO DI 02.367.527/0001-84 Informações referentes a Abril de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil. ArcelorMittal Brasil

Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil. ArcelorMittal Brasil Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil ArcelorMittal Brasil 1 Porque ter um Plano de Previdência Complementar? 2 O Novo Programa de Previdência Complementar ArcelorMittal Brasil Conheça

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI ACOES PETROBRAS 2 12.014.083/0001-57 Informações referentes a Abril de 2013

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O HSBC FI ACOES PETROBRAS 2 12.014.083/0001-57 Informações referentes a Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o HSBC FUNDO DE INVESTIMENTO EM ACOES. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, certas aflições por que passa a população brasileira são totalmente desnecessárias e

Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, certas aflições por que passa a população brasileira são totalmente desnecessárias e Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, certas aflições por que passa a população brasileira são totalmente desnecessárias e contraproducentes. Esse é o caso da política de preços internacionais

Leia mais

Projeto Fiesp / Serasa

Projeto Fiesp / Serasa Projeto Fiesp / Serasa Glossário dos índices econômico-financeiros Desenvolvimento técnico de Crédito Olavo Borges João Carlos Ferreira Machado Julho / 2005 1. Estrutura de capitais Esse grupo de índices

Leia mais

ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003

ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003 ROSSI RESIDENCIAL S. A. COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO CONSOLIDADO NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2.003 PRODUTOS, LANÇAMENTOS E PERFORMANCE COMERCIAL: Durante o primeiro trimestre de 2003, a Rossi Residencial

Leia mais

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO SISTEMÁTICA DE ACOMPANHAMENTO E AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MÜLLER DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO MATO GROSSO OUTUBRO DE 2013 SUMÁRIO MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO... 1 1. Núcleo de Informações

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Comunicação Social 25 de março de 2004 Pesquisa Mensal de Emprego Taxa de desocupação é de 12% em fevereiro Em fevereiro de 2004, a taxa de desocupação ficou estável tanto em relação ao mês anterior (11,7%)

Leia mais

GRUPO ATUARIAL. 1. A Norma Derivada nº 11 afeta a Gestão da OPS ou da Prestação de Serviço? Quais os complementos e limites recomendados?

GRUPO ATUARIAL. 1. A Norma Derivada nº 11 afeta a Gestão da OPS ou da Prestação de Serviço? Quais os complementos e limites recomendados? GRUPO ATUARIAL 1. A Norma Derivada nº 11 afeta a Gestão da OPS ou da Prestação de Serviço? Quais os complementos e limites recomendados? Frente aos parâmetros atuais, quais sejam: I Falta ou insuficiência

Leia mais

Lamina de Informações Essenciais

Lamina de Informações Essenciais Lamina de Informações Essenciais SUL AMÉRICA TOP FI RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO CNPJ nº 20.789.835/0001-80 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

COMPETÊNCIAS. Responsável por planejar, orientar e executar o conjunto de ações de suporte à gestão dos recursos humanos da Companhia.

COMPETÊNCIAS. Responsável por planejar, orientar e executar o conjunto de ações de suporte à gestão dos recursos humanos da Companhia. COMPETÊNCIAS Presidente (PRD) Responsável pela direção e coordenação dos trabalhos da Diretoria Executiva e pela gestão de funções corporativas da Gerência Geral de Auditoria (AUDI) Responsável por avaliar

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DECRETO Nº 164, DE 1º DE JULHO DE 2015. Dispõe sobre a estrutura organizacional da Mato Grosso Previdência MTPREV, a distribuição de cargos em comissão e funções de confiança.

Leia mais

Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015

Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015 Visão Mais Perto 2015 Perfil Investimentos 2015 Bradesco Custódia e Administração Gestão Visão Prev VP Finanças Telefonica-Vivo Conselho Deliberativo Comitê Investimentos Conselho Fiscal Auditoria Interna

Leia mais

INDX apresenta estabilidade em abril

INDX apresenta estabilidade em abril 1-2- 3-4- 5-6- 7-8- 9-10- 11-12- 13-14- 15-16- 17-18- 19-20- 21-22- 23-24- 25-26- 27-28- 29-30- INDX INDX ANÁLISE MENSAL INDX apresenta estabilidade em abril Dados de Abril/11 Número 52 São Paulo O Índice

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E OS INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO PÚBLICO

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E OS INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO PÚBLICO Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA E OS INSTRUMENTOS DE PLANEJAMENTO PÚBLICO Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins CLASSIFICAÇÃO ORÇAMENTÁRIA

Leia mais

Retrospectiva2014 e Perspectivas 2015 Marcelo Silva Diretor Superintendente

Retrospectiva2014 e Perspectivas 2015 Marcelo Silva Diretor Superintendente Retrospectiva2014 e Perspectivas 2015 Marcelo Silva Diretor Superintendente 2 Agenda Retrospectiva 2014 Perspectivas 2015 Oportunidade: Nordeste 3 Agenda Retrospectiva 2014 Perspectivas 2015 Oportunidade:

Leia mais

1,04% foi a alta do Ibovespa em 2010, marcada pelas realizações de lucros de quem aplicou em 2009

1,04% foi a alta do Ibovespa em 2010, marcada pelas realizações de lucros de quem aplicou em 2009 Nº EDIÇÃO: 692 Fundos de ações 07.JAN - 21:00 Atualizado em 12.01-15:23 Os astros do picadeiro A bolsa premiou quem ficou nos bastidores em 2010, mas agora promete boas surpresas para quem subir no palco

Leia mais

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - PGA

POLÍTICA DE INVESTIMENTOS - PGA Conteúdo 1. INTRODUÇÃO... 1 1.1. A Fundação Itaipu BR de Previdência e Assistência Social... 1 1.2. Objetivo da Política de Investimentos do PGA... 1 1.3. Revisão da Política de Investimentos do PGA...

Leia mais

Modelo de Dividendos Descontados

Modelo de Dividendos Descontados Modelo de Dividendos Descontados Ao comprar uma ação, um investidor espera receber dois tipos de FC: dividendos e valorização no preço A valorização no preço da ação é intrinsecamente determinada pelos

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O ORAMA DI TESOURO MASTER 12.823.610/0001-74 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o ÓRAMA DI TESOURO MASTER

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GAP ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO 01.823.373/0001 25 Informações referentes a 05/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre

Leia mais

EDITAL DE CONCORRÊNCIA nº.

EDITAL DE CONCORRÊNCIA nº. EDITAL DE CONCORRÊNCIA nº. CONCESSÃO DO SERVIÇO DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO URBANO NO MUNICÍPIO DE BLUMENAU ANEO VI - MATRIZ DE RISCOS DO CONTRATO DE CONCESSÃO DE TRANSPORTE PÚBLICO COLETIVO DO MUNÍCIPIO

Leia mais

Análise do Uso de Derivativos em Fundos de Investimentos

Análise do Uso de Derivativos em Fundos de Investimentos 2010 Análise do Uso de Derivativos em Fundos de Investimentos Nota Técnica 01 de Apoio Técnico Previ-Rio 05/2010 Nota Técnica 01 Esta nota técnica, desenvolvida pela Equipe da de Apoio Técnico do Previ-Rio,

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO PRIVADO LONGO PRAZO LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ/MF: Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o BNP PARIBAS MASTER CRÉDITO FI RENDA FIXA CRÉDITO

Leia mais

IV Encontro Pedagógico do IFAM

IV Encontro Pedagógico do IFAM IV Encontro Pedagógico do IFAM Mesa temática III: Órgãos Reguladores e Processos de Auditoria na EPT Palestrante: Samara Santos dos Santos Responsável pela Auditoria Interna do IFAM Manaus, 01 de junho

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T13

Divulgação de Resultados 3T13 Divulgação de Resultados 3T13 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

RIOPREVIDÊNCIA: Plano Anual de Investimentos para 2008

RIOPREVIDÊNCIA: Plano Anual de Investimentos para 2008 RIOPREVIDÊNCIA: Plano Anual de Investimentos para 2008 Rio de Janeiro 2007 Conselho de Administração Sérgio Ruy Barbosa Guerra Martins Régis Velasco Fichtner Pereira Joaquim Vieira Ferreira Levy Lucia

Leia mais

MANUAL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA

MANUAL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA MANUAL DE GOVERNANÇA CORPORATIVA Vigência: Elaborador: Aprovador: Doc. De aprovação 06.10.2015 NUCOI CD Nota DIFIN/NUCOI 2015/699 BB Previdência Manual de Governança Corporativa ÍNDICE DOS CAPÍTULOS 1

Leia mais

Estrutura do Gerenciamento de Riscos

Estrutura do Gerenciamento de Riscos Estrutura do Gerenciamento de Riscos 2016 01/01/2016 A CREFISA S.A. Crédito, Financiamento e Investimentos é uma instituição financeira privada independente, com ato constituivo realizado em 06 de maio

Leia mais

Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica Agenda CCEE 2016

Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica Agenda CCEE 2016 Evolução do mercado brasileiro de energia elétrica Agenda CCEE 2016 29/09/2015 3º Encontro Nacional de Consumidores Livres Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração Agenda A CCEE Comercialização

Leia mais

O QUE É REAVALIAÇÃO? Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Benefícios da reavaliação de ativos. O que pode ser reavaliado?

O QUE É REAVALIAÇÃO? Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Benefícios da reavaliação de ativos. O que pode ser reavaliado? O QUE É REAVALIAÇÃO? Benefícios da reavaliação de ativos. O que pode ser reavaliado? Contabilização Francisco Cavalcante(f_c_a@uol.com.br) Administrador de Empresas graduado pela EAESP/FGV. É Sócio-Diretor

Leia mais

Restrições de Investimento:.

Restrições de Investimento:. LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GAP MULTIPORTIFOLIO FI MULTIMERCADO 03.804.917/0001 37 Informações referentes a 04/2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o GAP MULTIPORTFOLIO

Leia mais

EDIÇÃO 07 MARÇO 2015 ANO 3 IMPOSTO DE RENDA. Atenção à Declaração de 2015!

EDIÇÃO 07 MARÇO 2015 ANO 3 IMPOSTO DE RENDA. Atenção à Declaração de 2015! EDIÇÃO 07 IMPOSTO DE RENDA Atenção à Declaração de 2015! IMPOSTO DE RENDA 2015 Anualmente, entre os meses de março e abril, toda pessoa física não isenta de Imposto de Renda deve preencher e entregar à

Leia mais

ALTERAÇÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS

ALTERAÇÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS FUNDAÇÃO SISTEL DE SEGURIDADE SOCIAL ALTERAÇÃO DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS 2013 Plano PBS Tele Norte Celular Agosto/2013 A política de investimentos de 2013 do PBS Tele Norte Celular aprovada em dezembro

Leia mais

BBM, fundado em 1858. Mar/13

BBM, fundado em 1858. Mar/13 BBM, fundado em 1858. Mar/13 Banco BBM Nosso Negócio Dest aques Financeiros Crédit o Capt ação Tesouraria Privat e Banking Mar/13 Composição Acionária Grupo Mariani Outros 47% 73% 27% BBM Holding S.A.

Leia mais

Consulta Pública de Lâmina de Fundo

Consulta Pública de Lâmina de Fundo Página 1 de 20 Consulta Pública de Lâmina de Fundo Atenção: Estas informações tem por base os documentos enviados à CVM pelas Instituições Administradoras dos Fundos de Investimento e são de exclusiva

Leia mais

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP

Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP Secretaria de Estado da Fazenda Coordenação da Administração Financeira do Estado Divisão de Contabilidade Geral Demonstrações Contábeis Aplicadas ao Setor Público - DCASP III. a) Balanço Orçamentário

Leia mais

Clique nos macroprocessos e conheça os processos da Unimed do Brasil

Clique nos macroprocessos e conheça os processos da Unimed do Brasil Clique nos macroprocessos e conheça os processos da Unimed do Brasil GESTÃO DA ESTRATÉGIA 1.1. Gestão da Estratégia FLX.019 GESTÃO ESTRATÉGICA 1.2. Gestão dos Indicadores de Desempenho FLX.026 GESTÃO ESTRATÉGICA

Leia mais

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015

CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRI/2015 CENÁRIO ECONÔMICO PLANO UNIFICADO 2º TRIMESTRE DE 2015 1 CENÁRIO ECONÔMICO O segundo trimestre do ano de 2015 demonstrou uma aceleração da deterioração dos fatores macroeconômicos no Brasil, com aumento

Leia mais

Política de Investimentos. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou.

Política de Investimentos. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Política de Investimentos Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. 2014 1. OBJETIVOS...3 1.1. BOTICÁRIO PREV - SOCIEDADE DE PREVIDÊNCIA PRIVADA...3 1.2. OBJETIVOS DA POLÍTICA DE INVESTIMENTOS...4

Leia mais

Página 1 de 8 FOLHA DE ENCAMINHAMENTO DO 1 ENTIDADE 4- NÚMERO DE PLANOS: 32 5- PLANOS 6- APROVAÇÃO 7- INÍCIO 19.820.015-18 - PLANO DE BENEFÍCIOS I - FNTTA 12- OBSERVAÇÕES: ENTIDADE DADOS DOS PLANOS 8-

Leia mais

15º Congresso Nacional da Previdência da ANEPREM 2º Seminário ANEPREM. Goiânia, 30/09/2015. Workshop CAIXA

15º Congresso Nacional da Previdência da ANEPREM 2º Seminário ANEPREM. Goiânia, 30/09/2015. Workshop CAIXA 15º Congresso Nacional da Previdência da ANEPREM 2º Seminário ANEPREM Goiânia, 30/09/2015 Workshop CAIXA Agenda Produtos e Serviços CAIXA Recadastramento de Servidores Avaliação Atuarial Custo Previdenciário

Leia mais

Objetivo. Oferecer informações claras e precisas sobre Previdência.

Objetivo. Oferecer informações claras e precisas sobre Previdência. Objetivo Oferecer informações claras e precisas sobre Previdência. Entender o quão importante é fazer um plano de Previdência complementar/privada para seus clientes. Derrubar o mito de que plano de Previdência

Leia mais

DIRETORIA DE INVESTIMENTOS. Relatório Mensal de Investimentos

DIRETORIA DE INVESTIMENTOS. Relatório Mensal de Investimentos DIRETORIA DE INVESTIMENTOS Relatório Mensal de Investimentos FEVEREIRO Rio de Janeiro 2013 Diretoria de Investimentos Gustavo de Oliveira Barbosa Diretor Presidente Gerência de Operações e Planejamento

Leia mais

Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações

Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Banco Central: Objetivos das Políticas Monetária, Creditícia e Cambial e Impacto Fiscal de suas Operações Henrique de Campos Meirelles Setembro de 20 1 Prestação de Contas - LRF Objetivos das Políticas

Leia mais

Informativo mensal RPPS Nº 101 Junho 2016. Fundos de. Investimento

Informativo mensal RPPS Nº 101 Junho 2016. Fundos de. Investimento Informativo mensal RPPS Nº 101 Junho Fundos de Investimento 1. Retrospectiva Em maio observou-se um movimento de abertura na estrutura a termo da taxa de juros, refletindo a alteração das expectativas

Leia mais

OFICINA 3 IGM Indicadores de Governança Municipal Projeto SEP: PLANEJAMENTO E FORMAS ORGANIZACIONAIS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS / REGIONAIS

OFICINA 3 IGM Indicadores de Governança Municipal Projeto SEP: PLANEJAMENTO E FORMAS ORGANIZACIONAIS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS / REGIONAIS Objetivo: OFICINA 3 IGM Projeto SEP: PLANEJAMENTO E FORMAS ORGANIZACIONAIS DAS POLÍTICAS PÚBLICAS MUNICIPAIS / REGIONAIS Contribuir com a SEP, analisando o processo de planejamento nos municípios, por

Leia mais

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00867-2 LA FONTE PARTICIPAÇÕES S/A 60.543.816/0001-93 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF

1 - CÓDIGO CVM 2 - DENOMINAÇÃO SOCIAL 3 - CNPJ 00867-2 LA FONTE PARTICIPAÇÕES S/A 60.543.816/0001-93 3 - CEP 4 - MUNICÍPIO 5 - UF ITR - INFORMAÇÕES TRIMESTRAIS Data-Base - 3/6/26 O REGISTRO NA CVM NÃO IMPLICA QUALQUER APRECIAÇÃO SOBRE A COMPANHIA, SENDO OS SEUS ADMINISTRADORES RESPONSÁVEIS PELA VERACIDADE DAS INFORMAÇÕES PRESTADAS.

Leia mais

PERSPECTIVAS MERCADO DE AÇÕES

PERSPECTIVAS MERCADO DE AÇÕES PERSPECTIVAS MERCADO DE AÇÕES Walter Mendes de Oliveira Filho. Fevereiro 2005 1 PERSPECTIVA MERCADO DE AÇÕES A RECENTE RECUPERAÇÃO DO MERCADO DE AÇÕES BRASILEIRO ACOMPANHOU A ALTA DOS MERCADOS EMERGENTES

Leia mais

*Deverão ser apresentados originais e cópias simples dos documentos, em tamanho A4, folhas individuais e sem recortá-los.

*Deverão ser apresentados originais e cópias simples dos documentos, em tamanho A4, folhas individuais e sem recortá-los. *Deverão ser apresentados originais e cópias simples dos documentos, em tamanho A4, folhas individuais e sem recortá-los. RELAÇÃO DE DOCUMENTOS DO CANDIDATO E DO GRUPO FAMILIAR Documento de Identificação

Leia mais

Política de Risco Socioambiental

Política de Risco Socioambiental Política de Gestão de Risco Política de Risco Socioambiental Controle de Versões Dono / Emitido por Revisada por Aprovado por PL-003.7-GR V1 Gestão de Riscos Compliance Alta Administração Vigência Exercício

Leia mais

TTULO. Seminário sobre Financiamento

TTULO. Seminário sobre Financiamento TTULO Capital de Risco - Modalidades O Capital de Risco constitui uma forma de financiamento de longo prazo das empresas, realizado por investidores financeiros e que pressupõe a participação no capital

Leia mais