Intervenção gráfica em estações do Metrô-Rio para captação de fumantes para tratamento especializado: comparação de duas estratégias

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Intervenção gráfica em estações do Metrô-Rio para captação de fumantes para tratamento especializado: comparação de duas estratégias"

Transcrição

1 Intervenção gráfica em estações do Metrô-Rio para captação de fumantes para tratamento especializado: comparação de duas estratégias Rejane Spitz, Ph.D. - Departamento de Artes & Design, PUC-Rio Nilton Gamba Jr., Ph.D. - Departamento de Artes & Design, PUC-Rio Resumo Este artigo discute questões de cunho estético e metodológico envolvidas na criação e desenvolvimento de intervenção gráfica para estações do Metrô-Rio, como parte de campanha anti-tabagista do Programa de Cooperação INCA/FIOCRUZ. O projeto visa a captação de fumantes para tratamento especializado, objetivando explorar a efetiva vontade de parar de fumar de fumantes residentes no Rio de Janeiro, a partir da comparação de duas estratégias: a positiva que enaltece os benefícios da cessação ao fumo, vinculandoa aos ganhos possíveis e a negativa, que ressalta os riscos mais imediatos relacionados ao ato de fumar e as perdas ocasionadas pelo fumo. O projeto visa avaliar qual a estratégia mais efetiva para fumantes - medida através do ato de ligar para um serviço de aconselhamento telefônico. Palavras Chave: design, tabagismo, saúde

2 Dependência ao tabagismo & intervenção para cessação Resultados de pesquisas realizadas pela Organização Mundial da Saúde demonstram que o tabagismo adicção que hoje atinge um terço da população mundial adulta é uma das principais causas de morte evitável no mundo (INCA, 2008). A pobreza e a falta de informação a respeito dos malefícios do fumo concorrem para o aumento do tabagismo. Verifica-se que, embora na maioria dos países desenvolvidos o consumo de cigarros venha caindo progressivamente, o consumo global do tabaco aumentou em virtude, principalmente, do aumento do número de fumantes observado em países em desenvolvimento (GUIDON et al, 2004). No Brasil, o Ministério da Saúde vem investindo tanto em ações legislativas relativas à proibição de veiculação de propaganda dos produtos de tabaco em determinadas mídias e proibição do fumo em ambientes públicos fechados, quanto em ações para conscientização da população sobre os prejuízos causados pelo consumo de tabaco. Além disso, ações educativas vêm sendo conduzidas com o objetivo de aumentar o acesso da população ao tratamento da dependência da nicotina, através de procura à ajuda especializada (SPITZ & GAMBA JR., 2007). De fato, a cessação ao fumo pode ser conseguida através de diversos métodos de intervenção terapêutica, e a chance de cessação entre tratados é de 1,2 até 3,0 vezes maior que a dos não-tratados, dependendo da intervenção proposta. Para alcançar maior efetividade, esses métodos precisam englobar a complexidade das situações culturais e socioeconômicas que fazem parte do contexto dos fumantes por meio de estratégias direcionadas de captação e intervenção para a cessação de fumar. É de suma importância o entendimento de que os fumantes não são iguais e que determinados tipos de fumantes precisam ser conquistados como potenciais clientes de um programa de intervenção mais voltado para as suas necessidades específicas (SZKLO & OTERO, 2008). Indivíduos que fumam há muito tempo, ou que fumam uma maior 2

3 quantidade de cigarros por dia, e que, conseqüentemente, começam a sentir os efeitos na saúde deste hábito podem estar inseridos num ambiente mais pessimista e negativo, de riscos mais imediatos vinculados a perdas próximas. A estratégia de captação de fumantes vinculada à lógica dos ganhos possíveis, à lógica da prevenção, a comportamentos menos arriscados em curto prazo, e a menor estímulo ao medo encontra um terreno mais fértil de interação com indivíduos mais otimistas, ou seja, com fumantes não tão dependentes. Captação de fumantes para tratamento especializado: abordagens positiva e negativa Este projeto, desenvolvido como parte do Programa de Cooperação INCA/FIOCRUZ - que envolveu o Instituto Nacional do Câncer (INCA), a Escola Nacional de Saúde Pública/FIOCRUZ, Metrô-Rio, Fundação Faculdade Federal de Ciências Médicas de Porto Alegre, FIOTEC e o Departamento de Artes & Design da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - teve por objetivo explorar, através de um estudo quasi-experimental conduzido entre fumantes do município do Rio de Janeiro, a efetiva vontade de parar de fumar medida através do ato de ligar para um serviço de aconselhamento telefônico. Para este fim, foi desenvolvido pelos autores deste artigo um projeto de design que contemplou as duas abordagens acima referidas: a positiva que enaltece os benefícios da cessação ao fumo, vinculando-a aos ganhos possíveis e a negativa, que ressalta os riscos mais imediatos relacionados ao ato de fumar, e as perdas ocasionadas pelo fumo. O projeto idealizado na forma de uma intervenção gráfica exposta em duas estações do Metrô-Rio por um período de três semanas, durante o mês de abril de teve o propósito de permitir tal comparação e de avaliar qual a estratégia mais efetiva para fumantes, medida através do ato de ligar para um serviço de aconselhamento telefônico. A escolha das duas estações do Metrô-Rio onde seriam feitas as intervenções baseou-se em dados levantados junto ao Metrô-Rio sobre o perfil sócio-demográfico da população que nelas transita e no fluxo diário e semanal de passageiros, com o objetivo de se escolher um par de estações muito semelhantes para a pesquisa das opções positiva e negativa de 3

4 abordagem. Além de perfis de usuários muito parecidos, as duas estações selecionadas têm em comum a mesma estrutura arquitetônica, facilitando o controle das variáveis envolvidas no estudo. O extremo rigor científico-metodológico exigido pelo estudo demandou um cuidado especial em todas as etapas do projeto gráfico, para que ambas as abordagens de intervenção gráfica englobassem exatamente o mesmo conteúdo, diferindo-se apenas em relação ao caráter (positivo ou negativo) de seus elementos imagéticos e verbais. A partir da escolha feita pelos pesquisadores do INCA e FIOCRUZ sobre a temática central que seria abordada pela intervenção a questão da falta de fôlego causada pelo fumo foram realizadas diversas reuniões multidisciplinares onde se definiu as frases principais para ambas as peças gráficas: parar de fumar é ganhar fôlego (positiva) e fumar é perder fôlego (negativa). Um Projeto de Design Tendo em vista o recorte temático fôlego e as frases que tratariam do mesmo em duas abordagens (positiva e negativa), a equipe realizou uma pesquisa de similares priorizando campanhas realizadas em estações de metrô. A pesquisa foi facilitada pela veiculação no próprio site do Metrô-Rio de campanhas já realizadas em suas instalações (METRÔ-RIO MÍDIA, 2008). A análise desse material levou à observação de recorrência dos seguintes tipos de campanha: -convencionais que utilizavam o espaço do metrô, mas que poderiam ser aplicadas em qualquer espaço físico, como banners (fig.01); - com utilização de materiais alternativos a escolha do metrô como espaço de ação gerou várias intervenções criativas específicas para o espaço proposto (fig. 02); - que usam ilusão de óptica a possibilidade de estar em um espaço alternativo, além de criar materiais originais como citado acima, também propiciou a criação de intervenções lúdicas que criam ilusões nesse novo ambiente (fig. 03); 4

5 - e as que brincam com as funções do próprio espaço quase como um desdobramento dos dois itens anteriores, mas que simulavam especificamente algum elemento comunicacional do espaço (fig. 04). Figura 01 Campanhas convencionais Figura 02 Materiais alternativos 5

6 Figura 03 Ilusão de óptica Figura 04 Simulação lúdica da peças usuais do espaço A partir dessa primeira pesquisa estendemos o levantamento de similares para intervenções em outros espaços, mas agora com o foco nessas abordagens criativas consolidando um primeiro partido adotado que incluí opções como a ilusão de óptica, o uso de materiais criativos e a subversão do contexto dado, o que aumentou em muito nossas referências (fig. 05). 6

7 Figura 05 Segunda pesquisa de similares 7

8 Adotar como partido esse tipo de intervenção com alto impacto visual responderia ao perfil da campanha: ficar nas estações apenas por três semanas e necessitar como resultado para sua validação de uma boa quantidade de telefonemas realizados a partir de cada intervenção (positiva/negativa) o que demandaria um número significativo de telefonemas para uma amostragem com valor estatístico. Tendo em vista o tema fôlego, a equipe de Design sugeriu, então, que a intervenção focalizasse o maior grau de dificuldade dos fumantes para subir escadas (perda de fôlego como aspecto negativo) e o maior grau de facilidade dos não-fumantes frente à mesma situação (ganho de fôlego como aspecto positivo), propondo que fossem utilizadas as imagens das escadas localizadas nas próprias estações do Metrô-Rio, com o objetivo de relacionar a intervenção gráfica à situação real e cotidiana dos usuários do Metrô. Partindo desse novo recorte, uma pesquisa de imagens relacionadas à representação do fôlego (fig. 06), da falta de fôlego (fig. 07) e do uso de escadas (fig. 08), orientou toda a equipe na geração de alternativas. Figura 06 Pesquisa de imagens / fôlego 8

9 Figura 07 Pesquisa de imagens / falta de fôlego Figura 08 Pesquisa de imagens / escadas Com base na pesquisa de imagens de similares (relacionadas à situação de falta, ou não, de fôlego para subir escadas), e de visitações às estações do Metrô-Rio, foram esboçadas as idéias iniciais do trabalho. Paralelamente à escolha da abordagem, o espaço arquitetônico também foi investigado para que fosse selecionado o melhor local para a intervenção. Várias visitas e estudos fotográficos da estação levaram às seguintes conclusões: 9

10 - Entre as áreas possíveis de utilização, algumas dariam pouca visibilidade (o que seria prejudicial pela necessidade de eficácia da campanha) e outras contaminariam a leitura (para o controle das variáveis, apenas os usuários de uma plataforma de embarque poderiam ter acesso à campanha) (fig. 09). Figura 09 Áreas descartadas Em função dessas análises, o local escolhido foram as faces das pilastras centrais da estação (fig. 10). Figura 10 Área escolhida 10

11 Após a definição do espaço e das propostas de abordagem do tema, vários estudos contemplaram situações de alto impacto visual como a simulação da imagem vista na própria plataforma (fig. 11). Figura 11 Geração de alternativas 1 Foram ainda geradas mais alternativas, levando-se em conta também a citação a outros temas relacionados às campanhas atuais de conscientização sobre o tabagismo (fig. 12). Figura 12 Geração de alternativas 2 11

12 Mas a opção final contemplou de fato o uso das escadas e seu potencial simbólico, permitindo ainda a possibilidade de nos valermos da ilusão de ótica quando simulamos o vão da escada na própria pilastra (fig. 13). Figura 13 Geração de alternativas 3 Dessa decisão partimos para o planejamento da produção das fotos e finalização das peças gráficas. A preocupação com o equilíbrio de conteúdo - tanto das imagens quanto dos textos e detalhes gráficos - para que ambas as abordagens, positiva e negativa, englobassem exatamente os mesmos elementos, esteve sempre presente. O alto impacto gerado pelas dimensões das peças (2,20 m x 4,00 m) e a utilização de um espaço onde imagens nunca haviam sido expostas anteriormente (todas as pilastras do vão central) se associariam à provocação gerada pela simulação realista do vão da escada da estação, tal como é vista pelo usuário da plataforma. Por conta desse último aspecto, e considerando-se a necessidade de identificação do público, buscou-se uma abordagem mais realista e a criação de uma situação possível ao cotidiano da estação e dos usuários. A escolha dos modelos foi feita após a definição dos parâmetros para sua caracterização, com base nos dados de pesquisas, como por exemplo, a do IBOPE - que apontou que na 12

13 linha 1 do Metrô pelo menos 50% dos usuários estavam na faixa anos, na classe econômica C e apresentavam grau escolar ginásio completo e a do serviço Disque Pare de Fumar do Ministério da Saúde, que apontou que 57% das ligações recebidas foram oriundas da faixa etária dos 20 aos 39 anos (INCA, 2008). Houve também a preocupação em contemplar os gêneros masculino e feminino, e ainda quanto à faixa etária dos modelos, que deveria ser de cerca de 35 anos de idade. Houve cuidado também quanto ao estilo do vestuário e dos acessórios para que os modelos não caracterizassem aspectos extremos em relação a seu poder aquisitivo (riqueza ou pobreza), ou ao seu perfil profissional (nem em situação de trabalho, nem de férias). A intenção foi a de se criar um perfil casual neutro para os modelos (tanto para a situação positiva quanto para a negativa) com o qual a maioria das pessoas que freqüentam as estações de Metrô selecionadas para a pesquisa pudesse se identificar. Levando-se em conta todas essas questões, fizemos um casting para a seleção dos modelos e optamos por dois atores (um homem e uma mulher) para privilegiar a interpretação das situações simuladas. A produção das fotos foi realizada na própria estação para mantermos o realismo da locação. Por conta disso, muitas condições foram impostas, tais como a utilização da plataforma unicamente depois do encerramento das funções do Metrô-Rio (após as 24h) e a presença de todos da equipe em uma palestra sobre segurança realizada pelo próprio Metrô-Rio. A escolha do vestuário obedeceu a uma palheta de cores que privilegiasse cores claras no positivo e cores mais escuras no negativo, porém sempre respeitando a palheta de cores da própria locação para criar uma composição final mais homogênea e com melhor controle das variáveis entre uma e outra versão. A maquiagem buscou também caracterizar os modelos quanto aos aspectos negativos (acrescentando detalhes de suor nas roupas e no corpo, e dando uma aparência cansada ao rosto e cabelos) e quanto aos positivos (destacando o aspecto saudável da aparência dos modelos) (fig.14). 13

14 Fig. 14 modelo caracterizada através de recursos de maquiagem, figurino e penteado, de forma a enfatizar os aspectos negativos da adicção ao tabagismo. Na locação especificada a plataforma de uma das estações do Metrô-Rio selecionadas para o projeto - foram feitas mais de 300 fotos, de modo a se obter uma grande diversidade de poses e expressões dos atores, e de efeitos de luz e sombra, para garantia dos estudos de composição final (fig. 15). Figura 15 Tomadas na sessão fotográfica A avaliação das fotografias levou em conta a aplicação da tipografia que seria feita na composição final, bem como o controle das variáveis entre as duas versões. Além do texto, 14

15 foram veiculados os logotipos do INCA e do Ministério da Saúde e, em destaque, o número do telefone da ajuda especializada (serviço de aconselhamento telefônico). Por conta da disposição dos modelos nas fotos originais, foi necessária uma edição em computação gráfica para colocar os modelos nas posições desejadas. Os resultados finais são apresentados a seguir, na figura 16. Figura 16 Resultados finais 15

16 Figura 16 Resultados finais A ênfase maior nas palavras Ganhar e Perder junto à imagem dos modelos favoreceu a diferenciação dos aspectos positivos e negativos, objetivo principal da campanha. O resultado final das composições visou manter constante o maior número de variáveis possível (posição dos modelos, diagramação e cor do texto e dos elementos gráficos), tanto entre a versão feminina e masculina quanto entre a versão positiva e negativa. O número de telefone do serviço de aconselhamento ganhou maior destaque e endossou a simulação do espaço do Metrô ao ser inserido numa faixa amarela em perspectiva (remetendo às faixas de segurança existentes no piso das estações). O amarelo, como cor de alerta nas estações, foi também utilizado no texto principal. Finalmente, as frases que remetem aos demais temas foram diagramadas como as propagandas que são veiculadas nos degraus das escadas do Metrô-Rio (exatamente como os similares existentes em várias estações), também com o objetivo de simular o espaço real e cotidiano do Metrô-Rio. 16

17 Os resultados finais do projeto, referentes à parte de Design, foram apresentados e aprovados pelos diversos setores envolvidos na pesquisa, e afixados durante um período de três semanas, durante o mês de abril de 2008, nas estações do Metrô-Rio selecionadas para o estudo (Figs. 17 e 18). Fig. 17 Instalação do projeto nas estações do Metrô-Rio selecionadas para o estudo. 17

18 Fig. 18 Exibição ao público nas estações do Metrô-Rio selecionadas para o estudo. 18

19 Considerações finais Embora tenham sido finalizados os aspectos referentes à área de Design da campanha antitabagista do Programa de Cooperação INCA/FIOCRUZ, a pesquisa, no entanto, ainda vem tendo continuidade. Paralelamente à exposição das peças gráficas da campanha, o estudo realizou o monitoramento dos telefonemas: as atendentes foram preparadas para argüir ao usuário sobre a estação onde foi vista a campanha (sinalizando se foi a positiva ou a negativa), para que, ao final da pesquisa, os pesquisadores do INCA e da FIOCRUZ tenham uma amostragem do quantitativo de telefonemas para cada abordagem, e possam avaliar qual estratégia empregada (positiva ou negativa) foi a mais efetiva para fumantes. A contribuição do campo do Design nesse estudo dá continuidade a uma série de parcerias que o Departamento de Artes & Design da PUC-Rio vem realizando junto ao INCA em campanhas contra o tabagismo (SPITZ & GAMBA JR. 2007), e que têm desdobramentos mais amplos na área de saúde como um todo. Muitas das atividades desse órgão e dessas ações eram tradicionalmente realizadas junto a escritórios de publicidade, mas o recente recrutamento de equipes de pesquisa em Design tem oferecido um diferencial técnico e teórico às intervenções diferencial esse que vem sendo reconhecido, reiteradamente, por esses órgãos e profissionais. 19

20 Referências GUIDON et al. 2002, In: Dados sobre tabaco e pobreza: um círculo vicioso, In: Instituto Nacional de Prevenção do Câncer (http://www.inca.gov.br/tabagismo) INCA. Instituto Nacional de Prevenção do Câncer, (http://www.inca.gov.br) KOSMINSKY, D. Imagens e palavras: uma análise da utilização de códigos gráficos no jornalismo televisivo. In: 6º. Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design (P&D 2004), São Paulo. Anais do 6º. Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design (P&D 2004). São Paulo: SENAC, 2004, s/n págs. Metrô-Rio Mídia, Metrô-Rio, (http://www.metroriomidia.com.br) SPITZ, R., GAMBA Jr., N. G. Design & campanhas anti-tabagismo: as novas imagens e advertências a serem impressas nos maços de cigarro no Brasil. In: 3 0. Congresso Internacional de Design da Informação, Curitiba (Paraná), 8 a 10 out Anais do 3º. Congresso Internacional de Design da Informação. Curitiba: UNICEMP, s/n págs. SZKLO A. S.; OTERO, U. B. Perfil dos fumantes que não buscam tratamento para deixar de fumar, município do Rio de Janeiro. Rev. Saúde Pública, v.42, n.º 1, fev

21 Rejane Spitz Doutora em Educação (PUC-Rio, 1993), com Pós-Doutorado na University of California, Space Sciences Laboratory (Berkeley, 2002) e no CADRE Laboratory for New Media / San Jose State University (California, 2003). Professora Associada e Coordenadora do Laboratório/Núcleo de Arte Eletrônica (LAE/NAE) no Departamento de Artes e Design da PUC-Rio. Com intensa produção na área de interface entre arte, design, tecnologia e sociedade, seus trabalhos, projetos e pesquisas já foram apresentados em exposições e simpósios de Design, Computação Gráfica e de Arte Eletrônica em diversos países. Nilton G. Gamba Junior Doutor em Psicologia, Mestre em Design pela mesma instituição e graduado em Desenho Industrial pela UFRJ. Professor do Departamento de Artes e Design da PUC-Rio, coordenador do LaDeH (Laboratório de Design de Histórias da mesma instituição). Estuda a produção narrativa contemporânea tendo como metodologia a pesquisa intervenção, onde a perspectiva projetual contribui para propor novas ações no campo que fazem emergir aspectos relacionados ao hibridismo da experiência narrativa. Hibridismo de linguagens (textual, imagética), suportes (impressos, WEB, Vídeo etc.) e estímulos sensoriais (visual, auditivo, de movimento). Agradecimentos Nossos agradecimentos aos pesquisadores André Szklo (INCA) e Evandro Coutinho (FIOCRUZ), pelo convite para que participássemos deste projeto, ao Metrô-Rio, ao Departamento de Artes & Design da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, e aos demais profissionais que nos auxiliaram no desenvolvimento deste trabalho. 21

PREVENÇÃO AO TABAGISMO E CESSAÇÃO TABÁGICA NO BRASIL: PERSPECTIVAS SOBRE O USO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM SAÚDE

PREVENÇÃO AO TABAGISMO E CESSAÇÃO TABÁGICA NO BRASIL: PERSPECTIVAS SOBRE O USO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM SAÚDE FINANCIAMENTO DA PESQUISA: PREVENÇÃO AO TABAGISMO E CESSAÇÃO TABÁGICA NO BRASIL: PERSPECTIVAS SOBRE O USO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO EM SAÚDE Rosane A. de Sousa Martins (Universidade Federal

Leia mais

Vigilância de fatores de risco: Tabagismo

Vigilância de fatores de risco: Tabagismo Universidade Federal Fluminense Instituto de Saúde da Comunidade MEB Epidemiologia IV Vigilância de fatores de risco: Tabagismo Maria Isabel do Nascimento MEB/ Departamento de Epidemiologia e Bioestatística

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS

CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE GRADUAÇÃO PUBLICIDADE E PROPAGANDA GRADE DETALHADA DO CURSO COM AS EMENTAS DAS DISCIPLINAS Cultura Brasileira 1º PERÍODO O fenômeno cultural. Cultura(s) no Brasil. Cultura regional e

Leia mais

A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO/NÚCLEO DE ARTE ELETRÔNICA: 20 ANOS DE CURIOSIDADE E INOVAÇÃO EM DESIGN DE MIDIA DIGITAL

A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO/NÚCLEO DE ARTE ELETRÔNICA: 20 ANOS DE CURIOSIDADE E INOVAÇÃO EM DESIGN DE MIDIA DIGITAL A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO/NÚCLEO DE ARTE ELETRÔNICA: 20 ANOS DE CURIOSIDADE E INOVAÇÃO EM DESIGN DE MIDIA DIGITAL Aluno: Pedro Barroso Vieira Orientador: Rejane Spitz Introdução Decorridos

Leia mais

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL

RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL RESUMO O HOMEM E O RIO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL PARA A SUSTENTABILIDADE DO RIO PARAÍBA DO SUL UNITAU - Universidade de Taubaté CBH-PS Comitê de Bacias Hidrográficas do Rio Paraíba do Sul Trabalho realizado

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

A importância do design nos negócios

A importância do design nos negócios A importância do design nos negócios SUMÁRIO Apresentação 4 A importância do Design 5 Design de Comunicação 13 A Escada do Design 6 Design Gráfico 14 O processo do Design 7 Logomarca 15 Design & Inovação

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN GRÁFICO 514502 INTRODUÇÃO AO DESIGN Conceituação e história do desenvolvimento do Design e sua influência nas sociedades contemporâneas no

Leia mais

FUMANTES ADVERTIDOS?! O DISCURSO CIENTÍFICO NAS EMBALAGENS DE CIGARRO SMOKERS WARNED!? THE SCIENTIFIC DISCOURSE ON CIGARETTE PACKS

FUMANTES ADVERTIDOS?! O DISCURSO CIENTÍFICO NAS EMBALAGENS DE CIGARRO SMOKERS WARNED!? THE SCIENTIFIC DISCOURSE ON CIGARETTE PACKS FUMANTES ADVERTIDOS?! O DISCURSO CIENTÍFICO NAS EMBALAGENS DE CIGARRO SMOKERS WARNED!? THE SCIENTIFIC DISCOURSE ON CIGARETTE PACKS Lucas Barbará Guillande (Santa Maria/RS/Brasil) (lucguill@yahoo.com.br)

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Tecnologia em. Design Gráfico

Tecnologia em. Design Gráfico Tecnologia em Design Gráfico Tecnologia em Design Gráfico CARREIRA O Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico oferece oportunidade para o trabalho profissional em diversas profissões relacionadas

Leia mais

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS

Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT. Fátima Ticianel CDG-SUS/UFMT/ISC-NDS Trabalho em Equipe e Educação Permanente para o SUS: A Experiência do CDG-SUS-MT Proposta do CDG-SUS Desenvolver pessoas e suas práticas de gestão e do cuidado em saúde. Perspectiva da ética e da integralidade

Leia mais

Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO

Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO Programa Nacional de Controle do Tabagismo AMBIENTE LIVRE DO TABACO Coordenação de Vigilância em Saúde do Trabalhador Gerência de Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Superintendência de

Leia mais

Processos Gerenciais

Processos Gerenciais UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Processos Gerenciais Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Processos Gerenciais. 1.

Leia mais

Avaliação das campanhas antitabagismo na mídia de massa

Avaliação das campanhas antitabagismo na mídia de massa Avaliação das campanhas antitabagismo na mídia de massa Marc Boulay, PhD Center for Communication Programs Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health 2008 Johns Hopkins Bloomberg School of Public

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO-OESTE - UNICENTRO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MÍDIAS NA EDUCAÇÃO FERNANDA SERRER ORIENTADOR(A): PROFESSOR(A) STOP MOTION RECURSO MIDIÁTICO NO PROCESSO DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Recursos Humanos Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Gestão de Recursos Humanos 1.

Leia mais

VIVENCIANDO ATIVIDADE DE EXTENSÃO NUMA COMUNIDADE CARENTE ATRAVÉS DA CONSULTA DE ENFERMAGEM À MULHERES 1

VIVENCIANDO ATIVIDADE DE EXTENSÃO NUMA COMUNIDADE CARENTE ATRAVÉS DA CONSULTA DE ENFERMAGEM À MULHERES 1 1 VIVENCIANDO ATIVIDADE DE EXTENSÃO NUMA COMUNIDADE CARENTE ATRAVÉS DA CONSULTA DE ENFERMAGEM À MULHERES 1 Anna Maria de Oliveira Salimena 2 Maria Carmen Simões Cardoso de Melo 3 Ívis Emília de Oliveira

Leia mais

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2

Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico. Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Revista Ênfase: informação e entretenimento no jornalismo acadêmico Nayara Pessini COSSI 1 Alex Sandro de Araujo CARMO 2 Maicon Ferreira de SOUZA 3 Faculdade Assis Gurgacz, Cascavel, PR. RESUMO O presente

Leia mais

UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIVERSIDADE PAULISTA UNIVERSIDADE PAULISTA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA Projeto Integrado Multidisciplinar III e IV Marketing Manual de orientações - PIM Curso Superior de Tecnologia em Marketing. 1. Introdução Os Projetos

Leia mais

A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO/NÚCLEO DE ARTE ELETRÔNICA

A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO/NÚCLEO DE ARTE ELETRÔNICA A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO/NÚCLEO DE ARTE ELETRÔNICA Aluno: Eric Emanuel de Araujo Oliveira Orientador: Rejane Spitz Introdução Decorridos 20 anos desde a criação do Laboratório/Núcleo de Arte

Leia mais

ANÁLISE DOS OBJETIVOS PRESENTES NOS TRABALHOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL APRESENTADOS NO IX EPEA-PR

ANÁLISE DOS OBJETIVOS PRESENTES NOS TRABALHOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL APRESENTADOS NO IX EPEA-PR ANÁLISE DOS OBJETIVOS PRESENTES NOS TRABALHOS DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL APRESENTADOS NO IX EPEA-PR Resumo FRANZÃO, Thiago Albieri UEPG/GEPEA thiagofranzao@hotmail.com RAMOS, Cinthia Borges de UEPG/GEPEA cinthiaramos88@yahoo.com.br

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO - PARA ESTRANGEIROS

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO - PARA ESTRANGEIROS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO SOCIAL CURSO DE MESTRADO E DOUTORADO - PARA ESTRANGEIROS E D I T A L PARA ESTRANGEIROS - 2016 O Departamento de Comunicação Social da Pontifícia Universidade Católica

Leia mais

Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO 3 Claudomilson F. BRAGA 4 Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO

Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO 3 Claudomilson F. BRAGA 4 Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO Estudo da proporção e o nível de conhecimento dos alunos de graduação do período vespertino do Campus II da UFG sobre o Programa Coleta Seletiva Solidária 1 Eduardo J. A. e SILVA 2 Camilla P. BRASILEIRO

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL DE CHAMADA PARA A V MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE ENFERMAGEM Nº 05 /2012

CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL DE CHAMADA PARA A V MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE ENFERMAGEM Nº 05 /2012 CURSO DE ENFERMAGEM EDITAL DE CHAMADA PARA A V MOSTRA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DO CURSO DE ENFERMAGEM Nº 05 /2012 A Coordenação do Curso de Enfermagem da Fanor- DeVry Brasil, no uso de suas atribuições,

Leia mais

O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL

O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL O USO DO SOFTWARE MATHEMATICA PARA O ENSINO DE CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL Edward Luis de Araújo edward@pontal.ufu.br Evaneide Alves Carneiro eva@pontal.ufu.br Germano Abud de Rezende germano@pontal.ufu.br

Leia mais

Campanha ONG Animais 1

Campanha ONG Animais 1 Campanha ONG Animais 1 Bruna CARVALHO 2 Carlos VALÉRIO 3 Mayara BARBOSA 4 Rafaela ALVES 5 Renan MADEIRA 6 Romulo SOUZA 7 Marcelo PRADA 8 Paulo César D ELBOUX 9 Faculdade Anhanguera Santa Bárbara, Santa

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 CASU

Mostra de Projetos 2011 CASU Mostra de Projetos 2011 CASU Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido). Cidade: Londrina. Contato:

Leia mais

17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO. 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo

17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO. 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo 17º FESTIVAL BRASILEIRO DE CINEMA UNIVERSITÁRIO 06.08 a 12.08 Rio de Janeiro 13.08 a 19.08 São Paulo APRESENTAÇÃO O 17º Festival Brasileiro de Cinema Universitário acontecerá de 6 a 12 de agosto de 2012,

Leia mais

Portfólio de Criação Espaço Experiência 1. Gabriel Godinho CARRARO 2 Julia Meinhardt TELLES 3 Jarissa Maguatini Pinto COGOY 4 Vinícius MANO 5

Portfólio de Criação Espaço Experiência 1. Gabriel Godinho CARRARO 2 Julia Meinhardt TELLES 3 Jarissa Maguatini Pinto COGOY 4 Vinícius MANO 5 Portfólio de Criação Espaço Experiência 1 Gabriel Godinho CARRARO 2 Julia Meinhardt TELLES 3 Jarissa Maguatini Pinto COGOY 4 Vinícius MANO 5 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto

Leia mais

Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1

Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1 Diretrizes visando a melhoria de projetos e soluções construtivas na expansão de habitações de interesse social 1 1. INTRODUÇÃO 1.1. Justificativa O tema estudado no presente trabalho é a expansão de habitações

Leia mais

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA

CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA 1 CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL PUBLICIDADE E PROPAGANDA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INTRODUÇÃO A PUBLICIDADE E PROPAGANDA... 4 02 HISTÓRIA DA ARTE... 4 03 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Projeto Cultura Solidária

Projeto Cultura Solidária Projeto Cultura Solidária Concurso Literário Antônio Sérgio da Silva Arouca Tema: Vivências e Superação HOMENAGEM PÓSTUMA Nesta primeira edição do concurso pretendemos fazer uma justa homenagem ao médico

Leia mais

relato êa internet como atividade integrante de uma prática docente

relato êa internet como atividade integrante de uma prática docente A internet como atividade integrante de uma prática docente Flávio Chame Barreto Instituto Educacional Vivenciando RJ flaviocbarreto@yahoo.com.br Resumo Um consenso entre os docentes do Ensino Fundamental

Leia mais

Programa de Educação Ambiental e de Comunicação Social. Projeto de Implantação de Depósito de Celulose. Klabin S.A

Programa de Educação Ambiental e de Comunicação Social. Projeto de Implantação de Depósito de Celulose. Klabin S.A Programa de Educação Ambiental e de Comunicação Social Projeto de Implantação de Depósito de Celulose Klabin S.A Ref.: Condicionante para obtenção de Licença de Instalação Telêmaco Borba, 12 de janeiro

Leia mais

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA

EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA EDUCAÇÃO E CIDADANIA: OFICINAS DE DIREITOS HUMANOS COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES NA ESCOLA Autores: FIGUEIREDO 1, Maria do Amparo Caetano de LIMA 2, Luana Rodrigues de LIMA 3, Thalita Silva Centro de Educação/

Leia mais

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense

PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense PROJETO Educação de Qualidade: direito de todo maranhense 1. DISCRIMINAÇÃO DO PROJETO Título do Projeto Educação de Qualidade: direito de todo maranhense Início Janeiro de 2015 Período de Execução Término

Leia mais

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970

CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Departamento de Comunicação Social CULTURA JOVEM E NARRATIVA PUBLICITÁRIA: UM ESTUDO SOBRE ANÚNCIOS DE CIGARRO DAS DÉCADAS DE 1960/1970 Aluno: Juliana Cintra Orientador: Everardo Rocha Introdução A publicidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE EDUCAÇÃO LABORATÓRIO DE CULTURA DIGITAL A coordenadoria do projeto Laboratório de Cultura Digital, vinculado ao Setor de Educação da Universidade Federal do Paraná, torna pública a seleção de equipe para o referido projeto, conforme previsto

Leia mais

3 METODOLOGIA DA PESQUISA

3 METODOLOGIA DA PESQUISA 3 METODOLOGIA DA PESQUISA O objetivo principal deste estudo, conforme mencionado anteriormente, é identificar, por meio da percepção de consultores, os fatores críticos de sucesso para a implementação

Leia mais

PROPOSTA DE VEICULAÇÃO ONLINE NO PORTAL DO TRÂNSITO www.portaldotransito.com.br

PROPOSTA DE VEICULAÇÃO ONLINE NO PORTAL DO TRÂNSITO www.portaldotransito.com.br PROPOSTA DE VEICULAÇÃO ONLINE NO PORTAL DO TRÂNSITO www.portaldotransito.com.br Cenário de Trânsito no Brasil e o Portal do Trânsito O cenário do trânsito atual não é nada animador. Segundo especialistas

Leia mais

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções)

ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA ESTILLO FASHION TRAINING

APRESENTAÇÃO DA ESTILLO FASHION TRAINING APRESENTAÇÃO DA ESTILLO FASHION TRAINING A Estillo Fashion Training se concentra em tudo o que você quer e precisa saber sobre como trabalhar com imagem pessoal e imagem corporativa. Nosso objetivo é a

Leia mais

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul

Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil. Região do Rio Grande do Sul Diretrizes da Comissão Regional de Imagem e Comunicação Dos Escoteiros do Brasil Após um mais de ano de trabalho e experiências adquiridas a CRIC apresenta à diretoria regional as diretrizes que regem

Leia mais

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE

VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE VIGILÂNCIA E PROMOÇÃO À SAÚDE Um modelo de assistência descentralizado que busca a integralidade, com a participação da sociedade, e que pretende dar conta da prevenção, promoção e atenção à saúde da população

Leia mais

INTERAÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA NO CANTEIRO DE OBRAS

INTERAÇÃO ENTRE TEORIA E PRÁTICA NO CANTEIRO DE OBRAS 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( X ) TECNOLOGIA INTERAÇÃO

Leia mais

Representações do Corpo na Cultura Midiática

Representações do Corpo na Cultura Midiática Representações do Corpo na Cultura Midiática A comunicação de sites de clínicas de cirurgia plástica Aluna: Juliana d Arêde Orientador: José Carlos Rodrigues Introdução A crescente procura por práticas

Leia mais

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games

4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games 4 Cursos de nível superior no Brasil para formação de Designers de Games Este Capítulo apresenta o levantamento realizado dos cursos de nível superior no Brasil voltados para a formação de Designers de

Leia mais

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR

&DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR &DPSDQKDV 3ODQHMDPHQWR Toda comunicação publicitária visa atender a alguma necessidade de marketing da empresa. Para isso, as empresas traçam estratégias de comunicação publicitária, normalmente traduzidas

Leia mais

1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3. 2.1. Objetivos... 3. 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5. 3.1. Objetivo...

1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3. 2.1. Objetivos... 3. 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5. 3.1. Objetivo... 1 ÍNDICE ANALÍTICO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 3 2.1. Objetivos... 3 2.2. Escopo... 4 3. VALORAÇÃO DE TECNOLOGIAS... 5 3.1. Objetivo... 5 3.1.1. Negociação para comercialização e

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE:

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO - UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO Nº 60/00-CEPE RESOLVE: RESOLUÇÃO Nº /00-CEPE 1 Fixa o Currículo Pleno do Curso de Comunicação Social, Habilitações em Jornalismo, Relações Públicas e Publicidade e Propaganda, do Setor de Ciências Humanas, Letras e Artes. O,

Leia mais

Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas

Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas 1 Título do Case: Programa ELOS - Cliente e Colaborador como uma só corrente. Categoria: Projetos Internos Tema: Pessoas RESUMO A empresa vivia um cenário claro de desequilíbrio na gestão empresarial e

Leia mais

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica)

Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) GRUPO PAIDÉIA FE/UNICAMP Linha: Episteduc Coordenador: Prof. Dr. Silvio Sánchez Gamboa Orientações para a elaboração dos projetos de pesquisa (Iniciação científica) Os projetos de pesquisa se caracterizam

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA N.º

TERMO DE REFERÊNCIA N.º MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA, ALFABETIZAÇÃO E DIVERSIDADE DIRETORIA DE EDUCAÇÃO INTEGRAL, DIREITOS HUMANOS E CIDADANIA COORDENAÇÃO GERAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL TERMO DE REFERÊNCIA

Leia mais

A Prática Educativa na EAD

A Prática Educativa na EAD A Prática Educativa na EAD A Prática Educativa na EAD Experiências na tutoria em EAD Disciplina de Informática Educativa do curso de Pedagogia da Ufal nos pólos de Xingó, Viçosa e São José da Laje (2002-2004).

Leia mais

DIFERENCIAÇÃO IMPLÍCITA: VISUALIZANDO AS RETAS TANGENTES E NORMAIS COM O AUXÍLIO DO WINPLOT

DIFERENCIAÇÃO IMPLÍCITA: VISUALIZANDO AS RETAS TANGENTES E NORMAIS COM O AUXÍLIO DO WINPLOT DIFERENCIAÇÃO IMPLÍCITA: VISUALIZANDO AS RETAS TANGENTES E NORMAIS COM O AUXÍLIO DO WINPLOT Silmara Alexandra da Silva Vicente Universidade Presbiteriana Mackenzie Gisela Hernandes Gomes Universidade Presbiteriana

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE

Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra de Projetos 2011 BRINQUEDOTECA: O LÚDICO NO RESGATE Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos finalizados. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido). Cidade: Londrina.

Leia mais

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS*

RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* RESULTADOS DA AVALIAÇÃO DE IMPACTO DO PROJETO PILOTO DE EDUCAÇÃO FINANCEIRA NAS ESCOLAS* * Release elaborado pela BM&FBOVESPA baseado nos dados informados pelo Banco Mundial para o 2º Workshop de Divulgação

Leia mais

TÍTULO: AUTORES: INSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA 1-INTRODUÇÃO (1) (1).

TÍTULO: AUTORES: INSTITUIÇÃO: ÁREA TEMÁTICA 1-INTRODUÇÃO (1) (1). TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA EQUIPE MULTIDISCIPLINAR NA MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA E INCLUSÃO SOCIAL DE INDIVÍDUOS PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS ASSISTIDOS PELA APAE DE VIÇOSA, MG. AUTORES: André

Leia mais

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL

JORNALISMO CULTURAL ONLINE: EXPERIÊNCIAS DE COBERTURA JORNALÍSTICA DO SITE CULTURA PLURAL 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( x ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA JORNALISMO

Leia mais

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTEÚDO 1. OUVIDORIA INTERNA... 4 2. OUVIDORIA EXTERNA... 6 3. PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO... 7 4. CALL CENTER ATIVO DA SAÚDE... 12 5. OUVIDORIA UNIDADES

Leia mais

A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO DE ARTE ELETRÔNICA: 20 ANOS DE CURIOSIDADE E INOVAÇÃO EM DESIGN DE MIDIA DIGITAL

A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO DE ARTE ELETRÔNICA: 20 ANOS DE CURIOSIDADE E INOVAÇÃO EM DESIGN DE MIDIA DIGITAL A EXPERIÊNCIA PIONEIRA DO LABORATÓRIO DE ARTE ELETRÔNICA: 20 ANOS DE CURIOSIDADE E INOVAÇÃO EM DESIGN DE MIDIA DIGITAL Alunos: Pedro Barroso Vieira e Levy Conrado Nobre Fernandes Orientador: Rejane Spitz

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 INVESTIGAÇÃO MATEMÁTICA: UMA EXPERIÊNCIA DE ENSINO Bruno Rodrigo Teixeira 1 Universidade Estadual de Londrina - UEL bruno_matuel@yahoo.com.br Camila Rosolen 2 Universidade Estadual de Londrina - UEL camilarosolen@yahoo.com.br

Leia mais

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio

Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio Currículo Referência em Artes Visuais Ensino Médio 1º ANO - ENSINO MÉDIO Objetivos Conteúdos Expectativas - Conhecer a área de abrangência profissional da arte e suas características; - Reconhecer e valorizar

Leia mais

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL

CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL CENTRO BRASILEIRO DE REFERÊNCIA EM TECNOLOGIA SOCIAL INSTITUTO DE TECNOLOGIA SOCIAL Curso: Tecnologia Social e Educação: para além dos muros da escola Resumo da experiência de Avaliação do Programa "Apoio

Leia mais

1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3.

1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3. 1 1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3. Modelo de Resultados Potenciais e Aleatorização (Cap. 2 e 3

Leia mais

11 de maio de 2011. Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica

11 de maio de 2011. Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica 11 de maio de 2011 Análise do uso dos Resultados _ Proposta Técnica 1 ANÁLISE DOS RESULTADOS DO SPAECE-ALFA E DAS AVALIAÇÕES DO PRÊMIO ESCOLA NOTA DEZ _ 2ª Etapa 1. INTRODUÇÃO Em 1990, o Sistema de Avaliação

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO TEMA: ELABORAÇÃO DE PROJETOS COM FOCO NA FAMÍLIA Março/2010 ELABORAÇÃO DE PROJETOS ELABOR-AÇÃO: palavra-latim-elabore preparar, formar,ordenar AÇÃO: atuação, ato PRO-JETOS: palavra-latim-projetus

Leia mais

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR

FACULDADE DE ARTES DO PARANÁ CURSO DE BACHARELADO EM CINEMA E VÍDEO Ano Acadêmico de 2008 MATRIZ CURRICULAR MATRIZ CURRICULAR Carga Horária Semestral por Disciplina Disciplinas 1º semestre 2º semestre 3º semestre 4º semestre 5º semestre 6º semestre 7º semestre 8º semestre Total Obrigatórias Optativas Fundamentos

Leia mais

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO

O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO O PROGRAMA ASSISTÊNCIA SÓCIO-JURÍDICA E OS DIREITOS DO IDOSO Maria Salete da Silva Josiane dos Santos O Programa Assistência Sócio-Jurídica, extensão do Departamento de Serviço Social, funciona no Núcleo

Leia mais

A comunicação de sites de clínicas de cirurgia plástica

A comunicação de sites de clínicas de cirurgia plástica Departamento de Comunicação Social A comunicação de sites de clínicas de cirurgia plástica Aluna: Juliana d Arêde Orientador: José Carlos Rodrigues Introdução A evolução de técnicas estéticas acompanha

Leia mais

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil

Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil Pesquisa Perfil das Empresas de Consultoria no Brasil 2014 Objetivo Metodologia Perfil da Empresa de Consultoria Características das Empresas Áreas de Atuação Honorários Perspectivas e Percepção de Mercado

Leia mais

WORKSHOP DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL EM ESCOLAS PÚBLICAS

WORKSHOP DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL EM ESCOLAS PÚBLICAS WORKSHOP DE ORIENTAÇÃO PROFISSIONAL EM ESCOLAS PÚBLICAS 2014 Gisele Vieira Ferreira Psicóloga, Especialista e Mestre em Psicologia Clínica Elenise Martins Costa Acadêmica do curso de Psicologia da Universidade

Leia mais

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor

Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Título: Pensando estrategicamente em inovação tecnológica de impacto social Categoria: Projeto Externo Temática: Segundo Setor Resumo: A finalidade desse documento é apresentar o projeto de planejamento

Leia mais

Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador nas Áreas Contaminadas

Vigilância em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador nas Áreas Contaminadas 2º Simpósio Brasileiro de Saúde & Ambiente (2ºSIBSA). Desenvolvimento, Conflitos Territoriais e Saúde: Ciência e Movimentos Sociais para a Justiça Ambiental nas Políticas Públicas Belo Horizonte, 19 a

Leia mais

GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA. As profissões. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor

GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA. As profissões. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor As profissões Introdução Preparação da visita A Casa Inacabada é um dos espaços que faz parte da exposição

Leia mais

VI Seminário da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação CONVITE E CHAMADA DE TRABALHOS

VI Seminário da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação CONVITE E CHAMADA DE TRABALHOS VI Seminário da Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação CONVITE E CHAMADA DE TRABALHOS A Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação (RBMA) convida os interessados a participarem do seu VI Seminário,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB Edital Pibid n 061 /2013 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

Portfolio de Produtos

Portfolio de Produtos Introdução O Guia de Produtos e Serviços da Assessoria de Comunicação (ASCOM) da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) foi elaborado com o objetivo de apresentar os produtos e serviços prestados

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social. Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social. Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Comunicação Social Aline Camargo Luciane Padilha Aragon Patrícia Lima da Silva Porto Alegre 2008 Aline Camargo Luciane Padilha Aragon

Leia mais

CRA Departamento de Comunicação e Marketing Ata de Reunião 23.10.2008

CRA Departamento de Comunicação e Marketing Ata de Reunião 23.10.2008 CRA Departamento de Comunicação e Marketing Ata de Reunião 23.10.2008 I. Chamada de Ordem Adm. Glaucia Pascoaleto Araujo Conselho Regional dos Administradores de São Paulo. Reunião com Coordenadores dos

Leia mais

ACT, FIOCRUZ E UFF LANÇAM ESTUDO SOBRE POLÍTICAS DE CONTROLE DO TABAGISMO E A RELAÇÃO COM A POBREZA

ACT, FIOCRUZ E UFF LANÇAM ESTUDO SOBRE POLÍTICAS DE CONTROLE DO TABAGISMO E A RELAÇÃO COM A POBREZA ACT, FIOCRUZ E UFF LANÇAM ESTUDO SOBRE POLÍTICAS DE CONTROLE DO TABAGISMO E A RELAÇÃO COM A POBREZA A Aliança de Controle do Tabagismo ACT, o Centro de Estudos sobre Tabaco e Saúde da Escola Nacional de

Leia mais

Avaliação Econômica. O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras

Avaliação Econômica. O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras Avaliação Econômica O Processo de Seleção de Diretores nas Escolas Públicas Brasileiras Objeto da avaliação: adoção de diferentes mecanismos para a seleção de diretores de escolas públicas brasileiras

Leia mais

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA

MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA MARKETING E VENDAS NA FARMÁCIA Há muito se discute que o mercado de farmácias é ambiente competitivo e que a atividade vem exigindo profissionalismo para a administração de seus processos, recursos e pessoal.

Leia mais

2 Editoração Eletrônica

2 Editoração Eletrônica 8 2 Editoração Eletrônica A década de 80 foi um marco na história da computação. Foi quando a maioria dos esforços dos desenvolvedores, tanto de equipamentos, quanto de programas, foram direcionados para

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA

PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA PÓS-GRADUAÇÃO MARKETING E COMUNICAÇÃO DE MODA Coordenadora: Gláucia Centeno 13/04/2015 > 09/2016 400 horas Idioma: Português Aulas: Segundas e quartas das 19h30 às 22h30 PÚBLICO-ALVO Profissionais com

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA UNIVERSIDADE ESTADUAL DO RIO GRANDE DO SUL UNIDADADE LITORAL NORTE/OSÓRIO GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA CLAINES KREMER GENISELE OLIVEIRA EDUCAÇÃO AMBIENTAL: POR UMA PERSPECTIVA DE RELAÇÕES ENTRE

Leia mais

Ilustrações para a campanha publicitária dos Irmãos Green. 1

Ilustrações para a campanha publicitária dos Irmãos Green. 1 Ilustrações para a campanha publicitária dos Irmãos Green. 1 Julia Camargo CALLEGARI 2 Gabriel Muller SPACH 3 Gabriela Antunes SCHETTERT 4 Juliana Beltrão VENERI 5 Pamela Raquel Bruch GROFF 6 Renato BUIATTI

Leia mais

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra

Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior. Sanmya Feitosa Tajra Utilização de recursos pedagógicos de ambientes virtuais como complemento para atividades presenciais no ensino superior Sanmya Feitosa Tajra Mestre em Educação (Currículo)/PUC-SP Professora de Novas Tecnologias

Leia mais

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental

Ajuda ao SciEn-Produção 1. 1. O Artigo Científico da Pesquisa Experimental Ajuda ao SciEn-Produção 1 Este texto de ajuda contém três partes: a parte 1 indica em linhas gerais o que deve ser esclarecido em cada uma das seções da estrutura de um artigo cientifico relatando uma

Leia mais

PIC. Componentes da PIC 2. o bimestre. Produção Integrada ao Conteúdo

PIC. Componentes da PIC 2. o bimestre. Produção Integrada ao Conteúdo PIC Produção Integrada ao Conteúdo 8. o ano Ensino Fundamental Componentes da PIC 2. o bimestre Arte Ciências Geografia A nota da PIC é a média entre a nota de tarefa (avaliação do conjunto de tarefas)

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIAS ALTERNATIVAS NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE BIOLOGIA: A QUESTÃO DOS PROJETOS

A UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIAS ALTERNATIVAS NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE BIOLOGIA: A QUESTÃO DOS PROJETOS A UTILIZAÇÃO DE METODOLOGIAS ALTERNATIVAS NA FORMAÇÃO DOS PROFESSORES DE BIOLOGIA: A QUESTÃO DOS PROJETOS Prof. Dra. Simone Sendin Moreira Guimarães Instituto de Ciências Biológicas/ICB Universidade Federal

Leia mais

CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS. Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br

CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS. Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br CAPTAÇÃO DE RECURSOS ATRAVÉS DE PROJETOS SOCIAIS Luis Stephanou Fundação Luterana de Diaconia fld@fld.com.br Apresentação preparada para: I Congresso de Captação de Recursos e Sustentabilidade. Promovido

Leia mais

Metodologia de projeto. Curso Técnico de Comunicação Visual Prof. Diego Piovesan Medeiros

Metodologia de projeto. Curso Técnico de Comunicação Visual Prof. Diego Piovesan Medeiros Metodologia de projeto Curso Técnico de Comunicação Visual Prof. Diego Piovesan Medeiros Mas o que é metodologia? E para que serve? vamos fazer uma pizza? O método de projeto tem como objetivo atingir

Leia mais

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro

MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro MS divulga retrato do comportamento sexual do brasileiro Notícias - 18/06/2009, às 13h08 Foram realizadas 8 mil entrevistas com homens e mulheres entre 15 e 64 anos. A análise das informações auxiliará

Leia mais

EXERCÍCIOS E EXPERIMENTAÇÕES: ABORDAGENS DO ENSINO DE ARTE EM

EXERCÍCIOS E EXPERIMENTAÇÕES: ABORDAGENS DO ENSINO DE ARTE EM EXERCÍCIOS E EXPERIMENTAÇÕES: ABORDAGENS DO ENSINO DE ARTE EM Resumo: SALA DE AULA Mariza Barbosa de Oliveira mariza.barbosa.oliveira@gmail.com Escola Municipal Professor Eurico Silva As experiências relatadas

Leia mais

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo

Projeto Amplitude. Plano de Ação 2015. Conteúdo Projeto Amplitude Plano de Ação 2015 P r o j e t o A m p l i t u d e R u a C a p i t ã o C a v a l c a n t i, 1 4 7 V i l a M a r i a n a S ã o P a u l o 11 4304-9906 w w w. p r o j e t o a m p l i t u

Leia mais

RELATÓRIOS DAS OFICINAS: CUIDANDO DO CUIDADOR: CPPT CUNIÃ. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz

RELATÓRIOS DAS OFICINAS: CUIDANDO DO CUIDADOR: CPPT CUNIÃ. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz 1 RELATÓRIOS DAS OFICINAS: CUIDANDO DO CUIDADOR: CPPT CUNIÃ Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz Empresa: SENSOTECH ASSESSORAMENTO E REPRESENTAÇÕES LTDA 4ª Oficina Data: 31/07/2012

Leia mais

Missão. Objetivo Geral

Missão. Objetivo Geral SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO Curso: CINEMA E AUDIOVISUAL Missão O Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade Estácio de Sá tem como missão formar um profissional humanista, com perfil técnico e artístico

Leia mais