Peso da Região de Lisboa no País Peso da Cidade de Lisboa no País 29%

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Peso da Região de Lisboa no País Peso da Cidade de Lisboa no País 29%"

Transcrição

1

2 Peso da Região de Lisboa no País Peso da Cidade de Lisboa no País 3% 0,1% 27% 5% 29% 9% Área População Empresas não financeiras 36% 30% 38% 16% 21% 31% Pessoal ao serviço nas empresas Turistas Alunos do ensino superior PIB 37% Exportações 34% Ficha Técnica Edição Câmara Municipal de Lisboa Coordenação Direção Municipal de Economia e Inovação Divisão de Estudos e Prospectiva Dr. Nuno Caleia Dra. Andreia Ramires Título Economia de Lisboa em Números Design Arqto. Luís Isidro Correia Ano 2014 Aceda aos ficheiros excel dos indicadores estatísticos de cada área temática da ECONOMIA DE LISBOA EM NÚMEROS 2014

3 ÍNDICE POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA 3 MOTOR ECONÓMICO METROPOLITANO 7 ESTRUTURA EMPRESARIAL E EMPREENDEDORISMO 11 CAPITAL HUMANO QUALIFICADO 17 CIDADE DO CONHECIMENTO E DA INOVAÇÃO 21 UMA ECONOMIA ABERTA AO MUNDO 27 UMA REFERÊNCIA TURÍSTICA E DE EVENTOS 33 POSICIONAMENTO INTERNACIONAL DE LISBOA 37 1

4 2

5 01 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA Lisboa é a capital de um país com 10,5 milhões de habitantes e centro de uma região Metropolitana com uma população de 2,8 milhões de habitantes. A cidade de Lisboa vê diariamente o número dos seus utilizadores crescer dos 547 mil residentes para as 925 mil pessoas, fruto dos movimentos pendulares casa-trabalho e casa-escola. Depois de uma perda populacional que ao longo das últimas 5 décadas ascendeu a 257 mil habitantes (cerca de 1/3 da sua população), Lisboa viu a sua população estabilizar (registando um claro abrandamento do ritmo da perda demográfica, face às décadas anteriores, perdendo apenas 3% da população na última década), assistindo-se a um acréscimo do número de famílias e a sinais de começar a rejuvenescer, crescendo a proporção de jovens residentes. 3

6 1.1 População e superfície População da cidade de Lisboa Movimentos pendulares Lisboa Cidade Lisboa Cidade Ind. População residente Ind. População residente + população pendular Nº de pessoas que diariamente entram na cidade para estudar e trabalhar Nº de pessoas que diariamente saem da cidade para estudar e trabalhar Saldo (Entradas - Saidas) Fonte: INE, I.P., Censos Resultados definitivos, Ano: 2011 Fonte: INE, I.P., Censos Resultados definitivos, Ano: Densidade populacional Indicadores climáticos de Lisboa Lisboa Cidade Lisboa Região Hab Hab População residente População sobre o total do país População residente 5,2% 26,7% População sobre o total do país 84,9 km2 3001,9 km2 Superfície Superfície Hab/km2 940 Hab/km2 População residente População residente Fonte: INE, I.P., Censos Resultados definitivos; Instituto Geográfico Português, CAOP 2010, Ano: 2011 Lisboa (L. Geofísico) Temperatura média anual Precipitação média* Dias sem chuva Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2012 * Dados provisórios, ,6 Máxima(Celsius) 17,3 Média (Celsius) 13 Mínima (Celsius) 1.045,4 (mm) 277 (Nº) 4

7 1.1.4 Densidade populacional (hab/km²) no Contexto Europeu Região de Lisboa: 940, hab/km Lisboa 940,5 UE ,90 0 Londres Bruxelas Viena Fonte: Equipa de projecto DMEI/DEP a partir de dados do Eurostat - Ano: 2011; Região NUTS II Legenda: Valor da capital - dado pelo indicador da região onde se insere Berlim Praga La Valeta Atenas Amsterdão Paris Lisboa Madrid Copenhaga Budapeste Roma Estocolmo Bratislava Oslo Luxemburgo Berna Helsínquia Varsóvia Liubliana Sofia Bucareste Nicosia Dublin Vilnius Riga Talin 5

8 1.2 Demografia de Lisboa, (cidade) - evolução Famílias residentes População residente População residente (+ 65 anos) População residente (- 14 anos) Fonte: INE, I.P., Censos 1960 a 2011 Fonte: INE, I.P., Censos 1960 a Estrutura etária da população Portugal % % % % Lisboa Região % % % % Lisboa Cidade % % % % Fonte: INE, I.P., Censos Resultados definitivos, Ano: Evolução da estrutura etária da Cidade de Lisboa Taxa de natalidade / mortalidade 30 % 16 Pop ,3% Pop ,2% LISBOA CIDADE 10,4% LISBOA REGIÃO 8,5% PORTUGAL Taxa Bruta de Natalidade Fonte: INE, I.P., Censos 1960 a 2011 Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2012 LISBOA CIDADE 9,3% LISBOA REGIÃO 10,2% PORTUGAL Taxa Bruta de Mortalidade 6

9 02 MOTOR ECONÓMICO METROPOLITANO Lisboa é uma região onde se localizam os centros de decisão económica do País, representa cerca de 37% do PIB nacional e emprega cerca de mil pessoas (30% do emprego do país), manifestando uma produtividade aparente do trabalho 1,3 vezes superior à do país. 7

10 2.1 Actividade e crescimento económico Indicadores económicos Evolução do PIB na Região de Lisboa milhões Lisboa Região (milhões ) Lisboa Região/País ,1% PIB PIB ,1% VAB VAB Fonte: INE, I.P., Contas Regionais Ano: 2012 * Dados preliminares Fonte: INE, I.P., Contas Regionais Indicadores de emprego Evolução do emprego na Região de Lisboa mil pessoas Lisboa Região (milhares de pessoas) Lisboa Região/País ,3 29,4% Emprego Emprego Fonte: INE, I.P., Contas Regionais, Ano: 2011, dados provisórios Fonte: INE, I.P., Contas Regionais Outros indicadores económicos Variação média anual do índice de preços do consumidor Lisboa Região milhares de euros Lisboa Região/País 21,7 15,6 PIB per capita Produtividade aparente do trabalho (VAB/emprego)* Fonte: INE, I.P., Contas Regionais, Ano: 2012, dados preliminares Legenda: * Dados 2011 PIB per capita 38,8 30,7 Produtividade aparente do trabalho (VAB/emprego)* 4,8% 3,0% 3,0% 3,0% 2,9% 2,9% 2,8% RA Madeira Alentejo Algarve Norte Centro RA Açores Portugal Fonte: INE, I.P., Contas Regionais, Ano ,3% Lisboa 8

11 2.1.7 Produto Interno Bruto PPS (per capita), nas Regiões Europeias (NUTS II) 100 mil Lisboa 27,40 UE 27 24, Londres Luxemburgo Bruxelas Fonte: Equipa de projecto DMEI/DEP a partir de dados do Eurostat - Ano: 2011; Região NUTS II Legenda: Valor da capital - dado pelo indicador da região onde se insere Oslo Paris Bratislava Praga Estocolmo Viena Copenhaga Helsínquia Amsterdão Dublin Madrid Roma Atenas Berlim Lisboa Budapeste Varsóvia Liubliana Nicosia La Valeta Sofia Talin Vilnius Riga Bucareste 9

12 10

13 03 ESTRUTURA EMPRESARIAL E EMPREENDEDORISMO A região de Lisboa concentra um elevado número de empresas com elevado grau de tecnologia e de investigação, sendo o espaço onde estão sedeadas aproximadamente empresas. É também na região de Lisboa que o pessoal ao serviço nas empresas estrangeiras e de alta tecnologia tem mais peso, face à média nacional. Lisboa tem mantido um bom nível de atracção de investimento estrangeiro, sendo espaço de localização ou expansão de actividade de diversas empresas multinacionais, afirmando-se como espaço de atracção de centros de serviços partilhados e com grande potencial para serviços de nearshoring. Em termos sectoriais se afirmam as tecnologias de informação, software e internet, bem como os serviços de saúde e bem-estar. Lisboa concentra igualmente elevada percentagem de emprego em sectores de alta tecnologia face ao total do país. 11

14 3.1 Estrutura empresarial da Região de Lisboa Empresas Peso da Região de Lisboa no País (%) Variação 2010/ ,4% -4,1% Total de empresas Total de empresas Total de empresas ,1% -3,4% Pessoal ao serviço (Nº de individuos) Pessoal ao serviço Pessoal ao serviço ,5% -3,7% Volume de negócios (Milhares ) Volume de negócios Volume de negócios Fonte: INE, I.P., Empresas em Portugal 2011; Ed. 2013, Ano: Peso relativo por actividade, por forma jurídica e por dimensão no nº de empresas, pessoal ao serviço milhões ( ) e volume de negócios ton. Financeiras Não financeiras Empresas individuais Sociedades PME Grandes Nº de Empresas 2,5% 97,5% 64,3% 35,7% 99,8% 0,2% Pessoal ao Serviço 4,8% 95,2% 16,9% 83,1% 61,4% 38,6% Volume de Negócios 16,7% 83,3% 1,9% 98,1% 36,5% 63,5% Fonte: INE, I.P., Empresas em Portugal 2011; Ed. 2013, Ano: Taxa de variação Anual Nº Empresas Pessoal ao Serviço 0,9% milhões ( ) ton. Volume de Negócios -2,1% -0,3% -1,8% -1,9% -1,3% -2,8% -3,5% -4,1% -4,3% -4,2% -3,6% -2,6% -6,1% -5,9% -9,1% -7,7% -14,1% Financeiras Não Financeiras Empresas Individuais Sociedades PMEs Grandes Empresas Fonte: INE, I.P., Empresas em Portugal 2011; Ed Taxa de variação 2010/2011 (%) 12

15 3.4 Evolução do pessoal ao serviço nas empresas financeiras 3.5 Evolução do nº de empresas financeiras N.º N.º Evolução do pessoal ao serviço nas empresas não financeiras N.º 3.7 Evolução do nº de empresas não financeiras N.º Fonte: INE, I.P., Evolução do Setor Empresarial em Portugal ; Ed. 2012; Ano: 2004/2011, Empresas em Portugal Indicadores demográficos das empresas não financeiras 3.9 Outros indicadores 26,9% 42,8% 48,8% 18,5% 48,8% 15,1% 13,8% 12,4% 20,4% 17,4% 9,3% Taxa de natalidade das empresas (%) LISBOA REGIÃO PORTUGAL Taxa de mortalidade* (%) LISBOA REGIÃO PORTUGAL Taxa de Sobrevivência das empresas a 2 anos (%) 3% 2,2% Novas empresas high-tech (1) LISBOA REGIÃO PORTUGAL Empresas estrangeiras (2) LISBOA REGIÃO PORTUGAL Emprego high-tech (3) Fonte: INE, I.P., Empresas em Portugal 2011; Ed. 2013, Ano: 2011 Legenda: * 2010 Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico; Ano: 2011 Dados Estatísticos (1) % de nascimentos em sectores alta/média-alta tecnologia (2) % pessoal ao serviço em empresas maioritariamente estrangeiras (3) % pessoal ao serviço das empresas de alta e média tecnologia no total do pessoal ao serviço nas ind. Transformadoras 13

16 3.10 Emprego em Sectores de Alta Tecnologia, nas Regiões Europeias (NUTS II) 10 mil Lisboa 4,2 4 UE 27 3,8 2 0 Copenhaga Estocolmo Praga Paris Dublin Bratislava Madrid Budapeste Helsínquia Oslo Londres Berna Roma Liubliana Bruxelas Viena La Valeta Berlim Fonte: Equipa de projecto DMEI/DEP a partir de dados do Eurostat - Ano: 2011; Região NUTS II Legenda: Valor da capital - dado pelo indicador da região onde se insere Sofia Varsóvia Lisboa Amsterdão Talin Atenas Luxemburgo Riga Nicosia Vilnius Bucareste

17 3.11 Estrutura empresarial não financeira da Cidade de Lisboa Total de sociedades por freguesias de Lisboa Lisboa cidade Peso da cidade de Lisboa no País (%) ,7% Empresas Empresas ,3% Sociedades Sociedades ,9% Pessoal ao serviço Pessoal ao serviço ,7% Volume de negócios (milhares ) Volume de negócios Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: Perfil sectorial do tecido empresarial Pessoal ao serviço 10% 4% Lisboa Cidade 9% 37% Pessoal ao serviço 9% 27% 4% Lisboa Região 18% 36% (A) Agricultura, produção animal, caça, floresta e pesca (B) Indústrias extrativas (C) Indústrias transformadoras (D) Electricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio (E) Captação, tratamento e distribuição de água; saneamento, gestão de resíduos e despoluição (F) Construção (G) Comércio por grosso e a retalho; reparação de veículos automóveis e motociclos (H) Transportes e armazenagem (I) Alojamento, restauração e similares 33% 7% 6% (J) Actividades de informação e de comunicação (K) Actividades financeiras e de seguros (L) Actividades imobiliárias 8% 2% 22% 7% 2% 27% (M) Actividades de consultoria, cientificas, técnicas e similares (N) Actividades administrativas e dos serviços de apoio 19% 20% VAB Lisboa Cidade Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: % 17% 14% VAB Lisboa Região 33% (O) Administração Pública e Defesa; Segurança Social Obrigatória (P) Educação (Q) Actividades de saúde humana e apoio social (R) Actividades artísticas, de espectáculos, desportivas e recreativas (S) Outras Actividades de serviços (T) Actividades das famílias empregadoras de pessoal doméstico e actividades de produção das famílias para uso próprio (U) Actividades dos organismos internacionais e outras intituições extra-territoriais 15

18 A Economia de Lisboa em Números Rede de Incubadoras de Lisboa Esta rede é actualmente constituída por 11 incubadoras, agregando mais de 200 startups e cerca de 900 postos de trabalho Mapa Rede de Incubadoras Incubadoras de Empresas Aceleradores de Startups Apoio ao Empreendorismo Conferências Meetups Fab Labs 16

19 04 CAPITAL HUMANO QUALIFICADO Lisboa apresenta recursos humanos qualificados, flexíveis, criativos, multilingues e altamente competitivos. Mais de ¼ da população residente na cidade tem qualificação académica superior, sendo que o nível salarial se apresenta competitivo, designadamente no quadro das cidades europeias. A região de Lisboa concentra cerca de ¼ da população activa do país e da população empregada, atingindo o desemprego cerca de 205 mil pessoas. Apresenta uma taxa de actividade alguns pontos percentuais abaixo da média nacional, com particular incidência na população com 45 e mais anos. 17

20 4.1 Indicadores de população residente face ao emprego Lisboa Região (milhares) Portugal (milhares) Lisboa Região / País 1.420, ,8 25,9% Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2012 População activa População activa População activa 1.170, ,7 25,2% População empregada População empregada População empregada 250,5 860,1 29,1% População desempregada População desempregada População desempregada 4.2 Indicadores de actividade e emprego Taxa de actividade Lisboa Região Taxa de emprego Proporção de desemprego Actividade Actividade feminina Actividade Emprego Emprego 45 e + anos Longa duração 49,9% 46,8% 35,8% 61,2% 37,5% 55,1% Portugal Actividade Actividade feminina Actividade Emprego Emprego 45 e + anos Longa duração 51,8% 47,5% 37,9% 61,8% 41,8% 54,2% Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: Taxa de desemprego 43,8% Lisboa Região 37,7% Portugal ,8% Lisboa Região 15,6% 17,6% 15,7% Portugal Lisboa Região Portugal anos Feminina Total Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano:

21 4.5 Ganho médio mensal 4.6 Nível salarial (Bruto (NY=100)) Zurique Geneva Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: Qualificação académica da população residente 100 (%) Nenhum 12% Portugal Ensino Básico 17% Lisboa Região Ensino Secundário 1.576,4 Lisboa Cidade 1.374,5 Lisboa Região 1.084,6 27% Lisboa Cidade Portugal Ensino Superior Copenhaga Oslo Luxemburgo Nova York Sidnei Tokyo Munique Frankfurt Los Angeles Chicago Estocolmo Miami Bruxelas Helsínquia Viena Londres Berlin Amsterdam Paris Dublin Toronto Montreal Milão Lyon Nicosia Auckland Barcelona Madrid Roma Seoul Dubai Lisboa Tel Aviv Hong Kong Johannesburg Atenas Ljubljana Taipei Manama Moscovo São Paulo Tallinn Istanbul Bratislava Rio de Janeiro Doha Praga Riga Varsóvia Buenos Aires Santiago de Chile Bogotá Lima Vilnius Kuala Lumpur Shanghai Budapest Caracas Beijing Bucareste Bangkok Sofia Mexico City Cairo Kiev Nairobi Mumbai Manila Jakarta Delhi 44, Fonte: Equipa de projecto DMEI/DEP a partir de dados do INE, Ano: 2011 Fonte: UBS, Price and Earnings

22 4.4 Taxa de emprego no grupo etário dos anos (%), nas Regiões Europeias (NUTS II) 100 mil UE 27 64,1 Lisboa 61,2 0 Berna Oslo Estocolmo Amsterdão Helsínquia Copenhaga Praga Bratislava Berlim Viena Londres Talin Paris Luxemburgo Varsóvia Liubliana Sofia Nicosia Fonte: Equipa de projecto DMEI/DEP a partir de dados do Eurostat - Ano: 2011; Região NUTS II Legenda: Valor da capital - dado pelo indicador da região onde se insere Riga Madrid Budapeste Vilnius Lisboa Dublin La Valeta Roma Bucareste Bruxelas Atenas

23 05 CIDADE DO CONHECIMENTO E DA INOVAÇÃO A região de Lisboa apresenta um rácio de despesa em I&D de 2,3% do PIB, dado bastante significativo no contexto Europeu. Em 2011, na região de Lisboa estiveram inscritos cerca de 140 mil estudantes no ensino superior. Anualmente mais de 34 mil pessoas obtêm o seu diploma de ensino superior, com particular relevo para as área das Ciências Empresarias e Sócias, da Saúde, e das Engenharias, responsáveis por mais de 50% desses diplomados. É também na região de Lisboa que se concentra mais de 50% da despesa total em I&D do país e onde as empresas mais despendem em I&D, quando comparado com o total nacional. 21

24 5.1 Diplomados no ensino superior por área de estudo 5.2 Diplomados no ensino superior por área de estudo Ciências Empresariais 6960 Lisboa Região Lisboa Região/País ,8% Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2011 / Indicadores no ensino superior Lisboa Cidade Lisboa Região Estabelecimentos de ensino Alunos matriculados Lisboa Cidade/País Lisboa Região/País ,5% 32,2% % 37,7% Pessoal docente* ,1% 39,4% Saúde Ciências Sociais e do Comportamento Engenharia e Técnicas Afins Formação de Professores/formadores e Ciências da Educação Arquitetura e Construção Artes Direito Ciências da Vida Humanidades Serviços Pessoais Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2012 / 2013 * Dados provisórios Informação e Jornalismo Estudantes Erasmus recebidos Ciências Físicas % 42% Lisboa Cidade Lisboa Região Fonte: Agência Nacional PROVALV, Ano: 2010 / 2011 Lisboa Cidade/País Lisboa Cidade/País Serviços de Segurança Serviços Sociais Informática Evolução dos estudantes Erasmus recebidos Proteção do Ambiente N.º Matemática e Estatística 277 Indústrias Transformadoras Agricultura, Sivicultura e Pescas 198 Ciências Veterinárias / / / /2011 Serviços de Transporte 87 Fonte: Agência Nacional PROALV Fonte: Ministério da Educação e Ciência - GPEARI, Ano: 2011 /

25 5.6 Indicadores de I&D 5.7 Despesa total em I&D Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2011 Lisboa Região Portugal Despesa em I&D no PIB 2,1% 1,5% Pessoal em I&D na população activa 17,7 10 Investigadores (ETI) em I&D na população activa 1,6% 0,9% Lisboa Região (milhares ) 1.330,4 Portugal (milhares ) 2.606,1 Lisboa Região/País 51% Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: Repartição da despesa total em I&D, por sector de execução 5.9 Repartição da despesa total em I&D, por fonte de financiamento 9% Instituições privadas sem fins lucrativos 2% Instituições privadas sem fins lucrativos 6% Ensino Superior 4% Estrangeiro 31% Ensino Superior LISBOA REGIÃO 51% Empresas LISBOA REGIÃO 51% Empresas 37% Estado 8% Instituições privadas sem fins lucrativos 9% Estado 2% Instituições privadas sem fins lucrativos 6% Estrangeiro 6% Ensino Superior 38% Ensino Superior PORTUGAL 47% Empresas PORTUGAL 44% Empresas 42% Estado 7% Estado Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2011 Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano:

26 5.10. Despesa em I&D em % do PIB, nas Regiões Europeias (NUTS II) 6 % Lisboa 2, Copenhaga* 24 Viena* Estocolmo* Helsínquia* Berlim* Oslo Paris* Liubliana Lisboa Praga Madrid Roma* Amsterdão* Dublin Talin Budapeste Bruxelas* Fonte: Equipa de projecto DMEI/DEP a partir de dados do Eurostat - Ano: 2010; Região NUTS II Legenda: Valor da capital - dado pelo indicador da região onde se insere Luxemburgo Varsóvia Londres* Bratislava Sofia Vilnius La Valeta Riga Nicosia Bucareste * Berna (Suiça), Atena (Grécia) Dados indisponíveis

27 5.11. Mapa Europeu Regional Innovation Scoreboard 2012 Fonte: European Comission, Regional Innovation Scoreboard 2012, Ano: 2011 Innovation Leader Innovation Follower Moderate Innovator Modest Innovator Amsterdão (NL) Berlim (DE) Berna (CH) Bruxelas (BE) Copenhaga (DK) Estocolmo (SE) Helsínquia (FI) Lisboa (PT) Paris (FR) Praga (CZ) Viena (AT) Atenas (GR) Dublin (IE) Liubliana (SI) Londres (UK) Luxemburgo (LU) Madrid (ES) Nicosia (CY) Oslo (NO) Roma (IT) Talin (EE) Zagreb (HR) Bratislava (SK) Budapeste (HU) La Valeta (MT) Varsóvia (PL) Bucareste (RO) Riga (LV) Sofia (BG) Vilnius (LT) 25

28 5.12. Mapa do conhecimento de Lisboa Fonte: CML/DMEI - Lisboa Fonte: CML/DMEI, Ano Instituições de Ensino Superior Estudantes no Ensino Superior Licenciados / ano Centros de I&D Investigadores Espaços de Incubação e Aceleração de Empresas ,1% Parques de Ciência e Tecnologia Fundações ligadas à Investigação e ao Conhecimento Residências de Estudantes PIB gasto em I&D 26

29 06 UMA ECONOMIA ABERTA AO MUNDO Cidade capital, com vários portos na sua área de influência, Lisboa é de há muito considerada uma plataforma privilegiada de comércio entre os diferentes continentes. Permite o fácil acesso a 500 milhões de consumidores europeus, graças a uma moderna e completa rede de auto estradas, ferrovias e outras infra-estruturas de transporte e logística. Lisboa tem uma posição geoestratégica de excelência e fortes relações económicas e empresariais com os sete países de língua oficial portuguesa o que a torna localização ideal para as empresas que pretendem exportar ou investir nesses mercados. O peso do comércio internacional tem vindo a acentuar-se na região, que se apresenta como origem de 1/3 das exportações do país e destino de mais de metade das importações do país. Em termos evolutivos assumem particular relevo as exportações, que em 2012 apresentaram um crescimento de mais de 30% face aos valores registados em

30 6.1 Transportes Indicadores Aéreos Lisboa Lisboa/País (%) ,7% Fonte: ANA, Aeroporto Nacional, SA, Ano: 2012 Voos Voos ,2% Passageiros Passageiros ,9 68,2% Carga (ton.) Carga (ton.) Evolução de passageiros transportados em navios Evolução navios entrados N.º N.º Fonte: Porto de Lisboa Fonte: Porto de Lisboa 28

31 6.1.4 Evolução de mercadorias transportadas em navios ton Rodoviário - Carris (evolução de passageiros) 300 milhões Passageiros , Fonte: Porto de Lisboa LISBOA Fonte: Equipa de projecto DMEI a partir de dados da Carris. Transportes de Lisboa Subterrâneo - Metroplitano de Lisboa - Evolução de passageiros 200 milhões passageiros LISBOA Fonte: Equipa de projecto DMEI/DEP a partir de dados do Metropolitano de Lisboa 29

32 6.2 Comércio Internacional Indicadores económicos Lisboa Cidade (milhões ) Lisboa Região (milhões ) Peso da Região no País 6.505, ,6 33,6% Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2012* Dados provisórios Exportações Exportações Exportações , ,8 57,7% Importações Importações Importações Evolução das Exportações na Região de Lisboa Evolução das Importações na Região de Lisboa milhões milhões * * LISBOA Fonte: INE, I.P., Estatísticas do Comércio Internacional de Bens Legenda: *Dados provisórios LISBOA Fonte: INE, I.P., Estatísticas do Comércio Internacional de Bens Legenda: *Dados provisórios Exportações Importações 45% 59% 45% 62% LISBOA CIDADE LISBOA REGIÃO LISBOA CIDADE LISBOA REGIÃO 55% 41% 55% 38% Comércio extracomunitário Comércio Intracomunitário Comércio extracomunitário Comércio Intracomunitário Fonte: INE, I.P.,Anuário Estatístico, Ano: 2012 Dados provisórios 30 Fonte: INE, I.P.,Anuário Estatístico, Ano: 2012 Dados provisórios

33 6.2.6 Países com maior intensidade de transacção com a Região de Lisboa Exportações Países UE27 Espanha Alemanha França Reino Unido Países extracomunitários Países Baixos Italia Bélgica Angola Cabo Verde Moçambique 29,39% 21,44% 12,21% 7,72% 7,59% 4,41% 3,22% 83,29% 6,47% 5,68% Importações Países UE27 Espanha Alemanha França Países Baixos Países extracomunitários Reino Unido Italia Bélgica Angola Moçambique Cabo Verde 42,04% 16,57% 9,54% 6,54% 5,29% 5,46% 3,74% 99,35% 0,5% 0,13% Fonte: INE, I.P., Anuário Estatístico, Ano: 2012, dados provisórios Exportações de Lisboa Região Importações de Lisboa Região 8% 0,06% 9% 17% 0,03% 11% 23% 28% 10% 18% Exportações Importações 11% 9% 23% 33% Produtos alimentares e bebidas Fornecimentos industriais não especificados noutras categorias Combustíveis e lubrificantes Máquinas, outros bens de capital (exceto material de transporte) e seus acessórios Material de transporte e acessórios Bens de consumo não especificados noutras categorias Bens não especificados noutras categorias Fonte: INE, I.P.,Anuário Estatístico, Ano: 2012 Dados provisórios 31

34 32

35 07 UMA REFERÊNCIA TURÍSTICA E DE EVENTOS Lisboa recebe mais de 4 milhões de hóspedes por ano, sendo que mais de metade destes provêm de mercados externos, com particular relevo para Espanha, Brasil, França, Alemanha, Reino Unido e Irlanda. Lisboa é um destino de Congressos de relevo internacional, com presença constante nos principais rankings internacionais e é uma capital cheia de dinamismo e eventos todo o ano. 33

36 7.1 Turismo Dormidas e hóspedes nos estabelecimentos hoteleiros Lisboa Cidade Lisboa Região Lisboa Cidade / País Lisboa Região / País ,3% 29,7% Hóspedes Hóspedes Dormidas na Região de Lisboa 26% Mercado Interno ,1% 23,8% Dormidas Dormidas Fonte: INE, I.P. Anuário Estatístico, Ano: % Mercados Externos Evolução do nº de dormidas na Região de Lisboa Ocupação dos Quartos de Hotel Hóteis *** 71,5% 56,8% Hóteis **** 67,8% 60,7% LISBOA Hóteis ***** 65,4% 58,4% Síntese Lisboa Cidade Síntese Lisboa Região Lisboa Cidade Lisboa Região Fonte: INE, I.P. Anuário Estatístico, Ano LISBOA Fonte: INE, I.P. Anuário Estatístico (acumulado de Jan a Dez de 2012) 55,5% 54,3% Evolução dos mercados - dormidas em Lisboa Preço médio por quatro disponível - (REVPAR) Lisboa Região Variação Síntese Espanha ,1% Alemanha ,4% Lisboa Cidade Preço médio 35,16 41,9 67,3 46,94 Reino Unido ,9% Itália ,3% França ,6% Variação %/ -2,5% -9,4% -8,7% -8,1% -0,88-4,33-6,44-4,14 Holanda ,9% Escandinávia % Lisboa Região Preço médio 27,72 36,15 68,24 40,83 EUA ,6% Brasil ,5% Rússia ,7% Variação %/ -7,1% -8,6% -6% -7,3% -2,11-3,42-4,37-3,20 Fonte: Turismo de Lisboa, Observatório do Turismo de Lisboa (acumulado Janeiro a Dezembro de 2012) 34 Fonte: Turismo de Lisboa, Observatório do Turismo de Lisboa (acumulado Janeiro a Dezembro de 2012)

37 A Economia de Lisboa em Números Congressos Ranking Mundial de cidades por n.º de reuniões Internacionais Cidade Viena París Berlim N.º de Reuniões Cidade Praga Estocolmo Beijing Bruxelas N.º de Reuniões Cidade Roma Dublim Hong Kong Sidney Rio de Janeiro N.º de Reuniões Madrid Barcelona 154 Londres Singapura Copenhaga 150 Istambul Amesterdão Lisboa Banguecoque Helsínquia Seul Buenos Aires Budapeste Taipei Munique São Paulo Oslo Zurique Fonte: ICCA, Country an City ranking measured by number of meetings organised in Eventos 35

38 36

39 08 POSICIONAMENTO INTERNACIONAL DE LISBOA Lisboa é também uma cidade com crescente presença nos rankings internacionais de visibilidade global, comprovando a sua presença e visibilidade como cidade atlântica de características únicas, para estudar, viver, trabalhar e investir. 37

40 PRICES AND EARNINGS (2012) Lisboa revela-se competitiva ao nível do custo de mão-de-obra, com um nível de salário bruto da ordem dos 40,0 (NY=100), valores que em Dublin se cifram em 77.7, Madrid 57.0 e Barcelona QUALITY OF LIVING WORLDWIDE CITY RAKINGS 2011 Lisboa integra o top 50 das cidades com melhor qualidade de vida (situando-se na 41.ª posição, a seguir a Barcelona 40ª e Londres 38ª). Lisboa surge também no top das 50 cidades no que respeita a segurança pessoal URBANISM AWARDS Lisboa foi eleita cidade europeia do ano 2012, distinção que se baseia em critérios como governância, sucesso e viabilidade comercial, sustentabilidade social e ambiental e funcionalidade. FT FDI: EUROPEAN CITIES AND REGIONS OF THE FUTURE Lisboa surge em posição de destaque nas cidades do sul da Europa e no que concerne à estratégia da captação de investimento directo estrangeiro. EUROPEAN CITIES MONITOR, 2011 Lisboa ocupa a posição de destaque em parâmetros como: Disponibilidade de espaço para escritórios; Preço por m2 de área de escritórios; Custo de mão-de-obra. THE GLOBAL COMPETITIVENCES REPORT Portugal ocupa lugar em tópicos como: Qualidade das infra-estruturas várias e Qualidade global das infra-estruturas; Tempo necessário para iniciar um negócio. GLOBAL BENCHMARK REPORT 2011 Portugal ocupa 1.º lugar do raking na percentagem de diplomas nas áreas da engenharia, ciências da vida, física, matemática/estatística e informática, saúde e bem-estar. Portugal ocupa posição de destaque: Carga fiscal sobre as empresas; Abertura cultural. CORRUPTION PERCEPTION INDEX 2011 Portugal ocupa a 32.ª posição (entre paises em todo o mundo) enquanto a Nova Zelândia ocupa a 1.ª posição, Espanha a 31.ª, Polónia a 41.ª, Hungria a 54.ª e Itália a 69.ª. DOING BUSINESS 2012 Portugal ocupa a 30.ª posição, com alterações relevantes em parâmetros como a facilidade de iniciar um negócio e obter licenças de construção. 38

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores

As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores As estatísticas do comércio internacional de serviços e as empresas exportadoras dos Açores Margarida Brites Coordenadora da Área das Estatísticas da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento

Leia mais

Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa

Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa Serviços na Balança de Pagamentos Portuguesa Margarida Brites Coordenadora da Área da Balança de Pagamentos e da Posição de Investimento Internacional 1 dezembro 2014 Lisboa Balança de Pagamentos Transações

Leia mais

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011

PORTUGAL - INDICADORES ECONÓMICOS. Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011. Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 Evolução 2005-2011 Actualizado em Setembro de 2011 Unid. Fonte 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 Notas 2011 População a Milhares Hab. INE 10.563 10.586 10.604 10.623 10.638 10.636 10.643 2º Trimestre

Leia mais

Região Autónoma da Madeira

Região Autónoma da Madeira Região Autónoma da Madeira Área () km 2 801,0 Densidade populacional () Hab/Km 2 309,0 População residente (31.12.) Nº 247.568 População < 15 anos Nº 42.686 População > 65 anos Nº 32.188 Taxa conclusão

Leia mais

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012

Náutica. Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima. Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Náutica Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima Lisboa, 8 de Fevereiro de 2012 Aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro para

Leia mais

LONDRES VOLTA A SER A LOCALIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS MAIS CARA DO MUNDO Londres ultrapassa Hong Kong e reposiciona-se na primeira posição do ranking

LONDRES VOLTA A SER A LOCALIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS MAIS CARA DO MUNDO Londres ultrapassa Hong Kong e reposiciona-se na primeira posição do ranking PRESS RELEASE Press Office Filipa Mota Carmo Telefone Direto: +351 213 219 548 Email: filipa.carmo@eur.cushwake.com Lisboa, 19 de Fevereiro 2013 LONDRES VOLTA A SER A LOCALIZAÇÃO DE ESCRITÓRIOS MAIS CARA

Leia mais

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades

Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Alentejo no horizonte 2020 Desafios e Oportunidades Vendas Novas - 02 de julho de 2013 aicep Portugal Global é uma agência pública de natureza empresarial, cuja missão é: Atrair investimento estrangeiro

Leia mais

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional

A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional A importância da internacionalização no desenvolvimento de base tecnológica e industrial de defesa nacional Lisboa, 25 de Janeiro de 2013 A crescente influência dos Estados nas economias emergentes. A

Leia mais

Portugal 2020: O foco na Competitividade e Internacionalização

Portugal 2020: O foco na Competitividade e Internacionalização Portugal 2020: O foco na Competitividade e Internacionalização Duarte Rodrigues Vogal da Agência para o Desenvolvimento e Coesão AIP, 5 de março de 2015 Prioridades Europa 2020 Objetivos Europa 2020/ PNR

Leia mais

Indicadores de Confiança...15

Indicadores de Confiança...15 1. MACROECONOMIA 1.1. Rendimento e Despesa Despesa Nacional a Preços Correntes...5 Despesa Nacional a Preços Constantes...6 PIB a preços correntes (Produto Interno Bruto)...7 PIB a preços constantes (Produto

Leia mais

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km

Uma das maiores áreas territoriais de Portugal, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km As Regiões de - Região O Território Porquê o? Uma das maiores áreas territoriais de, com uma fronteira terrestre internacional de 568 km e um perímetro da linha de costa de 142 km Area (km 2 ): 21.286

Leia mais

Egon Zehnder International. As TIC para a Empregabilidade e Inovação

Egon Zehnder International. As TIC para a Empregabilidade e Inovação Egon Zehnder International As TIC para a Empregabilidade e Inovação Luísa Campos Lopes Lisboa, 16 de Janeiro de 2013 Egon Zehnder International uma Firma global A Egon Zehnder International tem 65 escritórios

Leia mais

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização

1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização 1ª Semana Europeia das PME Workshop Internacionalização Faro, 7 de Maio de 2009 Índice Posicionamento AICEP AICEP - Produtos e Serviços Apoios à Internacionalização Posicionamento AICEP Posicionamento

Leia mais

www.pwc.pt Room for growth European cities hotel forecast 2015 e 2016 César Gonçalves Susana Benjamim 6 maio 2015

www.pwc.pt Room for growth European cities hotel forecast 2015 e 2016 César Gonçalves Susana Benjamim 6 maio 2015 www.pwc.pt Room for growth European cities hotel forecast 2015 e 2016 César Gonçalves Susana Benjamim 6 maio 2015 Agenda Enquadramento 1. 2. Outlook 2015/2016 3. 4. 5. 6. Slide 2 Enquadramento 1º 2º 3ª

Leia mais

Area (km 2 ): 31.604,9 Hab/Km 2 : 23,7 População (Nº): 749.055 (2010)

Area (km 2 ): 31.604,9 Hab/Km 2 : 23,7 População (Nº): 749.055 (2010) As Regiões de - Região O Território Porquê? Com a maior área territorial de Continental 31.605,2 km2 (1/3 do território nacional) a região do apresenta 179 km de perímetro de linha de costa e 432 km de

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL % DE RESPOSTAS POR REGIÃO INTRODUÇÃO Américas 19% Ásia 31% A pesquisa global de opinião sobre o mercado

Leia mais

Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades

Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades www.pwc.pt Room to grow VII conferência anual do Turismo Cidades A dinâmica das cidades europeias César Gonçalves Funchal 4 abril 2014 Quaisquer que tenham sido as razões que nos colocaram neste lugar

Leia mais

Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008. Micro, Pequenas. e Médias. Empresas. em Portugal

Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008. Micro, Pequenas. e Médias. Empresas. em Portugal Estudos sobre Estatísticas Estruturais das Empresas 2008 28 de Junho de 2010 Micro, Pequenas e Médias Empresas em Portugal Em 2008, existiam 349 756 micro, pequenas e médias empresas (PME) em Portugal,

Leia mais

setembro 2015 BARÓMETRO CENTRO DE PORTUGAL

setembro 2015 BARÓMETRO CENTRO DE PORTUGAL setembro 2015 Índice Apresentação Síntese Indicador global de avaliação Fichas de análise Crescimento e Competitividade Potencial Humano Qualidade de Vida Coesão Sustentabilidade Ambiental e Energética

Leia mais

Portugal: Destino Competitivo?

Portugal: Destino Competitivo? Turismo O Valor Acrescentado da Distribuição Portugal: Destino Competitivo? Luís Patrão Turismo de Portugal, ip Em 2006 Podemos atingir 7.000 milhões de euros de receitas turísticas Teremos perto de 37,5

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 9 setembro 211 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia e do Emprego G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação_ e Relações Internacionais

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Índice Índice Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente de Origem e Principais Nacionalidades - Situação no fim do mês de Dezembro, de 2003 a 2009... 2 Desemprego Registado de Estrangeiros por Continente

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

INTERNACIONALIZAÇÃO Programas de Estimulo e Medidas de Apoio

INTERNACIONALIZAÇÃO Programas de Estimulo e Medidas de Apoio INTERNACIONALIZAÇÃO Programas de Estimulo e Medidas de Apoio Viseu, 18 de Junho de 2012 A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza

Leia mais

Nota de Informação Estatística Lisboa, 8 de novembro de 2012

Nota de Informação Estatística Lisboa, 8 de novembro de 2012 Nota de Informação Estatística Lisboa, 8 de novembro de 212 Divulgação dos Quadros do Setor das empresas não financeiras da Central de Balanços dados de 211 O Banco de Portugal divulga hoje no BPStat Estatísticas

Leia mais

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1.

Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9 pontos na UE e +0.5 pontos na Área Euro 1. Jan-04 Jan-05 Jan-06 Jan-07 Jan-08 Jan-09 Jan-10 Jan-11 Jan-12 Análise de Conjuntura Fevereiro 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Janeiro de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou +0.9

Leia mais

PERFIL DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM 2012. Estudo elaborado por Informa D&B, Novembro 2013

PERFIL DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM 2012. Estudo elaborado por Informa D&B, Novembro 2013 PERFIL DAS EXPORTADORAS PORTUGUESAS EM 2012 Estudo elaborado por Informa D&B, Novembro 2013 SUMÁRIO EXECUTIVO Em Portugal, nos últimos 5 anos, o número de empresas exportadoras aumentou 12% O valor das

Leia mais

SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA

SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA SECTOR EMPRESARIAL DA REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA 2013 Direção Regional de Estatística da Madeira Uma porta aberta para um universo de informação estatística Catalogação Recomendada Sector Empresarial da

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5

EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2. Atividade global... 2. Atividade setorial... 3. - Produção... 3. - Volume de negócios... 5 SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal fevereiro 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

Inquérito ao Trabalho Voluntário 2012 «

Inquérito ao Trabalho Voluntário 2012 « Escola de Voluntariado Fundação Eugénio de Almeida Inquérito ao Trabalho Voluntário 2012 Departamento de Contas Nacionais Serviço de Contas Satélite e Avaliação de Qualidade das Contas Nacionais Ana Cristina

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro.

Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos na União Europeia e diminuiu, 0.5 pontos, na Área Euro. Abr-04 Abr-05 Abr-06 Abr-07 Abr-08 Abr-09 Abr-10 Abr-11 Abr-12 Análise de Conjuntura Maio 2014 Indicador de Sentimento Económico Em Abril de 2014, o indicador de sentimento económico aumentou 0.9 pontos

Leia mais

Seminario de Difusión do Anuario Estatístico Galicia Norte de Portugal 2010. A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal

Seminario de Difusión do Anuario Estatístico Galicia Norte de Portugal 2010. A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal A nova edição do Anuário Estatístico na perspectiva do Norte de Portugal Eduardo Pereira (CCDRN) Santiago de Compostela 13 de Dezembro de 2010 Galicia Norte de Portugal: uma grande região europeia transfronteiriça

Leia mais

Seminário 2013. Mercado de Tintas

Seminário 2013. Mercado de Tintas Seminário 2013 Mercado de Tintas Luso - 22 de Março de 2013 Transferência de riqueza do Ocidente para o Oriente Evolução do Consumo da Classe Média 2000 a 2050 Outros países 2012 União Europeia EUA Japão

Leia mais

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos).

O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer na União Europeia (+2.0 pontos), quer na Área Euro (+1.4 pontos). Nov-02 Nov-03 Nov-04 Nov-05 Nov-06 Nov-07 Nov-08 Nov-09 Nov-10 Nov-12 Análise de Conjuntura Dezembro 2012 Indicador de Sentimento Económico O indicador de sentimento económico melhorou em Novembro, quer

Leia mais

certo? Descubra o valor real de sua remuneração total

certo? Descubra o valor real de sua remuneração total Você tem o equilibrio certo? Descubra o valor real de sua remuneração total O Reward Pinpoint irá ajudá-lo a maximizar a efetividade de seu programa de remuneração, propiciando um quadro global completo

Leia mais

Economia Portuguesa. GPEARI - Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (MFAP)

Economia Portuguesa. GPEARI - Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (MFAP) Economia Portuguesa 2009 GPEARI - Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais (MFAP) MFAP GPEARI Unidade de Política Económica i i Ficha Técnica Título Economia Portuguesa

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO SALÁRIO MÍNIMO

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO SALÁRIO MÍNIMO S R REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA GOVERNO REGIONAL SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E RECURSOS HUMANOS DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO SALÁRIO MÍNIMO (RETRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL GARANTIDA NA REGIÃO) Outubro de

Leia mais

Resultados definitivos. Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012

Resultados definitivos. Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012 Resultados definitivos Anabela Delgado INE, Gabinete dos Censos 20 de novembro 2012 Temas em Análise População Família Parque Habitacional 1 População 2 População Residente À data do momento censitário

Leia mais

PARLAMENTO EUROPEU CONSTITUIÇÃO:

PARLAMENTO EUROPEU CONSTITUIÇÃO: CONSTITUIÇÃO: PARLAMENTO EUROPEU É a instituição parlamentar da União Europeia. Eleito por um período de 5 anos por sufrágio universal directo pelos cidadãos dos estados-membros Presidente do Parlamento

Leia mais

BANCO POPULAR. Parceiro na Internacionalização

BANCO POPULAR. Parceiro na Internacionalização BANCO POPULAR Parceiro na Internacionalização Um Banco Ibérico com Presença Internacional Escritórios de representação Banco Popular Genebra Milão Munique Santiago do Chile Xangai Banco Pastor Buenos Aires

Leia mais

A estabilidade de preços é importante porquê? Brochura informativa para os alunos

A estabilidade de preços é importante porquê? Brochura informativa para os alunos A estabilidade de preços é importante porquê? Brochura informativa para os alunos O que é que podes comprar com uma nota de 10? Que tal dois CD-singles ou talvez a tua revista preferida todas as semanas,

Leia mais

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos

HOTELARIA 2008. AEP / Gabinete de Estudos HOTELARIA 2008 AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. INFORMAÇÃO SOBRE AS EMPRESAS Segundo os dados das Empresas em Portugal 2005, do INE, em 2005 o sector do Alojamento e Restauração compreendia

Leia mais

PORTUGAL. A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades. João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015

PORTUGAL. A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades. João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015 PORTUGAL A recente performance de Portugal enquanto destino turístico Mitos e realidades João Cotrim de Figueiredo 05 dezembro 2015 Um ciclo de crescimento longo e a acelerar 12 000 000 10 000 000 Receitas

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. Porto, 27 de maio de 2014

A AICEP e os Apoios à Internacionalização. Porto, 27 de maio de 2014 A AICEP e os Apoios à Internacionalização Porto, 27 de maio de 2014 Índice 1. A aicep Portugal Global 2. Produtos e serviços AICEP 3. O Processo de Internacionalização A aicep Portugal Global A aicep Portugal

Leia mais

As regiões no Portugal 2020

As regiões no Portugal 2020 As regiões no Portugal 2020 O Acordo de Parceria O Modelo de Governação Agência para o Desenvolvimento e Coesão Fevereiro e março de 2015 Temas O Acordo de Parceria O Modelo de Governação Acordo de Parceria

Leia mais

Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011. Lisboa, 2 de Junho de 2011

Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011. Lisboa, 2 de Junho de 2011 Serviços da AICEP no apoio à internacionalização de empresas QUIDGEST Dia do Parceiro 2011 Lisboa, 2 de Junho de 2011 1. A aicep Portugal Global 2. Rede Nacional e Lojas da Exportação 3. Rede Externa 4.

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Verão 2014 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal, tem

Leia mais

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir IP/08/1831 Bruxelas, 28 de Novembro de 2008 Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir De acordo com um relatório publicado hoje pela Comissão Europeia,

Leia mais

ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO

ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO ENSINO SUPERIOR E DESENVOLVIMENTO Joaquim Mourato (Presidente do CCISP e do IP de Portalegre) XX Congresso Nacional da Ordem dos Engenheiros Centro de Congressos da Alfândega do Porto 18.10.2014 SUMÁRIO

Leia mais

UNWTO. World Tourism Barometer January August 2015. Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial

UNWTO. World Tourism Barometer January August 2015. Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial UNWTO World Tourism Barometer January August 2015 Análise e resultados estatísticos Turismo Mundial ÍNDICE Chegada de Turistas Internacionais ao Mundo e às Macro-regiões TOP 50 Chegadas de Turistas por

Leia mais

O Concelho de Beja. Localização

O Concelho de Beja. Localização O Concelho de Beja Localização Beja, capital de distrito, situa-se na região do Baixo Alentejo, no coração da vasta planície alentejana. É sede de um dos maiores concelhos de Portugal, com cerca de 1150

Leia mais

INDICADORES ESTATÍSTICOS

INDICADORES ESTATÍSTICOS INDICADORES ESTATÍSTICOS Indicadores Ano Unidade Estrutura Territorial Área 28 Km 2 27 332,4 92 9, Concelhos - Freguesias 28 nº 47-31 38-426 Lugares 28 nº 947 26797 Cidades Estatísticas 28 nº 15 151 Densidade

Leia mais

ASPECTOS FUNDAMENTAIS DE CARACTERIZAÇÃO SOCIO-ECONÓMICA DA REGIÃO ALENTEJO

ASPECTOS FUNDAMENTAIS DE CARACTERIZAÇÃO SOCIO-ECONÓMICA DA REGIÃO ALENTEJO ASPECTOS FUNDAMENTAIS DE CARACTERIZAÇÃO SOCIO-ECONÓMICA DA REGIÃO ALENTEJO Principais linhas de evolução e transformação da paisa social e económica regional População A região, inserida no contexto português

Leia mais

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015

Desafios da Internacionalização O papel da AICEP. APAT 10 de Outubro, 2015 Desafios da Internacionalização O papel da AICEP APAT 10 de Outubro, 2015 Internacionalização - Desafios Diversificar Mercados Alargar a Base Exportadora 38º PORTUGAL TEM MELHORADO A SUA COMPETITIVIDADE

Leia mais

SECTOR DA PUBLICIDADE

SECTOR DA PUBLICIDADE SECTOR DA PUBLICIDADE AEP / GABINETE DE ESTUDOS MAIO DE 2009 Índice 1. Introdução: a importância da publicidade... 1 1. Introdução: a importância da publicidade... 2 1. Introdução: a importância da publicidade...

Leia mais

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE

Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA UNIÃO EUROPEIA ESTADOS-MEMBROS Direcção de Serviços das Questões Económicas e Financeiras DGAE / MNE Fevereiro de 2011 FICHA TÉCNICA Título Informação Estatística União Europeia/Estados-membros,

Leia mais

www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014

www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014 www.pwc.pt Room to grow European cities hotel forecast 2014 César Gonçalves Susana Benjamim 19 março 2014 Introdução 3ª edição do European cities hotel forecast; enquadrada pela 2ª vez; Colaboração da

Leia mais

Uma aposta na Internacionalização

Uma aposta na Internacionalização Uma aposta na Internacionalização Mercados Emergentes Que Oportunidades? Seminário Engenharia e Arquitectura Futuro da Prestação de Serviços 13 de Abril 2011 Índice A aicep Portugal Global Produtos e Serviços

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA ROCHA PEIXOTO GEOGRAFIA 10º ANO DE ESCOLARIDADE 29 OUTUBRO DE 2004 GRUPO I

ESCOLA SECUNDÁRIA ROCHA PEIXOTO GEOGRAFIA 10º ANO DE ESCOLARIDADE 29 OUTUBRO DE 2004 GRUPO I ESCOLA SECUNDÁRIA ROCHA PEIXOTO GEOGRAFIA 10º ANO DE ESCOLARIDADE 29 OUTUBRO DE 2004 GRUPO I 1.1 Indique o nome dos continentes e Oceanos assinalados na figura 1, respectivamente com letras e números.

Leia mais

A Competitividade dos Portos Portugueses O Turismo e o Sector dos Cruzeiros

A Competitividade dos Portos Portugueses O Turismo e o Sector dos Cruzeiros O Turismo e o Sector dos Cruzeiros Agenda 1. Portugal e o Mar 2. Os Cruzeiros no PENT 3. O Turismo na Economia Portuguesa 4. O Segmento de Cruzeiros Turísticos 5. Cruzeiros Turísticos em Portugal Terminais

Leia mais

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020)

PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020) PROGRAMA QUADRO EUROPEU PARA A INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO HORIZON 2020 (2014-2020) 2020) Maria da Graça a Carvalho Universidade de Évora 5 Janeiro 2012 Índice Mundo Multipolar na investigação e inovação Europa

Leia mais

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA

PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA Inverno 2014-2015 PERFIL DO PASSAGEIRO LOW-COST DE LISBOA INTRODUÇÃO Desde 2005, o Observatório do Turismo de Lisboa, em colaboração com a ANA Aeroportos de Portugal,

Leia mais

www.pwc.pt Staying power European cities hotel forecast 2016 e 2017 César Gonçalves Susana Benjamim 12 abril 2016 Lisboa

www.pwc.pt Staying power European cities hotel forecast 2016 e 2017 César Gonçalves Susana Benjamim 12 abril 2016 Lisboa www.pwc.pt Staying power European cities hotel forecast 2016 e 2017 César Gonçalves Susana Benjamim 12 abril 2016 Lisboa Agenda Enquadramento 1. Um olhar sobre 2015 2. Outlook 2016/2017 3. Riscos e 4.

Leia mais

CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS

CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS CRESCIMENTO E EMPREGO: PRÓXIMOS PASSOS Apresentação de J.M. Durão Barroso, Presidente da Comissão Europeia, ao Conselho Europeu informal de 30 de janeiro de 2012 Quebrar os «círculos viciosos» que afetam

Leia mais

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal

POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal POLÓNIA Relações bilaterais Polónia - Portugal Visita da missão de PPP do Ministério da Economia da Polónia a Portugal Bogdan Zagrobelny Primeiro Conselheiro EMBAIXADA DA POLÓNIA DEPARTAMENTO DE PROMOÇÃO

Leia mais

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010

Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa. Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Internacionalização da Economia Portuguesa e a Transformação da Indústria Portuguesa Coimbra, 19 de Novembro de 2010 Enquadramento Enquadramento A importância da Internacionalização na vertente das exportações

Leia mais

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa

OBSERVATÓRIO DO TURISMO DE LISBOA RECUPERAÇÃO. desta edição. Dados da Hotelaria Cidade de Lisboa Grande Lisboa Região de Lisboa DO TURISMO DE LISBOA DADOS Maio RECUPERAÇÃO No mês de Maio, os principais indicadores analisados registam sinais positivos de recuperação em todas as unidades hoteleiras. Destacam-se as unidades de quatro

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL 50 40 30 20 10 0-10 -20-30 -40-50 Fev 2009 Jul 2009 SENTIMENT NÍVEL GLOBAL Jan 2010 % DE RESPOSTAS POR

Leia mais

Debates sobre a Estratégia de Lisboa

Debates sobre a Estratégia de Lisboa Debates sobre a Estratégia de Lisboa Crescimento e Emprego Juntos a trabalhar pela Europa do futuro 2006-2008 Data de actualização: 19 de Dezembro de 2007 Em parceria: Alto Patrocínio: Debates sobre a

Leia mais

O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS. Síntese

O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS. Síntese Comissão Europeia, Employment in Europe 2005 Recent Trends and Prospects, Office for Official Publications of the European Communities, Luxemburgo, 2005, 301 pp.. O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES

Leia mais

91% das empresas com 10 e mais pessoas ao serviço utilizam Internet de banda larga

91% das empresas com 10 e mais pessoas ao serviço utilizam Internet de banda larga 06 de novembro de 2012 Sociedade da Informação Inquérito à Utilização de Tecnologias da Informação e da Comunicação nas Empresas 2012 91% das empresas com 10 e mais pessoas ao serviço utilizam Internet

Leia mais

Portugal e Espanha: Comparações no contexto europeu

Portugal e Espanha: Comparações no contexto europeu Portugal e Espanha: Comparações no contexto europeu A Península Ibérica em Números 2010 Os Institutos Nacionais de Estatística de Espanha e de Portugal publicam a 7ª edição de A Península Ibérica em Números/La

Leia mais

Inquérito Multi- Objectivo Contínuo

Inquérito Multi- Objectivo Contínuo Inquérito Multi- Objectivo Contínuo Estatísticas Sobre o Trabalho das Crianças Principais resultados (preliminares) Praia, 27 de Junho de 2013 PLANO DE APRESENTAÇÃO OBJECTIVOS METODOLOGIA PRINCIPAIS RESULTADOS:

Leia mais

Desemprego e regulação do mercado de trabalho. António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011

Desemprego e regulação do mercado de trabalho. António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011 Desemprego e regulação do mercado de trabalho António Dornelas ISCTE-IUL e CIES-IUL 28 de Outubro de 2011 Proposições fundamentais 1. O trabalho não pode ser tratado como uma mercadoria sem sérias consequências

Leia mais

Necessidade. de uma nova atitude

Necessidade. de uma nova atitude Necessidade de uma nova atitude O Conselho Europeu de Lisboa, de Março 2000, definiu um ambicioso objectivo estratégico a 10 anos, de tornar a União Europeia no espaço económico mais dinâmico e competitivo

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL INTRODUÇÃO Europe 43% % DE RESPOSTAS POR REGIÃO Americas 9% Asia 48% A pesquisa global de opinião sobre

Leia mais

Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP)

Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP) Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP) 23/06/2008-14/08/2008 Existem 457 respostas em 457 que correspondem aos seus critérios A. Participação País DE - Alemanha 84 (18.4%) PL - Polónia

Leia mais

8 DE MAIO 2013. ONDE NASCE O NOVO EMPREGO EM PORTUGAL Teresa Cardoso de Menezes

8 DE MAIO 2013. ONDE NASCE O NOVO EMPREGO EM PORTUGAL Teresa Cardoso de Menezes 8 DE MAIO 2013 ONDE NASCE O NOVO EMPREGO EM PORTUGAL Teresa Cardoso de Menezes a empresa activa mais antiga em Portugal nasceu em 1670? 2001 foi o ano em que nasceram mais empresas em Portugal? ontem quando

Leia mais

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos

vindo a verificar nos últimos tempos. As pers- próximo, estando prevista, a título de exemplo, náuticos internacionais que se realizam nos DO TURISMO DE LISBOA DADOS Março PERFORMANCE POSITIVA No primeiro trimestre de, a capital portuguesa continuou a demonstrar uma boa pectivas são igualmente positivas para o futuro vindo a verificar nos

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria

ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA CCI/Câmara de Comércio e Indústria Análise de Conjuntura Abril 2012 Indicador de Sentimento Económico Após uma melhoria em Janeiro e Fevereiro, o indicador de sentimento

Leia mais

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014

ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 ROSÁRIO MARQUES Internacionalizar para a Colômbia Encontro Empresarial GUIMARÃES 19/09/2014 REPÚBLICA DA COLÔMBIA POPULAÇÃO 48 Milhões SUPERFÍCIE 1.141.748 Km2 CAPITAL Bogotá 7,3 milhões PRINCIPAIS CIDADES

Leia mais

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Fórum novo millenium Nuno Mangas Covilhã, 22 Setembro 2011 Índice 1 Contextualização 2 Os CET em Portugal 3 Considerações Finais 2 Contextualização

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E

Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E 20 de Setembro, de 2010 TRANSPORTES EM FOCO Setembro de 2010 Transporte aéreo de passageiros em e na / Transporte Aéreo de Passageiros em quebra generalizada na Europa E em No contexto da crise económica

Leia mais

Plano Referencial Estratégico para a Economia da RAM (PREE-RAM), no horizonte de 2020

Plano Referencial Estratégico para a Economia da RAM (PREE-RAM), no horizonte de 2020 Plano Referencial Estratégico para a Economia da RAM (PREE-RAM), no horizonte de 2020 RELATÓRIO FINAL DOSSIER DE PROPOSTA Abril de 2014 DA R AM ( PR E E-R AM), N O HORIZ ONTE D E 20 20 - Relatór io Final

Leia mais

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006

O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 O TURISMO NO ESPAÇO RURAL 2006 Elaborado por: Ana Paula Gomes Bandeira Coordenado por: Teresinha Duarte Direcção de Serviços de Estudos e Estratégia Turísticos Divisão de Recolha e Análise Estatística

Leia mais

A atual oferta de financiamento

A atual oferta de financiamento Ciclo de Conferências CIP Crescimento Económico: Diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Nuno Amado 28.nov.14 Centro de Congressos de Lisboa 5 Mitos sobre o financiamento

Leia mais

A Carteira de Indicadores inclui indicadores de input, de output e de enquadramento macroeconómico.

A Carteira de Indicadores inclui indicadores de input, de output e de enquadramento macroeconómico. Síntese APRESENTAÇÃO O Relatório da Competitividade é elaborado anualmente, com o objectivo de monitorizar a evolução de um conjunto de indicadores ( Carteira de Indicadores ) em Portugal e a sua comparação

Leia mais

ROTAS AÉREAS PARA O PORTO. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março

ROTAS AÉREAS PARA O PORTO. Verão 2011. Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo. Março ROTAS AÉREAS PARA O PORTO Verão 2011 Principais oportunidades para hoteleiros e prestadores de serviços de turismo Março Sumário Oportunidades Reino Unido Londres Alemanha Centro-Oeste e Sul Espanha Madrid

Leia mais

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego

O âmbito geográfico deste estudo é Portugal continental e as regiões autónomas da Madeira e dos Açores. Saidas. Entradas. Mudanças de emprego Mobilidade dos Trabalhadores ESTATÍSTICAS STICAS em síntese O presente estudo baseia-se nas informações que integram a base do Sistema de Informação Longitudinal de Empresas, Estabelecimentos e Trabalhadores

Leia mais

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR

'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 'DWD 7HPD $FRQWHFLPHQWR 22/01 Economia 25/01 Comércio Internacional 26/01 Taxas de Juro 29/01 Economia 31/01 Desemprego 31/01 Investimento Banco de Portugal divulgou Boletim Estatístico Janeiro 2007 http://epp.eurostat.ec.europa.eu/pls/portal/docs/page/pgp_prd_cat_prerel/pge_cat_prerel_year_2007/pge_

Leia mais

Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1

Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1 Número de Alunos Formação e Tendências de Mercado da Formação Graduada e Pós graduada 1 Susana Justo, Diretora Geral da Qmetrics 1. Formação em ensino superior, graduada e pós graduada. Em Portugal continua

Leia mais

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa?

Porque é que o Turismo. é essencial para a Economia Portuguesa? Porque é que o Turismo é essencial para a Economia Portuguesa? 14 milhões de hóspedes Vindos do Reino Unido, Alemanha, Espanha, França, Brasil, EUA Num leque de países que alarga ano após ano. 9,2 % do

Leia mais

Internacionalização Empresarial e Atração de Investimento. Valença, 12 de Julho de 2012

Internacionalização Empresarial e Atração de Investimento. Valença, 12 de Julho de 2012 Internacionalização Empresarial e Atração de Investimento Valença, 12 de Julho de 2012 A aicep Portugal Global A aicep Portugal Global aicep Portugal Global missão é: é uma agência pública de natureza

Leia mais

Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido?

Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido? PT Pedi asilo na UE Que país vai processar o meu pedido? A Informações sobre o Regulamento de Dublim destinadas aos requerentes de proteção internacional, em conformidade com o artigo 4.º do Regulamento

Leia mais

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015

Internacionalização. Países lusófonos - Survey. Janeiro de 2015 Internacionalização Países lusófonos - Survey Janeiro de 2015 1 Índice 1. Iniciativa Lusofonia Económica 2. Survey Caracterização das empresas participantes 3. Empresas não exportadoras 4. Empresas exportadoras

Leia mais

Plano Estratégico de Desenvolvimento da Ilha Terceira

Plano Estratégico de Desenvolvimento da Ilha Terceira Plano Estratégico de Desenvolvimento da Ilha Terceira AGESPI Associação para a Gestão do Parque Industrial da Ilha Terceira FASE 1 Diagnóstico e Concepção da Estratégia de Desenvolvimento Junho de 2013

Leia mais

Inovação. Chave de Competitividade. ES Research - Research Sectorial

Inovação. Chave de Competitividade. ES Research - Research Sectorial Inovação Chave de Competitividade Luís Ribeiro Rosa ES Research - Research Sectorial 22 de Novembro de 2009 Inovação - Uma chave de um novo contexto Especificidades da economia portuguesa Inovação - A

Leia mais