Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise"

Transcrição

1 Como o Departamento Jurídico pode Auxiliar a Empresa em Tempos de Crise 1

2 Artes Médicas Artmed Grupo A Expandiu seus negócios para o ramo da educação Adaptou-se às mudanças do mercado Transformou-se e cresceu por meio do empreendedorismo e da administração Caso de sucesso em tempos de crise 2

3 Produto Mercado Competência Utilização adequada de recursos Todos componentes da administração 3

4 Orçamento Ajustado Pouco espaço para melhorias Instabilidade e desconfiança Medo do futuro Insatisfação 4

5 Melhor utilização de recursos Prosperidade Gestão mais eficaz dos riscos Melhora no clima e na comunicação interna Aumento da previsibilidade, um dos maiores perigos para empresas em crise 5

6 Termos como executivos do Direito ou Advogado Executivo estão cada vez mais presentes Capacidade para administrar em todos os níveis Conhecer Governança Corporativa, budget, plano de ação, Compliance, etc. Advogado empresarial precisa utilizar recursos administrativos 6

7 Pode ser entendido de duas formas: Sentido estrito: controle anticorrupção, código de ética, comissão investigativa Sentido amplo: adequação de uma ação a um determinado procedimento preestabelecido Em sentido amplo, o Compliance não limita-se ao controle anticorrupção, mas volta-se para a estratégia e visa o equilíbrio entre o desempenho e conformidade 7

8 Origina-se do termo To comply, que significa cumprir, realizar o que foi imposto Prevenção em tempo real e fiscalização de procedimentos internos É um componente do GRC: Governança, gestão de Riscos e Compliance 8

9 Governança: assume Gestão de Riscos: Detecta e administra; Compliance : Transforma em riscos calculados Governança Gestão de Riscos Riscos Compliance 9

10 Caso aprovada, as contratantes deverão fiscalizar o cumprimento dos direitos trabalhistas e previdenciários pelas contratadas, sob pena de responsabilidade solidária As contratadas deverão oferecer garantia de 4% do valor do contrato Os empregados das contratadas deverão ter acesso ao restaurante e transporte da contratante Contratadas devem recolher antecipadamente parte dos tributos 10

11 Questões que serão respondidas com o Compliance: Há um procedimento padrão para contratação de terceiros? O procedimento prevê a utilização de um contrato padrão da empresa? O contrato padrão foi utilizado? Houve análise e sugestão de mudanças pelo Jurídico? As solicitações foram aceitas? Qual o risco da negativa de alguma destas solicitações? A prestadora é economicamente sólida? É possível fiscalizar os pagamentos dos direitos trabalhistas e previdenciários?. Quais os motivos por não seguir este procedimento? Quais os riscos? Qual o plano de ação para que seja seguido? 11

12 Comunicação: ações de conscientização e canal de ética Treinamentos: Adequação das ações aos procedimentos Verificação e solução de conflitos: canal de ética auxilia na identificação de conflitos Monitoramento constante da legislação: Evita novos riscos imprevistos Comitê e Código de Ética 12

13 Recebe, investiga e delibera sobre as denúncias recebidas Desenvolve políticas para a promoção da ética Divulga, treina e orienta a aplicação das regras Atualiza as políticas e procedimentos Apresenta os indicadores 13

14 Conjunto de políticas, diretrizes e procedimentos consolidados em um manual. Processos de admissão e demissão Desenvolvimento profissional Lealdade Saúde e segurança do trabalho Consciência ambiental Cada empresa cria seu Código baseado em seus valores, princípios e legislação aplicável 14

15 Quantidade de desconformidades número de denúncias feitas x solucionadas tipos de denúncia mais comuns Treinamentos Avaliação do nível de aceitação do programa na empresa redução das ações cíveis/trabalhistas 15

16 Demonstrar comprometimento ao mercado da melhoria de seus processos Preservar sua imagem perante acionistas e sociedade Prevenir fraudes, erros e multas Aumentar a previsibilidade dos atos da empresa e suas consequências Criar planos de ação e melhorias constantes Melhorar a comunicação interna Reduzir ações, especialmente trabalhistas Melhorar o clima organizacional Auxiliar na gestão de pessoas 16

17 Coibir e combater a corrupção, suborno e lavagem de dinheiro Objetivos Principal alteração da lei A quem se aplica Alguns atos coibidos Contar com uma legislação anticorrupção em padrões internacionais Responsabilização objetiva de pessoas jurídicas pela prática de atos de corrupção. Pessoas jurídicas e físicas, mas a responsabilização objetiva somente às Jurídicas Oferecer ou dar vantagem indevida a agente público ou relacionados; Sanções administrativas Frustrar, fraudar, impedir Licitações; Multa: Entre 0,1% e 20% do faturamento bruto do ano anterior à investigação ou R$ 6.000,00 a R$ ,00; Reparação integral do dano causado; Publicação da decisão condenatória e inclusão nas listas nacionais de empresas corruptas; Restrição aos direitos de contratar com o setor público; Perdimento de bens, direitos ou valores; Suspensão ou interdição parcial de suas atividades; Sanções judiciais Dissolução compulsória da pessoa jurídica; e, Proibição de receber incentivos, subsídios, subvenções, doações ou empréstimos de órgãos públicos. 17

18 A existência do Compliance será levada em consideração na aplicação das sanções. Deve-se estabelecer uma área de compliance com autonomia Criar mecanismos para evitar desvios de conduta Aprimorar controles internos Implementar mecanismos de fiscalização interna 18

19 O Compliance detecta conflitos internos por meio de denúncias no canal de ética Conflitos entre departamentos, diretores, acionistas, etc. A Mediação pode ser utilizada para solucionar estes conflitos Solução eficaz, porém, pouco utilizada atualmente As soluções dos conflitos criam conscientização e respeito entre colaboradores e melhoram a empresa 19

20 A administração é vital para o sucesso da empresa e os advogados corporativos precisam utilizá-la O Compliance é uma melhoria com baixo custo e que impacta em diversos fatores importantes para as empresas O Compliance não necessita limitar-se aos controles anticorrupção Transforma os riscos em riscos calculados, melhora a comunicação, detecta conflitos, reduz sanções e penalidades Cria códigos de conduta e fiscaliza sua utilização Melhora a previsibilidade das consequências dos atos da empresa 20

21 Tiago Alegretti Departamento Jurídico Grupo A 21

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance 1 Objetivo O objetivo desta Política é estabelecer diretrizes e procedimentos que assegurem o cumprimento das normas de Compliance definidas pelo Grupo VEOLIA e, que essas normas

Leia mais

Prof. Dr. Marco Aurélio Florêncio Filho

Prof. Dr. Marco Aurélio Florêncio Filho III SUMMER SCHOOL EM DEMOCRACIA E DESENVOLVIMENTO JULHO DE 2017 SIENA, ITÁLIA CRIMINAL COMPLIANCE Prof. Dr. Marco Aurélio Florêncio Filho Compliance é um conceito oriundo da Economia, introduzido no Direito

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E À FRAUDE

POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E À FRAUDE POLÍTICA DE PREVENÇÃO E COMBATE À CORRUPÇÃO E À FRAUDE 11/08/2017 INFORMAÇÃO PÚBLICA SUMÁRIO 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIAS... 3 4 CONCEITOS... 4 5 DIRETRIZES... 5 6 ORIENTAÇÕES GERAIS...

Leia mais

Implemente na sua empresa o programa de conformidade e ética corporativa.

Implemente na sua empresa o programa de conformidade e ética corporativa. Implemente na sua empresa o programa de conformidade e ética corporativa. 1Por que implementar o programa de Compliance? RESPONSABILIZAÇÃO SÓCIOS RESPONSABILIZAÇÃO ATO ILÍCITO GESTORES ADMINISTRADORES

Leia mais

Integridade nos negócios e lei anticorrupção brasileira. Esta apresentação não deve ser considerada qualquer modo de aconselhamento jurídico.

Integridade nos negócios e lei anticorrupção brasileira. Esta apresentação não deve ser considerada qualquer modo de aconselhamento jurídico. Integridade nos negócios e lei anticorrupção brasileira Esta apresentação não deve ser considerada qualquer modo de aconselhamento jurídico. Pauta O que precisamos saber sobre corrupção no Brasil Principais

Leia mais

Política de Prevenção à. Corrupção

Política de Prevenção à. Corrupção Política de Prevenção à Corrupção Versão atualizada 22.04.2015 Page 1 of 5 1. OBJETIVOS A Política de Prevenção à Corrupção ( Política ) tem o objetivo de estabelecer as diretrizes para detectar e sanar

Leia mais

AS ESTRATÉGIAS DE COMPLIANCE E IMPORTÂNCIA PARA A EMPRESA. Advª. Cláudia Bressler

AS ESTRATÉGIAS DE COMPLIANCE E IMPORTÂNCIA PARA A EMPRESA. Advª. Cláudia Bressler AS ESTRATÉGIAS DE COMPLIANCE E IMPORTÂNCIA PARA A EMPRESA Advª. Cláudia Bressler Origem Supervisão ineficiente; Falhas de monitoramento; Falta de controle; e Ausência de ações éticas estiveram relacionadas

Leia mais

PROGRAMA DE COMPLIANCE

PROGRAMA DE COMPLIANCE PROGRAMA DE COMPLIANCE VERSÃO 1.0 SETEMBRO/2016 1. NOME DO PROGRAMA Programa de Compliance criado em 30.09.2015 2. OBJETIVO Mitigar os riscos das operações e os negócios atuais e futuros, sempre em conformidade

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Normativo Interno Nº Páginas 12 (Doze) Caráter Data da Aprovação Promotor: Aprovado por: Política de Responsabilidade Socioambiental 30/09/2.015 Departamento

Leia mais

Perfil Gestão da Ética e Compliance

Perfil Gestão da Ética e Compliance Perfil Gestão da Ética e Compliance 05 Além de reforçar um de nossos mais importantes valores corporativos, a gestão da ética consolida nossa integridade e transparência na condução dos negócios e nosso

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental Criação: junho/2015 Page 1 of 5 1. OBJETIVOS A Política de Responsabilidade Socioambiental ( PRSA ou Política ) tem o objetivo de estabelecer os princípios,

Leia mais

RIV-02 Data da publicação: 02/jun/2017

RIV-02 Data da publicação: 02/jun/2017 Resumo Descreve os componentes do SCI Sistema de Controles Internos da Riviera Investimentos e estabelece as responsabilidades e procedimentos para a sua gestão. Sumário 1. Objetivo...2 2. Público-alvo...2

Leia mais

Responsabilização Administrativa de Pessoas Jurídicas A Lei nº /2013

Responsabilização Administrativa de Pessoas Jurídicas A Lei nº /2013 Belo Horizonte 16 de março de 2017 Responsabilização Administrativa de Pessoas Jurídicas A Lei nº 12.846/2013 Seminário de Procuradores, Controladores e Ouvidores Municipais Roteiro A Lei nº 12.846/2013

Leia mais

A Função de Compliance na Banca Comercial Objetivos Gerais: Já faz algum tempo que as Auditorias das organizações expandiram muito o escopo de seus trabalhos e a complexidade das suas atividades e, como

Leia mais

O PAPEL E AS RESPONSABILIDADES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA

O PAPEL E AS RESPONSABILIDADES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA O PAPEL E AS RESPONSABILIDADES DOS ÓRGÃOS ESTATUTÁRIOS NA GOVERNANÇA O Papel e as Responsabilidades dos Órgãos Estatutários na Governança Compliance Auditoria Interna Controles Internos CGPC nº 13/2004

Leia mais

Programa de Compliance

Programa de Compliance Programa de Compliance O que é compliance? Origem: to comply, tradução aproximada: conformidade Em poucas palavras significa observar determinadas normas ou comportar-se de forma a não perturbar a ordem

Leia mais

Audit Advisory Outsourcing Tax

Audit Advisory Outsourcing Tax Audit Advisory Outsourcing Tax LEI ANTICORRUPÇÃO 12.846/13 AS IMPLICAÇÕES DA LEI PARA AS EMPRESAS Sumário Quem somos Objetivos Introdução Lei 12.846/13 Compliance Benefícios Contato Quem somos O Grupo

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL DO BANCO DA AMAZÔNIA A Socioambiental (PRSA) substitui a Política Corporativa pela Sustentabilidade (2011), e incorpora a contribuição das partes interessadas

Leia mais

Nome proposta. Canal de denúncias e monitoramento ativo Cassiano Machado. Data. Sistema de Compliance DATA 30/07/2015

Nome proposta. Canal de denúncias e monitoramento ativo Cassiano Machado. Data. Sistema de Compliance DATA 30/07/2015 Canal de denúncias e monitoramento ativo Cassiano Machado Nome proposta Sistema de Compliance Data DATA 30/07/2015 Impulso da lei anticorrupção 12.846/13 ATENUANTES NA APLICAÇÃO DAS SANÇÕES ACORDO DE LENIÊNCIA

Leia mais

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade...

POLÍTICA ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS ÍNDICE. 1. Objetivo...2. 2. Abrangência...2. 3. Definições...2. 4. Diretrizes...3. 5. Materialidade... ENGAJAMENTO DE STAKEHOLDERS Folha 1/8 ÍNDICE 1. Objetivo...2 2. Abrangência...2 3. Definições...2 4. Diretrizes...3 5. Materialidade...7 Folha 2/8 1. Objetivos 1. Estabelecer as diretrizes que devem orientar

Leia mais

Lei nº /13. Decreto nº 8.420/15. Regulamentação Federal

Lei nº /13. Decreto nº 8.420/15. Regulamentação Federal Lei nº 12.846/13 Decreto nº 8.420/15 Regulamentação Federal ESTRUTURA DO DECRETO 1 Aspectos Gerais 2 4 3 Sanções Multa: Regras para o Cálculo Acordo de Leniência Programa de Integridade (Compliance) 5

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE LOGÍSTICA DE SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 12/06/2017 Sumário 1 Objetivo... 3 2 Referências... 3 3 Princípios... 3 4 Diretrizes... 3 5 Responsabilidades... 7 6 Disposições

Leia mais

CÓDIGO DE CONDUTA. No relacionamento com colegas e outros Profissionais, cada Profissional deverá:

CÓDIGO DE CONDUTA. No relacionamento com colegas e outros Profissionais, cada Profissional deverá: CÓDIGO DE CONDUTA Introdução Este Código define as regras de conduta aos quais os Sócios, os Diretores, bem como todos os funcionários da AGROFEL Agro Comercial Ltda, e terceiros, que ajam em seu interesse

Leia mais

POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE LOGÍSTICA E SUPRIMENTOS DAS EMPRESAS ELETROBRAS Versão 2.0 Aprovada por meio da RES nº 261/2017, de 19/09/2017 Deliberação nº 075/2017, de 05/10/2017 Sumário 1. Objetivo... 3 2. Referências...

Leia mais

Ética, Governança e Compliance. Marcelo Coimbra

Ética, Governança e Compliance. Marcelo Coimbra Ética, Governança e Compliance Marcelo Coimbra Ética Empresarial A ética empresarial é o conjunto de valores que regem uma empresa e formam uma filosofia organizacional. Essa filosofia possui princípios

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Página 1 de 6 Introdução O da Rotta Paletes busca o compromisso de alcançar seus objetivos empresariais com visão sempre na responsabilidade social, valorização do seu relacionamento com clientes, fornecedores

Leia mais

Aspectos relevantes de Compliance e a nova legislação Anticorrupção

Aspectos relevantes de Compliance e a nova legislação Anticorrupção Aspectos relevantes de Compliance e a nova legislação Anticorrupção Compliance O que é Compliance? = Cumprimento de Leis e normas (internas) Ampliação da Regulação Facilidade de controle (tecnologia) Penalidades

Leia mais

Implementação da Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA)

Implementação da Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) Implementação da Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA) 20 de julho de 2015 Ref: Resolução BC nº 4327/14 1. ABRANGÊNCIA Esta política orienta o comportamento da Tática S/A D.T.V.M., que pautado

Leia mais

Avaliação socioambiental de fornecedores

Avaliação socioambiental de fornecedores Avaliação socioambiental de fornecedores IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA Razão Social: CNPJ: Material/serviço que fornece: Responsável pelas informações: Cargo: Telefone: E-mail: Questionário Gostaríamos de conhecer

Leia mais

POLÍTICA DE COMBATE À CORRUPÇÃO ARIA CAPITAL ASSET ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA

POLÍTICA DE COMBATE À CORRUPÇÃO ARIA CAPITAL ASSET ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA POLÍTICA DE COMBATE À CORRUPÇÃO ARIA CAPITAL ASSET ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS LTDA JUNHO / 2016 A presente política é de propriedade da Aria Capital Asset, sendo proibida sua reprodução, total ou parcial,

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental - (PRSA) Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA).

Política de Responsabilidade Socioambiental - (PRSA) Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA). Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA). Versão 2.0 Fevereiro/2016 1 Histórico de Alterações Versão Data Responsável Alterações/Observações 1.0 Julho/15 2.0 Fevereiro/16 Jeniffer Caroline Rugik

Leia mais

CRIMINALIZAÇÃO DO TERCEIRO SETOR. 23 de junho de 2016 Por: Mariana Nogueira Michelotto - OAB/PR

CRIMINALIZAÇÃO DO TERCEIRO SETOR. 23 de junho de 2016 Por: Mariana Nogueira Michelotto - OAB/PR CRIMINALIZAÇÃO DO TERCEIRO SETOR 23 de junho de 2016 Por: Mariana Nogueira Michelotto - OAB/PR 65.829 APROPRIAÇÃO INDÉBITA PREVIDENCIÁRIA Art. 168-A. Deixar de repassar à previdência social as contribuições

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA Atualizado em 12/04/2015 1 PROGRAMA DE ÉTICA E COMPLIANCE DA VISIONA A Visiona busca assegurar o mais alto nível de integridade e ética em suas atividades. Para tanto, estabeleceu

Leia mais

SGI 20 Programa de Integridade

SGI 20 Programa de Integridade SGI 20 Programa de Integridade Controle de Revisão Revisão Data Alteração Responsável 00 N/A Elaboração da Sistemática Ivo Neves 01 20/10/2016 Revisão Geral do Documento Ivo Neves Revisão: Pedro Monteiro

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL CREDITÁ S.A. Crédito, Financiamento e Investimento SUMÁRIO 1. Propósito 2. Abrangência 3. Política 3.1 Princípios Fundamentais 3.2 Diretrizes Socioambientais

Leia mais

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016

MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 MANUAL DE POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO DA PILARESO GESTORA DE RECURSOS LTDA. 02 DE MARÇO DE 2016 ÍNDICE GERAL 1. INTRODUÇÃO... 2 2. APLICAÇÃO... 2 3. DISPOSIÇÕES GERAIS... 2 3.1 DISPOSIÇÕES INICIAIS...

Leia mais

Diretrizes e Política de Prevenção Contra Fraudes Organização CAPEMISA SEGURADORA DE VIDA E PREVIDÊNCIA S/A (CNPJ: 08.602.

Diretrizes e Política de Prevenção Contra Fraudes Organização CAPEMISA SEGURADORA DE VIDA E PREVIDÊNCIA S/A (CNPJ: 08.602. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 06/2008 DE 27 DE MAIO DE 2008 O Conselho de Administração, com base no Art. 17 do Estatuto da CAPEMISA Seguradora de Vida e Previdência S/A, em reunião do dia 27

Leia mais

Comércio Exterior: Interposição Fraudulenta e Regime Aduaneiro Especial de Drawback

Comércio Exterior: Interposição Fraudulenta e Regime Aduaneiro Especial de Drawback Comércio Exterior: Interposição Fraudulenta e Regime Aduaneiro Especial de Drawback Liziane Angelotti Meira AUDITORA FISCAL SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL COSIT/DIVISÃO DE TRIBUTOS SOBRE O COMÉRCIO

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO E COMBATE À CORRUPÇÃO > VERSÃO 2 / 8 1. INTRODUÇÃO A Política de Prevenção à Lavagem de Dinheiro e Combate à Corrupção ( Política ) visa promover a adequação

Leia mais

As seguintes práticas são consideradas rigorosamente contrárias aos princípios do código de ética:

As seguintes práticas são consideradas rigorosamente contrárias aos princípios do código de ética: CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DO ESPORTE CLUBE VITÓRIA I. RAZÕES A gestão adequada de uma instituição esportiva como o Esporte Clube Vitória requer o estabelecimento de mecanismos para assegurar que os objetivos

Leia mais

Manual de Combate ao Suborno e Corrupção

Manual de Combate ao Suborno e Corrupção Manual de Combate ao Suborno e Corrupção Este Manual destina-se à administração, colaboradores, associados, fornecedores, parceiros estratégicos e clientes. Deve ser de conhecimento público e adoção mandatória.

Leia mais

MODELAGENS. Modelagem Estratégica

MODELAGENS. Modelagem Estratégica Material adicional: MODELAGENS livro Modelagem de Negócio... Modelagem Estratégica A modelagem estratégica destina-se à compreensão do cenário empresarial desde o entendimento da razão de ser da organização

Leia mais

SEATEK PORTFÓLIO SEATEK ANALÍTICA

SEATEK PORTFÓLIO SEATEK ANALÍTICA EATEK PORTFÓLIO SEATEK ANALÍTICA Quem Somos? A SEATEK ANALÍTICA LTDA é uma empresa de prestação de serviços na área de instrumentação com profissionais qualificados para executar serviços de assistência

Leia mais

Cultura Ética. Deives Rezende Filho Superintendência de Ética e Ombudsman

Cultura Ética. Deives Rezende Filho Superintendência de Ética e Ombudsman Cultura Ética Deives Rezende Filho Superintendência de Ética e Ombudsman 1 18 maio 2011 Ética e Ombudsman Missão: Promover um ambiente institucional íntegro, orientando os colaboradores a cultivar o respeito

Leia mais

Instrumento Normativo Mandatório Política Norma Procedimento. Impacta Matriz de Risco Não se aplica Sim (Controle de Referencia: )

Instrumento Normativo Mandatório Política Norma Procedimento. Impacta Matriz de Risco Não se aplica Sim (Controle de Referencia: ) Classificação 001 GRO Políticas da Organização Risco Operacional Título 001 Política de Gerenciamento de Risco Operacional Responsáveis Diretoria Diretoria Executiva Superintendência Responsável Salim

Leia mais

Os benefícios da advocacia preventiva nas rotinas trabalhistas

Os benefícios da advocacia preventiva nas rotinas trabalhistas Os benefícios da advocacia preventiva nas rotinas trabalhistas Introdução O dinamismo do mundo corporativo, a complexidade de fatores administrativos, as contratação e demissões de funcionários, a relação

Leia mais

CERTIFICAÇÃO. Sistema de Gestão

CERTIFICAÇÃO. Sistema de Gestão CERTIFICAÇÃO Sistema de Gestão A Sociedade Central de Cervejas e Bebidas (SCC) tem implementados e certificados os Sistemas de Gestão da Qualidade, Segurança Alimentar e Ambiente, em alinhamento com as

Leia mais

Política de Compliance

Política de Compliance Política de Compliance Junho 2017 POLÍTICA DE COMPLIANCE 1. OBJETIVO Esta Política estabelece princípios, diretrizes e funções de compliance em todos os níveis da FALCONI Consultores de Resultados, bem

Leia mais

Política de Controle a Potenciais Conflitos de Interesse - Research Código da circular: BA-51 Data da publicação: 03/01/2017

Política de Controle a Potenciais Conflitos de Interesse - Research Código da circular: BA-51 Data da publicação: 03/01/2017 Resumo Descritivo Dispõe sobre os principais conflitos de interesse nas atividades da área de Research da Itaú Corretora Valores Mobiliários S.A. (Itaú Corretora). Índice 1. Objetivo 2. Público Alvo 3.

Leia mais

Relevância das Práticas de Compliance diante da Lei Anticorrupção Brasileira. Gustavo Nascimento Fiuza Vecchietti

Relevância das Práticas de Compliance diante da Lei Anticorrupção Brasileira. Gustavo Nascimento Fiuza Vecchietti Relevância das Práticas de Compliance diante da Lei Anticorrupção Brasileira Gustavo Nascimento Fiuza Vecchietti INTRODUÇÃO CORRUPÇÃO fato social CF/1988 amplia os direitos e obrigações tanto do Estado

Leia mais

Procedimento Geral. Denominação: Procedimento Geral de Comunicação Interna e Externa. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016.

Procedimento Geral. Denominação: Procedimento Geral de Comunicação Interna e Externa. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016. Denominação: Procedimento de Comunicação Interna e Externa Dono do Processo: Tipo do Doc. Emissão: 29/10/2014 Revisão : 14/11/2016 Empresa Área Numero Rev: 01 Controle de alterações Revisão Data Local

Leia mais

Due Diligence de Integridade. Ética e integridade nos negócios

Due Diligence de Integridade. Ética e integridade nos negócios Due Diligence de Integridade Ética e integridade nos negócios O que é Due Diligence de Integridade (DDI)? O QUE É DUE DILIGENCE DE INTEGRIDADE (DDI)? É um procedimento que visa conhecer e avaliar os riscos

Leia mais

POLÍTICA DE ANTICORRUPÇÃO E SUBORNO

POLÍTICA DE ANTICORRUPÇÃO E SUBORNO POLÍTICA DE ANTICORRUPÇÃO E SUBORNO 1. OBJETIVO Estabelecer os princípios de combate à corrupção no relacionamento da Cantoplex com seus Fornecedores, Clientes e Órgãos Públicos. 2. ABRANGÊNCIA Aplica-se

Leia mais

Política de Investimentos Pessoais BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA

Política de Investimentos Pessoais BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA Política de Investimentos Pessoais BAHIA AM RENDA VARIÁVEL LTDA 1. OBJETIVO:... 2 2. CONCEITUAÇÃO / DEFINIÇÃO:... 2 3. ABRANGÊNCIA/ÁREAS ENVOLVIDAS:... 2 4. RESPONSABILIDADES:... 2 04.01. Responsáveis

Leia mais

QUESTIONÁRIO AVALIATIVO

QUESTIONÁRIO AVALIATIVO QUESTIONÁRIO AVALIATIVO * Legenda: - Medidas Obrigatórias (29) - Medidas Desejáveis (36) MEDIDAS DE ÉTICA E CONDUTA 1 - A empresa se encontra em situação regular com a Fazenda Federal? 2 - A empresa se

Leia mais

GRC e Continuidade de Negócios. Claudio Basso

GRC e Continuidade de Negócios. Claudio Basso GRC e Continuidade de Negócios Claudio Basso claudio.basso@sionpc.com.br Governança um atributo de administração dos negócios que procura criar um nível adequado de transparência através da definição clara

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO (LEI Nº /2013)

LEI ANTICORRUPÇÃO (LEI Nº /2013) LEI ANTICORRUPÇÃO (LEI Nº 12.846/2013) Uma visão do controle externo BENJAMIN ZYMLER E LAUREANO CANABARRO DIOS Autores Área específica Direito Administrativo Áreas afins Direito Público A Lei Anticorrupção

Leia mais

#pública BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção

#pública BB SEGURIDADE Política de Prevenção e Combate à Lavagem de Dinheiro, ao Financiamento do Terrorismo e à Corrupção 1 Área responsável pelo assunto 1.1 Diretoria de Governança, Risco e Compliance. 2 Abrangência 2.1 Esta Política aplica-se à BB Seguridade Participações S.A. ( BB Seguridade ou Companhia ) e suas subsidiárias

Leia mais

ÉTICA E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL MÓDULO 12

ÉTICA E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL MÓDULO 12 ÉTICA E LEGISLAÇÃO PROFISSIONAL MÓDULO 12 Índice 1. Códigos de Ética Profissional e Empresarial - Continuação..3 1.1. A Responsabilidade Social... 3 1.2. O Direito Autoral... 4 2 1. CÓDIGOS DE ÉTICA PROFISSIONAL

Leia mais

1 Código de Conduta do Fornecedor

1 Código de Conduta do Fornecedor 1 Código de Conduta do Fornecedor 2 Código de Conduta do Fornecedor Índice 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS...03 2. DIRETRIZES...03 2.1. QUANTO À INTEGRIDADE NOS NEGÓCIOS...03 2.2. QUANTO À CORRUPÇÃO... 04 2.3.

Leia mais

A implementação do Compliance na Empresa. Luciana Carvalho de Souza Agosto de 2017

A implementação do Compliance na Empresa. Luciana Carvalho de Souza Agosto de 2017 A implementação do na Empresa Luciana Carvalho de Souza ANEFAC/RJ Agosto de 2017 Agenda Papel de compliance Foco de atuação Exemplos de programas e o que considerar na implementação Benefícios/impactos

Leia mais

Política Anticorrupção

Política Anticorrupção Política Anticorrupção 1. OBJETIVO 1.1. Estabelecer diretrizes e orientações para o desenvolvimento e manutenção de práticas de prevenção, monitoramento e combate à corrupção, a serem observadas na condução

Leia mais

Política Anticorrupção

Política Anticorrupção 1 de 8 1. PROPÓSITO DESTA POLÍTICA A Highline do Brasil Infraestrutura de Telecomunicações S.A faz parte de um grupo empresarial que conduz seus negócios de forma ética e em estrito cumprimento com as

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DO GRUPO MRV

POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DO GRUPO MRV POLÍTICA DE GESTÃO DE RISCOS DO GRUPO MRV SUMÁRIO 1 Objetivo... 2 2 Abrangência... 2 3 Conceitos... 2 4 Tipologias de Risco... 3 5 Responsabilidades... 4 5.1 Conselho de Administração... 4 5.2 Comitê de

Leia mais

ISO Sistemas de gestão antissuborno

ISO Sistemas de gestão antissuborno ISO 37001 ISO 37001 Sistemas de gestão antissuborno ISO 37001 Suborno é um dos problemas mais destrutivos e complexos de nossa época e, apesar dos esforços em âmbito nacional e internacional para combatê-lo,

Leia mais

ÍNDICE. 01 Introdução 02 Apresentação 03 Lei Anticorrupção 04 Medidas do Programa Anticorrupção

ÍNDICE. 01 Introdução 02 Apresentação 03 Lei Anticorrupção 04 Medidas do Programa Anticorrupção ÍNDICE 01 Introdução 02 Apresentação 03 Lei Anticorrupção 04 Medidas do Programa Anticorrupção INTRODUÇÃO Fora introduzido no Sistema Jurídico Brasileiro a Lei Federal 12.846/2013, denominada Lei Anticorrupção,

Leia mais

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis

EUS CTIS END USER SUPPORT. case eus ctis 01 EUS CTIS END USER SUPPORT case eus ctis 01 TELESSERVIÇOS/TELEMARKETING Prestação de telesserviços (telemarketing) no atendimento e suporte operacional e tecnológico aos produtos, serviços e sistemas

Leia mais

Aspectos relevantes de Compliance e a nova legislação Anticorrupção. Guilherme Roxo

Aspectos relevantes de Compliance e a nova legislação Anticorrupção. Guilherme Roxo Aspectos relevantes de Compliance e a nova legislação Anticorrupção Guilherme Roxo Compliance O queé Compliance? = Cumprimentode Leis e normas (internas) Ampliação da Regulação Ampliação da Regulação Facilidade

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15

POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15 POLÍTICA DE COMPLIANCE, GESTÃO DE RISCOS E CUMPRIMENTO DA INSTRUÇÃO CVM n 558/15 MOSAICO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CNPJ 16.954.358/0001-93 SOMENTE PARA USO INTERNO Controle de Versões Versão 1.0

Leia mais

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016

Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 Política de Controles Internos Código: MSFC-P-004 Versão: 05 Emissão: 10/2011 Última Atualização em: 02/2016 OBJETIVO Garantir a aplicação dos princípios e boas práticas da Governança Corporativa, e que

Leia mais

CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO

CLÁUSULA PRIMEIRA DO OBJETO CONTRATO ADMINISTRATIVO PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA CONSTRUÇÃO DE ALAMBRADO NO ASILO BETEL, QUE ENTRE SI FAZEM O MUNICÍPIO DE CASTILHO e a empresa A. a Z. COMÉRCIO, REPRESENTAÇÃO E SERVIÇOS

Leia mais

MEDIAÇÃO CORPORATIVA. Porque e Como Utilizar a Mediação na Solução de Conflitos Corporativos. 23 de Maio 2013 CRA-SP GEMA

MEDIAÇÃO CORPORATIVA. Porque e Como Utilizar a Mediação na Solução de Conflitos Corporativos. 23 de Maio 2013 CRA-SP GEMA MEDIAÇÃO CORPORATIVA Porque e Como Utilizar a Mediação na Solução de Conflitos Corporativos 23 de Maio 2013 CRA-SP GEMA GESTÃO DE CONFLITOS É ESTRATÉGIA PARA RELAÇÕES PRODUTIVAS CONFLITO - ESCALADA Litígio

Leia mais

CONTRATO DE CREDENCIAMENTO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA

CONTRATO DE CREDENCIAMENTO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA CONTRATO DE CREDENCIAMENTO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE ODONTOLÓGICA CONTRATO Nº Pelo presente instrumento particular de CONTRATO PARA CREDENCIAMENTO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIA

Leia mais

Política Institucional de Responsabilidade Socioambiental Mercantil do Brasil

Política Institucional de Responsabilidade Socioambiental Mercantil do Brasil Política Institucional de Responsabilidade Socioambiental Mercantil do Brasil versão 1.0 Belo Horizonte Julho - 2015 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 3 3. ESTRUTURA DE GOVERNANÇA CORPORATIVA...

Leia mais

1. DO OBJETO: Aquisição de Capachos Personalizados com ENTREGA ÚNICA conforme especificação abaixo para utilização no Prédio Sede da SEFAZ.

1. DO OBJETO: Aquisição de Capachos Personalizados com ENTREGA ÚNICA conforme especificação abaixo para utilização no Prédio Sede da SEFAZ. Código de Classificação: 13.02.01.15 TERMO DE REFERÊNCIA 1. DO OBJETO: Aquisição de Capachos Personalizados com ENTREGA ÚNICA conforme especificação abaixo para utilização no Prédio Sede da SEFAZ. 2. DA

Leia mais

MANUAL ANTICORRUPÇÃO

MANUAL ANTICORRUPÇÃO MQ.03 rev.00 Pagina 1 MANUAL ANTICORRUPÇÃO MQ.03 rev.00 Pagina 2 SUMÁRIO 1.Introdução... 3 2.Da abrangência... 3 3. Das condutas a serem observadas... 3 3.1 Vantagem indevida:... 3 3.2 Participação em

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO SOLUÇÃO OU PROBLEMA? O que é afinal terceirização?

TERCEIRIZAÇÃO SOLUÇÃO OU PROBLEMA? O que é afinal terceirização? O que é afinal terceirização? A contratação de serviços de terceiros para suas atividades meio, liberando seus gestores para dedicarem-se exclusivamente à atividade fim, qual seja, aquela que é a razão

Leia mais

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558

Manual de Regras, Procedimentos e Controles Internos Instrução CVM 558 1. Objetivo A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta ou indiretamente, ao funcionamento, à manutenção e à gestão de uma carteira

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

DIREITO ADMINISTRATIVO IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA DIREITO ADMINISTRATIVO IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA Atualizado em 04/11/2015 IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA A exigência de uma atuação moral se relaciona com o dever de probidade, ética e honestidade da Administração

Leia mais

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO

POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO POLÍTICA DE PREVENÇÃO À LAVAGEM DE DINHEIRO Sumário INTRODUÇÃO... 3 LAVAGEM DE DINHEIRO... 3 FERRAMENTAS DE COMBATE E PREVENÇÃO AOS CRIMES DE LAVAGEM DE DINHEIRO... 4 KNOW YOUR CLIENT KYC... 5 MONITORAMENTO...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA PROSYS ENGENHARIA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA PROSYS ENGENHARIA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA DA PROSYS ENGENHARIA Página 1 de 7 Código: PA05-IT01-A Data: 31/03/2016 Elaboração: Cibele de Souza (Analista Administrativo) Assinatura: Aprovação: Alexandre Zamith (Diretor

Leia mais

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5.

Conselho Regional de Enfermagem de Mato Grosso do Sul Sistema Cofen/Conselhos Regionais - Autarquia Federal criada pela Lei Nº 5. TERMO DE REFERÊNCIA 1. Objeto Prestação de serviços de seguro, para o imóvel locado para a Subseção do Conselho Regional de Enfermagem Coren/MS, localizado em Dourados/MS, bem como o acervo de bens, compreendidos

Leia mais

Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco

Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco SUMÁRIO EXECUTIVO Resumo do Regulamento de Utilização do Cartão Business Travel Bradesco. IMPORTANTE: LEIA ESTE SUMÁRIO COM ATENÇÃO

Leia mais

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável

Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Os trechos em destaque encontram-se no Glossário. Dimensão Geral Critério I - Compromissos com o Desenvolvimento Sustentável Indicador 1 - Compromisso Fundamental 1. A empresa, por meio de sua alta administração,

Leia mais

Código de Conduta de Terceiros

Código de Conduta de Terceiros Código de Conduta de Terceiros ÍNDICE APRESENTAÇÃO...4 COMPROMISSO COM A INTEGRIDADE...5 CONFORMIDADE COM LEIS E NORMAS APLICÁVEIS...6 INTOLERÂNCIA ÀS PRÁTICAS DE CORRUPÇÃO E SUBORNO...6 RESPEITO AOS

Leia mais

Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira

Seminário Nacional NTU Lei Anticorrupção e Programa de Compliance. Lélis Marcos Teixeira Seminário Nacional NTU - 2014 Lei Anticorrupção e Programa de Compliance Lélis Marcos Teixeira 28/agosto/2014 Iniciativas FETRANSPOR Lei 12.846/2013 Agenda Abertura Histórico Iniciativas Dúvidas Encerramento

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA)

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA) POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL (PRSA) Página 1 de 12 1 ASPECTOS GERAIS DA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1.1 - Princípios da Relevância e da Proporcionalidade Para o estabelecimento

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08) Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DO RISCO OPERACIONAL I. INTRODUÇÃO: O Risco Operacional pode ser entendido como a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falhas, deficiência ou inadequação de processos

Leia mais

As visões de Negócio. Analista de Negócio 3.0. Segundo Módulo: Parte 2

As visões de Negócio. Analista de Negócio 3.0. Segundo Módulo: Parte 2 Segundo Módulo: Parte 2 As visões de Negócio 1 Quais são visões de Negócio? Para conhecer o negócio o Analista de precisa ter: - Visão da Estratégia - Visão de Processos (Operação) - Visão de Valor da

Leia mais

ISO 9000 e ISO 14.000

ISO 9000 e ISO 14.000 DISCIPLINA: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PROFESSORA: ALEXSANDRA GOMES PERÍODO: 3º PERÍODO CARGA HORÁRIA: 60 HORAS ISO 9000 e ISO 14.000 ISO 9000 A expressão ISO 9000 designa um grupo de normas técnicas

Leia mais

Esta política abrange a todos os departamentos da Instituição.

Esta política abrange a todos os departamentos da Instituição. I. OBJETIVO Esta Política de Responsabilidade Socioambiental (PRSA), tem como objetivo estabelecer os princípios e as diretrizes compatíveis com a natureza e complexidade das atividades e produtos da Instituição,

Leia mais

SICOOB UNIVERSIDADE SICOOB UNIVERSIDADE PODCAST

SICOOB UNIVERSIDADE SICOOB UNIVERSIDADE PODCAST SICOOB UNIVERSIDADE SICOOB UNIVERSIDADE PODCAST A IMPORTÂNCIA ESTRATÉGICA DA CERTIFICAÇÃO DE DIRIGENTES Uma pesquisa realizada pela Hay Group, uma empresa global de consultoria de gestão, constatou que

Leia mais

A Nova Auditoria. Rogerio Zanchi. Gerente de Auditoria Interna. Grupo Votorantim

A Nova Auditoria. Rogerio Zanchi. Gerente de Auditoria Interna. Grupo Votorantim A Nova Auditoria Rogerio Zanchi Gerente de Auditoria Interna Grupo Votorantim Precisamos mudar, mas por quê? Fatores Motivadores da Transformação Conservador ou Obsoleto? Atuação e Abordagem Pessoal Sinergia

Leia mais

Anticorrupção e Compliance Empresarial

Anticorrupção e Compliance Empresarial Anticorrupção e Compliance Empresarial Convenções Internacionais Convenção Interamericana contra a Corrupção (OEA, 1996) (Brasil, 2002) Convenção da OCDE contra Suborno Transnacional (OCDE, 1997) (Brasil,

Leia mais

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz Objetivos Abrangência Diretrizes...2

Sumário. 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz Objetivos Abrangência Diretrizes...2 Rede D Or São Luiz Sumário 1. Política de Sustentabilidade da Rede D Or São Luiz...2 1.1. Objetivos...2 1.2. Abrangência...2 1.3. Diretrizes...2 Diretriz Econômica...2 Diretriz Social...3 Diretriz Ambiental...4

Leia mais

Auditorias Independentes COMPLIENCE AUDITORIAS DE 2A PARTE. em atividades aéreas

Auditorias Independentes COMPLIENCE AUDITORIAS DE 2A PARTE. em atividades aéreas AUDITORIAS DE 2A PARTE em atividades aéreas " O QUE É E COMO ATUAMOS NESTA ÁREA. O significado de complience é o de agir de acordo com uma regra, uma instrução interna, um comando ou um pedido, ou seja,

Leia mais

MUNICÍPIO DE COQUEIRO BAIXO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Município da Canção Italiana

MUNICÍPIO DE COQUEIRO BAIXO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL Município da Canção Italiana CONTRATO ADMINISTRATIVO PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LAVAÇÃO DE VEÍCULOS E AFINS Nº61/2015 O MUNICIPIO DE COQUEIRO BAIXO-RS, pessoa jurídica de direito privado, com sede na Avenida Itália, nº1660, na

Leia mais

Código de Conduta Empresarial

Código de Conduta Empresarial Código de Conduta Empresarial Prezados Colegas, A Cristal construiu uma empresa global baseada nos valores de honestidade, confiança e respeito. Estes princípios orientam nossa conduta dentro e fora de

Leia mais