Roteiro de Mobilização 8ª série ETI Atividades de Leitura Livre

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Roteiro de Mobilização 8ª série ETI Atividades de Leitura Livre"

Transcrição

1 Volta de Apresentação Caro professor, Como mobilizar jovens para dar continuidade à leitura no Game SuperAção? Bem-vindo ao SuperAção Jovem, um programa que traz uma pedagogia inovadora e eficaz para trabalhar com a juventude! O Roteiro de Mobilização 8ª série é um material de apoio ao professor que traz as orientações sobre como conduzir o reinício das atividades de leitura livre no Game SuperAção, com atividades para dar continuidade ao desenvolvimento dos jovens protagonistas como leitores. Para apoiá-los nessa nova etapa de aventuras com a leitura livre, oferecemos o Guia do Leitor Antenado volume 2. Com o Guia, os jovens são desafiados a cultivar o gosto pela leitura, além de aprender estratégias para se tornar um leitor autônomo. Este Roteiro é o primeiro de um conjunto de cinco roteiros que trarão as atividades a serem trabalhadas em cada momento do plano de curso do SuperAção Jovem nas escolas: Roteiro de Mobilização 8ª série Roteiro de Iniciativa 8ª série Roteiro de Planejamento 8ª série Roteiro de Execução e Avaliação 8ª série Roteiro de Apropriação de Resultados 8ª série Roteiro de Mobilização 8ª série ETI Atividades de Leitura Livre Com o Roteiro em mãos, você, terá um caminho seguro para levar os princípios, conceitos, métodos e as atividades do Game SuperAção aos seus alunos. Eles foram elaborados para que você possa brilhar ainda mais como professor que abraça a causa da juventude. Esta primeira etapa de mobilização é fundamental para seus alunos compreenderem que continuarão a ser os principais parceiros e interlocutores de seus professores, e dessa forma seguir combatendo os vilões que os afastam da aprendizagem e os impedem de se tornarem protagonistas 100% leitores. Você, professor, também será um aprendiz ao lado de seus alunos. Sem perder de vista as diferenças de papéis entre professor e aluno, você está sendo convidado a aprender a ser um especialista em ensinar jovens que, por sua vez, aprenderão a ser especialistas em aprender. O que o professor aprende trabalhando com os roteiros do SuperAção? Compreender e aplicar um plano de curso com foco em resultados de aprendizagem. Ler e utilizar planos de aula para promover a aprendizagem. Ser acolhedor e exigente. Fazer a gestão e o manejo da sala de aula. Avaliar o desempenho dos alunos. Desenvolver competências pessoais, relacionais, cognitivas e produtivas em favor da aprendizagem. Conhecer e valorizar seus alunos. Motivar os alunos para aprender. Estimular a participação, a colaboração e o protagonismo dos alunos. Aumentar a quantidade, frequência e qualidade da leitura entre os alunos. Ensinar a formar leitores capazes de ler por vontade própria. Ensinar estratégias para intensificar a compreensão da leitura. Negociar interesses de aprendizagem. Desenvolver competências leitoras a partir de projetos, práticas e vivências. Ensinar a usar o conhecimento para pensar e solucionar problemas reais. Ensinar a ler os textos de sua disciplina. Instituto Ayrton Senna

2 O que os alunos aprendem na etapa de Mobilização do Game SuperAção? Ser um leitor automotivado e motivante para os colegas. Conhecer e reconhecer suas motivações como leitor. Consolidar o hábito de ler por vontade própria, no tempo livre e na escola. Ler em grupo, aprendendo e colaborando com os colegas, para aprimorar suas competências leitoras. Falar e ouvir, argumentando e negociando pontos de vista e interesses. Então, vamos entender melhor o que é essa pedagogia inovadora e eficaz? Boa leitura! 1ª Reflexão O Jovem como solução O principal tema da etapa da mobilização é a causa do Programa SuperAção Jovem: acreditar que o jovem não é problema, o jovem é solução! A grande virada na qualidade da educação acontece quando jovens e professores deixam de se ver e serem vistos como problemas e começam a agir como solução! Esse é o convite do SuperAção Jovem aos professores e alunos: vamos, juntos, agir como solução e enfrentar os desafios de ser, conviver, conhecer e fazer no século 21! Essa forma positiva de encarar a juventude revela o lado luminoso dos jovens e oferece-lhes a oportunidade de reconhecer e desenvolver o potencial de cada um. Isso é fundamental no século 21. Reflita: VER SENTIR PENSAR DECIDIR AGIR Mantenha os olhos bem abertos para ver a imensa onda jovem: são mais de 35 milhões de adolescentes e jovens com idades entre 13 e 24 anos que estão transformando o país em uma nação jovem! Abra o seu coração e a sua mente para sentir o que se passa com nossos jovens! Tem muito adulto - e até alguns jovens - que encara a juventude como um problema. Chamam os jovens de alienados, consumistas, desinteressados, individualistas... Pensar assim é fechar os olhos para o que realmente acontece com os jovens e perder muitas oportunidades de aprender com eles. Faça o exercício de voltar no tempo: como você era quando jovem? Que sonhos tinha, quais eram as suas expectativas? O jovem, hoje, também tem muitas expectativas em relação ao seu futuro, afinal, ele está em um momento de busca de sua identidade e de seu projeto de vida. Viver, conviver, estudar e trabalhar no século 21 um novo tempo muito diferente do século que passou é o desafio de nossos jovens. Esta é a primeira geração de jovens a enfrentar o século do conhecimento e das transformações radicais: todo o planeta está ligado em tempo real. Novas profissões surgindo e muitas outras desaparecendo... Um mundo ainda desigual e excludente. Como viver nessa sociedade? O jovem precisa aprender a aprender, ou seja, ser um estudante eficaz na escola e um aprendiz incansável em todas as horas e lugares, e aprender a ser autônomo, solidário e competente para escolher seus caminhos na vida pessoal e profissional. É preciso tudo isso na bagagem para compreender e participar desse mundo. Agora é com você, professor! Ver o jovem como solução, confiar no imenso potencial da juventude e fazer parte da imensa comunidade de educadores gestores e professores de todo o Brasil, que tem no Programa SuperAção Jovem um aliado, é a sua grande decisão. Você tem o poder de influir de maneira construtiva na vida dos jovens de sua escola. Basta aprender a criar oportunidades para que eles conheçam seu potencial e aprendam a transformá-lo em competências para serem melhores pessoas, cidadãos, estudantes e futuros profissionais. E o que fazer para começar? Convidar os jovens a fazerem a grande virada e serem seus parceiros e interlocutores para construírem a educação necessária ao século 21: uma educação em que educadores e jovens são parte da solução. Isso é mobilizar! Mover mentes e corações para a causa da juventude! Instituto Ayrton Senna

3 2ª Reflexão O jovem protagonista 100% leitor Aprimorar-se como leitor é um dos principais desafios que o SuperAção propõe aos alunos e, claro, aos professores. Para tanto, você está sendo convidado para trabalhar com a leitura de um modo bastante novo, com base em uma pedagogia especialmente desenvolvida para o trabalho com jovens. Para que você compreenda essa proposta, vamos apresentar brevemente alguns conceitos importantes do trabalho com a leitura livre no SuperAção Jovem. No SuperAção, além de abrir a porta para a aprendizagem cognitiva, a leitura livre tem o objetivo de conduzi-los à (re)descoberta deles mesmos e do mundo. Para tanto, trabalharemos diferentes formas de fazer com que a leitura seja uma ferramenta poderosa para que eles enfrentem os desafios de sua existência, do seu tempo e de seu cotidiano na escola e na vida. É crescer como leitores para ser, conviver, conhecer e produzir mais e melhor. O primeiro passo, então, para que seja incorporado esse novo sentido de leitura é convidá-los a ver, pensar, sentir, decidir, interagir e agir em relação à leitura como protagonistas. Como o SuperAção faz isso? Convidando os jovens para que abracem o desafio de melhorar a leitura em sua vida e na escola. Afinal, aprender a ser um leitor do século 21 é uma tarefa urgente a ser enfrentada na escola e ao longo da vida de todos nós. A adolescência e a juventude são momentos muito especiais para esse (re)encontro com a leitura. Podemos dizer que existem dois grandes nascimentos para o mundo da leitura: o primeiro, na infância, quando ouvimos as primeiras histórias e aprendemos as primeiras letras e o segundo, na adolescência, época em que a identidade, o convívio e a relação com o mundo são reconstruídos e os livros aparecem como grandes companheiros nessa jornada. Então, o SuperAção Jovem propõe que as ações educativas voltadas para a formação da juventude do século 21 cultivem não apenas o hábito da leitura, mas também, a capacidade de tirar prazer e aprendizado com essa experiência leitora. Quando enxergarem o livro como um amigo e uma fonte de idéias, não irão querer parar de ler. É uma espécie de fome que não passa nunca: quanto mais lerem, mais vão querer ler. Com isso, aprendem que a leitura não serve apenas à sua escolarização, mas é uma boa companheira para toda a vida. Aprendem a ser 100% leitores! 3ª Reflexão Quem é o vilão que afasta os jovens da leitura? O senso comum aponta que os jovens do século 21 não gostam de ler. Isso não é verdade! O que os jovens não gostam é de não participar da decisão na hora da escolha do livro. Justificam o afastamento da leitura alegando que não há relação entre o que querem e gostam de ler e o que é imposto pela escola. No entanto, a maioria deles conhece e reconhece o poder que a leitura tem de incluí-los no século 21: seja por meio dos livros, da internet, dos jornais e revistas, das legendas dos filmes, etc., ler é o único jeito de se comunicar de igual para igual com seus pares e com a humanidade. É por isso que ler é, possivelmente, a competência mais importante que a escola tem a ensinar. Por isso, antes de começar a trabalhar com as atividades de leitura, é importante que toda a escola seja mobilizada para compreender a importância da leitura no desenvolvimento pessoal, relacional, cognitivo e produtivo dos jovens. Porque, se há um vilão afastando a juventude da leitura, esse vilão não é o próprio jovem! Uma boa forma de começar é ouvi-los por meio de debates, entrevistas, pesquisas para compreender o que pensam sobre leitura, descobrir o que já leem, analisar as dificuldades com a leitura, investigar quem são os grandes vilões da leitura na escola e na vida de cada um. Construir esse espaço de participação, em que possam ter VEZ e VOZ, é fundamental para que os alunos, professores e diretores se mobilizem para melhorar a qualidade da leitura na escola. Instituto Ayrton Senna

4 Você verá que as atividades deste Roteiro seguem exatamente essa proposta. Ele será um bom guia para que você faça a mobilização dos jovens e convoque-os para que se vejam como parceiros na superação desse grande desafio e queiram se tornar melhores leitores e ampliar a qualidade da leitura na escola. 4ª Reflexão O que são os Guias do Leitor Antenado? Os Guias do Leitor Antenado (volume 1 e 2) são guias de aprendizagem colaborativa. Eles apresentam atividades de leitura livre que estimulam a escolha de livros por vontade própria, tendo como base a criação de um vínculo afetivo com o universo dos livros, ou seja, o gosto pela leitura. As atividades propostas vão desde a descoberta da Casa da Leitura, do perfil de leitor e das múltiplas possibilidades de escolha de um livro até a leitura e avaliação dos livros escolhidos. Além disso, o Guia do Leitor Antenado - volume 2 traz atividades para intensificar a aprendizagem de estratégias de leitura, por meio de um método bastante lúdico e envolvente que ensinam a ler um livro até o final. 5ª Reflexão A Casa da Leitura O direito à escolha do livro é fundamental quando se trata de leitura livre. Então, para estimular os jovens, apresentamos a Casa da Leitura e suas quatro portas. Veja um resumo do que cada porta de entrada propõe: Essa é a nossa Casa da Leitura! Para saber mais sobre ela, consulte o Guia do Leitor Antenado vol. 1 e 2. EU : A Porta do Ser O jovem que entrar por essa porta quer escolher a leitura a partir de seus interesses! MEU TIME: A Porta do Conviver Nessa porta, o jovem escolhe a leitura com a ajuda dos seus pares, dos colegas de seu time! MEU PROFESSOR: A Porta do Conhecer O jovem que entrar por essa porta quer escolher a leitura a partir da ajuda de um professor! MEU PROJETO: A Porta do Fazer Aqui, o jovem escolhe uma leitura a partir dos interesses despertados pelo projeto que desenvolve no Game SuperAção! Como esse Roteiro está estruturado? A organização de cada roteiro do Game SuperAção é feita a partir do Módulo do Game, uma estrutura composta por quatro momentos: Abrace essa Causa, Todos Juntos, Mãos à Obra e Conquistas e Desafios: Abrace Essa Causa: Professores acolhem os alunos, propiciando atividades de integração entre eles e entre os jovens e o professor, com o objetivo de se conhecerem e de se reconhecerem como solução. Todos Juntos: Momento em que os professores reúnem os jovens em times de trabalho para refletir, ler, pesquisar, debater, tomar decisões e se planejar para protagonizar. Mãos à Obra: Trata-se do momento em que os professores promovem atividades práticas de leitura ou de resolução de problemas para que os jovens aprendam a protagonizar. Conquistas e Desafios: Quando professores e jovens avaliam os passos que deram, o que aprenderam e o que ainda querem aprender juntos. Instituto Ayrton Senna

5 Veja a seguir, o mapa das atividades propostas nesse Roteiro que contam com o apoio do Guia do Leitor Antenado volume 2. Módulo do Game Atividade pág. Abrace essa Causa Atividade 1: Mobilização: aquecendo os motores! 6 Todos Juntos Atividade 2: Quem é quem! 8 Mãos à Obra Atividade 3: A nossa Casa da Leitura! 9 Conquistas e Desafios Atividade 4: Conheça mais sobre o seu perfil de leitor! 10 Qual é a duração ideal para os encontros no SuperAção? Você verá, ao longo do Roteiro que cada momento trará uma atividade estruturada, para ser trabalhada em uma ou duas aulas. Então, todas as atividades do Roteiro acontecerão em até oito encontros, certo? Agora, é só seguir o passo a passo de cada atividade. Bom trabalho! E não se esqueça: Jovem não é problema! Jovem é protagonista 100% leitor! Um abraço e nos vemos na próxima etapa. Equipe do Programa SuperAção Jovem Instituto Ayrton Senna Instituto Ayrton Senna

6 Abrace essa Causa Atividade 1 Mobilização: aquecendo os motores! Objetivo da atividade: Mobilizar os jovens para um novo ciclo de trabalho com a leitura livre. Materiais Necessários Filipetas com as frases do quadro 1 (página 6); Painel do Leitor 1 (2008 e 2009). Prepare a sala de aula antecipadamente: agrupe as carteiras em roda - para que todos os jovens se vejam - e escreva uma frase de boas-vindas no quadro negro. 1. Organize os jovens em uma grande roda (plenária) com muita vibração! Apresente-se àqueles que não o conhecem e conte sobre a proposta do dia: aquecer os motores para continuar a explorar o mundo da leitura! 2. Identifique aqueles que já participaram do Game SuperAção e quais estão começando agora. Provavelmente, a maior parte da turma já participou do Game SuperAção e do Circuito Ayrton Senna de Juventude, em Para resgatar a história deles com a leitura durante o ano de 2008, elabore com eles uma linha do tempo, com o objetivo de recontar, a partir das memórias de cada aluno, a história que vivenciaram utilizando o Guia do Leitor Antenado volume 1. Este é um ótimo momento para utilizar a lousa e incentivar a participação e a parceria dos alunos durante a construção da história. Atenção! Com a ajuda dos participantes do Game SuperAção em 2008, faça com que aqueles que estiverem começando, entendam a dinâmica do Game. Caso você também esteja começando como professor do SuperAção, peça aos jovens protagonistas que lhe contem tudo o que sabem sobre esse trabalho com leitura livre. 4. Ouça os relatos sobre quais foram as maiores emoções e os maiores aprendizados que tiveram, utilizando o Guia do Leitor Antenado volume Se for possível, recupere o Painel do Leitor da turma em Converse com eles sobre quantos livros escolheram e leram, de quantos gostaram e por que não gostaram de outros. 6. O momento é para total integração! Então, reúna os jovens nos times de trabalho 2 e peça para que cada time escolha um líder para conduzir a tarefa do dia. Caso haja jovens que não pertençam a nenhum time, peça que escolham em qual grupo já existente gostariam de entrar para fazer essa e as demais atividades deste Roteiro de Mobilização. 7. Recorte as frases do quadro 1 em filipetas, dobre-as e peça a cada time que sorteie de três a quatro filipetas. Oriente-os a discutir as frases que sortearam e refletir: Vocês concordam com elas? Discordam? O que pensam a respeito? etc. 1 Procure os painéis do Protagonista e do Leitor utilizados pela turma em 2008 com a equipe de gestão da escola. Eles são instrumentos de registro dos resultados do trabalho de cada time de jovens. Em 2009, vocês receberão novos painéis para registrar as novas conquistas! 2 Os times são formados por jovens com interesses comuns. Eles desenvolvem projetos de protagonismo juvenil na escola ou na comunidade e também se aperfeiçoam como leitores. Instituto Ayrton Senna

7 Quadro 1 Ler é: Agarrar os sonhos com as mãos! Ler é: Lançar-se num poço fundo sem medo de se machucar! Ler é: Alimentar a alma, saciando a fome de aprender! Ler é: Acender um sol na hora em que se quiser! Ler é: Descobrir um abrigo no momento da tristeza! Ler é: Encontrar aconchego todas as horas! Ler é: Voar numa bolha de sabão! Ler é: Trocar o olhar velho por um novo! Ler é: Inventar a noite quando ainda é dia! Ler é: Tornar-se dono do tempo! Ler é: Comer o último brigadeiro da festa! 8. Depois de alguns minutos, peça-lhes que elaborem mais três frases que se iniciem com Ler é... Estipule um tempo para os times cumprirem esse desafio. 9. Frases escritas? Então chegou o momento das apresentações! Reúna todos em plenária novamente e convide os líderes a ler, em voz alta, o resultado do trabalho. É interessante pedir a cada líder pra que se apresente, em pé, no centro da roda. Assim, todos poderão vê-lo e ouvi-lo. 10. Você pode utilizar a lousa para registrar as frases criadas, para compartilhar. Faça sempre um comentário após cada apresentação, valorizando a produção do grupo e ampliando os significados das frases. 11. Depois de concluídas as apresentações, chegou o momento do bate-papo! Peça-lhes que digam o que leram nas férias (vale revistas, jornais, textos na internet, livros etc.). No caso de livros, peça para que indiquem o título e se recomendariam sua leitura para os colegas. Acompanhe atentamente os relatos dos jovens e aproveite para costurálos, incentivando-os a se envolverem e escutarem o que todos têm a dizer. Valorize todas as leituras feitas perguntando, por exemplo: quem já leu esse livro que o colega citou? Valorizar todos os tipos de leitura é compreender que existem leituras com diversas finalidades. A leitura pode servir para buscar informações para satisfazer uma curiosidade, ou saber o que acontece no mundo (livros, jornais, revistas, etc.) para diversão (HQs, revistas de fofocas, filmes, etc.), para momentos de prazer ou reflexão (literatura), para estudo (textos de pesquisa ou relacionados a um tema específico), para estabelecer relacionamentos e fazer amigos (MSN, blogs, orkut, s...), etc. Use também essa oportunidade para contar o que você leu nas suas férias, professor! 12. Para finalizar a aula, apresente o Painel do Leitor 2009 e relembre como este funciona (os participantes só poderão escrever o nome do livro no painel depois de tê-lo lido). 13. Pergunte-lhes quais suas expectativas com relação à leitura para as próximas aulas e incentive-os a continuar lendo bastante, para serem cada vez melhores protagonistas e leitores. Instituto Ayrton Senna

8 Todos Juntos Atividade 2 Quem é quem! Objetivo da atividade: Apresentar o Guia do Leitor Antenado volume 2 e refletir sobre o papel de cada um para o aprimoramento da competência leitora da turma. Materiais Necessários Guia do Leitor Antenado volume 2. Prepare a sala de aula para o segundo encontro com os jovens, agrupando as carteiras em roda, a fim de criar um ambiente acolhedor. Pequenos detalhes fazem a diferença e ajudam a estabelecer um clima para a aprendizagem. Por exemplo, as paredes da sala precisam se tornar verdadeiras janelas do conhecimento do que está sendo construído por você e seus alunos no Game SuperAção. Durante cada momento do Game na escola, aproveite essas janelas para expor o trabalho que está sendo feito por eles. 1. Reúna os jovens em uma grande roda e pergunte quem já retirou, este ano, um livro na biblioteca e está lendo. É importante que você selecione de dois a três livros interessantes e leveos à sala de aula, falando um pouquinho sobre cada um, fazendo propaganda e estimulando assim, a curiosidade e o interesse dos jovens. 2. A seguir, peça aos alunos que se reúnam por time e escolham um colega para assumir a função de líder. 3. Convide cada líder a dirigir-se ao centro da roda para receber o Guia do Leitor Antenado volume 2, em nome do time. Faça desse momento da entrega um episódio bem especial. O Guia será um grande amigo que irá acompanhá-los na jornada que se inicia. Com esse Guia, os jovens aprenderão a ler um livro inteiro, até o final, utilizando algumas estratégias de leitura bem legais! É a oportunidade para cada um se tornar um leitor ainda mais antenado! 4. Estabeleça alguns minutos para que os times possam folhear e apreciar o Guia. 5. Depois, promova uma leitura dirigida das páginas 1 e 2 do Guia. Aproveite para relembrar as quatro portas da Casa da Leitura e verifique se todos se recordam por quais portas já entraram nela. Uma sugestão de condução da leitura é pedir para um jovem ler o primeiro parágrafo, perguntar aos demais se existem dúvidas sobre o que foi lido e esclarecê-las. Utilize esta estratégia de leitura dirigida até o final do texto. Dê bastante atenção à dica de leitura que está descrita no final da página 2. Ela será utilizada durante todas as atividades do Guia! 6. Oriente-os a fazer a leitura, em seus grupos, do capítulo Aquecendo os Motores: quem é quem! (páginas 3 e 4 do Guia). Após a leitura, devem responder às seguintes questões: Quem é o grande vilão da leitura em sua vida? O que vocês entendem sobre aprendizagem colaborativa? 7. Para compartilhar as respostas da primeira questão, promova um rápido bate-papo e registre-as no quadro negro. 8. A seguir, ouça atentamente o que entenderam sobre aprendizagem colaborativa. Auxilie-os a compreender que esse conceito é uma estratégia para todos aprenderem Instituto Ayrton Senna

9 juntos, participando das atividades e ajudando os colegas. Não deixe de esclarecer, também, sobre o seu papel de professor e orientador nessa jornada! 9. Se necessário, leia novamente as regras de ouro da aprendizagem colaborativa (ao final da página 4 do Guia). Atenção! Se você preferir, imprima um outro ritmo à tarefa Quem é quem: a. Faça cópias do quadro de cada personagem que aparece nas páginas 3 e 4 do Guia: jovem protagonista; time de leitura; vilão da aprendizagem, ser líder, ser liderado e professor leitor. b. Reúna os participantes em times e lhes entregue um conjunto de cópias. Elas devem ficar de cabeça para baixo, como cartas. c. Cada time sorteia entre os componentes quem será o jovem a começar. d. O vencedor tira uma carta e a lê em voz alta para seus colegas. e. Todos debatem sobre o que acharam da carta e dão uma nota para ela: 3 - muito importante; 2- importante; 1-pouco importante. 0 nada importante. f. O líder do time anota em um papel a nota dada. g. Outro jovem tira mais uma carta e repetem a operação. h. Ao final, oriente os times a responder as perguntas: Quem é o grande vilão da leitura em sua vida? e O que vocês entendem sobre aprendizagem colaborativa?. i. Para encerrar, promova um bate-papo e peça a cada time que fale sobre a nota que conferiu a cada personagem. Mãos à Obra Atividade 3 A nossa Casa da Leitura! Objetivo da atividade: Relembrar como entraram na Casa da Leitura em Materiais Necessários Guia do Leitor Antenado volume 2. Esta atividade pode ser feita na biblioteca ou sala de leitura da escola, caso seja possível acomodar os alunos de maneira confortável. 1. Apresente aos alunos três direitos do leitor: Ter sempre bons livros à sua disposição. Fazer a escolha do livro que quer ler. Interagir com outros leitores. 2. Questione quais destes direitos eles avaliam como o mais importante e por quê. É interessante que possam expressar suas opiniões e sejam questionados sobre elas. Todos esses direitos são inseparáveis no Game SuperAção: conhecer o acervo de livros da escola ou da comunidade e lutar para que o acesso à bons títulos seja regra; tornar possível a escolha do que ler aos jovens e, promover a interação entre os leitores. 3. A seguir, reúna os alunos em times, oriente para que escolham seus líderes e façam a leitura da atividade Aquecendo os Motores: A nossa Casa da Leitura! (páginas 5 e 6 do Guia) e respondam às questões propostas. Instituto Ayrton Senna

10 Circule pela sala, sentando por alguns momentos em todos os grupos para acompanhá-los mais de perto nos debates e esclarecer dúvidas. Coloquese à disposição de todos, orientando que o chamem caso estejam com alguma dificuldade. Fique de olho, porque esta atividade vai trazer pistas sobre quem ainda não entrou na Casa da Leitura ou não gostou da leitura que escolheu em A próxima atividade será realizada utilizando uma estratégia de aprendizagem colaborativa que irá ajudar os jovens leitores mais frágeis a conseguir apoio dentro de seu time para crescer como leitores! 4. Para finalizar a aula, reúna-os em uma grande roda e compartilhe as respostas de cada time. 5. Caso algum jovem já queira retirar um livro da biblioteca, incentive-o! Atividade 4 Conheça mais sobre o seu perfil de leitor! Conquistas e Desafios Objetivo da atividade: Descobrir (ou confirmar) qual é o perfil de leitor de cada jovem. Materiais Necessários Guia do Leitor Antenado volume 2. Durante as atividades de leitura do Game SuperAção em 2008, os jovens puderam descobrir seus perfis de leitor. Ao todo, apresentamos quatro perfis: Iniciador, Propagador, Comunicador e Apreciador. O significado de cada um está descrito na página 8 do Guia. É importante que você leia, antecipadamente, que caracteriza cada perfil. 1. Comece o dia de trabalho relembrando as atividades já realizadas até o momento. 2. Após essa retomada, os alunos devem reunir-se em seus times e escolher o líder que conduzirá a atividade. 3. Peça aos líderes que façam a leitura da atividade Aquecendo os motores: conheça mais sobre seu perfil de leitor! (páginas 7 e 8 do Guia), utilizando a dica de leitura que está no final da página 2. O objetivo é cada jovem recordar ou descobrir qual é o seu perfil de leitor, bem como qual é o compromisso de cada perfil. Atenção! Uma parte dos jovens pode dizer que já descobriu qual é o seu perfil de leitor durante os trabalhos de Esclareça que o perfil de leitor não é uma característica fixa e que ele pode ter se modificado durante os últimos meses. Esta atividade vai tornar mais clara a maneira de como os jovens se auto-avaliam como leitores. 4. Oriente que cada time registre na página 8 o que descobriram e como pretendem concretizar os objetivos de seu perfil, conforme o quadro de respostas. 5. Finalize a aula com uma grande roda, para compartilhar as respostas. Utilize esse momento para enfatizar as estratégias encontradas pelos jovens para cumprir sua missão e ofereça apoio para ajudá-los no que for necessário. Instituto Ayrton Senna

Netiqueta Regras de convivência na Internet

Netiqueta Regras de convivência na Internet São alguns modelos de conduta que irão facilitar o relacionamento com os colegas e professor e contribuir para uma aprendizagem colaborativa e efetiva. O termo inglês NET (significa REDE ) e o termo ETIQUETA

Leia mais

Um introdução. Guia do Workshop INSPIRAÇÃO IDEAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO. O Processo de Design. O Curso para o Design Centrado no Ser Humano

Um introdução. Guia do Workshop INSPIRAÇÃO IDEAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO. O Processo de Design. O Curso para o Design Centrado no Ser Humano Guia do Workshop INSPIRAÇÃO IDEAÇÃO IMPLEMENTAÇÃO O Processo de Design Vamos começar! Nós sabemos por experiência que o único jeito de aprender o design centrado no ser humano é aplicando-o. Por isso,

Leia mais

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA

SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA Aula 7 SOFTWARES DE SIMULAÇÃO NO ENSINO DE QUÍMICA META Discutir a utilização de softwares no ensino de Química. OBJETIVOS Ao final desta aula, o aluno deverá: Através da utilização do software carbópolis,

Leia mais

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil.

Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. 6. Humanização, diálogo e amorosidade. Reflexões sobre a prática docente na Educação Infantil. Santos, Marisa Alff dos 1 Resumo O presente trabalho tem como objetivo refletir sobre as práticas docentes

Leia mais

Divulgação Gratuita - Kit Concursos

Divulgação Gratuita - Kit Concursos Por Alexandre L.C. Versão 2014 Divulgação Gratuita - Kit Concursos Introdução Parabéns! Você deu um grande passo para conquistar sua vaga em um concurso público. Depois de muitos estudos e muito interesse

Leia mais

MANUAL DO ALUNO DO CURSO DE EJA ENSINO MÉDIO MANUAL DO ALUNO EJA - ENSINO MÉDIO. Praça Marechal Deodoro, 356 Santa Cecília São Paulo SP CEP: 01150-010

MANUAL DO ALUNO DO CURSO DE EJA ENSINO MÉDIO MANUAL DO ALUNO EJA - ENSINO MÉDIO. Praça Marechal Deodoro, 356 Santa Cecília São Paulo SP CEP: 01150-010 MANUAL DO ALUNO EJA - ENSINO MÉDIO Caro Aluno, Este manual tem o objetivo de tirar suas dúvidas e tornar seu curso no INED o mais completo possível. Leia tudo com muita atenção e, se ao final ainda tiver

Leia mais

Aviso. 2012 Casamento Blindado. Propriedade Intelectual

Aviso. 2012 Casamento Blindado. Propriedade Intelectual Aviso Não está autorizado a cópia ou distribuição deste material em qualquer formato ou meio. É expressamente proibida a duplicação, publicação impressa, digital, ou online, inclusive em blogs, redes sociais,

Leia mais

Proposta Pedagógica para as Salas de Leitura: a experiência do Instituto Ayrton Senna em parceria com a SEE-SP e SEE-RJ

Proposta Pedagógica para as Salas de Leitura: a experiência do Instituto Ayrton Senna em parceria com a SEE-SP e SEE-RJ Proposta Pedagógica para as Salas de Leitura: a experiência do Instituto Ayrton Senna em parceria com a SEE-SP e SEE-RJ 0 DESENVOLVER O POTENCIAL DAS NOVAS GERAÇÕES Conhecimento aplicado 74.893 Educadores

Leia mais

30 DE NOVEMBRO DIA DA CONECTIVIDADE GUIA PRÁTICO PARA ORGANIZAR O DIA DA CONECTIVIDADE NA SUA ESCOLA. Vamos nessa?

30 DE NOVEMBRO DIA DA CONECTIVIDADE GUIA PRÁTICO PARA ORGANIZAR O DIA DA CONECTIVIDADE NA SUA ESCOLA. Vamos nessa? 30 DE NOVEMBRO DIA DA CONECTIVIDADE GUIA PRÁTICO PARA ORGANIZAR O DIA DA CONECTIVIDADE NA SUA ESCOLA Vamos nessa? 1. Missão da Campanha A mobilização Internet na Escola tem um pedido simples: investimento

Leia mais

INFORMATIVO 2015 GRUPO 3

INFORMATIVO 2015 GRUPO 3 INFORMATIVO 2015 GRUPO 3 3 Considerar a criança como sujeito é levar em conta, nas relações que com ela estabelecemos, que ela tem desejos, ideias, opiniões, capacidade de decidir, de criar, e de inventar,

Leia mais

DICAS PARA UM ESTUDO EFICAZ

DICAS PARA UM ESTUDO EFICAZ 1 DICAS PARA UM ESTUDO EFICAZ PRESSUPOSTOS DA TÉCNICA Muitos problemas de insucesso escolar devem-se ao facto de os alunos não saberem estudar de modo eficiente. Existem alguns aspetos que devem ser levados

Leia mais

Mestrado Online respostas

Mestrado Online respostas Mestrado Online respostas Resumo 1. Por que razão escolheu este mestrado em regime online? 1. Escolhi o mestrado online porque é um mestrado que aborda questões relacionadas com a minha área de formação,

Leia mais

PESQUISA DATAPOPULAR: PERCEPÇÃO SOBRE A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE SÃO PAULO

PESQUISA DATAPOPULAR: PERCEPÇÃO SOBRE A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE SÃO PAULO PESQUISA DATAPOPULAR: PERCEPÇÃO SOBRE A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO NAS ESCOLAS ESTADUAIS DE SÃO PAULO OBJETIVOS QUALIDADE NAS ESCOLAS Mapear percepções de Professores, Pais e Alunos de São Paulo sobre o que

Leia mais

Ação Tutorial: redesenho de uma ação. Universidades virtuales y centros de educación a distancia

Ação Tutorial: redesenho de uma ação. Universidades virtuales y centros de educación a distancia Ação Tutorial: redesenho de uma ação. Universidades virtuales y centros de educación a distancia Prof. MSc. Paulo Cesar Lopes Krelling Universidade Federal do Paraná Núcleo de Educação a Distância Praça

Leia mais

Como Falar Em Palco e Cativar o Seu Público

Como Falar Em Palco e Cativar o Seu Público Como Falar Em Palco e Cativar o Seu Público Trazido Até Si Por www.nunofortes.com Como Falar Em Palco e Cativar o Seu Público Termos e Condições Aviso Legal O escritor esforçou se para ser o tão exacto

Leia mais

Programa de Formação em Gestão Cultural para os Pontos de Cultura do Brasil

Programa de Formação em Gestão Cultural para os Pontos de Cultura do Brasil Programa de Formação em Gestão Cultural para os Pontos de Cultura do Brasil Disciplina: AMBIENTAÇÃO EM EAD Professor: Bruno Oliveira A EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NOS CONTEXTOS NACIONAL E INTERNACIONAL Esta primeira

Leia mais

Reunião com pais. Tema: Hábitos de estudo. 1. Objetivos da reunião. 2. Desenvolvimento

Reunião com pais. Tema: Hábitos de estudo. 1. Objetivos da reunião. 2. Desenvolvimento Tema: Hábitos de estudo 1. Objetivos da reunião 1.1. Aprofundar reflexões sobre a necessidade de se criarem hábitos de estudo. 1.2. Compreender que situações e posturas familiares simples tendem a ajudar

Leia mais

Blog: http://flaviobotana.wordpress.com

Blog: http://flaviobotana.wordpress.com Quem serão os Líderes do Futuro na Indústria Gráfica Em seu livro Administração por Processos, o autor Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira apresenta em seu capítulo inicial o que ele chama de Evolução

Leia mais

7 7 E8BOOK7CURSO7DE7 ORATÓRIA7

7 7 E8BOOK7CURSO7DE7 ORATÓRIA7 HTTP://WWW.SUPEREDESAFIOS.COM.BR/SEGREDO/FORMULANEGOCIOONLINE E8BOOKCURSODE ORATÓRIA Prof.DaniloMota Prof.&Danilo&Mota& &Blog&Supere&Desafios& 1 Introdução:Tempodeouvir,tempodefalar. Não saber ouvir bem,

Leia mais

Blog e Flog como recursos de aprendizagem

Blog e Flog como recursos de aprendizagem 1 de 6 12/11/2008 20:24 Blog e Flog como recursos de aprendizagem Imprimir página Blog pedagógico: é possível visualizar um novo horizonte? Tânia Maria Moreira 1 Antes de ler este texto, pare, pense e

Leia mais

9 Dinâmicas de Grupo para o início das Aulas Atividades Lúdicas

9 Dinâmicas de Grupo para o início das Aulas Atividades Lúdicas Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicasparaprimeirodiadeaula 9 Dinâmicas de Grupo para o início das Aulas Atividades Lúdicas Apresentamos o especial do site Esoterikha.com e Redemotivacao.com.br

Leia mais

Palavra da Direção INFORMATIVO DO COLÉGIO APOIO

Palavra da Direção INFORMATIVO DO COLÉGIO APOIO MAIO D S T Q Q S S 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 INFORMATIVO DO COLÉGIO APOIO Palavra da Direção Todas as nossas homenagens àquelas que merecem o maior

Leia mais

INDICE Introdução 03 Você é muito bonzinho 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Pg: 05 Evite pedir permissão

INDICE Introdução 03 Você é muito bonzinho 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade Pg: 05 Evite pedir permissão 1 INDICE Introdução... Pg: 03 Você é muito bonzinho... Pg: 04 Vamos ser apenas amigos dicas para zona de amizade... Pg: 05 Evite pedir permissão... Pg: 07 Não tenha medo de ser você mesmo... Pg: 08 Não

Leia mais

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEDICAÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEDICAÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Escola de Tempo Integral Leitura e Produção de Texto 7º ANO 6ª série) SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEDICAÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Este é um material em construção que contém os capítulos de apoio das atividades

Leia mais

ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO

ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO ESTATÍSTICA BÁSICA NO CURSO DE TÉCNICO INTEGRADO DE SEGURANÇA DO TRABALHO Fabíola Nascimento dos Santos Paes Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco fabiola.paes@gmail.com Dorghisllany

Leia mais

SÍNTESE DOS RESULTADOS DAS CONSULTAS

SÍNTESE DOS RESULTADOS DAS CONSULTAS Plataforma dos Centros Urbanos SÍNTESE DOS RESULTADOS DAS CONSULTAS PARTICIPATIVAS DE SÃO PAULO INTRODUÇÃO Este relatório sintetiza os dados consolidados do processo de consulta participativa, realizado

Leia mais

MATERIAL DE APOIO OFICINA EVANGELISMO PESSOAL MIN. FILIPE ARAÚJO

MATERIAL DE APOIO OFICINA EVANGELISMO PESSOAL MIN. FILIPE ARAÚJO MATERIAL DE APOIO OFICINA EVANGELISMO PESSOAL MIN. FILIPE ARAÚJO DO CONCEITO PARA PRATICA E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Portanto ide, fazei discípulos

Leia mais

O ATO DE ESTUDAR 1. (Apresentação a partir do texto de Paulo Freire.)

O ATO DE ESTUDAR 1. (Apresentação a partir do texto de Paulo Freire.) O ATO DE ESTUDAR 1 (Apresentação a partir do texto de Paulo Freire.) Paulo Freire, educador da atualidade, aponta a necessidade de se fazer uma prévia reflexão sobre o sentido do estudo. Segundo suas palavras:

Leia mais

Sugestão de Planejamento da Semana Pedagógica

Sugestão de Planejamento da Semana Pedagógica GOVERNO DO ESTADO DO TOCANTINS SECRETARIA DA EDUCAÇÃO E CULTURA DIRETORIA REGIONAL DE ENSINO DE ARAGUAINA SETOR REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO E ENSINO INTEGRAL Sugestão de Planejamento da Semana

Leia mais

Gabinete de Aconselhamento Vocacional e Psicológico FCT/UNL

Gabinete de Aconselhamento Vocacional e Psicológico FCT/UNL Sugestões Para o Teu Estudo Não há regras rígidas para um estudo efectivo e bem sucedido, pelo que cada pessoa deve desenvolver a sua própria abordagem ao mesmo. Contudo, no geral, o acto de estudar envolve

Leia mais

DETALHES IMPORTANTES PARA ATINGIR A BOA COMUNICAÇÃO

DETALHES IMPORTANTES PARA ATINGIR A BOA COMUNICAÇÃO Página 1 de 7 INDICE Nenhuma entrada de sumário foi encontrada. Página 2 de 7 Autor: Alkíndar de Oliveira (alkindar@terra.com.br) Dentre outros atributos, o exercício da oratória exige o conhecimento e

Leia mais

COMO ESTUDAR 1. Nereide Saviani 2

COMO ESTUDAR 1. Nereide Saviani 2 COMO ESTUDAR 1 Nereide Saviani 2 Estudar não é apenas ler. O fato de ser ter devorado com avidez um livro - seja por achá-lo interessante, seja por se ter pressa em dar conta de seu conteúdo - não significa

Leia mais

Possibilitar o conhecimento dos diferentes grupos religiosos construindo um. referencial de entendimento das diferenças e respeito ao outro.

Possibilitar o conhecimento dos diferentes grupos religiosos construindo um. referencial de entendimento das diferenças e respeito ao outro. TEMA: Preconceito religioso SÉRIE 2ª. Série Andressa Priscila Chiquiti - chiqt@bol.com.br 4. OBJETIVO /s Possibilitar o conhecimento dos diferentes grupos religiosos construindo um referencial de entendimento

Leia mais

P L A N E J A M E N T O

P L A N E J A M E N T O Atividades de Leitura Livre Escola de Tempo Integral / Secretaria da Educação do Estado de São Paulo P L A N E J A M E N T O Roteiro para estimular o planejamento dos jovens para crescerem eitores protagonistas

Leia mais

UMA EXPERIÊNCIA PSICOPEDAGÓGICA NA FACULDADE DE ENGENHARIA DA PUCRS

UMA EXPERIÊNCIA PSICOPEDAGÓGICA NA FACULDADE DE ENGENHARIA DA PUCRS UMA EXPERIÊNCIA PSICOPEDAGÓGICA NA FACULDADE DE ENGENHARIA DA PUCRS Jorge Ferreira da Silva Filho Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Viegas Ribas Pesquisador e Consultor Psicopedagógico

Leia mais

SEBASTIÃO NELSON FREITAS MANUAL DE VENDAS. Um guia para o profissional de vendas

SEBASTIÃO NELSON FREITAS MANUAL DE VENDAS. Um guia para o profissional de vendas MANUAL DE VENDAS OBRAS DO AUTOR Como planejar suas vendas sem complicar dicas de estratégias e táticas, mais formulários práticos para o planejamento de vendas, coautoria de Abigail Felicciano. 2.ª ed.

Leia mais

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18).

1ª a 5ª série. (Pró-Letramento, fascículo 1 Capacidades Linguísticas: Alfabetização e Letramento, pág.18). SUGESTÕES PARA O APROVEITAMENTO DO JORNAL ESCOLAR EM SALA DE AULA 1ª a 5ª série A cultura escrita diz respeito às ações, valores, procedimentos e instrumentos que constituem o mundo letrado. Esse processo

Leia mais

UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES

UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES UMA REFLEXÃO SOBRE A PRÁTICA DOCENTE ATRAVÉS DAS NARRATIVAS DISCENTES Luciana Bessa Silva (bessaluciana@hotmail.com) RESUMO Como humanos, narramos nossos sentimentos, nossos desejos, nossas emoções, nossas

Leia mais

Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental

Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental Um guia para elaboração de projetos em Educação Ambiental Introdução Antes de mais nada, temos que ter claro que não existe uma receita pronta para a inserção da dimensão ambiental no currículo escolar,

Leia mais

Avaliação do clima na escola

Avaliação do clima na escola Avaliação do clima na escola INSTRUÇÕES INICIAIS PARA O GESTOR: Avise que a pesquisa para avaliar o clima da escola é anônima. Não será preciso colocar nome, apenas identificar a qual segmento da comunidade

Leia mais

www.rockstarsocial.com.br

www.rockstarsocial.com.br 1 1 Todos os Direitos Reservados 2013 Todas As Fotos Usadas Aqui São Apenas Para Descrição. A Cópia Ou Distribuição Do Contéudo Deste Livro É Totalmente Proibida Sem Autorização Prévia Do Autor. AUTOR

Leia mais

HÁBITO DE ESTUDO: ORGANIZAÇÃO E PERSISTÊNCIA

HÁBITO DE ESTUDO: ORGANIZAÇÃO E PERSISTÊNCIA HÁBITO DE ESTUDO: ORGANIZAÇÃO E PERSISTÊNCIA Franciele Xhabiaras Grapiglia Graduada em Pedagogia Especialização em Psicopedagogia Clínica e Institucional frangrapiglia@yahoo.com.br Estamos sempre em processo

Leia mais

Como consultar o acervo e renovar materiais no portal?

Como consultar o acervo e renovar materiais no portal? Como consultar o acervo e renovar materiais no portal? Alunos dos cursos técnicos, pós-técnicos e livres Alunos das graduações, especializações e pós-graduações Funcionários No primeiro acesso, para renovar

Leia mais

Na sala de aula com as crianças

Na sala de aula com as crianças O CD Rubem Alves Novas Estórias, volume 3, abre novas janelas de oportunidade para quem gosta da literatura. Através do audiolivro podemos apreciar encantadoras histórias e deixar fluir a imaginação. Rubem

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

Projeto Sala de Leitura Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Programa SuperAção Jovem na Sala de Leitura

Projeto Sala de Leitura Secretaria de Educação do Estado de São Paulo. Programa SuperAção Jovem na Sala de Leitura Projeto Sala de Leitura Secretaria de Educação do Estado de São Paulo Roteiro do Professor Programa SuperAção Jovem na Sala de Leitura um roteiro para o professor mobilizar e mediar a participação da juventude

Leia mais

DESENVOLVENDO HABITOS DE ESTUDO

DESENVOLVENDO HABITOS DE ESTUDO INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA IF-SC DESENVOLVENDO HABITOS DE ESTUDO Elaborado por: Psicóloga Katia Griesang Conteúdo da palestra Você estuda apenas para obter boas notas?! Voce acha que tem muitas

Leia mais

FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO

FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO FÓRUM DE DISCUSSÃO COMO FERRAMENTA PARA A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO Rose Madalena Pereira da Silva (Pedagoga e Tutora em EaD) Sara Ingrid Borba (Pedagoga, Mestre em educação e Tutora em EaD) RESUMO Este

Leia mais

Quem é o cidadão que freqüenta os sites de ciência brasileiros

Quem é o cidadão que freqüenta os sites de ciência brasileiros Quem é o cidadão que freqüenta os sites de ciência brasileiros Dayse Lúcia M. Lima Instituto Nacional de Tecnologia INT/MCT Brasil Os portais das agências governamentais se tornaram o espaço preferencial

Leia mais

VERSÍCULO BÍBLICO Todo o que ama a repreensão ama a sabedoria, mas aquele que odeia a repreensão é tolo Provérbios 12:1

VERSÍCULO BÍBLICO Todo o que ama a repreensão ama a sabedoria, mas aquele que odeia a repreensão é tolo Provérbios 12:1 VERSÍCULO BÍBLICO Todo o que ama a repreensão ama a sabedoria, mas aquele que odeia a repreensão é tolo Provérbios 12:1 OBJETIVOS O QUÊ? (GG): As crianças participarão de um programa de auditório chamado

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

Programa Intel Educar Curso Essencial On-line Módulo 4 Criando Exemplos para Aprendizagem

Programa Intel Educar Curso Essencial On-line Módulo 4 Criando Exemplos para Aprendizagem Módulo 4 Criando Exemplos para Aprendizagem Janeiro, 2010 Visão Geral Espaço do Professor Mediador Bem-vindo ao! Em um ambiente de aula centrado no aluno, os alunos criam produtos que requerem o uso proficiente

Leia mais

ÍNDICE. Capítulo 1 : O valor da Inovação

ÍNDICE. Capítulo 1 : O valor da Inovação ÍNDICE Capítulo 1 : O valor da Inovação Estamos na era da Inovação A responsabilidade da educação A mudança da cultura Mas o que é inovação? Inovar vale a pena Estudo de caso: TUDO e Itaú: uma parceria

Leia mais

ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA

ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA 13. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ISSN 2238-9113 PROJETO LUDICIDADE NA ESCOLA DA INFÂNCIA ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO

Leia mais

PREFÁCIO DA SÉRIE. estar centrado na Bíblia; glorificar a Cristo; ter aplicação relevante; ser lido com facilidade.

PREFÁCIO DA SÉRIE. estar centrado na Bíblia; glorificar a Cristo; ter aplicação relevante; ser lido com facilidade. PREFÁCIO DA SÉRIE Cada volume da série A Palavra de Deus para Você o transporta ao âmago de um livro da Bíblia e aplica as verdades nele contidas ao seu coração. Os objetivos principais de cada título

Leia mais

ENTRELAÇANDO VIVÊNCIAS PELA LEITURA DO MUNDO E DA PALAVRA: (RE)ENCANTANDO A VIDA ATRAVÉS DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS

ENTRELAÇANDO VIVÊNCIAS PELA LEITURA DO MUNDO E DA PALAVRA: (RE)ENCANTANDO A VIDA ATRAVÉS DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS ENTRELAÇANDO VIVÊNCIAS PELA LEITURA DO MUNDO E DA PALAVRA: (RE)ENCANTANDO A VIDA ATRAVÉS DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS Daniele Mallmann da Silva 1 Tatiana Poltosi Dorneles 2 Ketner Thaiane Landvoigt Kayser

Leia mais

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA DEFICIENTE AUDITIVO: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DE TRABALHO REALIZADO EM COLÉGIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Adriana Oliveira Bernardes UENF (Universidade do Estado do Norte

Leia mais

PAIS, ADOLESCENTES, ESCOLA E VIDA Dicas para os pais favorecerem o sucesso dos seus filhos adolescentes na sala de aula e na vida

PAIS, ADOLESCENTES, ESCOLA E VIDA Dicas para os pais favorecerem o sucesso dos seus filhos adolescentes na sala de aula e na vida 2012, Fundação Otacílio Coser COSTA, Antonio Carlos Gomes da PAIS, ADOLESCENTES, ESCOLA E VIDA, Dicas para os pais favorecerem o sucesso dos seus filhos adolescentes na sala de aula e na vida Segunda Edição.

Leia mais

Grupo de pesquisa:as Redes de conhecimentos em comunicação e educação: questão de cidadania. http://www.lab-eduimagem.pro.br.

Grupo de pesquisa:as Redes de conhecimentos em comunicação e educação: questão de cidadania. http://www.lab-eduimagem.pro.br. PROCUREI E ENCONTREI:OS POSSÍVEIS ÁLBUNS DE MULHERES NEGRAS CHAGAS, Cláudia Regina Ribeiro Pinheiro das UERJ GT-23: Gênero, Sexualidade e Educação Agência Financiadora: FAPERJ Fotografia é Memória e com

Leia mais

A ESCOLA FREINET E A AGRESSIVIDADE: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 1ª A 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL.

A ESCOLA FREINET E A AGRESSIVIDADE: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 1ª A 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL. A ESCOLA FREINET E A AGRESSIVIDADE: UM ESTUDO COM ALUNOS DE 1ª A 4ª SÉRIE DO ENSINO FUNDAMENTAL. Resumo: MIGUEL, Rebeca Signorelli UNICAMP rebs.rebequinha@gmail.com PRODÓCIMO, Elaine UNICAMP elaine@fef.unicamp.br

Leia mais

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor,

Xixi na Cama. Cara Professora, Caro Professor, Xixi na Cama Cara Professora, Caro Professor, Estamos oferecendo a você e a seus alunos mais um livro da coleção Revoluções: Xixi na Cama, do autor mineiro Drummond Amorim. Junto com a obra, estamos também

Leia mais

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos

Círculo Fluminense de Estudos Filológicos e Linguísticos (RE)DISCUTINDO AS ATIVIDADES DE LEITURA EM LIVROS DIDÁTICOS DE LINGUA PORTUGUESA SOB O VIÉS DO LETRAMENTO CRÍTICO Rosenil Gonçalina dos Reis e Silva (UFMT) rosenilreis@gmail.com Simone de Jesus Padilha

Leia mais

CollaborativeBook. número 4. Feedback

CollaborativeBook. número 4. Feedback CollaborativeBook número 4 Feedback Feedback 2 www.apoenarh.com.br Nesta nova publicação abordaremos o tema feedback, usando com o objetivo de instrumentalizar o indivíduo para ação e desenvolvimento.

Leia mais

RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS

RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS RECURSOS EDUCACIONAIS ABERTOS práticas colaborativas e políticas públicas Bianca Santana Carolina Rossini Nelson De Luca Pretto organizadores São Paulo Salvador 2012 1ª edição 1ª impressão financiamento

Leia mais

Formulário para Diagnóstico da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Espírito Santo Levantamento do perfil dos Sujeitos da EJA

Formulário para Diagnóstico da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Espírito Santo Levantamento do perfil dos Sujeitos da EJA Pesquisa do Programa Observatório da Educação OBEDUC/UFES Formulário para Diagnóstico da Educação de Jovens e Adultos (EJA) no Espírito Santo Levantamento do perfil dos Sujeitos da EJA Caros educandos

Leia mais

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2

SUMÁRIO O QUE É COACH? 2 1 SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 O COACHING...4 ORIGENS...5 DEFINIÇÕES DE COACHING...6 TERMOS ESPECÍFICOS E SUAS DEFINIÇÕES...7 O QUE FAZ UM COACH?...8 NICHOS DE ATUAÇÃO DO COACHING...9 OBJETIVOS DO COACHING...10

Leia mais

Introdução. De que adianta estudar filosofia se não para melhorar o seu pensamento sobre as questões importantes do dia a dia? Ludwig Wittgenstein

Introdução. De que adianta estudar filosofia se não para melhorar o seu pensamento sobre as questões importantes do dia a dia? Ludwig Wittgenstein Introdução De que adianta estudar filosofia se não para melhorar o seu pensamento sobre as questões importantes do dia a dia? Ludwig Wittgenstein O que a filosofia tem a ver com o dia a dia? Tudo! Na verdade,

Leia mais

ÍNDICE PRIMEIRA PARTE A ARTE DA COMUNICAÇÃO

ÍNDICE PRIMEIRA PARTE A ARTE DA COMUNICAÇÃO ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 13 PRIMEIRA PARTE A ARTE DA COMUNICAÇÃO 1. ESCUTAR OS FILHOS... 17 1.1 Dar tempo... 18 1.2 Prestar atenção... 19 1.3 Interpretar bem a mensagem... 19 1.4 Manifestar compreensão...

Leia mais

Maríndia Mattos Morisso 2 Caterine de Moura Brachtvogel 3 Fernando Jaime González 4 Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS Ijuí, RS

Maríndia Mattos Morisso 2 Caterine de Moura Brachtvogel 3 Fernando Jaime González 4 Universidade Regional do Noroeste do Estado do RS Ijuí, RS A Utilização das TIC por Professores de Educação Física de Escolas Públicas da Região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul 1 Resumo Maríndia Mattos Morisso 2 Caterine de Moura Brachtvogel 3 Fernando

Leia mais

GUIÃO DO PROFESSOR. Alice nos País das Maravilhas. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor

GUIÃO DO PROFESSOR. Alice nos País das Maravilhas. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor GUIÃO DO PROFESSOR Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor Era Uma Vez Enquadramento Curricular Preparação da visita Matemática Relações e regularidades Geometria descritiva Elementos

Leia mais

Estudos da Natureza na Educação Infantil

Estudos da Natureza na Educação Infantil Estudos da Natureza na Educação Infantil Referenciais Curriculares Nacionais da Educação Infantil (RCNEI) parte 3 Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL

RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo MATUCHESKI, Franciele Luci PUCPR francielematucheski@yahoo.com.br Eixo Temático: Práticas e Estágios nas Licenciaturas

Leia mais

Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a

Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a Livro com atividades para colorir, desenhar, construir, e muito mais! Este livro pertence a CENTRO DE PSICOLOGIA APLICADA DO EXÉRCITO NÚCLEO DE APOIO PSICOLÓGICO E INTERVENÇÃO NA CRISE Edição - Julho 2014

Leia mais

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA

LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA LETRAMENTO DIGITAL: REFLEXÕES SOBRE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA NA CIBERCULTURA INTRODUÇÃO Silvane Santos Souza(UNEB/Lusófona) No contexto atual em que a educação encontra-se inserida, surgem muitas inquietações

Leia mais

Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD

Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD Manual para acesso às disciplinas na modalidade EAD Para acessar sua senha: 1. Entrar no portal Metodista online Acesse o site www.bennett.br. No lado superior direito aparecerá a janela da área de login,

Leia mais

Gabinete de Apoio ao Aluno e à Comunidade Educativa (GACE)

Gabinete de Apoio ao Aluno e à Comunidade Educativa (GACE) Núcleos de Estudo Caderno de Apoio Núcleos de Estudo 1 Podes dizer-me, por favor, que caminho devo seguir para sair daqui? [perguntou a Alice] Isso depende muito de para onde é que queres ir disse o Gato.

Leia mais

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE

SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Escola de Tempo Integral Experiências Matemáticas 7º ANO (6ª série) SUPERAÇÃO JÁ! ETAPA DEterminaÇÃO CADERNO DO ESTUDANTE Este é um material em construção que contém os capítulos de apoio das atividades

Leia mais

PALAVRAS QUE BRINCAM: A EXPERIÊNCIA LITERÁRIA DA ONG EMCANTAR COM ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS DE UBERLÂNDIA MG

PALAVRAS QUE BRINCAM: A EXPERIÊNCIA LITERÁRIA DA ONG EMCANTAR COM ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS DE UBERLÂNDIA MG PALAVRAS QUE BRINCAM: A EXPERIÊNCIA LITERÁRIA DA ONG EMCANTAR COM ALUNOS DE ESCOLAS PÚBLICAS DE UBERLÂNDIA MG ANA PAULA RABELO (ASSOCIAÇÃO EMCANTAR DE ARTE EDUCAÇÃO CULTURA E MEIO AMBIENTE). Resumo Ver

Leia mais

IDOSOS E A LEITURA DE JORNAL.

IDOSOS E A LEITURA DE JORNAL. IDOSOS E A LEITURA DE JORNAL. Adriana Pastorello. Programa de Pós-Graduação Universidade Estadual Paulista Câmpus de Marília SP. Grupo de pesquisa: Processos de leitura e de escrita: apropriação e objetivação.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE PAIS DE EIXO. çzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa

ASSOCIAÇÃO DE PAIS DE EIXO. çzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopa qwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçz xcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasd fghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwerty uiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjklçzxcvbn mqwertyuiopasdfghjklçzxcvbnmqwertyuiopasdfghjkl

Leia mais

ROTEIRO PARA OFICINA DE ANALISE DO DESEMPENHO ESCOLAR E ELABORAÇÃO DO PLANO DE ENSINO

ROTEIRO PARA OFICINA DE ANALISE DO DESEMPENHO ESCOLAR E ELABORAÇÃO DO PLANO DE ENSINO ROTEIRO PARA OFICINA DE ANALISE DO DESEMPENHO ESCOLAR E ELABORAÇÃO DO PLANO DE ENSINO DOCUMENTOS BÁSICOS: - Cadernos Paebes; - Ata de resultados finais da Escola em 2010; - Guia de Intervenção Pedagógica;

Leia mais

PLATAFORMA DOS CENTROS URBANOS

PLATAFORMA DOS CENTROS URBANOS PLATAFORMA DOS CENTROS URBANOS Consulta às Lideranças das Comunidades Consulta às Crianças e aos Adolescentes Síntese dos resultados Março 2010 Introdução Este relatório sintetiza os resultados de duas

Leia mais

3 Metodologia da pesquisa

3 Metodologia da pesquisa 3 Metodologia da pesquisa Neste capítulo será abordada a caracterização da pesquisa abrangendo o tipo de pesquisa escolhido, critérios para seleção dos entrevistados, os procedimentos adotados para a coleta

Leia mais

FACULDADE SENAC MINAS Manual para elaboração Trabalho Interdisciplinar 2º período curso Administração de Empresas

FACULDADE SENAC MINAS Manual para elaboração Trabalho Interdisciplinar 2º período curso Administração de Empresas Núcleo de Apoio ao Trabalho Interdisciplinar MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHO INTERDISCIPLINAR PRODUTO: ARTIGO CIENTÍFICO 2º PERÍODO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS 2º Semestre / 2011 LISTAS DE QUADROS

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Informação 1/2005 Aula 3 -Técnicas de Levantamento de Requisitos (material elaborado pelas Profas. Rosângela e Junia)

Introdução aos Sistemas de Informação 1/2005 Aula 3 -Técnicas de Levantamento de Requisitos (material elaborado pelas Profas. Rosângela e Junia) 1 2 Introdução aos Sistemas de Informação 1/2005 Aula 3 -Técnicas de Levantamento de Requisitos (material elaborado pelas Profas. Rosângela e Junia) Em todo desenvolvimento de software, um aspecto fundamental

Leia mais

A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS E OUTRAS FERRAMENTAS COMO RECURSOS PEDAGÓGICOS NA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO EM SAÚDE MENTAL

A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS E OUTRAS FERRAMENTAS COMO RECURSOS PEDAGÓGICOS NA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO EM SAÚDE MENTAL 1 A CONTAÇÃO DE HISTÓRIAS E OUTRAS FERRAMENTAS COMO RECURSOS PEDAGÓGICOS NA ELABORAÇÃO DE PLANEJAMENTO PARTICIPATIVO EM SAÚDE MENTAL Annatália Meneses de Amorim Gomes José Jackson Coelho Sampaio Resumo

Leia mais

Introdução a Engenharia de Produção. Instrumentos de Avaliação. EMENTA do curso. Bibliografia Básica. Instrumentos de Avaliação 20/03/2012

Introdução a Engenharia de Produção. Instrumentos de Avaliação. EMENTA do curso. Bibliografia Básica. Instrumentos de Avaliação 20/03/2012 Introdução a Engenharia de Produção Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO Introdução a Engenharia de Produção Objetivos 1. Apresentar ao educando o curso de Engenharia de Produção com suas diversas

Leia mais

JOGOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: UMA OPÇÃO PARA AS AULAS DE LÍNGUA INGLESA

JOGOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: UMA OPÇÃO PARA AS AULAS DE LÍNGUA INGLESA JOGOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: UMA OPÇÃO PARA AS AULAS DE LÍNGUA INGLESA MARIA CLÁUDIA DE MESQUITA (UNESP - ASSIS). Resumo A idéia de que as atividades lúdicas devem estar presentes somente no

Leia mais

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1

Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Uma narrativa, uma história e um imaginário. Fernanda Cielo* 1 Meu nome é Maria Bonita, sou mulher de Vírgulino Ferreira- vulgo Lampiãofaço parte do bando de cangaceiros liderados por meu companheiro.

Leia mais

FACULDADE AGES COLEGIADO DE DIREITO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE SEMINÁRIO DE APRESENTAÇÃO DA PRODUÇÃO ÚNICA 2015-1

FACULDADE AGES COLEGIADO DE DIREITO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE SEMINÁRIO DE APRESENTAÇÃO DA PRODUÇÃO ÚNICA 2015-1 FACULDADE AGES COLEGIADO DE DIREITO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE SEMINÁRIO DE APRESENTAÇÃO DA PRODUÇÃO ÚNICA 2015-1 1. APRESENTAÇÃO O Projeto Integrador tem como objetivo levar o estudante a campo para

Leia mais

dobrar pelo tracejado para dentro furo ÁLBUM de aventuras furo dobrar pelo tracejado para dentro pôr cola no outro lado

dobrar pelo tracejado para dentro furo ÁLBUM de aventuras furo dobrar pelo tracejado para dentro pôr cola no outro lado Você acha que consegue plantar uma floresta inteirinha? E de transformar o seu bairro? Ah, mas criar uma ação em conjunto com o mundo inteiro, você consegue? Claro que sim! Todos têm super poderes, e o

Leia mais

Como é a criança de 4 a 6 anos

Como é a criança de 4 a 6 anos de 4 a 6 anos Como é a criança Brinque: lendo histórias, cantando e desenhando. A criança se comunica usando frases completas para dizer o que deseja e sente, dar opiniões, escolher o que quer. A criança

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Lei 10.639/2003. Diversidade Etnicorracial. Práticas Pedagógicas.

PALAVRAS-CHAVE: Lei 10.639/2003. Diversidade Etnicorracial. Práticas Pedagógicas. REVELANDO SENTIDOS E DESPERTANDO PERTENÇAS: O PROCESSO DE IMPLEMENTAÇÃO DA LEI 10.639/03 EM UMA ESCOLA DA REDE PÚBLICA DE ENSINO DE CAMPINA GRANDE-PB Acacia Silva Alcantara Graduanda Pedagogia UEPB/PROPESQ/PIBIC-Af

Leia mais

Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você!

Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você! Vamos mudar o mundo? Mais esta mudança deve começar por você! Este Livro Digital (Ebook) é fruto de uma observação que eu faço no mínimo há dez anos nas Redes Sociais, e até pessoalmente na convivência

Leia mais

Oração na Vida Diária

Oração na Vida Diária Oração na Vida Diária ocê é convidado a iniciar uma experiência de oração. Às vezes pensamos que o dia-a-dia com seus ruídos, suas preocupações e sua correria não é lugar apropriado para levantar nosso

Leia mais

AF_Livro_Casamento 10/27/06 4:17 PM Page 1

AF_Livro_Casamento 10/27/06 4:17 PM Page 1 AF_Livro_Casamento 10/27/06 4:17 PM Page 1 AF_Livro_Casamento 10/27/06 4:17 PM Page 2 2006 ALBA NOSCHESE COORDENAÇÃO EDITORIAL: MÁRCIA DUARTE EDIÇÃO: MAIÁ MENDONÇA PROJETO GRÁFICO E DIREÇÃO DE ARTE: CLAUDIO

Leia mais

Fernando Mesquita. Para Gabriela, sem a qual nada seria possível

Fernando Mesquita. Para Gabriela, sem a qual nada seria possível Fernando Mesquita Para Gabriela, sem a qual nada seria possível 2 Ciclo EARA - o processo da aprovação em concursos públicos SOBRE O AUTOR Fernando Mesquita é um pisciano de menos de 30 anos, casado e

Leia mais

7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema

7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema 7º Prêmio VIVALEITURA Edição Lúcia Jurema PROJETO Livro Aberto por Ravel Andrade de Sousa JUSTIFICATIVA O trabalho descrito a seguir foi por mim realizado a partir do início do ano de 2009, na biblioteca

Leia mais

Edison Mendes. A realidade de uma vida

Edison Mendes. A realidade de uma vida Edison Mendes A realidade de uma vida Rio de Janeiro Barra Livros 2014 Copyright 2014 by Edison Mendes Todos os direitos reservados à Barra Livros Proibida a reprodução desta obra, total ou parcialmente,

Leia mais