IV ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA - ANPUH-BA HISTÓRIA: SUJEITOS, SABERES E PRÁTICAS. 29 de Julho a 1 de Agosto de Vitória da Conquista - BA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IV ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA - ANPUH-BA HISTÓRIA: SUJEITOS, SABERES E PRÁTICAS. 29 de Julho a 1 de Agosto de 2008. Vitória da Conquista - BA."

Transcrição

1 IV ENCONTRO ESTADUAL DE HISTÓRIA - ANPUH-BA HISTÓRIA: SUJEITOS, SABERES E PRÁTICAS. 29 de Julho a 1 de Agosto de Vitória da Conquista - BA. PASTAS ADMINISTRATIVAS E OS RETRATOS COMO FONTES NO ESTUDO DA HISTÓRIA Vanessa Magalhães da Silva Mestranda em História pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) Palavras-chave: Faculdade de Filosofia da Bahia. Corpo docente. Pastas administrativas. História intelectual. No horizonte de todo historiador está sempre um universo documental sobre o qual ele deverá se debruçar para a construção de uma narrativa referente a fatos do passado. Essa assertiva, bastante óbvia para to dos os que se dedicam à leitura de obras historiográficas, esteve no âmago da nossa pesquisa quando e sta principiou em janeiro de 2006, com um trabalho voluntário de organização de parte do acervo do Arquivo da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) da UFBA. Organizando e catalogando as pastas dos professores aposentados da Faculdade, percebemos a riqueza do acervo, surgindo daí a idéia de pesquisar a trajetória e a vida intelectual desses homens e mulheres. Imediatamente veio à nossa mente uma p assagem do clássico trabalho de Bloch (2001, p ) sobre o ofício do historiador. O pai da História Nova asseverou ser quase infinita a diversidade dos testemunhos históricos. E completou dizendo que tudo quanto o homem diz ou escreve, tudo quanto f abrica, tudo em que toca, pode e deve informar a seu respeito. Se a preocupação inicial do historiador, ao começar uma pesquisa, é com as fontes a serem trabalhadas e que se conformarão como a base do seu trabalho, não se pode perder de vista que, por mai s completo que seja o universo documental ele nos remeterá a um mundo diferente. Diferentemente do mundo que nos cerca, do qual somos coevos, o conhecimento do passado é necessariamente indireto (BLOCH, 2001, p. 69 ). Com estas idéias na cabeça começa a tarefa de refletir sobre o que a fonte pode revelar. Qual é o tipo de trabalho a ser feito, quais os referenciais a serem utilizados para que os documentos ajudem a esclarecer indagações sobre o passado que surgem à medida que começa a leitura dos primeir os fólios. Este artigo objetiva apresentar as pastas administrativas dos docentes fundadores da Faculdade de Filosofia da Bahia e seus retratos como fontes para o trabalho do historiador. Pretendemos evidenciar as contribuições e os problemas suscitados po r esta rica documentação, demonstrando como estas fontes influenciaram os métodos de trabalho aplicados no desenvolvimento do projeto de pesquisa intitulado Uma história da docência na

2 2 Bahia: os professores da Faculdade de Filosofia e suas trajetórias ( ) 1. Não só isto. Este acervo documental faz parte da essência da fundação da Faculdade de Filosofia da Bahia. Suas gerações precursoras deixaram traços que podem, ao serem reconstituídos, ajudar a elucidar facetas da história recente da Bahia, concernentes à sua história política, intelectual, cultural, institucional e quem sabe uma história que se marque por influências múltiplas, interdisciplinar. A primeira etapa da jornada foi a organização das pastas administrativas que se encontram no Arquivo da FFCH. Ordenamos as pastas em blocos, arquivamos por ordem alfabética e elaboramos uma ficha biográfica de cada professor. Começamos a nos deparar com os problemas, pois, algumas pastas não foram encontradas, provavelmente pelas várias mudanças de sede d a Faculdade. Dispomos no Arquivo da FFCH a Ata de Fundação da Faculdade de Filosofia e o Livro de posse do corpo docente que também nos servirão de fontes. A riqueza do acervo criou em nosso anseio a expectativa de ajudar a preencher algumas das muitas lacunas que ainda existem quanto à origem da Faculdade, sua fundação, seus primeiros docentes, locais de sociabilidade que frequentavam, traços das mentalidades dos personagens que foram seus contemporâneos, sua posição de arena de debates intelectuais e polí ticos e de plataforma de negociação e legitimação de interesses. Procedemos, em seguida, a um levantamento bibliográfico rico. Analisando a vida de alguns professores e amparados pela bibliografia a pesquisa teve novo s desdobramentos. Surgiu, então, a idéia de estabelecer uma ponte entre a Faculdade de Filosofia e outros locais de sociabilidade intelect ual presentes no cenário baiano da década de 40 do século passado. Interessante seria encontrar locais que possibilitassem a revelação de redes intelect uais. Verificamos que alguns dos professores, ao tempo em que se configuravam como docentes, desempenhavam, também, atividades intelectuais na Academia de Letras da Bahia e no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia. Destarte, se concretizava a oportunidade de entrecruzar os papéis desempenhados em diferentes instituições e mapear a atuação dos docentes e a confecção de redes de sociabilidade intelectual. O período em estudo compreende os anos de 1941, ano da fundação da Faculdade, ao ano de 1968, quando acontece a Grande Reforma Universitária, durante a Ditadura Militar. A Faculdade de Filosofia desempenhou um papel muito importante no universo intelectual baiano na década de 40 do século XX, nomes do seu corpo docente, além de membros das 1 Projeto de Mestrado apresentado ao Programa de Pós -graduação em História Social da UFBA.

3 3 instituições citadas, eram personagens da política local e nacional. Alguns exerceram cargos políticos e públicos, como Antônio Balbino de Carvalho Filho, Luiz Viana Filho e Raul Baptista de Almeida. A Faculdade de Filosofia da Bahia foi criada a partir da idéia d o educador Isaías Alves e a primeira reunião data de sua fundação aconteceu no dia 13 de junho de 1941 na Associação Comercial da Bahia. Os professores tomaram posse no dia 15 de dezembro de 1942 e as aulas da Faculdade começaram em março de Em decorrência dos poucos cursos de nível superior existentes no início do século XX, a maioria dos professores era formada em Medicina, seguido dos bacharéis em Ciência s Jurídicas e Sociais e dos Engenheiros Civis. Os professores não eram especializados nas cadeiras que lecionavam. Era comum um Cirurgião Dentista formado pela Faculdade de Medicina exercer a cadeira de Catedrático de Língua e Literatura Espanhola; ou um médico ser Catedrático de Filologia e Língua Portuguesa, Catedrático de Filologia Românica, Catedrá tico de Literatura Hispano - Americana ou, ainda, Catedrático de Antropol ogia e Etnografia, dentre outras cátedras. Essas informações foram encontradas nas pastas. As pastas administrativas contêm informações sobre a vida docente dos professores, bem como produções intelectuais, correspondências, discursos, registros de viagens, além de informações administrativas e funcionais. Exemplo disso é um documento encontrado na pasta do professor Frederico Edelweiss, cuja biblioteca particular hoje está incorporada a o Centro de Estudos Baianos (CEB) e recebeu justamente o seu nome. Este documento, que se trata de um pedido de titulação de professor emérito ao professor Edelweiss, nos informa que ele foi um dos precursores do estudo da Língua tupi -guarani, quando esta cátedra foi instituída na FFB, ela era ministrada apenas na Universidade de São Paulo. Nossa pesquisa não objetiva fazer um trabalho sistemático sobre relações de gênero. Mas trataremos das mulheres, enquanto professoras, inseridas no corpo docente, analis ando algumas questões de gênero, pois estudamos um período de uma sociedade ainda com muitos valores conservadores. Há, no Arquivo da FFCH, pastas de duas professoras fundadoras: Gabriella Leal de Sá Pereira e Guiomar de Carvalho Florence. Catedrática de L íngua e Literatura Alemã e catedrática de História e Filosofia da Educação, respectivamente. A professora Leal, que exerceu a função de diretora da FFCH em 1960, foi Bacharela em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito da Bahia, formada em e a professora Guiomar Florence não tinha formação superior. Consta na Ata de Fundação a assinatura da Professora Maria Luigia Magnavita, assim como referências a ela em outras pastas e documentos, mas não foi encontrada a sua pasta administrativa. É possível fazer uma

4 4 pesquisa sobre gênero, a professora Gabriella Leal, por exemplo, se formou em Direito em 1933, período em que pouquíssimas mulheres tinham acesso a um curso superior. Outra fonte que utilizamos em nossa pesquisa são os retratos de profess ores que estão expostos na sala da direção da FFCH. Decidimos incluir em nossa pesquisa uma abordagem que contemplasse esses quadros, sem escapar ao tema inicial de nossa pesquisa, que é o estudo da primeira geração de professores da Faculdade de Filosofia da Bahia e seus meios e mecanismos de sociabilidade intelectual na Bahia das décadas de 40 a 60 do século XX. A perspectiva, deste modo, é fazer uma análise que promova o diálogo entre a história intelectual e a cultura material. As pinturas são símbolos que permeiam o imaginário e servem como elementos de legitimação. Estes quadros, que se configuram a um só tempo como parte da cultura material da Faculdade de Filosofia da Bahia e da sua história intelectual, podem, sem dúvida contemplar a agenda propost a por Meneses (2003, p ) de temas que enriqueçam as relações analíticas que colocam história e campo visual fre nte a frente. Os quadros devem ser vistos como documentos privilegiados que permitem entabular diálogos entre diferentes tendências da nar rativa histórica. Na condição de fontes a serem utilizadas para enriquecer o entendimento da sociedade baiana de meados do século XX, coadunam-se como elementos fundamentais para ajudar a elucidar traços das mentalidades e dos costumes que norteavam os ans eios e as convenções dos diversos segmentos sociais, especialmente daqueles que alimentavam os grupos docentes com seus representantes. A Faculdade enquanto instituição se expressa por meio desta documentação imagética, cria uma narrativa do passado que se conforma como campo privilegiado para o historiador. Estes quadros que fazem parte da cultura material da Faculdade de Filosofia da Bahia constroem um discurso sobre o passado da instituição e o rastro deixado por estas obras, certamente, está relacionado a disputas por poder e legitimidade. Traços da cultura material que, produzidos sob os auspícios de uma elite política num contexto antidemocrático e conservador por excelência, mostram os mecanismos utilizados por elementos destas elites que buscam pre stígio social através da atuação intelectual para sacramentar suas ações e preservar sua memória num período em que o culto da personalidade era a tônica da atuação na vida política. É preciso levar em consideração a proposta de abordar as atividades int electuais dos docentes fundadores da Faculdade de Filosofia da Bahia enquanto atitudes políticas, principalmente quando se pondera sobre os anseios destas gerações formadas nas primeiras

5 5 décadas do século XX, que estavam inclinadas a desempenhar uma ação c onjunta que mesclava a atividade intelectual e a prática política. Uma contribuição fundamental que esses quadros podem dar a nossa pesquisa é auxiliar na compreensão dos mecanismos utilizados por segmentos das elites intelectuais da Bahia, que tentam faze r prevalecer sua visão de mundo a partir dos discursos e narrativas calcados e camuflados em formas simbólicas imagéticas. São doze quadros de professores e não há retrato de mulheres. Fazendo o cruzamento das fontes, com um exemplo prático, é possível encontrar em algumas pastas informações sobre datas de inauguração dos retratos. Carlos Chiacchio faleceu em 1947 e em sua pasta consta um documento da Conferência realizada no Salão Nobre da Reitoria por ocasião da inauguração de seu retrato, no dia 28 d e outubro de A pasta de Manuel Peixoto contém um documento enviado à senhora Irene Baker, no qual a Faculdade a convidava para a inauguração do retrato do professor Peter Baker na Galeria de Mortos Ilustres, no dia 22 de abril de A pasta do pro fessor José Valladares contém um convite destinado ao Sr. Francisco do Prado Valladares, para a colocação dos quadros de Francisco Xavier Ferreira Marques, Herbert Parente Fortes, Antônio Luiz Cavalcanti de Albuquerque de Barros Barreto e José Antônio do P rado Valladares, que ocorreria às 16 horas do dia 1º de outubro de Nas pastas dos professores Magalhães Netto, Renato Mesquita e Barros Barreto também constam informações sobre os quadros. Não consta nos arquivos a pasta de um dos professores retrata dos, Xavier Marques. Assim como não consta a pasta do professor fundador Isaías Alves. A pesquisa com os retratos e as pastas administrativas dos professores nos remeteu a outras discussões, sobre a formação acadêmica dos professores e suas áreas de atuaçã o, além de questões de gênero e classe que poderão se tornar objeto de outras pesquisas. São caminhos possíveis. É possível fazer um trabalho de história da educação, história intelectual, história institucional e porque não, de cultura material e história visual, com as fontes com as quais pesquisamos. As pastas administrativas e os retratos, a priori, não têm muito a nos oferecer, mas com um olhar minucioso do historiador, é possível perceber muito sobre o período estudado, sobre a produção desses intelec tuais e sobre suas relações com o utros espaços de sociabilidades, seus meios de legitimação e as relações de poder.

6 6 Referências BLOCH, Marc. Apologia da história ou o ofício do historiad or. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, BURKE, Peter. A escrita da História. São Paulo: Editora Unesp, CARDOSO, Ciro Flamarion ; VAINFAS, Ronaldo ( Org.). Domínios da História: ensaios de teoria e metodologia. Rio de Janeiro: Campus, EL FAR, Alessandra. A encenação da imortalidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, MENESES, Ulpiano T. Bezerra de. Fontes visuais, cultura visual, história visual. Balanço provisório, propostas cautelares. Revista Brasileira de História, São Paulo: ANPUH, v. 23, n. 45, p , jul UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Notícias Históricas da Universidade da Bahia. Salvador, 1966.

A PARTICIPAÇÃO ACADÊMICA EM PROJETOS DE EXTENSÃO E SUA IMPORTÂNCIA PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

A PARTICIPAÇÃO ACADÊMICA EM PROJETOS DE EXTENSÃO E SUA IMPORTÂNCIA PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( X ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A PARTICIPAÇÃO

Leia mais

Mostra de Projetos 2011 MUSEU VIRTUAL DE IMAGEM E HISTÓRIA

Mostra de Projetos 2011 MUSEU VIRTUAL DE IMAGEM E HISTÓRIA Mostra de Projetos 2011 MUSEU VIRTUAL DE IMAGEM E HISTÓRIA Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: (Campo não preenchido).

Leia mais

Docente: Gilberto Abreu de Oliveira (Mestrando em Educação UEMS/UUP) Turma 2012/2014 Email: oliveira.gilbertoabreu@hotmail.

Docente: Gilberto Abreu de Oliveira (Mestrando em Educação UEMS/UUP) Turma 2012/2014 Email: oliveira.gilbertoabreu@hotmail. Docente: Gilberto Abreu de Oliveira (Mestrando em Educação UEMS/UUP) Turma 2012/2014 Email: oliveira.gilbertoabreu@hotmail.com Blog: http://historiaemdebate.wordpress.com 1 Principais Conceitos sobre os

Leia mais

Arquivo CÂNDIDO DE MELLO NETO: organização e disponibilização dos acervos sobre Anarquismo, Integralismo e Documentos Particulares

Arquivo CÂNDIDO DE MELLO NETO: organização e disponibilização dos acervos sobre Anarquismo, Integralismo e Documentos Particulares Arquivo CÂNDIDO DE MELLO NETO: organização e disponibilização dos acervos sobre Anarquismo, Integralismo e Documentos Particulares Professora Elizabeth Johansen ( UEPG) Jessica Monteiro Stocco (UEPG) Tatiane

Leia mais

ENTRE A LEI, OS COSTUMES E O DESENVOLVIMENTO: O PROJETO URBANÍSTICO DE 1970 EM MONTES CLAROS/MG.

ENTRE A LEI, OS COSTUMES E O DESENVOLVIMENTO: O PROJETO URBANÍSTICO DE 1970 EM MONTES CLAROS/MG. ENTRE A LEI, OS COSTUMES E O DESENVOLVIMENTO: O PROJETO URBANÍSTICO DE 1970 EM MONTES CLAROS/MG. Michael Jhonattan Delchoff da Silva. Universidade Estadual de Montes Claros- Unimontes. maicomdelchoff@gmail.com

Leia mais

SANTOS, Emille Ribeiros 1 Email: emilleribeiro87@gmail.com Orientadora: Profa. Dra. Avanete Pereira Sousa 2

SANTOS, Emille Ribeiros 1 Email: emilleribeiro87@gmail.com Orientadora: Profa. Dra. Avanete Pereira Sousa 2 ACERVO, PATRIMÔNIO E MEMÓRIA: A DOCUMENTAÇÃO DA JUSTIÇA DO TRABALHO DE VITÓRIA DA CONQUISTA EXISTENTE NO LABORATÓRIO DE HISTÓRIA SOCIAL DO TRABALHO (LHIST/UESB) SANTOS, Emille Ribeiros 1 Email: emilleribeiro87@gmail.com

Leia mais

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes

A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL. Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes A FORMAÇÃO DE SUJEITOS CRÍTICOS NO ENSINO SUPERIOR: UM POSSÍVEL CAMINHO PARA A TRANSFORMAÇÃO SOCIAL Marijara de Lima Monaliza Alves Lopes FACULDADE ALFREDO NASSER INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO III PESQUISAR

Leia mais

Nas Margens da Educação: imprensa feminina e urbanidade moderna na Ribeirão Preto das primeiras décadas do século XX

Nas Margens da Educação: imprensa feminina e urbanidade moderna na Ribeirão Preto das primeiras décadas do século XX Nas Margens da Educação: imprensa feminina e urbanidade moderna na Ribeirão Preto das primeiras décadas do século XX Jorge Luiz de FRANÇA * Nesta comunicação, pretendemos, por intermédio das publicações

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Faculdade de Educação PROJETO DE PESQUISA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO Faculdade de Educação PROJETO DE PESQUISA PROJETO DE PESQUISA INSTITUIÇÕES E INTELECTUAIS DA EDUCAÇÃO NO BRASIL: HISTÓRIA, IDEIAS E TRAJETÓRIAS Responsável: Prof. Dr. Mauro Castilho Gonçalves O projeto investiga a história de instituições educativas

Leia mais

EIXOS TEMÁTICOS REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

EIXOS TEMÁTICOS REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS EIXOS TEMÁTICOS 1. Cultura, saberes e práticas escolares e pedagógicas na educação profissional e tecnológica: arquivos escolares, bibliotecas e centros de documentação. Para este eixo temático espera

Leia mais

PROCESSOS CRIMES: SUA IMPORTÂNCIA COMO FONTE PRIMÁRIA. 1

PROCESSOS CRIMES: SUA IMPORTÂNCIA COMO FONTE PRIMÁRIA. 1 199 PROCESSOS CRIMES: SUA IMPORTÂNCIA COMO FONTE PRIMÁRIA. 1 FERIOTO, Diego Gomes. 2 RESUMO Apresentaremos resultados parciais da pesquisa que pretende enfatizar a importância dos processos criminais como

Leia mais

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte

A Bandeira Brasileira e Augusto Comte A Bandeira Brasileira e Augusto Comte Resumo Este documentário tem como ponto de partida um problema curioso: por que a frase Ordem e Progresso, de autoria de um filósofo francês, foi escolhida para constar

Leia mais

Prefácio. Antonietta d Aguiar Nunes

Prefácio. Antonietta d Aguiar Nunes Prefácio Antonietta d Aguiar Nunes SciELO Books / SciELO Livros / SciELO Libros NUNES, AA. Prefácio. In BOAVENTURA, EM. A construção da universidade baiana: objetivos, missões e afrodescendência [online].

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

12 Guia prático de história oral

12 Guia prático de história oral parte i Fundamentos 12 Guia prático de história oral 1. TEMA Ao longo dos últimos anos, muitas abordagens se somam à chamada história oral, termo, contudo pouco explicado e confundido com gravações de

Leia mais

UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão

UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão Eva Simone de Oliveira (acadêmica) e-mail: UNESPAR/Campo Mourão e- mail: Claudia Priori (Orientadora) INTRODUÇÃO

Leia mais

A se acreditar no testemunho de seus contemporâneos, Maria Guilhermina Loureiro

A se acreditar no testemunho de seus contemporâneos, Maria Guilhermina Loureiro CONSIDERAÇÕES FINAIS A se acreditar no testemunho de seus contemporâneos, Maria Guilhermina Loureiro de Andrade foi uma mulher bastante conhecida na sociedade brasileira, pelo menos entre a imprensa e

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA DOS ANNALES PARA O ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE CINEMA E HISTÓRIA. Veruska Anacirema Santos da Silva

A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA DOS ANNALES PARA O ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE CINEMA E HISTÓRIA. Veruska Anacirema Santos da Silva A IMPORTÂNCIA DA ESCOLA DOS ANNALES PARA O ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE CINEMA E HISTÓRIA Veruska Anacirema Santos da Silva Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia Orientador: Prof. Dr. Edson Farias (UnB)

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: Licenciatura em História Disciplina: Métodos e técnicas de pesquisa Histórica Carga Horária: 45h Teórica: 45h Prática: Semestre: 23.2 Professor: Reinaldo

Leia mais

(30h/a 02 créditos) Dissertação III (90h/a 06 Leituras preparatórias para a

(30h/a 02 créditos) Dissertação III (90h/a 06 Leituras preparatórias para a GRADE CURRICULAR DO MESTRADO EM LETRAS: LINGUAGEM E SOCIEDADE DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS 34 CRÉDITOS Teorias da Linguagem (60h/a 04 Teorias Sociológicas (60h/a 04 Metodologia da Pesquisa em Linguagem (30h/a

Leia mais

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias C/H Memória Social 45 Cultura 45 Seminários de Pesquisa 45 Oficinas de Produção e Gestão Cultural 45 Orientação

Leia mais

LICENCIATURA EM HISTÓRIA. fgv.br/vestibular

LICENCIATURA EM HISTÓRIA. fgv.br/vestibular LICENCIATURA EM HISTÓRIA fgv.br/vestibular IDEALISMO, EXCELÊNCIA E CREDIBILIDADE A Fundação Getulio Vargas surgiu em 20 de dezembro de 1944 com o objetivo de preparar profissionais qualificados em Administração

Leia mais

HISTÓRIA DA ANTROPOLOGIA NA UFPEL: ENTRE OS CAMPOS DA ANTROPOLOGIA FÍSICA, CULTURAL E FILOSÓFICA.

HISTÓRIA DA ANTROPOLOGIA NA UFPEL: ENTRE OS CAMPOS DA ANTROPOLOGIA FÍSICA, CULTURAL E FILOSÓFICA. HISTÓRIA DA ANTROPOLOGIA NA UFPEL: ENTRE OS CAMPOS DA ANTROPOLOGIA FÍSICA, CULTURAL E FILOSÓFICA. LEMOES DA SILVA, Tiago ¹; RIETH, Flavia Maria Silva²; REICHOW, Josué³. ¹ ² ³ Laboratório de Ensino e Pesquisa

Leia mais

E o Centro de Educação, de onde se origina?

E o Centro de Educação, de onde se origina? DISCURSO DO DIRETOR DO CENTRO DE EDUCAÇÃO, PROFESSOR JOSÉ BATISTA NETO, PROFERIDO POR OCASIÃO DA SESSÃO SOLENE EM HOMENAGEM AOS 60 ANOS DO CENTRO DE EDUCAÇÃO, PROMOVIDA PELA ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DE PERNAMBUCO,

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA

REGULAMENTO DE ESTÁGIO DO CURSO DE LICENCIATURA PLENA EM HISTÓRIA Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás Departamento de Áreas Acadêmicas I Coordenação de Ciências Humanas

Leia mais

VOCABULÁRIOS DE LÍNGUAS INDÍGENAS NA REVISTA DO IHGB: O PROCESSO DE GRAMATIZAÇÃO

VOCABULÁRIOS DE LÍNGUAS INDÍGENAS NA REVISTA DO IHGB: O PROCESSO DE GRAMATIZAÇÃO Resumo VOCABULÁRIOS DE LÍNGUAS INDÍGENAS NA REVISTA DO IHGB: O PROCESSO DE GRAMATIZAÇÃO Dantielli Assumpção GARCIA. UNESP-IBILCE (São José do Rio Preto) FAPESP (proc. n 07/58250-1). dantielligarcia@gmail.com

Leia mais

Fernando Novais: Braudel e a " missão francesa"

Fernando Novais: Braudel e a  missão francesa Fernando Novais: Braudel e a " missão francesa" Estudos Avançados Qual a contribuição dos historiadores franceses e dos cientistas da França para a evolução da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras

Leia mais

O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE

O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE O RESGATE DO PENSAMENTO DE ALBERTO TORRES PARA A COMPREENSÃO HISTORIOGRÁFICA DA POLÍTICA NACIONAL DO PÓS- REVOLUÇÃO DE 1930 Jorge Eschriqui Vieira PINTO Alberto Torres foi um intelectual vanguardista entre

Leia mais

A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES

A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES A INFORMÁTICA E O ENSINO DE MATEMÁTICA: ALGUNS ESTUDOS RECENTES Silvia Regina Viel Rodrigues - Uni-FACEF Introdução Localizado no Departamento de Matemática, Unesp, Rio Claro, sob a coordenação do professor

Leia mais

O COLÉGIO ESTADUAL PRESIDENTE VARGAS DE DOURADOS E O SEU LABORATÓRIO

O COLÉGIO ESTADUAL PRESIDENTE VARGAS DE DOURADOS E O SEU LABORATÓRIO O COLÉGIO ESTADUAL PRESIDENTE VARGAS DE DOURADOS E O SEU LABORATÓRIO (1958-1971) Inês Velter Marques Mestranda em Educação /Linha História, Memória e Sociedade/Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)/Programa

Leia mais

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA

GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA GERENCIAMENTO ELETRÔNICO DE DOCUMENTOS DO GEPHE - GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM CAMPINA GRANDE PARAIBA Autora: Regina Coelli Gomes Nascimento - Professora do curso de História

Leia mais

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL.

SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. SABERES ADQUIRIDOS NO PIBID (PROGRAMA INSTUCIONAL DE BOLSA INICIAÇÃO À DOCÊNCIA) PARA O SUCESSO PROFISSIONAL. TayaraCrystina P. Benigno, UERN; tayara_bbg@hotmail.com Emerson Carlos da Silva, UERN; emersoncarlos90@hotmail.com

Leia mais

OS SIGNIFICADOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA ATRIBUÍDOS PELOS EGRESSOS DO CURSO PEDAGOGIA DA TERRA EM SUAS PRÁTICAS DOCENTES

OS SIGNIFICADOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA ATRIBUÍDOS PELOS EGRESSOS DO CURSO PEDAGOGIA DA TERRA EM SUAS PRÁTICAS DOCENTES OS SIGNIFICADOS DA FORMAÇÃO ACADÊMICA ATRIBUÍDOS PELOS EGRESSOS DO CURSO PEDAGOGIA DA TERRA EM SUAS PRÁTICAS DOCENTES Luciana Borges Junqueira Mestranda Educação - UFSJ Écio Portes - Orientador RESUMO

Leia mais

Convivência. Revista do PEN Clube do Brasil. 2ª Fase - 1º Semestre 2012 - Número 2 - Rio de Janeiro Brasil / ISSN 1518-9996 ESPECIAL

Convivência. Revista do PEN Clube do Brasil. 2ª Fase - 1º Semestre 2012 - Número 2 - Rio de Janeiro Brasil / ISSN 1518-9996 ESPECIAL Convivência Revista do PEN Clube do Brasil 2ª Fase - 1º Semestre 2012 - Número 2 - Rio de Janeiro Brasil / ISSN 1518-9996 ESPECIAL PEN CLUBE DO BRASIL: 76 ANOS (1936-2012) Cláudio Aguiar O sentido de qualquer

Leia mais

IMAGENS RELIGIOSAS NOS MANUSCRITOS MEDIEVAIS

IMAGENS RELIGIOSAS NOS MANUSCRITOS MEDIEVAIS IMAGENS RELIGIOSAS NOS MANUSCRITOS MEDIEVAIS Pamela Wanessa Godoi (UEL/ PIBIC-CNPQ) 1 Eixo: Imagem e Religião Resumo: Neste trabalho procuramos desenvolver uma análise de como alguns autores da historiografia

Leia mais

REGULAMENTO do Prêmio Griô na Escola, na Internet e na TV Concurso de propostas de realização de vídeos, registros audiovisuais e oficinas

REGULAMENTO do Prêmio Griô na Escola, na Internet e na TV Concurso de propostas de realização de vídeos, registros audiovisuais e oficinas REGULAMENTO do Prêmio Griô na Escola, na Internet e na TV Concurso de propostas de realização de vídeos, registros audiovisuais e oficinas 1. O Concurso e seus objetivos 1.1. O Prêmio Griô na Escola, na

Leia mais

1 REGISTRO, Tânia Cristina. O arranjo de fotografias em unidades de informação: fundamentos teóricos e

1 REGISTRO, Tânia Cristina. O arranjo de fotografias em unidades de informação: fundamentos teóricos e Michelle Cartolano de Castro Ribeiro. Catolicismo e Espiritismo: potenciais de pesquisa a partir do Fundo José Pedro Miranda (Centro Universitário Barão de Mauá pós-graduando) O espaço de estudo usado

Leia mais

A PRESENÇA NEGRA NO PARÁ: RESENHA DE UM

A PRESENÇA NEGRA NO PARÁ: RESENHA DE UM R E S E N H A A PRESENÇA NEGRA NO PARÁ: RESENHA DE UM TRABALHO PIONEIRO SALLES, VICENTE. O NEGRO NO PARÁ. SOB O REGIME DA ESCRAVIDÃO. 3ª EDIÇÃO. BELÉM: INSTITUTO DE ARTES DO PARÁ, 2005. JOSÉ MAIA BEZERRA

Leia mais

PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL

PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL PROCESSO DE CRIAÇÃO E EXPANSÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO-SENSU EM EDUCAÇÃO/EDUCAÇÃO ESPECIAL NO BRASIL SILVA, Régis Henrique dos Reis - NUPEFI/CEPAE/UFG SILVA, Sarah Maria de Freitas Machado - ESEFEGO/UEG

Leia mais

PROPOSTA DE PAINEL TEMÁTICO: Proprietas: Políticas públicas e historicidade

PROPOSTA DE PAINEL TEMÁTICO: Proprietas: Políticas públicas e historicidade PROPOSTA DE PAINEL TEMÁTICO: Proprietas: Políticas públicas e historicidade Proponente: Leandro José Luz Riodades de Mendonça (PPED/UFRJ - Pós- Graduação em Políticas Públicas, Estratégias e Desenvolvimento

Leia mais

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE.

O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. O PROJETO PIBID: PRÁTICA PEDAGÓGICA INOVADORA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE. Joelma Carvalho Vilar(UFS) 1 Cleverton dos Santos(UFS) 2 Érica Santos de Jesus(UFS) 3 Vera Lúcia Mendes de Farias(UFS)

Leia mais

Claudia Norete Novais Luz

Claudia Norete Novais Luz Claudia Norete Novais Luz Endereço para acessar este CV: http://lattes.cnpq.br/7788173410265540 Última atualização do currículo em 17/01/2013 Mestra em Estudo de Linguagens pela Universidade do Estado

Leia mais

UMA LEITURA SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 1980

UMA LEITURA SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 1980 UMA LEITURA SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 1980 ELAINE RODRIGUES (UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ), ALLINE MIKAELA PEREIRA (PPE/UEM). Resumo Por

Leia mais

HISTÓRIA: UMA CIÊNCIA EM CONSTRUÇÃO

HISTÓRIA: UMA CIÊNCIA EM CONSTRUÇÃO HISTÓRIA: UMA CIÊNCIA EM CONSTRUÇÃO Elias da Silva Maia Doutorando HCTE esmaia@ig.com.br UMA VISÃO DE CIÊNCIA Podemos considerar e definir ciência como as atividades, as instituições e os métodos ligados

Leia mais

ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS. Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais. Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail.

ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS. Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais. Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail. ACERVOS FOTOGRÁFICOS HISTÓRICOS Organização, Pesquisa e Usos de Documentos Visuais Aline Lopes de Lacerda alopeslacerda@gmail.com Parte I - Fotografia e valor documentário Parte II - A fotografia nos arquivos:

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA Margarete Maria da Silva meghamburgo@yahoo.com.br Graduanda em Pedagogia e membro do NEPHEPE Universidade Federal de

Leia mais

NO TEMPO DA MINHA AVÓ: REFLEXÃO E USO DA HISTÓRIA ORAL EM SALA DE AULA

NO TEMPO DA MINHA AVÓ: REFLEXÃO E USO DA HISTÓRIA ORAL EM SALA DE AULA NO TEMPO DA MINHA AVÓ: REFLEXÃO E USO DA HISTÓRIA ORAL EM SALA DE AULA Juliana de Oliveira Meirelles Camargo Universidade Candido Mendes/ Instituto Prominas e-mail: Ju_meirelles@yahoo.com.br Léa Mattosinho

Leia mais

Por Talamira Taita Rodrigues Brito

Por Talamira Taita Rodrigues Brito Programas acadêmicos e o ensino de graduação: estratégias para o fortalecimento da formação - Panorama da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB Por Talamira Taita Rodrigues Brito Localização

Leia mais

Dossiê Cinema e Audiovisual: entre o sensível e o reflexivo

Dossiê Cinema e Audiovisual: entre o sensível e o reflexivo Apresentação Milene de Cássia Silveira Gusmão* ** *** *Doutora em Ciências Sociais pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Docente do Bacharelado em Cinema e Audiovisual e do Programa de Pós-Graduação

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA

RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA RELATO DE EXPERIÊNCIA E PRÁTICA ESTÁGIO DOCENTE NA DISCIPLINA METODOLOGIA DA GEOGRAFIA NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA DA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA Gilvan Charles Cerqueira de Araújo 1 INTRODUÇÃO Este

Leia mais

PROJETO DA CPA 1 DADOS DA INSTITUIÇÃO. Nome: Faculdade São Salvador Código: 2581 Caracterização: Instituição privada com fins lucrativos

PROJETO DA CPA 1 DADOS DA INSTITUIÇÃO. Nome: Faculdade São Salvador Código: 2581 Caracterização: Instituição privada com fins lucrativos PROJETO DA CPA Em atendimento ao que dispõe a Lei 10.861, de 14 de abril de 2004 que institui a obrigatoriedade da Avaliação Institucional e por entender a importância do SINAES para o desenvolvimento

Leia mais

GRADE CURRICULAR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS: ESTUDOS LITERÁRIOS DA UFMG

GRADE CURRICULAR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS: ESTUDOS LITERÁRIOS DA UFMG GRADE CURRICULAR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM LETRAS: ESTUDOS LITERÁRIOS DA UFMG DISCIPLINAS DAS ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO Área de concentração: TEORIA DA LITERATURA - NÍVEL MESTRADO DISCIPLINAS CRÉDITOS

Leia mais

LEVANTAMENTO DE FONTES PARA O DICIONÁRIO BRASILEIRO DA GUERRA DO PARAGUAI

LEVANTAMENTO DE FONTES PARA O DICIONÁRIO BRASILEIRO DA GUERRA DO PARAGUAI LEVANTAMENTO DE FONTES PARA O DICIONÁRIO BRASILEIRO DA GUERRA DO PARAGUAI Thasley Westanyslau Alves Pereira 1 ; Marcelo Santos Rodrigues 2. 1 Aluno do Curso de História; Campus de Porto Nacional; e-mail:thasley_uft@hotmail.com

Leia mais

CONVITE E CHAMADA DE TRABALHOS E PROPOSTAS DE SESSÕES E MINICURSOS

CONVITE E CHAMADA DE TRABALHOS E PROPOSTAS DE SESSÕES E MINICURSOS CONVITE E CHAMADA DE TRABALHOS E PROPOSTAS DE SESSÕES E MINICURSOS A Rede Brasileira de Monitoramento e Avaliação (RBMA) convida os interessados a participarem do seu VII Seminário, que acontecerá nos

Leia mais

ENSINO DA MATEMÁTICA EM AMARGOSA: LEMBRANÇAS DAS EX-ALUNAS DO GINÁSIO SANTA BERNADETE (1946-1973)

ENSINO DA MATEMÁTICA EM AMARGOSA: LEMBRANÇAS DAS EX-ALUNAS DO GINÁSIO SANTA BERNADETE (1946-1973) ENSINO DA MATEMÁTICA EM AMARGOSA: LEMBRANÇAS DAS EX-ALUNAS DO GINÁSIO SANTA BERNADETE (1946-1973) Silmary Silva Santos Silmaryumni@yahoo.com.br Diogo Franco Rios Universidade Federal do Recôncavo da Bahia

Leia mais

Dicionário Biográfico da. - Pioneiros. Organização. Com a cooperação de RAUL ALBINO PACHECO FILHO

Dicionário Biográfico da. - Pioneiros. Organização. Com a cooperação de RAUL ALBINO PACHECO FILHO Dicionário Biográfico da PSICOLOGIA NO BRASIL - Pioneiros Organização REGINA HELENA DE FREITAS CAMPOS UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Com a cooperação de ANA MARIA JACÓ-VILELA UNIVERSIDADE DO ESTADO

Leia mais

A PESQUISA APLICADA EM EDUCAÇÃO: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERVENÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA DE SALVADOR/BA

A PESQUISA APLICADA EM EDUCAÇÃO: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERVENÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA DE SALVADOR/BA A PESQUISA APLICADA EM EDUCAÇÃO: UMA EXPERIÊNCIA DE INTERVENÇÃO NA EDUCAÇÃO BÁSICA DE SALVADOR/BA INTRODUÇÃO Alice Fontes Ferreira 1 allicefontes@hotmail.com Gilvania Clemente Viana¹ gclementeviana@gmail.com

Leia mais

Traçar um quadro histórico dos estudos de sânscrito desenvolvidos

Traçar um quadro histórico dos estudos de sânscrito desenvolvidos O curso de Sânscrito MARÍA VALíRIA ADERSON DE MELLO VARGAS Traçar um quadro histórico dos estudos de sânscrito desenvolvidos na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São

Leia mais

GUIA DE FONTES PARA HISTÓRIA DE ALAGOAS: OS ARQUIVOS DE PENEDO. 1

GUIA DE FONTES PARA HISTÓRIA DE ALAGOAS: OS ARQUIVOS DE PENEDO. 1 1 GUIA DE FONTES PARA HISTÓRIA DE ALAGOAS: OS ARQUIVOS DE PENEDO. 1 Alex Rolim Graduando em História Bacharelado Bolsista PIBIP-AÇÃO UFAL Universidade Federal de Alagoas Orientador: Prof. Dr. Antonio F.

Leia mais

A história do Balanço Social

A história do Balanço Social C A P Í T U L O 1 A história do Balanço Social D esde o início do século XX registram-se manifestações a favor de ações sociais por parte de empresas. Contudo, foi somente a partir da década de 1960, nos

Leia mais

2 Segundo Jean Piaget as características observáveis mais importantes do estágio pré-operacional são:

2 Segundo Jean Piaget as características observáveis mais importantes do estágio pré-operacional são: PROVA DE CONHECIMENTOS PEDAGÓGICOS 1 Segundo Piaget toda criança passa por estágios do desenvolvimento. Assinale a alternativa que indica a qual estágio corresponde a idade em que o pensamento da criança

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

(In)visibilidades fotográficas do mundo do trabalho: representações visuais e lacunas do visível nas imagens da Revista do Globo.

(In)visibilidades fotográficas do mundo do trabalho: representações visuais e lacunas do visível nas imagens da Revista do Globo. Mesa 24 (In)visibilidades fotográficas do mundo do trabalho: representações visuais e lacunas do visível nas imagens da Revista do Globo. Cláudio de Sá Machado Júnior Dentre as várias tipologias fotográficas

Leia mais

Marilene Sinder (Universidade Federal Fluminense) Renato Crespo Pereira (Universidade Federal Fluminense)

Marilene Sinder (Universidade Federal Fluminense) Renato Crespo Pereira (Universidade Federal Fluminense) A Pesquisa com Egressos como Fonte de Informação Sobre a Qualidade dos Cursos de Graduação e a Responsabilidade Social da Instituição Universidade Federal Fluminense (UFF) Eixo II Indicadores e instrumentos

Leia mais

Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática

Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática Anais do VIII ENEM Mesa Redonda 1 Pós-Graduação e Ensino de Ciências e Matemática Tânia Maria Mendonça Campos - tania@pucsp.br A Pós-Graduação é a Unidade Universitária responsável pela formação de recurso

Leia mais

A POLÍTICA DE FORMAÇÃO DO GESTOR ESCOLAR NO BRASIL

A POLÍTICA DE FORMAÇÃO DO GESTOR ESCOLAR NO BRASIL Anais da Semana de Pedagogia da UEM ISSN Online: 2316-9435 XX Semana de Pedagogia da UEM VIII Encontro de Pesquisa em Educação / I Jornada Parfor A POLÍTICA DE FORMAÇÃO DO GESTOR ESCOLAR NO BRASIL LUPPI,

Leia mais

Não é sem um certo tremor que se aceita um convite como o que a Directora da nossa Biblioteca me endereçou, o de apresentar em breves palavras esta pequena exposição, uma exposição que despretensiosamente

Leia mais

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS - UNIFESO PESQUISADORES

FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS - UNIFESO PESQUISADORES 0 FUNDAÇÃO EDUCACIONAL SERRA DOS ÓRGÃOS CENTRO UNIVERSITÁRIO SERRA DOS ÓRGÃOS - UNIFESO PESQUISADORES LUCIANA APARECIDA DE OLIVEIRA JARBAS CARVALHO DA SILVEIRA MAÍSA MAIA MARQUES CORREA GOMES SONIA MARIA

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015 CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU PROF.

Leia mais

Ana Rita Uhle. O índio nos monumentos públicos brasileiros. 1 (IFCH-UNICAMP doutoranda em Política, Memória e Cidade).

Ana Rita Uhle. O índio nos monumentos públicos brasileiros. 1 (IFCH-UNICAMP doutoranda em Política, Memória e Cidade). Ana Rita Uhle. O índio nos monumentos públicos brasileiros. 1 (IFCH-UNICAMP doutoranda em Política, Memória e Cidade). Os monumentos públicos celebrativos, construídos no Brasil a partir do século XIX,

Leia mais

Planejamento Anual - 2014

Planejamento Anual - 2014 Planejamento Anual - 2014 Tutor Email SILVANA SOUZA SILVEIRA silvana.silveira@pucrs.br Informações do Planejamento Planejamento quanto à participação/contribuição do (a) tutor (a) nas atividades e na formação

Leia mais

A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas. José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas. José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO A indissociabilidade entre ensino/produção/difusão do conhecimento

Leia mais

PRODUÇÃO DE CONTEÚDO VISUAL NO ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA LOCAL Adriana Cristina de Godoy Andrea Coelho Lastória FFCLRP/USP

PRODUÇÃO DE CONTEÚDO VISUAL NO ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA LOCAL Adriana Cristina de Godoy Andrea Coelho Lastória FFCLRP/USP PRODUÇÃO DE CONTEÚDO VISUAL NO ENSINO DE HISTÓRIA E GEOGRAFIA LOCAL Adriana Cristina de Godoy Andrea Coelho Lastória FFCLRP/USP Este trabalho apresenta uma pesquisa de mestrado que está sendo desenvolvida

Leia mais

MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA

MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA MERCADO MUNICIPAL PATRIMÔNIO HISTÓRICO DE UBERLÂNDIA Soraia Cristina Cardoso Lelis soraia@aromata.com.br Escola de Educação Básica da UFU Relato de Experiência Palavras-chave: Patrimônio Histórico, Artes

Leia mais

O VIVO NO CEMITÉRIO DOS INGLESES DO RECIFE

O VIVO NO CEMITÉRIO DOS INGLESES DO RECIFE O VIVO NO CEMITÉRIO DOS INGLESES DO RECIFE Autores: LUCIANO BORGES DE SOUZA e MÁRCIO LIMA BARROS DA SILVA Introdução Localizado na Avenida Cruz Cabugá, bairro de Santo Amaro, no Recife, o Cemitério dos

Leia mais

Universidade Brasileira: Desafios e Perspectivas. Naomar de Almeida Filho Universidade Federal da Bahia

Universidade Brasileira: Desafios e Perspectivas. Naomar de Almeida Filho Universidade Federal da Bahia Universidade Brasileira: Desafios e Perspectivas Naomar de Almeida Filho Universidade Federal da Bahia Funções da Universidade Cultura & Educação Artes & Técnicas (formação profissional) Pesquisa & Criação

Leia mais

DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS

DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS DOUTORADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS DISCIPLINAS OBRIGATÓRIAS Tópicos Avançados em Memória Social 45 Tópicos Avançados em Cultura 45 Tópicos Avançados em Gestão de Bens Culturais 45 Seminários

Leia mais

O ENSINO DA ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL

O ENSINO DA ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL O ENSINO DA ADMINISTRAÇÃO NO BRASIL Historicamente, o ensino da administração no Brasil passou por dois momentos marcados pelos currículos mínimos aprovados em 1966 e 1993, culminando com a apresentação

Leia mais

Curso de Relações Internacionais

Curso de Relações Internacionais UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CÂMPUS DE MARÍLIA Faculdade de Filosofia e Ciências Curso de Relações Internacionais 1 º. ano Disciplina: Introdução à História Profª Lidia M. V. Possas Lidia. M. V. Possas

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Proposta de Trabalho

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA. Proposta de Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROGRAMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO Proposta de Trabalho abril/2007 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA Reitor Naomar Monteiro de Almeida Filho Vice-Reitor Francisco José Gomes

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015 Considerando que José Christiano de Freitas Henrique Júnior foi um açoriano, nascido e criado nos Açores,

Leia mais

Aender Luis Guimarães Endereço para acessar este CV:http://lattes.cnpq.br/0650701466672587

Aender Luis Guimarães Endereço para acessar este CV:http://lattes.cnpq.br/0650701466672587 Imprimir currículo Aender Luis Guimarães Endereço para acessar este CV:http://lattescnpqbr/0650701466672587 Última atualização do currículo em 20/10/2015 Resumo informado pelo autor Docente do Instituto

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 18/2006 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Ciências Sociais, Bacharelado,

Leia mais

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/

3.360 H/AULA (*) CURRÍCULO PLENO/ MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Regime: Duração: HISTÓRIA LICENCIATURA PLENA SERIADO ANUAL 3 (TRÊS) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 03 (TRÊS) ANOS LETIVOS - MÁXIMO = 05 (CINCO)

Leia mais

FORMAÇÃO MATEMÁTICA EM CURSOS DE PEDAGOGIA EM DOIS TEMPOS: UM ESTUDO

FORMAÇÃO MATEMÁTICA EM CURSOS DE PEDAGOGIA EM DOIS TEMPOS: UM ESTUDO FORMAÇÃO MATEMÁTICA EM CURSOS DE PEDAGOGIA EM DOIS TEMPOS: UM ESTUDO Thiago Tavares Borchardt Universidade Federal de Pelotas thiago tb@hotmail.com Márcia Souza da Fonseca Universidade Federal de Pelotas

Leia mais

DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO

DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE HISTÓRIA ANPUH-BRASIL O PERFIL PROFISSIONAL DOS HISTORIADORES ATUANTES EM ARQUIVOS DOCUMENTO FINAL DO ENCONTRO São Paulo, dezembro de 2012. APRESENTAÇÃO Este documento, produzido

Leia mais

REVISTA pensata V.4 N.2 OUTUBRO DE 2015

REVISTA pensata V.4 N.2 OUTUBRO DE 2015 Ara Pyaú Haupei Kyringue Paola Correia Mallmann de Oliveira Este ensaio fotográfico é uma aproximação ao ara pyaú (tempo novo) e às kiringue (crianças) no nhanderekó, modo de ser tradicional entre os mbyá

Leia mais

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional

Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Seminário Internacional do Museu Histórico Nacional Ponta do Calabouço e adjacências: história, memória e patrimônio nos 450 anos da cidade do Rio de Janeiro CHAMADA PÚBLICA DE TRABALHOS A faixa de terra

Leia mais

LUTA MÉDICA ENTREVISTA: JORGE SOLLA Entrevista publicada na Revista Luta Médica nº 02 (janeiro/fevereiro de 2007)

LUTA MÉDICA ENTREVISTA: JORGE SOLLA Entrevista publicada na Revista Luta Médica nº 02 (janeiro/fevereiro de 2007) LUTA MÉDICA ENTREVISTA: JORGE SOLLA Entrevista publicada na Revista Luta Médica nº 02 (janeiro/fevereiro de 2007) Médico Pesquisador do Instituto de Saúde Coletiva (ISC) da Universidade Federal da Bahia.Ex-Coordenador

Leia mais

Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul

Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul 1919 X Salão de Iniciação Científica PUCRS Golpe Militar: A Psicologia e o Movimento Estudantil do Rio Grande do Sul Pâmela de Freitas Machado 1, Helena B.K.Scarparo 1 (orientadora) 1 Faculdade Psicologia,

Leia mais

Simpósio Temático: 24. TRAJETÓRIAS E BIOGRAFIAS: MODELOS, LIMITES, DESAFIOS E POSSIBILIDADES

Simpósio Temático: 24. TRAJETÓRIAS E BIOGRAFIAS: MODELOS, LIMITES, DESAFIOS E POSSIBILIDADES A BIOGRAFIA PROFISSIONAL NA HISTÓRIA DO URBANISMO: OS DOCUMENTOS ENTRE O PROBLEMA E A NARRATIVA NA CONSTRUÇÃO DO PROCESSO INTERPRETATIVO Rodrigo Santos de Faria Professor no Departamento de Teoria e História

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ALUNOS REGULARES INGRESSO EM 2015

EDITAL PARA SELEÇÃO DE ALUNOS REGULARES INGRESSO EM 2015 UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA PROGRAMA MULTIDISCIPLINAR DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CULTURA E SOCIEDADE EDITAL PARA SELEÇÃO DE ALUNOS REGULARES INGRESSO EM 2015 A Coordenadora do Programa Multidisciplinar de Pós-Graduação

Leia mais

HOMENAGEM ÀS S MULHERES MÉDICO VETERINÁRIAS RIAS. Clotilde de Lourdes Branco Germiniani Universidade Federal do Paraná

HOMENAGEM ÀS S MULHERES MÉDICO VETERINÁRIAS RIAS. Clotilde de Lourdes Branco Germiniani Universidade Federal do Paraná HOMENAGEM ÀS S MULHERES MÉDICO VETERINÁRIAS RIAS Clotilde de Lourdes Branco Germiniani Universidade Federal do Paraná DIA INTERNACIONAL DA MULHER * O dia 8 de março, desde 1975, foi oficializado pelas

Leia mais

A Modernização do Ensino da Matemática no Colégio Taylor Egídio (1950-1969)

A Modernização do Ensino da Matemática no Colégio Taylor Egídio (1950-1969) A Modernização do Ensino da Matemática no Colégio Taylor Egídio (1950-1969) Malú Rosa Brito Gomes 1 Claudinei de Camargo Sant Ana 2 RESUMO A investigação em questão trata de uma pesquisa de Mestrado em

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1

ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Publicidade e Propaganda Rádio e Televisão Relações Públicas ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1 DEFINIÇÃO

Leia mais

Entrevista com o Professor François Vellas, Ph.D.

Entrevista com o Professor François Vellas, Ph.D. http://dx.doi.org/10.1590/1809-9823.2015.0057 213 Entrevista com o Professor François Vellas, Ph.D. Interview with Professor François Vellas, Ph.d. Entrevista / Interview Professor François Vellas é, atualmente,

Leia mais

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL

ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL ARTEBR LIVRO SABORES DO BRASIL A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria e assessoria em arte e

Leia mais

Associados Homenageados Concessão Título de Associado Emérito 2013. Celso Rubens Vieira e Silva- BA

Associados Homenageados Concessão Título de Associado Emérito 2013. Celso Rubens Vieira e Silva- BA Associados Homenageados Concessão Título de Associado Emérito 2013 Carlos Alberto Basílio de Oliveira - RJ Celso Rubens Vieira e Silva- BA Margarida Maria Fernandes da Silva Moraes - SP Marialva Tereza

Leia mais

ANÁLISE DOCUMENTÁRIA DE IMAGENS THE DOCUMENTARY ANALYSIS OF IMAGES

ANÁLISE DOCUMENTÁRIA DE IMAGENS THE DOCUMENTARY ANALYSIS OF IMAGES 1 ANÁLISE DOCUMENTÁRIA DE IMAGENS THE DOCUMENTARY ANALYSIS OF IMAGES Miriam Paula Manini 1 Introdução Pretendemos desenvolver, nesta comunicação, questões atinentes à transposição de métodos e técnicas

Leia mais