PO 06: Uma historiografia da Escola Normal Paraense na ótica da disciplina Matemática

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PO 06: Uma historiografia da Escola Normal Paraense na ótica da disciplina Matemática"

Transcrição

1 PO 06: Uma historiografia da Escola Normal Paraense na ótica da disciplina Matemática Cibele Borges de Sousa UFPA Maria Lúcia Pessoa Chaves Rocha IFPA RESUMO Este artigo é parte da pesquisa que vem se desenhando no campo da Educação Matemática a respeito de uma historiografia da Escola Normal em Belém do Pará e sobre a ótica da disciplina Matemática em meados do século XX. Iniciamos o estudo a partir da década de 1950; para o término do período investigado a década de 1970, visto que em 1971 há a promulgação da Lei 5.692/71 que extingue as escolas normais brasileiras. Esta temática foi problematizada a partir dos vestígios do passado. Tais como: as documentações existentes no arquivo da escola. Dessa forma questionamos: Qual e como a matemática daquela época era mobilizada? Então, fomos à busca de elementos que possibilitassem nossa escrita, inicialmente, utilizando as fontes documentais existentes na instituição: os decretos-lei, as fichas individuais, relação nominal dos alunos, listas nominais de professores. O percurso da pesquisa é permeado por outras indagações como: Quais eram as disciplinas, na escola normal, que faziam parte do currículo? Quais eram os conteúdos? Como eram mobilizados estes conteúdos? Objetivando construir uma historiografia da Educação Matemática da escola normal de Belém em meados do século XX e, assim, escrever e revelar nuance da formação das normalistas entre as décadas de 1950 a 1670 e assim contribuir com a historiografia da educação matemática brasileira. Em momento posterior será realizada a audição de pessoas que fizeram parte da cultura escolar da escola normal em Belém nas décadas aqui mencionadas, além de entrecruzamentos com os referenciais teóricos como: Certeau (2011); Chartier (2002); Chervel (1990); Thompson (1992) e autores brasileiros como Valente. A historiografia da Escola Normal vem se constituindo à luz de referenciais ora apontados e por outros que serão apresentados ao logo da pesquisa. Palavras-chave: Historiografia. Escola Norma. Matemática. Introdução As seleções feitas inicialmente de pesquisas correlatas ao tema deste estudo revelaram a existência de textos que versam sobre as Escolas Normais a respeito de diversas óticas,

2 dentre elas podemos ressaltar aquelas que o enfoque recai sobre os currículos e sobre a disciplina Matemática. Esta disciplina integrada ao currículo com sua gama de conteúdos distribuídos em três séries do ensino secundário. No Pará o Instituto Paraense de Educação, até 1942, foi um instituto formador de normalistas e apresentava elementos ímpares da cultura escola, pois era um instituto que tinha seu currículo e conteúdos das disciplinas com ênfase na formação de professors pré-primário e primário, como eram denominados à época. A disciplina Matemática pertencia a todos os anos do ensino secundário normal até Destacamos o interesse na escrita daquela cultura escolar a partir dos vestígios do passado. De inicio assumimos a História Cultural para a Dimensão; como Abordagem será realizada a observação a partir da História Local e Regional; com relação ao tratamento das fontes será utilizada a História Documental e a Memórias; com base no Domínio, será feita a relação dos objetos a partir da História da Instituição e com relação aos agentes históricos o diálogo se dará a partir da História da Disciplina. Como questões norteadoras apresentaram-se: 1. Quais eram as disciplinas, na Escola Normal, que faziam parte do currículo? 2. Quais eram os conteúdos? 3. Como eram mobilizados estes conteúdos? Tais questões vem nos conduzindo para a compreensão do cenário na escola normal àquela época. Para responder a estas buscamos estabelecer como objetivo principal: escrever uma historiografia da Escola Normal em Belém do Pará em meados do século XX. E como objetivos específicos: Estabelecer um panorama a partir da literatura referente à temática; Localizar documentos no arquivo da Escola Normal e na Coordenação de Documentação Escolar (CODOE); Selecionar dentre os documentos localizados aqueles que poderão ser utilizados como fontes históricas; Contrastar os fatos históricos com a literatura estabelecida; Escrever uma historiografia da Escola Normal a partir das fontes encontradas e/ou produzidas sob o enfoque da matemática que era mobilizada à época, além de ter a possibilidade de ouvir um ou dois professores(as) que trabalharam no instituto naquele momento. 2

3 Os Referênciais Adotados Os referenciais foram elencados a partir das questões norteadoras e dos objetivos mencionados anteriormente. Constituímos um referencial que embasa nossa escrita. A pesquisa vem sendo construída no âmbito da História da Educação e traz como conceitos fundamentais: 1. História segundo Certeau; 2. Educação Matemática, educação matemática e da História da Educação Matemática, segundo Wagner Valente; e 3. Historia Cultural de Roger Chartier. Na perspectiva da construção historiográfica o livro: A escrita da história, Certeau vem contribuindo, no sentido de nos esclarecer, a cerca do fazer historiográfico. Segundo o mesmo: Toda pesquisa historiográfica se articula com um lugar de produção socioeconômico, político e cultural. Implica um meio de elaboração circunscrito por determinações próprias: uma profissão liberal, um posto de observação ou de ensino, uma categoria de letrados etc. Ela está, pois, submetida a imposições, ligada a privilégios, enraizada em uma particularidade. É em função desse lugar que se instauram os métodos, que se delineia uma topografia de interesses, que os documentos e as questões, que lhes serão propostas, se organizam. (2011, p.47) O autor menciona caminhos e nos provoca reflexões a respeito do fazer história, do lugar de produção, dos métodos a serem utilizados e sobre as condições que são e/ou serão impostas no percurso da investigação. A seguir, apresentamos o conceito de História Cultural a partir de Chartier: A história cultural, tal como a entendemos, tem por principal objeto identificar o modo como em diferentes lugares e momentos uma determinada realidade social é constituída, pensada, dada a ler. Uma tarefa desse tipo supõe vários caminhos. O primeiro diz respeito às classificações, divisões e delimitações que organizam a apreensão do mundo social como categorias fundamentais de percepção e de apreciação do real. Variáveis consoante as classes sociais ou os meios intelectuais, são produzidas pelas disposições estáveis e partilhadas, próprias do grupo. São esses esquemas intelectuais incorporados que criam as figuras graças às quais o presente pode adquirir sentido, o outro torna-se inteligível e o espaço ser decifrado. (2002, p.16-17) O sentido de assumir um referencial conceitual para a historiografia, ora sendo construída, conduziu nosso olhar, a partir de considerações organizadas por Chartier, acerca das "categorias fundamentais de percepção e apreciação do real. As categorias criadas pelo autor no sentido de evidenciar sua metodologia se aportam em três noções: representação, 3

4 prática e apropriação. Os referenciais ora apontados vem embasando nosso fazer e de certa forma, (re) conduzir nosso olhar para uma escrita mais atenciosa de uma historiografia da Escola Normal de Belém do Pará. Um Panorâma do Percurso Metodológico Vem se constituindo a partir das localizações e seleções dos documentos nos seguintes lócus: Escola Normal e Secretaria de Educação do Estado do Pará (SEDUC-PA). Esta pesquisa documental é realizada no arquivo do Instituto de Educação do Pará antiga Escola Normal, hoje denominado de Instituto de Educação do Estado do Pará (IEEP); o arquivo da Coordenação de Documentação Escolar (CODOE), situado no prédio em anexo a SEDUC-PA, na cidade de Belém.E, sempre, com a expectativa de encontrar novas fontes documentais primárias e enriquecer com maiores detalhes o estudo. A respeito dos depoimentos orais, com ex-aluno e ex-funcionários do instituto. Resultados Preliminares Em visitas feitas aos arquivos da Escola Normal e CODOE foram encontradas fontes primárias como: certificados, lista de professores e pastas de alunos. Tais documentosforam selecionados e estão em boas condições de manuseio. Atualmente estamos em busca dos manuais que foram utilizados pelas normalistas. Localizamos puma lista nominal de ex-professores de matemática da época e estamos investigando como contact-los e dessa forma trazer suas possíveis contribuições de suas memórias e assim enriquecer nossa escrita. Assim que fizermos as audições, de um ou dois professores devemos passar a transcrevê-las e as mesmas comporão o corpo de nosso texto. Considerações Finais Um trabalho desta natureza, em Belém do Pará, vem para agregar valor a História da Educação Matemática Brasileira, pois a Escola Normal formou àquela época normalistas que se dedicaram na formação das próximas gerações. Puma historiografia da Escola 4

5 Normal, instituição esta que por mais de cem anos, sob a ótica da disciplina Matemática em meados do século XX ainda está por ser revelada. A Escola Normal paraense foi uma instituição, como outras no Brasil, que preparou professores primários em prol da educação. Hoje as fontes encontradas, por exemplo, na instituição, vem nos revelando um pouco desta história, e em específico, da disciplina Matemática. Contrastando os fatos históricos com os referenciais adotados buscamos por construindo uma historiografia da Escola Normal em meados do século XX e assim, revelar um pouco da História da Matemática Brasileira. REFERÊNCIAS BRASIL. Decreto nº , de 9 de abril de 1942 Dispõe sobre o ensino secundário. CERTEAU, Michel de. A Escrita da História; tradução de Maria de Lourdes Menezes; revisão técnica Arno Vogel. 3.ed. Rio de Janeiro: Forense, CHARTIER, Roger. A história cultural entre práticas e representações. Col. Memória e Sociedade. Trad. Márcia Manuela Galhardo. Ed. 2. DIFEL, CHERVEL, R. A história das disciplinas escolares: Reflexões sobre um campo de pesquisa. Teoria & Educação. Porto Alegre. N.2, GOMES, M. L.M. História do ensino da matemática: Uma introdução. Belo Horizonte. Ed. CAED- UFMG SILVA, Maria Célia Leme da; VALENTE, W. R. Na oficina do historiador da educação matemática: Cadernos de alunos como fontes de pesquisa/ Maria Célia Leme da Silva; Wagner Rodrigues Valente; Organizado por Iran Abreu Mendes e Miguel Chaquiam Belém: SBHMt, (Coleção História da Matemática para Professores, 19). THOMPSON, Paul, A voz do passado: história oral/ Paul Thompson; tradução Lólio Lourenço de Oliveira. Rio de Janeiro: Paz e Terra,

GD5 História da matemática e Cultura. Palavras-chave: Ensino de Matemática. Escola Normal. Cultura Escolar.

GD5 História da matemática e Cultura. Palavras-chave: Ensino de Matemática. Escola Normal. Cultura Escolar. Curso de Formação de Professores Primários da Escola Normal de Caetité Ba no Período de 1925 a 1940: Análise das Transformações Curriculares do Ensino de Matemática. Márcio Oliveira D Esquivel 1 GD5 História

Leia mais

UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão

UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão UMA PROPOSTA DE EMPREENDEDORISMO E INSERÇÃO SOCIAL FEMININA: Projeto Paidéia em Campo Mourão Eva Simone de Oliveira (acadêmica) e-mail: UNESPAR/Campo Mourão e- mail: Claudia Priori (Orientadora) INTRODUÇÃO

Leia mais

JUSTIFICATIVA VISÕES DO LUGAR: REPRESENTAÇÃO DE MEMÓRIA E DE HISTÓRIA DE CATALÃO EM PESQUISAS

JUSTIFICATIVA VISÕES DO LUGAR: REPRESENTAÇÃO DE MEMÓRIA E DE HISTÓRIA DE CATALÃO EM PESQUISAS VISÕES DO LUGAR: REPRESENTAÇÃO DE MEMÓRIA E DE HISTÓRIA DE CATALÃO EM PESQUISAS HISTÓRICAS DO CURSO DE HISTÓRIA DO CAC UFG, NO PERÍODO DE 1995 A 2001. Jaciely Soares da Silva, UFG/CAC; jacielysoares@hotmail.com

Leia mais

UMA LEITURA SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 1980

UMA LEITURA SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 1980 UMA LEITURA SOBRE A HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO CURSO DE PEDAGOGIA DA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA 1980 ELAINE RODRIGUES (UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ), ALLINE MIKAELA PEREIRA (PPE/UEM). Resumo Por

Leia mais

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES: O PNAIC EM FOCO

FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES ALFABETIZADORES: O PNAIC EM FOCO 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA (X ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO (

Leia mais

INTEGRAÇÃO DO ENSINO MÉDIO E TÉCNICO: PERCEPÇÕES DE ALUNOS DO IFPA (CAMPUS CASTANHAL/PA) Ana Maria Raiol da Costa UFPA Agência Financiadora: SEDUC/PA

INTEGRAÇÃO DO ENSINO MÉDIO E TÉCNICO: PERCEPÇÕES DE ALUNOS DO IFPA (CAMPUS CASTANHAL/PA) Ana Maria Raiol da Costa UFPA Agência Financiadora: SEDUC/PA INTEGRAÇÃO DO ENSINO MÉDIO E TÉCNICO: PERCEPÇÕES DE ALUNOS DO IFPA (CAMPUS CASTANHAL/PA) Ana Maria Raiol da Costa UFPA Agência Financiadora: SEDUC/PA A aprovação do Decreto Nº 5.154/2004 autoriza a oferta

Leia mais

POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB

POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB POLO ARTE NA ESCOLA: FORMAÇÃO CONTINUADA DE ENSINO DA ARTE PARA PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA DE BANANEIRAS/PB ANDRADE, Luciene de 1 BARBOSA,Jamylli da Costa 2 FERREIRA, Jalmira Linhares Damasceno 3 SANTOS,

Leia mais

UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS

UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS ISSN 2316-7785 UMA ANÁLISE DO TRATAMENTO DADO À TRIGONOMETRIA EM LIVROS DIDÁTICOS DO ENSINO MÉDIO PUBLICADOS NO BRASIL DO INÍCIO DO SÉCULO XX AOS DIAS ATUAIS Resumo Adriano Torri Souza UFSM adriano.torrisouza@gmail.com

Leia mais

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA EDUCACIONAL: O CASO DO MUNICÍPIO DE ANANINDEUA

AVALIAÇÃO DA POLÍTICA EDUCACIONAL: O CASO DO MUNICÍPIO DE ANANINDEUA 1 AVALIAÇÃO DA POLÍTICA EDUCACIONAL: O CASO DO MUNICÍPIO DE ANANINDEUA ANA IZABEL MONTEIRO SOARES 1, Conselho Municipal de Educação de Ananindeua, anaizabelsoares@yahoo.com.br FRANCISCO WILLAMS CAMPOS

Leia mais

HISTÓRIA DE UMA INSTITUIÇÃO ESCOLAR: A ESCOLA RURAL CORONEL FIRMINO VIEIRA DE MATOS DA VILA MACAÚBA, DO MUNICÍPIO DE DOURADOS (1974-1997)

HISTÓRIA DE UMA INSTITUIÇÃO ESCOLAR: A ESCOLA RURAL CORONEL FIRMINO VIEIRA DE MATOS DA VILA MACAÚBA, DO MUNICÍPIO DE DOURADOS (1974-1997) HISTÓRIA DE UMA INSTITUIÇÃO ESCOLAR: A ESCOLA RURAL CORONEL FIRMINO VIEIRA DE MATOS DA VILA MACAÚBA, DO MUNICÍPIO DE DOURADOS (1974-1997) Aline do Nascimento Cavalcante 1 RESUMO: Este trabalho tem como

Leia mais

CO 31: A Disciplina História da Educação Matemática no Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal do Rio Grande do Norte

CO 31: A Disciplina História da Educação Matemática no Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal do Rio Grande do Norte CO 31: A Disciplina História da Educação Matemática no Curso de Licenciatura em Matemática da Universidade Federal do Rio Grande do Norte Juliana Teixeira Dornelos Alves Universidade Federal do Rio Grande

Leia mais

4.1.1) ATUALIZAÇÃO. (1) www.nuevamirada.cl/la_pedagogiahtml

4.1.1) ATUALIZAÇÃO. (1) www.nuevamirada.cl/la_pedagogiahtml Figura 96 - Trecho do desenho da paisagem local, formado por desenhos individuais colados justapostos um no outro, constituindo uma só peça, um extenso rolo A localização da escola, no tocante a sua topografia,

Leia mais

EXPERIÊNCIAS DE UM PROJETO DE APOIO ESCOLAR COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIAL Extensão em andamento

EXPERIÊNCIAS DE UM PROJETO DE APOIO ESCOLAR COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIAL Extensão em andamento EXPERIÊNCIAS DE UM PROJETO DE APOIO ESCOLAR COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE SOCIAL Extensão em andamento Jéssica Albino 1 ; Sônia Regina de Souza Fernandes 2 RESUMO O trabalho

Leia mais

Seminário do 16º COLE vinculado: 10

Seminário do 16º COLE vinculado: 10 Kelly Cristina Ducatti da Silva. Doutoranda UNICAMP/Campinas-SP, Professora do Ensino Fundamental (Prefeitura Municipal de Bauru) e Docente UNESP/BAURU kellyducatti@hotmail.com RELATO DE EXPERIÊNCIA: UM

Leia mais

RESUMO. Palavras Chave: História da educação. Educação feminina. Instituição escolar confessional.

RESUMO. Palavras Chave: História da educação. Educação feminina. Instituição escolar confessional. Resumos SILVA, Samara Mendes Araújo. À luz dos valores religiosos: escolas confessionais católicas e a escolarização das mulheres piauienses (1906 1973). Dissertação (Mestrado em Educação). Programa de

Leia mais

Regulamento de 1890 e Provas de Concurso para Professores do Ensino Primário no Estado de Sergipe

Regulamento de 1890 e Provas de Concurso para Professores do Ensino Primário no Estado de Sergipe Regulamento de 1890 e Provas de Concurso para Professores do Ensino Primário no Estado de Sergipe Heloísa Helena Silva 1 Wilma Fernandes Rocha 2 RESUMO No presente artigo apresentamos o exame do Decreto

Leia mais

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA NO RIO DE JANEIRO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX

A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA NO RIO DE JANEIRO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE MATEMÁTICA NO RIO DE JANEIRO NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX Bruno Alves Dassie Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro Universidade Estácio de Sá O objetivo desta

Leia mais

1 COMO ENCAMINHAR UMA PESQUISA 1.1 QUE É PESQUISA

1 COMO ENCAMINHAR UMA PESQUISA 1.1 QUE É PESQUISA 1 COMO ENCAMINHAR UMA PESQUISA 1.1 QUE É PESQUISA Procedimento racional e sistemático que tem por objetivo proporcionar respostas aos problemas que são propostos. Requerida quando não se dispõe de informação

Leia mais

O EMPREENDEDORISMO NA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA

O EMPREENDEDORISMO NA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA O EMPREENDEDORISMO NA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA Genilson José da Silva Universidade Federal da Paraíba genilsonjos27@gmail.com Maria das Graças de Almeida Baptista Universidade Federal da Paraíba - mgabaptista2@yahoo.com.br

Leia mais

Autor e imagens na Revista Brasileira de Psicanálise (1967 1970)

Autor e imagens na Revista Brasileira de Psicanálise (1967 1970) Autor e imagens na Revista Brasileira de Psicanálise (1967 1970) Prof. Me. Roger Marcelo Martins Gomes Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP e-mail: roger.gomes@usc.br Comunicação Oral Eixo 6 - Memória,

Leia mais

O CURRÍCULO PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSSIBILIDADES E LIMITES PARA A DESFRAGMENTAÇÃO ENTRE GESTÃO ESCOLAR E DOCÊNCIA

O CURRÍCULO PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSSIBILIDADES E LIMITES PARA A DESFRAGMENTAÇÃO ENTRE GESTÃO ESCOLAR E DOCÊNCIA ISSN: 1981-3031 O CURRÍCULO PARA A FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA EDUCAÇÃO INFANTIL: POSSSIBILIDADES E LIMITES PARA A DESFRAGMENTAÇÃO ENTRE GESTÃO ESCOLAR E DOCÊNCIA AUTORES: MELLO, Marilice Pereira Ruiz do

Leia mais

Direitos das Crianças à Educação Infantil: inclusão ou exclusão?

Direitos das Crianças à Educação Infantil: inclusão ou exclusão? Direitos das Crianças à Educação Infantil: inclusão ou exclusão? Jodete Bayer Gomes Fullgraf (UFSC) INTRODUÇÃO A presente pesquisa de mestrado intitulada Direitos de Papel... Creche e Préescolas e os Mecanismos

Leia mais

ASSESSORAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO AOS MUNICÍPIOS QUE ADERIRAM AO PROINFÂNCIA: DEMANDAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

ASSESSORAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO AOS MUNICÍPIOS QUE ADERIRAM AO PROINFÂNCIA: DEMANDAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL 01097 ASSESSORAMENTO TÉCNICO-PEDAGÓGICO AOS MUNICÍPIOS QUE ADERIRAM AO PROINFÂNCIA: DEMANDAS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Luiza Rodrigues Flores (UFRGS) Simone Albuquerque (UFRGS) O artigo apresenta alguns

Leia mais

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA

TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA TÍTULO: A LEITURA COMO FERRAMENTA NO PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PEDAGOGIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE SÃO VICENTE AUTOR(ES): MARIA DE FATIMA

Leia mais

Formação de Jovens e Adultos Leitores nas comunidades do entorno da PUCRS

Formação de Jovens e Adultos Leitores nas comunidades do entorno da PUCRS XI Salão de Iniciação Científica PUCRS Formação de Jovens e Adultos Leitores nas comunidades do entorno da PUCRS Ingrid Malaquias de Maia 1, Maria Conceição Pillon Christofoli 1 1 Faculdade de Educação,

Leia mais

Palavras-chave: Creche. Gestão democrática. Projeto Político-Pedagógico.

Palavras-chave: Creche. Gestão democrática. Projeto Político-Pedagógico. GESTÃO DEMOCRÁTICA: FORTALECENDO A COMUNICAÇÃO E A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE ESCOLAR NA CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO Resumo VIEIRA, Ana Luzia da Silva - UNINOVE STANGHERLIM, Roberta - UNINOVE

Leia mais

A FORMAÇÃO DE FORMADORES DO CURSO DE HISTÓRIA DA UFU: ALGUMAS REFLEXÕES

A FORMAÇÃO DE FORMADORES DO CURSO DE HISTÓRIA DA UFU: ALGUMAS REFLEXÕES A FORMAÇÃO DE FORMADORES DO CURSO DE HISTÓRIA DA UFU: ALGUMAS REFLEXÕES Adair Fernandes David Júnior; FACIP/UFU e-mail: adair.tuiu@hotmail.com Astrogildo Fernandes da Silva Júnior; FACIP/UFU; e-mail: silvajunior_af@yahoo.com.br

Leia mais

OFICINA DE APRENDIZAGEM SOBRE EDUCAÇÃO SEXUAL: UMA ABORDAGEM METODOLÓGICA NO CONTEXTO ESCOLAR

OFICINA DE APRENDIZAGEM SOBRE EDUCAÇÃO SEXUAL: UMA ABORDAGEM METODOLÓGICA NO CONTEXTO ESCOLAR OFICINA DE APRENDIZAGEM SOBRE EDUCAÇÃO SEXUAL: UMA ABORDAGEM METODOLÓGICA NO CONTEXTO ESCOLAR Ana Laysla da Silva Lemos Universidade Estadual da Paraíba (UEPB/PIBID/CAPES) anallemosk@gmail.com Profa. Ms.

Leia mais

REGISTROS HISTÓRICOS, HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA: um estudo historiográfico do Alto Sertão da Bahia no período colonial

REGISTROS HISTÓRICOS, HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA: um estudo historiográfico do Alto Sertão da Bahia no período colonial 1537 REGISTROS HISTÓRICOS, HISTÓRIA E HISTORIOGRAFIA: um estudo historiográfico do Alto Sertão da Bahia no período colonial SOUZA JÚNIOR, Tadeu Baliza de 1 ; NEVES, Erivaldo Fagundes 2 1. Bolsista PROBIC,

Leia mais

FORMANDO PEDAGOGOS PARA ENSINAR CIÊNCIAS NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

FORMANDO PEDAGOGOS PARA ENSINAR CIÊNCIAS NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMANDO PEDAGOGOS PARA ENSINAR CIÊNCIAS NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Erika Zimmermann 1 Universidade de Brasília Faculdade de Educação Departamento de Métodos e Técnicas de Ensino Paula Cristina

Leia mais

Aprendizagem Significativa: o uso de um software matemático no ensino de função

Aprendizagem Significativa: o uso de um software matemático no ensino de função Aprendizagem Significativa: o uso de um software matemático no ensino de função Ângelo Gustavo Mendes Costa 1 GD9 Processos cognitivos e linguísticos em Educação Matemática Resumo do trabalho. Este trabalho

Leia mais

UNIVERSIDADE POSITIVO PROGRAMA DE MESTRADO E DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: <ÁREA DE CONCENTRAÇÃO>

UNIVERSIDADE POSITIVO PROGRAMA DE MESTRADO E DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: <ÁREA DE CONCENTRAÇÃO> UNIVERSIDADE POSITIVO PROGRAMA DE MESTRADO E DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO DOUTORADO EM ADMINISTRAÇÃO ÁREA DE CONCENTRAÇÃO: PRÉ-PROJETO DE TESE DE DOUTORADO ***TÍTULO*** ***AUTOR***

Leia mais

DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA

DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA DOENÇAS VIRAIS: UM DIÁLOGO SOBRE A AIDS NO PROEJA Graciane Marchezan do Nascimento Lopes Instituto Federal Farroupilha Câmpus Alegrete Introdução Há um grande número de doenças transmissíveis que causam

Leia mais

USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA

USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA USO DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PRESENCIAL E A DISTÂNCIA Daricson Caldas de Araújo (IFPE) daricsoncaldas@gmail.com RESUMO Este artigo de revisão de literatura

Leia mais

O ENSINO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO MARANHÃO A PARTIR DO CURSO DE PEDAGOGIA E MESTRADO EM EDUCAÇÃO DA UFMA

O ENSINO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO MARANHÃO A PARTIR DO CURSO DE PEDAGOGIA E MESTRADO EM EDUCAÇÃO DA UFMA O ENSINO DA HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO MARANHÃO A PARTIR DO CURSO DE PEDAGOGIA E MESTRADO EM EDUCAÇÃO DA UFMA Profª Drª. Iran de Maria Leitão Nunes Universidade Federal do Maranhão -UFMA irandemaria@yahoo.com.br

Leia mais

SEQUÊNCIA DIDÁTICA UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1

SEQUÊNCIA DIDÁTICA UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1 SEQUÊNCIA DIDÁTICA UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA PARA O ENSINO DE GEOGRAFIA 1 QUEIROZ, Antônia Márcia Duarte Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais- IFSULDEMINAS Universidade

Leia mais

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR

A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR A MEDIAÇÃO DOCENTE E PROCESSO DE CATÁLISE COMO PERSPECTIVA DE MUDANÇA NO CONTEXTO ESCOLAR Resumo SILVEIRA, Lisiane Fernandes da 1 - UFPR FINK, Rosane 2 - UFPR Grupo de Trabalho - Didática: Teorias, Metodologias

Leia mais

A CULTURA VISUAL E O MEIO AMBIENTE COMO COMPONENTES TRANVERSALIZANTES PARA A AÇÃO EDUCATIVA

A CULTURA VISUAL E O MEIO AMBIENTE COMO COMPONENTES TRANVERSALIZANTES PARA A AÇÃO EDUCATIVA A CULTURA VISUAL E O MEIO AMBIENTE COMO COMPONENTES TRANVERSALIZANTES PARA A AÇÃO EDUCATIVA Mariana Garcia Barbosa 1 Elisete Medianeira Tomazetti 2 Resumo: A pesquisa foi realizada em escola da rede estadual

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA

A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA A CONSTRUÇÃO DE UM MAPA CULTURAL PARA O ENSINO DO TEMA BIOMAS E BIODIVERSIDADE NO BRASIL : UMA A PROPOSTA DE SEQUÊNCIA DIDÁTICA JOÃO AUGUSTO DOS REIS NETO 1, JOÃO HENRIQUE OLIVEIRA PEREIRA 2, ANTONIO FERNANDES

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA

A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA A FORMAÇÃO DO PEDAGOGO PARA O ENSINO DE MATEMÁTICA Luciana Pereira de Sousa 1 Carmem Lucia Artioli Rolim 2 Resumo O presente estudo propõe discutir o contexto da formação dos pedagogos para o ensino da

Leia mais

A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA

A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA A EDUCAÇAO INFANTIL DA MATEMÁTICA COM A LUDICIDADE EM SALA DE AULA RODRIGUES, Patrícia Gomes Universidade Estadual de Goiás, campus Iporá patykauan_5@hotmail.com MARQUES, Daniela Cristina de Sousa Universidade

Leia mais

CONSTRUINDO CONTEXTOS DE SOCIABILIDADE E LUDICIDADE COM CRIANÇAS NO PARQUE ELIANA: UMA EXPERIÊNCIA DE SUCESSO

CONSTRUINDO CONTEXTOS DE SOCIABILIDADE E LUDICIDADE COM CRIANÇAS NO PARQUE ELIANA: UMA EXPERIÊNCIA DE SUCESSO CONSTRUINDO CONTEXTOS DE SOCIABILIDADE E LUDICIDADE COM CRIANÇAS NO PARQUE ELIANA: UMA EXPERIÊNCIA DE SUCESSO Efigênia Alves Neres (Bolsista-PREX/UFPI) 1 Maria do Carmo Alves do Bomfim (Professora Orientadora/

Leia mais

O olhar do professor para a formação contínua em um cenário de projetos

O olhar do professor para a formação contínua em um cenário de projetos O olhar do professor para a formação contínua em um cenário de projetos Cristiane Akemi Ishihara 1 cakemi@usp.br Resumo Este trabalho apresentado para a obtenção do título de mestre junto à Faculdade de

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS Helton Andrade Canhamaque/UFES heltongeoufes@hotmail.com Júlio de Souza Santos/UFES juliogeoufes@hotmail.com INTRODUÇÃO O trabalho em questão

Leia mais

A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA

A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA Encontro Nacional de Educação Matemática A CONSTRUÇÃO DO PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO PPP COMO OPORTUNIDADE PARA O ENSINO DE ESTATÍSTICA Thiarla avier Dal-Cin Zanon Prefeitura Municipal de Castelo/ES Universidade

Leia mais

Pró-Reitora de Graduação da Universidade Federal de Goiás

Pró-Reitora de Graduação da Universidade Federal de Goiás Apresentação Prezados Professores e Acadêmicos Com o objetivo de consolidar a política de estágio da Universidade Federal de Goiás, a Pró-Reitoria de Graduação, por meio da Coordenação de Estágios, realizou

Leia mais

HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA

HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA HISTÓRIA ORAL NO ENSINO FUNDAMENTAL: O REGIME MILITAR NO EX- TERRITÓRIO DE RORAIMA LYSNE NÔZENIR DE LIMA LIRA, 1 HSTÉFFANY PEREIRA MUNIZ 2 1. Introdução Este trabalho foi criado a partir da experiência

Leia mais

PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL

PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL PORTFÓLIO: UMA ABORDAGEM DE REGISTRO NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE EDUCAÇÃO INFANTIL Maria de Lourdes Cirne Diniz Profa. Ms. UEPB E-mail: lourdinhacdiniz@oi.com.br Aldeci Luiz de Oliveira Profa. Dra. PMCG E-mail:

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Incubadora de Empreendimentos Solidários, Metodologia, Economia Solidárias, Projetos.

PALAVRAS-CHAVE Incubadora de Empreendimentos Solidários, Metodologia, Economia Solidárias, Projetos. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( X ) TRABALHO

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS. Planificação de Português

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS. Planificação de Português AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDROUÇOS Escola Básica 2/3 de Pedrouços Planificação de Português 7. 7ºano de escolaridade Ano letivo 2012/2013 Expressão oral Compreensão oral 1. o Período (+-64 aulas ) ))))))))646464+66666646

Leia mais

A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública

A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública A LEITURA, ESCRITA E JOGOS NO ENSINO DA MATEMÁTICA: o relato de uma experiência na escola pública Luciana Lopes Xavier 1 Odenise Maria Bezerra 2 Resumo O presente trabalho busca relatar uma experiência

Leia mais

Palavras-chave: Historiografia; Paraná; Regime de Historicidade; História Regional

Palavras-chave: Historiografia; Paraná; Regime de Historicidade; História Regional Doi: 10.4025/7cih.pphuem.1280 OS HISTORIADORES, SEUS LUGARES E SUAS REGIÕES: A PRODUÇÃO HISTORIOGRÁFICA DA UNICENTRO SOBRE A REGIÃO PARANAENSE Darlan Damasceno Universidade Estadual de Londrina Resumo.

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO/APERFEIÇOAMENTO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, AGRICULTURA FAMILIAR E SUSTENTABILIDADE NA AMAZÔNIA

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO/APERFEIÇOAMENTO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, AGRICULTURA FAMILIAR E SUSTENTABILIDADE NA AMAZÔNIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO/APERFEIÇOAMENTO EM EDUCAÇÃO DO CAMPO, AGRICULTURA FAMILIAR E SUSTENTABILIDADE NA AMAZÔNIA UNIDADE EXECUTORA IFPA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

Leia mais

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores

II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores II Congresso Nacional de Formação de Professores XII Congresso Estadual Paulista sobre Formação de Educadores ANÁLISES DE UM PROCESSO DE FORMAÇÃO CONTINUADA EM UM CURSO DE EDUCAÇÃO ESPECIAL NA MODALIDADE

Leia mais

Contribuições do Uso de Representações Semióticas no Ensino de Sistemas de Equações no Ensino Fundamental

Contribuições do Uso de Representações Semióticas no Ensino de Sistemas de Equações no Ensino Fundamental Contribuições do Uso de Representações Semióticas no Ensino de Sistemas de Equações no Ensino Fundamental Michelsch João da Silva 1 GD2 Educação Matemática nos anos finais do Ensino Fundamental Resumo

Leia mais

Normalistas das Minas Gerais nas primeiras décadas da Primeira República: um estudo sobre a presença do Desenho como saber integrante da formação

Normalistas das Minas Gerais nas primeiras décadas da Primeira República: um estudo sobre a presença do Desenho como saber integrante da formação Normalistas das Minas Gerais nas primeiras décadas da Primeira República: um estudo sobre a presença do Desenho como saber integrante da formação Maria Cristina Araújo de Oliveira 1 Eder Quintão Lisboa

Leia mais

Introdução. Material e Métodos

Introdução. Material e Métodos PATRIMÔNIO, MEMÓRIA E PRESERVAÇÃO: O USO PEDAGÓGICO DE FONTES PRIMÁRIAS NO ENSINO DE HISTÓRIA Mauro Castilho Gonçalves 1 Cláudia Borges Serra 2 Tiago Donizette da Cunha 3 Joana Jesus Silva 4 Introdução

Leia mais

CIRCOS-TEATRO E PARQUES-TEATROS EM JARAGUÁ DO (BRASIL): PERCUSO DE UMA PESQUISA HISTÓRICA 1

CIRCOS-TEATRO E PARQUES-TEATROS EM JARAGUÁ DO (BRASIL): PERCUSO DE UMA PESQUISA HISTÓRICA 1 060 CIRCOS-TEATRO E PARQUES-TEATROS EM JARAGUÁ DO SUL/SC (BRASIL): PERCUSO DE UMA PESQUISA HISTÓRICA 1 Ana Paula Moretti Pavanello Machado (PPGT/UDESC) 2 Edélcio Mostaço (Orientador) RESUMO: Este presente

Leia mais

A MEDIAÇÃO ARTICULADA COM USO DE TECNOLOGIAS: CONTRUÇÃO DO TRABALHO DOCENTE NA INCLUSÃO

A MEDIAÇÃO ARTICULADA COM USO DE TECNOLOGIAS: CONTRUÇÃO DO TRABALHO DOCENTE NA INCLUSÃO A MEDIAÇÃO ARTICULADA COM USO DE TECNOLOGIAS: CONTRUÇÃO DO TRABALHO DOCENTE NA INCLUSÃO Resumo Silvana Souza Silva Alves 1 - UnB Amaralina Miranda de Souza 2 - UnB Grupo de Trabalho Diversidade e inclusão

Leia mais

Curso de Graduação em Medicina

Curso de Graduação em Medicina Curso de Graduação em Medicina 1. Disciplina: Humanização da Atenção à Saúde 2. Coordenador: Profa. Vice-Coordenador: Profa. MS. Maria das 3. Carga Horária: 24 horas 4. Justificativa: As Diretrizes Nacionais

Leia mais

A TRAJETÓRIA DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE: DILEMAS E INDEFINIÇÕES

A TRAJETÓRIA DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE: DILEMAS E INDEFINIÇÕES A TRAJETÓRIA DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO NA CONTEMPORANEIDADE: DILEMAS E INDEFINIÇÕES Introdução Vilma Fernandes Neves Maria Auxiliadora Cavazotti Patrícia Andréia Fonseca de Carvalho Pitta Programa de Pós-Graduação

Leia mais

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: DA POLITICA À PRATICA NA ESCOLARIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIAS

O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: DA POLITICA À PRATICA NA ESCOLARIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIAS O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO: DA POLITICA À PRATICA NA ESCOLARIZAÇÃO DE ALUNOS COM DEFICIÊNCIAS Tamara França de Almeida; Roberta Pires Corrêa; Márcia Denise Pletsch Universidade Federal Rural

Leia mais

UMA ABORDAGEM SOBRE OS DESAFIOS COTIDIANOS DAS AGENTES COMUNITARIAS DE SAÚDE DE UMA EQUIPE DE ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA PARTICIPANTE DO PET- SAÚDE

UMA ABORDAGEM SOBRE OS DESAFIOS COTIDIANOS DAS AGENTES COMUNITARIAS DE SAÚDE DE UMA EQUIPE DE ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA PARTICIPANTE DO PET- SAÚDE 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE (x ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA UMA ABORDAGEM

Leia mais

PIBIC 05/06. Departamento de Educação

PIBIC 05/06. Departamento de Educação PIBIC 05/06 Departamento de Educação Alunas: Sandra Mendes Moreira Orientadora: Tânia Dauster Título do Projeto: Escrita na Universidade Os Universitários e as Relações entre Leitura E Escrita ESCRITA

Leia mais

POLÍTICA PÚBLICA PARA A EDUCAÇÃO: CURSO NORMAL SUPERIOR A DISTÂNCIA. POSSIBILIDADE DE REPENSAR A PRÁTICA PEDAGÓGICA?

POLÍTICA PÚBLICA PARA A EDUCAÇÃO: CURSO NORMAL SUPERIOR A DISTÂNCIA. POSSIBILIDADE DE REPENSAR A PRÁTICA PEDAGÓGICA? POLÍTICA PÚBLICA PARA A EDUCAÇÃO: CURSO NORMAL SUPERIOR A DISTÂNCIA. POSSIBILIDADE DE REPENSAR A PRÁTICA PEDAGÓGICA? Jussara Bueno de Queiroz Paschoalino 1 Virgínia Coeli Bueno de Queiroz Matias 2 Este

Leia mais

Aspectos importantes da realização de Feiras de Ciências na Educação Básica.

Aspectos importantes da realização de Feiras de Ciências na Educação Básica. Aspectos importantes da realização de Feiras de Ciências na Educação Básica. Identificação: Carolina Luvizoto Avila Machado, bióloga, coordenadora de projetos na Abramundo Educação em Ciências. Murilo

Leia mais

Prefeitura Municipal de Senador José Porfírio Secretaria Municipal de Educação Coordenadoria de Ensino. PROJETO Prova Brasil na Escola

Prefeitura Municipal de Senador José Porfírio Secretaria Municipal de Educação Coordenadoria de Ensino. PROJETO Prova Brasil na Escola PROJETO Prova Brasil na Escola SENADOR JOSÉ PORFÍRIO PA 2015 Identificação Autor do Projeto: Luiz Pena Titulo do Projeto: Prova Brasil na Escola Unidade Executora: SEMED Equipe de Coordenação: Secretária

Leia mais

LEITURAS E LEITORES DA COLEÇÃO BIBLIOTECA DAS MOÇAS. PONTOS PARA UMA PESQUISA A PARTIR DAS MARCAS DE LEITURA FEITAS POR NORMALISTAS i

LEITURAS E LEITORES DA COLEÇÃO BIBLIOTECA DAS MOÇAS. PONTOS PARA UMA PESQUISA A PARTIR DAS MARCAS DE LEITURA FEITAS POR NORMALISTAS i LEITURAS E LEITORES DA COLEÇÃO BIBLIOTECA DAS MOÇAS. PONTOS PARA UMA PESQUISA A PARTIR DAS MARCAS DE LEITURA FEITAS POR NORMALISTAS i Cássia Aparecida Sales M Kirchner ii Faculdade de Educação Unicamp

Leia mais

A modelagem e a simulação computacional, como recurso didático na disciplina de Física em cursos técnicos integrados ao ensino médio

A modelagem e a simulação computacional, como recurso didático na disciplina de Física em cursos técnicos integrados ao ensino médio A modelagem e a simulação computacional, como recurso didático na disciplina de Física em cursos técnicos integrados ao ensino médio Cibeli Marzari Bertagnolli (1), Orildo Luis Battistel (2), Sheila Magali

Leia mais

A Modernização do Ensino da Matemática no Colégio Taylor Egídio (1950-1969)

A Modernização do Ensino da Matemática no Colégio Taylor Egídio (1950-1969) A Modernização do Ensino da Matemática no Colégio Taylor Egídio (1950-1969) Malú Rosa Brito Gomes 1 Claudinei de Camargo Sant Ana 2 RESUMO A investigação em questão trata de uma pesquisa de Mestrado em

Leia mais

CULTURA ESCOLAR E FEMINALIDADE NO SÉCULO XX: O GÊNERO IMPRESSO NOS MANUAIS DIDÁTICOS

CULTURA ESCOLAR E FEMINALIDADE NO SÉCULO XX: O GÊNERO IMPRESSO NOS MANUAIS DIDÁTICOS CULTURA ESCOLAR E FEMINALIDADE NO SÉCULO XX: O GÊNERO IMPRESSO NOS MANUAIS DIDÁTICOS Wilson Camerino dos Santos Junior Instituto Federal do Espírito Santo/ caducamerino@yahoo.com.br RESUMO A pesquisa apresenta

Leia mais

OLHAR PEDAGÓGICO: A IMPORTÂNCIA DA BRINCADEIRA NOS

OLHAR PEDAGÓGICO: A IMPORTÂNCIA DA BRINCADEIRA NOS OLHAR PEDAGÓGICO: A IMPORTÂNCIA DA BRINCADEIRA NOS ESPAÇOS DE EDUCAÇÃO INFANTIL CHERUBINI, Iris Cristina Barbosa (UNIOESTE) Resumo: Este trabalho tem por propósito divulgar a importância da brincadeira

Leia mais

POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA

POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA POSSIBILIDADE DE ACESSO A EDUCAÇÃO E INCLUSÃO SOCIAL ATRAVÉS DO PROGRAMA MULHERES MIL: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA Albertina Marília Alves Guedes¹ Elisa Angélica Alves Guedes² Maria Nizete de Menezes Gomes

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO COORDENAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO DE PESSOAL DE NÍVEL SUPERIOR DIRETORIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA PRESENCIAL DEB ANEXO II Edital Pibid n /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO

Leia mais

Regulamento Projeto interdisciplinar

Regulamento Projeto interdisciplinar Regulamento Projeto interdisciplinar 1 Apresentação O presente manual tem como objetivo orientar as atividades relativas à elaboração do Projeto Interdisciplinar (PI). O PI é o estudo sobre um tema específico

Leia mais

Pesquisas sobre leitura e biblioteca: um percurso de investigação e seus primeiros achados

Pesquisas sobre leitura e biblioteca: um percurso de investigação e seus primeiros achados 1 Pesquisas sobre leitura e biblioteca: um percurso de investigação e seus primeiros achados Renata Aliaga 1 Lilian Lopes Martin da Silva (Grupo ALLE- Alfabetização, Leitura e Escrita Programa de Pós Graduação

Leia mais

O PONTO DE APOIO DE MATEMÁTICA: RELATO DE EXPERIÊNCIAS NO CEPAE DA UFG

O PONTO DE APOIO DE MATEMÁTICA: RELATO DE EXPERIÊNCIAS NO CEPAE DA UFG 23 O PONTO DE APOIO DE MATEMÁTICA: RELATO DE EXPERIÊNCIAS NO CEPAE DA UFG Luciana Parente Rocha CEPAE/UFG lpr.luciana@gmail.com Moema Gomes Moraes CEPAE/UFG moema2055@hotmail.com Rusvênia Luiza B. R. da

Leia mais

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s.

Palavras-chave: Formação de professores, software livre e TIC s. INFORMÁTICA EDUCATIVA NA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES EM UMA ESCOLA PÚBLICA: PROCESSOS DE POTENCIALIZAÇÃO DOS SABERES E PRÁTICAS Jardel Silva 1 Alex Sandro C. Sant Ana 2 RESUMO Aliada às discussões

Leia mais

TECENDO REDE: UM OLHAR PARA O TRABALHO DO DESIGNER INSTRUCIONAL. Fortaleza 15/05

TECENDO REDE: UM OLHAR PARA O TRABALHO DO DESIGNER INSTRUCIONAL. Fortaleza 15/05 TECENDO REDE: UM OLHAR PARA O TRABALHO DO DESIGNER INSTRUCIONAL Fortaleza 15/05 Isabel Magda Said Pierre Carneiro, Ms. IFET/isabelmsaid@yahoo.com.br Maria José Costa dos Santos, Ms. UFC/mazeautomatic@gmail.com

Leia mais

A HISTÓRIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NOS LIVROS DIDÁTICOS BRASILEIROS EM DOIS TEMPOS: A OBRA DE HERMÍNIO SARGENTIM (1974 E 1999)

A HISTÓRIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NOS LIVROS DIDÁTICOS BRASILEIROS EM DOIS TEMPOS: A OBRA DE HERMÍNIO SARGENTIM (1974 E 1999) A HISTÓRIA DO ENSINO DE LÍNGUA PORTUGUESA NOS LIVROS DIDÁTICOS BRASILEIROS EM DOIS TEMPOS: A OBRA DE HERMÍNIO SARGENTIM (1974 E 1999) Ioná Vieira Guimarães Venturi * Décio Gatti Júnior RESUMO O presente

Leia mais

NARRATIVAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES 1

NARRATIVAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES 1 NARRATIVAS NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES 1 Helker Silva Paixão 2 Universidade Federal de Lavras helkermeister@gmail.com Patrícia Nádia Nascimento Gomes 3 Universidade Federal de Lavras paty.ufla@yahoo.com.br

Leia mais

INTEGRAÇÃO DA TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR QUE ENSINA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA 1

INTEGRAÇÃO DA TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR QUE ENSINA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA 1 INTEGRAÇÃO DA TECNOLOGIA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR QUE ENSINA MATEMÁTICA NA EDUCAÇÃO BÁSICA 1 Marilena Bittar, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Sheila Denize Guimarães, Universidade Federal de

Leia mais

UMA ANÁLISE DO USO DE TECNOLOGIAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA NO ENSINO BÁSICO

UMA ANÁLISE DO USO DE TECNOLOGIAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA NO ENSINO BÁSICO UMA ANÁLISE DO USO DE TECNOLOGIAS NA PRÁTICA PEDAGÓGICA DE PROFESSORES QUE ENSINAM MATEMÁTICA NO ENSINO BÁSICO Bernardete Maria Andreazza Gregio Universidade Federal do Mato Grosso do Sul bernardetegregio@gmail.com

Leia mais

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS

PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO E OS PRIMEIROS RESULTADOS Anais do III Simpósio sobre Formação de Professores SIMFOP Universidade do Sul de Santa Catarina, Campus de Tubarão Tubarão, de 28 a 31 de março de 2011 PIBID MATEMÁTICA DA UNISUL: O DESAFIO DA IMPLANTAÇÃO

Leia mais

B6-527 Educação do campo: um esforço para se fazer presente na história do Brasil

B6-527 Educação do campo: um esforço para se fazer presente na história do Brasil B6-527 Educação do campo: um esforço para se fazer presente na história do Brasil Raimundo Jackson Nogueira da Silva, Secretaria Municipal de Educação de Canindé-CE, e- mail: raimundojackson@hotmail.com.

Leia mais

AS FONTES DOCUMENTAIS: o entrelaçamento dos vestígios na produção da história educativa

AS FONTES DOCUMENTAIS: o entrelaçamento dos vestígios na produção da história educativa V CONGRESSO DE ENSINO E PESQUISA DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM MINAS GERAIS 1 AS FONTES DOCUMENTAIS: o entrelaçamento dos vestígios na produção da história educativa Luiz Miguel Galvão Queiroz 1 Paulo Sérgio

Leia mais

30/07 Sessão de Experiência Pedagógica

30/07 Sessão de Experiência Pedagógica 30/07 Sessão de Experiência Pedagógica INICIAÇÃO CIENTÍFICA NO ENSINO FUNDAMENTAL II UM CAMINHO DE PESQUISA Profª Drª Cleuza Pelá (Escola Cidade Jardim SP) Introdução Quando o Projeto de Minimonografia

Leia mais

A EDUCAÇÃO SEXUAL NA PRIMEIRA INFÂNCIA: FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL EM UMA PROPOSTA DE RESPEITO ÀS DIFERENÇAS.

A EDUCAÇÃO SEXUAL NA PRIMEIRA INFÂNCIA: FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL EM UMA PROPOSTA DE RESPEITO ÀS DIFERENÇAS. A EDUCAÇÃO SEXUAL NA PRIMEIRA INFÂNCIA: FORMAÇÃO CONTINUADA PARA PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL EM UMA PROPOSTA DE RESPEITO ÀS DIFERENÇAS. Michele Ignacio Pires Orientadora: Profª Drª Aura Helena Ramos

Leia mais

OS SABERES PROFISSIONAIS PARA O USO DE RECURSOS TECNOLÓGICOS NA ESCOLA

OS SABERES PROFISSIONAIS PARA O USO DE RECURSOS TECNOLÓGICOS NA ESCOLA OS SABERES PROFISSIONAIS PARA O USO DE RECURSOS TECNOLÓGICOS NA ESCOLA Suzana Marssaro do Santos - suzanamarsaro@hotmail.com Priscila Moessa Bezerra - p-moessabezerra@hotmail.com Célia Regina de Carvalho

Leia mais

O QUE DIZEM OS ARTIGOS PUBLICADOS NOS MEMÓRIA ABRACE SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE TEATRO?

O QUE DIZEM OS ARTIGOS PUBLICADOS NOS MEMÓRIA ABRACE SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE TEATRO? O QUE DIZEM OS ARTIGOS PUBLICADOS NOS MEMÓRIA ABRACE SOBRE A FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O ENSINO DE TEATRO? Everson Melquiades Araújo Silva Universidade Federal de Pernambuco UFPE Palavras-chave: Teatro/Educação;

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Campus São Gonçalo CoEX - Coordenação de Extensão EDITAL INTERNO

Leia mais

FACULDADES PEQUENO PRÍNCIPE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO NAS CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL Nº 024 /2015 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO CURSO DE

FACULDADES PEQUENO PRÍNCIPE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO NAS CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL Nº 024 /2015 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO CURSO DE FACULDADES PEQUENO PRÍNCIPE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO NAS CIÊNCIAS DA SAÚDE EDITAL Nº 024 /2015 SELEÇÃO DE CANDIDATOS ÀS VAGAS DO CURSO DE MESTRADO ACADÊMICO EM ENSINO NAS CIÊNCIAS DA SAÚDE 1.PREÂMBULO

Leia mais

REVISITANDO A HISTÓRIA DA ESCOLA AGRÍCOLA: HISTÓRIA E MEMÓRIA DE UMA ESCOLA CENTENÁRIA

REVISITANDO A HISTÓRIA DA ESCOLA AGRÍCOLA: HISTÓRIA E MEMÓRIA DE UMA ESCOLA CENTENÁRIA REVISITANDO A HISTÓRIA DA ESCOLA AGRÍCOLA: HISTÓRIA E MEMÓRIA DE UMA ESCOLA CENTENÁRIA Camila Damasceno de Paula Larissa Pamplona de Oliveira Ana Carolina de Almeida Bergamaschi Fabrício Roberto Costa

Leia mais

A REORGANIZAÇÃO DE CICLOS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO: UM ESTUDO SOBRE A NOVA PROPOSTA E SEUS IMPACTOS INICIAIS

A REORGANIZAÇÃO DE CICLOS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO: UM ESTUDO SOBRE A NOVA PROPOSTA E SEUS IMPACTOS INICIAIS A REORGANIZAÇÃO DE CICLOS NO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO: UM ESTUDO SOBRE A NOVA PROPOSTA E SEUS IMPACTOS INICIAIS Resumo Jéssica Martins Mantovan 1 - UMESP Grupo de Trabalho Políticas Públicas, Avaliação e

Leia mais

PESQUISA AÇÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA PRÁTICA LEITORA EMANCIPADA BLASZKO,Caroline Elizabel - FAFIUV karolblaszko@yahoo.com.br.

PESQUISA AÇÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA PRÁTICA LEITORA EMANCIPADA BLASZKO,Caroline Elizabel - FAFIUV karolblaszko@yahoo.com.br. PESQUISA AÇÃO E FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA PRÁTICA LEITORA EMANCIPADA BLASZKO,Caroline Elizabel - FAFIUV karolblaszko@yahoo.com.br. Resumo UJIIE, Najela Tavares - FAFIUV najelaujiie@yahoo.com.br. Eixo

Leia mais

Leituras rebeldes: a presença de Maria Helena Souza Patto na História da Psicologia e da Educação

Leituras rebeldes: a presença de Maria Helena Souza Patto na História da Psicologia e da Educação Mnemosine Vol.8, nº2, p. 331-336 (2012) Biografia Leituras rebeldes: a presença de Maria Helena Souza Patto na História da Psicologia e da Educação Marcelo de Abreu Maciel Roger Chartier é um historiador

Leia mais

O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO

O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO O PIBID-UESB E SUA CONTRIBUIÇÃO PARA FORMAÇÃO DO FUTURO PEDAGOGO Elane Porto Campos-UESB Graduanda em Pedagogia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Bolsista do subprojeto de Pedagogia PIBID/UESB-CAPES

Leia mais

Compreensão/Expressão oral

Compreensão/Expressão oral ESCOLA SECUNDÁRIA DR. SOLANO DE ABREU ABRANTES PLANIFICAÇÃO ANUAL 3º C.E.B DISCIPLINA: Português ANO: 7º ANO : 2011/2012 SEQUÊNCIA 1 COMPETÊNCIAS/ Compreensão/Expressão oral Dispor-se a escutar. LEITURA

Leia mais

PESQUISANDO O QUARTEL DO XX:

PESQUISANDO O QUARTEL DO XX: PESQUISANDO O QUARTEL DO XX: Um Olhar Sobre a Experiência de Integração Curricular no Curso de Conservação e Restauro na Modalidade EJA Renata Tavares de Brito Falleti* Diante do contexto pedagógico conflitante

Leia mais

LIVROS DIDÁTICOS: ELEMENTOS DA CULTURA ESCOLAR, PRODUTOS CULTURAIS E MERCADORIAS

LIVROS DIDÁTICOS: ELEMENTOS DA CULTURA ESCOLAR, PRODUTOS CULTURAIS E MERCADORIAS LIVROS DIDÁTICOS: ELEMENTOS DA CULTURA ESCOLAR, PRODUTOS CULTURAIS E MERCADORIAS Resumo MARTINS, Alisson Antonio 1 - UFPR GARCIA, Nilson Marcos Dias 2 - UTFPR/UFPR Grupo de Trabalho Cultura, Currículo

Leia mais