PESQUISA GLOBAL Job:11521

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PESQUISA GLOBAL Job:11521"

Transcrição

1 PESQUISA GLOBAL Job:

2 2

3 GLOBAL BAROMETER ON NUCLEAR ENERGY After Japan Earthquake Global WIN Survey Amostra global de 34,122 respondentes Homens e mulheres de todas as classes sociais Entrevistas conduzidas em 47 países espalhados em todos os continentes do mundo Margem de erro variando entre +3-5% com 95% de nível de confiança. Período de coleta de dados: de 21 de março a 10 de abril

4 Country Company Mode Sample Type Sample Size 1 Austria GALLUP Austria Telephone National Azerbaijan SIAR Research and Consulting Group Other Urban Bangladesh ORG Quest Research Ltd. Face to face Urban Belgium Dedicated Research Urban Bosnia And Herzegovina MARECO INDEX BOSNIA Telephone National Brazil IBOPE Inteligência Face to face National Bulgaria BBSS Gallup International Face to face National Cameroon TNS RMS Face to face Other Canada Leger Marketing Other Other China CRC-Research Center Other Other Colombia Centro Nacional De Consultoria Urban Czech Republic Mareco s.r.o. Face to face National Egypt RADA Research & PR Co. Face to face Urban Fiji Islands Tebbutt Research Face to face Other Finland Taloustutkimus Oy Telephone National France BVA Other National Germany TNS Emnid Telephone National Greece CENTRUM RESEARCH S.A. Telephone National Georgia GORBI Telephone Urban Hong Kong Consumer Search HK Ltd Telephone Urban Iceland Capacent Gallup Other National India CVoter News Services Pvt. Ltd. Telephone National Iraq IIACSS Face to face National Ireland RED C Research Telephone National Italy Doxa S.p.A Telephone National Japan Nippon Research Center Other Other Kenya Infinite Insight (Kenya) Face to face Other Latvia Romir Telephone National Macedonia BRIMA Telephone National Morocco BJ Group Urban 500 4

5 Country Company Mode Sample Type Sample Size 31 Netherlands MarketResponse Telephone National Nigeria Infinite Insight (Nigeria) Face to face Other Pakistan Gallup Pakistan Face to face National Poland MARECO Polska Face to face Urban Palestine Palestinian Center for Public Opinion Face to face National Romania TNS CSOP National Russia Romir Other Urban Saudi Arabia Pan Arab Research Center (PARC) Telephone Other Serbia TNS Medium Gallup, Serbia Face to face National S. Korea Gallup Korea Telephone National 1, South Africa Topline Research Solutions (TRS) Urban Spain Instituto DYM Telephone National Switzerland ISOPUBLIC AG Telephone Urban Turkey BAREM RESEARCH Telephone National Tunisia EMRHOD INTERNATIONAL Face to face Other USA TRIG Other National Vietnam Indochina Research Vietnam Face to face National 500 5

6 6

7 Perfil da Amostra no Brasil Masculino Feminino 16 a a a a e mais Base: Amostra (1001) Até 4ª série 5ª a 8ª série Ensino Médio Superior 7

8 Perfil da Amostra no Brasil Norte/ Centro Oeste Nordeste Sudeste Sul 10 5 a 10 2 a 5 1 a 2 Até 1 Não Base: Amostra (1001) 8

9 Perfil da Amostra no Brasil Sim Não Não sabe/ Não Q.09) Agora eu gostaria de saber se o/a sr/a tem algum familiar ou pessoa próxima vivendo no Japão atualmente? 9

10 10

11 54% dos brasileiros são contra o uso de energia nuclear como forma de gerar eletricidade para o mundo. Na média mundial são 43% contra % 54% mente a favor Parcialmente a favor Parcialmente contra mente contra Não sabe/ Não Na média Global, 49% são a favor e 43% contra Base: Amostra (1001) Q.01) Atualmente qual é a sua opinião sobre o uso de energia nuclear como uma das formas de gerar eletricidade para o mundo. O/a Sr/a é totalmente a favor, parcialmente a favor, parcialmente contra ou totalmente contra? 11

12 O uso de energia nuclear como forma de gerar eletricidade para o mundo na percepção dos brasileiros. Sexo Idade Escolaridade Masc. Fem. 16 a a a a e mais Até 4ª 5ª a 8ª Ens. Médio Superior Base: (1001) (490) (511) (188) (129) (213) (203) (268) (293) (214) (338) (156) mente a favor Parcialmente a favor Parcialmente contra mente contra Norte/ CO Região Nordeste Sudeste Sul Renda Familiar (em salários mínimos) 5 2 a 5 1 a 2 Familiar ou pessoa próxima vivendo no Japão Até 1 Sim Não Base: (1001) (144) (260) (447) (150) (75) (339) (357) (151) (49) (945) mente a favor Parcialmente a favor Parcialmente contra mente contra Q.01) Atualmente qual é a sua opinião sobre o uso de energia nuclear como uma das formas de gerar eletricidade para o mundo. O/a Sr/a é totalmente a favor, parcialmente a favor, parcialmente contra ou totalmente contra? 12

13 Antes do terremoto do Japão, 49% dos brasileiros eram contra o uso de energia nuclear como forma de gerar eletricidade; depois do terremoto, essa proporção passou para 54% (+5) % 49% mente a favor Parcialmente a favor Parcialmente contra mente contra Não sabe/ Não Na média Global, 32% eram contra e agora, depois do terremoto, são 43% (+11) Base: Amostra (1001) Q.04) Antes desse Terremoto no Japão, qual era a sua opinião sobre o uso de energia nuclear como uma das formas de gerar eletricidade para o mundo. O/a Sr/a era totalmente a favor, parcialmente a favor, parcialmente contra ou totalmente contra? 13

14 O uso de energia nuclear como forma de gerar eletricidade para o mundo na percepção dos brasileiros, antes do terremoto no Japão. Sexo Idade Escolaridade Masc. Fem. 16 a a a a e mais Até 4ª 5ª a 8ª Ens. Médio Superior Base: (1001) (490) (511) (188) (129) (213) (203) (268) (293) (214) (338) (156) mente a favor Parcialmente a favor Parcialmente contra mente contra Norte/ CO Região Nordeste Sudeste Sul Mais de 10 Renda Familiar (em salários mínimos) 5 a 10 2 a 5 1 a 2 Familiar ou pessoa próxima vivendo no Japão Até 1 Sim Não Base: (1001) (144) (260) (447) (150) (12) (63) (339) (357) (151) (49) (945) mente a favor Parcialmente a favor Parcialmente contra mente contra Q.04) Antes desse Terremoto no Japão, qual era a sua opinião sobre o uso de energia nuclear como uma das formas de gerar eletricidade para o mundo. O/a Sr/a era totalmente a favor, parcialmente a favor, parcialmente contra ou totalmente contra? 14

15 Países mais desfavoráveis ao uso de energia nuclear, antes e depois do terremoto do Japão. % DESFAVORÁVEL ANTES DEPOIS # Global Average Austria Greece Morocco Azerbaijan Italy Colombia Bosnia and Herzegovina Fiji Macedonia Georgia Germany Ireland Iceland Kenya Brazil Belgium Canada Netherlands Cameroon Hong Kong Finland Latvia France Czech Republic Japan Iraq Egypt Bangladesh India Bulgaria China Korea, South

16 A maioria dos brasileiros tomou conhecimento do terremoto no Japão e também do vazamento de radiação nuclear Sim Não Não sabe/ Não Sim Não Não sabe/ Não Menor conhecimento: Índia, Iraque, Paquistão, Arábia Saudita Base: Amostra (1001) Q.02) Recentemente, um forte terremoto seguido de um tsunami atingiu partes do Japão. O/a Sr/a ouviu falar ou leu a respeito disso? Q.03) O/a Sr/a ouviu falar ou leu a respeito do vazamento de radiação de um reator nuclear no Japão, como consequência do terremoto? 16

17 Conhecimento do terremoto no Japão entre os brasileiros Sexo Idade Escolaridade Masc. Fem. 16 a a a a e mais Até 4ª 5ª a 8ª Ens. Médio Superior Base: (1001) (490) (511) (188) (129) (213) (203) (268) (293) (214) (338) (156) Sim Não Norte/ CO Região Nordeste Sudeste Sul Mais de 10 Renda Familiar (em salários mínimos) 5 a 10 2 a 5 1 a 2 Familiar ou pessoa próxima vivendo no Japão Até 1 Sim Não Base: (1001) (144) (260) (447) (150) (12) (63) (339) (357) (151) (49) (945) Sim Não Q.02) Recentemente, um forte terremoto seguido de um tsunami atingiu partes do Japão. O/a Sr/a ouviu falar ou leu a respeito disso? 17

18 Conhecimento dos brasileiros sobre o vazamento de radiação nuclear como consequência do terremoto Sexo Idade Escolaridade Masc. Fem. 16 a a a a e mais Até 4ª 5ª a 8ª Ens. Médio Superior Base: (1001) (490) (511) (188) (129) (213) (203) (268) (293) (214) (338) (156) Sim Não Não se aplica Norte/ CO Região Nordeste Sudeste Sul Mais de 10 Renda Familiar (em salários mínimos) 5 a 10 2 a 5 1 a 2 Familiar ou pessoa próxima vivendo no Japão Até 1 Sim Não Base: (1001) (144) (260) (447) (150) (12) (63) (339) (357) (151) (49) (945) Sim Não Não se aplica Q.03) O/a Sr/a ouviu falar ou leu a respeito do vazamento de radiação de um reator nuclear no Japão, como consequência do terremoto? 18

19 A TV é a principal fonte de informação sobre o terremoto no Japão, principalmente no Brasil Média Mundial TV 94 60% Internet 3 17% Rádio 1 3% Jornal 1 7% Não sabe/ Não 1 Base: Amostra (1001) Q.05) Qual é a sua principal fonte de informação sobre o Terremoto e o Tsunami no Japão? 19

20 Fontes de informação no Brasil Sexo Idade Escolaridade Masc. Fem. 16 a a a a e mais Até 4ª 5ª a 8ª Ens. Médio Superior Base: (1001) (490) (511) (188) (129) (213) (203) (268) (293) (214) (338) (156) TV Internet Rádio Jornal Boca a boca Norte/ CO Região Nordeste Sudeste Sul Mais de 10 Renda Familiar (em salários mínimos) 5 a 10 2 a 5 1 a 2 Familiar ou pessoa próxima vivendo no Japão Até 1 Sim Não Base: (1001) (144) (260) (447) (150) (12) (63) (339) (357) (151) (49) (945) TV Internet Rádio Jornal Boca a boca Q.05) Qual é a sua principal fonte de informação sobre o Terremoto e o Tsunami no Japão? 20

21 Perspectivas do Japão na percepção dos brasileiros Média Mundial O Japão vai se recuperar e voltar ao mesmo nível econômico que tinha antes do terremoto 49 30% O Japão vai ficar economicamente mais fraco por causa desse terremoto 31 38% O Japão vai ficar economicamente mais forte do que antes do terremoto por causa dos esforços de recuperação 13 18% Não sabe/ Não 7 Base: Amostra (1001) Q.06) Existem diferentes opiniões sobre o impacto do Terremoto na economia do Japão. Por favor, diga qual dessas opiniões mais se aproxima da sua? 21

22 Perspectivas do Japão na percepção dos brasileiros Sexo Idade Escolaridade Masc. Fem. 16 a a a a e mais Até 4ª 5ª a 8ª Ens. Médio Superior Base: (1001) (490) (511) (188) (129) (213) (203) (268) (293) (214) (338) (156) O Japão vai se recuperar e voltar ao mesmo nível econômico que tinha antes do terremoto O Japão vai ficar economicamente mais fraco por causa desse terremoto O Japão vai ficar economicamente mais forte do que antes do terremoto por causa dos esforços de recuperação Q.06) Existem diferentes opiniões sobre o impacto do Terremoto na economia do Japão. Por favor, diga qual dessas opiniões mais se aproxima da sua? 22

23 Perspectivas do Japão na percepção dos brasileiros Região Renda Familiar (em salários mínimos) Familiar ou pessoa próxima vivendo no Japão Norte/ CO Nordeste Sudeste Sul Mais de 10 5 a 10 2 a 5 1 a 2 Até 1 Sim Não Base: (1001) (144) (260) (447) (150) (12) (63) (339) (357) (151) (49) (945) O Japão vai se recuperar e voltar ao mesmo nível econômico que tinha antes do terremoto O Japão vai ficar economicamente mais fraco por causa desse terremoto O Japão vai ficar economicamente mais forte do que antes do terremoto por causa dos esforços de recuperação Q.06) Existem diferentes opiniões sobre o impacto do Terremoto na economia do Japão. Por favor, diga qual dessas opiniões mais se aproxima da sua? 23

24 57% dos brasileiros estão preocupados com a possibilidade de um incidente nuclear no país % 28% Muito preocupado Preocupado Nos demais, países, esta média de preocupação é de 49% Mais ou menos preocupado Pouco preocupado Nada preocupado Não sabe/ Não Base: Amostra (1001) Q.07) Qual o seu nível de preocupação quanto a possibilidade de um incidente nuclear no Brasil? 24

25 Preocupação com a possibilidade de um incidente nuclear no Brasil Sexo Idade Escolaridade Masc. Fem. 16 a a a a e mais Até 4ª 5ª a 8ª Ens. Médio Superior Base: (1001) (490) (511) (188) (129) (213) (203) (268) (293) (214) (338) (156) Muito preocupado Preocupado Mais ou menos preocupado Pouco preocupado Nada preocupado Norte/ CO Região Nordeste Sudeste Sul Mais de 10 Renda Familiar (em salários mínimos) 5 a 10 2 a 5 1 a 2 Familiar ou pessoa próxima vivendo no Japão Até 1 Sim Não Base: (1001) (144) (260) (447) (150) (12) (63) (339) (357) (151) (49) (945) Muito preocupado Preocupado Mais ou menos preocupado Pouco preocupado Nada preocupado Q.07) Qual o seu nível de preocupação quanto a possibilidade de um incidente nuclear no Brasil? 25

26 Ranking dos mais preocupados com a possibilidade de um incidente nuclear no país % Morocco 82 China 81 Georgia 77 Palestinian territories 73 Kenya 72 Colombia 65 Nigeria 64 Austria 61 Greece 61 Macedonia 60 Italy 59 Azerbaijan 58 Brazil 57 India 54 Hong Kong 52 Romania 50 Média mundial = 49% 26

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 2700:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável EDUCAÇÃO Base do Desenvolvimento Sustentável 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais

Leia mais

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos Realidade Operacional e Gerencial do Poder Judiciário de Mato Grosso Na estrutura organizacional, existe a COPLAN que apoia administrativamente e oferece

Leia mais

Q: Preciso contratar um numero de empregados para solicitar o visto E2? R: Não, o Visto E2 não requer um numero de empregados como o Visto Eb5.

Q: Preciso contratar um numero de empregados para solicitar o visto E2? R: Não, o Visto E2 não requer um numero de empregados como o Visto Eb5. RE: Visto E1 O E2 Visto E1 O E2 Q :Preciso contratar um advogado para solicitar o Visto E2? R: Sim, o visto E2 requer o conhecimento especializado da legislacao migratória e a experiência de um advogado

Leia mais

http://www.amoportugal.org/

http://www.amoportugal.org/ OBJETIVOS A promoção de eventos de âmbito nacional com recurso à mobilização de Voluntários e ao envolvimento de parcerias públicas e privadas gratuitas. O desenvolvimento da cooperação e da solidariedade

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento EDUCAÇÃO Base para o desenvolvimento 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais de escolaridade.

Leia mais

Cenário e Oportunidade de vendas nas óticas

Cenário e Oportunidade de vendas nas óticas Cenário e Oportunidade de vendas nas óticas Claudia Bindo Gerente de Novos Negócios GfK 2013 1 Empresas de Ótica & Eyewear Pesquisa do Mercado Global feita para você TM Apresentação corporativa GfK 2013

Leia mais

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios:

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios: CREBi Media Kit Atualmente, somos a mais representativa mídia eletrônica do setor de jóias e afins e também já superamos em muito as maiores médias de outras categorias de mídia. O CREBi oferece três canais

Leia mais

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica A importância e desafios da agricultura na economia regional Assessoria Econômica A Agricultura é importante para o crescimento e desenvolvimento econômico ou é apenas fornecedora de alimentos? Taxa Média

Leia mais

MVNO Operadoras Virtuais no Brasil. Conhecendo o usuário brasileiro. Valter Wolf 18 de Novembro de 2010

MVNO Operadoras Virtuais no Brasil. Conhecendo o usuário brasileiro. Valter Wolf 18 de Novembro de 2010 MVNO Operadoras Virtuais no Brasil Conhecendo o usuário brasileiro Valter Wolf 18 de Novembro de 2010 O estudo A&R contempla 17 países com mais de 20 mil entrevistas, agrupadas em 3 categorias: Mature,

Leia mais

Evolução da renda no Governo Lula: Cinco conclusões definitivas. Reinaldo Gonçalves 1 4 março 2011

Evolução da renda no Governo Lula: Cinco conclusões definitivas. Reinaldo Gonçalves 1 4 março 2011 Evolução da renda no Governo Lula: Cinco conclusões definitivas Reinaldo Gonçalves 1 4 março 2011 A divulgação dos dados de evolução da renda do Brasil pelo IBGE e a base de dados do FMI permitem algumas

Leia mais

Políticas para Inovação no Brasil

Políticas para Inovação no Brasil Políticas para Inovação no Brasil Naercio Menezes Filho Centro de Políticas Públicas do Insper Baixa Produtividade do trabalho no Brazil Relative Labor Productivity (GDP per Worker) - 2010 USA France UK

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE RELIGIÃO A B R I L D E 2 0 0 6 O P P 0 7 1 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL - Levantar com a população da área em estudo opiniões relacionadas a religião.

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE ÁGUA MINERAL NA GRÉCIA

INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE ÁGUA MINERAL NA GRÉCIA INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE ÁGUA MINERAL NA GRÉCIA Embaixada do Brasil em Atenas Setor Comercial secomgre@embratenas.gr Tel: 30 210 72 444 34 Fax: 30 210 724 47 31 http://atenas.itamaraty.gov.br MAR

Leia mais

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 1. Visitações Diárias ( Y ) Visitas ( X ) Dia do mês 1.1) Janeiro 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15

Leia mais

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras Existem muitas empresas e investimentos espanhóis no Brasil. É a hora de ter investimentos brasileiros na Espanha Presidente Lula da Silva,

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL Andréa Zaitune Curi Tendências Consultoria Naercio Aquino Menezes Filho IBMEC-SP, USP, IFB e Fundação Itaú Social Introdução Processo de educação

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007 FaculdadedeEconomia João Salgueiro João Amador Seminário de Economia Europeia Economia Portuguesa e Europeia Exame de 1 a época 5 de Janeiro de 2007 Atenção:

Leia mais

2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea

2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea 2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea Evolução segundo a ótica do Relatório Stiglitz-Sen: http://www.stiglitz-sen-fitoussi.fr/documents/rapport_anglais.pdf Recomendações Enfatizarrenda

Leia mais

FAQ Obrigatoriedade do GTIN

FAQ Obrigatoriedade do GTIN FAQ Obrigatoriedade do GTIN 1. O que é o GTIN? GTIN, acrônimo para Global Trade Item Number é um identificador para itens comerciais desenvolvido e controlado pela GS1, antiga EAN/UCC. GTINs, anteriormente

Leia mais

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior Headquarters: Rua Senhor da Paciência, 39 6200-158 Covilhã Portugal Telephone: +351 275 319 530 Fax: +351 275

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES Eduardo Augusto Guimarães Maio 2012 Competitividade Brasil 2010: Comparação com Países Selecionados. Uma chamada para a ação África

Leia mais

Associação KNX Portugal

Associação KNX Portugal Associação KNX Portugal Organização KNX e rede de parceiros KNX Association International Page No. 3 Associações Nacionais: Membros Membros KNX Nacionais: Fabricantes: Empresas fabricantes ou representantes

Leia mais

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação André Portela Souza EESP/FGV Rio de Janeiro 13 de maio de 2011 Estrutura da Apresentação 1. Porque Educação? Educação e Crescimento 2. Educação

Leia mais

Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado

Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado Empreender em Portugal: Rumo a um Empreendedorismo Sustentado Patrícia Jardim da Palma Professora Universitária no ISCSP Coordenadora do Hélios Directora do INTEC ppalma@iscsp.utl.pt Agenda O empreendedorismo

Leia mais

Serviços de telefonia. condições de prestação

Serviços de telefonia. condições de prestação Serviços de telefonia móvel: preços e condições de prestação Audiência pública na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal Ercio Alberto Zilli Presidente Executivo

Leia mais

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL Súmula dos dados provisórios do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional, IPCTN, 2007 I DESPESA 1. Despesa em I&D nacional total

Leia mais

SciELO e o aperfeiçoamento da qualidade dos periódicos científicos brasileiros

SciELO e o aperfeiçoamento da qualidade dos periódicos científicos brasileiros SciELO e o aperfeiçoamento da qualidade dos periódicos científicos brasileiros Fabiana Montanari Lapido Projeto SciELO FAPESP, CNPq, BIREME, FapUNIFESP Informação Conhecimento científico pesquisa científica

Leia mais

Tecnologia Conectividade

Tecnologia Conectividade Funcionalidade de Alimentos como Ferramenta de Marketing Mª Engª Alexia Hoppe I Mostra de Ciência e Tecnologia TecnoDohms Porto Alegre, Maio 2012 Tecnologia Conectividade Geração Y: valores e atitudes

Leia mais

Expectativas para 2015

Expectativas para 2015 Crise Economia Pessimismo Política Otimismo Segurança Saúde Prosperidade Expectativas para 2015 OBJETIVO Medir a expectativa da população mundial para o ano seguinte, por meio de índices de esperança e

Leia mais

FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono. Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1

FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono. Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1 FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1 Fibra de Carbono um negócio com fortes barreiras à entrada Precursor Custos de Operação Tecnologia

Leia mais

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Impacto Positivo de uma Redução de Tributos para Empresas e Consumidores Rio de Janeiro, 27 de maio de 2009 Em 2008, o mercado brasileiro de CDs e DVDs

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2015 BRASIL INTRODUÇÃO Europe 43% % DE RESPOSTAS POR REGIÃO Americas 9% Asia 48% A pesquisa global de opinião sobre

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 1 Semestre 2014 BRASIL % DE RESPOSTAS POR REGIÃO INTRODUÇÃO Américas 19% Ásia 31% A pesquisa global de opinião sobre o mercado

Leia mais

Bem-vindos à Conferência de Imprensa da EMO. Dr. Wolfram von Fritsch Presidente do Conselho de Administração. 24 de Maio de 2011 no Porto.

Bem-vindos à Conferência de Imprensa da EMO. Dr. Wolfram von Fritsch Presidente do Conselho de Administração. 24 de Maio de 2011 no Porto. Bem-vindos à Conferência de Imprensa da EMO Dr. Wolfram von Fritsch Presidente do Conselho de Administração 24 de Maio de 2011 no Porto Seite 1 Feiras no mix dos meios de comunicação Global Fairs Global

Leia mais

Com base nesse diagnóstico, a consultoria analisou uma série de determinantes para evidenciar as possibilidades de sucesso no torneio:

Com base nesse diagnóstico, a consultoria analisou uma série de determinantes para evidenciar as possibilidades de sucesso no torneio: Press release Data: 11 de Junho de 2014 Contato: Marta Telles Tel: (11) 3526-4508 marta.telles@imagemcorporativa.com.br Marcia Avruch Tel: (11) 3674-3762 marcia.avruch@br.pwc.com Brasil tem vantagem na

Leia mais

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo ED 2068/09 16 junho 2009 Original: inglês P Obstáculos ao consumo 1. Cumprimentando os Membros, o Diretor-Executivo recorda-lhes que, de acordo com o Artigo 33 do Convênio Internacional do Café de 2001

Leia mais

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL

Global leader in hospitality consulting. Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL Global leader in hospitality consulting Global Hotel Market Sentiment Survey 2 Semestre 2013 BRASIL 50 40 30 20 10 0-10 -20-30 -40-50 Fev 2009 Jul 2009 SENTIMENT NÍVEL GLOBAL Jan 2010 % DE RESPOSTAS POR

Leia mais

Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a

Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a Sessão de Informação ERASMUS+ 1 9 d e m a r ç o d e 2 0 1 4 I n s t i t u t o P o l i t é c n i c o d e B e j a Mobilidade de indivíduos para aprendizagem (KA1) Mobilidade de staff, em particular de pessoal

Leia mais

CIESP SOROCABA Riscos Comerciais e Políticos e Seguro de Crédito à Exportação. Denise Cortez Executiva de Negocios

CIESP SOROCABA Riscos Comerciais e Políticos e Seguro de Crédito à Exportação. Denise Cortez Executiva de Negocios CIESP SOROCABA Riscos Comerciais e Políticos e Seguro de Crédito à Exportação 26 04 2012 Denise Cortez Executiva de Negocios Panorama Mundial Desta vez, a crise é realmente diferente Crescimento mundial

Leia mais

Indicadores Ambientais

Indicadores Ambientais Indicadores Ambientais De que forma a empresa analisa seus indicadores de desempenho ambiental e desenvolve ações de produção mais limpa nos processos produtivos Valéria Soares Amorim Pereira Gerente de

Leia mais

Protocolo Facultativo para Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis

Protocolo Facultativo para Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis Protocolo Facultativo para Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis Os Estados Partes no presente Protocolo, Considerando que, para melhor

Leia mais

e-freight Apresentação Sindicomis IATA 13 de Junho de 2011

e-freight Apresentação Sindicomis IATA 13 de Junho de 2011 e-freight Apresentação Sindicomis IATA 13 de Junho de 2011 Agenda Sobre a IATA O que é e-freight Mensagens Padronizadas Requerimentos básicos para a Aduana Conhecimento Aéreo Eletrônico (e-awb) 2 IATA

Leia mais

A Economia do Brasil nos últimos 40 Anos e Perspectivas para o Futuro

A Economia do Brasil nos últimos 40 Anos e Perspectivas para o Futuro A Economia do Brasil nos últimos 40 Anos e Perspectivas para o Futuro 40 Anos da Editoria de Economia de O Globo Marcelo Neri mcneri@fgv.br Décadas: 60 e 70 Milagre Crescimento 80 Redemocratização 90 Estabilização

Leia mais

SGA. Introdução. Qualidade ISO 14001. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática. Manuel Duarte Pinheiro SGA. Introdução. Qualidade ...

SGA. Introdução. Qualidade ISO 14001. Sistemas. Sustentáveis. Casos. Prática. Manuel Duarte Pinheiro SGA. Introdução. Qualidade ... por RESPONSABILIDADE SOCIAL E SUSTENTABILIDADE NOVAS DIMENSÕES por SA SIGMA SISTEMAS DE GESTÃO DO AMBIENTE 2003/2004 GRI por Nível 1 Nível 2 PROACTIVIDADE CRESCENTE Nível 3 ISSO EMAS I Excelência Ambiental...

Leia mais

Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde

Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde Terceiro Sector, Contratualização para ganhos em saúde 1º Encontro Nacional - Desafios do presente e do futuro Alexandre Lourenço www.acss.min-saude.pt Sumário Organizações do Terceiro Sector Necessidade

Leia mais

FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL

FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL FACULDADE DE ECONOMIA, UNIVERSIDADE DO PORTO - ANO LECTIVO 2010/2011 1 1G203: ECONOMIA INTERNACIONAL 1.2 -A evolução da economia mundial: globalização dos mercados e globalização da produção comércio internacional

Leia mais

BRASIL. 2º Trimestre 2015 Escritórios Corporativos Classe A e A+ Economia & Mercado

BRASIL. 2º Trimestre 2015 Escritórios Corporativos Classe A e A+ Economia & Mercado Evolução do Emprego Formal (%) Taxa de Vacância (%) 2º Trimestre 215 Economia & Mercado O aumento da desaprovação do governo pelos eleitores e a crise política continuam afetando a confiança dos empresários

Leia mais

Fonte: http://www.mckinsey.com

Fonte: http://www.mckinsey.com 30000000 70000000 Fonte: http://www.mckinsey.com 700000 1400000 Fonte: http://www.mckinsey.com 22000 43000 Fonte: http://www.mckinsey.com Fonte: http://www.mckinsey.com Disponível em: http://www.gs1.org/healthcare/mckinsey

Leia mais

BARRAS DYWIDAG GRP Enfilagem, Pregamento e Tirantes em Fibra de Vidro

BARRAS DYWIDAG GRP Enfilagem, Pregamento e Tirantes em Fibra de Vidro BARRAS DYWIDAG GRP Enfilagem, Pregamento e Tirantes em Fibra de Vidro 2 Conteúdo Introdução... 3 Campos de Aplicação... 4 Principais Vantagens... 4 Descrição do Sistema... 4 Componentes do Sistema... 4

Leia mais

A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide. Marcelo Neri mcneri@fgv.br

A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide. Marcelo Neri mcneri@fgv.br A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide Marcelo Neri mcneri@fgv.br Percentil de da Distribuição Mundial de Renda Comparando Distribuições de Renda Países Selecionados e o Mundo

Leia mais

Máquinas. Placas Vibratórias com Direção Única 54 110 kg APF 1033/1240/1250/1850. www.ammann-group.com

Máquinas. Placas Vibratórias com Direção Única 54 110 kg APF 1033/1240/1250/1850. www.ammann-group.com Máquinas Placas Vibratórias com Direção Única 54 110 kg APF 1033/1240/1250/1850 www.ammann-group.com Fácil Transporte Trabalho sem esforço O modelo APF 1033 é a unidade mais leve dentro desta gama, sendo

Leia mais

Artemis7. Portfolio and Project Management Solutions. Better decisions. Better results

Artemis7. Portfolio and Project Management Solutions. Better decisions. Better results Artemis7 Portfolio and Project Management Solutions Better decisions. Better results ESCRITÓÓÓORIO BRASIL Av. Dr. Guilherme Dumont Villares, 1410 6o. andar - Morumbi - 05640-003 55 11 3773-9009 REGIONAL

Leia mais

Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006

Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006 Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006 Julio Gomes de Almeida Diretor-Executivo IEDI Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial Motor do Crescimento

Leia mais

Exportar para Crescer. Novos Caminhos para o Mercado Externo

Exportar para Crescer. Novos Caminhos para o Mercado Externo Exportar para Crescer Novos Caminhos para o Mercado Externo Panorama Coface 30 06 2011 Denise Cortez Grupo Coface Visão Global Empresa de Origem francesa especializada no Gerenciamento de Risco de Crédito:

Leia mais

UNI EN ISO 9001:2008 UNI EN ISO 14001:2004 BS OHSAS 18001:2007 EC DIRECTIVE 2014/34/EU (ATEX) CERTIFIED MANAGEMENT SYSTEM

UNI EN ISO 9001:2008 UNI EN ISO 14001:2004 BS OHSAS 18001:2007 EC DIRECTIVE 2014/34/EU (ATEX) CERTIFIED MANAGEMENT SYSTEM PT ISM-BSM CERTIFIED Tecnologia Made in Italy Desde 1955 o Grupo Varvel projecta e fabrica redutores e variadores para aplicações de pequena e média potências. Parceiro de confiança na produção e comercialização

Leia mais

ICC 111 8. 15 agosto 2013 Original: francês. Conselho Internacional do Café 111. a sessão 9 12 setembro 2013 Belo Horizonte, Brasil.

ICC 111 8. 15 agosto 2013 Original: francês. Conselho Internacional do Café 111. a sessão 9 12 setembro 2013 Belo Horizonte, Brasil. ICC 111 8 15 agosto 2013 Original: francês P Conselho Internacional do Café 111. a sessão 9 12 setembro 2013 Belo Horizonte, Brasil O café na China Antecedentes Consoante os objetivos do Acordo Internacional

Leia mais

A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web

A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web A Governança da Internet no Brasil e os padrões para Web ALGUNS EVENTOS E DADOS IMPORTANTES DA INTERNET NO BRASIL E NO MUNDO NO BRASIL Primeira conexão à redes (Bitnet) => Outubro 88 Domínio.br foi registrado

Leia mais

SISTEMAS DYWIDAG ST 85/105

SISTEMAS DYWIDAG ST 85/105 Sistemas DYWIDAG SISTEMAS DYWIDAG ST 85/105 As barras e componentes DYWIDAG excedem os limites requeridos pelas normas brasileiras. Sua rosca robusta proporciona máxima aderência aço/concreto, única no

Leia mais

Pesquisa TIC Kids Online Brasil

Pesquisa TIC Kids Online Brasil Semana da Infraestrutura da Internet no Brasil Grupo de Trabalho de Engenharia e Operação de Redes GTER Grupo de Trabalho em Segurança de Redes GTS Pesquisa TIC Kids Online Brasil Parte I: Visão geral

Leia mais

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil Junho de 2014

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil Junho de 2014 Pesquisa de opinião pública sobre Energia Elétrica Brasil Junho de 2014 Pesquisa de opinião pública sobre Energia elétrica Brasil Junho de 2014 IBOPE Especificações Técnicas Universo População brasileira

Leia mais

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil

Pesquisa de opinião pública. sobre. Energia elétrica. Brasil 2ª Pesquisa de opinião pública sobre Energia Elétrica Brasil Julho de 2015 Pesquisa de opinião pública sobre Energia elétrica Brasil Junho de 2014 IBOPE Metodologia Pesquisa quantitativa com aplicação

Leia mais

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL PROJETO SERIALIZAÇÃO Projeto Serialização DHL 1 Serialização SETRM 2015 DEUTSCHE POST DHL DHL Supply Chain é parte do Grupo Deutsche Post com presença global e extensivo portifólio em serviços Logísticos

Leia mais

Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado)

Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado) PDF Acrobat www.drmoises.com 1 Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado) Os comerciantes do tratado são Vistos E-1, investidores do tratado são Vistos E-2. Estes

Leia mais

A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas.

A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas. A procura de novas soluções para os problemas do envelhecimento: As abordagens integradas. Constança Paúl, 19 Abril 2012, IPO-Porto Health Cluster Portugal: Encontros com a inovação em saúde A procura

Leia mais

Soluções Completas de Suspensão

Soluções Completas de Suspensão Soluções Completas Aplicações em Veículos Com mais 20 anos experiencia na indústria automóvel, a Drive-Rite tornou-se lír em fornecimento soluções suspensão pneumática. O centro produção da Drive-Rite

Leia mais

Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo

Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo Portugal na União Europeia 1986-2010 Faculdade de Economia, Universidade do Porto - 21 Janeiro 2011 Educação, Economia e Capital Humano em Portugal Notas sobre um Paradoxo Pedro Teixeira (CEF.UP/UP e CIPES);

Leia mais

NAF NAF moda desde 1973

NAF NAF moda desde 1973 PAR I S NAF naf moda desde 1973 NAF naf UMA MARCA COM PRESTíGIO: o CHIque FRANCES Ao SERVIçO DA MODA A nossa história: 1973 1983 1984 1987 NAF NAF já tem mais de 100 lojas. 1992 1997 2003 2006 2007 2009

Leia mais

ICS. Índice de Confiança Social 2015

ICS. Índice de Confiança Social 2015 ICS Índice de Confiança Social 2015 Introdução Metodologia Pesquisa quantitativa com aplicação de questionário estruturado, por meio de entrevistas face-a-face. Local da pesquisa Brasil. Universo A pesquisa

Leia mais

Um avançado tratamento do câncer começa aqui.

Um avançado tratamento do câncer começa aqui. Um avançado tratamento do câncer começa aqui. Acelerador Linear Clinac CX C L I N A C C X 2 Acelerador Linear Clinac CX Acesso Expansão Transformação Um alto nível de tratamento do câncer está ao seu alcance.

Leia mais

www.dalecarnegie.com. Programa de Treinamentos De Alta Performance

www.dalecarnegie.com. Programa de Treinamentos De Alta Performance www.dalecarnegie.com. Programa de Treinamentos De Alta Performance Copyright 2007 Dale Carnegie & Associates, Inc. 290 Motor Parkway Hauppauge, New York 11788 All rights reserved. Tabela de Conteúdos 1.

Leia mais

Proposta para Prestação de Serviços de Consultoria Valuation Services. Janeiro de 2013

Proposta para Prestação de Serviços de Consultoria Valuation Services. Janeiro de 2013 Proposta para Prestação de Serviços de Consultoria Valuation Services Janeiro de 2013 Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda. Rua Alexandre Dumas, 1.981 São Paulo - SP - 04717906 Brasil Tel: + 55 (11)

Leia mais

www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC

www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC www.pwc.com/br Audiência no Senado Escolha e Contratação da Entidade Aferidora da Qualidade 22 de Março de 2012 Luiz Eduardo Viotti Sócio da PwC Participamos do processo de escolha da Entidade Aferidora

Leia mais

Eficiência Energética

Eficiência Energética Eficiência Energética Compromisso para o Crescimento Verde Sessão de discussão pública Porto, 2 de dezembro de 2014 Apresentado por: Gabriela Prata Dias 1 Conceito de Eficiência Energética (EE) 2 As medidas

Leia mais

Maximizando os Incentivos à Inovação

Maximizando os Incentivos à Inovação TAX CIESP Maximizando os Incentivos à Inovação R&D Tax Incentives Proposta para prestação de serviços profissionais Agosto de 2014 Agenda Ambiente de Inovação e Incentivos Incentivos Fiscais à Inovação

Leia mais

Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo

Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo Pesquisa Avaliação Administrativa Município de São Paulo Dezembro 200 2 Metodologia & Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo

Leia mais

O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social

O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social Naércio Aquino Menezes Filho Instituto Futuro Brasil, Ibmec São Paulo e USP 1ª Jornada da Educação - TCE - 04/12/2008 Roteiro 1) Introdução O papel

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE CORRUPÇÃO PARA A TRANSPARÊNCIA FEVEREIRO DE 2005 OPP008 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA - Levantar junto a população da área em estudo opiniões relacionadas

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE AVIAÇÃO AGOSTO DE 2007 OPP141 IBOPE/ MQI ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL - Levantar informações sobre aviação. - Brasil. PERÍODO DE CAMPO - De 07 a

Leia mais

RHRIO 2015 19 DE MAIO DE 2015

RHRIO 2015 19 DE MAIO DE 2015 RHRIO 2015 19 DE MAIO DE 2015 22,53 BILHÕES 130 PAÍSES EM 2014 NÚMEROS GLOBAIS 1 o 32 GRUPO MUNDIAL DE COSMÉTICOS DE EUROS DE VENDAS MARCAS INTERNACIONAIS 78.600 FUNCIONÁRIOS 501 PATENTES REGISTRADAS EM

Leia mais

Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado

Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado Cateora e Graham, 2006, Cap. 10 Prof.ª. Fernanda Ilhéu McGraw-Hill/Irwin 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved. Regiões e Blocos Multinacionais

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE DROGAS MARÇO DE 2003 OPP 046 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA - Levantar junto a população da área em estudo opiniões relacionadas a Drogas. - Brasil.

Leia mais

A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT)

A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT) A FUNDAÇÃO PARA A CIÊNCIA E A TECNOLOGIA (FCT) É A AGÊNCIA PÚBLICA NACIONAL PARA A INVESTIGAÇÃO E A INOVAÇÃO EM PORTUGAL WWW.FCT.PT A VISÃO DA FCT É: TORNAR PORTUGAL UMA REFERÊNCIA MUNDIAL EM CIÊNCIA,

Leia mais

Conversores de frequência componentes ABB ACS150, 0,37 a 4 kw / 0,5 a 5 hp

Conversores de frequência componentes ABB ACS150, 0,37 a 4 kw / 0,5 a 5 hp Conversores de frequência componentes ABB ACS150, 0,7 a 4 kw / 0,5 a 5 hp Catálogo técnico PERFIL INDUSTRIAS PRODUTOS APLICAÇÕES EXPERIÊNCIA PARCEIROS SERVIÇOS Conversores de frequência componentes ABB

Leia mais

JOVENS, EDUCAÇÃO, TRABALHO E O ÍNDICE DE FELICIDADE FUTURA

JOVENS, EDUCAÇÃO, TRABALHO E O ÍNDICE DE FELICIDADE FUTURA JOVENS, EDUCAÇÃO, TRABALHO E O ÍNDICE DE FELICIDADE FUTURA Coordenação: Marcelo Cortes Neri 02 de Setembro de 2008 Os artigos publicados são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões neles

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O DIA MUNDIAL SEM CARRO SETEMBRO/ OUTUBRO DE 2007 JOB939 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Levantar junto à população da área em estudo opiniões relacionadas

Leia mais

EUROPEAN SOCIAL SURVEY 2006. Atitudes face à Prisão Preventiva e à Tortura como forma de evitar actos terroristas

EUROPEAN SOCIAL SURVEY 2006. Atitudes face à Prisão Preventiva e à Tortura como forma de evitar actos terroristas EUROPEAN SOCIAL SURVEY 2006 Atitudes face à Prisão Preventiva e à Tortura como forma de evitar actos terroristas Junho 2009 1 Amostra O European Social Survey 3 foi aplicado a amostras aleatórias e probabilísticas

Leia mais

Estrutura da Apresentação. i. Onde estamos e como aqui chegámos: Evoluções da PAC desde a adesão de Portugal

Estrutura da Apresentação. i. Onde estamos e como aqui chegámos: Evoluções da PAC desde a adesão de Portugal Reflexões e preocupações para o sector dos pequenos ruminantes na PAC-pós 213 -------------------------------------------------------------------- Reunião da SPOC Evolução Recente dos Sistemas de Produção

Leia mais

A CR C IS I E S E MU M N U DI D A I L D O D S ALIM I E M N E TO T S: S O qu q e o B r B asi s l p o p de d f a f ze z r?

A CR C IS I E S E MU M N U DI D A I L D O D S ALIM I E M N E TO T S: S O qu q e o B r B asi s l p o p de d f a f ze z r? A CRISE MUNDIAL DOS ALIMENTOS: O que o Brasil pode fazer? Geraldo Barros USA: Inflation, Interest Rates, GDP Int rates Infl 12 14 16 18 6% 8% 1% GDP -4-2 2 4 6 8 1 198 1981 1982 1983 1984 1985 1986 1987

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE ENSINO BÁSICO JULHO DE 2006 OPP165 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA Levantar junto à população da área em estudo opiniões relacionadas ao ensino básico.

Leia mais

De Volta ao País do Futuro:

De Volta ao País do Futuro: De Volta ao País do Futuro: Projeções, Crise Européia e a Nova Classe Média Coordenação: Marcelo Neri 1 De Volta ao País do Futuro: Crise Européia, Projeções e a Nova Classe Média / Marcelo Côrtes Neri

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE O PROCESSO DE CREDENCIAMENTO/ LEGALIZAÇÃO DE ARMAS E MUNIÇÕES NO PAÍS NOVEMBRO DE 2006 OPP478 OBJETIVO LOCAL ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA Levantar junto à população

Leia mais

CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA

CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA OVERVIEW CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA A solução Ethernet para a Fábrica (EttF) da Cisco é um componente da visão Rede Inteligente para Manufatura (INM) da Cisco. Ela elimina a distância entre o escritório

Leia mais

A mortalidade no Brasil no período 1980 2004: desafios e oportunidades para os próximos anos *

A mortalidade no Brasil no período 1980 2004: desafios e oportunidades para os próximos anos * Diretoria de Pesquisas DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais COPIS A mortalidade no Brasil no período 1980 2004: desafios e oportunidades para os próximos anos * Juarez de Castro Oliveira

Leia mais

Especificações Técnicas - Pesquisa Quantitativa -

Especificações Técnicas - Pesquisa Quantitativa - Especificações Técnicas - Pesquisa Quantitativa - A pesquisa foi realizada através do BUS do IBOPE Inteligência pesquisa omnibus multiclientes, com periodicidade mensal e representatividade nacional. O

Leia mais

Política de cotas para mulheres na política tem 75% de aprovação

Política de cotas para mulheres na política tem 75% de aprovação Política de cotas para mulheres na política tem 75% de aprovação População conhece pouco a atual lei de cotas, mas acha que os partidos que não cumprem a lei deveriam ser punidos A maioria da população

Leia mais

76% das empresas portuguesas prevê novas contratações em 2016

76% das empresas portuguesas prevê novas contratações em 2016 76% das empresas portuguesas prevê novas contratações em 2016 LISBOA (17 Dezembro, 2015) O Estudo Workforce+Pay 2016 lançado pela Korn Ferry (NYSE:KFY), a consultora global na gestão organizacional e de

Leia mais

ERASMUS+ AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS. E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o

ERASMUS+ AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS. E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o ERASMUS+ E d u c a ç ã o e F o r m a ç ã o AÇÕES PRIORITÁRIAS E BOAS PRÁTICAS CIM ALTO MINHO COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DO ALTO MINHO ESCOLA SUPERIOR AGRÁRIA DE PONTE DE LIMA 17 DE JULHO DE 2014 O projeto

Leia mais

Os brasileiros diante da microgeração de energia renovável

Os brasileiros diante da microgeração de energia renovável Os brasileiros diante da microgeração de energia renovável Contexto Em abril de 2012, o governo através da diretoria da agência reguladora de energia elétrica (ANEEL) aprovou regras destinadas a reduzir

Leia mais