A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide. Marcelo Neri

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide. Marcelo Neri mcneri@fgv.br"

Transcrição

1 A Nova Classe Média: O Seguro e o Lado Brilhante da Base da Pirâmide Marcelo Neri

2 Percentil de da Distribuição Mundial de Renda Comparando Distribuições de Renda Países Selecionados e o Mundo EUA Rússia Brasil China Índia Fonte: Milovic (2011) Ano 2005 vide Neri (2011) Cada País O Brasil está em todas as partes da distribuição de renda: dos intocáveis indianos aos abastados russos

3 Visão de Longo Prazo Desigualdade (Gini) 0,620 0,607 0,600 0,580 0,581 0,589 0,594 0,560 0,552 0,540 0,535 0,539 0,527 0,520 0,500 0, Fonte: Ipea a partir dos microdados da PNAD e Censo / IBGE e Langoni 1973

4 Crescimento (%) Variação por Décimos de Renda Per Capita na Década - Brasil ,2 Crescimento da renda 2011/2001 (%) renda dos 10% mais pobres cresceu 91,2% reais por pessoa. 550% + rápido que a dos 10% mais ricos. 82,4 75,2 69,0 63,0 57,0 48,5 39,0 28,4 16, Décimos da renda domiciliar per capita Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD/IBGE

5 Renda per Capita Base 2001=100 (Média X Mediana) 32% X 63% Media PNAD Mediana PNAD Fonte: IPEA a partir dos microdados da PNAD

6 Renda Familiar Per Capita (R$) por Unidade da Federação Níveis de Renda em 2009 & Variação de Renda 2001 a 2009 Renda Per Capita Média Aumento Acumulado da Renda Familiar Per Capita Menos de 10% de 10% a 20% de 20% a 30% de 30% a 40% Mais de 40% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

7 Desigualdade Espacial Entre 2001 e 2009, os maiores ganhos reais de renda foram em grupos tradicionalmente excluídos. Maranhão, que era o estado mais pobre, teve ganhos de 46%; São Paulo, o mais rico, de 7,2%. No Nordeste, 42% contra 16% do Sudeste. No campo, 49% contra 16% nas metrópoles, apesar dos moradores de favelas terem obtido ganhos de 42%.

8 Desigualdade Horizontal Em Queda Pessoas de cor preta ganharam aumentos de 43%, Pardos 48%, já os brancos 21%. Mulheres 38%, contra 16% dos homens. Analfabetos obtiveram ganhos de 47%, enquanto pessoas que já foram à universidade experimentaram queda de 17%.

9 Medidas de Polarização e Conceituação da Classe Média A estratégia EGR gera cortes de classes de renda da distribuição de renda observada na prática. Os cortes escolhidos são os que melhor distinguem os 3 grupos no sentido de tornar menores possíveis as diferenças internas destes grupos de renda e em contrapartida maximizar as diferenças entre estes grupos. Calculamos os grupos de renda para o caso de três segmentos (AB, C e DE). Fizemos ajuste dos cortes de classe pela POF que é mais completa mas sem afetar a composição das classes

10 Classes e Renda Familiar Total (calculadas a partir do pe Definição das Classes Econômicas limites Inferior Superior Classe E Classe D Classe C Classe B Classe A 9745 * ajustado pela POF ** atualizado a preços de julho de Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

11 Classes e Percepções de Atraso de Contas Fonte: CPS/FGV

12 Qual é a cidade mais classe AB do país? % na Classe AB X Renda Média Per Capita Média Fonte: CPS/FGV a partir do Censo 2010/IBGE

13 % Classe AB % Classe AB 0,3-5,6 5,6-10,9 10,9-16,2 16,2-21,6 21,6-26,9 26,9-32,2 32,2-37,6 37,6-42,9 Fonte: CPS/FGV a partir dos mesodados do Censo 2010/IBGE

14 Mapa de Acesso à Internet Acesso Internet Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBG

15 % Classe ABC % Classe ABC 8,9-19,6 19,6-30,3 30,3-40,9 40,9-51,6 51,6-62,2 62,2-72,9 72,9-83,5 83,5-94,2 Fonte: CPS/FGV a partir dos mesodados do Censo 2010/IBGE

16 Acesso à Motos Acesso a Carros Acesso Carros Acesso Motos Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBGE

17 Definição das Classes Econômicas Inferior limites Superior Classe E Classe E Classe D Classe D Classe C Classe C Classe B Classe B Classe A * Calculo feito em base per capita ajustado pela POF ** atualizado a preços de julho 2011

18 Classe A1 por Municípios do Brasil % Classe A1 Nome_munic UF Rank BR Niterói RJ Santana de Parnaíba SP Vitória ES Florianópolis SC São Caetano do Sul SP Brasília DF Porto Alegre RS Nova Lima MG Santos SP Balneário Camboriú SC Belo Horizonte MG Curitiba PR Vinhedo SP Presidente Castello Branco SC Rio Fortuna SC Rio de Janeiro RJ Valinhos SP São Paulo SP Campinas SP Holambra SP Águas de São Pedro SP Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBGE

19 Classe A1 na Cidade de São Paulo Rank Distritos Paulistas Calsse A1 % % Class A Moema 61% 2 Jardim Paulista 54% 3 Itaim Bibi 51% 4 Alto de 49% Pinheiros 5 Perdizes 49% 6 Vila Mariana 48% 7 Pinheiros 46% 8 Morumbi 45% 9 Consolação 44% 10 Campo Belo 42% 11 Santo Amaro 39% 12 Vila Leopoldina 37% 13 Saúde 34% 14 Barra Funda 33% 15 Bela Vista 31% Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo 2010/IBGE

20 Simulador de Renda Permanente.

21 Taxas de Crescimento das Classes Econômicas (12 meses) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE

22 Taxas de Crescimento das Classes Econômicas mais Altas (12 meses) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE

23 Mobilidade de Classes Destinos da Classe C: Alta Renda? População Total Periodo final Classes E e D Classe C Classes B e A2 Classe A1 Jan-Jun ,6 70,23 4,7 0,47 Jan-Jun ,93 73,82 5,77 0,48 Jan-Jun ,8 76,83 5,94 0,43 Jan-Jun ,02 79,48 6,25 0,24 Jan-Jun ,12 81,57 6,07 0,24 Jan-Jun ,8 81,79 6,1 0,31 Jan-Jun ,05 81,17 5,5 0,27 Jan-Jun ,41 81,72 6,58 0,29 Jan-Jun ,66 80,97 6,95 0,43 Jan-Jun ,82 79,77 7,95 0,46 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PME/IBGE

24 Projeções de Classes Classe C - % Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

25 Projeções de Classes Classe A1 - % Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

26 Classe A1 % % Class A1 ( 1993) % Class A1 ( 1995) % Class A1 ( 2003) % Class A1 ( 2009) % Class A1 ( 2011) % Class A1 ( 2012) % Class A1 ( 2014) Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

27 Crescimento Classes 2009 a Classe E % Classe D % Classe C 19.31% ClasseABC 22.90% ClasseAB 39.96% Classe A 33.92% ClasseA %

28 A Pirâmide de Classes Econômicas 2003, 2011 e ,980, ,369,511 15,724,709 65,879,496 94,944, ,013,742 96,205,814 73,282,893 48,919, Classe DE Classe C Classe B Classe A2 Classe A1 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

29 A Pirâmide de Classes Econômicas 2003, 2011 e ,980,841 10,369,511 15,724, Classe B Classe A2 Classe A1 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

30 A Evolução da Classe A1 por Idade Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da PNAD/IBGE

31

32

33 Fluxos e Estoques Financeiros a partir dos dados de IRPF Quantidade de Declarantes por Situação Fiscal (milhões) Variação Nº de Declarantes. 23,96 5,2% Com IR Devido 12,05 49,9% Sem IR Devido 11,91-19,1% Quantidade de Declarantes por Sexo (Milhões) Variação TOTAL: 23,96 5,2% Masculino 14,1 2,7% Feminino. 9,86 9,3%

34 Bens e Direitos Valores em R$ bilhões Bens e Direi tos no IRPF Tipo do Bem/Direito Valor 2010 Total: 4464 Imóveis 1749,07 Veículos 337,72 Ações (Fundos de Ações) 342,45 Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros) 298,23 Caderneta de poupança 179,14 Outras aplicações e investimentos 149,01 Fundo de LP e Fundo de Invest. em Direitos Credit. (FIDC) 147,95 Dinheiro em espécie - Moeda nacional 127,02 Depósito bancário em conta corrente no país 124,53 Outros créditos e poupança vinculados 106,77 Outros bens e direitos 106,57 Crédito decorrente de empréstimo 91,15 Fundo de Curto Prazo 87,92 VGBL - Vida gerador de benefício livre 52,59 Outras participações societárias 31,52 Outros fundos 29,56 Ouro, ativo financeiro 23,79 Crédito decorrente de alienação 14,03 Dinheiro em espécie - Moeda estrangeira 13,05 Fundo de Investimento Imobiliário 10,27

35 PESQUISAS SETORIAIS - ALGUMAS POSSIBILIDADES

36 Diagrama TIPOS E ESFERAS DE AÇÕES NA ANÁLISE EMPÍRICA TIPOS DE AÇÔES DISTRIBUIÇÂO/ COMUNICAÇÂO MONITORAMENTO DO MERCADO DEFINIÇÃO DE PREÇOS E PRODUTOS ACESSO A MERCADO CONTEXTO ECONÔMICO POR ATRIBUTOS DOS CONSUMIDORES ESFERAS DAS AÇÕES POR SETORES E LOCALIDADES POR CARACTERíSTICAS DO NEGÓCIO

37 Modelos de Demanda por Seguros em Geral -> Modelo STEPWISE de seleção das variáveis Tem Despesa com Seguros ORDEM ENTRADA Seguros Classe Econômica 1 Tem Cartão de Crédito 2 Contribui para Previdência 3 Posição na Família 4 Anos de estudo 5 UF 6 Faixas etárias 7 Tem Despesa com Automóvel 8 Posição na Ocupação 9 Tem automóvel 10 Área - Região Domiciliar 11 Freq. Escola ou Creche -

38 SAUDE VEÍCULO VIDA PREVIDENCIA OUTROS Matriz SAÚDE de Acessos VEÍCULO a Seguros VIDA PREVIDÊNCIA OUTROS Desigualdade e Elasticidade Renda de Seguro DESPESAS COM SEGUROS População total* Média Theil Gini Elasticidade-Rend Renda Per Capita 832,85 0,6748 0, Despesa Total 23,96 2,4829 0,9349 1,6207 Seguro Saúde 16,80 2,6358 0,9448 1,6379 Seguro de Veiculo 3,22 3,7643 0,9812 1,7010 Seguro de Vida 2,17 4,0792 0,9860 1,7094 Previdência Privada 1,03 6,3212 0,9985 1,7311 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

39

40 Acesso a Previdência e Seguro Privados Taxa de Acesso % Demanda Reprimida Razão de Chance (SP =1) Taxa - Total - Seguros Até 5% de 5% a 8% de 8% a 10% de 10% a 16% Mais de 16% s Razão Condicional - Total Até 0,300 0,300-0,450 0,450-0,600 0,600-0,800 Mais de 0,800 Fonte: Centro de Políticas Sociais CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

41 Cobertura de Plano de Saúde, Previdência e Seguros Privados - % Saúde % Seguro Saúde s Vid a % Seguro Vida Veícul o % Seguro Carro Previdência Privada % Previdência Privada Fonte: Centro de Políticas Sociais CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

42 Demanda Reprimida por Plano de Saúde, Previdência e Seguros Privados Chances Sp=1 Saúde Razão Condicional - Saúde Até 0,300 0,300-0,450 0,450-0,600 0,600-0,800 Mais de 0,800 s Vid a Razão Condicional - Vida Até 0,300 0,300-0,450 0,450-0,600 0,600-0,800 Mais de 0,800 Veícul o Razão Condicional - Veículo Até 0,300 0,300-0,450 0,450-0,600 0,600-0,800 Mais de 0,800 Previdência Privada Razão Condicional - Previdência Até 0,300 0,300-0,450 0,450-0,600 0,600-0,800 Mais de 0,800 Fonte: Centro de Políticas Sociais CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

43 Felicidade Futura (Satisfação com a Vida em Cinco Anos) Felicidade Futura ( 2015) No Data Fonte: Centro de Políticas Sociais CPS/FGV a partir do Gallup World Poll

44 O Brasil é campeão mundial de Felicidade Futura em 2015 a verdade Tetracampeão Mundial nas 4 Pesquisas do CPS/FGV Brazil Panama Colombia Qatar Sweden Denmark United Arab Emirates Canada Israel New Zealand Angola Switzerland Ghana South Africa Chile Malawi Netherlands Trinidad and Tobago Nigeria Argentina Thailand Belize Mauritania Guatemala Mongolia Peru Italy Singapore Belgium France Kazakhstan Cyprus Honduras Malaysia Djibouti Indonesia Montenegro Philippines Laos Namibia Spain Congo Jordan Niger Albania Cameroon Congo(Republic of the) Nicaragua Tunisia Algeria Côte d'ivoire Madagascar Russian Federation Taiwan Benin China Japan Poland Comoros Ethiopia Iraq Mauritius Kenya Ukraine Pakistan Afghanistan Estonia Lithuania Egypt Latvia Haiti Togo Greece Portugal Armenia Macedonia Romania Syrian Arab Republic 10,00 Felicidade Futura Mundial ,00 8,00 7,00 6,00 5,00 4,00 3,00 2,00 1,00 0,00 Fonte: Centro de Políticas Sociais CPS/FGV a partir do Gallup World Poll

45 Ranking do Indice de Felicidade Futura (IFF) no Mundo 2015 BRICS, PIIGS & BIGs IFF Rank IFF Rank Brazil Mali Costa Rica Congo Denmark Turkey Ireland Morocco Switzerland Russian Federation U. Kingdom Senegal South Africa China Netherlands Slovenia Austria India Argentina Iraq Uruguay Sri Lanka Peru Estonia Italy Egypt France Haiti Germany Greece Honduras Portugal Indonesia Macedonia Bangladesh Syrian Arab Republic Spain Fonte: Centro de Políticas Sociais CPS/FGV a partir do Gallup World Poll

46

47 Obrigado!

A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções. Marcelo Neri

A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções. Marcelo Neri A Nova Classe A1: Determinantes e Projeções Marcelo Neri Diagrama TIPOS E ESFERAS DE AÇÕES NA ANÁLISE EMPÍRICA TIPOS DE AÇÔES DISTRIBUIÇÂO/ COMUNICAÇÂO MONITORAMENTO DO MERCADO DEFINIÇÃO DE PREÇOS E PRODUTOS

Leia mais

De Volta ao País do Futuro:

De Volta ao País do Futuro: De Volta ao País do Futuro: Projeções, Crise Européia e a Nova Classe Média Coordenação: Marcelo Neri 1 De Volta ao País do Futuro: Crise Européia, Projeções e a Nova Classe Média / Marcelo Côrtes Neri

Leia mais

2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea

2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea 2012: Desenvolvimento Inclusivo Sustentável? Marcelo Neri -Ipea Evolução segundo a ótica do Relatório Stiglitz-Sen: http://www.stiglitz-sen-fitoussi.fr/documents/rapport_anglais.pdf Recomendações Enfatizarrenda

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável

EDUCAÇÃO. Base do Desenvolvimento Sustentável EDUCAÇÃO Base do Desenvolvimento Sustentável 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais

Leia mais

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento

EDUCAÇÃO. Base para o desenvolvimento EDUCAÇÃO Base para o desenvolvimento 1 Por que investir em educação? 2 Por que investir em educação? 1. Acesso à cidadania. 2. Aumento da renda pessoal (prêmio salarial): 10% por um ano a mais de escolaridade.

Leia mais

Evolução da renda no Governo Lula: Cinco conclusões definitivas. Reinaldo Gonçalves 1 4 março 2011

Evolução da renda no Governo Lula: Cinco conclusões definitivas. Reinaldo Gonçalves 1 4 março 2011 Evolução da renda no Governo Lula: Cinco conclusões definitivas Reinaldo Gonçalves 1 4 março 2011 A divulgação dos dados de evolução da renda do Brasil pelo IBGE e a base de dados do FMI permitem algumas

Leia mais

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO

CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO International Coffee Organization Organización Internacional del Café Organização Internacional do Café Organisation Internationale du Café P CARTA DO DIRETOR-EXECUTIVO RELATÓRIO SOBRE O MERCADO CAFEEIRO

Leia mais

Q: Preciso contratar um numero de empregados para solicitar o visto E2? R: Não, o Visto E2 não requer um numero de empregados como o Visto Eb5.

Q: Preciso contratar um numero de empregados para solicitar o visto E2? R: Não, o Visto E2 não requer um numero de empregados como o Visto Eb5. RE: Visto E1 O E2 Visto E1 O E2 Q :Preciso contratar um advogado para solicitar o Visto E2? R: Sim, o visto E2 requer o conhecimento especializado da legislacao migratória e a experiência de um advogado

Leia mais

Os Emergentes de Curitiba

Os Emergentes de Curitiba Os Emergentes de Curitiba Marcelo Neri mcneri@fgv.br Centro de Políticas Sociais Fundação Getulio Vargas www.fgv.br/cps www.fgv.br/cps/brics Quem São os Emergentes Curitibanos? -Desigualdade Horizontal

Leia mais

www.fgv.br/cps/telefonica Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV mcneri@fgv.br

www.fgv.br/cps/telefonica Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV mcneri@fgv.br wwwfgvbr/cps/telefonica Coordenação: Marcelo Cortes Neri Centro de Políticas Sociais CPS / FGV mcneri@fgvbr Histórico Há dez anos o Centro de Políticas Sociais (CPS) lançou o Mapa da Exclusão Digital O

Leia mais

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Definição de Microseguros Critério Renda Per Capita Classes % Pop E 13.48 DE 34.96 CDE 83.83 1 SM 51.05 2 SM 74.82 3 SM 84.68 Fonte: CPS/FGV a partir

Leia mais

http://www.amoportugal.org/

http://www.amoportugal.org/ OBJETIVOS A promoção de eventos de âmbito nacional com recurso à mobilização de Voluntários e ao envolvimento de parcerias públicas e privadas gratuitas. O desenvolvimento da cooperação e da solidariedade

Leia mais

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica

A importância e desafios da agricultura na economia regional. Assessoria Econômica A importância e desafios da agricultura na economia regional Assessoria Econômica A Agricultura é importante para o crescimento e desenvolvimento econômico ou é apenas fornecedora de alimentos? Taxa Média

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época

Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007. João Amador Seminário de Economia Europeia. Economia Portuguesa e Europeia. Exame de 1 a época Universidade Nova de Lisboa Ano Lectivo 2006/2007 FaculdadedeEconomia João Salgueiro João Amador Seminário de Economia Europeia Economia Portuguesa e Europeia Exame de 1 a época 5 de Janeiro de 2007 Atenção:

Leia mais

Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006

Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006 Renovar Idéias: Política Monetária e o Crescimento Econômico no Brasil PSDB-ITV 16/2/2006 Julio Gomes de Almeida Diretor-Executivo IEDI Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial Motor do Crescimento

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 2700:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População. Marcelo Neri

Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População. Marcelo Neri Big Data & Melhores Cidades: Inclusão Digital & Percepções da População Marcelo Neri = Volume, Velocidade e Variedade Inclusão Digital Cobertura, Constância, Convergência, Conectividade, Quem? Quanto?

Leia mais

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007

Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 Relatório Gráfico de Acessibilidade à Página www.ceivap.org.br Janeiro até Dezembro / 2007 1. Visitações Diárias ( Y ) Visitas ( X ) Dia do mês 1.1) Janeiro 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15

Leia mais

A Nova Classe Média e a Demanda por: Seguros. Marcelo Neri mcneri@fgv.br

A Nova Classe Média e a Demanda por: Seguros. Marcelo Neri mcneri@fgv.br A Nova Classe Média e a Demanda por: Seguros Marcelo Neri mcneri@fgv.br www.fgv.br/cps/ncm2014 021 98681211 marcelo.neri@fgv.br www.fgv.br/cps Quem são os Emergentes? Desigualdade Horizontal Em Queda 2001-09

Leia mais

FAQ Obrigatoriedade do GTIN

FAQ Obrigatoriedade do GTIN FAQ Obrigatoriedade do GTIN 1. O que é o GTIN? GTIN, acrônimo para Global Trade Item Number é um identificador para itens comerciais desenvolvido e controlado pela GS1, antiga EAN/UCC. GTINs, anteriormente

Leia mais

Cenário e Oportunidade de vendas nas óticas

Cenário e Oportunidade de vendas nas óticas Cenário e Oportunidade de vendas nas óticas Claudia Bindo Gerente de Novos Negócios GfK 2013 1 Empresas de Ótica & Eyewear Pesquisa do Mercado Global feita para você TM Apresentação corporativa GfK 2013

Leia mais

Protocolo Facultativo para Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis

Protocolo Facultativo para Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis Protocolo Facultativo para Convenção sobre os Direitos da Criança relativo à venda de crianças, prostituição e pornografia infantis Os Estados Partes no presente Protocolo, Considerando que, para melhor

Leia mais

JOVENS, EDUCAÇÃO, TRABALHO E O ÍNDICE DE FELICIDADE FUTURA

JOVENS, EDUCAÇÃO, TRABALHO E O ÍNDICE DE FELICIDADE FUTURA JOVENS, EDUCAÇÃO, TRABALHO E O ÍNDICE DE FELICIDADE FUTURA Coordenação: Marcelo Cortes Neri 02 de Setembro de 2008 Os artigos publicados são de inteira responsabilidade de seus autores. As opiniões neles

Leia mais

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos

A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos A Norma Brasileira e o Gerenciamento de Projetos Realidade Operacional e Gerencial do Poder Judiciário de Mato Grosso Na estrutura organizacional, existe a COPLAN que apoia administrativamente e oferece

Leia mais

Bem-vindos à Conferência de Imprensa da EMO. Dr. Wolfram von Fritsch Presidente do Conselho de Administração. 24 de Maio de 2011 no Porto.

Bem-vindos à Conferência de Imprensa da EMO. Dr. Wolfram von Fritsch Presidente do Conselho de Administração. 24 de Maio de 2011 no Porto. Bem-vindos à Conferência de Imprensa da EMO Dr. Wolfram von Fritsch Presidente do Conselho de Administração 24 de Maio de 2011 no Porto Seite 1 Feiras no mix dos meios de comunicação Global Fairs Global

Leia mais

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE

Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados da POF/IBGE Agentes de Crédito e Grupos Solidários Segurado Segurador Agente de Seguro Segurado Segurado Definição de Microseguros Critério Renda Per Capita % Pop E 13.48 DE 34.96 83.83 1 SM 51.05 2 SM 74.82 3 SM

Leia mais

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo

ED 2068/09. 16 junho 2009 Original: inglês. Obstáculos ao consumo ED 2068/09 16 junho 2009 Original: inglês P Obstáculos ao consumo 1. Cumprimentando os Membros, o Diretor-Executivo recorda-lhes que, de acordo com o Artigo 33 do Convênio Internacional do Café de 2001

Leia mais

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES

PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES PRODUTIVIDADE DO TRABALHO E COMPETITIVIDADE: BRASIL E SEUS CONCORRENTES Eduardo Augusto Guimarães Maio 2012 Competitividade Brasil 2010: Comparação com Países Selecionados. Uma chamada para a ação África

Leia mais

Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado

Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado Regiões e Blocos Multinacionais de Mercado Cateora e Graham, 2006, Cap. 10 Prof.ª. Fernanda Ilhéu McGraw-Hill/Irwin 2005 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved. Regiões e Blocos Multinacionais

Leia mais

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios:

CREBi Media Kit. Site CREBI Conforme relatórios de visitas emtidos em dezembro de 2008, temos os seguintes dados médios: CREBi Media Kit Atualmente, somos a mais representativa mídia eletrônica do setor de jóias e afins e também já superamos em muito as maiores médias de outras categorias de mídia. O CREBi oferece três canais

Leia mais

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras

ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras ESPANHA Porta de acessoà Europa para as multinacionais brasileiras Existem muitas empresas e investimentos espanhóis no Brasil. É a hora de ter investimentos brasileiros na Espanha Presidente Lula da Silva,

Leia mais

A mortalidade no Brasil no período 1980 2004: desafios e oportunidades para os próximos anos *

A mortalidade no Brasil no período 1980 2004: desafios e oportunidades para os próximos anos * Diretoria de Pesquisas DPE Coordenação de População e Indicadores Sociais COPIS A mortalidade no Brasil no período 1980 2004: desafios e oportunidades para os próximos anos * Juarez de Castro Oliveira

Leia mais

Longevidade e Impactos na Previdência Social Desenvolvimentos Recentes

Longevidade e Impactos na Previdência Social Desenvolvimentos Recentes Longevidade e Impactos na Previdência Social Desenvolvimentos Recentes Seminário Valor Econômico: O Futuro do Mercado de Previdência, Seguros e Resseguros Rio de Janeiro, 28 de maio de 2014 Por: Helmut

Leia mais

Trata Brasil: Lema Saneamento é Saúde. Coordenação: Marcelo Neri

Trata Brasil: Lema Saneamento é Saúde. Coordenação: Marcelo Neri Trata Brasil: Lema Saneamento é Saúde Coordenação: Marcelo Neri www.fgv.br/cps/tratabrasil1 Sítio na Internet www.fgv.br/cps/tratabrasil2 www.fgv.br/cps/tratabrasil3 Perguntas-Chave: Cobertura Quão intenso

Leia mais

Human Capital: Education and Health in economic development.

Human Capital: Education and Health in economic development. Human Capital: Education and Health in economic development. Referências Básicas: Economic Development, Todaro & Smith, Capítulo 8 e Human Development Report 2011. Vítor Wilher www.vitorwilher.com Pontos

Leia mais

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL

MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL MAPA DA INCLUSÃO DIGITAL Coordenação: Marcelo Cortes Neri cps@fgv.br Equipe do CPS: Luisa Carvalhaes Coutinho de Melo Samanta dos Reis Sacramento Renato Wanderley Gomes Pedro Lipkin Thiago Cavalcante Lucas

Leia mais

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL

A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL A RELAÇÃO ENTRE O DESEMPENHO ESCOLAR E OS SALÁRIOS NO BRASIL Andréa Zaitune Curi Tendências Consultoria Naercio Aquino Menezes Filho IBMEC-SP, USP, IFB e Fundação Itaú Social Introdução Processo de educação

Leia mais

BRASIL. 2º Trimestre 2015 Escritórios Corporativos Classe A e A+ Economia & Mercado

BRASIL. 2º Trimestre 2015 Escritórios Corporativos Classe A e A+ Economia & Mercado Evolução do Emprego Formal (%) Taxa de Vacância (%) 2º Trimestre 215 Economia & Mercado O aumento da desaprovação do governo pelos eleitores e a crise política continuam afetando a confiança dos empresários

Leia mais

PESQUISA GLOBAL Job:11521

PESQUISA GLOBAL Job:11521 PESQUISA GLOBAL Job:11521 1 2 GLOBAL BAROMETER ON NUCLEAR ENERGY After Japan Earthquake Global WIN Survey Amostra global de 34,122 respondentes Homens e mulheres de todas as classes sociais Entrevistas

Leia mais

Políticas para Inovação no Brasil

Políticas para Inovação no Brasil Políticas para Inovação no Brasil Naercio Menezes Filho Centro de Políticas Públicas do Insper Baixa Produtividade do trabalho no Brazil Relative Labor Productivity (GDP per Worker) - 2010 USA France UK

Leia mais

Exportar para Crescer. Novos Caminhos para o Mercado Externo

Exportar para Crescer. Novos Caminhos para o Mercado Externo Exportar para Crescer Novos Caminhos para o Mercado Externo Panorama Coface 30 06 2011 Denise Cortez Grupo Coface Visão Global Empresa de Origem francesa especializada no Gerenciamento de Risco de Crédito:

Leia mais

CIESP SOROCABA Riscos Comerciais e Políticos e Seguro de Crédito à Exportação. Denise Cortez Executiva de Negocios

CIESP SOROCABA Riscos Comerciais e Políticos e Seguro de Crédito à Exportação. Denise Cortez Executiva de Negocios CIESP SOROCABA Riscos Comerciais e Políticos e Seguro de Crédito à Exportação 26 04 2012 Denise Cortez Executiva de Negocios Panorama Mundial Desta vez, a crise é realmente diferente Crescimento mundial

Leia mais

Investimentos Públicos no Brasil: desafios e oportunidades para a melhoria do gasto público

Investimentos Públicos no Brasil: desafios e oportunidades para a melhoria do gasto público Investimentos Públicos no Brasil: desafios e oportunidades para a melhoria do gasto público Fórum de Superintendentes de Planejamento, Gestão e Finanças Belo Horizonte, 27 de março de 2012 Tarsila Velloso

Leia mais

Teléfonos para casos de emergencia en São Paulo

Teléfonos para casos de emergencia en São Paulo Teléfonos para casos de emergencia en São Paulo Números para emergencias Policía: Marcar 190 Urgencias médicas (ambulancia): Marcar 192 *Indicar si desea que lo transporten a un hospital privado. Bomberos:

Leia mais

Índice de Desenvolvimento Humano e Pegada Ecológica: Uma proposta de integração

Índice de Desenvolvimento Humano e Pegada Ecológica: Uma proposta de integração Índice de Desenvolvimento Humano e Pegada Ecológica: Uma proposta de integração Wagner Faria de Oliveira 1 Resumo: O presente trabalho tenta responder a uma demanda dentro da literatura sobre indicadores

Leia mais

Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado)

Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado) PDF Acrobat www.drmoises.com 1 Original page: VISTO E1 (comerciantes do tratado) e E2 (investidores do tratado) Os comerciantes do tratado são Vistos E-1, investidores do tratado são Vistos E-2. Estes

Leia mais

Women s World Banking. Construindo sistemas de financiamento nacional para pessoas de baixa renda

Women s World Banking. Construindo sistemas de financiamento nacional para pessoas de baixa renda Women s World Banking Construindo sistemas de financiamento nacional para pessoas de baixa renda Women s World Banking Network Afiliados, Associados, Membros GNBI e AFMIN fornecem serviços financeiros

Leia mais

MVNO Operadoras Virtuais no Brasil. Conhecendo o usuário brasileiro. Valter Wolf 18 de Novembro de 2010

MVNO Operadoras Virtuais no Brasil. Conhecendo o usuário brasileiro. Valter Wolf 18 de Novembro de 2010 MVNO Operadoras Virtuais no Brasil Conhecendo o usuário brasileiro Valter Wolf 18 de Novembro de 2010 O estudo A&R contempla 17 países com mais de 20 mil entrevistas, agrupadas em 3 categorias: Mature,

Leia mais

O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social

O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social O Papel da Educação no Desenvolvimento Econômico e Social Naércio Aquino Menezes Filho Instituto Futuro Brasil, Ibmec São Paulo e USP 1ª Jornada da Educação - TCE - 04/12/2008 Roteiro 1) Introdução O papel

Leia mais

Necessidade de visto para. Não

Necessidade de visto para. Não País Necessidade de visto para Turismo Negócios Afeganistão África do Sul Albânia, Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia. Argentina Ingresso permitido com Cédula de Identidade

Leia mais

Impactos Sociais do Bilhete Único Intermunicipal no Grande Rio

Impactos Sociais do Bilhete Único Intermunicipal no Grande Rio Impactos Sociais do Bilhete Único Intermunicipal no Grande Rio Sítio da Pesquisa www.fgv.br/cps/bu Impactos do Bilhete Único Inter Municipal Bilhete Único IMPACTOS DIRETOS IMPACTOS INDIRETOS Orçamento

Leia mais

76% das empresas portuguesas prevê novas contratações em 2016

76% das empresas portuguesas prevê novas contratações em 2016 76% das empresas portuguesas prevê novas contratações em 2016 LISBOA (17 Dezembro, 2015) O Estudo Workforce+Pay 2016 lançado pela Korn Ferry (NYSE:KFY), a consultora global na gestão organizacional e de

Leia mais

Serviços de telefonia. condições de prestação

Serviços de telefonia. condições de prestação Serviços de telefonia móvel: preços e condições de prestação Audiência pública na Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática do Senado Federal Ercio Alberto Zilli Presidente Executivo

Leia mais

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil

Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil Quadro Geral de Regime de Vistos para a Entrada de Estrangeiros no Brasil País Afeganistão África do Sul Albânia Alemanha Andorra Angola Antígua e Barbuda Arábia Saudita Argélia Argentina Armênia Austrália

Leia mais

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior

useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior useful phone numbers Students Union Associação Académica da Universidade da Beira Interior Headquarters: Rua Senhor da Paciência, 39 6200-158 Covilhã Portugal Telephone: +351 275 319 530 Fax: +351 275

Leia mais

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil

Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Revitalização da Indústria Fonográfica no Brasil Impacto Positivo de uma Redução de Tributos para Empresas e Consumidores Rio de Janeiro, 27 de maio de 2009 Em 2008, o mercado brasileiro de CDs e DVDs

Leia mais

SISTEMAS DYWIDAG ST 85/105

SISTEMAS DYWIDAG ST 85/105 Sistemas DYWIDAG SISTEMAS DYWIDAG ST 85/105 As barras e componentes DYWIDAG excedem os limites requeridos pelas normas brasileiras. Sua rosca robusta proporciona máxima aderência aço/concreto, única no

Leia mais

BRASIL. 2º Semestre 2014 Escritórios Corporativos. Economia & Mercado. Oferta e Demanda. Tendências de Mercado

BRASIL. 2º Semestre 2014 Escritórios Corporativos. Economia & Mercado. Oferta e Demanda. Tendências de Mercado . m² Variação do preço pedido (%) 2º Semestre 214 Economia & Mercado Depois da definição das eleições no segundo semestre de 214, a redução das expectativas do mercado com relação ao resultado do crescimento

Leia mais

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação

Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação Desafios Institucionais do Brasil: A Qualidade da Educação André Portela Souza EESP/FGV Rio de Janeiro 13 de maio de 2011 Estrutura da Apresentação 1. Porque Educação? Educação e Crescimento 2. Educação

Leia mais

Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160

Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160 Rio Collection 1 2 3 4 Bra Top: BT 3331 Color: 160 Short: SH 4069 Color: 160 5 6 Tank Top: TT 4286 Color: 477 Bra Top: BT 3331 Color: 160 Legging: LE 4069 Color: 160 Rio Collection Bra Top: BT 3331 Color:

Leia mais

Pesquisa TIC Kids Online Brasil

Pesquisa TIC Kids Online Brasil Semana da Infraestrutura da Internet no Brasil Grupo de Trabalho de Engenharia e Operação de Redes GTER Grupo de Trabalho em Segurança de Redes GTS Pesquisa TIC Kids Online Brasil Parte I: Visão geral

Leia mais

Es t i m a t i v a s

Es t i m a t i v a s Brasileiros no Mundo Es t i m a t i v a s Ministério das Relações Exteriores - MRE Subsecretaria Geral das Comunidades Brasileiras no Exterior - SGEB Departamento Consular e de Brasileiros no Exterior

Leia mais

Comitê Estratégico de Economia - AMCHAM São Paulo, 2 de setembro de 2010

Comitê Estratégico de Economia - AMCHAM São Paulo, 2 de setembro de 2010 Desafiosdo BNDES no ciclode investimentos em curso na economia brasileira Comitê Estratégico de Economia - AMCHAM São Paulo, 2 de setembro de 2010 Luciano Coutinho A trajetória recente da economia brasileira

Leia mais

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL

PROJETO SERIALIZAÇÃO. Projeto Serialização DHL PROJETO SERIALIZAÇÃO Projeto Serialização DHL 1 Serialização SETRM 2015 DEUTSCHE POST DHL DHL Supply Chain é parte do Grupo Deutsche Post com presença global e extensivo portifólio em serviços Logísticos

Leia mais

Indicadores Ambientais

Indicadores Ambientais Indicadores Ambientais De que forma a empresa analisa seus indicadores de desempenho ambiental e desenvolve ações de produção mais limpa nos processos produtivos Valéria Soares Amorim Pereira Gerente de

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE ÁGUA MINERAL NA GRÉCIA

INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE ÁGUA MINERAL NA GRÉCIA INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE ÁGUA MINERAL NA GRÉCIA Embaixada do Brasil em Atenas Setor Comercial secomgre@embratenas.gr Tel: 30 210 72 444 34 Fax: 30 210 724 47 31 http://atenas.itamaraty.gov.br MAR

Leia mais

CASA PRÓPRIA: CAPITAL RESIDENCIAL & QUALIDADE DE VIDA

CASA PRÓPRIA: CAPITAL RESIDENCIAL & QUALIDADE DE VIDA CASA PRÓPRIA: CAPITAL RESIDENCIAL & QUALIDADE DE VIDA Marcelo Neri Brasília, 14 de novembro de 2013 CASA PRÓPRIA: CAPITAL RESIDENCIAL E QUALIDADE DE VIDA Marcelo Neri (Ipea e SAE/PR) Com o apoio de: Fábio

Leia mais

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil

Argentina Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias. Entrada permitida com Cédula de Identidade Civil PAÍS Visto de Turismo Visto de Negócios Observação Afeganistão Visto exigido Visto exigido África do Sul Dispensa de visto, por até 90 dias Dispensa de visto, por até 90 dias Albânia Dispensa de visto,

Leia mais

FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono. Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1

FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono. Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1 FISIPE a via Europeia para entrar no negócio da Fibra de Carbono Março 2012 Instituto de Defesa Nacional 1 Fibra de Carbono um negócio com fortes barreiras à entrada Precursor Custos de Operação Tecnologia

Leia mais

A Relação entre o Desempenho Escolar e os Salários no Brasil. Andréa Zaitune Curi Naércio Aquino Menezes Filho

A Relação entre o Desempenho Escolar e os Salários no Brasil. Andréa Zaitune Curi Naércio Aquino Menezes Filho A Relação entre o Desempenho Escolar e os Salários no Brasil Andréa Zaitune Curi Naércio Aquino Menezes Filho A Relação entre o Desempenho Escolar e os Salários no Brasil Andréa Zaitune Curi * Naércio

Leia mais

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS

LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA PAÍSES MEMBROS 1 LISTA DE REPRESENTAÇÕES SOI 2012 AGÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIA ATÔMICA AIEA ÁFRICA DO SUL ARÁBIA SAUDITA BRASIL CANADÁ COREIA DO SUL EGITO EQUADOR HOLANDA ITÁLIA JORDÂNIA NÍGER SUÉCIA ALEMANHA ARGENTINA

Leia mais

PROPRIEDADE INDUSTRIAL

PROPRIEDADE INDUSTRIAL Dia da Propriedade Industrial PROPRIEDADE INDUSTRIAL DIREITOS TECNOLÓGICOS Vanessa Fatal Examinadora Patentes Universidade de Évora 12.10.2010 AGENDA I.Propriedade Industrial II.Inven Invenções III.Crit

Leia mais

Com base nesse diagnóstico, a consultoria analisou uma série de determinantes para evidenciar as possibilidades de sucesso no torneio:

Com base nesse diagnóstico, a consultoria analisou uma série de determinantes para evidenciar as possibilidades de sucesso no torneio: Press release Data: 11 de Junho de 2014 Contato: Marta Telles Tel: (11) 3526-4508 marta.telles@imagemcorporativa.com.br Marcia Avruch Tel: (11) 3674-3762 marcia.avruch@br.pwc.com Brasil tem vantagem na

Leia mais

Associação KNX Portugal

Associação KNX Portugal Associação KNX Portugal Organização KNX e rede de parceiros KNX Association International Page No. 3 Associações Nacionais: Membros Membros KNX Nacionais: Fabricantes: Empresas fabricantes ou representantes

Leia mais

www.dalecarnegie.com. Programa de Treinamentos De Alta Performance

www.dalecarnegie.com. Programa de Treinamentos De Alta Performance www.dalecarnegie.com. Programa de Treinamentos De Alta Performance Copyright 2007 Dale Carnegie & Associates, Inc. 290 Motor Parkway Hauppauge, New York 11788 All rights reserved. Tabela de Conteúdos 1.

Leia mais

Conversores de frequência componentes ABB ACS150, 0,37 a 4 kw / 0,5 a 5 hp

Conversores de frequência componentes ABB ACS150, 0,37 a 4 kw / 0,5 a 5 hp Conversores de frequência componentes ABB ACS150, 0,7 a 4 kw / 0,5 a 5 hp Catálogo técnico PERFIL INDUSTRIAS PRODUTOS APLICAÇÕES EXPERIÊNCIA PARCEIROS SERVIÇOS Conversores de frequência componentes ABB

Leia mais

ICC 111 8. 15 agosto 2013 Original: francês. Conselho Internacional do Café 111. a sessão 9 12 setembro 2013 Belo Horizonte, Brasil.

ICC 111 8. 15 agosto 2013 Original: francês. Conselho Internacional do Café 111. a sessão 9 12 setembro 2013 Belo Horizonte, Brasil. ICC 111 8 15 agosto 2013 Original: francês P Conselho Internacional do Café 111. a sessão 9 12 setembro 2013 Belo Horizonte, Brasil O café na China Antecedentes Consoante os objetivos do Acordo Internacional

Leia mais

BARRAS DYWIDAG GRP Enfilagem, Pregamento e Tirantes em Fibra de Vidro

BARRAS DYWIDAG GRP Enfilagem, Pregamento e Tirantes em Fibra de Vidro BARRAS DYWIDAG GRP Enfilagem, Pregamento e Tirantes em Fibra de Vidro 2 Conteúdo Introdução... 3 Campos de Aplicação... 4 Principais Vantagens... 4 Descrição do Sistema... 4 Componentes do Sistema... 4

Leia mais

Indicadores da Internet no Brasil

Indicadores da Internet no Brasil Indicadores da Internet no Brasil Estatísticas sobre o uso das TIC para o monitoramento da Sociedade do conhecimento Juliano Cappi Itupeva, 22 de outubro de 2012 CGI.br Comitê Gestor da Internet no Brasil

Leia mais

Agenda. Mapa de Preços do ZAP. Índice FipeZap novos dados do mercado. painel.fipezap.com.br

Agenda. Mapa de Preços do ZAP. Índice FipeZap novos dados do mercado. painel.fipezap.com.br Agenda painel.fipezap.com.br Agenda Mapa de Preços do ZAP Índice FipeZap novos dados do mercado Mapa de Preços Índice FipeZap Novos dados Agenda 1 2 3 4 5 Introdução Índice FipeZap: novas cidades Evolução

Leia mais

VISTO A TURISMO: VISTO A NEGÓCIOS:

VISTO A TURISMO: VISTO A NEGÓCIOS: Canadá Documentos necessários Cópia do Imposto de Renda pessoa física completo ref. último exercício 02 fotos 3cm x5cm iguais e recentes Canada - Formulário Representativo Carta de aceitação da Escola

Leia mais

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL

DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL DESPESA EM I&D E Nº DE INVESTIGADORES EM 2007 EM PORTUGAL Súmula dos dados provisórios do Inquérito ao Potencial Científico e Tecnológico Nacional, IPCTN, 2007 I DESPESA 1. Despesa em I&D nacional total

Leia mais

MULHERES (2020) CSNU (2015) NATO (2014) ONU INTERPOL (2015) FIFA (2015) G7 (2014) C-34 (2010) APMBC (2024)

MULHERES (2020) CSNU (2015) NATO (2014) ONU INTERPOL (2015) FIFA (2015) G7 (2014) C-34 (2010) APMBC (2024) CSNU FIFA OMC Afeganistão República Islâmica do Afeganistão 1 1 1 1 1 1 1 7 África do Sul República da África do Sul 1 1 1 1 1 1 1 1 8 Albânia República da Albânia 1 1 1 3 Republic of Albania 1 1 República

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 31/12/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade de Economia e Administração Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração METODOS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade de Economia e Administração Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração METODOS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FEA - Faculdade de Economia e Administração Programa de Estudos Pós-Graduados em Administração METODOS Trabalho ANÁLISE EXPLORATÓRIA DE DADOS PROJETO ORIBER

Leia mais

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012

RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Atualizado até 30/09/2011 RESUMO GERAL Atualizada até 30/09/2012 1 Gabinete do Ministro - GM Coordenação Geral de Imigração - CGIg Autorizações

Leia mais

Proposta para Prestação de Serviços de Consultoria Valuation Services. Janeiro de 2013

Proposta para Prestação de Serviços de Consultoria Valuation Services. Janeiro de 2013 Proposta para Prestação de Serviços de Consultoria Valuation Services Janeiro de 2013 Deloitte Touche Tohmatsu Consultores Ltda. Rua Alexandre Dumas, 1.981 São Paulo - SP - 04717906 Brasil Tel: + 55 (11)

Leia mais

CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA

CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA OVERVIEW CISCO ETHERNET PARA A FÁBRICA A solução Ethernet para a Fábrica (EttF) da Cisco é um componente da visão Rede Inteligente para Manufatura (INM) da Cisco. Ela elimina a distância entre o escritório

Leia mais

Cirurgia Robótica. Enfermeiro Rodrigo Pinheiro Clinical Sales Manager

Cirurgia Robótica. Enfermeiro Rodrigo Pinheiro Clinical Sales Manager Cirurgia Robótica Enfermeiro Rodrigo Pinheiro Clinical Sales Manager Décadas de mudanças na formação cirúrgica 1950 1960 1970 1980 1990 2000 Anfiteatros Cirúrgicos Cirurgia Experimental Indústria de pesquisa

Leia mais

Aliança do Pacífico: integração e crescimento

Aliança do Pacífico: integração e crescimento Aliança do Pacífico: integração e crescimento Juan Ruiz BBVA Research Economista chefe para América do Sul Ciclo de Conferências DE / BBVA - Alianza del Pacífico Lisboa, 1 de Outubro de 213 Índice 1 Um

Leia mais

O MUNDO EM 2050 E OS DESAFIOS E OPORTUNIDADES NO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO. Antônio da Luz Economista

O MUNDO EM 2050 E OS DESAFIOS E OPORTUNIDADES NO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO. Antônio da Luz Economista O MUNDO EM 2050 E OS DESAFIOS E OPORTUNIDADES NO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO Antônio da Luz Economista EVOLUÇÃO E PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO MUNDIAL - 2050 POPULAÇÃO MUNDIAL RURAL X URBANA (%) HÁ50 ANOS, TÍNHAMOS

Leia mais

Tendências Econômicas e seu Impacto na Área Educacional

Tendências Econômicas e seu Impacto na Área Educacional Tendências Econômicas e seu Impacto na Área Educacional Antonio Delfim Netto 25/03/2009 São Paulo, SP I. A Economia de Mercado A. O que ela produziu 1. Melhoria nas condições de vida 2. Tecnologia e crescimento

Leia mais

Mercado das Sombras. Estudo Global de Pirataria de Software BSA 2011. Publicado em maio de 2012

Mercado das Sombras. Estudo Global de Pirataria de Software BSA 2011. Publicado em maio de 2012 Mercado das Sombras Estudo Global de Pirataria de Software BSA 2011 Publicado em maio de 2012 Conteúdo Resumo Executivo...1 Tendências Globais...2 Hábitos de Piratas Autodeclarados...2 Economias Emergentes

Leia mais

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas.

CARTA-CIRCULAR N 2.070. Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. CARTA-CIRCULAR N 2.070 Aos Bancos Múltiplos com Carteira Comercial, Bancos Comerciais e Caixas Econômicas. Divulga relação das missões diplomáticas, repartições consulares de carreira e representações

Leia mais

Soluções Completas de Suspensão

Soluções Completas de Suspensão Soluções Completas Aplicações em Veículos Com mais 20 anos experiencia na indústria automóvel, a Drive-Rite tornou-se lír em fornecimento soluções suspensão pneumática. O centro produção da Drive-Rite

Leia mais

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais -

Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Direitos Humanos - Direitos Econômicos e Sociais - Apresentação Direitos sociais e econômicos Desafios Dados Distribuição renda Exemplo mundo Situação Brasil Conceituação a) condição de pessoa como requisito

Leia mais

ThyssenKrupp GfT do Brasil. Tirantes DYWIDAG para Estruturas Marítimas

ThyssenKrupp GfT do Brasil. Tirantes DYWIDAG para Estruturas Marítimas ThyssenKrupp GfT do Brasil Tirantes DYWIDAG para Estruturas Marítimas Tirantes DYWIDAG para Estruturas Marítimas Tirantes de barra de aço GEWI e DYWIDAG podem ser utilizados para uma variedade de aplicações

Leia mais

Sinalizando para sua segurança Visão geral da empresa

Sinalizando para sua segurança Visão geral da empresa Sinalizando para sua segurança Visão geral da empresa ATEX IECEx A E2S é um fabricante independente e líder mundial, de equipamentos de sinalização e advertência, com mais de 20 anos de expertise em desenvolvimento

Leia mais

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 )

Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Entrance Visas in Brazil ( Updating on 01/11/2013 ) Legend # Entrance allowed by presenting Civil Identity Card * - Maximum stay of 90 days every 180 days For more informations: Phone: +55 11 2090-0970

Leia mais

Fresas Interpoladoras de Rosca em Metal Duro

Fresas Interpoladoras de Rosca em Metal Duro Fresas Interpoladoras de Rosca em Metal Duro Introdução O programa de fresas de metal duro para interpolar rosca da Dormer é abrangente e as ferramentas são de alta performance oferecendo ao usuário uma

Leia mais