INTRODUÇÃO. As organizações são organismos vivos que sofrem mudanças, diante do avanço de

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INTRODUÇÃO. As organizações são organismos vivos que sofrem mudanças, diante do avanço de"

Transcrição

1 School of Education Department of Leadership COMPETÊNCIA 3d. Mudança e Pensamento Estratégico INTRODUÇÃO As organizações são organismos vivos que sofrem mudanças, diante do avanço de fatores mutáveis, como a tecnologia, cultura e nível de conhecimento. Desta forma é necessário que o líder esteja preparado e flexível para implementar mudanças que permitam a organização crescer de forma saudável. Propósito: Compreender os ciclos de mudanças organizacionais e pessoais, e implementar as mudanças necessárias na instituição. REFLEXÃO TEÓRICA Esta reflexão tentará mostrar, através da literatura, a necessidade da implementação de mudança e de um pensamento estratégico, para que se tenha um desenvolvimento saudável nas organizações. Tentarei mostrar como tenho executado um processo de mudança nos departamentos de Ação Solidária Adventista da Associação Paulista Leste e Escola Sabatina. Talvez você esteja se perguntando, porque é necessário incentivar a mudança nas pessoas, nas estruturas da nossa igreja, ou das instituições?

2 Deus colocou dentro de nós um potencial tremendo para alcançarmos os nossos ideais, e por isto lutamos e em muitas vezes nos sacrificamos para atingir e ultrapassar os nossos limites. Dutra (2006) enfatiza, que os seres humanos existem por uma razão, e internamente todos têm uma anseio de descobrir o que poderiam ser, quais os potenciais que receberam para desenvolver. A Igreja tem uma missão. Mateus expõe, de forma explícita, a ordem de Jesus para os seus discípulos de ir por todo o mundo para fazer novos discípulos ( Mateus 28:19 JFA). Mas por outro lado existe um mundo espiritual, um reino liderado pelo príncipe deste mundo, lutando para também conquistar discípulos. As ações contra o reino das trevas devem ser modificadas, dependendo do contexto histórico, cultural, social e econômico das pessoas que queremos influenciar. Quantos às instituições, elas também têm potenciais, e precisam implementar mudanças, porém o fator mais proeminente para as elas buscarem a mudança, são as constantes oscilações que ocorrem no panorama econômico mundial, que exigem uma produção mais rápida, produtos melhores, e uma redução dos custos, impulsionados pela globalização, que cria grandes riscos e também grandes oportunidades. Para que a mudança aconteça de forma segura, é necessário que alguns estágios sejam seguidos: O estabelecimento do senso de urgência, criação de uma coalizão administrativa, desenvolvimento de uma visão estratégica, comunicação da visão de mudança, liberar caminhos para que os funcionários possam fazer ações mais abrangentes, ter conquistas em curto prazo, consolidar os ganhos e produzir mais mudanças, caso sejam necessárias e o estabelecimento de uma nova cultura organizacional. (Kotter, 1997) Estabelecendo um senso de urgência. Em Julho de 2010, começavam a surgir muitas indagações na minha mente, de como proceder, para implementar as ideias que eu tinha para o departamento de Ação Social da minha organização. Via diante de mim uma estrutura sem organização, uma liderança com um nível de complacência muito elevado, e perspectivas de mudanças muito pequenas. As minhas primeiras ações, creio, foram salvas pela inspiração de um Deus que estava à frente de sua igreja. Inicialmente, tentei criar um movimento de urgência junto aos líderes dos postos da ASA das igrejas, para que mudássemos a postura de tartaruga, de um exército desconhecedor dos seus potencias, para sermos uma igreja forte, semelhante às águias que

3 usam as suas asas para conquistar os céus, com um senso de compaixão pelas nossas comunidades. Kotter (1997) afirma que é necessário identificar os focos de complacência, e tentar removê-los o mais rápido possível, e consequentemente criar mecanismos para que a maioria das pessoas, que estarão participando do processo, sinta o senso de urgência para sair da situação de complacência. Talvez, gerando uma crise, criando objetivos ambiciosos, levantando a real situação da instituição e levá-la ao conhecimento de todos. Lembro-me de que, em Dezembro de 2010, fizemos uma força tarefa e promovemos um encerramento das atividades ao ar livre, e todos os líderes da Ação Solidária Adventista da Associação Paulista Leste foram convidados a estarem com os seus beneficiados, para celebrarem um novo começo, uma nova visão e assumir compromissos mais significativos. Cerca de 700 pessoas estiveram participando, e ali eu via o começo de uma mudança que valeria todos os esforços que teríamos que enfrentar nos anos seguintes. Criando uma coalizão administrativa Wheatley (1996), no seu estudo sobre a relação entre a física quântica e a liderança, demonstra diante do experimento de partículas eletricamente carregadas a seguinte descoberta: O fenômeno em evidência chama-se de Matriz de Dispersão, onde uma partícula subatômica é definida pela sua energia e pela rede de reações que a mesma trocam energia. Elas têm uma tendência de participar de várias reações diferentes, que parece ser inerente à sua existência. Na representação gráfica desse fenômeno físico foi proposto o Diagrama de Matriz S., linhas seguem para um canal de colisão ou de interação, podemos dizer que as mesmas tem vinculado o nome de uma partícula, que na verdade não faz jus ao caráter verdadeiro do fenômeno, pois na realidade elas são canais de reação que quando se encontram com outros liberam energia e formam outras partículas. Ao contextualizar este fenômeno, podemos concluir que, quando os objetivos de uma organização são compartilhados inicialmente com aqueles que poderão começar um processo de mudança, as chances de êxito são bem maiores, comparando-se com o esforço de uma

4 pequena representação dentro da instituição. Procurei criar uma coalizão administrativa, ao me reunir com os pastores do campo e regularmente para convencê-los de que valeria a pena nos unirmos para a mudança. Também fiz um esforço para que todos os líderes de Ação solidária dos distritos pudessem ter um encontro comigo para que também entendessem a necessidade de uma postura diferenciada diante das necessidades da população, sem desconsiderar o cuidado na formação da minha equipe de trabalho. Segundo Kotter (1997), dois tipos de pessoas devem ser evitadas a todo custo na formação de uma equipe de mudança: Os que têm um ego muito elevado e as cobras. Nos níveis mais altos da maioria das organizações, as pessoas têm egos enormes. No entanto, a menos que elas possuam também um conhecimento realista de suas limitações, sejam capazes de apreciar as qualidades complementares dos outros e dominar seus interesses imediatos em favor de um objetivo maior, elas provavelmente contribuirão para a coalizão administrativa (mola propulsora para a mudança) tanto como o lixo nuclear. Se uma dessas pessoas for a peça central da coalizão, você pode dar adeus ao trabalho de equipe e as transformações profundas coalizão. (Kotter, 1997, p. 59)...As cobras são igualmente desastrosas, embora de uma forma diferente. Elas destroem a confiança que é sempre um ingrediente essencialno trabalho de equipe. Uma cobra é especialista em dizer a Sallyalgo sobre Fred, e a Fred algo sobre Sally, que irá prejudicar o relacionamento dos dois... Agentes de mudança inteligentes parecem ser muito habilidosos para descobrir essas pessoas e mantê-los longe da equipe. Se isso for impossível, líderes competentesdevem vigiar e administrar esses indivíduos com bastante cuidado. (Kotter, 1997, p. 60) Para assegurar o êxito de um processo de mudança, Kotter (1997) também ressalta o desenvolvimento da confiança para criar um bom trabalho de equipe. Também destaca, que, nas empresas, geralmente existe a falta de confiança entre os chefes de departamento, e estes geralmente fazem parte da coalizão de mudança. Desta forma se faz necessária a formação de equipes com alto nível de confiança. Desenvolvendo uma visão estratégica O processo de mudança só irá acontecer, se o combustível para as ações estiver disponível e seja de boa qualidade. Greenleaf (Citado em Dutra, 2006) disse que: muitas das

5 nossas organizações hoje não tem um sonho adequado, um conceito imaginário que possa levantar os interesses das pessoas até o ponto mais alto do potencial de cada um. Kotter (1997) propõe três componentes básicos para que a visão consiga ser um elemento catalizador de mudança: primeiro, ela deve esclarecer o destino final da mudança. Segundo, a visão precisa motivar as pessoas a participarem do processo de mudança, mesmo que inicialmente seja doloroso para elas. Terceiro, é imperativo que ela consiga guiar os colaboradores a tomarem decisões acertadas e de maneira rápida. Esta preocupação de ter uma visão foi criteriosamente atendida na estratégia de mudança da Ação Solidária Adventista da Associação Paulista Leste, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, na cidade de São Paulo-SP. Cada posto da ASA sendo uma estrutura versátil em serviço á Comunidade, capaz de desenvolver as potencialidades físicas, sociais, mentais e espirituais dos beneficiados nas regiões atendidas pela APL e conquistá-los para o Reino de Deus. Essa visão está incorporada em cada atividade que os postos da ASA desempenham durante as atividades anuais. Para a concretização desta visão, foi necessária a descentralização da liderança do setor social da Associação, e a criação de uma nova estrutura, que resultaria na divisão da área geográfica em seis regiões administrativas para as questões sociais, com um núcleo de apoio para os distritos da área estabelecida. Para liderar os trabalhos de coordenação, treinamento, comunicação, motivação e monitoramento destas regiões, um(a) coordenador(a) regional foi eleito(a) para atender a esta função por um período de quatro anos. Como cada região é composta por distritos pastorais, também foi escolhido(a) um(a) coordenador(a) distrital para ações de cunho social, que desempenha as mesmas funções do coordenador regional. Estes líderes distritais reproduziam a visão para os líderes sociais das igrejas. Da mesma forma estes líderes da Ação Solidária Adventista deveriam ter um papel de gestor para a sua equipe de trabalho, formada de um (01) diretor, um (01) diretor associado, um (01) secretário, um (01) tesoureiro, um (01) conselheiro, e um (01) diretor de comunicação (Ver estrutura completa nos artefatos da competência.) Comunicando a visão de mudança De nada adianta ter uma visão, se ela não é compartilhada, ou transmitida de forma insatisfatória, sem que haja interiorização por parte daqueles que irão participar do processo de transformação da cultura organizacional. Kotter (2009), ao comentar sobre a importância de ter uma boa comunicação ao transmitir a necessidade de mudança, apresenta algumas táticas que se comprovaram

6 diferenciadas nas conquistas das pessoas que serão atores no processo de transformação organizacional. Ele destaca que a o líder deve falar com paixão, que se expressa em um tom emocionante, que chegue até o coração das pessoas. Mas esse discurso também deve está interligado com ações que demonstrem essa vontade de ver algo diferente acontecendo, todos dentro da empresa devem ver a postura e as ações em busca do ideal para o alcance da visão. Conforme Fritzz (citado em (Colombo, 2009), A arte de motivar pessoas começa com a descoberta de como influenciar o comportamento de cada uma delas. Com isso aumentam as oportunidades de alcançar os resultados esperados da empresa. Esta ação se resume na definição de liderança de (Covey, 2005): Liderar é comunicar às pessoas seu valor e seu potencial de forma tão claras que elas acabem por vê-los em si mesmas, apenas desta forma elas conseguirão ver, fazer e tornar-se. Quando a visão for comunicada desta maneira, haverá uma explosão de ações direcionadas ao sucesso. Comuniquei a visão de uma ASA diferenciada, que representasse os ideais de Cristo para os que passam situações não favoráveis, executando várias ações que atingissem todos os aspectos sensoriais da minha liderança. Coordenei uma produção de vídeos sobre solidariedade, preparei treinamentos técnicos sobre a execução dos nossos planos, enviei correspondências, explicando o papel de cada um no processo, apresentei testemunhos de outras pessoas que participaram com êxito de uma situação semelhante, e por fim sempre me postei de forma apaixonada para com os ideais propostos. Empoderando os colaboradores para ações mais abrangentes Muitas organizações desistem dos seus sonhos de mudança, por encontrarem dificuldades em manter a demanda que a nova proposta traz. Na grande maioria das vezes esses problemas se apresentam na estrutura da instituição, que ainda está adaptada para os moldes anteriores à mudança, na falta de alinhamento do sistema de execução, a falta de treinamento suficiente para fazer frente aos requisitos do novo sistema, supervisores problemáticos, e a falta de estrutura tecnológica. (Kotter, 1997) Sobre a utilização de aceleradores tecnológicos de empresas que desejam iniciar um processo de mudança, Collins (2006) argumenta que deve haver uma preocupação com a tecnologia, e que as inovações serão bem-vindas se de fato forem indispensáveis para o desenvolvimento da mudança.

7 Uma das grandes dificuldades para a implementação da visão e da necessidade de mudança residia no fato de a grande maioria da liderança dos postos da ASA estar desmotivada em buscar novos horizontes. Em alguns casos se via um estado de complacência muito elevado, talvez porque não havia ainda imaginado as possibilidades e o potencial que cada igreja podia desfrutar nas atividades sociais, sem mencionar que o grupo gestores, que comandam as ações sociais na Associação Paulista Leste, tem limitações referentes à idade. Ao ver a realidade nua e crua deste departamento, sugerimos que cada igreja escolhesse uma equipe de seis pessoas, para realizarem as ações de planejamento, execução, divulgação, e fidelização de novos voluntários para a Ação Solidária Adventista. Obtendo conquistas em curto prazo Após a implantação de um processo de mudança organizacional, deve haver uma valorização em todo índice que demonstre melhor se comparado com o antigo sistema de gestão e produção da empresa. As conquistas ajudam muito a justificar todos os esforços empreendidos, elevam o moral e a motivação de todos, oferecem à equipe de mudança dados concretos sobre a viabilidade das ideias apresentadas, desencoraja negativistas e resistentes, mantêm os chefes em seus lugares, sem que a hierarquia seja desacreditada, e por fim transformamos neutros em novos auxiliares. Kotter (1997) Creio que um dos grandes motores para a manutenção da mudança já citada nos parágrafos anteriores foi a informação das conquistas de cada posto da ASA. A criação de um instrumento de avaliação de resultado, denominado de TROFEL. Troféu, significando, originalmente, os despojos do inimigo vencido, neste caso a miséria vencida pelo espírito de solidariedade e compaixão que vemos em Cristo. Nós amamos porque Ele nos amou primeiro ] ASA-APL (Ver ANEXO tal), trouxe a motivação necessária para manter a chama da mudança e os ideais da visão sempre na mente das equipes. Este instrumento propõe ações práticas nas áreas da liderança, organização, missão e serviço comunitário, que permitem inovação e criatividade por parte dos postos participantes A cada ano é celebrada uma festa com troféus ouro, prata e bronze, correlacionados às conquistas de cada igreja no que diz respeito ao trabalho social. Consolidando as conquistas e buscando novas mudanças.

8 Para Kotter (2009), quando a instituição está em um franco crescimento, atuando de forma equilibrada, com um sistema que interage diretamente na produção, é neste estágio que reside um grande perigo, pois pode surgir uma onda de complacência em qualquer área da empresa. Cabe à equipe de mudança estar sempre alerta, aproveitando a credibilidade para propor novas mudanças, contratando mais pessoas, promovendo e treinando outras para ajudar nas mudanças. Este é o ano em que um ciclo de trabalho está terminando, e já está programado um momento para avaliação de todos os itens que foram incrementados na mudança do departamento. Os pontos positivos serão confirmados e os negativos devem ser reavaliados, se serão modificados ou abandonados. Estabelecimento de Novos Métodos na Cultura Na consolidação do processo, se faz necessária a interiorização da nova cultura, e só será possível mediante a repetição de forma verbal, para uma grande parte das pessoas. Em muitos casos se fará necessária a rotatividade de líderes e até a substituição de pessoas que são contrárias à visão e ao projeto de mudança da organização. (Kotter, 2009) Esta foi e ainda está sendo a parte mais dolorosa de todo o processo, pois preciso conscientizar os pastores distritais da importância de renovar líderes, investindo de autoridade nesta função aqueles que entendem e apoiam todo o processo, e ao mesmo tempo estão dispostos a se sacrificarem pelo bom andamento da mudança, pois acredito que toda ação que se está implantando se resume no desejo de Nosso Senhor Jesus Cristo de que a sua Igreja possa minimizar o sofrimento e resgatar a dignidade Tenho a plena certeza de que a competência de Mudança e pensamento estratégico oferecido pelo Mestrado em Liderança da Andrews University foi de vital importância para o êxito no processo de mudança da Ação Solidária Adventista da APL. BIBLIOGRAFIA

9 Collins, J. (2006). Good to great. empresas feitas para vencer (16 ed.). Rio de Janeiro: Elsevier. Colombo, Caio. (2009). 100 dicas de gestão empresarial (3 ed.). São Paulo: RG Editores. Covey, Estephen R. (2005). O 8 hábito. São Paulo: Elsevier. Dutra, S. D. (2006). Como liderar mudanças. In R. Oliveira J. & Marinho (Ed.), Liderança. uma questão de competência (pp ). São Paulo: Saraiva. Kotter, John P. (1997). Liderando mudança. Rio de Janeiro: Elsevier. Kotter, John P. (2009). Sentido de Urgência. Rio de Janeiro: Best Seller. Wheatley, M.J. (1996). LideranÇa E a Nova CiÊncia. São Paulo: Cultrix. BIBLIOGRAFIA DE SUPORTE Barros Neto, J. P. (2009). Administração de organizações complexas liderando e simplificando a gestão para criar valor e maximizar resultados. Alaby in: Cap. 4: empreendedorismo e empreendedores: Novos Paradigmas. Rio de Janeiro: Qualitymark. Carlzon, J. A hora da verdade. (2006). 11. ed.. Rio de Janeiro: COP Editora. Cortella, M. S. (2007). Qual é a tua obra?inquietações propositivas sobre gestão, liderança e ética. Petrópolis, RJ: Vozes. Crema, R. & Araújo, W. (2001). Liderança em tempo de transformação. Brasília: Letrativa. Goleman, Daniel. (1995). Intelegência emocional. Rio de Janeiro: Editora Objetiva. Goleman, D., Boyatzis, R. & McKee, A. (2002).O poder da inteligência emocional: a experiência de liderar com sensibilidade e eficácia. Rio de Janeiro: Editora Campus. Goleman, D. (2006). Inteligência social: o poder oculto das relações Humanas. São Paulo: Editora Campus. Hesselbein, F.; Cohen, P.M. (eds.). (1999). De líder para líder. Drucker Foundation. Trad Nota Assessoria. São Paulo: Futura. Kotter, J.P. (1999). Fazendo a mudança acontecer.in: Hesselbein, F.; Cohen, P.M. (ed). De líderparalíder.drucker Foundation. São Paulo: Futura. Kouzes, J. M. &Posner, B. Z. (2008). O novo desafio da liderança. Rio de Janeiro: Editora Campus.

10 Kuhn, T. (1996). Estruturas das revoluções científicas. São Paulo: Editora. Perspectiva. Lévy, P. (2007). Cibercultura. São Paulo: Editora 34. O Toole, J. (1997). Liderando mudanças. Como superar a Ideologia do Conforto e a Tirania do Costume. São Paulo: Makron Books. Renesch, J. (2003) Liderança para um nova era. Sao Paulo: Editora Cultrix. SANTOS, Milton. Por uma Outra Globalização. Do pensamento único à consciência universal. São Paulo: Editora Record, 2002.

4 pilares da liderança. 4 pilares da liderança. Copyright 2014 Portway Ltda. www.portway.com.br

4 pilares da liderança. 4 pilares da liderança. Copyright 2014 Portway Ltda. www.portway.com.br 4 pilares da liderança E m maio de 2014, um executivo de um Cliente me procurou para conversar sobre seu desenvolvimento pessoal. Ele é responsável direto por 800 pessoas, todas com nível superior e em

Leia mais

Liderança Organizacional

Liderança Organizacional Liderança Organizacional Mauricio Lima Competência 09 Mudança e Pensamento Estratégico Introdução Em um mundo onde as mudanças são na velocidade do pensamento, é de total responsabilidade do líder interagir

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

Formulação da Visão e da Missão

Formulação da Visão e da Missão Formulação da Visão e da Missão Zilta Marinho zilta@globo.com Os grandes navegadores sempre sabem onde fica o norte. Sabem aonde querem ir e o que fazer para chegar a seu destino. Com as grandes empresas

Leia mais

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável

A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável A atividade de Relações Públicas como suporte para a gestão socialmente responsável Felipe de Oliveira Fernandes Vivemos em um mundo que está constantemente se modificando. O desenvolvimento de novas tecnologias

Leia mais

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey

O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey O Valor estratégico da sustentabilidade: resultados do Relatório Global da McKinsey Executivos em todos os níveis consideram que a sustentabilidade tem um papel comercial importante. Porém, quando se trata

Leia mais

Liderança Organizacional

Liderança Organizacional Liderança Organizacional Mauricio Lima Competência 07 Desenvolvimento de Recursos, Finanças e Legislação Corporativa Fundamentação Teórica Entre as atividades mais importantes do líder está a responsabilidade

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento.

Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Atitude Empreendedora: Uma competência estratégica ao profissional de treinamento e desenvolvimento. Por PAULA FRANCO Diante de um cenário empresarial extremamente acirrado, possuir a competência atitude

Leia mais

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores

Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Palestrante Paulo Gerhardt Inspira, Motiva e Sensibiliza para Resultados Superiores Com uma abordagem inovadora e lúdica, o professor Paulo Gerhardt tem conquistado plateias em todo o Brasil. Seu profundo

Leia mais

Avaliação Confidencial

Avaliação Confidencial Avaliação Confidencial AVALIAÇÃO 360 2 ÍNDICE Introdução 3 A Roda da Liderança 4 Indicadores das Maiores e Menores Notas 7 GAPs 8 Pilares da Estratégia 9 Pilares do Comprometimento 11 Pilares do Coaching

Leia mais

O IMPACTO DO ENSINO DE EMPREENDEDORISMO NA GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA : RESULTADOS E PERSPECTIVAS.

O IMPACTO DO ENSINO DE EMPREENDEDORISMO NA GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA : RESULTADOS E PERSPECTIVAS. O IMPACTO DO ENSINO DE EMPREENDEDORISMO NA GRADUAÇÃO DE ENGENHARIA : RESULTADOS E PERSPECTIVAS. Fernando Toledo Ferraz - ferraz@cybernet.com.br Departamento de Engenharia de Produção Myriam Eugênia R.

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Relação entre as organizações cristãs e as igrejas locais

Relação entre as organizações cristãs e as igrejas locais Seção Relação entre as organizações cristãs e as Conforme discutido na Seção 1, as desempenham um papel na proclamação e na demonstração do evangelho. Entretanto, com muita freqüência, o papel da igreja

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL:

EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: EDUCAÇÃO EM SAÚDE AMBIENTAL: AÇÃO TRANSFORMADORA IV Seminário Internacional de Engenharia de Saúde Pública Belo Horizonte Março de 2013 Quem sou eu? A que grupos pertenço? Marcia Faria Westphal Faculdade

Leia mais

Motivar pessoas para o foco da organização

Motivar pessoas para o foco da organização PORTWAY Motivar pessoas para o foco da organização Série 4 pilares da liderança Volume 3 4 pilares da liderança Motivar pessoas para o foco da organização E m Julho de 2014, fui procurado por algumas diretoras

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

Provocando atitudes POSITIVAS e PODEROSAS

Provocando atitudes POSITIVAS e PODEROSAS Provocando atitudes POSITIVAS e PODEROSAS Impactar e promover mudanças com ATITUDE PODEROSA, é minha missão. Para isso, é importante analisar profundamente o comportamento humano e assim atingir resultados

Leia mais

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO

DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO 1 DA INCUBAÇÃO À ACELERAÇÃO DE NEGÓCIOS: NOVAS ROTAS DE DESENVOLVIMENTO Cesar Simões Salim Professor e Autor de livros de empreendedorismo cesar.salim@gmail.com Visite meu blog: http://colecaoempreendedorismo.blogspot.com/

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

GESTÃO DE EMPRESA FAMILIAR: Um estudo de caso da HEBRON

GESTÃO DE EMPRESA FAMILIAR: Um estudo de caso da HEBRON GESTÃO DE EMPRESA FAMILIAR: Um estudo de caso da HEBRON Antonio Henrique Neto, Discente da Faculdade Integrada de Pernambuco - FACIPE Suzane Bezerra de França, - FACIPE, SEDUC/PE docente. suzyfranca@yahoo.com.br

Leia mais

Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional,

Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional, Neurotreinamentos Coaching Executivo, Pessoal e Equipes Consultoria Organizacional, Planejamento Estratégico e Governança Corporativa Palestras Temáticas e Motivacionais v.03/15 Neurotreinamentos Neurobusiness

Leia mais

Liderando Projetos com Gestão de Mudanças Organizacionais

Liderando Projetos com Gestão de Mudanças Organizacionais Jorge Bassalo Strategy Consulting Sócio-Diretor Resumo O artigo destaca a atuação da em um Projeto de Implementação de um sistema ERP, e o papel das diversas lideranças envolvidas no processo de transição

Leia mais

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra

LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra LIDERANÇA NO CONTEXTO CONTEMPORÂNEO Prof. Joel Dutra INTRODUÇÃO As organizações vivem em um ambiente em constante transformação que exige respostas rápidas e efetivas, respostas dadas em função das especificidades

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

Ano: 2012 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS. Realiza Consultoria Empresarial Ltda. www.consultoriarealiza.com.br www.flaviopimentel.com.

Ano: 2012 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS. Realiza Consultoria Empresarial Ltda. www.consultoriarealiza.com.br www.flaviopimentel.com. Ano: 2012 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS Realiza Consultoria Empresarial Ltda. www.consultoriarealiza.com.br www.flaviopimentel.com.br MATRIZ DE COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS Alinhadas às Diretrizes

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SOROCABA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

UNIVERSIDADE DE SOROCABA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO UNIVERSIDADE DE SOROCABA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS MOTIVAÇÃO E PLANEJAMENTO Fernanda Lopes Morassi Juliana Matos Lopes Pamela Santos Wagner Antonio Garcia Zélia Moreira dos Santos

Leia mais

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos

Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Empresas descobrem a importância da educação no trabalho e abrem as portas para pedagogos Já passou a época em que o pedagogo ocupava-se somente da educação infantil. A pedagogia hoje dispõe de uma vasta

Leia mais

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores!

Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Empreendedores Apostamos em quem acredita, confiamos em quem arrisca, e somos muito apaixonados por quem empreende. Por isso, criamos o B.I. Empreendedores! Por meio de um método de aprendizagem único,

Leia mais

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio.

Gestão de Pessoas. Capacidade de gerar resultados a partir das pessoas e dos processos inerentes ao negócio. Gestão Corporativa Governança Corporativa é o conjunto de processos, costumes, políticas, leis que regulam a maneira como uma empresa é dirigida, administrada ou controlada. PROCESSOS PESSOAS TECNOLOGIA

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras

A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras A Importância do CRM nas Grandes Organizações Brasileiras Por Marcelo Bandeira Leite Santos 13/07/2009 Resumo: Este artigo tem como tema o Customer Relationship Management (CRM) e sua importância como

Leia mais

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio

BIÊNIO 2012-2013. Tema Geral da Igreja Metodista IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA. Tema para o Biênio 1 IGREJA METODISTA PASTORAL IMED PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO E PLANO DE AÇÃO BIÊNIO 2012-2013 Tema Geral da Igreja Metodista "IGREJA: COMUNIDADE MISSIONÁRIA A SERVIÇO DO POVO ESPALHANDO A SANTIDADE BÍBLICA

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO

RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO RESUMO DE CONCLUSÃO DE CURSO CONCEITO Empreendedorismo é o estudo voltado para o desenvolvimento de competências e habilidades relacionadas à criação de um projeto (técnico, científico, empresarial). Tem

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER

O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER LIDERANÇA O QUE É PRECISO PARA SER UM GRANDE LÍDER Roselinde Torres foco na pessoa 6 Por Roselinde Torres O que é preciso para ser um grande líder hoje? Muitos de nós temos a imagem de um líder como um

Leia mais

Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics

Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics Apresentação por Leonardo Melo melo.leonardo@ieee.org Universidade Federal de Juiz de Fora PET Elétrica IEEE Institute Of Electrical and Electronics Engineers Prefácio O Engenheiro 2020 Como será ou deveria

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE 2 Download da Apresentação www.gptw.com.br publicações e eventos palestras Great Place to Work - Missão 3 Construindo um Excelente Ambiente de Trabalho 4 1 2 3 4 O que

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses

Estudo de Caso. Cliente: Rafael Marques. Coach: Rodrigo Santiago. Duração do processo: 12 meses Estudo de Caso Cliente: Rafael Marques Duração do processo: 12 meses Coach: Rodrigo Santiago Minha idéia inicial de coaching era a de uma pessoa que me ajudaria a me organizar e me trazer idéias novas,

Leia mais

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES

O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES O PAPEL DO PSICÓLOGO NA GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS DAS ORGANIZAÇÕES CHAVES, Natália Azenha Discente do Curso de Psicologia da Faculdade de Ciências da Saúde FASU/ACEG GARÇA/SP BRASIL e-mail: natalya_azenha@hotmail.com

Leia mais

ATENDIMENTO 3D O diferencial para o sucesso em vendas

ATENDIMENTO 3D O diferencial para o sucesso em vendas Perfil... Atuando há 20 anos em vendas Jean Oliveira já viveu na pele cada experiência que essa profissão promove, é especialista com MBA em Estratégias de Negócios e graduado em Tecnologia de Processamento

Leia mais

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais?

de empresas ou de organizações de todos os tipos? O que fazem os líderes eficazes que os distingue dos demais? TEMA - liderança 5 LEADERSHIP AGENDA O Que fazem os LÍDERES eficazes Porque é que certas pessoas têm um sucesso continuado e recorrente na liderança de empresas ou de organizações de todos os tipos? O

Leia mais

Equipes. As Equipes de Trabalho. Equipes. Diferenças entre Grupos e Equipes. Têm forte papel motivacional

Equipes. As Equipes de Trabalho. Equipes. Diferenças entre Grupos e Equipes. Têm forte papel motivacional Equipes As Equipes de Trabalho Melhoram o desempenho dos indivíduos quando a tarefa exige o uso de múltiplas habilidades, julgamentos e experiências. As equipes são mais flexíveis e reagem melhor às mudanças

Leia mais

MBA Executivo FranklinCovey

MBA Executivo FranklinCovey MBA Executivo FranklinCovey LIDERANÇA E GESTÃO ORGANIZACIONAL PRODUTIVIDADE E EXECUÇÃO FranklinCovey Internacional A FranklinCovey é líder global no treinamento em eficácia, em ferramentas de produtividade

Leia mais

4. Tendências em Gestão de Pessoas

4. Tendências em Gestão de Pessoas 4. Tendências em Gestão de Pessoas Em 2012, Gerenciar Talentos continuará sendo uma das prioridades da maioria das empresas. Mudanças nas estratégias, necessidades de novas competências, pressões nos custos

Leia mais

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas.

membros do time, uma rede em que eles possam compartilhar desafios, conquistas e que possam interagir com as postagens dos colegas. INTRODUÇÃO Você, provavelmente, já sabe que colaboradores felizes produzem mais. Mas o que sua empresa tem feito com esse conhecimento? Existem estratégias que de fato busquem o bem-estar dos funcionários

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * PALAVRAS-CHAVE: Sistema de Gestão da Qualidade. Representante da Diretoria. ISO 9001.

O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * PALAVRAS-CHAVE: Sistema de Gestão da Qualidade. Representante da Diretoria. ISO 9001. O PAPEL EMPREENDEDOR NO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE * Adalberto Luiz de Souza ** RESUMO: Este texto tem por finalidade descrever o papel do representante da direção, referente ao atendimento de requisito

Leia mais

Estamos presentes em 20 estados

Estamos presentes em 20 estados http://goo.gl/7kuwo O IDEBRASIL é voltado para compartilhar conhecimento de gestão com o empreendedor do pequeno e micro negócio, de forma prática, objetiva e simplificada. A filosofia de capacitação é

Leia mais

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO

01/12/2012 MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL. Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO MEIO AMBIENTE E RESPONSABILIDADE SOCIAL Guarantã do Norte/MT A SOCIEDADE ESTÁ EM TRANSFORMAÇÃO TAREFAS ESTRUTURA PESSOAS AMBIENTE TECNOLOGIA ÊNFASE NAS TAREFAS Novos mercados e novos conhecimentos ÊNFASE

Leia mais

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras

Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras Política de Sustentabilidade das empresas Eletrobras 1. DECLARAÇÃO Nós, das empresas Eletrobras, comprometemo-nos a contribuir efetivamente para o desenvolvimento sustentável, das áreas onde atuamos e

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório

Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Recursos Humanos Coordenação de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima Análise dos dados da Pesquisa de Clima Relatório Introdução No dia 04 de Agosto de 2011, durante a reunião de Planejamento, todos os

Leia mais

CAFÉ DA MANHÃ COM GESTÃO

CAFÉ DA MANHÃ COM GESTÃO CAFÉ DA MANHÃ COM GESTÃO Todas as sextas-feiras das 08 as 09. Pontualmente Cada sexta se escolhe o palestrante da próxima Tema relacionado à Gestão. Escolha do sorteado Todos os gerentes da SEPLAG e interessados

Leia mais

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações

O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações O papel educativo do gestor de comunicação no ambiente das organizações Mariane Frascareli Lelis Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho UNESP, Bauru/SP e-mail: mariane_lelis@yahoo.com.br;

Leia mais

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação

biblioteca Cultura de Inovação Dr. José Cláudio C. Terra & Caspar Bart Van Rijnbach, M Gestão da Inovação O artigo fala sobre os vários aspectos e desafios que devem ser levados em consideração quando se deseja transformar ou fortalecer uma cultura organizacional, visando a implementação de uma cultura duradoura

Leia mais

estão de Pessoas e Inovação

estão de Pessoas e Inovação estão de Pessoas e Inovação Luiz Ildebrando Pierry Secretário Executivo Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade Prosperidade e Qualidade de vida são nossos principais objetivos Qualidade de Vida (dicas)

Leia mais

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008

SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 SERÁ ENCAMINHADO AO CONSELHO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO O NOVO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS, COM INÍCIO PREVISTO PARA 2008 CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM MATERIAIS PROJETO PEDAGÓGICO I OBJETIVOS

Leia mais

Engajamento: desafio central da gestão e da liderança. ABRH-BA/ 03 de junho de 2013 Isabel Armani

Engajamento: desafio central da gestão e da liderança. ABRH-BA/ 03 de junho de 2013 Isabel Armani Engajamento: desafio central da gestão e da liderança ABRH-BA/ 03 de junho de 2013 Isabel Armani Build everithing VIMEO LEGO Benodigheden 2 3 Aon Hewitt SATISFAÇÃO Contentamento, prazer que resulta da

Leia mais

COMO FAZER A TRANSIÇÃO

COMO FAZER A TRANSIÇÃO ISO 9001:2015 COMO FAZER A TRANSIÇÃO Um guia para empresas certificadas Antes de começar A ISO 9001 mudou! A versão brasileira da norma foi publicada no dia 30/09/2015 e a partir desse dia, as empresas

Leia mais

Blue Mind Desenvolvimento Humano

Blue Mind Desenvolvimento Humano Conhecendo o Coaching Por Fábio Ferreira Professional & Self Coach pelo Instituto Brasileiro de Coaching, com certificação internacional pela European Coaching Association e Global Coaching Community,

Leia mais

Módulo 07 Gestão de Conhecimento

Módulo 07 Gestão de Conhecimento Módulo 07 Gestão de Conhecimento Por ser uma disciplina considerada nova dentro do campo da administração, a gestão de conhecimento ainda hoje tem várias definições e percepções, como mostro a seguir:

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL

MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL MOTIVAÇÃO UM NOVO COMBUSTÍVEL EMPRESARIAL Daniele Cristine Viana da Silva 1 Maria José Vencerlau 2 Regiane da Silva Rodrigues 3 André Rodrigues da Silva 4 Fábio Fernandes 5 RESUMO O Artigo Científico tem

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.)

Resenha. Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Resenha Inovação: repensando as organizações (BAUTZER, Daise. São Paulo: Atlas, 2009.) Patrícia Morais da Silva 1 Superar as expectativas do mercado atendendo de forma satisfatória as demandas dos clientes

Leia mais

Semana Acadêmica na Faculdade Batista Pioneira 09 a 13 de março de 2015 Prof. Me Rui Osvaldo Teske rui@teske.com.br

Semana Acadêmica na Faculdade Batista Pioneira 09 a 13 de março de 2015 Prof. Me Rui Osvaldo Teske rui@teske.com.br Semana Acadêmica na Faculdade Batista Pioneira 09 a 13 de março de 2015 Prof. Me Rui Osvaldo Teske rui@teske.com.br O planejamento não diz respeito a decisões futuras, mas às implicações futuras de decisões

Leia mais

6 Considerações Finais

6 Considerações Finais 6 Considerações Finais Este capítulo apresenta as conclusões deste estudo, as recomendações gerenciais e as recomendações para futuras pesquisas, buscadas a partir da análise dos casos das empresas A e

Leia mais

Selecionando e Desenvolvendo Líderes

Selecionando e Desenvolvendo Líderes DISCIPULADO PARTE III Pr. Mano Selecionando e Desenvolvendo Líderes A seleção de líderes é essencial. Uma boa seleção de pessoas para a organização da célula matriz facilitará em 60% o processo de implantação

Leia mais

Contribuir para a implantação de programas de gestão e de educação ambiental em comunidades e em instituições públicas e privadas.

Contribuir para a implantação de programas de gestão e de educação ambiental em comunidades e em instituições públicas e privadas. TÍTULO: EDUCAÇÃO AMBIENTAL: ESTRATÉGIA PARA O CONHECIMENTO E A INCLUSÃO SOCIAL AUTORES: Chateaubriand, A. D.; Andrade, E. B. de; Mello, P. P. de; Roque, W. V.; Costa, R. C. da; Guimarães, E. L. e-mail:

Leia mais

Região. Mais um exemplo de determinação

Região. Mais um exemplo de determinação O site Psicologia Nova publica a entrevista com Úrsula Gomes, aprovada em primeiro lugar no concurso do TRT 8 0 Região. Mais um exemplo de determinação nos estudos e muita disciplina. Esse é apenas o começo

Leia mais

O Cuidado como uma forma de ser e de se relacionar

O Cuidado como uma forma de ser e de se relacionar O Paradigma Holístico O holismo ( de holos = todo) abrangendo a ideia de conjuntos, ou de todos e de totalidade, não engloba apenas a esfera física, mas se estende também às mais altas manifestações do

Leia mais

DISCIPULADO. Um estilo de vida

DISCIPULADO. Um estilo de vida DISCIPULADO Um estilo de vida TRANSIÇÃO O QUE VOCÊ DESEJA? Uma grande Igreja? Uma Igreja saudável? O QUE UMA TRANSIÇÃO SAUDÁVEL EXIGE? I. COMPROMETIMENTO O Pastor/a é a chave. Só vale a pena mudar quando

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA 1. FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2. JUSTIFICATIVA. Promover a saúde e a segurança dos servidores e magistrados.

QUALIDADE DE VIDA 1. FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO 2. JUSTIFICATIVA. Promover a saúde e a segurança dos servidores e magistrados. QUALIDADE DE VIDA 1. FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Promover a saúde e a segurança dos servidores e magistrados. 2. JUSTIFICATIVA Segundo França (1996), a Qualidade de Vida no Trabalho (QVT) representa

Leia mais

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI

Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Pós-Graduação em Gerenciamento de Projetos práticas do PMI Planejamento do Gerenciamento das Comunicações (10) e das Partes Interessadas (13) PLANEJAMENTO 2 PLANEJAMENTO Sem 1 Sem 2 Sem 3 Sem 4 Sem 5 ABRIL

Leia mais

FEG - UNESP MBA GESTÃO DA PRODUÇÃO GESTÃO DE RH

FEG - UNESP MBA GESTÃO DA PRODUÇÃO GESTÃO DE RH FEG - UNESP MBA GESTÃO DA PRODUÇÃO GESTÃO DE RH Liderança Roberto Carvalho robertjc@uol.com.br Ambientes Turbulentos & Competitivos 10/30/2009 1 Passado Pensamentos mecanicistas! Você não é pago para questionar

Leia mais

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL.

UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. UMA VIDA DE PAZ, PACIÊNCIA E AMABILIDADE EM UM MUNDO HOSTIL. Como sabemos o crescimento espiritual não acontece automaticamente, depende das escolhas certas e na cooperação com Deus no desenvolvimento

Leia mais

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt*

Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Como trabalhar com voluntários na captação de recursos Andrea Goldschmidt* Quando falamos de captação de recursos para uma organização, podemos estar falando em captação de dinheiro, de materiais, de produtos,

Leia mais

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização

O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização O desenvolvimento do Terceiro Setor e a profissionalização Cristiane dos Santos Schleiniger * Lise Mari Nitsche Ortiz * O Terceiro Setor é o setor da sociedade que emprega aproximadamente 1 milhão de pessoas.

Leia mais

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA

INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA INSTITUTO DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA Autor: Jeferson Correia dos Santos ARTIGO TÉCNICO INOVAÇÃO NA GESTÃO DE PÓS-VENDAS: SETOR AUTOMOTIVO RESUMO A palavra inovação tem sido atualmente umas das mais mencionadas

Leia mais

USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA

USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA USO DA INTERNET E PARTICIPAÇÃO CIDADÃ NA GESTÃO LOCAL: ORÇAMENTO PARTICIPATIVO INTERATIVO DE IPATINGA An Innovations in Technology and Governance Case Study Desde o final dos anos 1980, diversos governos

Leia mais

Conflitos. Conflitos, como superá-los com eficácia? por Alexandre Cristiano Rosaneli

Conflitos. Conflitos, como superá-los com eficácia? por Alexandre Cristiano Rosaneli Conflitos Conflitos, como superá-los com eficácia? por Alexandre Cristiano Rosaneli Conflitos, quem nunca passou por um momento de conflito? A palavra CONFLITO possui uma conotação negativa, sempre imaginamos

Leia mais

GESTÃO DO CICLO DE PROJETOS. Introdução

GESTÃO DO CICLO DE PROJETOS. Introdução Introdução Gestão do ciclo de projetos (GCP) é o termo dado ao processo de planejamento e gestão de projetos, programas e organizações. Ele é amplamente usado no setor de negócios e está cada vez mais

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

A comunicação empresarial e a gestão da mudança

A comunicação empresarial e a gestão da mudança Renato Dias Baptista Índice 1 As mudanças organizacionais 1 1.1 Comunicação e mudança organizacional............. 2 2 Considerações Finais 4 3 Referências Bibliográficas 4 1 As mudanças organizacionais

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

Gestão Financeira e Orçamentária. Professor Tirlê

Gestão Financeira e Orçamentária. Professor Tirlê Gestão Financeira e Orçamentária Professor Tirlê Gestão Financeira e Orçamentária Gerente de Distribuidora Alimentícia; Gerente Adm. Financeiro Eng. Civil; Gerente de Empresas de Agenciamento de Carga

Leia mais