Comércio Ilegal de Tabaco Lucro Ilegal e Risco Público

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comércio Ilegal de Tabaco Lucro Ilegal e Risco Público"

Transcrição

1 Comércio Ilegal de Tabaco Lucro Ilegal e Risco Público Campanha para Crianças Livres de Cigarro Outubro de 2008 Entendendo O Comércio Ilegal Perdedores Mundiais Envolvimento De Empresa De Tabaco Com Comércio Ilegal Combatento O Comércio Ilegal

2 I. INTRODUÇÃO Centenas de bilhões de cigarros estão sumindo a cada ano dos canais legais de comércio para o mercado ilegal 1, e a falsificação de cigarros está crescendo constantemente, tudo às custas da saúde do público e econômia das nações. Da China até o Reino Unido, e do Canadá até o Brasil, este comércio ilegal toma conta do mundo. O comércio ilegal dos produtos do tabaco é tão difundido é estimado em 10,7% das vendas mundiais em 2006, 600 bilhões de cigarros, 2 e acredita-se que o cigarro é o produto legal mais traficado ilegamente no mundo. 3 O impacto humano é grave. O contrabando, quer do genuíno ou marcas falsificadas, fornece cigarros mais baratos para comprar. Porque os cigarros mais baratos seduzem os jovens e outros novos clientes, eles impulsionam as vendas e o consumo, o que torna mais difícil para os fumantes deixarem de fumar. Como resultado, o comércio ilegal acrescenta constantemente custos de cuidados com a saúde, perdas de produtividade do trabalhador e aumento mundial do número de mortes provocadas por uso do tabaco: 5,4 milhões de vidas por ano, projetados para aumentar para 8 milhões até O prejuízo econômico também é grave. O contrabando de cigarros originais rouba cerca de US$40 bilhões a US$50 bilhões por ano do governo em impostos de renda, 5 com o tráfico de falsificações rouba ainda mais. 6 Além disso, a estratégia da saúde pública é indeterminada; os empresários honestos sofrem com uma concorrência injusta; e a segurança pública é ameaçada quando os lucros ilegais apoiam crime organizado e até mesmo rede terroristas. 7 Para salvar vidas e bilhões de dólares, muitos esforços internacionais são necessários para eliminar o comércio do tabaco ilegal. Um esforço começou. Grupos da Estrutura da Convenção sobre o Controle do Tabaco (FCTC), um tratado internacional que entrou em vigor em 2005, está trabalhando para negociar um tratado dedicado ao fim do comércio ilegal. Este documento apresenta uma introdução ao comércio ilegal de tabaco; discute suas causas e impacto, e explora maneiras de combatê-lo. GLOSSÁRIO Comércio ilegal de tabaco é uma prática proibida ou atividade que envolve a produção, transporte, distribuição, recebimento, compra ou venda de produtos. Os principais tipode de comércio ilegal são: Contrabando em larga escala. Isto envolver organizações criminais e se refere ao transporte, distribuição e venda de grandes volumes de cigarros, geralmente evintando os impostos. Muitas vezes envolve desvios dos canais de comércio legal de cargas completas, cada contêiner transportando cerca de 10 milhões de cigarros. Porque o valor de mercado dos cigarros é alto quando comparado com os custos para o transporte, contrabandistas em larga escala podem conseguir um lucro enorme. Normalmente o tabaco é comprado por comerciantes não oficiais enquanto está em trânsito saindo de seu país de origem até o seu destino oficial, quando os encargos aduaneiros, impostos especiais e outros impostos foram suspensos temporariamente em um sistema para facilitar o comércio. Produção ou Distribuição Ilegal. É o contrabando por indivíduos ou pequenos grupos de menores quantidades de cigarros, geralmente de curta distância. Muitas vezes, os cigarros são comprados em jurisdições com impostos baixos e re-vendidos do outro lado da fronteira, em regiões com impostos mais elevados, em quantidades que excedem os limites aduaneiros. Quando um produto de tabaco é feito violando a lei sendo uma lei relativa à tributação ou de licenciamento é chamado de produção ilegal. Um dos tipos de produção ilegal é a falsificação, a produção de um produto de tabaco falso que leva uma marca registrada sem acordo por parte do proprietário da marca comercial. Esta é a categoria de comércio ilegal que cresce mais rápido. Outro tipo de produção ilegal é ao contrário a produção de forma legal de marcas em fábricas regulares após horas normais, ou sem registros, para fins de comércio ilegal. Quando o produto do tabaco é feito clandestinamente, é chamado de contrabando. Embalagem de Cigarro: Um maço frequentemente contém 20 cigarros, o pacote contém 10 maços ou 200 cigarros, e os pacotes grandes contêm 50 pacotes ou 10 mil cigarros. Um contêiner de embarque geralmente tem 475 mil maços ou cerca de 10 milhões de cigarros. 2 Illicit TOBACCO trade

3 II. ENTENDENDO O COMÉRCIO ILEGAL Há muitos aspectos do comércio ilícito de tabaco, incluindo o contrabando em grande escala, a falsificação e os produzidos ilegalmente: No Canadá, um elevado e preocupante número de adolescentes está fumando cigarro de contrabando, a julgar por um estudo das origens de milhares de bitucas de cigarro retiradas do chão em torno de escolas secundárias públicas. 8 Estima-se também que o problema do contrabando no Canadá custe ao governo cerca de US$ 4 milhões em perda de impostos de renda diariamente. 9 Os cigarros vêm de fábricas ilegais das reservas aborígenes e da China. 10 A China é o lar de um terço dos fumantes atuais do mundo. 11 Também parece ser, talvez, a maior fonte de cigarros falsificados do que qualquer outro país. 12 Estima-se que os cigarros falsificados da China estejam em níveis elevados como 190 bilhões por ano. 13 Quando as autoridades agindo com uma informação verificada em um cortejo fúnebre saindo de uma aldeia ucraniana para a Romênia, eles encontraram caixas e maços de cigarros fabricados ilegalmente dentro co caixão escondidos com alimentos. 14 A carga mortal veio de um país onde um em cada quatro cigarros produzidos são exportados ilegalmente 15 e onde os preços dos cigarros são baixos. Contrabando em larga-escala: Uma prática lucrativa Quer seja realizado por lancha ou contêiner em navio, avião de carga ou de caminhão, 70% do comércio ilícito de tabaco envolve o contrabando em grande escala 16 o transporte, a distribuição e a venda de enormes volumes de cigarros verdadeiros ou falsos, evitando taxas e impostos. O contrabando em larga-escala, geralmente realizado por organizações criminosas, é altamente lucrativo. Raymond Kelly, ex-chefe do Serviço Aduaneiro os E.U.A., informou que o lucro do contrabando de cigarro de concorre com o de tráfico de entorpecentes. 17 O fato de que os cigarros, com base em seu tamanho e peso, são muito mais caros em comparação a outros produtos, explica o porquê são ideais para os altíssimos lucros por contrabando. Por exemplo, um maço de cigarros pesa apenas cerca de 30 gramas, e um pacote de 10 maços pesa pouco menos de meio quilo. O preço da popular marca Marlboro varia no varejo de 3,16 por maço (Estados Unidos) 18 até 8,63 (Noruega). 19 Por outro lado, é possível conseguir cigarros contrabandeados por muito menos. Primeiro, as marcas falsificadas são mais baratas para serem feitas. Segundo, os contrabandistas podem conseguir cigarros originais a preço de fábrica desviando-os de canais de comércio legal antes que os encargos e impostos sejam aplicados. Terceiro, os contrabandistas podem comprar os cigarros legalmente em um país que tenha preço baixo e contrabandeá-los para um país com preço mais alto para re-venda ilegal, livrando-se das taxas de importação ou impostos normalmente cobrados por um país de destino. (Tabela 1 mostra a grande disparidade de preços através dos países.) Em países com preços mais baixos como Ucrânia e Rússia, por exemplo, a média de preços de um maço de Marlboro é de 0,67 e 0,97, respectivametne. 20 Os contrabandistas podem gerar um lucro de 2 por maço ou 1 milhão por contêiner de (cerca de 10 milhões) de cigarros vendidos nas ruas do Reino Unido pela metade de seu preço de varejo. 21 TABELA 1: Preços de Cigarros nos Mercados Selecionados 22 Mercado Média de preço por maço com 20 cigarros Pacote (10 maços) Valor (em dólares americanos) Embarque de contêiner ( pacotes ou maços) Ucrânia $209,000 Federação Russa $323,000 Índia $370,500 China $399,000 Brasil $750,500 Uruguai $912,000 Romênia $978,500 Japão $1,225,500 E.U.A $1,947,500 Canadá $3,011,500 Cingapura $3,268,000 United Kingdom $3,914,000 Source: Euromonitor International Atualmente, os contrabandistas enfrentam riscos relativamente baixos para realizar lucros elevados. Devido à atual falta de cooperação internacional para combater o contrabando, é quase impossível para as autoridades monitorar o movimento 23 de cigarros através das fron- 3 Illicit TOBACCO trade

4 teiras internacionais e das mãos de inúmeros contrabandistas. Os benefícios atualmente superam os riscos para aqueles que são perseguidos; 24 para os criminosos, o contrabando é um crime de risco relativamente baixo, com penas mais leves do que para narcotráficantes. 25 Os potenciais e enormes lucros em jogo não são a única causa do contrabando de cigarros. 26 Os países com as mais altas taxas ou impostos sobre cigarro não têm necessariamente os mais altos níveis de contrabando de cigarros. Na Tailândia, por exemplo, os impostos sobre o tabaco são os mais altos da região, mas o contrabando é bastante baixo; a maioria dos fumantes tailandeses prefere preços médios e marcas econômicas a cigarros de marca de primeira principalmente oferecidos pelo comércio ilícito. 27 Outros fatores fundamentais que determinam as taxas de comércio ilícito incluem rotas de contrabando já existentes e mercados negros para outros produtos no país, a presença do crime organizado, as políticas governamentais para o contrabando de cigarros, corrupção, e mesmo estratégias de marketing escolhidos por uma das maiores empresas produtoras de cigarro. 28,29 (Ver seção IV, Envolvimento das Empresas de Tabaco no Comércio Ilegal.) Muitos destes fatores são mais comumente encontrados em países de baixa ou média renda. 30 Para mover o cigarro dos canais de comércio legal para o mercado negro, uma rota de contrabando pode percorrer muitos quilômetros. Um caminho de contrabando de marcas de cigarros americanos na Itália começa com contêineres de cargas exportados para Antuérpia, na Bélgica sob o sistema de trânsito de suspensão temporária de impostos sobre os bens direcionados para um terceiro. A seguir os cigarros foram rapidamente exportados e importados novamente através de diversas localidades, basicamente transferindo-os para canais ilegais em uma cidade conhecida para vigilância negligente, tais como Bar ou Zelenika em Montenegro. Finalmente as balsas a motor que abrigavam os cigarros pela noite através do Mar Adriático para Itália, onde eram vendidos nas ruas de Nápoles e Bari. 31 Uma magnitude diferente de contrabando através das fronteiras, às vezes por indivíduos ou pequenas gangues, tipicamente chamado de contrabando ou transporte ilegal em pequena escala. Estima-se que são 15% do comércio ilegal. 32 Geralmente o transporte ilegal envolve o contrabando de cigarros originais comprados em jurisdições com impostos baixos e enviados para outras com impostos mais altos para re-venda, em quantidade que excede os limites da alfândega. A Produção de Cigarros Falsificados Aumenta Impulsionado pelas novas tecnologias, a produção de cigarro falsificado está crescendo rapidamente dentro das categorias de comércio ilegal de tabaco. 33 É simples de produzir uma embalagem parecida, com escaners e impressoras sofisticados para computadores nem tão caros. Estima-se que a falsificação de cigarros, que é cerca de 15% do comércio ilegal quando combinado com outros tipos de produção ilegal 34 de cigarros (por exemplo, a fabricação de outra maneira de marcas legais após horas legais). A falsificação representa um desafio enorme em algumas regiões. Tal como o contrabando de cigarros originais tem sido reduzido na União Européia, por exemplo, o problema da falsificação tem crescido. 35 O resultado do contrabando de cigarros é uma perda anual de receita na União Européia de 6 bilhões, e 65% dos cigarros apreendidos são falsificados. 36 A viagem do cigarro falsificado feito na China e mais tarde apreendido no Oeste reflete a determinação e desembaraço de seus traficantes. Aqui está como o caminho da falsificação ilegal pode funcionar: De áreas rurais onde são difíceis de detectar, os falsificadores chinês operam clandestinamente com freqüência. 37 Decentralizando as operações nestas áreas rurais o que ajuda os traficantes a fugirem das autoridades: Em um local, os cigarros são produzidos; em outro, são produzidas as embalagens; e em um terceiro local, os cigarros são embalados à mão. Após os contêineres, destas cópias autorizadas, entrarem nos canais de embarque, eles fazem seu caminho para portos como Los Angeles, preparados para levar seus agentes de lucros altos. Em 2003, foi relatado que um contêiner com cigarros falsificados provenientes da China poderia trazer um lucro para contrabandistas de 1 milhão a 2 milhões de dólares, mesmo depois de levar em conta o custo dos cigarros, a seu embarque e eventuais subornos na China. 38 O custo da importação dos falsificados da China: US$ 120 mil. Além da China, outras fontes de cigarros falsificados são Irã, Emirados Árabes Unidos, Romênia, Rússia, Coréia do Norte, Uruguai e Paraguai. 39,40 4 Illicit TOBACCO trade

5 Os Maiores Mercados para o Comércio Ilegal Os maiores consumidores de cigarros ilegais são China, Rússia e Brasil (Tabela 2). 41 Porque, acredita-se que a China é a maior fornecedora, muitos dos cigarros ilegais fumados provavelmente foram produzidos dentro do país. 42 Mercado Tabela 2: Os 24 Maiores Mercados para Cigarros Ilegais em Federação Russa Cigarros ilegais consumidos (milhões de cigarros) % de impostos pagos no mercado ,0 20,0 China ,0 3,5 Brasil ,8 38,0 Índia ,5 21,5 E.U.A ,3 5,1 Reino Unido ,0 36,6 Filipinas ,8 19,4 Alemanha ,3 16,5 Turquia ,1 14,1 Indonésia ,8 8,5 Grécia ,0 37,0 Polônia ,3 16,2 Vietnã ,0 13,6 França 6.915,7 12,4 Canadá 5.096,0 13,8 Argentina 5.012,5 12,6 República Tcheca 5.000,0 21,3 Romênia 4761,0 16,7 Japão 4.635,4 1,7 Arábia Saudita 3.988,0 22,6 Malásia 3.435,3 20,0 África do Sul 3.375,0 15,4 Marrocos 3.000,0 22,4 Áustria 2.700,0 19,9 * As estimativas de comércio ilegal variam para a China. Esta estimative é da Euromonitor International. A Estrutura da Convenção da Aliança estima que o comércio ilícito da China possa chegar até 8%. Source: Euromonitor International Os países onde os cigarros ilegais perfazem a maior quota do mercado total são: a Albânia, a Bósnia e Herzegovina, Hong Kong, Brasil, Grécia, Reino Unido, Macedônia, Uzbequistão e Irã (Tabela 3). 44 Os países que consomem o maior volume de cigarros de ilícitos não estão necessariamente no alto da classificação quando os países são comparados pela parte ilegal de seus mercado total, a China e os Estados Unidos, por exemplo, estão no topo da classificação no antigo grupo, ao contrário do no outro. Mercado Tabela 3: Parcela Ilegal do Mercado Total de Cigarros 24 Mercados Selecionados em % de impostos pagos no mercado 2006 Albânia 45,0 Bósnia e Herzegovina 40,0 Hong Kong, China 39,1 Brasil 38,0 Grécia 37,0 Reino Unido 36,6 Macedônia 33,0 Uzbequistão 30,0 Irã 25,0 Arábia Saudita 22,6 Marrocos 22,4 República Tcheca 21,3 Noruega 20,4 Malásia 20,0 Federação Russa 20,0 Áustria 19,9 Cingapura 19,8 Filipinas 19,4 Argentina 18,0 Finlândia 17,6 Venezuela 17,6 Países Baixos 17,4 Paquistão 17,0 África do Sul 15,4 Source: Euromonitor International Quando se comparam as regiões geográficas de cigarros ilegais como uma elevada porcentagem de mercado, as principais regiões são a América Latina, 21,4%, a Europa Oriental, 15,7%, e a Europa Ocidental, 12,3% Illicit TOBACCO trade

6 Outras Práticas Usadas para Evadir Impostos Além do contrabando e falsificação, algumas outras práticas resultam na sonegação de impostos e na distribuição de cigarros mais baratos. Estas práticas impulsionam o uso do fumo, prejudicam a saúde pública e ajudam a empobrecem os tesouros nacionais. Incluem as vendas por Internet e compras nas fronteiras. As vendas de cigarros pela Internet estão crescendo. Só nos Estados Unidos, mais de 770 websites vendiam cigarros para fumantes em 2006, com cerca de metade dos websites localizados fora dos Estados Unidos. 47 Isso foi mais do que as cerca de 40 vendedores nacionais de cigarros na Internet para compradores nos Estados Unidos no início de Muitos cigarros vendidos por varejistas na Internet são ilegais porque os impostos não são pagos, quer por parte dos revendedores ou dos fumantes. 48 Os vendedores da Internet também fornecem um útil ponto de venda de cigarros falsificados ou contrabandeados, e poucos deles se protegem da compra ilegal de fumantes menores. 49,50 Com o crescimento do comércio on-line, é possível para cidadãos comuns que possuem computadores se tornarem contrabandistas de tabaco de suas casas. 51 Os cidadãos de um país podem atravessar a fronteira para comprar cigarros em uma jurisdição fiscal adjacente e pagarem impostos mais baixos, ou podem comprar cigarros quando visitar o país vizinho por outra razão. Retornando para casa, o fumante individual geralmente fornece para a família, amigos ou colegas de trabalho cigarros mais baratos. Esta prática é chamada de compra pela fronteira. Nos países pequenos com menores taxas de impostos como Luxemburgo, a parcela do total das vendas resultante das compras de cigarro pela fronteira já foi relatada em até 85%. 52 III.PERDEDORES MUNDIAIS Os grandes perdedores mediante o comércio ilegal de tabaco são a saúde pública, os cofres públicos, as economias nacionais e locais, a segurança pública e as empresas honestas e seguras. Os únicos que saem ganhando são os contrabandistas e outros exploradores que lucram com o comércio ilegal, incluindo os grandes fabricantes de cigarros. Prejuízo para Saúde Pública pelo Contrabando de Cigarros e Evasão de Impostos Uma das principais formas que o comércio ilícito causa dano a nível mundial é tornando os cigarros mais acessíveis e a preços módicos. A disponibilidade de cigarros mais baratos aumenta as vendas e o consumo 53 e aumenta o devastador total mundial de doenças e mortes causadas pelo tabagismo. Cigarros contrabandeados, originais ou falsificados, são vendidos sem taxas de importação e impostos, e falsificação de marcas começa com custos muito menores de fabricação. Estes cigarros podem ser vendidos a preços muito mais baixos do que os cigarros produzidos e vendidos legalmente. Os jovens são os mais prováveis de serem afetados pela disponibilidade de preços mais baixos dos cigarros contrabandeados. 54 Os estudos mostram que os jovens são os que mais suscetíveis pelo preço dos cigarros do que os mais velhos. 55 Outros que são mais suscetíveis pelas alterações de preços são pessoas menos instruídas e de baixa renda. 56,57 Tornando os cigarros mais acessíveis, o comércio ilegal aumenta o predomínio do consumo do tabaco e do fumo principalmente entre os mais pobres e nos países de média e baixa renda. 58 Nestes países, a OMS prevê um crescimento de mortes associadas ao tabaco: dos 8 milhões de mortes anuais projetados pelo uso do tabaco em 2030, 80% será no mundo em desenvolvimento. 59 O comércio ilegal também pode sabotar a política das altas taxas do tabaco. Elevar os impostos dos cigarros e preços é considerado o meio mais eficaz para reduzir o consumo de tabaco e fazer com que os fumantes parem de fumar. 60 O aumento dos preços foi mostrado para desencorajar os jovens de começarem, para aumentar o número de fumantes que param e para reduzir o número de ex-fumantes que recomeçam Illicit TOBACCO trade

7 Durante anos, as empresas vêm explorando o medo do contrabando para pressionar os políticos do mundo todo contra o aumento dos impostos do tabaco, muitas vezes bloqueando ou atrasando novos aumentos de imposto de cigarro ou reduzindo seu tamanho. 62 Apesar das reclamações das empresas, muitos países têm elevado os impostos sobre o tabaco efetivamente e desfrutado de grandes aumentos das rendas sem passar por um dramático aumento de contrabando. 63,64 Total de custos incluindo os custos diretos com a saúde mais encargos econômicos indiretos pela perda de produtividade, absentismo e outros custos sócio-económicos são altos: Por exemplo, em Bangladesh, US$ 424 milhões, no Canadá, US$ 12,89 bilhões; na Nova Zelândia, US$ 17,03 bilhões; na República da Coréia, US$ 3,33 bilhões; 70 e nos E.U.A., mais de US$ 194 bilhões. 71 Prejuízo aos Tesouros e Economia Nacional devido ao Comércio Ilegal Além do impacto prejudicial na saúde pública, o comércio ilegal frauda taxas fiscais e econômicas. Em perdas alfandegárias e de imposto de renda no mundo todo, o comércio ilegal custa ao governo mundial cerca de US$ 40 bilhões a US$ 50 bilhões por ano. 65 Este surpreendente custo da evasão de impostos ultrapassa o produto interno bruto de dois terços dos países no mundo. 66 Mesmo países que fornecem uma fonte barata de cigarros contrabandeados para outros países sofrem pelo comércio ilegal. Quando um país fonte mantém as taxas de imposto baixas a fim de manter o seu papel como um provedor de baixo custo para traficantes de contrabando, ele perde grandes somas de potenciais receitas públicas. O comércio ilegal também afeta indiretamente a economia nacional. Manter o preço do cigarro baixo mantém os níveis de fumantes mais elevados, o que se traduz num aumento dos custos com a saúde para os governos, as famílias e as empresas. Nos Estados Unidos, os custos com a saúde vinculados ao uso do tabaco têm sido estimados em cerca de US$ 100 bilhões por ano, na Alemanha quase US$ 7 bilhões e na Austrália, US$ 1 bilhão. 67,68 Para os países de renda alta, o Banco Mundial estima que entre 6% e 15% do total dos custos com saúde podem ser atribuídas ao tabagismo. 69 Nos países de baixa renda, estes custos com saúde são muitas vezes mantidos pelas famílias. O uso do tabaco também impõe custos altos de produtividade, pois a saúde dos fumantes é mais frágil e se ausentam mais frequentemente do trabalho. Cerca de metade de todos os fumantes morrem de uma doença relacionada ao fumo na meia-idade, durante a plenitude dos anos de trabalho. Ameaças à Segurança Pública e Segurança devido ao Comércio de Contrabando de Tabaco Lei e ordem são mundialmente ameaçadas pelo comércio ilegal de tabaco, quer seja através da crueldade das organizações criminosas, o financiamento de grupos terroristas ou a corrupção de funcionários públicos. Alguns exemplos: Nos Balcãs, a violência e a morte estouraram em um centro de contrabando de cigarros. Homicídios vinculados às redes ilegais de tabaco tiraram vidas de funcionários de inteligência, políticos, criminosos e de um jornalista que foi morto, após seu jornal ter publicado uma série sobre o contrabando conduzido pelo chefe do submundo. 72 Um líder de uma operação milhonária de contrabando de cigarros nos Estados Unidos foi condenado por dar ajuda a uma organização terrorista, o grupo libanês Hezbollah, e foi condenado a 155 anos de prisão em Paraguai, um centro internacional para o contrabando de cigarros, é marcado por fracos controles nas fronteiras, extensiva a corrupção e o atividade de lavagem de dinheiro, de acordo com a publicação World Factbook da CIA dos E.U.A. 74 Cada vez mais, as autoridades policiais têm identificados como o contrabando de cigarros como atrativo para as redes criminosas. A possibilidade de realizar lucros enormes tem atraído grupos de crime organizado para o contrabando. 75 Alguns contrabandistas são ligados a grupos terroristas. Investigadores descobriram que os traficantes nos Estados Unidos e no Reino Unido estão forncendo material de apoio ao Hezbollah e ao Real IRA (RIRA), entre outros grupos terroristas. Além disso, a pesquisa da lei indica que os grupos vinculados à Al Qaeda, Hamas, PKK (Partido dos Trabalhadores do Curdistão), e à Jihad Islâmica (tanto egípcios e palestinos) estão envolvidos no tráfico ilícito de cigarros Illicit TOBACCO trade

8 IV. ENVOLVIMENTO DE EMPRESA DE TABACO COM COMÉRCIO ILEGAL Há muitas provas de que os grandes fabricantes de cigarros têm sido cúmplices no comércio ilegal. As provas variam de processos judiciais a documentos produzidos pelas empresas como resultado de uma onda de ações judiciais, indicando que, além de fomentar e apoiar o contrabando de suas próprias marcas, as empresas têm supervisionado e dirigido ações de intermediários nas rotas de contrabando tomadas por alguns dos seus cigarros. 77 Os executivos de empresas de cigarros negam rotineiramente as acusações que tinham em mãos um comércio ilegal. Eles insistiam que os cigarros eram vendidos legalmente a distribuidores, atacadistas e exportadores sem controle sobre os próximos passos. Mas uma história diferente surgiu a partir de um processo judicial e descobertas de um documento interno de indústria. Casos Judiciais e Acordos de Ligação Em 1998, uma filial da RJR Nabisco, a Northern Brands International, confessou-se culpada de acusações federais em um esquema de contrabando de saída e entrada simultânea. Os cigarros canadenses foram exportados para os Estados Unidos e a mudança de rota de volta clandestinamente pelo Rio St. Lawrence para evitar os impostos de cigarros no Canadá. Foi a primeira vez que uma empresa de tabaco dos E.U.A. foi condenada por cumplicidade no contrabando de cigarros internacional. 78 O ex-presidente da filial, que também se confessou culpado de acusações no caso, disse ao programa de televisão 60 Minutes II que a RJR havia criado a filial expressamente para contrabandear os cigarros de volta ao Canadá. 79 Em 2004, a fim de evitar uma ação judicial na União Européia, a Philip Morris International (PMI) entrou em um acordo juridicamente vinculado para pôr em prática uma série de medidas anti-contrabando de cigarros. A PMI não admitiu responsabilidade. Três anos mais tarde, a Japan Tobacco International (JTI) chegou a um acordo semelhante com a UE. A PMI e a JTC são duas das maiores empresas transnacionais de tabaco (TTCs). Em 2008, a Imperial Tobacco Canada Ltd. e a Rothmans, Benson & Hedges confessaram-se culpadas de auxiliar o contrabando de cigarro no final dos anos 1980 e início de Elas admitiram que tinham conhecimento de que os cigarros embarcados para os Estados Unidos foram contrabandeados de volta ao Canadá para re-venda barata. As empresas têm de pagar multas de mais de US$ 1,1 bilhão. Após a decisão, houve outro lembrete de que elevados lucros podem ser obtidos através do contrabando de cigarros. Um ex-executivo de um grupo de empresas que já havia sido proprietário da Imperial Tobacco descreveu os termos da decisão canadense como envolvendo insiginificantes somas em comparação com aquilo que a empresa ganhou a partir da violação da lei. Sua gíria significava que ele considerou o acordo uma barganha que fez com que os atos ilegais valessem a pena. Documentos Internos da Indústria de Tabaco Os secretos documentos corporativos escritos com as palavras dos próprios executivos do tabaco revelam o valor do contrabando de cigarros para as grandes empresas e os papéis que eles têm desempenhado. Os incentivos econômicos para as empresas de tabaco são muitos: os cigarros contrabandeados têm ajudado as empresas a expandir as vendas, entram em mercados que eles não podem entrar legalmente, aumentam a sua quota de mercado em concorrência com rivais, mantêm baixo o preço dos cigarros em geral ou ganham status legal de importação ou produção em outro país. 81 Os dois exemplos seguintes são baseados em estudos de caso utilizando documentos internos. Após a queda da União Soviética em 1991, a TTCs pretendeu explorar os mercados emergentes nos estados da antiga União Soviética. A região representa não só uma enorme população, mas também partilha fronteira com a China, um mercado considerado o prêmio máximo, tinha uma grande população jovem e davam a oportunidade de expandir as vendas para mulheres. 82 Contrabando, referido pela sigla GT para o comércio geral em inglês, foi uma importante e detalhada estratégia em um memorando chamado British American Tobacco (BAT) que institui marcas na antiga União Soviética: GT irá florescer Mercado GT irá formalizar em 1993 e continuará através do Plano As Marcas Internacionais Poderosas irão se impulsionar e se beneficiar da unidade e do Mercado GT ; e Criação da imagem da marca e a franquia do consumidor são pré-requisitos para o sucesso no GT Illicit TOBACCO trade

9 China, com 350 milhões de fumantes, é o maior mercado de cigarros no mundo. 84 Para o BAT, penetrar no mercado chinês de Hong Kong através do contrabando foi visto como a chave para o futuro para empresas assumirem a liderança na industria mundial de tabaco, de acordo com documentos internos. Em 1990, os dados do governo chinês mostravam todas as importações legais de 10,5 bilhões de cigarros, onde os registros da BAT refletiam suas exportações para a China de mais de 20,3 bilhões de cigarros. 86 Presumivelmente, o contrabando representava a maior parte ou a totalidade da diferença. De fato, até o início de 1990, o contrabando na China representou o maior mercado da BATCo [British American Tobacco Company]. 87 Entre os documentos internos divulgados, referências indiretas ou palavras-códigos para contrabando são comuns. No entanto, quando o jornal do comércio World Tobacco publica a seguinte conclusão, reconheceu abertamente a importância do contrabando Embora as vendas de contrabando de cigarros têm afetado o nível de rendimento que os governos em todo o mundo derivam da venda do tabaco, o contrabando também ajudou a promover algumas das maiores marcas em mercados que haviam permanecido fechados para importações estrangeiras e onde a procura de cigarros Ocidentais têm continuado a crescer. 88 Empresas Ligadas a Supostos Grupos Criminosos Os produtores de cigarros geralmente culpam o crime organizado de contrabando. Mas algumas empresas de tabaco têm suas próprias ligações com grupos criminosos, de acordo com matérias de jornalistas e processos judiciais de subornos da União Européia e do governo da Colômbia. Em uma investigação de contrabando de cigarros, jornalistas escreveram que funcionários da empresa BAT, Philip Morris e R.J. Reynolds trabalharam juntamente com as empresas e os indivíduos diretamente ligados ao crime organizado em Hong Kong, Canadá, Colômbia, Itália e nos Estados Unidos. 89 Separadamente, a ação judicial do governo colombiano acusou a Philip Morris de vender cigarros a conhecidos traficantes de narcóticos Os lucros da cocaína poderiam ser usados para comprar cigarros, que por sua vez poderiam ser vendidos rapidamente com um grande lucro e proporcionar uma aparência de legitimidade. 90 V. COMBATENTO O COMÉRCIO ILEGAL Estratégias para reduzir o comércio ilegal têm variado de investigações do governo e processos judiciais para utilizar dispositivos de alta tecnologia para monitorar os pacotes de cigarros, tornando mais fácil detectar o contrabando. Em nível internacional, os países estão trabalhando para escrever um abrangente plano de ação em um tratado para completar a Estrutura da Convenção sobre o Controle do Tabaco (FCTC). Investigações e Questões Judiciais As investigações sobre contrabando de cigarros e a ameaça de ações judiciais aparentemente tiveram um impacto positivo na Itália, Espanha e Reino Unido. A Comunidade Européia trouxe processos civis nos Estados Unidos contra certo número de empresas tabaqueiras, em 2000, alegando um esquema mundial em andamento de contrabando de cigarros. As investigações no final dos anos 90 precederam os processos. Em seguida os acordos firmados com a CE, Philip Morris International (PMI) e Japan Tobacco International (JTI) comprometeram-se a pagar até US$ 1 bilhão ao longo de 12 anos e US$ 400 milhões ao longo de 15 anos, respectivamente, para iniciativas anti-contrabando e anti-falsificação. Se as autoridades aproveitassem mais de seus cigarros contrabandeados, as empresas deveriam continuar a fazer os pagamentos. Todos os estados membros da União Européia, exceto o Reino Unido, assinaram dois acordos. 91 Na Itália e na Espanha, o contrabando de cigarros têm diminuído drasticamente, de cerca de 15%, para 1 a 2%, 92 na última década. Houve um aumento da coleta de informações, atividade aduaneira nas regiões fronteiriças e cooperação internacional, 93 e fornecimento de cigarros produzidos nos E.U.A. em mercados ilegais foi reduzido substancialmente. As investigações sobre o contrabando e os processos da CE estavam entre as múltiplas medidas que resultaram no corte do fornecimento da cadeia de cigarros americanos no mercado ilegal da Espanha. 94 No Reino Unido, onde o contrabando de tabaco se tornou um problema grave cerca de uma década atrás, passou de 21% para 13%. 95 Essa redução veio após investigação do Parlamento e colocar o holofote publicamente sobre as práticas de exportação do tabaco, e o 9 Illicit TOBACCO trade

10 governo do Reino Unido lançou um plano de reforço anti-contrabando. Incluindo fortes penalidades, mais funcionários aduaneiros, mais marcas fiscais proeminentes nos maços de cigarros e uma campanha pública de conscientização. 96 A abordagem diferente ao contrabando envolve um memorando de entendimento não-vinculativo que alguns fabricantes de cigarros têm assinado com os governos. É evidente que estes acordos voluntários nem sempre são eficazes. 97 A empresa Gallaher, com sede no Reino Unido, foi uma das primeiras a assinar tal acordo, em Incluia as promessas da Gallaher para partilhar informações com o Reino Unido e as recusas de vender cigarros quando o destino final fosse duvidoso. No entanto, devido ao contrabando de cigarros Gallaher no Reino Unido, o Tesouro Britânico perdeu mais de 1 bilhão de libras em receitas desde Os acordos da JTI e da PMI envolvem apenas duas das grandes fabricantes de cigarros, e ainda é muito cedo para dizer se as medidas que as empresas estão tomando serão bem sucedidas com impacto global. Selo Fiscal Digital A era da alta tecnologia oferece novas armas para combater o comércio ilegal. Uma delas é o selo fiscal digital. Ele usa tinta invisível e apresenta um único código oculto com dados para cada maço de cigarros, fazendo com que seja mais difícil para os criminosos produzirem falsificações. Os dados criptografados permitem que os funcionários de reforço digitalizem os maços de cigarros onde quer que os encontrem, para distinguir os verdadeiros selos fiscais dos falsificados para identificar a empresa que aplicou o selo e vendeu os cigarros inicialmente, e para obter outras informações para rastreamento, detectar e sanção. 99 (O rastreamento de um produto refere-se à monitorização do caminho. Detectar é apontar onde foi desviado de canais legais.) No mais populoso estado americano, Califórnia, um sistema de selagem fiscal de alta tecnologia foi implantando em Até junho de 2007, a agência de arrecadação fiscal da Califórnia anunciou que a evasão fiscal anual de cigarro diminuiu 37% devido ao aumento do reforço e aos novos selos fiscais, o estado ganha US$ 110 milhões anualmente em receitas fiscais adicionais referente a cigarro. 100 Apreensões de produtos falsificados são recusadas. O custo do sistema da Califórnia foi calculado em cerca de US$ 9 milhões por ano bem menos do que os benefícios. 101 O Brasil, tem o maior problema com contrabando na América Latina, 102 tem respondido através da exigência de licenciamento de todos os fabricantes de cigarros e implementando um sistema nacional de monitoramento. Incluindo equipamentos de contagem automática dos cigarros em cada linha de produção e utilização de alta tecnologia, selos fiscais encriptados para identificar cada maço de cigarros. 103 As empresas tabaqueiras sustentam os custos de introdução do sistema, avaliado em US$ 1,7 por maço de cigarros. 104 Uma desvantagem: além das fronteiras do Brasil, funcionários judiciais não podem ler os códigos criptografados dos selos fiscais, a menos que recebam leitores digitais das autoridades brasileiras. 105 Códigos de barras Outra tecnologia aplicada pelo setor do tabaco depende de códigos de barras, que são conhecidos por compradores de diversos produtos. Nos termos do acordo da PMI com a CE, a empresa é obrigada a controlar o contrabando futuro através de várias etapas. Desde 2004, tem marcado 200 milhões de grandes pacotes (cada uma com 10 mil cigarros), com códigos de barras únicos que podem ser digitalizados por máquinas antes dos cigarros serem vendidos para os primeiros compradores na cadeia de distribuição. 106 Além disso, é necessário para a PMI continuar com a investigação sobre tecnologias para melhorar a codificação nos pacotes e maços. Este ano foi introduzido o monitoramento dos pacotes na Rússia e na Ucrânia. Sob o programa da PMI, a fita adesiva no pacote a pequena fita plástica utilizada para abrir o embrulho de celofane carrega mais um sofisticado código de barras chamado de código matriz de dados. É escaneado na linha de produção e inserido em uma base de dados. A Philip Morris está tentando etiquetar os maços individualmente com códigos únicos 107 na Alemanha e no Peru. Uma tecnologia mais cara é a identificação por rádiofreqüência, ou RFID. Quando um maço de cigarros possui um microchip, as autoridades utilizam disposi- 10 Illicit TOBACCO trade

11 tivos eletrônicos portáteis que podem dizer se um maço é falso ou verdadeiro e se são pagos os encargos sobre ele. As etiquetas inteligentes do RFID são microchips anexados para antenas custam de 15 a 20 centavos de dólar cada uma, e os leitores RFID custam de US$ 100 a Os produtos da BAT possuem uma etiqueta, desde maio de 2005, que contém um elemento químico adicionado à tinta sobre a fita adesiva. A etiqueta pode ser reconhecida por um scanner, e a BAT pode distinguir se o produto é original ou falso. 109 VI. CONCLUSÃO Illicit tobacco trade contributes to massive harm to public health and economies worldwide and threatens public safety. This clandestine trade deprives treasuries of enormous revenues and adds to the devastating global death toll from tobacco use, now estimated at 5.4 million people a year and rising. If the global tobacco epidemic is to be addressed effectively, then worldwide illicit trade demands a strong international response, tailored to help bring improved public health and greater economic security. Um Tratado Internacional e seu Protocolo de Comércio Ilegal Apesar do progresso em alguns países e a aplicação de novas tecnologias, uma abordagem mais agressiva do governo mundial é necessário para parar o comércio ilegal. Cento e sessenta países ratificaram a Estrutura da Convenção sobre o Controle do Tabaco (CQCT) da Organização Mundial da Saúde, um tratado que entrou em vigor 27 de fevereiro de Entre as suas disposições, o Tratado obriga as partes a eliminarem o comércio ilegal de produtos do tabaco. Muitas obrigações sob o tratado 110 incluem marcar todas as unidades e embalagens de produtos de tabaco para ajudar os países a detectar as suas origens, considerando um sistema de monitoração e localização; criar leis mais rígidas contra o comércio ilegal; e que assegure a destruição do equipamento de produção de tabaco apreendido. As partes da FCTC concordaram em 2007 negociar um tratado suplementar para refrear o comércio ilegal, chamado protocolo. As negociações começaram em 2008 e podem estar completas em Illicit TOBACCO trade

12 1 Framework Convention Alliance (FCA). How big was the global illicit tobacco trade problem in 2006? (Factsheet). Washington, DC: FCA; Available from: 2 FCA, How big was the illicit tobacco trade problem in 2006? Hoover W. U.S. Bureau of Alcohol, Tobacco, Firearms and Explosives. Testimony before U.S. House of Representatives Committee on the Judiciary, May 1, Available from: hearings/pdf/hoover pdf. 4 World Health Organization. Report on the World Tobacco Epidemic, 2008: The MPOWER package. Geneva; WHO; p 7. Available from: www. who.int/tobacco/mpower/en/. 5 FCA, How big was the illicit tobacco trade problem in 2006? European Union. Press Release: Contraband and counterfeit cigarettes: frequently asked questions Dec 14. Brussels. Available from: europa.eu/rapid/pressreleasesaction.do?reference=memo/07/584& format =HTML&aged=1&language...en. 7 Billingslea W. Illicit Cigarette Trafficking and the Funding of Terrorism. The Police Chief. 2004;71(2). Available from: policechiefmagazine.org/magazine/index.cfm?fuseaction=display&article_ id=226&issue_id= Students smoking smuggled smokes: Study. The Canadian Press, Nov. 1, Available from: 9 Buist S. Contraband smokes costing government a much as $4M a day in taxes. Edmonton Sun Aug 8. Available from: edmontonsun.com/news/canada/2008/08/06/ html. 10 Buist S, Wright A, Katz I. Tobacco tightrope balancing disease prevention and economic development in China. New England Journal of Medicine. 2007;356(15): Available from: content/full/356/15/ Euromonitor International (database online). London: Euromonitor; c2008 (updated 2008 Jun 5). Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco World. Available from: Euromonitor International. 13 Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 14 Lavrov V. Cigarette Underground. Novynar magazine, # Nov 5. Kyiv, Ukraine. 15 Krasovsky, K. A Tax Increase Nobody Noticed. Bulletin Contact No 26 published under the title Tobacco gain. January 2007 (cited August 12, 2007); Available from: archive/2007/01/11/ html. 16 Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 17 Raymond Kelly, testimony before U.S. Congress, Senate, 2001, Committee on Appropriations on H.R. 4871/S Subcommittee on treasury and general government, 2000 Mar 30. Available online: access.gpo.gov/cgi-bin/getdoc.cgi?dbname=2001_sapp_ tre_1&docid=f:62810.wais 18 Geller, M. Philip Morris USA ups Marlboro and other brand prices. Reuters May 2. Available from: domesticnews/iduswen ?feedtype=rss&feedname= domesticnews. 19 Philip Morris International (PMI). January 2008 Key cigarette retail pricing information, EU & neighboring countries (unpublished PMI document). 20 Philip Morris International, Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 22 Euromonitor International (database online). London: Euromonitor; c2008. Unit Price data.; Value of pack, carton, shipping container calculated by CTFK using Euromonitor unit price data. 23 World Bank. Curbing the Epidemic: Governments and the economics of tobacco control. Washington, DC: World Bank; Available from: 24 Joossens L, Raw M. Turning off the tap: An update on Cigarette Smuggling in the UK and Sweden, with Recommendations to Control Smuggling. London: Cancer Research UK; Available from: luk/lukdocs/turningoffthetap.pdf 25 U.S. General Accounting Office. Cigarette smuggling: federal law enforcement efforts and seizures increasing. Washington, D.C.; US GAO; p 6. Available from: 26 Campaign for Tobacco-Free Kids (CTFK). Illegal pathways to illegal profits: the big cigarette companies and international smuggling. Washington, DC: CTFK; p 4. Available from: tobaccofreekids.org/campaign/global/framework/docs/smuggling.pdf. 27 Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 28 Joossens L, Chaloupka F, Merriman D, Yurekli A. Issues in the smuggling of tobacco products. In: Jha P, Chaloupka F, editors. Tobacco control in developing countries. New York City: Oxford University Press; p 403. Available from: 29 CTFK, 2003, p Joossens et al, 2000, p Joossens L, Raw M. Progress in combating cigarette smuggling: controlling the supply chain. Tobacco Control Sept 10 (published online early). Available from: tc v Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 35,36 European Union, Press Release, Levin M. Counterfeit cigarettes force tobacco firms to fight back. Los Angeles Times Nov 24. Available from: com/2003/nov/24/business/fi-counterfeit Levin M, Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 40 Tobar H, D Alessandro A. A Counterfeit industry cheats legitimate trade. Los Angeles Times Apr 4. Available from: apr/04/world/fg-smokes Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 47 Ribisl KM, Kim AE, Williams RS. Sales and marketing of cigarettes on the Internet: Emerging threats to tobacco control and promising policy solutions. In: Reducing tobacco use: Strategies, barriers, and consequences. Washington, D.C.: National Academy Press; For more information: 48,49 Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 50 Ribisl et al, Online Smuggling (Internet). Organized Crime and Corruption Reporting Project (updated 2008 Feb 11). Available from: reportingproject.net/new/index.php?option=com_content&task=view&id= 59&Itemid=47 52,53 Joossens et al, Bettcher D. The health impact of illicit trade. Presented at: first FCA lunch briefing meeting. First session of the Intergovernmental Negotiating Body to draft and negotiate a protocol on illicit trade in tobacco products; 2008 Feb 11-15; Geneva, Switzerland. 55 World Bank, p Chaloupka F, Hu T, Warner K, Jacobs R, Yurekli A. The taxation of tobacco products. In: Jha P, Chaloupka F, editors. Tobacco control in developing countries. New York City: Oxford University Press; p 403. Available from: 57 WHO MPOWER, 2008, p Bettcher, WHO MPOWER, p WHO MPOWER, p World Bank Joossens et al, Chaloupka et al, p WHO MPOWER, 2008, p FCA, How big was the illicit tobacco trade problem in 2006? Illicit TOBACCO trade

13 66 Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco 67 WHO MPOWER, 2008, p Campaign for Tobacco-Free Kids, Toll of tobacco in the United States of America. Fact sheet Sept 30. Available from: tobaccofreekids.org/research/factsheets/pdf/0072.pdf. 69 World Bank Mackay J, Eriksen M, Shafey O. The Tobacco Atlas 2nd Ed. Brighton, UK: World Health Organization, Myriad Editions Limited, Available from: asp. 71 CTFK. Toll of Tobacco in the United States of America, Organized Crime and Reporting Project. Cigarette smugglers trade in murder. (updated 2008 Feb 11). Available from: new/index.php?option=com_content&task=blogcategory&id=29&itemid= Horwitz S, Cigarette smuggling linked to terrorism, Washington Post Jun 8. Available from: A Jun7.html. 74 U.S. Central Intelligence Agency. The World Factbook: Paraguay. (Updated 2008 Oct). Available from https://www.cia.gov/library/ publications/the-world-factbook/geos/pa.html#econ. 75 U.S. General Accounting Office, Billingslea W, CTFK, 2003, p Drew C. RJR Nabisco Unit Admits Smuggling. New York Times Dec 23. Available from: 0CE5DD103CF930A15751C1A96E Tobacco s Other Secret. CBS News, 60 Minutes II Jan 18. Available from: main shtml?source=search_story. 80 Marsden W. Smuggling fine was a bargain. The Montreal Gazette Sept 8. Available from: news/story.html?id=18862e3c-793d-4cec-9ba0-f1934cfc9ca7. 81 Joossens et al., Also, Campaign for Tobacco-Free Kids. Illegal pathways. Available from: global/framework/docs/smuggling.pdf. 82 Gilmore A, McKee M. Moving east: how the transnational tobacco industry gained entry to the emerging markets of the former Soviet Union part I: establishing cigarette imports. Tobacco Control. 2004;13: Unknown. CIS Recommendations BATCo Brands (internal industry document) Bates No Available from: legacy.library.ucsf.edu/tid/ovj76a Lee K, Collin J. Key to the future : British American tobacco and cigarette smuggling in China. PLoSMedicine. 2006;3(7):e Lee K, et al, Joossens L, Raw M. Cigarette smuggling in Europe: who really benefits? Tobacco Control. 1998;7: International Consortium of Investigative Journalists. Tobacco companies linked to criminal organizations in lucrative cigarette smuggling Mar 3. Available from: 90 CTFK, 2003, p Framework Convention Alliance. Fact sheet about the EU agreements with tobacco manufacturers to control the illicit trade in cigarettes. Geneva. January Available from: fca-2008-inb-illicit-trade-inb1-factsheet-questions-answers-ec-industryagreements-en.pdf Joossens, Raw, Gillard M, Rowell A. Court case smokes out Gallaher. The Sunday Times Apr 27. Available from: business/industry_sectors/consumer_goods/article ece. 99 Joossens L. The use of technology to combat the illicit tobacco trade: Coding, verification, tracking and tracing of tobacco products and tax stamps. Fact sheet INB-2. Geneva: FCA; Available from: 100 California State Board of Equalization. Betty T. Yee announces new cigarette, tobacco tax loss estimates Jun 27. Available from: 101 Joossens L. Technology and the Fight against Illicit Tobacco Trade (monograph on the Internet). Geneva: FCA; Available from: 102 Euromonitor International, Illicit Trade. In: Global Report: Tobacco Joossens. Technology and the Fight against Illicit Tobacco Trade WHO. WHO Framework Convention on Tobacco Control. Article 15. Geneva: WHO; Available from: 13 Illicit TOBACCO trade

Comércio Ilegal de Tabaco

Comércio Ilegal de Tabaco Comércio Ilegal de Tabaco Lucro Ilegal e Risco Público Campanha para Crianças Livres de Cigarro Outubro de 2008 Entendendo o Comércio Ilegal Perdedores Mundiais Envolvimento de Empresa de Tabaco com Comércio

Leia mais

Comércio ilegal do tabaco

Comércio ilegal do tabaco Comércio ilegal do tabaco Ayda A. Yurekli, PhD Pesquisa para o Controle do Tabaco Internacional (Research for International Tobacco Control) Centro Internacional de Desenvolvimento de Pesquisas (International

Leia mais

Comércio ilícito de produtos de tabaco

Comércio ilícito de produtos de tabaco Comércio ilícito de produtos de tabaco Vinayak M. Prasad, MD Diretor, Ministério da Saúde e Assistência Social da Família, Índia 2007 Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health Seção A Comércio ilícito

Leia mais

39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco

39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco 39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco Grupo Temático do Mercado Ilegal Breve Análise do Protocolo para Eliminação do Mercado Ilegal de Cigarros (COP5) Rafael S. Bosi Ribeiro

Leia mais

P: Quem é o falsificador neste caso? R: Não podemos divulgar esta informação no momento, pois a investigação ainda está em curso.

P: Quem é o falsificador neste caso? R: Não podemos divulgar esta informação no momento, pois a investigação ainda está em curso. 1 Grupo de revendas de suprimentos Xerox P&R sobre cartuchos de toner falsificados 12 de abril de 2004 I. Detalhes do caso II. Dúvidas do cliente III. Tendências do setor IV. Combate à falsificação Detalhes

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

CONTRABANDO DE CIGARROS

CONTRABANDO DE CIGARROS CONTRABANDO DE CIGARROS Todos os anos, bilhões de cigarros desaparecem em meio lucrativo mercado negro de produtos relacionados ao tabaco.1 Tal contrabando prejudica gravemente a saúde pública arruinando

Leia mais

Panorama Mundial (2013)

Panorama Mundial (2013) Panorama Mundial (2013) Produção mundial alcançou US$ 444 bilhões em 2013; Mesmo com os efeitos da crise internacional, registra 85% de crescimento desde 2004, a uma taxa média de 7% ao ano; 54% da produção

Leia mais

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro

SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR. Viana do Castelo, 11de Fevereiro SEMINÁRIO EXPORTAR, EXPORTAR, EXPORTAR Viana do Castelo, 11de Fevereiro www.cosec.pt COSEC Companhia de Seguro de Créditos, S.A. 2014 Índice Sobre a COSEC Seguro de Créditos Soluções à medida em resumo

Leia mais

Destaque para a Convenção- Quadro para a Luta Antitabaco (CQLA)

Destaque para a Convenção- Quadro para a Luta Antitabaco (CQLA) Destaque para a Convenção- Quadro para a Luta Antitabaco (CQLA) PRIMEIRA EDIÇÃO/JANEIRO DE 2008 Um conjunto de notas informativas sobre a CQLA e as obrigações associadas da UE. A primeira edição fornece

Leia mais

CONHEÇA A ADT. A empresa que protege seus bens e sua família.

CONHEÇA A ADT. A empresa que protege seus bens e sua família. CONHEÇA A ADT A empresa que protege seus bens e sua família. NOSSA EMPRESA MAIOR EMPRESA ESPECIALIZADA EM SEGURANÇA E INCÊNDIO A ADT pertence à Tyco, a maior empresa de segurança e incêndio do mundo, com

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Canadá Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios De acordo com a nomenclatura usada pelo Ministério da Indústria do Canadá, o porte

Leia mais

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS)

Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) Taxa de Empréstimo Estatísticas Financeiras Internacionais (FMI - IFS) África do Sul: Taxa predominante cobrada pelos bancos de contas garantidas prime. Alemanha: Taxa sobre crédito de conta-corrente de

Leia mais

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS

MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS MATERIAL COMPLEMENTAR PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE SERES HUMANOS 1. PRINCIPAIS ROTAS DO TRÁFICO DE PESSOAS 2. CLASSIFICAÇÃO DOS PAÍSES SEGUNDO AS ROTAS DE TRÁFICO 3. PAÍSES COM MAIOR NÚMERO DE ROTAS

Leia mais

Chuvas no Brasil esfriam o mercado, enquanto estimativas da produção para 2014/15 são mais baixas

Chuvas no Brasil esfriam o mercado, enquanto estimativas da produção para 2014/15 são mais baixas Chuvas no Brasil esfriam o mercado, enquanto estimativas da produção para 2014/15 são mais baixas Em novembro os preços do café recuaram e as chuvas contínuas no Brasil seguraram novos aumentos de preços.

Leia mais

Código de Conduta da Dachser

Código de Conduta da Dachser Código de Conduta da Dachser 1. Introdução A fundação de todas as atividades na Dachser é a nossa adesão a regulamentos juridicamente vinculativos em nível nacional e internacional, assim como a quaisquer

Leia mais

Exportações recordes do Brasil influenciam o mercado cafeeiro

Exportações recordes do Brasil influenciam o mercado cafeeiro Exportações recordes do Brasil influenciam o mercado cafeeiro As exportações de café do Brasil alcançaram um volume recorde de 36,8 milhões de sacas no ano-safra de 2014/15 (abril a março), alimentado

Leia mais

PLC 116/10. Eduardo Levy

PLC 116/10. Eduardo Levy PLC 116/10 Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania Comissão de Assuntos Econômicos Comissão de Educação, Cultura

Leia mais

REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS UNINORTE LAUREATE INTERNATIONAL UNIVERSITIES PRÊMIO DE EMPREENDEDORISMO JAMES McGUIRE EDITAL DE SELEÇÃO REGULAMENTO CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1. O Prêmio James McGuire de Empreendedorismo é uma competição

Leia mais

Toshiba Corporation. Faturamento (2000): US$ 47.950 mi. Empregados (2000): 190.870

Toshiba Corporation. Faturamento (2000): US$ 47.950 mi. Empregados (2000): 190.870 Toshiba Corporation 1. Principais Características Matriz: Toshiba Corporation Localização: Minato-Ku, Tóquio, Japão Ano de fundação: 1875 Internet: www.toshiba.co.jp Faturamento (2000): US$ 47.950 mi Empregados

Leia mais

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores:

A aceleração da inflação de alimentos é resultado da combinação de fatores: SEGURIDADE ALIMENTARIA: apuesta por la agricultura familiar Seminario: Crisis alimentaria y energética: oportunidades y desafios para América Latina e el Caribe O cenário mundial coloca os preços agrícolas

Leia mais

O valor da certificação acreditada

O valor da certificação acreditada Certificado uma vez, aceito em toda parte O valor da certificação acreditada Relatório de Pesquisa Publicado em maio de 212 Em 21/11, o IAF realizou uma pesquisa mundial para capturar o feedback de mercado

Leia mais

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro

Comércio Exterior BOLETIM. Ribeirão Preto/SP Prof. Dr. Luciano Nakabashi Marcos Hitoshi Endo e Marina Cassiano Ribeiro Em fevereiro de 215, o Brasil apresentou um déficit na balança comercial de, aproximadamente, US$ 2,8 bilhões. No acumulado dos últimos 12 meses, o montante é um déficit de US$ 3,8 bilhões (Figura 1),

Leia mais

Cisco Systems Incorporation

Cisco Systems Incorporation Cisco Systems Incorporation 1. Principais Características Matriz: Cisco Systems Inc. Localização: São José, Califórnia, Estados Unidos Ano de fundação: 1984 Internet: www.cisco.com Faturamento (2000):

Leia mais

1.a. Atividades principais concepção, produção, desenvolvimento e distribuição de bens duráveis e produtos profissionais. São três as suas divisões:

1.a. Atividades principais concepção, produção, desenvolvimento e distribuição de bens duráveis e produtos profissionais. São três as suas divisões: Electrolux AB 1. Principais Características Matriz: Electrolux AB Localização: Estocolmo, Suécia Ano de fundação: 1901 Internet: www.electrolux.com Faturamento (2000): US$ 11.537 mi Empregados (2000):

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2012

Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2012 Volume 39 Ano base 2011 Sumário I Turismo receptivo 1. Chegadas de turistas ao Brasil - 2010-2011

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 853, DE 2003 (Do Sr. JOSÉ DIVINO) Dispõe sobre o teor máximo permitido de Alcatrão, Nicotina e Monóxido de Carbono (CO) por cigarro produzido e consumido em todo território Nacional.

Leia mais

Segundo Helen Deresky, (2004, p. 55), as alianças estratégicas não acionárias ocorrem:

Segundo Helen Deresky, (2004, p. 55), as alianças estratégicas não acionárias ocorrem: O modelo supply chain As empresas de hoje atuam segundo algumas correntes, ou modelos econômicos. Dentre estes se pode citar a cadeia de suprimentos ou supply chain, modelo das grandes corporações, e a

Leia mais

Expectativas para 2015

Expectativas para 2015 Crise Economia Pessimismo Política Otimismo Segurança Saúde Prosperidade Expectativas para 2015 OBJETIVO Medir a expectativa da população mundial para o ano seguinte, por meio de índices de esperança e

Leia mais

Organizações internacionais Regionais

Organizações internacionais Regionais Organizações internacionais Regionais Percurso 4 Geografia 9ºANO Profª Bruna Andrade e Elaine Camargo Os países fazem uniões a partir de interesses comuns. Esses interesses devem trazer benefícios aos

Leia mais

Bruxelas, 18 de Março de 2002

Bruxelas, 18 de Março de 2002 Bruxelas, 18 de Março de 2002 O tratado da UE institui uma política comercial comum cuja execução é da competência da Comissão Europeia : A política comercial comum assenta em princípios uniformes, designadamente

Leia mais

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015

Missão Empresarial EUA Flórida. 21 a 26 de Março 2015 Missão Empresarial EUA Flórida 21 a 26 de Março 2015 Apoiamos empresas a ter sucesso nos mercados internacionais Sobre nós Na Market Access prestamos serviços de apoio à exportação e internacionalização.

Leia mais

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 27 de setembro a 1º de outubro de 2010 Tema 4.17 da agenda CD50/26

Leia mais

OS ARGUMENTOS DOS OPOSITORES DO CONTROLE DO TABAGISMO: SUGESTÕES DE RESPOSTAS ÀS QUESTÕES MAIS FREQÜENTES

OS ARGUMENTOS DOS OPOSITORES DO CONTROLE DO TABAGISMO: SUGESTÕES DE RESPOSTAS ÀS QUESTÕES MAIS FREQÜENTES Organização Pan-Americana da Saúde, OS ARGUMENTOS DOS OPOSITORES DO CONTROLE DO TABAGISMO: SUGESTÕES DE RESPOSTAS ÀS QUESTÕES MAIS FREQÜENTES Programação Visual da Capa: Divisão de Comunicação Social/

Leia mais

Portugal Leaping forward

Portugal Leaping forward Portugal Leaping forward Dr. Pedro Reis Presidente da AICEP Lisboa, 16 de Março 2012 Enquadramento internacional Fonte: EIU (Fev 2012) Nota: PIB a preços de mercado Variação (%) Enquadramento internacional

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm

Para informação adicional sobre os diversos países consultar: http://europa.eu.int/information_society/help/links/index_en.htm Anexo C: Súmula das principais iniciativas desenvolvidas na Europa na área da Sociedade de Informação e da mobilização do acesso à Internet em banda larga Para informação adicional sobre os diversos países

Leia mais

cargas tributárias para empresas no mundou

cargas tributárias para empresas no mundou Cliente: UHY Moreira Data: 04/10/2011 Veículo: Site Sped Contábil - Porto Alegre Seção/ Pág. : Impostos e Tributos HUhttp://spedcontabilspedfiscal.com.br/impostos-tributacao-arrecadacao/carga-tributaria-brasil-temuma-das-maiores-cargas-tributarias-para-empresas-no-mundo/U

Leia mais

Por que a CPMF é um problema para o Brasil?

Por que a CPMF é um problema para o Brasil? Por que a CPMF é um problema para o Brasil? 1 A Carga Tributária Brasileira Muito pesada para um país que precisa crescer 2 A carga tributária brasileira vem apresentando crescimento 40% 30% 26,9% 27,8%

Leia mais

A SAÚDE NÃO É NEGOCIÁVEL

A SAÚDE NÃO É NEGOCIÁVEL A SAÚDE NÃO É NEGOCIÁVEL Plano de ação para contrapor a interferência da indústria do tabaco nas políticas públicas Com o apoio de: Por que a sociedade civil deve monitorar as ações da indústria do tabaco?

Leia mais

CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO

CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO CAPÍTULO 3 PROTOCOLO DE KIOTO Medidas estão sendo tomadas... Serão suficientes? Estaremos, nós, seres pensantes, usando nossa casa, com consciência? O Protocolo de Kioto é um acordo internacional, proposto

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Introdução O International Accreditation Forum (IAF) é uma associação mundial de Organismos de Acreditação, Associações de Organismos de Certificação e outras

Leia mais

Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009

Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009 Pesquisa Global Nielsen sobre a Confiança do Consumidor Maio de 2009 Observações metodológicas Página 2 Enfoque da pesquisa Mensurar o sentimento e a confiança do consumidor no futuro da economia Padrões

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas na Guatemala. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas na Guatemala. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas na Guatemala Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Na Guatemala, existem várias definições fornecidas por diferentes instituições

Leia mais

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl

CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS. www.prochile.gob.cl CONHECENDO O CHILE ATRAVÉS DE SEU SETOR SERVIÇOS www.prochile.gob.cl O Chile surpreende pela sua variada geografia. Suas montanhas, vales, desertos, florestas e milhares de quilômetros de costa, o beneficiam

Leia mais

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR

Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR Paraná Cooperativo EDIÇÃO ESPECIAL EXPORTAÇÕES Informe Diário nº 2.092 Sexta-feira, 08 de maio de 2009 Assessoria de Imprensa da Ocepar/Sescoop-PR EXPORTAÇÕES DAS COOPERATIVAS NO AGRONEGÓCIO EM 1. RESULTADO

Leia mais

Capítulo 18 - Distribuição

Capítulo 18 - Distribuição Capítulo 18 - Distribuição A escolha dos canais de distribuição é provavelmente a decisão mais complexa em marketing internacional. Em alguns mercados, o que prevalece é a concentração de grandes hipermercados

Leia mais

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA

17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA 17ª TRANSPOSUL FEIRA E CONGRESSO DE TRANSPORTE E LOGÍSTICA PALESTRA FALTA DE COMPETITIVIDADE DO BRASIL FRENTE AO MERCADO EXTERNO JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Porto Alegre, 24 de JUNHO de 2015 2 - TEORIAS No

Leia mais

Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP)

Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP) Parceria para Governo Aberto Open Government Partnership (OGP) 1ª Conferência Anual de Alto-Nível da Parceria para Governo Aberto - OGP Roberta Solis Ribeiro Assessoria Internacional - CGU Conselho da

Leia mais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais

Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Reformas dos sistemas nacionais de saúde: experiência brasileira 5º Congresso Internacional dos Hospitais Carlos Figueiredo Diretor Executivo Agenda Anahp Brasil: contexto geral e econômico Brasil: contexto

Leia mais

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS

Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS Resolução de Questões- Tropa de Elite ATUALIDADES Questões- AULA 1-4 NILTON MATOS 2012 Copyright. Curso Agora eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. OBS: EM NEGRITO OS ENUNCIADOS, EM AZUL AS

Leia mais

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios

Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios Brasil como maior exportador mundial de carne bovina: conquistas e desafios João Ricardo Albanez Superintendente de Política e Economia Agrícola, Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de

Leia mais

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA June 2002 Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA No início de 2002, a International Planning and Research Corporation (IPR)

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

O Dep. Pastor Frankembergem pronuncia o seguinte discurso: Drogas. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados,

O Dep. Pastor Frankembergem pronuncia o seguinte discurso: Drogas. Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, 1 O Dep. Pastor Frankembergem pronuncia o seguinte discurso: Drogas Senhor Presidente, Senhoras e Senhores Deputados, A atual posição do Brasil no que se refere ao consumo de drogas ilícitas é assustadora.

Leia mais

A emergência de um novo mundo no século XXI?

A emergência de um novo mundo no século XXI? A emergência de um novo mundo no século XXI? José Eustáquio Diniz Alves 1 A economia mundial deve crescer cerca de 4 vezes nos próximos 40 anos. Isto quer dizer que o Produto Interno Bruto (PIB) terá o

Leia mais

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO

PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO PERFIL DO AGRONEGÓCIO MUNDIAL SUBSECRETARIA DO AGRONEGÓCIO Março/2013 2 ÍNDICE 03. Apresentação 04. População Mundial 05. População ocupada 06. PIB Mundial 07. PIB per capita Mundial 08. Exportação Mundial

Leia mais

Código de Conduta. Código de Conduta Schindler 1

Código de Conduta. Código de Conduta Schindler 1 Código de Conduta Código de Conduta Schindler 1 2 Código de Conduta Schindler Código de Conduta da Schindler Os colaboradores do Grupo Schindler no mundo inteiro devem manter o mais alto padrão de conduta

Leia mais

Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento

Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento Volume 11, Number 4 Fourth Quarter 2009 Conjuntura Global Dá uma Guinada Rumo ao Desenvolvimento As economias pelo mundo estão emergindo da recessão, embora em diferentes velocidades. As economias em desenvolvimento

Leia mais

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO

A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO A CARTA DE BANGKOK PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM UM MUNDO GLOBALIZADO Introdução Escopo A Carta de Bangkok identifica ações, compromissos e promessas necessários para abordar os determinantes da saúde em

Leia mais

As diretrizes de consumo no Brasil

As diretrizes de consumo no Brasil As diretrizes de consumo no Brasil A visão do consumidor Luiz Goes A GS&MD Gouvêa de Souza Consultoria Empresarial Canais de distribuição / Centrais e redes de negócios/ Controladoria e finanças / Crédito

Leia mais

Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013

Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013 Compliance e o Desenvolvimento empresarial Marina Araújo 2013 Qual o impacto do Compliance para o desenvolvimento? Qual o impacto do Compliance para o desenvolvimento? Econômico Como o Compliance das empresas

Leia mais

Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade

Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade Qual o benefício que a etiqueta trará para o cidadão? A etiqueta de segurança lançada pela Anvisa trará duas grandes novidades: garantir que o medicamento é

Leia mais

Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes.

Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes. A ECONOMIA GLOBAL Após a década de 1990, várias pessoas em todo o mundo mantêm hábito de consumo semelhantes. O século XX marcou o momento em que hábitos culturais, passaram a ser ditados pelas grandes

Leia mais

Anuário Estatístico de Turismo - 2013

Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Ministério do Turismo Anuário Estatístico de Turismo - 2013 Volume 40 Ano base 2012 Guia de leitura Guia de leitura O Guia de Leitura tem o propósito de orientar

Leia mais

Os impactos econômicos dos ambientes livres de fumo

Os impactos econômicos dos ambientes livres de fumo Os impactos econômicos dos ambientes livres de fumo Por Roberto Iglesias, economista, consultor da ACT A indústria de cigarros alega que a proibição de fumar em ambientes fechados gerará quedas das vendas

Leia mais

Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos Consumo Mundial de Suco de Laranja

Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos Consumo Mundial de Suco de Laranja Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos Consumo Mundial de Suco de Laranja Câmara Setorial da Citricultura Brasília, 6 de setembro de 2011. TRANSPARÊNCIA E INFORMAÇÃO AGO/2010 OUT/2010 NOV-DEZ/2010

Leia mais

PROJETO INTERNACIONAL

PROJETO INTERNACIONAL PROJETO INTERNACIONAL EM 10 PASSOS Ubirajara Marques Direitos: Todos os direitos reservados para Center Group International Duração: 1 hora Apresentação: Linguagem simples, para micros e médios empresários

Leia mais

Dados sobre Tabaco e Pobreza: um círculo vicioso

Dados sobre Tabaco e Pobreza: um círculo vicioso Dados sobre Tabaco e Pobreza: um círculo vicioso O cenário mundial mostra que embora o consumo de cigarros venha caindo na maioria dos países desenvolvidos, o seu consumo global aumentou em torno de 50%

Leia mais

O Brasil no Relatório Mundial sobre Drogas 2008

O Brasil no Relatório Mundial sobre Drogas 2008 O Brasil no Relatório Mundial sobre Drogas 2008 I. Ópio - Consumo De acordo com pesquisas domiciliares [CEBRID 2005], o maior mercado de opiáceos na América do Sul é o Brasil, com cerca de 600 mil usuários,

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/11/10 05/12/10 05/01/11 05/02/11 05/03/11 05/04/11 05/05/11 05/06/11 05/07/11 05/08/11 05/09/11 05/10/11 05/11/11 05/12/11 05/01/12 05/02/12 05/03/12

Leia mais

ICC 109 8. 14 setembro 2012 Original: inglês. Conselho Internacional do Café 109 a sessão 24 28 setembro 2012 Londres, Reino Unido

ICC 109 8. 14 setembro 2012 Original: inglês. Conselho Internacional do Café 109 a sessão 24 28 setembro 2012 Londres, Reino Unido ICC 109 8 14 setembro 2012 Original: inglês P Conselho Internacional do Café 109 a sessão 24 28 setembro 2012 Londres, Reino Unido Tendências do consumo de café em países importadores selecionados Antecedentes

Leia mais

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2009 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC)

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2009 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE DROGAS WDR 2009 Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) Referências ao Brasil 1 Consumo de opiáceos 2 A maior população de usuários de opiáceos (ópio, heroína,

Leia mais

Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil

Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil É necessário aumentar os impostos sobre os cigarros e, por consequência, seus preços porque é uma medida efetiva para reduzir o consumo

Leia mais

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria

Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria VII Seminário ABMR&A da Cadeia Produtiva de Carne Bovina Feicorte 2007 Mercado internacional da carne bovina: a visão da indústria Médica Veterinária Andréa Veríssimo M. Appl. Sc. Farm Management Lincoln

Leia mais

Promovendo o Futuro do Brasil Conectado

Promovendo o Futuro do Brasil Conectado Promovendo o Futuro do Brasil Conectado Tá na Mesa - Federasul Porto Alegre, 26 de maio de 2010 SUMÁRIO 1 -Telecomunicações e o desenvolvimento 2 - Expansão dos serviços 3 - Parcerias em política pública

Leia mais

mídiakit www.tvgazeta.com.br

mídiakit www.tvgazeta.com.br mídiakit www.tvgazeta.com.br JUNHO / 2015 #HISTÓRIA Fundada no aniversário da cidade de São Paulo, a TV Gazeta fala com uma metrópole globalizada com a intimidade de quem esteve presente na vida e no coração

Leia mais

Unisys Security Index 2014. Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil

Unisys Security Index 2014. Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil Unisys Security Index 2014 Marcelo Neves, Especialista em Segurança e Diretor da Unisys Brasil 15 de Maio, 2014 Sobre a Unisys Principal fornecedor de soluções e serviços para ambientes de missão crítica

Leia mais

Espanha, Alemanha e Reino Unido também são usados como pontos de trânsito para precursores destinados à região. Pág. 85 Recentemente, vários países

Espanha, Alemanha e Reino Unido também são usados como pontos de trânsito para precursores destinados à região. Pág. 85 Recentemente, vários países Referências ao Brasil e ao Cone Sul Relatos da fabricação de ATS também surgiram em países da América Central e da América do Sul. Seis laboratórios ilícitos de ATS foram relatados apreendidos em 2009.

Leia mais

Comércio (Países Centrais e Periféricos)

Comércio (Países Centrais e Periféricos) Comércio (Países Centrais e Periféricos) Considera-se a atividade comercial, uma atividade de alto grau de importância para o desenvolver de uma nação, isso se dá pela desigualdade entre o nível de desenvolvimento

Leia mais

Perguntas Feitas com Frequência Livreto com Informações

Perguntas Feitas com Frequência Livreto com Informações Perguntas Feitas com Frequência Livreto com Informações Informações importantes para pensionistas do Istituto Nazionale della Previdenza Sociale (Inps) que recebem os pagamentos das suas pensões no exterior.

Leia mais

ICC 115-8. O café na Federação Russa. Conselho Internacional do Café 115. a sessão 28 setembro 2 outubro 2015 Milão, Itália.

ICC 115-8. O café na Federação Russa. Conselho Internacional do Café 115. a sessão 28 setembro 2 outubro 2015 Milão, Itália. ICC 115-8 18 agosto 215 Original: inglês P Conselho Internacional do Café 115. a sessão 28 setembro 2 outubro 215 Milão, Itália O café na Federação Russa Antecedentes Cumprindo o disposto no Artigo 34

Leia mais

Dez anos após estatuto, mortes por armas param de crescer

Dez anos após estatuto, mortes por armas param de crescer Zero Hora Solução? 14/12/2013 17h01 Dez anos após estatuto, mortes por armas param de crescer Lei que dificulta a compra, o porte e o registro de armamento entrou em vigor em dezembro de 2003 Carlos Ferreira

Leia mais

UNCTAD NOTA À IMPRENSA. RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001

UNCTAD NOTA À IMPRENSA. RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001 TRADUÇAO NÃO OFICIAL UNCTAD NOTA À IMPRENSA RESTRIÇÃO O conteúdo deste Relatório não poderá ser divulgado antes das 17 horas do GMT de 18 de setembro de 2001 (13 horas de Nova York, 19 horas de Genebra,

Leia mais

Política relativa a subornos, presentes e hospitalidade Data efetiva 2 de Março de 2011 Função

Política relativa a subornos, presentes e hospitalidade Data efetiva 2 de Março de 2011 Função Título Política relativa a subornos, presentes e hospitalidade Data efetiva 2 de Março de 2011 Função Departamento Jurídico da Holding Documento BGHP_version1_03032011 1. Finalidade A finalidade desta

Leia mais

inclinada, o inverso da elasticidade se aproxima de zero e o poder de monopólio da empresa diminui. Logo, desde que a curva de demanda da empresa não

inclinada, o inverso da elasticidade se aproxima de zero e o poder de monopólio da empresa diminui. Logo, desde que a curva de demanda da empresa não Pindyck & Rubinfeld, Capítulo 10, Monopólio :: REVISÃO 1. Suponha que um monopolista estivesse produzindo em um ponto no qual seu custo marginal fosse maior do que sua receita marginal. De que forma ele

Leia mais

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES

MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES MOEDAS, JUROS, BOLSAS INTERNACIONAIS E COMMODITIES 05/07/11 02/08/11 30/08/11 27/09/11 25/10/11 22/11/11 20/12/11 17/01/12 14/02/12 13/03/12 10/04/12 08/05/12 05/06/12 03/07/12 31/07/12 28/08/12 25/09/12

Leia mais

Soluções Contra a Falsificação de Produtos, Marcas e Documentos

Soluções Contra a Falsificação de Produtos, Marcas e Documentos Sistemas para Autenticidade e Rastreabilidade Soluções Contra a Falsificação de Produtos, Marcas e Documentos Sistemas para Autenticidade e Rastreabilidade! Divisão 3M focada em soluções de segurança.!

Leia mais

31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES

31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES 31º ENCONTRO NACIONAL DE COMÉRCIO EXTERIOR - ENAEX PALESTRA EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA: MITOS E VERDADES JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO Rio de Janeiro, 27 de Setembro de 2012 2 DEFINIÇÃO DE SERVIÇOS

Leia mais

Exemplos de Marketing Global. Coca-Cola, Philip Morris, DaimlerChrysler. McDonald s, Toyota, Ford, Cisco Systems

Exemplos de Marketing Global. Coca-Cola, Philip Morris, DaimlerChrysler. McDonald s, Toyota, Ford, Cisco Systems Fundamentos de Marketing Global Parte 01 O significado de Marketing Global Uma empresa global bem-sucedida deve ser capaz de pensar globalmente e agir localmente. Marketing global pode incluir uma combinação

Leia mais

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões.

Figura 01 - Evolução das exportações de suínos de Santa Catarina no período de 2010 a 2014 - US$ Milhões. Crise na Ucrânia: dificuldades e potencialidades para o setor de carne suína e milho em Santa Catarina Glaucia Padrão, Dr.ª Analista de Economia, Epagri/Cepa Reney Dorow, Msc. Analista de Mercado, Epagri/Cepa

Leia mais

4Pro. Telemóvel Telefone Internet Televisão

4Pro. Telemóvel Telefone Internet Televisão 4Pro A oferta mais competitiva, desenhada para empresas e profissionais que lhe garante os melhores resultados 2 cartões de telemóvel com comunicações ilimitadas para todas as redes nacionais, para uma

Leia mais

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes.

PÚBLICO ALVO: Promotores de viagens; agentes de viagens; consultores de viagens; operadores de emissivo e receptivo; atendentes. 3. Geografia Turística 3.1 Geografia Turística: Brasil de Ponta a Ponta Proporcionar ao participante melhor compreensão geográfica do país; Apresentar as principais especificidades existentes nos continentes

Leia mais

^=`ljfppíl=jrkaf^i=a^=j^`lke^= = `lk`irpîbp=b=ob`ljbka^ Îbp=

^=`ljfppíl=jrkaf^i=a^=j^`lke^= = `lk`irpîbp=b=ob`ljbka^ Îbp= PORTUGUESE ^`ljfppíljrkaf^ia^j^`lke^ `lk`irpîbpbob`ljbka^ Îbp COMISSÁRIOS: ROBIN ROOM BENEDIKT FISCHER WAYNE HALL SIMON LENTON PETER REUTER AMANDA FEILDING `lmvofdeq«qeb_b`hibvclrka^qflkommu qeb_b`hibvclrka^qflk

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil Ministério das Relações Exteriores - MRE Departamento de Promoção Comercial e Investimentos - DPR Divisão de Inteligência Comercial - DIC UNIÃO EUROPEIA Comércio Exterior Intercâmbio comercial com o Brasil

Leia mais

RPM International Inc. Instruções da linha direta

RPM International Inc. Instruções da linha direta RPM International Inc. Instruções da linha direta Embora, em geral, os problemas de conformidade possam ser solucionados a nível local, a linha direta da RPM International Inc. ( RPM ) oferece outro modo

Leia mais

2º Encontro de Contabilidade e Auditoria para Companhias Abertas e Sociedades de Grande Porte

2º Encontro de Contabilidade e Auditoria para Companhias Abertas e Sociedades de Grande Porte www.pwc.com º Encontro de Contabilidade e Auditoria para Companhias Abertas e Sociedades de Grande Porte Evoluções do SPED do ponto de vista de Custo de Conformidade Fiscal Agenda Pontos chave da Pesquisa

Leia mais

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens.

Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios. www.siemens. Informações para Parceiros de Negócios Cumprimento das leis, regulamentos e convenções. Transparência nos negócios www.siemens.com/compliance "A cultura de uma empresa e seus valores fazem a diferença.

Leia mais

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas

O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas O papel da AICEP na Internacionalização das Empresas Portuguesas Porto, 28 de Janeiro de 2014 Índice 1. Enquadramento 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP Enquadramento Enquadramento

Leia mais

Klako Group. Incorporação, Contabilidade e Assessoria Tributária. Otimização e Controle de Qualidade. Beijing Hong Kong Shanghai Shenzhen

Klako Group. Incorporação, Contabilidade e Assessoria Tributária. Otimização e Controle de Qualidade. Beijing Hong Kong Shanghai Shenzhen Klako Group Incorporação, Contabilidade e Assessoria Tributária Otimização e Controle de Qualidade Beijing Hong Kong Shanghai Shenzhen Visite nossa site http://www.klakogroup.com Nossa Empresa Klako Group

Leia mais