CONTRABANDO DE CIGARROS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTRABANDO DE CIGARROS"

Transcrição

1 CONTRABANDO DE CIGARROS Todos os anos, bilhões de cigarros desaparecem em meio lucrativo mercado negro de produtos relacionados ao tabaco.1 Tal contrabando prejudica gravemente a saúde pública arruinando políticas fiscais, reduzindo o preço médio dos cigarros e disponibilizando cigarros isentos de impostos para jovens e fumantes atentos aos preços que podem vir a deixar o vício. O contrabando de cigarros também ajuda a financiar criminosos e terroristas, além de reduzir a renda do governo que é uma fonte de financiamento cada vez mais importante para o controle do tabaco e para outros programas relacionados à saúde pública. Como Funciona o Contrabando O contrabando organizado de cigarros normalmente envolve o desvio de grandes levas de cigarros para o mercado negro enquanto o produto ainda está em circulação. Ao desviar cigarros enquanto eles ainda fazem parte da cadeia de distribuição no atacado (quando ainda não possuem impostos), muitos contrabandistas geralmente evitam todos os impostos. De forma equivocada, muitos acham que o contrabando resulta da exploração de disparidades fiscais entre os países, mas isso é apenas de uma pequena parte do problema, ainda menos rentável aos contrabandistas. Na verdade, mesmo que todos os países mantivessem os mesmos preços e a mesma estrutura fiscal, o contrabando continuaria na mesma proporção. Vencedores e Perdedores no Contrabando: O Problema de Incentivos Inapropriados O maior problema é que os prejuízos decorrentes do contrabando recaem sobre os ministérios da fazenda dos países e não sobre os fabricantes ou atacadistas que controlam o sistema de distribuição. Por outro lado, os atacadistas e fabricantes de cigarro ganham com o contrabando de diversas maneiras: lucram quando o produto é vendido pela primeira vez; o contrabando gera o fornecimento de cigarros baratos e diminui a média dos preços, estimulando a demanda; e o contrabando possibilita que defensores de empresas de tabaco reivindiquem menores taxas de impostos sobre o produto no mercado, novamente a fim de estimular a demanda. Os lucros com o contrabando de cigarros são enormes. Estima-se que tal atividade é tão lucrativa quanto ao comércio de drogas ilegais, mas as penalidades resultantes do contrabando de cigarros são muito mais leves. Esses incentivos inapropriados significam que uma remessa de cigarros que vale até $2 milhões, a preços legais de varejo, pode ser, de certa forma, perdida no mercado negro. A maioria desses lucros perdidos deveria ser essencialmente paga aos ministérios da fazenda de países onde o produto, por fim, será vendido; porém os atacadistas e as empresas de tabaco ainda recebem sua parte se o produto entra no mercado negro. Seria muito pouco provável a ocorrência do contrabando se os atacadistas e as empresas de tabaco tivessem

2 um incentivo para proteger o valor total de $2 milhões, a preço de varejo, da consignação. Em vez disso, recebem o incentivo contrário facilitar o contrabando. Porque o Contrabando Ocorre A indústria do tabaco alega que os altos impostos são a principal causa do contrabando de cigarros e que reduzir os impostos seria a solução. No entanto, o contrabando ocorre em todas as partes do mundo, mesmo em regiões onde os impostos são baixos.2 O fato é que o preço é apenas um dos vários fatores que influenciam o contrabando. Outros fatores são: A Cumplicidade da Indústria do Tabaco: Casos judiciais recentes e pesquisas internas da indústria evidenciam que as empresas de cigarro têm estado bastante envolvidas com operações de contrabando. Altos executivos da indústria do tabaco foram condenados por transgressões relacionadas ao contrabando em Hong Kong e no Canadá e uma subsidiária integral da Indústria de Tabaco R.J. Reynolds assumiu a culpa por acusações relacionadas ao seu envolvimento com o contrabando de cigarros dos Estados Unidos para o Canadá. Em 2003, o governo federal canadense moveu um processo de $1,5 bilhões contra a R.J. Reynolds e a Japan Tobacco alegando haver uma conspiração para inundar o mercado canadense com cigarros contrabandeados.3 Enquanto isso, os governos dos estados da Colômbia moveram um processo contra a Philip Morris alegando que a empresa de cigarros teria conseguido tirar do governo, por meio de fraude, bilhões de dólares em lucros, através de um esquema de lavagem de dinheiro e contrabando. 4 Em janeiro de 2005, a British American Tobacco sofreu novas acusações de que teria participado de um esquema multimilionário de operações de contrabando no Canadá.5 Pontos Fracos do Sistema de Transporte: A falta de sistemas mais seguros para transportar os cigarros em transações internacionais incentiva o mercado negro, pois oferece aos contrabandistas acesso a uma grande quantidade de cigarros isentos de todos os impostos e encargos. Disparidade de Preços Internacionais: A disparidade de preços é um fator importante relacionado à venda informal de produtos ilegais. É um fator pouco relevante no contrabando de cigarros em circulação em larga escala. Ao contrário do que se pensa, por exemplo, o contrabando não é comum em países do norte da Europa com altos impostos sobre cigarros.6 Vendas sem Taxas Alfandegárias: A existência de um grande volume de produtos sem taxas alfandegárias no comércio internacional gera possibilidade de o contrabando. Falta de Recursos: A maioria dos países não emprega os recursos necessários para fazer valer a aplicação dos impostos sobre cigarros até que surja algum problema com o contrabando. É muito mais difícil acabar com redes de contrabando depois que elas são estabelecidas do que adotar medidas para impedir que as redes se consolidem logo no início.

3 Cumprimento Não Rigoroso e Penalidades Insuficientes: Os contrabandistas tendem a prosperar em países que toleram o contrabando, onde o cumprimento não é rigoroso e a corrupção é generalizada. Além disso, muitos países não conseguem tratar o contrabando de cigarros como um crime grave, impondo penalidades que são apenas uma pequena fração das impostas pelo contrabando de outros produtos como medicamentos ou armas de fogo: Isso torna o tabaco mais atraente aos contrabandistas, que comparam a imensa possibilidade de obterem lucros com a pequena chance de serem pegos, condenados, presos e/ou multados. Em março de 2000, o governo do Reino Unido anunciou uma série de medidas elaboradas para restringir o contrabando de cigarros, como a exigência de uma indicação de impostos pagos e o emprego de inspetores alfandegários adicionais. Entretanto, não existem punições por inadimplência. Por sua vez, um acordo em 2004 entre a Phillip Morris, a Comunidade Européia e os 10 Estados Membros da União Européia especificou conseqüências graves na hipótese de inadimplência. O acordo, que durará 12 anos, é resultado de um processo judicial instaurado contra a Phillip Morris, acusada de contrabandear cigarros na União Européia. O ponto principal deste acordo é que a Philip Morris International (PMI) será duramente penalizada se ela não controlar o contrabando de seus cigarros. A PMI concordou em efetuar pagamentos no caso da apreensão de seus produtos autênticos acima de determinadas quantias (no caso de qualquer apreensão de cigarros autênticos da PMI nos países da União Européia, a empresa concordou em pagar todos os impostos devidos se mais do que 90 milhões de cigarros autênticos forem apreendidos nos 10 países da União Européia, a PMI concorda em pagar 5 vezes mais o valor dos impostos devidos). Além disso, o Acordo contém cláusulas sobre rastreamento e investigação, aprovação da manutenção de registros e encerramento de serviços, lavagem de dinheiro e protocolos de cumprimento a fim de controlar futuros contrabandos.7 Falta de Cooperação Internacional Eficiente: Enquanto tratados internacionais e outros mecanismos foram desenvolvidos para reduzir o tráfico de medicamentos, drogas ilícitas, armas de fogo e outros produtos; nenhum sistema parecido foi implementado para reduzir o contrabando de cigarros. Embora a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco da Organização Mundial da Saúde (CQCT) apresente algumas medidas úteis para combater o contrabando, elas ainda precisam ser aprimoradas em um protocolo (ver abaixo). Como o Contrabando de Cigarros Prejudica a Saúde Pública Restringindo Impostos sobre o Cigarro no Mundo Todo: Aumentar os impostos sobre os cigarros é uma das medidas mais eficazes para impedir que crianças fumem e para estimular adultos a pararem de fumar.8 O contrabando e o medo de que ele ocorra tornou-se o maior obstáculo no aumento dos impostos sobre o cigarro no mundo todo. A indústria do tabaco explorou, com sucesso, esse medo, convencendo estrategistas de todo o mundo que praticamente qualquer aumento de impostos causará contrabandos incontroláveis, resultando em perdas nos lucros do governo e incontrolável desrespeito às leis. Porém, dentre centenas de aumentos de impostos implementados com sucesso mundialmente, houve muitos poucos casos de contrabando tão alarmantes a ponto de fazer com que o governo diminuísse os impostos.9 Abrindo Mercados para Propagandas Marcas Ocidentais: Alguns países, como a China, legalmente restringem a disponibilidade de marcas ocidentais. Embora o objetivo

4 original dessas leis possa ter sido proteger as empresas nacionais de tabaco, há fortes evidências de que as leis também beneficiaram a saúde pública ao reduzir o marketing Ocidental de produtos relacionados ao tabaco a mulheres e jovens. Tais leis também tendem a reduzir a qualidade, a competitividade e o apelo de produtos relacionados ao tabaco, o que também reduz o predomínio do consumo. Como informa World Tobacco, uma publicação do setor, o contrabando tem ajudado a promover algumas das marcas mais famosas do mundo em mercados que permaneceram fechados para importações e onde a demanda por cigarros ocidentais continua crescendo. 10 Reduzindo o Financiamento para o Controle do Tabaco: O contrabando custa aos governos bilhões de dólares ao ano em rendimentos alfandegários e impostos perdidos.11 Em um número cada vez maior de países, esses fundos tornaram-se a fonte principal de financiamento para programas de controle do tabaco. Portanto, considerando-se que os aumentos de impostos sobre cigarros são recusados devido a preocupações com o contrabando, até a sombra do tabaco controla uma das fontes mais promissoras do financiamento, que é muito necessário. Fornecendo cigarros com desconto: O contrabando oferece cigarros com desconto para jovens e fumantes atentos aos preços que podem vir a deixar o vício. Implementando a CQCT O artigo15 da CQCT obriga os países a favor a adotar as seguintes medidas: adotarem e implementarem as medidas necessárias para assegurar que todos os pacotes de cigarro e suas embalagens contenham indicações para ajudar as Partes a determinar a origem dos produtos relacionados ao tabaco; exigir que os produtos relacionados ao tabaco vendidos no mercado nacional contenham a seguinte mensagem: Vendas apenas permitidas em (nome do país) ou apresentem outras indicações eficientes para ajudar as autoridades a determinar se o produto está legalmente à venda no mercado nacional; considerar o desenvolvimento de um regime prático de rastreamento e investigação; monitorar e coletar dados sobre o comércio internacional de produtos relacionados ao tabaco (inclusive o comércio ilegal) e troca de informações entre autoridades alfandegárias, fiscais e outras ; decretar ou fortalecer as leis, aplicando penalidades adequadas e soluções referentes ao comércio ilegal de produtos relacionados ao tabaco; assegurar que todos os equipamentos de fabricação confiscados, cigarros falsificados e contrabandeados, além de outros produtos relacionados ao tabaco, sejam destruídos empregando-se métodos que não agridam o meio ambiente;

5 monitorar e controlar o armazenamento e a distribuição de produtos relacionados ao tabaco retidos ou comercializados sob suspensão de impostos ou tarifas em sua jurisdição; ajudar outros países com esforços referentes ao anti-contrabando, a aplicação de leis e a processos judiciais; e adotar medidas que possibilitem a confiscação de lucros resultantes do comércio ilícito de produtos relacionados ao tabaco. É Necessário um Protocolo de Contrabando Embora o Artigo 15 da CQCT ofereça diretrizes para que os países diminuam o contrabando, ainda faltam detalhes. Suas obrigações gerais, um tanto vagas, precisam ser melhor desenvolvidas, em um Protocolo. É necessário um protocolo que controle o comércio ilegal de produtos relacionados ao tabaco e que possa seguir o exemplo de convenções semelhantes como o Protocolo contra a Fabricação Ilegal e o Tráfico de Armas de Fogo, Suas Partes e Componentes e Munição, complementando a Convenção das Nações Unidas contra o Crime Organizado Transnacional12. O protocolo de contrabando deve abranger, com detalhes, os seguintes aspectos: Sistema de Rastreamento/Investigação: Um sistema de rastreamento permitiria, às autoridades, monitorar a circulação de produtos relacionados ao tabaco no mundo todo, com o objetivo de evitar seu desvio para mercados ilegais. Um sistema de investigação ajudaria a inspecionar o comércio ilegal, identificando o país de exportação, o país final de destino e o primeiro cliente. É fundamental que as autoridades possam acompanhar o produto, a fim de identificarem onde ele foi desviado e para questionarem os responsáveis pelo desvio. Identificações Ocultas e Visíveis: Para que as autoridades possam rastrear os produtos relacionados ao tabaco e detectar o comércio ilegal, são obrigatórias identificações e códigos nos pacotes, caixas e embalagens. Qualquer possível sistema precisa permitir certa flexibilidade para lidar com o avanço tecnológico, porém precisa ser unificado para evitar a multiplicidade de sistemas de investigação e rastreamento não compatíveis. Manutenção de Registros: Ligados a um sistema de rastreamento/investigação e ao uso de marcações e códigos que podem ser escaneados por máquinas, as autoridades devem manter registros computadorizados de todas as remessas, incluindo o país de exportação, o país de importação, os países onde o produto circulou, a data da emissão e de vencimento das licenças, o destino final e as quantidades de produtos relacionados ao tabaco comercializados. Autorização: Um sistema de autorização de exportações e/ou importações pode ser essencial para permitir que as autoridades alfandegárias controlem os negociantes e as transações legais. Sistema de títulos e pagamentos: Os fabricantes são diretamente incumbidos de provar que os produtos relacionados ao tabaco cheguem ao mercado final determinado, sendo eles

6 financeiramente responsáveis por todos os impostos e tarifas até que os produtos cheguem a seu destino final e que todos os impostos devidos sejam pagos de forma adequada. Durante as negociações da CQCT, houve discussões sobre um sistema de títulos para exportadores que exigisse que eles estabelecessem e mantivessem títulos para cobrir suas responsabilidades financeiras. Considerar a falsificação e o contrabando de produtos relacionados ao tabaco como algo criminoso, bem como a remoção e alteração de marcações, ajudaria a deter atividades ilegais. 1 Framework Convention Alliance, The FCTC and Tobacco Smuggling. NGO Brief for the International Conference on Illicit Trade in Tobacco. New York, July 30 August 1, 2002; 2 Joossens L, Raw M. Turning off the tap: the real solution to cigarette smuggling, The International Journal of Tuberculosis and Lung Disease March 2003 Vol. 7(3): Western Europe has the highest cigarette prices in the world in 1996 they were four to five times higher than in Africa, the Middle East and Eastern Europe yet, despite these high prices, smuggling is generally lower here than in other regions of the world. (Joossens L, Raw M. How can cigarette smuggling be reduced? BMJ 2000; ) 3 Department of Justice, Canada, Government of Canada Announces Legal Action Against Tobacco Companies, press release, August, 13, 2003, 4 For details, see and Meg Richards, Ecuador Files Tobacco Suit, Associated Press, 6 June Jamie Doward. Smuggling claims hit tobacco giant. The Observer. January 9, Luk Joossens, Smuggling and Cross-border Shopping of Tobacco Products in the European Union: a Report for the Health Education Authority, London, December, th ASH media briefing: 9 July 2004, Key features of the agreement on smuggling between the EC and Philip Morris, For full details of agreement see OLAF website at 8 Jha P, Chaloupka FJ, Curbing the Epidemic: Governments and the Economics of Tobacco Control (Washington: World Bank, 1999), www1.worldbank.org/tobacco/reports.htm 9 Only in Canada (1994) and Sweden (1998) have governments raised tobacco taxes and then lowered them due to smuggling concerns. In Canada it has now been shown conclusively that the tobacco industry itself was actively involved in facilitating much of the smuggling. The tobacco industry leveraged its success in Canada to help defeat major price increases proposed in the United States in 1994 and 1998, and has used the Canadian example globally as a lesson, as well as a threat, to governments that consider significant tobacco tax increases. 10 World Tobacco. World Tobacco file 1996 (London). 11 Raymond Bonner and Christopher Drew, Cigarette Makers Are Seen as Aiding Rise in Smuggling, New York Times, 25 August 1997;

7 12 For the text of the Protocol see Framework Convention Alliance on Tobacco Control Rue Henri-Christine 5, Case Postale 567, CH-1211 Geneve, Switzerland Tel ; fax Adapted and updated with permission from the 2000 World Conference on Tobacco OR Health fact sheets. June I Street NW Suite 1200 Washington, DC USA Phone Fax

Comércio ilícito de produtos de tabaco

Comércio ilícito de produtos de tabaco Comércio ilícito de produtos de tabaco Vinayak M. Prasad, MD Diretor, Ministério da Saúde e Assistência Social da Família, Índia 2007 Johns Hopkins Bloomberg School of Public Health Seção A Comércio ilícito

Leia mais

39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco

39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco 39ª Reunião Ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Tabaco Grupo Temático do Mercado Ilegal Breve Análise do Protocolo para Eliminação do Mercado Ilegal de Cigarros (COP5) Rafael S. Bosi Ribeiro

Leia mais

Comércio ilegal do tabaco

Comércio ilegal do tabaco Comércio ilegal do tabaco Ayda A. Yurekli, PhD Pesquisa para o Controle do Tabaco Internacional (Research for International Tobacco Control) Centro Internacional de Desenvolvimento de Pesquisas (International

Leia mais

PROTOCOLO PARA ELIMINAR O COMÉRCIO ILÍCITO DE PRODUTOS DE TABACO (Traduzido pelo MRE) Preâmbulo

PROTOCOLO PARA ELIMINAR O COMÉRCIO ILÍCITO DE PRODUTOS DE TABACO (Traduzido pelo MRE) Preâmbulo PROTOCOLO PARA ELIMINAR O COMÉRCIO ILÍCITO DE PRODUTOS DE TABACO (Traduzido pelo MRE) Preâmbulo As Partes no presente Protocolo, Considerando que em 21 de maio de 2003, a 56ª Assembleia Mundial da Saúde

Leia mais

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES

CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES CRIMES CONTRA O SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - ATUALIZAÇÕES - Evasão de divisas e lavagem de capitais as alterações da Lei 12.683/12 - Investigação de crimes financeiros - Cooperação jurídica internacional

Leia mais

Destaque para a Convenção- Quadro para a Luta Antitabaco (CQLA)

Destaque para a Convenção- Quadro para a Luta Antitabaco (CQLA) Destaque para a Convenção- Quadro para a Luta Antitabaco (CQLA) PRIMEIRA EDIÇÃO/JANEIRO DE 2008 Um conjunto de notas informativas sobre a CQLA e as obrigações associadas da UE. A primeira edição fornece

Leia mais

OS ARGUMENTOS DOS OPOSITORES DO CONTROLE DO TABAGISMO: SUGESTÕES DE RESPOSTAS ÀS QUESTÕES MAIS FREQÜENTES

OS ARGUMENTOS DOS OPOSITORES DO CONTROLE DO TABAGISMO: SUGESTÕES DE RESPOSTAS ÀS QUESTÕES MAIS FREQÜENTES Organização Pan-Americana da Saúde, OS ARGUMENTOS DOS OPOSITORES DO CONTROLE DO TABAGISMO: SUGESTÕES DE RESPOSTAS ÀS QUESTÕES MAIS FREQÜENTES Programação Visual da Capa: Divisão de Comunicação Social/

Leia mais

Comércio Ilegal de Tabaco

Comércio Ilegal de Tabaco Comércio Ilegal de Tabaco Lucro Ilegal e Risco Público Campanha para Crianças Livres de Cigarro Outubro de 2008 Entendendo o Comércio Ilegal Perdedores Mundiais Envolvimento de Empresa de Tabaco com Comércio

Leia mais

Comércio Ilegal de Tabaco Lucro Ilegal e Risco Público

Comércio Ilegal de Tabaco Lucro Ilegal e Risco Público Comércio Ilegal de Tabaco Lucro Ilegal e Risco Público Campanha para Crianças Livres de Cigarro Outubro de 2008 Entendendo O Comércio Ilegal Perdedores Mundiais Envolvimento De Empresa De Tabaco Com Comércio

Leia mais

Mercado ilegal de cigarros no Brasil: aproximações através da estimativa do saldo de tabaco

Mercado ilegal de cigarros no Brasil: aproximações através da estimativa do saldo de tabaco Mercado ilegal de cigarros no Brasil: aproximações através da estimativa do saldo de tabaco Julho de 2012 1 Ficha técnica Equipe: Roberto Iglesias Márcia Pinto Aline Biz Este estudo é parte do Projeto

Leia mais

Como evitar 100 milhões de mortes pelo tabagismo

Como evitar 100 milhões de mortes pelo tabagismo Como evitar 100 milhões de mortes pelo tabagismo Thomas R. Frieden, MD, MPH Departamento de Saúde e Higiene Mental da Cidade de Nova York (New York City Department of Health and Mental Hygiene) 2007 Johns

Leia mais

Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil

Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil É necessário aumentar os impostos sobre os cigarros e, por consequência, seus preços porque é uma medida efetiva para reduzir o consumo

Leia mais

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios

Pequenas e Médias Empresas no Canadá. Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios Pequenas e Médias Empresas no Canadá Pequenos Negócios Conceito e Principais instituições de Apoio aos Pequenos Negócios De acordo com a nomenclatura usada pelo Ministério da Indústria do Canadá, o porte

Leia mais

CONFERENCE TOBACCO: A CASH CROP WITHOUT ALTERNATIVE? Contract system and integrated production system in tobacco cultivation in Brazil

CONFERENCE TOBACCO: A CASH CROP WITHOUT ALTERNATIVE? Contract system and integrated production system in tobacco cultivation in Brazil CONFERENCE TOBACCO: A CASH CROP WITHOUT ALTERNATIVE? Contract system and integrated production system in tobacco cultivation in Brazil Adriana Gregolin Berlin, November 28th 2012 Área: 8.514.876,599 km²

Leia mais

Norma Permanente Assunto: Política de Combate à Corrupção Código da Norma: NAD-41 Data da publicação: 01/09/2015

Norma Permanente Assunto: Política de Combate à Corrupção Código da Norma: NAD-41 Data da publicação: 01/09/2015 Página 1 de 7 Resumo: Estabelecer os princípios de combate à corrupção no relacionamento da Organização com os agentes da Administração Pública, seguindo as diretrizes estabelecidas na Lei nº 12.846/13

Leia mais

P: Quem é o falsificador neste caso? R: Não podemos divulgar esta informação no momento, pois a investigação ainda está em curso.

P: Quem é o falsificador neste caso? R: Não podemos divulgar esta informação no momento, pois a investigação ainda está em curso. 1 Grupo de revendas de suprimentos Xerox P&R sobre cartuchos de toner falsificados 12 de abril de 2004 I. Detalhes do caso II. Dúvidas do cliente III. Tendências do setor IV. Combate à falsificação Detalhes

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 105, DE 10 DE JANEIRO DE 2001.

LEI COMPLEMENTAR Nº 105, DE 10 DE JANEIRO DE 2001. LEI COMPLEMENTAR Nº 105, DE 10 DE JANEIRO DE 2001. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, Dispõe sobre o sigilo das operações de instituições financeiras e dá outras providências. Faço saber que o Congresso Nacional

Leia mais

"DIÁLOGOS COM O PODER JUDICIÁRIO SOBRE COMÉRCIO EXTERIOR" PIRATARIA, FALSIFICAÇÃO OUTRAS PRÁTICAS ILÍCITAS DECORRENTES

DIÁLOGOS COM O PODER JUDICIÁRIO SOBRE COMÉRCIO EXTERIOR PIRATARIA, FALSIFICAÇÃO OUTRAS PRÁTICAS ILÍCITAS DECORRENTES "DIÁLOGOS COM O PODER JUDICIÁRIO SOBRE COMÉRCIO EXTERIOR" PIRATARIA, FALSIFICAÇÃO OUTRAS PRÁTICAS ILÍCITAS DECORRENTES Edson Luiz Vismona Presidente presidente@fncp.org.br vismona@institutobrasillegal.org.br

Leia mais

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 50º CONSELHO DIRETOR 62 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 27 de setembro a 1º de outubro de 2010 Tema 4.17 da agenda CD50/26

Leia mais

LEGISLAÇÃO MODELO RELACIONADA COM 12 janeiro 2006 PROJETO DE PROPOSTA DE LEGISLAÇÃO MODELO SOBRE MARCAÇÃO E RASTREAMENTO DE ARMAS DE FOGO E MUNIÇÕES

LEGISLAÇÃO MODELO RELACIONADA COM 12 janeiro 2006 PROJETO DE PROPOSTA DE LEGISLAÇÃO MODELO SOBRE MARCAÇÃO E RASTREAMENTO DE ARMAS DE FOGO E MUNIÇÕES PRIMEIRA REUNIÃO DO GRUPO DE PERITOS OEA/Ser.L/XXII.6.1 CIFTA-CICAD PARA A ELABORAÇÃO DE GE/CIFTA-CICAD/doc.3/06 LEGISLAÇÃO MODELO RELACIONADA COM 12 janeiro 2006 AS ÁREAS A QUE SE REFERE A CIFTA Original:

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 853, DE 2003 (Do Sr. JOSÉ DIVINO) Dispõe sobre o teor máximo permitido de Alcatrão, Nicotina e Monóxido de Carbono (CO) por cigarro produzido e consumido em todo território Nacional.

Leia mais

Os impactos econômicos dos ambientes livres de fumo

Os impactos econômicos dos ambientes livres de fumo Os impactos econômicos dos ambientes livres de fumo Por Roberto Iglesias, economista, consultor da ACT A indústria de cigarros alega que a proibição de fumar em ambientes fechados gerará quedas das vendas

Leia mais

Atos do Poder Executivo

Atos do Poder Executivo LEI DECRETO LEI ISSN 1677-7042 Ano CXLIII N o - 2 Brasília - DF, terça-feira, 3 de janeiro de 2006. Sumário PÁGINA Atos do Poder Legislativo... 1 Atos do Poder

Leia mais

Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO

Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO Sua hora chegou Dê um grande salto REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo (plano de negócios) James McGuire 2014 Prêmio de Empreendedorismo (plano de negócios) James McGuire 2014 Regulamento - Estudantes

Leia mais

ESTATUTO DO DESARMAMENTO: INSTRUMENTO PARA QUALIFICAR A ATIVIDADE POLICIAL

ESTATUTO DO DESARMAMENTO: INSTRUMENTO PARA QUALIFICAR A ATIVIDADE POLICIAL ESTATUTO DO DESARMAMENTO: INSTRUMENTO PARA QUALIFICAR A ATIVIDADE POLICIAL Por: Luiz Antônio Brenner Guimarães (Coronel da Reserva da Brigada Militar/RS; integrante do Núcleo: Violência, Segurança e Direitos

Leia mais

Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil

Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil Porque aumentar a carga tributária e o preço dos cigarros no Brasil Roberto Iglesias Aline Biz Anna Monteiro Agosto de 2011 É necessário aumentar os impostos sobre os cigarros e, por conseqüência, seus

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURANÇA PÚBLICA E COMBATE AO CRIME ORGANIZADO PROJETO DE LEI N o 997, DE 2011. (Apensos PLs n os 1.697 e 2.516, de 2011) Altera a Lei nº 10.826 de 22 de dezembro de 2003,

Leia mais

COM A CORRUPÇÃO TODOS PAGAM CONTROLAR A CORRUPÇÃO FUNCIONA. ... assegurar a educação dos seus filhos. Os cidadãos vencem a corrupção

COM A CORRUPÇÃO TODOS PAGAM CONTROLAR A CORRUPÇÃO FUNCIONA. ... assegurar a educação dos seus filhos. Os cidadãos vencem a corrupção COM A CORRUPÇÃO TODOS PAGAM Você já parou para pensar sobre o dano que a corrupção faz ao país e à população? As sociedades onde há mais corrupção sofrem diversas formas de miséria. Cada país gera seu

Leia mais

ESTATUTO DO DESARMAMENTO: INSTRUMENTO PARA QUALIFICAR A ATIVIDADE POLICIAL O CENÁRIO ATUAL

ESTATUTO DO DESARMAMENTO: INSTRUMENTO PARA QUALIFICAR A ATIVIDADE POLICIAL O CENÁRIO ATUAL ESTATUTO DO DESARMAMENTO: INSTRUMENTO PARA QUALIFICAR A ATIVIDADE POLICIAL O CENÁRIO ATUAL Luiz Antônio Brenner Guimarães 1 No final da década de 80 o país começou a perceber um processo de mudança em

Leia mais

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em

Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Convenção sobre o Combate da Corrupção de Funcionários Públicos Estrangeiros em Transações Comerciais Internacionais Preâmbulo As Partes, Considerando que a corrupção é um fenômeno difundido nas Transações

Leia mais

CRIANDO UM AMBIENTE MAIS FAVORÁVEL A NEGÓCIOS NO BRASIL. Instituições do Trabalho

CRIANDO UM AMBIENTE MAIS FAVORÁVEL A NEGÓCIOS NO BRASIL. Instituições do Trabalho CRIANDO UM AMBIENTE MAIS FAVORÁVEL A NEGÓCIOS NO BRASIL Instituições do Trabalho Projeto realizado em parceria com a Confederação Britânica da Indústria CBI e o Governo Britânico, financiado pelo Fundo

Leia mais

CORRUPÇÃO E MEIO AMBIENTE

CORRUPÇÃO E MEIO AMBIENTE CORRUPÇÃO E MEIO AMBIENTE A corrupção gera um sério impacto sobre o meio ambiente. Uma série de setores são particularmente vulneráveis à corrupção, incluindo a silvicultura, a proteção de espécies ameaçadas

Leia mais

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING

CONSULTOR CARLOS MARTINS AÇAO EM MARKETING CONSULTOR CARLOS MARTINS CRIA - AÇAO EM MARKETING SUA EMPRESA Copyright Consultor Carlos Martins - Todos os direitos reservados wwwcarlosmartinscombr - consultor@carlosmartinscombr Como conquistar Clientes

Leia mais

Soluções Contra a Falsificação de Produtos, Marcas e Documentos

Soluções Contra a Falsificação de Produtos, Marcas e Documentos Sistemas para Autenticidade e Rastreabilidade Soluções Contra a Falsificação de Produtos, Marcas e Documentos Sistemas para Autenticidade e Rastreabilidade! Divisão 3M focada em soluções de segurança.!

Leia mais

Klako Group. Incorporação, Contabilidade e Assessoria Tributária. Otimização e Controle de Qualidade. Beijing Hong Kong Shanghai Shenzhen

Klako Group. Incorporação, Contabilidade e Assessoria Tributária. Otimização e Controle de Qualidade. Beijing Hong Kong Shanghai Shenzhen Klako Group Incorporação, Contabilidade e Assessoria Tributária Otimização e Controle de Qualidade Beijing Hong Kong Shanghai Shenzhen Visite nossa site http://www.klakogroup.com Nossa Empresa Klako Group

Leia mais

Data da última atualização. Prevenção à Lavagem de Dinheiro 04/02/2015

Data da última atualização. Prevenção à Lavagem de Dinheiro 04/02/2015 Política Prevenção à Lavagem de Dinheiro 04/02/2015 Data da última atualização 1. Objetivo: O Conselho de Administração e a Diretoria Executiva do Banco Indusval S/A e Guide Investimentos S/A Corretora

Leia mais

Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade

Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade Perguntas e respostas sobre Rastreabilidade Qual o benefício que a etiqueta trará para o cidadão? A etiqueta de segurança lançada pela Anvisa trará duas grandes novidades: garantir que o medicamento é

Leia mais

Memorando ao Presidente brasileiro por ocasião da visita de Irene Khan, Secretária-Geral da Anistia Internacional, ao Brasil

Memorando ao Presidente brasileiro por ocasião da visita de Irene Khan, Secretária-Geral da Anistia Internacional, ao Brasil Memorando ao Presidente brasileiro por ocasião da visita de Irene Khan, Secretária-Geral da Anistia Internacional, ao Brasil A missão da Anistia Internacional, liderada pela Secretária-Geral, oferece uma

Leia mais

Branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo: Definições e explicações. E. Os processos

Branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo: Definições e explicações. E. Os processos Capítulo I Branqueamento de capitais e financiamento do terrorismo: Definições e explicações A. O que é o branqueamento de capitais? B. O que é o financiamento do terrorismo? C. A ligação entre o branqueamento

Leia mais

Os Princípios de Prevenção aos Crimes de Lavagem de Dinheiro para Bancos Correspondentes

Os Princípios de Prevenção aos Crimes de Lavagem de Dinheiro para Bancos Correspondentes Os Princípios de Prevenção aos Crimes de Lavagem de Dinheiro para Bancos Correspondentes 1 Introdução O Grupo de Instituições Financeiras Wolfsberg 1 ¹ considera que estes princípios constituem uma orientação

Leia mais

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar

Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Certificado uma vez, aceito em qualquer lugar Introdução O International Accreditation Forum (IAF) é uma associação mundial de Organismos de Acreditação, Associações de Organismos de Certificação e outras

Leia mais

Resumo. O que é que os países africanos podem aprender com o desenvolvimento e crescimento inclusivo no Brasil?

Resumo. O que é que os países africanos podem aprender com o desenvolvimento e crescimento inclusivo no Brasil? O que é que os países africanos podem aprender com o desenvolvimento e crescimento inclusivo no Brasil? Trabalho de pesquisa: O impacto do programa de formação vocacional do SENAI no emprego, salários

Leia mais

Instrumentos Internacionais contra a Corrupção e o Crime Organizado Transnacional. Convenção contra o Crime Organizado Transnacional

Instrumentos Internacionais contra a Corrupção e o Crime Organizado Transnacional. Convenção contra o Crime Organizado Transnacional A Cooperação Internacional e o Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas Brasília, maio / 2012 Instrumentos Internacionais contra a Corrupção e o Crime Organizado Transnacional Convenção contra o Crime Organizado

Leia mais

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA

Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA June 2002 Sétimo Estudo Global Anual de Pirataria de Software da BSA No início de 2002, a International Planning and Research Corporation (IPR)

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 980, DE 2003.

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 980, DE 2003. COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI Nº 980, DE 2003. Altera a Lei nº 6.321, de 14 de abril de 1976, que dispõe sobre o Programa de Alimentação do Trabalhador, a fim

Leia mais

Associação da Indústria de Segurança (SIA)

Associação da Indústria de Segurança (SIA) Associação da Indústria de Segurança (SIA) Sede em Washington, D.C - EUA Membros são os fabricantes de equipamentos de segurança eletrônica, distribuidores e integradores de sistemas; Representa todos

Leia mais

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996

LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 LEI Nº 9.279, DE 14 DE MAIO DE 1996 Regula Direitos e Obrigações Relativos à Propriedade Industrial. TÍTULO V DOS CRIMES CONTRA A PROPRIEDADE INDUSTRIAL CAPÍTULO I DOS CRIMES CONTRA AS PATENTES Art. 183.

Leia mais

PROPOSTAS PARA APRIMORAMENTO DA PROTEÇÃO DOS CONSUMIDORES DE PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS

PROPOSTAS PARA APRIMORAMENTO DA PROTEÇÃO DOS CONSUMIDORES DE PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS PROPOSTAS PARA APRIMORAMENTO DA PROTEÇÃO DOS CONSUMIDORES DE PRODUTOS E SERVIÇOS FINANCEIROS O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor Idec, organização sem fins lucrativos e independente de empresas,

Leia mais

COMBATE À FALSIFICAÇÃO E FRAUDE DE MEDICAMENTOS E PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO BRASIL

COMBATE À FALSIFICAÇÃO E FRAUDE DE MEDICAMENTOS E PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO BRASIL COMBATE À FALSIFICAÇÃO E FRAUDE DE MEDICAMENTOS E PRODUTOS FARMACÊUTICOS NO BRASIL Antônio Carlos da Costa Bezerra ANVISA - BRASIL VII EAMI - Cancun / México M - 15 a 17 de Outubro de 2008 Lei nº. 9.782,

Leia mais

Anexo 1. I. Declaração de 2012. A/CONF.192/2012/RC/CRP.3/Rev.3

Anexo 1. I. Declaração de 2012. A/CONF.192/2012/RC/CRP.3/Rev.3 Anexo 1 Documento do resultado final Programa de Ação para Prevenir, Combater e Erradicar o Comércio ilícito de Armas de Pequeno Calibre e Armas Ligeiras em Todos os seus Aspectos I. Declaração de 2012

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ. 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE. 35300010230. Política Corporativa de Prevenção e Combate a Atos Ilícitos

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ. 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE. 35300010230. Política Corporativa de Prevenção e Combate a Atos Ilícitos ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ. 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE. 35300010230 Política Corporativa de Prevenção e Combate a Atos Ilícitos Estabelece os conceitos e as diretrizes do Itaú Unibanco

Leia mais

Código de Conduta da Dachser

Código de Conduta da Dachser Código de Conduta da Dachser 1. Introdução A fundação de todas as atividades na Dachser é a nossa adesão a regulamentos juridicamente vinculativos em nível nacional e internacional, assim como a quaisquer

Leia mais

Treinamento de Prevenção a Fraudes BTG Pactual Resseguradora e BTG Pactual Vida e Previdência

Treinamento de Prevenção a Fraudes BTG Pactual Resseguradora e BTG Pactual Vida e Previdência Janeiro 2015 Error! Reference source not found. Treinamento de Prevenção a Fraudes Introdução Esse treinamento visa à orientação dos funcionários da Resseguradora S.A. e Vida e Previdência S.A. e das pessoas

Leia mais

LEGISLAÇÃO FEDERAL SOBRE TABACO NO BRASIL

LEGISLAÇÃO FEDERAL SOBRE TABACO NO BRASIL LEGISLAÇÃO FEDERAL SOBRE TABACO NO BRASIL I) PROTEÇÃO À SAÚDE I.a) PROTEÇÃO CONTRA OS RISCOS DA EXPOSIÇÃO À POLUIÇÃO TABAGÍSTICA AMBIENTAL Portaria Interministerial n.º 3.257 (22 de setembro de 1988) Recomenda

Leia mais

StarMoney Câmbio Exchange & Centurion Aluguel de Carros Av. Osaka, 600 Loja 6 Fone: (11) 4651-5649 - Centro Industrial de Arujá Arujá/SP

StarMoney Câmbio Exchange & Centurion Aluguel de Carros Av. Osaka, 600 Loja 6 Fone: (11) 4651-5649 - Centro Industrial de Arujá Arujá/SP STARMONEY CÂMBIO/EXCHANGE - Quem Somos A StarMoney é a uma credenciada da Mega Corretora de Câmbio Ltda, instituição autorizada pelo Banco Central do Brasil. É mais segurança na hora de fechar negócios

Leia mais

Dados sobre Tabaco e Pobreza: um círculo vicioso

Dados sobre Tabaco e Pobreza: um círculo vicioso Dados sobre Tabaco e Pobreza: um círculo vicioso O cenário mundial mostra que embora o consumo de cigarros venha caindo na maioria dos países desenvolvidos, o seu consumo global aumentou em torno de 50%

Leia mais

Sistema de Rastreamento e Autenticidade 11 junho 2008

Sistema de Rastreamento e Autenticidade 11 junho 2008 Sistema de Rastreamento e Autenticidade 11 junho 2008 Quem Somos Fundado em 2003, o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial - ETCO é uma organização sem fins lucrativos que congrega entidades empresariais

Leia mais

Competitividade da indústria nacional de PCs Política industrial e incentivos fiscais no Brasil. 6 de outubro de 2009

Competitividade da indústria nacional de PCs Política industrial e incentivos fiscais no Brasil. 6 de outubro de 2009 Competitividade da indústria nacional de PCs Política industrial e incentivos fiscais no Brasil 6 de outubro de 2009 1 Agenda Estado da Indústria Nacional de Informática Estímulos à Indústria Nacional

Leia mais

Promotoria dos Estados Unidos Distrito Sul de Nova York

Promotoria dos Estados Unidos Distrito Sul de Nova York Promotoria dos Estados Unidos Distrito Sul de Nova York PARA PRONTA DIVULGAÇÃO CONTATO: PROMOTORIA DOS EUA 21 DE SETEMBRO DE 2010 YUSSIL SCRIBNER EDELI RIVERA JESSIE ERWIN GABINETE DE INFORMAÇÃO PÚBLICA

Leia mais

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE)

COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) COMITÊ INTERAMERICANO CONTRA O TERRORISMO (CICTE) DÉCIMO PERÍODO ORDINÁRIO DE SESSÕES OEA/Ser.L/X.2.10 17 a 19 de março de 2010 CICTE/DEC.1/10 Washington, D.C. 19 março 2010 Original: inglês DECLARAÇÃO

Leia mais

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO.

ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. 1 ESTRATÉGIAS MERCADOLÓGICAS UTILIZADAS PELAS OPERADORAS, TIM, CLARO E VIVO. Juliana da Silva RIBEIRO 1 RESUMO: O presente trabalho enfoca as estratégias das operadoras de telefonia móvel TIM,VIVO e CLARO

Leia mais

Please visit us at: http://www.un.org/disarmament

Please visit us at: http://www.un.org/disarmament António Emanuel Évora United Nations Office for Disarmament Affairs Escritório das Nações Unidas para os Assuntos de Desarmamento (UNODA) evora@un.org Please visit us at: http://www.un.org/disarmament

Leia mais

POLÍTICA GERAL PARA CORRESPONDENTES BANCÁRIOS (COBANS)

POLÍTICA GERAL PARA CORRESPONDENTES BANCÁRIOS (COBANS) POLÍTICA GERAL PARA CORRESPONDENTES BANCÁRIOS (COBANS) Sumário Introdução...2 Nossos produtos e suas redes de relacionamento...2 Principais responsabilidades na realização das operações para o EMPRESTA

Leia mais

A SAÚDE NÃO É NEGOCIÁVEL

A SAÚDE NÃO É NEGOCIÁVEL A SAÚDE NÃO É NEGOCIÁVEL Plano de ação para contrapor a interferência da indústria do tabaco nas políticas públicas Com o apoio de: Por que a sociedade civil deve monitorar as ações da indústria do tabaco?

Leia mais

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO

Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Sua hora chegou. Faça a sua jogada. REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 REGULAMENTO Prêmio de Empreendedorismo James McGuire 2013 é uma competição interna da Laureate International

Leia mais

Consultoria e Gerenciadora

Consultoria e Gerenciadora Consultoria e Gerenciadora Revolutia Consultoria e Gerenciadora Distribuição livre desde que mantida fonte e originalidade Sumário Por onde começar? Problemas e Soluções Dicas dos Campeões 2 3 O que impede

Leia mais

Código de Conduta COERÊNCI. Transformando Visão em Valor.

Código de Conduta COERÊNCI. Transformando Visão em Valor. Código de Conduta COERÊNCI Transformando Visão em Valor. Índice Prefácio... 3 Ética empresarial da HOCHTIEF: Princípios... 5 Conflitos de interesse... 7 Confidencialidade... 8 Regras sobre controle de

Leia mais

FCPA, UK Bribery Act e Lei 12.846/13 Avanços e desafios AMCHAM Rio Novembro de 2013

FCPA, UK Bribery Act e Lei 12.846/13 Avanços e desafios AMCHAM Rio Novembro de 2013 www.pwc.com FCPA, UK Bribery Act e Lei 12.846/13 Avanços e desafios AMCHAM Rio Novembro de 2013 Contexto normativo 2 FCPA, OCDE, UK Bribery Act e Lei 12.846/13 Com base na FCPA (1977) 1997 - OCDE elaborou

Leia mais

Termos de Serviço do Code Club World

Termos de Serviço do Code Club World Termos de Serviço do Code Club World POR FAVOR LEIA ESTE DOCUMENTO CUIDADOSAMENTE. CONTÉM INFORMAÇÕES IMPORTANTES SOBRE SEUS DIREITOS E OBRIGAÇÕES. CONTÉM TAMBÉM A ISENÇÃO DE RESPONSABILIDADE E A CLÁUSULA

Leia mais

SISCOSERV A experiência da KPMG. Abril de 2013

SISCOSERV A experiência da KPMG. Abril de 2013 A experiência da KPMG Abril de 2013 Histórico no Brasil 1) Acordo Geral sobre Comércio de Serviços GATS ( General Agreement on Trade in Services OMC/1994) 2) Acordo de Cooperação Técnica n 13/2008 SRF

Leia mais

EDITAL REFERENTE À PROVA PARA CERTIFICAÇÃO ANEPS DE AGENTES DE CRÉDITO

EDITAL REFERENTE À PROVA PARA CERTIFICAÇÃO ANEPS DE AGENTES DE CRÉDITO Através desse edital, a Associação Nacional das Empresas Prestadores de Serviço (ANEPS) e o Instituto Totum (empresa parceira da ANEPS responsável pela execução das provas) tornam públicas as condições

Leia mais

^=`ljfppíl=jrkaf^i=a^=j^`lke^= = `lk`irpîbp=b=ob`ljbka^ Îbp=

^=`ljfppíl=jrkaf^i=a^=j^`lke^= = `lk`irpîbp=b=ob`ljbka^ Îbp= PORTUGUESE ^`ljfppíljrkaf^ia^j^`lke^ `lk`irpîbpbob`ljbka^ Îbp COMISSÁRIOS: ROBIN ROOM BENEDIKT FISCHER WAYNE HALL SIMON LENTON PETER REUTER AMANDA FEILDING `lmvofdeq«qeb_b`hibvclrka^qflkommu qeb_b`hibvclrka^qflk

Leia mais

Política de Integridade

Política de Integridade Política de Integridade 1. INTRODUÇÃO Os procedimentos aqui descritos são complementares às diretrizes do Código de Conduta da empresa, e são norteados pelo compromisso assumido junto ao Pacto Empresarial

Leia mais

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI

PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI GUIA PARA MELHORAR O SEU Principais Práticas para a Proteção de PI PROGRAMA DE PROTEÇÃO DE PI 2013 Centro para Empreendimento e Comércio Responsáveis TABELA DE CONTEÚDO CAPÍTULO 1: Introdução à Proteção

Leia mais

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro

Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia e Comércio / Integração Regional Jéssica Naime 09 de setembro de 2005 Aspectos recentes do Comércio Exterior Brasileiro Análise Economia

Leia mais

Treinamento de Prevenção a Lavagem de Dinheiro

Treinamento de Prevenção a Lavagem de Dinheiro Treinamento de Prevenção a Lavagem de Dinheiro 1. Introdução Esse treinamento visa orientar os colaboradores, parceiros, fornecedores, terceiros e pessoas com as quais mantém relacionamento comercial com

Leia mais

INFORMATIVO JURÍDICO

INFORMATIVO JURÍDICO 1 ROSENTHAL E SARFATIS METTA ADVOGADOS INFORMATIVO JURÍDICO NÚMERO 5, ANO III MAIO DE 2011 1 ESTADO NÃO PODE RECUSAR CRÉDITOS DE ICMS DECORRENTES DE INCENTIVOS FISCAIS Fiscos Estaduais não podem autuar

Leia mais

Jóias de ouro puro ou platina e jóias de metais preciosas com pedras preciosas.

Jóias de ouro puro ou platina e jóias de metais preciosas com pedras preciosas. 2 5 Jóias [Outros] 1. Definição da Categoria Jóias de ouro puro ou platina e jóias de metais preciosas com pedras preciosas. Números de HS Commodity 7113.19-021, 19-029 Jóias de Ouro 7113.11-000 Jóias

Leia mais

BRASIL. (tradução não oficial para o português)

BRASIL. (tradução não oficial para o português) Distr. GERAL CCPR/C/BRA/CO/2 2 de Novembro 2005 Original: Inglês Comitê de Direitos Humanos 85ª Sessão CONSIDERAÇÃO DE RELATÓRIOS ENVIADOS POR ESTADOS PARTES SOB O ARTIGO 40 DO PACTO Observações finais

Leia mais

Bingo! Lavagem de dinheiro através de jogos de azar on-line Resumo executivo do McAfee Labs

Bingo! Lavagem de dinheiro através de jogos de azar on-line Resumo executivo do McAfee Labs Bingo! Lavagem de dinheiro através de jogos de azar on-line Resumo executivo do McAfee Labs Bingo! Lavagem de dinheiro através de jogos de azar on-line Resumo executivo do McAfee Labs 1 Introdução Bingo!

Leia mais

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise -

Confederação Nacional da Indústria. - Manual de Sobrevivência na Crise - RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - Janeiro de 1998 RECOMENDAÇÕES PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS - Manual de Sobrevivência na Crise - As empresas, principalmente

Leia mais

FSC Forest Stewardship Council

FSC Forest Stewardship Council FSC Forest Stewardship Council Título: Código de referência do documento: FSC-POL-01-004 V2-0 EN Política de Associação de Empreendimentos com o FSC Escopo: Internacional Aprovação: Parte I: julho de 2009

Leia mais

sumário executivo da Criminalidade e Seguranca Cidadã Relatório Internacional

sumário executivo da Criminalidade e Seguranca Cidadã Relatório Internacional sumário executivo PREVENcÃo da Criminalidade e Seguranca Cidadã Relatório Internacional 2012 O Relatório Internacional sobre Prevenção da Criminalidade e Segurança Cidadã 2012 do Centro Internacional para

Leia mais

INSPEÇÃO DE PRODUTOS CONTROLADOS

INSPEÇÃO DE PRODUTOS CONTROLADOS INSPEÇÃO DE PRODUTOS CONTROLADOS Coordenação de Produtos Controlados - CPCON TIPOS DE INSPEÇÃO - Inspeções de rotina *Atividade realizada pela VISA dos Estados e Municípios (atividade descentralizada).

Leia mais

Investigação Patrimonial

Investigação Patrimonial Investigação Patrimonial 1º Curso de Formação Continuada em Estratégias de Investigação Patrimonial em Execução Trabalhista ENAMAT 02.09.2015 Objetivo: Apresentar aspectos práticos sobre as técnicas de

Leia mais

Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas

Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas Gerivaldo Neiva * - Professor, mas o senhor não acha que um mundo sem drogas seria melhor para todos? - Definitivamente, não! Um mundo sem drogas

Leia mais

Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro

Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro Presidente da Terra Brasis faz críticas às mudanças na regulamentação do resseguro Por Paulo Botti, presidente da Terra Brasis, resseguradora local Nascido em 2008 após árduo trabalho e amplo diálogo entre

Leia mais

Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos

Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos AUDIÊNCIA PÚBLICA CCT - SENADO FEDERAL Assunto: Instruir o PLS 521/2007 Sen. Valdir Raupp Rastreabilidade e Autenticidade de Medicamentos Consulta Pública nº 08, de 04/03/2008 DOU de 05/03/08 Histórico

Leia mais

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado

Mercados. informação regulamentar. Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Mercados informação regulamentar Alemanha Condições Legais de Acesso ao Mercado Setembro 2012 Índice 1. Regime Geral de Importação 3 2. Regime de Investimento Estrangeiro 4 3. Quadro Legal 5 2 1. Regime

Leia mais

Política Mundial Anticorrupção

Política Mundial Anticorrupção Política Mundial Anticorrupção I. OBJETIVO A legislação da maioria dos países considera crime o pagamento, oferta de pagamento, ou mesmo o recebimento de suborno, propina, ou outro pagamento corrupto,

Leia mais

H a b i l i t a n d o finanças em uma empresa digital p a r a p l a n ejar, monitorar e preve r

H a b i l i t a n d o finanças em uma empresa digital p a r a p l a n ejar, monitorar e preve r D E S T A Q U E S T E C N O L Ó G I C O S D A I D C H a b i l i t a n d o finanças em uma empresa digital p a r a p l a n ejar, monitorar e preve r Março de 2015 Adaptado de Millennials and Mobility: SAP

Leia mais

Capítulo 03 Mercados regionais

Capítulo 03 Mercados regionais Capítulo 03 Mercados regionais As organizações decidem atuar no mercado global quando sabem que o crescimento externo será maior do que o interno. Nesse sentido, a China é um dos mercados para onde as

Leia mais

Manual de Orientações DIA MUNDIAL SEM TABACO 2015

Manual de Orientações DIA MUNDIAL SEM TABACO 2015 Manual de Orientações DIA MUNDIAL SEM TABACO 2015 Fim do comércio ilegal de produtos de tabaco Rio de Janeiro, RJ INCA 2015 Página 1 2015 Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva/ Ministério

Leia mais

Cenário Geral do Desenvolvimento Econômico da China A Política de GO OUT da China

Cenário Geral do Desenvolvimento Econômico da China A Política de GO OUT da China Cenário Geral do Desenvolvimento Econômico da China A Política de GO OUT da China A aplicação da Estratégia de GO OUT --Investimento direto chinês para o exterior em 2007 As principais medidas para apoiar

Leia mais

10/10/2013. Associação Nacional de Negócios Cooperativos

10/10/2013. Associação Nacional de Negócios Cooperativos Organização & agregação de agricultores 3. o Fórum Consultivo Organização Internacional do Café Belo Horizonte, Brasil 10 de setembro de 2013 Associação Nacional de Negócios Cooperativos CLUSA International

Leia mais

Patents, Innovation and Economic Performance: OECD Conference Proceedings

Patents, Innovation and Economic Performance: OECD Conference Proceedings Patents, Innovation and Economic Performance: OECD Conference Proceedings Summary in Portuguese Patentes, Inovação e Desempenho Econômico: Procedimentos da Assembléia da OCDE Sumário em Português As invenções

Leia mais

C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações

C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações C O N C E I T O E I M A G E M. Transparência nas Ações 1. TERMOS GERAIS Este é um serviço de usuários de web ou mesmo de criação espontânea de grupos virtuais, destinado à troca de assuntos interligados

Leia mais

II 02 Calçados de Couro

II 02 Calçados de Couro II 02 Calçados de Couro [Artigos de Vestuário e de Moda] 1. Definição da Categoria Esta categoria abrange os calçados de couro, incluindo botas, excluindo os sapatos esportivos e chinelos. Todos os calçados

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais