AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE EMBRIÕES BOVINOS PRODUZIDOS IN VITRO EM CULTURA INDIVIDUAL E COLETIVA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE EMBRIÕES BOVINOS PRODUZIDOS IN VITRO EM CULTURA INDIVIDUAL E COLETIVA"

Transcrição

1 AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO DE EMBRIÕES BOVINOS PRODUZIDOS IN VITRO EM CULTURA INDIVIDUAL E COLETIVA Introdução Mariana de Carvalho Toledo 3 Camila de Paula Santos 3 Eduardo Freitas Velozzo 4 Fausto Romualdo de Faria 5 Aracele Pinheiro Pales dos Santos 2 Klayto José Gonçalves dos Santos 1* A utilização e o desenvolvimento de biotécnicas reprodutivas são condições indispensáveis para o aumento da eficiência reprodutiva. Especialmente os ruminantes domésticos, biotécnicas como a IA e TE vêm sendo utilizadas com sucesso. Outras biotécnicas estão sendo aperfeiçoadas, com resultados inferiores na produção, como a produção in vitro de embriões (PIV), clonagem e transgenia. Ambas as biotecnologias contribuem para acelerar o melhoramento genético, desde que usem animais superiores nas características desejáveis, utilizando animais provados. Portanto as biotecnologias passam a ser uma ferramenta muito importante para o melhoramento genético animal (SANTOS, 2010). A produção in vitro de embriões é uma biotécnica de reprodução assistida e uma ferramenta para pesquisa de eventos relacionados a coleta de oócitos, maturação in vitro (MIV), fertilização in vitro (FIV), bem como o cultivo in vitro (CIV) de zigotos, estruturas embrionárias e desenvolvimento embrionário na fase de pré-implantação. Além disso, a PIV é um instrumento de suporte para outras biotécnicas como clonagem, transgênese e transferência nuclear (SANTOS, 2010). Mesmo com o crescimento na utilização desse biotécnicas, ainda existem alguns problemas associados, sendo que boa parte desses problemas estão relacionadas com o cultivo in vitro, envolvendo a suplementação protéica do meio de cultivo, como a albumina sérica bovina (BSA) ou soro fetal bovino (SFB), que quando adicionado ao meio fluido sintético de oviduto (SOF) melhora significativamente o desenvolvimento de embriões bovinos (LONERGAN et al., 1999). No entanto, o soro pode levar a alterações químicas no meio, prejudicando o desenvolvimento dos embriões e introduzindo componentes tóxicos ou patogênicos no sistema de cultivo (BAVISTER, 1992). Além destes fatores o cultivo individual ou em grupo também influencia no desenvolvimento embrionário, pois sabemos que em grupos há uma maior produção de fatores de crescimento pelos embriões que proporcionam um maior desenvolvimento dos mesmos, porém há uma grande produção de substâncias embriotóxicas, como íons de amônia, metabólitos embrionários e radicais livres. Sob essas condições, formam-se as espécies reativas de oxigênio (ROS) que em bovinos promovem lesões no DNA (TAKAHASHI et al., 2000). 1 Pesquisador da UEG Laboratório de Reprodução Animal 2 Professora do Curso de Zootecnia da UEG 3 Bolsista PBIC/UEG 4 Zootecnista da UEG - Unidade Universitária de São Luis de Montes Belos 5 Médico Veterinário Autônomo Curso de Zootecnia, UEG - Unidade Universitária de São Luis de Montes Belos; CEP: , São Luis de Montes Belos Goiás, Brasil. 1

2 A produção do ROS pode ter origem diretamente apartir de gametas e embriões, ou através do ambiente e se refere a produção de radicais O2, OH, H2O2. Além disso a produção dos radicais durante o cultivo in vitro é diferenciada de acordo com o estágio de desenvolvimento embrionário, sendo que o zigoto e o blastocisto são mais sensíveis às ROS (Guérin et al., 2001), podendo comprometer o potencial de desenvolvimento subseqüente. Isto pode ser explicado pelo fato de que a concentração de O2 no oviduto (entre 5-8%) de fêmeas mamíferas é menor do que no ambiente comumente utilizado para o cultivo in vitro 20% de O2 (FISHER; BAVISTER, 1993). Objetivo O objetivo desse trabalho foi avaliar as taxas de desenvolvimento embrionário em embriões cultivados em diferentes sistemas de acordo com o volume do meio e o número de zigotos por gota viabilizando o melhor sistema para os cultivos. Metodologia Os oócitos utilizados para o experimento foram obtidos de ovários de vacas leiteiras oriundos de abatedouros para obtenção de oócitos, os ovários coletados foram transportados em solução salina, em temperatura controlada (33 a 35 ºC) até o laboratório de Reprodução Animal da Universidade Estadual de Goiás na UnU de São Luis de Montes Belos. Após chegar ao laboratório os ovários foram lavados com solução salina e mantidos em Banho Maria à Temperatura de 35 ºC. Os folículos foram aspirados com seringas de 5ml e agulhas de calibre 40x12 (18G) e o liquido folicular mantido em tubos de ensaio de 15ml à temperatura de 35 ºC por 10 minutos em Banho Maria, não aspirando os folículo dominantes (maiores). Os sedimentos foram colocados em placas de petri e avaliados através do estereomicroscópio, para seleção e classificação dos oócitos. Os oócitos com coloração do citoplasma homogênea e com mais duas camadas completas de células do cummulus foram lavados com meio lave (TCM 199 Hepes). Após a lavagem, os oócitos selecionados foram maturados in vitro nas gotas com meio específico (MIV), coberta com óleo mineral, por 22 a 24 horas, em estufa (incubadora) de CO 2, Temp 38,5 ºC e 95% de umidade, durante 22 a 24 horas. Posteriormente a maturação, iniciou-se a fecundação in vitro dos oócitos. Foi utilizado sêmen congelado convencional da raça holandesa (previamente testado), o sêmen utilizado foi descongelado em banho Maria a uma temperatura de 37 ºC por 30 segundos, e adicionado ao gradiente Percoll, posteriormente centrifugado por 30 min para separação de espermatozóides vivos e mortos. O sedimento foi ressuspendido, e novamente centrifugado em meios de fecundação. A concentração foi corrigida para 1 x 10 6 de espermatozóides por ml do meio de fecundação. Os oócitos maturados foram lavados em meios de maturação e no meio de fecundação acrescido com meios capacitadores (heparina) e incubados em microgotas de 50 µg de meios de fecundação, envolvidos por óleo mineral, acrescentados de espermatozóides (descrito anteriormente). As placas foram incubadas para realização da fecundação por 20 horas, em estufa de 5% de CO 2, Temp 38,5% e 95% de umidade. Após a fecundação as células do cumulus dos possíveis zigotos foram retiradas parcialmente por pipetagem rápida e lavados três vezes em meio de cultivo embrionário SOF. Após a FIV os zigotos foram divididos aleatoriamente em seis grupos, sendo os grupos G1, G2, G3 em cultivo individual de embriões, onde G1 foi desenvolvido em gotas de 30 µl (microlitros), G2 em gota de 50µl e G3 em gota de 100µl. O restante dos zigotos foram divididos em: G4 com 10 embriões, G5 com 30 embriões, G6 com 2

3 50 embriões, cultivados em gotas de 100µl contendo meio CIV e cultivados em uma atmosfera controlada a 5% de CO2, 5% de O2 a 38,5 C. No terceiro dia de cultivo embrionário foi realizada a avaliação da clivagem, no sétimo dia dos embriões que chegaram ao estágio de blastocisto e no décimo dia os blastocistos eclodidos. Resultados e Discussão Entre os grupos analisados houve diferença entre as taxas de clivagem, taxa de blastocisto e taxa de blastocisto eclodido, com superioridade para o G3 em relação aos demais, apresentando respectivamente 90%, 66,6% e 58,3%. Os grupos em que o desenvolvimento foi individual independente da quantidade do meios utilizado apresentou superioridade em relação aos grupos coletivos com as taxas de blastocisto e blastocisto eclodidos. A taxa de blastocisto eclodido, observa-se que o grupo com menor densidade (G1) e o grupo de maior densidade (G6) apresentaram as menores taxas. Portanto, para se obter uma maior eficiência no cultivo embrionário qualquer quantidade de zigoto, mas com maior volume do meio CIV na gota, pois se baseando nos resultados obtidos pelo presente estudo, foi o sistema de cultivo que provavelmente melhor concentrou fatores embriotróficos que permitiram a progressão da cinética do desenvolvimento embrionário. São vários os fatores embriotróficos como o IGFI e II (fatores de crescimento semelhantes a insulina), TGF_ e TGF_ (fatores de crescimento transformadores), interferon-t, EGF (fato de crescimento epidermal) entre outros (GOOVAERTS, et al., 2009). Podemos sugerir que o volume do meio comprometer dispersão adequada dos componentes tóxicos ou patogênicos no sistema de cultivo, dados estes verificados nas taxas de clivagem, blastocisto e blastocisto eclodidos. A utilização do do cultivo individual de embriões se dá pelo fato de simplificar os procedimentos de ovum-pick-up (OPU), pois, a baixa recuperação de oócitos pode necessitar de um cultivo individual ou de pequenos grupos, tanto para maturação, fertilização como para cultura embrionária (O DOHERTY, et al., 1997; FUJITA, et al., 2006). O G3 foi o que obteve melhores taxas de blastocistos dentre os grupos de cultivo individual e coletivos, ou seja, foi melhor que o G1 e G3, fato que pode ser explicado pelas características maior disponibilidade de nutrientes favoráveis ao desenvolvimento embrionário e menor produção de substâncias indesejáveis a esse desenvolvimento, permitindo uma menor diluição dos fatores tóxicos e um menor acúmulo dos fatores autócrinos, sendo considerado uma opção viável no o cultivo de embriões individualmente. Em um estudo que cultivou embriões FIV individualmente obtevese 61% de blastocistos, resultados inferiores aos 66,6% obtidos no presente estudo (VAJTA, et al., 2000). Em relação as taxas de clivagem, blastocistos e eclosão houve diferença nos resultados, portanto, em cultivos individuais com maior volume das gotas interferiu positivamente no desenvolvimento embrionário. Porém, a produção in vitro em grupos maiores, reduz custos, requer uma menor quantidade de meio e o tempo dispendido na manipulação dos oócitos e embriões é menor (GOOVAERTS, et al., 2009), divergindo do resultado do presente estudo, onde o mesmo apresenta como alternativa essa utilização com grupos com maior densidade. Em um estudo que comparou a cultura de diferentes números de oócitos no desenvolvimento embrionário, obteve as maiores taxas de clivagem e blastocistos no cultivo com 20 a 40 oócitos, sendo a diluição das gotas de 10 µl e 5 µl/embrião respectivamente, resultados que não identificados com o presente estudo, cuja as melhores taxas foram do grupo G3 cuja a diluição com oócitos coletivos foi de 10 µl/ embrião. Portanto, os resultados 3

4 deste experimento indicaram que existem benefícios também na cultura de oócitos e embriões em grupos, podendo ser explicado pelo fato de haver a secreção de fatores de crescimento pelos embriões que beneficiam uns aos outros no grupo (O DOHERTY, et al., 1997). Em um estudo que avaliou o efeito do volume das gotas no cultivo individual e em grupo de embriões obteve-se taxas de clivagem e de blastocistos (respectivamente) nos grupos individuais em gotas de 20 µl de 54,5% e 2,2%, resultados superiores foram encontrados no presente estudo utilizando de 100 µl de 90% e 66,6%. FUJITA, et al (2006) observou que não houve diferença nas taxas de clivagem entre o número de embriões nas gotas de cultivo (de 1 a 5 embriões/gota de 5µl), porém houve aumento nas taxas de blastocistos em gotas com 5 embriões (31,7%) comparado a gota com 1 embrião (13,3%), resultados que diferem com o presente estudo. Estes resultados sugerem que o número de embriões cultivados por gota são importantes para dar suporte ao desenvolvimento embrionário. Desta forma, os resultados do presente estudo sugerem que os cultivos individuais ou com poucos zigotos por gota aumentaram a taxa de produção de blastocistos devido a possível redução da concentração de fatores de crescimento em suas gotas de cultivo, e que embriões cultivados em grande número por gota, retardem a cinética do desenvolvimento embrionário ou até mesmo reduza a produção dos mesmos. Considerações finais O sistema de cultivo embrionário é mais eficiente se realizado em grupos de oócitos e zigotos individuais. O volume ideal para o desenvolvimento embrionário nos cultivos de oócitos e zigotos coletivos foi de 10 µl/ embrião. Em adição pode-se concluir que em cultivos embrionários individuais, o volume das gotas interferem no desenvolvimento embrionário. Nos cultivos coletivos quanto menor da densidade de melhor foram as taxas de clivagem, blastocistos e blastocistos eclodidos. Referências BAVISTER, B.D. Culture of preimpplantation embryo: facts and artifact. Hum. Reprod. Update, v.1, p , GOOVAERTS, I.G.F., et al. Effect of cumulus cell coculture and oxygen tension on the in vitro developmental competence of bovine zygotes cultured singly. Theriogenology, Gebouw, v. 71, p , FISHER, B. BAVISTER, B.D oxygen tension in the ovidcut and uterus of rhesus monkeys, hamsters and rabbits. J Reprod. Fértil, Cambridge v. 99, p , FUJITA, T., et al. Effect of group and embryo-culture conditioned medium on development of bovine embryos. Journal of reproduction and development, Kuju, v.52, p , LONERGAN, P.; O'KEARNEY-FLYNN, M.; BOLAND, M.P. Effect of protein supplementation and presence of an antioxidant on the development of bovine zygotes in 4

5 synthetic oviduct fluid medium under high or low oxygen tension. Theriogenology, v.51, p , O DOHERTY, E.M., et al. Effects of culturing bovine oocytes either singly or in groups on development to blastocysts. Theriogenology, Dublin, v. 48, p , SANTOS, K, J, G.Efeito da progesterona na produção de embriões em novilhas Gir e Girolando f. Tese (Doutorado) Universidade Federal de Goiás. Goiânia. TAKAHASHI, H., et al. Effect of oxidative stress on development and DNA damage in in vitro culture bovine embryos by COMET assay. Theriogenology, New York v.53, n.3, p. 365, VAJTA, G., et al. New method for culture of zona-included or zona-free embryos: the Well of the Well (WOW) system. Molecular Reproduciton and Development, Tjele, v.55, p ,

PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS EM CULTURA INDIVIDUAL E EM GRUPOS

PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS EM CULTURA INDIVIDUAL E EM GRUPOS ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS EM CULTURA INDIVIDUAL E EM GRUPOS Carlos Henrique de Oliveira

Leia mais

Tradução para o português: R. Nunes e L.A de Castro e Paula. DIA ( ) 2 (para referência, dia 0 = dia da fertilização) PREPARAÇÃO

Tradução para o português: R. Nunes e L.A de Castro e Paula. DIA ( ) 2 (para referência, dia 0 = dia da fertilização) PREPARAÇÃO Protocolo de Fertilização In Vitro em Bovinos R.M Rivera, A.M. Brad, J.L. Edwards, A.D. Ealy, V.M. Monterroso, A.C. Majewski, C.M. Franco, and P.J. Hansen Tradução para o português: R. Nunes e L.A de Castro

Leia mais

TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS AO MELHORAMENTO ANIMAL

TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS AO MELHORAMENTO ANIMAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS FACULDADE DE AGRONOMIA ELISEU MACIEL DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA MELHORAMENTO ANIMAL TECNICAS DE AMPLIFICAÇÃO REPRODUTIVA E DE BIOTECNOLOGIA APLICADAS

Leia mais

EFEITO DO TRANSPORTE DE EMBRIÕES BOVINOS A LONGAS DISTÂNCIAS CULTIVADOS IN VITRO A FRESCO

EFEITO DO TRANSPORTE DE EMBRIÕES BOVINOS A LONGAS DISTÂNCIAS CULTIVADOS IN VITRO A FRESCO EFEITO DO TRANSPORTE DE EMBRIÕES BOVINOS A LONGAS DISTÂNCIAS CULTIVADOS IN VITRO A FRESCO Wilian Mortene da Silva 1 ; Amanda Thaine Stivam Martins²; Antonio Hugo Bezerra Colombo³; Fabio Luiz Bim Cavalieiri

Leia mais

ESTIMAÇÃO DOS FATORES QUE INTERFEREM DIRETAMENTE E INDIRETAMENTE NOS RESULTADOS DA FECUNDAÇÃO IN VITRO (FIV)

ESTIMAÇÃO DOS FATORES QUE INTERFEREM DIRETAMENTE E INDIRETAMENTE NOS RESULTADOS DA FECUNDAÇÃO IN VITRO (FIV) ESTIMAÇÃO DOS FATORES QUE INTERFEREM DIRETAMENTE E INDIRETAMENTE NOS RESULTADOS DA FECUNDAÇÃO IN VITRO (FIV) antonio hugo bezerra colombo 1, Liziane Zaniboni 1, Fabio Luiz Bim Cavalieri 2, Luiz Paulo Rigolon

Leia mais

INFLUÊNCIA DO SÉMEN DE DIFERENTES TOUROS SOBRE AS TAXAS DE FERTILIZAÇÃO IN VITRO E DESENVOLVIMENTO DE EMBRIÕES EM CO-CULTURA.

INFLUÊNCIA DO SÉMEN DE DIFERENTES TOUROS SOBRE AS TAXAS DE FERTILIZAÇÃO IN VITRO E DESENVOLVIMENTO DE EMBRIÕES EM CO-CULTURA. C.C. Marques et al. INFLUÊNCIA DO SÉMEN DE DIFERENTES TOUROS SOBRE AS TAXAS DE FERTILIZAÇÃO IN VITRO E DESENVOLVIMENTO DE EMBRIÕES EM CO-CULTURA. C.C. Marques, M.C. Baptista, R.M. Pereira, M.I. Vasques,

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO. ESPECIALIZAÇÃO latu sensu CLÍNICA MÉDICA E SANIDADE DE GRANDES ANIMAIS PRODUÇÃO DE EMBRIÕES BOVINOS IN VITRO

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO. ESPECIALIZAÇÃO latu sensu CLÍNICA MÉDICA E SANIDADE DE GRANDES ANIMAIS PRODUÇÃO DE EMBRIÕES BOVINOS IN VITRO UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO ESPECIALIZAÇÃO latu sensu CLÍNICA MÉDICA E SANIDADE DE GRANDES ANIMAIS PRODUÇÃO DE EMBRIÕES BOVINOS IN VITRO Giovani Zanetti Pessôa Candiotto Limeira, novembro de 2008 GIOVANI

Leia mais

SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS

SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS SELEÇÃO DE REPRODUTORES PARA A UTILIZAÇÃO DA PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES VITRIFICADOS Orivaldo Rodrigues de Oliveira 1 ; Francisca Elda Ferreira Dias 2 ; Andréa Azevedo Pires de Castro 3. 1 Aluno do

Leia mais

Biotecnologia da Reprodução. Inseminação artificial. Transferência de embriões. Produção de animais transgênicos. Clonagem Cultura de células-tronco

Biotecnologia da Reprodução. Inseminação artificial. Transferência de embriões. Produção de animais transgênicos. Clonagem Cultura de células-tronco 23/07/12 Produção e Manipulação de Pré-embriões Inseminação artificial Fertilização in vitro Biotecnologia da Reprodução Produção de animais transgênicos Biopsia de embrião Determinação genética pré-implante

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA TENSÃO DE OXIGÊNIO DURANTE O CULTIVO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS: EFEITO NA PRODUÇÃO E EXPRESSÃO DE GENES RELACIONADOS AO ESTRESSE

Leia mais

Quatro grupos de pesquisadores paulistas. Marcadores da fertilização. tecnologia Pecuária y

Quatro grupos de pesquisadores paulistas. Marcadores da fertilização. tecnologia Pecuária y tecnologia Pecuária y Marcadores da fertilização Novas técnicas mapeiam a função de proteínas, carboidratos e lipídeos para obtenção de embriões bovinos de melhor qualidade Dinorah Ereno Quatro grupos

Leia mais

Biotecnologias Reprodutivas em Felinos. Profa.Dra. Maria Denise Lopes. denise@fmvz.unesp.br

Biotecnologias Reprodutivas em Felinos. Profa.Dra. Maria Denise Lopes. denise@fmvz.unesp.br Biotecnologias Reprodutivas em Felinos Profa.Dra. Maria Denise Lopes. denise@fmvz.unesp.br INTRODUÇÃO Cães e gatos além de considerados animais de estimação são também modelos comparativos importantes

Leia mais

8º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo

8º Congresso Interinstitucional de Iniciação Científica CIIC 2014 12 a 14 de agosto de 2014 Campinas, São Paulo PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS UTILIZANDO SÊMEN CONGELADO COM OU SEM A PRESENÇA DO PLASMA SEMINAL Erika Aline Ribeiro Dias 1 ; Suzane Peres Campanholi 2 ; Roberta Vantini 3 ; Joaquim Mansano Garcia

Leia mais

INFLUENCE OF MECHANICAL AGITATION AND HYALURONIDASE PERFORMED ON BOVINE OOCYTES AFTER IN VITRO FERTILIZATION ON EMBRYO CLEAVAGE AND DEVELOPMENT.

INFLUENCE OF MECHANICAL AGITATION AND HYALURONIDASE PERFORMED ON BOVINE OOCYTES AFTER IN VITRO FERTILIZATION ON EMBRYO CLEAVAGE AND DEVELOPMENT. INFLUENCE OF MECHANICAL AGITATION AND HYALURONIDASE PERFORMED ON BOVINE OOCYTES AFTER IN VITRO FERTILIZATION ON EMBRYO CLEAVAGE AND DEVELOPMENT. Pereira, R.M., Marques, C.C., Vasques, M.I., Baptista, M.C.

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS ROLIM DE MOURA CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE RONDÔNIA CAMPUS ROLIM DE MOURA CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA PLANO DE AULA 01. DADOS PROFESSOR: EVELYN RABELO ANDRADE ÁREA / DISCIPLINA: BIOTECNOLOGIA DA REPRODUÇÃO (VET30066) UNIDADE: ROLIM DE MOURA CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 80 HORAS CARGA HORÁRIA SEMANAL: 4 HORAS

Leia mais

EDIVAN SILVO DE OLIVEIRA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

EDIVAN SILVO DE OLIVEIRA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 0 EDIVAN SILVO DE OLIVEIRA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CAMPO GRANDE - MS 2011 1 I EDIVAN SILVO DE OLIVEIRA REPRODUÇÃO DE BOVINOS Trabalho apresentado para cumprimento de Avaliação do curso de especialização

Leia mais

Criopreservação de embriões

Criopreservação de embriões Criopreservação de embriões Vicente J.F. Freitas Biotecnologia da Reprodução Animal Laboratório de Fisiologia e Controle da Reprodução www.uece.br/lfcr Aula ministrada por: M.Sc. Ribrio Ivan T. P. Batista

Leia mais

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF

ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 1 ZAP Zambezia Agro Pecuaria Lda - Mozambique DESENVOLVIMENTO DE GADO LEITEIRO GIROLANDA FERTILIZACAO IN VITRO IVF 2 Capitulo 1 - Parceiros e Principal Fornecedor. Parceiros do projeto In Vitro Brasil

Leia mais

Rev Bras Reprod Anim, Belo Horizonte, v.31, n.2, p.218-223, abr./jun. 2007. Disponível em www.cbra.org.br

Rev Bras Reprod Anim, Belo Horizonte, v.31, n.2, p.218-223, abr./jun. 2007. Disponível em www.cbra.org.br Rev Bras Reprod Anim, Belo Horizonte, v.31, n.2, p.218-223, abr./jun. 2007. Disponível em www.cbra.org.br Sistemas alternativos de incubação e meios de cultivo para produção in vitro de embrião bovino

Leia mais

Produção in vitro de embriões ovinos

Produção in vitro de embriões ovinos Acta Scientiae Veterinariae. 33(1): 1-16, 2005. REVIEW ARTICLE Pub. 603 ISSN 1678-0345 (Print) ISSN 1679-9216 (Online) Produção in vitro de embriões ovinos In vitro production of ovine embryos Mari Lourdes

Leia mais

VIABILIDADE DE EMBRIÕES VITRIFICADOS RESULTANTES DA FERTILIZAÇÃO in vitro DE OÓCITOS DE VACAS SUPLEMENTADAS COM CANOLA EM GRÃO

VIABILIDADE DE EMBRIÕES VITRIFICADOS RESULTANTES DA FERTILIZAÇÃO in vitro DE OÓCITOS DE VACAS SUPLEMENTADAS COM CANOLA EM GRÃO 20 a 24 de outubro de 2008 VIABILIDADE DE EMBRIÕES VITRIFICADOS RESULTANTES DA FERTILIZAÇÃO in vitro DE OÓCITOS DE VACAS SUPLEMENTADAS COM CANOLA EM GRÃO Rafael Balestrin 1 ;Carlos Henrique Vedana 1 ;

Leia mais

Fecundação In Vitro de Ovócitos Bovinos com Sêmen Submetido a Diferentes Diluidores 1

Fecundação In Vitro de Ovócitos Bovinos com Sêmen Submetido a Diferentes Diluidores 1 Rev. bras. zootec., 29(2):397-402, 2000 Fecundação In Vitro de Ovócitos Bovinos com Sêmen Submetido a Diferentes Diluidores 1 Lia de Alencar Coelho 2, César Roberto Esper 3, Joaquim Mansano Garcia 3, Roberta

Leia mais

REGISTRO: Protocolo nº 1e 2- Protocolo de FIV-ICSI e Protocolo de FIV-ICSI Avaliação Individual.

REGISTRO: Protocolo nº 1e 2- Protocolo de FIV-ICSI e Protocolo de FIV-ICSI Avaliação Individual. REGISTRO: Protocolo nº 1e 2- Protocolo de FIV-ICSI e Protocolo de FIV-ICSI Avaliação Individual. A. OBJETIVO/ APLICAÇÃO CLÍNICA Executar as Técnicas Laboratoriais de Fertilização in vitro (ICSI) respeitando

Leia mais

Técnicas de manipulação cromossomica

Técnicas de manipulação cromossomica Técnicas de manipulação cromossomica Introdução Genética Contribuição Aquacultura Moderna Utilização de técnicas usadas em biotecnologia e engenharia genética Facilmente aplicadas nos peixes: Geralmente,

Leia mais

Comunicado Técnico. Introdução

Comunicado Técnico. Introdução Comunicado Técnico 151 ISSN 1517-1469 Planaltina, DF Novembro, 2008 Foto: Gustavo Porpino Recuperação e Criopreservação de Espermatozóides do Epidídimo de Bovinos Mortos para Uso na Inseminação Artificial

Leia mais

Produção In Vitro de Embriões Bovinos: Utilização de Diferentes Fontes de Gonadotrofinas na Maturação dos Oócitos 1

Produção In Vitro de Embriões Bovinos: Utilização de Diferentes Fontes de Gonadotrofinas na Maturação dos Oócitos 1 Produção In Vitro de Embriões Bovinos: Utilização de Diferentes Fontes de Gonadotrofinas na Maturação dos Oócitos 1 Lia de Alencar Coelho 2, César Roberto Esper 3, Rafael Herrera Alvarez 4, Roberta Vantini

Leia mais

ESTADO DA ARTE DA FERTILIZAÇÃO IN VITRO EM BOVINOS

ESTADO DA ARTE DA FERTILIZAÇÃO IN VITRO EM BOVINOS JOAQUIM MANSANO GARCIA ET AL. 223 ESTADO DA ARTE DA FERTILIZAÇÃO IN VITRO EM BOVINOS Garcia 1, J.M., Avelino 1, K. B., Vantini 1, R. 1 DMVPRA, FCAV/UNESP-Jaboticabal RESUMO O desenvolvimento de novas biotecnologias

Leia mais

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO DOMINANTE NO MOMENTO DA INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL EM TEMPO FIXO NA TAXA DE GESTAÇÃO EM VACAS NELORE Éder Augusto Gonçalves 1 ; Fábio Luiz Bim Cavalieri 2 ; José Mauricio Gonçalves

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO EM BOVINOS PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS.

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO EM BOVINOS PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS. UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRODUÇÃO E REPRODUÇÃO EM BOVINOS PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS Janaina Baggio Rio de Janeiro, set. 2008 JANAINA BAGGIO Aluna do curso de especialização

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS CÂMPUS DE JABOTICABAL

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS CÂMPUS DE JABOTICABAL UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA JULIO DE MESQUITA FILHO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E VETERINÁRIAS CÂMPUS DE JABOTICABAL SEPARAÇÃO DE ESPERMATOZÓIDES X VIÁVEIS, DE SÊMEN CONGELADO, POR GRADIENTE DESCONTÍNUO

Leia mais

Punção Folicular, Denudação e Classificação Oocitária

Punção Folicular, Denudação e Classificação Oocitária Punção Folicular, Denudação e Classificação Oocitária PUNÇÃO FOLICULAR Inicialmente, os oócitos eram obtidos, individualmente, por via laparoscópica, porém este tipo de procedimento exige anestesia geral

Leia mais

Universidade Federal da Bahia. Programa de Pós Graduação em Ciência Animal nos Trópicos

Universidade Federal da Bahia. Programa de Pós Graduação em Ciência Animal nos Trópicos Universidade Federal da Bahia Escola de Medicina Veterinária e Zootecnia Programa de Pós Graduação em Ciência Animal nos Trópicos VALIDAÇÃO DE UM PROGRAMA DE PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS COM TRANSPORTE

Leia mais

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA

EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA EFEITO INDIVIDUAL DE FERTILIDADE DE TOUROS DA RAÇA HOLANDESA ZANATTA, Guilherme Machado 1 ; SCHEEREN, Verônica Flores da Cunha 2 ; ARAUJO, Laurence Boligon de 3; PESSOA, Gilson Antônio 4 ; RUBIN, Mara

Leia mais

Programa de extensão universitária mais leite

Programa de extensão universitária mais leite Programa de extensão universitária mais leite Renato SOARES OLIVEIRA¹; Samuel PIASSI TELES²; Rafael BASTOS TEIXEIRA³; Cassia MARIA SILVA NORONHA 4 ; Alan Dhan COSTA LIMA 5 ; Arnaldo Júnior VALERIANO RESENDE

Leia mais

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO NA MATURAÇÃO NUCLEAR E CITOPLASMÁTICA DE OVÓCITOS DE FÊMEAS ZEBUÍNAS 1

EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO NA MATURAÇÃO NUCLEAR E CITOPLASMÁTICA DE OVÓCITOS DE FÊMEAS ZEBUÍNAS 1 EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO NA MATURAÇÃO NUCLEAR 207 EFEITO DO TAMANHO DO FOLÍCULO NA MATURAÇÃO NUCLEAR E CITOPLASMÁTICA DE OVÓCITOS DE FÊMEAS ZEBUÍNAS 1 MARGOT ALVES NUNES DODE 2, NORMA CLÉA RODOVALHO

Leia mais

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS

PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS ANEXO TÉCNICO DO MANUAL DE SINCRONIZAÇÃO E INSEMINAÇÃO EM TEMPO FIXO EM BOVINOS PROGRAMAS DE IATF EM NOVILHAS ZEBUÍNAS Os protocolos de inseminação artificial em tempo fixo (IATF) são utilizados de forma

Leia mais

ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO. Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO

ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO. Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar Conservante: Azida de Sódio 0,1 % Responsável

Leia mais

Transcrição do tour pelo Cook A.R.T. Lab (Laboratório de Terapia Reprodutiva Assistida da Cook)

Transcrição do tour pelo Cook A.R.T. Lab (Laboratório de Terapia Reprodutiva Assistida da Cook) INTRODUÇÃO Por quase três décadas, a Cook Medical tem projetado e fabricado produtos feitos com inteligência para atender às necessidades exatas dos especialistas em infertilidade do mundo inteiro. Em

Leia mais

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente

CÉLULA - TRONCO. São células com capacidade de autorenovação,eficiente CÉLULA - TRONCO São células com capacidade de autorenovação,eficiente proliferação, gerando células-filhas com as mesmas características fenotípicas da célula precursora e, ainda, com habilidade de gerar

Leia mais

Programa Analítico de Disciplina VET381 Fisiologia da Reprodução

Programa Analítico de Disciplina VET381 Fisiologia da Reprodução Programa Analítico de Disciplina Departamento de Veterinária - Centro de Ciências Biológicas e da Saúde Número de créditos: Teóricas Práticas Total Duração em semanas: 5 Carga horária semanal Períodos

Leia mais

FECUNDAÇÃO FECUNDAÇÃO OU FERTILIZAÇÃO

FECUNDAÇÃO FECUNDAÇÃO OU FERTILIZAÇÃO FECUNDAÇÃO Prof. Dr. Wellerson Rodrigo Scarano Departamento de Morfologia 1 FECUNDAÇÃO OU FERTILIZAÇÃO Processo pelo qual o gameta masculino (espermatozóide) se une ao gameta feminino (ovócito) para formar

Leia mais

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA DE FECUNDAÇÃO IN VITRO E DAS CÉLULAS DO Cumulus oophorus SOBRE A TAXA DE POLISPERMIA E DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO

INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA DE FECUNDAÇÃO IN VITRO E DAS CÉLULAS DO Cumulus oophorus SOBRE A TAXA DE POLISPERMIA E DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO Influência da temperatura de fecundação in vitro e das células do Cumulus oophorus... DOI 10.526/cab.v11i2.3402 301 INFLUÊNCIA DA TEMPERATURA DE FECUNDAÇÃO IN VITRO E DAS CÉLULAS DO Cumulus oophorus SOBRE

Leia mais

EFEITO DE REPRODUTORES, DISTRIBUÍDOS EM TRÊS GRUPOS GENÉTICOS, NA PRODUÇÃO in vitro DE EMBRIÕES BOVINOS

EFEITO DE REPRODUTORES, DISTRIBUÍDOS EM TRÊS GRUPOS GENÉTICOS, NA PRODUÇÃO in vitro DE EMBRIÕES BOVINOS 22 ARS VETERINARIA, 16(1):22-27, 2000. EFEITO DE REPRODUTORES, DISTRIBUÍDOS EM TRÊS GRUPOS GENÉTICOS, NA PRODUÇÃO in vitro DE EMBRIÕES BOVINOS (EFFECT OF BULLS OF THREE GENETIC GROUPS IN in vitro PRODUCTION

Leia mais

CHARACTERIZATION OF A PLACENTAL CELL MONOLAYER CULTURE FOR IN VITRO BOVINE EMBRYO DEVELOPMENT

CHARACTERIZATION OF A PLACENTAL CELL MONOLAYER CULTURE FOR IN VITRO BOVINE EMBRYO DEVELOPMENT CHARACTERIZATION OF A PLACENTAL CELL MONOLAYER CULTURE FOR IN VITRO BOVINE EMBRYO DEVELOPMENT R.M. PEREIRA, C.C. MARQUES, M.C. BAPTISTA, M.I. VASQUES e A.E.M. HORTA Estação Zootécnica Nacional - INIA,

Leia mais

FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO. Thiago Kotula Brondani

FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO. Thiago Kotula Brondani 1 FILIAÇÃO NA FECUNDAÇÃO IN VITRO Thiago Kotula Brondani Os avanços médicos-científicos e a disseminação das técnicas de reprodução humana assistida tornaram necessária a imposição de limites éticos e

Leia mais

Influência da Temperatura e da Salinidade no Cultivo da Microalga Dunaliella tertiolecta em Fotobiorreator Airlift

Influência da Temperatura e da Salinidade no Cultivo da Microalga Dunaliella tertiolecta em Fotobiorreator Airlift Influência da Temperatura e da Salinidade no Cultivo da Microalga Dunaliella tertiolecta em Fotobiorreator Airlift Nicéia Chies Da Fré 1, Luce Helena Kochen 1, Tobias Dierings 1, Géssica Marchese Roman

Leia mais

UNIVERSIDADE TUITUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE TUITUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1 UNIVERSIDADE TUITUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURITIBA 2010 2 GEÍSA DO AMARAL DO MAINARDES TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos

Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos ebook Avanza Cuidados essenciais para maior produtividade na criação de bovinos Sumário 01 02 03 04 05 Introdução - Aumente a produtividade da sua criação Fertilização In Vitro Transferência de Embriões

Leia mais

Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas

Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas Diferenças entre Benzoato e Cipionato de Estradiol na indução da ovulação em programas de IATF em fêmeas bovinas Um dos diferenciais da Tecnopec é desenvolver e apoiar pesquisas visando obter protocolos

Leia mais

O NÚMERO DE BACTÉRIAS

O NÚMERO DE BACTÉRIAS O NÚMERO DE BACTÉRIAS A CONTAGEM EM PLACAS A contagem em placas é um dos métodos mais utilizados para determinar qual o número de microrganismos viáveis em um meio líquido. Quando a concentração é baixa,

Leia mais

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1

42º Congresso Bras. de Medicina Veterinária e 1º Congresso Sul-Brasileiro da ANCLIVEPA - 31/10 a 02/11 de 2015 - Curitiba - PR 1 1 SISTEMA ANTILUTEOLÍTICO E MORTE EMBRIONÁRIA EM FÊMEAS BOVINAS JEAN CAIO FIGUEIREDO DE ALMEIDA¹, ANA KELLY MENDES DA SILVA¹, GESSIANE PEREIRA DA SILVA¹, BRENDA JULIANE SILVA DOS SANTOS¹, CAMILA DE ALMEIDA

Leia mais

Isolamento Viral em Cultivo Celular. Adriana Candido Rodrigues

Isolamento Viral em Cultivo Celular. Adriana Candido Rodrigues Isolamento Viral em Cultivo Celular Adriana Candido Rodrigues Vírus: Parasitas intracelulares obrigatórios Célula viva para replicação Sistemas Celulares Animais de Laboratório Ovos Embrionados Cultura

Leia mais

RESUMOS COM RESULTADOS... 765 RESUMOS DE PROJETOS... 768 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 769

RESUMOS COM RESULTADOS... 765 RESUMOS DE PROJETOS... 768 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 769 764 RESUMOS COM RESULTADOS... 765 RESUMOS DE PROJETOS... 768 ARTIGOS COMPLETOS (RESUMOS)... 769 RESUMOS COM RESULTADOS 765 CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇA DE FRANGOS DE CORTE CRIADOS EM DIFERENTES TIPOS DE

Leia mais

ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano)

ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano) ANTI D IgM +IgG Monoclonal (Humano) PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. Reagente para classificação do fator Rh PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO Somente para Uso Diagnóstico IN VITRO Conservar entre: 2-8

Leia mais

UNIVERSIDADE TUITUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

UNIVERSIDADE TUITUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO 1 UNIVERSIDADE TUITUTI DO PARANÁ FACULDADE DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E DA SAÚDE CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO CURITIBA 2010 2 GEÍSA DO AMARAL DO MAINARDES TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

NO BRASIL A CLONAGEM DE BOVINOS ENTREVISTA. Os segredos da Vitória

NO BRASIL A CLONAGEM DE BOVINOS ENTREVISTA. Os segredos da Vitória A CLONAGEM DE BOVINOS ENTREVISTA NO BRASIL Entrevista concedida a Lucas Tadeu Ferreira E-mail do Dr. Rodolfo Rumpf: rodolfo@cenargen.embrapa.br Fotos: Cláudio Bezerra Os segredos da Vitória A EMBRAPA surpreende

Leia mais

SISTEMA DE BIOTECNOLOGIAS DE TE E FIV MANUAL

SISTEMA DE BIOTECNOLOGIAS DE TE E FIV MANUAL SISTEMA DE BIOTECNOLOGIAS DE TE E FIV MANUAL Sumário 1. Acesso ao sistema... 4 1.1. Acesso Direto... 4 1.2. Pelo site da ABCZ... 4 2. Cadastro de Veterinários... 4 2.1. Termo de Responsabilidade... 5 2.1.1.

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA. Paula de Oliveira Figueiredo

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA. Paula de Oliveira Figueiredo UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA FACULDADE DE AGRONOMIA E MEDICINA VETERINÁRIA Paula de Oliveira Figueiredo PRODUÇÃO DE EMBRIÕES EM VACAS INDUBRASIL COMPARANDO AS TÉCNICAS IN VIVO E IN VITRO TCC apresentado para

Leia mais

Lê com atenção e reflecte antes de responder. Boa sorte!

Lê com atenção e reflecte antes de responder. Boa sorte! Agrupameo de Escolas de Casquilh Escola Secundária de Casquilh 2º Teste Sumativo (90 minut) DISCIPLINA DE BIOLOGIA 12ºano Turmas A e B TEMA: Reprodução Humana e Engenharia Genética Dezembro 2013 Professora

Leia mais

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão?

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão? CUIDADOS NO MANUSEIO DO SÊMEN CONGELADO O manuseio adequado do sêmen congelado é essencial para manter ótimos resultados nos programas de inseminação artificial, tanto no sêmen sexado como no sêmen convencional.

Leia mais

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO

INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO INSTITUTO AGRONÔMICO DE PERNAMBUCO ASSESSORIA DE COMUNICAÇÃO CLIPPING ELETRÔNICO De 06 de outubro de 2014 TECNOLOGIA GENÉTICA ACESSÍVEL PECUÁRIA Laboratório fará transferência de embriões de animais de

Leia mais

1.1 Revisão de tópicos da morfologia e fisiologia do sistema genital feminino, sob o aspecto clínico nas diferentes espécies domésticas.

1.1 Revisão de tópicos da morfologia e fisiologia do sistema genital feminino, sob o aspecto clínico nas diferentes espécies domésticas. PROGRAMA PARA O CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DAS VAGAS PARA O CARGO DE PROFESSOR ADJUNTO, EDITAL Nº 764, DE 23 DE NOVEMBRO DE 2015, NA ÁREA DE REPRODUÇÃO ANIMAL 1) FÊMEA - PARTE TEÓRICA: 1.1 Revisão

Leia mais

Adição da água de coco (Cocus nuciferal) ao meio de maturação de oócitos caninos (1) Artigo Científico/Scientific Article

Adição da água de coco (Cocus nuciferal) ao meio de maturação de oócitos caninos (1) Artigo Científico/Scientific Article ISSN 1809-467 Adição da água de coco (Cocus nuciferal) ao meio de maturação de oócitos caninos (1) [Addition of coconut water (Cocus nuciferal) to maturation media of canine oocytes] Artigo Científico/Scientific

Leia mais

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança

Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Curso de Capacitação em Biossegurança de OGMs Células-tronco Legislação de Biossegurança Florianópolis, Agosto 2004 Células-tronco O que são células-tronco e o que podemos fazer com elas? Qual a relação

Leia mais

SAMUEL GUEMRA EFEITO DA QUERCETINA SOBRE A PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS

SAMUEL GUEMRA EFEITO DA QUERCETINA SOBRE A PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS CENTRO DE PESQUISA EM CIÊNCIAS AGRÁRIAS MESTRADO EM SAÚDE E PRODUÇÃO DE RUMINATES SAMUEL GUEMRA EFEITO DA QUERCETINA SOBRE A PRODUÇÃO IN VITRO DE EMBRIÕES BOVINOS Arapongas 2014 SAMUEL GUEMRA EFEITO DA

Leia mais

Técnicas de Reprodução Assistida

Técnicas de Reprodução Assistida Manipulação da Fertilidade Técnicas de Reprodução Assistida Juliana, nº19 Elisa, nº20 Tânia, nº26 12ºA Técnicas complementares 1. Indução da ovulação Geralmente, antes de realizar qualquer processo de

Leia mais

BIOTECNOLOGIAS EMPREGADAS NA MEDICINA VETERINÁRIA. Biotecnologia

BIOTECNOLOGIAS EMPREGADAS NA MEDICINA VETERINÁRIA. Biotecnologia BIOTECNOLOGIAS EMPREGADAS NA MEDICINA VETERINÁRIA Biotecnologia O que é isso??? É qualquer técnica que utilize organismos vivos ou suas partes, para fazer ou modificar produtos, melhorar plantas ou animais

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÃO E FERTILIZAÇÃO IN VITRO (FIV) EM BOVINOS

TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÃO E FERTILIZAÇÃO IN VITRO (FIV) EM BOVINOS UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA TRANSFERÊNCIA DE EMBRIÃO E FERTILIZAÇÃO IN VITRO (FIV) EM BOVINOS Igor Nascimento Martinez Leandro César de Souza Rio

Leia mais

EFEITO DAS PROSTAGLANDINAS SOBRE A FERTILIZAÇÃO IN VITRO NOS BOVINOS EFFECT OF PROSTAGLANDINS ON IN VITRO FERTILISATION OF BOVINE OOCYTES

EFEITO DAS PROSTAGLANDINAS SOBRE A FERTILIZAÇÃO IN VITRO NOS BOVINOS EFFECT OF PROSTAGLANDINS ON IN VITRO FERTILISATION OF BOVINE OOCYTES Marques et al., (21). Proceedings do III Congresso Ibérico de Reprodução Animal, pp. 361-369 RESUMO EFEITO DAS PROSTAGLANDINAS SOBRE A FERTILIZAÇÃO IN VITRO NOS BOVINOS EFFECT OF PROSTAGLANDINS ON IN VITRO

Leia mais

ANTI-A ANTI-B ANTI-AB

ANTI-A ANTI-B ANTI-AB ANTI-A ANTI-B ANTI-AB Monoclonal Murino IgM PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. Reagentes para classificação do sistema sangüíneo ABO PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO Somente para Uso Diagnóstico IN VITRO

Leia mais

METODOLOGIAS DE DESNUDAMENTO PARCIAL DE OÓCITOS BOVINOS MATURADOS E SUBMETIDOS À VITRIFICAÇÃO

METODOLOGIAS DE DESNUDAMENTO PARCIAL DE OÓCITOS BOVINOS MATURADOS E SUBMETIDOS À VITRIFICAÇÃO Archives of Veterinary Science v. 10, n. 2, p. 109-114, 2005 Printed in Brazil ISSN: 1517-784X METODOLOGIAS DE DESNUDAMENTO PARCIAL DE OÓCITOS BOVINOS MATURADOS E SUBMETIDOS À VITRIFICAÇÃO (Methods for

Leia mais

EFFECT OF COOLING DONOR OVARIES ON IN VITRO BOVINE EMBRYO PRODUCTION AND CULTURE OF GRANULOSA CELL MONOLAYERS.

EFFECT OF COOLING DONOR OVARIES ON IN VITRO BOVINE EMBRYO PRODUCTION AND CULTURE OF GRANULOSA CELL MONOLAYERS. EFFECT OF COOLING DONOR OVARIES ON IN VITRO BOVINE EMBRYO PRODUCTION AND CULTURE OF GRANULOSA CELL MONOLAYERS. Marques, C.C., Pereira, R.M., Vasques, M.I., Baptista, M.C., Horta, A.E.M. Departamento de

Leia mais

Avaliação dos espermatozóides recuperados comparando duas metodologias de separação espermática

Avaliação dos espermatozóides recuperados comparando duas metodologias de separação espermática Avaliação dos espermatozóides recuperados comparando duas metodologias de separação espermática Evaluation of recovered spermatozoids by two methologies of separation spermatic Leonni Dascani Zini Moreira

Leia mais

BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA. Profa. Maria Paula

BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA. Profa. Maria Paula BIOTECNOLOGIA E ENGENHARIA GENÉTICA Profa. Maria Paula FERRAMENTAS Enzimas: de restrição, DNA-ligase, DNA-polimerase, transcriptase Vetores: plasmídeos, vírus 1) PGH O número de genes é muito menor do

Leia mais

Embriologia humana: primeira semana de desenvolvimento embrionário

Embriologia humana: primeira semana de desenvolvimento embrionário Embriologia humana: primeira semana de desenvolvimento embrionário Prof. Dr. Daniel F. P. Vasconcelos (Professor Adjunto de Histologia e Embriologia Colegiado de Biomedicina Campus de Parnaíba - UFPI )

Leia mais

Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil

Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil Um puro sangue da raça Quarto de Milha custa entre R$ 6 mil e R$ 20 mil e uma simples cobertura de um reprodutor de elite pode valer R$ 20 mil 18_Animal Business-Brasil O Brasil e as biotecnologias reprodutivas

Leia mais

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras

MEIOS DE CULTURA DESENVOLVIMENTO OU PRODUÇÃO DE MEIOS DE CULTURA. Necessidade Bactérias Leveduras MEIOS DE CULTURA Associação equilibrada de agentes químicos (nutrientes, ph, etc.) e físicos (temperatura, viscosidade, atmosfera, etc) que permitem o cultivo de microorganismos fora de seu habitat natural.

Leia mais

Células Pluripotenciais Induzidas

Células Pluripotenciais Induzidas Células Pluripotenciais Induzidas Uma vez dominados os processos envolvidos na obtenção, cultivo, e diferenciação de CTE em células de interesse clínico, outra limitação prática deve ser levada em conta.

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE OÓCITOS BOVINOS FECUNDADOS IN VITRO APÓS CENTRIFUGAÇÃO E/OU EXPOSIÇÃO À CITOCALASINA B

DESENVOLVIMENTO DE OÓCITOS BOVINOS FECUNDADOS IN VITRO APÓS CENTRIFUGAÇÃO E/OU EXPOSIÇÃO À CITOCALASINA B ARS VETERINARIA, Jaboticabal, SP, Vol. 18, nº 1, 43-48, 2002. ISSN 0102-6380 DESENVOLVIMENTO DE OÓCITOS BOVINOS FECUNDADOS IN VITRO APÓS CENTRIFUGAÇÃO E/OU EXPOSIÇÃO À CITOCALASINA B (DEVELOPMENT OF IN

Leia mais

CAPACITAÇÃO ESPERMÁTICA. capacitação. Vaca: 6 a 7 horas Porca: 1 a 2 horas

CAPACITAÇÃO ESPERMÁTICA. capacitação. Vaca: 6 a 7 horas Porca: 1 a 2 horas CAPACITAÇÃO ESPERMÁTICA Ejaculação sptz fêmea aptos a fertilização capacitação Vaca: 6 a 7 horas Porca: 1 a 2 horas CAPACITAÇÃO ESPERMÁTICA Processo mediado por proteínas das glândulas sexuais acessórias

Leia mais

Comparação do ganho de peso e desempenho de bezerras alimentadas com leite de descarte e leite normal durante a fase de aleitamento

Comparação do ganho de peso e desempenho de bezerras alimentadas com leite de descarte e leite normal durante a fase de aleitamento Comparação do ganho de peso e desempenho de bezerras alimentadas com leite de descarte e leite normal durante a fase de aleitamento Vinicius Emanoel Carvalho 1, Thiago Paim Silva 1, Marco Antônio Faria

Leia mais

da AgroZurita, de Ivan Zurita, que comprou, de "porteira fechada",aestampacedrodenelore.

da AgroZurita, de Ivan Zurita, que comprou, de porteira fechada,aestampacedrodenelore. da AgroZurita, de Ivan Zurita, que comprou, de "porteira fechada",aestampacedrodenelore. Os marcadores moleculares são considerados por unanimidade um marco no desenvolvimento da pecuária nacional. José

Leia mais

Uso de Scanalyzer com embriões de Danio rerio

Uso de Scanalyzer com embriões de Danio rerio Uso de Scanalyzer com embriões de Danio rerio Background histórico e biológico Quando se iniciou o movimento de proteger o ambiente através de sistemas de testes biológicos, os testes agudos e crônicos

Leia mais

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de

INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de d e b e z e r r o d e c o r t e INTRODUÇÃO A etapa de cria na cadeia produtiva da carne bovina é muito importante, e caracteriza-se como um período fundamental no processo de produção. As técnicas utilizadas

Leia mais

DESCARTÁVEIS PARA MANIPULAÇÃO

DESCARTÁVEIS PARA MANIPULAÇÃO DESCARTÁVEIS PARA MANIPULAÇÃO CONSULTE NOSSA EQUIPE DE VENDAS PARA PRODUTOS NÃO CONSTANTES NESSA RELAÇÃO Fones: (19) 3243.8305 / 3032.4429 vendas1@biomate.com.br DESCARTÁVEIS PARA MANIPULAÇÃO DESCRIÇÃO

Leia mais

O que é gametogênese?

O que é gametogênese? O que é gametogênese? É o processo pelo qual os gametas são produzidos nos organismos dotados de reprodução sexuada. Nos animais, a gametogênese acontece nas gônadas, órgãos que também produzem os hormônios

Leia mais

Efeito de diferentes meios de cultivo no desenvolvimento e proporção do sexo de embriões bovinos produzidos in vitro

Efeito de diferentes meios de cultivo no desenvolvimento e proporção do sexo de embriões bovinos produzidos in vitro Arq. Bras. Med. Vet. Zootec., v.56, n.5, p.623-627, 2004 Efeito de diferentes meios de cultivo no desenvolvimento e proporção do sexo de embriões bovinos produzidos in vitro [Effect of different culture

Leia mais