Melhorar A Eclodibilidade De Ovos Armazenados

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Melhorar A Eclodibilidade De Ovos Armazenados"

Transcrição

1 Melhorar A Eclodibilidade MELHORAR A ECLODIBILIDADE USANDO PERÍODOS DE INCUBAÇÃO CURTOS DURANTE A ARMAZENAGEM DE OVOS (SPIDES) 09 Ovos armazenados por longos períodos não eclodem tão bem quanto os ovos incubados com 3-4 dias de estoque (Figura 1). Ovos armazenados têm maior mortalidade embrionária precoce e os embriões que sobrevivem tendem a se desenvolver e eclodir mais tardiamente. Quando a eclosão é retardada, alguns pintos podem não nascer a tempo de serem aproveitados, e sua qualidade pode ser afetada porque as aves estarão imaturas demais para serem alojadas. FIGURA 1 A ECLODIBILIDADE CAI COM O AUMENTO DOS DIAS DE ESTOQUE DOS OVOS Eclosão de todos os ovos incubados (%) Estoque (dias) MELHORE A ECLODIBILIDADE USANDO PERÍODOS DE INCUBAÇÃO CURTOS DURANTE A ARMAZENAGEM DE OVOS (SPIDES) 01

2 medir Melhorar a de perda A Eclodibilidade de água do ovo? INCUBAÇÃO NATURAL E SPIDES Uma galinha criada de maneira natural irá por um ovo por dia em seu ninho até que a postura esteja completa. Todas as vezes que ela volta ao ninho para a postura de um ovo, os ovos mais velhos que já estão no ninho serão aquecidos, proporcionando na verdade um curto período de incubação. Estudos têm mostrado que simular o processo natural no ninho pela introdução de Períodos Curtos de Incubação durante a Armazenagem dos Ovos (SPIDES) pode ajudar a manter uma boa eclodibilidade em ovos armazenados. O tratamento SPIDES bem implantado pode recuperar 60% ou mais da redução da eclosão que seria observada em ovos armazenados não tratados. Por exemplo, se houver uma perda de 10% na eclodibilidade por causa da armazenagem, implantar SPIDES pode melhorar a eclosão em 6-7%. A melhoria na eclosão é proporcional ao tempo de armazenagem dos ovos que recebem o tratamento (Figuras 2 e 3). Como simula um processo natural, SPIDES mostrou que é robusto e tem uma flexibilidade considerável. A velocidade de aquecimento, a temperatura final e os dias alvo para a implantação do SPIDES, por exemplo, têm um amplo intervalo dentro do qual o tratamento funciona bem. As recomendações para a armazenagem normal (manter os ovos abaixo do zero fisiológico, 24 C), ainda se aplica quando os ovos não estão sendo tratados. INCUBAÇÃO NATURAL E SPIDES Outros efeitos benéficos do tratamento SPIDES incluem: > Redução no número de mortalidades embrionárias precoces. > Tempos de incubação mais curtos. Nas máquinas carregadas com ovos de diversos dias de estoque, é mais fácil administrar o tempo total de incubação necessário e evitar a desidratação e superaquecimento dos pintos. A pesquisa sobre o funcionamento de SPIDES prossegue. Há evidências de que SPIDES ajuda a resgatar células que morreriam durante a armazenagem dos ovos. Também é possível que o tratamento térmico adiante o desenvolvimento embrionário até um estágio mais resistente à armazenagem. 02

3 Melhorar A Eclodibilidade QUAL DEVE SER A DURAÇÃO DA ARMAZENAGEM DOS OVOS PARA QUE SPIDES SEJA EFICAZ? Em experimentos com incubação de ovos para produção de frangos de corte e de reprodutoras, foram observadas melhoras na eclodibilidade com períodos de armazenagem tão curtos quanto 7 dias (Figuras 2 e 3). FIGURA 2 O EFEITO DE SPIDES SOBRE A ECLODIBILIDADE DE OVOS ARMAZENADOS POR 7, 14 OU 21 DIAS Eclosão de todos os ovos incubados (%) Melhora na eclodibilidade porcentagem Ovos frescos 7 dias + 2.5% + 3.5% dias SPIDES dias 14 d SPIDES dias % 21 dias SPIDES FIGURA 3 MELHORA NA ECLOSÃO OBSERVADA NA ECLOSÃO EM 34 TESTES DE CAMPO EM 6 INCUBATÓRIOS Dias de estoque (ovos) 76.9 QUAL DEVE SER A DURAÇÃO DA ARMAZENAGEM DOS OVOS PARA QUE SPIDES SEJA EFICAZ? 03

4 medir Melhorar a de perda A Eclodibilidade de água do ovo? QUAL A TEMPERATURA QUE OS OVOS DEVEM ALCANÇAR PARA QUE SPIDES TENHA SUCESSO? As temperaturas medida na casca dos ovos deve alcançar entre 32 C a 38,3 C para que SPIDES seja eficaz. QUAL A TEMPERATURA QUE OS OVOS DEVEM ALCANÇAR PARA QUE SPIDES TENHA SUCESSO? É IMPORTANTE O TEMPO QUE OS OVOS LEVAM PARA SE AQUECEREM? O tempo necessário para alcançar 32 C pode variar de 2 a 8 horas, dependendo do tipo de equipamento usado e a sua carga. O tempo para aquecer os ovos acima de 32 C não tem nenhum efeito sobre o resultado de SPIDES tanto os tempos de aquecimento maiores como os menores podem ser eficazes. QUANTOS TRATAMENTOS TÉRMICOS SERÃO NECESSÁRIOS? O número de tratamentos térmicos necessários vai depender de quanto durar a armazenagem dos ovos. O primeiro tratamento precisa ser feito antes que a eclodibilidade comece a diminuir após cerca de 5 dias de armazenagem. Os melhores resultados serão obtidos se os ovos receberem tratamentos repetidos em intervalos de 5 ou 6 dias. Os ovos não serão prejudicados se os tratamentos forem feitos antes de 5-6 dias de idade. 04

5 Melhorar A Eclodibilidade QUANTO TEMPO OS OVOS PRECISAM FICAR ACIMA DE 32 C? Lembre-se que o tempo em que o ovo permanece acima de 32ºC incluirá também uma parte do período de resfriamento. SPIDES parece funcionar melhor quando a duração do período em que a temperatura da casca dos ovos está acima de 32ºC for curto. Um tempo prolongado acima de 32ºC, especialmente se os tratamentos forem repetidos diversas vezes, não trará resultados tão bons quanto os conseguidos quando os ovos são resfriados imediatamente depois da temperatura alvo ter sido alcançada. Se múltiplos tratamentos térmicos forem usados, os melhores resultados serão obtidos quando o tempo acumulado acima de 32ºC (o tempo médio acima de 32ºC multiplicado pelo número de tratamentos) for 12 horas ou menos. Se o tempo acima de 32ºC ultrapassar horas, não haverá uma melhora líquida na eclosão devida ao SPIDES (Figura 4). FIGURA 4 QUANTO DA PERDA NA ECLOSÃO APÓS A ARMAZENAGEM PODE SER RECUPERADA PELO SPIDES? Porcentagem** Total de horas acima de 32ºC **Cálculo: (melhora na eclosão devida ao SPIDES) / (perda de eclosão devido à armazenagem sem SPIDES)* 100 QUANTO TEMPO OS OVOS PRECISAM FICAR ACIMA DE 32 C? 05

6 medir Melhorar a de perda A Eclodibilidade de água do ovo? PROCEDIMENTO Tratar os ovos nas bandejas de incubação em prateleiras bem espaçadas em carrinhos da granja ou nos carrinhos da incubadora. Não são adequadas as bandejas de plástico ou polpa que são colocadas em prateleiras muito próximas. No incubatório, os ovos podem ser aquecidos usando as incubadoras. Os equipamentos de estágio único ou múltiplo são adequados desde que se tenha cuidado em não sobrecarregar a capacidade de aquecimento das máquinas de múltiplos estágios com um excesso de ovos frios. Os ovos precisam ter tempo suficiente na incubadora para que a temperatura da casca alcance um mínimo de 32 C usar registradores para verificar diferentes áreas do equipamento, identificando pontos quentes e frios, garantindo que todos os ovos alcancem a temperatura alvo. Fazer o primeiro tratamento quando os ovos tiverem 4-5 dias de idade e repetir a intervalos de 5-6 dias conforme necessário. PROCEDIMENTO 06

7 Melhorar A Eclodibilidade FREQUÊNCIA DE TRATAMENTO SUGERIDA PARA DIFERENTES PERÍODOS DE ARMAZENAGEM Dias de estoque do ovo quando incubado Número de tratamentos Dias de estoque do ovo ao tratamento ou , 10-12, Os ovos devem ser aquecidos até alcançarem pelo menos 32 C. Tendo alcançado 32 C, os ovos devem ser resfriados novamente, o mais rápido e uniformemente possível, até a temperatura de armazenagem. Em incubadoras de estágio único, o ajuste do programa de pré-aquecimento pode ser usado para resfriar os ovos até 24 C. Podem então ser transferidos para a armazenagem resfriada. Em incubadoras de múltiplos estágios, sem oportunidade de resfriar os ovos na incubadora, será melhor transferir os ovos imediatamente para a armazenagem, sendo melhor colocá-los bem distantes dos outros ovos armazenados. Ficar atento ao fato de que se ovos quentes forem colocados de volta imediatamente, podem fazer com que haja uma elevação temporária na temperatura do ar no local de armazenagem. Quando SPIDES é usado de forma rotineira, deve-se dividir o local de armazenagem para que haja um espaço dedicado a resfriar os ovos depois do tratamento SPIDES. PROCEDIMENTO 07

8 medir Melhorar a de perda A Eclodibilidade de água do ovo? RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS A tabela abaixo apresenta as possíveis causas a serem consideradas quando SPIDES não melhora em nada a eclosão ou não restaura 60-70% das perdas. Observação Possíveis Causas Ação Os ovos tratados não eclodem melhor do que os ovos não tratados. Os ovos não alcançaram 32ºC porque o tempo de aquecimento foi muito curto para o número de ovos colocados na máquina. Usar registradores Tiny Tag para verificar se o tempo de aquecimento é longo o suficiente para alcançar a temperatura nas condições de carregamento. Os ovos tratados eclodem melhor do que os não tratados, mas a recuperação na queda de eclosão foi <60%. Tempo total acima de 32ºC foi mais longo do que 28 horas. Ovos colocados na granja nas bandejas em prateleiras muito próximas umas das outras enquanto ainda quentes. Os ovos não alcançaram 32ºC porque o tempo de aquecimento foi muito curto para o número de ovos colocados na máquina. Ovos colocados na granja nas bandejas em prateleiras muito próximas umas das outras enquanto ainda quentes. Tempo total acima de 32ºC foi mais longo do que 12 horas (mas menos do que 28 horas). Apenas um tratamento SPIDES foi dado aos ovos armazenados por 13 dias ou mais. Usar tratamentos térmicos mais curtos e em menor número para que o tempo acima de 32ºC seja de 12 horas ou menos. Assegurar que os ovos sejam resfriados de maneira uniforme. Permitir que os ovos resfriem em prateleiras separadas até alcançarem temperatura abaixo de 24ºC. Usar registradores Tiny Tag para verificar se o tempo de aquecimento é longo o suficiente para alcançar a temperatura nas condições de carregamento. Permitir que os ovos resfriem em prateleiras separadas até alcançarem temperatura abaixo de 24ºC. Usar tempo de tratamento térmico mais curto ou um tratamento a menos, assegurar que os ovos sejam resfriados de maneira uniforme. Usar tratamentos adicionais como é mostrado na página 7. Não há melhora na mortalidade embrionária precoce, mas o tempo para eclosão é mais rápido do que em ovos não tratados. O primeiro tratamento SPIDES foi dado muito tarde dar o primeiro tratamento antes de 6 dias de armazenagem. MAIS INFORMAÇÕES RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS Manual Arbor Acres, Informação Indian River ou Ross Tech Pesquisando a Prática de Incubatórios. Manutenção da Incubadora AVIATECH Outras publicações da série Como... : 01 - Medir Perda de Água do Ovo 02 - Medir Rendimento de Pintinhos 03 - Medir a Temperatura da Casca dos Ovos 04 - Identificar Ovos Não Férteis & Mortes Precoces 05 - Embriodiagnóstico e Análise dos Resíduos da Eclosão 06 - Monitorar a Variação de Temperatura da Incubadora 07 - Verificar se os Seus Pintinhos Estão Confortáveis 08 - Monitorar a Viragem dos Ovos 08

BioStreamer HD. Incubadoras de estágio único de alta densidade projetadas para elevada capacidade H D

BioStreamer HD. Incubadoras de estágio único de alta densidade projetadas para elevada capacidade H D BioStreamer HD Incubadoras de estágio único de alta densidade projetadas para elevada capacidade H D 1 2 O conceito HD No catálogo da linha S, você pode observar como essa moderna gama de incubadoras de

Leia mais

We engineer your success. All over the world. Informações Gerais. Automação de Incubatórios

We engineer your success. All over the world. Informações Gerais. Automação de Incubatórios We engineer your success. All over the world. Informações Gerais Automação de Incubatórios A Viscon Automação de Incubatórios proporciona: Projeto de incubatório altamente eficiente Redução de custos de

Leia mais

INCUBAÇÃO. Investigação das Práticas de Incubação. Setembro/2010. ROSS TECH Como Investigar as Práticas de Incubação

INCUBAÇÃO. Investigação das Práticas de Incubação. Setembro/2010. ROSS TECH Como Investigar as Práticas de Incubação INCUBAÇÃO ROSS TECH Como Investigar as Práticas de Incubação Setembro/2010 Investigação das Práticas de Incubação Avaliando Sobre o Autor a Fertilidade A Aviagen proporciona a seus clientes Especificações

Leia mais

INCUBAÇÃO ARTIFICIAL. Alexandre Pires Rosa. alexandreprosa@smail.ufsm.br. Elenice Zucuni Franco. elenicefranco@mail.ufsm.br

INCUBAÇÃO ARTIFICIAL. Alexandre Pires Rosa. alexandreprosa@smail.ufsm.br. Elenice Zucuni Franco. elenicefranco@mail.ufsm.br INCUBAÇÃO ARTIFICIAL alexandreprosa@smail.ufsm.br Elenice Zucuni Franco elenicefranco@mail.ufsm.br QUALIDADE DA CASCA Segurança Considerações iniciais CUIDADOS NA INCUBAÇÃO ARTIFICIAL NA ARMAZENAGEM Posição:

Leia mais

Manejo de ovos férteis: Cuidados da coleta até o nascimento

Manejo de ovos férteis: Cuidados da coleta até o nascimento CHAPTER 5 Manejo de ovos férteis: Cuidados da coleta até o nascimento Introdução A avicultura moderna é caracterizada pela obtenção de máximo desempenho e rendimento da ave, sendo fundamental o processo

Leia mais

Medir a Perda de Água do Ovo?

Medir a Perda de Água do Ovo? Incubação IntroduÇÃO A Aviagen fornece aos clientes uma ampla série de informativos técnicos em vários formatos, como artigos, objetivos de desempenho e especificações do produto, manuais de manejo e especificações

Leia mais

Guia de Manejo de Incubação. incubação. cobb-vantress.com

Guia de Manejo de Incubação. incubação. cobb-vantress.com Guia de Manejo de Incubação incubação cobb-vantress.com Introdução Nos últimos anos, várias foram as modificações ocorridas nos incubatórios, como: introdução do monitoramento por computador, controle

Leia mais

FATORES QUE AFETAM A QUALIDADE DOS PINTOS DE UM DIA, DESDE A INCUBAÇÃO ATÉ RECEBIMENTO NA GRANJA.

FATORES QUE AFETAM A QUALIDADE DOS PINTOS DE UM DIA, DESDE A INCUBAÇÃO ATÉ RECEBIMENTO NA GRANJA. REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE MEDICINA VETERINÁRIA ISSN: 1679-7353 Ano IX Número 16 Janeiro de 2011 Periódicos Semestral FATORES QUE AFETAM A QUALIDADE DOS PINTOS DE UM DIA, DESDE A INCUBAÇÃO ATÉ RECEBIMENTO

Leia mais

Bi Aves Chocadeira B30A CHOCADEIRA B30A. Manual de Instruções. Página 1

Bi Aves Chocadeira B30A CHOCADEIRA B30A. Manual de Instruções. Página 1 CHOCADEIRA B30A Manual de Instruções Página 1 Parabéns por ter adquirido a chocadeira B30A. Bi Aves A B30A passou por inúmeros testes até a sua comercialização, permitindo assim que o seu custo seja acessível

Leia mais

Incubadoras de estágio único e múltiplo

Incubadoras de estágio único e múltiplo CHAPTER 4 Incubadoras de estágio único e múltiplo Introdução A uniformidade de pintinho de um dia no alojamento é essencial e vem se tornando cada vez mais evidente que a vitalidade e a uniformidade. O

Leia mais

PROJETO DE CHOCADEIRA PARA 84 OVOS DE GALINHA CAIXA DE MADEIRA Autor: Randolfo Ribeiro

PROJETO DE CHOCADEIRA PARA 84 OVOS DE GALINHA CAIXA DE MADEIRA Autor: Randolfo Ribeiro PROJETO DE CHOCADEIRA PARA 84 OVOS DE GALINHA CAIXA DE MADEIRA Autor: Randolfo Ribeiro PROJETO DE CHOCADEIRA EM CAIXA DE MADEIRA Capacidade 84 ovos de galinha Autor: Randolfo Ribeiro Este projeto contém

Leia mais

PROGRAMA HD DE NUTRIÇÃO DE MATRIZ PESADA VACCINAR ASPECTOS PRÁTICOS. Marcelo Torretta Coordenador Técnico Nacional Aves Curitiba 10/08/2011

PROGRAMA HD DE NUTRIÇÃO DE MATRIZ PESADA VACCINAR ASPECTOS PRÁTICOS. Marcelo Torretta Coordenador Técnico Nacional Aves Curitiba 10/08/2011 PROGRAMA HD DE NUTRIÇÃO DE MATRIZ PESADA VACCINAR ASPECTOS PRÁTICOS Marcelo Torretta Coordenador Técnico Nacional Aves Curitiba 10/08/2011 CONCEITO HD DE NUTRIÇÃO DE MATRIZES Quando se pensa em quilos

Leia mais

Bi Aves Chocadeira B30 CHOCADEIRA B30D. Manual de Instruções. Página 1

Bi Aves Chocadeira B30 CHOCADEIRA B30D. Manual de Instruções. Página 1 CHOCADEIRA B30D Manual de Instruções Página 1 Parabéns por ter adquirido a chocadeira B30D. A B30D passou por inúmeros testes até a sua comercialização, permitindo assim que o seu custo seja acessível

Leia mais

COMO CUIDAR DE GATOS E CÃES RECÉM-NASCIDOS ASSOCIAÇÃO QUATRO PATINHAS

COMO CUIDAR DE GATOS E CÃES RECÉM-NASCIDOS ASSOCIAÇÃO QUATRO PATINHAS COMO CUIDAR DE GATOS E CÃES RECÉM-NASCIDOS ASSOCIAÇÃO QUATRO PATINHAS COMO CUIDAR DE GATOS E CÃES RECÉM-NASCIDOS SOBRE OS FILHOTES RECÉM-NASCIDOS Gatinhos e cãozinhos filhotes nascem ainda mais dependentes

Leia mais

PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS AVES DE POSTURA EMBRAPA SUÍNOS E AVES

PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS AVES DE POSTURA EMBRAPA SUÍNOS E AVES PROCESSO DE CRIAÇÃO DAS AVES DE POSTURA EMBRAPA SUÍNOS E AVES Pablo Zotti AMADOR 1 ; Maribel Barbosa da CUNHA 2 1 Instituto Federal Catarinense, Concórdia/SC; 2 Instituto Federal Catarinense, Concórdia/SC

Leia mais

Desenvolvimento ótimo de frangos de corte. Um guia prático para assegurar o desempenho inicial correto de frangos de corte

Desenvolvimento ótimo de frangos de corte. Um guia prático para assegurar o desempenho inicial correto de frangos de corte Desenvolvimento ótimo de frangos de corte Um guia prático para assegurar o desempenho inicial correto de frangos de corte Índice Introdução Objetivos 4. Indicadores finais de desempenho 4.1. Mortalidade/pesos

Leia mais

Por quê o conforto das aves é importante?

Por quê o conforto das aves é importante? Checar se suas aves estão confortáveis Por quê o conforto das aves é importante? Logo após o nascimento as aves não são capazes de controlar sua temperatura corporal A temperatura correta da sala de pintinhos

Leia mais

QUALIDADE FÍSICA DE OVOS INCUBÁVEIS DE CODORNAS JAPONESAS (Cortunix coturnix japonica) SUBMETIDOS A DIFERENTES PERIODOS E TEMPERATURAS DE ESTOCAGEM

QUALIDADE FÍSICA DE OVOS INCUBÁVEIS DE CODORNAS JAPONESAS (Cortunix coturnix japonica) SUBMETIDOS A DIFERENTES PERIODOS E TEMPERATURAS DE ESTOCAGEM QUALIDADE FÍSICA DE OVOS INCUBÁVEIS DE CODORNAS JAPONESAS (Cortunix coturnix japonica) SUBMETIDOS A DIFERENTES PERIODOS E TEMPERATURAS DE ESTOCAGEM Renato Lima CÉZAR¹; Nadja Susana Mogyca LEANDRO²,Marcos

Leia mais

Dimensionamento de Solar T. para aquecimento de Piscinas

Dimensionamento de Solar T. para aquecimento de Piscinas Dimensionamento de Solar T. para aquecimento de Piscinas Pedro Miranda Soares Dimensionamento de Sistemas Solares Térmicos para aquecimento de Piscinas No dimensionamento de colectores solares para aquecimento

Leia mais

Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado.

Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado. Aquecedor central Aquecedores são aparelhos que consomem muita energia elétrica. Por isso, evite deixar o seu sempre ligado. Planeje seu uso e habitue-se a ligá-lo apenas o tempo necessário para que você

Leia mais

Incubadoras e soluções completas em incubatórios para lucro máximo pela vida inteira

Incubadoras e soluções completas em incubatórios para lucro máximo pela vida inteira Incubadoras e soluções completas em incubatórios para lucro máximo pela vida inteira Petersime: seu parceiro em incubação Petersime é o fornecedor líder mundial de incubadoras, equipamento de incubatório,

Leia mais

Você tem ninho de ovos de ouro?

Você tem ninho de ovos de ouro? Você tem ninho de ovos de ouro? Promotor L, o reforço que suas aves precisam... E seu bolso também! Benefícios com o uso do Promotor L : Diminui efeitos do estresse (calor, debicagem, etc.); Aumenta a

Leia mais

Disciplina CIÊNCIA DOS MATERIAIS A. Marinho Jr. Materiais polifásicos - Processamentos térmicos

Disciplina CIÊNCIA DOS MATERIAIS A. Marinho Jr. Materiais polifásicos - Processamentos térmicos Tópico 7E Materiais polifásicos - Processamentos térmicos Introdução Já vimos que a deformação plástica de um metal decorre da movimentação interna de discordâncias, fazendo com que planos cristalinos

Leia mais

A brisa do mar está ótima!

A brisa do mar está ótima! A brisa do mar está ótima! Mais um fim de semana. Cristiana e Roberto vão à praia e convidam Maristela para tomar um pouco de ar fresco e de sol, e tirar o mofo! É verão e o sol já está bem quente. Mas

Leia mais

Disciplina de Tecnologia Pós-colheita Mestrado em Ciência e Tecnologia Pós-colheita Faculdade de Ciências, Universidade do Porto

Disciplina de Tecnologia Pós-colheita Mestrado em Ciência e Tecnologia Pós-colheita Faculdade de Ciências, Universidade do Porto 1 Transporte Disciplina de Tecnologia Pós-colheita Mestrado em Ciência e Tecnologia Pós-colheita Faculdade de Ciências, Universidade do Porto Domingos Almeida Transporte terrestre 2 Paletização (Thompson

Leia mais

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão?

2. Como devo manusear o sêmen durante a sua retirada do botijão? CUIDADOS NO MANUSEIO DO SÊMEN CONGELADO O manuseio adequado do sêmen congelado é essencial para manter ótimos resultados nos programas de inseminação artificial, tanto no sêmen sexado como no sêmen convencional.

Leia mais

Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte

Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte Benefícios e Pontos Críticos da Implantação do Sistema de Pressão Negativa para Frangos de Corte Sebastião Florêncio Pereira Neto CRMV-SP 20766 Itabom - SP Pontos Primordiais para a Produção de Frangos

Leia mais

MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CHOCADEIRA GC 660

MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CHOCADEIRA GC 660 MANUAL DE USO E MANUTENÇÃO CHOCADEIRA GC 660 APRESENTAÇÃO Ao mesmo tempo em que expressamos nossos agradecimentos pela aquisição desse produto fabricado com tanto orgulho, lembramos também que não basta

Leia mais

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio

Como Eu Ensino Biomas brasileiros Material de apoio Roteiro da atividade: Jogo da Sobrevivência Como jogar 1. Cada jogador iniciará o jogo com uma população de sessenta quatis na primeira geração e, portanto, marcará na folha-região 60 indivíduos no eixo

Leia mais

FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO:

FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO: FISIOLOGIA DA HIDRATAÇÃO: Ed Burke, Phd. Fisiologista do Esporte da Universidade do Colorado (USA). DEFINIÇÃO: Causas de fadiga muscular: - Desidratação: Transpiração, respiração, produção de urina. -

Leia mais

P R O V A DE FÍSICA II

P R O V A DE FÍSICA II 1 P R O V A DE FÍSICA II QUESTÃO 16 A figura mostra uma barra rígida articulada no ponto O. A barra é homogênea e seu peso P está em seu ponto médio. Sobre cada uma de suas extremidades são aplicadas forças

Leia mais

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano.

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano. Biomecânica Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina-se no estudo da máquina humana. Os ossos, os músculos, ligamentos e tendões são os elementos dessa máquina que possibilitam realizar

Leia mais

TECNOLOGIA DOS MATERIAIS

TECNOLOGIA DOS MATERIAIS TECNOLOGIA DOS MATERIAIS Aula 7: Tratamentos em Metais Térmicos Termoquímicos CEPEP - Escola Técnica Prof.: Transformações - Curva C Curva TTT Tempo Temperatura Transformação Bainita Quando um aço carbono

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA Programa de Pós-Graduação

UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA Programa de Pós-Graduação UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ESCOLA DE VETERINÁRIA Programa de Pós-Graduação EFEITOS DA IDADE DA MATRIZ E DO TAMANHO DO OVO SOBRE OS PESOS DOS COMPONENTES DOS OVOS, DO PINTO, DO SACO VITELINO,

Leia mais

Manual de Manejo MATRIZES. Seção 2. Uma marca Aviagen

Manual de Manejo MATRIZES. Seção 2. Uma marca Aviagen MATRIZES Seção 2 Manual de Manejo Uma marca Aviagen Prefácio Sobre este Manual Este manual tem por finalidade ajudar os clientes da Aviagen a otimizar a performance de suas matrizes. Não de destina a dar

Leia mais

FLAVIO HENRIQUE ARAUJO SILVA

FLAVIO HENRIQUE ARAUJO SILVA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ZOOTECNIA E ENGENHARIA DE ALIMENTOS FLAVIO HENRIQUE ARAUJO SILVA Influência dos tempos de aquecimento e armazenamento de ovos férteis de reprodutoras pesadas sobre

Leia mais

Controlador de Segurança para chamas de Gás

Controlador de Segurança para chamas de Gás Controlador de Segurança para chamas de Gás Para queimadores de gás atmosféricos de 2 estágios: Detecção de chamas: - Sonda de Ionização - Detector de Infra-vermelho IRD 1020 - Sensor de chamas Ultravioleta

Leia mais

CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno

CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno 1.0 Introdução Existe um crescimento enorme em termos de instalação

Leia mais

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL

SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL SISTEMA HIDRAULICO PARA ELEVADORES CONFORTO TOTAL ACESSIBILIDADE TOTAL Obrigado por escolher equipamentos FLUHYDRO SYSTEMS. Os sistemas óleo hidráulicos são hoje, as melhores, mais seguras e econômicas

Leia mais

Vida Útil de Baterias Tracionárias

Vida Útil de Baterias Tracionárias Vida Útil de Baterias Tracionárias Seção 1 Introdução. Seção 2 Vida Útil Projetada. ÍNDICE Seção 3 Fatores que Afetam a Vida Útil da Bateria. Seção 3.1 Problemas de Produto. Seção 3.2 Problemas de Manutenção.

Leia mais

A Reprodução da Galinha

A Reprodução da Galinha A Reprodução da Galinha Projecto Celeiro da Vida Album Seriado Manual de Facilitação de Práticas Agrárias e de Habilidades para a Vida Para os Facilitadores das Jffls A reprodução da galinha 2 Rascunho

Leia mais

Condensação. Ciclo de refrigeração

Condensação. Ciclo de refrigeração Condensação Ciclo de refrigeração Condensação Três fases: Fase 1 Dessuperaquecimento Redução da temperatura até a temp. de condensação Fase 2 Condensação Mudança de fase Fase 3 - Subresfriamento Redução

Leia mais

RESPOSTA TÉCNICA. Preciso de informações sobre reciclagem de thinner, fabricante de máquinas para reciclagem e viabilidade.

RESPOSTA TÉCNICA. Preciso de informações sobre reciclagem de thinner, fabricante de máquinas para reciclagem e viabilidade. RESPOSTA TÉCNICA Título Reciclagem de Thinner Resumo Informações de como é feita a reciclagem de solventes orgânicos como o thinner, fornecedores de equipamentos para reciclagem dos mesmos e viabilidade

Leia mais

Definições. O que é um INCUBATÓRIO. Custo de produção. Controle sobre a prole. Manejo intensivo para domesticação. o Justificativa de instalação

Definições. O que é um INCUBATÓRIO. Custo de produção. Controle sobre a prole. Manejo intensivo para domesticação. o Justificativa de instalação Definições O que é um INCUBATÓRIO o Justificativa de instalação Custo de produção Controle sobre a prole Manejo intensivo para domesticação Manejo de Incubatório Equipamentos necessários o Incubadora Tamanho

Leia mais

Empresas de diversos setores necessitam de produzir águas quentes no âmbito das suas atividades, como por exemplo:

Empresas de diversos setores necessitam de produzir águas quentes no âmbito das suas atividades, como por exemplo: Empresas de diversos setores necessitam de produzir águas quentes no âmbito das suas atividades, como por exemplo: no Alojamento, para banhos, cozinha e limpezas nos Serviços, para limpezas, lavagem de

Leia mais

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM

SOLDAGEM DOS METAIS CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM 82 CAPÍTULO 11 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM 83 TENSÕES E DEFORMAÇÕES EM SOLDAGEM Nas operações de soldagem, principalmente as que envolvem a fusão dos materiais, temos uma variação não uniforme e

Leia mais

MANUAL EXPERIMENTAL DE INSTRUÇÃO DE MANUFATURA E USO DO

MANUAL EXPERIMENTAL DE INSTRUÇÃO DE MANUFATURA E USO DO MANUAL EXPERIMENTAL DE INSTRUÇÃO DE MANUFATURA E USO DO ASBC DE PORTE MÉDIO PARA AGRICULTURA E ENTIDADES ASSISTENCIAIS VOLUME DE 1000 LITROS Elaborado por SoSol - Sociedade do Sol ASBC instalado no IPEC

Leia mais

Soldagem de manutenção II

Soldagem de manutenção II A UU L AL A Soldagem de manutenção II A recuperação de falhas por soldagem inclui o conhecimento dos materiais a serem recuperados e o conhecimento dos materiais e equipamentos de soldagem, bem como o

Leia mais

LinearOven. Cozimento a vapor, cozimento e grelhamento de alta qualidade

LinearOven. Cozimento a vapor, cozimento e grelhamento de alta qualidade LinearOven Cozimento a vapor, cozimento e grelhamento de alta qualidade Criação do microclima correto Douramento e cocção uniformes Apropriado para ampla gama de produtos Cozimento a vapor, cozimento e

Leia mais

SOLUÇÃO: RESPOSTA (D) 17.

SOLUÇÃO: RESPOSTA (D) 17. 16. O Ceará é hoje um dos principais destinos turísticos do país e uma das suas atrações é o Beach Park, um parque temático de águas. O toboágua, um dos maiores da América Latina, é uma das atrações preferidas

Leia mais

Incubatórios chave na mão. Soluções completas para o máximo retorno econômico

Incubatórios chave na mão. Soluções completas para o máximo retorno econômico Incubatórios chave na mão Soluções completas para o máximo retorno econômico 1 Incubatórios chave na mão Como maximizar o retorno do investimento no incubatório / 4 Maximizar a produtividade, minimizar

Leia mais

Um capacitor não armazena apenas carga, mas também energia.

Um capacitor não armazena apenas carga, mas também energia. Capacitores e Dielétricos (continuação) Energia armazenada num capacitor Um capacitor não armazena apenas carga, mas também energia. A energia armazenada num capacitor é igual ao trabalho necessário para

Leia mais

POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS. Estilo com Tecnologia. Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação

POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS. Estilo com Tecnologia. Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS Estilo com Tecnologia Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação CHAPAS COMPACTAS Chapa em policarbonato compacto, com tratamento em um dos lados contra o ataque

Leia mais

POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA

POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA POR QUE SER ATIVO ALBERTO OGATA O nosso corpo é uma máquina fantástica, que não foi feita para ficar parada. Se você estiver realmente decidido a ter uma atitude positiva em relação a sua saúde e ao seu

Leia mais

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº09 Prof. Paulo Henrique

3º Ano do Ensino Médio. Aula nº09 Prof. Paulo Henrique Nome: Ano: º Ano do E.M. Escola: Data: / / 3º Ano do Ensino Médio Aula nº09 Prof. Paulo Henrique Assunto: Interpretação e Análise de gráficos 1. O que é importante na hora de analisar um gráfico? Atenção

Leia mais

Análise da perda líquida no degelo e o preço real do quilo do filé de peixe cação utilizado em um restaurante comercial na cidade de Niterói, RJ

Análise da perda líquida no degelo e o preço real do quilo do filé de peixe cação utilizado em um restaurante comercial na cidade de Niterói, RJ Análise da perda líquida no degelo e o preço real do quilo do filé de peixe cação utilizado em um restaurante comercial na cidade de Niterói, RJ Letícia Ferreira Tavares (UFF) leticia.tavares@predialnet.com.br

Leia mais

A QUALIDADE DO OVO (COR DA CASCA; DUREZA DA CASCA; TAMANHO) A actual crise do sector avícola, justifica por si só o presente artigo.

A QUALIDADE DO OVO (COR DA CASCA; DUREZA DA CASCA; TAMANHO) A actual crise do sector avícola, justifica por si só o presente artigo. N 45 A QUALIDADE DO OVO (COR DA CASCA; DUREZA DA CASCA; TAMANHO) A actual crise do sector avícola, justifica por si só o presente artigo. Qual a fábrica de alimentos compostos que não recebe reclamações

Leia mais

AQUACULTURA: Produção artificial de Bivalves

AQUACULTURA: Produção artificial de Bivalves AQUACULTURA: Produção artificial de Bivalves Introdução Crassostrea angulata Importância Comercial Patologia das brânquias Meados da década de 70 Levou à quase extinção Inexistência de uma gestão racional

Leia mais

FERRAMENTAS E PRÁTICAS DE BAIXO CUSTO PARA MELHORAR O BEM-ESTAR DE ANIMAIS DE PRODUÇÃO. Irenilza de Alencar Nääs

FERRAMENTAS E PRÁTICAS DE BAIXO CUSTO PARA MELHORAR O BEM-ESTAR DE ANIMAIS DE PRODUÇÃO. Irenilza de Alencar Nääs FERRAMENTAS E PRÁTICAS DE BAIXO CUSTO PARA MELHORAR O BEM-ESTAR DE ANIMAIS DE PRODUÇÃO Irenilza de Alencar Nääs 1 O Brasil é um dos maiores produtores de aves no mundo. Crescimento mundial do consumo Preocupação

Leia mais

NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES ANEXO N.º 3 - CALOR PROPOSTA DE TEXTO NORMATIVO

NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES ANEXO N.º 3 - CALOR PROPOSTA DE TEXTO NORMATIVO NR 15 - ATIVIDADES E OPERAÇÕES INSALUBRES ANEXO N.º 3 - CALOR PROPOSTA DE TEXTO NORMATIVO 1. Objetivos 1.1 Definir critérios para a caracterização e controle dos riscos à saúde dos trabalhadores decorrentes

Leia mais

INFLUÊNCIA DO PESO DO OVO SOBRE A ECLODIBILIDADE E O PESO DO PINTO AO NASCIMENTO

INFLUÊNCIA DO PESO DO OVO SOBRE A ECLODIBILIDADE E O PESO DO PINTO AO NASCIMENTO INFLUÊNCIA DO PESO DO OVO SOBRE A ECLODIBILIDADE E O PESO DO PINTO AO NASCIMENTO Jucilene Silva do Nascimento 1, Bruna Silva Belo 2, Henrique Jorge de Freitas 3, Marcelo Bastos Cordeiro 3, Fábio Augusto

Leia mais

TruTool. As novas ferramentas com bateria de íon de lítio: Power-Head-Technology. Máquinas / Ferramentas Elétricas Tecnologia Laser / Eletrônicos

TruTool. As novas ferramentas com bateria de íon de lítio: Power-Head-Technology. Máquinas / Ferramentas Elétricas Tecnologia Laser / Eletrônicos TruTool As novas ferramentas com bateria de íon de lítio: Power-Head-Technology Máquinas / Ferramentas Elétricas Tecnologia Laser / Eletrônicos Tesoura especiais TruTool C 160 Power-Head-Technology A TRUMPF

Leia mais

Urologia Pediátrica Dr. Eulálio Damazio

Urologia Pediátrica Dr. Eulálio Damazio Orientações anestésicas para cirurgias pediátricas urológicas Meu filho vai ser operado. Como será a cirurgia? E a anestesia? São seguras? Ele vai acordar logo? E o jejum? Estas questões são muito comuns

Leia mais

Boletim da Engenharia 14

Boletim da Engenharia 14 Boletim da Engenharia 14 Como trocar o óleo dos compressores parafuso abertos e semi-herméticos 10/03 No boletim da engenharia nº13 comentamos sobre os procedimentos para troca de óleo dos compressores

Leia mais

Aviagen Brief - Optimizing Broiler FCR, June 2011

Aviagen Brief - Optimizing Broiler FCR, June 2011 Aviagen Brief - Optimizing Broiler FCR, June 2011 AviagenBrief Dezembro / 2011 Otimizando a Taxa de Conversão Alimentar do Frango de Corte Este artigo foi elaborado especificamente para produtores de aves

Leia mais

* Substituir o animal vertebrado por um invertebrado ou outra forma de vida inferior, culturas de tecidos/células a simulações em computadores;

* Substituir o animal vertebrado por um invertebrado ou outra forma de vida inferior, culturas de tecidos/células a simulações em computadores; PESQUISAS COM ANIMAIS VERTEBRADOS As regras a seguir foram desenvolvidas baseadas em regulamentações internacionais para ajudar aos alunos pesquisadores a proteger o bem-estar de ambos, o animal pesquisado

Leia mais

Exercícios. Exercício 1

Exercícios. Exercício 1 Exercícios Exercício 1 Considere um sistema de processamento com os seguintes tempos entre chegadas de tarefas: Tempo entre Chegadas (horas) Probabilidade 0 0.23 1 0.37 2 0.28 3 0.12 Os tempos de processamento

Leia mais

Desinfeção dos ovos incubáveis

Desinfeção dos ovos incubáveis CHAPTER 9 Desinfeção dos ovos incubáveis Introdução Ao longo dos anos, várias práticas relacionadas ao manejo das aves produtoras de ovos férteis têm sido implantadas visando à melhoria do processo produtivo.

Leia mais

Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO 098-ETE PHILADELPHO GOUVEA NETTO - São José do Rio Preto SP

Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO 098-ETE PHILADELPHO GOUVEA NETTO - São José do Rio Preto SP CEETEPS Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO 098-ETE PHILADELPHO GOUVEA NETTO - São José do Rio Preto SP APOSTILA DE MATERIAIS DE PROTESE MATERIAIS DE MOLDAGEM

Leia mais

CRIAÇÃO E MANEJO DE AVES POEDEIRAS

CRIAÇÃO E MANEJO DE AVES POEDEIRAS CRIAÇÃO E MANEJO DE AVES POEDEIRAS INTRODUÇÃO Galinhas poedeiras ou de postura são aquelas destinadas à produção de ovos, sendo este considerado de alto valor nutricional, podendo a sua qualidade ser influenciada

Leia mais

Programa de Orientação a Incubatórios para um incubatório totalmente operacional EDITORIAL

Programa de Orientação a Incubatórios para um incubatório totalmente operacional EDITORIAL 12 Programa de Orientação a Incubatórios / 1 Nova e compacta bandeja de incubação / 3 Investimentos contínuos nas instalações de produção / 4 O Seminário de Distribuidores da Petersime comprova ser um

Leia mais

PRÁTICAS SILVICULTURAIS

PRÁTICAS SILVICULTURAIS CAPÍTULO 10 PRÁTICAS SILVICULTURAIS 94 Manual para Produção de Madeira na Amazônia APRESENTAÇÃO Um dos objetivos do manejo florestal é garantir a continuidade da produção madeireira através do estímulo

Leia mais

Gerenciamento Ambiental em Uma Granja de Frangos

Gerenciamento Ambiental em Uma Granja de Frangos Página II Reconhecimento O conteúdo principal desta publicação é de autoria do Professor James O. Donald, da Universidade de Auburn. O Professor Donald é um engenheiro agrícola amplamente reconhecido como

Leia mais

UNIDADE 4 PRODUÇÃO, CONSUMO, EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO. PROCESSAMENTO TECNOLÓGICO DE OVOS

UNIDADE 4 PRODUÇÃO, CONSUMO, EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO. PROCESSAMENTO TECNOLÓGICO DE OVOS UNIDADE 4 PRODUÇÃO, CONSUMO, EXPORTAÇÃO E IMPORTAÇÃO. PROCESSAMENTO TECNOLÓGICO DE OVOS 1 CONSUMO DE OVOS Dados da FAO (2010) para a América Latina apontam que o Brasil se encontra na oitava posição em

Leia mais

Manejo inicial e seus reflexos no desempenho do frango

Manejo inicial e seus reflexos no desempenho do frango 1 de 6 20/7/2009 14:35 Manejo inicial e seus reflexos no desempenho do frango Valéria Maria Nascimento Abreu, DSc Pesquisadora Sistema de Produção de Aves - Embrapa Suínos e Aves O manejo inicial dos frangos

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR DE AR VENTILAR CLIMATIZE 300 CLI300

MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR DE AR VENTILAR CLIMATIZE 300 CLI300 MANUAL DO USUÁRIO CLIMATIZADOR DE AR VENTILAR CLIMATIZE 300 CLI300 Obrigado por adquirir o Climatizador Cadence Ventilar Climatize 300, um produto de alta tecnologia, seguro e eficiente. É muito importante

Leia mais

SOLUÇÕES DE CURADO PARA CONCRETO

SOLUÇÕES DE CURADO PARA CONCRETO SOLUÇÕES DE CURADO PARA CONCRETO PANORAMA DOS SISTEMAS Resultados Imediatos à vista Qualidade e melhor apresentação no seu Produto final Redução de Florescentes na superfície dos Concreto Resistências

Leia mais

TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS

TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS Tratamentos térmicos dos aços 1 TRATAMENTOS TÉRMICOS DOS AÇOS Os tratamentos térmicos empregados em metais ou ligas metálicas, são definidos como qualquer conjunto de operações de aquecimento e resfriamento,

Leia mais

Capítulo 14. Pós-cura

Capítulo 14. Pós-cura Capítulo 14 Pós-cura O grau de interligação das resinas curadas a frio depende de muitas variáveis. As mais importantes são a taxa de liberação de radicais livres nas várias fases do processo, a arquitetura

Leia mais

1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s

1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s SIMULADO DE FÍSICA ENSINO MÉDIO 1) Calcular, em m/s, a velocidade de um móvel que percorre 14,4Km em 3min. a) ( ) 70m/s b) ( ) 80 m/s c) ( ) 90m/s d) ( ) 60m/s 2) Um avião voa com velocidade constante

Leia mais

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos

Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Módulo I Segunda Lei da Termodinâmica e Ciclos Limites da Primeira Lei No estudo da termodinâmica básica vimos que a energia deve ser conservar e que a Primeira Lei enuncia essa conservação. Porém, o cumprimento

Leia mais

Refrigerador Frost Free

Refrigerador Frost Free GUIA RÁPIDO Comece por aqui Se você quer tirar o máximo proveito da tecnologia contida neste produto, leia o Guia Rápido por completo. Refrigerador Frost Free Frost Free Seu refrigerador usa o sistema

Leia mais

É O COMBATE DO DESPERDÍCIO DE ENERGIA ELÉTRICA. É OBTER O MELHOR RESULTADO, DIMINUINDO O CONSUMO, SEM PREJUÍZO DE SEU CONFORTO E LAZER.

É O COMBATE DO DESPERDÍCIO DE ENERGIA ELÉTRICA. É OBTER O MELHOR RESULTADO, DIMINUINDO O CONSUMO, SEM PREJUÍZO DE SEU CONFORTO E LAZER. É O COMBATE DO DESPERDÍCIO DE ENERGIA ELÉTRICA. É OBTER O MELHOR RESULTADO, DIMINUINDO O CONSUMO, SEM PREJUÍZO DE SEU CONFORTO E LAZER. Na verdade você corre o risco de molhar o medidor e causar Curto-circuito.

Leia mais

- Tem importância nos mecanismos de evolução e Seleção Natural dos seres vivos; - Mantém o equilíbrio ecológico e alimentar de um habitat;

- Tem importância nos mecanismos de evolução e Seleção Natural dos seres vivos; - Mantém o equilíbrio ecológico e alimentar de um habitat; A reprodução: - Tem importância nos mecanismos de evolução e Seleção Natural dos seres vivos; - Mantém o equilíbrio ecológico e alimentar de um habitat; - E, principalmente, ajuda a perpetuar uma espécie

Leia mais

O chuveiro elétrico. continua. sendo um problema no período de ponta! Demanda de energia é problema para a ANEEL. Prof. Racine T. A.

O chuveiro elétrico. continua. sendo um problema no período de ponta! Demanda de energia é problema para a ANEEL. Prof. Racine T. A. Aquecimento solar de água em habitações de interesse social Prof. Racine T. A. Prado Demanda de energia é problema para a ANEEL O chuveiro elétrico continua O chuveiro elétrico permanece um problema no

Leia mais

Desempenamento. desempenamento de uma barra

Desempenamento. desempenamento de uma barra A UU L AL A Desempenamento Na área mecânica e metalúrgica, desempenar é a operação de endireitar chapas, tubos, arames, barras e perfis metálicos, de acordo com as necessidades relativas ao projeto de

Leia mais

Vamos Poupar Energia!!! www.facebook.com/experimenta.energia

Vamos Poupar Energia!!! www.facebook.com/experimenta.energia Vamos Poupar Energia!!! www.facebook.com/experimenta.energia Que podemos nós fazer? Eficiência Energética Utilização Racional da Energia, assegurando os níveis de conforto e de qualidade de vida. Como?

Leia mais

PROCESSAMENTO DE OVOS

PROCESSAMENTO DE OVOS PROCESSAMENTO DE OVOS Miryelle Freire Sarcinelli 1 (e-mail: miryelle@hotmail.com) Katiani Silva Venturini 1 (e-mail: katiani_sv@hotmail.com) Luís César da Silva 2 (website: www.agais.com) 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

INFLUÊNCIA DO LOCAL E CONDIÇÕES DE ARMAZENAGEM SOBRE A QUALIDADE INTERNA DOS OVOS DE MESA, COMERCIALIZADOS EM VIDEIRA/SC.

INFLUÊNCIA DO LOCAL E CONDIÇÕES DE ARMAZENAGEM SOBRE A QUALIDADE INTERNA DOS OVOS DE MESA, COMERCIALIZADOS EM VIDEIRA/SC. INFLUÊNCIA DO LOCAL E CONDIÇÕES DE ARMAZENAGEM SOBRE A QUALIDADE INTERNA DOS OVOS DE MESA, COMERCIALIZADOS EM VIDEIRA/SC. Gustavo Ribeiro Bonatto 1 ; Marinês Kerber 2 INTRODUÇÃO Atualmente se busca qualidade

Leia mais

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado

Fundamentos de Engenharia Solar. Racine T. A. Prado Fundamentos de Engenharia Solar Racine T. A. Prado Coletores Solares Um coletor solar é um tipo específico de trocador de calor que transforma energia solar radiante em calor. Duffie; Beckman Equação básica

Leia mais

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível.

VALÊNCIAS FÍSICAS. 2. VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Tempo que é requerido para ir de um ponto a outro o mais rapidamente possível. VALÊNCIAS FÍSICAS RESISTÊNCIA AERÓBICA: Qualidade física que permite ao organismo executar uma atividade de baixa para média intensidade por um longo período de tempo. Depende basicamente do estado geral

Leia mais

Disciplina de Doença das Aves Domésticas Curso de Medicina Veterinária MV Leonardo Bozzi Miglino Mestrando em Ciências Veterinárias - UFPR

Disciplina de Doença das Aves Domésticas Curso de Medicina Veterinária MV Leonardo Bozzi Miglino Mestrando em Ciências Veterinárias - UFPR MICOPLASMOSE AVIÁRIA Disciplina de Doença das Aves Domésticas Curso de Medicina Veterinária MV Leonardo Bozzi Miglino Mestrando em Ciências Veterinárias - UFPR Mycoplasma gallisepticum, M.synoviae, M.meleagridis

Leia mais

Estudo de Viabilidade

Estudo de Viabilidade Estudo de Viabilidade PGE: Plastic Gestor Empresarial Especificação de Requisitos e Validação de Sistemas Recife, janeiro de 2013 Sumário 1. Motivação... 1 2. Introdução: O Problema Indentificado... 2

Leia mais

Soluções criativas em pallets plásticos para transporte e armazenamento de mercadorias.

Soluções criativas em pallets plásticos para transporte e armazenamento de mercadorias. Soluções criativas em pallets plásticos para transporte e armazenamento de mercadorias. Nossos diferenciais Pioneirismo. Em 1970, a Schoeller introduziu a garrafeira plástica no mercado nacional. Liderança

Leia mais

Treino de Alongamento

Treino de Alongamento Treino de Alongamento Ft. Priscila Zanon Candido Avaliação Antes de iniciar qualquer tipo de exercício, considera-se importante que o indivíduo seja submetido a uma avaliação física e médica (Matsudo &

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Prof. Fernando Leonel Conteúdo da aula de hoje 1. Custos dos estoques 2. Custos diretamente proporcionais 3. Custos inversamente proporcionais 4.

Leia mais

A MIXIE RESPONDE TOP 10 DÚVIDAS DO ONLINE

A MIXIE RESPONDE TOP 10 DÚVIDAS DO ONLINE A MIXIE RESPONDE TOP 10 DÚVIDAS DO ONLINE DICA DA MIXIE - MARÇO 2014 1 SOCORRO! AS NATAS FICARAM LÍQUIDAS. O QUE FAZER? Use sempre natas indicadas para bater, ou seja, com pelo menos 35% de gordura. Quanto

Leia mais

SECAGEM DE GRÃOS. Disciplina: Armazenamento de Grãos

SECAGEM DE GRÃOS. Disciplina: Armazenamento de Grãos SECAGEM DE GRÃOS Disciplina: Armazenamento de Grãos 1. Introdução - grãos colhidos com teores elevados de umidade, para diminuir perdas:. permanecem menos tempo na lavoura;. ficam menos sujeitos ao ataque

Leia mais

Sólidos, líquidos e gases

Sólidos, líquidos e gases Mudanças de fase Sólidos, líquidos e gases Estado sólido Neste estado, os átomos da substâncias se encontram muito próximos uns dos outros e ligados por forças eletromagnéticas relativamente grandes. Eles

Leia mais

Termorregulação. É a capacidade de manutenção da temperatura corpórea dentro de certos limites, mesmo quando a temperatura do ambiente é diferente.

Termorregulação. É a capacidade de manutenção da temperatura corpórea dentro de certos limites, mesmo quando a temperatura do ambiente é diferente. Termorregulação É a capacidade de manutenção da temperatura corpórea dentro de certos limites, mesmo quando a temperatura do ambiente é diferente. Tipos de termorregulação Fisiológica o organismo utiliza

Leia mais