Apresentação de Resultados 2008

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Apresentação de Resultados 2008"

Transcrição

1 Apresentação de Resultados 2008

2 Agenda Destaques 2008 Áreas de Negócio / Mercados Relevantes Comércio Automóvel Portugal Serviços Automóvel Europa Serviços Automóvel Brasil Resultados Consolidados Notas Finais 2

3 Destaques 2008 Esmeralda Dourado

4 Destaques 2008 Enfoque Estratégico Venda da participação no Banco Santander Consumer Portugal / Interbanco (2007) reconfiguração do portfolio de negócios Distribuição e Comércio Automóvel em Portugal: reforço da posição e notoriedade das Marcas representadas, com foco na eficiência e melhoria de processos e na interactividade com os Clientes, visando a sustentabilidade e rentabilidade da Organização Comercial Unidas: alteração de prioridades do crescimento para a rentabilidade, sob a pressão do aumento dos custos financeiros e da deterioração do mercado Brasileiro de viaturas usadas 4

5 Destaques 2008 Actividade Ano de 2008 condicionado pela crise financeira internacional, com impacto principalmente no 2º Semestre Portugal Comércio Automóvel: bons resultados em 2008, beneficiando de um ciclo de produto favorável e das medidas de reorganização da área de Retalho do Grupo SIVA reforça a liderança no mercado de veículos ligeiros de passageiros Brasil Unidas: impacto negativo do aumento dos custos financeiros e da deterioração dos preços no mercado de usados Grupo SAG com melhorias operacionais na maioria dos seus negócios, embora insuficientes para compensar o aumento dos custos de funding e o impacto dos preços das viaturas usadas no Brasil Crescimento da actividade na área dos Serviços Automóvel, em Portugal, Polónia e Brasil 5

6 Destaques 2008 Resultados EBITDA cresceu de 66,4 milhões para 77,2 milhões em 2008 Contribuição positiva da Unidas Resultado líquido consolidado, em bases comparáveis (*) caiu de 7,4 milhões em 2007 para 5,2 milhões Impacto negativo (depois de impostos) de 3,5 milhões ( 5,3 milhões antes de impostos) pela constituição da provisão para perdas potenciais na frota da Unidas reduziu muito substancialmente a contribuição desta Empresa Aumento dos custos financeiros no Brasil, apesar dos aumentos de capital realizados (R$ 100 milhões), devido ao aumento dos spreads Contribuição da área de Comércio Automóvel de acordo com as expectativas (*) excluindo, em 2007, a mais valia realizada na venda do BSCP e, em 2008, a provisão para perdas na frota da Unidas 6

7 Destaques 2008 Desenvolvimento Empresarial Reforço da posição da Soauto nos mercados estratégicos (Lisboa e Porto) e início da reorganização com vista a aumentar a eficiência e a captura de sinergias Aquisição de posição maioritária na Loures Automóveis Fusão das 5 concessões detidas a 100% pela SAG numa única entidade jurídica Primeiro ano completo da experiência industrial da SAG através da Ecometais, num contexto de evolução adversa e errática dos preços do ferro fragmentado Provisão para perdas potenciais na frota da Unidas - 5,3 milhões (antes de impostos) 1ª Emissão de Debentures da Unidas (R$ 250 milhões no 1º Semestre) e refinanciamento das Obrigações SAG ( 90 milhões no 2º Semestre) 7

8 Comércio Automóvel em Portugal Fernando Monteiro

9 Comércio Automóvel em Portugal Mercado de Veículos Ligeiros Novos O mercado de ligeiros de passageiros cresceu 5,7% em 2008, enquanto o de veículos ligeiros praticamente estagnou Crise económica fez-se notar no mercado de comerciais ligeiros Mercado de passageiros beneficiou do anúncio de agravamentos fiscais para V. Ligeiros V. Passageiros ,5% vs ,5% vs ,4% vs ,7% vs '00 '01 '02 '03 '04 '05 '06 '

10 Comércio Automóvel em Portugal Volumes de Vendas das Marcas SIVA As vendas totais SIVA aumentaram 5,0%, claramente acima do mercado, ultrapassando as 32 mil unidades, com ganhos de quota de mercado em todas as marcas de veículos de passageiros Quotas mercado Unidades Vendidas Variação 07-08; % 8,2% 7,9% ,3% 11,9% ,0% +9,9% 1,9% 1,9% ,9% 3,7% 3,4% ,6% 5,7% 4,8% ,0% 7,5% ,6% -2,6% VW - VP Skoda Audi VW - VCL VW - ABC SIVA - total* Fonte: ACAP * Inclui Bentley e Lamborghini 10

11 Comércio Automóvel em Portugal Quotas de Mercado As marcas SIVA, no seu conjunto, atingem o primeiro lugar no top de vendas de ligeiros de passageiros Quota de mercado das marcas SIVA foi de 13,8% no mercado dos ligeiros de passageiros e de 11,9% no mercado dos ligeiros total Quota de Mercado (ligeiros passageiros) Quota de Mercado (ligeiros total) 43,6% 1,5% 2,9% 7,5% 12,3% 6,1% 9,8% 8,4% 7,8% Renault Opel Peugeot Citroen Toyota VW Audi Skoda Outros 1º lugar entre Import. 45,7% 11,8% 1,9% 8,2% 3,7% 8,7% 5,3% 7,9% 7,0% Renault Opel Peugeot Citroen Toyota VW Audi Skoda Outros 2º lugar entre Import. Fonte: ACAP Fonte: ACAP 11

12 Comércio Automóvel em Portugal Retalho Automóvel Através da Soauto a SAG tem uma presença estratégica na rede de retalho das marcas representadas pela SIVA Porto Em 2008 foi responsável por mais de 20% das vendas da rede SIVA a nível nacional (50% em Lisboa e 23% no Porto) Lisboa Expocar Lisboa Expocar Cascais Expocar Loures Castelimo Cervag Loures Auto. JM Seguro Carlar Carquatro Expocar Porto Rolporto 12

13 Comércio Automóvel em Portugal Perspectivas 2009: Lançamentos Produto Queda acentuada do mercado automóvel e reforço da posição das Marcas SIVA Modelo Data Golf GTI Junho 2009 Golf Plus Março 2009 Golf Variant Novembro 2009 Polo Setembro 2009 Caddy 4-Motion Janeiro 2009 A5 Cabrio Abril 2009 A4 Allroad Maio 2009 A5 Sportback Setembro 2009 Octavia Fevereiro 2009 Yeti 4º trimestre 13

14 Serviços Automóvel Europa Pedro de Almeida

15 Serviços Automóvel Europa Renting: Mercado Português A taxa de penetração do Renting no mercado dos veículos ligeiros novos continua a crescer Número de novos contratos cresceu 3% em 2008 Renting vs Mercado de Ligeiros Número de Contratos sob Gestão +5,0% +3,0% +9,5% +8,7% ,8% 15,9% 16,5% Produção Taxa de Penetração Fonte: SC Multirent Fonte: SC Multirent Total Contratos Sob Gestão 15

16 Serviços Automóvel Europa Renting: SC Multirent A SC Multirent ocupa a 4ª posição de topo no número de contratos sob gestão Crescimento de 6,9% do número de contratos novos Crescimento de 6,0% do número de contratos em carteira Carteira de contratos de serviços avulso aumentou 43,3% para Produção de Novos Contratos Número de Contratos em Carteira +16,0% +6,9% +8,7% +6,0% ,1% ,4% 13,9% ,0% 9,0% 8,7% Produção Quota de Mercado Fonte: Multirent Carteira (#) Quota de Mercado Fonte: Multirent 16

17 Serviços Automóvel Europa Renting: Mercado Espanhol Aumento progressivo da taxa de penetração do Renting no mercado de veículos ligeiros novos A taxa de crescimento média da carteira verificada entre 2006 e 2008 (6,6%) é inferior à verificada no mercado Português (9,1%) Renting vs Mercado de Ligeiros Número de Contratos sob Gestão +10,0% -10,4% +10,6% +2,7% ,5% 10,6% 13,1% Produção Total Taxa de Penetração Fonte: SC Iber-Rent / AER Total Contratos Sob Gestão Fonte: SC Iber-Rent / AER 17

18 Serviços Automóvel Europa Renting: SC Iber-Rent Redução da nova produção decorre da quebra do mercado de veículos ligeiros em Espanha (25%) Redução da quota de mercado dos contratos sob gestão é consequência da alteração da política comercial dos últimos anos que tem como consequência a não renovação de um elevado número de contratos finalizados em 2008 Produção de Novos Contratos Número de Contratos em Carteira +18,4% -20,3% +2,1% -3,2% ,8% 5,2% 4,8% 3,3% 3,1% 2,9% Produção Iberent Quota de Mercado - SC Iber-Rent Carteira Iberrent Quota de Mercado Fonte: SC Iber-Rent / AER Fonte: SC Iber-Rent / AER 18

19 Serviços Automóvel Europa Renting: Mercado Polónia Aumento progressivo da taxa de penetração do Renting no mercado de veículos ligeiros novos A taxa de crescimento média da carteira verificada entre 2006 e 2008 (24,7%) é superior à verificada no mercado Espanhol (6,6%) e Português (9,1%) Renting vs Mercado de Ligeiros Número de Contratos sob Gestão +26,2% +22,9% +26,3% +23,1% ,3% 6,4% 7,2% Produção Total Taxa de Penetração Fonte: SC Multirent Total Contratos Sob Gestão Fonte: SC Multirent 19

20 Serviços Automóvel Europa Renting: SC Multirent Sp z.o.o. A SC Multirent Sp z.o.o. iniciou a sua actividade no final do 1º Trimestre de 2008 O impacto do crescimento da nova produção só se repercutirá na quota de mercado do número de contratos sob gestão nos próximos anos Produção de Novos Contratos Número de Contratos em Carteira 2,9% 0,9% 97,1% SC Multirent Outras 66,5% 15,2% 9,1% 8,3% Masterlease LeasePlan Arval Outras SC Multirent Fonte: SC Multirent Fonte: Keralla Research 20

21 Serviços Automóvel Europa Renting: Perspectivas 2009 O mercado português de Renting deverá pela primeira vez apresentar uma tendência decrescente A SC Multirent irá procurar aumentar a quota de mercado, assente num modelo de negócio que potencie as sinergias a nível operacional e comercial que decorrem da complementaridade dos seus dois accionistas Prevê-se para o mercado de renting uma redução na produção de contratos novos, mas com o aumento da taxa de penetração no mercado de veículos novos. A SC Iber-Rent deverá manter o enfoque na produção via Canal Indirecto Prevê-se o crescimento acentuado no nº de contratos total da SC Multirent Sp Zoo Prioridade na Optimização das sinergias existentes com o SC Bank Poland 21

22 Serviços Automóvel Europa Remarketing: Manheim Portugal A Manheim Portugal já representa 28% do mercado de leilões de automóveis em Portugal, com manutenção da tendência de concentração à semelhança do que acontece nos EUA e no Reino Unido Mercado Português de Leilões Automóvel Principais Players Milhares de Unidades Vendidas +0,0% -10,1% % 5% BCA 15% 39% Manheim Portugal Leilocar Leilostock Leiloatlântico 28% Fonte: Manheim Portugal Fonte: Manheim Portugal 22

23 Serviços Automóvel Europa Remarketing: Perspectivas 2009 As alterações fiscais implementadas no mercado automóvel em 2009 vão favorecer o desenvolvimento do volume do mercado de veículos usados A Manheim Portugal deverá consolidar o seu negócio de leilões físicos e pretende obter um crescimento acelerado na vertente de leilões on-line. A Manheim irá reforçar a posição de liderança em termos de inovação com o lançamento continuo de novos formatos de leilão e consolidação de conceitos já lançados em

24 Serviços Automóvel Brasil João Pedro Saraiva

25 Serviços Automóvel Brasil Mercado Automóvel e Taxa de Penetração Renting Vendas de veículos ligeiros bate recorde histórico Mercado impulsionado nos primeiros nove meses do ano pela redução das taxas de juro e consequente aumento da procura interna Quota de Mercado (Ligeiros Total) Milhares de Unidades 7,8% 8,1% 7,6% 7,7% 4,6% 5,3% 6,2% 7,5% 3,4% 3,8% 4,3% 5,2% 4,9% 5,4% Vendas Veículos Ligeiros RAC Renting Fonte: Unidas/ANFAVEA 25

26 Serviços Automóvel Brasil Quota de Mercado - Renting A Unidas é o líder e detém uma marca com grande notoriedade num mercado altamente fragmentado Líder de mercado no Renting no Brasil Crescimento sustentado da posição competitiva no mercado Evolução da Quota de Mercado (AOV) Quota de Mercado (AOV) 13% 14% 15% 15% 7% 10% 12% Unidas Localiza Outros E 73% Fonte: Estimativa Unidas Fonte: Estimativa Unidas 26

27 Serviços Automóvel Brasil Quota de Mercado Rent-a-Car Unidas é um dos principais players no mercado de Rent-a-Car Reforço da quota de mercado Contributo da expansão da rede franqueada Evolução da Quota de Mercado (RAC) Quota de Mercado (RAC) 7% 7% 4% 3% 5% 5% 60% 33% Unidas Localiza Outros E Fonte: Estimativa Unidas Fonte: Estimativa Unidas 27

28 Serviços Automóvel Brasil Actividade Renting O crescimento da actividade de Renting registou um ritmo acelerado Unidas mantém liderança num mercado em desenvolvimento Carteira Renting com TCMA (06/08) de 42,3% em valor de carteira Evolução da Carteira de Renting (Frota Alugada sem Franquias) Breakdown de Clientes por Porte (Frota Alugada Sem Franquias) +39,9% +44,8% Nº Veículos/Cliente Qtd. de Clientes Nº Veículos a ,9% a ,6% a ,7% a ,0% > ,8% Total ,0% Valor da Carteira Nº de Contratos Operacionais Fonte: Unidas Fonte: Unidas 28

29 Serviços Automóvel Brasil Actividade RAC No segmento RAC, a Unidas cresce de forma sustentada O Modelo de Franquia Chave na Mão vem alavancando o crescimento da rede franqueada Nº diárias RAC com TCMA (06/08) de 28,7% Evolução do nº de Dias de Aluguer Evolução da Rede RAC ,6% +42,2% ,9% +15,2% Dias Al. Franquias Dias Al. RAC Frota Total Fonte: Unidas Rede Própria Rede Franqueada Fonte: Unidas 29

30 Serviços Automóvel Brasil Actividade Semi-novos Manutenção da estratégia de maximização da utilização do canal particulares Deterioração dos preços dos veículos semi-novos Unidades Vendidas Evolução dos Preços dos Veículos Preço Médio Venda Milhares de Reais 17,0 21,8 23,6 23,0 25, % 20% % 32% 80% 83% 65% 35% 64% 68% Particulares Comércio Fonte: Unidas / Molicar 30

31 Serviços Automóvel Brasil Perspectivas para 2009 Principais factores que poderão ter impacto na actividade da Unidas em 2009 O abrandamento do ritmo de crescimento da economia brasileira A redução de liquidez dos mercados de crédito O crescimento do turismo interno devido à desvalorização do real Estes três factores conjugados vão proporcionar um ambiente de aumento da procura e menor oferta no Renting, o que permitirá à Unidas manter a liderança no mercado, ao mesmo tempo que reduz o investimento em frota e aumenta a rentabilidade da operação Na actividade RAC, perspectiva-se uma evolução positiva do número de diárias vendidas, sendo o abrandamento do canal empresas compensado pelo crescimento do canal turismo 31

32 Resultados Consolidados José Vozone

33 Resultados Consolidados Evolução do Volume de Negócios e Cash Flow Volume de Negócios Consolidado cresceu 11%, com contribuição positiva da generalidade dos negócios Cash Flow operacional aumenta 10,8 milhões Volume de Negócios EBITDA Milhões de Euros Milhões de Euros +10,7% +16,2% 818,1 66,4 77,2 739,

34 Resultados Consolidados Evolução dos Resultados e da Dívida Resultado Líquido positivo de 1,1 milhões Endividamento líquido consolidado aumentou 93,0 milhões em 2008 Juros líquidos aumentam 33,3% Resultado Líquido Dívida Líquida Milhões de Euros Milhões de Euros +25,7% 40,0 7,4-97,3% -29,7% 1,1 5, ,6% +53,9% Resultado Líquido Reportado Resultado Líquido Ajustado Dez-07 Média 2008 Dez-08 Dívida Brasil Dívida Portugal Dívida Líquida Grupo 34

35 Resultados Consolidados Milhões de Euros Evolução da Dívida Financeira Consolidada Alienação Interbanco +3 Aq Loures +39 Aum. Capital Unidas +9 Acções Próprias Pagamento Actividade Dividendos Op Portugal Actividade Op Unidas 31.Dez.07 Investimentos e Participações Financeiras Actividade da Holding e Operacionais 31.Dez.08 35

36 Resultados Consolidados Demonstração de Resultados - Consolidado Demonstração de Resultados ( '000) Var. % Volume Negócios ,7% EBITDA ,2% % EBITDA 9,4% 9,0% 5,0% Amortizações do Exercicio ,7% Mais/(Menos) Valias s.s. Provisões Potenciais M enos Valias na Frota da Unidas ,1% Provisões ,8% EBIT ,6% % EBIT 6,3% 6,4% Empresas Participadas ,0% (+/-) Valias na Venda de Participações ,0% Resultado Financeiro Brasil ,1% Resultado Financeiro Portugal ,2% Resultado Financeiro ,6% EBT ,9% % EBT -0,2% 5,2% Resultado Líquido ,3% % Resultado Líquido 0,1% 5,4% 36

37 Resultados Consolidados Indicadores / Rácios Margem EBITDA Margem EBIT 9,0% 9,4% 6,4% 6,3% Custos Pessoal % Volume Negócios FSE s % Volume Negócios 6,1% 6,2% 9,9% 9,9%

38 Estrutura Financeira Prioridades para 2009 Refinanciamento das maturidades de 2009 Obrigações e Papel Comercial: 88 milhões (Junho) Eurobonds Unidas: US$ 60 milhões (Outubro) Manutenção das actuais linhas de curto prazo Cash is king Redução de custos: reorganização Controle do working capital sem comprometer o comprometer o suporte à Rede Siva Manutenção do volume da frota da Unidas com foco na rentabilidade Análise selectiva da carteira de negócios do Grupo Protecção da Situação Líquida 38

39 Notas Finais Esmeralda Dourado

40 Notas Finais Dividendos Dividendo Antecipado: 0,0202 por acção (Novembro 2008) Dividendo determinado com base nos resultados do 1º Semestre Não irá ser proposta a declaração de dividendos adicionais Dividend Yield de 2,1% (cotação ) 40

41 Notas Finais Evolução da Cotação da SAG na Bolsa A cotação do título registou uma desvalorização de cerca de 67,6% em 2008, terminando assim a sequência positiva iniciada em 2005 Em 2005, 2006 e 2007, a acção valorizou respectivamente 5%, 33% e 74% 2,00 SAG vs. PSI20 1,80 1,60 1,40 1,20 1,00 0,80 0,60 0,40 0,20 0,00 Jan-08 Fev-08 Mar-08 Abr-08 Mai-08 Jun-08 Jul-08 SAG Ago-08 Set-08 PSI20 Out-08 Nov-08 Dez-08 Jan-09 Fev-09 Mar-09 41

42 Notas Finais Perspectivas para 2009 A SAG continuará a desenvolver a sua actividade no prosseguimento da sua actual estratégia focada em: Prosseguir a maximização da eficiência e da rentabilidade em todas as áreas de negócio do grupo Num contexto de crise generalizada a SAG entende estar bem posicionada para enfrentar as dificuldades que se perspectivam para 2009 Ciclo favorável de produto na área do Comércio Automóvel Potencial de rentabilização do activo Unidas 42

43 Apresentação de Resultados 2008

COMUNICADO. Resultados Consolidados do 1º Semestre de 2007 (Não Auditados)

COMUNICADO. Resultados Consolidados do 1º Semestre de 2007 (Não Auditados) SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede: Estrada de Alfragide, 67, Amadora Capital Social: 169.764.398,00 NIPC 503 219 886 Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadora Capital Social: 169.764.398 Euros sob o número único de matrícula e de pessoa colectiva 503 219 886 COMUNICADO

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 1º TRIMESTRE 2015

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 1º TRIMESTRE 2015 RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 1º TRIMESTRE 2015 1 SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS,S.A. Sociedade Aberta Capital Social: EUR 169.764.398 NIPC: 503 219 886 Matriculada na CRC da Amadora sob o

Leia mais

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO EXERCÍCIO DE 2003

ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO EXERCÍCIO DE 2003 ANEXO AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DOS RESULTADOS CONSOLIDADOS DO EXERCÍCIO DE 2003 NATUREZA E CONTEÚDO DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS CONSOLIDADAS As Demonstrações Financeiras Consolidadas foram preparadas

Leia mais

Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006

Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006 Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006 1. Sumário Para mais informação contactar: Cláudia Falcão claudia.falcao@jeronimomartins.pt (+351-21 752 61 05) Hugo Fernandes hugo.fernandes@jeronimomartins.pt

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2011

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2011 RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2011 1 SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Capital Social: EUR 169.764.398 NIPC: 503 219 886 Matriculada na CRC da Amadora sob o n.º 503 219

Leia mais

Apresentação Institucional. Novembro 2015

Apresentação Institucional. Novembro 2015 Apresentação Institucional Novembro 2015 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 3ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 23 ABRIL 2012 ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 Este documento foi preparado pela Grupo Soares da Costa, SGPS, SA (Soares da Costa), unicamente

Leia mais

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. Fontes Pereira de Melo, 14 10º -1050-121 Lisboa Capital Social: 118.332.445 Euros - NIPC e Mat. na C.R.C. de Lisboa sob

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2014

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2014 RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2014 1 SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS,S.A. Sociedade Aberta Capital Social: EUR 169.764.398 NIPC: 503 219 886 Matriculada na CRC da Amadora sob o n.º 503 219 886

Leia mais

CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009

CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009 CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009 Av. Vasco da Gama, 1410 4431-956 Telefone 22-7867000 Fax 22-7867215 Registada na C.R.C. de sob o nº 500239037 Capital Social: Euro 35.000.000 Sociedade Aberta

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010 Lisboa, 18 de Fevereiro de 2011 Fortes resultados numa envolvente marcada pelos desafios. Vendas consolidadas atingem 8,7 mil milhões de euros (crescimento

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 No terceiro trimestre, reforçámos as nossas posições de liderança tanto na Polónia como em Portugal com aumento de quotas de mercado

Leia mais

Resultados Operacionais melhoram em 73,5% e Resultados líquidos (antes de mais valias) 15%

Resultados Operacionais melhoram em 73,5% e Resultados líquidos (antes de mais valias) 15% INAPA INVESTIMENTOS, PARTICPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade Aberta ) Sede: Rua do Salitre, n.º 142, 1269-064, Lisboa Capital social: 27 237 013 Matrícula n.º 500 137 994 (anteriormente 36 338) da Conservatória

Leia mais

Apresentação Unidas. Maio 2014

Apresentação Unidas. Maio 2014 Apresentação Unidas Maio 2014 Seção 1 Visão Geral da Unidas Visão Geral da Unidas 2ª maior empresa brasileira de aluguel de carros em frota total, com cobertura nacional em soluções para terceirização

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2007

EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2007 INAPA INVESTIMENTOS, PARTICPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade Aberta ) Sede: Rua do Salitre, n.º 142, freguesia de São Mamede, Lisboa Capital social: 150 000 000 NIPC: 500 137 994 Matrícula n.º 36 338 da

Leia mais

ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007

ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007 ADITAMENTO AO RELATÓRIO DO GOVERNO DA SOCIEDADE 2007 SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS,SA Sociedade Aberta Capital Social: EUR 169.764.398 NIPC: 503 219 886 Matriculada na CRC da Amadora sob o

Leia mais

IMPRESA. Resultados 2º Trimestre 2009

IMPRESA. Resultados 2º Trimestre 2009 IMPRESA Resultados 2º Trimestre 2009 IMPRESA SGPS SA Sociedade Aberta Capital Social Eur 84.000.000 Rua Ribeiro Sanches, 65 Número Fiscal 502 437 464 Conservatória do Registo Comercial de Lisboa Lisboa,

Leia mais

ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira

ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira EMITENTE Grupo Visabeira SGPS, S.A. RATING DE EMITENTE Médio e Longo Prazo BB+ (BB+, com tendência estável) B

Leia mais

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros

1.2 Situação patrimonial dos setores não financeiros .2 Situação patrimonial dos setores não financeiros No primeiro semestre de 203, prosseguiu o processo de ajustamento gradual dos desequilíbrios no balanço dos particulares 3 Nos primeiros seis meses de

Leia mais

O Turismo em Portugal após 2009 Oportunidades e Desafios

O Turismo em Portugal após 2009 Oportunidades e Desafios O Turismo em Portugal após 2009 Oportunidades e Desafios II Conferência Hotelaria e Turismo 18 Junho 2009 1 Importância do Turismo na Economia Portuguesa VAB Turismo / VAB Economia 10% 9% 8% 7% 6% 5% 2002

Leia mais

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos.

O Lucro Líquido do 1T12 foi de R$2,5 MM, superior em R$10,7 MM ao prejuízo do 1T11, de R$8,2 MM negativos. São Paulo, 13 de maio de 2013 - A Unidas S.A. ( Companhia ou Unidas ) anuncia os seus resultados do primeiro trimestre de 2012 (). As informações financeiras são apresentadas em milhões de Reais, exceto

Leia mais

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL Índice de Pagamentos 2004 191 2005 184 2006 183 2007 182 2008 183 Desenvolvimento Económico (%) UE 27 - Média PIB per capita US 21.800 (2007) Crescimento do PIB 1,9 2,9

Leia mais

COMUNICADO. Bank Millennium na Polónia apresenta Resultados de 2005

COMUNICADO. Bank Millennium na Polónia apresenta Resultados de 2005 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D. João I, 28, Porto Mat. CRC do Porto: 40.043 NIPC: 501.525.882 Capital Social Registado: 3.588.331.338 Euros COMUNICADO Bank Millennium na

Leia mais

Lucro atribuído ORDINÁRIO. Evolução 1S'15 / 1S'14

Lucro atribuído ORDINÁRIO. Evolução 1S'15 / 1S'14 Lucro atribuído ORDINÁRIO. Evolução 1S'15 / 1S'14 21 Aumento generalizado do lucro, especialmente nas grandes unidades Milhões de euros Lucro atribuído ordinário 1S 15 % Var. s/ 1S'14 Em euros constantes

Leia mais

Resultados Líquidos melhoram 94%

Resultados Líquidos melhoram 94% INAPA INVESTIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade aberta ) Sede: Rua do Salitre, 142, 1269 064 Lisboa Capital Social: 150 000 000 Euros Matrícula n.º 500 137 994 (anteriormente n.º 36 338) da

Leia mais

Brasil: Qual o tamanho do desafio da capacidade instalada automotiva nas OEM s? Julian G. Semple, Consultor Sênior CARCON Automotive

Brasil: Qual o tamanho do desafio da capacidade instalada automotiva nas OEM s? Julian G. Semple, Consultor Sênior CARCON Automotive Brasil: Qual o tamanho do desafio da capacidade instalada automotiva nas OEM s? Julian G. Semple, Consultor Sênior CARCON Automotive E a capacidade produtiva instalada? O Brasil enfrenta novamente o desafio

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Análise de Conjuntura Maio 2008 Indicador de Sentimento Económico O clima económico na União Europeia volta a deteriorar-se em Abril. Comparativamente

Leia mais

Prazo das concessões e a crise econômica

Prazo das concessões e a crise econômica Prazo das concessões e a crise econômica ABCE 25 de Setembro de 2012 1 1. Economia Internacional 2. Economia Brasileira 3. O crescimento a médio prazo e a infraestrutura 2 Cenário internacional continua

Leia mais

Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A.

Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. Sociedade Aberta Matriculada sob o nº05888/20001204 na Conservatória do Registo Comercial de Setúbal Capital Social: 767 500 000 N.I.P.C. 503 025 798 Informação

Leia mais

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior

Receita Operacional Líquida alcança R$ 20,9 milhões, aumento de 9,7% ante o trimestre anterior Última Cotação em 30/09/2014 FBMC4 - R$ 20,60 por ação Total de Ações: 726.514 FBMC3: 265.160 FBMC4: 461.354 Valor de Mercado (30/09/2014): R$ 20.269,7 mil US$ 9.234,5 mil São Bernardo do Campo, 12 de

Leia mais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais

Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Resultados 2T14 e 1S14 Lucro líquido atinge R$7,0 milhões, crescimento de 41,7% versus o 1T14, com consistente e importante melhora nas margens operacionais Belo Horizonte, 5 de agosto de 2014 - A Companhia

Leia mais

MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006

MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006 MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006 MOTA-ENGIL, SGPS, S.A. EDIFÍCIO MOTA TEL: 351 22 5190300 SOCIEDADE ABERTA RUA DO REGO LAMEIRO,

Leia mais

SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015

SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015 SONDAGEM INDUSTRIAL Dezembro de 2015 Indústria espera que as exportações cresçam no primeiro semestre de 2016 A Sondagem industrial, realizada junto a 154 indústrias catarinenses no mês de dezembro, mostrou

Leia mais

1. Resultados do Exercício

1. Resultados do Exercício PARAREDE, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede Social: Av. José Malhoa nº 21, 1070157 Lisboa Pessoa Colectiva nº 503.541.320 Capital Social de 125.087.500 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

Relatório de Gestão. Enquadramento Macroeconómico / Setorial

Relatório de Gestão. Enquadramento Macroeconómico / Setorial Relato Financeiro Intercalar 1º trimestre de 2014 = Contas Consolidadas = (Não Auditadas) Elaboradas nos termos do Regulamento da CMVM nº 5/2008 e de acordo com a IAS34 Relatório de Gestão Enquadramento

Leia mais

O flexível modelo de negócios da Localiza mostrou-se eficaz durante o período de crise.

O flexível modelo de negócios da Localiza mostrou-se eficaz durante o período de crise. Localiza Rent a Car S.A. Resultados 4T09 e 2009 R$ milhões, USGAAP O flexível modelo de negócios da Localiza mostrouse eficaz durante o período de crise. Março, 2010 1 Plataforma integrada de negócios

Leia mais

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001

Economia dos EUA e Comparação com os períodos de 1990-1991 e 2000-2001 Economia dos EUA e Comparação com os períodos de - e - Clara Synek* O actual período de abrandamento da economia dos EUA, iniciado em e previsto acentuar-se no decurso dos anos /9, resulta fundamentalmente

Leia mais

F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta

F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta F. RAMADA INVESTIMENTOS, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto NIF 508 548 527 Capital social: 25.641.459 Euros Informação financeira anual 2013 (não auditada)

Leia mais

Portugal Forte crescimento no início do ano

Portugal Forte crescimento no início do ano 8 Abr ANÁLISE ECONÓMICA Portugal Forte crescimento no início do ano Miguel Jiménez / Agustín García / Diego Torres / Massimo Trento Nos primeiros meses do ano, a retoma do consumo privado teria impulsionado

Leia mais

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2013

RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2013 RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADO 2013 1 SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS,S.A. Sociedade Aberta Capital Social: EUR 169.764.398 NIPC: 503 219 886 Matriculada na CRC da Amadora sob o n.º 503 219 886

Leia mais

INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALAR (NÃO AUDITADA) 1º TRIMESTRE 2005

INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALAR (NÃO AUDITADA) 1º TRIMESTRE 2005 INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALAR (NÃO AUDITADA) 1º TRIMESTRE 2005 PORTUCEL - EMPRESA PRODUTORA DE PASTA E PAPEL, S.A. Sociedade Aberta Capital Social: 767.500.000 Euros NIPC: 503.025.798 Matriculada na

Leia mais

Relatório Tipo Dezembro de 20XX

Relatório Tipo Dezembro de 20XX Relatório Tipo Dezembro de 20XX Alvim & Rocha Consultoria de Gestão, Lda. Tel.: 22 831 70 05; Fax: 22 833 12 34 Rua do Monte dos Burgos, 848 Email: mail@alvimrocha.com 4250-313 Porto www.alvimrocha.com

Leia mais

Relatório do Conselho de Administração 2006 1

Relatório do Conselho de Administração 2006 1 Relatório do Conselho de Administração 2006 1 RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO 2006 Relatório do Conselho de Administração 2006 2 Senhores Accionistas, No cumprimento das normas legais e estatutárias

Leia mais

Comunicado de Resultados

Comunicado de Resultados Comunicado de Resultados Resultados Consolidados 30 de Junho de 2007 Sonae Distribuição S.G.P.S., SA Em destaque A Sonae Distribuição apresentou ao longo do primeiro semestre de 2007 um crescimento de

Leia mais

Resultados PRIMEIRO SEMESTRE 2010. 30 Julho 2010. Do sucesso para novos desafios

Resultados PRIMEIRO SEMESTRE 2010. 30 Julho 2010. Do sucesso para novos desafios Resultados PRIMEIRO SEMESTRE 2010 30 Julho 2010 Do sucesso para novos desafios Envolvente de mercado Análise financeira Perfil exportador Inovação e partilha do conhecimento 2 Sinais de retoma mostram

Leia mais

Resultados consolidados do Banco BPI no 1.º semestre de 2011

Resultados consolidados do Banco BPI no 1.º semestre de 2011 www.ir.bpi.pt BANCO BPI, S.A. - Sociedade aberta Capital Social: 990 000 000 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede:

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros INFORMAÇÃO FINANCEIRA 1T 2010 Principais indicadores

Leia mais

Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro

Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro Impacto da recente crise financeira internacional na riqueza das famílias em Portugal e na Área do Euro Clara Synek * Resumo O aumento da incerteza relativo às perspectivas económicas, do mercado de trabalho,

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008)

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008) INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008) Em cumprimento das obrigações legais aplicáveis (Código dos Valores Mobiliários) o Conselho de Administração da IMPRESA apresenta a INFORMAÇÃO relativa ao 3º

Leia mais

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva

Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva Fitch Afirma Rating da Unidas; Perspectiva Revisada Para Positiva 13 Fev 2015 17h00 Fitch Ratings - Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2015: A Fitch Ratings afirmou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo

Leia mais

Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013. Banco de Cabo Verde

Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013. Banco de Cabo Verde Indicadores Económicos & Financeiros Julho 2013 Banco de Cabo Verde BANCO DE CABO VERDE Departamento de Estudos Económicos e Estatísticas Avenida Amílcar Cabral, 27 CP 7600-101 - Praia - Cabo Verde Tel:

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA

1. THE GROUP TODAY INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 1 INDEX 1. O GRUPO HOJE 2. VISÃO ESTRATÉGICA 3. PRIORIDADES ESTRATÉGICAS 3.1 Concretizar o Potencial da Biedronka 3.2 Assegurar o Crescimento de Longo Prazo 1. THE GROUP TODAY 4. EXPLORAR TODO O POTENCIAL

Leia mais

SOFINLOC, Instituição Financeira de Crédito, S. A. Sede: Rua General Firmino Miguel, N.5-14. - 1600 LISBOA NIPC 501 370 048 / C.R.C.

SOFINLOC, Instituição Financeira de Crédito, S. A. Sede: Rua General Firmino Miguel, N.5-14. - 1600 LISBOA NIPC 501 370 048 / C.R.C. SOFINLOC, Instituição Financeira de Crédito, S. A. Sede: Rua General Firmino Miguel, N.5-14. - 1600 LISBOA NIPC 501 370 048 / C.R.C. Lisboa nº 3 053 BALANÇO EM 31.12.2006 Valores em milhares de Euros Dez-06

Leia mais

Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro

Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro As contas externas do país registraram a seqüência de cinco anos de superávits em transações correntes entre 2003 e 2007, proporcionando a ocorrência de

Leia mais

A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS

A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS PORTUGAL A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS Maria Celeste Hagatong Comissão Executiva do Banco BPI Lisboa, 3 de Junho

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 3T14 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS (R$ MILHÕES) 3T13 3T14 Var.% 9M13 9M14 Var.% RECEITA LÍQUIDA 315,8 342,8 8,5% 858,4 937,5 9,2% EBITDA AJUSTADO¹ 67,1 78,3 16,7% 157,5

Leia mais

ARC Ratings confirma a notação "A-1" à Somincor RATING DE EMITENTE RATING DE EMISSÕES

ARC Ratings confirma a notação A-1 à Somincor RATING DE EMITENTE RATING DE EMISSÕES ARC Ratings confirma a notação "A-1" à Somincor EMITENTES RATING DE EMITENTE Somincor Sociedade Mineira de Neves-Corvo, S.A. A-1 Curto Prazo DATA DAS NOTAÇÕES RATING DE EMISSÕES 7 de Setembro de 2015 A-1

Leia mais

FACTO RELEVANTE INFORMAÇÃO PRÉVIA RELATIVA À ACTIVIDADE E RESULTADOS OBTIDOS PELO GRUPO BANIF NO EXERCÍCIO DE 2005

FACTO RELEVANTE INFORMAÇÃO PRÉVIA RELATIVA À ACTIVIDADE E RESULTADOS OBTIDOS PELO GRUPO BANIF NO EXERCÍCIO DE 2005 BANIF S G P S, S.A. Sociedade com o capital aberto ao investimento do público Sede Social: Rua de João Tavira, 30 - Funchal Capital Social: 200.000.000 Euros Matrícula Nº 3658 Conservatória do Registo

Leia mais

CSU CardSystem - 2010

CSU CardSystem - 2010 CSU CardSystem - 2010 Considerações Iniciais Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários

Leia mais

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

Estratégias. Chapter Title Gestão Grupos Empresas. 15/e PPT. Screen graphics created by: Jana F. Kuzmicki, Ph.D. Troy University-Florida Region

Estratégias. Chapter Title Gestão Grupos Empresas. 15/e PPT. Screen graphics created by: Jana F. Kuzmicki, Ph.D. Troy University-Florida Region McGraw-Hill/Irwin 2007 The McGraw-Hill Companies, Inc. All rights reserved. 9 Estratégias Chapter Title Gestão Grupos Empresas 15/e PPT Screen graphics created by: Jana F. Kuzmicki, Ph.D. Troy University-Florida

Leia mais

Comunicado de Resultados

Comunicado de Resultados Comunicado de Resultados Resultados trimestrais consolidados a 31 de Março de 2006 4 de Maio de 2006 Highlights Volume de negócios de 646 milhões de Euros crescimento de 9% em Portugal face a período homólogo

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 05 Maio 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Resultados 2T11. 12 de agosto de 2011. Português 12h (BR) / 11h (US ET) Acesso: +55 (11) 2188-0155 Código: T4F Replay: +55 (11) 2188-0155 Código: T4F

Resultados 2T11. 12 de agosto de 2011. Português 12h (BR) / 11h (US ET) Acesso: +55 (11) 2188-0155 Código: T4F Replay: +55 (11) 2188-0155 Código: T4F Resultados 2T11 12 de agosto de 2011 Português 12h (BR) / 11h (US ET) Acesso: +55 (11) 2188-0155 Código: T4F Replay: +55 (11) 2188-0155 Código: T4F Inglês 11h (BR) / 10h (US ET) Acesso: +1 (877) 317-6776

Leia mais

CORTICEIRA AMORIM COM CRESCIMENTO

CORTICEIRA AMORIM COM CRESCIMENTO CORTICEIRA AMORIM COM CRESCIMENTO DE 2,4% NAS VENDAS Vendas consolidadas atingem os 248,1 milhões de euros no primeiro semestre Mozelos, Portugal, 1 de Agosto de 2008 Corticeira Amorim, SGPS, SA [Euronext

Leia mais

Plano Tecnológico Uma ideia mobilizadora, uma agenda de prioridades e um compromisso político

Plano Tecnológico Uma ideia mobilizadora, uma agenda de prioridades e um compromisso político Plano Tecnológico Uma ideia mobilizadora, uma agenda de e um compromisso político Apresentação ao Conselho Consultivo do Plano Tecnológico 19 de Julho de 26 Um mundo em profunda mudança O Mundo enfrenta

Leia mais

Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017

Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017 Projeções para a economia portuguesa: 2015-2017 As projeções para a economia portuguesa em 2015-2017 apontam para uma recuperação gradual da atividade ao longo do horizonte de projeção. Após um crescimento

Leia mais

A relação de Angola com o FMI após seis anos do acordo Stand-By

A relação de Angola com o FMI após seis anos do acordo Stand-By nov-5 abr-6 set-6 fev-7 jul-7 dez-7 mai-8 out-8 mar-9 ago-9 jan-1 jun-1 nov-1 abr-11 set-11 fev-12 jul-12 dez-12 mai-13 out-13 mar-14 ago-14 jan-15 jun-15 nov-15 abr-16 Dep. Estudos Económicos e Financeiros

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013 APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 2012 13 MARÇO 2013 AGENDA Destaques do ano Desempenho dos negócios e consolidado Desenvolvimentos estratégicos Desafios e prioridades DESTAQUES VOLUME DE NEGÓCIOS: EBITDA RECORRENTE:

Leia mais

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Nota Prévia Os resultados reportados oficialmente reflectem a integração do Grupo Tecnidata a 1 de Outubro de 2008, em seguimento da assinatura do contrato de

Leia mais

Introdução. Esmeralda Dourado

Introdução. Esmeralda Dourado Lisboa, 15 de Março 2006 Introdução Esmeralda Dourado Destaques 2005 Esmeralda Dourado Agenda Destaques 2005 Acordo estratégico de parceria com o Santander Consumer Mercado Automóvel e as Marcas SIVA Performance

Leia mais

Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013

Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013 Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel ANÁLISE SINTÉTICA DA SITUAÇÃO DO SETOR AUTOMÓVEL EM PORTUGAL 2012-2013 Abril 2013 1 MERCADO AUTOMÓVEL EM PORTUGAL EM 2012 De acordo

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 30/09/2012 - PORTO SEGURO SA Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

DISCLAIMER. Aviso Legal

DISCLAIMER. Aviso Legal ANÁLISE FINANCEIRA DISCLAIMER Aviso Legal Esta apresentação inclui afirmações que não se referem a factos passados e que se referem ao futuro e que envolvem riscos e incertezas que podem levar a que os

Leia mais

Nota sobre as alterações do contexto socioeconómico e do mercado de trabalho

Nota sobre as alterações do contexto socioeconómico e do mercado de trabalho Nota sobre as alterações do contexto socioeconómico e do mercado de trabalho Mudanças recentes na situação socioeconómica portuguesa A evolução recente da economia portuguesa têm-se caracterizado por um

Leia mais

Responsabilidade Social Shareholders vs Stakeholders: A experiência Groundforce. Ângelo Esteves 16 de Maio de 2005

Responsabilidade Social Shareholders vs Stakeholders: A experiência Groundforce. Ângelo Esteves 16 de Maio de 2005 Responsabilidade Social Shareholders vs Stakeholders: A experiência Groundforce Ângelo Esteves 16 de Maio de 2005 O conceito de criação de valor por parte de uma empresa pode ser vista em várias perspectivas

Leia mais

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão 1 / 5 OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão As obrigações de caixa FNB Remuneração Garantida 2006 são um Instrumento

Leia mais

TTULO. Seminário sobre Financiamento

TTULO. Seminário sobre Financiamento TTULO bjectivo / Compromisso: Dar a conhecer o Renting e a sua importância na gestão de Empresas aos associados da 2 Definição / Âmbito Diferenciação Impactos e Vantagens Processo de Negócio TODAS AS VANTAGENS

Leia mais

Relatório da Administração 2012

Relatório da Administração 2012 1 PERFIL DA COMPANHIA DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS 4T11 A Unidas é uma Companhia especializada em soluções de locação de veículos, atuando nos segmentos de Terceirização de Frotas (TF) e Aluguel

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 3M 2015 MAIO 2015 Disclaimer Este documento não representa uma oferta de valores mobiliários para venda nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão ou em qualquer outra jurisdição.

Leia mais

A evolução do Mercado Imobiliário português

A evolução do Mercado Imobiliário português A evolução do Mercado Imobiliário português Introdução Neste artigo será feita uma leitura da evolução do mercado imobiliário português desde 2008, altura em que ocorreu a crise da dívida subprime, período

Leia mais

BBVA GEST Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO

BBVA GEST Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO BBVA GEST Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Mobiliário, S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO 2009 ÍNDICE 1. ÓRGÃOS SOCIAIS 3 2. ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO 2.1. Economia Internacional 2.2. Economia Portuguesa

Leia mais

Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento

Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Crescimento Económico: diversificar o modelo de financiamento das PME A atual oferta de financiamento Eduardo Stock da Cunha CEO Novo Banco Novembro de 2014 Novembro 2014 Depois de um período de contração,

Leia mais

ARC Ratings atribui rating soberano de BBB +, com perspectiva estável, à India

ARC Ratings atribui rating soberano de BBB +, com perspectiva estável, à India ARC Ratings atribui rating soberano de BBB +, com perspectiva estável, à India EMITENTE DATA República da India 12 de Dezembro de 2014 RATINGS EMITENTE - MOEDA ESTRANGEIRA Médio e Longo Prazo BBB+ (BBB+,

Leia mais

set/12 mai/12 jun/12 jul/11 1-30 jan/13

set/12 mai/12 jun/12 jul/11 1-30 jan/13 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12 mai/12 jun/12 jul/12 ago/12 set/12 out/12 nov/12 1-30 jan/13 jul/11 ago/11 set/11 out/11 nov/11 dez/11 jan/12 fev/12 mar/12 abr/12

Leia mais

CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FII (CXRI11) Informativo Mensal Janeiro/2015

CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FII (CXRI11) Informativo Mensal Janeiro/2015 Objetivo e Política do Fundo O fundo CAIXA RIO BRAVO FUNDO DE FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO - FII tem como objetivo proporcionar retorno aos seus cotistas por meio de uma carteira diversificada de

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS ANUAL 2015 FEVEREIRO 2016 Conferência de imprensa Disclaimer A informação constante neste documento foi preparada de acordo com as normas internacionais de relato financeiro

Leia mais

Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 1 o, inciso II do 2 o da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000)

Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 1 o, inciso II do 2 o da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Anexo IV Metas Fiscais IV.1 Anexo de Metas Fiscais Anuais (Art. 4 o, 1 o, inciso II do 2 o da Lei Complementar n o 101, de 4 de maio de 2000) Em cumprimento ao disposto na Lei Complementar n o 101, de

Leia mais

3T12 TRADING UPDATE 0

3T12 TRADING UPDATE 0 TRADING UPDATE Lisboa, 8 novembro 2012 0 Aviso importante O presente comunicado contém objetivos acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities Litigation Reform Act de 1995. Tais objetivos

Leia mais

SÍNTESE DE CONJUNTURA

SÍNTESE DE CONJUNTURA SÍNTESE DE CONJUNTURA Mensal maio 2015 - Newsletter ÍNDICE EVOLUÇÃO DA ATIVIDADE ECONÓMICA... 2 Atividade global... 2 Atividade setorial... 3 - Produção... 3 - Volume de negócios... 5 Comércio internacional...

Leia mais

SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO

SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO Maia, 11 de março de 2015 Reforço de posições de liderança em Portugal, internacionalização e compromisso com famílias em 2014 SONAE REFORÇA VENDAS E INTERNACIONALIZAÇÃO 1. PRINCIPAIS DESTAQUES DE 2014:

Leia mais

Soluções estratégicas em economia

Soluções estratégicas em economia Soluções estratégicas em economia Cenário macroeconômico e perspectivas para 2014/2018 maio de 2014 Perspectivas para a economia mundial Perspectivas para a economia brasileira Perspectivas para os Pequenos

Leia mais

Obrigado. Octavio Pereira Lopes

Obrigado. Octavio Pereira Lopes Mensagem do CEO Apesar de um contexto macroeconômico longe do ideal, continuamos avançando na execução do nosso plano estratégico de longo prazo. Novamente, nossa performance foi acima do crescimento de

Leia mais

SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO

SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO Índice 1. Mensagem de Paulo Azevedo, CEO da Sonaecom...2 2. Principais indicadores...4 3. Resultados consolidados...5 3.1. Demonstração de resultados

Leia mais

Resultados do 2T10 28 de julho de 2010

Resultados do 2T10 28 de julho de 2010 Resultados do 2T10 28 de julho de 2010 Aviso Os comentários apresentados a seguir sobre o desempenho operacional e financeiro do Grupo Pão de Açúcar (GPA) referem-se aos seguintes números: (i) consolidados

Leia mais

III Conferência Anual do Turismo

III Conferência Anual do Turismo III Conferência Anual do Turismo Perspectivas do Transporte Aéreo A Carlos Paneiro Funchal, 8 de Maio de 2009 1 Principais mensagens As companhias aéreas têm vindo a sofrer duramente com o actual contexto

Leia mais

Resultados consolidados do Banco BPI entre Janeiro e Setembro de 2010

Resultados consolidados do Banco BPI entre Janeiro e Setembro de 2010 www.ir.bpi.pt BANCO BPI, S.A. - Sociedade aberta Capital Social: 900 000 000 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede:

Leia mais