CFDs sobre acções CFDs sobre Índices. CFD s. Contracts for Difference

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CFDs sobre acções CFDs sobre Índices. CFD s. Contracts for Difference"

Transcrição

1 CFDs sobre acções CFDs sobre Índices CFD s Contracts for Difference

2 Introdução Caracteristicas O que são? 1 Vantagens 1 Alavancagem Flexibilidade Outras vantagens 2 Exposição mínima Inexistência de Liquidação Física Imunidade cambial ao risco de Investimento Facilidade de negociação Riscos 2 Risco da variação de preço do subjacente Risco de variação de taxas de juro Risco cambial nas mais ou menos valias. Negociação através de margem 3 Como calcular a margem para um investimento em CFDs

3 Exemplos Custo de financiamento 4 Como calcular o custo de financiamento para um investimento em CFDs Outras características 4 Cotação e comissões CFDs sobre acções CFDs sobre índices Eventos Patrimoniais Dividendos Aumento de Capital Oferta Pública de Aquisição Contactos CFDs sobre acções 6 Exemplo expectativa de subida CFDs sobre Índices 6 Exemplo expectativa de descida

4 INTRODUÇÃO A L. J. Carregosa disponibiliza diversas opções para o investidor que pretende negociar no mercado dos CFDs. Por um lado, o investidor pode negociar CFDs sobre os principais índices bolsistas disponíveis nos mercados internacionais. Por outro lado o investidor tem ao seu dispôr CFDs sobre acções cotadas nos mais importantes mercados internacionais assim como CFDs sobre algumas das mais importantes acções do mercado nacional. CARACTERÍSTICAS O QUE SÃO? Os CFDs são instrumentos financeiros derivados negociados fora de mercados regulamentados, que proporcionam aos investidores uma forma mais eficiente de negociação em acções. De uma forma muito simples, um CFD é um acordo entre duas partes, para trocar, no fecho do contrato, a diferença entre o preço de abertura do contrato e o preço de fecho do contrato. Em termos gerais, o valor do contrato de CFDs tem como base o valor do activo subjacente, multiplicado pelo número de unidades da acção que lhe serve de subjacente, tratando-se de CFDs sobre acções, ou multiplicado pelo número de unidades monetárias por ponto do índice, tratando-se de CFDs sobre índices. VANTAGENS Os CFDs apresentam algumas vantagens importantes: Alavancagem O investimento inicial necessário à realização de operações limita-se à margem exigida. Isto possibilita ao investidor, caso pretenda, investir duma vez até 5 vezes, no caso de CFDs sobre acções, e até 10 vezes, no caso de CFDs sobre índices, o valor do seu capital. No entanto, não aconselhamos o investidor a usar, de cada vez, todo o potencial que estes instrumentos oferecem. Flexibilidade 1 O investidor pode comprar ou vender CFDs, mediante a convicção que o preço do activo subjacente vá subir ou descer respectivamente:

5 a) Possibilidade de assumir posições curtas (short-selling); b) Cobertura de risco OUTRAS VANTAGENS Exposição mínima Possibilidade de exposição no activo subjacente mínima, de 1 unidade monetária por ponto do índice, para os CFDs sobre índices, e de 1 CFD (correspondente a uma acção), para os CFDs sobre acções. Inexistência de Liquidação Física Não há lugar à entrega dos activos subjacentes aos CFDs, dado que as operações são objecto de liquidação exclusivamente financeira. Imunidade cambial ao risco de Investimento Um investidor europeu que compra acções, por exemplo, no mercado americano, fica sujeito à evolução cambial da paridade EUR/USD. Como no caso dos CFDs, só se recebe ou paga a diferença, o risco cambial fica limitado ao lucro / prejuízo. Facilidade de negociação Como os CFDs são negociados fora de mercado regulamentado, e os seus preços são quote driven, o investidor poderá, de imediato, realizar a operação ao preço a que o CFD está a cotar, não ficando a execução da ordem sujeita ao risco de falta de contraparte, tal como sucede nas operações de bolsa. Para além disso, os preços de compra e venda já são líquidos de comissões. RISCOS O investimento em CFDs pode estar sujeito a 3 tipos de risco: Risco da variação de preço do subjacente Risco de variação de taxas de juro Risco cambial nas mais ou menos valias. Risco da variação de preço do subjacente Este é, na grande maioria das ocasiões, o risco mais relevante que pode estar associado ao investimento via CFDs. Sendo a alavancagem uma das características possíveis dos CFDs, com a consequente possibilidade de se investir acima do valor capital inicial, os investidores devem estar conscientes que não só os retornos positivos, mas também os negativos podem ser multiplicados até ao limite de 5 vezes, no caso de CFDs sobre acções, e até 10 vezes, no caso de CFDs sobre índices, considerando que esses retornos estão a ser calculados com base no valor investido e 2

6 não no valor de investimento (por exemplo, no limite de 5 vezes, uma variação de 2% na acção subjacente, implica uma variação de 10% no valor da carteira). Condições anormais do mercado, como falta de liquidez, pode inclusive impossibilitar que uma posição detida seja fechada no momento pretendido. Risco de variação de taxas de juro Quando forem detidas posições longas em CFDs por mais que um dia, o investidor está sujeito a um custo de financiamento que é calculado com base no valor do investimento e das taxas de juro 'overnight' dia a dia. Como tanto o valor do investimento como a taxa de juro são desconhecidos no futuro existe um pequeno risco, pouco relevante para o investidor, associado ao custo financeiro final. Naturalmente que este risco, assim como os restantes, pode aumentar de acordo com o horizonte do investimento. Risco cambial nas mais ou menos valias Existe outro pequeno risco, neste caso cambial que está associado ao lucro/prejuízo, ao contrário do que se verifica no mercado convencional, em que todo o investimento está condicionado por este risco, o que acaba por ser uma vantagem em relação a esse mercado. NEGOCIAÇÃO ATRAVÉS DE MARGEM Este tipo de contratos é negociado através de margens, permitindo com a sua utilização, alavancar os seus investimentos. O que isto quer dizer é que só precisa de disponibilizar uma pequena quantia de dinheiro para controlar posições muito maiores no mercado. Se a margem necessária é, por exemplo, 10%, necessitará de disponibilizar apenas 10 mil euros, para negociar uma exposição de 100 mil euros. Desta forma conseguiu uma alavancagem de 10 vezes, o que quer dizer que, uma variação positiva (negativa) de 2% no valor de exposição do seu trade, resulta numa variação de 20% de ganho (perda) relativamente ao valor depositado em margem. Esta forma de investimento pede uma abordagem disciplinada, já que tanto as possibilidades de ganhos, como de perdas são muito elevadas. O depósito que serve como colateral cobre riscos potenciais de variações adversas do mercado. É importante que aconpanhe de perto a evolução da sua margem utilizada, já que lhe será pedido que transfira fundos adicionais para cobrir as suas posições abertas, ou mesmo que feche as posições necessárias, de forma a que volte a ter os valores mínimos pedidos. Como calcular a margem para um investimento em CFDs 3 Neste exemplo estaremos a pedir 20% para margem, e um saldo de Se comprar de CFDs utilizará 80% (20% x / ) da sua margem disponível, ou seja, cerca de Se o valor de mercado da sua posição cair para os , o valor disponível para margens cai para

7 A percentagem utilizada do valor disponível vai ser 140% (20% x / ) do seu valor restante excedeu desta forma os limites permitidos e terá que tomar providências: transferir fundos adicionais de pelo menos para cobertura das suas posições. Note que os vão trazer-lhe a percentagem utilizada do valor disponível de volta para os 100 % (em cima da margem). Se a posição em CFDs cair novamente, ficará novamente fora das margens reduzir a posição em CFDs, vendendo parte da posição. Se vender pelo menos da sua posição, por exemplo, ficará novamente dentro das margens, mas se o valor da posição em CFDs cair novamente, ficará outra vez fora das margens. CUSTO DE FINANCIAMENTO Durante o período em que detêm uma posição em CFDs, o investidor terá um encargo de juros que corresponde ao custo dos fundos emprestados. Isto significa que se comprar CFDs a conta do investidor será debitada à taxa de mercado mais um spread pelo período de tomada de posição (mínimo um dia). Assim, se conservar uma posição longa por um largo período de tempo, este custo de financiamento será substancial. Desse modo, aconselhamos que só utilize CFDs para posições longas se o fizer por um período curto de tempo. Deste modo, o investidor em CFDs fica numa situação semelhante ao investidor em acções no mercado a contado, ou seja, abdica de rendimentos resultantes da aplicação do montante investido na compra de acções. Caso venda CFDs (sort-selling), o investidor não terá qualquer custo de financiamento. Como calcular o custo de financiamento para um investimento em CFDs O custo de financiamento é calculado da seguinte forma: Custo de Financiamento = Valor * (LIBOR O/N + Spread) / N.º de dias no ano Os custos de financiamento serão calculados numa base diária e debitados na sua conta mensalmente. A convenção para o número de dias no ano varia conforme a moeda, podendo ser de 360 ou 365. OUTRAS CARACTERÍSTICAS Cotação e comissões O preço de um CFD reflecte o preço das acções, ou dos índices, que lhe servem de activo de suporte. Na negociação de CFDs (exceptuando as comissões mínimas de CFDs sobre índices), as comissões estão incorporadas na diferença das cotações de compra e de venda (spread), ou seja, os preços de compra e de venda de CFDs já são 4

8 líquidos de comissões. Isto significa que o investidor não tem que calcular o seu preço de saída, com a excepção dos eventuais custos de financiamento em posições longas. CFDs sobre acções A difusão do preço do melhor comprador (vendedor), para ordens de valor inferior a EUR ou equivalente, corresponde ao preço do comprador (vendedor) no mercado à vista da acção que lhe serve de subjacente deduzido (acrescido) de uma margem de 0,3%; quando o valor das ordens for superior a estes limites ou em situações anormais do mercado, o preço dos CFDs depende da profundidade (liquidez) do mercado. CFDs sobre índices Em condições normais de mercado os preços apresentados serão muito similares à cotação dos índices. Em média, o valor do índice no cash estará no meio do spread do CFD respectivo. A diferença entre o comprador e vendedor (spread), de CFDs sobre índices, varia conforme o índice que lhe serve de subjacente, e terá valores mínimos, correspondendo a situações normais de mercado. Comissão mínima para transacções com montantes abaixo dos mínimos exigidos, existe uma pequena comissão que varia consoante o índice. nota: a moeda de negociação é a mesma em que o activo subjacente é negociado no mercado Eventos patrimoniais Dividendos (CFDs sobre acções) Quando se detêm posições em CFDs sobre acções que distribuam dividendos, haverá um ajuste financeiro a débito/crédito em posições curtas/longas, que corresponde ao dividendo líquido recebido por um não residente. Aumento de Capital (CFDs sobre acções) Quando uma empresa aumenta o capital, um investidor que detenha uma posição longa tem direito a comprar novas posições nas mesmas condições caso detivesse o activo subjacente. Oferta Pública de Aquisição (CFDs sobre acções) Como a cotação dos CFDs replica a cotação do activo subjacente, a única situação a salvaguardar é, se por via dessa oferta, o activo deixar de estar cotado. Nesse caso, o detentor de um CFD tem direito de vender se estiver longo ou a obrigação de comprar se estiver curto, ao preço oferecido de acordo com as condições enunciadas na oferta. 5

9 EXEMPLOS 1 CFDs SOBRE ACÇÕES Exemplo expectativa de subida Um investidor acredita que Intel Corp. deverá subir, por isso decide abrir uma posição longa nesse título correspondente a 1000 acções, ou seja, compra 1000 CFDs a USD 18,80. dia INTC.O nº CFDs Valor da posição de COMPRA 20 / Mai 18,66,-18, USD (1000 x 18,80) Para abrir a posição é necessária uma margem de 20% do valor do contrato, isto é, USD 18,80 x 1000 =USD x 20% = USD 3760 de margem no momento de abertura. O Mercado sobe conforme a expectiva do investidor, levando-o a encerrar a posição, assumindo uma posição contrária à inicial, através de uma posição curta, ou seja, vende 1000 CFDs a USD 22,00. dia DJI nº CFDs Valor da posição de VENDA 12 / Jun 22,00-22, USD (1000 x 22,00) Cálculo de ganhos e perdas 22,00-18,80 = 3,20 x 1000 CFDs= USD 3200 de ganhos. O lucro obtido pelo investidor foi de USD Pelo facto do investidor apenas utilizar 20% da exposição total de USD 18800, ou seja, USD 3760, conseguiu obter uma rentabilidade considerável com o negócio: 3200 / 3760 = 85,1% nota: As normais despesas de financiamento aplicam-se, isto é, o investidor suportará ainda um custo de financiamento pelas posições longas. 2 CFDs SOBRE ÍNDICES Exemplo expectativa de descida Um investidor acredita que o Dow Jones Industrial Index deverá cair, por isso decide abrir uma posição curta nesse índice correspondente a USD40 por ponto, com o DJI a cotar cerca de 9309,50no Bid. 6

10 dia DJI USD / ponto Valor da posição de VENDA 16 / Jun 9309, ,50 USD 40 USD (40 x 9309,50) Para abrir a posição é necessária uma margem de 10% do valor do contrato do activo subjacente, isto é, 9309,50 x USD40 =USD x 10% = USD de margem no momento de abertura. O Mercado desce conforme a expectiva do investidor, levando-o a encerrar a posição, assumindo uma posição contrária à inicial, através de uma posição longa, com o Ask a cotar cerca de 9000,00. dia DJI USD / ponto Valor da posição de COMPRA 30 / Jun 8984, ,00 USD 40 USD (40 x 9000,00) Cálculo de ganhos e perdas 9309, ,00 = 309,50 pontos x USD40 = USD de ganhos. O lucro obtido pelo investidor foi de USD Pelo facto do investidor apenas utilizar 10% da exposição total de USD , ou seja, USD 37238, conseguiu obter uma rentabilidade considerável com o negócio: / = 33,2% nota: As normais despesas de financiamento não se aplicam pelo facto de tratar-se de uma posição curta. Contactos L. J. Carregosa Sociedade Financeira de Corretagem, S.A. Apoio Cliente: Paulo Vieira Rui Forte Negociação: Porto Lisboa Agências: Braga Figueira Foz

Conceitos básicos de negociação em CFDs

Conceitos básicos de negociação em CFDs Conceitos básicos de negociação em CFDs N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar a perda

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em Futuros

Conceitos básicos de negociação em Futuros Conceitos básicos de negociação em Futuros N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar

Leia mais

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática

O que são CFDs? CFDS Uma abordagem prática O que são CFDs? Um CFD (Contract for difference) é um instrumento financeiro negociado fora de mercados regulamentados que proporciona, aos investidores, uma forma mais eficiente de negociação em acções.

Leia mais

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference

Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference Contratos Diferenciais CFDs: Contracts For Difference PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida

Leia mais

. VALORES MOBILIÁRIOS

. VALORES MOBILIÁRIOS . VALORES 2.. V MOBILIÁRIOS 2. Valores Mobiliários O QUE SÃO VALORES MOBILIÁRIOS? Valores mobiliários são documentos emitidos por empresas ou outras entidades, em grande quantidade, que representam direitos

Leia mais

Contracts for Diogo F. Oliveira. Difference (CFDs)

Contracts for Diogo F. Oliveira. Difference (CFDs) Contracts for Diogo F. Oliveira Difference (CFDs) AVISO O presente documento foi preparado pelo Banco BEST com o objectivo de informar os leitores sobre as principais características dos produtos derivados

Leia mais

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Futuros PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO ADVERTÊNCIA AO INVESTIDOR Risco de perda súbita total, superior ou parcial do capital investido Remuneração não garantida Existência de comissões Possibilidade de exigência

Leia mais

Introdução. Tipos de Futuros. O que são Futuros?

Introdução. Tipos de Futuros. O que são Futuros? Introdução O que são Futuros? São instrumentos financeiros derivados, negociados em bolsa, que obrigam ao seu comprador/vendedor comprar/vender uma determinada quantidade de um activo numa determinada

Leia mais

turbo warrants manual /////// www warrants commerzbank com ///////////////////////////////////////////////////////////////////// Warrants Estruturados Turbo warrants Turbo Warrants Acelere os seus investimentos

Leia mais

Implicações da alteração da Taxa de Juro nas Provisões Matemáticas do Seguro de Vida

Implicações da alteração da Taxa de Juro nas Provisões Matemáticas do Seguro de Vida Implicações da alteração da Taxa de Juro nas Provisões Matemáticas do Seguro de Vida 1. Algumas reflexões sobre solvência e solidez financeira Para podermos compreender o que se entende por solvência,

Leia mais

DECLARAÇÃO DE RISCO DE INVESTIMENTO (OTC) De 15 de Fevereiro de 2012

DECLARAÇÃO DE RISCO DE INVESTIMENTO (OTC) De 15 de Fevereiro de 2012 DECLARAÇÃO DE RISCO DE INVESTIMENTO (OTC) De 15 de Fevereiro de 2012 1. Definições Instrumentos Financeiros OTC - são os instrumentos financeiros descritos no Regulamento de prestação de serviços para

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (184 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (184 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado EUR/USD No Touch II Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (184 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO BiG Alocação Fundo Autónomo: BiG Alocação Dinâmica Todos os Investimentos têm risco Entidade gestora: Real Vida Seguros, S.A. Avenida de França, 316 2º, Edifício Capitólio 4050-276 Porto Portugal Advertências

Leia mais

Banco Best 2010. Best Trading Pro CFDs 11 de Fevereiro de 2010

Banco Best 2010. Best Trading Pro CFDs 11 de Fevereiro de 2010 Banco Best 2010 Best Trading Pro CFDs 11 de Fevereiro de 2010 O Banco Best O BANCO BEST O BEST numa só frase: Personal Investments Worldwide 3 O BANCO BEST O BEST cobre toda a gama de produtos e serviços

Leia mais

N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling

N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Conceitos básicos de negociação em Forex N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling www.facebook.com/gobulling Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: 100% do capital investido garantido na maturidade Remuneração não garantida Possibilidade

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em Forex

Conceitos básicos de negociação em Forex Conceitos básicos de negociação em Forex A GoBulling é uma marca do Banco Carregosa. EM 2012 O BANCO CARREGOSA É ELEITO O MELHOR EM BANCA PRIVADA EM PORTUGAL www.facebook.com/gobulling Produtos Financeiros

Leia mais

Condições para Crédito a Descoberto DEGIRO

Condições para Crédito a Descoberto DEGIRO Condições para Crédito a Descoberto DEGIRO Conteúdo Condições para crédito a descoberto... 3 Artigo 1. Definições... 3 Artigo 2. Relação contratual... 3 2.1 Aceitação... 3 2.2 Bureau krediet registratie

Leia mais

Valores Mobiliários Estruturados Factor Certificates

Valores Mobiliários Estruturados Factor Certificates Produto Financeiro Complexo Valores Mobiliários Estruturados Factor Certificates Uma nova forma de alavancar os seus investimentos Informações sobre o Produto Não dispensa a consulta do Documento Informativo

Leia mais

Best Trading Pro. 23 Abril 2013

Best Trading Pro. 23 Abril 2013 Best Trading Pro 23 Abril 2013 Copyright 2013 Banco Best BEST Trading Pro Uma verdadeira sala de mercados numa única plataforma Plataforma BTP: toda a oferta à sua medida Negociação on-line de 17.000 activos

Leia mais

Academia de Warrants. 2. Warrants (Plain Vanilla)

Academia de Warrants. 2. Warrants (Plain Vanilla) Academia de Warrants 2. Warrants (Plain Vanilla) 1. Warrants (Plain Vanilla) Sumário Executivo 1. Definição 2. Motivos para investir em Warrants 3. Valorização de Warrants 4. Estratégias 1 1. Warrants

Leia mais

Conceitos básicos de negociação em CFDs

Conceitos básicos de negociação em CFDs Conceitos básicos de negociação em CFDs Advertências Específicas ao Investidor: Pode implicar a perda súbita da totalidade ou de mais do que o capital investido; Pode proporcionar rendimento nulo ou negativo.

Leia mais

DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N.º 17 CONTRATOS DE FUTUROS

DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N.º 17 CONTRATOS DE FUTUROS 1/12 DIRECTRIZ CONTABILÍSTICA N.º 17 CONTRATOS DE FUTUROS 1 - OBJECTIVO A presente directriz tem por objectivo o tratamento contabilístico dos contratos de futuros, negociados em mercados organizados com

Leia mais

Mercados Futuros (BM&F)

Mercados Futuros (BM&F) Neste segmento de mercado se negociam contratos e minicontratos futuros de ativos financeiros ou commodities. Ou seja, é a negociação de um produto que ainda não existe no mercado, por um preço predeterminado

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Contraparte: Saxo Bank A/S, com

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO. BES PORTUGAL DEZEMBRO 2011-2014 NOTES Credit Linked Notes

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO. BES PORTUGAL DEZEMBRO 2011-2014 NOTES Credit Linked Notes Advertências ao investidor: PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO BES PORTUGAL DEZEMBRO 2011-2014 NOTES Credit Linked Notes Risco de perda total ou parcial do capital investido em caso de Evento

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024)

Fundo de Investimento Imobiliário Aberto. ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão ES LOGISTICA Fundo de Investimento Imobiliário Aberto Fundo de Investimento Imobiliário Aberto ES LOGISTICA (CMVM nº 1024) Relatório de Gestão Dezembro de 2008 ESAF Fundos de Investimento

Leia mais

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito.

O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. INFORMAÇÕES GERAIS. O investimento em instrumentos financeiros tem sempre associado uma rendibilidade potencial e um risco implícito. A rendibilidade é a taxa de rendimento gerado pelo investimento durante

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO.

MERCADO DE CAPITAIS. 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO. MERCADO DE CAPITAIS 4 o. ANO DE ADMINISTRAÇÃO MATERIAL DE ACOMPANHAMENTO DAS AULAS PARA OS ALUNOS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO, REFERENTE À 2 A. AVALIAÇÃO. PROFESSOR FIGUEIREDO SÃO PAULO 2007 Mercado de Capitais

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las PFC Valorização PSI 20 Entidade Emitente:

Leia mais

PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO. Citibank International plc

PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO. Citibank International plc PROGRAMA EQUITY FIRST PRODUCT SUMÁRIO Citibank International plc Valores Mobiliários auto-call Escalator até 50.000.000 euros associados aos Índices EURO STOXX 50 SM, Nikkei 225 e S&P 500 com vencimento

Leia mais

M N F G e s t ã o d e A c t i v o s - S G F I M, S A

M N F G e s t ã o d e A c t i v o s - S G F I M, S A Prospecto Simplificado (Actualizado a 8 de Fevereiro de 2012) Fundo Especial de Aberto Strategic Diversified USD Fundo Especial de Aberto (Fundo autorizado pela CMVM em 8 de Fevereiro de 2011, sob o número

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. Valores Mobiliários Estruturados

Leia mais

Condições e formulários de aceitação DEGIRO

Condições e formulários de aceitação DEGIRO Condições e formulários de aceitação DEGIRO 1/25 Endereço para onde pode enviar este formulário: Pode enviar este formulário devidamente preenchido por e-mail para: clientes@degiro.pt 2/25 Condições para

Leia mais

6 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS

6 INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 6. INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS 6. Intermediários Financeiros O QUE SÃO INTERMEDIÁRIOS FINANCEIROS? Intermediários financeiros são as empresas prestadoras dos serviços que permitem aos investidores actuar

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado EUR/USD No Touch Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (191 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO

BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO BANRISUL ABSOLUTO FUNDO DE INVESTIMENTO RENDA FIXA CNPJ/MF nº 21.743.480/0001-50 PROSPECTO AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NESSE PROSPECTO ESTÃO EM CONSONÂNCIA COM O REGULAMENTO DO FUNDO, PORÉM NÃO O SUBSTITUI.

Leia mais

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03

BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 BANRISUL AUTOMÁTICO FUNDO DE INVESTIMENTO CURTO PRAZO CNPJ/MF nº 01.353.260/0001-03 PROSPECTO AVISOS IMPORTANTES I. A CONCESSÃO DE REGISTRO PARA A VENDA DAS COTAS DESTE FUNDO NÃO IMPLICA, POR PARTE DA

Leia mais

Finanças Internacionais exercícios

Finanças Internacionais exercícios Finanças Internacionais exercícios Paulo Lamosa Berger Exemplo Suponha que no dia 20/10/2000 (sexta-feira) um importador deseje uma taxa para liquidação D0. Calcule a taxa justa para esse cliente. Dados:

Leia mais

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040 Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA TARGET 2040 ALERTA GRÁFICO Entidade Gestora: T-Vida, Companhia de Seguros,

Leia mais

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045

Fidelity Poupança FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045 Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las FUNDO AUTÓNOMO FIDELITY POUPANÇA AÇÕES TARGET 2045 ALERTA GRÁFICO Entidade Gestora: T-Vida, Companhia

Leia mais

/ Warrants: uma definição /

/ Warrants: uma definição / Warrants www.warrants.commerzbank.com Warrants: uma definição Os warrants são valores mobiliários associados a activos como acções, índices ou taxas de câmbio que amplificam os movimentos DE preço dos

Leia mais

Tipo de custo Situação Condições Unidade Notas

Tipo de custo Situação Condições Unidade Notas Despesas de manutenção da conta A tramitação de eventos corporativos, quer sejam voluntários ou obrigatórios Conta sem actividade durante 6 meses 100 USD Aplicar-se-á uma comissão de inactividade de 100

Leia mais

Preçário BANCO INVEST, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 01-Jun-16

Preçário BANCO INVEST, SA BANCOS. Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS FOLHETO DE TAXAS DE JURO. Data de Entrada em vigor: 01-Jun-16 Preçário BANCO INVEST, SA BANCOS Consulte o FOLHETO DE COMISSÕES E DESPESAS FOLHETO DE TAXAS DE JURO Data de Entrada em vigor: 01Jun16 O Preçário completo do Banco Invest, contém o Folheto de Comissões

Leia mais

Norma contabilística e de relato financeiro 9. e divulgações apropriadas a aplicar em relação a locações financeiras e operacionais.

Norma contabilística e de relato financeiro 9. e divulgações apropriadas a aplicar em relação a locações financeiras e operacionais. Norma contabilística e de relato financeiro 9 Locações Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 17 Locações, adoptada pelo texto original

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O. MARATONA PROGRAMADO FIA - BDR NIVEL I 21.363.225/0001-82 Informações referentes a Maio de 2016 MARATONA PROGRAMADO FIA BDR NIVEL I 21.363.225/000182 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o MARATONA PROGRAMADO FUNDO DE INVESTIMENTO EM

Leia mais

Mercado em baixa Um mercado em baixa é um termo que descreve a constante descida do preço de mercado.

Mercado em baixa Um mercado em baixa é um termo que descreve a constante descida do preço de mercado. Glossário Mercado em baixa Um mercado em baixa é um termo que descreve a constante descida do preço de mercado. Tamanho da posição Trata-se do montante que se pode ganhar ou perder pelo incremento ou decréscimo

Leia mais

Os riscos do INVESTIMENTO ACTIVO MAIS, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do INVESTIMENTO ACTIVO MAIS, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Breve Descrição do produto O é um produto financeiro complexo composto por 50% do investimento num Depósito a Prazo a 180 dias, não renovável, com uma taxa de juro de 4% (TANB Taxa Anual Nominal Bruta),

Leia mais

(a) Propriedade detida por locatários que seja contabilizada como propriedade de investimento (ver NCRF 11 - Propriedades de Investimento);

(a) Propriedade detida por locatários que seja contabilizada como propriedade de investimento (ver NCRF 11 - Propriedades de Investimento); NCRF 9 Locações Esta Norma Contabilística e de Relato Financeiro tem por base a Norma Internacional de Contabilidade IAS 17 - Locações, adoptada pelo texto original do Regulamento (CE) n.º 1126/2008 da

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER ESTRUTURADO BOLSA EUROPEIA 3 MULTIMERCADO 11.714.787/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS AO INVESTIDOR PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS AO INVESTIDOR PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO INFORMAÇÕES FUNDAMENTAIS AO INVESTIDOR PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um Investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto aceitá-las CFD CONTRATO DIFERENCIAL OU CONTRACT

Leia mais

O mercado monetário. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012):

O mercado monetário. Mercado Financeiro - Prof. Marco Arbex. Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012): O mercado monetário Prof. Marco A. Arbex marco.arbex@live.estacio.br Blog: www.marcoarbex.wordpress.com Os mercados financeiros são subdivididos em quatro categorias (ASSAF NETO, 2012): Mercado Atuação

Leia mais

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $

$ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND $ $ ETF EXCHANGE TRADED FUND Investimento para quem busca a possibilidade de melhores retornos, através de uma carteira diversificada e com menor custo. Confira porque os fundos de índices são a nova opção

Leia mais

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente.

Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente. Designação Classificação Depósito Indexado USD 6 meses Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado Depósito Indexado, denominado em Euros, pelo prazo de 6 meses (178 dias), não mobilizável antecipadamente.

Leia mais

Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros

Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros Sumário Módulo 4 - Especulação e Cobertura de Riscos com Futuros ISEG Universidade Técnica de Lisboa 6 de Maio de 2005 Parte I Sumário Parte I: Arbitragem com Futuros Parte II: Especulação com Futuros

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Relatório de Gestão AS ALTA VISTA - Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Fundo de Investimento Imobiliário Fechado ES ALTA VISTA (CMVM nº 912) Relatório de Gestão Dezembro de 2008 ESAF Fundos de Investimento

Leia mais

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem.

Os riscos do DUETO, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Advertências ao Investidor Os riscos do, produto financeiro complexo, dependem dos riscos individuais associados a cada um dos produtos que o compõem. Risco de perda total ou parcial do capital investido

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO EMPRESA DE SEGUROS Santander Totta Seguros, Companhia de Seguros de Vida S.A., com Sede na Rua da Mesquita, nº 6 - Torre A - 2º - 1070 238 Lisboa, Portugal (pertence ao Grupo Santander). A Santander Totta

Leia mais

Prospecto Informativo Depósito Dual Energia Europa BBVA

Prospecto Informativo Depósito Dual Energia Europa BBVA Prospecto Informativo Designação Classificação Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de Remuneração Factores de risco Produto financeiro complexo Depósito Dual O é um depósito dual a 3

Leia mais

ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO

ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF Nº 10.758.216/0001-74 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA DIVIDENDOS - FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES INVESTIDOR QUALIFICADO

Leia mais

Contrato de Cliente DEGIRO

Contrato de Cliente DEGIRO Contrato de Cliente DEGIRO Contrato de Cliente Introdução A empresa de investimento DEGIRO fornece aos seus Clientes vários serviços de investimento e serviços complementares relacionados. Para os seus

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES 3 ANOS TELECOMS PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES 3 ANOS TELECOMS PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO EUR NOTES BES 3 ANOS TELECOMS PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: Remuneração não garantida Impossibilidade de reembolso antecipado por parte do Investidor Informação

Leia mais

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269.

Lâmina de Informações Essenciais do. Título Fundo de Investimento Multimercado Longo Prazo (Título FIM-LP) CNPJ/MF: 02.269. Lâmina de Informações Essenciais do Informações referentes à Dezembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o TÍTULO FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO - LONGO PRAZO (Título

Leia mais

Glossário da crise financeira

Glossário da crise financeira Glossário da crise financeira Focus A crise financeira que teve início em 2008 com a falência do banco de investimento norte-americano Lehman Brothers alastrou-se a todo o mundo e transformou-se na pior

Leia mais

Objectivo. Ephi-ciência Financeira Tópicos Avançados sobre Opções -III. Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação

Objectivo. Ephi-ciência Financeira Tópicos Avançados sobre Opções -III. Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação Tópicos Avançados sobre Opções -III Objectivo Definição e Carcterização de Opções Tipos de Opções Princípios de Avaliação João Cantiga Esteves Senior Partner 1 ACTIVOS FINANCEIROS DERIVADOS MODELO BLACK-SCHOLES

Leia mais

MERCADO FUTURO: BOI GORDO

MERCADO FUTURO: BOI GORDO MERCADO FUTURO: BOI GORDO Sergio De Zen Mestre em Economia Aplicada, Pesquisador do CEPEA/ESALQ/USP Os anos noventa têm sido marcados por termos modernos na terminologia do mercado financeiro. Dentre essas

Leia mais

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes

Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes Tipos de ações As ações se diferenciam basicamente pelos direitos que concedem a seus acionistas. No Brasil, elas estão divididas em dois grandes grupos: as ações ordinárias e as ações preferenciais. As

Leia mais

Preçário para Investidores não qualificados nos termos da instrução nº1/2006 da CMVM

Preçário para Investidores não qualificados nos termos da instrução nº1/2006 da CMVM Preçário para Investidores não qualificados nos termos da instrução nº1/2006 da CMVM Clientes utilizadores de meios electrónicos Caixadirecta Invest 15 de Outubro de 2010 Aviso nos termos da instrução

Leia mais

Contabilidade Geral. Gestão do Desporto 2011/2012

Contabilidade Geral. Gestão do Desporto 2011/2012 Contabilidade Geral Gestão do Desporto 2011/2012 OPERAÇÕES CORRENTES 1. Meios Financeiros Líquidos Esta Classe destina-se a registar os meios financeiros líquidos que incluem quer o dinheiro e depósitos

Leia mais

Relatório e Contas CARREGOSA BRASIL VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE

Relatório e Contas CARREGOSA BRASIL VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE Relatório e Contas CARREGOSA BRASIL VALOR FUNDO DE INVESTIMENTO ABERTO FLEXÍVEL PERÍODO FINDO EM 30 DE JUNHO DE 2011 Índice 1 Relatório de Gestão... 3 Enquadramento Geral da actividade até 30 de Junho

Leia mais

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI)

Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) Informações Fundamentais Destinadas aos Investidores (IFI) O presente documento fornece as informações fundamentais destinadas aos investidores sobre este Fundo. Não é material promocional. Estas informações

Leia mais

Obrigações de Caixa Euro Dólar Premium Instrumento de Captação de Aforro Estruturado

Obrigações de Caixa Euro Dólar Premium Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Obrigações de Caixa Euro Dólar Premium Instrumento de Captação de Aforro Estruturado - Prospecto Informativo - I INFORMAÇÃO DE SÍNTESE INSTRUMENTO As Obrigações de Caixa Euro Dólar Premium constituem um

Leia mais

PARTE A: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL

PARTE A: INFORMAÇÕES DE CARÁCTER GERAL Crédit Agricole Funds - EUROSTOCKS O Crédit Agricole Funds é um OICVM umbrella constituído ao abrigo da Parte I da Lei de 20 de Dezembro de 2002, conforme alterada Sede social: 39, Allée Scheffer, L-2520

Leia mais

Derivativos de Balcão. Opções Flexíveis

Derivativos de Balcão. Opções Flexíveis Derivativos de Balcão Opções Flexíveis Opções Flexíveis Proteção contra a volatilidade de preços O produto Opção flexível é um contrato em que o titular tem direito, mas não obrigação, de comprar (ou vender)

Leia mais

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO

PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO Capital Garantido Brasil 2015 Notes ( Brasil 2015 Notes ) a emitir pelo Espirito Santo Investment p.l.c. ao abrigo do seu 2,500,000,000 Euro Medium Term

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imomar

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imomar Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imomar RELATÓRIO & CONTAS 2007 ÍNDICE ACTIVIDADE DO FUNDO 2 BALANÇO 4 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 5 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS MONETÁRIOS 6 ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira

Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira Demonstrativo da Composição e Diversificação da Carteira Mês/Ano: 31 de março de 2016 Nome do Fundo: Alfa I - Fundo Mútuo de CNPJ: 03.919.892/0001-17 Administrador: Banco Alfa de Investimento S.A. CNPJ:

Leia mais

Os valores mobiliários que fazem parte de uma mesma emissão conferem aos seus titulares os mesmos direitos e deveres.

Os valores mobiliários que fazem parte de uma mesma emissão conferem aos seus titulares os mesmos direitos e deveres. VALORES MOBILIÁRIOS O QUE SÃO VALORES MOBILIÁRIOS? Valores mobiliários são documentos emitidos por empresas ou outras entidades, em grande quantidade, que representam direitos e deveres, podendo ser comprados

Leia mais

Documento Informativo. Obrigações db Double Chance Europe. - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - Produto Financeiro Complexo

Documento Informativo. Obrigações db Double Chance Europe. - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - Produto Financeiro Complexo Documento Informativo Obrigações db Double Chance Europe - Obrigações relativas ao Índice DJ Euro Stoxx 50 - ISIN: XS0464427177 Produto Financeiro Complexo 1. Produto As Obrigações relativas ao Índice

Leia mais

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO

Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Lâmina de informações essenciais sobre o Fundo SUMITOMO MITSUI MASTER PLUS FI REF DI CREDITO PRIVADO LONGO PRAZO Informações referentes a novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais

Leia mais

Conceitos Básicos Tipos de Warrants e Exemplos. N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling

Conceitos Básicos Tipos de Warrants e Exemplos. N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling Conceitos Básicos Tipos de Warrants e Exemplos N.º 808 10 20 20 ApoioCliente@GoBulling.com www.bancocarregosa.com/gobulling Produto Financeiro Complexo Um investimento responsável exige que conheça as

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FIC DE FI REFERENCIADO DI CNPJ 19.312.112/0001-06 DEZEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FIC DE FI REFERENCIADO DI CNPJ 19.312.112/0001-06 DEZEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli FIC de FI Referenciado DI. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo, disponíveis

Leia mais

O activo subjacente é o cabaz constituído pelos seguintes títulos:

O activo subjacente é o cabaz constituído pelos seguintes títulos: Designação Classificação Depósito Indexado Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado, denominado em Euros ( ), não mobilizável antecipadamente. Depósito com um prazo de 2 anos, que poderá ser sujeito

Leia mais

PARVEST China Subfundo da PARVEST, sociedade luxemburguesa de investimento de capital variável (a seguir, a SICAV ) Estabelecida a 27 de Março de 1990

PARVEST China Subfundo da PARVEST, sociedade luxemburguesa de investimento de capital variável (a seguir, a SICAV ) Estabelecida a 27 de Março de 1990 PARVEST China Subfundo da PARVEST, sociedade luxemburguesa de investimento de capital variável (a seguir, a SICAV ) Estabelecida a 27 de Março de 1990 PROSPECTO SIMPLIFICADO FEVEREIRO DE 2006 Este prospecto

Leia mais

Dirigimo-nos a V. Exa. na qualidade de acionista do BBVA Multi-Asset Moderate EUR Fund, um sub-fundo da BBVA Durbana International Fund ( SICAV ).

Dirigimo-nos a V. Exa. na qualidade de acionista do BBVA Multi-Asset Moderate EUR Fund, um sub-fundo da BBVA Durbana International Fund ( SICAV ). BBVA Durbana International Fund Société d investissement à capital variable 20, boulevard Emmanuel Servais, L-2535 Luxembourg, Grand Duchy of Luxembourg R.C.S. Luxembourg B 27 711 Esta carta ( Carta ),

Leia mais

- Prospecto Informativo -

- Prospecto Informativo - - Prospecto Informativo - Designação Classificação Depósito Valor Crescimento Global USD (doravante referido por o Depósito ). Depósito Indexado Caracterização do Produto Garantia de Capital Garantia de

Leia mais

Manual do Revisor Oficial de Contas IAS 7 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 7 (REVISTA EM 1992) Demonstrações de Fluxos de Caixa

Manual do Revisor Oficial de Contas IAS 7 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 7 (REVISTA EM 1992) Demonstrações de Fluxos de Caixa IAS 7 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 7 (REVISTA EM 1992) Demonstrações de Fluxos de Caixa Esta Norma Internacional de Contabilidade revista substitui a NIC 7, Demonstração de Alterações na

Leia mais

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Informações Fundamentais ao Investidor PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Um investimento responsável exige que conheça as suas implicações e que esteja disposto a aceitá-las. TODOS OS INVESTIMENTOS TÊM RISCO

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTAS E RESPOSTAS MOMENTO ECONÔMICO Os investimentos dos Fundos de Pensão, e o PRhosper não é diferente, têm por objetivo a formação de capital para uso previdenciário, portanto, de longo prazo. Exatamente por essa razão,

Leia mais

Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro

Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro Mudanças Recentes no Passivo Externo Brasileiro As contas externas do país registraram a seqüência de cinco anos de superávits em transações correntes entre 2003 e 2007, proporcionando a ocorrência de

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Beirafundo

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Beirafundo Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Beirafundo RELATÓRIO & CONTAS 2007 ÍNDICE ACTIVIDADE DO FUNDO 2 BALANÇO 4 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 5 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS MONETÁRIOS 6 ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imorocha

Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imorocha Fundo de Investimento Imobiliário Fechado Imorocha RELATÓRIO & CONTAS 2007 ÍNDICE ACTIVIDADE DO FUNDO 2 BALANÇO 4 DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS 5 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS MONETÁRIOS 6 ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES

Leia mais

ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF 11.039.

ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO INVESTIDOR QUALIFICADO CNPJ/MF 11.039. ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO EM COTAS DE FUNDOS DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ/MF 11.039.121/0001-63 REGULAMENTO CAPÍTULO I DO FUNDO 1.1 O ALFA TOTAL JGP HEDGE - FUNDO DE INVESTIMENTO

Leia mais

Renda Variável ETF de Ações. Renda Variável. ETF de Ações

Renda Variável ETF de Ações. Renda Variável. ETF de Ações Renda Variável O produto O, também conhecido como Exchange Traded Fund (ETF), é um fundo de índice, considerado investimento em renda variável. O produto representa uma comunhão de recursos destinados

Leia mais

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de

Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de Safra Fundo Mútuo de Privatização FGTS Petrobrás Demonstrações Financeiras em 31 de março de 2004 e em 30 de setembro de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes Aos

Leia mais

Prof. Cid Roberto. Spread. Operações passivas. Operações ativas. Operações acessórias. Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro

Prof. Cid Roberto. Spread. Operações passivas. Operações ativas. Operações acessórias. Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro Conhecimentos Bancários e Atualidades do Mercado Financeiro Mercado Financeiro Prof. Cid Roberto Grupo Conhecimentos Bancários no Google http://goo.gl/gbkij Comunidade Conhecimentos Bancários (orkut) http://goo.gl/4a6y7

Leia mais

REGIME PRUDENCIAL DOS FUNDOS DE PENSÕES POLÍTICA DE INVESTIMENTO E COMPOSIÇÃO E AVALIAÇÃO DOS ACTIVOS

REGIME PRUDENCIAL DOS FUNDOS DE PENSÕES POLÍTICA DE INVESTIMENTO E COMPOSIÇÃO E AVALIAÇÃO DOS ACTIVOS Não dispensa a consulta do regulamento publicado em Diário da República NORMA REGULAMENTAR N.º 9/2007-R, de 28 de Junho REGIME PRUDENCIAL DOS FUNDOS DE PENSÕES POLÍTICA DE INVESTIMENTO E COMPOSIÇÃO E AVALIAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE DO ALGARVE. GESTÃO BANCÁRIA Anexo 5

UNIVERSIDADE DO ALGARVE. GESTÃO BANCÁRIA Anexo 5 UNIVERSIDADE DO ALGARVE FACULDADE DE ECONOMIA GESTÃO BANCÁRIA Anexo 5 Fernando Félix Cardoso Outubro 2004 1 Mercado Monetário 2 Mercado Monetário O Mercado Monetário é o segmento do mercado financeiro

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SANTANDER SOBERANO CURTO PRAZO 04.871.634/0001-70 Informações referentes a Maio de 2016 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o SANTANDER

Leia mais

Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil

Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil Indicadores de Risco Macroeconômico no Brasil Julho de 2005 Risco Macroeconômico 2 Introdução: Risco Financeiro e Macroeconômico Um dos conceitos fundamentais na área financeira é o de risco, que normalmente

Leia mais