Resultados PRIMEIRO SEMESTRE Julho Do sucesso para novos desafios

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Resultados PRIMEIRO SEMESTRE 2010. 30 Julho 2010. Do sucesso para novos desafios"

Transcrição

1 Resultados PRIMEIRO SEMESTRE Julho 2010 Do sucesso para novos desafios

2 Envolvente de mercado Análise financeira Perfil exportador Inovação e partilha do conhecimento 2

3 Sinais de retoma mostram alguma resiliência Brent Margem refinação benchmark ,0 Média 1S ,3 Usd/bbl Média 1S ,0 1,52 Usd/bbl 6,0 Média 1S ,80 Usd/bbl Média 1S ,6 Usd/bbl J F M A M J J A S O N D - (2,0) J F M A M J J A S O N D Variação trimestral do PIB Europeu (Euro 25) Consumo mundial de petróleo 2% - (0,0%) (0,0%) 0,4% 1,1% (0,1%) 1,3% Média 2T ,6 Mbpd (2%) (4%) (2,6%) 84 Média 2T ,9 Mbpd (4,4%) (6%) 2T08 3T08 4T08 1T09 2T09 3T09 4T09 1T T 2T 3T 4T 3 Fonte: Brent dated Platts (valores diários) Margem Benchmark Platts (valores mensais) Variação trimestral do PIB Europeu (Euro 25) a preços correntes Bloomberg (valores trimestrais) Consumo mundial de petróleo diário IEA (valores trimestrais)

4 Mercado ibérico oil continua a ser afectado pela fragilidade da conjuntura económica sentida em Portugal e em Espanha Mercado Ibérico Oil (Milhões ton) 35,2 34,1 Mercado oil regista uma redução de 3% em Portugal e em Espanha 1S09 1S10 Mercado Português GN (Milhões m 3 ) Portugal Espanha Procura de gasóleo em Portugal ficou em linha com o valor homólogo, enquanto a gasolina registou uma quebra de 4% e o jet fuel um aumento de 8% S S10 Doméstico Industrial Eléctrico Mercado português de gás natural cresceu 3% com aumento de 7% da procura no segmento industrial, impulsionado pelo consumo da central de cogeração da refinaria de Sines 4 Mercado português de GN inclui apenas valores Galp Energia

5 Envolvente de mercado Análise financeira Perfil exportador Inovação e partilha do conhecimento 5

6 Factos mais relevantes da actividade do primeiro semestre Exploração & Produção Campos Tupi e Tombua Lândana contribuem decisivamente para o aumento da produção Refinação & Distribuição Importante recuperação por parte dos volumes de crude processado Gas & Power Vendas de gás natural beneficiam central de cogeração de Sines e da incorporação da Madrileña Gas, adquirida no primeiro semestre Situação financeira Investimento duplica face ao período homólogo e atinge os 479 milhões 6

7 Primeiro semestre com desempenho operacional favorável em relação a 2009 Indicadores operacionais 1S10 1S09 Var. anual E&P beneficia do incremento da produção nos campos do Tupi, no Brasil, e de Tômbua Lândana, em Angola Produção média working kbbl/d 19,1 13,3 +43% Produção média net entitlement kbbl/d 11,8 8,9 +33% Margem de refinação Galp Energia $/bbl 3,0 2,0 +50% Matérias primas processadas Milhões bbl 43,8 34,7 +26% Vendas oil clientes directos Milhões ton 5,5 5,9 (6%) Vendas a clientes directos na Península Ibérica afectadas pela desaceleração, sobretudo no mercado espanhol Vendas de gás natural Milhões m % Geração de energia eléctrica GWh % Central de cogeração da refinaria de Sines com impacto favorável nas vendas de gás natural e geração de energia eléctrica 7

8 Resultado líquido RCA de 174 milhões Demonstração de resultados ( milhões) 1S10 1S09 Var. anual Vendas % EBITDA % E&P % R&D % G&P % Outros 7 13 (48%) EBIT % Resultado Líquido % Actividade operacional com desempenho favorável, suportado por todos os segmentos Variação expressiva dos resultados, favorecida pelo incidente na refinaria de Sines ocorrido no primeiro trimestre de 2009 Resultado Líquido (IFRS) % 8 Resultados RCA excepto indicação em contrário

9 Aumento no investimento em 82% face ao período homólogo Investimento ( milhões) 479 Investimento no segmento de E&P orientado sobretudo para o Bloco 14 e para a bacia de Santos 264 G&P R&D E&P Projecto de conversão das refinarias continua a absorver a maioria do investimento no segmento de R&D 1S09 +82% 1S10 Central de cogeração da refinaria de Matosinhos responsável por grande parte do investimento no segmento de G&P 9 Investimento: inclui outros no valor de 2 Milhões no 1S10 e 2 Milhões no 1S09

10 Estrutura de capital sólida Balanço consolidado ( milhões) Julho 2010 Dezembro 2009 Variação Activo fixo Investimento em curso Stock estratégico Outros activos (passivos) (350) (333) (18) Cerca de 1,4 mil milhões de investimentos em curso, nos projectos de exploração da bacia de Santos e offshore angolano e na conversão das refinarias Fundo de maneio (107) (305) +198 Dívida líquida (net debt ) Total do capital próprio (equity ) Capital empregue Net debt to equity 96% 81% 15,4 p.p. Aumento da dívida líquida reflecte execução do plano de investimentos transformacionais 10

11 Liquidez de 1.3 mil milhões 1 Perfil de reembolso da dívida de Médio/Longo prazo ( milhões) Alteração do plano de reembolso com redução das amortizações de capital em Dívida líquida totalizou milhões Estrutura da dívida a Junho de % 79% Taxa de juro média de 3.5% Taxa fixa M/Longoprazo 41% Taxa variável M/Longoprazo Curto prazo 21% M/Longo prazo 65% da liquidez actual assegurada 11 1 Liquidez no final de Junho 2010

12 Envolvente de mercado Análise financeira Perfil exportador Inovação e partilha do conhecimento 12

13 Forte perfil exportador 1,6 Evolução das exportações ( mil milhões) 2,0 1º semestre 2010 com 80% do valor obtido em 2009 Forte contributo para a balança comercial portuguesa e para o desenvolvimento da competitividade da economia nacional 1,2 1,0 Exportações para 55 países, com EUA, México e Grã Bretanha no topo da lista S.2010 Incidente na refinaria de Sines 2,4 milhões de toneladas de produtos exportados (gasolina 34% e fuelóleo 27%) em

14 Envolvente de mercado Análise financeira Perfil exportador Inovação e partilha do conhecimento 14

15 Aposta contínua na inovação e na aproximação à comunidade científica Galp Innovation Challenge Lançamento de desafios ao sistema científico nacional 1º concurso Hotspot Design já finalizado (+800 participantes) Programa de cooperação universitária 20 bolseiros com 20 projectos de investigação em 20 clientes Galp Energia Eng IQ Projectos de doutoramento em Engª da Refinação, Petroquímica e Química 1º doutoramento do país em Engª da Refinação Mobilidade eléctrica Teste de longa duração de automóveis eléctricos Teste dos híbridos eléctricos Plug in vai estudar mobilidade urbana 15

16 Disclaimer Esta apresentação contém declarações prospectivas ( forward looking statements ), no que diz respeito aos resultados das operações e às actividades da Galp Energia, bem como alguns planos e objectivos da empresa face a estas questões. Os termos antecipa, acredita, estima, espera, prevê, pretende, planeia, e outros termos similares, visam identificar tais forward looking statements. Os forward looking statements envolvem, por natureza, riscos e incertezas, em virtude de estarem associados a eventos e a circunstâncias susceptíveis de ocorrerem no futuro. Os resultados e desenvolvimentos reais poderão diferir significativamente dos resultados expressos ou implícitos nas declarações em virtude de diferentes factores. Estes incluem, mas não se limitam, a mudanças ao nível dos custos, alterações ao nível de condições económicas e alterações a nível regulamentar. Os forwardlookingstatementsreportam se apenas à data em que são feitos, não assumindo a Galp Energia qualquer obrigação de os actualizar àluz de novas informações ou desenvolvimentos futuros, nem de explicar as razões porque os resultados efectivamente verificados são eventualmente diferentes. 16

17 Resultados PRIMEIRO SEMESTRE Julho 2010 DIRECÇÃO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES E COMUNICAÇÃO EXTERNA Tel: Telemóvel: Fax:

Ebitda consolidado do grupo totalizou 844 milhões numa base replacement cost ajustada (RCA).

Ebitda consolidado do grupo totalizou 844 milhões numa base replacement cost ajustada (RCA). RESULTADOS DO 1º SEMESTRE DE 2015 Duplicação da produção no Brasil e investimento nas refinarias impulsionam resultado líquido para 310 milhões Produção total (working interest) de petróleo e gás natural

Leia mais

RESULTADOS 9 MESES DE 2009

RESULTADOS 9 MESES DE 2009 RESULTADOS 9 MESES DE 2009 11 DE NOVEMBRO DE 2009 MANUEL FERREIRA DE OLIVEIRA Do sucesso para novos desafios ENVOLVENTE DE MERCADO Resultados dos 9 meses de 2009 RECESSÃO ECONÓMICA AFECTA DRIVERS DE RESULTADOS

Leia mais

RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE 2015

RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE 2015 1 27 Abril, 2015 RESULTADOS PRIMEIRO TRIMESTRE 2015 Operador integrado de energia focado na exploração e produção DISCLAIMER 2 Esta apresentação contém declarações prospetivas ( forward looking statements

Leia mais

OUTLOOK 2012. Lisboa, 29 de Maio de 2008. Carlos Nuno Gomes da Silva

OUTLOOK 2012. Lisboa, 29 de Maio de 2008. Carlos Nuno Gomes da Silva OUTLOOK 2012 Lisboa, 29 de Maio de 2008 Carlos Nuno Gomes da Silva DISCLAIMER Esta apresentação contém declarações prospectivas ( forward looking statements ), no que diz respeito aos resultados das operações

Leia mais

1º Trimestre de 2014. Apresentação de Resultados

1º Trimestre de 2014. Apresentação de Resultados 1º Trimestre de 2014 Apresentação de Resultados Disclaimer Esta apresentação contém declarações prospetivas ( forward looking statements ), no que diz respeito aos resultados das operações e às atividades

Leia mais

9 Meses de 2014. Apresentação de Resultados

9 Meses de 2014. Apresentação de Resultados 9 Meses de 2014 Apresentação de Resultados Disclaimer Esta apresentação contém declarações prospetivas ( forward looking statements ), no que diz respeito aos resultados das operações e às atividades da

Leia mais

RESULTADOS TERCEIRO TRIMESTRE DE 2015. 26 de outubro 2015. Um operador integrado de energia focado na exploração e produção

RESULTADOS TERCEIRO TRIMESTRE DE 2015. 26 de outubro 2015. Um operador integrado de energia focado na exploração e produção 1 34 26 de outubro 2015 RESULTADOS TERCEIRO TRIMESTRE 2015 Um operador integrado de energia focado na exploração e produção 2 34 ÍNDICE Sumário executivo... 4 Principais indicadores... 5 Atividades de

Leia mais

RESULTADOS QUARTO TRIMESTRE E DOZE MESES DE 2013

RESULTADOS QUARTO TRIMESTRE E DOZE MESES DE 2013 RESULTADOS QUARTO TRIMESTRE E DOZE MESES DE 2013 Um operador integrado de energia focado na exploração e produção ENERGIA EM CRESCIMENTO PARA CRIAR VALOR SUSTENTÁVEL Quem somos Somos uma Empresa integrada

Leia mais

RELATÓRIO & CONTAS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013

RELATÓRIO & CONTAS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 RELATÓRIO & CONTAS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 Um operador integrado de energia focado na exploração e produção ENERGIA EM CRESCIMENTO PARA CRIAR VALOR SUSTENTÁVEL Quem somos Somos uma Empresa integrada

Leia mais

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. Fontes Pereira de Melo, 14 10º -1050-121 Lisboa Capital Social: 118.332.445 Euros - NIPC e Mat. na C.R.C. de Lisboa sob

Leia mais

Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A.

Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. Portucel Empresa Produtora de Pasta e Papel, S.A. Sociedade Aberta Matriculada sob o nº05888/20001204 na Conservatória do Registo Comercial de Setúbal Capital Social: 767 500 000 N.I.P.C. 503 025 798 Informação

Leia mais

Case study. Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA

Case study. Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA Case study 2009 Galpshare UM PROGRAMA DE MOBILIDADE SUSTENTÁVEL EMPRESA A Galp Energia é um operador integrado presente em toda a cadeia de valor do petróleo e do gás natural e cada vez mais activo nas

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 No terceiro trimestre, reforçámos as nossas posições de liderança tanto na Polónia como em Portugal com aumento de quotas de mercado

Leia mais

Manuel Ferreira De Oliveira. Presidente Executivo 05/06/2012

Manuel Ferreira De Oliveira. Presidente Executivo 05/06/2012 Manuel Ferreira De Oliveira Presidente Executivo 05/06/2012 Responder às PME Como está organizada a Galp? Qual a estratégia? Onde vai crescer? Quais os investimentos previstos? Em que mercados? Quais as

Leia mais

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Nota Prévia Os resultados reportados oficialmente reflectem a integração do Grupo Tecnidata a 1 de Outubro de 2008, em seguimento da assinatura do contrato de

Leia mais

Comunicado de Resultados

Comunicado de Resultados Comunicado de Resultados Resultados Consolidados 30 de Junho de 2007 Sonae Distribuição S.G.P.S., SA Em destaque A Sonae Distribuição apresentou ao longo do primeiro semestre de 2007 um crescimento de

Leia mais

Resultados Operacionais melhoram em 73,5% e Resultados líquidos (antes de mais valias) 15%

Resultados Operacionais melhoram em 73,5% e Resultados líquidos (antes de mais valias) 15% INAPA INVESTIMENTOS, PARTICPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade Aberta ) Sede: Rua do Salitre, n.º 142, 1269-064, Lisboa Capital social: 27 237 013 Matrícula n.º 500 137 994 (anteriormente 36 338) da Conservatória

Leia mais

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadora Capital Social: 169.764.398 Euros sob o número único de matrícula e de pessoa colectiva 503 219 886 COMUNICADO

Leia mais

Relatório Tipo Dezembro de 20XX

Relatório Tipo Dezembro de 20XX Relatório Tipo Dezembro de 20XX Alvim & Rocha Consultoria de Gestão, Lda. Tel.: 22 831 70 05; Fax: 22 833 12 34 Rua do Monte dos Burgos, 848 Email: mail@alvimrocha.com 4250-313 Porto www.alvimrocha.com

Leia mais

IMPRESA. Resultados 2º Trimestre 2009

IMPRESA. Resultados 2º Trimestre 2009 IMPRESA Resultados 2º Trimestre 2009 IMPRESA SGPS SA Sociedade Aberta Capital Social Eur 84.000.000 Rua Ribeiro Sanches, 65 Número Fiscal 502 437 464 Conservatória do Registo Comercial de Lisboa Lisboa,

Leia mais

INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALAR (NÃO AUDITADA) 1º TRIMESTRE 2005

INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALAR (NÃO AUDITADA) 1º TRIMESTRE 2005 INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALAR (NÃO AUDITADA) 1º TRIMESTRE 2005 PORTUCEL - EMPRESA PRODUTORA DE PASTA E PAPEL, S.A. Sociedade Aberta Capital Social: 767.500.000 Euros NIPC: 503.025.798 Matriculada na

Leia mais

MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006

MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006 MOTA-ENGIL, S.G.P.S., S.A. RELATÓRIO DE GESTÃO E INFORMAÇÃO FINANCEIRA INTERCALARES DO 1º TRIMESTRE DE 2006 MOTA-ENGIL, SGPS, S.A. EDIFÍCIO MOTA TEL: 351 22 5190300 SOCIEDADE ABERTA RUA DO REGO LAMEIRO,

Leia mais

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais de 55,8 milhões EBITDA de 3,1 milhões Margem EBITDA de 5,6% EBIT de 0,54 milhões Resultado Líquido negativo

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano 2010 Lisboa, 18 de Fevereiro de 2011 Fortes resultados numa envolvente marcada pelos desafios. Vendas consolidadas atingem 8,7 mil milhões de euros (crescimento

Leia mais

COMUNICADO. - Informação Privilegiada - DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2014 (NÃO AUDITADOS)

COMUNICADO. - Informação Privilegiada - DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2014 (NÃO AUDITADOS) COMUNICADO - Informação Privilegiada - DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2014 (NÃO AUDITADOS) A "TEIXEIRA DUARTE, S.A." procede à publicação de informação sobre os resultados de 2014 através

Leia mais

Resultados Consolidados. Exercício de 2007

Resultados Consolidados. Exercício de 2007 Resultados Consolidados Exercício de 2007 21 de Abril de 2008 Sumário Overview 2007 Highlights Resultados Consolidados Evolução por Área de Negócio 21 de Abril de 2008 2 Overview 2007 Decréscimo do crescimento

Leia mais

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N.

G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais. Boletim Mensal de Economia Portuguesa. N. Boletim Mensal de Economia Portuguesa N.º 05 Maio 2015 Gabinete de Estratégia e Estudos Ministério da Economia G PE AR I Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais Ministério

Leia mais

Situação Económico-Financeira Balanço e Contas

Situação Económico-Financeira Balanço e Contas II Situação Económico-Financeira Balanço e Contas Esta parte do Relatório respeita à situação económico-financeira da Instituição, através da publicação dos respectivos Balanço e Contas e do Relatório

Leia mais

EDP Renováveis Resultados do 1º Semestre 2013

EDP Renováveis Resultados do 1º Semestre 2013 EDP Renováveis Resultados do 1º Semestre 2013 24 de Julho de 2013 14:00 GMT 15:00 CET www.edpr.com 1 Disclaimer Esta apresentação foi preparada pela EDP Renováveis, S.A. (a Sociedade ) apenas para ser

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Petrolíferas Mar-16

Prospecto Informativo Invest Petrolíferas Mar-16 Prospecto Informativo Invest Petrolíferas Mar-16 Março de 2016 Designação: Classificação: Caracterização do Produto: Invest Petrolíferas Mar-16 Produto financeiro complexo Depósito Indexado. O depósito

Leia mais

Contexto económico internacional

Contexto económico internacional 1 ENQUADRAMento MACroeConóMICO 1 ENQUADRAMento MACroeConóMICO Contexto económico internacional O ano de 21 ficou marcado pela crise do risco soberano na Zona Euro e pela necessidade de ajuda externa à

Leia mais

1. Resultados do Exercício

1. Resultados do Exercício PARAREDE, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede Social: Av. José Malhoa nº 21, 1070157 Lisboa Pessoa Colectiva nº 503.541.320 Capital Social de 125.087.500 Euros Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Índices Mundiais (Ser. 11/1)

Prospecto Informativo Invest Índices Mundiais (Ser. 11/1) Prospecto Informativo Invest Índices Mundiais (Ser. 11/1) Abril de 2011 Designação: Invest Índices Mundiais (Ser. 11/1). Classificação: Caracterização do Produto: Garantia de Capital: Garantia de Remuneração:

Leia mais

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012

ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 23 ABRIL 2012 ÍNDICE SUMÁRIO EXECUTIVO RESULTADOS 2011 ESTRUTURA FINANCEIRA PERSPETIVAS CALENDÁRIO FINANCEIRO 2012 Este documento foi preparado pela Grupo Soares da Costa, SGPS, SA (Soares da Costa), unicamente

Leia mais

ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira

ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira ARC Ratings atribui notação a curto prazo de B, com tendência positiva, ao Grupo Visabeira EMITENTE Grupo Visabeira SGPS, S.A. RATING DE EMITENTE Médio e Longo Prazo BB+ (BB+, com tendência estável) B

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

Regras de utilização. Principais regras de utilização:

Regras de utilização. Principais regras de utilização: Regras de utilização Para a melhor utilização do presente modelo o empreendedor deverá dominar conceitos básicos de análise económica e financeira ou, não sendo esse o caso, deve explorar as potencialidades

Leia mais

Resultados Líquidos melhoram 94%

Resultados Líquidos melhoram 94% INAPA INVESTIMENTOS, PARTICIPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade aberta ) Sede: Rua do Salitre, 142, 1269 064 Lisboa Capital Social: 150 000 000 Euros Matrícula n.º 500 137 994 (anteriormente n.º 36 338) da

Leia mais

CONFERÊNCIA LUSOFONIA ECONÓMICA PLATAFORMAS CPLP

CONFERÊNCIA LUSOFONIA ECONÓMICA PLATAFORMAS CPLP CONFERÊNCIA LUSOFONIA ECONÓMICA PLATAFORMAS CPLP 19 de Março de 2013 Centro de Congressos de Lisboa A- A evolução e o comportamento do sector exportador superaram todas as previsões e análises prospectivas

Leia mais

EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2007

EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO 1º TRIMESTRE DE 2007 INAPA INVESTIMENTOS, PARTICPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade Aberta ) Sede: Rua do Salitre, n.º 142, freguesia de São Mamede, Lisboa Capital social: 150 000 000 NIPC: 500 137 994 Matrícula n.º 36 338 da

Leia mais

SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO

SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO Índice 1. Mensagem de Paulo Azevedo, CEO da Sonaecom...2 2. Principais indicadores...4 3. Resultados consolidados...5 3.1. Demonstração de resultados

Leia mais

Resultados 1T11. 4 de Maio de 2011. www.edprenovaveis.com

Resultados 1T11. 4 de Maio de 2011. www.edprenovaveis.com Resultados 1T11 4 de Maio de 2011 www.edprenovaveis.com Agenda I Destaques do 1T11 II Performance Operacional e Financeira do 1T11 III Perspectivas e Conclusão Destaques do 1T11 Elevada performance operacional

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL/CONSOLIDADA (Não Auditada)

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL/CONSOLIDADA (Não Auditada) INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL/CONSOLIDADA (Não Auditada) (aplicável às entidades sujeitas à disciplina normativa contabilística das IAS / IFRS) BANCO BPI, S.A. Sociedade com o capital aberto ao investimento

Leia mais

A Actividade de Capital de Risco

A Actividade de Capital de Risco E Private Equity Services A Actividade de Capital de Risco E em Portugal em 23 Abril 24 Sociedades de capital de risco mantêm ritmo de investimento em 23, e privilegiam novos projectos O investimento total

Leia mais

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050

INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 INOVAR com SUSTENTABILIDADE ENERGIA IBERO-AMERICANA 2050 Lisboa, 26 de Novembro 2009 1. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA 2. MOBILIDADE SUSTENTÁVEL 3. EXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO 4. DOUTORAMENTO EM MEIO EMPRESARIAL 5. OPEN

Leia mais

PUREVER SGPS RELATÓRIO CONSOLIDADO 31 DE MARÇO

PUREVER SGPS RELATÓRIO CONSOLIDADO 31 DE MARÇO PUREVER SGPS RELATÓRIO CONSOLIDADO 31 DE MARÇO 1. Contas Consolidadas 1T2015 Destaques Principais Indicadores Consolidados 1T 2. Destaques e Principais Indicadores por Unidades de Negócio 1T2015 3. Anexos

Leia mais

Banco Central de S. Tomé e Príncipe

Banco Central de S. Tomé e Príncipe Banco Central de S. Tomé e Príncipe CONJUNTURA MACROECONÓMICA IIIº Trimestre 2015 Disponível em: www.bcstp.st/publicações 1 ÍNDICE 1. RESUMO EXECUTIVO... 5 2. CONJUNTURA ECONÓMICA INTERNACIONAL... 6 2.1

Leia mais

GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 251 MILHÕES EM 2011, MENOS 18% QUE EM 2010

GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 251 MILHÕES EM 2011, MENOS 18% QUE EM 2010 GALP ENERGIA REGISTA RESULTADO LÍQUIDO DE 251 MILHÕES EM 2011, MENOS 18% QUE EM 2010 A produção working interest de crude e de gás natural em 2011 foi de 20,8 mboepd, dos quais 19% no Brasil; A margem

Leia mais

A Economia das Línguas Portuguesa e Espanhola

A Economia das Línguas Portuguesa e Espanhola A Economia das Línguas Portuguesa e Espanhola Perspectivas Empresariais Instituto Camões João Pedro Brito - Administrador 19 de Maio de 2011 1. Galp Energia no Mundo 2. Península Ibérica 3. África 4. E&P

Leia mais

Resultados consolidados do Banco BPI entre Janeiro e Setembro de 2010

Resultados consolidados do Banco BPI entre Janeiro e Setembro de 2010 www.ir.bpi.pt BANCO BPI, S.A. - Sociedade aberta Capital Social: 900 000 000 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede:

Leia mais

RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010

RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010 RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2010 Do sucesso para novos desafios ÍNDICE Sumário executivo...3 Principais indicadores...4 Bases de apresentação da informação...5 Envolvente de mercado...6

Leia mais

0. MENSAGEM DO CEO. Cláudia Azevedo. Sonae Capital, SGPS, SA Comunicado de Resultados 1T14 Pag. 2

0. MENSAGEM DO CEO. Cláudia Azevedo. Sonae Capital, SGPS, SA Comunicado de Resultados 1T14 Pag. 2 COMUNICADO DEE RESULTADOS 31 MARÇO 2014 0. MENSAGEM DO CEO Durante o ano de 2013, o Grupo Sonae Capital procedeu a uma profunda reflexão estratégica no sentido de definir o seu posicionamento actual, as

Leia mais

O imposto sobre produtos petrolíferos (ISP) é um componente com um peso muito significativo no preço dos combustíveis.

O imposto sobre produtos petrolíferos (ISP) é um componente com um peso muito significativo no preço dos combustíveis. N º 3 7 - A b r i l 2 0 0 6 Terminado o 1º trimestre do ano, e tendo-se continuado a escrever e a falar tanto sobre o preço do petróleo, dos produtos petrolíferos e da fiscalidade dos mesmos, valerá a

Leia mais

Apresentação de Resultados

Apresentação de Resultados Apresentação de Resultados Primeiros 9 Meses de 2013 Semapa Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Av. Fontes Pereira de Melo, nº 14,10º, 1050-121 Lisboa Número de Matrícula e

Leia mais

Comunicado de Resultados

Comunicado de Resultados Comunicado de Resultados Resultados trimestrais consolidados a 31 de Março de 2006 4 de Maio de 2006 Highlights Volume de negócios de 646 milhões de Euros crescimento de 9% em Portugal face a período homólogo

Leia mais

CORTICEIRA AMORIM COM CRESCIMENTO

CORTICEIRA AMORIM COM CRESCIMENTO CORTICEIRA AMORIM COM CRESCIMENTO DE 2,4% NAS VENDAS Vendas consolidadas atingem os 248,1 milhões de euros no primeiro semestre Mozelos, Portugal, 1 de Agosto de 2008 Corticeira Amorim, SGPS, SA [Euronext

Leia mais

O Turismo em Portugal após 2009 Oportunidades e Desafios

O Turismo em Portugal após 2009 Oportunidades e Desafios O Turismo em Portugal após 2009 Oportunidades e Desafios II Conferência Hotelaria e Turismo 18 Junho 2009 1 Importância do Turismo na Economia Portuguesa VAB Turismo / VAB Economia 10% 9% 8% 7% 6% 5% 2002

Leia mais

RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2011

RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2011 RESULTADOS SEGUNDO TRIMESTRE E PRIMEIRO SEMESTRE DE 2011 A crescer com a exploração e produção ÍNDICE Sumário executivo... 3 Principais indicadores... 4 Bases de apresentação da informação... 5 Envolvente

Leia mais

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 2

EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO VERSÃO 2 EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO 10.º/11.º ou 11.º/12.º Anos de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 286/89, de 29 de Agosto Programas novos e Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março) PROVA 712/12 Págs. Duração

Leia mais

BRISA Concessão Rodoviária, S.A.

BRISA Concessão Rodoviária, S.A. BRISA Concessão Rodoviária, S.A. Sede: Quinta da Torre da Aguilha, Edifício BRISA, São Domingos de Rana Capital social: EUR 75 000 000, matriculada na Conservatória do Registo Comercial de Cascais, sob

Leia mais

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS

SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS SEMINÁRIO MAXIMIZAÇÃO DO POTENCIAL DA DIRETIVA SERVIÇOS Eliminação de Barreiras à livre Prestação de Serviços Confederação do Comércio e Serviços de Portugal Esquema 1. PORTUGAL- UMA ESPECIALIZAÇÃO COM

Leia mais

CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009

CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009 CONTAS CONSOLIDADAS I.A.S. 1º Trimestre 2009 Av. Vasco da Gama, 1410 4431-956 Telefone 22-7867000 Fax 22-7867215 Registada na C.R.C. de sob o nº 500239037 Capital Social: Euro 35.000.000 Sociedade Aberta

Leia mais

Linha de Crédito PME INVESTE V

Linha de Crédito PME INVESTE V Linha de Crédito PME INVESTE V MICRO E PEQUENAS EMPRESAS OUTRAS EMPRESAS Linhas de Crédito Bonificado com Garantia MútuaM Enquadramento No quadro dos apoios que têm vindo a ser concedidos às PME s portuguesas

Leia mais

O activo subjacente é o cabaz constituído pelos seguintes títulos:

O activo subjacente é o cabaz constituído pelos seguintes títulos: Designação Classificação Depósito Indexado Produto Financeiro Complexo Depósito Indexado, denominado em Euros ( ), não mobilizável antecipadamente. Depósito com um prazo de 2 anos, que poderá ser sujeito

Leia mais

ARC Ratings confirma a notação "A-1" à Somincor RATING DE EMITENTE RATING DE EMISSÕES

ARC Ratings confirma a notação A-1 à Somincor RATING DE EMITENTE RATING DE EMISSÕES ARC Ratings confirma a notação "A-1" à Somincor EMITENTES RATING DE EMITENTE Somincor Sociedade Mineira de Neves-Corvo, S.A. A-1 Curto Prazo DATA DAS NOTAÇÕES RATING DE EMISSÕES 7 de Setembro de 2015 A-1

Leia mais

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura

ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL. Análise de Conjuntura ASSOCIAÇÃO INDU STRIAL PORTU GU ESA CONFEDERAÇÃO EMPRESARIAL Análise de Conjuntura Maio 2008 Indicador de Sentimento Económico O clima económico na União Europeia volta a deteriorar-se em Abril. Comparativamente

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS 3M 2015 MAIO 2015 Disclaimer Este documento não representa uma oferta de valores mobiliários para venda nos Estados Unidos, Canadá, Austrália, Japão ou em qualquer outra jurisdição.

Leia mais

Revelando os Bons Investimentos nos mercados financeiros

Revelando os Bons Investimentos nos mercados financeiros Navegando na tempestade financeira do bear market secular nas bolsas e do bull market secular nas commodities Volume 4 - Edição 6 Setembro de 2008 Bemvindo! Bemvindo à edição de Setembro da Newsletter

Leia mais

Análise Financeira. Universidade do Porto Faculdade de Engenharia Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Economia e Gestão

Análise Financeira. Universidade do Porto Faculdade de Engenharia Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Economia e Gestão Análise Financeira Universidade do Porto Faculdade de Engenharia Mestrado Integrado em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Economia e Gestão Introdução Objectivos gerais avaliar e interpretar a

Leia mais

12 Meses de Apresentação de Resultados

12 Meses de Apresentação de Resultados 12 Meses de 2014 Apresentação de Resultados Disclaimer Esta apresentação contém declarações prospetivas ( forward looking statements ), no que diz respeito aos resultados das operações e às atividades

Leia mais

Resultados consolidados do Banco BPI no 1.º semestre de 2011

Resultados consolidados do Banco BPI no 1.º semestre de 2011 www.ir.bpi.pt BANCO BPI, S.A. - Sociedade aberta Capital Social: 990 000 000 euros; Pessoa Colectiva n.º 501 214 534 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial do Porto, sob o n.º 501 214 534 Sede:

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Tecnologia (Ser. 12/1)

Prospecto Informativo Invest Tecnologia (Ser. 12/1) Prospecto Informativo Invest Tecnologia (Ser. 12/1) Fevereiro de 2012 Designação: Invest Tecnologia (Ser. 12/1). Classificação: Caracterização do Depósito: Garantia de Capital: Garantia de Remuneração:

Leia mais

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS

APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS APRESENTAÇÃO DE RESULTADOS ANUAL 2015 FEVEREIRO 2016 Conferência de imprensa Disclaimer A informação constante neste documento foi preparada de acordo com as normas internacionais de relato financeiro

Leia mais

Boletim Económico Angola

Boletim Económico Angola Boletim Económico Angola 1. Conjuntura: estabilidade macro económica reforçada 3º Trimestre de 2013 A informação disponível para caracterizar o desempenho da economia de Angola no 3º trimestre de 2013

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008)

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008) INFORMAÇÃO TRIMESTRAL (3º trimestre de 2008) Em cumprimento das obrigações legais aplicáveis (Código dos Valores Mobiliários) o Conselho de Administração da IMPRESA apresenta a INFORMAÇÃO relativa ao 3º

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA

PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 267XI/1.ª LINHA DE CRÉDITO BONIFICADO DE APOIO À ACTIVIDADE AGRÍCOLA Exposição de motivos São conhecidas as dificuldades económicas que parte das empresas agrícolas

Leia mais

Resultados 1T2007. Lisboa, 3 de Maio de 2007. Direcção de Relações com Investidores. Miguel Viana, Director Elisabete Ferreira Ricardo Farinha

Resultados 1T2007. Lisboa, 3 de Maio de 2007. Direcção de Relações com Investidores. Miguel Viana, Director Elisabete Ferreira Ricardo Farinha Resultados Direcção de Relações com Investidores Miguel Viana, Director Elisabete Ferreira Ricardo Farinha Tel: +351 21 001 2834 Fax: +351 21 001 2899 Email: ir@edp.pt Site: www.edp.pt Reuters: Bloomberg:

Leia mais

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012

Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE Avaliação do Instrumento de Apoio a Políticas Económicas (PSI) 2010-2012 Elaborado Por: Ministério das Finanças Ministério da Planificação e Desenvolvimento Banco de Moçambique

Leia mais

PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO

PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO PORTUGAL PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO Actualização para o período 2005-2007 Dezembro 2004 Programa de Estabilidade e Crescimento 2005-2007 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO...1 II. ENQUADRAMENTO MACROECONÓMICO...2

Leia mais

O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL

O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL CONTRIBUTO PARA DISCUSSÃO 31 de Março de 2011 O presente documento resume as principais conclusões do Estudo O Sector Eléctrico em Portugal Continental elaborado

Leia mais

Resultado Líquido das atividades continuadas fortemente influenciado por reforço de provisões e imparidades bem como encargos financeiros de 49,6 M

Resultado Líquido das atividades continuadas fortemente influenciado por reforço de provisões e imparidades bem como encargos financeiros de 49,6 M RESULTADOS 9M2014 DESTAQUES página 3 Total de Proveitos Operacionais nos 9M14 de 158 M Evolução na performance operacional, com reflexo no aumento do EBITDA (numa base comparável) de 35% para os 8,5 M

Leia mais

Relatório de Gestão. Enquadramento Macroeconómico / Setorial

Relatório de Gestão. Enquadramento Macroeconómico / Setorial Relato Financeiro Intercalar 1º trimestre de 2014 = Contas Consolidadas = (Não Auditadas) Elaboradas nos termos do Regulamento da CMVM nº 5/2008 e de acordo com a IAS34 Relatório de Gestão Enquadramento

Leia mais

Portugal Telecom. Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre. 18 Maio 2006

Portugal Telecom. Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre. 18 Maio 2006 Portugal Telecom Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre 18 Maio 2006 Safe Harbour A presente release contém objectivos acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities

Leia mais

COMUNICADO. Resultados Consolidados do 1º Semestre de 2007 (Não Auditados)

COMUNICADO. Resultados Consolidados do 1º Semestre de 2007 (Não Auditados) SAG GEST SOLUÇÕES AUTOMÓVEL GLOBAIS, SGPS, SA Sociedade Aberta Sede: Estrada de Alfragide, 67, Amadora Capital Social: 169.764.398,00 NIPC 503 219 886 Matriculada na Conservatória do Registo Comercial

Leia mais

GROUPAMA SEGUROS, SA RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

GROUPAMA SEGUROS, SA RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO GROUPAMA SEGUROS, SA RELATÓRIO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EXERCÍCIO DE 2008 ECONOMIA PORTUGUESA A economia portuguesa tem observado fracos crescimentos do Produto Interno Bruto, tendo atingido um valor

Leia mais

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL. II Trimestre de 2013

NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL. II Trimestre de 2013 NEWSLETTER DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMBUSTÍVEIS LÍQUIDOS E DE PRODUTOS DE GPL II Trimestre de 2013 Setembro de 2013 1 / 85 Índice Sumário Executivo... 3 1. A venda de petróleo bruto... 6 1.1.

Leia mais

As perspetivas de desenvolvimento da região Norte

As perspetivas de desenvolvimento da região Norte INTERVENÇÃO DO PRESIDENTE DA AEP - ASSOCIAÇÃO EMPRESARIAL DE PORTUGAL, JOSÉ ANTÓNIO FERREIRA DE BARROS, NA SESSÃO DE DEBATE, SOB O TEMA «REGIÃO NORTE QUE PERSPECTIVAS DE DESENVOLVIMENTO?» NA DELEGAÇÃO

Leia mais

DISCLAIMER. Aviso Legal

DISCLAIMER. Aviso Legal ANÁLISE FINANCEIRA DISCLAIMER Aviso Legal Esta apresentação inclui afirmações que não se referem a factos passados e que se referem ao futuro e que envolvem riscos e incertezas que podem levar a que os

Leia mais

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão

OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão 1 / 5 OBRIGAÇÕES DE CAIXA FNB Remuneração Garantida 2006 Instrumento de Captação de Aforro Estruturado Prospecto Informativo da Emissão As obrigações de caixa FNB Remuneração Garantida 2006 são um Instrumento

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PEDREIRA. Para esse efeito, foi feita uma vistoria ao prédio bem como á zona envolvente.

AVALIAÇÃO DE PEDREIRA. Para esse efeito, foi feita uma vistoria ao prédio bem como á zona envolvente. AVALIAÇÃO DE PEDREIRA 1. PREÂMBULO Em conformidade com o pedido que nos foi formulado pelo Exmo. Sr. Dr. Nuno Oliveira da Silva, procedeu-se à avaliação da Pedreira em Vila Praia de Âncora, concelho de

Leia mais

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09

GERDAU S.A. Informações consolidadas 1T09 07/05/09 Visão Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. Missão A Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que busca satisfazer as necessidades dos clientes e criar valor para os

Leia mais

Promoção da Propriedade Industrial

Promoção da Propriedade Industrial 1 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME (SI Qualificação de PME) Projectos Individuais Dezembro de 2011 2 1- Enquadramento 2- Âmbito Sectorial Enquadramento Aviso n.º 14/SI/2011

Leia mais

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%)

Evolução do PIB Brasileiro x PIB da Construção Civil (%) o Margem Bruta atinge 42% no 3T07 e distribuição de proventos chega a R$ 40 milhões nos 9M07. 3T07 Cotação (31/10/07) ETER3 R$/ação 8,46 US$/ação 4,83 Base Acionária (31/10/07) Total 72.555.934 Free Float

Leia mais

DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO

DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO DOCUMENTO INFORMATIVO (RECTIFICAÇÃO) BES CRESCIMENTO OUTUBRO 2009 PRODUTO FINANCEIRO COMPLEXO Advertências ao investidor: 100% do capital investido garantido na maturidade Remuneração não garantida Possibilidade

Leia mais

Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1)

Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1) Prospecto Informativo Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1) Março de 2011 Designação: Invest Oportunidades Mundiais (Ser. 11/1). Classificação: Caracterização do Produto: Garantia de Capital: Garantia

Leia mais

edp edp Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 sinta a nossa energia

edp edp Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 sinta a nossa energia sinta a nossa energia Resultados do 1S2007 26 de Julho de 2007 0 1S07: Principais Acontecimentos Crescimento de EBITDA: +27% com base em crescimento orgânico Turnaround das actividades em mercado: enfoque

Leia mais

ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO. 11 de Março de 2011

ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO. 11 de Março de 2011 Ministério das Finanças e da Administração Pública ACTUALIZAÇÃO ANUAL DO PROGRAMA DE ESTABILIDADE E CRESCIMENTO: PRINCIPAIS LINHAS DE ORIENTAÇÃO 11 de Março de 2011 Enquadramento No actual quadro de incerteza

Leia mais

Banif - Banco Internacional do Funchal, S.A.

Banif - Banco Internacional do Funchal, S.A. PRIMEIRA ADENDA (datada de 9 de Janeiro de 2015) ao PROSPECTO DE BASE (datado de 24 de Novembro de 2014) Banif - Banco Internacional do Funchal, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua de João Tavira, 30, 9004-509

Leia mais

01 _ Enquadramento macroeconómico

01 _ Enquadramento macroeconómico 01 _ Enquadramento macroeconómico 01 _ Enquadramento macroeconómico O agravamento da crise do crédito hipotecário subprime transformou-se numa crise generalizada de confiança com repercursões nos mercados

Leia mais

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012

SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO AVISO DE CANDIDATURA FEVEREIRO 2012 INOVAÇÃO PRODUTIVA SECTOR TURISMO QREN QUADRO DE REFERÊNCIA ESTRATÉGICO NACIONAL 2007-2013 INFORMAÇÃO SINTETIZADA 1 ÍNDICE PÁGINA OBJECTO

Leia mais