Neste texto você vai estudar:

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Neste texto você vai estudar:"

Transcrição

1 Prevenção ao uso de drogas Texto 1 - Aspectos gerais relacionados ao uso de drogas Apresentação: Neste texto apresentamos questões gerais que envolvem o uso de drogas com o objetivo de proporcionar ao capacitando elementos essências acerca das funções sociais implícitas no uso de drogas. Neste texto você vai estudar: Uso das drogas na sociedade; Classificação das drogas psicotrópicas e os efeitos que causam no organismo; Tipos de drogas estimulantes, depressoras e perturbadoras do Sistema Nervoso Central(SNC); O que tem levado o ser humano a consumir drogas.

2 O uso de drogas na sociedade O ser humano ao longo de sua história, constantemente recorreu ao consumo de substâncias psicotrópicas álcool, fumo e outras drogas, seja em rituais religiosos, seja para se alienar do sofrimento ou na busca de prazer. As circunstâncias, as motivações e as novas formas de obtenção das substâncias psicoativas, no entanto, variaram bastante ao longo dos tempos assumindo características próprias de acordo com cada época e cada segmento social onde está inserida. POR EXEMPLO: Na Idade Moderna, fatores como as grandes navegações, a Revolução Industrial e o Capitalismo, levaram à concentração urbana. Isso levou a industrialização da produção de bebidas, aumentando o consumo de álcool(bucher, 1992). Laranjeira e Nicastri (1996) chamam a atenção para o fato de que algumas sociedades, em determinadas épocas, conviveram com o uso livre de substâncias que, em outras sociedades e épocas, eram consideradas tão perigosas que seu uso era passível de controle legal, o que mostra que existem determinantes históricoculturais para a questão das drogas. O século XX, conforme Carneiro (2002) foi o momento em que esse consumo alcançou a sua maior extensão mercantil, por um lado, e o maior proibicionismo oficial, por outro. O fenômeno contemporâneo do consumo de drogas ilícitas não tem precedentes na história da humanidade, dado que seu alto desenvolvimento encontra-se profundamente atrelado a elevado interesse econômico. O consumo crescente de drogas psicoativas constitui, no mundo e no Brasil, um sério problema que atinge vários segmentos da sociedade e requer uma integralidade na ação das políticas públicas para controlar essa questão.

3 O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC, na sigla em inglês) estima que, em 2009, entre 172 milhões e 250 milhões de pessoas usaram drogas ilícitas; dentre estas, entre 18 milhões e 38 milhões eram dependentes de drogas. Globalmente, o uso de drogas é um dos 20 principais fatores de risco à saúde, e um dos 10 nos países desenvolvidos (UNODC, 2010). O US Depatment of Health & Human Services (2006) estima que, entre 2002 e 2003, 5.9 milhões (2,5% da população) e 2.1 milhões (0,9% da população) de norte-americanos usaram cocaína, no último ano e no último mês, respectivamente; e que, 1.5 milhões (0,6% da população) e 586 mil (0,2% da população) usaram crack nos mesmos períodos de tempo. Para as duas drogas, as pessoas entre 18 e 25 anos tiveram a maior incidência de uso no último ano, seguidas de pessoas de 26 ou mais anos e jovens entre 12 e 17 anos. Estudo realizado no Brasil mostra dados relevantes. O I Levantamento Domiciliar sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas, realizado em 2001, em cidades brasileiras com mais de 200 mil habitantes, com pessoas na faixa etária de 12 a 65 anos, revelou a magnitude do problema. Em 22 cidades da Região Nordeste, verificouse uma prevalência de 68,4% (78,4% no sexo masculino e 59,6% no sexo feminino), quando se considerou o uso de bebidas alcoólicas pelo menos uma vez na vida, e de 16,9% (26,1% no sexo masculino e 8,8% no sexo feminino), quando se considerou a dependência. Em ambas as situações, a faixa etária de 25 a 34 anos apresenta o maior risco (CARLINI E COLS., 2002). Além disso, os dados demonstram que as drogas mais consumidas são as lícitas (álcool e tabaco) e que o uso indevido dessas substâncias tem a maior prevalência global, trazendo também as mais graves consequências para a saúde pública mundial (CARLINI E COLS.,2002). O uso abusivo ou dependência de drogas afeta as

4 pessoas de diferentes maneiras, por diversas razões, em contextos diferentes e levando a circunstâncias distintas. Os agravos provocados pelo uso e/ou abuso de drogas psicotrópicas causam rupturas familiares e agravos sociais, como violência física, acidentes de trânsito, marginalização, clandestinidade e exclusão do meio comunitário. Para refletir: Se a sociedade sempre fez uso de drogas, então, o que mudou ao longo desses? anos? DROGAS LÍCITAS DROGAS ILÍCITAS São aquelas comercializadas de forma legal, podendo ou não estar submetidas a algum tipo de restrição. Ex.: álcool (venda proibida a menores de 18 anos) e alguns medicamentos. São proibidas por lei. Estas não podem ser comercializadas. Ex.: cocaína, LDS, ecstasy, opiáceos, crack entre outras Existem drogas que são capazes de alterar o funcionamento do Sistema Nervoso Central (SNC), causando modificações observáveis na atividade mental ou no comportamento da pessoa que utiliza a substância e por isso mesmo são denominadas de drogas psicotrópicas ou substâncias psicoativas. De acordo com Niscatri et al (2008), as drogas psicotrópicas dividem-se em três grupos: drogas depressoras, drogas estimulantes e drogas perturbadoras. Drogas depressoras: São aquelas que tornam mais lento o funcionamento do sistema nervoso central; como consequência, há uma tendência de ocorrer uma diminuição da atividade motora, da reatividade à dor e ansiedade. É comum um efeito euforizante inicial e, posteriormente, um aumento da sonolência. Exemplos: álcool, inalantes (loló, cola de sapateiro, lança perfume), opióides etc. O álcool resulta da fermentação de certos alimentos vegetais que são consumimos na nossa alimentação (cevada, frutas, entre outras) e o seu consumo é, provavelmente, tão

5 antigo quanto a humanidade. O seu processo de fabricação sofreu profundas alterações com os avanços tecnológicos. Efeitos: Após a ingestão, o álcool passa a circular pela corrente sanguínea atingindo os vários órgãos. Um dos efeitos imediatos do álcool é o bloqueio do funcionamento da área do SNC, responsável pelo controle das inibições. Sendo esta droga um depressor, após o seu efeito desinibidor, segue-se um estado de sonolência, turvação da visão, descoordenação muscular, diminuição da capacidade de reação, atenção e compreensão. Quando tomado em excesso provoca acidez no estômago, vômitos, diarreia, decréscimo da temperatura corporal, desidratação, dor de cabeça, perda de equilíbrio, provocando em alguns casos, coma etílico ou até mesmo morte. O consumo crônico de álcool afeta diversos órgãos, como o cérebro, o coração, o estômago, o fígado, o pâncreas e os intestinos. Tem consequências sociais graves como a desintegração familiar, absentismo laboral, perturbação da ordem pública, acidentes rodoviários, comportamentos violentos e criminosos e irresponsabilidade social. Drogas estimulantes: São incluídas, nesse grupo, as drogas capazes de provocar uma aceleração do funcionamento mental e modificar o comportamento, provocando agitação, excitação, insônia, dentre outros sintomas. Exemplos: cocaína, crack, nicotina (tabaco), anfetaminas etc. É uma substância extraída de uma planta originária da América do Sul, popularmente conhecida como coca (Erythroxylon coca). A cocaína pode ser consumida na forma de pó (cloridrato de cocaína), aspirado ou dissolvido em água e injetado na corrente sanguínea, ou sob a forma de uma pedra, que é fumada, o crack. Existe ainda a pasta de coca, um produto menos purificado, que também pode ser fumado, conhecido como merla. A cocaína é um potente estimulador do Sistema Nervoso Central (SNC). Efeitos: Os efeitos imediatos da cocaína são numerosos, verificando-se ausência de fadiga, de sono e de apetite, bem como o incremento da euforia e da autoconfiança. Intenso bem-estar, aumento do ritmo cardíaco, tensão arterial e desejo sexual, embora com possível ocorrência de dificuldades de ereção são outras consequências possíveis. Em caso de overdose, a cocaína pode provocar ataques cardíacos e/ou paragens respiratórias. O consumo prolongado da cocaína provoca crises de ansiedade e de pânico, apatia sexual e/ou impotência, bulimia, anorexia, diminuição da memória e da concentração. Drogas perturbadoras: São substâncias naturais ou sintéticas que, quando ingeridas, produzem uma série de distorções qualitativas no funcionamento do cérebro, como delírios, alucinações e alteração na capacidade de discriminar medidas de tempo e de espaço. Exemplos: ácido lisérgico (LSD) e o Ecstasy etc.

6 A droga Ecstasy foi patenteada em 1914 como medicamento cujo intuito era reduzir o apetite, não chegando, porém a ser comercializada. Só mais tarde, a partir dos anos 60, é que passou a circular de forma ilegal. O ecstasy tem um aspecto muito variável, sendo consumido em forma de barras, cápsulas ou pó. Efeitos: Os primeiros sintomas são secura da boca, diminuição do apetite, ranger dos dentes, taquicardia, dilatação das pupilas, dificuldade de caminhar, vontade de urinar, tremores, transpiração, cãibras, insônia, euforia, diminuição da agressividade. Os efeitos secundários são cansaço, sonolência, dores musculares, dor de cabeça, secura da boca, dores nas costas e perturbações psicológicas. O uso exagerado de ecstasy provoca arritmias, podendo levar à morte súbita por colapso cardiovascular, acidente vascular cerebral, hipertermia ou insuficiência renal aguda. ATENÇÃO: Maiores informações sobre diversos tipos de drogas Acesse: Como visto anteriormente, as substâncias psicoativas alteram as sensações, o humor, a consciência ou outras psicológicas e comportamentais. Ao longo dos anos, vários são os motivos/fatores que levam ao consumo de drogas pelo homem e geralmente estão combinados. Por exemplo: De acordo com Edwards G. (1977) existem diferentes tipos de usuários de drogas, mas em relação ao padrão do consumo do álcool, mas que podemos utilizar para os outros tipos de drogas.

7 Usuário Experimentador: Não é configurado como um problema clínico. São usuários que, geralmente, experimentam a droga por curiosidade, uma ou algumas vezes, e depois perde o interesse em continuar o uso. Usuário Social ou recreativo: Usa uma ou várias drogas, quando disponíveis e em ambiente favorável. Não há quebra dos vínculos sociais, afetivos ou profissionais. O problema começa quando este usuário perde o controle sobre o uso da droga, colocando-se em situações de risco. Usuário Problemático ou abusivo: Embora não apresente nenhum grau de dependência, tem problemas devido ao uso abusivo da droga, podendo ocorrer prejuízos nas relações sociais, afetivas ou profissionais. Usuário Dependente: Faz uso de drogas de forma frequente e exagerada, com quebra de vínculos sociais, afetivos ou profissionais. Não consegue parar quando quer. O usuário dependente é um doente crônico, precisa da droga e não tem controle sobre o uso da substância. De acordo com o DSM-IV - Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (1994), existem sete sinais/sintomas para definição de diagnóstico dos usuários dependentes. SINTOMAS DA DEPENDÊNCIA 1. Tolerância: redução do efeito com o uso da mesma quantidade de droga ou necessidade de doses crescentes para alcançar os efeitos originalmente obtidos com doses mais baixas; 2. Síndrome de abstinência: surgimento de sinais e sintomas desagradáveis, de intensidade variável, pela falta da droga no organismo, gerando a necessidade de consumir a substância para aliviar ou evitar estes sintomas; 3. Aumento da frequência: substância é consumida em maiores quantidades ou por um período mais longo do que o pretendido;

8 4. Compulsão: desejo persistente ou esforços malsucedidos no sentido de reduzir ou controlar o uso; 5. Relevância do consumo: muito tempo é gasto em atividades necessárias para obter e utilizar a droga ou para sentir novamente seus efeitos; 6. Estreitamento do repertório: Importantes atividades sociais, ocupacionais ou recreativas são abandonadas ou reduzidas em virtude do uso; 7. Persistência no uso: o usuário continua consumindo a droga, apesar da consciência de ter um problema físico ou psicológico decorrente deste consumo. Usualmente, um diagnóstico de dependência é confirmado, apenas, se o usuário apresentar três ou mais dos sinais descritos acima, no período de doze ( 12) meses. Além dos sinais e sintomas, as dependências são um fenômeno multifatorial e multidimensional, isto é, são vários os fatores envolvidos que podem levar ao consumo de substâncias que conduzem à dependência. São considerados essencialmente três (3) grupos de fatores que podem conduzir à dependência: Consumo de substâncias com determinadas propriedades farmacológicas; Características pessoais dos indivíduos que consomem essas substâncias; A natureza do contexto sociocultural em que tais consumos se produzem; O uso de substâncias psicoativas sempre pode produzir danos para o indivíduo e para aqueles que o cercam. No entanto, as drogas possuem historicamente uma função social, e as tentativas de excluí-las da sociedade, pela repressão, sempre se mostraram insuficientes e, muitas vezes, até mais danosas. As pessoas são diferentes entre si, e, portanto, não se devem propor ações que exijam comportamento igual para todos em todas as situações. É importante estar sempre atento às alterações de comportamento como, por exemplo: instabilidade emocional marcada por momentos de passividade alternados com agressividade, isolamento, desinteresse e desmotivação pelas atividades escolares e desportivas, ocorrência de faltas e atrasos na escola, dificuldade de concentração, memória e raciocínio, insistentes pedidos de dinheiro e frequentes desculpas sobre objetos perdidos ou roubados. Porém, alguns destes sinais podem estar associados a outros problemas,

9 aconselhamos por isso a não julgarem de forma precipitada sem antes falar com as pessoas e contextualizar os comportamentos dos jovens. Para refletir: O usuário de drogas é visto de que forma na nossa sociedade? Marginal, fora da lei, pouco confiável, será que todos são iguais? Esses rótulos construímos a partir do preconceito? Devemos compreender que não existe um perfil único de usuários de drogas. As características pessoais e a história de vida dos usuários podem ser muito semelhantes às de qualquer indivíduo. No próximo texto, você aprofundará seus conhecimentos sobre os fatores de risco e de proteção, família, formas de prevenção e abordagem com usuários e familiares. Referências: BUCHER, R. Drogas e drogadição no Brasil. Porto Alegre, Artes Médicas CARLINE, E. A. et al. Levantamento Domiciliar sobre o uso de drogas psicotrópicas no Brasil. São Paulo: CEBRID (Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas no Brasil); UNIFESP, CARNEIRO, H. As necessidades humanas e o proibicionismo das drogas do século XX. IN: OUTUBRO Revista do Instituto de Estudos Socialistas. N 6, São Paulo: 2002.

AULA 23 Drogas: produtos alucinógenos ou substância tóxicas que leva a dependência; Drogas psicoativas: entra na corrente sanguínea e atinge o SNC; Ação depressiva: diminui a atividade das células nervosas.

Leia mais

Universidade de Aveiro. Catarina Calado. Outubro de 2012

Universidade de Aveiro. Catarina Calado. Outubro de 2012 Universidade de Aveiro Catarina Calado Outubro de 2012 FESTAS ACADÉMICAS Comportamentos de Risco Contribuem para a integração dos jovens na vida académica Geram danos para a saúde a curto, médio e longo

Leia mais

ANESTESIA NO PACIENTE SOB EFEITO DE DROGAS SINTÉTICAS. ECSTASY

ANESTESIA NO PACIENTE SOB EFEITO DE DROGAS SINTÉTICAS. ECSTASY ANESTESIA NO PACIENTE SOB EFEITO DE DROGAS SINTÉTICAS. ECSTASY Oscar César Pires 29/04/12 14h:40-15h:00 Diretor Departamento Científico SBA / Responsável pelo CET do HMSJC SP Doutor em Anestesiologia/

Leia mais

OS PRINCIPAIS FATORES QUE CONTRIBUEM PARA A PERMANÊNCIA DE DEPENDENTES QUÍMICOS EM TRATAMENTO

OS PRINCIPAIS FATORES QUE CONTRIBUEM PARA A PERMANÊNCIA DE DEPENDENTES QUÍMICOS EM TRATAMENTO OS PRINCIPAIS FATORES QUE CONTRIBUEM PARA A PERMANÊNCIA DE DEPENDENTES QUÍMICOS EM TRATAMENTO Dário Fernando Treméa Kubiak 1 Jesus N. Durgant Alves 2 Mara Regina Nieckel da Costa 3 RESUMO Este artigo objetiva

Leia mais

Projeto Diga Sim a Vida e Não as Drogas

Projeto Diga Sim a Vida e Não as Drogas Projeto Diga Sim a Vida e Não as Drogas PÚLBLICO ALVO: Toda a comunidade escolar e a sociedade local de modo geral. APRESENTAÇÃO: Todos concordam que a Escola tem um papel fundamental em nossa sociedade,

Leia mais

Drogas de Abuso. Equipe de Biologia

Drogas de Abuso. Equipe de Biologia Drogas de Abuso Equipe de Biologia Drogas Qualquer substância capaz de alterar o funcionamento do organismo ilícitas lícitas Drogas de abuso Drogas utilizadas sem indicação médica, tendo por objetivo alterar

Leia mais

O que são drogas? Drogas Naturais Drogas Sintéticas Drogas Semi-sintéticas. Drogas. Prof. Thiago Lins do Nascimento. tiagolinsnasc@gmail.

O que são drogas? Drogas Naturais Drogas Sintéticas Drogas Semi-sintéticas. Drogas. Prof. Thiago Lins do Nascimento. tiagolinsnasc@gmail. Drogas Prof. Thiago Lins do Nascimento tiagolinsnasc@gmail.com 2014 1 / 41 Sumário O que são drogas? 1 O que são drogas? O que são drogas? 2 Maconha Nicotina 3 Ecstasy Anfetaminas 4 Cocaína Crack Krokodil

Leia mais

DROGAS DE ABUSO. Carlos Eduardo Biólogo Neuropsicólogo Mestre-Farmacologia UFC

DROGAS DE ABUSO. Carlos Eduardo Biólogo Neuropsicólogo Mestre-Farmacologia UFC DROGAS DE ABUSO Carlos Eduardo Biólogo Neuropsicólogo Mestre-Farmacologia UFC DROGAS DE ABUSO Substância Psicoativa qualquer substância química que, quando ingerida, modifica uma ou várias funções do SNC,

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Programa Nacional de Saúde Ocupacional

Direcção-Geral da Saúde Programa Nacional de Saúde Ocupacional Programa Nacional de Saúde Ocupacional Assunto: Intervenção dos Serviços de Saúde do Trabalho no âmbito da prevenção do consumo de substâncias psicoativas em meio laboral DATA: 13.05.2013 Para: Médicos

Leia mais

Abuso de drogas. Algumas drogas ilegais podem ser consumidas legalmente se forem receitadas por um médico.

Abuso de drogas. Algumas drogas ilegais podem ser consumidas legalmente se forem receitadas por um médico. Abuso de drogas Introdução Uma pessoa abusa de drogas quando toma drogas ilegais ou quando toma medicamentos de uma forma que não é a recomendada pelo médico ou fabricante. Torna-se toxicodependente a

Leia mais

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Es>mulantes do SNC Obje>vos Conhecer as formas de apresentação e de uso Compreender o mecanismo de

Leia mais

Drogas de abuso. Maxwell Santana

Drogas de abuso. Maxwell Santana Drogas de abuso Maxwell Santana Drogas de abuso Qualquer substância ou preparação, com pouco uso médico usada primariamente pelos seus efeitos gratificantes! Englobam substância psicoativas e psicotrópicas!

Leia mais

DROGAS LÌCITAS E ILÌCITAS SUBSTÂNCIAS PSICOTRÒPICAS. Drogas Lícitas e Ilícitas Substancias Psicotrópicas

DROGAS LÌCITAS E ILÌCITAS SUBSTÂNCIAS PSICOTRÒPICAS. Drogas Lícitas e Ilícitas Substancias Psicotrópicas DROGAS LÌCITAS E ILÌCITAS SUBSTÂNCIAS PSICOTRÒPICAS Drogas Lícitas e Ilícitas Substancias Psicotrópicas SUBSTÂNCIAS PSICOTRÒPICAS São substancias psicoativas que agem no Sistema Nervoso Central. Produz

Leia mais

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO

DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO DEPRESSÃO CONHECENDO SEU INIMIGO E- BOOK GRATUITO Olá amigo (a), A depressão é um tema bem complexo, mas que vêm sendo melhor esclarecido à cada dia sobre seu tratamento e alívio. Quase todos os dias novas

Leia mais

INTERATIVIDADE FINAL EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Atividade física e prevenção às drogas.

INTERATIVIDADE FINAL EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA AULA. Conteúdo: Atividade física e prevenção às drogas. Conteúdo: Atividade física e prevenção às drogas. Habilidades: Perceber a alienação das drogas e alcoolismo como destruidores da convivência e dignidade humana. Drogas O que são drogas? São substâncias,

Leia mais

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Conceitos Básicos ObjeBvos DiscuBr os conceitos básicos de substâncias psicoabvas (SPA) Conhecer as

Leia mais

SENADO FEDERAL DIGA NÃO ÀS DROGAS SENADOR CLÉSIO ANDRADE

SENADO FEDERAL DIGA NÃO ÀS DROGAS SENADOR CLÉSIO ANDRADE SENADO FEDERAL DIGA NÃO ÀS DROGAS SENADOR CLÉSIO ANDRADE Diga não às drogas apresentação A droga oferece um único caminho: começa pela busca do prazer e da euforia e acaba no inferno para manter o vício.

Leia mais

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio

Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Abuso e dependência ao álcool e outras drogas e sua relação com o suicídio Messiano Ladislau Nogueira de Sousa Médico Psiquiatra com aperfeiçoamento em terapia psicanalítica Abril, 2014 Sumário Conceitos

Leia mais

INTOXICAÇÃO POR NOVAS DROGAS

INTOXICAÇÃO POR NOVAS DROGAS Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro Grupamento de Socorro de Emergência Seção de Desastres INTOXICAÇÃO POR NOVAS DROGAS Edna Maria de Queiroz Capitão Médica CBMERJ Médica HUAP / UFF

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E DROGADIÇÃO

SERVIÇO SOCIAL E DROGADIÇÃO SERVIÇO SOCIAL E DROGADIÇÃO Matheus de Oliveira Ribeiro Serviço Social Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS Stephanie Suellen Santos da Silva Serviço Social Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS

Leia mais

Mário Coelho Lima Filho

Mário Coelho Lima Filho Mário Coelho Lima Filho AS POLÍTICAS PÚBLICAS E OS DEPENDENTES QUÍMICOS DO CRACK NO DISTRITO FEDERAL E ENTORNO Projeto de Pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como parte das exigências

Leia mais

INSTALAÇÕES FIXAS INCÊNDIO DETEÇÃO GASES & ALCOOLÉMIA

INSTALAÇÕES FIXAS INCÊNDIO DETEÇÃO GASES & ALCOOLÉMIA 3 Drogas de Abuso Despistagem em Fluidos Orais Sistema Alere TM DDS 2 CONCEITO Define-se como droga qualquer substância química não produzida pelo organismo, que tenha a propriedade de atuar sobre um ou

Leia mais

Como a cocaína é consumida Os efeitos imediatos e tardios do consumo contínuo da cocaína Outros nomes para a cocaína Classificação do tipo de droga

Como a cocaína é consumida Os efeitos imediatos e tardios do consumo contínuo da cocaína Outros nomes para a cocaína Classificação do tipo de droga Cocaína 2. Sumário Como a cocaína é consumida Os efeitos imediatos e tardios do consumo contínuo da cocaína Outros nomes para a cocaína Classificação do tipo de droga 1. 3. 4. A Cocaína é proveniente de

Leia mais

Transtornos relacionados ao uso de substâncias

Transtornos relacionados ao uso de substâncias Transtornos relacionados ao uso de substâncias ARTHUR GUERRA DE ANDRADE Professor Associado do Departamento de Psiquiatria, Faculdade de Medicina USP Professor Titular de Psiquiatria e Psicologia Médica,

Leia mais

A SAÚDE TAMBÉM É CONSIGO. Tabaco

A SAÚDE TAMBÉM É CONSIGO. Tabaco Tabaco Álcool Medicamentos Cocaína Heroína Cannabis Ecstasy ÁLCOOL Características da substância O álcool contido nas bebidas é cientificamente designado como etanol, sendo produzido através da fermentação

Leia mais

ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Ponto 06

ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Ponto 06 ERGONOMIA Notas de Aula-Graduação Ponto 06 Ergonomia dos Sistemas de Produção FADIGA Mario S. Ferreira Abril, 2012 Caráter Multidisciplinar da Abordagem: produtividade, condições de saúde, segurança e

Leia mais

Contexto. 74,3% dos usuários de drogas ilícitas estão empregados.

Contexto. 74,3% dos usuários de drogas ilícitas estão empregados. Contexto 74,3% dos usuários de drogas ilícitas estão empregados. Empregados sob efeito de droga utilizam, em média, 67% da capacidade de trabalho, tem o triplo de probabilidade de chegar atrasado ou faltar

Leia mais

EFEITO DAS DROGAS NO CORAÇÃO

EFEITO DAS DROGAS NO CORAÇÃO EFEITO DAS DROGAS NO CORAÇÃO Dra. Ana Paula Cabral Ramidan 2º CURSO DE FORMAÇÃO DE AGENTES MULTIPLICADORES EM PREVENÇÃO ÀS DROGAS CORAÇÃO FONTE: http://www.google.com/imgres?imgurl=http://1.bp.blogspot.com/-hrgazxrptx4/tu8antmk2ai/aaaaaaaake0/mkgmvoud1fa/s1600/coracao.jpg&imgrefurl=http://toinhoffilho.blogspot.com/2011/12/cienciasvale-apensa-saber-coracao-uma.html&usg=

Leia mais

Diretrizes da OMS para diagnóstico de Dependência

Diretrizes da OMS para diagnóstico de Dependência Diretrizes da OMS para diagnóstico de Dependência 1 - Forte desejo ou compulsão para usar a substância. 2 - Dificuldade em controlar o consumo da substância, em termos de início, término e quantidade.

Leia mais

Drogas A prevenção como medida de proteção. Professor Maurino Prim

Drogas A prevenção como medida de proteção. Professor Maurino Prim Drogas A prevenção como medida de proteção. Professor Maurino Prim Introdução. O abuso de drogas é considerado, atualmente, um dos maiores problemas da nossa sociedade. A situação vem se agravando cada

Leia mais

Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades. Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis

Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades. Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis Cessação e Tratamento do Tabagismo Mitos e Verdades Silvia M. Cury Ismael Mônica Andreis Cigarro é droga? Verdade! Cigarro é uma droga poderosa, apesar de ser um produto lícito. O potencial de abuso da

Leia mais

A dependência de álcool e outras drogas:

A dependência de álcool e outras drogas: A dependência de álcool e outras drogas: desafios na prevenção MARICELMA BREGOLA Alguns Dados 200 milhões de pessoas quase 5% da população entre 15 e 64 anos usam drogas ilícitas pelo menos uma vez por

Leia mais

Organização de serviços. Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp

Organização de serviços. Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp Organização de serviços Coordenação: prof. Dr. Ronaldo Laranjeira Apresentação: Dr. Elton P. Rezende UNIAD INPAD Unifesp Declaração Declaro não receber nenhum financiamento público ou particular Qual a

Leia mais

Modelo de Texto de Bula ao Paciente

Modelo de Texto de Bula ao Paciente Modelo de Texto de Bula ao Paciente VENVANSE * dimesilato de lisdexanfetamina *marca depositada APRESENTAÇÃO VENVANSE cápsulas 30 mg, 50 mg e 70 mg: frascos com 28 cápsulas. USO ORAL USO PEDIÁTRICO DE

Leia mais

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador JARBAS VASCONCELOS I RELATÓRIO

PARECER Nº, DE 2010. RELATOR: Senador JARBAS VASCONCELOS I RELATÓRIO PARECER Nº, DE 2010 Da COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO, JUSTIÇA E CIDADANIA, em decisão terminativa, sobre o Projeto de Lei do Senado nº 187, de 2009, do Senador Sérgio Zambiasi, que altera o art. 33 da Lei nº

Leia mais

Prevenção em saúde mental

Prevenção em saúde mental Prevenção em saúde mental Treinar lideranças comunitárias e equipes de saúde para prevenir, identificar e encaminhar problemas relacionados à saúde mental. Essa é a característica principal do projeto

Leia mais

A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS

A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS A PROMOÇÃO A SAÚDE E PREVENÇÃO AO USO DE DROGAS Prof. Lorena Silveira Cardoso Mestranda em Saúde Coletiva Profª. Drª. Marluce Miguel de Siqueira Orientadora VITÓRIA 2013 INTRODUÇÃO O consumo de substâncias

Leia mais

Breve Histórico do Uso da Maconha no Brasil

Breve Histórico do Uso da Maconha no Brasil O que é maconha? Maconha é o nome popular de uma planta chamada Cannabis Sativa, que tem sido usada há séculos por diferentes culturas, e em diferentes momentos da História, com fins médicos e industriais.

Leia mais

Conteúdos Atividades de revisão da 2ª avaliação do 4º bimestre - Ciências da Natureza

Conteúdos Atividades de revisão da 2ª avaliação do 4º bimestre - Ciências da Natureza Conteúdos Atividades de revisão da 2ª avaliação do 4º bimestre - Ciências da Natureza Conteúdos 2ª Avaliação do 4º bimestre Área de Ciências da Natureza Habilidades Revisar os conteúdos da Área de Ciências

Leia mais

Avaliação sobre o consumo de drogas por adolescentes nas escolas do município de Iporá-GO

Avaliação sobre o consumo de drogas por adolescentes nas escolas do município de Iporá-GO Avaliação sobre o consumo de drogas por adolescentes nas escolas do município de Iporá-GO Moreira, Izadora Cristina; Aquino, Valdirene Silva Rocha; RAMALHO, Letícia Carneiro; CUNHA, Marielton Passos; PINHEIRO,

Leia mais

Doenças do Comportamento Alimentar. Filipe Pinheiro de Campos

Doenças do Comportamento Alimentar. Filipe Pinheiro de Campos NUTRIÇÃO e PATOLOGIAS ASSOCIADAS Doenças do Comportamento Alimentar Saúde e Bem Estar ATITUDES AMBIENTE FISIOLOGIA SAÚDE HEREDITARIEDADE ECONOMIA CULTURA ALIMENTAÇÃO 2 Implicações Clínicas Doenças por

Leia mais

ツVivo Feliz Sem Drogas. Capa

ツVivo Feliz Sem Drogas. Capa Capa ツVivo Feliz Sem Drogas Projeto ツVivo Feliz Sem Drogas Prevenindo o uso indevido de drogas Capa fim MUNICIPIO DE ITAPEVA SP Secretaria Municipal de Defesa Social Projeto ツVivo Feliz Sem Drogas Prevenindo

Leia mais

Antes de conhecer algumas informações fornecidas pela Epidemiologia, vamos relembrar alguns conceitos:

Antes de conhecer algumas informações fornecidas pela Epidemiologia, vamos relembrar alguns conceitos: Módulo1:: CAPÍTULO 2: Epidemiologia do uso de substâncias psicoativas no Brasil: peculiaridades regionais e populações específicas José Carlos Fernandes Galduróz Antes de conhecer algumas informações fornecidas

Leia mais

ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS)

ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS) ANEXO III 58 ALTERAÇÕES A INCLUIR NAS SECÇÕES RELEVANTES DO RESUMO DAS CARACTERÍSTICAS DOS MEDICAMENTOS QUE CONTENHAM NIMESULIDA (FORMULAÇÕES SISTÉMICAS) Adições aparecem em itálico e sublinhado; rasuras

Leia mais

Maconha. Alessandro Alves. Conhecendo a planta

Maconha. Alessandro Alves. Conhecendo a planta Maconha Alessandro Alves Entenda bem. A maconha é a droga ilícita mais utilizada no mundo. Está entre as plantas mais antigas cultivadas pelo homem. Na China seus grãos são utilizados como alimento e no

Leia mais

LEVANTAMENTO SOCIODEMOGRÁFICO DO USO/ABUSO DO CRACK E ADICTOS EM TRATAMENTO

LEVANTAMENTO SOCIODEMOGRÁFICO DO USO/ABUSO DO CRACK E ADICTOS EM TRATAMENTO LEVANTAMENTO SOCIODEMOGRÁFICO DO USO/ABUSO DO CRACK E ADICTOS EM TRATAMENTO Brena Luiza Gomes de CASTRO 1, Lucíola Galvão Gondim Corrêa FEITOSA 2, Cláudia Karine Carmo de NORONHA 3, Perla Maria Antão de

Leia mais

^=`ljfppíl=jrkaf^i=a^=j^`lke^= = `lk`irpîbp=b=ob`ljbka^ Îbp=

^=`ljfppíl=jrkaf^i=a^=j^`lke^= = `lk`irpîbp=b=ob`ljbka^ Îbp= PORTUGUESE ^`ljfppíljrkaf^ia^j^`lke^ `lk`irpîbpbob`ljbka^ Îbp COMISSÁRIOS: ROBIN ROOM BENEDIKT FISCHER WAYNE HALL SIMON LENTON PETER REUTER AMANDA FEILDING `lmvofdeq«qeb_b`hibvclrka^qflkommu qeb_b`hibvclrka^qflk

Leia mais

Cocaína. COCAÍNA Histórico. Cocaína. Cocaína. Cocaína

Cocaína. COCAÍNA Histórico. Cocaína. Cocaína. Cocaína COCAÍNA Histórico Erytroxylum coca - Populações pré- incaicas já utilizavam mascamento das folhas em cerimônias religiosas (coqueio). - Século passado emprego de cigarros de coca no tratamento da asma

Leia mais

Neurose Ansiosa. Neurose Ansiosa. Psicopatologia Geral e Especial. Carlos Mota Cardoso

Neurose Ansiosa. Neurose Ansiosa. Psicopatologia Geral e Especial. Carlos Mota Cardoso Neurose Ansiosa 1 Angústia A angústia surge ante qualquer eventual ameaça à identidade e ao EU. Pode emergir em diversas circunstâncias, desde a mais estrita normalidade à franca psicopatologia. A angústia

Leia mais

Tratamento da dependência do uso de drogas

Tratamento da dependência do uso de drogas Tratamento da dependência do uso de drogas Daniela Bentes de Freitas 1 O consumo de substâncias psicoativas está relacionado a vários problemas sociais, de saúde e de segurança pública, sendo necessário

Leia mais

TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA

TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA TERAPIA OCUPACIONAL PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO 38 Rosa está com 56 anos de idade e vive em um hospital psiquiátrico desde os 28 anos de idade. Em seu prontuário, encontra-se que ela é doente mental desde

Leia mais

ESTRESSE OCUPACIONAL SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO

ESTRESSE OCUPACIONAL SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO ESTRESSE SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO Página 1 de 9 1. OBJETIVO... 3 2. ESCOPO... 3 3. DEFINIÇÕES... 4 4. ESTRESSE OCUPACIONAL: CARACTERIZAÇÃO... 4 4.1. Conceitos fundamentais... 4 4.2. Conseqüências

Leia mais

CONHECENDO A PSICOTERAPIA

CONHECENDO A PSICOTERAPIA CONHECENDO A PSICOTERAPIA Psicólogo Emilson Lúcio da Silva CRP 12/11028 2015 INTRODUÇÃO Em algum momento da vida você já se sentiu incapaz de lidar com seus problemas? Se a resposta é sim, então você não

Leia mais

Paulo de Lima. Tema 04: Dimensão Sócio- Política- Ecológica (Processo de participação- conscientização. Qual a minha relação com a sociedade? ).

Paulo de Lima. Tema 04: Dimensão Sócio- Política- Ecológica (Processo de participação- conscientização. Qual a minha relação com a sociedade? ). Tema 04: Dimensão Sócio- Política- Ecológica (Processo de participação- conscientização. Qual a minha relação com a sociedade? ). Titulo 03: Droga, Álcool e cidadania Paulo de Lima (Mestrando em Educação

Leia mais

Este caderno é parte integrante da Revista APM Edição n 561 -Outubro de 2005

Este caderno é parte integrante da Revista APM Edição n 561 -Outubro de 2005 Este caderno é parte integrante da Revista APM Edição n 561 -Outubro de 2005 Cartilha Informativa sobre Drogas (Publicação em fascículos nas edições 557, 558, 559, 560, 561, 562, 563 e 564 da Revista A

Leia mais

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje.

Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. CENTRO UNIVERSITÁRIO ASSUNÇÃO- Vida saudável. Dicas e possibilidades nos dias de hoje. Profa. Dra. Valéria Batista O que é vida saudável? O que é vida saudável? Saúde é o estado de complexo bem-estar físico,

Leia mais

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro

Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Aperfeiçoamento em Técnicas para Fiscalização do uso de Álcool e outras Drogas no Trânsito Brasileiro Perturbadores do SNC ObjeDvos Conhecer as formas de apresentação e de uso Compreender o mecanismo de

Leia mais

4. Mulheres, drogas e tratamento

4. Mulheres, drogas e tratamento 4. Mulheres, drogas e tratamento Apesar do consumo de drogas por mulheres vir aumentando nos últimos anos, dados do I Levantamento Domiciliar Sobre o Uso de Drogas Psicotrópicas no Brasil realizado por

Leia mais

Procedimentos médicoadministrativos em distúrbios. mentais relacionados ao trabalho

Procedimentos médicoadministrativos em distúrbios. mentais relacionados ao trabalho Procedimentos médicoadministrativos em distúrbios mentais relacionados ao trabalho Dra Ana Paula Schmidt Waldrich Médica do Trabalho CRM-SC 13.384 Doença Ocupacional Quais as formas de caracterização de

Leia mais

O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH

O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH O que é Distúrbio Bipolar Bipolar Disorder Source - NIMH Distúrbio Bipolar, também conhecido como mania e depressão, é uma desordem do cérebro que causa mudanças não previstas no estado mental da pessoa,

Leia mais

Alienação das drogas

Alienação das drogas Alienação das drogas Que relação podemos fazer entre os personagens mortos-vivos da ficção e os usuários de drogas em geral. São substâncias, naturais ou sintéticas que, introduzidas no organismo, podem

Leia mais

DROGAS DE ABUSO. Profa. Dra. Eline Matheus

DROGAS DE ABUSO. Profa. Dra. Eline Matheus DROGAS DE ABUSO DROGAS QUE ATUAM NO SNC ESTIMULANTES DEPRESSORES DROGAS ESTIMULANTES COCAÍNA (CRACK & OXI) ANFETAMÍNICOS EFEDRINA ALUCINÓGENOS ANABOLIZANTES COCAÍNA Corte cerebral pós-mortem de um adicto

Leia mais

Riscos Psicossociais Associados à Violência nos Locais de Trabalho

Riscos Psicossociais Associados à Violência nos Locais de Trabalho Riscos Psicossociais Associados à Violência nos Locais de Trabalho Catarina Paulos 6 de Março de 2012 Auditório do IEFP VIOLÊNCIA NO LOCAL DE TRABALHO Uso intencional de poder contra uma pessoa ou um grupo,

Leia mais

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento,

Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos Secretaria Executiva de Desenvolvimento e Assistência Social Gerência de Planejamento, Projetos e Capacitação Sistema único de Assistência Social

Leia mais

estudo Por ViVian Lourenço 7 4 g u i a d a f a r m á c i a

estudo Por ViVian Lourenço 7 4 g u i a d a f a r m á c i a Sentir dor não é normal A dor é sinal de que algo não vai bem no organismo. Os sintomas estão no cotidiano e é essencial saber a diferença entre a dor crônica e a aguda para buscar o tratamento Por Vivian

Leia mais

Dependência Química - Classificação e Diagnóstico -

Dependência Química - Classificação e Diagnóstico - Dependência Química - Classificação e Diagnóstico - Alessandro Alves Toda vez que se pretende classificar algo, deve-se ter em mente que o que se vai fazer é procurar reduzir um fenômeno complexo que em

Leia mais

Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença?

Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença? Afinal de contas, o que é ansiedade? Mas ser ansioso não é normal? Ansiedade é uma doença? Ansiedade = falta de confiança na vida No senso comum, ansiedade é igual a aflição, angústia, nervosismo, perturbação

Leia mais

N.º2 Férias e Álcool. A viagem:

N.º2 Férias e Álcool. A viagem: N.º2 Férias e Álcool Esta semana o tema que iremos abordar será um 2 em 1, onde expomos os principais cuidados a ter em conta, para que possa usufruir de umas férias mais seguras, ao mesmo tempo que alertamos

Leia mais

CORRELAÇÃO ENTRE CONSUMIDORES DE DROGAS LICITAS E ILICITAS EM UM CAPS II

CORRELAÇÃO ENTRE CONSUMIDORES DE DROGAS LICITAS E ILICITAS EM UM CAPS II 929 CORRELAÇÃO ENTRE CONSUMIDORES DE DROGAS LICITAS E ILICITAS EM UM CAPS II Ana Paula Fernandes de Lima Demarcina Weinheimer Jussara Terres Larissa Medeiros Tarlise Jardim Vanessa Campos Camila Jacques

Leia mais

A adolescência e o fenômeno da drogadição. Prof. Marco Aurélio de Patrício Ribeiro marcoaurélio@7setembro.com.br Cel. 9998.6560

A adolescência e o fenômeno da drogadição. Prof. Marco Aurélio de Patrício Ribeiro marcoaurélio@7setembro.com.br Cel. 9998.6560 A adolescência e o fenômeno da drogadição. Prof. Marco Aurélio de Patrício Ribeiro marcoaurélio@7setembro.com.br Cel. 9998.6560 A Sociedade muda (acentuando o problema das drogas nos últimos 30 anos) Ao

Leia mais

PAPO LEGAL CONVERSANDO COM JOVENS SOBRE PREVENÇÃO AO USO ABUSIVO DE DROGAS

PAPO LEGAL CONVERSANDO COM JOVENS SOBRE PREVENÇÃO AO USO ABUSIVO DE DROGAS PAPO LEGAL CONVERSANDO COM JOVENS SOBRE PREVENÇÃO AO USO ABUSIVO DE DROGAS APRESENTAÇÃO: A Secretaria de Assistência Social e Cidadania (SASC) por meio da Diretoria de Programas sobre Drogas (DPSD) do

Leia mais

Almoço trinta gramas de brócolis (Anorexia Nervosa)

Almoço trinta gramas de brócolis (Anorexia Nervosa) Edson Saggese Almoço trinta gramas de brócolis (Anorexia Nervosa) Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Psiquiatria. Doutor em Ciências da Saúde pelo IPUB/UFRJ, psiquiatra, psicanalista,

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Montelucaste Generis 10 mg Comprimidos Montelucaste de sódio Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento -Conserve este folheto. Pode

Leia mais

COMORBIDADES CLÍNICAS EM PACIENTES COM TRANSTORNOS NO USO DE DROGAS

COMORBIDADES CLÍNICAS EM PACIENTES COM TRANSTORNOS NO USO DE DROGAS COMORBIDADES CLÍNICAS EM PACIENTES COM TRANSTORNOS NO USO DE DROGAS O que são drogas? São substâncias naturais ou sintéticas, produzidas ou modificadas, com usos diversos, algumas delas com efeitos entorpecentes

Leia mais

LOSARTANA POTÁSSICA Hypermarcas S/A Comprimido revestido 50mg e 100mg

LOSARTANA POTÁSSICA Hypermarcas S/A Comprimido revestido 50mg e 100mg LOSARTANA POTÁSSICA Hypermarcas S/A Comprimido revestido 50mg e 100mg I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO: LOSARTANA POTÁSSICA Medicamento genérico Lei nº 9.787, de 1999 APRESENTAÇÕES Comprimido revestido

Leia mais

Dependência Química. Informação é grande aliada dos amigos e familiares.

Dependência Química. Informação é grande aliada dos amigos e familiares. Dependência Química Informação é grande aliada dos amigos e familiares. O QUE É DROGA-DEPENDÊNCIA? Droga-dependência é um transtorno psiquiátrico que se caracteriza pelo uso impulsivo e descontrolado de

Leia mais

Hábitos Saudáveis Roda dos Alimentos Perturbações do comportamento alimentar Tratares bem do teu corpo no que se refere à alimentação não é difícil, embora requeira certa disciplina. No entanto, existem

Leia mais

Orientação ao(à) Cursista

Orientação ao(à) Cursista Prezados (as) Colegas, Com o objetivo de propiciar a todos(as) os participantes do Programa de Prevenção a Dependência Química, elaboramos um cuidado roteiro de estudos e orientações, incluindo questões

Leia mais

O QUE SABE SOBRE A DIABETES?

O QUE SABE SOBRE A DIABETES? O QUE SABE SOBRE A DIABETES? 11 A 26 DE NOVEMBRO DE 2008 EXPOSIÇÃO PROMOVIDA PELO SERVIÇO DE MEDICINA INTERNA DO HOSPITAL DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO, EPE DIABETES MELLITUS É uma doença grave? Estou em

Leia mais

1 - Noção de comportamento aditivo

1 - Noção de comportamento aditivo Módulo Nº 4 COMPORTAMENTOS ADITIVOS 1 - Noção de comportamento aditivo Entende-se por comportamento aditivo ou dependência, qualquer atividade, substância, objeto ou comportamento que se tornou o centro

Leia mais

Material e Método. Resultados

Material e Método. Resultados Uso de Drogas entre Adolescentes e Jovens Mulheres: uma revisão da literatura Autoras: Patrícia Castro de Oliveira e Silva doutoranda em psicossociologia de comunidades e ecologia social, Universidade

Leia mais

SEJA COMPETITIVO, PROMOVENDO A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO ACÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO

SEJA COMPETITIVO, PROMOVENDO A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO ACÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO www.medialcare.pt SEJA COMPETITIVO, PROMOVENDO A QUALIDADE DE VIDA NO TRABALHO ACÇÕES DE SENSIBILIZAÇÃO 1 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Com a colaboração de uma especialista em Nutrição, propomos apresentar a temática

Leia mais

Perturbações da Personalidade: Perturbação da Personalidade Borderline e Perturbação da Personalidade Evitante. Joana Gonçalves

Perturbações da Personalidade: Perturbação da Personalidade Borderline e Perturbação da Personalidade Evitante. Joana Gonçalves Perturbações da Personalidade: Perturbação da Personalidade Borderline e Perturbação da Personalidade Evitante Joana Gonçalves Perturbação da Personalidade Borderline Provavelmente a perturbação de personalidade

Leia mais

Triagem de drogas em urina

Triagem de drogas em urina Triagem de drogas em urina Maconha A maconha é o nome utilizado popularmente no Brasil para denominar a planta Cannabis sativa Linnaeus. Estima-se que existem mais de 400 compostos naturais na planta,

Leia mais

DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE DROGAS: notas internacionais

DADOS ESTATÍSTICOS SOBRE DROGAS: notas internacionais O Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes. (UNODC, na sigla em inglês) estima que, em 2009, entre 172 milhões e 250 milhões de pessoas que usaram drogas ilícitas; dentre estas, entre 18 milhões

Leia mais

Esta categoria global inclui as variedades comuns de esquizofrenia, juntamente com

Esta categoria global inclui as variedades comuns de esquizofrenia, juntamente com F20.0 Esquizofrenia Esta categoria global inclui as variedades comuns de esquizofrenia, juntamente com algumas variedades menos comuns e transtornos intimamente relacionados. F20.0 F20.3 Critérios gerais

Leia mais

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE 01 CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS DA OBESIDADE A obesidade é uma doença crónica que se caracteriza pelo excesso de gordura corporal e que atinge homens, mulheres e crianças de todas as etnias e idades. A sua prevalência

Leia mais

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise

Fundada em 1986. Gestão Comportamental. Educação para a saúde Gestão de crise MISSÃO Educar para a prevenção e condução de crises, visando a saúde emocional individual, da família e da organização. Gestão Comportamental Fundada em 1986 PAP - Programa de Apoio Pessoal Atuações em

Leia mais

TEXTO DE BULA LORAX. Lorax 1 ou 2 mg em embalagens contendo 20 ou 30 comprimidos. Cada comprimido contém 1 ou 2 mg de lorazepam respectivamente.

TEXTO DE BULA LORAX. Lorax 1 ou 2 mg em embalagens contendo 20 ou 30 comprimidos. Cada comprimido contém 1 ou 2 mg de lorazepam respectivamente. TEXTO DE BULA LORAX I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO Lorax lorazepam APRESENTAÇÕES Lorax 1 ou 2 mg em embalagens contendo 20 ou 30 comprimidos. Cada comprimido contém 1 ou 2 mg de lorazepam respectivamente.

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO

PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO Abordagem e Tratamento do Tabagismo I- Identificação do Paciente Nome: Nº do prontuário:

Leia mais

SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS. Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR

SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS. Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR SÍNDROMES ANSIOSAS E NEURÓTICAS Profª Melissa Rodrigues de Almeida Psicopatologia II DEPSI-UFPR Referências Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais (Capítulos 26 e 29) Paulo Dalgalarrondo Manual

Leia mais

EQUILIBRIO ENTRE CORPO, MENTE E ESPÍRITO. Em busca da cura, por uma vida mais saudável.

EQUILIBRIO ENTRE CORPO, MENTE E ESPÍRITO. Em busca da cura, por uma vida mais saudável. MENTE E ESPÍRITO EQUILIBRIO ENTRE CORPO, Em busca da cura, por uma vida mais saudável. Que a felicidade deve ser construída de dentro para fora e pode ser definida como um estado de espírito que não depende

Leia mais

RISCOS E VULNERABILIDADES NA ADOLESCÊNCIA PARA O USO DE DROGAS. PAPEL DO ENFERMEIRO NA PREVENÇÃO

RISCOS E VULNERABILIDADES NA ADOLESCÊNCIA PARA O USO DE DROGAS. PAPEL DO ENFERMEIRO NA PREVENÇÃO RISCOS E VULNERABILIDADES NA ADOLESCÊNCIA PARA O USO DE DROGAS. PAPEL DO ENFERMEIRO NA PREVENÇÃO Renata Juliana Pereira de Moraes Trindade Crislene Kelly Guedes Lopes Luiza Jamila Silva da Costa Maria

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR DORMIDINA 25 mg, Pó Efervescente Succinato de Doxilamina APROVADO EM Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente. Este medicamento

Leia mais