EXMO. Sr. JUIZ DA ª VARA DO TRABALHO DE TRT 13a Região. Ref.: Ação nº (ex.: RT )

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "EXMO. Sr. JUIZ DA ª VARA DO TRABALHO DE TRT 13a Região. Ref.: Ação nº (ex.: RT 0025-2007-035-13-00-0)"

Transcrição

1 EXMO. Sr. JUIZ DA ª VARA DO TRABALHO DE TRT 13a Região Ref.: Ação nº (ex.: RT ), Médico(a) (especialidade, ex: Médico do Trabalho), inscrito(a) no Conselho Regional de Medicina nº /, nomeado(a) para atuar como perito(a) na ação interposta por contra, vem mui respeitosamente apresentar seu laudo. Coloca-se à disposição de V. Exª para quaisquer outros esclarecimentos necessários. Solicita liberação dos honorários periciais no valor de R$,., de de. Local e data Assinatura Nome

2 CONSIDERAÇÕES INICIAIS: A avaliação pericial concernente ao posto de trabalho foi realizada no dia / / às horas no(a) (local da perícia, ex.: sede da Reclamada situada à Rodovia BR 101, B. Das Industrias, João Pessoa-PB). Estiveram presentes a Reclamante e o Dr. (Médico do Trabalho da Reclamada). O Exame pericial do Reclamante foi realizado no dia / / às horas no(a) (local da perícia, ex.: consultório do Perito, João Pessoa-PB). AVALIAÇÃO PERICIAL: ( ANAMNESE: A Autora foi admitida pela Reclamada em 01/06/95 para exercer a função de auxiliar de produção (montadora de placas de telefone). Após alguns anos passou a desempenhar a função de operadora de máquina de tampografia. Sua jornada de trabalho era das 06:00 às 14:30 horas com intervalo de 30 minutos, além de 10 minutos de pausa para o café. Em 97 foi iniciada a ginástica laboral (10 minutos 2 vezes por dia). Refere que no início do contrato laboral era freqüente a realização de horas-extras. Suas tarefas consistiam em verificar quais as peças de telefone que seriam produzidas naquele dia ou continuar a programação do dia anterior. Quando necessário trocava a tinta da máquina e encaixava o molde da peça a ser carimbada. A Autora refere que no setor de tampografia iniciou com dores no ombro direito com irradiação para todo o membro superior direito, acompanhado de formigamento na mão direita. Consultou ortopedista, sendo diagnosticado tendinite do ombro direito e epicondilite do cotovelo direito. Fez tratamento medicamentoso e fisioterápico, além de acupuntura e alongamento. Ficou cerca de 5 anos afastada do trabalho e recebeu benefício auxílio-doença do INSS até 15/02/07. Foi demitida em 23/02/07. Atualmente refere dores no ombro direito e punho direito, acompanhado de formigamento na mão direita. No momento não está fazendo nenhum tratamento. Refere que aguarda cirurgia para tratamento de cisto no punho direito. EXAME FÍSICO:A Autora tem atualmente 34 anos de idade, 61 Kg de peso, 149 cm de altura; marcha e postura normais; ausência de contraturas musculares; movimentos normais da coluna cervical e dos membros superiores; dor à

3 palpação da região medial do cotovelo direito; força mantida. EXAMES COMPLEMENTARES: -Ultra-sonografia de... -Eletroneuromiografia: -Tomografia computadorizada de -Ressonância Magnetica de. ASPECTOS TÉCNICOS: LER/DORT: As Lesões por Esforços Repetitivos (LER)/Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT) correspondem a uma síndrome clínica caracterizada por dor crônica e outros sintomas, que se manifesta principalmente no pescoço, cintura escapular e/ou membros superiores, podendo afetar tendões, músculos e nervos periféricos. O termo LER/DORT é genérico, devendo-se sempre procurar determinar o diagnóstico específico (exemplo: tendinite do supra-espinhoso, epicondilite lateral ou medial, síndrome do túnel do carpo, tenossinovite dos flexores dos dedos, tendinite de De Quervain etc). As LER/DORT são decorrentes de fatores biomecânicos (força, repetitividade, posturas inadequadas, compressão mecânica), ambientais (inadequação do mobiliário e dos equipamentos, baixa temperatura ambiental etc) e relacionados à organização do trabalho (ausência de pausas, velocidade e carga de trabalho, invariabilidade da tarefa, falta de autonomia, pressão no trabalho etc). As lesões por sobrecarga funcional acontecem quando o ritmo de lesão ultrapassa a velocidade de recuperação das estruturas, ou seja, quando não há tempo suficiente para a recuperação dos tecidos. Todos esses fatores interagem com a diversidade de características individuais, sociais e culturais dos trabalhadores e como eles os percebem. São alguns dos aspectos psicossociais que devem ser considerados na compreensão das LER/DORT. As tendinites e tenossinovites nem sempre são causadas por atividades laborais, podendo ter causas infecciosas, traumáticas, metabólicas, degenerativas, como por exemplo doença reumática, esclerose sistêmica, gota, diabetes, proeminência óssea (em seqüelas de fraturas) etc. A caracterização do nexo causal depende da correlação entre a afecção ou doença

4 apresentada pelo trabalhador e a execução do seu trabalho. Richard Schilling descreveu uma classificação que agrupa as doenças relacionadas com o trabalho em três categorias: Grupo I Trabalho como causa necessária; Grupo II Trabalho como fator contributivo, mas não necessário; Grupo III Trabalho como provocador de um distúrbio latente ou agravador de doença já estabelecida. SÍNDROME DO MANGUITO ROTADOR /TENDINITE DO OMBRO: O Ombro é responsável pela execução da maior parte da movimentação e do posicionamento do membro superior no espaço. O principal grupo muscular responsável pela movimentação do ombro é o manguito rotador, o qual é composto por quatro músculos e seus tendões, sendo eles: supra-espinhoso, infra-espinhoso, subescapular e redondo menor. O manguito rotador facilita a estabilidade articular, propiciando a movimentação do ombro. O seu ponto de maior vulnerabilidade é o tendão do músculo supra-espinhoso, responsável pelo movimento de abdução (afastamento do ombro) a partir de 60 graus. Ao realizar seu movimento típico, os tendões são tracionados e se deslizam por dentro de um túnel muscular apertado, podendo ser pinçados, com conseqüente inflamação. As principais causas de lesões do ombro de origem não ocupacional são: esportes (vôlei, basquete, tênis, natação etc) e traumatismos com luxação traumática ou estiramento abrupto ocorrido com os braços elevados. Como causas de origem ocupacional são citados movimentos repetitivos e posturas viciosas dos membros superiores para a realização de tarefas que exijam abdução e/ou elevação dos braços acima da altura dos ombros, principalmente se associados ao uso de força por tempo prolongado e elevação do cotovelo, além de acidente de trabalho associado a trauma com luxação ou estiramento abrupto ocorrido com os braços elevados. A caracterização do nexo causal depende da correlação entre a afecção ou doença apresentada pelo trabalhador e o modo como é executado o seu trabalho.

5 RESPOSTA AOS QUESITOS: QUESITOS DA RÉ (fls. 75 e 76): 1. A autora foi afastada de suas atividades em 2001, com qual diagnóstico? R: A autora foi afastada com o diagnóstico inicial CID-10 M50 (Transtornos dos discos cervicais) e posteriormente com CID-10 M65.9 (Sinovite e tenossinovite não especificada). 2. Qual era a idade da autora a época do afastamento? R: A autora tinha 28 anos de idade. 3. A autora costumava ter hábitos saudáveis como a prática regular de atividade física? R: A autora refere que não praticava atividade física. 4. Tinha a empresa, à época da contratualidade da autora, pausas bem definidas para refeições e ginástica laboral? Descreva-as. R: Havia pausa de 10 minutos para o café. Em 1997 foi implantado na empresa o programa de ginástica laboral. 5. A autora praticava a ginástica laboral? Com que freqüência? R: A autora fazia ginástica laboral 2 vezes por dia, durante 10 minutos. 6. A empresa tem SESMT constituído? Qual a composição? R: Sim, a empresa tem SESMT composto por 1 médico do trabalho, 1 técnico de enfermagem do trabalho, 1 engenheiro de segurança do trabalho e 3 técnicos de segurança do trabalho.

6 7. Existem programas para a prevenção de doenças osteo-musculares na empresa? Quais? R: A empresa possui programa de ginástica laboral e o programa vide corpo mais específico para os empregados com queixas osteomusculares. 8. Desenvolveu, a autora, algum outro problema de saúde durante o período de afastamento do trabalho? Qual? R: A autora apresentou quadro de tendinopatia do ombro direito. 9. Que tipos de tratamento realizou a autora durante o afastamento? Descreva-os em ordem cronológica. R: A autora fez tratamento medicamentoso e fisioterápico, além de acupuntura. Não lembra com precisão a data em que foram realizados estes procedimentos. 10. A autora tem exames que demonstram a lesão que a levou ao afastamento? E exames de segmento, quais os resultados? R: A autora realizou exame de ultra-sonografia do ombro direito em março/2004 que mostrou tendinose do supra-espinhoso. 11. A autora apresenta algum tipo de limitação funcional? Se sim, qual? Tal limitação está relacionada com o diagnóstico que levou a autora ao afastamento inicial em 2001? R: Atualmente a autora não apresenta limitação funcional. 12. Está a autora incapaz de desempenhar atividade laboral? R: No momento a autora não apresenta incapacidade para o trabalho. QUESITOS DA AUTORA (fls. 77): - A tendinite adquirida no emprego por parte da autora, está completamente restabelecida? R: No momento não há limitação funcional relacionada à coluna cervical e ombro direito. - Que exames médicos submeteu a autora? R: Foi realizado anamnese (entrevista) e exame físico. - Onde foi feita a Perícia? R: A perícia foi realizada na sede da Reclamada (entrevista e exame físico no ambulatório médico e visita ao posto de trabalho da reclamante).

7 PARECER TÉCNICO: O trabalho desempenhado pela autora junto à Reclamada pode ser considerado um fator contributivo para a tendinopatia do ombro direito. No momento não há seqüelas nem limitação funcional com relação a tal patologia. BIBLIOGRAFIA: 1- Atualização Terapêutica Manual Prático de Diagnóstico e Tratamento - Roberto E. Heymann, Milton Helfenstein e Daniel Feldmann Pollak Como Gerenciar as Questões das L.E.R/D.O.R.T. - Hudson de Araújo Couto, Sérgio José Nicoletti, Osvandré Lech e cols Doenças Relacionadas ao Trabalho Manual de Procedimentos para os Serviços de Saúde Segurança e Medicina do Trabalho Normas Regulamentadoras aprovadas pela Portaria nº de 08/06/ ª Edição

8

LER/DORT ATENÇÃO: NÃO É UMA DOENÇA NÃO ESTÃO INCLUÍDOS NO CID 10 GRANDE PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA

LER/DORT ATENÇÃO: NÃO É UMA DOENÇA NÃO ESTÃO INCLUÍDOS NO CID 10 GRANDE PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA LER/DORT Lesões por esforços repetitivos Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho podem envolver músculo, fáscia, tendão, sinóvia, articulação, nervos ATENÇÃO: NÃO É UMA DOENÇA NÃO ESTÃO INCLUÍDOS

Leia mais

Patologias osteomusculares e neurológicas relacionadas ao trabalho LER/DORT

Patologias osteomusculares e neurológicas relacionadas ao trabalho LER/DORT Patologias osteomusculares e neurológicas relacionadas ao trabalho LER/DORT LER/DORT LER - Lesões por esforços repetitivos DORT - Distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho ATENÇÃO: NÃO É UMA

Leia mais

Mecânica Articular 15/8/2011. Agradecimentos. Objetivos. Dinâmica da disciplina. Anatomia Complexo do ombro. Observação MEMBROS SUPERIORES 06/08/2011

Mecânica Articular 15/8/2011. Agradecimentos. Objetivos. Dinâmica da disciplina. Anatomia Complexo do ombro. Observação MEMBROS SUPERIORES 06/08/2011 Agradecimentos Mecânica Articular 1 2 - Liliam Oliveira, DSc. - Paulo Sergio Gomes, PhD. MEMBROS SUPERIORES 06/08/2011 Aulas teóricas: 06/08 Membros superiores; Dinâmica da disciplina Ombro e cotovelo.

Leia mais

LESÃO POR ESFORÇO REPETITIVO (L.E.R.) Causas, prevenção e tratamento

LESÃO POR ESFORÇO REPETITIVO (L.E.R.) Causas, prevenção e tratamento LESÃO POR ESFORÇO REPETITIVO (L.E.R.) Causas, prevenção e tratamento CONTEXTUALIZAÇÃO DO TEMA Hoje em dia, vivemos mais tempo conectado ao mundo virtual do que ao mundo real. As novas tecnologias digitais,

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL. Distribuição Interna

CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL. Distribuição Interna CONTRIBUIÇÃO PARA UMA CONSCIÊNCIA CORPORAL Distribuição Interna ÍNDICE Apresentação 3 O que é Lesão por esforço repetitivo (LER)? 4 Prevenção 5 Dicas para evitar lesões 6 Exercícios 8 Ginástica Laboral

Leia mais

CENSO PARA DETECÇÃO DE DESCONFORTO EM MEMBROS SUPERIORES Autor: Hudson de Araújo Couto Versão Julho de 2004

CENSO PARA DETECÇÃO DE DESCONFORTO EM MEMBROS SUPERIORES Autor: Hudson de Araújo Couto Versão Julho de 2004 1 CENSO PARA DETECÇÃO DE DESCONFORTO EM MEMBROS SUPERIORES Autor: Hudson de Araújo Couto Versão Julho de 2004 1- Você sente atualmente algum desconforto nos membros superiores ou coluna relacionado ao

Leia mais

O uso excessivo de tecnologias pode causar doenças

O uso excessivo de tecnologias pode causar doenças Saúde & Tecnologia O uso excessivo de tecnologias pode causar doenças Os aparelhos digitais, fonte de informação e entretenimento, tem levado muitos usuários a permanecerem por longos períodos conectados

Leia mais

Exame Físico Ortopédico

Exame Físico Ortopédico TAKE HOME MESSAGES! Exame Físico Ortopédico ANAMNESE REALIZAR UMA HISTÓRIA CLÍNICA DETALHADA, LEMBRANDO QUE DETALHES DA IDENTIFICAÇÃO COMO SEXO, IDADE E PROFISSÃO SÃO FUNDAMENTAIS, POIS MUITAS DOENÇAS

Leia mais

A L.E.R. e as ferramentas de TIC s no trabalho

A L.E.R. e as ferramentas de TIC s no trabalho A L.E.R. e as ferramentas de TIC s no trabalho Esta revista tem por objetivo esclarecer dúvidas sobre Lesão por Esforço Repetitivo (L.E.R) no ambiente de trabalho; quais as suas causas, formas de prevenção,

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL

AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL COLUNA CERVICAL FUNÇÕES: Suporte e estabilidade à cabeça Dar mobilidade à cabeça Abrigar, conduzir e proteger a medula espinhal e a artéria vertebral INSPEÇÃO Postura Global

Leia mais

TIPOS DE LESÕES. Adaptado de CHAFFIN e ANDERSON (1991) TIPO DE TRAUMA

TIPOS DE LESÕES. Adaptado de CHAFFIN e ANDERSON (1991) TIPO DE TRAUMA LESÕES NO TRABALHO TIPOS DE LESÕES TIPO DE TRAUMA CAUSA EFEITO Trauma por impacto Uma força repentina de grande intensidade Contusões, lacerações, fraturas, amputações, subluxações articulares, concussões,

Leia mais

A brincadeira continua.

A brincadeira continua. A brincadeira continua. Produtos especialmente concebidos para crianças. medi. I feel better. medi ortopedia A solução de qualidade para os seus requisitos em termos de suportes e ortóteses especialmente

Leia mais

AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? 16/09/2014

AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? 16/09/2014 AVALIAÇÃO POSTURAL O QUE É UMA AVALIAÇÃO POSTURAL? A AVALIAÇÃO POSTURAL CONSISTE EM DETERMINAR E REGISTRAR SE POSSÍVEL ATRAVÉS DE FOTOS, OS DESVIOS OU ATITUDES POSTURAIS DOS INDIVÍDUOS, ONDE O MESMO É

Leia mais

Causas da LER em jovens. Uso indevido da tecnologia. Como prevenir?

Causas da LER em jovens. Uso indevido da tecnologia. Como prevenir? Causas da LER em jovens. Uso indevido da tecnologia. Como prevenir? Com o avanço crescente da tecnologia da informação e comunicação, com o evento da internet e do mundo virtual ocorreram mudanças na sociedade,

Leia mais

BIOMECÂNICA OCUPACIONAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

BIOMECÂNICA OCUPACIONAL. Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Prof. Dr. Guanis de Barros Vilela Junior BIOMECÂNICA OCUPACIONAL Biomecânica Ocupacional é a área da biomecânica que possui como objeto de estudo o universo organizacional, atendo-se

Leia mais

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão André Montillo UVA Lesões Traumáticas do Membro Superior Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão Fratura Distal do Úmero Fratura da Cabeça do Rádio Fratura do Olecrâneo

Leia mais

O impacto da tecnologia no mercado de trabalho

O impacto da tecnologia no mercado de trabalho O impacto da tecnologia no mercado de trabalho Tecnologia no mercado de trabalho Vivemos em uma era digital onde a sociedade atual passa por uma grande evolução tecnológica, sendo o computador uma das

Leia mais

Estudo desenvolvido como trabalho de conclusão de curso do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Saúde do Trabalhador.

Estudo desenvolvido como trabalho de conclusão de curso do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu em Saúde do Trabalhador. & RELAÇÃO ENTRE A SOBRECARGA DE USO DE MEMBROS SUPERIORES E AS QUEIXAS DE DOR E DESCONFORTO NOS TRABALHADORES DA UNIDADE POLÍMEROS DE UMA EMPRESA DO SEGMENTO ELÉTRICO/MECÂNICO/AGROINDUSTRIAL 1 Sabrina

Leia mais

Graus de Liberdade. Complexo Articular do Ombro 08/08/ graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180 ) Extensão (45-50 )

Graus de Liberdade. Complexo Articular do Ombro 08/08/ graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180 ) Extensão (45-50 ) Complexo Articular do Ombro Articulação mais móvel do corpo humano, porém muito instável = estabilidade dinâmica. Posição de referência Graus de Liberdade 3 graus de liberdade: Plano sagital: Flexão (180

Leia mais

Habilidades manuais e a importância do reforço muscular

Habilidades manuais e a importância do reforço muscular Habilidades manuais e a importância do reforço muscular Sumário: Introdução... 02 Habilidades manuais e reforço muscular... 03 Região cervical... 04 Ombros... 05 Punhos... 06 Bíceps e Tríceps... 07 Eretores

Leia mais

Ritmo Escápulo-umeral

Ritmo Escápulo-umeral Avaliação do ombro Ritmo Escápulo-umeral Movimento sincronizado entre escápula e úmero durante abdução e flexão do braço. Região anterior Clavícula e artic. Esternoclavicular e Acromioclavicular Anatomia

Leia mais

Músculos do Antebraço e Mão

Músculos do Antebraço e Mão UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Instituto de Ciências Biomédicas Departamento de Anatomia Músculos do Antebraço e Mão Profa. Elen H. Miyabara elenm@usp.br Músculos da Flexão do Cotovelo (3) Músculos da Extensão

Leia mais

Você conhece alguém que não tem celular ou que, de alguma forma, seja em casa ou no trabalho, que não faça uso de alguma ferramenta multimídia?

Você conhece alguém que não tem celular ou que, de alguma forma, seja em casa ou no trabalho, que não faça uso de alguma ferramenta multimídia? Dor por Lesão Você conhece alguém que não tem celular ou que, de alguma forma, seja em casa ou no trabalho, que não faça uso de alguma ferramenta multimídia? Provavelmente, não. Também, não é para menos:

Leia mais

LER A DOENÇA DO SÉCULO

LER A DOENÇA DO SÉCULO LER A DOENÇA DO SÉCULO Introdução Muitas vezes sofremos lesões que procedem de comportamentos cotidianos que não nos damos conta de ser danosos a nossa saúde até começarmos a sentir a dores que são ocasionadas

Leia mais

Anatomia do Membro Superior

Anatomia do Membro Superior Composição Cíngulo do Membro Superior Braço Antebraço Mão Cíngulo do Membro Superior CLAVÍCULA CULA - Extremidades: esternal e acromial - Diáfise: - 2/3 mediais convexos anteriormente - 1/3 lateral côncavo

Leia mais

Índice O O PAPEL DOS REPRESENTANTES DOS TRABALHADORES NA PREVENÇÃO DAS LMERT. As LMERT na Indústria de Distribuição de Energia

Índice O O PAPEL DOS REPRESENTANTES DOS TRABALHADORES NA PREVENÇÃO DAS LMERT. As LMERT na Indústria de Distribuição de Energia O O PAPEL DOS REPRESENTANTES DOS TRABALHADORES NA PREVENÇÃO DAS LMERT João Ribeiro 20 - Fevereiro - 2008 Índice Problemática geral das lesões músculo-esqueléticas Funcionamento biomecânico do esqueleto

Leia mais

QUAIS EPI s QUE UTILIZAMOS?

QUAIS EPI s QUE UTILIZAMOS? REGRAS DE HIGIENE E SEGURANÇA E NA NOSSA 4 EMPRESA? QUAIS EPI s QUE UTILIZAMOS? 1 REGRAS DE HIGIENE E SEGURANÇA PLANO DE EMERGÊNCIA 4 INTERNO Pontos nevrálgicos - Incluem instalações que podem, devido

Leia mais

Fisioterapeuta Priscila Souza

Fisioterapeuta Priscila Souza Fisioterapeuta Priscila Souza * Passou de 7 bilhões o número de celulares no mundo. (União Internacional de Telecomunicações UIT, 2015) *Segundo a ONU em 2000 o número de aparelhos celulares era de 738

Leia mais

Componentes 08/08/2016. Úmero Rádio. Ulna

Componentes 08/08/2016. Úmero Rádio. Ulna Componentes Úmero Rádio Ulna 1. Articulação Úmero-radial e Úmero-ulnar (do cotovelo, propriamente dita) 2. Articulação Rádio-ulnar proximal 3. Articulação Rádio-ulnar distal 1 Complexo Articular do Cotovelo

Leia mais

FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA

FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA FACULDADE ANHANGUERA DE SÃO JOSÉ CURSO DE FISIOTERAPIA Diagnóstico Cinético-Funcional e Imaginologia: Membros Superiores, Cabeça e Tórax Unidade II OMBRO 1 2 3 4 5 Luxação anterior 6 Fratura de cabeça

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica do Ombro

Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Avaliação Fisioterapêutica do Ombro Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional-FMUSP Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada Articulação Esternoclavicular: Artic.

Leia mais

ERGONOMIA APLICADA AO TRABALHO

ERGONOMIA APLICADA AO TRABALHO ERGONOMIA APLICADA AO TRABALHO HISTÓRICO A ergonomia nasce da constatação de que o Homem não é uma máquina, pois: - ele não é um dispositivo mecânico; - ele não transforma energia como uma máquina a vapor;

Leia mais

GABARITO PÓS-RECURSO

GABARITO PÓS-RECURSO QUESTÃO 1) (10 pontos) Ortopedia e traumatologia A tabaqueira anatômica localiza-se na região dorso-radial do punho e é definida pelo intervalo entre o 1 o compartimento extensor (tendão abdutor longo

Leia mais

SAÚDE DO TRABALHADOR - LER. Nome: Silvia Kelly Leão Silva de Freitas Gilvan Carvalho Barbosa

SAÚDE DO TRABALHADOR - LER. Nome: Silvia Kelly Leão Silva de Freitas Gilvan Carvalho Barbosa SAÚDE DO TRABALHADOR - LER Nome: Silvia Kelly Leão Silva de Freitas Gilvan Carvalho Barbosa Este trabalho tem por objetivo trazer mais conhecimento sobre uma patologia que aflige muitas pessoas atualmente

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO SILVEIRA SORVETE LTDA - MATRIZ

ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO SILVEIRA SORVETE LTDA - MATRIZ Serviço de Assessoria em Segurança e Medicina do Trabalho Laboratório de análises e patologia clínica Av. Ayrão, 518 Centro Fone: 3622-6116 / 3622-2012 Manaus / Amazonas sasmet@sasmet.com.br fisio@sasmet.com.br

Leia mais

Semiologia Reumatológica em Crianças

Semiologia Reumatológica em Crianças Semiologia Reumatológica em Crianças PGALS - Exame de triagem básica para problemas musculoesqueléticos em crianças na idade escolar, modificado Traduzido e adaptado de "pgals A SCREENING EXAMINATION OF

Leia mais

MAPEAMENTO ERGONÔMICO DO TRABALHO SILVEIRA SORVETE LTDA - FILIAL

MAPEAMENTO ERGONÔMICO DO TRABALHO SILVEIRA SORVETE LTDA - FILIAL MAPEAMENTO ERGONÔMICO DO TRABALHO SILVEIRA SORVETE LTDA - FILIAL 10/2016 Mapeamento ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...02 2. IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DA EMPRESA...03 3. OBJETIVOS...03 4. REFERÊNCIAS NORMATIVAS...04

Leia mais

PROCESSO: RTOrd Embargos de Declaração

PROCESSO: RTOrd Embargos de Declaração Acórdão 5a Turma EMBARGOS DE DECLARAÇÃO. Vício inexistente. Embargos de declaração somente são cabíveis nas hipóteses previstas nos artigos 897-A da CLT e 1.022 do CPC de 2015 (art. 535 do CPC de 1973),

Leia mais

Amplitude de Movimento. Amplitude de Movimento. Tipos de ADM 27/2/2012

Amplitude de Movimento. Amplitude de Movimento. Tipos de ADM 27/2/2012 Amplitude de Movimento Amplitude de Movimento Professora: Christiane Riedi Daniel É o movimento completo de uma articulação ADM completa depende de: ADM Articular termos como flexão, extensão... goniometria

Leia mais

I. CONHECIMENTO Por tempestivo e atendidos os demais pressupostos de admissibilidade, conheço do recurso.

I. CONHECIMENTO Por tempestivo e atendidos os demais pressupostos de admissibilidade, conheço do recurso. DOENÇA PRÉ-EXISTENTE. AGRAVAMENTO. CONCAUSAS. As tarefas desempenhadas pela autora não contribuíram para o agravamento e/ou aceleramento do seu quadro patológico, razão pela qual não há como se concluir

Leia mais

CENTRAL DE PERÍCIAS/GAJEF PERÍCIA MÉDICA

CENTRAL DE PERÍCIAS/GAJEF PERÍCIA MÉDICA CENTRAL DE PERÍCIAS/GAJEF PROCESSO Nº: AUTOR (A): ENDEREÇO: IDENTIDADE: CPF: TELEFONE: PERÍCIA MÉDICA ACOMPANHANTES/PARENTESCO: MÉDICO PERITO/CRM: MÉDICO ASSISTENTE INSS/CRM: QUESITOS JUÍZO: 1 O periciando

Leia mais

Fraturas e Luxações Prof Fabio Azevedo Definição Fratura é a ruptura total ou parcial da estrutura óssea 1 Fraturas Raramente representam causa de morte, quando isoladas. Porém quando combinadas a outras

Leia mais

Educando para o bom uso das ferramentas digitais

Educando para o bom uso das ferramentas digitais Educando para o bom uso das ferramentas digitais Afinal, o que é L.E.R.? Como podemos educar para a prevenção? Adolescentes e adultos não conseguem mais imaginar esse mundo sem o uso da internet em celulares,

Leia mais

Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 SEGUIMENTO 15 MESES

Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 SEGUIMENTO 15 MESES Prevenção de Eventos Cardiovasculares em Pacientes com Hipertensão Arterial PREVER 2 Número do Centro l ID do Participante l Data do Atendimento l l l / l l l / 201l l Iniciais do Participante SEGUIMENTO

Leia mais

OMBRO. Úmero Cabeça Colo Tubérculo maior Tubérculo menor Sulco intertubercular

OMBRO. Úmero Cabeça Colo Tubérculo maior Tubérculo menor Sulco intertubercular OMBRO Complexo articular (20 mm, 3 art, 3 art funcionais) Articulação proximal do MS Direciona a mão Aumenta o alcance Osteologia Úmero, escápula, clavícula, esterno, costelas Úmero Cabeça Colo Tubérculo

Leia mais

Músculo Origem Inserção Inervação Ação

Músculo Origem Inserção Inervação Ação Músculos Toracoapendiculares Anteriores Músculo Origem Inserção Inervação Ação Peitoral Maior Porção clavicular: Face anterior da metade anterior da clavícula; Porção esternocostal: face anterior do esterno

Leia mais

Legislação sobre doenças como LER/DORT e suas prevenções. Marco Aurélio Barbosa Catalano Assessor Jurídico Assessoria Jurídica - Reitoria

Legislação sobre doenças como LER/DORT e suas prevenções. Marco Aurélio Barbosa Catalano Assessor Jurídico Assessoria Jurídica - Reitoria Legislação sobre doenças como LER/DORT e suas prevenções Marco Aurélio Barbosa Catalano Assessor Jurídico Assessoria Jurídica - Reitoria O QUE É LER? O QUE É DORT? LER Lesões por Esforço Repetitivo Entende-se

Leia mais

Introdução à Anatomia

Introdução à Anatomia ESTRUTURA ANIMAL 1 Introdução à Anatomia : É o fundamento de todas as outras ciências médicas. Função: Fornecer noções preciosas para as aplicações na prática médico-cirúrgica Anatomia vem do grego; Significa

Leia mais

CINESIOLOGIA APLICADA. Articulações do cotovelo, punho e da mão

CINESIOLOGIA APLICADA. Articulações do cotovelo, punho e da mão CINESIOLOGIA APLICADA Articulações do cotovelo, punho e da mão OSSOS - COTOVELO ÚMERO ULNA RÁDIO MOVIMENTOS ARTICULARES ARTICULAÇÃO DO COTOVELO: FLEXÃO EXTENSÃO ARTICULAÇÃO RÁDIO ULNAR: PRONAÇÃO SUPINAÇÃO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DOR EM TRABALHADORES DE UMA INDÚSTRIA TÊXTIL NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL.

AVALIAÇÃO DA DOR EM TRABALHADORES DE UMA INDÚSTRIA TÊXTIL NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL. AVALIAÇÃO DA DOR EM TRABALHADORES DE UMA INDÚSTRIA TÊXTIL NO INTERIOR DO RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL. José Felipe Costa da Silva 1, Marcelo Cardoso de Souza 2 Joyce Raquel Cândido de Medeiros 3, Juliana

Leia mais

Anatomia do Membro Superior

Anatomia do Membro Superior Anatomia do Membro Superior www.imagingonline.com.br Plexo braquial Divisão (partes) Ramos supraclaviculares (ramos se originam das raízes e dos troncos do plexo braquial): N. dorsal da escápula N. torácico

Leia mais

Trauma&smos da cintura escapular. Prof. Ms. Marco Aurélio N. Added

Trauma&smos da cintura escapular. Prof. Ms. Marco Aurélio N. Added Trauma&smos da cintura escapular Prof. Ms. Marco Aurélio N. Added foto MUSCULOS Luxação esterno-clavicular Mecanismo de lesao: Trauma direto Força látero-medial (cair sobre o próprio ombro) Classificação

Leia mais

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Dores na mandíbula e na face.

ODONTOLOGIA PREVENTIVA. Saúde Bucal. Dores na mandíbula e na face. ODONTOLOGIA PREVENTIVA Saúde Bucal Dores na mandíbula e na face. O que é ATM? ATM significa articulação temporomandibular, que é a articulação entre a mandíbula e o crânio. Portanto, temos duas ATM, cada

Leia mais

Educação para a Saúde

Educação para a Saúde Educação para a Saúde Exercícios Laborais Setembro de 2006 Raquel Faria Araújo de Oliveira Ergonomista e Educadora física Saúde Segundo a Organização Mundial de Saúde: Saúde é um estado de completo bem-estar

Leia mais

VICTOR MANUEL EM O HOMEM QUASE DE FERRO VIVER BEM. Saúde osteomuscular. folder_cas_saúde osteomuscular.indd 1 19/08/ :21:04

VICTOR MANUEL EM O HOMEM QUASE DE FERRO VIVER BEM. Saúde osteomuscular. folder_cas_saúde osteomuscular.indd 1 19/08/ :21:04 VICTOR MANUEL EM O HOMEM QUASE DE FERRO VIVER BEM Saúde osteomuscular folder_cas_saúde osteomuscular.indd 1 19/08/2016 15:21:04 Leia o código e assista a história de Victor Manuel: folder_cas_saúde osteomuscular.indd

Leia mais

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DO SETOR DE CARTAS PRECATÓRIAS CÍVEIS - COMARCA DE SÃO PAULO - SP.

EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DO SETOR DE CARTAS PRECATÓRIAS CÍVEIS - COMARCA DE SÃO PAULO - SP. EXMO. SR. DR. JUIZ DE DIREITO DO SETOR DE CARTAS PRECATÓRIAS CÍVEIS - COMARCA DE SÃO PAULO - SP. PROCESSO Nº 3018399-75.2014.8.26.0021 (85938/14) JOAQUIM VICENTE DE REZENDE LOPES, Engenheiro, Perito Judicial,

Leia mais

Ventosaterapia em São José (SC) - Terapia com Ventosas em São José (SC)

Ventosaterapia em São José (SC) - Terapia com Ventosas em São José (SC) Ventosaterapia em São José (SC) - Terapia com Ventosas em São José (SC) Técnica com ventosas alivia dor e é adotada por atletas olímpicos - Tratamento da medicina chinesa, ventosaterapia também pode ser

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. PROGRAMA DE DISCIPLINA/ ESTÁGIO Ano: 2008 IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO SERIAÇÃO IDEAL

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. PROGRAMA DE DISCIPLINA/ ESTÁGIO Ano: 2008 IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO SERIAÇÃO IDEAL unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE MARÍLIA Faculdade de Filosofia e Ciências PROGRAMA DE DISCIPLINA/ ESTÁGIO Ano: 2008 UNIDADE UNIVERSITÁRIA: Faculdade de Filosofia e Ciências CURSO: Fisioterapia

Leia mais

A atenção ergonômica na prevenção das doenças ocupacionais LER e DORT

A atenção ergonômica na prevenção das doenças ocupacionais LER e DORT A atenção ergonômica na prevenção das doenças ocupacionais LER e DORT Janaina Aline Pinheiro Reis ¹ janainaaline@hotmail.com Dayana Priscila Maia Meija ² dayana_giovanna@hotmail.com Pós-graduação em Ergonomia:

Leia mais

Traumatologia e Ortopedia

Traumatologia e Ortopedia Traumatologia e Ortopedia Ressecção de um corpo vertebral cervical; Ressecção de dois ou mais corpos vertebrais cervicais (inclui instrumentação) Principais Resultados de Provas Diagnósticas: Radiografia;

Leia mais

Médico Cirurgia de Ombro

Médico Cirurgia de Ombro Caderno de Questões Prova Objetiva Médico Cirurgia de Ombro SRH Superintendência de Recursos Humanos DESEN Departamento de Seleção e Desenvolvimento de Pessoal 01 A artroscopia do ombro permitiu a identificação

Leia mais

OMBRO ANATOMIA E BIOMECANICA. Ricardo Yabumoto

OMBRO ANATOMIA E BIOMECANICA. Ricardo Yabumoto OMBRO ANATOMIA E BIOMECANICA Ricardo Yabumoto INTRODUCAO Cintura escapular = 4 articulacoes: Gleno umeral Acromioclavicular Esternoclavicular Escapulotoracica Pseudo-articulacao = espaco subacromial INTRODUCAO

Leia mais

Bursite Tem Cura? Causas, Tratamentos e Dicas Seg, 17 de Julho de :49 - Última atualização Seg, 17 de Julho de :53

Bursite Tem Cura? Causas, Tratamentos e Dicas Seg, 17 de Julho de :49 - Última atualização Seg, 17 de Julho de :53 Ao longo dos últimos anos, houve um aumento expressivo dos casos de pessoas que sofrem com problemas relacionados às dores articulares. As lesões causadas por esforços repetitivos fazem parte dos problemas

Leia mais

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010

UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 UNILUS CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA PLANO ANUAL DE ENSINO ANO 2010 CURSO : Fisioterapia DEPARTAMENTO: Fisioterapia DISCIPLINA: História e Fundamentos da Fisioterapia SÉRIE 1º Semestre PROFESSOR RESPONSÁVEL:

Leia mais

FOZ DO IGUAÇÚ PR. 30/NOV á 02/12/2011

FOZ DO IGUAÇÚ PR. 30/NOV á 02/12/2011 FOZ DO IGUAÇÚ PR 30/NOV á 02/12/2011 Dr. Osni de Melo Martins Especialista em Medicina do Trabalho e Otorrinolaringologia Pós-graduado e Certificado pela AMB em Perícias Médicas Professor convidado do

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série - Semiologia Geral ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série - Generalidades sobre diagnóstico e avaliação AVALIAÇÃO DIAGNOSTICA EM II - Avaliação da coluna (postura) -

Leia mais

DOENÇAS MENTAIS E OS RISCOS PSICOSSOCIAIS NO TRABALHO

DOENÇAS MENTAIS E OS RISCOS PSICOSSOCIAIS NO TRABALHO DOENÇAS MENTAIS E OS RISCOS PSICOSSOCIAIS NO TRABALHO Prof. Duílio Antero de Camargo Psiquiatra clínico e forense Médico do Trabalho Instituto de Psiquiatria HC FM USP Núcleo de Psiquiatria Forense (NUFOR)

Leia mais

LAUDO MÉDICO PERICIAL.

LAUDO MÉDICO PERICIAL. 1 LAUDO MÉDICO PERICIAL. Preâmbulo. Aos sete dias do mês de abril do ano 2004, o Perito Dr. OSCAR LUIZ DE LIMA E CIRNE NETO, designado pelo MM Juiz de Direito da 1.ª Vara Cível da Comarca de São Gonçalo,

Leia mais

aspenmp.com ASPEN MEDICAL PRODUCTS 6481 Oak Canyon, Irvine, CA , USA

aspenmp.com ASPEN MEDICAL PRODUCTS 6481 Oak Canyon, Irvine, CA , USA aspenmp.com ASPEN MEDICAL PRODUCTS 6481 Oak Canyon, Irvine, CA 92618-5202, USA 800-295-2776 949-681-0200 2014 Aspen Medical Products. All rights reserved. Distribuidor Exclusivo - Brasil Dilepé Ind. e

Leia mais

Fraturas subtrocantéricas

Fraturas subtrocantéricas Fraturas subtrocantéricas As mais difíceis de tratar do fêmur. Traço de fratura fora do quadrado metafisário trauma de alto impacto jovens saudáveis qudas,atropelos,colisões,paf,.. trauma de alto e baixo

Leia mais

22/11/2016. Cálculo de Ganhos Financeiros com as Melhorias Ergonômicas. Argumentos Possíveis

22/11/2016. Cálculo de Ganhos Financeiros com as Melhorias Ergonômicas. Argumentos Possíveis Cursos: Cálculo de Ganhos Financeiros com as Melhorias Ergonômicas Curso 3: DEMONSTRAÇÃO DOS GANHOS FINANCEIROS E DE PRODUTIVIDADE COM A APLICAÇÃO DA ERGONOMIA Curso 4: EXERCÍCIOS DE CÁLCULO DE GANHOS

Leia mais

ESCLEROSE MÚLTIPLA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves

ESCLEROSE MÚLTIPLA. Prof. Fernando Ramos Gonçalves ESCLEROSE MÚLTIPLA Prof. Fernando Ramos Gonçalves Unidade anatômica e funcional do SNC ESCLEROSE MÚLTIPLA Sinonímia: Esclerose em placas Esclerose insular Esclerose disseminada Conceito É uma doença crônica,

Leia mais

PÓS GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA TRAUMATO ORTOPÉDICA. Módulo: CINESIOLOGIA E SEMIOLOGIA ORTOPÉDICA

PÓS GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA TRAUMATO ORTOPÉDICA. Módulo: CINESIOLOGIA E SEMIOLOGIA ORTOPÉDICA PÓS GRADUAÇÃO EM FISIOTERAPIA TRAUMATO ORTOPÉDICA Módulo: CINESIOLOGIA E SEMIOLOGIA ORTOPÉDICA Prof. Msc Rogério Olmedija de Araújo Prof. Msc Rogério Olmedija de Araújo -Fisioterapeuta pela UNISA/SP -Formação

Leia mais

Doença inflamatória da coluna vertebral podendo ou não causar artrite em articulações periféricas e inflamação em outros órgãos como o olho.

Doença inflamatória da coluna vertebral podendo ou não causar artrite em articulações periféricas e inflamação em outros órgãos como o olho. O termo reumatismo, embora consagrado, não é um termo adequado para denominar um grande número de diferentes doenças que tem em comum o comprometimento do sistema músculo-esquelético, ou seja, ossos, cartilagem,

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 PROVA OBJETIVA

RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 PROVA OBJETIVA RESIDÊNCIA MÉDICA 2014 1 Questão 1 Paciente atropelado em via pública é trazido à sala de atendimento do pronto-socorro com fratura exposta dos ossos da perna. Considerando o caso clínico, responda: a)

Leia mais

Pontos e Meridianos em Eqüinos Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária

Pontos e Meridianos em Eqüinos Curso de Especialização em Acupuntura Veterinária Instrutor: Jean G. Fernandes Joaquim, DVM, Msc., Dr., LAC. IVAS, ABRAVET, IVAPM, Neurolatinvet member. Assunto: Pontos do Meridiano do Intestino Grosso em Eqüinos. Data: 2011 Estudo dos pontos do Meridiano

Leia mais

CINESIOLOGIA. Músculos vs Movimentos. Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr.

CINESIOLOGIA. Músculos vs Movimentos. Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. CINESIOLOGIA Músculos vs Movimentos Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 1 COMPLEXO SUPERIOR TRAPÉZIO: PORÇÃO SUPERIOR (PARTE DESCENDENTE) Na Cervical:

Leia mais

XVI Jornada Catarinense de Saúde Ocupacional. Anderson de Souza Araujo. 02 de dezembro de 2011

XVI Jornada Catarinense de Saúde Ocupacional. Anderson de Souza Araujo. 02 de dezembro de 2011 XVI Jornada Catarinense de Saúde Ocupacional Anderson de Souza Araujo 02 de dezembro de 2011 1 Lei 8213/91 Lei 11430/2006, que alterou a Lei 8213/91; Lei 9784/99 Decreto 3048/99 (Regulamento da Previdência

Leia mais

FISIOTERAPIA NEUROMUSCULOESQUELÉTICA Código Interno: 100

FISIOTERAPIA NEUROMUSCULOESQUELÉTICA Código Interno: 100 RESIDÊNCIA SAÚDE 0 UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO FISIOTERAPIA NEUROMUSCULOESQUELÉTICA Código Interno: 00 Você recebeu o seguinte material: - Um CADERNO DE QUESTÕES constituído de cinco questões

Leia mais

Cinesiologia. Aula 2

Cinesiologia. Aula 2 Cinesiologia Aula 2 Graus de Liberdades de Movimentos São classificados pelo número de planos nos quais se movem os segmentos ou com o número de eixos primários que possuem Um grau de liberdade (uniaxial)

Leia mais

AVALIAÇÃO DO RISCO DE LOMBALGIA EM TRABALHADORES ENVOLVIDOS NA ATIVIDADE DE CAPINA QUÍMICA

AVALIAÇÃO DO RISCO DE LOMBALGIA EM TRABALHADORES ENVOLVIDOS NA ATIVIDADE DE CAPINA QUÍMICA AVALIAÇÃO DO RISCO DE LOMBALGIA EM TRABALHADORES ENVOLVIDOS NA ATIVIDADE DE CAPINA QUÍMICA Emília Pio da Silva 1 ; Luciano José Minette 1 ; Amaury Paulo de Souza 1 ; Felipe Leitão da Cunha Marzano 1 ;

Leia mais

Lesão por esforço repetitivo

Lesão por esforço repetitivo Lesão por esforço repetitivo Impactos da utilização dos recursos tecnológicos na saúde Daniele da Silva Barbosa e Janaína Conceição Rodrigues É cada vez maior o número de pacientes diagnosticados com lesões

Leia mais

Vigilância em Saúde do Trabalhador em frigoríficos

Vigilância em Saúde do Trabalhador em frigoríficos Vigilância em Saúde do Trabalhador em frigoríficos Vigilância em Saúde Cuidado em Saúde Responsabilidade do profissional de saúde Questões éticas (prevenção, precaução, proteção da saúde) Sigilo médico

Leia mais

MEDICINA LEGAL. Wilson Luiz Palermo Ferreira. coleção SINOPSES. para concursos LEONARDO DE MEDEIROS GARCIA. coordenação

MEDICINA LEGAL. Wilson Luiz Palermo Ferreira. coleção SINOPSES. para concursos LEONARDO DE MEDEIROS GARCIA. coordenação Wilson Luiz Palermo Ferreira 41 MEDICINA LEGAL coleção SINOPSES para concursos coordenação LEONARDO DE MEDEIROS GARCIA Sinopses p conc v39-ferreira-medicina Legal-1ed.indb 3 02/05/2016 15:04:36 Capítulo

Leia mais

Lesões por Esforços Repetitivos, também conhecidas como L. T. C. - Lesões por Traumas Cumulativos são inflamações dos tendões, músculos, nervos e ligamentos, de origem ocupacional, que acometem principalmente

Leia mais

CROCHETAGEM - CONCEITO MIOPOSTURAL (JUL 2016) - PORTO

CROCHETAGEM - CONCEITO MIOPOSTURAL (JUL 2016) - PORTO CROCHETAGEM - CONCEITO MIOPOSTURAL (JUL 2016) - PORTO A Crochetagem é uma técnica de terapia manual assente na utilização de ganchos para a manipulação de tecidos moles, que permite quebrar ou destruir

Leia mais

MAPEAMENTO ERGONÔMICO DO TRABALHO GLACIAL INDÚSTRIA E COM. DE SORVETES LTDA FÁBRICA (PRAÇA 14)

MAPEAMENTO ERGONÔMICO DO TRABALHO GLACIAL INDÚSTRIA E COM. DE SORVETES LTDA FÁBRICA (PRAÇA 14) MAPEAMENTO ERGONÔMICO DO TRABALHO GLACIAL INDÚSTRIA E COM. DE SORVETES LTDA FÁBRICA (PRAÇA 14) 10/2015 Mapeamento Ergonômico do Trabalho Data: 01/10/2015 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...02 2. IDENTIFICAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO

Leia mais

Antebraço, Fossa Cubital e Mão

Antebraço, Fossa Cubital e Mão Universidade Federal do Rio Grande do Sul Instituto de Ciências Básicas da Saúde Departamento de Ciências Morfológicas Curso de Fisioterapia DISCIPLINA DE ANATOMIA HUMANA Antebraço, Fossa Cubital e Mão

Leia mais

Dica Clínica Clinical tip

Dica Clínica Clinical tip Erika Cristina Leite 1 Paula Andréia Pires Felipe 2 Proposta de sequência de alongamentos para o técnico em prótese dentária, visando melhoria de qualidade de vida profissional Proposal for a series of

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 52-CEPE/UNICENTRO, DE 21 DE DEZEMBRO DE 2015. Aprova o Curso de Especialização em Recursos Terapêuticos Manuais: Ênfase em Terapia Manual, modalidade modular, da UNICENTRO. O REITOR DA UNIVERSIDADE

Leia mais

COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR

COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR CINESIOLOGIA FASAR 2015 Prof. Msd. Ricardo L. Pace Jr. 1 COMPLEXO SUPERIOR CINTURA ESCAPULAR ELEVAÇÃO: TRAPÉZIO PORÇÃO SUPERIOR (PARTE DESCENDENTE), ELEVADOR (LEVANTADOR) DA ESCÁPULA, ROMBÓIDES. DEPRESSÃO:

Leia mais

PATOLOGIAS REUMATOLÓGICAS: PONTOS FUNDAMENTAIS PARA O MÉDICO DO TRABALHO

PATOLOGIAS REUMATOLÓGICAS: PONTOS FUNDAMENTAIS PARA O MÉDICO DO TRABALHO PATOLOGIAS REUMATOLÓGICAS: PONTOS FUNDAMENTAIS PARA O MÉDICO DO TRABALHO Nelma Marchetti Mesquita Reumatologia e Perícias Médicas CRMMG 24088 nelmammesquita@gmail.com DORT DOENÇAS TENDÍNEAS INFLAMATÓRIAS:

Leia mais

Informamos que consta em nossos registros, a abertura do pedido de indenização.

Informamos que consta em nossos registros, a abertura do pedido de indenização. Rio de Janeiro, 09 de Janeiro de 2015 Carta n : 6077264 A/C: ALDENEIDE SOUSA DE LIMA Sinistro: 3150027365 Vitima: DANIELE DE LIMA ALVES Data Acidente: 02/02/2014 Natureza: INVALIDEZ Procurador: Ref.: AVISO

Leia mais

PARECER CRM/MS N 12/2016 PROCESSO CONSULTA N.

PARECER CRM/MS N 12/2016 PROCESSO CONSULTA N. PARECER CRM/MS N 12/2016 PROCESSO CONSULTA N. 10/2016 Interessado: V. P. DE E. M. SS Conselheiro Relator: Dr. Faisal Augusto Alderete Esgaib ASSUNTO: Cobrança de honorários para emissão de laudo, atestado,

Leia mais

PREVENRIO PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI

PREVENRIO PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI PREVENRIO -2012 PRESPECTIVAS DA SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHADOR NO SÉCULO XXI Data: 24 de Agosto de 2012 Local: Centro de Convenções Sulamerica OBJETIVO Chamar atenção sobre a importância da prevenção

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE FACULDADE DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Ergonomia Código da Disciplina: EPD 006 Curso: Engenharia de Produção Faculdade responsável: Engenharia

Leia mais

Papéis Infantis Ref: 113

Papéis Infantis Ref: 113 2016/2017 Papéis Infantis Ref: 113 40, 60, 80 cm Papéis Infantis Ref: 114 40, 60, 120 cm Papéis Infantis Ref: 115 40, 60, 80 e 120 cm Papéis Infantis Ref: 116 40, 60, 80 cm Papéis Infantis Ref: 117 40,

Leia mais

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão André Montillo UVA Lesões Traumáticas do Membro Superior Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão Lesões do Ombro e Braço Fratura da Escápula Fratura da Clavícula Luxação

Leia mais

LAUDO ERGONÔMICO REFERÊNCIA OFICIAL

LAUDO ERGONÔMICO REFERÊNCIA OFICIAL LAUDO ERGONÔMICO DATA / CONSULTORIA 16 de Junho de 2011. SOLICITANTE Empresa: D Marcas Indústria de Confecções Ltda ME CNPJ: 08.948.746/0001-33 CNAE: 14.12-6-03 Grau de Risco: 02 (dois) Endereço: Rua Mansur

Leia mais

OR60 - Joelheira Articulada com Cintas Cruzadas. A compressão pode ser ajustada conforme a necessidade através das 2 (duas) faixas(superior

OR60 - Joelheira Articulada com Cintas Cruzadas. A compressão pode ser ajustada conforme a necessidade através das 2 (duas) faixas(superior LINHA SUIQFEJD LINHASUIQFEJD OR38 - Joelheira Articulada A Joelheira Articulada Hidrolight oferece ece compressão e maior estabilidade idade ao joelho. o. As 2 (duas) articulações com trava oferecem reforço

Leia mais