Tratamento artroscópico da tendinite calcária do ombro *

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Tratamento artroscópico da tendinite calcária do ombro *"

Transcrição

1 TRATAMENTO ARTROSCÓPICO DA TENDINITE CALCÁRIA DO OMBRO Tratamento artroscópico da tendinite calcária do ombro * GLAYDSON GOMES GODINHO 1, JOSÉ MÁRCIO ALVES FREITAS 2, AGNUS WELERSON VIEIRA 3, LEONARDO CÔRTES ANTUNES 4, EDUARDO WATANABE CASTANHEIRA 4 RESUMO * Trab. realiz. no Hosp. Ortopédico AMR (Associação Mineira de Reabilitação) e Hosp. Belo Horizonte, Belo Horizonte, MG. 1. Cirurgião-Chefe do Serviço de Cirurgia e Reabilitação do Ombro dos Hosp. Ortopédico-AMR e Belo Horizonte. 2. Cirurgião Especialista de Ombro dos Hosp. Ortopédico-AMR e Belo Horizonte. 3. Estagiário de Cirurgia do Ombro nos Hosp. Ortopédico-AMR e Belo Horizonte. 4. Residente R3 da Reiot (Residência Integrada de Ortop. e Traumatol. dos Hosp. Ortopédico-AMR e Belo Horizonte). Uma das mais comuns afecções do manguito rotador, a tendinite calcária, tem etiologia desconhecida e, geralmente, apresenta resposta satisfatória ao tratamento conservador. Para pacientes nos quais a cirurgia está indicada, a artroscopia representa alternativa menos traumática do que o procedimento aberto, tradicional. Neste trabalho, os autores apresentam as duas correntes teóricas que tentam explicar a fisiopatologia da tendinite calcária: 1) uma área crítica, onde fenômenos de hipóxia levariam à necrose e deposição de cálcio local e 2) um ciclo formativo-absortivo, mediado por células e, portanto, tecido vivo, e não distrófico, levando à deposição e, posteriormente, à absorção do cálcio no local. Foram revistos 66 ombros, correspondendo a 66 pacientes, operados pelo mesmo cirurgião, entre setembro de 1990 e agosto de 1996, com seguimento mínimo de 10 meses de evolução pós-cirúrgica e máximo de 80 meses, com média de 30 meses. O tempo médio, decorrido entre o início dos sintomas e o procedimento cirúrgico, foi de 39 meses, mínimo de 1 mês e máximo de 240 meses (20 anos). Os dados foram compilados dentro dos critérios de avaliação da UCLA com resultados globais excelentes em 58 pacientes (87,9%); bons, em 4 pacientes (6,1%); razoável, em 1 paciente (1,5%) e pobres, em 3 pacientes (4,5%). Os autores analisaram a influência da ressecção, completa e parcial da calcificação, sobre os resultados excelentes (88,9% e 83,3%, respectivamente) e concluíram, como a maioria absoluta dos autores, que esses resultados são semelhantes. Análise idêntica foi feita em relação à influência da acromioplastia, que, quando realizada, mostrou 89,1% de excelentes resultados, contra 81,8% quando não realizada, o que coincide com a opinião generalizada dos autores, de que a acromioplastia é desnecessária na cirurgia da tendinite calcária do ombro. SUMMARY Arthroscopic treatment of shoulder calcifying tendinitis One of the most common disorders of the rotator cuff, the calcifying tendinitis, is of unknown etiology, generally presenting satisfactory results with conservative treatment. For patients to whom surgery is indicated, the arthroscopy represents a less traumatic procedure than the open traditional ones. In this paper, the authors try to explain the calcifying tendinitis physiopathology: 1) one critical zone where a reduction in oxygen tension transforms a portion of the tendon into necrotic tissue where calcium deposition will occur; 2) one formative-resorptive cell-mediated reactive process that takes place in living tissue where calcium will deposited and resorbed later. Sixty-six shoulders, corresponding to sixty-six patients, were reviewed, operated on by the same surgeon between September 1990 and August 1996, with minimum follow-up of 10 months, maximum of 80 months (mean follow-up of 30 months). The mean time between the beginning of symptoms and surgery was 39 months, with minimum of 1 month and maximum of 240 months (20 years). Results were analyzed using UCLA classification: 58 (87.9%) excelent results; 4 (6.1%) good results; 1 (1.5%) fair result and 3 (4.5%) poor results. The authors analyzed the effect of partial and complete calcium resection on the excelent results (88.9% and 83.3% respectively) and concluded, like most authors, that these results are the same in both hypo- Rev Bras Ortop _ Vol. 32, Nº 9 Setembro,

2 G.G. GODINHO, J.M.A. FREITAS, A.W. VIEIRA, L.C. ANTUNES & E.W. CASTANHEIRA theses. A similar analysis was made in relation to the effect of acromioplasty. Excelent results were obtained in 89.1% of patients submitted to acromioplasty, as well as in 81.8% of those not submitted to this process. Therefore, the authors concluded that acromioplasty is not necessary in shoulder calcifying tendinitis surgeries. INTRODUÇÃO A tendinite calcária, uma das mais comuns afecções do manguito rotador, tem etiologia desconhecida e, geralmente, apresenta resposta satisfatória ao tratamento conservador. De Palma & Kruper (5) propõem uma classificação clínicoradiográfica, dividindo as tendinites calcárias em lesões amorfas, geralmente associadas com sintomas agudos, e em lesões definidas homogêneas, geralmente subagudas ou crônicas. Essas lesões apresentam um triplo polimorfismo (19) clínico, radiográfico e evolutivo: a) Polimorfismo clínico, porque acometem principalmente o sexo feminino, entre 30 e 50 anos. Podem ser totalmente assintomáticas, apresentando episódios agudos de dor ou evoluindo sobre um fundo doloroso crônico; b) Polimorfismo radiográfico, com dois aspectos extremos e com grande variação de imagens intermediárias: por um lado, com o aspecto de verdadeiro abscesso de aspecto radiográfico homogêneo e, por outro lado, verdadeira infiltração calcária do tendão, de extensão variável e aspecto nãohomogêneo, radiograficamente; c) Polimorfismo evolutivo, porque algumas formas são imutáveis, enquanto outras desaparecem em algumas semanas por ocasião de crises hiperálgicas típicas. O conceito da existência de uma área específica no tendão supra-espinhal, conhecida como área crítica, suscetível à calcificação, foi primeiro descrito por Codman (4). A vascularização dessa área tem sido repetidamente investigada. Acredita-se que possível hipoperfusão local inicie o processo degenerativo que, subseqüentemente, levará à calcificação ou à ruptura. De acordo com McLaughlin (12), a lesão primária é uma hialinização focal das fibras que se destacam do tecido normal que as contorna, constituindo-se em desbridamento necrótico focal sobre o qual ocorre a calcificação. Uhthoff & Sarkar (17) teorizam que a tendinite calcária é uma condição autolimitante, caracterizada por um ciclo formativo-reabsortivo, mediado por células e, portanto, de ocorrência em tecidos vivos, e não de natureza distrófica. Esses autores postulam uma fase pré-calcificante, na qual uma redução na tensão local de oxigênio transforma parte do tendão em fibrocartilagem, onde condrócitos funcionam como mediadores da deposição de cálcio em múltiplos focos. Em seguida à fase formativa, o cálcio pode existir por período indefinido de tempo no local de depósito. Eventualmente, células fagocitárias se acumulam em torno de alguns focos, proliferando formação de verdadeiros canais vasculares locais. A fase reabsortiva inicia-se quando esses novos canais vasculares passam a formar uma via de reabsorção, restaurando assim a perfusão e tensão normal de oxigênio nos tecidos. Depois que a calcificação é reabsorvida, o tendão é capaz de retornar à função normal, presumivelmente através da síntese de nova matriz. É durante essa fase que os sintomas dolorosos se intensificam. Ambas as fases podem ocorrer simultaneamente. Baseando-se nessa teoria, longo período de tratamento conservador deve ser observado, antes que se defina pelo tratamento cirúrgico. Para os pacientes nos quais a cirurgia está indicada, a artroscopia representa alternativa menos traumática do que o procedimento aberto, tradicional. O objetivo deste trabalho é estudar o tratamento cirúrgico artroscópico da tendinite calcária do ombro, o qual representa importante e eficiente opção para os casos crônicos, resistentes ao tratamento conservador. CASUÍSTICA E MÉTODO No período compreendido entre setembro de 1990 e agosto de 1996, 68 pacientes, correspondentes a 68 ombros, portadores de quadros clínico e radiográfico de tendinite calcária, de evolução crônica, resistentes ao tratamento conservador, foram submetidos ao tratamento cirúrgico por via artroscópica, todos operados pelo mesmo cirurgião nos Hospitais Belo Horizonte e Ortopédico. O período escolhido permite recuo mínimo de dez meses após a cirurgia, para essa avaliação. Desse total, foram revistos 66 pacientes, correspondendo a 66 ombros, avaliados através de entrevista, exame físico e radiográfico, em quatro incidências: ântero-posterior (AP) em posição neutra, AP em rotação interna e rotação externa, e no perfil de escápula (outlet view). Os dados foram compilados dentro dos critérios de avaliação da UCLA (tabela 1). O seguimento mínimo foi de 10 meses e o máximo, de 80 meses, com média de 30 meses. A faixa etária média foi de 50,5 anos, com mínimo de 36 e máximo de 79 anos. Quanto 670 Rev Bras Ortop _ Vol. 32, Nº 9 Setembro, 1997

3 TRATAMENTO ARTROSCÓPICO DA TENDINITE CALCÁRIA DO OMBRO TABELA 1 Escore de resultados segundo a UCLA Dor Presente todo o tempo, insuportável, analg. fortes freq. 1 Presente todo o tempo, suportável, analg. forte ocasional 2 Fraca/ausente em repouso, pres. ativ. leves, salicilatos freq. 4 Pres. atividades pesadas/especif., salicilatos freq. 6 Ocasional e fraca 8 Ausente 10 Função Incapaz de usar o membro 1 Somente ativ. leves possíveis 2 Capaz/ ativ. caseiras leves/ ativ. da vida diária 4 Ativ. caseiras/compras/dirigir/pent./vestir/abotoar atrás 6 Restrição leve/capaz de trabalhar acima do nível do ombro 8 Atividades normais 10 Flexão ativa 150 graus ou mais a 150 graus 4 90 a 120 graus 3 45 a 90 graus 2 30 a 45 graus 1 Menos de 30 graus 0 Força de flexão anterior (teste muscular manual) Grau 5 (normal) 5 Grau 4 (bom) 4 Grau 3 (regular) 3 Grau 2 (fraco) 2 Grau 1 (contrações musculares) 1 Grau 0 (ausente) 0 Satisfação do paciente Satisfeito e melhor 5 Insatisfeito e pior 0 Escore máximo: 35 pontos Pontuação de Ellmann (UCLA) excelente bom razoável pobre ao sexo, 40 pacientes (60,6%) são femininos e 26, masculinos (39,4%). Quanto à dominância, 64 pacientes são destros (97%) e 2, sinistros (3%). O ombro direito foi acometido em 42 pacientes (63,6%), enquanto o esquerdo, em 24 (36,4%). Apenas 5 pacientes (7,6%) praticavam esportes, todos como lazer, enquanto 61 (92,4%) não eram desportistas. O tempo médio, decorrido entre o início dos sintomas e o procedimento cirúrgico, foi de 39 meses, mínimo de 1 mês e máximo de 240 meses (20 anos). Um contingente expressivo de 40 pacientes (60,6%) teve curso clínico superior a um ano, antes de submeter-se à cirurgia. Fig. 1 Drenagem percutânea da calcificação utilizando agulha de punção lombar nº 18 Foi relatado por 30 pacientes o número exato de infiltrações prévias, cujas média foi de 2,6, com mínimo de 1 e máximo de 8. Quanto aos tendões acometidos, o supra-espinhal esteve presente 65 vezes (98,5%) e o subescapular, em 1 paciente (1,5%). O tratamento fisioterápico pré-operatório foi realizado em 60 pacientes (90,9%), enquanto 6 não foram submetidos a ele (9,1%). Fisioterapia pós-cirúrgica, em ginásio, foi realizada em 9 pacientes (13,6%), enquanto 57 (86,4%) fizeram apenas exercícios domiciliares e em piscina. Técnica cirúrgica O procedimento é realizado com o paciente sob anestesia geral, complementada com bloqueio do plexo braquial e posicionado em decúbito lateral oposto. O membro superior é posicionado por mecanismos de tração longitudinal e vertical. Usamos os portais habituais para artroscopia e bursoscopia do ombro e, através do portal lateral, introduzimos o shaver, com o qual realizamos a sinovectomia subacromial (2,3,6, 7,14). Com movimentos de rotação interna e externa, além de adução e abdução do braço, localizamos o tofo calcário que produz um abaulamento na superfície do tendão, de coloração mais pálida que o tecido circundante, assemelhando-se em muito à protuberância de hérnia discal. Com auxílio de uma agulha nº 18 ou uma agulha de punção lombar, via percutânea, perfuramos a área, de onde a saída de material pastoso, característico, ou de grânulos calcários irá confirmar a topografia da calcificação (fig. 1). Rev Bras Ortop _ Vol. 32, Nº 9 Setembro,

4 G.G. GODINHO, J.M.A. FREITAS, A.W. VIEIRA, L.C. ANTUNES & E.W. CASTANHEIRA Fig. 2 Desbridamento da calcificação com shaversucção Nesse tempo cirúrgico, a solução salina de irrigação é substituída por solução de glicina a 1,5%, para possibilitar o uso do eletrocautério (7), com o qual realizamos a abertura parcial e superficial do tendão no mesmo sentido de suas fibras, ou seja, de medial para lateral, evitando-se assim o enfraquecimento pela incisão transversal delas. Em seguida, realizamos o desbridamento da área com o shaver-sucção (fig. 2) e uma cureta artroscópica de 3mm pode ser usada na remoção do cálcio. Todo o cuidado é necessário para não criar dano adicional ao tendão. Pequenos pontos de calcificação residual podem aparecer no exame radiográfico pós-operatório, mas, geralmente, são reabsorvidos na fase de recuperação. Por vezes, o cálcio não é localizado, ou então é multiloculado e apenas os depósitos maiores são visibilizados. Nessa circunstância, o exame radiográfico intra-operatório pode tornar-se necessário. Após a excisão do cálcio, deve-se proceder a exaustiva lavagem com solução fisiológica, pois resíduos de cálcio podem causar sinovite e dor no pós-operatório. Quando a calcificação ocorre com dimensões muito pequenas e não conseguimos localizá-la, procedemos, necessariamente, à descompressão subacromial com acromioplastia, que também é realizada quando há evidência de esporões acromiais ou acromioclaviculares, ou quando existe um típico acrômio do tipo III. Nos pacientes operados até novembro de 95, realizamos, sistematicamente, a descompressão subacromial com secção do ligamento coracoacromial, isoladamente, ou associada à acromioplastia. Fig. 3 Drenagem calcificação Após esse período, abandonamos a secção ligamentar e mantivemos a acromioplastia, com indicação apenas nos pacientes que apresentaram esporões acromiais ou acromioclaviculares, nos portadores de acrômio do tipo III, quando a drenagem da calcificação foi incompleta e quando o tempo de evolução foi muito longo. Recomendamos o uso intermitente de tipóia durante os primeiros 10 a 15 dias e estimulamos a realização de exercícios autopassivos em elevação anterior e rotações interna e externa, desde o primeiro dia pós-operatório, acrescentandose exercícios em piscina, com proteção das feridas cirúrgicas dos portais desde o 5º dia PO. RESULTADOS Foi avaliada a influência da descompressão subacromial realizada através da acromioplastia, associada ou não à ressecção do ligamento coracoacromial. Essa descompressão foi realizada em 55 pacientes, nos quais obtivemos 49 resultados excelentes (89,1%). Em 11 pacientes ela não foi realizada e 9 deles (81,8%) obtiveram o mesmo índice de excelentes resultados. Realizamos a drenagem completa da calcificação em 54 pacientes (81,8%) e, parcialmente, em 12 deles (18,2%) (fig. 3). Apenas 1 paciente apresentava ruptura completa do manguito rotador associada, com localização no tendão supraespinhal, reparada através de incisão mini open. Lesão parcial, localizada exclusivamente na face articular do tendão do músculo subescapular, foi identificada em associação, em 1 paciente. Slap lesions (16) apresentaram-se associadas em 4 pacientes (6,1%), 2 com o tipo I e 2 com o tipo II. 672 Rev Bras Ortop _ Vol. 32, Nº 9 Setembro, 1997

5 TRATAMENTO ARTROSCÓPICO DA TENDINITE CALCÁRIA DO OMBRO Como complicação, tivemos apenas um paciente com capsulite adesiva detectada no período pós-operatório recente. Nenhum caso de infecção, lesão nervosa ou dor de grande intensidade e que tenha merecido cuidados de urgência foi detectado. O resultado global, segundo os critérios de classificação da UCLA, foi o seguinte: Excelentes resultados foram observados em 58 pacientes (87,9%). Bons resultados foram obtidos por 4 pacientes (6,1%). Razoável resultado ocorreu em 1 paciente (1,5%). Pobres resultados foram obtidos em 3 pacientes (4,5%). Fig. 4 Drenagem parcial DISCUSSÃO Dois aspectos no estudo da tendinite calcária do ombro apresentam pontos de concordância entre a maioria dos autores: o primeiro deles é de que a reabsorção espontânea geralmente ocorre, mas a dúvida é sobre quando isso acontece (17). O segundo ponto de convergência é de que a maioria dos pacientes (78,9 a 90%) responde muito bem ao tratamento conservador (1,5,8-10). Todos os autores concordam em que a tendinite calcária não tem correlação com qualquer doença sistêmica e Welfling et al. (21) concluem, categoricamente, que a calcificação tendinosa é, por si só, uma doença. Existem concordâncias entre nossos achados e os da literatura (1,11,17,19) quanto à maior incidência no sexo feminino, entre 30 e 50 anos, com raros acometimentos acima dos 70 anos de idade (11) e maior no lado dominante. Tivemos apenas um paciente com 71 anos e outro com 79 anos de idade. Embora a literatura asiática evidencie alta incidência de rupturas completas do manguito rotador em associação (11), esse achado não tem correspondência no Ocidente (9,11,13). Entre nossos pacientes, apenas um apresentou-se com ruptura completa do tendão supra-espinhal. A ruptura completa corresponde à expressão de grave doença tendínea, cujo prognóstico não é favorável, desaparecendo ou não a calcificação. Nesses casos o tratamento cirúrgico é indiscutivelmente necessário (13). Recomenda-se o tratamento conservador por período extenso, por mais de um ano, antes de indicar a cirurgia (1,17). O tempo médio decorrido entre o início dos sintomas e a cirurgia em nossos pacientes foi de 39 meses, com mínimo de 1 mês e máximo de 20 anos, chamando atenção para o fato de que 40 (60,6%) tiveram curso clínico superior a 1 ano. A ansiedade do paciente e do médico diante do quadro de dor crônica, prolongada, ou a agravação da dor na fase reabsortiva, tem levado certamente à indicação cirúrgica precoce em muitos casos, passíveis de serem tratados conservadoramente. Gschwend et al. (8,9) propõem os seguintes critérios de indicação cirúrgica: 1) progressão dos sintomas; 2) dor constante, interferindo com as atividades de vida diária; 3) ausência de melhora dos sintomas através do tratamento conservador. Quanto ao tratamento cirúrgico, a maioria dos autores opina que a ressecção parcial da calcificação não interfere negativamente nos resultados (1,6). Em nosso estudo, verificamos que 48 pacientes, entre os 54 nos quais realizamos a ressecção completa da calcificação, obtiveram excelentes resultados (88,9%), ao passo que 10 entre os 12 nos quais a ressecção foi parcial também conseguiram o mesmo padrão de resultados excelentes (83,3%) (fig. 4), o que nos põe em concordância com a maioria dos autores, já que a diferença é estatisticamente desprezível. Quanto à descompressão subacromial, a maioria dos autores não aconselha sua indicação sistemática (1,6,13,20), limitando-a geralmente para os casos nos quais existam sinais evidentes de pinçamento subacromial, observados no exame radiológico pré-operatório ou na visibilização direta no ato cirúrgico, bem como quando a ressecção feita é apenas parcial. Em nosso estudo, o achado de 49 pacientes, entre os 55 submetidos à acromioplastia (89,1%), com excelentes resultados, contra 9 pacientes, entre 11 que não se submeteram a ela (81,8%) (fig. 5), também com excelentes resultados, nos permite concluir que a acromioplastia é desnecessária, exceto na evidência dos sinais de pinçamento subacromial, quando a evolução clínica foi muito longa, diante de um acrômio Rev Bras Ortop _ Vol. 32, Nº 9 Setembro,

6 G.G. GODINHO, J.M.A. FREITAS, A.W. VIEIRA, L.C. ANTUNES & E.W. CASTANHEIRA Fig. 5 Sem acromioplastia do tipo III, ou quando a excisão do cálcio foi apenas parcial, como temos procedido. A ressecção isolada do ligamento coracoacromial, postulada por alguns autores (8,9) e julgada desnecessária pela maioria deles (18,20), não nos parece lógica, especialmente se analisarmos a importância dessa estrutura na estabilização ascensional da cabeça do úmero (14,15). Apenas 9 pacientes (13,6%) realizaram fisioterapia pósoperatória, em nível de ginásio, enquanto 57 (86%) fizeram apenas exercícios para preservação das amplitudes de movimentos e, em piscina, quando possível, em nível domiciliar. Não trabalhamos a força muscular, pois, em nenhum dos pacientes ocorreu perda real, observada após desaparecimento das dores. É importante enfatizar que o tratamento cirúrgico artroscópico não representa substituição para o adequado tratamento conservador, mas importante e eficiente opção para os casos crônicos, resistentes a essa conduta, bem conduzida e por período de tempo suficientemente longo. REFERÊNCIAS 1. Ark, J.W., Flock, T.J., Flatow, E.L. et al: Arthroscopic treatment of calcific tendinitis of the shoulder. Arthroscopy 8: , Carrera, E.F., Ferreira Fº, A.A. & Pereira, E.S.: Artroscopia do ombro: técnica. Rev Bras Ortop 26: 45-47, Carrera, E.F. & Pereira, E.S.: Artroscopia do ombro: procedimentos mais freqüentes. Rev Bras Ortop 27: , Codman, E.A.: The shoulder, Boston, Thomas Todd, DePalma, A.F. & Kruper, J.S.: Long-term study of shoulder joints afflicted with and treated for calcific tendinitis. Clin Orthop 20: 61-72, Ellman, H., Bigliani, L.U., Flatow, E. et al: Arthroscopic treatment of calcifying tendinitis: the American experience, 5th International Conference on Shoulder Surgery, Paris, Godinho, G.G., Souza, J.M.G., Oliveira, A.C. et al: Artroscopia cirúrgica no tratamento da síndrome do impacto: nossa experiência em 100 casos cirúrgicos. Rev Bras Ortop 30: , Gschwend, N., Patte, D. & Zippel, J.: Die Therapie der Tendinitis calcarea des Schultergelenkes. Arch Orthop Unfallchir 73: , Gschwend, N., Scherer, M. & Lohr, J.: Die Tendinitis calcarea des Shultergelenks. Orthopade 10: , Harmon, H.P.: Methods and results in the treatment of 2580 painful shoulders. With special reference to calcific tendinitis and the frozen shoulder. Am J Surg 95: , Hsu, C.H., Wu, J.J., Jim, F.Y. et al: Calcific tendinitis and rotator cuff tearing: a clinical and radiographic study. J Shoulder Elbow Surg 3: , McLaughlin, H.L.: Lesions of the musculotendinous cuff of the shoulder. III. Observations on the pathology, course and treatment of calcific deposits. Ann Surg 124: , Molé, D., Walch, G., Kempf, J.F. et al: Arthroscopic treatment of calcifying tendinitis results of the multicentric European study, 5th International Conference on Shoulder Surgery, Paris, Nicoletti, S.J.: O valor da artroscopia no diagnóstico das lesões do ombro, Tese (Doutorado), Departamento de Ortopedia e Traumatologia, Escola Paulista de Medicina, São Paulo, Nicoletti, S.J. & Manso, G.: Artroscopia do ombro: reavaliando o papel da morfologia do acrômio na produção do pinçamento subacromial. Rev Bras Ortop 30: , Snyder, S.J., Brna, J.A., Freidman, M.J. et al: Decision making in pathology of the rotator cuff: the role of shoulder arthroscopy. Arthroscopy 2: , Uhthoff, H.K. & Sarkar, K.: Calcifying tendinitis, in Rockwood, C.A. & Matsen, F.A.: The shoulder, Philadelphia, W.B. Saunders, Cap. 19, p Vebostad, A.: Calcific tendinitis in the shoulder region. A review of 43 operated shoulders. Acta Orthop Scand 46: , Walch, G., Boileau, P., Nöel, E. et al: Traitement chirurgical des épaules douloureuses par lésions de la coiffe et du long biceps en fonction des lésions. Rev Rhum 58: , Watson, M.: The impingement syndrome in sportsmen, in Bateman, J.E. & Welsh, R.P. (eds.): Surgery of the shoulder, Philadelphia, B.C. Decker, p Welfling, J., Khan, M.F., Desroy, M. etal: Les calcifications de l épaule. II. La maladie des calcifications tendineuses multiples. Rev Rheum 32: , Rev Bras Ortop _ Vol. 32, Nº 9 Setembro, 1997

Resultado do tratamento cirúrgico do pinçamento do manguito rotador do ombro pela descompressão subacromial *

Resultado do tratamento cirúrgico do pinçamento do manguito rotador do ombro pela descompressão subacromial * Resultado do tratamento cirúrgico do pinçamento do manguito rotador do ombro pela descompressão subacromial * JOSÉ B. VOLPON 1, ALESSANDRO A. DA SILVA MUNIZ 2 RESUMO Cinqüenta e um pacientes (60 ombros),

Leia mais

Bursite e Lesão de Manguito Rotador

Bursite e Lesão de Manguito Rotador Bursite e Lesão de Manguito Rotador Oque é Bursite? Bursite é o nome dado à inflamação da bursa. A bursa (que em latim quer dizer bolsa) é um tecido responsável por diminuir o atrito entre um tendão e

Leia mais

Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP

Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP INTRODUÇÃO Lesões Labrais ou Lesão Tipo SLAP Desde que os cirurgiões ortopédicos começaram a utilizar câmeras de vídeo, chamadas artroscópios, para visualizar, diagnosticar e tratar problemas dentro da

Leia mais

O COMPLEXO DO OMBRO TENDINITE DE OMBRO. Dra. Nathália C. F. Guazeli

O COMPLEXO DO OMBRO TENDINITE DE OMBRO. Dra. Nathália C. F. Guazeli 3 Março/2013 TENDINITE DE OMBRO Dra. Nathália C. F. Guazeli GALERIA CREFITO 3 / 78.186 F O COMPLEXO DO OMBRO Para entender o que é Tendinite de Ombro, vale a pena conhecer um pouquinho como ele é composto,

Leia mais

Clínica de Lesões nos Esportes e Atividade Física Prevenção e Reabilitação. Alexandre Carlos Rosa alexandre@portalnef.com.br 2015

Clínica de Lesões nos Esportes e Atividade Física Prevenção e Reabilitação. Alexandre Carlos Rosa alexandre@portalnef.com.br 2015 Clínica de Lesões nos Esportes e Atividade Física Prevenção e Reabilitação Alexandre Carlos Rosa alexandre@portalnef.com.br 2015 O que iremos discutir.. Definições sobre o atleta e suas lesões Análise

Leia mais

ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA DA TENDINITE CALCIFICANTE

ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA DA TENDINITE CALCIFICANTE UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS ALEXANDRE AMBROSIO GOSLING BÁRBARA PISSOLATI LAUCAS ABORDAGEM FISIOTERAPÊUTICA DA TENDINITE CALCIFICANTE DO MÚSCULO SUPRA ESPINHAL: UMA REVISÃO DA LITERATURA BELO HORIZONTE

Leia mais

A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO

A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO A EFICÁCIA DA FISIOTERAPIA NO TRATAMENTO DAS COMPLICAÇÕES FÍSICO-FUNCIONAIS DE MEMBRO SUPERIOR NA MASTECTOMIA UNILATERAL TOTAL: ESTUDO DE CASO GUIZELINI, L.H.; PEREIRA, N.T.C. RESUMO A mastectomia pode

Leia mais

ARTIGO ORIGINAL. Resumo

ARTIGO ORIGINAL. Resumo 28 Arquivos Catarinenses de Medicina Vol. 36, n o. 4, de 2007 1806-4280/07/36-01/28 Arquivos Catarinenses de Medicina ARTIGO ORIGINAL Tratamento cirúrgico artroscópico de lesão maciça do manguito rotador

Leia mais

EXAME CLÍNICO DE MEMBROS SUPERIORES E COLUNA ATIVO CONTRA-RESISTÊNCIA MOVIMENTAÇÃO ATIVA

EXAME CLÍNICO DE MEMBROS SUPERIORES E COLUNA ATIVO CONTRA-RESISTÊNCIA MOVIMENTAÇÃO ATIVA Logomarca da empresa Nome: N.º Registro ESQUERDA EXAME CLÍNICO DE MEMBROS SUPERIORES E COLUNA ATIVO CONTRA-RESISTÊNCIA MOVIMENTAÇÃO ATIVA PESCOÇO (COLUNA CERVICAL) Inclinação (flexão lateral) OMBROS Abdução

Leia mais

SINDROME DO IMPACTO E LESAO MANGUITO ROTADOR

SINDROME DO IMPACTO E LESAO MANGUITO ROTADOR SINDROME DO IMPACTO E LESAO MANGUITO ROTADOR Ricardo Yabumoto Curitiba, 05 de Marco de 2007 INTRODUCAO 1949 Armstrong-Supraspinatus Syndrome 1972 Neer- Anterior Acromioplasty for Chronic Impingement Syndrome

Leia mais

CAPSULITE ADESIVA DO OMBRO

CAPSULITE ADESIVA DO OMBRO CAPSULITE ADESIVA DO OMBRO Artigo: Dr. Ronaldo Roncetti 1 Introdução A Capsulite Adesiva do Ombro (CAO) foi descrita pela primeira vez em 1872 por DUPLAY, e denominando a Duplay (1) (1872). Descreve a

Leia mais

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral INTRODUÇÃO Oque é Luxação Gleno Umeral? Luxação é o termo empregado quando há perda de contato entre os ossos que compõem uma articulação. No caso do ombro a articulação

Leia mais

Dor no Ombro. Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo. Dr. Marcello Castiglia

Dor no Ombro. Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo. Dr. Marcello Castiglia Dor no Ombro Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo O que a maioria das pessoas chama de ombro é na verdade um conjunto de articulações que, combinadas aos tendões e músculos

Leia mais

Luxação da Articulação Acrômio Clavicular

Luxação da Articulação Acrômio Clavicular Luxação da Articulação Acrômio Clavicular INTRODUÇÃO As Luxações do ombro são bem conhecidas especialmente durante a prática de alguns esportes. A maior incidencia de luxção do ombro são na verdade luxação

Leia mais

Lesoes Osteoarticulares e de Esforco

Lesoes Osteoarticulares e de Esforco Lesoes Osteoarticulares e de Esforco Dr.Roberto Amin Khouri Ortopedia e Traumatologia Ler/Dort Distúrbio osteoarticular relacionado com o trabalho. Conjunto heterogênio de quadros clínicos que acometem:

Leia mais

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão

Lesões Traumáticas do Membro Superior. Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão André Montillo UVA Lesões Traumáticas do Membro Superior Lesões do Ombro e Braço Lesões do Cotovelo e Antebraço Lesões do Punho e Mão e Braço Fratura da Escápula Fratura da Clavícula Luxação Acrômio-clavicular

Leia mais

Fratura da Porção Distal do Úmero

Fratura da Porção Distal do Úmero Fratura da Porção Distal do Úmero Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo O cotovelo é composto de 3 ossos diferentes que podem quebrar-se diversas maneiras diferentes, e constituem

Leia mais

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula

É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia. Clavícula Fratura da Clavícula Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo É uma fratura comum que ocorre em pessoas de todas as idades. Anatomia O osso da clavícula é localizado entre o

Leia mais

Maria da Conceição M. Ribeiro

Maria da Conceição M. Ribeiro Maria da Conceição M. Ribeiro Segundo dados do IBGE, a hérnia de disco atinge 5,4 milhões de brasileiros. O problema é consequência do desgaste da estrutura entre as vértebras que, na prática, funcionam

Leia mais

A ARTROSCOPIA DO OMBRO

A ARTROSCOPIA DO OMBRO A ARTROSCOPIA DO OMBRO A ARTROSCOPIA DO OMBRO A ARTROSCOPIA DO OMBRO A ARTROSCOPIA DO OMBRO O ombro é uma articulação particularmente solicitada não somente no dia-a-dia normal, mas também na vida desportiva

Leia mais

Ombro doloroso. Bursas A principal é a busca subacromial localizada acima do tendão do músculo supra-espinhoso e abaixo do acrômio.

Ombro doloroso. Bursas A principal é a busca subacromial localizada acima do tendão do músculo supra-espinhoso e abaixo do acrômio. Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade física adaptada e saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Ombro doloroso Aloysio João Fellet Conceito Ombro doloroso é uma síndrome caracterizada por dor e

Leia mais

Síndrome do Impacto do Ombro

Síndrome do Impacto do Ombro Autoria: Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia Elaboração Final: 15 de dezembro de 2011 Participantes: França FO, Paiva AA, Almeida IAF O Projeto Diretrizes, iniciativa conjunta da Associação

Leia mais

CAPSULITE ADESIVA OU OMBRO CONGELADO. A capsulite adesiva ou ombro congelado é uma doença de causa

CAPSULITE ADESIVA OU OMBRO CONGELADO. A capsulite adesiva ou ombro congelado é uma doença de causa CAPSULITE ADESIVA OU OMBRO CONGELADO A capsulite adesiva ou ombro congelado é uma doença de causa desconhecida. Por vezes os doentes associam o seu inicio a um episódio traumático. Outros doentes referiam

Leia mais

Pós graduação em Fisioterapia Traumato-Ortopédica - UFJF. 03 de julho de 2010 Professor: Rodrigo Soares

Pós graduação em Fisioterapia Traumato-Ortopédica - UFJF. 03 de julho de 2010 Professor: Rodrigo Soares Pós graduação em Fisioterapia Traumato-Ortopédica - UFJF 03 de julho de 2010 Professor: Rodrigo Soares Programa Afecções tendíneas Afecções neurais compressivas Afecções ligamentares Afecções musculares

Leia mais

Tratamento da síndrome do impacto em tenistas *

Tratamento da síndrome do impacto em tenistas * TRATAMENTO DA SÍNDROME DO IMPACTO EM TENISTAS Tratamento da síndrome do impacto em tenistas * PEDRO DONEUX S. 1, ALBERTO N. MIYAZAKI 1, JOSÉ A. PINHEIRO JR. 2, LUÍS F.Z. FUNCHAL 2, SERGIO L. CHECCHIA 3

Leia mais

Análise funcional e estrutural do reparo das lesões extensas do manguito rotador *

Análise funcional e estrutural do reparo das lesões extensas do manguito rotador * 294 ARTIGO ORIGINAL Veado MAC, Gomes TPO, Pinto RZA Análise funcional e estrutural do reparo das lesões extensas do manguito rotador * A functional and structural analysis of the repair of extensive rotator

Leia mais

COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO

COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO COMPRESSÃO DO NERVO MEDIANO NO PUNHO (SÍNDROME DO TÚNEL DO CARPO) Roberto Sergio Martins A síndrome do túnel do carpo (STC) é a neuropatia de origem compressiva mais frequente, incidindo em cerca de 1%

Leia mais

A ERGONOMIA NA SALA DE AULA: UMA ABORDAGEM SOBRE A SÍNDROME DO IMPACTO DO OMBRO NO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO BÁSICA

A ERGONOMIA NA SALA DE AULA: UMA ABORDAGEM SOBRE A SÍNDROME DO IMPACTO DO OMBRO NO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO BÁSICA A ERGONOMIA NA SALA DE AULA: UMA ABORDAGEM SOBRE A SÍNDROME DO IMPACTO DO OMBRO NO PROFESSOR DA EDUCAÇÃO BÁSICA Pedro Ferreira Reis Antonio Renato Pereira Moro 1 Introdução No mundo contemporâneo, percebe-se

Leia mais

Artrodese do cotovelo

Artrodese do cotovelo Artrodese do cotovelo Introdução A Artrite do cotovelo pode ter diversas causas e existem diversas maneiras de tratar a dor. Esses tratamentos podem ter sucesso pelo menos durante um tempo. Mas eventualmente,

Leia mais

Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR

Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR Diretrizes Assistenciais TRAUMA RAQUIMEDULAR Versão eletrônica atualizada em fev/2012 Março - 2009 1. Conceito, Etiologia e Epidemiologia 1. Trauma raquimedular é a lesão da medula espinhal que provoca

Leia mais

LESOES MENISCAIS Ricardo Yabumoto Curitiba, 09 de Abril de 2007 Introdução Forma aproximada de C Integram o complexo biomecânico do joelho Servem de extensões da tíbia para aprofundar as superfícies articulares,

Leia mais

Padronização do estudo radiográfico da cintura escapular *

Padronização do estudo radiográfico da cintura escapular * PADRONIZAÇÃO DO ESTUDO RADIOGRÁFICO DA CINTURA ESCAPULAR SEGUNDA SEÇÃO ORTOPEDIA GERAL Padronização do estudo radiográfico da cintura escapular * PEDRO DONEUX S. 1, SERGIO L. CHECCHIA 2, ALBERTO N. MIYAZAKI

Leia mais

Reunião de casos clínicos

Reunião de casos clínicos Reunião de casos clínicos RM Dr Ênio Tadashi Setogutti Dr Gustavo Jardim Dalle Grave Março 2013 CASO CLINICO - 1 Paciente sexo feminino, 52 anos, HIV +, com dor intensa em região lombar, dificuldade para

Leia mais

LESÃO DO OMBRO INTRODUÇÃO ANATOMIA DO OMBRO

LESÃO DO OMBRO INTRODUÇÃO ANATOMIA DO OMBRO Sergio da C. Neves Jr. Pós Graduado em Musculação e Treinamento de Força UGF (Brasília) Roberto Simão Mestre em Educação Física UGF Professor da graduação e Pós Graduação da UGF (Universidade Gama Filho)

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu - Daniela Cristina dos Santos Alves O Uso do Spray de Fluorometano no Tratamento Prof. D. Sc.

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DO TRATAMENTO ARTROSCÓPICO DA EPICONDILITE LATERAL

AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DO TRATAMENTO ARTROSCÓPICO DA EPICONDILITE LATERAL ARTIGO ORIGINAL AVALIAÇÃO DOS RESULTADOS DO TRATAMENTO ARTROSCÓPICO DA EPICONDILITE LATERAL EVALUATION OF THE RESULTS OF ARTHROSCOPIC TREATMENT OF THE LATERAL EPICONDYLITIS Alberto Naoki Miyazaki 1, Marcelo

Leia mais

INTERVENÇÕES FISIOTERAPÊUTICAS NA TENDINOPATIA DO OMBRO: UMA REVISÃO DE LITERATURA

INTERVENÇÕES FISIOTERAPÊUTICAS NA TENDINOPATIA DO OMBRO: UMA REVISÃO DE LITERATURA INTERVENÇÕES FISIOTERAPÊUTICAS NA TENDINOPATIA DO OMBRO: UMA REVISÃO DE LITERATURA Pedro Rafael de Souza Macêdo (1); Robison Carlos Silva Costa (1); Clécio Gabriel de Souza (2 e 3); Emanoel Cláudio Fagundes

Leia mais

Artroplastia total invertida do ombro em doente com quisto acrómio-clavicular

Artroplastia total invertida do ombro em doente com quisto acrómio-clavicular Rev Port Ortop Traum 21(1): 71-76, 2013 Caso Clínico Artroplastia total invertida do ombro em doente com quisto acrómio-clavicular Pedro Marques, Bruno Alpoim, Maria Elisa Rodrigues, Pedro Sá, Francisco

Leia mais

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP)

Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP) Lesão do Ligamento Cruzado Posterior (LCP) INTRODUÇÃO O ligamento cruzado posterior (LCP) é um dos ligamentos menos lesados do joelho. A compreensão dessa lesão e o desenvolvimento de novos tratamentos

Leia mais

Tenis Backhand Epicondilite. Dr. Rogerio Teixeira da Silva Comitê de Traumatologia Desportiva - SBOT

Tenis Backhand Epicondilite. Dr. Rogerio Teixeira da Silva Comitê de Traumatologia Desportiva - SBOT Tenis Backhand Epicondilite Dr. Rogerio Teixeira da Silva Comitê de Traumatologia Desportiva - SBOT Introdução Tênis - número crescente de praticantes Mundo - 3o. esporte mais praticado Lesões X Técnica

Leia mais

Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM)

Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM) Imagem da Semana: Radiografia e Ressonância Magnética (RM) Imagem 01. Radiografia anteroposterior do terço proximal da perna esquerda. Imagem 02. Ressonância magnética do mesmo paciente, no plano coronal

Leia mais

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Prof André Montillo Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Lesões do Joelho: Lesões de Partes Moles: Lesão Meniscal: Medial e Lateral Lesão Ligamentar: o Ligamentos Cruzados: Anterior e Posterior o

Leia mais

VIVER COM O SEU NOVO OMBRO

VIVER COM O SEU NOVO OMBRO VIVER COM O SEU NOVO OMBRO VIVER COM O SEU NOVO OMBRO VIVER COM O SEU NOVO OMBRO VIVER COM O SEU NOVO OMBRO A prótese do ombro é uma cirurgia ortopédica complexa, que faz parte das diversas soluções que

Leia mais

PATOLOGIA DA COIFA DOS ROTADORES

PATOLOGIA DA COIFA DOS ROTADORES PATOLOGIA DA COIFA DOS ROTADORES PATOLOGIA DA COIFA DOS ROTADORES PATOLOGIA DA COIFA DOS ROTADORES PATOLOGIA DA COIFA DOS ROTADORES DOENÇAS DA COIFA DOS ROTADORES A coifa dos rotadores é um conjunto de

Leia mais

Entorse do. 4 AtualizaDOR

Entorse do. 4 AtualizaDOR Entorse do Tornozelo Tão comum na prática esportiva, a entorse pode apresentar opções terapêuticas simples. Veja como são feitos o diagnóstico e o tratamento desse tipo de lesão 4 AtualizaDOR Ana Paula

Leia mais

Keywords Arthroscopy; Shoulder/injuries; Shoulder/surgery

Keywords Arthroscopy; Shoulder/injuries; Shoulder/surgery Artigo Original TENODESE BICIPITAL A ROCAMBOLE : TÉCNICA E RESULTADOS ROCAMBOLE-LIKE BICEPS TENODESIS: TECHNIQUE AND RESULTS Glaydson Gomes Godinho 1, Fabrício Augusto Silva Mesquita 2, Flávio de Oliveira

Leia mais

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO NO FISIOTERAPEUTA

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO NO FISIOTERAPEUTA 60 DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO NO FISIOTERAPEUTA Cristiany Garcia de Deus*; Edilene Gonçalves de Sales*; Elisiane Tonon*; ÉrikaTonon* Christiane Pereira Mello Munhos** Hélio Vidrich

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO:

PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA. Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: 12 PROVA DE CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS MÉDICO ORTOPEDISTA QUESTÃO 21 Referentemente à avaliação do paciente vítima de politrauma, é correto afirmar, EXCETO: a) O politrauma é a uma das principais causas

Leia mais

As Lesões por esforços repetitivos em cirugiões-dentistas: síndrome do impacto uma abordagem ergonômica

As Lesões por esforços repetitivos em cirugiões-dentistas: síndrome do impacto uma abordagem ergonômica As Lesões por esforços repetitivos em cirugiões-dentistas: síndrome do impacto uma abordagem ergonômica Resumo Marianella Aguillar Ventura Fadel (UFSC) maya@ccs.ufsc.br Louise Pietrobon (UFSC) isepietro@terra.com.br

Leia mais

Avaliação clínica e radiográfica tardia da meniscectomia medial aberta *

Avaliação clínica e radiográfica tardia da meniscectomia medial aberta * ARTIGO ORIGINAL Avaliação clínica e radiográfica tardia da meniscectomia medial aberta * GILBERTO LUÍS CAMANHO 1, ALEXANDRE DE CHRISTO VIEGAS 2, MARCELO DA SILVA TERRA 3 RESUMO Com o objetivo de avaliar

Leia mais

PRP PLASMA RICO EM PLAQUETAS

PRP PLASMA RICO EM PLAQUETAS Por Dr.Marcelo Bonanza PRP PLASMA RICO EM PLAQUETAS O que é a aplicação de Plasma Rico em Plaquetas? As Plaquetas são formadas a partir do Megacariócito que tem origem na medula óssea. Cada Plaqueta guarda

Leia mais

Síndrome de compartimento de perna pós fratura de tornozelo bilateral: Relato de caso

Síndrome de compartimento de perna pós fratura de tornozelo bilateral: Relato de caso Introdução As fraturas e luxações do tornozelo são as lesões mais comuns do sistema músculo-esquelético 1, e dentre as articulações de carga, o tornozelo é a que apresenta maior incidência de fraturas

Leia mais

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? Como ter certeza que é BI-RADS 3? Quando não confiar na biópsia percutânea? O que fazer com resultados

Leia mais

2. Biomecânica do ombro

2. Biomecânica do ombro 2. Biomecânica do ombro Devido ao elevado número de elementos anatómicos intervenientes na biomecânica do ombro, a sua análise torna-se bastante complexa. Como se sabe, a função da cintura escapular requer

Leia mais

Artroscopia do Cotovelo

Artroscopia do Cotovelo Artroscopia do Cotovelo Dr. Marcello Castiglia Especialista em Cirurgia do Ombro e Cotovelo Artroscopia é uma procedimento usado pelos ortopedistas para avaliar, diagnosticar e reparar problemas dentro

Leia mais

Sandro Reginaldo Presidente da SBOT-GO

Sandro Reginaldo Presidente da SBOT-GO ORTOPÉDICA PARA O JORNALISTA ESPORTIVO AGRADECIMENTOS Secretaria Municipal de Esporte e Lazer Agradecemos o apoio imprescindível do presidente da Associação Brasileira de Traumatologia Desportiva e médico

Leia mais

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc

TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM. Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc TRAUMATISMO RAQUIMEDULAR TRM Prof. Fernando Ramos Gonçalves-Msc 1 TRM Traumatismo Raqui- Medular Lesão Traumática da raqui(coluna) e medula espinal resultando algum grau de comprometimento temporário ou

Leia mais

INSTABILIDADE E LUXAÇÃO DO OMBRO. A instabilidade do ombro é definida como a incapacidade para manter

INSTABILIDADE E LUXAÇÃO DO OMBRO. A instabilidade do ombro é definida como a incapacidade para manter INSTABILIDADE E LUXAÇÃO DO OMBRO Centro da Articulação gleno umeral Labrum Ligamentos gleno-umerais e capsula Primal pictures INTRODUÇÃO A instabilidade do ombro é definida como a incapacidade para manter

Leia mais

Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo

Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo INTRODUÇÃO Bursite do Olécrano ou Bursite do Cotovelo Bursite do olécrano é a inflamação de uma pequena bolsa com líquido na ponta do cotovelo. Essa inflamação pode causar muitos problemas no cotovelo.

Leia mais

A SÍNDROME DO IMPACTO NO OMBRO 1

A SÍNDROME DO IMPACTO NO OMBRO 1 A SÍNDROME DO IMPACTO NO OMBRO 1 SOUZA, Ronivaldo Pereira de 1 ; LUIZ, Carlos Rosemberg 2 ; BENETTI, Edson José 3 ; FIUZA, Tatiana de Sousa 4. Palavras-chave: Manguito rotator; dissecação BASE TEÓRICA

Leia mais

Tratamento cirúrgico da luxação acromioclavicular. pela transferência do ligamento coracoacromial

Tratamento cirúrgico da luxação acromioclavicular. pela transferência do ligamento coracoacromial TRATAMENTO CIRÚRGICO DA LUXAÇÃO ACROMIOCLAVICULAR PELA TRANSFERÊNCIA DO LIGAMENTO CORACOACROMIAL Tratamento cirúrgico da luxação acromioclavicular pela transferência do ligamento coracoacromial * FABIANO

Leia mais

Acta Ortopédica Brasileira ISSN 1413-7852 versão impressa

Acta Ortopédica Brasileira ISSN 1413-7852 versão impressa Acta Ortopédica Brasileira ISSN 1413-7852 versão impressa ARTIGO ORIGINAL Ocorrência de entorse e lesões do joelho em jogadores de futebol da cidade de Manaus, Amazonas Eduardo Telles de Menezes Stewien

Leia mais

Complexo. Diogo Barros de Moura Lima, MSc

Complexo. Diogo Barros de Moura Lima, MSc Complexo do Ombro Diogo Barros de Moura Lima, MSc Funções Atividades de vida diária e esportivas Posicionar mão no espaço necessita grande ADM Funções Atividades de vida diária e esportivas Transferir

Leia mais

CASOS CLÍNICOS DIGIMAX. Radiologia e Diagnóstico por Imagem. Raphael Salgado Pedroso

CASOS CLÍNICOS DIGIMAX. Radiologia e Diagnóstico por Imagem. Raphael Salgado Pedroso CASOS CLÍNICOS DIGIMAX Radiologia e Diagnóstico por Imagem Raphael Salgado Pedroso Nome: L. B.; Idade: 65 anos; Sexo: Masculino; CASO 1 Queixa: Dor aguda, que se inicia no tórax e se irradia na direção

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO DIRETORIA DE ENFERMAGEM SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM MINICURSO: Assistência de enfermagem ao cliente com feridas Ferida cirúrgica 1º Semestre de 2013 Instrutora:

Leia mais

Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007

Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007 Resolução CNRM Nº 02, de 20 de agosto de 2007 Dispõe sobre a duração e o conteúdo programático da Residência Médica de Cirurgia da Mão O PRESIDENTE DA COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MÉDICA, no uso das

Leia mais

Cadeia cinética aberta versus cadeia cinética fechada na reabilitação avançada do manguito rotador [I]

Cadeia cinética aberta versus cadeia cinética fechada na reabilitação avançada do manguito rotador [I] ISSN 0103-5150 Fisioter. Mov., Curitiba, v. 25, n. 2, p. 291-299, abr./jun. 2012 Licenciado sob uma Licença Creative Commons doi: 10.1590/S0103-51502012000200006 [T] Cadeia cinética aberta versus cadeia

Leia mais

Ligamento Cruzado Posterior

Ligamento Cruzado Posterior Ligamento Cruzado Posterior Introdução O Ligamento Cruzado Posterior (LCP) é classificado como estabilizador estático do joelho e sua função principal é restringir o deslocamento posterior da tíbia em

Leia mais

BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR

BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR BIOMECÂNICA -MEMBRO SUPERIOR OMBRO Membro Superior CINTURA ESCAPULAR COTOVELO Joel Moraes Santos Junior COLUNA - APLICAÇÃO PRÁTICA Condicionamento APTIDÃO FÍSICA Treinamento desportivo CARGA/IMPACTO Reabilitação

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS

RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS RELAÇÃO ENTRE TRAUMA OCLUSAL E DOENÇAS PERIODONTAIS Por Carlos Marcelo da Silva Figueredo, DDS, MDSc, PhD cmfigueredo@hotmail.com www.periodontiamedica.com Introdução A associação do trauma oclusal (TO)

Leia mais

MANUAL DO LIAN GONG. Lian Gong, ginástica chinesa criada há mais de 40 anos, faz bem para o corpo e para a saúde.

MANUAL DO LIAN GONG. Lian Gong, ginástica chinesa criada há mais de 40 anos, faz bem para o corpo e para a saúde. MANUAL DO LIAN GONG Lian Gong, ginástica chinesa criada há mais de 40 anos, faz bem para o corpo e para a saúde. A ginástica Lian Gong (pronuncia-se "liam cum") foi desenvolvida na China, pelo Dr. Zhuang

Leia mais

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional

Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Avaliação Fisioterapêutica da Coluna Cervical Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Anatomia Aplicada A coluna cervical consiste em diversas

Leia mais

ESCLERODERMIA LOCALIZADA LOCALIZED SCLERODERMA

ESCLERODERMIA LOCALIZADA LOCALIZED SCLERODERMA ESCLERODERMIA LOCALIZADA LOCALIZED SCLERODERMA Esclerodermia significa pele dura. O termo esclerodermia localizada se refere ao fato de que o processo nosológico está localizado na pele. Por vezes o termo

Leia mais

TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM)

TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM) Protocolo: Nº 63 Elaborado por: Manoel Emiliano Última revisão: 30/08/2011 Revisores: Samantha Vieira Maria Clara Mayrink TRAUMA RAQUIMEDULAR (TRM) DEFINIÇÃO: O Trauma Raquimedular (TRM) constitui o conjunto

Leia mais

Exotropia consecutiva a cirurgia de endotropia

Exotropia consecutiva a cirurgia de endotropia Oftalmologia - Vol. 38: pp.7- Artigo Original Exotropia consecutiva a cirurgia de endotropia Mónica Franco, Cristina Pereira, Luisa Colaço, Raquel Seldon 2, Ana Vide Escada 2, Gabriela Varandas 3, Maria

Leia mais

A causa exata é determinada em apenas 12-15% dos pacientes extensamente investigados

A causa exata é determinada em apenas 12-15% dos pacientes extensamente investigados LOMBALGIA Prof. Jefferson Soares Leal Turma: Fisioterapia e Terapia Ocupacional Faculdade de Medicina da UFMG Aula e bibliografia recomendada estarão disponíveis para os alunos para donwload no site www.portalvertebra.com.br

Leia mais

ondas de choque Terapia

ondas de choque Terapia ondas de choque Terapia contato@btlnet.com.br www.btlnet.com.br Todos os direitos reservados. A elaboração deste catalogo foi efetuada com todo o critério para fornecer informações corretas e atualizadas

Leia mais

Sintomas da LER- DORT

Sintomas da LER- DORT LER-DORT A LER e DORT são as siglas para Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteo-musculares Relacionados ao Trabalho. Os termos LER/DORT são usados para determinar as afecções que podem lesar

Leia mais

LOMBALGIAS: MECANISMO ANÁTOMO-FUNCIONAL E TRATAMENTO

LOMBALGIAS: MECANISMO ANÁTOMO-FUNCIONAL E TRATAMENTO LOMBALGIAS: MECANISMO ANÁTOMO-FUNCIONAL E TRATAMENTO Alessandra Vascelai #, Ft, Titulacão: Especialista em Fisioterapia em Traumatologia do Adulto Reeducação Postural Global (RPG) Acupuntura. Resumo: Lombalgia

Leia mais

Síndrome radicular lombossacral Resumo de diretriz NHG M55 (primeira revisão, abril 2005)

Síndrome radicular lombossacral Resumo de diretriz NHG M55 (primeira revisão, abril 2005) Síndrome radicular lombossacral Resumo de diretriz NHG M55 (primeira revisão, abril 2005) Mens JMA, Chavannes AW, Koes BW, Lubbers WJ, Ostelo RWJG, Spinnewijn WEM, Kolnaar BGM traduzido do original em

Leia mais

HIPERFLEXÃO DO CARPO EM CÃO ADULTO RELATO DE CASO

HIPERFLEXÃO DO CARPO EM CÃO ADULTO RELATO DE CASO 1 HIPERFLEXÃO DO CARPO EM CÃO ADULTO RELATO DE CASO JULIANO MORELLI MARANGONI¹, RICARDO LIMA SALOMAO 2, ELZYLENE LÉGA PALAZZO 3, PAULA FERREIRA DA COSTA 3, PATRICIA NADJA DE OLIVEIRA REY 4, MARINA LAUDARES

Leia mais

Avaliação Goniométrica no contexto do Exame Fisioterapêutico

Avaliação Goniométrica no contexto do Exame Fisioterapêutico Avaliação Goniométrica no contexto do Exame Fisioterapêutico Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João 1. Visão Global de uma Avaliação Musculoesquelética

Leia mais

Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC

Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DOS NÓDULOS HEPÁTICOS BENIGNOS Prof. Dr. Jorge Eduardo F. Matias Cirurgia do Aparelho Digestivo Departamento de Cirurgia UFPR - HC DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL DOS NÓDULOS HEPÁTICOS

Leia mais

Doenças do Ombro e Cotovelo

Doenças do Ombro e Cotovelo UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO ESCOLA DE FARMÁCIA DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS MÉDICAS ATENÇÃO SECUNDÁRIA À SAÚDE ORTOPEDIA Doenças do Ombro e Cotovelo Prof. Otávio de Melo Silva Jr otavio.melo@gmail.com

Leia mais

Tratamento cirúrgico para os acromiale sintomático

Tratamento cirúrgico para os acromiale sintomático Artigo Original Tratamento cirúrgico para os acromiale sintomático Surgical treatment of symptomatic os acromiale Alexandre Wagner Cadima Corradi 1, Luciano Pascarelli 1, Roberto Rangel Bongiovanni 1,

Leia mais

Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento

Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento Reumatismos de Partes Moles Diagnóstico e Tratamento MARINA VERAS Reumatologia REUMATISMOS DE PARTES MOLES INTRODUÇÃO Também denominado de reumatismos extra-articulares Termo utilizado para definir um

Leia mais

Conteúdo do curso de massagem desportiva

Conteúdo do curso de massagem desportiva Conteúdo do curso de massagem desportiva Massagem desportiva Vamos fazer uma massagem desportiva na pratica. A massagem desportiva pode denotar dois tipos diferentes de tratamento. Pode ser utilizada como

Leia mais

Síndrome do impacto do ombro. Diagnóstico e tratamento*

Síndrome do impacto do ombro. Diagnóstico e tratamento* Rev Dor, 2009; 10: 2: 174-179 ARTIGO DE REVISÃO Síndrome do impacto do ombro. Diagnóstico e tratamento* Shoulder impingement syndrome. Diagnosis and management Antônio Bento de Castro 1 *Recebido do Centro

Leia mais

TÍTULO: INCIDÊNCIA DE LESÕES NO JOELHO NA POPULAÇÃO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ENCAMINHADA PARA REABILITAÇÃO

TÍTULO: INCIDÊNCIA DE LESÕES NO JOELHO NA POPULAÇÃO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ENCAMINHADA PARA REABILITAÇÃO TÍTULO: INCIDÊNCIA DE LESÕES NO JOELHO NA POPULAÇÃO DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO ENCAMINHADA PARA REABILITAÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: UNIÃO

Leia mais

O sistema esquelético ou sistema ósseo é formado por vários ossos, cujo estudo é chamado de osteologia.

O sistema esquelético ou sistema ósseo é formado por vários ossos, cujo estudo é chamado de osteologia. SISTEMA ESQUELÉTICO Ossos do corpo humano se juntam por meio das articulações. E são responsáveis por oferecer um apoio para o sistema muscular permitindo ao homem executar vários movimentos. O sistema

Leia mais

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências. Avaliação de Tecnologias em Saúde

Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências. Avaliação de Tecnologias em Saúde Câmara Técnica de Medicina Baseada em Evidências Avaliação de Tecnologias em Saúde Sumário das Evidências e Recomendações para o Uso da Ressonância Magnética em Patologias do Ombro Porto Alegre, junho

Leia mais

Traumaesportivo.com.br. Capsulite Adesiva

Traumaesportivo.com.br. Capsulite Adesiva Capsulite Adesiva Capsulite adesiva, também chamada de ombro congelado, é uma condição dolorosa que leva a uma severa perda de movimento do ombro. Pode ocorrer após uma lesão, uma trauma, uma cirurgia

Leia mais

Disciplina: Patologia Oral PARTE. Curso: Odontologia 4º e 5º Períodos

Disciplina: Patologia Oral PARTE. Curso: Odontologia 4º e 5º Períodos Graduação em Odontologia Disciplina: Patologia Oral PATOLOGIA ÓSSEA { 4 a PARTE Curso: Odontologia 4º e 5º Períodos h t t p : / / l u c i n e i. w i k i s p a c e s. c o m Prof.Dr. Lucinei Roberto de Oliveira

Leia mais

ORIENTAÇÃO E REABILITAÇÃO CARTILHA DE EXERCÍCIOS FISIOTERAPÊUTICOS PARA PACIENTES EM PÓS-OPERATORIO DE CÂNCER DE MAMA

ORIENTAÇÃO E REABILITAÇÃO CARTILHA DE EXERCÍCIOS FISIOTERAPÊUTICOS PARA PACIENTES EM PÓS-OPERATORIO DE CÂNCER DE MAMA ORIENTAÇÃO E REABILITAÇÃO CARTILHA DE EXERCÍCIOS FISIOTERAPÊUTICOS PARA PACIENTES EM PÓS-OPERATORIO DE CÂNCER DE MAMA Seguindo todas essas dicas, você terá uma vida melhor. Vai previnir o linfedema e complicações,

Leia mais

PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR

PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR PROTOCOLO FISIOTERAPÊUTICO DE PÓS-OPERATÓRIO INICIAL DE CIRURGIA LOMBAR 1- Considerações gerais As cirurgias de coluna têm indicação médica conforme exames de imagem e apresentação clínica. As cirurgias

Leia mais

RESUMO. Palavras- chave: Fisioterapia. Câncer de Mama. Câncer de Mama Avaliação. INTRODUÇÃO

RESUMO. Palavras- chave: Fisioterapia. Câncer de Mama. Câncer de Mama Avaliação. INTRODUÇÃO AVALIAÇÃO DE MEMBRO SUPERIOR EM MULHERES MASTECTOMIZADAS Mara Vania Guidastre - m_risaguist@hotmail.com Marcela Da Silva Mussio - marcela_mussio@hotmail.com Ana Cláudia De Souza Costa - anaclaudia@unisalesiano.edu.br

Leia mais

Keywords Shoulder; Arthroscopy; Rotator Cuff/injuries

Keywords Shoulder; Arthroscopy; Rotator Cuff/injuries Artigo Original Reparação artroscópica de lesões pequenas e médias do tendão do músculo supraespinal: avaliação dos resultados clínico-funcionais após dois anos de seguimento Arthroscopic repair of the

Leia mais

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência Periodontologia É a disciplina da medicina dentária que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças das gengivas e das estruturas de suporte dos dentes. A inflamação e o sangramento das

Leia mais

Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes

Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes Rejeição de Transplantes Doenças Auto-Imunes Mecanismos da rejeição de transplantes Envolve várias reações de hipersensibilidade, tanto humoral quanto celular Habilidade cirúrgica dominada para vários

Leia mais

Posturologia e Método Rocabado (ATM)

Posturologia e Método Rocabado (ATM) Posturologia e Método Rocabado (ATM) Josiane de Oliveira Delgado Fisioterapeuta Crefito5/19762F Av. Pres. Franklin Roosevelt, 1461. São Geraldo. POA/RS. Fone: 3222.4005 Artigo: Postura normal e posturas

Leia mais