INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES EM MAMOGRAGIA PROFESSORA KAROLINE RIZZON

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES EM MAMOGRAGIA PROFESSORA KAROLINE RIZZON"

Transcrição

1 INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES EM MAMOGRAGIA PROFESSORA KAROLINE RIZZON

2 INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES As incidência complementares são realizadas para esclarecer situações suspeitas detectadas nas incidências básicas. São elas: 2

3 INCIDÊNCIAS COMPLEMENTARES Magnificação com compressão seletiva; Compressão localizada; Crânio-caudal exagerada; Cleavage ou incidência medial exagerada; Mama rolada ; Perfil; Cleópatra; Incidência axilar. 3

4 MAGNIFICAÇÃO COM COMPRESSÃO SELETIVA É realizada quando em alguma das incidências de rotina, aparece imagem suspeita como: Microcalcificações; Densidade assimétrica; Imagem nodular. 4

5 MAGNIFICAÇÃO COM COMPRESSÃO SELETIVA É utilizado um acessório de magnificação, que faz com que aumente a distância objeto filme. Quanto maior for a distância, maior será o fator de ampliação. Deve-se usar foco fino para melhorar a resolução da imagem. É utilizado um compressor focal para a realização desta incidência. 5

6 MAGNIFICAÇÃO COM COMPRESSÃO SELETIVA 6

7 MAGNIFICADA COM COMPRESSÃO SELETIVA 7

8 MAGNIFICAÇÃO COM COMPRESSÃO SELETIVA 8

9 COMPRESSÃO LOCALIZADA A compressão localizada espalha o parênquima mamário, diminuindo o efeito de soma indicada para estudar áreas densas e para analisar o contorno de nódulos. Quando a lesão é de natureza benigna. É 9

10 COMPRESSÃO LOCALIZADA Ao aparecer alguma imagem suspeita nas incidências de rotina deve-se localizar a lesão na mamografia e colocar o compressor adequado sobre a área a ser estudada. 10

11 COMPRESSÃO LOCALIZADA 11

12 COMPRESSÃO LOCALIZADA 12

13 COMPRESSÃO LOCALIZADA Densidade simétrica compressão localizada 13

14 CRÂNIO-CAUDAL EXAGERADA Esta incidência deve ser realizada quando o parênquima não for totalmente visibilizado na incidência crânio-caudal ou quando houver suspeita de nódulo. É utilizada para a parte externa da mama. 14

15 CRÂNIO-CAUDAL EXAGERADA Para realizar esta incidência o tubo de raios X deve ser angulado em 5 graus. Girar o corpo da paciente de modo que a parte mais lateral da mama seja radiografada. 15

16 CRÂNIO-CAUDAL EXAGERADA 16

17 CRÂNIO-CAUDAL EXAGERADA EXAGERADA NORMAL 17

18 CLEAVAGE OU INCIDÊNCIA CRÂNIO-CAUDAL MEDIAL Esta incidência é utilizada para visualizar os quadrantes internos da mama, principalmente para visualizar lesões próximas ao esterno. Posição da paciente como na crânio-caudal. Nesta incidência as duas mamas são colocadas sobre o bucky. Elevar o sulco inframamário. Centralizar os quadrantes internos da mama examinada no bucky. 18

19 CLEAVAGE OU INCIDÊNCIA CRÂNIO-CAUDAL MEDIAL 19

20 MAMA ROLADA Esta incidência é utilizada quando houver suspeita de que a imagem vista na radiografia de rotina possa ser somatória de duas ou mais estruturas, a incidência rolada serve para dissociar as imagens. 20

21 MAMA ROLADA A mama é posicionada em posição crânio-caudal e rolada para a direita ou para a esquerda, e após isso realizada a compressão. 21

22 MAMA ROLADA CRÂNIO-CAUDAL NORMAL MAMA ROLADA 22

23 PERFIL Esta incidência é indicada para mamas tratadas com cirurgia conservadora e esvaziamento axilar. Também é utilizada para verificação do posicionamento do fio metálico após a marcação pré-cirurgica de lesões não palpáveis. 23

24 PERFIL Posicionamento semelhante a incidência médio lateral obliqua. Angular o tubo 90º. Paciente de frente para o bucky. Este posicionamento deve incluir, obrigatoriamente a parte do prolongamento axilar e é também chamada de perfil absoluto. 24

25 PERFIL 25

26 PERFIL Médio lateral obliqua Perfil 26

27 CLEÓPATRA Essa projeção permite avaliar lesões que aparecem parcialmente ou não são identificadas na incidência crânio-caudal. Elas podem estar localizadas na porção mais lateral da mama, geralmente no prolongamento axilar, e necessitam de pequena rotação e lateralizacão da mama durante o posicionamento. 27

28 CLEÓPATRA Nesta incidência o bucky é angulado em cerca de 5 graus, elevando o lado correspondente à mama que será radiografada. A paciente ficará com o corpo inclinado sobre o bucky. Este nome é utilizado porque a posição da paciente assemelha-se a posição de Cleópatra deitada sobre o divã. 28

29 CLEÓPATRA CRÂNIO-CAUDAL NORMAL CLEÓPATRA 29

30 INCIDÊNCIA AXILAR É usada para encontrar os achados na porção mais alta da mama, que não são vistas na incidência médio lateral obliqua. O tubo é angulado 45graus e toda região axilar é colocada sobre o bucky. 30

31 INCIDÊNCIA AXILAR 31

32 MAMOGRAFIA COM IMPLANTE DE SILICONE MANOBRA DE EKLUND

33 MAMOGRAFIA COM IMPLANTE DE SILICONE Para mamas com prótese mamária é realizada as quatro incidências de rotina e também outra incidência que é conhecida como MANOBRA DE EKLUND. 33

34 MAMOGRAFIA COM IMPLANTE DE SILICONE Nas incidências de rotina, deve-se comprimir a mama e a prótese. 34

35 MAMOGRAFIA COM IMPLANTE DE SILICONE 35

36 MANOBRA DE EKLUND Restrições para se fazer a manobra de Eklund: Próteses endurecidas; Próteses aderidas ao parênquima mamário; Próteses com paredes abauladas ou onduladas; Áreas irregulares na parede da prótese. 36

37 MANOBRA DE EKLUND A manobra de eklund tem como objetivo a visualização do somente do tecido mamário sem que apareça na radiografia a prótese. 37

38 MANOBRA DE EKLUND 1 passo - Com uma das mãos deve-se tracionar somente a mama e, com a outra, massagear a prótese para que esta saia do campo da radiografia. 38

39 MANOBRA DE EKLUND 2 passo - Somente a mama deve ser comprimida e a prótese retirada para fora do campo de radiografia. 39

40 MANOBRA DE EKLUND 3 passo - A compressão é concluida e o resultado final será uma radiografia onde somente a mama é visualizada. 40

41 MANOBRA DE EKLUND 41

42 MANOBRA DE EKLUND 42

NOÇÕES DE MAMOGRAFIA

NOÇÕES DE MAMOGRAFIA Tradição em formar Profissionais com Qualidade NOÇÕES DE MAMOGRAFIA Sumário História do Rastreamento Mamário...01 Equipamentos e Noções de Física...03 C.A. E Controle Automático de Exposição...06 A Paciente

Leia mais

TEXTO 8 O EXAME DE MAMOGRAFIA: ABORDAGEM DA USUÁRIA,

TEXTO 8 O EXAME DE MAMOGRAFIA: ABORDAGEM DA USUÁRIA, TEXTO 8 O EXAME DE MAMOGRAFIA: ABORDAGEM DA USUÁRIA, POSICIONAMENTOS E INCIDÊNCIAS NEYSA APARECIDA TINOCO REGATTIERI 1 INTRODUÇÃO O câncer de mama é a neoplasia maligna com maior incidência na mulher excetuando-se

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO CONSULTA PÚBLICA Nº 8, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011. DOU de 11/11/2011 (nº 217, Seção 1, pág.

MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO CONSULTA PÚBLICA Nº 8, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011. DOU de 11/11/2011 (nº 217, Seção 1, pág. MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO CONSULTA PÚBLICA Nº 8, DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011 DOU de 11/11/2011 (nº 217, Seção 1, pág. 88) O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE torna pública, nos termos do artigo

Leia mais

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer 2007 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. Tiragem: 25.000 exemplares Criação, Redação e Distribuição MINISTÉRIO DA SAÚDE Instituto Nacional

Leia mais

PORTARIA No- 2.898, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2013

PORTARIA No- 2.898, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2013 PORTARIA No- 2.898, DE 28 DE NOVEMBRO DE 2013 Atualiza o Programa Nacional de Qualidade em Mamografia (PNQM). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso da atribuição que lhe confere o inciso II do parágrafo

Leia mais

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer 2007 Ministério da Saúde. É permitida a reprodução total ou parcial desta obra, desde que citada a fonte. Tiragem: 25.000 exemplares Criação, Redação e Distribuição MINISTÉRIO DA SAÚDE Instituto Nacional

Leia mais

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt0531_26_03_2012.html

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2012/prt0531_26_03_2012.html Page 1 of 6 ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 531, DE 26 DE MARÇO DE 2012 Institui o Programa Nacional de

Leia mais

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB

Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? SELMA DE PACE BAUAB Exames que geram dúvidas - o que fazer? Como ter certeza que é BI-RADS 3? Quando não confiar na biópsia percutânea? O que fazer com resultados

Leia mais

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante.

CÂNCER DE MAMA. O controle das mamas de seis em seis meses, com exames clínicos, é também muito importante. CÂNCER DE MAMA Dr. José Bél Mastologista/Ginecologista - CRM 1558 Associação Médico Espírita de Santa Catarina AME/SC QUANDO PEDIR EXAMES DE PREVENÇÃO Anualmente, a mulher, após ter atingindo os 35 ou

Leia mais

Institui o Programa Nacional de Qualidade em Mamografia (PNQM).

Institui o Programa Nacional de Qualidade em Mamografia (PNQM). PORTARIA Nº 531, DE 26 DE MARÇO DE 2012 Legislações - GM Ter, 27 de Março de 2012 00:00 PORTARIA Nº 531, DE 26 DE MARÇO DE 2012 Institui o Programa Nacional de Qualidade em Mamografia (PNQM). O MINISTRO

Leia mais

Mamografia Overview. tdtonline.org. Cristina Almeida, Eugénia Arede, Sónia Costa e Susana Vieira, 2008

Mamografia Overview. tdtonline.org. Cristina Almeida, Eugénia Arede, Sónia Costa e Susana Vieira, 2008 Mamografia Overview Cristina Almeida, Eugénia Arede, Sónia Costa e Susana Vieira, 2008 Introdução O que é a mamografia? A mamografia é um exame que tem como objectivo o estudo do tecido mamário, realizado

Leia mais

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015

Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015. Amélia Estevão 10.05.2015 Radiology: Volume 274: Number 2 February 2015 Amélia Estevão 10.05.2015 Objetivo: Investigar a vantagem da utilização da RM nos diferentes tipos de lesões diagnosticadas na mamografia e ecografia classificadas

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA Gerência de Regulação PROTOCOLO DE ACESSO A EXAMES/PROCEDIMENTOS AMBULATORIAIS ULTRASSONOGRAFIA MAMÁRIA 2013 Observações a serem consideradas no preenchimento de todas as solicitações de Exames disponibilizados

Leia mais

CORE BIÓPSIA DE LINFONODOS AXILARES ATÍPICOS

CORE BIÓPSIA DE LINFONODOS AXILARES ATÍPICOS CORE BIÓPSIA DE LINFONODOS AXILARES ATÍPICOS CORE BIOPSIA DE LINFONODOS AXILARES ATÍPICOS LINFONODOS NORMAIS OU TÍPICOS DE NÍVEL 1 FACILMENTE RECONHECIDOS AO ESTUDO ECOGRÁFICO FORMA ELÍPTICA CORTEX HIPOECÓICA

Leia mais

[251] 114. AVALIAÇÃO SISTEMÁTICA DE RADIOGRAFIAS DO TÓRAX

[251] 114. AVALIAÇÃO SISTEMÁTICA DE RADIOGRAFIAS DO TÓRAX [251] 114. AVALIAÇÃO SISTEMÁTICA DE RADIOGRAFIAS DO TÓRAX a. CONSIDERAÇÕES TÉCNICAS Exposição A aquisição adequada da radiografia de tórax é mais difícil que a de outras partes do corpo devido ao contraste

Leia mais

ATUALIZA O PROGRAMA NACIONAL DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA (PNQM)

ATUALIZA O PROGRAMA NACIONAL DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA (PNQM) Circular 598/2013 São Paulo, 04 de Dezembro de 2013. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ATUALIZA O PROGRAMA NACIONAL DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA (PNQM) Diário Oficial da União Nº 232, Seção 1, sexta-feira, 29

Leia mais

TÉCNICA EM RADIOLOGIA

TÉCNICA EM RADIOLOGIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO Hospital Universitário TÉCNICA EM RADIOLOGIA Parte I: Múltipla Escolha Hospital Universitário

Leia mais

MAMOGRAFIA Prof. Denis Honorato

MAMOGRAFIA Prof. Denis Honorato MAMOGRAFIA Prof. Denis Honorato O exame de mamografia é um exame que utiliza raios-x e um aparelho próprio chamado mamógrafo, com ampola composta de Molibdênio, o que permite melhor avaliação de partes

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CENAP TÉCNICO EM RADIOLOGIA JOSIELE FIRAK MAMOGRAFIA: EXAME PREVENTIVO

CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CENAP TÉCNICO EM RADIOLOGIA JOSIELE FIRAK MAMOGRAFIA: EXAME PREVENTIVO CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CENAP TÉCNICO EM RADIOLOGIA JOSIELE FIRAK MAMOGRAFIA: EXAME PREVENTIVO CASCAVEL PR 2010 2 CENTRO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL CENAP TÉCNICO EM RADIOLOGIA JOSIELE FIRAK MAMOGRAFIA:

Leia mais

Radiografias: Aplicações

Radiografias: Aplicações Radiografias: Aplicações Prof. Emery Lins Curso de Bioengenharia CECS, Universidade Federal do ABC E como ocorre uma radiografia? Fundamentos físicos para imagens Filtragem dos Raios-X O feixe é atenuado

Leia mais

MAMOGRAFIA. Belo Horizonte Faculdade de Tecnologia Novo Rumo

MAMOGRAFIA. Belo Horizonte Faculdade de Tecnologia Novo Rumo Belo Horizonte Faculdade de Tecnologia Novo Rumo FACULDADE DE TECNOLOGIA NOVO RUMO Rua Paraíba, 75, Funcionários, Belo Horizonte Minas Gerais. CEP.: 30130-140 Fone: (31) 3226-2858 Site: www.novorumo.com.br

Leia mais

BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA

BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA BREAST IMAGING REPORTING AND DATA SYSTEM NOVO BI-RADS EM MAMOGRAFIA Breast Imaging Reporting and Data System Dr Marconi Luna Doutor em Medicina UFRJ Ex-Presidente da SBM Breast Imaging Reporting and Data

Leia mais

Descobrindo o valor da

Descobrindo o valor da Descobrindo o valor da Ocâncer de mama, segundo em maior ocorrência no mundo, é um tumor maligno que se desenvolve devido a alterações genéticas nas células mamárias, que sofrem um crescimento anormal.

Leia mais

Quando é aconselhável a colocação de próteses mamárias? Amastia (não há o desenvolvimento das mamas) Assimetria mamária (volumes mamários diferentes)

Quando é aconselhável a colocação de próteses mamárias? Amastia (não há o desenvolvimento das mamas) Assimetria mamária (volumes mamários diferentes) Plástica das mamas : colocação de próteses de silicone. Quando é aconselhável a colocação de próteses mamárias? Nos casos de: Amastia (não há o desenvolvimento das mamas) Hipomastia (desenvolvimento insuficiente)

Leia mais

TEXTO 10 ACHADOS DE IMAGEM NO EXAME DE MAMOGRAFIA

TEXTO 10 ACHADOS DE IMAGEM NO EXAME DE MAMOGRAFIA TEXTO 10 ACHADOS DE IMAGEM NO EXAME DE MAMOGRAFIA NEYSA APARECIDA TINOCO REGATTIERI 1 Diferentes alterações no tecido mamário podem produzir achados de imagem semelhantes, porém, em alguns casos, esses

Leia mais

CEPEM News. Revisitando o Sistema BI-RADS de Mamografia e Ultrassonografia: As novas considerações das próximas edições (2012)

CEPEM News. Revisitando o Sistema BI-RADS de Mamografia e Ultrassonografia: As novas considerações das próximas edições (2012) Revisitando o Sistema BI-RADS de Mamografia e Ultrassonografia: As novas considerações das próximas edições (2012) Prezados Colegas No final de 1992, voltávamos de curso de imagenologia mamária ministrado

Leia mais

Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante

Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante Página 1 de 6 22/10/2009-11h42 Prótese de silicone tem prazo de validade; veja respostas sobre implante GABRIELA CUPANI da Folha de S.Paulo Nenhuma prótese de mama dura para sempre. Embora os especialistas

Leia mais

Validação. Revalidação

Validação. Revalidação NORMAS BÁSICAS PARA INSCRIÇÃO NO PROGRAMA DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA Validação Revalidação 1) Médico Responsável pelo Serviço 1.1. Membro Titular do CBR, SBM ou FEBRASGO. 1.2. Título de Especialista em

Leia mais

AVALIAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA

AVALIAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA AVALIAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA EM FUNÇÃO DA ESPESSURA DA MAMA Fátima F.R. Alves 1, Silvio R. Pires 2, Eny M. Ruberti Filha 1, Simone Elias 3, Regina B. Medeiros 1 Universidade Federal de São Paulo Escola

Leia mais

ESTUDO: CONHECENDO AS MAMAS, EXAME DE MAMOGRAFIA Professora: Regiane M Siraqui

ESTUDO: CONHECENDO AS MAMAS, EXAME DE MAMOGRAFIA Professora: Regiane M Siraqui ESTUDO: CONHECENDO AS MAMAS, EXAME DE MAMOGRAFIA Professora: Regiane M Siraqui O Desenvolvimento e o funcionamento da glândula mamária são presididos pelo lobo anterior da hipófise, com o ovário na função

Leia mais

MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos. Prof.ª Esp. Natália Ficagna

MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos. Prof.ª Esp. Natália Ficagna MAMOGRAFIA: Importância e seus Métodos Prof.ª Esp. Natália Ficagna ANATOMIA DA MAMA Tecido Glandular + Tecido Conjuntivo +Tecido Adiposo Alvéolo Lóbulo Lobo Ducto Lactífero Seio Lactífero - Mamilo As

Leia mais

O que é câncer de mama?

O que é câncer de mama? Câncer de Mama O que é câncer de mama? O câncer de mama é a doença em que as células normais da mama começam a se modificar, multiplicando-se sem controle e deixando de morrer, formando uma massa de células

Leia mais

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS

TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS TOMOSSÍNTESE MAMÁRIA CASOS CLÍNICOS SELMA DI PACE BAUAB Radiologista da Mama Imagem São José do Rio Preto - SP CASO 1 55 anos. Assintomática TOMOSSÍNTESE LESÃO EPITELIAL ESCLEROSANTE (Cicatriz Radial)

Leia mais

I Curso Internacional Pre -Congresso de Imaginologia Mama ria. 1st International Breast Imaging Pre-conference Course. 15 de maio de 2014

I Curso Internacional Pre -Congresso de Imaginologia Mama ria. 1st International Breast Imaging Pre-conference Course. 15 de maio de 2014 I Curso Internacional Pre -Congresso de Imaginologia Mama ria 1st International Breast Imaging Pre-conference Course 15 de maio de 2014 Declaração de conflitos de interesse Resolução RDC n.º 96/08 Nunca

Leia mais

Principais formas de cancro na idade adulta

Principais formas de cancro na idade adulta Rastreio do cancro na idade adulta Principais formas de cancro na idade adulta Cancro do colo do útero Cancro da mama Cancro do cólon Cancro testicular Cancro da próstata SINAIS DE ALERTA O aparecimento

Leia mais

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS:

Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: Câncer de Mama COMO SÃO AS MAMAS: As mamas (ou seios) são glândulas e sua função principal é a produção de leite. Elas são compostas de lobos que se dividem em porções menores, os lóbulos, e ductos, que

Leia mais

30/05/2016 DISTORÇÃO ARQUITETURAL DISTORÇÃO ARQUITETURAL. DÚVIDAS DO DIA-A-DIA DISTORÇÃO ARQUITETURAL e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio?

30/05/2016 DISTORÇÃO ARQUITETURAL DISTORÇÃO ARQUITETURAL. DÚVIDAS DO DIA-A-DIA DISTORÇÃO ARQUITETURAL e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio? finas linhas ou espículas irradiando-se de um ponto DÚVIDAS DO DIA-A-DIA e ASSIMETRIAS Como vencer este desafio? retração focal, distorção ou retificação da porção anterior ou posterior do parênquima BI-RADS

Leia mais

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado

2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado 2 Imagens Médicas e Anatomia do Fígado Neste capítulo são apresentados os tipos de dados utilizados neste trabalho e a anatomia do fígado, de onde foram retiradas todas as heurísticas adotadas para segmentação

Leia mais

GE Alpha ST/RT. Simples e compacto. Do jeito que você precisa.

GE Alpha ST/RT. Simples e compacto. Do jeito que você precisa. GE Alpha ST/RT Simples e compacto. Do jeito que você precisa. Há mais de 40 anos, a GE Healthcare tem desenvolvido soluções em mamografia que atendem às necessidades de seus clientes em diferentes segmentos

Leia mais

CURSOS ESPECIAIS DE FÉRIAS (JANEIRO-2014) PROPOSTAS APROVADAS

CURSOS ESPECIAIS DE FÉRIAS (JANEIRO-2014) PROPOSTAS APROVADAS S ESPECIAIS DE FÉRIAS (JANEIRO-2014) PROPOSTAS APROVADAS Aplicação de Injetáveis Ministrante: Profª. Maria Reis 1. Postura Profissional; 2. Legislação na administração dos medicamentos; 3. Vias de administração;

Leia mais

1. Da Comunicação de Segurança publicada pela Food and Drug Administration FDA.

1. Da Comunicação de Segurança publicada pela Food and Drug Administration FDA. UTVIG/NUVIG/ANVISA Em 31 de janeiro de 2011. Assunto: Nota de esclarecimento sobre notícia veiculada na mídia que trata de comunicado de segurança da FDA Food and Drug Administration sobre possível associação

Leia mais

NORMAS BÁSICAS PARA INSCRIÇÃO NO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA

NORMAS BÁSICAS PARA INSCRIÇÃO NO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA NORMAS BÁSICAS PARA INSCRIÇÃO NO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA Validação Revalidação (versão atualizada: 27.03.15) O Programa de Certificação de Qualidade em Mamografia do CBR, para

Leia mais

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande,

Apesar de ser um tumor maligno, é uma doença curável se descoberta a tempo, o que nem sempre é possível, pois o medo do diagnóstico é muito grande, Cancêr de Mama: É a causa mais frequente de morte por câncer na mulher, embora existam meios de detecção precoce que apresentam boa eficiência (exame clínico e auto-exame, mamografia e ultrassonografia).

Leia mais

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital. Unidade de Aprendizagem Radiológica. Professor Paulo Christakis

29/08/2011. Radiologia Digital. Princípios Físicos da Imagem Digital. Unidade de Aprendizagem Radiológica. Professor Paulo Christakis Radiologia Digital Unidade de Aprendizagem Radiológica Princípios Físicos da Imagem Digital Professor Paulo Christakis 1 Em sistemas digitais de imagens médicas, as mudanças não se apresentam somente no

Leia mais

O Novo BI-RADS. Introdução. MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM.

O Novo BI-RADS. Introdução. MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM. 1 O Novo BI-RADS MARCONI LUNA Pres. Departamento de Mamografia da SBM. Introdução No Congresso Americano de Radiologia em dezembro de 2003 (RSNA) em Chicago foi divulgado a 4ª edição do BI-RADS (Breast

Leia mais

Radiação Espalhada no Paciente

Radiação Espalhada no Paciente Interação dos Raios X com a Matéria Os Raios-X podem ser: Transmitidos, Absorvidos, Espalhados. A probabilidade da interação depende da energia do fóton incidente, da densidade do meio, da espessura do

Leia mais

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama

Cancro da Mama. Estrutura normal das mamas. O que é o Cancro da Mama Cancro da Mama O Cancro da Mama é um tumor maligno que se desenvolve nas células do tecido mamário. Um tumor maligno consiste num grupo de células alteradas (neoplásicas) que pode invadir os tecidos vizinhos

Leia mais

Técnico em Radiologia Mamografia Técnico em Radiologia Mamografia

Técnico em Radiologia Mamografia Técnico em Radiologia Mamografia Técnico em Radiologia Mamografia Técnico em Radiologia Mamografia MAMOGRAFIA ANATOMIA RADIOLÓGICA CÂNCER DE MAMA Até recentemente, o câncer de mama era a causa principal de morte por câncer em mulheres.

Leia mais

TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL. Qual a diferença para a mamografia 2 D?

TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL. Qual a diferença para a mamografia 2 D? TOMOSSINTESE MAMÁRIA DIGITAL O que é? Qual a diferença para a mamografia 2 D? Quais são suas indicações? TOMOSSINTESE EVOLUÇÃO TECNOLÓGICA DA MAMOGRAFIA Maior detalhe da estrutura mamária Grande promessa

Leia mais

Aplicações das Técnicas de Radiodiagnóstico em Patologias do Tórax Tr. André Luiz S. de Jesus

Aplicações das Técnicas de Radiodiagnóstico em Patologias do Tórax Tr. André Luiz S. de Jesus Radiologia Torácica Patológica Aplicações das Técnicas de Radiodiagnóstico em Patologias do Tórax Tr. André Luiz S. de Jesus Importância Diagnóstica É fundamental um exame satisfatório e de qualidade

Leia mais

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014. O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo?

NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014. O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? NEWS: ARTIGOS CETRUS Ano VI Edição 59 Outubro 2014 O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? O novo BI-RADS Ultrassonográfico (Edição 2013) - O que há de novo? AUTORA Dra. Patrícia

Leia mais

Entendendo o ImageChecker CAD 10.0 Manual do Usuário

Entendendo o ImageChecker CAD 10.0 Manual do Usuário BREAST IMAGING SOLUTIONS Entendendo o ImageChecker CAD 10.0 Manual do Usuário MAN-03682-2301 Rev 002 Entendendo o ImageChecker CAD 10.0 Manual do Usuário MAN-03682-2301 Rev 002 Suporte técnico Na América

Leia mais

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução

CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO. Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto. Introdução CAPÍTULO 2 CÂNCER DE MAMA: AVALIAÇÃO INICIAL E ACOMPANHAMENTO Ana Flavia Damasceno Luiz Gonzaga Porto Introdução É realizada a avaliação de um grupo de pacientes com relação a sua doença. E através dele

Leia mais

Técnico em Radiologia

Técnico em Radiologia UNIOESTE Universidade Estadual do Oeste do Paraná Diretoria de Concursos 1º TESTE SELETIVO 2005 PARA A CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA POR EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO DE PROFISSIONAIS DA ÁREA DA SAÚDE PARA O

Leia mais

Foi Wilhelm Conrad Röntgen (1845-1923) quem descobriu e batizou os Raios X, além de fazer a primeira radiografia da história. Isto ocorreu quando

Foi Wilhelm Conrad Röntgen (1845-1923) quem descobriu e batizou os Raios X, além de fazer a primeira radiografia da história. Isto ocorreu quando Thiago Machado Foi Wilhelm Conrad Röntgen (1845-1923) quem descobriu e batizou os Raios X, além de fazer a primeira radiografia da história. Isto ocorreu quando Röntgen estudava o fenômeno da luminescência

Leia mais

Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL

Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL Aula 4: TÉCNICA RADIOGRÁFICA INTRA-ORAL Técnicas Radiográficas Periapical Exame do dente e osso alveolar que o rodeia; Interproximal Diagnóstico de cáries proximais, excessos marginais de restaurações;

Leia mais

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO

CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO CANCER DE MAMA FERNANDO CAMILO MAGIONI ENFERMEIRO DO TRABALHO OS TIPOS DE CANCER DE MAMA O câncer de mama ocorre quando as células deste órgão passam a se dividir e se reproduzir muito rápido e de forma

Leia mais

PROVA OBJETIVA. Técnico de Radiologia

PROVA OBJETIVA. Técnico de Radiologia Unioeste Diretoria de Concursos Concurso Público para o Provimento de Cargos Públicos para Atuação no Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP) PROVA OBJETIVA Técnico de Radiologia Instruções para

Leia mais

existia mais de 1,5 milhões de mulheres adultas de todas as idades com implantes de silicone na mama (NAIM 202, 1999). O relatório mostrou também que

existia mais de 1,5 milhões de mulheres adultas de todas as idades com implantes de silicone na mama (NAIM 202, 1999). O relatório mostrou também que 1. INTRODUÇÃO Com o número crescente de incidência do câncer de mama no mundo, vem aumentando a busca por conhecimento sobre esse tema por parte da sociedade em geral. Da mesma forma, a reconstrução e

Leia mais

MARCAÇÃO PRÉ-CIRÚRGICA - MANUAL SBM Celestino de Oliveira Marconi Luna Ricardo Chagas

MARCAÇÃO PRÉ-CIRÚRGICA - MANUAL SBM Celestino de Oliveira Marconi Luna Ricardo Chagas MARCAÇÃO PRÉ-CIRÚRGICA - MANUAL SBM Celestino de Oliveira Marconi Luna Ricardo Chagas A maior utilização da mamografia no rastreio do câncer de mama tem conduzido à detecção de anomalias impalpáveis que

Leia mais

DESPACHO DO MINISTRO CONSULTA PÚBLICA Nº 8 DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011.

DESPACHO DO MINISTRO CONSULTA PÚBLICA Nº 8 DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011. DESPACHO DO MINISTRO CONSULTA PÚBLICA Nº 8 DE 10 DE NOVEMBRO DE 2011. O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE torna pública, nos termos do artigo 34, inciso II, c/c artigo 59 do Decreto n o 4.176, de 28 de março

Leia mais

TÉCNICAS RADIOLÓGICAS KV e mas

TÉCNICAS RADIOLÓGICAS KV e mas SÉRIE RADIOLOGIA E SABER 1 TÉCNICAS RADIOLÓGICAS KV e mas ALGUNS TÓPICOS POR: PROF. RONALDO J. CALIL KV determina o contraste. O contraste é responsável pela imagem preta e branca na radiografia, muito

Leia mais

OUTUBRO. um mes PARA RELEMBRAR A IMPORTANCIA DA. prevencao. COMPARTILHE ESSA IDEIA.

OUTUBRO. um mes PARA RELEMBRAR A IMPORTANCIA DA. prevencao. COMPARTILHE ESSA IDEIA. OUTUBRO ROSA ^ um mes PARA RELEMBRAR A IMPORTANCIA DA ~ prevencao. COMPARTILHE ESSA IDEIA. ~ ^ O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete

Leia mais

OTIMIZAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA NA MAMA E DA QUALIDADE DA IMAGEM NOS SISTEMAS DE MAMOGRAFIA DIGITAL

OTIMIZAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA NA MAMA E DA QUALIDADE DA IMAGEM NOS SISTEMAS DE MAMOGRAFIA DIGITAL XX CONGRESSO BRASILEIRO DE FÍSICA MÉDICA SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE PROTEÇÃO RADIOLÓGICA EM MEDICINA OTIMIZAÇÃO DA DOSE GLANDULAR MÉDIA NA MAMA E DA QUALIDADE DA IMAGEM NOS SISTEMAS DE MAMOGRAFIA DIGITAL

Leia mais

visite o nosso site de Radiologia: playmagem.com.br

visite o nosso site de Radiologia: playmagem.com.br visite o nosso site de Radiologia: playmagem.com.br Cleoneide Pontes da silva Girlene Maria do Nascimento Ribeiro Juliana Martins Camelo Ivete da Motta Cleim Patrícia dos Santos Rodriguês Renata Barbosa

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DOS TESTES DE QUALIDADE DA IMAGEM E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA O PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE EM MAMOGRAFIA - CBR

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DOS TESTES DE QUALIDADE DA IMAGEM E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA O PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE EM MAMOGRAFIA - CBR INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DOS TESTES DE QUALIDADE DA IMAGEM E ORIENTAÇÕES TÉCNICAS PARA O PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DA QUALIDADE EM MAMOGRAFIA - CBR O Programa de Certificação da Qualidade em Mamografia

Leia mais

REFLEXÃO DA LUZ: ESPELHOS 412EE TEORIA

REFLEXÃO DA LUZ: ESPELHOS 412EE TEORIA 1 TEORIA 1 DEFININDO ESPELHOS PLANOS Podemos definir espelhos planos como toda superfície plana e polida, portanto, regular, capaz de refletir a luz nela incidente (Figura 1). Figura 1: Reflexão regular

Leia mais

de nódulos axilares e sintomas como desconforto e dor, são importantes para o diagnóstico e conduta a serem tomados em cada caso. Há exames de imagem

de nódulos axilares e sintomas como desconforto e dor, são importantes para o diagnóstico e conduta a serem tomados em cada caso. Há exames de imagem ANEXO MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA COORDENAÇÃO-GERAL DA MÉDIA E ALTA COMPLEXIDADE SAF Sul, lotes 5/6, Ed. Premium, Torre II, Sala 23 CEP: 7.7-6

Leia mais

POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS

POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS POSICIONAMENTO RADIOGRÁFICO E ANATOMIA RADIOGRÁFICA EM PEQUENOS ANIMAIS Nomenclatura para os posicionamentos Ao posicionarmos o paciente com o propósito de efetuar radiografias, deve-se dar nome a este

Leia mais

Tomografia Computadorizada

Tomografia Computadorizada Tomografia Computadorizada Características: não sobreposição de estruturas melhor contraste ( menos radiação espalhada) usa detectores que permitem visibilizar pequenas diferenças em contraste de tecido

Leia mais

RM MAMÁRIA: quando indicar?

RM MAMÁRIA: quando indicar? RM MAMÁRIA: quando indicar? Lucio De Carli Serviço de Diagnóstico por Imagem da Mama Hospital Mãe de Deus SSMD Porto Alegre/RS e-mail: luciodc@terra.com.br RM MAMÁRIA - indicações - Incoerência EF x MG

Leia mais

A Estética da Mama CLÍNICA FERNANDO BASTO

A Estética da Mama CLÍNICA FERNANDO BASTO A Estética da Mama A estética da mama responde a costumes étnicos, sociais e culturais. Há não muitos anos, no Brasil as mulheres solicitavam a diminuição do volume do seio, quando a aspiração do inconsciente

Leia mais

Exames Radiográficos de Membros Superiores e Cintura Escapular: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário

Exames Radiográficos de Membros Superiores e Cintura Escapular: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário Exames Radiográficos de Membros Superiores e Cintura Escapular: Abordagem, Incidências e Posicionamentos do Usuário Marinei do Rocio Pacheco dos Santos 1 1 Considerações Iniciais As radiografias de membros

Leia mais

Espelhos Esféricos. Definições e Elementos:

Espelhos Esféricos. Definições e Elementos: Definições e Elementos: Calota Esférica. Espelho Esférico é uma calota esférica na qual uma das faces é refletora. Espelho Côncavo Superfície refletora interna. Espelho Convexo Superfície refletora externa.

Leia mais

ROTEIRO PARA INSCRIÇÃO NO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA CBR

ROTEIRO PARA INSCRIÇÃO NO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA CBR ROTEIRO PARA INSCRIÇÃO NO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE EM MAMOGRAFIA CBR 1. PRIMEIRO PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE: 1.1 Os serviços que desejarem obter a certificação da qualidade deverão

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE LAUDO NO SISTEMA DE INFORMAÇÃO DO CONTROLE DO CÂNCER DE MAMA

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE LAUDO NO SISTEMA DE INFORMAÇÃO DO CONTROLE DO CÂNCER DE MAMA MINISTÉRIO DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (INCA) ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE LAUDO NO SISTEMA DE INFORMAÇÃO DO CONTROLE DO CÂNCER DE MAMA Rio de Janeiro, RJ 2011 2011 Instituto Nacional de Câncer/

Leia mais

A participação do radiologista no controle da qualidade da mamografia

A participação do radiologista no controle da qualidade da mamografia VII Encontro Nacional para o Controle do Câncer de Colo do Útero e de Mama QUALIDADE DA MAMOGRAFIA A participação do radiologista no controle da qualidade da mamografia Objetivo - Roteiro Descrever as

Leia mais

Reflexão. A reflexão ocorre quando a luz incide sobre a superfície de separação entre dois meios com propriedades distintas.

Reflexão. A reflexão ocorre quando a luz incide sobre a superfície de separação entre dois meios com propriedades distintas. Ótica Reflexão A reflexão ocorre quando a luz incide sobre a superfície de separação entre dois meios com propriedades distintas. A reflexibilidade é a tendência dos raios de voltarem para o mesmo meio

Leia mais

4.2. Técnicas radiográficas especiais

4.2. Técnicas radiográficas especiais SEL 5705 - FUNDAMENTOS FÍSICOS DOS PROCESSOS DE FORMAÇÃO DE IMAGENS (III. Raios-X) Prof. Homero Schiabel (Sub-área de Imagens Médicas) 4.2. Técnicas radiográficas especiais 4.2.1. Abreugrafia Chapa, em

Leia mais

O melhor da tecnologia em prol da saúde da mulher. Graph Mammo DR Equipamento para mamografia digital. Catálogo Comercial

O melhor da tecnologia em prol da saúde da mulher. Graph Mammo DR Equipamento para mamografia digital. Catálogo Comercial O melhor da tecnologia em prol da saúde da mulher Graph Mammo DR Equipamento para mamografia digital Catálogo Comercial Nova tecnologia digital para Philips, sempre surpreendendo positivamente seus clientes!

Leia mais

PET- SAÚDE NO RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA.

PET- SAÚDE NO RASTREAMENTO DO CÂNCER DE MAMA. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA

VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA PIBIC-UFU, CNPq & FAPEMIG Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA VISUALIZAÇÃO VOLUMÉTRICA DE EXAMES DE RESSONÂNCIA MAGNÉTICA DA MAMA Gabriel Jara

Leia mais

Quando se detecta um nódulo, é fundamental conhecer a sua origem com toda a segurança, e isso só é possível através do seu estudo histológico.

Quando se detecta um nódulo, é fundamental conhecer a sua origem com toda a segurança, e isso só é possível através do seu estudo histológico. Cancro da Mama * O que deve saber O cancro apavora, mas a maior parte dos nódulos da mama não são cancerosos! São Fibroadenomas (nódulos benignos) ou então trata-se de uma doença chamada Doença Fibroquística

Leia mais

PATOLOGIA DA MAMA. Ana Cristina Araújo Lemos

PATOLOGIA DA MAMA. Ana Cristina Araújo Lemos PATOLOGIA DA MAMA Ana Cristina Araújo Lemos Freqüência das alterações mamárias em material de biópsia Alteração fibrocística 40% Normal 30% Alterações benignas diversas 13% Câncer 10% Fibroadenoma

Leia mais

GE Healthcare. Equipamento avançado de radiografia digital com o detector FlashPad

GE Healthcare. Equipamento avançado de radiografia digital com o detector FlashPad GE Healthcare Equipamento avançado de radiografia digital com o detector FlashPad O Discovery* XR656 oferece produtividade e fluxo de trabalho graças ao FlashPad*, um detector sem fio 1 totalmente digital

Leia mais

TECNOLOGIA RADIOLÓGICA

TECNOLOGIA RADIOLÓGICA TECNOLOGIA RADIOLÓGICA Prof. Walmor Cardoso Godoi, M.Sc. http://www.walmorgodoi.com Aula 05 Qualidade Radiográfica Agenda Qualidade radiográfica, resolução, velocidade, d curva característica, ti densidade

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ABAIXO Página: 1 LEIA AENAMENE AS INSRUÇÕES ABAIXO 01- Você recebeu do fiscal o seguinte material: a) Este caderno com o enunciado das 50 (cinqüenta) questões objetivas de caráter específico; Prova Objetiva Nº.

Leia mais

1ª Edição do curso de formação em patologia e cirurgia mamária. Programa detalhado

1ª Edição do curso de formação em patologia e cirurgia mamária. Programa detalhado 15.6.2012 MÓDULO 1 - Mama normal; Patologia benigna; Patologia prémaligna; Estratégias de diminuição do risco de Cancro da Mama. 1 1 Introdução ao Programa de Formação 9:00 9:15 1 2 Embriologia, Anatomia

Leia mais

UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu.

UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu. UNILAB no Outubro Rosa Essa luta também é nossa. CUIDAR DA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. cosbem COORDENAÇÃO DE SAÚDE E BEM-ESTAR www.unilab.edu.br CUIDAR DA SUA SAÚDE É UM GESTO DE AMOR À VIDA. As mamas

Leia mais

Laboratório Virtual Kit Óptico

Laboratório Virtual Kit Óptico Laboratório Virtual Kit Óptico Reflexão A luz nem sempre se propaga indefinidamente em linha reta: em algumas situações eles podem se quebrar, como acontece quando um espelho é colocado em seu caminho.

Leia mais

GE XR6000. Simples e compacto. Do jeito que você precisa.

GE XR6000. Simples e compacto. Do jeito que você precisa. GE XR6000 Simples e compacto. Do jeito que você precisa. A GE Healthcare sempre investiu no que há de mais avançado em tecnologia para oferecer a você produtos de alta qualidade. Seguindo estes princípios,

Leia mais

FÍSICA DO RX. Cristina Saavedra Almeida fisicamed

FÍSICA DO RX. Cristina Saavedra Almeida fisicamed FÍSICA DO RX Cristina Saavedra Almeida fisicamed O QUE É RADIAÇÃO Pode ser gerada por fontes naturais ou por dispositivos construídos pelo homem. Possuem energia variável desde valores pequenos até muito

Leia mais

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral

Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral Luxação do Ombro ou Luxação Gleno Umeral INTRODUÇÃO Oque é Luxação Gleno Umeral? Luxação é o termo empregado quando há perda de contato entre os ossos que compõem uma articulação. No caso do ombro a articulação

Leia mais

Câncer. Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável. Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama

Câncer. Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável. Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama Câncer Como se Prevenir e Ter uma Vida Saudável Pele Colo de Útero Próstata Boca Mama A prevenção e a única maneira fácil, segura e acessível de combater ao câncer Apoio: Liga Bahiana Contra o Câncer -

Leia mais

Essential para vida. Senographe Essential Sistema de mamografia digital de campo total

Essential para vida. Senographe Essential Sistema de mamografia digital de campo total Essential para vida Senographe Essential Sistema de mamografia digital de campo total A excelência em mamografia digital de campo total (FFDM) é um processo de busca contínua para o aprimoramento da tecnologia

Leia mais

ÁREA/ESPECIALIDADE: TÉCNICO EM RADIOLOGIA

ÁREA/ESPECIALIDADE: TÉCNICO EM RADIOLOGIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO ÁREA/ESPECIALIDADE: TÉCNICO EM RADIOLOGIA 259 INSTRUÇÕES AO CANDIDATO

Leia mais

Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004

Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004 Fraturas C1 / C2 Lucienne Dobgenski 2004 Anatomia Atlas Axis Anatomia AP Perfil Mecanismo de Trauma Trauma axial em flexão Trauma axial - neutro Fraturas do Côndilo Occipital Os côndilos occipitais são

Leia mais

Comprovação dos índices de refração

Comprovação dos índices de refração Comprovação dos índices de refração 1 recipiente de vidro; 1 bastão de vidro, e Glicerina. 1. Encha até a metade o recipiente com glicerina, depois basta afundar o bastão de vidro na glicerina e pronto!

Leia mais