! " # $ $ %& '( )**+

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "! " # $ $ %& '( )**+"

Transcrição

1 !"#$ $%& '()**+

2

3 ÍNDICE ÍNDICE 3 CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO AO SAS 5 APLICAÇÕES SAS 5 BIBLIOTECAS 6 PROJECTOS 7 SAS ENTERPRISE GUIDE 7 ENTERPRISE BI SERVER 8 ENTERPRISE MINER 8 CAPÍTULO 2 EXPLORAÇÃO DE DADOS 11 CRIAÇÃO DE PROJECTOS 11 IMPORTAÇÃO DE DADOS 12 LEITURA DE TABELAS DE DADOS SAS 12 PROVENIENTES DE FICHEIROS EXCEL 13 PROVENIENTES DE FICHEIROS DE TEXTO 13 PROVENIENTES DE BASES DE DADOS RELACIONAIS 15 CRIAÇÃO DE RELATÓRIOS 15 LISTAGENS 15 TAREFAS DE AGREGAÇÃO 17 GRÁFICOS 18 UTILIZAÇÃO DE INTERROGAÇÕES SQL 18 INTERROGAÇÕES SIMPLES 18 INTERROGAÇÕES COM AGREGAÇÕES 19 JUNÇÃO DE TABELAS JOIN 19 PARAMETRIZAÇÃO DE INTERROGAÇÕES 20 CAPÍTULO 3 CRIAÇÃO DE CUBOS 23 CRIAÇÃO DE CUBOS A PARTIR DE UMA TABELA DE DETALHE 24 CRIAÇÃO DE CUBOS A PARTIR DE UM ESQUEMA EM ESTRELA 27 CAPÍTULO 4 OLAP 31 OPERAÇÕES OLAP 32 OPERAÇÕES DE ROLL-UP E DRILL-DOWN 33 PIVOTING 34 LINGUAGEM MDX 34 CAPÍTULO 5 INTRODUÇÃO AO ENTERPRISE MINER 37 CRIAÇÃO DE BIBLIOTECAS NO SAS BASE 37 Cláudia Antunes 3

4 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório PROCESSO DE DESCOBERTA DE INFORMAÇÃO 38 SELECÇÃO DOS DADOS 39 EXPLORAÇÃO DOS DADOS 41 MODIFICAÇÃO DOS DADOS 42 MODELAÇÃO DOS DADOS 42 AVALIAÇÃO DOS MODELOS 42 CAPÍTULO 6 REGRAS DE ASSOCIAÇÃO 45 CAPÍTULO 7 CLUSTERING 47 SEGMENTAÇÃO PELOS K-VIZINHOS MAIS PRÓXIMOS 47 MEDIDAS DE SEMELHANÇA 48 CAPÍTULO 8 CLASSIFICAÇÃO BASEADA EM INSTÂNCIAS 51 CLASSIFICAÇÃO PELOS K-VIZINHOS MAIS PRÓXIMOS 51 CAPÍTULO 9 ÁRVORES DE DECISÃO 53 CAPÍTULO 10 REDES NEURONAIS 57 CAPÍTULO 11 COMPARAÇÃO DE MODELOS 61 Cláudia Antunes 4

5 Capítulo 1 INTRODUÇÃO AO SAS O software SAS é uma das ferramentas de Business Intelligence actualmente disponíveis no mercado, e integra várias componentes num único produto de software. Destas componentes destacam-se o Enterprise Guide, o Enterprise BI Server e o Enterprise Miner usados na disciplina de Sistemas de Apoio à Decisão do Instituto Superior Técnico. Esta ferramenta será apenas usada como meio para ilustrar e experimentar a aplicação das técnicas e metodologias estudadas. De modo a ilustrar a utilização do software, considerou-se que todos os ficheiros necessários à realização das tarefas serão colocados em pastas na directoria c:/sad. APLICAÇÕES SAS As aplicações SAS são aplicações gráficas interactivas, que funcionam sob uma mesma filosofia. Esta consiste essencialmente na definição de processos que são compostos por uma sequência de tarefas a executar sobre os dados. Estas tarefas correspondem a tipos específicos de análises ou relatórios que podem ser aplicados aos dados. Associado a cada tarefa existe um bloco de código SAS, que é executado sobre os dados analisados pela tarefa, na sequência definida pelo fluxo do processo. De uma forma simplista, a interacção com as aplicações SAS pode ser vista como uma sequência de quatro etapas: 1. Criação de um projecto; 2. Adição dos dados a analisar; 3. Execução das tarefas de análise; 4. Visualização dos resultados / relatórios criados. Cláudia Antunes 5

6 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório De modo a facilitar a definição e execução dos processos, as aplicações têm ambientes de trabalho semelhantes, compostos por várias janelas, cada uma das quais desempenhando um objectivo específico. Em particular, todas apresentam: uma Explorer Area em que se listam as fontes de dados disponíveis, organizadas em bibliotecas, que por sua vez se localizam em servidores virtuais; uma Task Area em que se listam as tarefas disponíveis para utilização e uma Process Area em que se define e visualiza o processo a aplicar. Esta área tipicamente dá acesso ao fluxo de processos, aos logs originados durante a execução do processo e ao código SAS gerado. As janelas são acompanhadas por um conjunto de menus e toolbars, dependentes de contexto, pelo que o seu uso é por vezes difícil, uma vez que dependendo da janela activa as opções disponíveis são significativamente diferentes. A Figura 1 apresenta a interface da aplicação base do SAS. Figura 1 Interface da aplicação base do SAS A gestão eficiente dos vários processos é feita através da organização dos diferentes processos em projectos e dos dados em bibliotecas. A definição dos projectos é diferente nas diversas aplicações e será introduzida mais tarde. Bibliotecas Uma biblioteca SAS (Library) é um ponteiro para a localização de uma pasta com os ficheiros criados pelo utilizador. Uma vez criada, o SAS consegue aceder aos ficheiros existentes na biblioteca. Quando uma biblioteca é apagada, os ficheiros mantém-se em disco, mas ficam inacessíveis a partir do SAS. No entanto, é possível criar bibliotecas em várias das aplicações SAS: no SAS Base, no SAS Enterprise Guide Administrator, no SAS OLAP Cube Studio, etc. Em qualquer caso apenas é necessário definir Cláudia Antunes 6

7 Capítulo 1 Introdução ao SAS alguns parâmetros. As aplicações SAS apresentam algumas bibliotecas pré-definidas como é o caso da biblioteca WORK que armazena temporariamente os ficheiros gerados, e da biblioteca SASUSER, que os guarda numa pasta designada My SAS Files (por omissão). É conveniente criar duas bibliotecas: uma para dados e outra para os projectos. NOTA: Apesar de teoricamente as bibliotecas criadas ficarem disponíveis para todas as aplicações SAS, isso não acontece. Para que consigam manipular bibliotecas em cada aplicação do SAS, é necessário criar aí as bibliotecas. Projectos Tal como as bibliotecas, os projectos são apenas formas de gerir, neste caso os conjuntos de dados e os processos aplicados. O objectivo dos projectos é criar espaços de trabalho dedicados a cada problema individual. Assim, deve criar um projecto diferente para cada objectivo a atingir. SAS ENTERPRISE GUIDE O Enterprise Guide é a aplicação cliente do SAS para fazer exploração de dados, permitindo de forma integrada aceder e analisar dados provenientes de diferentes fontes, em particular de diferentes máquinas. A análise pode ser feita sobre tabelas ou cubos de dados, produzindo novas tabelas e relatórios que podem ser partilhados e utilizados pelas restantes aplicações do SAS. No Enterprise Guide, todas as tarefas são parametrizadas segundo uma interface comum, em que as opções de parametrização são apresentadas na área Selection (Selection Pane) do lado esquerdo da janela. Cláudia Antunes 7

8 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório ENTERPRISE BI SERVER O SAS Enterprise BI Server é um pacote de ferramentas que integra a construção, exploração e visualização de dados, permitindo a sua organização segundo modelos mais adequados ao apoio à decisão. Nas aulas de laboratório da disciplina, serão usadas apenas parte das potencialidades deste pacote: o SAS OLAP Cube Studio e o SAS Management Console. O SAS OLAP Cube Studio permite a definição e criação de cubos, funcionando em ligação com o servidor de metadados e o servidor de OLAP (que devem estar a correr em background). O SAS Management Console é apenas uma ferramenta que permite a gestão dos vários utilizadores e serviços, nomeadamente a gestão do funcionamento dos servidores referidos. ENTERPRISE MINER O Enterprise Miner é o pacote do SAS para Data Mining, ou seja, que executa processos de extracção de informação, desde o acesso aos dados até à visualização da informação descoberta. Sendo um pacote, funciona dentro do SAS Base. O Instituto SAS define data mining como o processo de Seleccionar (Sample), Explorar (Explore), Modificar (Modify), Modelar (Model) e Avaliar (Assess) SEMMA grandes quantidades de dados, para descobrir padrões previamente desconhecidos : A Selecção dos dados é efectuada com a criação de tabelas. Estas devem conter dados suficientes e significativos, mas ter um tamanho que não inviabilize o processo de descoberta (por o tornar demasiado lento ou inoperante). A Exploração dos dados consiste na análise manual dos dados, de forma a adquirir algum Cláudia Antunes 8

9 Capítulo 1 Introdução ao SAS conhecimento prévio que ajude na definição dos objectivos do processo. A Modificação dos dados é realizada pela criação, selecção e transformação das variáveis envolvidas no problema, de modo a ajudar a escolher o melhor modelo a usar no processo. A Modelação dos dados é concretizada pela aplicação das ferramentas de análise disponíveis no pacote, nomeadamente árvores de decisão, redes neuronais, entre outros. É esta a etapa responsável pela descoberta de informação, propriamente dita. A Avaliação consiste em analisar os resultados obtidos no passo anterior, de modo a determinar a sua utilidade e fiabilidade. O processo é conduzido por um fluxograma, que pode ser modificado e gravado. Este é desenhado de forma a que o analista do negócio, que tem poucos ou nenhums conhecimentos de data mining, o possa utilizar para descobrir informação face a novos dados. O Enterprise Miner contém um conjunto de tarefas de análise que podem ser combinadas de modo a criar e comparar múltiplos modelos. Para além destas existem tarefas para preparação dos dados, nomeadamente para detecção de pontos isolados, transformação de variáveis, amostragem e partição dos dados em conjuntos de treino, teste e de validação. As suas tarefas de visualização mais avançadas permitem uma análise rápida e fácil dos dados e informação obtidos. Cláudia Antunes 9

10

11 Capítulo 2 EXPLORAÇÃO DE DADOS A forma mais eficiente de explorar dados no SAS é através do SAS Enterprise Guide. Assim, todas as descrições e exercícios neste capítulo dizem respeito a esta aplicação. FICHEIROS NECESSÁRIOS Aceda ao site da disciplina, e copie os ficheiros seguintes para a pasta c:/sad/productsandsuppliers: products.sas7bdat updateorders.sas7bdat supplyinfo.xls orders.txt profit.sas7bdat CRIAÇÃO DE PROJECTOS A criação de projectos no Enterprise Guide é feito do seguinte modo: Exercício 1 1. Seleccione FileNewProject a partir da barra de menus. 2. Como resultado, o espaço de trabalho passa a apresentar a janela de projecto, com a listagem das tarefas de cada processo (Process Window) e com os fluxos de processos definidos no projecto (Process Flow Window). Na altura de criação do projecto ambas as janelas estão vazias. Cláudia Antunes 11

12 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório IMPORTAÇÃO DE DADOS Os ficheiros de dados SAS têm extensão.sas7bdat e consistem simplesmente numa tabela de dados, semelhante a uma tabela de um modelo relacional. Sendo os dados aí contidos de um de dois tipos: character (textual) ou numeric (numérico). Os dados do tipo Data, Tempo ou Moeda são armazenados como numeric e podem ser apresentados com formatos específicos mais amigáveis. Há ainda a salientar que um valor omisso (missing value) é representado como um ponto se o atributo for numérico ou em branco se o atributo for textual. Leitura de Tabelas de Dados SAS Quando uma tabela de dados é importada, esta fica em modo de leitura (Read Only), e apenas pode ser consultada, não sendo permitido outro tipo de alterações como a inserção de novas colunas ou edição de valores ou dos rótulos dos atributos. Exercício 2 3. Seleccione FileOpenFrom my computer (ou Existing na versão 1.3) a partir da barra de menus. 4. Abra o ficheiro products.sas7bdat, existente na pasta c:/sad/productsandsuppliers ou arraste o ficheiro a partir da biblioteca ProdSupp da Explorer Window para a Project Window. 5. De imediato será aberta a janela com os dados existentes na tabela. De modo a permitir operações de edição sobre as tabelas importadas é necessário alterar o seu modo para edição (Update). Depois desta alteração é então possível: editar valores, editar e formatar os rótulos dos atributos, apagar linhas e colunas, ordenar os dados e criar novos atributos (colunas) ou novos registos (linhas). Exercício 3 1. Abra a tabela updateorders.sas7bdat, existente na pasta c:/sad/productsandsuppliers. 2. Altere o modo de edição da tabela seleccionando a opção DataRead-only (a tabela tem de estar aberta, para que a opção esteja acessível). Cláudia Antunes 12

13 Capítulo 2 Exploração de Dados 3. Apague o atributo UnitsInStock, seleccionando a opção Delete a partir do menu pop-up que surge quando o rato está sobre o rótulo do atributo. 4. Altere o rótulo do atributo AcctNumber, seleccionando a opção Properties, através do menu pop-up. Altere o nome para CustID e o rótulo para Customer ID. 5. Crie um novo atributo Revenue. Para tal seleccione a última coluna da tabela e seleccione a opção DataColumnsInsert... Preencha o nome e rótulo com Revenue e assegure-se que o tipo do novo atributo é numérico. De forma a criar valores para o atributo criado faça: a) Seleccione o botão... (junto à list box Expression) de modo a abrir o Expression Builder. b) Seleccione a área Values, e dos atributos disponíveis em Value crie a expressão Quantity*SellPrice. c) Seleccione o formato Currency em euros com largura 10 e 2 casas decimais. 6. Volte a colocar a tabela no modo de leitura. Provenientes de Ficheiros Excel Para além dos ficheiros SAS, a aplicação aceita outros ficheiros, por exemplo do tipo EXCEL. Exercício 4 1. Seleccione FileOpenFrom my computer (ou Existing na versão 1.3) a partir da barra de menus. 2. Abra o ficheiro SupplyInfo.xls, existente na pasta c:/sad/productsandsuppliers. 3. Como o ficheiro tem várias folhas (sheets) aparece uma janela para seleccionar a folha. Escolha a opção Suppliers$. 4. Em seguida seleccione a opção Select this option if you want to open the file as a SAS data set, para que o ficheiro seja importado para o formato SAS. 5. Na área Region To Import, active a opção Specify line to use as columns headings, e mantenha a linha Para que o ficheiro seja guardado no sítio certo, aceda à área Results e, clicando no botão Modify, escolha a biblioteca pretendida (ProdSupp) e um nome adequado (SUPPLYINFO). 7. Execute a tarefa, clicando em Run. Novamente, o SAS abrirá a tabela gerada. Provenientes de Ficheiros de Texto A importação de dados provenientes de ficheiros de texto é semelhante à importação do mesmo tipo de ficheiros no Microsoft Excel. Cláudia Antunes 13

14 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório Exercício 5 1. Seleccione FileOpenFrom my computer (ou Existing na versão 1.3) a partir da barra de menus. 2. Abra o ficheiro orders.txt, existente na pasta c:/sad/productsandsuppliers. 3. Seleccione a opção Select this option if you want to open the file as a SAS data set, como anteriormente. 4. Em seguida aparecerá uma janela de tarefas, que o guiará na importação deste tipo de ficheiros. Para tal, seleccione Text Format na área Selection, e escolha Delimited caso o seu ficheiro tenha os valores separados por vírgulas ou tabs ou Fixed caso os valores em cada coluna / atributo ocupem o mesmo número de caracteres. 5. No segundo caso, será necessário escolher os limites de cada coluna como na próxima figura. 6. Em seguida pode definir as propriedades de cada coluna, determinando por exemplo o formato em que os dados devem ser lidos (Read format também designado Informat) e apresentados (Display format), assim como o tipo de dados (Type) e o nome (Name) ou rótulo (Label) do atributo. 7. Faça as seguintes alterações aos atributos: a) Column 1: ignore os seus dados (Include in outputno); b) Column 2: Name= ProdId ; Label= Product ID ; Lenght=4; c) Column 3: Name=Label= Quantity ; Type= Numeric ; d) Column 4: Name=Label= SellPrice ; Type= Numeric ; Displayformat=CurrencyEUROw.d(width=8); e) Column 5: Name=Label= Revenue ; Type= Numeric ; Displayformat=CurrencyEUROw.d(width=10); 8. Seleccione Results na área Selection, e altere a localização do ficheiro para a biblioteca ProdSupp (definida no Capítulo 1), assim como o nome para ORDERS. 9. Finalmente, seleccione a opção Run, através do menu pop-up que aparece associado à tarefa Import Data. 10. Salve o projecto. Cláudia Antunes 14

15 Capítulo 2 Exploração de Dados Provenientes de Bases de Dados Relacionais A importação de tabelas de uma base de dados relacional pode ser feita através de uma ligação ODBC. CRIAÇÃO DE RELATÓRIOS De modo a apresentar os resultados de exploração dos dados ao utilizador final, o Enterprise Guide é capaz de gerar relatórios em quatro formatos: texto, HTML, PDF e RTF. Assim, a execução de cada tarefa pode gerar um relatório num destes formatos, sendo possível customizar a sua aparência, assim como os títulos, cabeçalhos e rodapés, a partir da opção Titles na área Selection de cada tarefa. Para a alteração do estilo do relatório a gerar no formato HTML, é possível escolher um estilo já existente em ToolsOptionsResultsHTML, alterá-lo na opção Manage Styles ou criar um novo a partir de um ficheiro.css (procedimento semelhante ao seguido no Microsoft Frontpage). Listagens A listagem (List Data) é o relatório mais simples que o Enterprise Guide consegue gerar. Trata-se de um relatório simples em que se pode escolher, entre outros detalhes: As variáveis a analisar (List variables); Os totais a apresentar (Total of); Que agrupamentos usar (Group By) Exercício 6 1. Seleccione a tabela de dados SupplyInfo. 2. Escolha a opção DescribeList Data a partir da barra de menus. 3. De forma a listar a morada dos fornecedores, agrupados por país (como se mostra), faça: a) Arraste as variáveis CompanyName, Address e City da área Variables para a área Task Roles, como List Variables; b) Seleccione o atributo Country para agrupar os fornecedores (Group By); ordene-os por ordem alfabética; c) Seleccione o atributo Country também como Identifying Label, de modo a que cada país apareça apenas uma vez; d) Para alterar o identificador da coluna de fornecedores, seleccione CompanyName (sob Cláudia Antunes 15

16 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório o papel de List Variable) e seguindo a opção Properties, altere o rótulo para Supplier. e) De modo a especificar outras opções escolha a opção Options na área Selection. 4. Para visualizar o relatório, seleccione o nó criado no fluxo de processos e execute-o (Run). Para além de listagens simples, que apenas apresentam os dados registados numa tabela, o Enterprise Guide permite a criação de outros relatórios capazes de apresentar algumas estatísticas sobre os dados, como sejam frequências. Existem dois tipos de relatórios disponíveis a partir do menu Describe: de uma (One-Way Frequency) ou de duas frequências (Two-Way Frequency). A construção do primeiro tipo é semelhante à criação de uma listagem simples pelo que apenas apresentaremos o segundo tipo. Exercício 7 1. Seleccione a tabela de dados Products. 2. Escolha a opção DescribeTable Analysis a partir da barra de menus. 3. De forma a determinar quantos dos produtos vendidos estão actualmente disponíveis versus os que foram descontinuados em cada categoria de alimentos, faça: a) Seleccione as variáveis CategoryName e Discontinued como Table Variables arrastando-as; b) Seleccione a opção Tables na área Selection para definir a estrutura da tabela. Arraste a variável Discontinued das variáveis permitidas para a zona <drag variables here> na área Preview; c) Arraste a variável CategoryName para o centro da tabela. Depois disto deverá ter a seguinte estrutura: d) Em seguida especifique as estatísticas que devem ser apresentadas, a partir da opção Cell Statistics. e) Execute o nó de forma a visualizar o relatório gerado, que deve assemelhar-se a Cláudia Antunes 16

17 Capítulo 2 Exploração de Dados Tarefas de Agregação Para além de frequências é possível gerar relatórios com estatísticas mais interessantes, como são médias, medianas, máximos, variâncias, totais (sum), entre outras. Para tal existem tarefas de agregação (Summary Statistics). Um aspecto relevante é o facto de estas tarefas poderem gerar novas tabelas como resultado das suas operações. Exercício 8 1. Faça a importação da tabela de dados Profit.sas7bdat e seleccione-a. 2. Escolha a opção DescribeSummary Statistics a partir da barra de menus. 3. De forma a criar uma tabela sumário que contenha o total dos proveitos gerados pelos produtos adquiridos a cada um dos fornecedores, faça: a) Seleccione a variável Profit como Analysis Variable arrastando-a; b) Seleccione a variável CompanyName como Classification Variable, mantendo os valores de omissão para estas variáveis; c) Seleccione Country como Copy Variable, de modo a incluí-la nos resultados; d) Escolha a média (Mean) e a soma (Sum) como estatísticas a apresentar na opção StatisticsBasic, na área Selection; 4. De modo a guardar os resultados gerados numa tabela, seleccione a opção ResultsSave statistics to data set, escolhendo o nome da nova tabela seleccionando a opção Modify e introduzindo o respectivo nome. 5. Renomeie o nó Summary Statistics criado para Compute Total Profit e analise a tabela de dados gerados. Cláudia Antunes 17

18 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório Gráficos Por fim, o Enterprise Guide disponibiliza ainda a criação de gráficos para incluir nos seus relatórios. Os tipos de gráficos existentes são os geralmente disponíveis noutras aplicações comerciais (Bar, Pie, Area, Line, Surface, Donut,...). E permite a sua geração em diversos formatos (Active X, Java, GIF, JPG). O processo de geração dos gráficos é semelhante à de outras aplicações, como por exemplo o Microsoft Excel. UTILIZAÇÃO DE INTERROGAÇÕES SQL De modo a seleccionar parte dos dados existentes numa tabela, o Enterprise Guide permite a criação de filtros através da definição de interrogações SQL. Tal como noutras aplicações, a definição das interrogações é feita numa interface gráfica designada Query Builder. O Query Builder possui várias funcionalidades, das quais se destacam as existentes nas seguintes áreas de trabalho: Filter Data permite a definição de interrogações SQL simples (apenas com cláusulas WHERE). É, portanto, usado para devolver apenas os registos / linhas que satisfazem os critérios impostos. Estes critérios podem ser baseados em valores de atributos existentes na tabela ou calculados a partir da tabela. Select and Sort é usada para seleccionar que colunas são incluídas no resultado e que papéis desempenham nas interrogações. Tables é usado para fazer junção de várias tabelas que tenham alguma relação entre elas (Join). Group Filters semelhante ao Filter Data mas para interrogações com agregações (Group By e cláusulas HAVING). Esta área não está disponível, caso não exista nenhuma variável seleccionada com o papel group na área Select and Sort. Parameters permite definir parâmetros para criar interrogações parametrizáveis, ou seja, interrogações que dependendo dos valores introduzidos pelo o utilizador durante a execução, devolvem resultados diferentes. Interrogações Simples Exercício 9 1. Seleccione a tabela de dados SupplyInfo. Cláudia Antunes 18

19 Capítulo 2 Exploração de Dados 2. Escolha a opção Create query... a partir do menu pop-up. 3. De forma a criar uma tabela que contenha apenas os fornecedores não-americanos, apresentando unicamente os atributos Country, CompanyName e City faça: a) Na área Filter Data, seleccione a variável Country e arraste-a para a área de edição do filtro; b) Seleccione o botão Column Values de modo a gerar a lista de valores possíveis para a variável em causa (o Enterprise Guide devolve um máximo de 250 valores distintos, por omissão); c) Da lista gerada, seleccione o valor USA ; d) Active a opção Apply NOT to filter; e) De modo a incluir apenas os 3 atributos pretendidos, desactive as check-boxes de todos os atributos excepto os pretendidos, na área Select and Sort. f) Ao ser executada a interrogação irá gerar uma nova tabela, renomeie-a para Non_US_Suppliers na área Advanced, clicando em Change. 4. Execute a interrogação (Run query) e analise a tabela gerada. Interrogações com Agregações Exercício Seleccione a tabela de dados Profit. 2. Escolha a opção Create query... a partir do menu pop-up. 3. De forma a criar uma tabela que contenha uma linha por cada produto cuja média do lucro obtido nas várias encomendas é superior a 25 faça: a) Na área Select and Sort: i ) exclua os atributos City, QuantityPerUnit, UnitCost e CategoryName; ii ) na coluna Group By and Summary Functions (identificada por Σ), para o atributo ProductName, seleccione <group>; iii ) na mesma coluna, mas para o atributo Profit seleccione AVG. Clique uma vez no nome do atributo (CC1) e renomeie-o para ProfitAvg; iv ) desactive a opção Allow Duplicate Rows. b) Na área Group Filters: i ) ii ) arraste o atributo ProfitAvg da área de selecção para a área de edição; na janela de diálogo Edit Filter Condition, seleccione o operador <, less than e o valor 25 no campo Value. c) Na área Advanced, altere o nome do ficheiro a gerar para ProfitAvg. d) Depois de alterar o nome da tabela, execute a interrogação. Junção de Tabelas JOIN Exercício Seleccione a interrogação criada no Exercício 9 alínea f) e crie uma cópia. 2. Renomeie a cópia para ComputeTotalProfit. 3. Clique duas vezes sobre a nova interrogação de modo a editá-la. Deste modo usará a interrogação do Exercício 9 como template. 4. Na área Tables seleccione a opção Add DataProject. Mantendo a tecla CTRL pressionada, seleccione as tabelas Products e Orders. 5. A relação entre a tabela Products e SupplyInfo aparecerá na área Filter Data, mas surgirá uma mensagem de erro por não existir nenhuma relação (automaticamente detectável) entre aquelas tabelas e a tabela Orders. Cláudia Antunes 19

20 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório 6. Clique em OK e estabeleça a relação manualmente, ligando as tabelas Products e Orders através dos atributos ProductID e ProdID. (A ligação é feita clicando no 1º atributo e mantendo o botão do rato premido, enquanto se arrasta o rato para o 2º atributo e se liberta o botão do rato. Aparece uma linha a ligar as duas tabelas). 7. Através da área Select and Sort, apague os atributos ProductID, SupplierID, UnitsInStock, UnitsOnOrder, ReorderLevel, Discontinued e ProdID. 8. Adicione um novo atributo seleccionando a opção New...; altere o campo Alias para Profit e crie uma expressão para calcular os valores do novo atributo, seleccionando a opção Change... a) Seleccione CurrentQuery na área ValuesData Source, e SellPrice em ValuesValue, clicando em Insert. b) Continue a expressão de modo a obter (SellPrice-UnitCost)*Quantity. c) Defina o formato do novo atributo como Currency e EUROw.d d) Altere o nome do ficheiro para ComputeTotalProfit, na área Advanced. 9. Execute a interrogação e analise os resultados. Parametrização de Interrogações Um parâmetro é identificado pelo símbolo &. O Enterprise Guide disponibiliza vários tipos de parâmetros: Character String apresenta uma caixa de texto que apenas aceita caracteres; Number apresenta uma caixa de texto que apenas aceita dígitos; Item from a list apresenta uma drop-down list com os valores aceites, que são introduzidos na área Parameter validation; Item from an editable list semelhante à anterior, mas permite a introdução de um novo valor; Multiple items from a list semelhante à Item from a list, mas permite a selecção de vários valores; Date apresenta uma caixa de texto que apenas aceita valores correspondentes a datas, no formato MONTH DD, YYYY. Clicando sobre a seta é possível escolher uma data a partir de um calendário; Time apresenta uma caixa de texto que apenas aceita valores correspondentes a tempo, no formato HOURS:MINUTES:SECONDS AM/PM; Date and time apresenta uma caixa de texto que apenas aceita valores correspondentes a datas seguidas de tempos. Exercício Seleccione a tabela de dados ComputeTotalProfit. 2. Escolha a opção Create Query... a partir do menu pop-up. 3. Seleccione a opção ParametersNew..., e na janela de diálogo de Properties escolha: a) Number como tipo de parâmetro; b) Atribua o nome Profit_Limit ao atributo; c) Introduza como mensagem a apresentar ao utilizador a string Display Suppliers with Total Profits Exceeding $, no campo Message for user; Cláudia Antunes 20

21 Capítulo 2 Exploração de Dados d) Seleccione None no campo Enclose user input with e atribua 0 ao valor por omissão (Default value). 4. De modo a usar o filtro definido, crie uma interrogação a partir da área Filter Data: a) Arraste o atributo Profit para a área de edição; b) Na janela de diálogo Edit Filter Condition, seleccione a opção >, greater than como operação; c) Na mesma janela seleccione o parâmetro &Profit_Limit para servir de parâmetro para a interrogação (clicando em Parameter Names aparecem os parâmetros disponíveis). 5. Na área Select and Sort, remova os atributos _WAY, _TYPE e _FREQ. 6. Altere o nome do ficheiro para ProfitLimit, na área Advanced. 7. Execute a interrogação e altere o nome da tabela para ProfitLimit. Nota: De modo a que seja sempre pedido um novo valor para o parâmetro, seleccione ToolsOptionsQueryFor queries with parameters, always prompt for values. Cláudia Antunes 21

22

23 Capítulo 3 CRIAÇÃO DE CUBOS FICHEIROS NECESSÁRIOS Aceda ao site da disciplina, e copie os ficheiros seguintes para uma pasta c:/sad/company/data: books.sas7bdat music.sas7bdat electronics.sas7bdat company.sas7bdat De modo a implementar uma instanciação de um modelo multidimensional, o SAS fornece o pacote SAS OLAP Cube Studio, entre outros (por exemplo o SAS ETL Studio). Em concreto, o que é necessário é criar o(s) cubo(s) que melhor se adequa(m) às necessidades. Para tal é fundamental seguir 4 passos: Definir conceptualmente o cubo, ou seja, definir as medidas, as dimensões e respectivas hierarquias, assim como as agregações que se pretende analisar (como explicado nos livros de texto). Criar uma nova biblioteca para armazenar as tabelas com os dados originais tabelas fonte, e registar a sua localização no servidor de meta-dados. Registar as tabelas fonte no servidor de meta-dados. Construir o(s) cubo(s) e definir as permissões associadas. Cláudia Antunes 23

24 Sistemas de Apoio à Decisão - Manual de Laboratório CRIAÇÃO DE CUBOS A PARTIR DE UMA TABELA DE DETALHE Uma tabela de detalhe é uma tabela que resulta da desnormalização completa dos dados referentes a um assunto que se pretende analisar. Nos exercícios seguintes considere a tabela company que se ilustra em baixo. Exercício 1 LIGAÇÃO AO SERVIDOR DE METADADOS 1. Garanta que os servidores de OLAP SAS OLAP Server e de metadados SAS Metadata Server foram lançados com sucesso a) Pode verificar se o servidor foi correctamente lançado, a partir da análise dos serviços activos no sistema operativo (em Computer Management Services and Applications Services): verifique que os serviços SAS Lev1 MS SASservers e SAS Lev1 OL SASservers estão a funcionar. 2. Lance o pacote de software SAS OLAP Cube Studio. a) Seleccione a opção FileOpen Metadata Profile... b) Seleccione Open an existing metadata profile e escolha o perfil criado durante o processo de configuração de software perfil SASservers. Exercício 2 REGISTO DA TABELA DE DADOS 1. Ainda no SAS OLAP Cube Studio, seleccione a opção Source Designer (ToolsSource Designer) de modo a definir a localização dos dados. a) Escolha a opção SAS como tipo de fonte. b) Se for solicitada a ligação ao servidor SAS, use o servidor SAS Main, ligue-se usando a conta sasadmin (password= admin ) Cláudia Antunes 24

MANUAL DO EXCEL. Um campo é um espaço que contém determinada informação (ex: Nome do cliente X, Telefone do Sr. Y)

MANUAL DO EXCEL. Um campo é um espaço que contém determinada informação (ex: Nome do cliente X, Telefone do Sr. Y) MANUAL DO EXCEL BASE DE DADOS DEFINIÇÃO DE BASES DE DADOS Uma base de dados é um conjunto de informações, organizada segundo regras definidas à qual se pode aceder para extrair, actualizar, acrescentar

Leia mais

Computação Móvel 2007/2008

Computação Móvel 2007/2008 Computação Móvel 2007/2008 Tutorial 2 Criação de uma nova publicação de base de dados no SQL Server 2005 Standard Edition / Enterprise Edition / Developer Edition No computador cliente: 1. Estabelecer

Leia mais

P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A. Criar uma relação mestre-detalhe. Pesquisa de informação

P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A. Criar uma relação mestre-detalhe. Pesquisa de informação P S I 2. º A N O F 5 M E S T R E / D E T A L H E E P E S Q U I S A Módulo 18 Ferramentas de Desenvolvimento de Páginas Web Criar uma relação mestre-detalhe 1. Cria uma cópia da página «listaferram.php»

Leia mais

Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes

Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes Tarefa Orientada 5 Aplic. Manutenção de Facturas de Clientes Objectivos: Aplicação Manutenção de Facturas de Clientes Utilização de uma fonte de dados. Formulários Master/Detail. Adicionar consultas a

Leia mais

Analysis Services. Manual Básico

Analysis Services. Manual Básico Analysis Services Manual Básico Construindo um Banco de Dados OLAP... 2 Criando a origem de dados... 3 Definindo as dimensões... 5 Níveis de dimensão e membros... 8 Construindo o cubo... 11 Tabela de fatos...12

Leia mais

Criando Classificações por Grupos e Aplicando Funções de Sumariação

Criando Classificações por Grupos e Aplicando Funções de Sumariação Criando Classificações por Grupos e Aplicando Funções de Sumariação Objetivos Ao concluir esta lição, você será capaz de: Classificar dados de uma consulta Adicionar classificações por grupos Aplicar funções

Leia mais

SPSS Statistical Package for the Social Sciences Composto por dois ambientes:

SPSS Statistical Package for the Social Sciences Composto por dois ambientes: Introdução ao SPSS Essa serie de aulas sobre SPSS foi projetada para introduzir usuários iniciantes ao ambiente de trabalho do SPSS 15, e também para reavivar a memória de usuários intermediários e avançados

Leia mais

1. Estilos 1. 2. Índices 7

1. Estilos 1. 2. Índices 7 Carlos Maia Índice 1. Estilos 1 1.1. Considerações gerais 1 1.2. Aplicar estilos 1 1.3. Modificar estilos 2 1.4. Criar um novo estilo 3 1.5. Cópia de estilos 5 1.6. Retirar todos os estilos presentes num

Leia mais

Gestão de bases de dados e listas

Gestão de bases de dados e listas Gestão de bases de dados e listas Uma das tarefas mais comuns em que são utilizadas folhas de cálculo é a gestão de listas (listas de números de telefone, listas de clientes, listas de tarefas, listas

Leia mais

Microsoft Excel 2003

Microsoft Excel 2003 Associação Educacional Dom Bosco Faculdades de Engenharia de Resende Microsoft Excel 2003 Módulo II Macros e Tabelas Dinâmicas Professores: Eduardo Arbex Mônica Mara Tathiana da Silva Resende 2010 Macro

Leia mais

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map:

ArcMAP (parte 2) Rodar o ArcMap teclar: Iniciar > Todos os programas > ArcGIS > ArcMap. Sobre a janela selecionar o item An existing map: ArcMAP (parte 2) Nesta parte do tutorial, você irá mapear cada tipo de uso da terra dentro do noise contour. Você adicionará dados ao seu mapa, desenhará feições baseadas em atributos, selecionará feições

Leia mais

Manual da Ferramenta Metadata Editor

Manual da Ferramenta Metadata Editor 4 de março de 2010 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 3 3 Visão Geral 3 3.1 Instalação............................. 3 3.2 Legenda.............................. 4 3.3 Configuração Inicial........................

Leia mais

EXCEL TABELAS DINÂMICAS

EXCEL TABELAS DINÂMICAS Informática II Gestão Comercial e da Produção EXCEL TABELAS DINÂMICAS (TÓPICOS ABORDADOS NAS AULAS DE INFORMÁTICA II) Curso de Gestão Comercial e da Produção Ano Lectivo 2002/2003 Por: Cristina Wanzeller

Leia mais

O Endnote é um software que permite guardar, organizar e usar referências bibliográficas na criação de documentos.

O Endnote é um software que permite guardar, organizar e usar referências bibliográficas na criação de documentos. Augusto Ribeiro augusto.ribeiro@reit.up.pt O Endnote é um software que permite guardar, organizar e usar referências bibliográficas na criação de documentos. Permite a pesquisa online em bases de dados

Leia mais

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12

7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 7.3. WINDOWS MEDIA PLAYER 12 Este programa permite gerir toda a sua colecção de músicas, vídeos e até mesmo imagens, estando disponível para download no site da Microsoft, o que significa que mesmo quem

Leia mais

1. FILTRAR OS DADOS ATRAVÉS DE FORMULÁRIO (FILTER BY FORM)

1. FILTRAR OS DADOS ATRAVÉS DE FORMULÁRIO (FILTER BY FORM) Nesta aula prática iremos usar uma base de dados fictícia já preenchida com o nome Espaço Projecto - InfantJaundice2006.accdb. Este ficheiro foi criado pelo curso Data Management for Research, 2005, UCSF.

Leia mais

BIS-Navigator. Add-In for Excel

BIS-Navigator. Add-In for Excel BIS-Navigator Add-In for Excel Manual do Utilizador V3.0 - Português Fev 2006 Publicado por Solutions for Informations Technologies Copyright 2000 da Solutions for Informations Technologies ou suas subsidiárias,

Leia mais

Tarefa Orientada 18 Tabelas dinâmicas

Tarefa Orientada 18 Tabelas dinâmicas Tarefa Orientada 18 Tabelas dinâmicas Análise de dados através de tabelas dinâmicas. Conceitos teóricos As Tabelas Dinâmicas são tabelas interactivas que resumem elevadas quantidades de dados, usando estrutura

Leia mais

Oracle SQL Developer

Oracle SQL Developer BDDAD Bases de Dados Oracle SQL Developer Nelson Freire (ISEP LEI-BDDAD 2015/16) 1/30 SQL Developer Sumário Introdução Instalar Abrir Ligar à BD no Servidor Oracle SQL Worksheet Editar SQL Executar SQL

Leia mais

Iniciando o MySQL Query Brower

Iniciando o MySQL Query Brower MySQL Query Brower O MySQL Query Browser é uma ferramenta gráfica fornecida pela MySQL AB para criar, executar e otimizar solicitações SQL em um ambiente gráfico. Assim como o MySQL Administrator foi criado

Leia mais

Projeto de Agenda Telefônica. Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com)

Projeto de Agenda Telefônica. Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com) Projeto de Agenda Telefônica Cleyton Tsukuda Kano (kanoct@br.ibm.com) Objetivo Conhecer o elemento de designs XPages, componente da ferramenta Lotus Domino Designer, através da criação de uma aplicação

Leia mais

4.1. TRABALHAR COM O CALENDÁRIO

4.1. TRABALHAR COM O CALENDÁRIO Calendário 2Calendário 14 INTRODUÇÃO O Calendário é uma grande ferramenta do Outlook que se pode usar como livro de reuniões para escalonar eventos, aperceber-se de datas importantes e gerir a lista de

Leia mais

Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer

Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer Criar o diagrama entidade associação do exemplo do hotel no Oracle Designer 1 escolher o tipo de dados de cada atributo 2 escolher as chaves Gerar as tabelas Correr o "Database Design Transformer" 3 Seleccionar

Leia mais

Manipulação de Células, linhas e Colunas

Manipulação de Células, linhas e Colunas Manipulação de Células, linhas e Colunas Seleccionar células Uma vez introduzidos os dados numa folha de cálculo, podemos querer efectuar alterações em relação a esses dados, como, por exemplo: apagar,

Leia mais

ZS Rest. Manual de Iniciação. BackOffice

ZS Rest. Manual de Iniciação. BackOffice Manual de Iniciação BackOffice 1 1. Índice 2. Introdução... 2 3. Iniciar o ZSRest... 3 a) BackOffice:... 4 b) Acesso BackOffice:... 4 4. Zonas... 6 c) Criar Zona:... 7 d) Modificar Zona:... 8 e) Remover

Leia mais

Microsoft Office FrontPage 2003

Microsoft Office FrontPage 2003 Instituto Politécnico de Tomar Escola Superior de Gestão Área Interdepartamental de Tecnologias de Informação e Comunicação Microsoft Office FrontPage 2003 1 Microsoft Office FrontPage 2003 O Microsoft

Leia mais

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24

BPstat. manual do utilizador. Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BPstat manual do utilizador Banco de Portugal BPstat Estatísticas online Manual do Utilizador 1/24 BANCO DE PORTUGAL Av. Almirante Reis, 71 1150-012 Lisboa www.bportugal.pt Edição Departamento de Estatística

Leia mais

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java)

Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Universidade Federal do ABC (UFABC) Disciplina: Processamento da Informação (BC-0505) Assunto: Java e Netbeans Introdução ao IDE Netbeans (Programação Java) Conteúdo 1. Introdução... 1 1.1. Programas necessários...

Leia mais

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS Curso Educação e Formação de Adultos Nível Básico. Access 2003

INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS Curso Educação e Formação de Adultos Nível Básico. Access 2003 Curso Educação e Formação de Adultos Nível Básico Access 2003 28/07/2009 [Manual de Microsoft Access.] FICHA TÉCNICA DESIGNAÇÃO DA COLECTÂNEA Manual de Microsoft Access AUTOR Carlos Serranheira DESTINATÁRIOS

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA

UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA UNIVERSIDADE CATÓLICA PORTUGUESA WebShare Serviço de partilha de ficheiros via WebDAV versão: 2.0.3 Nelson Rodrigues Direcção de Sistemas de Informação 28-10-2010 ÍNDICE: Introdução... 3 Requisitos...

Leia mais

Criando um banco de dados

Criando um banco de dados Após ter projetado o banco de dados, você pode criá-lo utilizando a interface ou com a linguagem. É possível que você queira adicionar tabelas existentes ao banco de dados e depois modificá-las para aproveitar

Leia mais

Com criar relatório no Report Services do Microsoft SQL Server 2008 R2 integrado com o

Com criar relatório no Report Services do Microsoft SQL Server 2008 R2 integrado com o Com criar relatório no Report Services do Microsoft SQL Server 2008 R2 integrado com o SisMoura Objetivo Configurar o Reporting Services Como criar relatórios Como publicar relatórios Como acessar os relatórios

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

Manual PowerPoint 2000

Manual PowerPoint 2000 Manual PowerPoint 2000 Índice 1. INTRODUÇÃO 1 2. DIRECTRIZES PARA APRESENTAÇÕES DE DIAPOSITIVOS 1 3. ECRÃ INICIAL 2 4. TIPOS DE ESQUEMA 2 5. ÁREA DE TRABALHO 3 5.1. ALTERAR O ESQUEMA AUTOMÁTICO 4 6. MODOS

Leia mais

Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora

Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora Objectivos: Criar as tabelas da base de dados Editora Criar o diagrama da base de dados Editora Inserir registos com os dados de teste Criar as tabelas da base

Leia mais

ANÁLISE DE DADOS. Familiarização com o SPSS

ANÁLISE DE DADOS. Familiarização com o SPSS 1 ANÁLISE DE DADOS Familiarização com o SPSS 2 Statistical Package for the Social Sciences Programa de eleição dos cientistas das Ciências Sociais; O SPSS facilita a realização de numerosos métodos estatísticos;

Leia mais

Folha de Cálculo Introdução à Folha de Cálculo

Folha de Cálculo Introdução à Folha de Cálculo Introdução à Folha de Cálculo O Excel é uma folha de cálculo capaz de guardar dados, executar cálculos e gerar gráficos. Introdução à Folha de Cálculo Uma folha de cálculo, por exemplo o Excel, permite

Leia mais

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase.

Prof. Omero, pág. 63. Banco de Dados InterBase. Prof. Omero, pág. 63 O que é o InterBase? O InterBase é um SGBDR - Sistema Gerenciador de Banco de Dados Cliente/Servidor Relacional 1 que está baseado no padrão SQL ANSI-9, de alta performance, independente

Leia mais

Os elementos básicos do Word

Os elementos básicos do Word Os elementos básicos do Word 1 Barra de Menus: Permite aceder aos diferentes menus. Barra de ferramentas-padrão As ferramentas de acesso a Ficheiros: Ficheiro novo, Abertura de um documento existente e

Leia mais

Manual Gestix Guia do Utilizador. Gestix.com

Manual Gestix Guia do Utilizador. Gestix.com Manual Gestix Guia do Utilizador Gestix.com Copyright Este documento é Copyright 2008 Westix TI Lda. Todos os direitos reservados. Todas as marcas registadas referidas neste Manual são propriedade dos

Leia mais

Manual de Iniciaça o. Índice

Manual de Iniciaça o. Índice Manual de Iniciaça o Índice Passo 1- Definir... 2 Definir grupos de tarefas... 2 Definir funções... 6 Definir utilizadores... 11 Definir o Workflow... 14 Definir tarefas... 18 Passo 2 - Planear... 21 Planear

Leia mais

Guia e Utilização do Visual Studio 6.0

Guia e Utilização do Visual Studio 6.0 Guia e Utilização do Visual Studio 6.0 Objectivo Este guia acompanha-o através do processo de criação de uma aplicação C++ utilizando o ambiente de desenvolvimento Visual Studio 6.0. Passo 1: Criação de

Leia mais

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares

Folha de cálculo. Excel. Agrupamento de Escolas de Amares Folha de cálculo Excel Agrupamento de Escolas de Amares Índice 1. Funcionalidades básicas... 3 1.1. Iniciar o Excel... 3 1.2. Criar um livro novo... 3 1.3. Abrir um livro existente... 3 1.4. Inserir uma

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Manual de Instalação e Configuração MySQL

Manual de Instalação e Configuração MySQL Manual de Instalação e Configuração MySQL Data alteração: 19/07/11 Pré Requisitos: 1. Baixar os seguintes arquivos no através do link http://ip.sysfar.com.br/install/ mysql-essential-5.1.46-win32.msi mysql-gui-tools-5.0-r17-win32.msi

Leia mais

Unidade 2. ROM BIOS (Basic Input/Output System) Sistema Operativo. Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware

Unidade 2. ROM BIOS (Basic Input/Output System) Sistema Operativo. Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware Interacção entre as diferentes partes num computador: software e hardware Unidade 2 Utilização do ambiente operativo Windows Aplicações Sistema Operativo ROM BIOS Processador+memória+... Software aplicacional

Leia mais

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS

O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O AMBIENTE DE TRABALHO DO WINDOWS O Windows funciona como um Sistema Operativo, responsável pelo arranque do computador. Um computador que tenha o Windows instalado, quando arranca, entra directamente

Leia mais

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo

Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard. Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter. Botão next na caixa de diálogo Iniciar o Data Adapter Configuration Wizard Toolbox Data Duplo clique em OleDbDataAdapter Botão next na caixa de diálogo Se carregar em Cancel, o wizard é cancelado e podemos depois definir as propriedades

Leia mais

2.1.10. Trabalhar com CDs e DVDs

2.1.10. Trabalhar com CDs e DVDs 2.1.10. Trabalhar com CDs e DVDs Os procedimentos utilizados para gravar informação num CD ou num DVD variam conforme a forma como estes forem formatados. A formatação é efectuada em discos vazios e consiste

Leia mais

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária)

Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) Curriculum DeGóis Guia de preenchimento do Curriculum Vitae (Informação mínima necessária) /curriculum Julho de 2008 Versão 1.1 1 Introdução O objectivo deste guia é auxiliar o utilizador da Plataforma

Leia mais

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico

UNIDADE 2: Sistema Operativo em Ambiente Gráfico Ambiente Gráfico Configurações Acessórios O Sistema Operativo (SO) é o conjunto de programas fundamentais que permitem que o computador funcione e que comunique com o exterior. Actualmente o Windows é

Leia mais

Microsoft Analysis Service

Microsoft Analysis Service Microsoft Analysis Service Neste capítulo você verá: BI Development Studio Analysis Services e Cubos Microsoft Analysis Services é um conjunto de serviços que são usados para gerenciar os dados que são

Leia mais

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho

Outlook 2003. Nivel 1. Rui Camacho Outlook 2003 Nivel 1 Objectivos gerais Enviar e Responder a mensagens de correio electrónico, e gestão de contactos, marcação de compromissos e trabalhar com notas. Objectivos específicos Começar a trabalhar

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

Universidade do Minho. Serviços de Documentação. Guia do Utilizador. http://www.myendnoteweb.com

Universidade do Minho. Serviços de Documentação. Guia do Utilizador. http://www.myendnoteweb.com Universidade do Minho Serviços de Documentação http://www.myendnoteweb.com ÍNDICE 1. O EndNote Basic... 2 2. Acesso e Registo no EndNote Basic... 3 3. Página principal... 5 4. Minhas referências... 6 5.

Leia mais

Criando Itens Calculados

Criando Itens Calculados Criando Itens Calculados Objetivos Ao concluir esta lição, você será capaz de: Criar um cálculo Criar um cálculo complexo Especificar um valor de parâmetro para um cálculo Objetivos da Lição Esta lição

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº8

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº8 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº8 Configuração e utilização do FTP 2004/2005 1 Objectivo Configuração de um servidor

Leia mais

SDL TRADOS 2007 WinAlign. Manual de Utilização

SDL TRADOS 2007 WinAlign. Manual de Utilização SDL TRADOS 2007 WinAlign Manual de Utilização Ficha Técnica Título SDL TRADOS 2007 WinAlign (Manual de Utilização Iniciação) Autor(a) Paula Carvalho Concepção gráfica Paula Carvalho Centro Multimédia de

Leia mais

Módulo de Estatísticas MANUAL DO UTILIZADOR

Módulo de Estatísticas MANUAL DO UTILIZADOR MANUAL DO UTILIZADOR Versão 1.4 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2 2. REQUISITOS DO SISTEMA 3 3. CONTROLOS GERAIS DO WINDOWS 4 3.1 ESTRUTURA HIERÁRQUICA 4 3.2 CONTROLO DE DATA 5 4. INÍCIO DA UTILIZAÇÃO 8 5. IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0

MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0 MANUAL DE INTRODUÇÃO AO ALFRESCO 3.0 Alfresco é uma marca registada da Alfresco Software Inc. 1 / 42 Índice de conteúdos Alfresco Visão geral...4 O que é e o que permite...4 Página Inicial do Alfresco...5

Leia mais

1. Clique no botão ou, na barra de menu principal, selecione File > New > New Method Content. O assistente New Method Content será aberto.

1. Clique no botão ou, na barra de menu principal, selecione File > New > New Method Content. O assistente New Method Content será aberto. Guia rápido de utilização Modden Este guia visa instruir o usuário a executar as principais funcionalidades da ferramenta. Modden Process Editor Criando um novo Method Content: 1. Clique no botão ou, na

Leia mais

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União

Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Tarefa Orientada 12 Junção Externa, Auto-Junção e União Objectivos: Junção externa (Outer JOIN) Junção externa à esquerda (LEFT Outer JOIN) Junção externa à direita (RIGHT Outer JOIN) Junção externa completa

Leia mais

Criar Conta. Click to edit Master title style

Criar Conta. Click to edit Master title style Click to edit Master title style Criar uma conta no EndNote Web Criar Conta O registo só é possível dentro da gama de IPs da b-on. Se já estiver registado na Web of Knowledge pode usar a mesma conta no

Leia mais

- O MySQL para além da sua utilização em modo linha de comandos, também pode ser utilizado através de ferramentas gráficas.

- O MySQL para além da sua utilização em modo linha de comandos, também pode ser utilizado através de ferramentas gráficas. Objetivo: Utilização das ferramentas gráficas do MySQL Instalação das ferramentas gráficas do MySQL: - O MySQL para além da sua utilização em modo linha de comandos, também pode ser utilizado através de

Leia mais

Migrar para o Excel 2010

Migrar para o Excel 2010 Neste Guia Microsoft O aspecto do Microsoft Excel 2010 é muito diferente do Excel 2003, pelo que este guia foi criado para ajudar a minimizar a curva de aprendizagem. Continue a ler para conhecer as partes

Leia mais

LEITOR DE CARTÕES (Cédulas Profissionais)

LEITOR DE CARTÕES (Cédulas Profissionais) LEITOR DE CARTÕES (Cédulas Profissionais) COMO INSTALAR OS DRIVERS DO LEITOR DE CARTÕES Abra o Portal da Ordem dos Advogados Clique no link Área Reservada que se encontra na barra vertical do lado esquerdo

Leia mais

Manual Dashboard XD. (Versão 0.91 Beta)

Manual Dashboard XD. (Versão 0.91 Beta) Manual Dashboard XD (Versão 0.91 Beta) Conteúdo Introdução... 3 Registo e ativação... 4 Login... 5 Menu Principal... 6 Configuração de servidores... 7 Visualizar Gráficos... 8 Personalização dos gráficos

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2009/10 Access 2007

Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2009/10 Access 2007 Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2009/10 Access 2007 TI2009/2010_1 Índice Iniciar a Aplicação e Abrir/Criar um Novo Ficheiro Comando Base de Dados Vazia Descrição do ambiente de trabalho

Leia mais

Excel - Ficha de Trabalho

Excel - Ficha de Trabalho Excel - Ficha de Trabalho Facturação Avançada O trabalho que se segue consistirá numa folha de cálculo com alguma complexidade, em que existirão diferentes folhas no mesmo livro. Neste serão criadas Bases

Leia mais

Microsoft Power Point - Manual de Apoio

Microsoft Power Point - Manual de Apoio Microsoft Power Point - Manual de Apoio Pág. 1 de 26 Apresentação e introdução O ambiente de trabalho do Power Point. Abrir, guardar e iniciar apresentações. Obter ajuda enquanto trabalha. Principais barras

Leia mais

Guia rápido do utilizador

Guia rápido do utilizador Guia rápido do utilizador Índice Relatório de roubo 3 Criar um novo relatório de roubo 4 Fornecer detalhes do relatório de roubo Secção 1. Especificar o computador 5 Fornecer detalhes do relatório de roubo

Leia mais

RIQASNet. Instruções de utilização. Introdução. Registo para o RIQASNet

RIQASNet. Instruções de utilização. Introdução. Registo para o RIQASNet RIQASNet Instruções de utilização Introdução O RIQASNet é um sistema de entrada de dados utilizando a internet que permite aos utilizadores enviarem os resultados e alterações de método para o RIQAS, e

Leia mais

Introdução à aplicação Web

Introdução à aplicação Web Introdução à aplicação Web A aplicação Web SanDisk +Cloud é uma interface com base na Web para aceder ao seu conteúdo e gerir a sua conta. Com a aplicação Web poderá reproduzir música, ver filmes, ver

Leia mais

ClassPad Manager. Manual de Instruções. Versão 2.2. Para a ClassPad 300 PLUS (PROGRAM-LINK TM ) http://world.casio.com/edu/ http://classpad.

ClassPad Manager. Manual de Instruções. Versão 2.2. Para a ClassPad 300 PLUS (PROGRAM-LINK TM ) http://world.casio.com/edu/ http://classpad. Para a ClassPad 300 PLUS Po ClassPad Manager Versão 2.2 (PROGRAM-LINK TM ) Manual de Instruções RJA510188-4 http://world.casio.com/edu/ http://classpad.net/ Nota Os exemplos de visualização mostrados neste

Leia mais

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados

Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Tarefa Orientada 13 Agrupamento e sumário de dados Objectivos: Funções de agregação Agrupamento e sumário de dados Funções de agregação Nesta tarefa orientada iremos formular consultas que sumariam os

Leia mais

Para ClassPad 300. ClassPad Manager. (ProgramLink) Versão limitada. Manual de Instruções. http://world.casio.com/edu_e/ RJA510188-4

Para ClassPad 300. ClassPad Manager. (ProgramLink) Versão limitada. Manual de Instruções. http://world.casio.com/edu_e/ RJA510188-4 Para ClassPad 300 Po ClassPad Manager (ProgramLink) Versão limitada Manual de Instruções RJA510188-4 http://world.casio.com/edu_e/ Nota Os exemplos de visualização mostrados neste manual de instruções

Leia mais

Curso: Excel Intermédio. Formador: Carlos Maia

Curso: Excel Intermédio. Formador: Carlos Maia Curso: Excel Intermédio Formador: Carlos Maia 1 Programa para o Módulo Excel Revisão dos conceitos básicos de Excel Operações com ficheiros Manipulação de folhas (sheet) Comandos de edição Fórmulas Formatações

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Manual de Utilização do Easy Reader versão 6

Manual de Utilização do Easy Reader versão 6 Manual de Utilização do Easy Reader versão 6 Página 1 Índice Manual de Utilização do Easy Reader versão 6 1 O que é o EasyReader? 4 Abrir um livro 5 Abrir um novo livro de um CD/DVD 5 Abrir um novo livro

Leia mais

Ambientação JAVA. Versão 0.1 MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 UNIVERSIDADE CEUMA 08/01/2014

Ambientação JAVA. Versão 0.1 MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 UNIVERSIDADE CEUMA 08/01/2014 UNIVERSIDADE CEUMA Ambientação JAVA Versão 0.1 08/01/2014 Este é um modelo de configuração para desenvolvimento no ambiente Java. MICHEL CORDEIRO ANALISTA DE NEGÓCIO (NTI 2014) 1 Sumário Sumário... 2 1

Leia mais

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo.

5 - Se o documento estiver completo, com os campos totalmente inseridos e com o aspecto que pretende, poderá guardá-lo. Impressão em série de cartas de formulário e mailings em grande número Intercalação de correio Base de Dados em Excel Comece por planear o aspecto da sua página final - é uma carta, uma página de etiquetas

Leia mais

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL

Introdução. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Formação Informática Para Estatísticos Na DPINE. Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Usar Tabelas Dinâmicas em EXCEL Introdução Neste Módulo aprendemos o importante recurso de Tabelas Dinâmicas e Gráficos Dinâmicos. Aprendemos a criar tabelas dinâmicas, a aplicar filtros e a fazer análise

Leia mais

Amostras e guias de iniciação Versão 8 Edição 0. Guia de iniciação do Hiring Sample para o IBM Process Designer

Amostras e guias de iniciação Versão 8 Edição 0. Guia de iniciação do Hiring Sample para o IBM Process Designer Amostras e guias de iniciação Versão 8 Edição 0 Guia de iniciação do Hiring Sample para o IBM Process Designer ii Hiring Sample Os manuais em PDF e o Information Center Os manuais em PDF são fornecidos

Leia mais

Status Enterprise Guia do Usuário. Parte 12 Serviço de conector de Dados

Status Enterprise Guia do Usuário. Parte 12 Serviço de conector de Dados Guia do Usuário Parte 12 Serviço de conector de Dados Conteúdos 1 INTRODUÇÃO... 4 1.1 Descrição do Serviço conector de Dados ou Data com nector... 4 2 CRIAR UMA CONFIGURAÇÃO DE ENLACE DE DADOS... 5 2.1

Leia mais

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server

Ficha prática nº 7. SGBD Microsoft Access e SQL Server Instituto Superior Politécnico de Viseu Escola Superior de Tecnologia Departamento de Informática Ficha prática nº 7 SGBD Microsoft Access e SQL Server Objectivo: Criação de uma aplicação em arquitectura

Leia mais

Conselho Geral da Ordem Dos Advogados Departamento Informático. Índice:

Conselho Geral da Ordem Dos Advogados Departamento Informático. Índice: Nota Introdutória: Este documento destina-se a guiá-lo(a) através dos vários procedimentos necessários para efectuar uma Cópia de Segurança do seu Certificado Digital. A exportação do seu certificado digital

Leia mais

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados.

Ao conjunto total de tabelas, chamamos de Base de Dados. O QUE É O ACCESS? É um sistema gestor de base de dados relacional. É um programa que permite a criação de Sistemas Gestores de Informação sofisticados sem conhecer linguagem de programação. SISTEMA DE

Leia mais

Guia de Instalação. NSi AutoStore TM 6.0

Guia de Instalação. NSi AutoStore TM 6.0 Guia de Instalação NSi AutoStore TM 6.0 SUMÁRIO PREREQUISITES... 3 INSTALLATION: UPGRADING FROM AUTOSTORE 5.0... 4 INSTALLATION: NEW INSTALLATION... 8 LICENSING... 17 GETTING STARTED... 34 2012 Notable

Leia mais

[Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Funcionários da ESTG]

[Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Funcionários da ESTG] [Documentação de Utilização Correio Electrónico dos Funcionários da ESTG] Unidade De Administração de Sistemas Serviços Informáticos Instituto Politécnico de Leiria 09-06-2010 Controlo do Documento Autor

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

1. Introdução. 2. A área de trabalho

1. Introdução. 2. A área de trabalho Curso Criiar web siites com o Dreamweaver Parrttee II 1. Introdução O Macromedia DreamWeaver é um editor de HTML profissional para desenhar, codificar e desenvolver sites, páginas e aplicativos para a

Leia mais

Nota de Aula: Utilização da IDE Code::Blocks

Nota de Aula: Utilização da IDE Code::Blocks INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO MARANHÃO CAMPUS SÃO LUÍS MONTE CASTELO DEPARTAMENTO ACADÊMICO DE INFORMÁTICA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DISCIPLINA: LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO I PROFESSOR:

Leia mais

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre

Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL. Fevereiro/2002 - Portalegre Escola Superior de Tecnologias e Gestão Instituto Politécnico de Portalegre MS EXCEL Fevereiro/2002 - Portalegre Introdução A necessidade de efectuar cálculos complexos de uma forma mais rápida e fiável,

Leia mais

Manual de Instruções para a Criação de Ficheiros CSR. Microsoft IIS 5/6

Manual de Instruções para a Criação de Ficheiros CSR. Microsoft IIS 5/6 Manual de Instruções para a Criação de Ficheiros CSR Página 1 de 8 CONTROLO DOCUMENTAL REGISTO DE MODIFICAÇÕES Versão Data Motivo da Modificação PREPARADO REVISTO APROVADO ACEITE DUS/RS DISTRIBUIÇÃO DO

Leia mais

Guia de Rede MediCap USB300

Guia de Rede MediCap USB300 Guia de Rede MediCap USB300 Aplica-se às versões de firmware 110701 e mais recentes 1 Introdução... 2 Instruções Preliminares... 2 Como Configurar o Acesso Através da Rede ao Disco Rígido do USB300...

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS

ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ADMINISTRAÇÃO DE BANCO DE DADOS ARTEFATO 02 AT02 Diversos I 1 Indice ESQUEMAS NO BANCO DE DADOS... 3 CRIANDO SCHEMA... 3 CRIANDO TABELA EM DETERMINADO ESQUEMA... 4 NOÇÕES BÁSICAS SOBRE CRIAÇÃO E MODIFICAÇÃO

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima Laboratório de Engenharia e Desenvolvimento de Sistemas LEDS/UFOP Universidade Federal de Ouro Preto UFOP GUIA DE INSTALAÇÃO Plataforma Windows Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes

Leia mais

Data Transformation Services (DTS) por Anderson Ferreira Souza

Data Transformation Services (DTS) por Anderson Ferreira Souza Data Transformation Services (DTS) por Anderson Ferreira Souza O Sql Server possui um recurso extremamente poderoso que é muito pouco utilizado pelos administradores e programadores. Com certeza, sendo

Leia mais

Tarefa Orientada 17 Listas de dados

Tarefa Orientada 17 Listas de dados Tarefa Orientada 17 Listas de dados Estudo prático da folha de cálculo Excel - Gestão de listas como base de dados. Conceitos teóricos Lista Série de linhas da folha de cálculo que contém dados relacionados,

Leia mais