Renegociando as relações de género no cenário da vida familiar e profissional

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Renegociando as relações de género no cenário da vida familiar e profissional"

Transcrição

1 Congresso Luso-Afro-Brasileiro Família, Género e Identidades Braga 4 7 Fevereiro 2009 Renegociando as relações de género no cenário da vida familiar e profissional Anália Torres Rui Brites Bernardo Coelho Inês Cardoso Paula Jerónimo

2 As relações familiares sofreram um profundo processo de transformação nos últimos 40 anos do século XX: - Individualização - Crescente reivindicação pela igualdade de género - Sentimentalização - Secularização Será que estas transformações significam menos valorização da família? Existem novos sentidos nas interacções familiares? Estarão estes sentidos relacionados com constrangimentos contextuais? O que é que homens e mulheres querem?

3 Tendo em conta que os homens e mulheres são iguais na criação dos seus projectos de vida e que partilham o compromisso para o trabalho, podemos esperar que, em termos de papéis familiares, as mulheres podem adoptar perspectivas mais conservadoras e tendem a assumir para si o dever do cuidado da família, especialmente quando a actividade das mães está em jogo, pelo menos nalguns grupos de países, dependendo do contexto cultural. Hipóteses testadas: As orientações das mulheres para o trabalho irão variar menos entre os países do que orientações para o cuidado. Nalguns países, as orientações para o trabalho podem ser modernas, mas as orientações para o cuidado podem ser tradicionais.

4 Novos sentidos da família (médias) Condordo totalmente Concordo 1,0 1,5 2,0 2,5 Nem concordo Nem discordo 3,0 3,5 Discordo 4,0 4,5 Discordo totalmente 5,0 Noruega Suíça Finlândia Dinamarca Islândia Reino Unido França Alemanha Áustria Holanda Bélgica Luxemburgo Suíça Irelanda Hungria Rep. Checa. Polónia Eslovénia Eslováquia Estónia Ucrânia Espanha Portugal Grécia Uma mulher devia estar preparada para reduzir o seu trabalho remunerado para o bem da sua família Os homens deviam ter tantas responsabilidades como as mulheres em realção à casa e aos filhos Quando os empregos são poucos, os homens devia ter prioridade em ocupá-los em relação às mulheres Quando há crianças em casa, os pais deviam manter-se juntos, mesmo quando não se entendem bem A família mais próxima devia ser a principal prioridade na vida de casa um Fonte: Ess, round2, 2004 Consenso Prioridade dada à família e à procura de igualdade de género nas responsabilidades familiares Rejeição Sacrifício do trabalho profissional das mulheres em favor dos homens; indissolubilidade do casamento, devido à existência de crianças - - Perspectiva Igualitária- - -No entanto... Prevalecem posicionamentos ambíguos

5 Alguns indicadores - Uma mulher devia estar prepada para reduzir o seu trabalho remunerado para o bem da sua família. - Os homens deviam ter tantas responsabilidades como as mulheres em relação à casa e aos filhos. - Quando os empregos são poucos, os homens deviam ter prioridade em ocupá-los em relação às mulheres. - A família mais próxima devia ser a principal prioridade na vida de cada um. Índice de Papéis de Género Two Step Cluster Três grupos: Igualitários, Intermédios e Tradicionais

6 Fazendo análise numa escala individual two step cluster Posições dos Igualitários, Intermédios e Tradicionais por país (percentagens) Noruega 33,2 59,9 6,9 Suécia 40,7 53,0 6,3 Finlândia 41,4 48,1 10,6 Dinamarca 40,8 54,4 4,7 Islândia 46,1 44,3 9,7 Reino Unido 30,2 47,5 22,3 França 28,7 46,3 25,0 Alemanha 26,8 53,5 19,6 Áustria 24,2 58,6 17,2 Holanda 33,3 54,9 11,9 Bélgica 26,1 54,0 19,9 Luxemburgo 31,1 43,3 25,6 Suíça 23,3 51,2 25,5 Irlanda 31,7 42,8 25,6 Hungria 17,6 37,8 44,6 Rep. Checa 14,9 54,6 30,5 Polónia 15,6 47,3 37,1 Eslovénia 28,6 51,2 20,3 Eslováquia 17,5 60,8 21,7 Estónia 24,1 43,8 32,1 Ucrânia 8,1 47,0 44,9 Espanha 25,4 52,7 21,9 Portugal 15,3 55,1 29,6 Grécia 8,3 68,7 23, Igualitários Egalitarian Fonte: ESS2, 2004 Intermédios Tradicionais

7 Islândia (46,1%), Os países nórdicos têm percentagem mais elevadas de indivíduos igualitários Finlândia (41,4%), Dinamarca (40,8%), Suécia (40,7%), Noruega (33,2%) As posições intermédias são as dominantes Numa perspectiva entre os países Numa perspectiva de género As mulheres são mais igualitárias do que os homens Excepto: Hungria (42,8%), Ucrânia (42,1%) Polónia(36,2%) Estes países mostram percentagens relativamente altas de mulheres tradicionais

8 Avaliando as atitudes das mulheres...

9 Opiniões das mulheres sobre trabalho e família (médias) Sempre 6,0 5,5 5,0 4,5 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 1,0 Nunca 0,5 0,0 Noruega Suécia Finlândia Dinamarca Reino Unido Alemanha França Áustria Holanda Bélgica Suíça Irlanda Hungria Polónia Eslovénia Eslováquia Estónia Bulgária Ucrânia Espanha Portugal Chipre Rússia Quanto do tempo que passa com a sua família próxima é agradável? Quanto do tempo que passa com a sua família próxima é stressante? Centro da escala Fonte: Ess, round3, 2006 Com que frequência considera o seu trabalho interessante? Com que frequência considera o seu trabalho stressante?

10 -Família e trabalho são vistos como agradáveis e como fontes de bem-estar. -O stress é subvalorizado em ambas as esferas, particularmente no contexto familiar, de forma consensual ao longo da Europa. -Percepção de stress no trabalho em torno do centro da escala. -Isto não significa necessariamente a aceitação do sacrifício de uma vida profissional ou de uma carreira (forte desacordo com a prioridade dos homens no mercado de trabalho obviamente verdade nalguns países mais do que outros).

11 Uma mulher devia estar preparada para reduzir o seu trabalho remunerado para o bem da sua família. (médias) Discordo totalmente 5,0 4,5 4,0 3,5 3,0 2,5 2,0 1,5 Concordo 1,0 totalmente Noruega Suécia Finlândia Dinamarca Islândia Reino Unido França Alemanha Áustria Holanda Homens Mulheres Centro da Escala Bélgica Luxemburgo Suíça Irlanda Hungria Rep. Checa Polónia Eslovénia Eslováquia Estónia Espanha Portugal Grécia Fonte: Ess, round2, 2004 Quando os papéis de género estão em jogo... As respostas das mulheres são muito discrepantes, o que significa que nalguns países, se posicionam a favor da declaração e noutros, reagem contra, reflectindo os diferentes contextos culturais e institucionais. Em consonância com o que observámos antes, os países Nórdicos mostram uma posição mais clara para a discordância, enquanto que países do Leste Europeu e do Sul da Europa tendem a concordar com a afirmação, mostrando um perfil mais tradicional sobre os papéis de género.

12 A aprovação do trabalho a tempo inteiro no início da parentalidade pode ser considerada uma atitude moderna se defendida igualmente por homens e mulheres, como uma expressão de paridade da participação no mercado de trabalho. Ter um emprego a tempo inteiro enquanto os filhos têm menos de 3 anos (aprova + aprova totalmente) (percentagens) Noruega Suécia Finlândia Dinamarca Reino Unido Alemanha Bélgica Suíça Hungria Polónia Eslovénia Eslováquia Estónia Bulgária Espanha Portugal Chipre Rússia Sobre mulheres Fonte: Ess, round3, 2006 Sobre homens Geralmente para os europeus, é mais fácil aprovar que um homem tenha um emprego a tempo inteiro quando têm filhos com menos de 3 anos, do que uma mulher.

13 Mas como é que as mulheres se avaliam? Ter um emprego a tempo inteiro enquanto os filhos têm menos de 3 anos (mulheres sobre mulheres) 75,8 46,7 64,6 74,1 19,5 22,4 46,3 37,8 53,7 10,1 29,9 (percentagens) 18,8 38,5 52,1 52,3 23,0 34,7 9,5 39,4 31,8 24,1 46,9 42,8 55,9 15,2 31, ,0 14,2 33,1 20,2 22,1 10,6 13,3 15,3 34,2 39,8 21,3 25,0 60,1 42,7 21,6 17,8 26,3 29,9 42,3 51,1 44,1 32,8 39,5 28,4 20,3 17,7 15,8 53,0 0 Noruega Suécia Finlâmdia Dinamrca Reino Unido Alemanha Bélgica Suíça Hungria Polónia Eslovénia Eslováquia Estónia Bulgária Espanha Portugal Chipre Rússia Desaprovo totalmente + desaprovo Nem aprovo nem desaprovo Aprovo + aprovo totalmente Fonte: Ess, round3, 2006

14 Temos de ser cuidadosos na análise destas respostas, a fim de evitar interpretações erradas Tendências dominantes : A aprovação deste tipo de arranjos entre trabalho e família: Noruega, Dinamarca, Finlândia e Suécia (onde a aprovação é completamente clara), Chipre, Bélgica, Eslovénia e Polónia (onde existe uma forte aprovação da ideia, embora não tão evidente), Espanha e Portugal. A desaprovação deste tipo de arranjos entre trabalho e família: Suíça, Rússia, Estónia, Bulgária, Hungria, Eslováquia, Alemanha Reino Unido - aparece como um país com uma tendência específica, onde a maior percentagem de respostas está posicionada na opção "Não concordo nem discordo". - Há outros países, onde, apesar da sua tendência dominante, esta opção tem, também, um peso significativo: na Hungria, Eslováquia, Estónia, Portugal e Espanha Estas diferenças entre países podem estar enraizadas em aspectos culturais e estruturais : factores culturais e ideologias de papéis de género; diferenças entre as medidas políticas dirigidas à família e às crianças.

15 Interpretando constrangimentos contextuais Regressão Múltipla Variável dependente: Um trabalho que permitisse conciliar o trabalho com as responsabilidades familiares Suécia Reino Unido França Áustria Holanda Rep. Checa. Espanha Portugal Grácia Adjusted R 2,073,093,055,058,109,043,038,029,025 Anos de educação completos -,060*,069*,110*** -,095*,113**,127*** Rendimento ,093* ,129*** -,112*** Sexo a,053*,169***,149***,097*,136***,129***,104**,081*,091** Horas de Trabalho(semana) ,096* Vive sozinho ,169*** -,086* -,096* -,116** -,091* - Casal sem Filhos -,096*,183*** -,131* Casal com Filhos,254***,228***,277***,089*,208***,111*,094* - - Monoparental -,154*** - -,147*** * p< 0,05; **p< 0,001; *** p< 0,0001. a lvariável dummy: 0=homens 1=mulheres b Variável dummy: referência: Outro Tipologia Familiar b Fonte: Ess, round2, 2004

16 Para quase todos os países, a presença de filhos tem um grande impacto na importância atribuída à conciliação. No entanto, em países do Sul, a educação e o rendimento são factores com mais importância para a variação da variável dependente do que o "tipologia familiar". Pessoas que ganham salários mais baixos tendem a valorizar mais a conciliação quando procuram emprego. O sexo é um importante preditor em todos os países. As mulheres tendem a valorizar a oportunidade de conciliação trabalho-família mais do que os homens.

17 Conclusões Tal como tínhamos concluído em pesquisas anteriores, uma vez mais confirmamos que o trabalho surge como uma dimensão de identidade social tanto para homens e mulheres. As mulheres valorizam fortemente esta componente da vida. As mulheres querem investir nas duas esferas (trabalho e família). Mas na maior parte dos países, elas têm de pagar um preço para manter ambos os investimentos Os novos sentidos da família ainda não estão totalmente fundados. Incorporação de uma nova ideologia de género na família, produzindo mudanças, mas não significando completa igualdade de género. - As mulheres são trabalhadoras profissionais, com responsabilidades familiares - Os homens são trabalhadores profissionais livres.

18 Confirma-se a hipótese de que em todos os países europeus, as orientações das mulheres para o cuidar tendem a variar mais do que as orientações das mulheres para o trabalho. Como vimos, cada vez que o papel social das mulheres - em especial das mães - está directamente em jogo, as posições das mulheres tendem a divergir mais entre os países, do que noutras questões, colocadas de uma forma mais geral - nomeadamente as relacionadas com o trabalho (satisfação com o emprego actual, emprego interessante, tempo familiar agradável). O facto de as mulheres Nórdicas tenderem sempre para uma posição mais igualitária que as suas congéneres europeias, evidencia a ideia de que as orientações para a família (pelas mulheres) tendem a variar numa comparação entre os países.

19 Não podemos confirmar a segunda parte da nossa hipótese, porque o facto de que as mulheres concordarem com a ideia de que as mulheres devem estar preparadas para reduzir o seu tempo de trabalho em nome da família, pode não significar necessariamente uma atitude tradicional, mas apenas a afirmação daquilo que elas observam à sua volta. - Condições especiais pacotes políticos e facilidades no cuidado das crianças por exemplo objectivamente diferenciam e influenciam diferenciar i a sua percepção da realidade. Quando o papel da mãe está em jogo, as respostas das mulheres tendem (nalguns países mais do que noutros) a reflectir menos uma perspectiva igualitária. - Esta diversidade é determinada por constrangimentos culturais e institucionais.

20 Referências Torres, A., Brites, R., B. Haas e N. Steiber (2007) Time Use, Work Life Options and Preferences Over the Life Course in Europe, Luxembourg, Office for the Official Publications of the European Communities, Foundation for the improvement of the living and working conditions (on print). Torres, Analia, R. Brites European attitudes and values: the perspective of gender in a transverse analysis, Portuguese Journal of Social Science, PJSS, 5.3, Torres, Analia, R. Mendes, T. Lapa (2008) Families in Europe, Portuguese Journal of Social Science, PJSS, 7.1 Portuguese Journal of Social Science, PJSS. Torres, Analia (2006) Work and family in Portugal, in Giovanna Rossi (ed.), Reconciling Family and Work: New Challenges for Social Policies in Europe, Milano, Franco Angeli. Torres, Analia, R. Mendes e T. Lapa (2006), Famílias na Europa in Jorge Vala e Anália Torres (org.), Contextos e Atitudes e Sociais na Europa, Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Torres, Analia and R.Brites (2006) Atitudes e valores dos Europeus: a perspectiva do género numa análise transversal,, in Jorge Vala e Anália Torres (org.), Contextos e Atitudes e Sociais na Europa, Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. Torres, Analia (2004) Vida Conjugal e Trabalho, Celta Editora. Torres, Analia F.V. da Silva, T. L. Monteiro, e M. Cabrita Homens e Mulheres entre Família e Trabalho T, Lisboa, Comissão para Igualdade no Trabalho e no Emprego (CITE). Torres, Analia F.V. da Silva, T. L. Monteiro, e M. Cabrita (2000) Men and women between family and work in Portugal, Tilburg University, WORC, Worc and Organisation Research Centre, Tilburg. Torres, Analia (1999) Childcare and the division of labour between men and women, com Francisco Vieira da Silva, Tilburg University, WORC, Worc and Organisation Research Centre, Tilburg.

Seminário> Família: realidades e desafios 18 e 19 de Novembro de 2004 Homens e Mulheres entre Família e Trabalho

Seminário> Família: realidades e desafios 18 e 19 de Novembro de 2004 Homens e Mulheres entre Família e Trabalho Seminário> Família: realidades e desafios 18 e 19 de Novembro de 2004 Homens e Mulheres entre Família e Trabalho Anália Cardoso Torres Quatro ideias fundamentais. Grande valorização da família em todos

Leia mais

A PMA E AS TRANSFORMAÇÕES NA FAMÍLIA

A PMA E AS TRANSFORMAÇÕES NA FAMÍLIA PMA: Presente e Futuro. Questões Emergentes nos contextos Científico, Ético, Social e Legal A PMA E AS TRANSFORMAÇÕES NA FAMÍLIA Anália Cardoso Torres Professora Catedrática do ISCSP Instituto Superior

Leia mais

Valores, Classes e Género na Europa João Ferreira de Almeida* Rui Brites**

Valores, Classes e Género na Europa João Ferreira de Almeida* Rui Brites** Valores, Classes e Género na Europa João Ferreira de Almeida* Rui Brites** * Professor Catedrático do Departamento de Sociologia do ISCTE e investigador do CIES/ISCTE. ** Professor Auxiliar do Departamento

Leia mais

Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu

Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu 1 Análise comparativa dos sistemas de avaliação do desempenho docente a nível europeu Jorge Lima (*) Eurydice é a rede de informação sobre a educação na Europa, criada por iniciativa da Comissão Europeia

Leia mais

Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007. Conteúdo e desafios

Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007. Conteúdo e desafios Tratado de Lisboa 13 Dezembro 2007 Conteúdo e desafios Os Tratados Tratado de Paris (CECA) 18 de Abril de 1951 Tratados de Roma (CEE e CEEA) 25 de Março de 1957 Acto Único Europeu 17 de Fevereiro 1986

Leia mais

Informação diagnóstico

Informação diagnóstico Informação diagnóstico O declínio demográfico da cidade de Lisboa e a periferização da área metropolitana Evolução Comparada das Populações de Portugal, da Área Metropolitana de Lisboa e do Concelho de

Leia mais

A União Europeia contra a Exclusão Social. Inclusion Europe. Inclusion Europe. Inclusion Europe. Relatório

A União Europeia contra a Exclusão Social. Inclusion Europe. Inclusion Europe. Inclusion Europe. Relatório Inclusion Europe The European Association of Societies of Persons with Intellectual Disability and their Families A União Europeia contra a Exclusão Social A Inclusion Europe representa as pessoas com

Leia mais

Trabalhar no feminino

Trabalhar no feminino 07 de Março de 2013 8 de Março: Dia Internacional da Mulher Trabalhar no feminino Numa sociedade que aposta na igualdade entre homens e mulheres, incentiva a participação feminina na vida ativa e promove

Leia mais

Índice. Capítulo VI. 6. Licenças de Maternidade na Europa dos 15...1. 6.1 Licenças de Paternidade na Europa dos 15...4

Índice. Capítulo VI. 6. Licenças de Maternidade na Europa dos 15...1. 6.1 Licenças de Paternidade na Europa dos 15...4 Índice Capítulo VI 6. Licenças de Maternidade na Europa dos 15...1 6.1 Licenças de Paternidade na Europa dos 15...4 6.2 Licenças Parentais na Europa dos 15...6 6.3 As Licenças de Maternidade, Paternidade,

Leia mais

Valores e Classes Sociais: diferenças e semelhanças de género em Portugal. João Ferreira de Almeida / Anália Torres / Rui Brites CIES/ISCTE

Valores e Classes Sociais: diferenças e semelhanças de género em Portugal. João Ferreira de Almeida / Anália Torres / Rui Brites CIES/ISCTE Valores e Classes Sociais: diferenças e semelhanças de género em Portugal João Ferreira de lmeida / nália Torres / Rui Brites CIES/ISCTE 1 Os valores na pesquisa social análise dos valores assume hoje

Leia mais

Acabar com as disparidades salariais entre mulheres e homens. http://ec.europa.eu/equalpay

Acabar com as disparidades salariais entre mulheres e homens. http://ec.europa.eu/equalpay Acabar com as disparidades salariais entre mulheres e homens Resumo O que se entende por disparidades salariais entre mulheres e homens Por que razão continuam a existir disparidades salariais entre mulheres

Leia mais

OS CIDADÃOS EUROPEUS e a PROPRIEDADE INTELECTUAL: PERCEÇÃO, TOMADA DE CONSCIÊNCIA E COMPORTAMENTO SUMÁRIO EXECUTIVO

OS CIDADÃOS EUROPEUS e a PROPRIEDADE INTELECTUAL: PERCEÇÃO, TOMADA DE CONSCIÊNCIA E COMPORTAMENTO SUMÁRIO EXECUTIVO OS CIDADÃOS EUROPEUS e a PROPRIEDADE INTELECTUAL: PERCEÇÃO, TOMADA DE CONSCIÊNCIA E COMPORTAMENTO SUMÁRIO EXECUTIVO OS CIDADÃOS EUROPEUS e a PROPRIEDADE INTELECTUAL: PERCEÇÃO, TOMADA DE CONSCIÊNCIA E COMPORTAMENTO

Leia mais

A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO

A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO A QUALIDADE E A CERTIFICAÇÃO Em 1977 foi criada no Ministério da Indústria e Energia, a Direcção Geral da Qualidade, actualmente denominada por IPQ, cujo objectivo era o desenvolvimento e divulgação dos

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 27.2.2009 COM(2009) 77 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL EUROPEU E AO COMITÉ DAS REGIÕES

Leia mais

O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS. Síntese

O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES E PERSPECTIVAS. Síntese Comissão Europeia, Employment in Europe 2005 Recent Trends and Prospects, Office for Official Publications of the European Communities, Luxemburgo, 2005, 301 pp.. O EMPREGO NA EUROPA 2005 TENDÊNCIAS RECENTES

Leia mais

ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009

ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009 ESTATÍSTICAS DA IMIGRAÇÃO 2009 Entrada e Permanência I. FONTES OFICIAIS NACIONAIS... 3 Vistos de Estada Temporária (VET) e de Residência (VR), emitidos em 2009, por Tipo de Visto... 4 Vistos de Estada

Leia mais

PARECER N.º 37/CITE/2007

PARECER N.º 37/CITE/2007 PARECER N.º 37/CITE/2007 Assunto: Parecer prévio nos termos do n.º 1 do artigo 51.º do Código do Trabalho e da alínea b) do n.º 1 do artigo 98.º da Lei n.º 35/2004, de 29 de Julho Processo n.º 151 DL-C/2007

Leia mais

Comunicado de imprensa

Comunicado de imprensa Comunicado de imprensa A educação para a cidadania nas escolas da Europa Em toda a Europa, o reforço da coesão social e a participação activa dos cidadãos na vida social estão no centro das preocupações

Leia mais

O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA

O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA O DOMÍNIO DOS TRANSPORTES RODOVIÁRIOS DE MERCADORIAS PELOS PRIVADOS, O LOCK-OUT DOS PATRÕES, O PREÇO DO GASÓLEO E A MANIPULAÇÃO DA OPINIÃO PÚBLICA Eugénio Rosa Como consequência de uma política de transportes

Leia mais

Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP)

Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP) Avaliação do Painel de Consulta das Empresas Europeias (EBTP) 23/06/2008-14/08/2008 Existem 457 respostas em 457 que correspondem aos seus critérios A. Participação País DE - Alemanha 84 (18.4%) PL - Polónia

Leia mais

DESIGUALDADE ENTRE MULHERES: UM ELEMENTO-CHAVE DO SISTEMA SOCIO- ECONÓMICO PORTUGUES

DESIGUALDADE ENTRE MULHERES: UM ELEMENTO-CHAVE DO SISTEMA SOCIO- ECONÓMICO PORTUGUES DESIGUALDADE ENTRE MULHERES: UM ELEMENTO-CHAVE DO SISTEMA SOCIO- ECONÓMICO PORTUGUES Lina Coelho Assistente na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra Centro de Estudos Sociais 1. Introdução Portugal

Leia mais

Questões relativas à UE

Questões relativas à UE » Questões relativas à UE » Quantos países constituem hoje a União Europeia? (%) correta 53,6 incorreta/ não sabe 46,4 12 países 15 países 25 países 28 países 31 países Outras respostas 5,1 5,1 18,4 7,9

Leia mais

Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário

Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário Agência Europeia para a Segurança e Saúde no Trabalho Inquérito europeu às empresas sobre riscos novos e emergentes Sumário Este inquérito, realizado pela EU-OSHA a empresas de toda a Europa, visa contribuir

Leia mais

Boletim de notícias URBACT. Outubro - Novembro de 2011

Boletim de notícias URBACT. Outubro - Novembro de 2011 Boletim de notícias URBACT Outubro - Novembro de 2011 2 BOLETIM DE NOTÍCIAS URBACT POPULAÇÃO ENVELHECIDA, Artigo de fundo: População envelhecida: desafios para as cidades a nível dos cuidados de saúde

Leia mais

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática

Aspectos Sócio-Profissionais da Informática ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA I N S T I T U T O P O L I T É C N I C O D E C A S T E L O B R A N C O ENGENHARIA INFORMÁTICA Aspectos Sócio-Profissionais da Informática Jovens Empresários de Sucesso e Tendências

Leia mais

POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP

POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP POLÍTICA DE DIVERSIDADE DO GRUPO EDP CONTEXTO Respeitar a diversidade social e a representatividade presente nas comunidades em que as organizações se inserem é um dever ético e simultaneamente um fator

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 22.12.2008 COM(2008) 882 final RELATÓRIO DA COMISSÃO AO CONSELHO, AO PARLAMENTO EUROPEU, AO COMITÉ ECONÓMICO E SOCIAL E AO COMITÉ DAS REGIÕES Implementação

Leia mais

O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego

O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego NOTA INFORMATIVA O regresso desigual da Europa ao crescimento do emprego Previsões até 2025 apontam para diferenças significativas na oferta e procura de competências nos Estados-Membros Boas notícias.

Leia mais

Avaliação De Desempenho de Educadores e de Professores Princípios orientadores

Avaliação De Desempenho de Educadores e de Professores Princípios orientadores Avaliação De Desempenho de Educadores e de Professores Princípios orientadores O Estatuto da Carreira dos Educadores de Infância e dos Professores dos Ensinos Básico e Secundário, recentemente aprovado,

Leia mais

O DIREITO À SEGURANÇA SOCIAL

O DIREITO À SEGURANÇA SOCIAL O DIREITO À SEGURANÇA SOCIAL 1 O DIREITO À SEGURANÇA SOCIAL A segurança social tem que ser entendida na dupla perspectiva de direito social dos cidadãos, que compete ao Estado garantir, e de princípio

Leia mais

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO

INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO PROGRAMA AFERIÇÃO EFECTIVIDADE DA AUTO-AVALIAÇÃO DAS ESCOLAS PROJECTO ESSE Indicadores de qualidade I Introdução Baseado em investigação anterior e na recolha de informação

Leia mais

1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL

1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL Ineficiência energética agrava a crise económica e social em Portugal Pág. 1 A INEFICIENCIA ENERGÉTICA EM PORTUGAL AGRAVA A CRISE ECONÓMICA E SOCIAL RESUMO DESTE ESTUDO A baixa eficiência como é utilizada

Leia mais

Orientações políticas e atitudes face à imigração dos portugueses: uma análise longitudinal (2002-2010)

Orientações políticas e atitudes face à imigração dos portugueses: uma análise longitudinal (2002-2010) VII Congresso da APS 19 a 22 de Junho 2012 Orientações políticas e atitudes face à imigração dos portugueses: uma análise longitudinal (2002-2010) Sofia Gaspar CIES-IUL sofia.gaspar@iscte.pt Joana Azevedo

Leia mais

Desenvolvimento Sustentável O que significa e implicações para os profissionais de engenharia

Desenvolvimento Sustentável O que significa e implicações para os profissionais de engenharia Desenvolvimento Sustentável O que significa e implicações para os profissionais de engenharia Professor João Miranda Reis Departamento de Engenharia Química Instituto Superior Técnico Lisboa, 1 Índice

Leia mais

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro

Quadro 1 Dimensão do controlo da EDP e da GALP por capital estrangeiro RESUMO DESTE ESTUDO O sector da energia é estratégico em qualquer país, em termos de desenvolvimento e de independência nacional. Os governos, desde que tenham um mínimo de dignidade nacional e se preocupem

Leia mais

CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO

CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO c E v I CURSO DE EMPREENDEDORISMO E VALORIZAÇÃO DA INVESTIGAÇÃO MÓDULO:Equipa do Projecto/Equipa Empresarial Maria José Aguilar Madeira Silva Professora Auxiliar do DGE UBI CEVI - CURSO DE EMPREENDEDORISMO

Leia mais

Título da comunicação: As comunidades de origem imigrante e a escola 1 Tema: Migrações Sub-Tema: Migrações e Sistema de Ensino

Título da comunicação: As comunidades de origem imigrante e a escola 1 Tema: Migrações Sub-Tema: Migrações e Sistema de Ensino 1 II CONGRESSO PORTUGUÊS DE DEMOGRAFIA 27 a 29 Setembro 2004 Nome: Instituição: Faculdade de Ciências Sociais e Humanas Universidade Nova de Lisboa Departamento de investigação: SociNova/Migration Título

Leia mais

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL

ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL ÍNDICE DE RISCO DE 2008 PORTUGAL Índice de Pagamentos 2004 191 2005 184 2006 183 2007 182 2008 183 Desenvolvimento Económico (%) UE 27 - Média PIB per capita US 21.800 (2007) Crescimento do PIB 1,9 2,9

Leia mais

A Bandeira da Europa simboliza a União Europeia e também representa a unidade e a identidade da Europa. O circulo de estrelas douradas representa a

A Bandeira da Europa simboliza a União Europeia e também representa a unidade e a identidade da Europa. O circulo de estrelas douradas representa a Após a II Guerra Mundial alguns países europeus tiveram a ideia de se unirem para melhor resolver os seus problemas. Era necessário garantir a paz, reconstruir cidades e reorganizar o comércio. Só com

Leia mais

diversidade e desigualdade na escola

diversidade e desigualdade na escola Fórum de Pesquisas CIES 2006 6-dez Pedro Abrantes e João Sebastião colaboração de Ana Raquel Matias, Joana Campos, Susana Martins e Teresa Seabra diversidade e desigualdade na escola síntese de pesquisas

Leia mais

EVOLUÇÃO DO SEGURO DE SAÚDE EM PORTUGAL

EVOLUÇÃO DO SEGURO DE SAÚDE EM PORTUGAL EVOLUÇÃO DO SEGURO DE SAÚDE EM PORTUGAL Ana Rita Ramos 1 Cristina Silva 2 1 Departamento de Análise de Riscos e Solvência do ISP 2 Departamento de Estatística e Controlo de Informação do ISP As opiniões

Leia mais

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2009 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 16 25 6 47

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2009 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 16 25 6 47 Quadro Número de empresas de seguros a operar em Portugal 29 Vida Não Vida Mistas Total Em regime de estabelecimento 22 52 3 87 Empresas de seguros de direito português 6 25 6 47 Empresas de seguros 6

Leia mais

3. A DUPLA TAREFA. 33. "Ainda bem 'que é z.a feira e vou para o escritório" versus "Ai, se eu estivesse em.casa".

3. A DUPLA TAREFA. 33. Ainda bem 'que é z.a feira e vou para o escritório versus Ai, se eu estivesse em.casa. 3. A DUPLA TAREFA Se se pode afirmar que, ao longo do século xx, o imperativo legal que inibia o trabalho das mulheres casadas na esfera pública foi abandonado e se criou uma cultura de tolerância acerca

Leia mais

Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens

Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens Nem tudo o que parece, é! Estereótipos de género, os meios de comunicação social, as e os jovens Senhora Presidente da CIG, Caras parceiras e parceiro de mesa, Caras senhoras e caros senhores, É com grande

Leia mais

Censo Demográfico 2010 FAMÍLIA E DOMICÍLIO

Censo Demográfico 2010 FAMÍLIA E DOMICÍLIO Censo Demográfico 2010 FAMÍLIA E DOMICÍLIO Rio de Janeiro, 17 de outubro de 2012 FAMÍLIA A importância de se estudar FAMÍLIA Desempenha papel central na economia do país, como fonte de produção doméstica,

Leia mais

REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA. APIGCEE Associação Portuguesa dos Industriais Grandes Consumidores de Energia Eléctrica

REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA. APIGCEE Associação Portuguesa dos Industriais Grandes Consumidores de Energia Eléctrica SEMINÁRIO ERSE, 5 de Fevereiro de 2009 REGRAS DE FACTURAÇÃO DE ENERGIA REACTIVA APIGCEE Associação Portuguesa dos Industriais Grandes Baptista Pereira 1 A APIGCEE, abrange sectores-chave da indústria portuguesa

Leia mais

ZA6284. Flash Eurobarometer 413 (Companies Engaged in Online Activities) Country Questionnaire Portugal

ZA6284. Flash Eurobarometer 413 (Companies Engaged in Online Activities) Country Questionnaire Portugal ZA8 Flash Eurobarometer (Companies Engaged in Online Activities) Country Questionnaire Portugal FL - Companies engaged in online activities PT A A sua empresa vende on-line e/ou usa transações tipo EDI

Leia mais

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL

EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL EMPREENDEDORISMO: O CONTEXTO NACIONAL Entrevista com Eng.º Victor Sá Carneiro N uma época de grandes transformações na economia dos países, em que a temática do Empreendedorismo assume uma grande relevância

Leia mais

Rendimentos e despesas das famílias europeias

Rendimentos e despesas das famílias europeias Insights precisos para o crescimento europeu Rendimentos e despesas das famílias europeias Como está a crise a afetar a vida quotidiana? Think... nº 6 Janeiro 2013 TNS 2013 Insights precisos para o crescimento

Leia mais

Nacional (3) 1995-1997 1998-2000 (1) 1998-2000 (2) 1995-1997 1998-2000 (1) 1998-2000 (2) 1995-1997 1998-2000 (1) 1998-2000 (2) Extensão da Inovação

Nacional (3) 1995-1997 1998-2000 (1) 1998-2000 (2) 1995-1997 1998-2000 (1) 1998-2000 (2) 1995-1997 1998-2000 (1) 1998-2000 (2) Extensão da Inovação Anexo 2 Quadro 1 Evolução da Extensão da Inovação em Portugal (%) Extensão da Inovação Indústria Serviços Nacional (3) 1995-1997 1998-2000 (1) 1998-2000 (2) 1995-1997 1998-2000 (1) 1998-2000 (2) 1995-1997

Leia mais

Famílias no contexto europeu: Alguns dados recentes do european social survey 1

Famílias no contexto europeu: Alguns dados recentes do european social survey 1 Famílias no contexto europeu: Alguns dados recentes do european social survey 1 Anália Torres, Rui Brites, Rita Mendes e Tiago Lapa 2 Nesta comunicação analisam-se alguns dos resultados de pesquisa obtidos

Leia mais

[Diapositivo 2] Porquê a escolha desta população?

[Diapositivo 2] Porquê a escolha desta população? 1 De que falamos quando falamos de preconceito contra a homoparentalidade: Atitudes face à competência parental e ao desenvolvimento psicossocial das crianças. Jorge Gato [Diapositivo 1] Gostava de partilhar

Leia mais

O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL

O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL O SECTOR ELÉCTRICO EM PORTUGAL CONTINENTAL CONTRIBUTO PARA DISCUSSÃO 31 de Março de 2011 O presente documento resume as principais conclusões do Estudo O Sector Eléctrico em Portugal Continental elaborado

Leia mais

emocional e social do indivíduo por um longo período, inclusive até a idade adulta.

emocional e social do indivíduo por um longo período, inclusive até a idade adulta. Crescimento e Desenvolvimento das Crianças em Contextos Migratórios: Cabo-Verdianos e Descendentes de Cabo- Verdianos no Bairro da Cova da Moura O crescimento e desenvolvimento de um indivíduo são fortemente

Leia mais

Equilíbrio de Género nos Conselhos de Administração: as Empresas do PSI 20

Equilíbrio de Género nos Conselhos de Administração: as Empresas do PSI 20 1 Equilíbrio de Género nos Conselhos de Administração: as Empresas do PSI 20 Relatório 2014 ACEGIS Associação para a Cidadania, Empreendedorismo, Género e Inovação Social 8 de março de 2014 Dia Internacional

Leia mais

3. EDUCAÇÃO. O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º).

3. EDUCAÇÃO. O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º). 3. EDUCAÇÃO Quadro legal O Estado reconhece a todos o direito à educação e à cultura (CRP, art.º 73º), bem como ao ensino (CRP, art.º 74º). A Lei de Bases do Sistema Educativo (Lei n.º 46/86, de 14 de

Leia mais

Índice Genworth: Medimos a Segurança e Vulnerabilidade Financeira do Consumidor

Índice Genworth: Medimos a Segurança e Vulnerabilidade Financeira do Consumidor Março 2013 I Quinta Edição Índice Genworth: Medimos a Segurança e Vulnerabilidade Financeira do Consumidor GF90336 05/11 i I Índice Genworth: Medimos a Segurança e Vulnerabilidade Financeira do Consumidor

Leia mais

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020

Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 Documento Conclusões Seminário Juventude em Acção Rumo a 2020 1. Participação, Cultura e Criatividade Existem diferentes formas de participação na democracia e várias formas de utilização do programa Juventude

Leia mais

Grupo Parlamentar. Projeto de Resolução n.º 336/XIII/1.ª

Grupo Parlamentar. Projeto de Resolução n.º 336/XIII/1.ª Grupo Parlamentar Projeto de Resolução n.º 336/XIII/1.ª Recomenda ao Governo que reveja a legislação de modo a defender os idosos de penalizações e exclusões abusivas que são alvo em função da idade Exposição

Leia mais

Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação

Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação ANEXOS Anexo 1. Solicitação de autorização para investigação Anexo 2. Proposta de investigação apresentada à autarquia Anexo 3. Questionário em inglês Anexo 4. Questionário em português Anexo 5.

Leia mais

Estudos internacionais de avaliação de competências dos adultos

Estudos internacionais de avaliação de competências dos adultos Encontro Nacional Rede de Centros de Recursos em Conhecimentos Estudos internacionais de avaliação de competências dos adultos Do Estudo Internacional de Literacia (IALS) ao Programa Internacional para

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS Trabalho Individual Área / UFCD 1 de 6 Comunidade Global Tema Direitos fundamentais do : Declaração Universal dos Direitos do OBJECTIVO: Participa consciente e sustentadamente na comunidade global 1. Leia, com atenção, a Declaração Universal

Leia mais

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 76,0 % da média da União Europeia em 2012

Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 76,0 % da média da União Europeia em 2012 Paridades de Poder de Compra 2012 12 de dezembro de 2013 Em Portugal o Produto Interno Bruto per capita expresso em Paridades de Poder de Compra situou-se em 76,0 % da média da União Europeia em 2012 Em

Leia mais

A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS

A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS PORTUGAL A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA A INTERNACIONALIZAÇÃO DA ECONOMIA PORTUGUESA E A COOPERAÇÃO COM OS PAÍSES LUSÓFONOS Maria Celeste Hagatong Comissão Executiva do Banco BPI Lisboa, 3 de Junho

Leia mais

COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS

COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS COMBATE À EVASÃO FISCAL INTERNACIONAL: A TROCA AUTOMÁTICA DE INFORMAÇÕES FINANCEIRAS Uma verdadeira revolução está em curso relativamente à troca de informações financeiras em matéria fiscal. Até há muito

Leia mais

Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27

Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27 Trabalho realizado por: Hélio nº 10 Jorge nº 13 Pedro F nº21 Ricardo P nº24 Miguel F nº27 Disciplina de: Área de Projecto Nome do Professor: Hélder Baião 1 Este trabalho foi proposto pelo professor de

Leia mais

Êxodo de competências e mobilidade académica de Portugal para a Europa

Êxodo de competências e mobilidade académica de Portugal para a Europa Êxodo de competências e mobilidade académica de Portugal para a Europa No âmbito do projeto "Brain Drain and Academic Mobility from Portugal to Europe, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia,

Leia mais

Educação para os Media e Cidadania

Educação para os Media e Cidadania Educação para os Media e Cidadania Sara Pereira Instituto de Estudos da Criança Universidade do Minho Com este artigo procura-se reflectir sobre a educação para os media como uma forma e uma via de educar

Leia mais

Transcrição de Entrevista n º 24

Transcrição de Entrevista n º 24 Transcrição de Entrevista n º 24 E Entrevistador E24 Entrevistado 24 Sexo Feminino Idade 47 anos Área de Formação Engenharia Sistemas Decisionais E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

Educação e competências na Europa

Educação e competências na Europa Fórum Pesquisas 2013 A EUROPA EM ANÁLISE Instituições e processos em Portugal e no Contexto Europeu Educação e competências na Europa Patrícia Ávila e Susana da Cruz Martins 13 de Dezembro de 2013 Europa

Leia mais

TRABALHO, EMPRESAS E QUALIDADE DE VIDA. Maria das Dores Guerreiro, Eduardo Rodrigues e Ana Isabel Couto

TRABALHO, EMPRESAS E QUALIDADE DE VIDA. Maria das Dores Guerreiro, Eduardo Rodrigues e Ana Isabel Couto TRABALHO, EMPRESAS E QUALIDADE DE VIDA Maria das Dores Guerreiro, Eduardo Rodrigues e Ana Isabel Couto TRABALHO, EMPRESAS E QUALIDADE DE VIDA Estudos desenvolvidos nos últimos anos no domínio de investigação

Leia mais

Dia do Voluntário da U.Porto: Formar para o voluntariado Conclusões dos Workshops

Dia do Voluntário da U.Porto: Formar para o voluntariado Conclusões dos Workshops Dia do Voluntário da U.Porto: Formar para o voluntariado Conclusões dos Workshops Workshop1 Voluntariado na área social e humanitária nacional Dinamizadores: Vo.U Associação de Voluntariado Universitário

Leia mais

Geografia A. * Análise de Notícias. Escola ES/3 de Carvalhos Março 2007

Geografia A. * Análise de Notícias. Escola ES/3 de Carvalhos Março 2007 Escola ES/3 de Carvalhos Março 2007 Geografia A * Análise de Notícias Natureza das notícias: socio-económica Localização temporal: actualidade Localização espacial: Europa Jornal: Expresso Data de edição:

Leia mais

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD)

Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) MEMO/11/406 Bruxelas, 16 de Junho de 2011 Saúde: pronto para férias? viaje sempre com o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença (CESD) Em férias nunca se sabe! Está a pensar viajar na UE ou na Islândia,

Leia mais

ESTUDO DA ADC SOBRE A CONCORRÊNCIA NO SETOR PORTUÁRIO. 26 de janeiro de 2016

ESTUDO DA ADC SOBRE A CONCORRÊNCIA NO SETOR PORTUÁRIO. 26 de janeiro de 2016 ESTUDO DA ADC SOBRE A CONCORRÊNCIA NO SETOR PORTUÁRIO 26 de janeiro de 2016 Estrutura da apresentação 1. A relevância do estudo da AdC 2. As principais conclusões 3. As recomendações da AdC 4. A consulta

Leia mais

1.1. REDE SOCIAL EM PROL DA SOLIDARIEDADE

1.1. REDE SOCIAL EM PROL DA SOLIDARIEDADE 1.1. REDE SOCIAL EM PROL DA SOLIDARIEDADE Cidadania: Um Imperativo A cidadania tende a incluir a diferença, para que esta não se transforme em exclusão. Hoje, entender como se dá a construção da cidadania

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 27.11.2007 COM(2007) 757 final COMUNICAÇÃO DA COMISSÃO PROGRESSOS NA REALIZAÇÃO DOS OBJECTIVOS DE QUIOTO (nos termos da Decisão n.º 280/2004/CE do Parlamento

Leia mais

IRIS Improvement through Research in the Inclusive School EU-Comenius-project (2006-2009) Sistemas de apoio em Jardins de Infância e Escolas

IRIS Improvement through Research in the Inclusive School EU-Comenius-project (2006-2009) Sistemas de apoio em Jardins de Infância e Escolas IRIS Improvement through Research in the Inclusive School EU-Comenius-project (2006-2009) Sistemas de apoio em Jardins de Infância e Escolas IRIS Eva Bernat, Graz, Áustria Jean-Claude de Vreese, Bruxelas,

Leia mais

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT

INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT INTERVENÇÃO DE S.EXA. O SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO, DR.BERNARDO TRINDADE, NA SESSÃO DE ABERTURA DO XXXIII CONGRESSO DA APAVT TURISMO: TENDÊNCIAS E SOLUÇÕES Exmos. Senhores Conferencistas, Antes de

Leia mais

(Actos legislativos) DIRECTIVAS

(Actos legislativos) DIRECTIVAS 26.10.2010 Jornal Oficial da União Europeia L 280/1 I (Actos legislativos) DIRECTIVAS DIRECTIVA 2010/64/UE DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO de 20 de Outubro de 2010 relativa ao direito à interpretação

Leia mais

Percursos femininos dos séculos XX ao XXI. Da mulher-natureza à mulher mulher-indivíduo

Percursos femininos dos séculos XX ao XXI. Da mulher-natureza à mulher mulher-indivíduo Percursos femininos dos séculos XX ao XXI. Da mulher-natureza à mulher mulher-indivíduo Anália Cardoso Torres Socióloga Professora Catedrática do ISCSP Universidade Técnica de Lisboa www.analiatorres.net

Leia mais

Perguntas e Respostas: O Pacote ODM (Objectivos de Desenvolvimento do Milénio) da Comissão

Perguntas e Respostas: O Pacote ODM (Objectivos de Desenvolvimento do Milénio) da Comissão MEMO/05/124 Bruxelas, 12 de Abril de 2005 Perguntas e Respostas: O Pacote ODM (Objectivos de Desenvolvimento do Milénio) da Comissão 1. Em que consiste este pacote? A Comissão aprovou hoje 3 comunicações

Leia mais

Acordo Quadro Global. Norsk Hydro ASA. IMF/ICEM Fellesforbundet e IndustriEnergi

Acordo Quadro Global. Norsk Hydro ASA. IMF/ICEM Fellesforbundet e IndustriEnergi Acordo Quadro Global entre Norsk Hydro ASA e IMF/ICEM Fellesforbundet e IndustriEnergi para o desenvolvimento de boas relações de trabalho em todas as actividades a nível mundial da Norsk Hydro ASA. 1.

Leia mais

FICHA TÉCNICA AUTORIA DESIGN IMPRESSÃO TIRAGEM ISBN DEPÓSITO LEGAL EDIÇÃO. Relatório Síntese. Rita Espanha, Patrícia Ávila, Rita Veloso Mendes

FICHA TÉCNICA AUTORIA DESIGN IMPRESSÃO TIRAGEM ISBN DEPÓSITO LEGAL EDIÇÃO. Relatório Síntese. Rita Espanha, Patrícia Ávila, Rita Veloso Mendes Relatório Síntese FICHA TÉCNICA AUTORIA Rita Espanha, Patrícia Ávila, Rita Veloso Mendes DESIGN IP design gráfico, Lda. IMPRESSÃO Jorge Fernandes, Lda. TIRAGEM 200 exemplares ISBN 978-989-8807-27-4 DEPÓSITO

Leia mais

FASCÍCULO IV OS PRINCIPAIS CONCEITOS PARA A COMPREENSÃO DA IGUALDADE DE GÉNERO

FASCÍCULO IV OS PRINCIPAIS CONCEITOS PARA A COMPREENSÃO DA IGUALDADE DE GÉNERO OS PRINCIPAIS CONCEITOS PARA A COMPREENSÃO DA IGUALDADE DE GÉNERO Com a colaboração de: No âmbito dos estudos de género e das políticas de igualdade têm vindo a ser definidos inúmeros conceitos com vista

Leia mais

vivem cada vez mais tempo,

vivem cada vez mais tempo, Portuguesas vivem cada vez mais tempo, mas com menos saúde Têm uma esperança de vida que é das maiores do mundo, mas desfrutam de muito menos anos saudáveis do que as mulheres dos países mais bem classificados

Leia mais

Implementação de uma estratégia de inovação aberta nos centros de PD&I das multinacionais no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Implementação de uma estratégia de inovação aberta nos centros de PD&I das multinacionais no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Implementação de uma estratégia de inovação aberta nos centros de PD&I das multinacionais no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

Como...fazer o pré-teste de materiais de extensão rural com pequenos agricultores

Como...fazer o pré-teste de materiais de extensão rural com pequenos agricultores Como...fazer o pré-teste de materiais de extensão rural com pequenos agricultores A realização de pré-testes antes da distribuição dos materiais de extensão rural é um processo importante no desenvolvimento

Leia mais

O ESPAÇO DE SCHENGEN. Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ

O ESPAÇO DE SCHENGEN. Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ O ESPAÇO DE SCHENGEN Trabalho feito por João Dias nº 8 do 2ºJ O QUE É O ESPAÇO DE SCHENGEN? O espaço e a cooperação Schengen assentam no Acordo Schengen de 1985. O espaço Schengen representa um território

Leia mais

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2010 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 24 7 46

Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal. 2010 Vida Não Vida Mistas Total. Empresas de seguros de direito português 15 24 7 46 Quadro 1 Número de empresas de seguros a operar em Portugal 21 Vida Não Vida Mistas Total Em regime de estabelecimento 21 5 12 83 Empresas de seguros de direito português 15 24 7 46 Empresas de seguros

Leia mais

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL

ANEXO III 15-03-2013 RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL ANEXO III RECOLHA DE PERCEPÇÕES INOVAÇÃO E RESPONSABILIDADE SOCIAL -- ÍNDICE ÍNDICE. OBJECTIVOS E ÂMBITO DO ESTUDO. METODOLOGIA. RESUMO. INOVAÇÃO ORGANIZACIONAL. INOVAÇÃO NOS ÚLTIMOS 6 ANOS 6. APRENDIZAGEM

Leia mais

REUNIÃO COPA, Bruxelas Relatório de reunião de 19/6/2008

REUNIÃO COPA, Bruxelas Relatório de reunião de 19/6/2008 Presidente: Paul Temple (Inglaterra) Representante indicado pela CAP: Bernardo Albino Resumo reunião: 1- Aprovação ordem do dia ok 2- Aprovação de acta de última reunião ok 3- Trabalhos preparatórios de

Leia mais

PARECER CE N.º 256 / 2010

PARECER CE N.º 256 / 2010 PARECER CE N.º 256 / 2010 ASSUNTO: Formação de Supervisores Clínicos em Prática Tutelada em Enfermagem O CE ADOPTA NA ÍNTEGRA O PARECER Nº 79 / 2010 / COMISSÃO DE FORMAÇÃO 1. Enquadramento O Modelo de

Leia mais

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda

Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda Redução da jornada de trabalho - Mitos e verdades Apresentação Jornada menor não cria emprego Tramita no Congresso Nacional a Proposta de Emenda à Constituição 231/95 que reduz a jornada de trabalho de

Leia mais

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt

Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt Capitais Públicos e Capitais Privados no Mercado Interno: Assegurar um Ambiente Equitativo para Empresas Públicas e Privadas Arial Bold Alinhado esquerda 27 pt XXIV Congresso FIDE Madrid 2010 Arial Bold

Leia mais

Portugal em Banda Larga.

Portugal em Banda Larga. Portugal em Banda Larga. José Ferrari Careto 1 1. Consumadas que estão as coberturas da população e do território em termos de serviço de telefone, tanto fixo como móvel, grande parte dos desafios que

Leia mais

Situação das mulheres que se aproximam da idade da reforma

Situação das mulheres que se aproximam da idade da reforma 22.2.2013 Jornal Oficial da União Europeia C 51 E/9 Situação das mulheres que se aproximam da idade da reforma P7_TA(2011)0360 Resolução do Parlamento Europeu, de 13 de Setembro de 2011, sobre a situação

Leia mais

Programa de Estágios Internacionais da IAESTE

Programa de Estágios Internacionais da IAESTE IAESTE International Association for the Exchange of Students for Technical Experience Associação Internacional para a Permuta de Estudantes do Ensino Superior para Experiência Prática A IAESTE é uma organização

Leia mais

E Entrevistador E18 Entrevistado 18 Sexo Masculino Idade 29anos Área de Formação Técnico Superior de Serviço Social

E Entrevistador E18 Entrevistado 18 Sexo Masculino Idade 29anos Área de Formação Técnico Superior de Serviço Social Transcrição de Entrevista nº 18 E Entrevistador E18 Entrevistado 18 Sexo Masculino Idade 29anos Área de Formação Técnico Superior de Serviço Social E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais