HÁBITOS ALIMENTARES E QUALIDADE DE VIDA: UMA DISCUSSÃO SOBRE A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HÁBITOS ALIMENTARES E QUALIDADE DE VIDA: UMA DISCUSSÃO SOBRE A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 1"

Transcrição

1 HÁBITOS ALIMENTARES E QUALIDADE DE VIDA: UMA DISCUSSÃO SOBRE A ALIMENTAÇÃO ESCOLAR 1 FRIZON, Janete Diane 2 RESUMO: Este trabalho de pesquisa foi orientado pela professora mestra Carmem Waldow. O mesmo teve como objetivo, analisar os hábitos alimentares de alunos do 2ªsérie (Ensino Fundamental Séries Iniciais) da Escola São Caetano do município de Pato Branco - PR, assim como as interferências da alimentação na qualidade de vida desses alunos. Nesse sentido, buscou-se embasamento teórico em autores que se dedicam ao estudo da alimentação em todas as fases da vida, considerando que neste trabalho, deu-se maior enfoque para a alimentação na infância. Para a coleta de dados, utilizou-se a pesquisa exploratória, através de questionários distribuídos aos alunos e também observação do lanche trazido pelos alunos para a escola no período de duas semanas. Findada a pesquisa, pôde-se constatar que os alunos têm hábitos alimentares variados e que não existe uma grande preocupação da família em relação à formação desses hábitos. Vários fatores podem contribuir para isso, como a produção em massa de alimentos s, o investimento das indústrias alimentícias em publicidade, a escassez de tempo que as pessoas enfrentam atualmente, entre outros. Cabe, portanto a escola contribuir para com o debate concernente à formação de hábitos alimentares saudáveis objetivando a qualidade de vida. Isso somente será possível com o comprometimento do professor e de toda a equipe pedagógica da escola em que o aluno está inserido. Interessante salientar que apenas duas das crianças pesquisadas estão acima do peso ideal. Nesse contexto, a escola tem uma importância grande no que tange à formação de hábitos alimentares saudáveis e a valorização dos alimentos naturais, bem como na busca por uma consciência sobre esse processo de massificação que acontece em nossa sociedade, inclusive na alimentação. Palavras-Chave: Alimentação escolar. Hábitos alimentares. Qualidade de vida. 1 Artigo apresentado ao I Simpósio Nacional de Educação (Unioeste Cascavel). 2 Pedagoga/ Licenciatura Plena FADEP (Faculdade de Pato Branco)

2 1 INTRODUÇÃO Numa época não tão distante, a alimentação era bem diferente da atual. As pessoas consumiam os alimentos in natura, por estarem em maior contato com a natureza e desses alimentos era extraído o total de nutrientes que continham. Sabe-se que atualmente, a maioria dos alimentos são produzidos e transformados com a utilização de técnicas modernas, as quais acabam alterando e interferindo no valor nutricional dos mesmos. Sendo assim, a saúde das pessoas do mundo moderno pode estar comprometida, pois elas se deixam influenciar pela aparência dos alimentos, pelo sabor requintado e também pela indução da propaganda de massa. Nesse contexto, este artigo tem a intenção de salientar que uma alimentação racional e equilibrada é fundamental para prevenir muitas doenças, inclusive algumas que podem ter conseqüências psicológicas, como a obesidade. Assim, uma das preocupações desse trabalho é observar a influência da alimentação na qualidade de vida das crianças. Para a elaboração deste artigo, adotou-se como metodologia a pesquisa com abordagem qualitativa do tipo exploratória. O trabalho envolve além desta introdução, que sintetiza a estrutura do trabalho, o desenvolvimento, a análise dos dados coletados com os alunos da segundo ano (Ensino Fundamental Séries Iniciais) e a conclusão. 2 DESENVOLVIMENTO 2.1 COSTUMES ALIMENTARES E SUA EVOLUÇÃO A alimentação é uma necessidade básica de todo o ser vivo. O ser humano tem seus hábitos alimentares decorrentes da convivência em sociedade. A alimentação humana é modificada de acordo com as necessidades histórico-sociais que se apresentam em cada período histórico. Assim, para entender o porquê do tipo de alimentação atual, é indispensável que se conheça os hábitos alimentares dos homens que viveram na terra nos séculos antecedentes. De acordo com Mezomo (2002), no período da pedra lascada, cerca de a.c. o homem vivia em cavernas e caçava. A mulher colhia frutos, nozes, raízes e cereais silvestres, completando assim a ração alimentar.

3 Em a.c., no período mesolítico, os homens que residiam na atual Europa eram coletores. Não se alimentavam com carne vermelha pelo motivo de que animais desapareciam frequentemente, devido à migração. O homem então deslocou-se para as costas litorâneas nórdicas. Ali havia abundância de peixes, aves aquáticas, ovos, lebres, lesmas, caracóis, raízes, nozes, gado selvagem, hienas e javalis para a caça, e o homem, nesse período, juntou-se em clãs (homo socialis). Devido aos raios e lavas dos vulcões, o homem já conheceu o fogo, mas não sabia produzi-lo. Nessa época o homem devorava animais mortos, cuja carne ficava chamuscada nos incêndios da floresta. Tempos mais tarde, o homem descobriu que o atrito entre duas pedras, resultava em faíscas e, conseqüentemente, no fogo, começando a utilizá-lo para espantar os animais, aquecer-se do frio e assar a carne. (MEZOMO, 2002). No período neolítico, a.c.(idade da Pedra Polida), os homens, após o dilúvio, perceberam que o parasitismo esgotava a terra. Então, fixaram morada à beira de rios e lagos. Pescavam e plantavam. Iniciando, em pequenas aldeias, a vida pastoril. Possuíam rebanhos, dos quais extraíam a carne e o leite. Esses homens preveniam-se com reservas para períodos de escassez, assim como praticavam também o ócio, recuperando as energias através de trabalhos artísticos e também cultivando a vaidade. Assim, com a inteligência desenvolvida, o homo faber passou a produzir o artesanato e percebeu também que podia guardar e conservar alimentos. A alimentação dos povos ocidentais se contrapõe muito a dos povos orientais, que tem a refeição como um verdadeiro ritual. Considerando ainda que: A evolução das ciências e da tecnologia, ao longo dos anos, torna possível tomar consciência das novas e originais características da alimentação moderna, quer apreciando suas vantagens, quer apontando suas inconveniências.(mezomo, 2002, p.7). Ou seja, atualmente, os alimentos, em grande parte vêm de uma transformação industrial da matéria-prima. Toma-se a precaução, por parte dos fabricantes em melhorar a qualidade comercial de seus produtos, objetivando aumentar suas vendas; mas, nesse processo, o que acontece muitas vezes é a perda do valor nutritivo desses alimentos. Nesse sentido, então, é preciso tomar consciência de que a transformação das técnicas de produção e dos costumes alimentares podem acarretar em sérias complicações à saúde.

4 2.2 HÁBITOS ALIMENTARES E SUA INFLUÊNCIA NO ESTADO FÍSICO, PSÍQUICO E SOCIAL DO HOMEM. Para manter-se vivo, o homem precisa comer. Porém, como se diz na linguagem popular, o homem deve comer para viver e não viver para comer. Interessante salientar que, quando nasce, o homem é semelhante (exceto em caracteres étnicos), no tempo e no espaço, a outro homem que tenha nascido ou venha a nascer em outro ambiente. Após o nascimento, agem fatores ligados basicamente à alimentação, os quais são capazes de moldá-los ao meio ambiente que vive. Nesse sentido, o contexto cultural do homem é caracterizado pela forma como ele obtém, aproveita e consome seus alimentos, os valores que a sociedade atribui a eles e fatores inter-relacionados, como a economia, estrutura social, religião e fator psicológico. Muitas vezes, o indivíduo muda seus hábitos em função daquilo que pensa ser relevante para satisfazer suas necessidades. O poder aquisitivo de um povo é que vai determinar os seus hábitos alimentares e, para a alimentação ser completa, não significa que se deva introduzir no organismo todos os princípios nutritivos, os quais são vistos como indispensáveis à vida. O que é preciso considerar é que esta alimentação tem que ter o poder de saciar, sendo ela, sobretudo, individual. Um tipo de alimentação pode ser incompleta para um povo ou indivíduo e preencher as necessidades vitais de outro povo, que se habituou à ela, por meio de gerações sucessivas. De acordo com Mezomo (2002, p. 10), Não existe peculiaridade da alimentação em relação à raça, e, sim, em relação ao meio ambiente físico, isto é, sol, chuva, altitude, solo, vegetação, vida animal, vetores de enfermidades decorrentes da adaptação do indivíduo ao ambiente, através de gerações sucessivas. Assim como a aparência, odor e gosto influenciam na formação do hábito alimentar. Mezomo (2002) destaca que a luta para obter alimentos numa quantidade suficiente, determina as atividades sociais e, consequentemente os fatores determinantes das relações, atitudes, crenças e práticas formuladas pela cultura de um povo.

5 Percebe-se que o hábito alimentar faz parte da cultura, ou seja, integra o indivíduo ao seu grupo. Se por ventura este indivíduo tiver que alterar bruscamente esses hábitos, problemas sérios ocorrerão tanto organicamente, quanto psicologicamente. E, como afirma Mezomo (2002, p.11), [...] quando há necessidade de se modificar ou melhorar um hábito alimentar, deve-se educar a população de forma paulatina. Nesse contexto pode-se citar dois tipos de mudanças de hábitos alimentares: a dirigida e a espontânea. A primeira diz respeito ao desejo que o indivíduo tem de consumir alimentos que proporcionam maior prestígio social. Considera-se que nem sempre essas mudanças são positivas. Pode-se citar o caso do desmame de uma criança precocemente ou até mesmo a não-amamentação, zelando pela estética dos seios e substituindo, então, a amamentação pelo aleitamento artificial (MEZOMO, 2002). A mudança dirigida é desenvolvida baseada em conhecimentos científicos, objetivando, principalmente, favorecer as crianças que sofrem de má nutrição protéicocalórica, sendo que os principais fatores contribuintes são: econômicos, culturais, sociais, religiosos e educacional. É importante considerar ainda que a cultura de uma sociedade influencia e muito no desenvolvimento dos hábitos alimentares da pessoas inseridas nela. 2.3 A ALIMENTAÇÃO NO ÂMBITO ESCOLAR Considerando que o tempo que a criança passa na escola é maior, muitas vezes, do que aquele que ela passa em casa, a instituição escolar tem uma influência cada vez mais abrangente na alimentação de seus alunos. Sendo assim, ela pode desenvolver projetos que estejam voltados à educação alimentar. As que possuem cantinas, por exemplo, devem disponibilizar alternativas alimentares que se ajustem as necessidades de cada aluno. Cumprindo esse requisito, haverá a promoção da saúde dentro do âmbito escolar e tornar-se-á uma fonte de prazer. De acordo com Nutrição Adequada nos Primeiros Anos de Vida (2007) e com Lourenço (2007), durante a fase pré-escolar, a criança apresenta uma certa curiosidade em descobrir os alimentos. Os sentidos têm papel fundamental na aceitação do alimento pela criança pequena, não é somente através da gustação que o pré-escolar define seus gostos. Existe um período considerado crítico que, de acordo com Oliveira (apud in CAMPOS, 2003),

6 vai do primeiro ano de vida até três anos em que a criança está mais suscetível a transtornos emocionais e infecções múltiplas. A criança pré-escolar é aquela que se encontra entre os dois e cinco anos de idade. Durante essa fase ela apresenta um crescimento lento e contínuo, o que justifica a importância de acompanhar o desenvolvimento do pré-escolar, verificando o seu estado de saúde geral e identificando alguns fatores de risco. Os autores Krause e Mahan (1991) frisam que o local físico da alimentação da criança deve ser adaptado para que possa ocorrer de forma a assegurar as suas necessidades. Desde a mesa e cadeiras, até mesmo os talheres e pratos devem proporcionar à criança conforto e segurança. Considerando que a alimentação escolar é um direito de todo o estudante, garantido pela Constituição Federal de 1988, é indispensável que esse momento seja proporcionado a ela de forma saudável. O desenvolvimento da criança, incluindo altura e peso, ocorre na infância e de acordo com a LDB 9394/96, é função da Educação Infantil promover o desenvolvimento integral da criança, nos aspectos físico, psicológico, intelectual e social.isso inclui a responsabilidade da instituição escolar sobre a alimentação. Acredita-se que os hábitos alimentares podem variar dependendo do que a escola forneça como cardápio diário à criança. A escola deve oferecer alimentos, que possibilite aos alunos de ensino fundamental e médio conhecerem as noções básicas sobre o assunto, tornando-se uma atitude positiva na efetivação de hábitos alimentares saudáveis. Sendo que, segundo Mezomo (2002, p.16-17): A introdução de hábitos alimentares corretos, através da criança na idade escolar, é o melhor método de se atingir esse objetivo, pois, dessa maneira está se preparando uma geração com os conhecimentos básicos sobre nutrição. Os professores também precisam ser instruídos para que transmitam corretamente os conhecimentos às crianças. Considera-se também muito importante atingir o lar, assim como a comunidade, através de todos os meios de divulgação que possam servir ao programa de educação alimentar. Faz-se necessário salientar nesse programa que para ter-se uma boa saúde é indispensável uma boa alimentação, conscientizando que a má nutrição tem suas conseqüências

7 Deve-se considerar, também, que o valor nutricional dos alimentos e a disponibilidade de alimentos em cada região do País estimulam o consumo de certos alimentos de alto valor nutritivo, substituindo por outros de menor valor, assim como o modo de prepará-los, mantendo o máximo de seu valor nutritivo. É preciso considerar, dentro desse processo, que uma mudança dos hábitos alimentares só pode ocorrer gradativamente e quando a modificação for programada. Se um indivíduo mudar drasticamente seus hábitos alimentares pode acarretar alterações sérias para o organismo, com distúrbios nas funções digestivas, redução da capacidade de trabalho, etc. A escola desempenha uma função muito importante na construção de hábitos alimentares saudáveis. Isso implica, inclusive, no incentivo às crianças a se hidratarem através da ingestão de líquidos. Segundo Mahan e Stump (2002,p.147), A água é um componente essencial de todos os tecidos corpóreos. Como um solvente, ela torna muitos solutos disponíveis para a função celular e é um meio necessário para todas as reações [...] A água é essencial para os processos fisiológicos de digestão, absorção e excreção.ela desempenha um papel-chave na estrutura e função do sistema circulatório e atua como um meio de transporte para os nutrientes e todas as substâncias corpóreas. Pela riqueza e importância da água, é indispensável que os alunos tenham acesso a sua ingestão de líquidos nos períodos em que estiverem na escola, e que essa prática torne-se, pela formação, uma atividade consciente dentro do âmbito escolar. Por ter uma participação tão ativa na vida dos alunos e por alcançar grande parte da população, à escola são atribuídas diversas funções sociais, inclusive a de alimentar e educar para uma vida saudável. Lourenço (2007, p ) afirma que: A escola tem uma influência cada vez mais abrangente na alimentação dos seus alunos, uma vez que o período onde a criança passa muitas vezes é maior que o tempo que passa em casa. É através da escola que é possível desenvolver projetos voltados à educação alimentar, embora o tema da alimentação/ nutrição esteja integrado juntamente aos currículos escolares, ele não tem sido devidamente tratado por boa parte das escolas brasileiras. Assim, cabe às escolas retomarem aspectos relevantes sobre a alimentação, organizarem projetos e ações que coloquem em prática a educação alimentar. Lourenço (2007, p. 23) destaca ainda que: O papel da escola deve ser de possibilitar e disponibilizar alternativas alimentares adequadas que se ajustem as necessidades de cada aluno tanto nas cantinas, quanto nos bufetes. A alimentação precisa cumprir esses

8 requisitos básicos para que haja a promoção da saúde dentro do âmbito escolar e, mais do que isso, a alimentação deve ser uma fonte de prazer. Dessa forma, a escola cumpre o seu papel social na promoção da qualidade de vida e educa os paladares de seus sujeitos de modo a efetivar um processo de alimentação saudável não apenas no seu interior, como também nas relações que o aluno estabelece fora dos seus portões. 3 APRESENTAÇÃO E ANÁLISE DOS DADOS Considerando que da alimentação dependem vários aspectos ligados ao desenvolvimento da criança, realizou-se a pesquisa de campo e os dados serão analisados a seguir. A coleta de dados constou de duas fases. A primeira etapa da pesquisa consistiu em questionário realizado com 6 alunos da Escola São Caetano da rede privada do município de Pato Branco, (4 meninos e 2 meninas) de uma 2ª série, na faixa etária de 8 anos, a fim de verificar sobre seus hábitos alimentares. Na etapa seguinte, realizou-se uma observação de duas semanas, que consistiu da anotação dos produtos alimentícios trazidos por essas mesmas crianças à escola. A seguir, apresentam-se esses dados seguidos de uma breve análise. 3.1 O LANCHE DAS CRIANÇAS NA ESCOLA Os quadros seguintes contêm os dados obtidos durante o período de 24 de setembro a 5 de outubro de O primeiro quadro dá conta da alimentação escolar das crianças na primeira semana e o seguinte, na segunda semana. A Escola São Caetano, não oferece o programa de merenda escolar, que atinge as escolas públicas. A escola também não oferece cantina para a venda de alimentos, assim, as crianças trazem diariamente seus lanches e isso reflete bem os hábitos alimentares de cada um não apenas na escola, como também em casa, pois as crianças trazem o lanche que os pais disponibilizam. Em duas semanas de observação obteve-se o seguinte resultado: QUADRO 01 - Lanche das crianças. (1ª semana)

9 Aluna A Aluna B Aluno C Aluno D Aluno E Aluno F 1º Dia 2º Dia 3º Dia 4º Dia 5º Dia 01 bombom Club Social Club Social Club Social 01 pacotinho de Amendoim Iogurte Iogurte biscoito Club Kri-kri Social Sanduíche (pão, mortadela e margarina) Nescau e Todinho Pirulito Chiclets Choco-Milk Club Social 01 Pedaço de nega maluca Todinho Pipoca Pão e margarina Chá mate Bolinho Mix (suco indusrializado) Coca Balas e Chocolate 01 pedaço de bolo de forma 01 Club Social 01 suco indusrializado Todinho Pipoca 01 pedaço de bolo simples Tampico Tubbets (waffer) Chicletes e Coca-Cola Salgadinho Suco 01 Club Social Todinho Pipoca Maçã Suco de laranja Espetinho Suco (Gatorade) Salgadinho Suco indusrializado Não foi à aula Club Social O1 banana 01 Iogurte Activia Todinho Tubetes(waffer) Chicletes Salgadinho Suco Biscoito doce Todinho Fonte: Dados da Pesquisa/2007 Os dados acima relacionados foram obtidos durante a semana de 24 a 28 de setembro. Apenas um aluno faltou aula nessa semana, no quarto dia. Quadro 02 Lanche das crianças. (2º semana) 6º Dia 7º Dia 8º Dia 9ºDia 10º Dia Aluna A 01 Iogurte e Club Social Suco indusrializado e pastel de carne Aluna B Não levou 01 Iogurte e suco Aluno C 02 Todinhos 01 bolinho e um suco 02 bananas 01 Banana e suco industralizado 01Barra de cereal e suco 01 suco indusrializado e um pacotinho de waffer 01 Barra de cereal 01 Suco e bolacha de milho 01 barra de cereal 02 espetinhos 01 Todinho e 01 pacotinho de Waffer Aluno D Não levou Pingo d ouro Coca-Cola Não trouxe Chicletes Aluno E 01 suco 01 pacotinho de biscoito recheado e um Club Social 01 pacotinho de biscoito doce 01 pacotinho de biscoito recheado/ um suco industralizado/ um pãozinho doce e alguns 01 pacote de Salgadinho/ 01 suco Aluno F 01 pacote de salgadinho rizólis Não levou Não foi p/ aula Não levou Coca 01 guaraná de 240 ml/ biscoitos recheados Fonte: Dados da Pesquisa/2007 Constatou-se numa forma geral que as crianças consomem muito suco e biscoitos recheados e salgados. Trata-se de alimentos de fácil preparo

10 para os pais, ou seja, são produtos comercializados em larga escala e que não necessitam de um período longo de tempo em seu preparo. Mahan e Stump (2002, p.237) discorrendo sobre a alimentação das crianças afirmam que: Seus lanches devem ser cuidadosamente escolhidos de forma que sejam densos em nutrientes; eles não devem ser limitados a biscoitos, refrigerantes com soda e batatas fritas. Interessante salientar que de acordo com Lourenço (2007) a formação dos hábitos alimentares inicia-se no nascimento da criança, desenvolvendo-se nos primeiros anos de vida e moldando-se de acordo com experiências vividas, nível sócio-econômico, influência da mídia e necessidades do ser humano. Observou-se que o consumo de frutas não é comum para as crianças pesquisadas que, na maioria dos dias de observação, trouxeram à escola produtos que são amplamente divulgados pela mídia, como os salgadinhos, bolachas recheadas, sucos s e refrigerantes, além de pirulitos e chicletes único lanche levado em alguns dias pelo aluno D. Trata-se de produtos com corantes, conservantes e aromas artificiais que acabam por educar o paladar das crianças de acordo a um padrão imposto na sociedade. Outra questão que se coloca é o fato de, por vários dias, algumas crianças não trazerem lanche à escola. Sendo o período mínimo de permanência na escola de 4 (quatro) horas diárias, esses alunos permanecem sem alimentação por um tempo muito grande, considerando-se que estão passando por uma fase de grande desenvolvimento, e que as famílias, talvez, não tenham essa consciência. É importante destacar que os alunos pesquisados consomem muita água. Todos eles têm o hábito de levar uma garrafinha para a escola, a qual reabastecem com freqüência. Muitos estudos mostram que a água é indispensável à saúde. As crianças devem ter conhecimento de que a água é tão ou mais importante que os alimentos para o desenvolvimento de uma vida saudável (MAHAN E STUMP, 2002). 3.2 A ALIMENTAÇÃO DAS CRIANÇAS EM CASA

11 Além da observação dos hábitos alimentares no lanche das crianças, foi distribuído um questionário para que respondessem, acerca da alimentação em casa. A identificação dos alunos nos quadros 1 e 2 permanece a mesma nos quadros que trazem as respostas ao questionário. Um dos alunos (aluno F) não respondeu. QUESTÃO 01 Quantas vezes por dia você se alimenta? ALUNOS ALUNA A 04 vezes por dia. ALUNA B 06 vezes. ALUNO C 03 vezes. ALUNO D 02 vezes. ALUNO E 04 vezes ao dia. ALUNO F RESPOSTAS Fonte: Dados da Pesquisa/2007 Pode-se observar que existe uma variação no número de refeições que as crianças pesquisadas realizam durante o dia. A Aluna B alimenta-se seis vezes ao dia, enquanto o aluno D tem apenas duas refeições ao dia. Cabe ressaltar que o aluno D é o que teve uma alimentação pobre nos dias da observação e que, em alguns dias, sequer trouxe lanche à escola. É sabido que a família tem uma grande importância na formação de hábitos alimentares saudáveis e uma influência ímpar na qualidade de vida das crianças. Fica evidente que o aluno D não tem uma atenção familiar específica na área da alimentação e isso pode trazer prejuízos para o seu desenvolvimento. QUESTÃO 02 O que você e sua família normalmente consomem nas refeições? ALUNOS RESPOSTAS ALUNA A Carne de vários tipos, macarrão, alface, etc. ALUNA B Arroz, feijão, carne, salada de dois tipos, macarrão e frango. ALUNO C Sopa ALUNO D Arroz, carne, feijão,batata e macarrão. ALUNO E Arroz, feijão, carne, legumes e verduras. ALUNO F Fonte: Dados da Pesquisa/2007 De acordo com as respostas, praticamente todos possuem refeições moderadas. Considerando que segundo estudos de especialistas em alimentação, não deve-se ingerir ao mesmo tempo vários alimentos que contenham amido, por exemplo, como é visto no quadro acima. Sendo que Biazi (2002, p.69), afirma que: Os alimentos naturais(de boa qualidade) são os que possuem substâncias próprias para atender as necessidades das células. Eles não forçam o sistema digestório e satisfazem os genes. São ricos em vitaminas, sais minerais, enzimas, oligoelementos e outras propriedades que a ciência ainda não

12 nomeou e que fazem a diferença [...] Estes são ao alimentos que guardam a vitalidade, longevidade e beleza:cereais,frutas,proteína vegetal e hortaliças. É preciso considerar que as necessidades nutricionais das crianças se modificam de acordo com as etapas de crescimento. Há sempre ajustes com o passar do tempo: um pouco mais, um pouco menos desse e daquele nutriente. Ou até mesmo, o processo de desenvolvimento da criança pode requerer a introdução de um novo alimento no cardápio. Cabe aos pais estarem atentos à essas necessidades nutricionais e alimentares das crianças, principalmente em uma situação como a da escola pesquisada, que não oferece a merenda escolar (exclusiva para escolas públicas) que tem o acompanhamento de profissionais da área de Nutrição na elaboração e implementação dos cardápios. QUESTÃO 03 E nos lanches? ALUNA A Bolachas de vários tipos,iogurte, etc. ALUNA B Iogurte, fruta, sanduíche natural. ALUNO C Tubetes e Tampico. ALUNO D Pão, mortadela, ketchup, maionese, suco, pipoca,etc. ALUNO E Frutas, pães, leite e suco. ALUNO F Fonte: Dados da Pesquisa/2007 Observou-se neste quadro que apenas 02 dos alunos pesquisados consomem frutas no lanche. Assim como se pode perceber na observação do lanche deles, que foi realizada durante duas semanas, que é muito baixo o consumo de frutas pelos alunos pesquisados. Considerando que Almeida (apud revista Nutrição Infantil (p. 31): A merenda deve ser composta de alimentos nutritivos[...].não podem faltar frutas ou sucos, cereais, leite ou derivados. A mesma revista ainda cita que aqui no Brasil os biscoitos recheados, salgadinhos e refrigerantes são os preferidos no lanche da criançada. Fato este que pode ser confirmado nos hábitos do lanche diário das crianças pesquisadas. QUESTÃO 04 Quais são os alimentos que você mais gosta? E quais os que você não gosta? ALUNOS RESPOSTAS ALUNA A Feijão, arroz, batata caramelizada, macarrão, carne moída, salada de vários tipos, etc. ALUNA B Macarrão e lasanha. ALUNO C Feijão, arroz, nhoque, sopa.limão e lima. ALUNO D Batata frita, macarrão, empanado, feijão, pão e salada. ALUNO E Carne, feijão, arroz, laranja e outras coisas.

13 ALUNO F Fonte: Dados da Pesquisa/2007 De acordo com as respostas, pode-se afirmar que a maioria dos alunos tem preferência por alimentos saudáveis, como: feijão, arroz, carnes, saladas, massas, etc. Considerando que esses alimentos são citados por (MEZOMO,2002) como componentes de uma alimentação saudável e ainda citando o mesmo autor, se introduzido hábitos alimentares corretos nas crianças em idade escolar, há maiores chances de preparar uma geração com consciência sobre a importância do consumo dos mesmos. Fica evidente ainda a influência da convivência familiar na formação dos hábitos alimentares quando a aluna B, por exemplo, afirma que tem preferência por massas (macarrão e lasanha). Certamente a família dessa aluna prioriza esses alimentos em seu cardápio. Quantos ao alimentos que não gostam, não houve manifestação por parte dos alunos. QUESTÃO 05 Você pratica algum tipo de esporte? ALUNOS RESPOSTAS ALUNA A Não ALUNA B Não. Mas vou. ALUNO C Futsal. ALUNO D Sim. Corrida de bicicleta. ALUNO E Sim. Futebol. ALUNO F Fonte: Dados da Pesquisa/2007 Dos 5 alunos questionados, 3 afirmaram que praticam algum tipo de esporte. Segundo Biazi (2002, p.48): Todo dia, deveríamos dedicar períodos para exercícios. A constância e a regularidade são muito importantes, se quisermos que o corpo se beneficie[...]. Toda mãe deveria levar seus bebês para caminhadas ao ar livre e ao sol. Esses alunos realmente não são sedentários. Na maioria das vezes eles preferem ficar sem lanchar para praticar atividades físicas na hora do intervalo. Cabe ressaltar, entretanto, que a prática de atividades físicas deve estar vinculada a hábitos alimentares saudáveis para que a criança realmente tenha qualidade de vida. Nessa perspectiva, a escola tem um papel central na formação da consciência acerca da necessidade de uma alimentação balanceada e da necessidade de prática de

14 atividades físicas. Dentro dos conteúdos escolares o professor pode fazer discussões com seus alunos que os levarão a ser propagadores e difusores da busca pela saúde. 4 CONCLUSÃO Como profissionais da área da educação, é dever dos pedagogos participarem na discussão sobre como a escola pode contribuir na formação de hábitos alimentares adequados nas crianças. Considerando que os hábitos alimentares iniciam-se com o nascimento da criança e seguem durante os primeiros anos de vida. O educador pode influenciar, ou seja, ocasionar situações que estimulem a criança a consumir alimentos saudáveis; para isso pode procurar parcerias com a equipe pedagógica, família e comunidade. Uma criança que se alimenta saudavelmente tem o seu desenvolvimento potencializado, e isso, aliado a prática de atividades físicas, contribui para o desempenho das funções sociais da escola. Ressalta-se que nesse contexto é indispensável respeitar a necessidade de cada organismo, ou seja, não forçar o consumo deste ou aquele alimento, assim como respeitar a cultura de cada criança. Durante a análise dos dados, assim como a convivência diária da pesquisadora com as crianças observadas, pôde-se perceber que apenas duas delas estão acima do peso ideal. O que fica evidente é que a sociedade atual não está procurando uma alimentação saudável. Em um momento em que o tempo é escasso, a alimentação segue os padrões da industrialização e da globalização; os produtos s que são consumidos pelas crianças brasileiras são os mesmos que são consumidos pelas crianças européias, asiáticas, norte-americanas... Cada dia mais, dentro da alimentação, os fatores regionais são desconsiderados e os paladares são padronizados. Nessa perspectiva, a escola tem uma importância grande no que tange à formação de hábitos alimentares saudáveis e à valorização dos alimentos naturais, bem como na busca por uma consciência sobre esse processo de massificação que acontece em nossa sociedade, inclusive na alimentação. REFERÊNCIAS

15 BIAZI, Eliza M. S. Recursos para uma vida natural.30. ed. São Paulo:Casa, CAMPOS, Maria Tereza Filho de Souza; Silva, Margarida Maria Santana. Segurança alimentar e nutricional na atenção básica em saúde. Viçosa: UFV, V1 E V2, LOURENÇO, Alice Maria de Souza. Pato Branco: FADEP, Trabalho de Conclusão de Curso. MAHAN, L. Kathleen; STUMP, Sylvia Escott. Alimentos, Nutrição e Dietoterapia. 10. ed. São Paulo:Roca,2002. MEZOMO, Iracema de Barros. Os serviços de alimentação. São Paulo: Manole, 2002.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A promoção da alimentação saudável é uma diretriz da Política Nacional de Alimentação e Nutrição e uma das prioridades para a segurança alimentar e nutricional

Leia mais

Dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável Dicas para uma alimentação saudável NECESSIDADE FISIOLÓGICA ATO DE COMER SOCIABILIZAÇÃO Comida Japonesa PRAZER CULTURAL Alimentação aliada à saúde Hábitos alimentares pouco saudáveis desde a infância,

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari*

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* Resumo: Vasconcellos, Jorge** As mudanças ocorridas em nosso pais, principalmente a crescente modernização e urbanização,

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA,

ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA, ANÁLISE DAS LANCHEIRAS DE PRÉ-ESCOLARES¹ BOEIRA, Giana²; GÖRSKI, Bruna²; PAZ, Fabiane²; ORSOLIN, Giulianna²; ROSA, Izabel²; TONETTO, Priscila²; SACCOL, Ana Lúcia de Freitas² ¹ Trabalho desenvolvido durante

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

Senhor Presidente, Sras. e Srs. Deputados,

Senhor Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Senhor Presidente, Sras. e Srs. Deputados, Ocupamos hoje esta tribuna para abordar um tema de grande importância para a infância brasileira. A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) divulgou, recentemente,

Leia mais

PESQUISA SOBRE HÁBITOS ALIMENTARES NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS EM CUITÉ-PB.

PESQUISA SOBRE HÁBITOS ALIMENTARES NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS EM CUITÉ-PB. 1 PESQUISA SOBRE HÁBITOS ALIMENTARES NA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL ANDRÉ VIDAL DE NEGREIROS EM CUITÉ-PB. ¹Thatiany de Sousa Pereira; ¹ Sebastião Ângelo da Silva; ¹Adeilma Fernandes de Sousa

Leia mais

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós

Trabalho elaborado por: 5/29/2007 USF Valongo. Enf. Anabela Queirós Trabalho elaborado por: Enf. Anabela Queirós O que é a diabetes? Uma doença que dura toda vida Provocada pela ausência ou perda de eficácia da insulina; Provoca a subida de açúcar no sangue A diabetes

Leia mais

Alimentação Escolar Saudável. Apresentação: Lidiane Farias lidianefarias@quas.com.br

Alimentação Escolar Saudável. Apresentação: Lidiane Farias lidianefarias@quas.com.br Alimentação Escolar Saudável 1. 2. 3. Agenda 4. 5. 6. A infância é o período no qual os hábitos alimentares são desenvolvidos. É uma fase onde as necessidades nutricionais estão aumentadas e devem ser

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo

A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A importância da alimentação no desempenho esportivo e competitivo A alimentação adequada e nutricionalmente equilibrada é um dos fatores importantes e essenciais para a otimização do desempenho, sendo

Leia mais

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Quantitativa Consumo de Frutas e Hortaliças Elaborado por CONNECTION RESEARCH Maio 2011 2 Objetivos da pesquisa. Estudar os hábitos alimentares da população

Leia mais

Para que serve o alimento?

Para que serve o alimento? Alimentação e Saúde saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar afeto, carinho e aceitação Uma

Leia mais

Hábitos saudáveis na creche

Hábitos saudáveis na creche 11 Hábitos saudáveis na creche Elvira Bezerra Pessoa: elvirabe@gmail.com Patrícia Edióne da Silva Graduada edionne.jp@hotmail.com Adeilson Paulino de Barros UEPB 1.INTRODUÇÃO No Brasil o atendimento á

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Último Encontro: Vila Velha 1 Escolha dos temas a serem trabalhados. Tema de hoje: Oficina sobre alimentação saudável 1) Alimentos Alimentos construtores: fornecem proteínas

Leia mais

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência 1. ALIMENTE-SE MELHOR Prevê-se que em 2025 1, só na Europa, o grupo etário mais idoso (acima dos 80 anos), passe de 21,4

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Nutricionista: Cyntia Cristina Piaia Sassala. CRN8 1546 Formada pela UFPR / 2002. Assessoria e Consultoria em Nutrição. NUTRIÇÃO NA INFÂNCIA Os hábitos alimentares são formados

Leia mais

ACEITABILIDADE E QUALIDADE DA MERENDA ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO

ACEITABILIDADE E QUALIDADE DA MERENDA ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO ACEITABILIDADE E QUALIDADE DA MERENDA ESCOLAR: UM ESTUDO DE CASO Patrícia Santiago Vieira UFG/GO Ivna Custódio de Moraes UFG/GO Jeannie Carolina Pizarro UFG/GO Marcela Araújo Parreira UFG/GO RESUMO Neste

Leia mais

Projeto Curricular de Escola

Projeto Curricular de Escola Projeto Curricular de Escola QUADRIÉNIO 2014-2018 Somos aquilo que comemos. Hipócrates Cooperativa de Ensino A Colmeia 2 Índice Introdução... 4 Identificação do Problema... 5 Objetivos... 6 Estratégias/Atividades...

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

1. Introdução. 2. O que é a Roda dos Alimentos?

1. Introdução. 2. O que é a Roda dos Alimentos? 1. Introdução Educar para uma alimentação saudável é essencial na tentativa de ajudar os jovens a tornar as escolhas saudáveis escolhas mais fáceis. Educar para comer bem e de uma forma saudável, constitui

Leia mais

Colégio Sagrado Coração de Jesus Marília /SP

Colégio Sagrado Coração de Jesus Marília /SP Colégio Sagrado Coração de Jesus Marília /SP CARDÁPIO DO LANCHE DA MANHÃ/TARDE- Educação Infantil Mês de Janeiro e Fevereiro 2ª FEIRA 1 iogurte (beber) sabor morango 4 biscoitos cream cracker c/ manteiga

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

A formação de bons hábitos alimentares na infância devem convergir para um único fim: o bem-estar emocional, social e físico da criança

A formação de bons hábitos alimentares na infância devem convergir para um único fim: o bem-estar emocional, social e físico da criança A formação de bons hábitos alimentares na infância devem convergir para um único fim: o bem-estar emocional, social e físico da criança Recomendações para a prática dietética do pré-escolar: Intervalo

Leia mais

AÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NA PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS ENTRE ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA ARTICULAÇÃO COM A ESCOLA

AÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NA PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS ENTRE ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA ARTICULAÇÃO COM A ESCOLA AÇÕES DO PIBID BIOLOGIA NA PROMOÇÃO DE HÁBITOS ALIMENTARES SAUDÁVEIS ENTRE ADOLESCENTES DO ENSINO MÉDIO ATRAVÉS DA ARTICULAÇÃO COM A ESCOLA Margareth Machado e Silva Sousa (1), Maria Rizoneide Araújo Belarmino

Leia mais

QFase REVISTA TJ 11. Tiago Elias Junior. Volume 02 julho/2014 Ano 1 Bebedouro SP. Redator chefe. Experiências. Bebe da Semana. Obesidade infantil

QFase REVISTA TJ 11. Tiago Elias Junior. Volume 02 julho/2014 Ano 1 Bebedouro SP. Redator chefe. Experiências. Bebe da Semana. Obesidade infantil Marca registrada Volume 02 julho/2014 no 1 Bebedouro SP QFase REVIST Obesidade infantil Por : Dr. Tiago Elias Diferença da criança gordinha da criança obesa Bebe da Semana O Bebê da semana do facebook

Leia mais

ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES

ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES ANÁLISE DOS INQUÉRITOS SOBRE OS HÁBITOS ALIMENTARES Os inquéritos foram realizados junto de alunos do 6º ano da Escola EB 2,3 de Matosinhos, durante o mês de Novembro de 24. Responderam ao inquérito 63

Leia mais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

10 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

10 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL 10 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins Gerência de Alimentação e Nutrição E-mail: nutricao@saude.to.gov.br (63) 3218 1789 Terezinha Franco Nutricionista ALIMENTAÇÃO

Leia mais

10 Alimentos importantes para sua saúde.

10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. 10 Alimentos importantes para sua saúde. Os alimentos funcionais geram inúmeros benefícios para o organismo. Como muitas patologias se desenvolvem por deficiência

Leia mais

Educação Nutricional para a Boa Alimentação e Controle do Peso Corporal

Educação Nutricional para a Boa Alimentação e Controle do Peso Corporal 8 Educação Nutricional para a Boa Alimentação e Controle do Peso Corporal Jaqueline Girnos Sonati Nutricionista e Especialista em Teorias e Métodos de Pesquisa em Educação Física, Esportes e Lazer na UNICAMP

Leia mais

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS

ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS ORIENTAÇÕES BÁSICAS PARA SE ADQUIRIR HÁBITOS SAUDÁVEIS Sumário Introdução... 3 1 - A importância da Água... 4 2 - Organizando a sua alimentação diária... 6 3 A eliminação... 7 4 Sugestões de óleos... 8

Leia mais

Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares

Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares Quem come bem vive melhor. Hábitos alimentares HÁBITOS ALIMENTARES Hoje, em virtude da vida agitada, trabalho, estudo, família e outras inúmeras responsabilidades, todos ficam vulneráveis às doenças causadas

Leia mais

treinofutebol.net treinofutebol.net

treinofutebol.net treinofutebol.net Alimentação do Desportista A alimentação pode influenciar positiva ou negativamente o rendimento dum atleta, devendo consequentemente ser orientada no sentido de não só melhorar a sua capacidade desportiva,

Leia mais

Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares

Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares 2 Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares Cleliani de Cassia da Silva Especialista em Nutrição, Saúde e Qualidade de Vida FEF UNICAMP A idade escolar compreende o período da vida que se estende

Leia mais

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a alimentação apresentação Uma boa saúde é, em grande parte, resultado de uma boa alimentação. Há muita verdade no dito

Leia mais

CARTILHA BEM-ESTAR PATROCÍNIO EXECUÇÃO

CARTILHA BEM-ESTAR PATROCÍNIO EXECUÇÃO CARTILHA BEM-ESTAR PATROCÍNIO EXECUÇÃO Cartilha Informativa Alimentação saudável e atividade física: as bases essenciais para a construção de um organismo saudável Alimentos saudáveis associados à atividade

Leia mais

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES Orientações básicas de nutrição para o autocuidado em DM Maria Palmira C. Romero Nutricionista Marisa Sacramento

Leia mais

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa

Perder peso Comendo. Pare de comer depressa Vou passar a você, algumas receitas que usei para poder emagrecer mais rápido e com saúde. Não direi apenas só sobre como preparar algumas receitas, mas também direi como perder peso sem sofrimento e de

Leia mais

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada 1 Água ALIMENTE-SE DE FORMA EQUILIBRADA E SAUDÁVEL. A alimentação influi na sua segurança ao volante. Uma alimentação incorreta pode gerar fadiga,

Leia mais

1 Por que tomar café da manhã?

1 Por que tomar café da manhã? A U A UL LA Por que tomar café da manhã? Exercícios Acordar, lavar o rosto, escovar os dentes, trocar de roupa e... tomar o café da manhã. É assim que muitas pessoas começam o dia, antes de ir trabalhar.

Leia mais

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar.

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. Nota Técnica nº 01/2014 COSAN/CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. A Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional COSAN do Programa Nacional

Leia mais

Nossa Linha de Produtos

Nossa Linha de Produtos Nossa Linha de Produtos PerSHAKE Chocolate e Baunilha Fonte de proteína de soja, vitaminas, minerais e fibras. 0% Gordura, 0% Açúcar e 0% Sódio. A alimentação equilibrada vai além do bom funcionamento

Leia mais

Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1

Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1 Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1 Regina Lúcia Tarquinio de Albuquerque (areginalucia@yahoo.com.br) Resumo: O cálculo e a resolução de problemas, objetos de estudo desta oficina, são práticas

Leia mais

Congregação das Filhas do Amor Divino

Congregação das Filhas do Amor Divino Congregação das Filhas do Amor Divino EXERCÍCIO FÍSICO E ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Em se tratando dos conhecimentos necessários para a prática de exercícios e/ou atividades físicas, a alimentação deve ser considerada

Leia mais

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem!

Convivendo bem com a doença renal. Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Convivendo bem com a doença renal Guia de Nutrição e Diabetes Você é capaz, alimente-se bem! Nutrição e dieta para diabéticos: Introdução Mesmo sendo um paciente diabético em diálise, a sua dieta ainda

Leia mais

Guia. Nutricional. para gestantes

Guia. Nutricional. para gestantes Referências bibliográficas consultadas: 1. Committee on Nutritional Status During Pregnancy and Lactation, Institute of Medicine. Nutrition During Pregnancy: Part I: Weight Gain, Part II: Nutrient Supplements.

Leia mais

Alimentação no primeiro ano de vida. Verônica Santos de Oliveira

Alimentação no primeiro ano de vida. Verônica Santos de Oliveira Alimentação no primeiro ano de vida Verônica Santos de Oliveira Nutrição nos Primeiros Anos de Vida Deixe que a alimentação seja o seu remédio e o remédio a sua alimentação ( Hipócrates ) Nutrição nos

Leia mais

Entendendo a lipodistrofia

Entendendo a lipodistrofia dicas POSITHIVAS Entendendo a lipodistrofia O que é a lipodistrofia? Lipodistrofia é quando o corpo passa a absorver e a distribuir as gorduras de maneira diferente. Diminui a gordura nas pernas, braços,

Leia mais

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana

Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Cardápio do Berçário I (4 Meses a 1 ano) 1ª Semana Matinal Papinha de mamão Papinha de pêra Papinha de banana Papinha de manga Papinha de maçã Papinha de carne moída com, beterraba e couve Papinha de batata

Leia mais

ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO

ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO ALIMENTAÇÃO - O QUE DEVE SER EVITADO - O QUE DEVE SER CONSUMIDO Lucia B. Jaloretto Barreiro Qualidade de Vida=Saúde=Equilíbrio Qualidade de Vida é mais do que ter uma boa saúde física ou mental. É estar

Leia mais

APÊNDICE A TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO

APÊNDICE A TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO APÊNDICES APÊNDICE A TERMO DE CONSENTIMENTO LIVRE E ESCLARECIDO Prezada Senhora: Estamos desenvolvendo uma pesquisa cujo título é ANÁLISE DO CONSUMO ALIMENTAR DE GRÁVIDAS QUE PARTICIPAM DO GRUPO DE GESTANTES

Leia mais

ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS NÃO AMAMENTADAS

ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS NÃO AMAMENTADAS ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS NÃO AMAMENTADAS ALIMENTAÇÃO PARA CRIANÇAS NÃO AMAMENTADAS Quando o desmame não pôde ser revertido após orientações e acompanhamento dos profissionais ou em situações em que a

Leia mais

Implantação e manutenção de uma horta comunitária na APAE de Bambuí MG

Implantação e manutenção de uma horta comunitária na APAE de Bambuí MG VIII SEMANA DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO IFMG-CAMPUS BAMBUÍ II MOSTRA DE EXTENSÃO Implantação e manutenção de uma horta comunitária na APAE de Bambuí MG Bruno Dorneles de Oliveira¹; Eduardo Castelar Silva

Leia mais

PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA

PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA PREFEITURA MUNICIPAL DE SOBRAL ESCOLA CORONEL ARAÚJO CHAVES PROJETO: HÁBITOS ALIMENTARES EM NOSSA ESCOLA Prof. Francisco Junielison Correia Lopes (Educação Física) Colaboração: Prof. Gleidson Mendes Melo

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS P.L.L. Nº 082/02 EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS A Constituição Federal, o Código de Defesa do Consumidor e o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em diferentes artigos, trazem a discussão que subsidia a argumentação

Leia mais

Como nosso corpo está organizado

Como nosso corpo está organizado Como nosso corpo está organizado Iodo Faz parte dos hormônios da tireoide, que controlam a produção de energia e o crescimentodocorpo.aleiobrigaaadiçãodeiodoaosaldecozinha. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação (...) A verdade, em matéria de saúde, está na adaptação e no respeito à Natureza (...). Mokiti Okada Para uma alimentação saudável, podemos

Leia mais

Índice. Roda dos Alimentos

Índice. Roda dos Alimentos Índice Índice... 2 O que é a roda dos alimentos?... 3 Como é constituída?... 4 Cereais, Leguminosas Secas e Tubérculos Ricos em Hidratos de Carbono... 5 Produtos Hortícolas e Frutos... 6 Conclusão... 7

Leia mais

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...

SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO... 2 SUMÁRIO OBESIDADE...4 OBESIDADE EM ADULTOS...5 PREVENÇÃO...6 EM BUSCA DO PESO SAUDÁVEL...7 TRATAMENTO...9 CUIDADOS DIÁRIOS COM A ALIMENTAÇÃO...12 OUTROS HÁBITOS SAUDÁVEIS...14 ATIVIDADE FÍSICA...14 CUIDADOS

Leia mais

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha:

Dieta. Lanche da manhã. Almoço. Café da manha: Café da manha: Dieta opção 1 1 xíc. (chá) de café com leite desnatado 1 pão francês sem miolo na chapa com 1 col. (sopa) rasa de margarina ou 1 fatia de queijo fresco ½ xíc. (chá) de cereal 1 xíc. (chá)

Leia mais

VALOR NUTRITIVO DA CARNE

VALOR NUTRITIVO DA CARNE VALOR NUTRITIVO DA CARNE Os alimentos são consumidos não só por saciarem a fome e proporcionarem momentos agradáveis à mesa de refeição mas, sobretudo, por fornecerem os nutrientes necessários à manutenção

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS 1. Introdução As Boas Práticas Nutricionais constituem-se um importante instrumento para a modificação progressiva da composição nutricional

Leia mais

APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS

APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS A fome e o desperdício de alimentos são dois dos maiores problemas que o Brasil enfrenta, constituindo-se em um dos paradoxos de nosso país. Produzimos 140 milhões

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

Cardápio Escolar ALMOÇO 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10. Arroz, Feijão, Brócolis alho e óleo. Arroz, Feijão, Purê de Batata

Cardápio Escolar ALMOÇO 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10. Arroz, Feijão, Brócolis alho e óleo. Arroz, Feijão, Purê de Batata 1º SEMANA DE SETEMBRO PERÍODO 01/09/10 A 03/09/10 Acompanhamento Salada Sobremesa 01/09/10 Frango Assado com Creme de Cebola Brócolis alho e óleo Tomate Abacaxi 02/09/10 Bife a Role Purê de Batata cozida

Leia mais

Guia Alimentar para a População Brasileira

Guia Alimentar para a População Brasileira Guia Alimentar para a População Brasileira Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição Departamento de Atenção Básica Secretaria de Atenção à Saúde Ministério da Saúde Revisão do Guia Alimentar para a

Leia mais

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini As maiores médias de consumo diário per capita ocorreram para Feijão (182,9 g/ dia), arroz (160,3 g/ dia), carne bovina

Leia mais

QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO

QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO Setor: N o. do quest QUESTIONÁRIO DE FREQÜÊNCIA ALIMENTAR ADULTO PARA TODAS AS PESSOAS COM 20 ANOS OU MAIS Data da entrevista / / Hora de início: Nome do entrevistador: Nº de identificação: Nome: Sexo

Leia mais

DESCOBRINDO NÚMEROS NA PRODUÇÃO DE SUCO. GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais

DESCOBRINDO NÚMEROS NA PRODUÇÃO DE SUCO. GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais DESCOBRINDO NÚMEROS NA PRODUÇÃO DE SUCO GT 01 Educação Matemática no Ensino Fundamental: Anos Iniciais e Anos Finais Leila Cristina Maldaner, leila.maldaner@unijui.edu.br Rosana Ledur, rosana.ledur@unijui.edu.br

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL ISABEL MARQUES DIETISTA DO SERVIÇO DE ALIMENTAÇÃO E DIETÉTICA DO CHTV, E.P.E. 30 DE NOVEMBRO DE 2011 ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Uma alimentação equilibrada proporciona uma quantidade correcta

Leia mais

Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física

Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física LAHOR CLÍNICA MÉDICA Tatiana Oliveira Nutricionista - CRN 7508 Rua Mário Amaral, 267 - Paraíso - SP Tel/Fax: (11) 3884-7127 Tel: (11) 3051-5554 Alimentação e Hidratação para a prática de Atividade Física

Leia mais

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?...

Fazendo a digestão. A voz do professor. A voz do professor. De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis?... A U A UL LA Fazendo a digestão Atenção De onde provém a energia necessária para o movimento dos automóveis? Nosso corpo é semelhante a um carro. Como você acha que conseguimos energia para viver? Um corpo

Leia mais

UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2

UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2 UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Silvia de Souza acadêmica 3º ano Pedagogia UNICENTRO 1 Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2 RESUMO: Este artigo dialogou com

Leia mais

Unidade de Saúde do Afonsoeiro DIVERSIFICAÇÃO ALIMENTAR

Unidade de Saúde do Afonsoeiro DIVERSIFICAÇÃO ALIMENTAR Unidade de Saúde do Afonsoeiro DIVERSIFICAÇÃO ALIMENTAR GRUPO A Batata Cenoura Abóbora Dente de alho Nabo Cebola 4 5 meses SOPA DE LEGUMES GRUPO B Alho Francês Alface Brócolos Nabiça Agrião Espinafres

Leia mais

A roda dos alimentos. A antiga roda dos alimentos

A roda dos alimentos. A antiga roda dos alimentos Ano: 2010/2011 Disciplina: Educação Física Professora: Rita Marques Trabalho realizado por: Andreia Cipriano Catarina Silva Jéssica Pereira Mónica Algares Patrícia Martinho A roda dos alimentos Para se

Leia mais

Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO

Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO Especialista explica a importância do consumo de frutas e verduras 12/11/2011 TAGS: ALIMENTAÇÃO, COMPORTAMENTO ricos em cores, aromas e sabores. As frutas e hortaliças (legumes e verduras) são alimentos

Leia mais

EDITAL DO CONCURSO NUTRICHEF CSD

EDITAL DO CONCURSO NUTRICHEF CSD EDITAL DO CONCURSO NUTRICHEF CSD 1. DO OBJETO O presente instrumento tem por objetivo selecionar receitas que priorizem a utilização de ingredientes naturais e nutritivos que assegurem pratos saudáveis,

Leia mais

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA INFÂNCIA Andréa Ott 1, Arléia Maria Gassen 1, Catiana de Moura Morcelli 1, Elisângela Maria Politowski 1, Débora Krolikowski 2 Palavras-chave: nutrição humana, criança, saúde. INTRODUÇÃO

Leia mais

Relatório sobre a Pesquisa de Satisfação dos usuários do Restaurante Universitário Campus Pontal da Universidade Federal de Uberlândia 2015

Relatório sobre a Pesquisa de Satisfação dos usuários do Restaurante Universitário Campus Pontal da Universidade Federal de Uberlândia 2015 Relatório sobre a Pesquisa de Satisfação dos usuários do Restaurante Universitário Campus Pontal da Universidade Federal de Uberlândia 2015 O objetivo desta pesquisa foi avaliar o grau de satisfação dos

Leia mais

Criança nutrida & criança Vitaminada

Criança nutrida & criança Vitaminada Criança nutrida & criança Vitaminada IMC INFANTIL Muitos pais se preocupam com o peso e a estatura de seu filho. Questionam-se se a massa corporal da criança está de acordo com a idade, se a alimentação

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS... um guia para a escolha alimentar diária! 1-3 3-5 2-3 1,5-4,5 1-2 3-5 4-11 COMA BEM, VIVA MELHOR! O QUE É UMA PORÇÃO?* POR DIA quantas são necessárias? ** Cereais e derivados, tubérculos

Leia mais

7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber. Até mesmo as comidas consideradas "magras" pedem consumo moderado

7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber. Até mesmo as comidas consideradas magras pedem consumo moderado 7 alimentos que sabotam a dieta sem você perceber Até mesmo as comidas consideradas "magras" pedem consumo moderado Por Roberta Vilela - publicado em 26/11/2010 Mudança dos hábitos alimentares A mudança

Leia mais

O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Autoras: ROSANA MONTEIRO, REGINA DE LIMA SILVA E REJANE DE LIMA SILVA

Leia mais

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios.

A Dieta Atkins promete não somente redução de peso, mas também uma melhoria no seu sistema cardíaco e funções da memória, dentre outros benefícios. DIETA DE BA IXO ÍNDICE DE GL IC E M IA (LOW CARB DIET ) A dieta de baixo índice de glicemia ou baixa em hidratos de carbono é indicada para tal por ser mais equilibrada e até é indicada para diabéticos

Leia mais

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS (ALUNOS) Público Alvo: 6ºs E 7ºs ANOS (DISCIPLINA) Área de Conhecimento: MATEMÁTICA e LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSORES: JANAINA ROSEMBERG

Leia mais

APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS: UMA OPÇÃO ECONÔMICA E SAUDÁVEL

APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS: UMA OPÇÃO ECONÔMICA E SAUDÁVEL APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS: UMA OPÇÃO ECONÔMICA E SAUDÁVEL Michele Ribeiro de Morais 1 Lucivânia Almeida Sousa 2 Luzimeire Assis do Nascimento 3 Maria Wagner dos Santos Ribeiro 4 Elma Silva Sousa

Leia mais

Sal Sal Sal Substitua por: Açúcar Açúcar Açúcar Substitua por: Substitua por Subs titua por: Substitua por:

Sal Sal Sal Substitua por: Açúcar Açúcar Açúcar Substitua por: Substitua por Subs titua por: Substitua por: Dia mundial da saúde No dia 7 de Abril de cada ano é comemorado o Dia Mundial da Saúde. Este dia foi criado em 1948 pela OMS (Organização Mundial de Saúde), fundamentado no direito de cada cidadão à saúde.

Leia mais

SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes.

SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes. SMOOTHIES uma maneira fácil e deliciosa para apreciar frutas e legumes. Os smoothies ou shakes são uma maneira deliciosa, saudável e versátil para adicionar frutas e legumes em nossa alimentação diária.

Leia mais

Nutrição Infantil. Paula Veloso / Nutricionista

Nutrição Infantil. Paula Veloso / Nutricionista Nutrição Infantil Paula Veloso / Nutricionista Relação alimentação/saúde é para toda a vida! A mulher grávida preocupa-se com a alimentação. Relação alimentação/saúde é para toda a vida! Os pais preocupam-se

Leia mais

Departamento de Alimentação Escolar. Investindo na Qualidade para a Melhoria da Aprendizagem dos Alunos

Departamento de Alimentação Escolar. Investindo na Qualidade para a Melhoria da Aprendizagem dos Alunos Departamento de Alimentação Escolar Investindo na Qualidade para a Melhoria da Aprendizagem dos Alunos Dra. Maria Helena Cecin Resek Albernaz Diretora do Departamento de Alimentação Escolar Abril / 2013

Leia mais