I ENCONTRO DE TECNICOS FORMADORES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I ENCONTRO DE TECNICOS FORMADORES"

Transcrição

1 I ENCONTRO DE TECNICOS FORMADORES Treinamento Tático Dr. Gylton Da Matta

2 Treinamento Tático no Volleyball: Princípios Pedagógicos Aplicados ao Ensino to Pensamento Tático: Como jogar voleibol! Como aprender a treinar! Como aprender a competir e aa ganhar!

3 Voleibol Tático: Fun! Amor a primeira vista; jogando no primeiro dia e... prá vida toda! PLAY! Gylton B. Da Matta Ph.D.

4 Introducao: Uma nova visao do jogo Treinamos muito mais que jogamos. Atletas que jogam adquirem as habilidades psicológicas como antecipacao, raciocínio, percepcao e velocidade de tomada de decisao (Da Matta, 2004)

5 Problema: quem tem as respostas? Como desenvolver atletas excepcionais? (Giba, Mauricio, Fernanda, Fofao!?) Como desenvolver técnicos experts? Seu Adolfo, Bene, etc. Como ensinar o pensamento tático aos atletas da geracao XXI? Como manter a excelencia por longos periodos de tempo? Como desenvolver atletas de posicoes centrais (levantadores, armadores, etc.) como Maurício, Ricardinho, Bebeto de Freitas? Lord save us!

6 Uma luz: Estudo do desenvolvimento de talentos! Tática e sistema de jogo ao longo tempo. Experts possuem o raciocínio de jogo diferenciados dos demais. Treinamento esperto é fundamental no desenvolvimento da expertise. O volleyball é único na técnica e na tática. Volei de praia ainda mais! Portanto, versoes modificadas sao necessário para o ensino do jogo real. Desenvolver atletas requer uma estratégia de gestao e sustentabilidade. (Da Matta, 2004).

7 Desenvolvimento do Atleta Tático History of Mini-Volleyball: Objetivo do jogo Treinar jogando Composicao da equipe. Definicao dos sistemas de jogo. Filosofia tática: Sistemas ofensivos, defensivos, transicoes e contraataques. Administracao do jogo!

8 O comeco: Mini-voleibol! Multi levels, multi skills Multi Talents! Níveis de complexidade (Situacoes pelo número de jogadores) Volleyball 1-6 : Pre-requisitos ao jogo (lancar e arremessar) Nível 1- (1v1; 2v2) Nível 2- Setting and passing with a bounce (1v1; 2v2) Nível 3- Serving, Setting, Passing & Spiking with and/or without a bounce (3v3). Nivel 4- Same as level 3 but with no bounce, but adding rotation. When ball is over the net players rotate. Nível 5- Underhand serve, all skills, no bounce (4 v 4) ; up to 6 v 6.

9 Por que Mini-voleibol?

10 Joguinhos: 1v1; 2v2; 3v3; 4v4 ESPANHA ALEMANHA PORTUGAL INGLATERRA

11 Situaçoes de Jogos: Especificidade Game Like Situations: 2v2 - Each team must touch the ball 3 times before sending it over the net to the opposing team 3v3 - Let the ball bounce 3 times before passing, progress down to less passes until there are zero, players can only use bumping and setting to get the ball to the opponents side of the court. 4v4 Diamond or square formation. Diamond wingplayers attack and defend; Square formation setter plays on the right side and one primary hitter plays on the left side with the two other players in the back row.

12 Regras Modificadas Fantástico: 4v4 (Quadrado, Diamante) Rules of Mini Volleyball: Quatro jogadores de cada lado. Rodízio obrigatório (variar o grau de dificuldade do jogo). Manipular o tamanho do espaco do jogo (modificar o ambiente). Quadra em X para jogo diagonal, separe a quadra ao meio. Manipular a altura da rede para melhor orientacao tecnico-tática. Tres toque obrigatorios (ou nao!) Sistema de pontos por prioridade tática (Erro= 1 ponto; Ace= 2; Controle ponto= 3; Bloqueio= 4 ; Grande rally= 5 pontos) Desafios e contestes = OF COURSE!

13 Dynamic, modified, fun & real!

14 Application in PE, Clubs and Recreational Centers Primary Use: CREATE NEW TALENTS FOR THE FUTURE Mini volleyball is primarily used in a classroom setting and is taught Ideally to students/individuals who have never played volleyball or students/individuals who have very limited volleyball experience. Physical education strides for activities that involve health regulation, confidence, motor skills, social skills, team work, communication as well as other aspects. Mini volleyball gives participants the chance to gain experience in communication, physical activity, team work, and still leaves room for improvement. Mini volleyball provides strong foundations which helps with skills. Skills such as setting, passing, tactical approach, movement, and awareness. Mini volleyball is ideal for younger aged participants or older adults. Health related physical fitness should shift from elite performance into a comprehensive, inclusive and welcoming PHYSICAL ACTIVITY (Da Matta, 2004).

15 MINI VOLEIBOL NO MUNDO

16 Vôlei se aprende desde cedo.

17 Play in the first day!

18 A TÁTICA É FUNDAMENTAL

19 MÉTODO TRADICIONAL Normalmente técnicos treinam técnica 5 meses, tatica duas semanas e jogam tres jogos num fim de semana: TECHNIQUE TACTICS PLAYING THE GAME

20 Método Moderno: FIVB New coaches start coaching sports: Teaching Games for Understanding (Almond, 2010) PLAYING THE GAME TACTICS TECHNIQUE

21

22 Método Moderno: Jogo treino Jogo JOGO! Open skills Kinesthetic game Closed skills Tactical game open skills Perceptual game

23

24 Treinar Jogando Jogar Treinando! For instance: Games can be presented like: Teaching Games for Understanding (Almond, 2010) FLOOR BALL STRIKE CATCH & THROW CAMBIO AWESOME MINI-VOLLEYBALL

25 Técnica com Propósito Tático (Different serving styles across curriculum. Sawula, 1992) Technical Development

26 Percepção, cognição e tomada de decisão: Reflexão

27 Contínuo BLOCK to RANDOM CLOSED to OPEN SKILLS;

28 FUNDAMENTOS DO MINI - VOLEIBOL Fundamentos Saque Recepção Levantamento Ataque Bloqueio simples Técnicas { por baixo, tênis { toque, manchete { toque, manchete { cortada, toque { ofensivo, defensivo Defesa { toque, manchete com um braço, com mergulho, com rolamento lateral

29 Objetivos da aprendizagem no voleibol Jogar voleibol...play! Play! Play! As habilidades motoras do Voleibol, são instrumentos (meios) para jogar voleibol Considera-se como aprendida, a habilidade aplicada corretamente, dentro da dinâmica do jogo.

30 FUNDAMENTOS DO MINI - VOLEIBOL SAQUE RECEPÇÃO DE SAQUE TOQUE MANCHETE SAQUE TÊNIS POR BAIXO

31 FUNDAMENTOS DO MINI - VOLEIBOL LEVANTAMENTO ATAQUE TOQUE MANCHETE TOQUE CORTADA

32 FUNDAMENTOS DO MINI - VOLEIBOL BLOQUEIO DEFESA OFENSIVO SIMPLES DEFENSIVO SIMPLES TOQUE, MANCHETE COM 1 BRAÇO MERGULHO E ROLAMTO LATERAL

33 Jogos Adaptados: Regras Adaptadas

34 ENSINE OS FUNDAMENTOS DE MANEIRA LÚDICA UTILIZE A TRANSFERÊNCIA POSITIVA NOS JOGOS DE INICIAÇÃO

35 APROVEITAMENTO DE QUADRA 36 Alunos 6 Bolas 28 Alunos 4 Bolas

36 TÁTICA POSIÇÃO BÁSICA B C A A - JOGADOR DEFESA B - JOGADOR ATAQUE C - JOGADOR ATAQUE POSIÇÃO DE RECEPÇÃO B C A C A B Saque Fácil Saque Difícil

37 POSIÇÃO DE DEFESA A) SEM BLOQUEIO B B C C B C B A A NÃO HÁ CORTADA CORTADA FORTE CORTADA LEVE B) BLOQUEIO SIMPLES E COBERTURA B B A C A CORTADA FORTE C A CORTADA FRACA OU LARGADA

38 POSIÇÃO DE ATAQUE E COBERTURA A) SEM BLOQUEIO B) COM BLOQUEIO C B C B A B A B - LEVANTADOR C - CORTADOR B - LEVANTADOR A e C - CORTADORES

39 PASSOS / IDADE JOGOS TÁTICAS TÉCNICAS PREP. FÍSICA 1º PASSO 7 A 10 ANOS BASE PARA - MV 2º PASSO 9 A 11 ANOS PREPARAÇÃO PARA - MV 3º PASSO FASE A 10 A 12 ANOS INTRODUÇÃO AO MV 3º PASSO FASE B 11 A 13 ANOS APERFEIÇOAMENTO 4º PASSO 12 A 14 ANOS TRANSIÇÃO PARA O VOLEIBOL NORMAL Pequenos jogos Ativ. Lúdicas (bola por cima da rede) Vôlei 1 x 1 Pequenos Jogos Ativ. Lúdicas (bola por cima da rede) Vôlei 2 x 2 Ativ. Lúdicas Jogos (bola por cima da rede) Jogos Variados Vôlei 3 x 3 Mini Basquete Vôlei 4 x 4 Diversos Jogos Com bola Vôlei 6 x 6 Cooperação Antecipação Movimentos na direção da bola Regras Básicas Cooperação Observar o adversário Antecipação da bola Regras Básicas Uso tático dos fundamentos Tática básica da equipe Regras do MV Tática Individual Formação de equipes e sistemas básicos de ataque e defesa Formação de equipes e sistemas Tática individual Regras do Voleibol Apanhar, Jogar, Rolar, Passe de Toque Apanhar, Jogar Toque manchete Recepção, Levantam Saque p/ baixo Ataque Toque Manchete Recepção, Saque Cortada, Recepção, Levantam Saque Tênis Defesa de Cortada Bloqueio Cortada Colocada difícil Saque colocado Aperfeiçoamento em todos os fundamentos Novas variações d e fundamentos Posturas Movimentos na direção da bola Velocidade, Reação Agilidade e Força Movimentos Rápido de VB Agilidade, Força Queda, Salto Rolamento, Velocidade Veloc. de Reação Agilidade, Flexibilidade Salto com corrida Força Mergulho Veloc. de Reação, Agilidade Flexibilidade, Força Resistência, Queda Rolamento, Mergulho Continuação da Prep. Física Geral Aperfeiçoamento de todas as habilidades relativas aos fundamentos fivb

40 METODOLOGIA PARA FORMAÇÃO TÉCNICA FASE DE AQUISIÇÃO FASE DE APLICAÇÃO OBJETIVO PLANO 1ª FASE 2ª FASE 3ª FASE COORDENAÇÃO GLOBAL COORDENAÇÃO FINA ESTABILIZAÇÃO VARIABILIDADE Elaboração Primeira Imagem Motora Precisão da Imagem Motora "Timing" da Imagem Motora Comunicação do Objetivo Prática em Condições Facilitadas Prática em Condições Normais Prática em Condições Difíceis Prática em Condições Competitivas Capacidades Condicionais e Coordenativas Idem Anterior mais Conhec. Tático

41 How do you play Mini-volleyball? Games Creation in Mini-Volleyball Purpose: Format: Organization: Basic rules: Scoring system:

42 Conclusion Modifying space and equipment allows children to learn the tactics of mini volleyball. By playing Mini Volleyball, more children are able be successful and play volleyball for a lifetime. Because of this successful experience, they are more likely to enjoy playing the game and therefore they will be more likely be innovative, creative and vivacious. Playing games such as mini volleyball encourage the development of team, communication and social skills. The adoption of modified game increase students participation, enhances opportunities to respond and allows developmentally appropriate practices toward the acquisition of correct movement form for complex skills.

43 Peguei uma carona Thank you!

44 References Coaching and Teaching Mini-Volleyball: Rules of Play. (n.d.). Retrieved March 29, 2010, from the Federation of International Volleyball: Coaches Manual (2011) Basic tactics; Systems of Play. Lausanne, Suica; FIVB. History Behind Mini Volleyball- Mini Volleyball Created and the USSR Goes for the Gold. (2010). Retrieved March 2010, from Volleyball Advisors: Mitchell, S., Oslin, J. & Griffin, L., (2006). Teaching sport concepts and skills: A tactical games approach. 2 nd ed. Champaign, IL: Human Kinetics. Rules Mini-volleyball. (2010). Retrieved March 2010, from Winnipeg Minor Volleyball Association:

45 CLOSED TO OPEN SKILLS: SPECIFICITY Perceptual & applicable to the game.

46 VOLLEYBALL FOR A LIFE TIME! The fun without skills is short lived. Darryl Siedentop, 1994 Fair, Fun, with Friends and Family!

47 Coaches HANDS ON! (Da Matta, 2004) Bears Volleyball in Action Oops!

48 Thanks! Muito Obrigado! Gracias!

07/05/2013. VOLEIBOL 9ºAno. Profª SHEILA - Prof. DANIEL. Voleibol. Origem : William Morgan 1895 ACM s. Tênis Minonette

07/05/2013. VOLEIBOL 9ºAno. Profª SHEILA - Prof. DANIEL. Voleibol. Origem : William Morgan 1895 ACM s. Tênis Minonette VOLEIBOL 9ºAno Profª SHEILA - Prof. DANIEL Origem : William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette GRECO, 1998 1 Caracterização: O voleibol é um jogo coletivo desportivo, composto por duas equipes, cada uma

Leia mais

É constituída por 12 jogadores: -6 jogadores efetivos -6 jogadores suplentes -Até 2 líberos

É constituída por 12 jogadores: -6 jogadores efetivos -6 jogadores suplentes -Até 2 líberos Regras básicas de vôlei Vôlei é um desporto praticado numa quadra dividida em duas partes por uma rede, possuindo duas equipes de seis jogadores em cada lado. O objetivo da modalidade é fazer passar a

Leia mais

METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL

METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL METODOLOGIA COMPARTILHAR DE INICIAÇÃO AO VOLEIBOL 2012 Todo material didático-pedagógico contido neste documento é fruto da experiência de diversos profissionais, principalmente professores de educação

Leia mais

HISTÓRIA DO VOLEIBOL

HISTÓRIA DO VOLEIBOL VOLEIBOL HISTÓRIA DO VOLEIBOL O voleibol foi criado em 9 de Fevereiro de 1895 pelo americano William George Morgan, diretor de educação física da Associação Cristã de Moços (ACM), na cidade de Holyoke,

Leia mais

MINI - VOLEIBOL UM MÉTODO SIMPLIFICADO E ADAPTADO PARA AS CRIANÇAS

MINI - VOLEIBOL UM MÉTODO SIMPLIFICADO E ADAPTADO PARA AS CRIANÇAS MINI - VOLEIBOL UM MÉTODO SIMPLIFICADO E ADAPTADO PARA AS CRIANÇAS Denise Pirolo 1 Este trabalho foi elaborado a partir da revisão de literatura do Mini - Voleibol (MV), e de nossa experiência profissional

Leia mais

E Nas extremidades da rede existem duas antenas que delimitam o espaço aéreo de jogo.

E Nas extremidades da rede existem duas antenas que delimitam o espaço aéreo de jogo. V O L E I B O L A quadra de jogo A quadra de voleibol mede 18 x 9 metros e é demarcada por linhas de 5 centímetros de espessura. Possui uma linha central que divide a quadra em duas áreas com 9 x 9 metros.

Leia mais

DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL.

DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL. Revista Hórus, volume 7, número 1 (Jan-Mar), 2013. 24 DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL. Murilo José de Oliveira Bueno¹ e Felipe Arruda Moura

Leia mais

VOLEIBOL ESCOLAR: FERRAMENTA MULTIDISCIPLINAR

VOLEIBOL ESCOLAR: FERRAMENTA MULTIDISCIPLINAR VOLEIBOL ESCOLAR: FERRAMENTA MULTIDISCIPLINAR 1. História do Voleibol 1.1. A Origem do Voleibol: a centenas de anos jogos similares jáj eram praticados no mundo todo. Willian Morgan da Y.M.C.A. cria em

Leia mais

Voleibol. Professor:Pedro Engler Neto

Voleibol. Professor:Pedro Engler Neto Voleibol Professor:Pedro Engler Neto Histórico O voleibol foi criado por William G. Morgam em 09 de fevereiro de 1895. Na Associação Cristã de Moços,HoYolke Massachussets, Eua. E a intenção de Morgan era

Leia mais

VOLEIBOL. 11. O Jogador que executa o saque, deve estar em qual posição? 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997. a) posição número 6.

VOLEIBOL. 11. O Jogador que executa o saque, deve estar em qual posição? 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997. a) posição número 6. VOLEIBOL 1) Em que ano foi criado o voleibol? a) 1997 b) 2007 c) 1996 d) 1975 e)1895 2. Quem inventou o voleibol? a) William G. Morgan b) Pelé c) Roberto Carlos d) Ronaldinho Gaúcho e) Michael Jackson

Leia mais

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese

Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Portuguese Lesson A Welcome to Lesson A of Story Time for Portuguese Story Time is a program designed for students who have already taken high school or college courses or students who have completed other

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA SÉRIE: 7º ANO PROFESSORA:

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA

A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA ESCOLA A prática da atividade física teve seu começo nos primórdios da humanidade, épocas em que o homem ainda não tinha desenvolvido meios clássicos para deixar registros

Leia mais

Educação Física - Colégio Adventista Professora Shimeni Guimarães Alves

Educação Física - Colégio Adventista Professora Shimeni Guimarães Alves História do Vôlei O voleibol foi criado no ano de 1895 pelo americano William C.Morgan, diretor de educação física da Associação Cristã de Moços (ACM), na cidade de Holyoke, em Massachusets, nos Estados

Leia mais

Regras básicas e fudamentos do volei

Regras básicas e fudamentos do volei Regras básicas e fudamentos do volei História do volei O criador do voleibol foi o americano William George Morgan. Isto ocorreu em 9 de fevereiro de 1895. O volei foi criado com o intuito de ser um esporte

Leia mais

PROJETO DE FORMAÇÃO PERMANENTE EM PEDAGOGIA DO ESPORTE

PROJETO DE FORMAÇÃO PERMANENTE EM PEDAGOGIA DO ESPORTE PROJETO DE FORMAÇÃO PERMANENTE EM PEDAGOGIA DO ESPORTE Renato Sampaio Sadi FEF-UFG RESUMO Este artigo apresenta um projeto de formação permanente em pedagogia do esporte por meio da Educação à distância.

Leia mais

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Campus Sombrio Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Campus Sombrio Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio 1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Campus Sombrio Curso Técnico em Agropecuária Integrado ao Ensino Médio DISCIPLINA: Educação Física CARGA HORÁRIA: 40hs PROFESSOR(A):

Leia mais

O ALCANCE DE ATAQUE E BLOQUEIO E A PERFORMANCE DE ATLETAS DE VOLEIBOL FEMININO DO CAMPEONATO MUNDIAL DE 2006

O ALCANCE DE ATAQUE E BLOQUEIO E A PERFORMANCE DE ATLETAS DE VOLEIBOL FEMININO DO CAMPEONATO MUNDIAL DE 2006 O ALCANCE DE ATAQUE E BLOQUEIO E A PERFORMANCE DE ATLETAS DE VOLEIBOL FEMININO DO CAMPEONATO MUNDIAL DE 2006 Natalia Kopp 1 ; Fábio Heitor Alves Okazaki 2 ; Victor Hugo Alves Okazaki 3 ; Birgit Keller

Leia mais

VOLEIBOL 7ºano. Voleibol HISTÓRICO E REGRAS. Origem e Evolução: William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette 07/05/2013. Brasil 1915 Pernambuco

VOLEIBOL 7ºano. Voleibol HISTÓRICO E REGRAS. Origem e Evolução: William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette 07/05/2013. Brasil 1915 Pernambuco VOLEIBOL 7ºano. HISTÓRICO E REGRAS Profª SHEILA - Prof. DANIEL Origem e Evolução: William Morgan 1895 ACM s Tênis Minonette Brasil 1915 Pernambuco Colégio Marista ou ACM s São Paulo 1916 1954 CBV 1982

Leia mais

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS

TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS UNIVERSIDADE DE LISBOA FACULDADE DE PSICOLOGIA E DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO TUTORIA INTERCULTURAL NUM CLUBE DE PORTUGUÊS SANDRA MARIA MORAIS VALENTE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO Área de

Leia mais

Lentos, atrasados e desequilibrados

Lentos, atrasados e desequilibrados Deslocamentos Lentos, atrasados e desequilibrados Descoordenação espaço-tempo pela falta de referências e pelas dificuldades naturais da areia, vento ou sol Maior dificuldade em deslocamentos para trás

Leia mais

Online Collaborative Learning Design

Online Collaborative Learning Design "Online Collaborative Learning Design" Course to be offered by Charlotte N. Lani Gunawardena, Ph.D. Regents Professor University of New Mexico, Albuquerque, New Mexico, USA July 7- August 14, 2014 Course

Leia mais

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA Coimbra, May 2013. Carlos Souza & Cristina Silva

ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA Coimbra, May 2013. Carlos Souza & Cristina Silva ESCOLA SUPERIOR DE ENFERMAGEM DE COIMBRA Coimbra, May 2013 Carlos Souza & Cristina Silva Population: 10,6 million. According to INE (National Institute of Statistics) it is estimated that more than 2 million

Leia mais

Princípios da defesa 5x3

Princípios da defesa 5x3 Princípios da defesa 5x3 Não importa qual defesa praticamos, mas, o como a tornamos eficaz No 5x5, são até três atacantes realmente envolvidos em uma jogada, portanto, se todos estiverem sempre comprometidos

Leia mais

Gestos Técnicos e Exercícios. de Mini-Volei

Gestos Técnicos e Exercícios. de Mini-Volei Gestos Técnicos e Exercícios de Mini-Volei Extraído de: La grammatica del gioco della pallavolo M. Gori S.S.S. & Il manuale della pallavolo G. Volpicella Idea Libri (Tradução: Miguel Margalho) Exercícios

Leia mais

How are you? Activity 01 Warm up. Activity 02 Catch! Objective. Procedure. Objective. Preparation. Procedure. To warm-up and practice greetings.

How are you? Activity 01 Warm up. Activity 02 Catch! Objective. Procedure. Objective. Preparation. Procedure. To warm-up and practice greetings. Activity 01 Warm up Objective To warm-up and practice greetings. 1. Make sure you re in the room before the Ss. 2. Greet Ss as they enter the room using How are you?, How are you doing?, What s up?. 3.

Leia mais

VOLLEYBALL Voleibol. Escola Dr. Costa Matos 2013/14. Ana Fernandes 8ºD

VOLLEYBALL Voleibol. Escola Dr. Costa Matos 2013/14. Ana Fernandes 8ºD VOLLEYBALL Voleibol Escola Dr. Costa Matos 2013/14 Ana Fernandes 8ºD REFERÊNCIAS HISTÓRICAS Origem REFERÊNCIAS HISTÓRICAS Origem Criado por William Morgan (Professor EF do Springfield College of the YMCA

Leia mais

TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL SISTEMAS TÁTICOS

TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL SISTEMAS TÁTICOS TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL TÁTICAS BÁSICAS DO VOLEIBOL SISTEMAS TÁTICOS Para o melhor entendimento técnico e tático das definições sobre os sistemas de jogo adotados no voleibol, é necessário, em primeiro

Leia mais

- - - A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DE PÉS COMO FUNDAMENTO PARA A AGRESSIVIDADE OFENSIVA MANUEL CAMPOS

- - - A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DE PÉS COMO FUNDAMENTO PARA A AGRESSIVIDADE OFENSIVA MANUEL CAMPOS - - - A IMPORTÂNCIA DO TRABALHO DE PÉS COMO FUNDAMENTO PARA A AGRESSIVIDADE OFENSIVA --- Muitos treinadores alicerçam o seu trabalho, e o trabalho das suas equipas, no sistema de jogo. Apenas poucos reconhecem

Leia mais

A equipa A corre à volta do círculo O coach lança, a equipa A sai a atacar contra a equipa B Jogam 5x4 (contra ataque) 5x5 (ataque posição) 5x6..

A equipa A corre à volta do círculo O coach lança, a equipa A sai a atacar contra a equipa B Jogam 5x4 (contra ataque) 5x5 (ataque posição) 5x6.. A equipa A corre à volta do círculo O coach lança, a equipa A sai a atacar contra a equipa B Jogam 5x4 (contra ataque) 5x5 (ataque posição) 5x6..5x7 (ocupar espaços) Explosive first step Atacar o cesto

Leia mais

O jogo no ensino do handebol: proposta de um plano de ensino pensado para a prática diária

O jogo no ensino do handebol: proposta de um plano de ensino pensado para a prática diária Motriz, Rio Claro, v.14 n.1 p.67-73, jan./mar. 2008 Artigo de Atualização O jogo no ensino do handebol: proposta de um plano de ensino pensado para a prática diária Jefferson Alexandre de Castro 1 Sérgio

Leia mais

PLANEJAMENTO DE AULA 2010 EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR MARCIO LUIZ DALMOLIN

PLANEJAMENTO DE AULA 2010 EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR MARCIO LUIZ DALMOLIN COLÉGIO ESTADUAL PEDRO ARAUJO NETO PLANEJAMENTO DE AULA 2010 EDUCAÇÃO FÍSICA PROFESSOR MARCIO LUIZ DALMOLIN GENERAL CARNEIRO 2010 OBJETIVOS GERAIS DA DISCÍPLINA Proporcionar ao aluno a cultura corporal

Leia mais

APLICAÇÃO DA RECREAÇÃO PARA CRIANÇAS DE ATÉ 12 ANOS

APLICAÇÃO DA RECREAÇÃO PARA CRIANÇAS DE ATÉ 12 ANOS APLICAÇÃO DA RECREAÇÃO PARA CRIANÇAS DE ATÉ 12 ANOS OLIVEIRA, Marcio Rodrigues de SOUZA, Larissa Caroline Kinor de LIMA, Juliane Fortes de SANTOS, Mariól Siqueira Docente do Curso de Educação Física da

Leia mais

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012

Universidade do Minho. Escola de Engenharia. UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13. 11 de outubro 2012 Universidade do Minho Escola de Engenharia UC transversais Programas Doutorais 1º semestre 2012-13 11 de outubro 2012 1 2 2 courses offered in the first semestre: Métodos de Investigação em Engenharia

Leia mais

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL WEST EUROPEAN VOLLEYBALL ZONAL ASSOCIATION WEVZA VOLLEYBALL COACHES SEMINAR

FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL WEST EUROPEAN VOLLEYBALL ZONAL ASSOCIATION WEVZA VOLLEYBALL COACHES SEMINAR FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE VOLEIBOL WEST EUROPEAN VOLLEYBALL ZONAL ASSOCIATION WEVZA VOLLEYBALL COACHES SEMINAR 5, 6 E 7 DE JUNHO VALLADOLID (ESPANHA) PROPOSTA Tendo em conta a atribuição de 4 bolsas para

Leia mais

Proposta metodológica para o mini-voleibol: uma estratégia para iniciação esportiva de crianças

Proposta metodológica para o mini-voleibol: uma estratégia para iniciação esportiva de crianças Proposta metodológica para o mini-voleibol: uma estratégia para iniciação esportiva de crianças *Graduado em EF pela PUC-PR. Especialista em EF Escolar pela UFPR-PR. **Graduada em EF pela UEPG-PR. Especialista

Leia mais

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing

User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing User interface evaluation experiences: A brief comparison between usability and communicability testing Kern, Bryan; B.S.; The State University of New York at Oswego kern@oswego.edu Tavares, Tatiana; PhD;

Leia mais

O esporte no PST: estímulo e prática prazerosa para um futuro

O esporte no PST: estímulo e prática prazerosa para um futuro O esporte no PST: estímulo e prática prazerosa para um futuro esportivo emancipado O Esporte como meio pedagógico... Por que? O Que? COMO? Ensinar Onde? Quando? Quem? Perguntas que definem o método: Incidental

Leia mais

Descrição das actividades

Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Em Acção Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho Duração da prova: 15 a 20 minutos Guião D 1.º MOMENTO Intervenientes

Leia mais

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013

Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 Confederação Brasileira de Voleibol PREPARAÇÃO FÍSICA Prof. Rommel Milagres SAQUAREMA Dezembro 2013 CURRICULUM VITAE Chefe do Departamento e Preparação Física do Minas Tênis Clube desde 1978 Preparador

Leia mais

SUMÁRIO VOLUME 1 LÍNGUA INGLESA

SUMÁRIO VOLUME 1 LÍNGUA INGLESA SUMÁRIO VOLUME 1 "No mar tanta tormenta e dano, Tantas vezes a morte apercebida, Na terra, tanta guerra, tanto engano, Tanta necessidade aborrecida." Os Lusíadas, p. 106, Luís Vaz de Camões Lesson 1 -

Leia mais

O VOLEIBOL COMO CONTEÚDO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO FÍSICA: TER OU NÃO SER Sonia Maria Soares Barbosa de Sousa Ana Maria da Silva Rodrigues

O VOLEIBOL COMO CONTEÚDO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO FÍSICA: TER OU NÃO SER Sonia Maria Soares Barbosa de Sousa Ana Maria da Silva Rodrigues O VOLEIBOL COMO CONTEÚDO ESCOLAR DA EDUCAÇÃO FÍSICA: TER OU NÃO SER Sonia Maria Soares Barbosa de Sousa Ana Maria da Silva Rodrigues RESUMO: O conteúdo voleibol, enquanto prática desportiva nas escolas

Leia mais

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire

Cultural Identity of Young Volunteers Differences and understanding Empowering People. Volunteer Profile Questionnaire Volunteer Profile Questionnaire 1 Índice 1 VOLUNTEER PROFILE QUESTIONNAIRE... 1.1 Country... 1. AGE... 1. GENDER... 1..1 GENDER vs... 1. Qualification... 1..1 QUALIFICATION GREECE VS PORTUGAL... 1. Are

Leia mais

ESCOLA: 1º CEB de Mouriscas ATIVIDADE: Atividade Físico-Desportiva ANO:1º/2º ANO LETIVO 2013/2014

ESCOLA: 1º CEB de Mouriscas ATIVIDADE: Atividade Físico-Desportiva ANO:1º/2º ANO LETIVO 2013/2014 ATIVIDADES DE ENRIQUECIMENTO CURRICULAR Entidade Promotora: Câmara Municipal de Abrantes Entidade Parceira: Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola de Mouriscas ESCOLA: 1º CEB de Mouriscas

Leia mais

FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA. Mestrado em Treino Desportivo

FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA. Mestrado em Treino Desportivo Programa de Disciplina Formação Desportiva FACULDADE DE MOTRICIDADE HUMANA Mestrado em Treino Desportivo FORMAÇÃO DESPORTIVA Programa da Disciplina Prof. Dr. António Rosado Prof. Dr. Vítor Ferreira Ano

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS

CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS CENTRO UNIVERSITÁRIO METROPOLITANO DE SÃO PAULO CURSO ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS UMA VANTAGEM COMPETITIVA COM A TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS AMANDA ZADRES DANIELA LILIANE ELIANE NUNES ELISANGELA MENDES Guarulhos

Leia mais

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO

MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO MARLI DA COSTA RAMOS SCATRALHE FAMÍLIA E ESCOLA: DOIS SISTEMAS INTERDEPENDENTES NA COMPREENSÃO DOS SIGNIFICADOS NO PROCESSO ESCOLAR DO FILHO/ALUNO CENTRO UNIVERSITÁRIO FIEO Osasco 2009 MARLI DA COSTA RAMOS

Leia mais

Conteúdo de prova 2ª etapa 6º ano Fundamental

Conteúdo de prova 2ª etapa 6º ano Fundamental Conteúdo de prova 2ª etapa 6º ano Fundamental Jogos Populares Os jogos populares buscam resgatar jogos culturais e tradicionais de várias regiões do mundo. Vários costumes e acontecimentos na antiguidade

Leia mais

Semestre do plano de estudos 1

Semestre do plano de estudos 1 Nome UC Inglês CU Name Código UC 6 Curso LEC Semestre do plano de estudos 1 Área científica Gestão Duração Semestral Horas de trabalho 54 ECTS 2 Horas de contacto TP - 22,5 Observações n.a. Docente responsável

Leia mais

Condições de Participação no Evento. Licenças. Equipamentos Regulamentos ( Bicicletas) Equipamento ( Vestuário ) Seguros. Entradas - Espectadores

Condições de Participação no Evento. Licenças. Equipamentos Regulamentos ( Bicicletas) Equipamento ( Vestuário ) Seguros. Entradas - Espectadores Condições de Participação no Evento De acordo com os Regulamentos da UCI Ciclismo de Pista Veteranos 3.9.001. Estes regulamentos estão disponíveis no site da UCI em www.uci.ch. Clicar sobre Rules e seguidamente

Leia mais

Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014. 1.º Momento. 4 (A), are you a health-conscious person?

Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014. 1.º Momento. 4 (A), are you a health-conscious person? Prova Oral de Inglês Duração da Prova: 20 a 25 minutos 2013/2014 GUIÃO A Disciplina: Inglês, Nível de Continuação 11.º ano Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho 1.º Momento Intervenientes e Tempos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO. Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática São Paulo 2010 JOÃO FÁBIO PORTO Diálogo e interatividade em videoaulas de matemática

Leia mais

Guião A. Descrição das actividades

Guião A. Descrição das actividades Proposta de Guião para uma Prova Grupo: Ponto de Encontro Disciplina: Inglês, Nível de Continuação, 11.º ano Domínio de Referência: Um Mundo de Muitas Culturas Duração da prova: 15 a 20 minutos 1.º MOMENTO

Leia mais

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16

Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito 2015-16 Mestrado em Ciências Jurídicas Especialização em História do Direito Unidade curricular História do Direito Português I (1º sem). Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level

Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental. Parent Academy Digital Citizenship. At Elementary Level Parent Academy Digital Citizenship At Elementary Level Treinamento para Pais Cidadania digital No Nível Fundamental Pan American School of Bahia March 18 and 29, 2016 Digital Citizenship Modules Cyberbullying

Leia mais

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer?

Câmbio MONEY CHANGER. I d like to exchange some money. Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Where can I find a money changer? MONEY CHANGER Câmbio I d like to exchange some money. Where can I find a money changer? Gostaria de cambiar um pouco de dinheiro. Onde posso encontrar um câmbio? I d like to exchange (I would) Where can

Leia mais

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO PROJECTO PROVAS EXPERIMENTAIS DE EXPRESSÃO ORAL DE LÍNGUA ESTRANGEIRA - 2005-2006 Ensino Secundário - Inglês, 12º ano - Nível de Continuação 1 1º Momento GUIÃO Domínio de Referência: CIDADANIA E MULTICULTURALISMO

Leia mais

O voleibol e sua metodologia

O voleibol e sua metodologia UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA XII SEMANA DE EDUCAÇÃO FÍSICA (11 A 13/11/98) O voleibol e sua metodologia Alda Lúcia Pirolo 1 Denise Pirolo 2 Este trabalho foi elaborado

Leia mais

PORTUGAL Campeão Europeu 2011/2012

PORTUGAL Campeão Europeu 2011/2012 PORTUGAL Campeão Europeu 2011/2012 PARTICIPANTES PAÍSES (12) QUALIFIER DIVISÃO A 1º LUGAR (TBC) DIVISÃO B 2º LUGAR (TBC) DIVISÃO A 3º LUGAR (TBC) MENSAGEM DO PRESIDENTE The Portuguese Rugby Union is delighted

Leia mais

Prova Escrita de Inglês

Prova Escrita de Inglês PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Decreto-Lei nº 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Inglês 6º Ano de Escolaridade Prova 06 / 2.ª Fase 7 Páginas Duração da Prova: 90 minutos. 2014 Prova 06/ 2.ª F.

Leia mais

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades

GUIÃO A. Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho. 1º Momento. Intervenientes e Tempos. Descrição das actividades Ano: 9º Domínio de Referência: O Mundo do Trabalho GUIÃO A 1º Momento Intervenientes e Tempos Descrição das actividades Good morning / afternoon / evening, A and B. For about three minutes, I would like

Leia mais

Newsletter Serviço Voluntário Europeu European Voluntary Service Projeto/Project: PT-21-81-2013-R2 - Intergerational Volunteering Empowering People!

Newsletter Serviço Voluntário Europeu European Voluntary Service Projeto/Project: PT-21-81-2013-R2 - Intergerational Volunteering Empowering People! Newsletter Serviço Voluntário Europeu European Voluntary Service Projeto/Project: PT-21-81-2013-R2 - Intergerational Volunteering Empowering People! Países/Countries: Portugal, Italy Volunteers in Aveiro,

Leia mais

DPI. Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office

DPI. Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office DPI Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento de Projetos e Internacionalização Project Development And Internationalization Support Office Apresentação/Presentation Criado em 1 de março de 2011, o Núcleo de

Leia mais

Parts of the Solar Charger. Charging the Solar Battery. Using the Solar Lamp. Carry in hand. Shows how much light is left. Table light.

Parts of the Solar Charger. Charging the Solar Battery. Using the Solar Lamp. Carry in hand. Shows how much light is left. Table light. Parts of the Solar Charger Solar Lamp LCD Panel 1 Solar Panel Cell Phone Charger Port Protective Cover Solar Charger Port Lamp Stand Adaptors On/Off Switch Cell Phone Charger Cable Charging the Solar Battery

Leia mais

LOCALIZAÇÃO LOCATION @0@2@3 RIO NEIVA

LOCALIZAÇÃO LOCATION @0@2@3 RIO NEIVA NOTAS NOTES @0@2@3 @1 @0 @1 @2 @3 D Experiências subaquáticas em Viana do Castelo / Underwater experiences at Viana do Castelo Amigos do Mar Atividades subaquáticas: mergulho em Esposende / Underwater

Leia mais

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM.

ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS. Prova-modelo. Instruções. Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. ACFES MAIORES DE 23 ANOS INGLÊS Prova-modelo Instruções Verifique se o exemplar da prova está completo, isto é, se termina com a palavra FIM. A prova é avaliada em 20 valores (200 pontos). A prova é composta

Leia mais

FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO

FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO (FACTORS RELATED TO THE ANXIETY LEVEL IN FOOTBALL FEMALE ATHLETES) Marcos Vinicius Dias Munhóz 1 ; Claudia Teixeira-Arroyo 1,2

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 2009

UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 2009 Recebido em: 1/3/211 Emitido parece em: 23/3/211 Artigo inédito UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 29 Leandro

Leia mais

IMPACTOS Agudos / de Momento e Crónicos / Constantes.

IMPACTOS Agudos / de Momento e Crónicos / Constantes. Wash Scoring (Limpar a Pontuação) por Tom Tait (treinador de Voleibol dos EUA Penn State University e ex-adjunto das Selecções Sénior Masculinas; USA All-Time Great Coach Award) UM POUCO DE HISTÓRIA Em

Leia mais

Curso EFA - Inglês. A. Ouça a Tzu-Lee e o Jack falar sobre as suas actividades depois da escola. Complete a tabela.

Curso EFA - Inglês. A. Ouça a Tzu-Lee e o Jack falar sobre as suas actividades depois da escola. Complete a tabela. Curso EFA - Inglês Leisure 4 A. Ouça a Tzu-Lee e o Jack falar sobre as suas actividades depois da escola. Complete a tabela. Monday Tuesday Wednesday Thursday Friday Myers, Cathy et al Step Ahead 7 (wkbk)

Leia mais

INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO

INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO ROGER MARCHESE INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO Artigo apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso em Especialização em Ciência do Treinamento Desportivo

Leia mais

Cartões de recurso pedagógico

Cartões de recurso pedagógico Cartões de recurso pedagógico Movimentações e habilidades 1. Movimentação - Sem bola 2. Adaptação à bola - Manipulação da bola 3. Movimentação - Com bola 4. Habilidades de lançamento - Rolamento 5. Habilidades

Leia mais

Profissionalização de Organizações Esportivas:

Profissionalização de Organizações Esportivas: Eduardo de Andrade Pizzolato Profissionalização de Organizações Esportivas: Estudo de caso do Voleibol Brasileiro Dissertação de Mestrado (Opção profissional) Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação

Leia mais

Santa Casa PDF ebooks Download

Santa Casa PDF ebooks Download Santa Casa PDF ==>Download: Santa Casa PDF ebook Santa Casa PDF - Are you searching for Santa Casa Books? Now, you will be happy that at this time Santa Casa PDF is available at our online library. With

Leia mais

A DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL A DANÇA NA EDUCAÇÃO INFANTIL MUNHÃO, Marisa Discente do Curso de Educação Física da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva MUZEL, Andrei Alberto Docente do Curso de Educação Física da Faculdade

Leia mais

My English Language Passport

My English Language Passport My English Language Passport Personal information First name: Address: Surname: Date of birth: First language: Languages spoken: Email address: English learnt at school Type of school Primary school Number

Leia mais

Velocidade no Futebol - Capacidade é complexa e precisa ser analisada de forma global

Velocidade no Futebol - Capacidade é complexa e precisa ser analisada de forma global Velocidade no Futebol - Capacidade é complexa e precisa ser analisada de forma global Marcio Faria CORREA Quando falamos em velocidade, uma capacidade neuro-motora tão importante para a maioria dos esportes,

Leia mais

LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES

LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES Londres apresentou a proposta de legado para o esporte para o Reino Unido na sua candidatura para sede olímpica de 2012. Dois grandes projetos para esporte participação

Leia mais

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges 3 o ANO ENSINO MÉDIO Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges Unidade IV Jobs The perfect job for you 2 Aula 10.1 Conteúdos Vocabulary: Jobs; Reading Comprehension 3 Habilidade Dizer o nome das

Leia mais

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015

Bárbara Rodrigues da Silva 3ALEN, 2015 Pets reality There are about 30 millions abandoned pets only in Brazil. Among these amount, about 10 millions are cats and the other 20 are dogs, according to WHO (World Health Organization). In large

Leia mais

Isa Silveira Financial Solutions Manager

Isa Silveira Financial Solutions Manager Isa Silveira Financial Solutions Manager Agenda Cisco Capital: New way to do business easylease Low Rate Financing Let s Start Working Together Cisco Confidential 2 Locação Operacional - Financiamento

Leia mais

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1

Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Normas Gráficas do Símbolo e Logótipo aicep Portugal Global aicep Portugal Global Symbol and Logo Graphic Guidelines Capítulo 1 Chapter 1 Introdução Introduction Normas Gráficas Este manual fornece os

Leia mais

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES

DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Palavras cognatas, palavras repetidas e marcas tipográficas UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ DEPARTAMENTO DE LETRAS INGLÊS TÉCNICO E CIENTÍFICO PROFESSOR: WELLINGTON BORGES Fatos: A língua inglesa teve origem

Leia mais

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges

3 o ANO ENSINO MÉDIO. Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges 3 o ANO ENSINO MÉDIO Prof. a Christiane Mourão Prof. a Cláudia Borges Unidade II Science Health and nature 2 Aula 5.1 Conteúdos Phrasal Verbs in texts 3 Habilidade Identificar os phrasal verbs em textos

Leia mais

CONTEÚDOS CONTEÚDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2015-2016

CONTEÚDOS CONTEÚDOS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2015-2016 PROGRAMÁTICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA Capacidades Condicionais e Coordenativas Gerais Resistência Geral; Força Resistente; Força Rápida; Força Rápida; Velocidade de Reação Simples e Complexa; Velocidade de

Leia mais

CONCEITOS PARA MAXIMIZAR O DESENVOLVIMENTO DA HABILIDADE DE MOVIMENTO ESPECIALIZADO

CONCEITOS PARA MAXIMIZAR O DESENVOLVIMENTO DA HABILIDADE DE MOVIMENTO ESPECIALIZADO ARTIGOS DE REVISÃO CONCEITOS PARA MAXIMIZAR O DESENVOLVIMENTO DA HABILIDADE DE MOVIMENTO ESPECIALIZADO KEYS TO MAXIMIZING SPECIALIZED MOVEMENT SKILL DEVELOPMENT David Lee Gallahue RESUMO O objetivo desta

Leia mais

MINIVOLEIBOL UMA ESTRATÉGIA PARA INICIAÇÃO NO VOLEIBOL: MÉTODOS TÉCNICOS E PRÁTICOS

MINIVOLEIBOL UMA ESTRATÉGIA PARA INICIAÇÃO NO VOLEIBOL: MÉTODOS TÉCNICOS E PRÁTICOS UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM EDUCAÇÃO: MÉTODOS E TÉCNICAS DE ENSINO WALTER ROMANO SANCHES MINIVOLEIBOL UMA ESTRATÉGIA PARA INICIAÇÃO

Leia mais

1- O ESPORTE, CARACTERÍSTICAS E MANIFESTAÇÕES ESPORTIVAS

1- O ESPORTE, CARACTERÍSTICAS E MANIFESTAÇÕES ESPORTIVAS EDUCAÇÃO FÍSICA / 8º ano PROFESSOR: Antonio Carlos 1- O ESPORTE, CARACTERÍSTICAS E MANIFESTAÇÕES ESPORTIVAS O esporte é uma atividade humana historicamente criada e socialmente construída (BRASIL, 2009).

Leia mais

Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos. Érica Amorim Simon Schwartzman IETS

Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos. Érica Amorim Simon Schwartzman IETS Educação Vocacional e Técnica nos Estados Unidos Érica Amorim Simon Schwartzman IETS Os principais modelos Modelo europeu tradicional: diferenciação no secundário entre vertentes acadêmicas e técnico-profissionais

Leia mais

Viagem a Serra da Estrella PDF

Viagem a Serra da Estrella PDF Viagem a Serra da Estrella PDF ==>Download: Viagem a Serra da Estrella PDF ebook Viagem a Serra da Estrella PDF - Are you searching for Viagem a Serra da Estrella Books? Now, you will be happy that at

Leia mais

O HANDEBOL NO ENSINO MÉDIO

O HANDEBOL NO ENSINO MÉDIO O HANDEBOL NO ENSINO MÉDIO Derli Juliano Neuenfeldt 1 Cláudia Barth 2 Ricardo Caron Taís P. Cordeiro RESUMO Este trabalho, que fez parte da disciplina de Handebol I, caracteriza-se como um exercício de

Leia mais

Ficha de unidade curricular. Curso de Mestrado em Direito - Profissionalizante

Ficha de unidade curricular. Curso de Mestrado em Direito - Profissionalizante Unidade curricular Direito das Sociedades Comerciais Ficha de unidade curricular Curso de Mestrado em Direito - Profissionalizante Docente responsável e respetiva carga letiva na unidade curricular (preencher

Leia mais

ANÁLISE DE UM CICLO DE TREINAMENTO (16 SEMANAS) DE ATLETAS DE FUTEBOL COM DESEMPENHO NA POSIÇÃO DE LATERAL E MEIO DE CAMPO

ANÁLISE DE UM CICLO DE TREINAMENTO (16 SEMANAS) DE ATLETAS DE FUTEBOL COM DESEMPENHO NA POSIÇÃO DE LATERAL E MEIO DE CAMPO Recebido em: 12/3/2010 Emitido parece em: 9/4/2010 Artigo original ANÁLISE DE UM CICLO DE TREINAMENTO (16 SEMANAS) DE ATLETAS DE FUTEBOL COM DESEMPENHO NA POSIÇÃO DE LATERAL E MEIO DE CAMPO Emerson Luiz

Leia mais

Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento

Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento Ficha de unidade curricular Curso de Doutoramento Unidade curricular História do Direito Português I (Doutoramento - 1º semestre) Docente responsável e respectiva carga lectiva na unidade curricular Prof.

Leia mais

Versão 1. Nome do aluno: N.º: Turma: Atenção! Não vires esta página até receberes a indicação para o fazeres.

Versão 1. Nome do aluno: N.º: Turma: Atenção! Não vires esta página até receberes a indicação para o fazeres. Teste Intermédio de Inglês Parte III Compreensão do oral Versão 1 Teste Intermédio Inglês Versão 1 Duração do Teste: 15 minutos 22.02.2013 9.º Ano de Escolaridade Escola: Nome do aluno: N.º: Turma: Classificação

Leia mais

Treinamento & Desenvolvimento Para Empresas Que Aprendem [Português] [Capa comum] PD

Treinamento & Desenvolvimento Para Empresas Que Aprendem [Português] [Capa comum] PD Treinamento & Desenvolvimento Para Empresas Que Aprendem [Português] [Capa comum] Download: Treinamento & Desenvolvimento Para Empresas Que Aprendem [Português] [Capa comum] PDF ebook Treinamento & Desenvolvimento

Leia mais

FUNCTIONAL TRAINING COACH II E III (JUL 2015) PORTO

FUNCTIONAL TRAINING COACH II E III (JUL 2015) PORTO FUNCTIONAL TRAINING COACH II E III (JUL 2015) PORTO Depois do sucesso do Módulo I de FT Coach, é com muita satisfação que apresentamos um novo curso com os temas "Core Performance" e "Strength Conditioning",

Leia mais

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre

Trabalho de Compensação de Ausência - 1º Bimestre Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio Regular. Rua Cantagalo 313, 325, 337 e 339 Tatuapé Fones: 2293-9393 e 2293-9166 Diretoria de Ensino Região LESTE 5 Trabalho de Compensação de Ausência

Leia mais