DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL."

Transcrição

1 Revista Hórus, volume 7, número 1 (Jan-Mar), DESCRIÇÃO DA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO FRENTE ÀS MODIFICAÇÕES DE REGRAS EM JOGOS-TREINO NO BASQUETEBOL. Murilo José de Oliveira Bueno¹ e Felipe Arruda Moura 2 RESUMO O objetivo do estudo foi descrever se modificações de regras de drible em jogo treino de basquetebol podem influenciar na Percepção Subjetiva de Esforço (PSE) de jogadores de basquetebol amador. Nove atletas amadores com idade média de 16 ± 2 anos, realizaram um jogo com regra modificada e um jogo tradicional. Para compreensão da percepção de esforço, foi utilizado o método de PSE. Foi encontrada uma tendência de o jogo tradicional ser menos intenso do que o jogo com regras modificadas. Concluímos que ambos os jogos foram de alta intensidade, indicando uma característica predominante para utilização em treinamento técnico e tático. Palavras-Chave: Jogos Reduzidos. Basquetebol, Percepção Subjetiva de Esforço, Desempenho Físico. ABSTRACT The aim of this study was to determine whether changes in the rules of the game dribbling basketball training can influence the subjective perceived exertion (PSE) and physical performance of amateur basketball players. We evaluated nine amateur athletes with a mean age of 16 ± 2 years, where they performed a basketball match modifying the rules and with a traditional game. To understand the perceiver exertion, we used the PSE method. There was a tendency for the traditional game to be less intense than the game with modified rules. We concluded that both games were high intensity, indicating a predominant feature for use in technical and tactical training. Key Words: Small-sided games, Basketball, Subjective Perception of Effort, Physical Performance. INTRODUÇÃO Modificações de regras e também jogos reduzidos vem sendo muito utilizados em treinos físicos, técnicos e táticos nos esportes coletivos. Modificações como espaço de jogo, número de jogadores e regras impostas aos jogadores podem influenciar a intensidade de jogo e no desenvolvimento de habilidades técnicas e táticas especificas (DELLAL, et al, 2011). Estudos no futebol vêm sendo realizados buscando compreender como determinado números de jogadores ou como determinados números de contatos com a bola em jogos reduzidos podem influenciar em diferentes variáveis fisiológicas, desempenho físico, técnico e tático (DELLAL, et al, 2011, JONES & DRUST, 2007) Dellal et. al (2011), buscaram compreender através de variáveis fisiológicas, atividades técnicas e físicas em jogadores amadores e profissionais de futebol, como diferentes jogos reduzidos podem influenciar na intensidade dos mesmos. Para isso realizaram jogos de 2X2, 3X3, 4X4 com número limitado de contatos com a bola durante os jogos, encontraram diferenças significativas de concentração de lactato sanguíneo e PSE nos jogos de 2X2 para os jogadores amadores em comparação com os jogadores profissionais. Nos jogos de 3X3 foi visto diferenças técnicas significativas em comparação aos jogadores 1-Pós-Graduando em Biomecânica e Fisiologia do exercício aplicados ao Treinamento pela faculdade Estácio de Sá Ourinhos (SP), 2 Professor do Departamento de Ciências do Esporte Universidade Estadual de Londrina.

2 Revista Hórus, volume 7, número 1 (Jan-Mar), amadores com jogadores profissionais, como também essa diferença foi vista nos jogos 4X4, sendo todos esses dados em jogos com numero de toques de bola limitados pelo técnico. Concluíram que jogos reduzidos podem influenciar nas melhoras físicas e técnicas de jogadores amadores, favorecendo principalmente a regra de 2 toques na bola por posse de bola. Um estudo realizado por Sampaio, Abrantes & leite, (2009), buscou investigar diferenças nas respostas de potência, freqüência cardíaca e percepção subjetiva de esforço em jogos reduzidos 3X3 e 4X4 no basquetebol, onde avaliaram oito atletas. Não encontraram diferenças significativas na frequência cardíaca em ambos os jogos (3X3, média 173.4±8.3 bpm/min; 4X4, média 164.7±16.2 bpm/min.), intensidade de exercício correspondente à 87±4% e 83±4% da frequência Cardíaca Máxima para ambos os jogos. Valores significativos não foram encontrados também na PSE para ambos os jogos (3X3, média 3.0±0.5; 4X4, média 4.1±0.8). Existem poucos estudos que analisaram jogos reduzidos ou modificações em jogos treinos no basquetebol, para buscar compreender como variáveis físicas se comportam em determinadas situações de jogo, deixando uma questão em aberto: será que modificação de regras de drible pode influenciar na Percepção Subjetiva de Esforço? Este trabalho teve como objetivo verificar se modificações de regras de drible em jogo treino de basquetebol podem influenciar na Percepção Subjetiva de Esforço de jogadores de basquetebol amador.

3 Revista Hórus, volume 7, número 1 (Jan-Mar), MATERIAIS E MÉTODOS Sujeitos. Este estudo teve seu delineamento metodológico estruturado como uma pesquisa documental, de opinião. Os pesquisadores deste estudo apenas fizeram uma consulta ao material de avaliação subjetiva de esforço, disponibilizados pelo técnico, após a realização dos treinamentos que se seguem. Nove atletas de basquetebol masculino amadores, com idade entre 14 a 21 anos, frequentaram normalmente sua rotina de treinamento. Em nenhum momento os pesquisadores sugeririam um procedimento experimental, cabendo aos mesmos apenas um registro das tarefas orientadas pelo técnico. Sete atletas eram de categoria Sub-16, categoria essa que permite atletas em competições com idade até 16 anos e dois atletas eram de categoria Sub-21, categoria que permite atletas com até 21 anos. Os sujeitos foram divididos pelo técnico em duas equipes com cinco atletas, com nível de desempenho físico e técnico equilibrado para cada equipe. Um dos times ficou com um jogador a menos, onde havia um atleta que acabara de entrar na equipe, mas que devido ao nível de aprendizado técnico ainda baixo participou da pesquisa apenas para completar as equipes e não foi documentado nesse estudo. As equipes permaneceram as mesmas nos dois jogos. Descrição dos jogos Todos os jogos foram realizados com as mesmas dimensões e números de jogadores permitidos pela regra (5X5), com duração de 10 minutos contínuos, onde todo o tempo os atletas foram recebendo incentivos verbais do técnico para que realizassem os jogos na maior intensidade possível. Para que a intensidade do jogo não diminuísse, quando a bola saía do perímetro de jogo, o técnico fazia reposição de bola. Quando houve reposição de bola após uma sexta convertida, os atletas tinham um tempo máximo de 5 segundos para ultrapassar a área defensiva para a área ofensiva. Foi realizado um jogo por dia, com um intervalo entre cada jogo de 48 horas e todos os jogos foram realizados no mesmo horário, entre as 17h30 min e 18h30 min. Foi realizado um jogo com a regra de drible modificada (Jogo 1), e um jogo tradicional (Jogo 2). Jogo 1: foi realizado um jogo onde os jogadores ao receber a bola não podiam driblar a bola e se deslocar em quadra, os jogadores poderiam somente passar ou arremessar à cesta.

4 Revista Hórus, volume 7, número 1 (Jan-Mar), Jogo 2: foi realizado um jogo sem alterações de regras de drible no basquetebol, mantendo o tempo contínuo. Vale ressaltar que, de acordo com o técnico, uma semana antes do experimento, os indivíduos realizaram um treino para a familiarização. Percepção Subjetiva de Esforço Antes e após cada jogo, o treinador questionava a seus atletas com relação à Percepção Subjetiva de Esforço (PSE), registrada pela tabela (Tabela 1) de percepção subjetiva de esforço de FOSTER et al (2001.): Tabela 1: valores da PSE, Adaptado de Foster (FOSTER et al, 2001). Índice Descritor 0 Repouso 1 Muito, Muito Fraco 2 Fraco 3 Moderado 4 Um Tanto forte 5 Forte 6 XX 7 Muito Forte 8 XX 9 XX 10 Máximo Analise Estatística Os dados da PSE foram expressos em mediana, onde para todos os dados, foi adotado um nível de significância de p <0,05. Para a verificação da distribuição dos dados foi utilizado o teste de normalidade Lilliefors. Para a análise de diferenças pré e pós para cada jogo, da variável PSE, foi utilizado o teste de Wilcoxon pareado.. RESULTADOS A tabela 2 apresenta os resultados de mediana para as variáveis PSE, nas duas situações de jogo, podendo observar um aumento significativo pré e pós jogo nas duas situações de jogo.

5 Revista Hórus, volume 7, número 1 (Jan-Mar), Tabela 2. Valores de mediana da Percepção Subjetiva de Esforço (PSE) 1º Jogo 2º Jogo Pré Pós p-valor Pré Pós p-valor PSE 3 *7 0, *6 0,0078 * Diferenças significativas pré e pós jogo. DISCUSSÃO O objetivo do presente trabalho foi relatar e analisar se jogos com modificações de regras no basquetebol podem influenciar na PSE em atletas amadores. Os resultados mostram que a PSE apresentou diferenças significativas pré e pós jogo. O jogo com regra de drible modificada mostrou-se um pouco mais intenso do que o jogo tradicional. Segundo a classificação de Foster et al (2001), para o Jogo 1, a mediana foi considerado Muito Forte pelos atletas e já para o Jogo 2 foi considerado um jogo Forte. Esses resultados foram parecidos com os resultados encontrados por Dellal et al. (2011), onde viram que mudanças de regras em jogos reduzidos e jogos livres em treinamento para jogadores de futebol profissional e amador são intensos mas que não se diferenciam na PSE, onde se torna mais intenso para jogadores amadores, principalmente com um número menor de jogadores nos jogos. CONCLUSÃO Os resultados do presente estudo sugerem que ambos os jogos foram de alta intensidade, indicando uma característica predominante para utilização em treinamento técnico e tático, sugerindo que outros estudos com maior número de sujeitos, espaço de jogo e análise técnica no próprio jogo possam ser feitos para melhor entendimento de jogos treino modificados e reduzidos.

6 Revista Hórus, volume 7, número 1 (Jan-Mar), REFERÊNCIAS DELLAL, A; CHAMARI, K; OWEN, A. L; WONG, D. P; LAGO-PENAS, C; HILLS- HAAS, S. Influence of technical instructions on the physiological and physical demands of small-sided soccer games. European Journal of Sport Science. Vol. 11, 2011, pg DELLAL, A; HILLS-HAAS, S; LAGO-PENAS, C; CHAMARI, K. Small-sided games in soccer: amateur vs. professional players physiological responses, physical, and technical activities. Journal of Strength and Conditioning Research. Vol. 25, 2011, pg DELLAL, A; LAGO-PENAS, C; WONG, D. P; CHAMARI, K. Effect of the Number of Ball Contacts Within Bouts of 4 vs. 4 Small-Sided Soccer Games. International Journal of Sports Physiology and Performance. Vol. 6, 2011, pg FOSTER, C; FLORHAUG, J. A; FRANKLIN, J; GOTTSCHALL, L; HROVATIN, L; PARKER, S; DOLESHAL, P; DODGE, C. A new approach to monitoring exercise testing. Journal Strength Cond. 2001, pg JONES, S; DRUST, B. Physiological and Technical Demands of 4 v 4 and 8 v 8 Games in elite youth soccer players. Kinesiology. Vol. 38, 2007, pg SAMPAIO, j; ABRANTES, C; LEITE, N. Power, Heart Rate and Perceived Exertion Responses to 3x3 and 4x4 Basketball Small-sided Games. Revista de Psicologia Del Desporte. Vol. 18, 2009, pg

Palavras-chave: Controle Autonômico; Recuperação; Treinamento Esportivo; Esportes Coletivos.

Palavras-chave: Controle Autonômico; Recuperação; Treinamento Esportivo; Esportes Coletivos. RESUMO O futsal é um esporte intermitente com muitas substituições e pausas durante a partida, o que possibilita a recuperação de variáveis fisiológicas durante esses momentos, proporcionando ao jogador,

Leia mais

Caracterização da demanda física de pequenos jogos no futebol: influência do estatuto posicional

Caracterização da demanda física de pequenos jogos no futebol: influência do estatuto posicional Artigo Original Caracterização da demanda física de pequenos jogos no futebol: influência do estatuto posicional Physical demand in soccer small-sided games: playing position influence PRAÇA, G M; SILVA,

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES TÉCNICAS EM SITUAÇÕES DE PEQUENOS JOGOS NO FUTEBOL COM SUPERIORIDADE NUMÉRICA

AVALIAÇÃO DAS AÇÕES TÉCNICAS EM SITUAÇÕES DE PEQUENOS JOGOS NO FUTEBOL COM SUPERIORIDADE NUMÉRICA 1052 AVALIAÇÃO DAS AÇÕES TÉCNICAS EM SITUAÇÕES DE PEQUENOS JOGOS NO FUTEBOL COM SUPERIORIDADE NUMÉRICA Raphael Brito e Sousa/ CECA Pedro Emilio Drumond Moreira/ CECA Gibson Moreira Praça/ CECA Pablo Juan

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Futebol; Pequenos Jogos; Comportamento Técnico

PALAVRAS-CHAVE: Futebol; Pequenos Jogos; Comportamento Técnico 1085 COMPARAÇÃO DAS AÇÕES TÉCNICAS AO LONGO DE REPETIDAS SÉRIES DE PEQUENOS JOGOS Victor Alberice de Oliveira Rodrigues/ CECA Pedro Emílio Drumond/ CECA Gibson Moreira Praça/ CECA Pablo Juan Greco/ CECA

Leia mais

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte

A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte A CIÊNCIA DOS PEQUENOS JOGOS Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte Prof. Antonio Carlos Fedato Filho Prof. Guilherme Augusto de Melo Rodrigues Monitorando e conhecendo melhor os trabalhos

Leia mais

Velocidade no Futebol - Capacidade é complexa e precisa ser analisada de forma global

Velocidade no Futebol - Capacidade é complexa e precisa ser analisada de forma global Velocidade no Futebol - Capacidade é complexa e precisa ser analisada de forma global Marcio Faria CORREA Quando falamos em velocidade, uma capacidade neuro-motora tão importante para a maioria dos esportes,

Leia mais

EXEMPLO: QUANTIFICAÇÃO DAS AÇÕES OFENSIVAS DO GOALBALL NOS JOGOS PARALÍMPICOS DE LONDRES

EXEMPLO: QUANTIFICAÇÃO DAS AÇÕES OFENSIVAS DO GOALBALL NOS JOGOS PARALÍMPICOS DE LONDRES EXEMPLO: QUANTIFICAÇÃO DAS AÇÕES OFENSIVAS DO GOALBALL NOS JOGOS PARALÍMPICOS DE LONDRES 2012 Thiago Magalhães / UNICAMP Otávio Luis Piva da Cunha Furtado / UNICAMP Márcio Pereira Morato / USP Diego Henrique

Leia mais

ANÁLISE DE UM CICLO DE TREINAMENTO (16 SEMANAS) DE ATLETAS DE FUTEBOL COM DESEMPENHO NA POSIÇÃO DE LATERAL E MEIO DE CAMPO

ANÁLISE DE UM CICLO DE TREINAMENTO (16 SEMANAS) DE ATLETAS DE FUTEBOL COM DESEMPENHO NA POSIÇÃO DE LATERAL E MEIO DE CAMPO Recebido em: 12/3/2010 Emitido parece em: 9/4/2010 Artigo original ANÁLISE DE UM CICLO DE TREINAMENTO (16 SEMANAS) DE ATLETAS DE FUTEBOL COM DESEMPENHO NA POSIÇÃO DE LATERAL E MEIO DE CAMPO Emerson Luiz

Leia mais

Estudo comparativo do comportamento táctico na variante 'GR3x3GR' utilizando

Estudo comparativo do comportamento táctico na variante 'GR3x3GR' utilizando Estudo comparativo do comportamento táctico na variante 'GR3x3GR' utilizando balizas de futsal e de futebol de sete Estudio comparativo del comportamiento táctico en la variante 'GR3x3GR' utilizando arcos

Leia mais

COMPORTAMENTO DA RECUPERAÇÃO DE ATLETAS PROFISSIONAIS DE VOLEIBOL EM SEMANAS COM JOGOS E SEM JOGOS

COMPORTAMENTO DA RECUPERAÇÃO DE ATLETAS PROFISSIONAIS DE VOLEIBOL EM SEMANAS COM JOGOS E SEM JOGOS Recebido em: 30/03/2014 Parecer emitido em: 22/04/2015 Artigo original LACERDA, R.P.; DUARTE, T.S.; COIMBRA, D.R.; TIMOTEO, T.F.; MARINS, J.C.B.; MIRANDA, R. BARA FILHO, M.G.; Comportamento da recuperação

Leia mais

A INFLUÊNCIA DO JOGO E DO MODELO DE JOGO NA PERFORMANCE DOS ATLETAS

A INFLUÊNCIA DO JOGO E DO MODELO DE JOGO NA PERFORMANCE DOS ATLETAS A INFLUÊNCIA DO JOGO E DO MODELO DE JOGO NA PERFORMANCE DOS ATLETAS A preparação física como norte do processo ou subordinada às variáveis da partida? Uma análise sob a ótica sistêmica. Por Cyro Bueno*

Leia mais

OS EFEITOS DO TREINAMENTO FORÇA SOBRE A POTÊNCIA E A VELOCIDADE EM ATLETAS DE FUTSAL DA CATEGORIA ADULTO MASCULINO.

OS EFEITOS DO TREINAMENTO FORÇA SOBRE A POTÊNCIA E A VELOCIDADE EM ATLETAS DE FUTSAL DA CATEGORIA ADULTO MASCULINO. OS EFEITOS DO TREINAMENTO FORÇA SOBRE A POTÊNCIA E A VELOCIDADE EM ATLETAS DE FUTSAL DA CATEGORIA ADULTO MASCULINO. THE EFFECTS OF STRENGTH TRAINING ON THE POWER AND THE SPEED IN ATHLETES OF FUTSAL OF

Leia mais

CRISTOVÃO PEDRO MAIA

CRISTOVÃO PEDRO MAIA CRISTOVÃO PEDRO MAIA COMPARAÇÃO A MOTIVAÇÃO PARA A PRÁTICA ESPORTIVA ETRE DUAS EQUIPES PROFISSIOAIS DE FUTSAL DA CATEGORIA ADULTO Artigo apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso em Especialização

Leia mais

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro

Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro Variação da frequência cardíaca, percepção subjectiva do esforço e acções técnicas em Jogos de Andebol 4x4 e 6x6 DISSERTAÇÃO DE MESTRADO EM CIÊNCIAS DO DESPORTO

Leia mais

VELOCIDADE NO BASQUETEBOL SPEED IN THE BASKETBALL

VELOCIDADE NO BASQUETEBOL SPEED IN THE BASKETBALL Revista Conexões v. 4, n. 2, 2006 47 VELOCIDADE NO BASQUETEBOL SPEED IN THE BASKETBALL Mndo. João Nunes Ms. Eduardo Fantato Dr. Paulo Cesar Montagner Faculdade de Educação Física/UNICAMP Resumo O treinamento

Leia mais

ANÁLISE DE JOGO E SUAS POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES NA EVOLUÇÃO DO FUTEBOL.

ANÁLISE DE JOGO E SUAS POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES NA EVOLUÇÃO DO FUTEBOL. 1 ANÁLISE DE JOGO E SUAS POSSÍVEIS CONTRIBUIÇÕES NA EVOLUÇÃO DO FUTEBOL. Bernardino Sogabe Priante Aluno concluinte do CEDF/UEPA bernardinosogabepriante@yahoo.com.br Carlos Dorneles Professor Mestre orientador

Leia mais

OS INDICADORES TÉCNICOS DO JOGO E A CLASSIFICAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O 16º CAMPEONATO NACIONAL DE BASQUETEBOL MASCULINO.

OS INDICADORES TÉCNICOS DO JOGO E A CLASSIFICAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O 16º CAMPEONATO NACIONAL DE BASQUETEBOL MASCULINO. OS INDICADORES TÉCNICOS DO JOGO E A CLASSIFICAÇÃO: UM ESTUDO SOBRE O 16º CAMPEONATO NACIONAL DE BASQUETEBOL MASCULINO. Resumo *João Paulo Ferreira Dantas **José Carlos de B. V. Filho Os objetivos deste

Leia mais

EFEITOS DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM-TREINAMENTO NO DESEMPENHO DE HABILIDADES TÉCNICAS DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA SUB-13

EFEITOS DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM-TREINAMENTO NO DESEMPENHO DE HABILIDADES TÉCNICAS DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA SUB-13 EFEITOS DO PROCESSO DE ENSINO-APRENDIZAGEM-TREINAMENTO NO DESEMPENHO DE HABILIDADES TÉCNICAS DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA SUB-13 Pablo Vecchi Moreira/ NUPEF UFV Mariana Calábria Lopes/ NUPEF UFV

Leia mais

Variação dos valores da distância percorrida e da velocidade de deslocamento em sessões de treino e em competições de futebolistas juniores

Variação dos valores da distância percorrida e da velocidade de deslocamento em sessões de treino e em competições de futebolistas juniores Variação dos valores da distância percorrida e da velocidade de deslocamento em sessões de treino e em competições de futebolistas juniores Pedro F. Caixinha 1 Jaime Sampaio 2 Pedro V. Mil-Homens 3 RESUMO

Leia mais

XADREZ NAS ESCOLAS COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA

XADREZ NAS ESCOLAS COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA XADREZ NAS ESCOLAS COMO FERRAMENTA PEDAGÓGICA LARA, Silvio Carlos Rezende de Discente do curso de Educação Física da Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva SANTOS, Mariól Siqueira Docente

Leia mais

MONITORAMENTO DA PERCEPÇÃO SUBJETIVA DO ESFORÇO EM JOVENS ATLETAS DURANTE A APLICAÇÃO DE UM PRO- GRAMA DE TREINAMENTO PERIODIZADO

MONITORAMENTO DA PERCEPÇÃO SUBJETIVA DO ESFORÇO EM JOVENS ATLETAS DURANTE A APLICAÇÃO DE UM PRO- GRAMA DE TREINAMENTO PERIODIZADO Recebido em: /11/2014 Parecer emitido em: 16/01/2015 Artigo original SANTA CRUZ, R.A.R.; CAMPOS, F.A.D.; GALIASSO, C.A.F.; ARRUDA, J.R.L.; ABDALA, O.S.; GOMES, Í.C.B.; PELLEGRINOTTI, Í.L.; Monitoramento

Leia mais

EFEITOS DE DIFERENTES INTERVALOS RECUPERATIVOS NO NÚMERO DE REPETIÇÕES NO EXERCICIO SUPINO RETO LIVRE Marcelo dos Santos Bitencourt

EFEITOS DE DIFERENTES INTERVALOS RECUPERATIVOS NO NÚMERO DE REPETIÇÕES NO EXERCICIO SUPINO RETO LIVRE Marcelo dos Santos Bitencourt EFEITOS DE DIFERENTES INTERVALOS RECUPERATIVOS NO NÚMERO DE REPETIÇÕES NO EXERCICIO SUPINO RETO LIVRE Marcelo dos Santos Bitencourt Resumo O objetivo deste estudo foi analisar a realização de dois treinamentos

Leia mais

O Volume Do Treinamento No Futsal

O Volume Do Treinamento No Futsal O Volume Do Treinamento No Futsal Quando se fala de volume de treino é importante primeiramente entender quais são as vias metabólicas predominantemente envolvidas no esporte a ser treinado, e, respeitar

Leia mais

ÍNDICE GERAL Capítulo 1 Introdução Capítulo 2 Revisão geral da literatura.. 24 Capítulo 3 Considerações instrumentais

ÍNDICE GERAL Capítulo 1 Introdução Capítulo 2 Revisão geral da literatura.. 24 Capítulo 3 Considerações instrumentais RESUMO O presente estudo pretende responder à questão de determinar os factores aptos a promover o desportivismo e as competências pró-sociais no desporto infanto-juvenil. Partindo da escolha e validação

Leia mais

PREPARAÇÃO FÍSICA ARBITRAGEM FPF Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte

PREPARAÇÃO FÍSICA ARBITRAGEM FPF Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte PREPARAÇÃO FÍSICA ARBITRAGEM FPF Fedato Esportes Consultoria em Ciências do Esporte Antonio Carlos Fedato Filho Guilherme Augusto de Melo Rodrigues O Futebol está em uma constante evolução. Quando falamos

Leia mais

ANÁLISE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA EM FUTEBOLISTAS SUB-15 AN ALYSIS OF HEART RATE IN U-15 SOCCER PLAYERS

ANÁLISE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA EM FUTEBOLISTAS SUB-15 AN ALYSIS OF HEART RATE IN U-15 SOCCER PLAYERS Recebido: 27/07/2013 Parecer emitido em: 18/08/2013 Artigo original ANÁLISE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA EM FUTEBOLISTAS SUB-15 Lai diston Sales Godinho 1, F abrício Sales Ubaldo Pereira 2, Adriano Araújo Lobo

Leia mais

PLANO DE TRABALHO FUTEBOL

PLANO DE TRABALHO FUTEBOL PLANO DE TRABALHO FUTEBOL Telefone: (44) 3220-5750 E-mail: centrosesportivos@maringa.pr.gov.br EQUIPE ORGANIZADORA SECRETARIO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER Francisco Favoto DIRETOR DE ESPORTES E LAZER

Leia mais

1 Regras dos Esportes de Verao da Special Olympics Basketball BASQUETEBOL

1 Regras dos Esportes de Verao da Special Olympics Basketball BASQUETEBOL 1 BASQUETEBOL As Regras Oficiais da Special Olympics devem governar todas as competições de Basquete da Special Olympics. Como um programa de esportes internacional, a Special Olympics criou estas regras

Leia mais

Tecnologia e interdisciplinaridade no ensinoaprendizagem da Matemática

Tecnologia e interdisciplinaridade no ensinoaprendizagem da Matemática Tecnologia e interdisciplinaridade no ensinoaprendizagem da Matemática Passini, G.K.;Gonçalves, N. B.;Geraldello, F.H.S. 1 Tecnologia e interdisciplinaridade no ensinoaprendizagem da Matemática Gabriel

Leia mais

ANÁLISE DA QUALIDADE TÉCNICA DO SAQUE EM ATLETAS DE VOLEIBOL SENTADO

ANÁLISE DA QUALIDADE TÉCNICA DO SAQUE EM ATLETAS DE VOLEIBOL SENTADO ANÁLISE DA QUALIDADE TÉCNICA DO SAQUE EM ATLETAS DE VOLEIBOL SENTADO RESUMO MEIRA, A. N. BATISTA, G. R. OLIVEIRA, L. S. CAPPELLAZZO, E. S. Esse estudo teve como objetivo analisar a qualidade técnica do

Leia mais

Basquetebol: novos procedimentos metodolegicos para a iniciacäo uma proposta de ensino '

Basquetebol: novos procedimentos metodolegicos para a iniciacäo uma proposta de ensino ' I Motrivivencia Ano X111, N 2 18, p. 103-107 Marco/2002 Basquetebol: novos procedimentos metodolegicos para a iniciacäo uma proposta de ensino ' Mario Roberto Guarizi Prof Dr Viktor Shigunov ( Ofientador)3

Leia mais

Colégio Adventista de Rio Preto Educação Física BASQUETEBOL. Basquetebol 8º ano. basquetebol

Colégio Adventista de Rio Preto Educação Física BASQUETEBOL. Basquetebol 8º ano. basquetebol Colégio Adventista de Rio Preto Educação Física BASQUETEBOL Basquetebol 8º ano Basquetebol Origem e Evolução: Estados Unidos - 1891 Prof. James Naismith Universidade Springfield - USA Ginástica - inverno

Leia mais

PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO

PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA BE066 FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO PRESCRIÇÃO DE EXERCÍCIO AERÓBIO PROF. SERGIO GREGORIO DA SILVA, PHD AMERICAN COLLEGE OF SPORTS MEDICINE (COLÉGIO

Leia mais

Acta Ortopédica Brasileira ISSN 1413-7852 versão impressa

Acta Ortopédica Brasileira ISSN 1413-7852 versão impressa Acta Ortopédica Brasileira ISSN 1413-7852 versão impressa ARTIGO ORIGINAL Ocorrência de entorse e lesões do joelho em jogadores de futebol da cidade de Manaus, Amazonas Eduardo Telles de Menezes Stewien

Leia mais

Análise comparativa da posse de bola do F.C Barcelona x São Paulo FC x SC Internacional e as ações ofensivas geradas.

Análise comparativa da posse de bola do F.C Barcelona x São Paulo FC x SC Internacional e as ações ofensivas geradas. Análise comparativa da posse de bola do F.C Barcelona x São Paulo FC x SC Internacional e as ações ofensivas geradas. Comparação entre as principais escolas do futebol mundial mostra que a diferenças estão

Leia mais

FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO

FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO FATORES RELACIONADOS COM O NÍVEL DE ANSIEDADE EM ATLETAS DE FUTEBOL FEMININO (FACTORS RELATED TO THE ANXIETY LEVEL IN FOOTBALL FEMALE ATHLETES) Marcos Vinicius Dias Munhóz 1 ; Claudia Teixeira-Arroyo 1,2

Leia mais

Brazilian Journal of Biomotricity ISSN: 1981-6324 marcomachado@brjb.com.br Universidade Iguaçu Brasil

Brazilian Journal of Biomotricity ISSN: 1981-6324 marcomachado@brjb.com.br Universidade Iguaçu Brasil Brazilian Journal of Biomotricity ISSN: 1981-6324 marcomachado@brjb.com.br Universidade Iguaçu Brasil Yukio Asano, Ricardo; Neto, João Bartholomeu; Bueno Godinho Ribeiro, Daniele; Soares Barbosa, Avelino;

Leia mais

EFEITO DE DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE AQUECIMENTO NO DESEMPENHO DOS TESTES DE 1RM NO SUPINO RETO. Lucas Henrique Foganholi 1 e Débora Alves Guariglia 1

EFEITO DE DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE AQUECIMENTO NO DESEMPENHO DOS TESTES DE 1RM NO SUPINO RETO. Lucas Henrique Foganholi 1 e Débora Alves Guariglia 1 Revista Hórus, volume 6, número 1 (Jan-Mar), 2012. 48 EFEITO DE DIFERENTES ESTRATÉGIAS DE AQUECIMENTO NO DESEMPENHO DOS TESTES DE 1RM NO SUPINO RETO Lucas Henrique Foganholi 1 e Débora Alves Guariglia

Leia mais

RAZÃO COMPETÊNC CIÊNCIA. 29-30.abril.2015. auditorio DO ISMAI PROGRAMA

RAZÃO COMPETÊNC CIÊNCIA. 29-30.abril.2015. auditorio DO ISMAI PROGRAMA CIÊNCIA IA COMPETÊNC RAZÃO 29-30.abril.2015 auditorio DO ISMAI PROGRAMA 29.04. PROGRAMA 9:00 CERIMÓNIA DE ABERTURA Dr. José Azevedo Presidente da Direção da Maiêutica Prof. Doutor Domingos Oliveira Silva

Leia mais

JOGADORES JUVENIS DE FUTEBOL SUBMETIDOS A TREINAMENTO GENERALISTAE DIFERENÇA NA POTÊNCIA AERÓBIA EM CONSEQUÊNCIA DE SEU POSICIONAMENTO TÁTICO EM CAMPO

JOGADORES JUVENIS DE FUTEBOL SUBMETIDOS A TREINAMENTO GENERALISTAE DIFERENÇA NA POTÊNCIA AERÓBIA EM CONSEQUÊNCIA DE SEU POSICIONAMENTO TÁTICO EM CAMPO JOGADORES JUVENIS DE FUTEBOL SUBMETIDOS A TREINAMENTO GENERALISTAE DIFERENÇA NA POTÊNCIA AERÓBIA EM CONSEQUÊNCIA DE SEU POSICIONAMENTO TÁTICO EM CAMPO Marcelo Ribeiro Ramos, Faculdade de Minas FAMINAS,

Leia mais

POTÊNCIA ANAERÓBIA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO: DIFERENÇAS ENTRE CATEGORIAS.

POTÊNCIA ANAERÓBIA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO: DIFERENÇAS ENTRE CATEGORIAS. POTÊNCIA ANAERÓBIA EM ATLETAS DE FUTEBOL DE CAMPO: DIFERENÇAS ENTRE CATEGORIAS. Leandro Mateus Pagoto Spigolon 1, João Paulo Borin 1, Gerson dos Santos Leite 1, Carlos Roberto Pereira Padovani 2, Carlos

Leia mais

INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO

INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO ROGER MARCHESE INFLUENCIA DA FLEXIBILIDADE NO SALTO VERTICAL EM ATLETAS DE VOLEIBOL MASCULINO Artigo apresentado como Trabalho de Conclusão de Curso em Especialização em Ciência do Treinamento Desportivo

Leia mais

ANÁLISE DA VARIABILIDADE NA MEDIÇÃO DE POSICIONAMENTO TÁTICO NO FUTEBOL RESUMO

ANÁLISE DA VARIABILIDADE NA MEDIÇÃO DE POSICIONAMENTO TÁTICO NO FUTEBOL RESUMO CDD. 20.ed. 796.334 ANÁLISE DA VARIABILIDADE NA MEDIÇÃO DE POSICIONAMENTO TÁTICO NO FUTEBOL Sergio Augusto CUNHA * Mônica Ribeiro BINOTTO* Ricardo Machado Leite de BARROS ** RESUMO O objetivo deste trabalho

Leia mais

COMPORTAMENTOS TÁTICOS NO JOGO DE FUTSAL: OS PRINCÍPIOS DO JOGO

COMPORTAMENTOS TÁTICOS NO JOGO DE FUTSAL: OS PRINCÍPIOS DO JOGO COMPORTAMENTOS TÁTICOS NO JOGO DE FUTSAL: OS PRINCÍPIOS DO JOGO LUÍS BRAVO 1 MARIA TERESA OLIVEIRA 2 1 Docente no Agrupamento de Escolas de Sátão Portugal. (e-mail: luisbrav@gmail.com) 2 Docente da Escola

Leia mais

Análise do Comportamento Tático de Jogadores de Futebol através da aplicação do Teste Gr3-3Gr, em dois períodos de jogo distintos

Análise do Comportamento Tático de Jogadores de Futebol através da aplicação do Teste Gr3-3Gr, em dois períodos de jogo distintos ISSN: 1983-7194 Análise do Comportamento Tático de Jogadores de Futebol através da aplicação do Teste Gr3-3Gr, em dois períodos de jogo distintos Analysis of Tactical Behaviour performed by Soccer players

Leia mais

Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir

Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir Basquetebol A transição defesa-ataque nos escalões de sub-14 e sub-16: como fazer e como construir Helder Silva Considerações gerais Índice Proposta de ensino do tema Transição Defesa Ataque O que é?,

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DOS COMPORTAMENTOS PRÉ- COMPETITIVOS EM JOVENS NADADORES *

CARACTERIZAÇÃO DOS COMPORTAMENTOS PRÉ- COMPETITIVOS EM JOVENS NADADORES * CARACTERIZAÇÃO DOS COMPORTAMENTOS PRÉ- COMPETITIVOS EM JOVENS NADADORES * José Jacinto Vasconcelos Raposo João Paulo Lázaro Luís Filipe da Silva Cerqueira chapas@net.sapo.pt RESUMO Pretendeu-se verificar

Leia mais

A MOTIVAÇÃO POR REFORÇO POSITIVO E O REFORÇO NEGATIVO NA PRÁTICA DO BASQUETEBOL

A MOTIVAÇÃO POR REFORÇO POSITIVO E O REFORÇO NEGATIVO NA PRÁTICA DO BASQUETEBOL CLEYTON PAULINO LUIZ A MOTIVAÇÃO POR REFORÇO POSITIVO E O REFORÇO NEGATIVO NA PRÁTICA DO BASQUETEBOL Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Curso de Bacharelado em Educação Física, do Instituto

Leia mais

William R. Falcão. 4020 Av. Henri-Julien, ap. 4, Montreal, Quebec, Canada H2W 2K2. falcao.william@gmail.com www.willfalcao.com

William R. Falcão. 4020 Av. Henri-Julien, ap. 4, Montreal, Quebec, Canada H2W 2K2. falcao.william@gmail.com www.willfalcao.com William R. Falcão 4020 Av. Henri-Julien, ap. 4, Montreal, Quebec, Canada H2W 2K2 falcao.william@gmail.com www.willfalcao.com INFORMAÇÕES PESSOAIS Nacionalidades: Brasileiro e Americano Visto: Permissão

Leia mais

Basquete 3x3 Tour Nacional Etapas Regionais/FINAL 2013

Basquete 3x3 Tour Nacional Etapas Regionais/FINAL 2013 Basquete 3x3 Tour Nacional Etapas Regionais/FINAL 2013 REGRAS As Regras do Jogo de Basquete Oficiais da FIBA são válidas para todas as situações de jogo não especificamente mencionadas nestas Regras do

Leia mais

Título: Influência do tempo de jogo nos comportamentos táticos de jogadores de futebol, no Teste GR3-3GR

Título: Influência do tempo de jogo nos comportamentos táticos de jogadores de futebol, no Teste GR3-3GR Seção: Artigos Título: Influência do tempo de jogo nos comportamentos táticos de jogadores de futebol, no Teste GR3-3GR Israel Teoldo da Costa 1,2, Júlio Garganta 3, Pablo Juan Greco 2, Ezequiel Muller

Leia mais

As diferentes funções que o modelo de jogo da equipe desencadeia ao goleiro uma comparação entre Brasil e Alemanha

As diferentes funções que o modelo de jogo da equipe desencadeia ao goleiro uma comparação entre Brasil e Alemanha As diferentes funções que o modelo de jogo da equipe desencadeia ao goleiro uma comparação entre Brasil e Alemanha As funções que o modelo de jogo da equipe desencadeia ao goleiro FERNANDO PAIVA CORRÊA

Leia mais

Dr. Guanis de Barros Vilela Junior

Dr. Guanis de Barros Vilela Junior Dr. Guanis de Barros Vilela Junior A relevância da teoria e da pesquisa em aprendizagem motora para o treinamento e desenvolvimento esportivo Porque um estudante que obterá um diploma superior de Educação

Leia mais

PADRÕES DE OBTENÇÃO DE GOLS EM PEQUENOS JOGOS NO FUTEBOL EM IGUALDADE NUMÉRICA

PADRÕES DE OBTENÇÃO DE GOLS EM PEQUENOS JOGOS NO FUTEBOL EM IGUALDADE NUMÉRICA 875 PADRÕES DE OBTENÇÃO DE GOLS EM PEQUENOS JOGOS NO FUTEBOL EM IGUALDADE NUMÉRICA Gibson Moreira Praça UFVJM Pablo Juan Greco UFMG gibson_moreira@yahoo.com.br RESUMO Este estudo analisou os padrões de

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA DATA DE NASCIMENTO SOBRE O DESEMPENHO TÁTICO DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA SUB-13

A INFLUÊNCIA DA DATA DE NASCIMENTO SOBRE O DESEMPENHO TÁTICO DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA SUB-13 A INFLUÊNCIA DA DATA DE NASCIMENTO SOBRE O DESEMPENHO TÁTICO DE JOGADORES DE FUTEBOL DA CATEGORIA SUB-13 Elton Ribeiro Resende / Núcleo de Pesquisa e Estudos em Futebol-UFV Israel Teoldo da Costa / Núcleo

Leia mais

17/02/2016. Mestrando Dagnou Pessoa de Moura - Dog. A partida é supervisionada por três árbitros

17/02/2016. Mestrando Dagnou Pessoa de Moura - Dog. A partida é supervisionada por três árbitros Mestrando Dagnou Pessoa de Moura - Dog Formado em Educação Física Unisalesiano Lins Especialista em Fisiologia do Exercício UFSCar Especialista em Biomecânica, Avaliação Física e Prescrição de Exercícios

Leia mais

ANALYSIS OF MUSCULAR INJURIES INDICES IN SOCCER ATHLETES OF INTERNATIONAL SPORT CLUB IN SANTA MARIA/NOVO HORIZONTE - RS 1

ANALYSIS OF MUSCULAR INJURIES INDICES IN SOCCER ATHLETES OF INTERNATIONAL SPORT CLUB IN SANTA MARIA/NOVO HORIZONTE - RS 1 Disciplinarum Scientia. Série: Ciências da Saúde, Santa Maria, v. 6, n. 1, 2005. 81 ANÁLISE DOS ÍNDICES DE LESÕES MUSCULARES EM ATLETAS DE FUTEBOL DO ESPORTE CLUBE INTERNACIONAL DE SANTA MARIA / NOVO 1

Leia mais

Fundamentos técnicos do futsal: um estudo em atletas infantojuvenis

Fundamentos técnicos do futsal: um estudo em atletas infantojuvenis Fundamentos técnicos do futsal: um estudo em atletas infantojuvenis 13 a 16 anos 1 Tiago Nunes Medeiros Faculdade Cenecista de Osório FACOS tiago.medeiros@ibest.com.br 2 3 Ricardo Pedrozo Saldanha Universidade

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA ESPECIFICIDADE NO TREINAMENTO DO FUTEBOL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA

TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA ESPECIFICIDADE NO TREINAMENTO DO FUTEBOL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO: A IMPORTÂNCIA DA ESPECIFICIDADE NO TREINAMENTO DO FUTEBOL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): RODRIGO

Leia mais

WWW.BA-CUP.COM 23 A 30 DE JULHO, 2016 // BUENOS AIRES

WWW.BA-CUP.COM 23 A 30 DE JULHO, 2016 // BUENOS AIRES 2016 WWW.BA-CUP.COM 23 A 30 DE JULHO, 2016 // BUENOS AIRES A BA Cup se tornou a copa de futebol amador mais internacional da América, se posicionando como uma das mais atrativas do mundo todo nesta categoria.

Leia mais

O FUTEBOL COMO ELEMENTO CONTEXTUALIZADOR NO ENSINO DE FÍSICA NO ENSINO MÉDIO

O FUTEBOL COMO ELEMENTO CONTEXTUALIZADOR NO ENSINO DE FÍSICA NO ENSINO MÉDIO O FUTEBOL COMO ELEMENTO CONTEXTUALIZADOR NO ENSINO DE FÍSICA NO ENSINO MÉDIO BILESKY, Luciano Rossi Faculdade de Ciências Sociais e Agrárias de Itapeva BILESKY, Paulo Rossi Centro Paula Souza - ETEC Demétrio

Leia mais

LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES

LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES LEGADO DAS OLIMPÍADAS DE LONDRES Londres apresentou a proposta de legado para o esporte para o Reino Unido na sua candidatura para sede olímpica de 2012. Dois grandes projetos para esporte participação

Leia mais

Dedico este trabalho às minhas filhas à minha esposa pelo apoio em todos os projetos. iii

Dedico este trabalho às minhas filhas à minha esposa pelo apoio em todos os projetos. iii Dedico este trabalho às minhas filhas à minha esposa pelo apoio em todos os projetos. iii Agradecimentos Um trabalho destes só é possível com a colaboração, participação e esforço conjugado de um elevado

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE A FLEXIBILIDADE E A FORÇA DE MEMBROS INFERIORES EM ATLETAS DE FUTSAL MASCULINO

RELAÇÃO ENTRE A FLEXIBILIDADE E A FORÇA DE MEMBROS INFERIORES EM ATLETAS DE FUTSAL MASCULINO RELAÇÃO ENTRE A FLEXIBILIDADE E A FORÇA DE MEMBROS INFERIORES EM ATLETAS DE FUTSAL MASCULINO (RELATIONSHIP BETWEEN FLEXIBILITY AND STRENGTH OF LOWER LIMB IN MALE ATHLETES OF FUTSAL) Fauler Fernandes Pereira

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE A EFICÁCIA DA SUPERIORIDADE NUMÉRICA TEMPORAL E O RESULTADO DA PARTIDA NO POLO AQUÁTICO

RELAÇÃO ENTRE A EFICÁCIA DA SUPERIORIDADE NUMÉRICA TEMPORAL E O RESULTADO DA PARTIDA NO POLO AQUÁTICO DOI: 10.4025/reveducfis.v26i4.26914 RELAÇÃO ENTRE A EFICÁCIA DA SUPERIORIDADE NUMÉRICA TEMPORAL E O RESULTADO DA PARTIDA NO POLO AQUÁTICO RELATIONSHIP BETWEEN MAN-UP PLAY PERFORMANCE AND MATCH OUTCOME

Leia mais

GINÁSTICA FUNCIONAL: IMPACTOS NA AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM DE IDOSOS DA UNIVERSIDADE ABERTA À MATURIDADE

GINÁSTICA FUNCIONAL: IMPACTOS NA AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM DE IDOSOS DA UNIVERSIDADE ABERTA À MATURIDADE GINÁSTICA FUNCIONAL: IMPACTOS NA AUTOESTIMA E AUTOIMAGEM DE IDOSOS DA UNIVERSIDADE ABERTA À MATURIDADE RESUMO Esterfania Silva Lucena; Manoel Freire de Oliveira Neto Universidade Estadual da Paraíba, Email:

Leia mais

salto em distância. Os resultados tiveram diferenças bem significativas.

salto em distância. Os resultados tiveram diferenças bem significativas. 1 Análise de comparação dos resultados dos alunos/atletas do Atletismo, categoria infanto, nos Jogos Escolares Brasiliense & Olimpíadas Escolares Brasileira. Autora: Betânia Pereira Feitosa Orientador:

Leia mais

Palavras-chave: Futebol; Performance; Posse de bola; Seleção espanhola.

Palavras-chave: Futebol; Performance; Posse de bola; Seleção espanhola. ANÁLISE DA POSSE DE BOLA DA SELEÇÃO ESPANHOLA NA COPA DO MUNDO DE FUTEBOL FIFA - ÁFRICA DO SUL/2010: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE AS FASES CLASSIFICATÓRIA E ELIMINATÓRIA. Andrade, M.O.C a ; Padilha, M. a.b

Leia mais

Fundamentos Teórico-Práticos do Aquecimento no Futsal

Fundamentos Teórico-Práticos do Aquecimento no Futsal futsalcoach.com la web para el técnico de fútbol sala C Copyright 2005, F U T S A L C O A C H, Spain Todos los derechos reservados Autor: Prof. João Carlos Romano Preparador Físico de la Selección Brasileña

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 2009

UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 2009 Recebido em: 1/3/211 Emitido parece em: 23/3/211 Artigo inédito UM ESTUDO SOBRE O MOMENTO DE INCIDÊNCIA DE GOLS E A COMPARAÇÃO ENTRE A EQUIPE MANDANTE E A VISITANTE NO CAMPEONATO PAULISTA DE 29 Leandro

Leia mais

TÍTULO: MAGNITUDES DE FORÇA PRODUZIDA POR SURFISTAS AMADORES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA

TÍTULO: MAGNITUDES DE FORÇA PRODUZIDA POR SURFISTAS AMADORES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA TÍTULO: MAGNITUDES DE FORÇA PRODUZIDA POR SURFISTAS AMADORES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE METROPOLITANA DE SANTOS AUTOR(ES):

Leia mais

Uma paixão pelo herói que está na sombra UM ESTADO DE VIDA! Hugo Oliveira

Uma paixão pelo herói que está na sombra UM ESTADO DE VIDA! Hugo Oliveira No guarda-redes encontramos tudo o que procuramos num desportista: reflexos e sincronização, força e velocidade, espectacularidade e movimentos perfeitos e competitividade e valentia. (John Hodgson) Uma

Leia mais

Perfil antropométrico e fisiológico de jogadores de rugby.

Perfil antropométrico e fisiológico de jogadores de rugby. 496 Perfil antropométrico e fisiológico de jogadores de rugby. X Salão de Iniciação Científica PUCRS Randhall Bruce Kreismann Carteri 1, Eraldo Pinheiro 2, Giovani Cunha 1, Katiuce Zapata 1, Jocelito Martins

Leia mais

8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES

8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 8º VALOR DAS MARCAS DOS CLUBES BRASILEIROS FINANÇAS DOS CLUBES 2015 Sumário Prefácio 5 FIFA Fédération Internationale de Football Association 6 CBF Confederação Brasileira de Futebol 9 Federações Estaduais

Leia mais

3x3 Regras do Jogo. quadra se alguma for utilizada podem ser adaptadas ao espaço disponível

3x3 Regras do Jogo. quadra se alguma for utilizada podem ser adaptadas ao espaço disponível 3x3 Regras do Jogo As Regras do Jogo de Basquete Oficiais da FIBA são válidas para todas as situações de jogo não especificamente mencionadas nestas Regras do Jogo 3x3. Art. 1 Quadra e Bola O jogo será

Leia mais

PROVAS INTERNAS. Provas Internas - Período: 04 de maio de 2013. Pontuação Geral das Provas Internas: PROVA TIPO 1º 2º

PROVAS INTERNAS. Provas Internas - Período: 04 de maio de 2013. Pontuação Geral das Provas Internas: PROVA TIPO 1º 2º 1ª Etapa PROVAS INTERNAS Provas Internas - Período: 04 de maio de 2013 Pontuação Geral das Provas Internas: PROVA TIPO 1º 2º 1. Desfile de Abertura Prévia 3000 2800 2. Grito de Guerra na Gincana Prévia

Leia mais

TÍTULO: EFEITO DE DOZE SEMANAS DE TREINAMENTO ESPECÍFICO NA AGILIDADE DE CRIANÇAS PRATICANTES DE FUTEBOL.

TÍTULO: EFEITO DE DOZE SEMANAS DE TREINAMENTO ESPECÍFICO NA AGILIDADE DE CRIANÇAS PRATICANTES DE FUTEBOL. TÍTULO: EFEITO DE DOZE SEMANAS DE TREINAMENTO ESPECÍFICO NA AGILIDADE DE CRIANÇAS PRATICANTES DE FUTEBOL. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: FACULDADES

Leia mais

AVALIAÇÃO: A Ed. Física VALOR: 7.5 (SETE E MEIO) + 2.5 (AHSE) DATA: 22/09 HORA: Série: 1º ano Professores Ministrantes: Kim Raone e Marcus Melo

AVALIAÇÃO: A Ed. Física VALOR: 7.5 (SETE E MEIO) + 2.5 (AHSE) DATA: 22/09 HORA: Série: 1º ano Professores Ministrantes: Kim Raone e Marcus Melo AVALIAÇÃO: A Ed. Física VALOR: 7.5 (SETE E MEIO) + 2.5 (AHSE) DATA: 22/09 HORA: Série: 1º ano Professores Ministrantes: Kim Raone e Marcus Melo Professor Presencial: Aluno: 1 1ª QUESTÃO (1,0) Há 30 anos,

Leia mais

Marcelo Vilhena Silva CURRICULUM VITAE

Marcelo Vilhena Silva CURRICULUM VITAE Marcelo Vilhena Silva CURRICULUM VITAE Curitiba 2014 1- DADOS PESSOAIS Nome: Marcelo Vilhena Silva Filiação: Fernando Antônio da Silva e Ivana Vilhena Silva Nascimento: 12/07/1975, Belo Horizonte/MG Brasil.

Leia mais

III TORNEIO DE BASQUETE 3 x 3 MASCULINO E FEMININO CEFER - USP RIBEIRÃO PRETO - 2015

III TORNEIO DE BASQUETE 3 x 3 MASCULINO E FEMININO CEFER - USP RIBEIRÃO PRETO - 2015 III TORNEIO DE BASQUETE 3 x 3 MASCULINO E FEMININO CEFER - USP RIBEIRÃO PRETO - 2015 I - OBJETIVOS: Incentivar a integração de todos como também valorizar e estimular a prática esportiva, como fator de

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Edital 21/2015 Campus Rio Pomba FOLHA DE PROVA

CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DE CARGO EFETIVO PROFESSOR DE ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Edital 21/2015 Campus Rio Pomba FOLHA DE PROVA Tema 01: METODOLOGIA DO ENSINO DOS ESPORTES INDIVIDUAIS E COLETIVOS O ensino de esportes coletivos na Educação Física escolar deve ser balizado em princípios pedagógicos importantes como a diversidade,

Leia mais

EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 16 - Nº 158 - Julio de 2011. http://www.efdeportes.com/

EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 16 - Nº 158 - Julio de 2011. http://www.efdeportes.com/ Motivos para a prática do handebol no município de Rebouças, PR 1 Motivos para la práctica del balonmano en el municipio de Rebouzas, PR Reasons for the practice of handball in the city of Rebouças, PR

Leia mais

Palavras chave: Metodologia do ensino, futebol, treinamento integrado.

Palavras chave: Metodologia do ensino, futebol, treinamento integrado. A PORMENORIZAÇÃO DO TREINAMENTO INTEGRADO NO FUTEBOL A PARTIR DE UMA INVESTIGAÇÃO FEITA EM ESCOLINHAS DE FUTEBOL NA REGIÃO DA COSTA DA MATA ATLÂNTICA BRASILEIRA Alexandre Apolo da Silveira Menezes Lopes

Leia mais

ESTUDO LONGITUDINAL SOBRE O ESTILO DE VIDA DE JOVENS DE PELOTAS/RS. NATAN FETER ¹; THAIS BURLANI NEVES²; FELIPE FOSSATI REICHERT²

ESTUDO LONGITUDINAL SOBRE O ESTILO DE VIDA DE JOVENS DE PELOTAS/RS. NATAN FETER ¹; THAIS BURLANI NEVES²; FELIPE FOSSATI REICHERT² ESTUDO LONGITUDINAL SOBRE O ESTILO DE VIDA DE JOVENS DE PELOTAS/RS. NATAN FETER ¹; THAIS BURLANI NEVES²; FELIPE FOSSATI REICHERT² ¹ GRADUAÇÃO EM LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO FÍSICA/UFPEL nfeter.esef@ufpel.edu.br

Leia mais

CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS

CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS CARACTERIZAÇÃO DA INCIDÊNCIA DE LESÕES ESPORTIVAS DURANTE OS 53º JOGOS REGIONAIS Beatriz de Vilas Boas de Oliveira 1, Keyleytonn Sthil Ribeiro 2 1 Faculdade de Pindamonhangaba, Curso de Fisioterapia, biavilasboas@yahoo.com.br

Leia mais

O EFEITO DA INTENSIFICAÇÃO DO TREINAMENTO NA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO DA SESSÃO E NAS FONTES E SINTOMAS DE ESTRESSE EM JOGADORES JOVENS DE BASQUETEBOL

O EFEITO DA INTENSIFICAÇÃO DO TREINAMENTO NA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO DA SESSÃO E NAS FONTES E SINTOMAS DE ESTRESSE EM JOGADORES JOVENS DE BASQUETEBOL DOI: 10.4025/reveducfis.v21i2.7623 O EFEITO DA INTENSIFICAÇÃO DO TREINAMENTO NA PERCEPÇÃO DE ESFORÇO DA SESSÃO E NAS FONTES E SINTOMAS DE ESTRESSE EM JOGADORES JOVENS DE BASQUETEBOL THE EFFECT OF INTENSIFIED

Leia mais

ANÁLISE BIOMECÂNICA DO SALTO SOBRE A MESA: RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE SALTO E SEUS PARÂMETROS CINEMÁTICOS

ANÁLISE BIOMECÂNICA DO SALTO SOBRE A MESA: RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE SALTO E SEUS PARÂMETROS CINEMÁTICOS ANÁLISE BIOMECÂNICA DO SALTO SOBRE A MESA: RELAÇÃO ENTRE O TIPO DE SALTO E SEUS PARÂMETROS CINEMÁTICOS Márcia Francine Bento 1, Marcelo Sato Yamauchi 1, Paulo Carrara 1,3, Cindy Santiago Tupiniquim 1 e

Leia mais

CARACTERÍSTICAS ESPECIFICAS E FATORES FISIOLÓGICOS DO TREINAMENTO DO VOLEIBOL DE ALTO N ~ L

CARACTERÍSTICAS ESPECIFICAS E FATORES FISIOLÓGICOS DO TREINAMENTO DO VOLEIBOL DE ALTO N ~ L CARACTERÍSTICAS ESPECIFICAS E FATORES FISIOLÓGICOS DO TREINAMENTO DO VOLEIBOL DE ALTO N ~ L JOSÉ ALBERTO PINT~* LEONARDO RAPOSO ROCHA GOMES. 1 ' SUMO uma anáiise das características espedficas do voleiboi,

Leia mais

FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013

FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013 FORMAÇÃO DE JOGADORES NO FUTEBOL BRASILEIRO PRECISAMOS MELHORAR O PROCESSO? OUTUBRO / 2013 Recentemente, escrevi uma crônica cujo texto apresentava algumas possíveis causas para que o processo de formação

Leia mais

ANÁLISE DOS NÍVEIS DE APTIDÃO FÍSICA DE MENINOS PRATICANTES DE FUTSAL NA CATEGORIA SUB 12 13 DA CIDADE DE GUARAPUAVA PR

ANÁLISE DOS NÍVEIS DE APTIDÃO FÍSICA DE MENINOS PRATICANTES DE FUTSAL NA CATEGORIA SUB 12 13 DA CIDADE DE GUARAPUAVA PR Os textos são de responsabilidade de seus autores. ANÁLISE DOS NÍVEIS DE APTIDÃO FÍSICA DE MENINOS PRATICANTES DE FUTSAL NA CATEGORIA SUB 12 13 DA CIDADE DE GUARAPUAVA PR RESUMO Daiane Grando 1 2 O propósito

Leia mais

Força e Resistência Muscular

Força e Resistência Muscular Força e Resistência Muscular Prof. Sergio Gregorio da Silva, PhD Objetivos do Treinamento com Pesos Aumento da massa muscular Força Potência Velocidade Resistência Muscular Localizada Equilibro Coordenação

Leia mais

PROJETO E REGULAMENTO GERAL

PROJETO E REGULAMENTO GERAL OLIMPÍADAS DO INSTITUTO EDUCACIONAL NOVOS TEMPOS PROJETO E REGULAMENTO GERAL Ensino Fundamental II e Médio OUTUBRO DE 2015 APRESENTAÇÃO: As Olimpíadas do Instituto Educacional Novos Tempos (OLIENT), visam

Leia mais

Artigo Original. 1- Faculdade de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Juiz

Artigo Original. 1- Faculdade de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Juiz Artigo Original O PAPEL DA PSICOLOGIA DO ESPORTE PARA ATLETAS E TREINADORES THE ROLE OF SPORT PSYCHOLOGY TO ATHLETES AND COACHES Danilo Reis Coimbra 1,2, Simone Salvador Gomes 1,3 Felipe Carvalho 4,Renato

Leia mais

Inclusão social de um paciente com déficit intelectual moderado por meio de repertório verbal

Inclusão social de um paciente com déficit intelectual moderado por meio de repertório verbal Seção Livre Inclusão social de um paciente com déficit intelectual moderado por meio de repertório verbal Desordens alimentares no desporto: situação atual e perspectivas futuras no estudo dos fatores

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Graduação em Educação Física e Desportos. Leonardo Rotondo Pinto

Universidade Federal de Juiz de Fora Graduação em Educação Física e Desportos. Leonardo Rotondo Pinto Universidade Federal de Juiz de Fora Graduação em Educação Física e Desportos Leonardo Rotondo Pinto FREQUÊNCIA CARDÍACA DO ÁRBITRO DE FUTEBOL DURANTE JOGOS DE EQUIPES AMADORAS Juiz de Fora 2010 Leonardo

Leia mais

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN 1984-4956 versão eletrônica

Revista Brasileira de Futsal e Futebol ISSN 1984-4956 versão eletrônica 37 O ÍNDICE DE APROVEITAMENTO DOS CONTRA-ATAQUES É SUPERIOR AOS DAS JOGADAS OFENSIVAS DE POSSE DE BOLA Fábio Figuerôa dos Santos 1 RESUMO Este estudo teve o objetivo de analisar o índice de aproveitamento

Leia mais

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 30 de maio de 2005. Prof. Milton Mayer Presidente

RESOLUÇÃO. Bragança Paulista, 30 de maio de 2005. Prof. Milton Mayer Presidente RESOLUÇÃO CONSEAcc-BP 9/2005 ALTERA AS EMENTAS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO, DO CÂMPUS DE BRAGANÇA PAULISTA. O Presidente do Conselho Acadêmico por Câmpus, do câmpus de Bragança

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE CURSO DE BACHARELADO EM EDUCAÇÃO FÍSICA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MONITORAMENTO DO TREINAMENTO DE ATLETAS DE TAEKWONDO POR MEIO

Leia mais

Avaliação da via aeróbia numa equipa de Futebol Júnior

Avaliação da via aeróbia numa equipa de Futebol Júnior UNIVERSIDADE DE COIMBRA FACULDADE DE CIÊNCIAS DO DESPORTO E EDUCAÇÃO FÍSICA MONITORIZAÇÃO E CONTROLO DO TREINO Avaliação da via aeróbia numa equipa de Futebol Júnior PEDRO MIGUEL MOREIRA DA SILVA Coimbra

Leia mais

FELIPE MONIZ CARVALHO MANIPULAÇÃO DE CONSTRANGIMENTOS DO JOGO: O EFEITO DOS CURINGAS SOBRE O COMPORTAMENTO TÁTICO DE JOGADORES DE FUTEBOL

FELIPE MONIZ CARVALHO MANIPULAÇÃO DE CONSTRANGIMENTOS DO JOGO: O EFEITO DOS CURINGAS SOBRE O COMPORTAMENTO TÁTICO DE JOGADORES DE FUTEBOL FELIPE MONIZ CARVALHO MANIPULAÇÃO DE CONSTRANGIMENTOS DO JOGO: O EFEITO DOS CURINGAS SOBRE O COMPORTAMENTO TÁTICO DE JOGADORES DE FUTEBOL Dissertação apresentada à Universidade Federal de Viçosa, como

Leia mais