DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/02/ Emissão inicial

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/02/2012 00 Emissão inicial"

Transcrição

1 DATA Nº REVISÃO HISTÓRICO DAS REVISÕES 01/02/ Emissão inicial Elaborado: Gestor do Processo Revisado: Representante da Direção Análise Crítica e Aprovação: Conselho Administrativo Data: 01/02/2012 Maria José Souza Ramos Data: 01/02/2012 Marcos Paulo Diniz Data: 01/02/2012 Clodoaldo Pittella Página 1 de 28

2 1. Objetivo Este manual tem por objetivo descrever o sistema de gestão da Netsolutions, definindo diretrizes, estabelecendo responsabilidades e referenciando os procedimentos documentados estabelecidos para o seu efetivo desempenho. O sistema de gestão está estruturado em conformidade com as Normas vigentes, sendo documentado, implementado, mantido e continuamente melhorado, visando aumentar a satisfação dos clientes, Colaboradores e demais partes interessadas. A abrangência e aplicação do sistema visa, garantir o atendimento aos requisitos regulamentares aplicáveis, a qualidade dos serviços, ao desempenho ambiental requerido e a integridade física das pessoas. 2. Política do SGA Buscar continuamente a satisfação dos clientes, respeitando o meio ambiente, estabelecer e atender aos requisitos do SGA (Sistema de Gestão Ambiental) melhorando continuamente sua eficácia e seu desempenho. Educar, capacitar e comprometer os Colaboradores com as questões de SGA; Estimular o registro e tratamento das questões de SGA; Atuar na proteção do meio ambiente, mediante identificação, controle e monitoramento de riscos, adequando os processos às melhores práticas e mantendo-se preparada para emergências. Divulgação: Marketing, quadro de avisos, jornal interno e treinamento de integração, manual do SMS, procedimento de integração, termos de recebimento e comprometimento. 3. Diretrizes Liderança e Responsabilidade Divulgação e promoção em todos os níveis à política de SMS; Exercício da liderança pelo exemplo, de modo a assegurar o máximo comprometimento dos Colaboradores com o desempenho em SMS; Definição clara das atribuições e responsabilidades relacionadas ao desempenho em SMS; Difusão de valores que promovam a qualidade de vida dos Colaboradores dentro e fora da empresa. Conformidade Legal Verificação permanente do atendimento à legislação e adoção, quando necessário, de medidas destinadas à pronta correção de eventuais não conformidades; Atendimento aos preceitos legais e regulamentares durante todo o ciclo de vida das instalações e operações da empresa, bem como verificação de seu cumprimento por parte de contratados e fornecedores; Manutenção de uma política de cordialidade e colaboração com os órgãos competentes. Avaliação e Gestão de Riscos Implementação de mecanismos que permitam de forma sistemática, identificar e avaliar a frequência e as consequências de eventos indesejáveis, visando a sua prevenção e/ou máxima redução de seus efeitos; Realização de avaliações de risco periódicas ou à medida que se identifiquem mudanças nos processos; Implementação de mecanismos para priorização dos riscos identificados, bem como a documentação, a comunicação e o acompanhamento das medidas adotadas para controlá-los. Página 2 de 28

3 Novos Projetos Adoção de praticas e tecnologias que assegurem aos novos projetos padrões de excelência ao longo de todo seu ciclo, desde sua concepção, projeto, construção, instalação e execução; Analise aprovação e documentação de eventuais mudanças nos projetos originais e verificação de suas implicações relacionadas à SMS; Incentivo à implantação de projetos que incorporem o conceito de sustentabilidade, a utilização de mecanismos de desenvolvimento limpo e a otimização do uso de insumos como água, energia e materiais. Operação, Instalação e Manutenção Adoção de práticas operacionais seguras, que preservem a saúde dos Colaboradores e reduzam ao máximo os riscos de acidentes; Implementação de mecanismos que permitam, com a máxima rapidez, a identificação, caracterização e correção dos casos de não conformidade com os procedimentos estabelecidos; Execução de programas específicos de inspeção, teste e manutenção associados a sistemas de segurança, integridade e proteção das instalações, de modo a assegurar sua confiabilidade. Gestão de Mudanças Implementação de mecanismos que permitam avaliar e controlar riscos inerentes à mudança, desde a fase de planejamento até sua efetiva incorporação ao processo; Garantia de que as mudanças atendam às exigências legais e aos procedimentos estabelecidos, bem como preservem a integridade dos Colaboradores, das instalações e a continuidade das operações; Identificação de novas necessidades eventualmente decorrentes das mudanças, como capacitação dos Colaboradores, intensificação de treinamentos e revisão de procedimentos e planos de contingência. Aquisição de Bens e Serviços Inclusão no processo de contratação de fornecedores e parceiros, de exigências especificas de SMS, bem como verificação de seu cumprimento durante todas as etapas das atividades a serem desenvolvidas; Implementação de medidas visando estimular a adoção, pelas empresas contratadas e parceiros, das melhores práticas em SMS. Capacitação, Educação e Conscientização Comprometimento explicito da gerência com a política de SMS, de modo a sensibilizar os Colaboradores para seu cumprimento; Implementação de programas que estimulem a adoção de comportamentos seguros, saudáveis e de respeito ao meio ambiente, dentro e fora da empresa; Avaliação periódica da capacitação dos Colaboradores com relação às exigências de SMS; Implementação de mecanismos que promovam a melhoria constante da capacitação dos Colaboradores. Gestão das Informações Implementação de mecanismos que garantam o registro, atualização, armazenamento e recuperação de informações relacionadas a SMS; Implementação de mecanismos que garantam a difusão de novas praticas e melhorias de desempenho em SMS; Implementação de mecanismos que considerem opiniões, sugestões e duvidas de colaboradores e terceiros, prestando quando necessário, os devidos esclarecimentos. Comunicação Manutenção de canais permanentes de comunicação com os Colaboradores de modo a mantêlos informados sobre os riscos decorrentes das atividades da empresa, bem como as medidas adotadas para sua redução; Garantia de que denuncias, reclamações e sugestões relacionadas a SMS sejam registradas, analisadas e esclarecidas; Página 3 de 28

4 Apresentação do relatório anual e em outros meios de comunicação de informações consolidadas sobre o desempenho em SMS. Contingência Garantia de que o plano de contingencia esteja avaliado, revisado e atualizado; Adequação do plano de contingência às variações de risco eventualmente identificadas; Implementação de mecanismos que assegurem a atualização, divulgação e pronto acesso ao plano de contingência por parte dos Colaboradores; Realização periódica de treinamentos e exercícios simulados coma participação de todos os envolvidos e posterior avaliação dos resultados. Análise de Acidentes e Incidentes Implementação de procedimentos que permitam a identificação, registro e análise das causas dos acidentes e a quantificação das perdas; Obrigatoriedade de comunicação imediata de acidentes e de pronta atuação sobre suas consequências; Incorporação às atividades da empresa das lições extraídas dos acidentes, visando à melhoria constante dos sistemas de prevenção; Acompanhamento das medidas corretivas e/ou preventivas adotadas, de modo a se certificar de sua eficácia. Processo de Melhoria Contínua Atualização periódica da política de SMS de modo a manter sua conformidade com o plano estratégico da empresa; Implementação de programa de avaliação da gestão de SMS, visando seu constante aperfeiçoamento; Implementação de planos de ação, com base nos resultados das avaliações, visando à prevenção e/ou correção de eventuais desvios. 4. Planejamento do Sistema de Gestão Ambiental 4.1. Planejamento O planejamento do sistema de gestão da Netsolutions é realizado de forma a satisfazer os objetivos da qualidade, sua eficiência e eficácia e melhoria contínua, considerando: Identificação dos processos necessários ao sistema de gestão e sua aplicação por toda a empresa; Determinação da sequência e interação desses processos; Determinação dos critérios e métodos necessários para assegurar que a operação e o controle desses processos sejam eficazes; Disponibilidade de recursos e informações necessárias para apoiar a operação e o monitoramento desses processos; Monitoramento, medição e análise dos processos; Implementação de ações necessárias para atingir os resultados planejados e a melhoria contínua desses processos. Em novos projetos ou modificações de atividades, processos e serviços são considerados os impactos e as providências necessárias, antes, durante e após implantação. As modificações são realizadas de forma planejada para assegurar a integridade do sistema de gestão Aspectos ambientais A Netsolutions é comprometida com a adoção de práticas gerenciais apropriadas para utilizar de forma eficiente os recursos, a energia e a redução da geração de resíduos. Página 4 de 28

5 São identificados, avaliados e atualizados, os aspectos ambientais e respectivos impactos ambientais das atividades, produtos e serviços, através da Planilha de Levantamento de Aspectos e Impactos Ambientais, por projeto, levando em consideração as atividades, produtos e serviços planejados. Os aspectos ambientais relacionados aos impactos significativos têm estabelecido sobre si, procedimentos de gestão e controle, o que pode incluir rotinas operacionais e monitoramentos. Aspectos ambientais e seus respectivos impactos ASPECTOS (Causa) IMPACTO (Efeito) Resíduos sólidos: Papel, papelão, plástico, sucatas Ocupação de aterro metálicas, fios de cobre e sobras de concreto Emissão de ruído Poluição sonora Divulgação: Planilha de Levantamento de Aspectos e Impactos Ambientais Programas de Gestão Ambiental Os Programas de Gestão Ambiental tem como objetivo sensibilizar todos os colaboradores da Empresa para questões ambientais estimulando-os a incorporar princípios e critérios sócioambientais em todas as suas atividades. Redução no Consumo de descartáveis Uso Racional do Recurso e Combate a Todas as Formas de Desperdício. Objetivo: Reduzir consumo de descartáveis diversos. Meta: Reduzir em 50% o consumo de descartáveis viáveis, no 1º ano. Indicador Econômico: Redução na aquisição de unidades de descartáveis. Indicador Ambiental: Menor demanda de recurso natural (matéria-prima extraída da natureza), menor volume de descarte. Indicador Social: Conscientização quanto à importância ambiental da redução no uso de descartáveis. Principais Ações: Distribuir e estimular o uso da caneca de porcelana. Avaliar utilização das canecas. Diagnosticar quais são e como reduzir o consumo de descartáveis. Racionalização aplicada em projetos de infraestrutura Uso Racional do Recurso e Combate a Todas as Formas de Desperdício. Objetivo: Padronizar elementos dos projetos visando economia de recursos e melhoria da manutenção. Meta: Em 80% do material especificado nos projetos novos. Indicador Econômico: Economia de recursos, redução do uso de materiais novos: madeira, ferro, agregados, etc. Indicador Ambiental: Menor demanda de recursos naturais (matéria-prima extraída da natureza). Indicador Social: Melhoria do processo de trabalho, desenvolvimento de cultura e conscientização. Principal Ação: Analise da engenharia nos projetos para padronização quando aplicável. Economia de papel de escritório Uso Racional do Recurso e Combate a Todas as Formas De Desperdício. Objetivo: Evitar o desperdício de papel nas rotinas administrativas. Meta: Redução em 20% o consumo de papel no 1 ano. Indicador Econômico: Redução na aquisição de papel. Indicador Ambiental: Diminuição no consumo de recursos naturais (árvores, água, energia). Indicador Social: Conscientização quanto a importância do seu papel na economia de recursos naturais. Principais Ações: Página 5 de 28

6 Revisão de procedimentos para economia de papel. Revisão de procedimentos administrativos passíveis de informatização. Orientação, treinamento e sensibilização para economia de papel. Coleta Seletiva e destinação (papéis, plásticos, vidros, metais, lâmpadas, pilhas e baterias) Gestão Ambiental de Resíduos Objetivo: Coletar e destinar adequadamente todo o material reciclável descartado na empresa (plástico, papel, vidro, metal, lâmpadas, pilhas e baterias). Meta: Coletar e destinar adequadamente 100% dos resíduos descartado na empresa. Indicador Ambiental: Quantidade de recicláveis encaminhados a cooperativa de catadores, diminuição de volume de resíduos encaminhados ao aterro sanitário. Indicador Social: Conscientização quanto à importância do descarte adequado para o meio ambiente, geração de renda para as famílias cooperadas. Principais Ações: Ampliar e estimular a coleta seletiva com distribuição de coletores específicos. Ampliar coleta de lâmpadas da manutenção, pilhas e baterias. Coleta e destinação de EPIs, EPCs e Uniformes Gestão Ambiental de Resíduos EPI = Equipamento de Proteção Individual. Exemplos: luvas de diversos tipos, botas, capacetes, etc. EPC = Equipamento de Proteção Coletivo. Exemplos: cones, placas, faixas, barreiras, extintores de incêndio, etc. Objetivo: Otimizar os usos de EPIs, EPCs e Uniformes através dos processos de higienização e conservação adequados, promover a disposição final mais adequada destes materiais. Meta: Implantar procedimentos de higienização no prazo de um ano, destinação final adequada de 100% dos EPIs, EPCs e Uniformes, no prazo de um ano. Indicador Econômico: Redução do volume de recursos financeiros investidos na compra de materiais novos. Indicador Ambiental: Redução do consumo de materiais novos, redução do descarte inadequado de materiais no meio ambiente. Indicador Social: Conscientização e incorporação dos princípios da economia dos recursos naturais, do reaproveitamento e da reciclagem. Principais Ações: Estabelecer regras de procedimentos para conservação adequada dos EPCs. Estabelecer regras de procedimentos para a disposição final adequada aos EPIs, EPCs e Uniformes. Melhoria da qualidade do ambiente de trabalho Capacitação e Ambiente de Trabalho Objetivo: Potencializar as ações de melhoria do ambiente de trabalho buscando elevação do bem estar físico, mental e social. Meta: Colaborar no plano de ação que abranja: segurança do trabalho, qualidade dos espaços físicos e estimule o sadio relacionamento social. Indicador Social: Número de acidentes de trabalho, satisfação do Colaborador com relação ao ambiente de trabalho. Principais Ações: Diagnóstico de clima organizacional. Intensificar educação e ações integradas de prevenção de acidentes de trabalho. Intensificar ações integradas que subsidie o planejamento do trabalho visando o atendimento das necessidades de higiene, segurança e conforto. Elaboração de planejamento integrado de melhoria dos espaços de trabalho e estratégias para transformação de postura profissional. Elaborar programa integrado de incentivo ao lazer, esporte e cultura. Página 6 de 28

7 Divulgação: Marketing, jornal interno e quadro de avisos Requisitos legais A Netsolutions considerando seus aspectos ambientais mantém sistemática para a identificação e acesso aos requisitos legais aplicáveis às suas atividades e serviços. A legislação ambiental relativa às atividades, produtos e serviços da Empresa, considerando a esfera federal, estadual e municipal, esta a disposição para acesso em todos os níveis no sistema corporativo. As leis e demais requisitos pertinentes à Empresa são levados em conta no processo de avaliação de significância dos aspectos ambientais das atividades e serviços do projeto, bem como a implementação de ações no controle operacional e no estabelecimento de objetivos e metas, com monitoramento através de consultoria e auditoria. Divulgação: Planilha contendo endereços eletrônicos para pesquisa das legislações Objetivo, Metas e Indicadores Objetivos Garantir, através da Política de SMS, a saúde e segurança dos Colaboradores e terceirizados bem como contribuir para a manutenção da qualidade ambiental da região em que atua o projeto. Atender à Política de SMS e aos requisitos legais aplicáveis. Metas Manter a Netsolutions atualizada em relação a todos os requisitos legais e padrões aplicáveis à atividade; Atender 100% dos procedimentos relacionados à Política de SMS, ou seja, meta segurança 100% praticada. Indicadores Número de não conformidades geradas pelo não atendimento á Política de SMS e aos requisitos legais aplicáveis; Percentual de colaboradores da Netsolutions efetivamente capacitados em procedimentos de SMS pertinentes. Divulgação: Marketing, quadro de avisos, manual de SMS do Trabalhador, jornal interno, termos de recebimento e comprometimento, procedimento não conformidade Responsabilidades e autoridades As necessidades referentes a recursos humanos, tecnológicos e financeiros e as qualificações específicas essenciais para a implementação, manutenção, melhoria contínua do Sistema de Gestão e as funções, responsabilidades e autoridades estão definidas e documentadas por meio da Matriz de Responsabilidades e de forma específica nos procedimentos do Sistema. Organograma contemplando funções/profissionais responsáveis pela gestão do SGA Página 7 de 28

8 Diretoria Diretor de OSM - Marcos Paulo Diniz Função: Diretor SGA Gerência Gerente de RH Maria José Souza Ramos Função: Gerente SGA Coordenador Coordenador de Seg. Trab.- Priscila Baroni Função: Coordenador de SGA Técnicos Técnicos de Segurança no Trabalho: Leiliane da Silva Sady D Assumpção Torres Neto Atribuições da Diretoria (Representante da Administração) Assegurar o estabelecimento, implementação e manutenção do sistema de gestão descrito neste manual, assegurar o cumprimento da política ambiental, definição dos objetivos e metas e análise crítica do sistema, buscando sempre a minimização dos impactos ambientais causados pela organização. Orientar tecnicamente o SGA através dos procedimentos de controle operacional e procedimentos de trabalho seguro aplicáveis. Atribuições da Gerencia Responsável pela implementação do SGA, estabelecer o Programa de Gestão Ambiental, acompanhamento dos objetivos e metas, responsável pela informação à Diretoria sobre o desempenho do sistema de gestão para sua análise crítica, como base para aprimoramento do mesmo e promover a conscientização sobre os requisitos do SGA. Atribuições do Coordenador Acompanhar, documentar e manter o Programa de Gestão Ambiental, propondo soluções, que promovam a sua integridade e a melhoria contínua das diferentes fases que o compõem; garantir o cumprimento das condicionantes das Licenças e Autorizações da Netsolutions, registrando e documentando as ações pertinentes. Acompanhar as práticas operacionais, de modo que tenham Página 8 de 28

9 por base os princípios e as diretrizes contidas na Política de SGA; aplicar o treinamento de Educação Ecológica. Atribuições de todos A ética e a responsabilidade ecológica é papel de cada pessoa que integra a Netsolutions. Ambas compõem as ações cotidianas requeridas por cada função e os direcionamentos, que tornam isso possível. Matriz de responsabilidades SGA REQUISITO DA GA GP GD CA CS CE LE TS AU CO Política SGA R R R R R R R R R R Identificação de Aspectos e Impactos R R R R R P P P R P Requisitos Legais e Outros R R P P R P P P R P Objetivos, Metas e Indicadores R R P P R P P P P P Programas de SGA R R P P R P P P R P Responsabilidades e Autoridades R P P P P P P P P Competência, Treinamento e Conscientização R R R R R P P P R P Comunicação R R R R R P P P R P Controle de Documentos R R P P R P P P R Controle Operacional R R R R R P P P R P Atendimento a Emergências R R R R R R R R R P Monitoramento e Medição R R P P R P P P R Não Conformidade, Ação Corretiva e Prev. R R P P R P P P R P Controle de Registros R R P P R P P P R Auditorias R R P P P P P P P R P Análise Critica R R P P P P P P P P Nível de Responsabilidade: R Responsável P - Participa _ - Autoridade Legenda: DA Diretor de SGA GA Gerente de SGA GP Gerente de Projeto GD Gerente de Departamento CA Coordenador de SGA CS Coordenador de Suprimentos CE Coordenador de Equipe LE Líder de Equipe TS Técnico de Segurança no Trabalho AU Auditor CO - Colaborador Divulgação: Descrição de funções e atribuições com ciência de recebimento, ata de reunião para nomeação do representante da diretoria, plano de investimento, organograma e matriz de responsabilidades Competência, Treinamento e Conscientização A Empresa assegura que seus Colaboradores cujas atividades tenham potencial de causar impactos ambientais possuam as competências necessárias. Estas competências consideram Página 9 de 28

10 aspectos de formação, treinamento ou experiência, e são identificadas e registradas conforme descrito a seguir: Educação (mínima e desejável) Cada ocupação tem o seu nível de escolaridade exigida e definida no Sistema Informatizado Manual de Funções e Atribuições, disponibilizado na rede corporativa. Treinamento (mínimo e desejável) A sistemática de treinamento está definida no procedimento PR-O-RH-02. Experiência (mínima e desejável) Nas ocupações em que é exigida experiência prévia na função, o tempo de experiência é definido como um dos critérios de seleção para recrutamento externo. A identificação de novas necessidades de treinamento é feita pelos Gerentes dos Departamentos, através do sistema corporativo (procedimento sistematizado), os quais são também responsáveis pela elaboração do Plano de Treinamento. Para assegurar a competência dos colaboradores com base na formação, treinamento, experiência e habilidades a Netsolutions utiliza o procedimento para Recrutamento e Seleção da Empresa. Para conscientização dos Colaboradores e parceiros, a Empresa conta com o Programa Interagir, espaço no qual são desenvolvidas ações que estimulam a conscientização e o aprendizado das questões ambientais, de segurança e saúde. Nota: Os simulados e treinamentos de preparação e atendimento de emergência são realizados e coordenados pela Coordenação da Segurança do Trabalho. Divulgação: Descrição de funções e atribuições com ciência de recebimento, Validação das habilidades e competências, instrução de trabalho programa de treinamento, procedimento para treinamentos, procedimento para recrutamento e seleção, procedimento para integração, DDSSMA, manual de SMS do Colaborador, manual de integração, manual sobre uso de EPI, termo de recebimento e comprometimento Comunicação A comunicação com as partes interessadas internas e externas pode ocorrer de forma pró-ativa ou reativa. A comunicação reativa, internamente, abrange a resposta a questionamentos dos Colaboradores, corpo gerencial, diretores e terceiros, e a comunicação pró-ativa refere-se às iniciativas sob a coordenação da Gerência SMS, com apoio da Coordenação SMS, para divulgação do desempenho ambiental e promoção de ações de conscientização. A Netsolutions mantém canais permanentes para a comunicação com as partes interessadas internas e externas relativa aos seus aspectos e impactos ambientais e ao Sistema de Gestão Ambiental, através de jornais internos, painéis de Atividades, intranet, reuniões e eventos específicos para comunicar as informações necessárias. Os Colaboradores possuem canais de comunicação tais como correio eletrônico, intranet, reuniões periódicas e relatórios específicos para comunicar suas preocupações, sugestões de melhoria e reportar os níveis de desempenho ambiental da organização e canal eletrônico INOVE para apresentação de idéias referente aspectos e impactos ambientais. As comunicações relativas a situações de emergência estão descritas no Plano de Ações Emergenciais. Divulgação: Registro do canal eletrônico INOVE, site (canal de comunicação externa), s mkt das ações, jornal. Página 10 de 28

11 4.9. Controle de documentos Estão estabelecidos e mantidos procedimentos para controle de documentos, para assegurar que todos os documentos relativos ao SGA possam ser localizados e periodicamente analisados, revisados quando necessário e aprovados, quanto à sua adequação, por pessoal autorizado. As versões atualizadas dos documentos pertinentes estão disponíveis no sistema corporativo, quando obsoletos são prontamente removidos do sistema para garantia contra o uso não intencional. Procedimentos específicos asseguram que toda documentação seja legível, datada, inclusive com datas de revisão, facilmente identificável quanto à aplicação, distribuição, aprovação e revisão, mantida de forma organizada e retida por períodos definidos de tempo; As responsabilidades pela elaboração, revisão, distribuição, manutenção e aprovação dos documentos estão definidas em procedimentos específicos. Divulgação: Procedimento de controle de documentos, manual do Ged Controle Operacional As atividades da Netsolutions, associadas a aspectos ambientais, são realizadas sob condições controladas, que incluem: Procedimentos documentados, com a definição de critérios operacionais específicos, quando necessário; Programas ambientais; Tecnologia ambiental (equipamentos); Monitoramento e desenvolvimento de fornecedores. A seguir são destacados os principais controles operacionais aplicados aos aspectos ambientais da Netsolutions. Manejo de resíduos sólidos e semi-sólidos A geração de resíduos é um aspecto ambiental controlado através de atividades de manejo, que incluem o gerenciamento, desde a geração, o manuseio, o armazenamento e a movimentação até o tratamento ou disposição final do resíduo. Considera ainda as etapas de quantificação, qualificação, classificação, redução na fonte, coleta e coleta seletiva, reciclagem, armazenamento, transporte, tratamento e destinação final. As atividades de armazenamento de movimentação, quantificação, qualificação, transporte, tratamento e disposição final do manejo dos resíduos são coordenados pela área de suprimentos. O procedimento para manejo de resíduos sólidos e semi-sólidos esta disponível no corporate. Divulgação: Procedimento de manejo de resíduos, planilha de monitoramento e medição de resíduos, programa de conservação auditiva Preparação e Atendimento a Emergências Considerando nosso segmento de atuação, não existe risco de ocorrências que poderiam caracterizar situações de emergências, no que se refere a aspectos e impactos ambientais. Divulgação: Procedimento de manejo de resíduos (incluir a finalidade de prevenir e mitigar). Página 11 de 28

12 4.12. Monitoramento e Medição O monitoramento e medição das principais características das operações e atividades que possam ter impacto ambiental, são estabelecidos, implementados e mantidos em procedimentos operacionais. Registros dos monitoramentos e medições são mantidos, através da planilha de monitoramento e medição de resíduos, permanecem retidos, para que seja efetuado o acompanhamento do desempenho ambiental. O monitoramento da conformidade legal é realizado pelo SGA, com base na identificação dos requisitos legais aplicáveis a seus aspectos e impactos ambientais. Indicadores Reativos: Total de Não Conformidades TNC O TNC tem como objetivo identificar e controlar o não atendimento á Política de SMS e aos requisitos legais aplicáveis. O TNC é calculado no final de cada mês, pela área de SMS, pelo total obtido dos Registros das Não Conformidades (RNC) emitidos através do Sistema Corporate, multiplicado por 100. A meta deste indicador é 0 (zero). A fórmula de cálculo é: (RNC 1 +RNC RNC n) *100 = XX% Indicadores Pró-ativos: Total de Colaboradores Capacitados TCC O TCC tem como objetivo identificar e controlar os colaboradores efetivamente capacitados nos procedimentos da área de SMS pertinentes. O TCC é calculado bimestralmente, pela área de SMS, pela Quantidade de Colaboradores Treinados (QCT) dividido pela Quantidade Total de Colaboradores (QTC) da Área de Serviços. A meta deste indicador é 1. A fórmula de cálculo é: QCT / QTC= XX unidade. Divulgação: Planilha de monitoramento e medição de resíduos, análise critica, programa de conservação auditiva Não conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva As não conformidades no SGA podem originar-se das seguintes ocorrências: Situações emergenciais; Incidentes; Auditorias: Comunicação de parte interessada interna ou externa. A metodologia para ações corretivas e preventivas no SGA inclui a investigação das causas da não conformidade, a definição de um plano de ação, com responsáveis e prazos, e a avaliação da implementação e da eficácia das ações tomadas. O procedimento de não conformidades, ações corretivas e preventivas no SGA é o PR-C-GQ-04 e PR-C-GQ-05. Divulgação: Sistema corporativo não conformidades com ocorrências de SGA (listar todas as fases da não conformidade), procedimento de não conformidade. Página 12 de 28

13 4.14. Registros São mantidos de forma clara e legível os registros de treinamento, monitoramento e medição, auditorias, Análises Críticas pela Alta Administração e outros pertinentes ao SGA. Tais registros são identificados, mantidos e retidos, por período definido de tempo, de modo que se possam rastrear atividades e serviços envolvidos. Os registros ambientais são arquivados e mantidos de forma organizada pelas áreas conforme definido em cada um dos procedimentos do sistema de Gestão Ambiental, estando protegidos contra perdas e avarias e prontamente disponíveis quando solicitados. Divulgação: Procedimento de controle de registros (lista de todos os registros) Auditoria Interna As auditorias do SGA são planejadas anualmente considerando-se: A importância ambiental da área auditada, com base na quantidade de aspectos ambientais específicos associados às suas atividades; O desempenho da área nas auditorias anteriores. As auditorias são conduzidas por profissionais devidamente qualificados, independentes à área auditada, de modo a assegurar imparcialidade e objetividade de julgamento. O procedimento de auditorias internas no SGA esta disponível no corporate. Divulgação: Procedimento de auditoria interna Análise Critica pela administração São conduzidas trimestralmente, as reuniões de análise pela administração, para avaliar a contínua implementação da Política de SMS, a adequação e eficácia do Sistema de Gestão Ambiental e acompanhar e promover novos ciclos de melhoria contínua e desempenho ambiental. Tais reuniões são conduzidas pelo Diretor de OSM, participando todas as gerencias, incluindo o Coordenador de Segurança do Trabalho. Outros representantes poderão ser convidados de acordo com a necessidade de apresentação ou de discussão de temas de relevância para que a análise crítica possa ser realizada. São dados de entrada para realização destas reuniões: Acompanhamento das não conformidades, das ações corretivas e preventivas registradas e Resultados de Auditorias Internas; Resultados das avaliações do atendimento aos requisitos legais e outros subscritos pela Netsolutions; Comunicação(ões) proveniente(s) de partes interessadas internas e/ou externas, incluindo reclamações; O desempenho ambiental da Netsolutions; Extensão na qual foram atendidos os objetivos e metas; Ações de acompanhamento das análises anteriores; Mudança de circunstâncias, incluindo desenvolvimentos em requisitos legais e outros relacionados aos aspectos ambientais; e recomendações para melhoria. Os resultados das análises críticas são registrados de modo conveniente, para assegurar que as ações necessárias para a melhoria do SGA sejam empreendidas. Página 13 de 28

14 Divulgação: Manual do sistema de gestão, plano diretor de SMS, procedimento para analise critica do sistema de gestão. 5. Planejamento do Sistema de Gestão de Saúde e Segurança Ocupacional (SSO) 5.1. Política SSO Buscar continuamente a satisfação dos clientes, estabelecer e atender aos requisitos de SSO (Saúde e Segurança Ocupacional) melhorando continuamente sua eficácia e seu desempenho. Educar, capacitar e comprometer os Colaboradores com as questões de SSO; Estimular o registro e tratamento das questões de SSO; Atuar na promoção da saúde e na proteção das pessoas, mediante identificação, controle e monitoramento de riscos, adequando a segurança de processos às melhores práticas e mantendo-se preparada para emergências. Divulgação: Marketing, quadro de avisos, jornal interno e treinamento de integração Identificação de Perigos e Avaliação e Controle de Riscos Cada gerente deve assegurar que: Seja realizada a identificação e avaliação dos perigos/fatores de risco à saúde e segurança e possíveis danos relacionados às instalações e a cada atividade realizada nas instalações e no serviço de campo, através mapeamento em documento específico (APR - Análise preliminar de riscos) sendo o mesmo utilizado para comunicação ao colaborador. Para os riscos significativos e sérios são implementados os controles necessários para eliminar, substituir, controlar, através de medidas de engenharia e de sinalização/alertas/controles administrativos, em último caso, para adotar o uso de equipamentos de proteção individual. Todas as atividades com riscos significativos ou sérios são realizadas por pessoas treinadas, o PPRA (programa de prevenção a riscos ambientais) trata do mapeamento de todos os riscos inerentes à função de cada colaborador e também em relação ao local onde as atividades são desempenhadas por cada um. Trata-se de uma metodologia sistemática onde a mesma é utilizada para toda a organização e em cada um dos projetos e obras em que nossos colaboradores são alocados. Página 14 de 28

15 Divulgação: Procedimento para Identificação e analise preliminar de riscos, APR - Análise preliminar de riscos, treinamento sobre analise preliminar de riscos, PPRA Requisitos legais e outros requisitos O gerente é o responsável por assegurar o atendimento a todos os requisitos legais e outros subscritos pela Netsolutions em sua área de atuação, o acesso à legislação para entendimento e possíveis atualizações é garantido através de consultas periódicas aos órgãos pertinentes (MTE, proteção online, cipanet e outros). As normas regulamentadoras aplicáveis às atividades da Netsolutions são: NR-06: para cada colaborador a ser alocado em atividades e / ou ambientes que demandem esse tipo de proteção, são fornecidos EPIs. Isso é evidenciado através de requisições no sistema e de comprovações de recebimento assinados pelos colaboradores. NR-23: existem colaboradores treinados e que fazem parte de um grupo de brigada de combate e abandono. A evidência é o certificado de brigada assinado por engenheiro de segurança do trabalho. NR-35: São fornecidos itens de proteção específicos para trabalhos em altura (cintos de segurança e outros), além de equipamentos adequados para execução das atividades inerentes (andaimes, lifts, etc.). NR-10: os equipamentos de proteção aplicáveis são fornecidos e são ministrados os treinamentos adequados para atuação nesse tipo de serviço. NR-01: a OS (ordem de serviço de segurança) é utilizada para dar ciência aos colaboradores dos riscos inerentes às suas atividades. NR-18: é ministrado treinamento admissional com carga horária de 6 horas. Outros requisitos a serem atendidos são: Legislação do Ministério do Trabalho e Emprego indicada no endereço Legislação previdenciária; Outros requisitos indicados como orientações. Divulgação: PPRA, PCMSO, PCMAT, LTCAT, Laudo ergonômico, documentos da CIPA, requisições de EPI, Comprovante de recebimento de EPIs, Certificado de brigada, Ordem de Página 15 de 28

16 Serviço, Alvara de funcionamento, Planilha contendo endereços eletrônicos para pesquisa das legislações Objetivos, metas e indicadores Objetivos Melhorar o desempenho de saúde, segurança ocupacional e bem-estar dos Colaboradores próprios, contratados e de empresas contratadas. Metas Manter a Netsolutions atualizada em relação a todos os requisitos legais e padrões aplicáveis à atividade; Atender 100% dos procedimentos relacionados à Política de SMS. Indicadores Número de não conformidades geradas pelo não atendimento á Política de SMS e aos requisitos legais nacionais e internacionais aplicáveis; Percentual de colaboradores da Netsolutions efetivamente capacitados em procedimentos de SMS pertinentes. Divulgação: Marketing, quadro de avisos, manual de SMS do Trabalhador, jornal interno, comprovante do recebimento do manual, procedimento não conformidade Programa de Gestão de SSO Manual de SMS do Colaborador Visa o envolvimento de todos os Colaboradores, a prevenção de acidentes na empresa tanto para o público interno como empresas contratadas. A Meta Segurança 100% Praticada propõe a não aceitação de que ocorram quaisquer acidentes na empresa e a busca de soluções que evitem a sua ocorrência. PPRA Programa de Prevenção de Riscos Ambientais Programa elaborado de acordo com a Norma Regulamentadora NR-09 do Ministério do Trabalho e visa preservar a integridade e a saúde dos trabalhadores através da identificação de grupos homogêneos de exposição e os agentes de riscos (físicos, químicos e/ou biológicos) que os trabalhadores estão expostos em suas atividades, considerando a natureza, concentração ou intensidade e as ações que precisam de prevenção da exposição ocupacional. PCMSO Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional O Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional do (PCMSO) de acordo com a Norma Regulamentadora NR-07 do Ministério do Trabalho, visa promover e preservar a saúde de todos os trabalhadores através de medidas de prevenção, rastreamento e diagnóstico precoce de problemas de saúde relacionados ao trabalho. Sendo parte de um amplo conjunto de iniciativas de trabalho de campo da empresa, o PCMSO, articula-se com a Norma Regulamentar NR-09 do Ministério do Trabalho, considerando as questões aplicadas ao indivíduo e à comunidade nas suas relações com o trabalho. PPR Programa de Proteção Respiratória Programa elaborado de acordo com a Norma Regulamentadora NR-06 do Ministério do Trabalho e visa dar orientações sobre como selecionar o método apropriado para uso e cuidados com o equipamento de proteção respiratória com recomendações cujo objetivo é fornecer proteção contra Página 16 de 28

17 a inalação de poluentes atmosféricos nocivos no processo de produção e contra a deficiência de oxigênio no ambiente de trabalho confinado. Ergonomia - Lauto Técnico Ergonomia é o conjunto de conhecimentos científicos relativos ao homem e necessários à concepção de ferramentas, máquinas e dispositivos que podem ser utilizados com o máximo de conforto e segurança para o trabalhador sentir-se bem e como o resultado do bem-estar, é revertida na eficiência do sistema de produção. De acordo com a Norma Regulamentadora Nº 17 do Ministério do Trabalho, o Relatório Técnico de Ergonomia tem por objetivo coletar dados para análise ergonômica do trabalho em ambientes empresariais, visando a integridade física e a saúde dos trabalhadores, analisando os agentes ergonômicos peculiares às atividades. As avaliações são realizadas para o estudo das condições ambientais, do ponto de vista das possíveis consequências para a saúde e a integridade física de seus empregados dos Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORTs), de acordo com o que determina a legislação brasileira. Ruídos Avaliações ambientais Segundo a Resolução CONAMA Nº 001, ruídos resultantes de quaisquer atividades industriais, comerciais, sociais ou recreativas, inclusive de propaganda obedecerá, no interesse da saúde e da paz pública, as normas, critérios e diretrizes estabelecidos nesta Resolução. São prejudiciais para a saúde e a paz pública, para fins de conforto acústico da comunidade envolvente, níveis superiores aos considerados aceitáveis pela NBR avaliação do ruído em áreas habitadas, visando o conforto da comunidade da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Assim, os procedimentos e métodos aplicáveis para a realização de avaliações de ruído ambiental devem atender para estabelecer o padrão brasileiro. PPP - Perfil Profissiográfico Previdenciário O Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) é um formulário com campos a serem preenchidos com todas as informações relativas ao empregado, como por exemplo, a atividade que exerce, o agente nocivo ao qual está exposto, a intensidade e a concentração do agente, exames médicos clínicos, além de dados referentes à empresa. Deve ser preenchido para as atividades que exponham seus empregados a agentes nocivos químicos, físicos, biológicos ou associação de agentes prejudiciais à saúde ou à integridade física (origem da concessão de aposentadoria especial após 15, 20 ou 25 anos de contribuição). Divulgação: Manual do SMS do Colaborador, PPRA, PCMSO, PPR, Ergonomia, LTCAT, 5.6. Estrutura e Responsabilidades As necessidades referentes a recursos humanos, tecnológicos e financeiros e as qualificações específicas essenciais para a implementação, manutenção, melhoria contínua do Sistema de Gestão e as funções, responsabilidades e autoridades estão definidas e documentadas por meio da Matriz de Responsabilidades e de forma específica nos procedimentos do Sistema. Organograma contemplando funções/profissionais responsáveis pela gestão da SSO Página 17 de 28

18 Diretoria Diretor de OSM - Marcos Paulo Diniz Função: Diretor SSO Gerência Gerente de RH Maria José Souza Ramos Função: Gerente SSO Coordenador Coordenador de Seg. Trab.- Priscila Baroni Função: Coordenador de SS0 Médico Coordenador PCMSO Técnicos Técnicos de Segurança no Trabalho: Leiliane da Silva Sady D Assumpção Torres Neto Representantes designados Atribuições da Diretoria (Representante da Administração) Elaborar e manter atualizadas as diretrizes e monitorar a implementação de diretrizes específicas, definir os objetivos e metas de saúde, segurança ocupacional e bem-estar, aprovar os planos de ação para atingir as metas estabelecidas, assegurar provimento dos recursos essenciais para estabelecer, implementar, manter o sistema de gestão de SSO e melhorar os seus resultados e conduzir análise crítica dos resultados de SSO. Atribuições da Gerencia Gerenciar o SESMT, assegurar o cumprimento dos requisitos legais relativos à SSO, definir funções, alocando responsabilidades e prestações de contas, a fim de facilitar a gestão eficaz da saúde, segurança ocupacional e bem-estar conforme definido neste Manual. Prestar contas do desempenho de saúde, segurança ocupacional e bem-estar a Diretoria, divulgar e explicar a Política Página 18 de 28

19 de SSO para que seja entendida e praticada por todo Colaborador, assegurar o estabelecimento de processos de comunicação interna apropriados, que incluam a comunicação dos resultados de SSO. O gerente de cada projeto é o responsável final pela saúde, segurança ocupacional e bem-estar de todos os Colaboradores que trabalham ou prestam serviços no projeto de sua responsabilidade, sendo que esta responsabilidade é indelegável. Atribuições do Coordenador Pesquisar, indicar e acompanhar os testes de equipamentos e materiais de segurança, métodos e técnicas de trabalho, coordenar e elaborar as estatísticas de acidentes de trabalho, comunicar ao Colaborador a importância de atender aos requisitos legais e outros requisitos pertinentes a saúde, segurança ocupacional e bem-estar. Atribuições de todos Demonstrar continuamente o seu comprometimento com a saúde, segurança ocupacional e bem estar é papel de cada pessoa que integra a Netsolutions. Matriz de responsabilidades REQUISITO DS GS GP GD CO CS CE LE TS MT AU CO Política SSO R R R R R R R R R R R Identificação de Perigos e Controle Riscos R R R R R P P P R R P Requisitos Legais e Outros R R P P R P P P R R P Objetivos, Metas e Indicadores R R P P R P P P R P P Programas de SSO R R P P R P P P R R P Estruturas e Responsabilidades R P P P P P P P P P Competência, Treinamento e Conscientização R R R R R P P P R P P Comunicação, participação e consulta R R R R R P P P R R P Controle de Documentos R R P P R P P P R P Controle Operacional R R R R R P P P R R P Prep. Atendimento a Emergências R R R R R R R R R R P Monitoramento e Medição R R P P R P P P R R Não Conformidade, Ação Corretiva e Prev. R R P P R P P P R R P Acidentes e Incidentes R R P P R P P P R R P Controle de Registros R R P P R P P P R P P Auditorias R R P P P P P P P P R P Análise Critica R R P P P P P P P R P Nível de Responsabilidade: R Responsável P - Participa _ - Autoridade Legenda: DS Diretor de SSO GS Gerente de SSO GP Gerente de Projeto GD Gerente de Departamento CO Coordenador de SSO CS Coordenador de Suprimentos CE Coordenador de Equipe LE Líder de Equipe TS Técnico de Segurança no Trabalho MT Médico do Trabalho AU Auditor Página 19 de 28

20 CO - Colaborador Divulgação: Descrição de funções e atribuições com ciência de recebimento, ata de reunião para nomeação do representante da diretoria, plano de investimento, organograma e matriz de responsabilidades Competência, treinamento e conscientização O gerente deve definir dentre os treinamentos indicados como recomendáveis, aqueles que devem ser realizados pelos Colaboradores sob sua responsabilidade: Colaboradores de área administrativa: Curso de CIPA (Para os membros de CIPA eleitos e indicados pela Empresa); Curso de Brigadista (Para os membros, onde aplicável); Treinamentos nas Instruções de SSO (onde for aplicável). Colaboradores de área operacional: Curso de CIPA (Para os membros de CIPA eleitos e indicados pela Empresa); Curso de Primeiros Socorros (Para os membros, onde aplicável); Curso de Brigadista (Para os membros, onde aplicável); Treinamentos nas Instruções de SSO aplicáveis à área; Aplicação da Ordem de Serviço de Segurança, conforme NR1; NR-10 (de acordo com a atividade realizada e abrangência da autorização); NR-33 (Para os empregados que executam atividades nestes ambientes); NR-35 (Para os empregados que executam atividades nestes ambientes). Deve também assegurar que sejam mantidos registros que evidenciam os treinamentos acima. Os cursos de qualificação e capacitação para o desempenho das atividades na Empresa são definidos conforme critérios estabelecidos no PR-O-RH-02, disponível na rede corporativa. O gerente deve ainda assegurar o cumprimento dos critérios estabelecidos no documento Instrução Formal de Segurança a Colaboradores. O gerente deve assegurar que Colaborador esteja consciente: Das consequências reais ou potenciais de suas atividades de trabalho e de seu comportamento para a SSO; Dos benefícios resultantes da melhoria do seu desempenho pessoal para sua SSO e de colegas de trabalho; De suas funções e responsabilidades em relação à SSO; Da importância em atingir a conformidade com a Política de SSO; Da importância em cumprir os procedimentos de SSO disponibilizados no corporate; Da importância em cumprir os procedimentos de preparação e atendimento a emergências; Da importância de realizar Análise de Risco antes da execução das atividades; Das potenciais consequências da inobservância de procedimentos especificados. Divulgação: Descrição de funções e atribuições com ciência de recebimento, Validação das habilidades e competências, instrução de trabalho programa de treinamento, procedimento para treinamentos, procedimento para recrutamento e seleção, procedimento para integração, DDSSMA, manual de SMS do Colaborador, manual de integração, manual sobre uso de EPI, termo de recebimento e comprometimento Comunicação, participação e consulta A comunicação com as partes interessadas internas e externas pode ocorrer de forma pró-ativa ou reativa. A comunicação reativa, internamente, abrange a resposta a questionamentos dos Página 20 de 28

21 Colaboradores, corpo gerencial, diretores e terceiros, e a comunicação pró-ativa refere-se às iniciativas sob a coordenação da Gerência SMS, com apoio da Coordenação SMS, para divulgação do desempenho de SSO e promoção de ações de conscientização. Os Colaboradores possuem canais de comunicação tais como correio eletrônico, intranet, quadro de avisos, reuniões periódicas e relatórios específicos para comunicar suas preocupações e sugestões de melhoria e canal eletrônico INOVE para apresentação de ideias ou comunicar perigos e riscos ou outros assuntos relativos a SSO. As comunicações relativas a situações de emergência, estão descritas no Plano de Ações Emergenciais. Divulgação: Registro do canal eletrônico INOVE, site (canal de comunicação externa), s mkt das ações, jornal, Instrução de trabalho Comunicação, Participação e Consulta de Assuntos Relativos a Gestão de SMS, plano de ações emergenciais Documentação de SSO A documentação de SSO da Netsolutions está estruturada conforme indicado na figura a seguir: Este Manual define as diretrizes e requisitos a serem seguidos, sendo um complemento das demais Normas de Organização. Essa estrutura documental é complementada pelos seguintes documentos de hierarquia superior: Legislação federal, estadual e municipal referente a SSO; Acordos assinados pela Netsolutions. A documentação de SSO esta disponível para consulta no sistema corporativo através da Intranet, para descrever os principais elementos do sistema de gestão e as interações ente eles e fornecer orientação sobe a documentação relacionada. Divulgação: Manual do GED, manual do sistema de gestão Controle de documentos e de dados Estão estabelecidos e mantidos procedimentos para controle de documentos, para assegurar que todos os documentos relativos ao SSO possam ser localizados e periodicamente analisados, revisados quando necessário e aprovados, quanto à sua adequação, por pessoal autorizado. As versões atualizadas dos documentos pertinentes estão disponíveis no sistema corporativo, quando obsoletos são prontamente removidos do sistema para garantia contra o uso não intencional; Página 21 de 28

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) Sustentabilidade POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (SMS) A CONCERT Technologies S.A. prioriza a segurança de seus Colaboradores, Fornecedores,

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR

AVALIAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DO FORNECEDOR Prezado Fornecedor, A Innova S/A, empresa certificada nas normas ISO 9001:2000, ISO 14001:1996, OHSAS 18001, avalia seus fornecedores no atendimento de requisitos relativos a Qualidade, Meio Ambiente,

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA

ESTUDO COMPARATIVO NBR ISO 13485:2004 RDC 59:2000 PORTARIA 686:1998 ITENS DE VERIFICAÇÃO PARA AUDITORIA ESTUDOCOMPARATIVO NBRISO13485:2004 RDC59:2000 PORTARIA686:1998 ITENSDEVERIFICAÇÃOPARAAUDITORIA 1. OBJETIVO 1.2. 1. Há algum requisito da Clausula 7 da NBR ISO 13485:2004 que foi excluída do escopo de aplicação

Leia mais

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO)

NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) NR 35 - GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO (PROPOSTA DE TEXTO) Objeto, princípios e campo de aplicação 35.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece princípios e requisitos para gestão da segurança

Leia mais

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO

AUDITORIA DE DIAGNÓSTICO 1.1 POLíTICA AMBIENTAL 1.1 - Política Ambiental - Como está estabelecida e documentada a política e os objetivos e metas ambientais dentro da organização? - A política é apropriada à natureza e impactos

Leia mais

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.

TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008. Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov. TREINAMENTO ITAIM INTERPRETAÇÃO DA NORMA NBR ABNT ISO 9001:2008 Maria das Graças Ferreira mgferreira@prefeitura.sp.gov.br 11 3104-0988 Este treinamento tem por objetivo capacitar os participantes para

Leia mais

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão:

CHECK LIST DE AVALIAÇÃO DE FORNECEDORES Divisão: 4.2.2 Manual da Qualidade Está estabelecido um Manual da Qualidade que inclui o escopo do SGQ, justificativas para exclusões, os procedimentos documentados e a descrição da interação entre os processos

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC

Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Correlação entre os requisitos do Sistema de Gestão do Programa Atuação Responsável e o Responsible Care Management System Requirements - ACC Sistema de Gestão do AR 2012 - ABIQUIM Responsible Care Management

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001. Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Curso: Ciências Biológicas - UFAM SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL: ISO 14001 Material Didático: IBB 254 Gestão Ambiental / 2015 Conceitos Gerais A gestão ambiental abrange uma vasta gama de questões, inclusive aquelas com implicações estratégicas

Leia mais

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A

Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos S/A Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 Programa de Gestão Ambiental Agosto de 2009 1 1. O Programa de Gestão Ambiental O Programa de Gestão Ambiental da

Leia mais

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br

PROGRAMAS (41) 35620280. medicinaocupacional@saudemais.med.br. http://www.saudemais.med.br (41) 35620280 medicinaocupacional@saudemais.med.br http://www.saudemais.med.br Temos a satisfação de apresentar nossos serviços de Saúde Ocupacional. Oferecemos assessoria completa em segurança e medicina

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título)

Impresso em 26/08/2015 10:52:49 (Sem título) Aprovado ' Elaborado por Cintia Kikuchi/BRA/VERITAS em 08/01/2015 Verificado por Neidiane Silva em 09/01/2015 Aprovado por Americo Venturini/BRA/VERITAS em 12/01/2015 ÁREA QHSE Tipo Procedimento Regional

Leia mais

Lista de Verificação / Checklist

Lista de Verificação / Checklist Lista de Verificação / Checklist Avaliação NC / PC / C Departamentos Padrões de Referência /// Referências do MQ //// Referências Subjetivas A B C D E Cláusula Padrão Conforme/ Não C. 4 Sistema de Gestão

Leia mais

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES

N REQUISITOS OBSERVAÇÕES N REQUISITOS OBSERVAÇÕES 01 02 03 04 05 06 07 A - MANUTENÇÃO E SUPORTE A empresa fornece produto de software com Verificar se a empresa fornece manual do produto (instalação), documentação de suporte ao

Leia mais

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ELABORADO APROVADO FOLHA: 1/24 NOME Vivan Gonçalves Coordenador do SESMT Teresinha de Lara Coordenador do SGI DATA: 02/01/2007 VERSÃO: 01 ÍNDICE 1. Objetivo 4 1.1. Escopo do SGSSO TELEDATA 5 2. Referências

Leia mais

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6

ESCOPO DE FORNECIMENTO DOS DOCUMENTOS DO PROJETO 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 3RFOLLOWGOGREENER Pág. 1 de 6 Projeto N o Data de entrada: 3RFollowGoGreener-001-10-2010 Data de saída: Título do Projeto: Programa 3RFollowGoGreener - Sistema Follow é composto por Modelos de Documentos

Leia mais

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e

A SECRETARIA DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, no uso de suas atribuições legais, e PORTARIA SSST Nº 11, de 13/10/1994 "Publica a minuta do Projeto de Reformulação da Norma Regulamentadora nº 9 - Riscos Ambientais com o seguinte título: Programa de Proteção a Riscos Ambientais". A SECRETARIA

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL

APRESENTAÇÃO. Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 SGA & ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL APRESENTAÇÃO Sistema de Gestão Ambiental - SGA & Certificação ISO 14.000 UMA VISÃO GERAL Introdução SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento

Leia mais

CHECK - LIST - ISO 9001:2000

CHECK - LIST - ISO 9001:2000 REQUISITOS ISO 9001: 2000 SIM NÃO 1.2 APLICAÇÃO A organização identificou as exclusões de itens da norma no seu manual da qualidade? As exclusões são relacionadas somente aos requisitos da sessão 7 da

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná.

MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE. Rua Acre, 291 - CEP 83.040-030 Bairro Boneca do Iguaçu - São José dos Pinhais - Paraná. ELABORADO POR: Carlos Eduardo Matias Enns MANUAL DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVADO POR: Edson Luis Schoen 28/1/5 1 de 11 1. FINALIDADE A Saint Blanc Metalmecânica Ltda visa estabelecer as diretrizes básicas

Leia mais

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada

Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Manual do SGI Sistema de Gestão Integrada Revisão 02 Manual MN-01.00.00 Requisito Norma ISO 14.001 / OHSAS 18001 / ISO 9001 4.4.4 Página 1 de 14 Índice 1. Objetivo e Abrangência 2. Documentos Referenciados

Leia mais

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000

SÉRIE ISO 14000 SÉRIE ISO 14000 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001:2007)

Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional (OHSAS 18001:2007) Gestão e otimização da produção Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional () Marco Antonio Dantas de Souza MSc. Engenharia de Produção Engenheiro de Segurança do Trabalho Introdução Fonte: Ministério da

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA Páginas: 1 de 13 APROVAÇÃO Este Manual de Gestão está aprovado e representa o Sistema de Gestão Integrada implementado na FOX Comércio de Aparas Ltda. Ricardo Militelli Diretor FOX Páginas: 2 de 13 1.

Leia mais

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004)

PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) PERGUNTAS MAIS FREQÜENTES SOBRE A TRANSIÇÃO (NBR ISO 14001: 2004) Ao longo dos últimos anos, a Fundação Carlos Alberto Vanzolini vem trabalhando com a Certificação ISO 14000 e, com o atual processo de

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA

CONSELHO FEDERAL DE FONOAUDIOLOGIA RESOLUÇÃO CFFa nº 467, de 24 de abril de 2015. Dispõe sobre as atribuições e competências relativas ao profissional fonoaudiólogo Especialista em Fonoaudiologia do Trabalho, e dá outras providências. O

Leia mais

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3)

ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) ANEXO VII: NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) NR 9 - PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCOS AMBIENTAIS (109.000-3) 9.1. Do objeto e campo de aplicação. 9.1.1. Esta Norma Regulamentadora

Leia mais

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE ANEXO II EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE 1. OBJETIVO E CAMPO DE APLICAÇÃO Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações, requisitos

Leia mais

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE

MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE Revisão: 07 Data: 05.03.09 Página 1 de 7 Copia controlada MANUAL DE GESTÃO DA QUALIDADE José G. Cardoso Diretor Executivo As informações contidas neste Manual são de propriedade da Abadiaço Ind. e Com.

Leia mais

II.7.7 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador

II.7.7 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador 60 / 70 - Programa de Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS do Trabalhador.1 Justificativa A PETROBRAS busca integrar Segurança, Meio Ambiente e Saúde SMS, consolidando os princípios relacionados a estes

Leia mais

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir.

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir. 2.6.16 - Este programa contém as principais ações que têm sido tomadas para prevenir os danos à saúde e integridade física dos trabalhadores e da população da região, os prejuízos materiais e possíveis

Leia mais

II.7.7 - PROGRAMA ESPECÍFICO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR

II.7.7 - PROGRAMA ESPECÍFICO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR EIA/RIMA para o Desenvolvimento II.7.7 - PROGRAMA ESPECÍFICO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR EIA/RIMA para o Desenvolvimento Pág. 1/10 II.7.7 - Programa Específico de A PETROBRAS

Leia mais

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013

Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 Treinamento ISO 9001:2008 e Selo de Qualificação ONA. Ubiara Marfinati Janeiro/2013 ISO 9001: 2008 Princípios Básicos 4.2 Controle de Documentos e Registros 5.2 Foco no Cliente 5.3 Política da Qualidade

Leia mais

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno

PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO. Programa de Educação Ambiental Interno PROGRAMA EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA SAMARCO Programa de Educação Ambiental Interno Condicionante 57 LO 417/2010 SUMÁRIO 1. APRESENTAÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA 05 3. REGULAMENTO APLICÁVEL 06 3.1. FEDERAL

Leia mais

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa

Políticas de Segurança da Informação. Aécio Costa Aécio Costa A segurança da informação é obtida a partir da implementação de um conjunto de controles adequados, incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de software

Leia mais

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio

NORMA ISO 14004. Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio NORMA ISO 14004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio São Paulo, 10 de Março de 2003 Índice 0 INTRODUÇÃO...4 0.1 ASPECTOS GERAIS...4 0.2 BENEFÍCIOS DE

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos NOÇÕES DE OHSAS 18001:2007 CONCEITOS ELEMENTARES SISTEMA DE GESTÃO DE SSO OHSAS 18001:2007? FERRAMENTA ELEMENTAR CICLO DE PDCA (OHSAS 18001:2007) 4.6 ANÁLISE CRÍTICA 4.3 PLANEJAMENTO A P C D 4.5 VERIFICAÇÃO

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS)

MANUAL INTEGRADO DOS SISTEMAS DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA (EHS) 1/20 DO MEIO AMBIENTE E DE SAÚDE Emitido pelo Coordenador de EHS Luis Fernando Rocha Aguiar Aprovado pela Gerência da Usina de Itaúna Valério Toledo de Oliveira 2/20 Índice: 1 Objetivo e campo de aplicação

Leia mais

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS.

ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS. 40 Relatório de Gestão 2014. Copyright. Proibida cópia ou reprodução sem autorização do IABAS. ESF Estratégia de Saúde da Família GESTÃO DE PESSOAS 40 Relatório de Gestão 2014 B lanço Soci l ESF Estratégia de Saúde da Família Relatório de Gestão 2014 41 GESTÃO DE PESSOAS Gestão de Pessoas Com o

Leia mais

GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd)

GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd) GESTÃO DA PRODUÇÃO (GPd) Antonio Keh Chuan Chou Gerente EHS GSC Latin America Sherwin Williams São Paulo, 22 de agosto de 2013 workshop AGENDA workshop Saúde Ocupacional e Segurança do Trabalho Operações

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS

Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS Plano de Gerenciamento de RSS PGRSS Documento que aponta e descreve ações a relativas ao manejo dos resíduos sólidos, s observadas suas características, no âmbito dos estabelecimentos, contemplando os

Leia mais

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas

Procedimento de Segurança e Medicina do Trabalho na execução de obras e serviços por empresas contratadas 1. Objetivo Este Procedimento tem como objetivo fixar os requisitos de segurança e medicina do trabalho para as atividades de empresas contratadas, que venham a executar obras e/ou serviços nas dependências

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave

ISO 14004:2004. ISO14004 uma diretriz. Os princípios-chave ISO14004. Os princípios-chave ISO14004 uma diretriz ISO 14004:2004 Sistemas de Gestão Ambiental, Diretrizes Gerais, Princípios, Sistema e Técnicas de Apoio Prof.Dr.Daniel Bertoli Gonçalves FACENS 1 Seu propósito geral é auxiliar as

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10

MANUAL DA QUALIDADE MQ SGQ 01-10 SUMÁRIO: Apresentação da ACEP 2 Missão da Empresa 3 Escopo e Justificativas de Exclusão 4 Comprometimento da Direção 5 Política da Qualidade 7 Objetivos de Qualidade 7 Fluxo de Processos 8 Organograma

Leia mais

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE

POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE POLÍTICAS DE GESTÃO PROCESSO DE SUSTENTABILIDADE 1) OBJETIVOS - Apresentar de forma transparente as diretrizes de sustentabilidade que permeiam a estratégia e a gestão; - Fomentar e apoiar internamente

Leia mais

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO

A GESTÃO DA SAÚDE E SEGURANÇA NO TRABALHO R & W Engenharia Fundada em 19 de abril de 1991. Prestação de serviços em segurança do trabalho atendendo em especial as NRs6, 9, 13, 15, 16 e 17 com emissão de laudos técnicos. Treinamentos como: Cipa,

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO

SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO OHSAS 18001 SISTEMAS DE GESTÃO PARA SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - ESPECIFICAÇÃO IMPORTANTE: A BSI-OHSAS 18001 não é uma Norma Britânica. A BSI-OHSAS 18001 será cancelada quando da inclusão do seu conteúdo

Leia mais

II.7.7 PROGRAMA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE SMS DO TRABALHADOR

II.7.7 PROGRAMA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE SMS DO TRABALHADOR II.7.7 PROGRAMA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE SMS DO TRABALHADOR 1. Introdução e justificativa Este programa justifica-se pela importância em se desenvolver e implementar ações que visem garantir

Leia mais

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1

ISO 14000. ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 MÓDULO C REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001 ISO 14000 Edição Junho / 2006 - Rev.0 C-1 REQUISITOS DA NORMA AMBIENTAL ISO 14001/04 Sumário A.) A Organização ISO...3 B.) Considerações sobre a elaboração

Leia mais

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1

MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 MQ-1 Revisão: 06 Data: 20/04/2007 Página 1 I. APROVAÇÃO Emitente: Função: Análise crítica e aprovação: Função: Liliane Alves Ribeiro da Silva Gerente Administrativa Roberto José da Silva Gerente Geral

Leia mais

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte!

Câmara Municipal de Barueri. Conheça a Norma SA8000. Você faz parte! Câmara Municipal de Barueri Conheça a Norma SA8000 Você faz parte! O que é a Norma SA 8000? A SA 8000 é uma norma internacional que visa aprimorar as condições do ambiente de trabalho e das relações da

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA

MANUAL DA QUALIDADE DA CONSTRUTORA COPEMA 1/10 INFORMAÇÕES SOBRE A EMPRESA... 2 ABRANGÊNCIA DO SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE... 3 1. SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE:... 4 - MANUAL DA QUALIDADE... 4 Escopo do SGQ e definição dos clientes... 4 Política

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001

SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL ABNT NBR ISO 14001 Prof. Eduardo Lucena Cavalcante de Amorim INTRODUÇÃO A norma ISO 14001 faz parte de um conjunto mais amplo de normas intitulado ISO série 14000. Este grupo

Leia mais

Selo de Qualidade e Sustentabilidade para Lavanderias - SQS REFERENCIAL NORMATIVO REF.001

Selo de Qualidade e Sustentabilidade para Lavanderias - SQS REFERENCIAL NORMATIVO REF.001 Selo de Qualidade e Sustentabilidade para Lavanderias - SQS REFERENCIAL NORMATIVO REF.001 Versão Jul.2011 1. Introdução Este programa da Qualidade, Meio Ambiente e Segurança em Lavanderias SQS estabelece

Leia mais

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão

Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Este sistema é sustentado por 14 pilares: Elemento 1 Liderança, Responsabilidade e Gestão Como as pessoas tendem a imitar os seus líderes, estes devem-se empenhar e comprometer-se com o QSSA, para servirem

Leia mais

NORMA NBR ISO 9001:2008

NORMA NBR ISO 9001:2008 NORMA NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema

Leia mais

MMX - Controladas e Coligadas

MMX - Controladas e Coligadas POLITICA CORPORATIVA PC. 1.16.01 Política de Meio Ambiente Emissão: 02/10/06 1 Objetivo: Estabelecer diretrizes visando proteger os recursos naturais e o meio ambiente em todas das unidades operacionais.

Leia mais

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003.

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003. NORMA ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) São Paulo, 10 de março de 2003. http://www.ibamapr.hpg.ig.com.br/14001iso.htm ii Índice INTRODUÇÃO...3

Leia mais

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi

NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL. Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi Instituto Superior de Tecnologia de Paracambi NR-7 PCMSO PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL Curso:Tecnólogo em Gestão Ambiental Professora: Raquel Simas Pereira Teixeira OBJETO: Estabelece

Leia mais

GESTÃO DE SST DESAFIOS E POSSÍVEIS SOLUÇÕES

GESTÃO DE SST DESAFIOS E POSSÍVEIS SOLUÇÕES GESTÃO DE SST DESAFIOS E POSSÍVEIS SOLUÇÕES Nov.2014 Negócio CONTRIBUIR PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE Educação Qualidade de Vida Declaração Estratégica Missão Promover a qualidade de vida do trabalhador

Leia mais

ISO 9000 ISO 9001:2008

ISO 9000 ISO 9001:2008 ISO 9001:2008 QUALIDADE II ISO 9000 A ISO 9000 - Qualidade é o nome genérico utilizado pela série de normas da família 9000 (ISO) que estabelece as diretrizes para implantação de Sistemas de Gestão da

Leia mais

ABNT NBR ISO 9001:2008

ABNT NBR ISO 9001:2008 ABNT NBR ISO 9001:2008 Introdução 0.1 Generalidades Convém que a adoção de um sistema de gestão da qualidade seja uma decisão estratégica de uma organização. O projeto e a implementação de um sistema de

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09

PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 PROGRAMA DE PREVENÇÃO DE RISCO AMBIENTAL - PPRA NR 09 Prof. Me. Vítor Hugo Magalhães Vono Engenheiro de Segurança do Trabalho Lei 6514 de 12/77 Capítulo V da CLT da Segurança e Medicina do Trabalho (art.

Leia mais

Secretaria da Administração

Secretaria da Administração Secretaria da Administração Procedimento para Elaboração de Programas de Segurança para Empresas Contratadas PCMSO / PPRA / PCMAT / ARO Revisão 00 2014 1. Objetivo Estabelecer as exigências mínimas sobre

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000

Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 ZOOTECNIA/UFG DISCIPLINA DE GPA Sistema de Gestão Ambiental & Certificação SGA - ISO 14.000 Introdução EVOLUÇÃO DA GESTÃO AMBIENTAL Passou por três grandes etapas: 1ª. Os problemas ambientais são localizados

Leia mais

Programas de Certificação Ambiental. Sistemas de gestão ambiental (SGA).

Programas de Certificação Ambiental. Sistemas de gestão ambiental (SGA). Programas de Certificação Ambiental. Sistemas de gestão ambiental (SGA). Programas de Certificação Ambiental HOJE EM DIA as empresas estão VIVNCIANDO um ambiente de incertezas e sofrem pressões constantes

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Grupo PETRA S.A. Departamento de Tecnologia da Informação POLÍTICA DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Início da Vigência: 01/Maio/2010 Propriedade do Grupo PETRA S.A. 1. INTRODUÇÃO Este documento foi elaborado

Leia mais

Código de prática para a gestão da segurança da informação

Código de prática para a gestão da segurança da informação Código de prática para a gestão da segurança da informação Edição e Produção: Fabiano Rabaneda Advogado, professor da Universidade Federal do Mato Grosso. Especializando em Direito Eletrônico e Tecnologia

Leia mais

Sistema de Gestão da Qualidade

Sistema de Gestão da Qualidade Sistema de Gestão da Qualidade Coordenadora Responsável Mara Luck Mendes, Jaguariúna, SP, mara@cnpma.embrapa.br RESUMO Em abril de 2003 foi lançado oficialmente pela Chefia da Embrapa Meio Ambiente o Cronograma

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE

CÓPIA NÃO CONTROLADA. DOCUMENTO CONTROLADO APENAS EM FORMATO ELETRÔNICO. PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE PSQ 290.0339 - PROCEDIMENTO DO SISTEMA DA QUALIDADE APROVAÇÃO CARLOS ROBERTO KNIPPSCHILD Gerente da Qualidade e Assuntos Regulatórios Data: / / ELABORAÇÃO REVISÃO

Leia mais

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004

Sistemas de Gestão Ambiental O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004 Sistemas de Gestão O QUE MUDOU COM A NOVA ISO 14001:2004 Material especialmente preparado para os Associados ao QSP. QSP Informe Reservado Nº 41 Dezembro/2004

Leia mais

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR

Norma de Referência Selo de Conformidade ANFIR Histórico das alterações: Nº Revisão Data de alteração 00 20.01.204 Emissão inicial do documento. Sumário das Alterações Pág. 1 1. Resumo Esta norma estabelece requisitos técnicos para a concessão do Selo

Leia mais

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000

Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 Palestra Informativa Sistema da Qualidade NBR ISO 9001:2000 ISO 9001:2000 Esta norma considera de forma inovadora: problemas de compatibilidade com outras normas dificuldades de pequenas organizações tendências

Leia mais

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso

NORMA ISO 14001. Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso Página 1 NORMA ISO 14001 Sistemas de Gestão Ambiental, Especificação e Diretrizes Para Uso (votação 10/02/96. Rev.1) INTRODUÇÃO 1 ESCOPO 2 REFERÊNCIAS 3 DEFINIÇÕES 4 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL 4.0. Generalidades

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MQ 01 Rev. 07 MANUAL DA QUALIDADE Rev. Data. Modificações 01 14/09/2007 Manual Inicial 02 12/06/2009 Revisão Geral do Sistema de Gestão da Qualidade 03 22/10/2009 Inclusão de documento de referência no item 8. Satisfação de cliente, Alteração

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA EMPRESAS PRESTADORAS DE SERVIÇOS TIPO 1 DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE PESSOAS DGP DIVISÃO DE SEGURANÇA DO TRABALHO E SAÚDE OCUPACIONAL - DVSS Sumário 1. OBJETIVO...

Leia mais

Aspectos e Impactos Ambientais

Aspectos e Impactos Ambientais PÁGINA: 1/18 1 OBJETIVO Estabelecer e garantir uma sistemática para identificar, avaliar e gerenciar os aspectos e impactos ambientais das atividades, produtos ou serviços, da empresa x que possam ser

Leia mais

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO SECRETARIA DE INSPEÇÃO DO TRABALHO DEPARTAMENTO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO Trata-se de proposta de texto para criação de Norma Regulamentadora sobre Trabalho em Altura

Leia mais

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013 NATAL/RN NOV/2013 PLANO DE GERENCIAMENTO DE RSS Documento que aponta e descreve ações relativas ao manejo dos resíduos sólidos nos estabelecimentos assistenciais de saúde Considerando as Características

Leia mais

7.7. PROGRAMA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR

7.7. PROGRAMA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR 7.7. PROGRAMA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS DO TRABALHADOR 7.7.1. Justificativa Este programa justifica-se pela importância em se desenvolver e implementar ações que visem garantir a manutenção

Leia mais

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade

Gestão da Qualidade. Evolução da Gestão da Qualidade Gestão da Qualidade Evolução da Gestão da Qualidade Grau de Incerteza Grau de complexidade Adm Científica Inspeção 100% CEQ Evolução da Gestão CEP CQ IA PQN PQN PQN TQM PQN MSC GEQ PQN PQN Negócio Sistema

Leia mais

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES

ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO EM ORGANIZAÇÕES V CONGRESSO BRASILEIRO DE METROLOGIA Metrologia para a competitividade em áreas estratégicas 9 a 13 de novembro de 2009. Salvador, Bahia Brasil. ANÁLISE DOS REQUISITOS NORMATIVOS PARA A GESTÃO DE MEDIÇÃO

Leia mais

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express

e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express e-book PPRA E PCMSO O QUE ISSO TEM A VER COM SEU PROJETO ARQUITETÔNICO OU MOBILIÁRIO? índice express Apresentação 2 PPRA perguntas & respostas 3 PCMSO perguntas & respostas 5 Links Úteis 6 apresentação

Leia mais

Procedimento de Segurança para Terceiros

Procedimento de Segurança para Terceiros Página 1 de 6 1. OBJETIVO Sistematizar as atividades dos prestadores de serviços, nos aspectos que impactam na segurança do trabalho de forma a atender à legislação, assim como, preservar a integridade

Leia mais

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES

ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES ANEXO X - ESPECIFICAÇÕES 1. JUSTIFICATIVA 1.1. Motivação para a Contratação: A contratação constante do objeto em questão é justificada em virtude do término do atual contrato; da impreterível necessidade

Leia mais

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES

III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES Eng. ZULMAR TEIXEIRA Rio, 19/10/2010 PRINCÍPIOS DA GESTÃO MODERNA III CBIO - Congresso de Biólogos dos Estados do RJ/ES SUCESSO DO EMPREENDIMENTO ABORDAGEM DE PROCESSO SÉCULO XXI O SÉCULO DO DESAFIO O

Leia mais