um TCC sem cometer PLÁGIO?

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "um TCC sem cometer PLÁGIO?"

Transcrição

1 Aula Reforço com base na NBR (ABNT) Prof. MSc Ricardo Aureliano Como transcrever textos para um TCC sem cometer PLÁGIO? Não há problema algum de se recortar e colar textos que se encontram na internet ou em algum livro, revista, jornal... O problema surge quando não se revela a fonte, a autoria do texto ou se faz de maneira diferente do que a NBR determina! Quandoseomiteafonteounãosefazacitaçãodemaneira correta, leva-se o leitor a imaginar que a parte escrita é de sua autoria, quando na verdade não o é; isto então se constitui apropriar-se da idéia dos outros e se constitui plágio. Plágio é definido na legislação como crime contra a propriedade intelectual, contra a autoria. 1

2 Então como fazer para não errar nem, cometer plágio? Vamos aprender a maneira certa como define a norma 2

3 Transcrição Direta Na transcrição direta recorta-se e cola-se, do jeito que o texto está, ou seja, conserva-se a originalidade do autor. As transcrições ou Citações Diretas podem ser: Curtas se a parte copiada tem até três linhas; Longas se a parte copiada ultrapassa de três linhas. Citação Direta Curta (até três linhas) Otextorecortado/coladocomatétrêslinhasé colocado entre aspas e escrito com fonte do mesmo tamanho do texto normal. Exemplo: Apesar das aparências, a desconstrução do logocentrismo não é uma psicanálise da filosofia[...] (DERRIDA,1967,p.293). 3

4 Citação Direta Longa (mais de três linhas) Quando o texto recortado/colado ocupar mais de três linhas na página onde foi colocado, então é preciso recuar o parágrafo em 4cm e diminuir o tamanho da fonte(corpo 10). Exemplo: A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem. Tipos comuns de teleconferência incluem o uso da televisão, telefone, e computador. Através de áudio-conferência, utilizando a companhia local de telefone, um sinal de áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão. (NICHOLS, 1993, p.181). E as citações indiretas... Como fazer? 4

5 Citações Indiretas ou Paráfrase Parafrasear é, pois, traduzir As palavras de um texto por outras de sentido equivalente, mantendo, porém, as idéias originais. A paráfrase inclui o desenvolvimento de um texto, o comentário, a explicitação. (MEDEIROS,2009) Por que Parafrasear? Pignatari (citado por MENDONÇA, 1987; MEDEIROS, 2009) esclarece: informações de primeiro grau são informações complexas a que poucos tem acesso; para que cheguem a um número maior de pessoas, é preciso diluí-las, trocá-las em miúdo, embora com alguma perda. É uma forma de tradução, é uma forma de degrau para a informação superior 5

6 Observe que MEDEIROS,2001 acrescenta parafraseando o que já havia citado: O primeiro dado é de que os textos originais contém informações complexas, que podem apresentar dificuldades de entendimento. Assim, a paráfrase tem como objetivo traduzir um texto complexo em linguagem mais acessível. A tradução, no entanto, acarreta a diluição do conhecimento, da informação nova, e isto provoca alguma perda. Não obstante isso, revelase útil, porque é um degrau que se sobre para atingir a informação superior. Compare os textos (visualizando como se tivesse tido acesso direto à fonte) informações de primeiro grau são informações complexas a que poucos tem acesso; para que cheguem a um número maior de pessoas, é preciso diluí-las, trocá-las em miúdo, embora com alguma perda. É uma forma de tradução, é uma forma de degrau para a informação superior (PIGNATARI,1983, p. 135) O primeiro dado é de que os textos originais contém informações complexas, que podem apresentar dificuldades de entendimento. Assim, a paráfrase tem como objetivo traduzir um texto complexo em linguagem mais acessível. A tradução, no entanto, acarreta a diluição do conhecimento, da informação nova, e isto provoca alguma perda. Não obstante isso, revela-se útil, porque é um degrau que se sobre para atingir a informação superior. (PIGNATARI, 1983) 6

7 A reprodução implica reescrever um texto, substituindo os vocábulos. Consiste em repetir com palavras simples, mas próprias, o pensamento do texto original. A reprodução pode optar por converter as frases negativas em afirmativas de igual valor. Por exemplo: Se posso prever tudo o que uma pessoa me vai dizer, a mensagem é totalmente redundante e eu posso abster-me de a ouvir ou ela de o dizer; ao contrário, se nada posso prever do que ela vai me dizer caso alguém que se dirigisse a mim numa língua que desconheço completamente a comunicação também é impossível. Em ambos os casos não há possibilidade de intercambio de informação. (PIGNATARI, 1998,p.52). Substituindo os vocábulos por outros de sentido equivalente o texto ficaria assim: Quandosepodeprever tudo aquilo queumapessoavai falar, o conteúdo de sua exposição é inteiramente redundante e eu posso deixar de prestar-lhe atenção ou ela de o dizer; diferentemente, se não posso conjecturar nada do que ela vai falar-me caso alguma pessoa se dirigisse a mim num idioma que não conheço totalmente a comunicação também não é possível. Nos dois casos, é impossível o intercâmbio de informação. (PIGNATARI,1998) Vamos exercitar Identifique o tipo de citação 7

8 No que se refere à pesquisa bibliográfica Antonio Gil considera que: A pesquisa bibliográfica é desenvolvida a partir de material já elaborado, construído principalmente de livros e artigos científicos. Embora em quase todos os estudos seja exigido algum tipo de trabalho desta natureza, há pesquisas desenvolvidas exclusivamente a partir de fontes bibliográficas. Parte dos estudos exploratórios podem ser definidos como pesquisas bibliográficas, assim como certo número de pesquisas desenvolvidas a partir da técnica de análise de conteúdo.(gil, 2009, p.44) Esta é uma citação do tipo: a) Direta Curta b) Direta Longa c) Indireta ou Paráfrase A pesquisa documental assemelha-se muito à pesquisa bibliográfica, A diferença essencial entre ambas está na natureza das fontes. (GIL, 2009, p.45) Esta é uma citação do tipo: a) Direta Curta b) Direta Longa c) Indireta ou Paráfrase 8

9 A noção de violência é por princípio, ambígua. Não existe uma violência, mas multiplicidade de atos violentos, cujas significações devem ser analisadas a partir de normas, das condições e dos contextos sociais, variando de um período histórico a outro. A violência é um dos eternos problemas da teoria social e da prática política. Na História da Humanidade, tem se revelado em manifestações individuais e coletivas (CHESNAIS, 1981). Apresenta as múltiplas formas de violência registradas em diferentes épocas e sociedades, privadas e coletivamente. Distingue desde a violência sexual ata criminal, os conflitos de autoridade e lutas pelo poder estatal. (WAISELFISZ, 1988, p ). Esta é uma citação do tipo: a) Direta Curta b) Direta Longa c) Indireta ou Paráfrase A noção de violência é por princípio, ambígua. Não existe uma violência, mas multiplicidade de atos violentos, cujas significações devem ser analisadas {www.abep.nepo.unicamp.br/docs/rev_inf/vol19_n1_2002/vol19_n1_2002_1artigo_5_28.pdf} {www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=1313} {www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp%3fid=1313} {www.jornallivre.com.br/8511/violencia-escolar-nobrasil.html} {www.ladjanebandeira.org/cultura-pernambuco/pub/a2006n01.pdf} {www.scribd.com/doc/ /o-gesto-e-o-grito-na-serie-de-ladjane-bandeira} {www.scribd.com/doc/ /violencia-contra-infancia-e-adolescente} {www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=1313} a partir de normas, das condições e dos contextos sociais, variando de um período histórico {www.liber.ufpe.br/teses/arquivo/ pdf} {www.ladjanebandeira.org/cultura-pernambuco/pub/a2006n01.pdf} {www.scribd.com/doc/ /violencia- Contra-Infancia-e-Adolescente} {www.scribd.com/doc/ /o-gesto-e-o-grito-na-serie-de-ladjane-bandeira} {www.ladjanebandeira.org/cultura-pernambuco/pub/a2006n01.pdf} a outro. A violência é um dos eternos problemas da teoria social e da prática política. Na {www.jornallivre.com.br/8511/violencia-escolar-no-brasil.html} {www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp%3fid=1313} {www.scribd.com/doc/ /violencia-contra- Infancia-e-Adolescente} {www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=1313} História da Humanidade, tem se revelado em manifestações individuais e coletivas (CHESNAIS, 1981). Apresenta as múltiplas {www.abep.nepo.unicamp.br/docs/rev_inf/vol19_n1_2002/vol19_n1_2002_1artigo_5_28.pdf} {www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=1313} {www.scribd.com/doc/ /violencia-contra- Infancia-e-Adolescente} {www.abep.nepo.unicamp.br/docs/rev_inf/vol19_n1_2002/vol19_n1_2002_1artigo_5_28.pdf} formas de violência registradas em diferentes épocas e sociedades, privadas e coletivamente. Distingue {www.scribd.com/doc/ /violencia-contra-infancia-e-adolescente} {www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=1313} {www.ufpi.br/mesteduc/eventos/ivencontro/gt7/juventude_violencia.pdf} desde a violência sexual ata criminal, os conflitos de autoridade e lutas pelo poder {www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=1313} {www.abep.nepo.unicamp.br/docs/rev_inf/vol19_n1_2002/vol19_n1_2002_1artigo_5_28.pdf} estatal. (WAISELFISZ, 1988, p ). 9

10 Compare os textos A noção de violência é por princípio, ambígua. Não existe uma violência, mas multiplicidade de atos violentos, cujas significações devem ser analisadas a partir de normas, das condições e dos contextos sociais, variando de um período histórico a outro. A violência é um dos eternos problemas da teoria social e da prática política. Na História da Humanidade, tem se revelado em manifestações individuais e coletivas (CHESNAIS, 1981). Apresenta as múltiplas formas de violência registradas em diferentes épocas e sociedades, privadas e coletivamente. Distingue desde a violência sexual ata criminal, os conflitos de autoridade e lutas pelo poder estatal. (WAISELFISZ, 1988, p ). 10

11 A noção de violência é por princípio, ambígua. Não existe uma violência, mas multiplicidade de atos violentos, cujas significações devem ser analisadas a partir de normas, das condições e dos contextos sociais, variando de um período histórico a outro. A violência é um dos eternos problemas da teoria social e da prática política. Na História da Humanidade, tem se revelado em manifestações individuais e coletivas (CHESNAIS, 1981). Apresenta as múltiplas formas de violência registradas em diferentes épocas e sociedades, privadas e coletivamente. Distingue desde a violência sexual ata criminal, os conflitos de autoridade e lutas pelo poder estatal. (WAISELFISZ, 1988, p ). E agora você diria que... Esta é uma citação do tipo: a) Direta Curta b) Direta Longa c) Indireta ou Paráfrase d) É um plágio Vamos exercitar CITAÇÃO DIRETA O pesquisador publicou um livro que foi comemoradopelos amigos. (AUTOR, data, p...) PARÁFRASE A publicação de um livro do pesquisador foi comemoradapelos amigos. (AUTOR, data) Escreva a sua paráfrase 11

12 Agora comente sobre um dos aspectos do livro, ou do pesquisador, ou da comemoração, acrescente um comentário seu, torne mais claro paraoseuleitor Pode ser uma qualidade... Pode ser um adjetivo... Mude as palavras conservando o mesmo significado... Tente... Como Tarefa faça uma citação direta longa e em seguida uma paráfrase completa digitada numa folha tamanho A4. Identifique-se e entregue ao professor na data marcada. 12

Guarantã do Norte-MT 2012

Guarantã do Norte-MT 2012 Faculdade de Ciências Sociais de Guarantã do Norte FSCGN Departamento de Administração José das Couves [J1] Comentário: Fonte Times, tamanho, espaçamento 1,5, recúo 0, texto centralizado. GUIA DE NORMALIZAÇÃO

Leia mais

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO RESUMOS, FICHAMENTOS E RESENHA

METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO RESUMOS, FICHAMENTOS E RESENHA METODOLOGIA DO TRABALHO CIENTÍFICO RESUMOS, FICHAMENTOS E RESENHA RESUMOS Definição: é a apresentação concisa e freqüentemente seletiva do texto, destacando-se os elementos de maior interesse e importância,

Leia mais

Manual para elaboração de artigos de acordo com ABNT

Manual para elaboração de artigos de acordo com ABNT Manual para elaboração de artigos de acordo com ABNT São Paulo 2011 FORMATAÇÃO Os textos devem ser elaborados conforme as seguintes instruções: Digitados no Word (DOC) ou programa compatível de editoração;

Leia mais

Título do trabalho: subtítulo do trabalho

Título do trabalho: subtítulo do trabalho Título do trabalho: subtítulo do trabalho Resumo Este documento apresenta um modelo de formatação a ser utilizado em artigos e tem como objetivo esclarecer aos autores o formato a ser utilizado. Este documento

Leia mais

Apresentação Gráfica e Formatação de Texto.

Apresentação Gráfica e Formatação de Texto. Apresentação Gráfica e Formatação de Texto. Gessé Marques Jr. Fac. Filosofia História e Letras Com o objetivo de estabelecer um padrão gráfico a ser utilizado por todos, exporemos as regras de formatação

Leia mais

Apresentação Gráfica e Formatação de Texto.

Apresentação Gráfica e Formatação de Texto. Apresentação Gráfica e Formatação de Texto. Prof. Dr. Gessé Marques Jr. Fac. Filosofia História e Letras UNIMEP Com o objetivo de estabelecer um padrão gráfico a ser utilizado por todos os trabalhos, exporemos

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES

ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES ORIENTAÇÕES PARA ORGANIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES Ao organizar um trabalho escolar é necessário que algumas normas sejam observadas pelo aluno. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) encarrega-se

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS

ORIENTAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS ORIENTAÇÃO PARA TRABALHOS ACADÊMICOS Padrões Principais ð Resenha Crítica ð Folha de papel A4 branca, ou reciclada* ð Fonte Arial, ou Times New Roman ð Tamanho da fonte 12 ð Tamanho do Título fonte 14

Leia mais

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes

Define claramente o tema, o seu objectivo e os aspectos a desenvolver. De seguida deves ser capaz de levantar questões sobre o que pretendes Como fazes os teus trabalhos escritos? Há dois métodos para fazer trabalhos 1-Vais à Net copias a informação, colas num novo documento, imprimes e já está! 2-Pesquisas informação em fontes diversas, retiras

Leia mais

PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE

PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE 1 PRINCÍPIOS PARA A REDAÇÃO DE UMA DISSERTAÇÃO OU TESE Prof. Dr. Flávio Villaça Professor Titular de Planejamento Urbano da FAU-USP Versão de 20/12/04 Flavila@uol.com.br INTRODUÇÀO Este texto foi elaborando

Leia mais

O projeto de pesquisa e seus componentes

O projeto de pesquisa e seus componentes O projeto de pesquisa e seus componentes Leitura: Pesquisa científica componentes de um projeto de pesquisa Bibliografia: Livros de metodologia científica Sugestões :Vergara; Lakatos e Gil. Além disso,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE ANÁLISE DE PLÁGIO. Manual de orientações sobre análise de plágio

MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE ANÁLISE DE PLÁGIO. Manual de orientações sobre análise de plágio MANUAL DE ORIENTAÇÕES SOBRE ANÁLISE DE PLÁGIO 1 Manual de orientações sobre análise de plágio Entenda O que é plágio? Conheça suas implicações Verifique seus arquivos Cite as referências Entenda o que

Leia mais

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC TEXTO COMPLEMENTAR AULA 2 (15/08/2011) CURSO: Serviço Social DISCIPLINA: ORIENTAÇÕES DE TCC II - 8º Período - Turma 2008 PROFESSORA: Eva Ferreira de Carvalho Caro acadêmico, na Aula 2, você estudará Áreas

Leia mais

1 Apresentação 2 Formatação do texto Papel: Margens: Tipo de Letra: Tamanho da fonte: Espaço entre as linhas:

1 Apresentação 2 Formatação do texto Papel: Margens: Tipo de Letra: Tamanho da fonte: Espaço entre as linhas: 1 2 1 Apresentação Este documento tem por objetivo apresentar orientações para a redação e formatação do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) na modalidade de Artigo Científico. Para a elaboração do artigo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC CENTRO DE XXXX - XXX. Joana Carla Felicio

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC CENTRO DE XXXX - XXX. Joana Carla Felicio Modelo de Trabalho acadêmico baseado na NBR 14724, 2005. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA - UFSC CENTRO DE XXXX - XXX Joana Carla Felicio Nome do (s) autor (s). Se tiver mais de um autor, inserir

Leia mais

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC

Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugestão de Roteiro para Elaboração de Monografia de TCC Sugerimos, para elaborar a monografia de TCC (Trabalho de Conclusão de Curso), que o aluno leia atentamente essas instruções. Fundamentalmente,

Leia mais

MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA

MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETO DE PESQUISA Araranguá MÊS /ANO 2 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO...3 2- OBJETIVOS...4 3- JUSTIFICATIVA...5 4- REVISÃO TEÓRICA...6 5- METODOLOGIA...7 6- CRONOGRAMA...8 7- BIBLIOGRAFIA...9

Leia mais

Projeto de Trabalho de Graduação 2

Projeto de Trabalho de Graduação 2 Projeto de Trabalho de Graduação 2 Prof. Marcos Francisco Pereira da Silva 1 Agenda Plágio Proteção dos Direitos Autorais A Lei Brasileira 2 Plágio Plágio é a apropriação indevida de ideais ou textos de

Leia mais

Citações segundo ABNT

Citações segundo ABNT Norma de Citações Citações segundo ABNT De acordo com a ABNT, na NBR 10520 de agosto de 2002, citação é a menção de uma informação extraída de outra fonte. Esta Norma tem como objetivo especificar as características

Leia mais

AUTORIA NO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Reunião Geral TCC 2011 Prof. Laíssa Eschiletti Prati

AUTORIA NO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO. Reunião Geral TCC 2011 Prof. Laíssa Eschiletti Prati AUTORIA NO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO Reunião Geral TCC 2011 Prof. Laíssa Eschiletti Prati Autoria Processo pessoal de construção de um texto Apropriação de conteúdos construídos por outros autores

Leia mais

3 cm UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE LUZIÂNIA

3 cm UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE LUZIÂNIA 3 cm UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE LUZIÂNIA NOME DO AUTOR (fonte tamanho 12, arial, todas em maiúscula, negrito, centralizado) ESTÁGIO SUPERVISIONADO I OU II DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

PLÁGIO ACADÊMICO: CONHECER PARA COMBATER

PLÁGIO ACADÊMICO: CONHECER PARA COMBATER PLÁGIO ACADÊMICO: CONHECER PARA COMBATER A prática de plágio tem sido comum em diversas publicações científicas e precisa ser combatida. Com o objetivo de informar os profissionais, docentes e discentes

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA

TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA CURSO DE DIREITO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TÍTULO DO PROJETO NOME DO ALUNO MATRÍCULA RIO DE JANEIRO MÊS - ANO NOME DO AUTOR DO PROJETO TÍTULO DO PROJETO Projeto de Pesquisa apresentado ao orientador

Leia mais

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO

4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO 4 ESTRUTURA E APRESENTAÇÃO DE ARTIGO CIENTÍFICO Este capítulo visa a orientar a elaboração de artigos científicos para os cursos de graduação e de pós-graduação da FSG. Conforme a NBR 6022 (2003, p. 2),

Leia mais

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês

3 Truques Para Obter Fluência no Inglês 3 Truques Para Obter Fluência no Inglês by: Fabiana Lara Atenção! O ministério da saúde adverte: Os hábitos aqui expostos correm o sério risco de te colocar a frente de todos seus colegas, atingindo a

Leia mais

Vamos começar nossos estudos e descobertas????????

Vamos começar nossos estudos e descobertas???????? Aula 07 RESUMO E RESENHA Vamos iniciar nossos estudos???? Você já deve ter observado que pedimos que leia determinados textos e escreva o que entendeu, solicitamos que escreva o que o autor do texto quis

Leia mais

REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS

REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS REVISTA PARA RELATOS DE EXPERIÊNCIA E ARTIGOS DAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E EXTENSIONISTAS INSTRUÇÕES AOS AUTORES 1 GERAIS: Originais: Os artigos e os relatos de experiência devem ser enviados exclusivamente

Leia mais

Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio

Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio Desvios de redações efetuadas por alunos do Ensino Médio 1. Substitua as palavras destacadas e copie as frases, tornando os fragmentos abaixo mais elegantes, além de mais próximos à língua padrão e à proposta

Leia mais

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco

REDAÇÃO DISSERTAÇÃO AULA 5. Professora Sandra Franco REDAÇÃO AULA 5 Professora Sandra Franco DISSERTAÇÃO 1. Definição de Dissertação. 2. Roteiro para dissertação. 3. Partes da dissertação. 4. Prática. 5. Recomendações Gerais. 6. Leitura Complementar. 1.

Leia mais

Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535. Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU

Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535. Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535 Prof. Dr. Rodrigo Sanches Miani FACOM/UFU Trabalhode Conclusão de Curso 1 GSI535 Slides criados com base no livro Metodologia de Pesquisa para Ciência da Computação

Leia mais

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS

FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO E NEGÓCIOS DE SERGIPE - FANESE NÚCLEO DE PÓS-GRADUAÇÃO E EXTENSÃO NPGE MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS ARACAJU 2012 2 PREFÁCIO A apresentação dos trabalhos acadêmicos

Leia mais

MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista. Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP

MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista. Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP MJ Secretaria Nacional de Segurança Pública Orientações para o Conteudista Estruturação dos Materiais Básicos para os Cursos da SENASP Contacto: erisson.pitta@mj.gov.br Telefono: 5561 2025 8991 Prezado(a)

Leia mais

JANELA DE JOHARI (RELACIONAMENTO INTERPESSOAL)

JANELA DE JOHARI (RELACIONAMENTO INTERPESSOAL) % ABERTURA JANELA DE JOHARI (RELACIONAMENTO INTERPESSOAL) Esta avaliação é constituída de 20 questões possíveis de ocorrer em uma empresa. Cada questão é composta por duas afirmativas. Você deve analisar

Leia mais

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Manual de Orientação

TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Manual de Orientação Fundação Armando Alvares Penteado FACULDADE DE DIREITO COORDENADORIA DE PESQUISA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Manual de Orientação 1 Modelo sugerido do Projeto do TCC PROJETO TRABALHO DE CONCLUSÃO

Leia mais

Metodologia Científica. Metodologia Científica

Metodologia Científica. Metodologia Científica Metodologia Científica Metodologia Científica Seqüência da Apresentação Introdução Tipos de pesquisa Tipos de fontes de dados Pesquisa na área de Informática Projeto de pesquisa Metodologia Formato de

Leia mais

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA

LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO CRIATIVA LEITURA EM LÍNGUA ESPANHOLA NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS: COMPREENSÃO E EXPRESSÃO Instituto Federal Farroupilha Câmpus Santa Rosa ledomanski@gmail.com Introdução Ler no contexto mundial globalizado

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca

O que você faria... Liliana e Michele Iacoca Nome: Ensino: F undamental 4 o ano urma: Língua Por ortuguesa T ata: D 13/8/09 Você já pensou no significado da palavra conviver? Assim como cada pessoa tem suas características físicas, cada um tem também

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA

A IMPORTÂNCIA DA LEITURA A IMPORTÂNCIA DA LEITURA Quem não possui o hábito da leitura, precisa desenvolvê-lo, pois é difícil uma formação de qualidade sem muita leitura. Como você costuma selecionar seu material de leitura? O

Leia mais

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto.

Pré-texto. Texto. Pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso. A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Estrutura do Trabalho Final de Curso A estrutura do Trabalho Final de Curso compreende: pré-texto, texto e pós-texto. Pré-texto Capa Folha de Rosto Dedicatória Agradecimentos Epígrafe Resumo Sumário Texto

Leia mais

Programação em papel quadriculado

Programação em papel quadriculado 4 NOME DA AULA: Programação em papel quadriculado Tempo de aula: 45 60 minutos Tempo de preparação: 10 minutos Objetivo principal: ajudar os alunos a entender como a codificação funciona. RESUMO Ao "programar"

Leia mais

Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico

Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico Instruções sobre como elaborar artigo para o Âmbito Jurídico Nome do autor: principais atividades acadêmicas em no máximo 3 linhas, colocar e-mail. 1. Se estudante de direito colocar apenas: Acadêmico

Leia mais

O TÍTULO DO TRABALHO DEVERÁ SER EM FONTE TIPO ARIAL 12, NEGRITO, CENTRALIZADO, ESPAÇO SIMPLES (ESPAÇAMENTO DE 1,0) SEM PONTO FINAL

O TÍTULO DO TRABALHO DEVERÁ SER EM FONTE TIPO ARIAL 12, NEGRITO, CENTRALIZADO, ESPAÇO SIMPLES (ESPAÇAMENTO DE 1,0) SEM PONTO FINAL O TÍTULO DO TRABALHO DEVERÁ SER EM FONTE TIPO ARIAL 12, NEGRITO, CENTRALIZADO, ESPAÇO SIMPLES (ESPAÇAMENTO DE 1,0) SEM PONTO FINAL Nome do autor principal (sigla da instituição a que pertence, entre parênteses)

Leia mais

Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Situar o tema dentro do contexto geral da sua área de trabalho

Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Situar o tema dentro do contexto geral da sua área de trabalho PROJETO DE PESQUISA INTRODUÇÃO (O QUE É O TEMA?) Na introdução o aluno deverá explicar o assunto que deseja desenvolver. Desenvolver genericamente o tema Anunciar a idéia básica Delimitar o foco da pesquisa

Leia mais

FACULDADE SHALOM DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NOME DO ALUNO

FACULDADE SHALOM DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NOME DO ALUNO FACULDADE SHALOM DE ENSINO SUPERIOR CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS NOME DO ALUNO TÍTULO DO RELATÓRIO Uberlândia,??? Julho de 2014 NOME DO ALUNO TÍTULO DO RELATÓRIO Relatório Técnico

Leia mais

Equações do primeiro grau

Equações do primeiro grau Módulo 1 Unidade 3 Equações do primeiro grau Para início de conversa... Você tem um telefone celular ou conhece alguém que tenha? Você sabia que o telefone celular é um dos meios de comunicação que mais

Leia mais

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos

Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Padrão FEAD de normalização Manual para normalização de trabalhos técnicos científicos Objetivo Visando padronizar os trabalhos científicos elaborados por alunos de nossa instituição Elaboramos este manual

Leia mais

Instituto Adus. Tutorial de acesso e publicação na Plataforma Wiki do Instituto ADUS

Instituto Adus. Tutorial de acesso e publicação na Plataforma Wiki do Instituto ADUS Instituto Adus Tutorial de acesso e publicação na Última atualização: 9 de agosto de 05 Conteúdo Sobre o Projeto Wiki Adus... 3 Login e Acesso... 4 Editando conteúdo... 6 Dicas Avançadas... REFÊNCIAS DE

Leia mais

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA

1. Escolha do Tema. 2. Formulação do Problema. 1 Escolha do Tema II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA II. PLANEJAMENTO DA PESQUISA 1. Escolha do tema 2. Formulação do problema 3. Justificativa 4. Determinação dos objetivos 5. Referencial teórico 6. Referências 1 Escolha do Tema 1. Escolha do Tema Nesta

Leia mais

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA

O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA O ENSINO DE PORTUGUÊS MEDIADO PELA INFORMÁTICA Fernanda Mara Cruz (SEED/PR-PG-UFF) Introdução Os processos de ensinar e aprender estão a cada dia mais inovadores e com a presença de uma grande variedade

Leia mais

Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty

Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty Disciplina de Leitura Pessoal Manual do Aluno David Batty Nome Data de início: / / Data de término: / / 2 Leitura Pessoal David Batty 1ª Edição Brasil As referências Bíblicas usadas nesta Lição foram retiradas

Leia mais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais

Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais Tópico 4. Como Elaborar um Relatório e Apresentar os Resultados Experimentais 4.1. Confecção de um Relatório 4.1.1. Organização do relatório Um relatório é uma descrição detalhada, clara e objetiva de

Leia mais

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CITAÇÕES E NOTAS DE RODAPÉ

NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CITAÇÕES E NOTAS DE RODAPÉ 1 UNIVERSIDADE POSITIVO NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ACADÊMICOS CITAÇÕES E NOTAS DE RODAPÉ CURITIBA 2012 2 UNIVERSIDADE POSITIVO Reitor José Pio Martins Pró-Reitor Administrativo Arno Antonio

Leia mais

BIBLIOTECA ARTIGO Nº 48

BIBLIOTECA ARTIGO Nº 48 BIBLIOTECA ARTIGO Nº 48 MUITO BARULHO POR NADA - COMO COMPLICAR A EXPLICAÇÃO Autores - Marcos Lobo De Freitas Levy e Silvia V. Fridman A ANVISA prevê a elaboração de uma nova resolução para permitir a

Leia mais

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO

ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO ROTEIRO PARA CRIAÇÃO DE UM ARTIGO CIENTÍFICO Finalidade de um Artigo Científico Comunicar os resultados de pesquisas, idéias e debates de uma maneira clara, concisa e fidedigna. Servir de medida da produtividade

Leia mais

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática

Inglesar.com.br Aprender Inglês Sem Estudar Gramática 1 Sumário Introdução...04 O segredo Revelado...04 Outra maneira de estudar Inglês...05 Parte 1...06 Parte 2...07 Parte 3...08 Por que NÃO estudar Gramática...09 Aprender Gramática Aprender Inglês...09

Leia mais

Período composto por subordinação

Período composto por subordinação Período composto por subordinação GRAMÁTICA MAIO 2015 Na aula anterior Período composto por coordenação: conjunto de orações independentes Período composto por subordinação: conjunto no qual um oração

Leia mais

SURDOS-MUDOS E MÁQUINAS DE TRADUÇÃO. Ângelo Lemos Vidal de Negreiros PET.Com

SURDOS-MUDOS E MÁQUINAS DE TRADUÇÃO. Ângelo Lemos Vidal de Negreiros PET.Com SURDOS-MUDOS E MÁQUINAS DE TRADUÇÃO Ângelo Lemos Vidal de Negreiros PET.Com Roteiro da apresentação Quem são os surdos? Quem são os mudos? Surdez x Mudez Escolas Especiais X Escolas Comuns Máquinas de

Leia mais

A. Sobre a acusação de ocorrência de plágio. 1 Avaliação do texto principal e da caixa

A. Sobre a acusação de ocorrência de plágio. 1 Avaliação do texto principal e da caixa O Conselho de Redacção reuniu-se na passada quarta-feira, dia 11, a pedido do director do jornal para analisar a última crónica do Provedor do Leitor e um documento que entretanto lhe foi entregue pela

Leia mais

Redação Técnico/Científica

Redação Técnico/Científica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Santa Catarina Departamento Acadêmico de Eletrônica Metodologia de Estudos e Pesquisas Redação Técnico/Científica Florianópolis, novembro de 2013.

Leia mais

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO

ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO ANEXO IV RELATO DE EXPERIÊNCIA TÍTULO DO TRABALHO Nome Sobrenome 1 Nome Sobrenome 2 RESUMO Este trabalho apresenta os elementos que constituem a estrutura do relato de experiência para o programa de apoio

Leia mais

PROPAGARE REVISTA CIENTÍFICA DA FACULDADE CAMPO REAL REVISTA PROPAGARE

PROPAGARE REVISTA CIENTÍFICA DA FACULDADE CAMPO REAL REVISTA PROPAGARE REVISTA PROPAGARE A Revista PROPAGARE, publicação da Faculdade Campo Real, criada em 2010, é dirigida à comunidade científica. A PROPAGARE reúne, debate coopera e propaga conhecimento para o progresso

Leia mais

Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias.

Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias. Elaborado pelo Coordenador do curso de Gestão Empresarial Prof. Ms. Ricardo Resende Dias e pela professora Profª Drª Silvana de Brito Arrais Dias. Goiânia, 2010 SUMÁRIO SUMÁRIO...2 1. INTRODUÇÃO...3 1.1-

Leia mais

Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia

Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia PAOLA GENTILE Ensinar a ler em História, Ciências, Matemática, Geografia A forma como se lê um texto varia mais de acordo com o objetivo proposto do que com o gênero, mas você pode ajudar o aluno a entender

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA PRODUÇÃO DE NOTA TÉCNICA NO ÂMBITO DA SUPERINTENDÊNCIA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA

PROCEDIMENTOS PARA PRODUÇÃO DE NOTA TÉCNICA NO ÂMBITO DA SUPERINTENDÊNCIA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA MANUAL DE PROCEDIMENTOS SIA MPR/SIA-006-R01 PROCEDIMENTOS PARA PRODUÇÃO DE NOTA TÉCNICA NO ÂMBITO DA SUPERINTENDÊNCIA DE INFRAESTRUTURA AEROPORTUÁRIA Ed. Parque Cidade Corporate, Torre A Setor Comercial

Leia mais

ESTRUTURA DO TIID 2010

ESTRUTURA DO TIID 2010 ESTRUTURA DO TIID 2010 7. Anexos c 7. A ficha de entrevista, agora com as respostas, deve ser apresentada como anexo, após as referências bibliográficas. 6. Referências Bibliográficas 6. As referências

Leia mais

Normas para apresentação de trabalhos

Normas para apresentação de trabalhos Normas para apresentação de trabalhos Missão da revista A revista Horizonte é uma publicação semestral da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas) e tem por objetivo veicular trabalhos

Leia mais

CENTRO DE ENSINO MÉDIO 02 DE CEILÂNDIA

CENTRO DE ENSINO MÉDIO 02 DE CEILÂNDIA CENTRO DE ENSINO MÉDIO 02 DE CEILÂNDIA Normas Técnicas para Apresentação de Trabalhos Escritos 1 Os trabalhos escritos serão apresentados aos professores de todos os componentes curriculares desta escola

Leia mais

Profa. Dra. Jakeline Romero

Profa. Dra. Jakeline Romero GRUPO EDUCACIONAL KROTON UNIVERSIDADE DE CUIABÁ- UNIC Disciplina: Metodologia Científica Profa. Dra. Jakeline Romero Agosto/12 Cuiabá/MT OBJETIVOS DA LEITURA A leitura serve para formar leitores pensantes

Leia mais

Teste de Habilidade Específica - THE

Teste de Habilidade Específica - THE LEIA COM ATENÇÃO 1. Só abra este caderno após ler todas as instruções e quando for autorizado pelos fiscais da sala. 2. Preencha os dados pessoais. 3. Autorizado o inicio da prova, verifique se este caderno

Leia mais

SEO PARA FOTÓGRAFOS. contato@viniciusmatos.com.br

SEO PARA FOTÓGRAFOS. contato@viniciusmatos.com.br SEO PARA FOTÓGRAFOS contato@viniciusmatos.com.br APRESENTAÇÃO O serviço de SEO oferecido por mim nada mais é que uma parceria minha com o profissional que me colocou no topo das buscas na internet (GOOGLE)

Leia mais

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio

RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA. Dados do Intercâmbio RELATÓRIO DE INTERCÂMBIO CRInt ECA Nome: Juliana Malacarne de Pinho No. USP 7166759 Curso ECA: Jornalismo Dados do Intercâmbio Universidade: Universidade NOVA de Lisboa Curso: Comunicação Social Período:

Leia mais

CONTEXTUALIZANDO AS OPERAÇÕES COM SINAIS DOS NÚMEROS INTEIROS RELATO DE EXPERIÊNCIA.

CONTEXTUALIZANDO AS OPERAÇÕES COM SINAIS DOS NÚMEROS INTEIROS RELATO DE EXPERIÊNCIA. 9 CONTEXTUALIZANDO AS OPERAÇÕES COM SINAIS DOS NÚMEROS INTEIROS RELATO DE EXPERIÊNCIA. Adriana A. Silva Éderson O. Passos INTRODUÇÃO Vergnaud (1982) propôs, em sua Teoria dos Campos Conceituais, que o

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA: passo a passo

PROJETO DE PESQUISA: passo a passo UNIVERSIDADE ESTADUAL DE SANTA CRUZ PROFª MSC. RITA LÍRIO DE OLIVEIRA PROJETO DE PESQUISA: passo a passo ILHÉUS - BAHIA 2013 PROFª MSC. RITA LÍRIO DE OLIVEIRA PROJETO DE PESQUISA: passo a passo Módulo

Leia mais

Na Internet Gramática: atividades

Na Internet Gramática: atividades Na Internet Gramática: atividades Dica: Antes de fazer as atividades abaixo, leia os documentos Modo subjuntivo geral e Presente do subjuntivo, no Banco de Gramática. 1. No trecho a seguir, extraído da

Leia mais

Thursday, October 18, 12

Thursday, October 18, 12 O Site Legado do IFP é uma comunidade online e global dos ex-bolsistas do programa. É um recurso e um lugar para você publicar notícias profissionais, recursos e teses para a comunidade global do IFP,

Leia mais

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA

PIM II. Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA PIM II Projeto Integrado Multidisciplinar GESTÃO FINANCEIRA DA EMPPRESA 1 PIM PROJETO INTEGRADO MULTIDISCIPLINAR TEMA: O aluno deverá escolher uma empresa de qualquer porte ou segmento e, com base no cenário

Leia mais

TÍTULO DO PROJETO [colocar o título em caixa alta, Arial 14, centralizado, em negrito]

TÍTULO DO PROJETO [colocar o título em caixa alta, Arial 14, centralizado, em negrito] UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS, LETRAS E ARTES CURSO DE PEDAGOGIA [Arial 12] NOME COMPLETO DO ALUNO [obs: nome completo em caixa alta, centralizado, sem negrito, Arial 12]

Leia mais

Procedimentos de leitura e escrita

Procedimentos de leitura e escrita Procedimentos de leitura e escrita Prof. Ms. Tamara S. B. Guaraldo Todos lemos... Para vislumbrar o que somos e onde estamos. Lemos para compreender, ou para começar a compreender. Não podemos deixar de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional

SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional SERVIÇO PÚBLICO DO ESTADO DE MINAS GERAIS Secretaria de Estado da Educação Superintendência Regional de Ensino de Carangola Diretoria Educacional Sequencia Didática destinada aos Anos Finais do Ensino

Leia mais

TÍTULO CLARO E OBJETIVO QUANTO ÀS PRETENÇÕES RELATIVAS AO OBJETO DE ESTUDO

TÍTULO CLARO E OBJETIVO QUANTO ÀS PRETENÇÕES RELATIVAS AO OBJETO DE ESTUDO FORMATAÇÃO GERAL PAPEL: A4 MARGEM: 3 cm à esquerda e superior e 2 cm à direita e inferior ESPAÇAMENTO: 1,5 texto corrido; entre parágrafo 6pts antes e depois FONTE: Times New Roman ou Arial TAMANHO DA

Leia mais

MÓDULO 5 O SENSO COMUM

MÓDULO 5 O SENSO COMUM MÓDULO 5 O SENSO COMUM Uma das principais metas de alguém que quer escrever boas redações é fugir do senso comum. Basicamente, o senso comum é um julgamento feito com base em ideias simples, ingênuas e,

Leia mais

3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos:

3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos: CONTEÚDO E HABILIDADES FORTALECENDO SABERES DESAFIO DO DIA DINÂMICA LOCAL INTERATIVA I 3º Bimestre Pátria amada AULA: 127 Conteúdos: Elaboração de cenas e improvisação teatral de textos jornalísticos.

Leia mais

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA

CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA CONSTRUINDO MINHA MONOGRAFIA 1 Prezado(a) aluno(a), Este roteiro foi preparado para auxiliá-lo na elaboração de sua monografia (TCC). Ele o apoiará na estruturação das etapas do seu trabalho de maneira

Leia mais

Guia de orientações para publicar artigo na revista Comunicação & Informação: para o(s) autor(es)

Guia de orientações para publicar artigo na revista Comunicação & Informação: para o(s) autor(es) UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS FACULDADE DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO REVISTA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO Guia de orientações para publicar artigo na revista Comunicação

Leia mais

E D I T A L 1 / 2015.1

E D I T A L 1 / 2015.1 1 E D I T A L 1 / 2015.1 A ASSESSORIA DE TCC E PESQUISA DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM DIREITO DA UNIG no uso de suas atribuições, convoca e informa aos discentes matriculados no 10º. período, no PRIMEIRO semestre

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ZERO Instruções REDAÇÃO Você deve desenvolver seu texto em um dos gêneros apresentados nas propostas de redação. O tema é único para as três propostas. O texto deve ser redigido em prosa. A fuga do tema

Leia mais

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR

SITUAÇÃO DE PRODUÇÃO DA RESENHA NO ENSINO SUPERIOR RESENHA Neste capítulo, vamos falar acerca do gênero textual denominado resenha. Talvez você já tenha lido ou elaborado resenhas de diferentes tipos de textos, nas mais diversas situações de produção.

Leia mais

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO ELETRÔNICO FaSCi-Tech DA FATEC-SÃO CAETANO DO SUL

NORMAS PARA SUBMISSÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO ELETRÔNICO FaSCi-Tech DA FATEC-SÃO CAETANO DO SUL NORMAS PARA SUBMISSÃO DE ARTIGOS PARA O PERIÓDICO ELETRÔNICO FaSCi-Tech DA FATEC-SÃO CAETANO DO SUL 1. O artigo deverá ser enviado sem a identificação do(s) autor(es). Esta identificação deverá ser feita

Leia mais

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA - ACEG

ASSOCIAÇÃO CULTURAL E EDUCACIONAL DE GARÇA - ACEG MANUAL COM AS NORMAS INSTITUCIONAIS DAS FACULDADES MANTIDAS PELA ACEG PARA ELABORAÇÃO E APRESENTAÇÃO DE ARTIGOS CIENTÍFICOS DESTINADOS AO XVI SIMPÓSIO DE CIÊNCIAS APLICADAS DA FAEF SUMÁRIO ASSUNTOS Pgs.

Leia mais

SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2

SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2 SUMÁRIO 1. AULA 6 ENDEREÇAMENTO IP:... 2 1.1 Introdução... 2 1.2 Estrutura do IP... 3 1.3 Tipos de IP... 3 1.4 Classes de IP... 4 1.5 Máscara de Sub-Rede... 6 1.6 Atribuindo um IP ao computador... 7 2

Leia mais

Artigo Científico PÓS GRADUAÇÃO EAD 2015

Artigo Científico PÓS GRADUAÇÃO EAD 2015 Artigo Científico PÓS GRADUAÇÃO EAD 2015 Artigo Cientifico Artigo científico é o trabalho acadêmico que apresenta resultados sucintos de uma pesquisa realizada de acordo com o método científico aceito

Leia mais

AUTOR TÍTULO GUARAPARI ANO

AUTOR TÍTULO GUARAPARI ANO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO CAMPUS GUARAPARI CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS AUTOR TÍTULO GUARAPARI ANO AUTOR

Leia mais

Objetivos. Apresentar as superfícies regradas e superfícies de revolução. Analisar as propriedades que caracterizam as superfícies regradas e

Objetivos. Apresentar as superfícies regradas e superfícies de revolução. Analisar as propriedades que caracterizam as superfícies regradas e MÓDULO 2 - AULA 13 Aula 13 Superfícies regradas e de revolução Objetivos Apresentar as superfícies regradas e superfícies de revolução. Analisar as propriedades que caracterizam as superfícies regradas

Leia mais

Atividade - Sequência Conrado Adolpho

Atividade - Sequência Conrado Adolpho Atividade - Sequência Conrado Adolpho Agora, eu quero lhe apresentar os 6 e-mails do conrado adolpho para vender o 8ps. Quero que você leia está sequência com muita atenção e, depois, responda às provocações

Leia mais

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #6 Eu Posso com a s fazer próprias justiça mãos? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele

CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele CAPÍTULO 5: O EMPREGO DE: Este, Esse ou Aquele Em português existem três pronomes demonstrativos com suas formas variáveis em gênero e número e invariáveis [isto, isso, aquilo]. Eles assinalam a posição

Leia mais

MODELO DE ARTIGO CIENTÍFICO

MODELO DE ARTIGO CIENTÍFICO 1 MODELO DE ARTIGO CIENTÍFICO Nome do Aluno 1 RESUMO Resumos são constituídos de um só paragrafo, podendo ter entre 100 a 250 palavras. Devem apresentar os objetivos e o assunto geral do texto de forma

Leia mais

POR QUE INVERTER O SINAL DA DESIGUALDADE EM UMA INEQUAÇÃO? GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior.

POR QUE INVERTER O SINAL DA DESIGUALDADE EM UMA INEQUAÇÃO? GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior. POR QUE INVERTER O SINAL DA DESIGUALDADE EM UMA INEQUAÇÃO? GT 02 Educação matemática no ensino médio e ensino superior. Bruno Marques Collares, UFRGS, collares.bruno@hotmail.com Diego Fontoura Lima, UFRGS,

Leia mais

Normas ABNT para: referências e citações

Normas ABNT para: referências e citações FACULDADE PITÁGORAS DE UBERLÂNDIA (MG) Metodologia Científica Normas ABNT para: referências e citações Profa. Ketiuce Ferreira Silva ketiuce@yahoo.com.br www.ketiuce.com.br itações e eferências para quê

Leia mais