RELATÓRIO DE VISITA REALIZADA NA PENITENCIÁRIA MODELO DESEMBARGADOR FLÓSCOLO DA NÓBREGA- PRESÍDIO DO RÓGER João Pessoa,

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO DE VISITA REALIZADA NA PENITENCIÁRIA MODELO DESEMBARGADOR FLÓSCOLO DA NÓBREGA- PRESÍDIO DO RÓGER João Pessoa, 14.02.2013"

Transcrição

1 RELATÓRIO DE VISITA REALIZADA NA PENITENCIÁRIA MODELO DESEMBARGADOR FLÓSCOLO DA NÓBREGA- PRESÍDIO DO RÓGER João Pessoa, PARTICIPANTES: Padre Bosco Francisco do Nascimento Conselheiro Presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos da Paraíba e do Conselho da Comunidade da Execução Penal da Capital, integrante nomeado do Comitê de Prevenção e Combate a Tortura do Estado da Paraíba; Guiany Campos Coutinho - Conselheira do Conselho Estadual de Direitos Humanos da Paraíba e do Conselho da Comunidade da Execução Penal da Capital, integrante nomeada do Comitê de Prevenção e Combate a Tortura do Estado da Paraíba e assessora da Pastoral Carcerária Católica da Paraíba; Valdênia Paulino Lanfranchi - Conselheira do Conselho Estadual de Direitos Humanos da Paraíba pela Secretaria de Segurança e Defesa Social SEDS - Ouvidora Geral de Polícias do Estado da Paraíba; Marinho Mendes Machado - Conselheiro do Conselho Estadual de Direitos Humanos da Paraíba pelo Ministério Público Estadual da Paraíba. 2. METODOLOGIA A visita, como é de praxe nas inspeções do CEDDHC-PB, se deu sem anúncio prévio. Visita in loco; apresentação do propósito da visita ao diretor; visita aos presos para escuta; observação da estrutura; retorno ao diretor; relatório com encaminhamentos do CEDH. 3. A PENINTENCIÁRIA A Penitenciária Modelo Desembargador Flóscolo da Nóbrega, conhecida como Presídio do Róger destina-se a presos provisórios. Possui um total de 480 vagas, mas atualmente, abriga quase 1100 presos. Está localizado no bairro do Róger na cidade de João Pessoa/PB. Os prédios que compõem o presídio do Róger são antigos e segundo informações, eles 1

2 foram construídos no século passado por volta da década de 40. A Unidade prisional é composta de um prédio central onde está instalada a área administrativa, quatro pavilhões antigos (I, II, III, e o IV) e mais um prédio de construção mais recente dividido em dois pavilhões (V e VI). No meio da área encontra-se um prédio onde abriga a capela ecumênica, hoje salão de multiuso e também as celas de castigo e de reconhecimento, que são minúsculos espaços sem ventilação e sem nenhuma condição de vida, que amontoa seres humanos junto a grande quantidade de insetos. As instalações são hoje, verdadeiros depósitos de lixos e outros dejetos, o que faz exalar um forte cheiro, com verdadeira invasão de moscas, baratas e ratos. Algumas das celas se encontram praticamente em estado de ruína. 4. ACESSO ÀS INSTALAÇÕES No dia quatorze de fevereiro do ano de 2013, a equipe chegou àquela unidade por volta das 16 horas. Ainda na área externa foi observado um grande quantidade de curiosos, familiares e alguns veículos da imprensa. A quantidade de policiais militares nos chamou a atenção e indicava problemas no interior da unidade. Encontramos ainda fora o Tenente Coronel Arnaldo Sobrinho, gerente da Gesipe que nos convidou a entrar. O diretor estava presente. Informamos que gostaria de adentrar para o interior da Penitenciária para dar inicio a inspeção. 5. MOTIVAÇÃO DA VISITA Averiguação de denuncia de muita violência com mortes e feridos no interior da Penitenciária Modelo Desembargador Flóscolo da Nóbrega. As informações são oriundas de familiares, servidores, advogados, da própria SEAP e da imprensa local. 6. CONTATO COM O INTERNO Ao adentrar às instalações, sempre acompanhados pelo Tenente Coronel Arnaldo 2

3 Sobrinho e de seu assessor o Major Alberto, nos deparamos com amontoados de lixos, colchões e roupas espalhados por todos os lados. Nos dirigimos inicialmente para o pavilhão II. Observamos que todos os presos estavam soltos nos pavilhões. Segundo informação dos servidores, as trancas das grades foram arrebentadas na ultima rebelião, no inicio deste ano. Estava sendo servido o jantar. Uma sopa grossa, que mal dava para sair da concha, pão e café. Foi informado pelo pessoal que estava servindo o jantar que o pão não era suficiente para todos. Muitas reclamações sobre a alimentação. Vimos restos de alimentos nos portões dos pavilhões, proliferando muitas moscas e exalando mau cheiro. Os presos que se encontravam no pavilhão II moravam no pavilhão III por conta de um buraco encontrado na cela oito, que segundo informação de servidores seria para a escavação de um túnel. Vimos o referido buraco de aproximadamente meio metro de diâmetro e a quase a mesma extensão de profundidade. Ouvimos muitas reclamações destes internos com relação à maneira como estão sendo tratados pelos funcionários da casa. Os presos reclamavam o fato de terem sido retirados de suas celas de origem sem roupas e sem material de higiene. Que os calções que usavam naquele momento eram roupas de outros presos que foram transferidos para outros espaços, obrigados a deixar os seus pertences naquele local. A equipe observou que muitos usavam roupas amarradas com tiras de pano eu com alguns nós, denunciando que se tratava de vestes alheias. Fomos igualmente aos pavilhões IV, V e VI. As mesmas informações. Nos pavilhões V e VI são denominados de seguro. Eles abrigam os presos que tem problemas de convivência com o restante dos presos dos outros pavilhões. Naquela tarde tinha acontecido um tumulto no pavilhão V, onde tinham sido retirados alguns presos que estavam em desavença com os demais. Estes foram levados para a delegacia, mas não nos foi informado o teor dos delitos. As celas de castigo, conhecidas como isolado e as do reconhecimento estão superlotadas. Os presos estão nas referidas celas cerca de três meses. Durante este período foram e estão privados de visitas e de banho de sol. Em uma das celas do reconhecimento de aproximadamente três metros de largura, por três de comprimento 3

4 encontramos quarenta e um presos. Estas pessoas se espremem para ficarem sentados no chão com as pernas dobradas. No espaço que antigamente foi um refeitório encontramos um depósito humano. Mais de cento e cinquenta homens amontoados, sem espaço para se movimentar. No meio destes encontramos um idoso deficiente visual e outro com uma bolsa de colostomia. Muitos outros reclamando de doenças, inclusive doenças contagiosas. Ouvimos muitas reclamações de maus tratos, pancadas e denúncias de uso de arma letal por parte dos agentes. Podemos ver muitas pessoas marcadas com munição de armas menos letais e outras tantas marcadas com tiros de armas letais, alguns com projéteis ainda alojados no corpo. Muitos doentes sem acompanhamento, sem a medicação de rotinas para as doenças crônicas. Presos com a cabeça e sobrancelhas raspadas por ordem da casa. Foi possível verificar marcas de escarros de sangue dos presos nas paredes, conseqüência das agressões praticadas pelos agentes penitenciários. Vários nomes foram citados. Fomos informados, inclusive pela direção, que existem muitos ratos e baratas por todos os lugares. Há unanimidade nas reclamações no que se refere à prestação jurisdicional. Morosidade do Poder Judiciário e atendimento deficiente e falta de atendimento jurídico. Ao sairmos, o diretor não mais se encontrava na unidade. O Tenente Coronel Arnaldo Sobrinho como também o seu assessor o Major Alberto não proferiu nenhum comentário, se limitando apenas a fazer referência às dificuldades e a expectativa do projeto para criação de novas vagas. Ainda no pátio nos dirigimos a um grupo de agentes penitenciários para manifestar a preocupação do CEDH com as precárias condições de trabalho e colocar o CEDH à disposição dos mesmos. OS PRESOS SE ENCONTRAM EM CONDIÇÕES DESUMANA E DEGRADANTE. 7. RECOMENDAÇÕES 1. Suspender de imediato o ingresso de presos naquela unidade prisional; 4

5 2. O Estado da Paraíba deve implantar a Comissão Técnica de Classificação dos detentos do Presidio Flóscolo da Nobrega, composta por, pelo menos, um psicólogo e um assistente social, de sorte a promover a separação dos apenados conforme seus antecedentes e sua personalidade, favorecendo a individualização da pena e a ressocialização dos apenados; 3. O Estado da Paraíba deve implantar o Conselho Disciplinar na Penitenciária Modelo Desembargador Flóscolo da Nóbrega. O Conselho Disciplinar realizará as diligencias indispensáveis à precisa elucidação do fato, inclusive solicitação de perícia técnica, quando necessário, para formar seus elementos de convicção. Será propiciado ao detento submetido a julgamento pelo Conselho Disciplinar, o mais amplo direito de defesa, seja por advogado constituído ou por Defensor Publico do Estado lotado naquela Unidade Prisional; 4. O Estado da Paraíba deve regularizar o funcionamento do PSP - Programa de Saúde Penitenciária Modelo Desembargador Flóscolo da Nóbrega, assegurando o funcionamento todos os dias da semana, através de equipe composta por médico, dentista, enfermeiro e outros profissionais de saúde previstos no Programa. Deve ainda agilizar o tratamento dos detentos que necessitam de serviços médicos externos, principalmente cirurgias; 5. O Estado da Paraíba deve preparar seus servidores, sobretudo diretores e funcionários de estabelecimentos de confinamento de pessoas a respeitarem as prerrogativas do Conselho Estadual de Direitos Humanos criado pela Lei Estadual Nº 5.551/92. Tratar de forma respeitosa os conselheiros é um dever do servidor publico; 6. Abrir procedimento para apurar o uso de armas letais pelos agentes penitenciários. 7. Providenciar de imediato a transferência de parte dos presos do isolado e do reconhecimento. 8. A SEAP deve prestar contas por escrito, das providências tomadas para cumprimento destas recomendações no prazo de 30 (trinta) dias após seu conhecimento. JOÃO BOSCO FRANCISCO DO NASCIMENTO Conselheiro presidente. 5

6 ANEXO FOTOGRAFIAS RECENTES DA PENITENCIÁRIA MODELO DESEMBARGADOR FLÓSCOLO DA NÓBREGA- PRESÍDIO DO RÓGER Arquivo do CEDH - PB Frente da Penitenciária Modelo Flóscolo da Nóbrega 6

7 Objetos pessoais dos presos após pente fino. 7

8 Mostras das balas utilizadas pelos agentes penitenciários contra os presos. Familiares aguardando para entrega dos alimentos. 8

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador MAGNO MALTA

PARECER Nº, DE 2011. RELATOR: Senador MAGNO MALTA PARECER Nº, DE 2011 Da COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA, sobre o Ofício S nº 51, de 2009, que encaminha ao Senado Federal cópia de Relatório de Inspeção Prisional realizada no Estado

Leia mais

Considerando a inspeção empreendida no dia 19.09.2012 no Centro de Recuperação Feminina;

Considerando a inspeção empreendida no dia 19.09.2012 no Centro de Recuperação Feminina; Considerando que ao Conselho Penitenciário do Estado do Pará compete, de acordo com o Decreto 418/79, inspecionar os estabelecimentos prisionais sediados no Estado do Pará, com objetivo de assegurar condições

Leia mais

ESTADO DE GOIÁS ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA

ESTADO DE GOIÁS ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA RELATÓRIO DA VISITA FEITA AO CENTRO DE INSERÇÃO SOCIAL DE ANÁPOLIS (PRESÍDIO DE ANÁPOLIS), REALIZADA EM 25 DE MAIO DE 2011, PELA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS E LEGISLAÇÃO PARTICIPATIVA DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Leia mais

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO RELATÓRIO DE INSPEÇÃO CENTRO DE RECUPERAÇÃO REGIONAL DE PARAGOMINAS Aos quatro dias do mês de julho de 2013, o Conselho Penitenciário, neste ato composto pelas representantes Dra. Maria Clara Barros de

Leia mais

Penitenciária Localizada em Vitória de Santo Antão. Penitenciária Juiz Plácido de Souza. Localizada em Caruaru

Penitenciária Localizada em Vitória de Santo Antão. Penitenciária Juiz Plácido de Souza. Localizada em Caruaru Relatório de Visita e Fiscalização Pernambuco Unidades visitadas: Penitenciária Localizada em Vitória de Santo Antão Penitenciária Juiz Plácido de Souza. Localizada em Caruaru Complexo Prisional do Curado

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA NÚCLEO V

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA NÚCLEO V ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA NÚCLEO V RELATÓRIO DE INSPEÇÃO 1. DATA DA INSPEÇÃO: 14 de fevereiro de 2013. 2. UNIDADE INSPECIONADA: 2.1. Penitenciária Sul - Criciúma.

Leia mais

PRINCÍPIOS BÁSICOS E ORIENTADORES

PRINCÍPIOS BÁSICOS E ORIENTADORES ÍNDICE PREFÁCIO par. pág. Razão de ser 1-3 13 Os objectivos 4-5 13 A origem 6-8 13 Agradecimentos: aos redactores 9 14 Agradecimentos: aos patrocinadores 10 14 Aos destinatários 11 14 ONDE COMEÇA O MANUAL

Leia mais

FORMULÁRIO DE INSPEÇÃO

FORMULÁRIO DE INSPEÇÃO FORMULÁRIO DE INSPEÇÃO COMARCA: I Quanto ao Centro de Reintegração Social da APAC Feminina Nome: Endereço: Bairro: CEP: - Telefone: E-mail: Vagas: recuperandas Lotação atual: recuperandas Responsável:

Leia mais

INSPEÇÕES DO CONSELHO PENITENCIÁRIO Relatório Complementar

INSPEÇÕES DO CONSELHO PENITENCIÁRIO Relatório Complementar INSPEÇÕES DO CONSELHO PENITENCIÁRIO Relatório Complementar I. HOSPITAL DE CUSTÓDIA E TRATAMENTO PSIQUIÁTRICO HCTP Data: 19 de janeiro de 2012. Hora Início: 11:45h. Conselheiros Participantes: Dr. Igor

Leia mais

Penitenciária II de Potim

Penitenciária II de Potim CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CRIMINAL E PENITENCIÁRIA Penitenciária II de Potim Relatório de visita de inspeção Conselheiro Fernando Braga Viggiano e Servidor Jefferson Alves Lopes Visita de inspeção

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária RELATÓRIO DE VISITA DE INSPEÇÃO PRESÍDIO PROF. ANÍBAL BRUNO, RECIFE/PE. MARÇO DE 2008 Unidade: Presídio Professor Aníbal Bruno Av. Liberdade, s/n - Curado - Recife PE Data: 10 de março de 2008. Conselheiros:

Leia mais

Ao Sr. Santiago A. Canton Secretário Executivo da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA

Ao Sr. Santiago A. Canton Secretário Executivo da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA Ofício IHRC 08.07.11 2 Recife, São Paulo, Rio de Janeiro e Cambridge, 8 de julho de 2011 Ao Sr. Santiago A. Canton Secretário Executivo da Comissão Interamericana de Direitos Humanos da OEA 1889 F Street

Leia mais

EXCELENTÍSSIMA SENHORA DOUTORA JUÍZA DE DIREITO DA VARA DE EXECUÇÕES PENAIS DA COMARCA DE LONDRINA-PARANÁ

EXCELENTÍSSIMA SENHORA DOUTORA JUÍZA DE DIREITO DA VARA DE EXECUÇÕES PENAIS DA COMARCA DE LONDRINA-PARANÁ EXCELENTÍSSIMA SENHORA DOUTORA JUÍZA DE DIREITO DA VARA DE EXECUÇÕES PENAIS DA COMARCA DE LONDRINA-PARANÁ O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ, por intermédio do Promotor de Justiça que abaixo subscreve,

Leia mais

Federação de Futebol do Estado de Rondônia Fundada em 29 de Outubro de 1944 Filiada à Confederação Brasileira de Futebol - CBF

Federação de Futebol do Estado de Rondônia Fundada em 29 de Outubro de 1944 Filiada à Confederação Brasileira de Futebol - CBF 1 PLANO GERAL DE AÇÃO - 2015 1. INTRODUÇÃO O presente documento foi elaborado visando atender as determinações da Lei n 10.671, de 15/05/2003 Estatuto de Defesa do Torcedor e suas alterações (Lei 12.199/2010),

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Memorando nº 001/DMF Brasília, 02 de janeiro de 2014 A Sua Excelência o Senhor Ministro Joaquim Barbosa Presidente do Conselho Nacional de Justiça ASSUNTO: RELATÓRIO DE INSPEÇÃO NOS ESTABELECIMENTOS PRISIONAIS

Leia mais

RELATÓRIO DE VISITA E FISCALIZAÇÃO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. PSME I Penitenciária de Segurança Média I - VIANA

RELATÓRIO DE VISITA E FISCALIZAÇÃO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO. PSME I Penitenciária de Segurança Média I - VIANA RELATÓRIO DE VISITA E FISCALIZAÇÃO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Unidades Visitadas: PSME I Penitenciária de Segurança Média I - VIANA PSMA I Penitenciária de Segurança Máxima I VIANA CTV Centro de Triagem

Leia mais

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA

PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA PROPOSTAS PARA A REDUÇÃO DA VIOLÊNCIA 1. Criar o Fórum Metropolitano de Segurança Pública Reunir periodicamente os prefeitos dos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo para discutir, propor,

Leia mais

Avaliação da coordenação da Pastoral Carcerária SP sobre o sistema prisional

Avaliação da coordenação da Pastoral Carcerária SP sobre o sistema prisional São Paulo, 19 de junho de 2006 Avaliação da coordenação da Pastoral Carcerária SP sobre o sistema prisional O Estado de São Paulo vive hoje o clima do pós-rebeliões, do pós-confronto do crime organizado

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PIAUÍ RELATÓRIO DE INSPEÇÃO CARCERÁRIA I INTRODUÇÃO: Com o objetivo de dar cumprimento ao disposto no art. 68, parágrafo único, da Lei de Execução Penal Lei nº 7.210/84, e na Resolução CNMP nº 56, de 22.06.2010,

Leia mais

CARTA DE BRASÍLIA I ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS DA COMUNIDADE Brasília 6 e 7 dezembro de 2012

CARTA DE BRASÍLIA I ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS DA COMUNIDADE Brasília 6 e 7 dezembro de 2012 CARTA DE BRASÍLIA I ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS DA COMUNIDADE Brasília 6 e 7 dezembro de 2012 Os participantes do I ENCONTRO NACIONAL DOS CONSELHOS DA COMUNIDADE, representantes de Conselhos da Comunidade

Leia mais

VIDEOCONFERÊNCIA É REALIDADE NA PM

VIDEOCONFERÊNCIA É REALIDADE NA PM VIDEOCONFERÊNCIA É REALIDADE NA PM Comodidade, conforto, agilidade, economia. Estes são alguns dos benefícios que os policiais militares passam a contar a partir de agora. É que ontem, 10, a Polícia Militar,

Leia mais

INTERESSADOS : SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DE MATO GROSSO SILVAL DA CUNHA BARBOSA

INTERESSADOS : SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DE MATO GROSSO SILVAL DA CUNHA BARBOSA AUTOS ID N. 418423 PROCEDIMENTO INCIDENTE INTERESSADOS : SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DE MATO GROSSO SILVAL DA CUNHA BARBOSA VISTOS ETC. A Secretaria de Segurança Pública encaminhou a este juízo o autuado

Leia mais

Políticas Publicas de Ressocialização

Políticas Publicas de Ressocialização Primeiro Encontro Mato Grossense de Conselhos da Comunidade Políticas Publicas de Ressocialização ão Rosangela Peixoto Santa Rita 26 de junho de 2008. O Brasil já tem mais de 423 mil presos em seus cárceres;

Leia mais

Violência homicida. Diferenças regionais

Violência homicida. Diferenças regionais 1 de 6 31/01/2014 23:35 Aumentar a fonte Diminuir a fonte VIOLÊNCIA CORPO NO CHÃO Morto em outubro de 2012, em Itaquera, Zona Leste paulistana: mais uma entre as mais de 40 mil pessoas assassinadas no

Leia mais

CONSELHO PENITENCIÁRIO DO PARANÁ

CONSELHO PENITENCIÁRIO DO PARANÁ Lei nº. 12.317, de 28 de agosto de 1998 Lei nº 12.377, de 28 de dezembro de 1998 Lei nº. 14.556, de 09 de dezembro de 2004 Lei nº. 17.908, de 02 de janeiro de 2014. Decreto nº. 1.206, de 05 de maio de

Leia mais

MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE POSSE COLETIVA.

MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE POSSE COLETIVA. MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO DEPARTAMENTO DE OUVIDORIA AGRÁRIA E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS - DOAMC MANUAL DE DIRETRIZES NACIONAIS PARA EXECUÇÃO DE MANDADOS JUDICIAIS DE MANUTENÇÃO E REINTEGRAÇÃO DE

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA E DA CIDADANIA

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA E DA CIDADANIA RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 001/2007-SEAP/SEJU OS SECRETÁRIOS DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA E DA JUSTIÇA E DA CIDADANIA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 45, inciso XIV

Leia mais

As Propostas da Pastoral Carcerária Nacional em relação ao Eixo 6 Sistema Penitenciário da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública (I CONSEG).

As Propostas da Pastoral Carcerária Nacional em relação ao Eixo 6 Sistema Penitenciário da 1ª Conferência Nacional de Segurança Pública (I CONSEG). PASTORAL CARCERÁRIA NACIONAL - CNBB Praça Clovis Bevilácqua, 351, conj.501 Centro - 01018-001 - São Paulo - SP Tel/fax (11) 3313-5735, 3227-8683, 3101-9419 - gzgubic@uol.com.br - www.carceraria.org.br

Leia mais

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL

DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL DIREITO PENAL E DIREITO PROCESSUAL PENAL PEÇA PROFISSIONAL Mariano Pereira, brasileiro, solteiro, nascido em 20/1/1987, foi denunciado pela prática de infração prevista no art. 157, 2.º, incisos I e II,

Leia mais

Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e

Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e Anexo II Di r e t r i z e s Ge r a i s d o s Se rv i ç o s d e Re s p o n s a b i l i z a ç ã o e Educação do Agressor SERVIÇO DE RESPONSABILIZAÇÃO E EDUCAÇÃO DO AGRESSOR Ap r e s e n ta ç ã o A presente

Leia mais

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA Segurança SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA A sensação de segurança é uma questão que influencia significativamente a qualidade de vida de toda a sociedade devendo ser tratada

Leia mais

PARA: DR. JULIANO BREDA PRESIDENTE DA CDDH/OAB/PR. Senhor Presidente,

PARA: DR. JULIANO BREDA PRESIDENTE DA CDDH/OAB/PR. Senhor Presidente, PARA: DR. JULIANO BREDA PRESIDENTE DA CDDH/OAB/PR Senhor Presidente, Considerando que à Ordem dos Advogados do Brasil cumpre a defesa da Constituição Federal, da ordem jurídica do Estado Democrático de

Leia mais

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE POLÍTICAS PARA MULHERES SECRETRIA DE ENFRENTAMENTO À VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES Diretrizes para Implementação dos Serviços de Responsabilização e Educação dos Agressores

Leia mais

RELATÓRIO DE VISITA AO ESPÍRITO SANTO

RELATÓRIO DE VISITA AO ESPÍRITO SANTO CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CRIMINAL E PENITENCIÁRIA RELATÓRIO DE VISITA AO ESPÍRITO SANTO 1. DOS PRESÍDIOS VISITADOS A visita se fez nos dias 16 e 17 de abril na Casa de Custódia de Viana e no presídio

Leia mais

MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do. Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira

MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do. Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira O SR. JOSÉ ANTÔNIO ROSA (PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira Mendes, na pessoa de quem cumprimento todos

Leia mais

Convênios 2011 - Empenhados - Posição em 23/07/2012

Convênios 2011 - Empenhados - Posição em 23/07/2012 1 AC 125/2011 759430/2011 Implantar o Serviço de Educação e Responsabilização para Homens Autores de Violência Doméstica. 297.010,16 33.132,63 330.142,79 Convenente: Governo do Estado do Acre Criação e

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE BELÉM, ESTADO DO PARÁ. Peças de Informação nº 1.23.000.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE BELÉM, ESTADO DO PARÁ. Peças de Informação nº 1.23.000. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ FEDERAL DA VARA DA SEÇÃO JUDICIÁRIA DE BELÉM, ESTADO DO PARÁ Peças de Informação nº 1.23.000.000059/2012-90 O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, no exercício da titularidade

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária Relatório de Visita Prisional ao Estado de Rondônia realizada no dia 22/10/2011 OBSERVAÇÃO: O presente relatório foi apresentado

Leia mais

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013

CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 CONSELHO SUPERIOR DA DEFENSORIA PÚBLICA RESOLUÇÃO CSDPE Nº 016/2013 Dispõe sobre as atribuições da Coordenação de Atendimento ao Preso Provisório da Defensoria Pública da Capital e dá outras providências.

Leia mais

Estatística de comunicações registradas na Ouvidoria em maio de 2014

Estatística de comunicações registradas na Ouvidoria em maio de 2014 Estatística de comunicações registradas na Ouvidoria em maio de 014 91 19% 1% 67 % Internet -.474 Telefone - 91 Sede - 67 Ouvidoria Itinerante -.474 78% TOTAL:.1 Estatística de comunicações recebidas via

Leia mais

INFORMAÇÕES SOBRE O MUNICÍPIO DE ARARAQUARA RELATÓRIO CENTRO DE REFERÊNCIA DA MULHER

INFORMAÇÕES SOBRE O MUNICÍPIO DE ARARAQUARA RELATÓRIO CENTRO DE REFERÊNCIA DA MULHER INFORMAÇÕES SOBRE O MUNICÍPIO DE ARARAQUARA O Município de Araraquara está localizado no centro do Estado de São Paulo, possuindo uma área total 1.312 Km2 com 77,37 Km2 ocupados pela área urbana. Sua posição

Leia mais

RELATÓRIO DELEGACIAS DE ALAGOAS PRESO É DA JUSTIÇA, NÃO É DA POLÍCIA

RELATÓRIO DELEGACIAS DE ALAGOAS PRESO É DA JUSTIÇA, NÃO É DA POLÍCIA RELATÓRIO DELEGACIAS DE ALAGOAS PRESO É DA JUSTIÇA, NÃO É DA POLÍCIA Maceió/AL, Janeiro de 2014 P á g i n a 2 ÍNDICE Introdução...03 Anadia...04 Atalaia...04 Cacimbinhas...05 Cajueiro...06 Campo Alegre...06

Leia mais

CONSULTA Nº 91.404/2012

CONSULTA Nº 91.404/2012 1 CONSULTA Nº 91.404/2012 Assunto: Dificuldades com internações de pacientes dependentes químicos, encaminhados por ordem judicial Relator: Conselheiro Mauro Gomes Aranha de Lima. Ementa: Hospital psiquiátrico.

Leia mais

Associação de Proteção e Assistência aos condenados. Criação e Implantação nos Municípios

Associação de Proteção e Assistência aos condenados. Criação e Implantação nos Municípios Associação de Proteção e Assistência aos condenados Criação e Implantação nos Municípios O Método APAC O que é? A APAC é uma entidade civil de Direito Privado, com personalidade jurídica própria, destinada

Leia mais

Governador do Estado afirma que ONGs tumultuam prisões por motivações políticas

Governador do Estado afirma que ONGs tumultuam prisões por motivações políticas Clipping produzido pelo Instituto de Políticas Públicas de Segurança da Fundação Santo André INSEFUSA 25/04/2006 Governador do Estado afirma que ONGs tumultuam prisões por motivações políticas - O governador

Leia mais

ASSISTÊNCIA A SAÚDE À MULHER - PRESA: UM DIREITO NEGADO

ASSISTÊNCIA A SAÚDE À MULHER - PRESA: UM DIREITO NEGADO 1 ASSISTÊNCIA A SAÚDE À MULHER - PRESA: UM DIREITO NEGADO Hilderline Câmara de Oliveira Christianne Medeiros Cavalcante Eduardo Franco Correia Cruz Joseneide Sousa Pessoa dos Santos Universidade Federal

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 14/2015-CM

ESTADO DE MATO GROSSO PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA PROVIMENTO N. 14/2015-CM PROVIMENTO N. 14/2015-CM Estabelece a rotina de realização das Audiências de Custódia junto à 11ª Vara Criminal da Comarca de Cuiabá. O PRESIDENTE DO CONSELHO DA MAGISTRATURA DO, no uso das suas atribuições,

Leia mais

BRASIL. (tradução não oficial para o português)

BRASIL. (tradução não oficial para o português) Distr. GERAL CCPR/C/BRA/CO/2 2 de Novembro 2005 Original: Inglês Comitê de Direitos Humanos 85ª Sessão CONSIDERAÇÃO DE RELATÓRIOS ENVIADOS POR ESTADOS PARTES SOB O ARTIGO 40 DO PACTO Observações finais

Leia mais

Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois

Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois Lei MARIA DA PENHA 3 anos depois Três anos depois, lei Maria da Penha diversifica perfil de mulheres que procuram ajuda contra violência doméstica. Quais são os resultados trazidos pela lei Maria da Penha?

Leia mais

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012 RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA nº 01/2012 CONSIDERANDO: 1. A existência do Procedimento Preparatório n. 0089.11.000011-7, cujo objeto é apurar eventual irregularidade em casa de abrigo para idosos na Rua

Leia mais

Planejamento de canteiros, gerenciamento de obras, lista de verificação

Planejamento de canteiros, gerenciamento de obras, lista de verificação Registro fotográfico fico Planejamento de canteiros, gerenciamento de obras, lista de verificação Armazenamento de materiais (areia) Contenção lateral Cobertura com lona plástica Profa. Geilma L. Vieira

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo fls. 2 Registro: 2014.0000788614 ACÓRDÃO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação nº 0026430-06.2010.8.26.0562, da Comarca de Santos, em que

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DA COMUNIDADE DA COMARCA DE BLUMENAU-SC

REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DA COMUNIDADE DA COMARCA DE BLUMENAU-SC REGIMENTO INTERNO DO CONSELHO DA COMUNIDADE DA COMARCA DE BLUMENAUSC CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Artigo 1 O presente regimento interno disciplina o funcionamento do Conselho da Comunidade da

Leia mais

O que deve fazer uma mulher vítima de agressão?

O que deve fazer uma mulher vítima de agressão? PERGUNTAS FREQUENTES O que deve fazer uma mulher vítima de agressão? A mulher em situação de violência doméstica poderá comparecer a uma delegacia de Defesa da Mulher mais próxima à sua casa para registrar

Leia mais

05/02/2013 - Governo de São Paulo entrega mais de 3 mil vagas no sistema prisional Sex, 18 de Janeiro de 2013 13:46

05/02/2013 - Governo de São Paulo entrega mais de 3 mil vagas no sistema prisional Sex, 18 de Janeiro de 2013 13:46 As primeiras 1536 estarão disponíveis com a Inauguração do Centro de Detenção Provisória e da Penitenciária Masculina de Cerqueira César, que aconteceu hoje. Dando continuidade ao plano de expansão de

Leia mais

PROMOTORIA DE JUSTIÇA SECRETARIAS DE VARA

PROMOTORIA DE JUSTIÇA SECRETARIAS DE VARA O original deste documento é eletrônico e foi assinado digitalmente por JOSE TARCILIO SOUZA DA SILVA e FRANCISCO JAIME MEDEIROS NETO e ANTONIO PADUA SILVA e EDITE BRINGEL OLINDA ALENCAR em 10/07/2012 às

Leia mais

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO LEI Nº 10.006

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO LEI Nº 10.006 ESTADO DO ESPÍRITO SANTO LEI Nº 10.006 Institui o Comitê Estadual para a Prevenção e Erradicação da Tortura no Espírito Santo - CEPET/ES e o Mecanismo Estadual de Prevenção e Erradicação da Tortura no

Leia mais

Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania

Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania 1) Curso de Educação para Agressores - ONG Coletivo Feminista Sexualidade e Saúde. Visa a reconstrução comportamental da conduta dos homens, em atendimento

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

CIDADANIA RESSOCIALIZAÇÃO DO APENADO:

CIDADANIA RESSOCIALIZAÇÃO DO APENADO: Curso de Direito CIDADANIA RESSOCIALIZAÇÃO DO APENADO: estudo de caso no centro de remanejamento do sistema prisional Acadêmicos: Afrânio Geraldo de Melo Ana Cláudia Matos Lage dos Santos André Luiz Porto

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS Entre PRIMEIRO OUTORGANTE..., portador do B.I. n.º.., emitido em. /. /. pelo Arquivo de Identificação de, contribuinte n.º...., residente em... SEGUNDO OUTORGANTE: Casa

Leia mais

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA

SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA Segurança SEGURANÇA ALTERNATIVAS PARA TRATAR O TEMA DA (IN) SEGURANÇA A falta de segurança é uma questão que influencia significativamente a qualidade de vida de toda a sociedade devendo ser tratada pelos

Leia mais

MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013

MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013 MORADIA ESTUDANTIL INFORMES DA PRAE N.º 002/2013 RELATÓRIO DA REUNIÃO REALIZADA DIA 12.04. 2013 ENTRE O CONSELHO DA MORADIA ESTUDANTIL E REPRESENTANTES DA UFSC FLORIANÓPOLIS, 30 DE ABRIL DE 2013 1 APRESENTAÇÃO

Leia mais

Central de Atendimento: (11) 3292-6100

Central de Atendimento: (11) 3292-6100 Manual das Normas para uso da Colônia de Férias do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Artefatos de Borracha, Pneumáticos e Afins da Grande São Paulo e Região Uma publicação do Sindicato dos

Leia mais

LEI Nº 977, DE 24 DE ABRIL DE 2014.

LEI Nº 977, DE 24 DE ABRIL DE 2014. LEI Nº 977, DE 24 DE ABRIL DE 2014. Regulamenta os serviços funerários no Município de Chapadão do Sul e dá outras providências. O Prefeito Municipal de Chapadão do Sul, Estado de Mato Grosso do Sul, no

Leia mais

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO - 01/2013

RELATÓRIO DE INSPEÇÃO - 01/2013 RELATÓRIO DE INSPEÇÃO - 01/2013 I - FINALIDADE O presente relatório apresenta o resultado da inspeção realizada no dia 12 de abril deste ano, pela Diretoria Executiva do SINPRF-PA/AP, representada pelo

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa LEI Nº 12.201, DE 29 DE DEZEMBRO DE 2004. (publicada no DOE nº 248, de 30 de dezembro de 2004) Institui o fator de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 56 DE 22 DE JUNHO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 56 DE 22 DE JUNHO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 56 DE 22 DE JUNHO DE 2010 Dispõe sobre a uniformização das inspeções em estabelecimentos penais pelos membros do Ministério Público. O CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, no exercício

Leia mais

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA

cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 1 CAPA cartilha direitos humanos layout:layout 1 2008-09-05 13:42 Página 2 TODOS SÃO IGUAIS PERANTE A LEI* *Artigo 5º da Constituição Brasileira

Leia mais

CICLO DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA 14/07/2014 TRABALHO PARA O PRESO

CICLO DE INOVAÇÃO NA GESTÃO PÚBLICA 14/07/2014 TRABALHO PARA O PRESO TRABALHO PARA O PRESO Julho 2014 1 Sumário Categoria:... 3 Ementa... 3 Ideia... 4 Trabalho para o preso... 4 Nome do Pré-Projeto:... 4 Órgão executor:... 4 Início / Término da implementação:... 4 Público-alvo:...

Leia mais

RELATÓRIO VIOLAÇÕES DE DIREITOS DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA NOS MESES QUE ANTECEDEM A REALIZAÇÃO DA COPA DO MUNDO

RELATÓRIO VIOLAÇÕES DE DIREITOS DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA NOS MESES QUE ANTECEDEM A REALIZAÇÃO DA COPA DO MUNDO RELATÓRIO VIOLAÇÕES DE DIREITOS DA POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA NOS MESES QUE ANTECEDEM A REALIZAÇÃO DA COPA DO MUNDO O Centro Nacional de Defesa dos Direitos Humanos da População em Situação de Rua e

Leia mais

MULHERES NO CÁRCERE. Palavras-chaves: Mulheres no cárcere. Detentas. Sistema carcerário feminino brasileiro.

MULHERES NO CÁRCERE. Palavras-chaves: Mulheres no cárcere. Detentas. Sistema carcerário feminino brasileiro. MULHERES NO CÁRCERE Esther Castro e Silva Resumo Se a situação da mulher em liberdade é de frequente discriminação, opressão e descaso por parte do Estado, quando o assunto é prisão feminina, ou mulheres

Leia mais

Projeto de Intervenção Modelo Individual

Projeto de Intervenção Modelo Individual Imprimir Projeto de Intervenção Modelo Individual Marcela Haupt Bessil PROJETO DE INTERVENÇÃO Grupo sobre Redução de Danos com Agentes Promotores de Saúde no Sistema Prisional Porto Alegre / RS 2014 1.

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos para digitação de documentos.

Estabelecer critérios e procedimentos para digitação de documentos. Proposto por: Equipe da Central de Assessoramento Criminal DIGITAR DOCUMENTOS Analisado por: Escrivão/RE da Central de Assessoramento Criminal Aprovado por: ATENÇÃO: A cópia impressa a partir da intranet

Leia mais

Será que era isso que eles pretendiam com a revolta. Não estavam satisfeitos com aquela situação ou são masoquistas e gostam de sofrer?

Será que era isso que eles pretendiam com a revolta. Não estavam satisfeitos com aquela situação ou são masoquistas e gostam de sofrer? SISTEMA CARCERÁRIO E DIREITOS HUMANOS DALIO ZIPPIN FILHO ADVOGADO CRIMINALISTA Recentemente eclodiu na Penitenciária Central do Estado uma rebelião envolvendo os mil e quinhentos presos que ali estão recolhidos,

Leia mais

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA NÚCLEO V RELATÓRIO DE INSPEÇÃO

ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA NÚCLEO V RELATÓRIO DE INSPEÇÃO ESTADO DE SANTA CATARINA PODER JUDICIÁRIO CORREGEDORIA-GERAL DA JUSTIÇA NÚCLEO V RELATÓRIO DE INSPEÇÃO 1. DATA DA INSPEÇÃO: 28 de junho de 2013. 2. UNIDADE INSPECIONADA: 2.1. Presídio Santa Augusta Criciúma

Leia mais

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ESTADO DA PARAÍBA PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA - L,, n ESTADO DA PARAÍBA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Apelação Criminal n 200.2007.001711-2/001 8 a Vara Criminal de João Pessoa Relator : O Excelentíssimo Desembargador José Maninho Lisboa Apelante : Darcilene

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 02, DE 29 DE OUTUBRO 2015. Apresenta recomendações que visam à interrupção da transmissão do HIV, das hepatites virais, da tuberculose e outras enfermidades entre as pessoas privadas de liberdade.

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Estado do Rio Grande do Sul DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO LEOPOLDO Estado do Rio Grande do Sul DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008. DECRETO Nº 5.541, DE 10 DE MARÇO DE 2008. Regulamenta o artigo 66, do Estatuto dos Servidores Públicos de São Leopoldo, Lei nº 6.055 de 14 de Setembro de 2006, Da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes-

Leia mais

Diagnóstico Delegacias de PE

Diagnóstico Delegacias de PE Diagnóstico Delegacias de PE O relatório está baseado no trabalho realizado em 11 (onze) dias de visitas por parte da diretoria do Sinpol/PE a cerca de 120 delegacias do interior do Estado. O objetivo

Leia mais

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública

Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo. Princípios e diretrizes de Segurança Pública Propostas dos GTs da Conferência Municipal de São Paulo Princípios e diretrizes de Segurança Pública Eixo 1 1. Fortalecimento do pacto federativo; 2. Municipalização da Segurança Pública; 3. Estabelecer

Leia mais

RELATÓRIO DA INSPEÇÃO NA CADEIA PÚBLICA DE PILAR PILAR PARAÍBA DATA:

RELATÓRIO DA INSPEÇÃO NA CADEIA PÚBLICA DE PILAR PILAR PARAÍBA DATA: RELATÓRIO DA INSPEÇÃO NA CADEIA PÚBLICA DE PILAR PILAR PARAÍBA DATA: 21.06.2016 1 PARTICIPANTES Padre Bosco Francisco do Nascimento - Conselheiro Presidente do Conselho Estadual de Direitos Humanos da

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA RELATÓRIO DE INSPEÇÃO EXTRAORDINÁRIA EM ESTABELECIMENTOS PENAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. REALIZAÇÃO: 21 de janeiro de 2014

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA RELATÓRIO DE INSPEÇÃO EXTRAORDINÁRIA EM ESTABELECIMENTOS PENAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO. REALIZAÇÃO: 21 de janeiro de 2014 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA CONSELHO NACIONAL DE POLÍTICA CRIMINAL E PENITENCIÁRIA RELATÓRIO DE INSPEÇÃO EXTRAORDINÁRIA EM ESTABELECIMENTOS PENAIS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO REALIZAÇÃO: 21 de janeiro de 2014

Leia mais

Conheça os projetos lançados no Acre

Conheça os projetos lançados no Acre Conheça os projetos lançados no Acre 1. Renaesp e Bolsa Formação Os policiais que trabalharão no Território de Paz estão mais capacitados e valorizados. O Bolsa Formação oferece um auxílio mensal de R$

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM NOME DO ALUNO A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA DENTRO DO SISTEMA CARCERÁRIO BRASILEIRO

FACULDADE DE DIREITO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM NOME DO ALUNO A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA DENTRO DO SISTEMA CARCERÁRIO BRASILEIRO FACULDADE DE DIREITO DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM NOME DO ALUNO A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA DENTRO DO SISTEMA CARCERÁRIO BRASILEIRO CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM 2010 NOME DO ALUNO A DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA

Leia mais

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO LABORATÓRIO DE AUTOMAÇÃO EM PETRÓLEO LAUT

NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO LABORATÓRIO DE AUTOMAÇÃO EM PETRÓLEO LAUT NORMAS DE FUNCIONAMENTO DO LABORATÓRIO DE AUTOMAÇÃO EM PETRÓLEO LAUT 1- INTRODUÇÃO O Laboratório de Automação em Petróleo (LAUT) tem o propósito de abrigar pesquisas na área desenvolvidas pela UFRN em

Leia mais

DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO COM REDAÇÃO FINAL TRANSCRIÇÃO IPSIS VERBIS

DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO COM REDAÇÃO FINAL TRANSCRIÇÃO IPSIS VERBIS CÂMARA DOS DEPUTADOS DEPARTAMENTO DE TAQUIGRAFIA, REVISÃO E REDAÇÃO NÚCLEO DE REDAÇÃO FINAL EM COMISSÕES TEXTO TRANSCRIÇÃO IPSIS VERBIS CPI - GRUPOS DE EXTERMÍNIO NO NORDESTE EVENTO: Reunião ordinária

Leia mais

C OMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

C OMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA C OMPROMISSO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, por meio do titular da Promotoria de Justiça de Proteção ao Idoso e à Pessoa Portadora de Deficiência do Núcleo

Leia mais

TRABALHO CARTILHA DO REEDUCANDO

TRABALHO CARTILHA DO REEDUCANDO TRABALHO VOLTA AO CRIME CARTILHA DO REEDUCANDO CARTILHA DO REEDUCANDO ÍNDICE Introdução...5 Deveres...6 Direitos...7 Disciplina...10 Sanções...11 Formulário para Habeas Corpus...12 Petição Simplificada...13

Leia mais

LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97

LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97 LEI DE TORTURA Lei n. 9.455/97 DUDH Artigo 5º Ninguém será submetido à tortura, nem a tratamento ou castigo cruel, desumano ou degradante. ART. 5º DA CF Inciso III Ninguém será submetido à tortura nem

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA E DA CIDADANIA

ESTADO DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA SECRETARIA DE ESTADO DA JUSTIÇA E DA CIDADANIA RESOLUÇÃO CONJUNTA Nº 001/2011-SEAP/SEJU OS SECRETÁRIOS DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO E DA PREVIDÊNCIA E DA JUSTIÇA E DA CIDADANIA, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 45, inciso XIV

Leia mais

REGRAS MÍNIMAS PARA O TRATAMENTO DE PRESOS NO BRASIL

REGRAS MÍNIMAS PARA O TRATAMENTO DE PRESOS NO BRASIL REGRAS MÍNIMAS PARA O TRATAMENTO DE PRESOS NO BRASIL RESOLUÇÃO Nº 14, DE 11 DE NOVEMBRO DE 1994 Publicada no DOU de 2.12.2994 O Presidente do Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária (CNPCP),

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011. (Do Sr. Domingos Dutra)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2011. (Do Sr. Domingos Dutra) PROJETO DE LEI Nº, DE 2011. (Do Sr. Domingos Dutra) Institui o Estatuto Penitenciário Nacional. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta Lei institui o Estatuto Penitenciário Nacional. Art. 2º As disposições

Leia mais

T R I B U N A L DE J U S T I Ç A

T R I B U N A L DE J U S T I Ç A Ata da Segunda Sessão do ano de 2014 da Comissão Executiva da Câmara Técnica do Pacto Nacional de Enfrentamento à Violência Contra as Mulheres e do Programa: Mulher Viver sem Violência, realizada aos trinta

Leia mais

Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual

Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual Formulário de Visita Técnica à Delegacia de Polícia Estadual Resolução CNMP Nº 20 de 28/05/2007 Dados da Entidade Visitada Nome: CPF ou CNPJ:: Endereço: Município: UF: Telefones c/ddd: Seção I Identificação

Leia mais

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições,

O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições, PORTARIA/PRESI N. 650-174 DE 05.04.2005 Dispõe sobre o Serviço de Controle de Acesso SCA no Tribunal. O PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA PRIMEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições, CONSIDERANDO

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº de de 2015.

PROJETO DE LEI Nº de de 2015. PROJETO DE LEI Nº de de 2015. INSTITUI A POLÍTICA ESTADUAL PARA O SISTEMA INTEGRADO DE INFORMAÇÕES DE VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO NO ESTADO DE GOIÁS, DENOMINADO OBSERVATÓRIO ESTADUAL DA VIOLÊNCIA CONTRA O

Leia mais

População de rua leva cartão vermelho Viviane Tavares - Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz)

População de rua leva cartão vermelho Viviane Tavares - Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) População de rua leva cartão vermelho Viviane Tavares - Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) População de rua aumenta nos últimos anos e a resposta da gestão pública é a violência,

Leia mais

USUÁRIO QUE APANHOU NA PRISÃO, SOFREU

USUÁRIO QUE APANHOU NA PRISÃO, SOFREU NOME LUIS FILIPE PERTENCENTE A ALGUMA ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL? ESTADO MUNICÍPIO RIO DE JANEIRO (RJ) NOVA FRIBURGO DESCRIÇÃO DO CASO QUALIFICAÇÃO SEXO MASCULINO IDADE 22 25 COR GRAU DE INSTRUÇÃO

Leia mais