Planejamento de canteiros, gerenciamento de obras, lista de verificação

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Planejamento de canteiros, gerenciamento de obras, lista de verificação"

Transcrição

1 Registro fotográfico fico Planejamento de canteiros, gerenciamento de obras, lista de verificação Armazenamento de materiais (areia) Contenção lateral Cobertura com lona plástica Profa. Geilma L. Vieira Registro fotográfico fico Armazenamento de materiais (areia) Próximo aos materiais Armazenamento de aço a o e armaduras Independente da agressividade do meio: Barras separadas em compartimentos conforme o diâmetro, com a identificação do diâmetro estocado em cada compartimento; Aço já cortado e/ou dobrado requer maior rigor quanto às medidas de proteção, devido ao rompimento da película protetora do mesmo; Em canteiros com restrições de espaço, recomenda-se estocar as barras em ganchos nas paredes; Proteção de pontas horizontais e verticais dos vergalhões; Bonin et al. (1993) 1

2 Armazenamento de aç aço e armaduras Armazenamento de aç aço e armaduras Proteção obrigatória prevista pela NR 18 Armazenamento de aç aço e armaduras Almoxarifado Dimensionamento Porte da obra e nível de estoque; Tipo de material a ser estocado; Volume estocado é variável ao longo da obra; Abriga funções de armazenamento e controle de ferramentas, devendo situar-se idealmente, próximo a: ponto de descarga de caminhões, elevador de carga e escritório; Próximo à entrada da obra; Piso nivelado de concreto; Segurança contra roubo; Dimensão mínima (por exemplo > 6m) 2

3 Almoxarifado Materiais dispostos em prateleiras, separados e nomeados. Não se perdem aumentam a produtividade do trabalho Instalações de Decorrentes da NR-18 Guarda corpo de proteção; Andaimes; EPI s; Circulação;... Onde se escondem os riscos implantação organizada de um canteiro de obras Aspectos de 3

4 Camisas, calças, luvas e botas? Andar sobre as vigas sem cinto trava quedas. Serrar madeira sem luva e base segura 4

5 Notícia (14/10/09) FLORIANÓPOLIS - Um pedreiro de 35 anos morreu por volta das 9h desta quarta-feira quando o andaime em que trabalhava despencou, no Centro de Bombinhas, Litoral Norte de Santa Catarina. Segundo o Corpo de Bombeiros, ele não estaria usando o cinto de proteção, conhecido como trava-queda, e caiu de uma altura de aproximadamente nove metros. A vítima trabalhava na reforma de um prédio ao lado da antiga prefeitura da cidade. O outro homem que estava no andaime utilizava o equipamento de e não se feriu. Florianópolis, SC Recife, PE Acidente com choque elétrico, seguido de queda de andaime. A pessoa não usava nenhum tipo de proteção individual (EPI), estava sem botas, sem uma roupa adequada e no mínimo, estava sem um cinto que pudesse prendê-lo no andaime Farroupilha: Queda de andaime deixa três pedreiros feridos - 06/10/2009 Três pedreiros ficaram feridos após a queda de um andaime no bairro São Luiz. A equipe estava construindo um pavilhão para abrigar uma oficina mecânica, quando o andaime cedeu. Um dos homens caiu em uma vala e foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros com ferimentos nas pernas e braços, a queda foi de aproximadamente 5 metros. Os outros pedreiros tiveram lesões na face e nos braços. O andaime estava construído sobre o suporte de uma parede, que pelas primeiras informações tinha sido realizada recentemente, e com a umidade não resistiu ao peso e desabou. 5

6 Aspectos de Manutenção das condições do canteiro Obra de Shopping em Passo Fundo Desabamento de laje, deixando oito feridos. Programa 5S; Integração do planejamento de canteiros com o PCP; Elaboração de um modelo de PCMAT (Programa de Condições e Meio Ambiente de Trabalho) refletirá a realidade da empresa Programa 5S Programa 5S Seus principais objetivos são melhorar o ambiente de trabalho, através de uma mobilização interna, sem a necessidade de grandes investimentos, de forma a aumentar a eficiência dos processos; É uma das abordagens para aumentar a transparência. Descarte (seiri) identificar materiais desnecessários para o descarte Organização (seiton) lugares certos para todos os objetos Limpeza (seiso) local mais limpo, melhorando imagem da empresa diante dos clientes e funcionários, facilitar a manutenção dos equipamentos e ferramentas Asseio (seiktsu) higiene individual, assim como condições ambientais satisfatórias Disciplina (shitsuke) responsabilidade individual e a iniciativa dos trabalhadores. P.e.: níveis de utilização dos EPI É comum que exista entre os profissionais da Const. Civil a percepção de que canteiros de obra são locais destinados a serem desorganizados e sujos, características da natureza do processo produtivo e baixa qualificação da mão de obra. S O L Segurança, Organização e Limpeza 6

7 Programa 5S Programa 5S Integraç Integração do planejamento com o PCP Manutenç Manutenção das condiç condições do canteiro Definir critérios objetivos de avaliação Boas práticas SIM NÃO Manutenç Manutenção das condiç condições do canteiro Não se aplica Estabelecer avaliadores e periodicidade de avaliação não deve ser feita unicamente por alguém diretamente interessado no resultado, como mestre, operários ou engenheiro da obra. Presença de um avaliador externo (agente fiscalizador) Periodicidade de avaliação: mais comum semanal, podendo ou não ter dia e horário pré-fixados (organização circunstancial do canteiro) 1) As paredes dos barracos estão limpas, sem restos de argamassa ou qualquer outro tipo de sujeira visível 2) Inexiste água empoçada em locais de circulação 3) Os banheiros estão limpos e não exalam mau cheiro para as instalações vizinhas nota de 0 à 5 = faixa vermelha nota de 5,1 à 8,0 = faixa amarela nota de 8,1 à 10,0 = faixa verde Estabelecimento de premiação Primeiro parâmetro para ISSO

8 Exemplos Presença de um avaliador externo (agente fiscalizador) Periodicidade de avaliação: mais comum semanal, podendo ou não ter dia e horário pré-fixados (organização circunstancial do canteiro) DIAGNÓSTICO DE OBRAS VISTORIADAS - Lista de verificação - Saurin e Formoso (2006) Planejamento de Canteiro de Obras e Gestão de Processos 8

9 9

HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S. Introdução. Para que serve?

HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S. Introdução. Para que serve? HOUSEKEEPING A PARTIR DO 5S Introdução Basicamente consiste na determinação de organizar o local de trabalho, mantêlo arrumado e em ordem, limpo, mantendo as condições padronizadas e a disciplina necessárias

Leia mais

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida.

A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. A Segurança não é obra do acaso Preserve sua vida. Campanha do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção e do Mobiliário de São Bento do Sul e Campo Alegre contra os Acidentes de Trabalho

Leia mais

ENGENHARIA DE SEGURANÇA

ENGENHARIA DE SEGURANÇA ESTADO DE MATO GROSSO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS E TECNOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE SEGURANÇA P R O F ª K A R E N W R O B E L S T R A

Leia mais

Analista de Sistemas S. J. Rio Preto SP 2009

Analista de Sistemas S. J. Rio Preto SP 2009 O que é o Programa 5Ss? O Programa 5Ss é uma filosofia de trabalho que busca promover a disciplina na empresa através de consciência e responsabilidade de todos, de forma a tornar o ambiente de trabalho

Leia mais

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS Você foi incumbido do planejamento da execução do edifício habitacional, constituído por um subsolo, um pavimento térreo e oito pavimentos tipo, com

Leia mais

Gestão da produção: Sistemas isolados. Gestão da produção: Funções envolvidas. Conteúdo. Gestão Integrada. Gestão Integrada

Gestão da produção: Sistemas isolados. Gestão da produção: Funções envolvidas. Conteúdo. Gestão Integrada. Gestão Integrada Universidade Federal da Bahia Escola Politécnica Departamento de Construção e Estruturas Especialização em Gerenciamento de Obras Gestão Integrada Conteúdo Gestão Integrada Getsão de Fluxos Físicos Gestão

Leia mais

Programa 5 S. A partir de agora, conheça o programa que mudará para melhor a sua vida no trabalho.

Programa 5 S. A partir de agora, conheça o programa que mudará para melhor a sua vida no trabalho. Programa 5 S A partir de agora, conheça o programa que mudará para melhor a sua vida no trabalho. Com este programa, a qualidade e a segurança será colocada em prática e seu ambiente vai ficar mais alegre

Leia mais

A Base para a Qualidade Total

A Base para a Qualidade Total A Base para a Qualidade Total 1 HISTÓRIA Foi concebido por Kaoru Ishikawa em 1950, no Japão pós-guerra; Surgiu com a necessidade de por ordem na grande confusão a que ficou reduzido o país após a derrota

Leia mais

O que é Canteiro de Obras?

O que é Canteiro de Obras? O que é Canteiro de Obras? Sistema complexo, com muitos riscos associados Análise prévia e criteriosa de sua implantação Qualidade Produtividade Segurança Cartão de visita da obra!!! O que é Canteiro

Leia mais

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção

Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção Por que eu devo utilizar equipamentos de segurança e onde encontrá-los? Os Equipamentos de Proteção Individual (EPI) foram feitos para evitar

Leia mais

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia

2 DESCRIÇÃO DO LOCAL. Figura 1 Edifício Philadélphia 4 1 INTRODUÇÃO Esse relatório tem como objetivo apresentar as atividades desenvolvidas pelo acadêmico Joel Rubens da Silva Filho no período do estágio obrigatório para conclusão do curso de Engenharia

Leia mais

Estatística de acidentes, BRASIL -2008

Estatística de acidentes, BRASIL -2008 Estatística de acidentes, BRASIL -2008 FONTE: PREVIDÊNCIA SOCIAL Total... 764.333 Óbitos... 2.757 Letalidade por 1.000 acidentes... 3,60 Indústria da Construção Total... 50.893 Óbitos... 356 Letalidade

Leia mais

DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA

DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA ASSOCIAÇÃO DOS CONSTRUTORES E INCORPORADORES DA CONSTRUÇÃO CIVIL DE CAPÃO DA CANOA DICAS DE SEGURANÇA NA OBRA Profissional qualificado e registrado operando o Guincho ( com certificado); Profissional qualificado

Leia mais

Visita técnica ao canteiro de obras Hotel Bourbon

Visita técnica ao canteiro de obras Hotel Bourbon Visita técnica ao canteiro de obras Hotel Bourbon Juliano Soares Silveira Kathleen Dall Bello Foz do Iguaçu, 26 de fevereiro de 2014. Por meio do Engenheiro Silvio C. do Prado após contato nos telefones:

Leia mais

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001)

ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18 Andaime Suspenso Mecânico ANDAIMES SUSPENSOS (Alterado pela Portaria SIT n.º 30, de 20 de dezembro de 2001) NR-18.15.30 Os sistemas de fixação e sustentação e as estruturas de apoio dos andaimes

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO PREFEITURA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS NS001 CANTEIRO DE OBRAS Revisão: 03 Dez./13 SUMÁRIO 1. Objetivo e campo de aplicação...2 2. Referências...2 3. Definições...2

Leia mais

São Paulo, 29/03/2014 - Um operário caiu de uma altura de oito metros e foi encaminhado a um hospital na manhã deste sábado nas obras do Itaquerão,

São Paulo, 29/03/2014 - Um operário caiu de uma altura de oito metros e foi encaminhado a um hospital na manhã deste sábado nas obras do Itaquerão, São Paulo, 29/03/2014 - Um operário caiu de uma altura de oito metros e foi encaminhado a um hospital na manhã deste sábado nas obras do Itaquerão, estádio do Corinthians que vai receber a partida de abertura

Leia mais

Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras

Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras UniSALESIANO Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Curso de Engenharia Civil Disciplina: Construção Civil I O Canteiro de Obras André Luís Gamino Professor Área de Construção Civil Canteiro

Leia mais

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO

METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO METODOLOGIA DE EXECUÇÃO - PASSO A PASSO PARA CONSTRUIR ALVENARIAS DE BLOCOS VAZADOS DE CONCRETO Segurança Antes do início de qualquer serviço, verificar a existência e condições dos equipamentos de segurança

Leia mais

A GESTÃO DA PRODUÇÃO EM UM ALMOXARIFADO DE UM CANTEIRO DE OBRAS.

A GESTÃO DA PRODUÇÃO EM UM ALMOXARIFADO DE UM CANTEIRO DE OBRAS. A GESTÃO DA PRODUÇÃO EM UM ALMOXARIFADO DE UM CANTEIRO DE OBRAS. Marcelo ARAUJO (1); Luís Felipe SANTOS (2); Diego SOUSA (3); Wemerton Luis EVANGELISTA (4). 1Graduando do Curso Superior Tecnológico em

Leia mais

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Gerenciamento de Obras Prof. Dr. Ivan Xavier Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Fases do Gerenciamento: 3. Operação e controle da obra. 3. Operação e controle da obra: Reunião de partida da obra;

Leia mais

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL:

Segtreinne 5.0 - PROTEÇÃO LATERAL: 1.0 - OBJETIVO: Estabelecer procedimentos seguros para montagem, desmontagem e utilização de andaimes, em serviços de manutenção nas áreas da fábrica. 2.0 - APLICAÇÃO: Este procedimento se aplica à montagem,

Leia mais

CENTREIND CENTRO DE TREINAMENTO INDUSTRIAL

CENTREIND CENTRO DE TREINAMENTO INDUSTRIAL Programa 5S Base da implantação da qualidade total nas organizações. Introdução: É possível eliminar o desperdício (tudo que gera custo extra), em cinco fases, com base no programa 5S, surgido no Japão

Leia mais

Acidentes : Conhecer para não repetir. Soterramento por Grãos

Acidentes : Conhecer para não repetir. Soterramento por Grãos Soterramento por Grãos 1 Ao tomar conhecimento da notícia sobre a morte do trabalhador que foi soterrado em silo de grãos no porto graneleiro da capital, Porto Velho, o Ministério Público do Trabalho (MPT),

Leia mais

5S - 5 sensos da qualidade

5S - 5 sensos da qualidade 5S - 5 sensos da qualidade É um processo com cinco grandes passos que ajudam a organizar melhor trabalho. É um programa que busca tornar o dia a dia na empresa mais tranqüilo, através de : cuidados com

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. Modelo: BALANCIM INDIVIDUAL GUINCHO DE CABO PASSANTE

MANUAL DE OPERAÇÃO. Modelo: BALANCIM INDIVIDUAL GUINCHO DE CABO PASSANTE MANUAL DE OPERAÇÃO Balancim Individual do Tipo Cadeirinha Mecânica Cabo Passante O Balancim Individual Manual AeroAndaimes é um equipamento para movimentações verticais realizadas através do guincho de

Leia mais

1.Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. - Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão;

1.Maior produtividade pela redução da perda de tempo procurando por objetos. - Só ficam no ambiente os objetos necessários e ao alcance da mão; Sistema 5 S's Conceito: O Método "5S" foi a base da implantação do Sistema de Qualidade Total nas empresas. Surgiu no Japão, nas décadas de 50 e 60, após a Segunda Guerra Mundial, quando o país vivia a

Leia mais

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

37 3231-4615 www.levemix.com.br GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX. Comodidade, economia e segurança ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES GUIA PRÁTICO DE APLICAÇÃO CONCRETO LEVEMIX Orientações técnicas para o melhor desempenho de sua concretagem Comodidade, economia e segurança 37 3231-4615 www.levemix.com.br ENTREGAMOS PEQUENAS QUANTIDADES

Leia mais

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA;

CONTEÚDO DO TRABALHO. Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; Introdução e visão geral; NR-18 : PCMAT e PPRA; CONTEÚDO DO TRABALHO Doenças ocupacionais e riscos da construção civil; Quedas; Choque elétrico; Soterramento. A construção é um dos ramos mais antigos do

Leia mais

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344

Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Memorial Descritivo OBRA: CERCAMENTO DOS LOTES Nº02 E Nº03 DA QUADRA Nº344 Endereço da obra: Quadra 128, situada na esquina da Rua Ijui esquina Rua Inhacorá, Bairro Recanto do Sol, Horizontina - RS. O

Leia mais

NORMAS TÉCNICAS DE INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PARA FÁBRICAS DE CONSERVAS DE OVOS

NORMAS TÉCNICAS DE INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS PARA FÁBRICAS DE CONSERVAS DE OVOS SECRETARIA DA AGRICULTURA E ABASTECIMENTO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL DEPARTAMENTO DE PRODUÇÃO ANIMAL COORDENADORIA DE INSPEÇÃO SANITÁRIA DOS PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL - C I S P O A - NORMAS TÉCNICAS

Leia mais

Análise de Sistema de Gestão de Segurança e Saúde na Construção Civil e os Acidentes Fatais.

Análise de Sistema de Gestão de Segurança e Saúde na Construção Civil e os Acidentes Fatais. Análise de Sistema de Gestão de Segurança e Saúde na Construção Civil e os Acidentes Fatais. Lie Tjiap Liung e Marcelo Tacitano Ministério do Trabalho e Emprego. 1- Introdução e Objetivo As mudanças que

Leia mais

MANUAL TÉCNICO DRENO CORRUGADO CIMFLEX

MANUAL TÉCNICO DRENO CORRUGADO CIMFLEX 1. INTRODUÇÃO O DRENO CIMFLEX é um tubo dreno corrugado fabricado em PEAD (Polietileno de Alta Densidade), de seção circular e com excelente raio de curvatura, destinado a coletar e escoar o excesso de

Leia mais

Estaleiros de Equipamentos e Obras

Estaleiros de Equipamentos e Obras isep Engenharia Civil Estaleiros de Equipamentos e Obras [EEQO] Organização do Estaleiro de uma Obra de Construção Civil Eduardo Azevedo, nº 980019 Estaleiros de Equipamentos e Obras Organização do Estaleiro

Leia mais

Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação

Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação Benefícios! Quais são? Eliminação de desperdícios Otimização do espaço Facilidade no acesso a materiais de trabalho Prevenção de quebras e acidentes Redução ou eliminação de condições e atos inseguros

Leia mais

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs

Seja bem Vindo! NR 8 Edificações. Carga horária: 30hs Seja bem Vindo! Curso NR 8 Edificações CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 30hs Conteúdo programático: Introdução Circulação Atividades em Edificações com Risco de Queda Cuidados Extras na Circulação

Leia mais

DIA DA BERMUDA - 2011. Arrumando a nossa casa

DIA DA BERMUDA - 2011. Arrumando a nossa casa DIA DA BERMUDA - 2011 Arrumando a nossa casa 2 Entenda o que são os 5S Para praticar o Dia da Bermuda, primeiro você precisa entender o que são os 5S... Princípios dos 5S 3 O conceito de 5S tem como base

Leia mais

CONSIDERAÇÕES E FOTOS DE RECEPIENTES AQUECIMENTOS E TRANSPORTE DE PICHE

CONSIDERAÇÕES E FOTOS DE RECEPIENTES AQUECIMENTOS E TRANSPORTE DE PICHE CONSIDERAÇÕES E FOTOS DE RECEPIENTES DE AQUECIMENTOS E TRANSPORTE DE PICHE Autor DEOGLEDES MONTICUCO Iniciou aos 14 anos como Mensageiro. 1974 - Engenheiro Civil e 1975 - Engenheiro de Segurança do Trabalho.

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro.

MANUAL TÉCNICO. Segurança e Saúde no Trabalho ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR. Andaimes setembro/2012. Andaime Fachadeiro. e MANUAL TÉCNICO ANDAIME TUBULAR ANDAIME TUBULAR e ANDAIME TUBULAR Objetivo Estabelecer os procedimentos que devem ser obedecidos na liberação de montagem / desmontagem de andaimes com a finalidade de

Leia mais

Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de desenvolver padrões de limpeza e organização, para proporcionar bem estar a todos.

Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de desenvolver padrões de limpeza e organização, para proporcionar bem estar a todos. O QUE É O 5S? Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de desenvolver padrões de limpeza e organização, para proporcionar bem estar a todos. TAMBÉM É CONHECIDO COMO HOUSE KEEPING 2 QUAIS SÃO OS SIGNIFICADOS

Leia mais

Disciplina: Gestão da Qualidade Prof. Patricio Vasconcelos. Curso de Administração 5º periodo - Turmas A e B 2º Bimestre

Disciplina: Gestão da Qualidade Prof. Patricio Vasconcelos. Curso de Administração 5º periodo - Turmas A e B 2º Bimestre Disciplina: Gestão da Qualidade Prof. Patricio Vasconcelos Curso de Administração 5º periodo - Turmas A e B 2º Bimestre Pode-se criar um ambiente de qualidade em torno de si, usando as mãos para agir,

Leia mais

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir.

O sistema de gerenciamento de risco é composto pelas etapas de identificação e avaliação de controle dos riscos, descritas a seguir. 2.6.16 - Este programa contém as principais ações que têm sido tomadas para prevenir os danos à saúde e integridade física dos trabalhadores e da população da região, os prejuízos materiais e possíveis

Leia mais

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS CIVIS PERÍODO OUTUBRO DE 2015

PRIDE IPIRANGA RELATÓRIO DE ANDAMENTO DAS OBRAS CIVIS PERÍODO OUTUBRO DE 2015 PERÍODO OUTUBRO DE 2015 Andamento das Obras Execução dos barracões e Mobilização de canteiro de obras quantidade a executar 70% - quantidade acumulada ao final do período 70%; Durante o período executaremos

Leia mais

APRESENTAÇÃO DA BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL EUCLIDES DA CUNHA

APRESENTAÇÃO DA BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL EUCLIDES DA CUNHA APRESENTAÇÃO DA BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL EUCLIDES DA CUNHA APRESENTAÇÃO: A Biblioteca Pública Municipal Euclides da Cunha localizada no bairro da Vila Prado em São Carlos, tem atualmente 4050 usuários

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA MOBILIZAÇÃO, CONSTRUÇÃO E DESMOBILIZAÇÃO DO CANTEIRO 1. VIA DE ACESSO 1.1 - GENERALIDADES Será utilizada como acesso às obras, durante a fase de construção, as vias já existentes

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CUMPRIMENTO DE ASPECTOS DA NR-18 EM CANTEIROS DE OBRAS NA CIDADE DE CRUZ DAS ALMAS E REGIÃO

AVALIAÇÃO DO CUMPRIMENTO DE ASPECTOS DA NR-18 EM CANTEIROS DE OBRAS NA CIDADE DE CRUZ DAS ALMAS E REGIÃO AVALIAÇÃO DO CUMPRIMENTO DE ASPECTOS DA NR-18 EM CANTEIROS DE OBRAS NA CIDADE DE CRUZ DAS ALMAS E REGIÃO SANTANA, Diego da Silva 1 ; PAES, Filipe Pereira 2 ; SANTANA, Valquiria Melo de 3, CERQUEIRA, Milena

Leia mais

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura.

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Definições Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Armadura: associação das diversas peças de aço, formando um conjunto para um

Leia mais

O R I G E N S JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA. Treinamento

O R I G E N S JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA. Treinamento O R I G E N S 1 9 5 0 JAPÃO DO PÓS-GUERRA KAORU ISHIKAWA O B J E T I V O S Preparar uma empresa, ou qualquer espaço físico para uma intervenção de melhoria no ambiente. OBJETIVOS ESPECÍFICOS ü Melhorar

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S EM UM CANTEIRO DE OBRAS- ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S EM UM CANTEIRO DE OBRAS- ESTUDO DE CASO IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA 5S EM UM CANTEIRO DE OBRAS- ESTUDO DE CASO RESUMO Douglas Barcelos Luiz(1); Marcio Vito(2) UNESC Universidade do Extremo Sul Catarinense doug_tarantino@hotmail.com(1); marciovito@unesc.net(2)

Leia mais

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA. Antonio Pereira do Nascimento

MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA. Antonio Pereira do Nascimento MEDIDAS DE PROTEÇÃO COLETIVAS APLICÁVEIS NAS ESCAVAÇÕES E EM TUBULÕES A CÉU ABERTO E COM PRESSÃO HIPERBÁRICA Antonio Pereira do Nascimento ACIDENTES DO TRABALHO Eventos: súbitos, indesejáveis, que ocorrem

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012 ANDAIME TUBULAR MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA ANDAIME TUBULAR ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÃO TÉCNICA... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 4 2.1. USO DOS ANDAIMES TUBULARES... 5 2.2. MANUTENÇÃO (DIRETRIZES

Leia mais

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt

Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes. Luciana Affonso Gerente Mkt Diferença EPI para dispositivos Perfurocortantes Luciana Affonso Gerente Mkt SP, Agosto 2010 Definição EPI NR6 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se Equipamento de Proteção

Leia mais

NR 35 TRABALHO EM ALTURA

NR 35 TRABALHO EM ALTURA Márcio F Batista Bombeiro e Tecnólogo de Segurança NR 35 TRABALHO EM ALTURA Objetivos Estabelecer os procedimentos necessários para a realização de trabalhos em altura, visando garantir segurança e integridade

Leia mais

Controle da Qualidade do Almoxarifado 1/15

Controle da Qualidade do Almoxarifado 1/15 Controle da Qualidade do Almoxarifado 1/15 Indicadores de desempenho na Gestão de Materiais Estabelecimento de padrões: Para avaliar indicadores, é necessário ter padrões. Na fase de implantação pode haver

Leia mais

TERRAPLENAGEM KOHLER LTDA. Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville

TERRAPLENAGEM KOHLER LTDA. Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville Plano de Gestão do Canteiro de Obras do Novo Campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) na cidade de Joinville Guabiruba/SC, Junho de 2010 Índice Índice página 02 Layout do canteiro página

Leia mais

Pontuação 0 5 10 15-03 ou mais itens no local de trabalho sem providências de descarte. - 02 itens no local de trabalho sem providências de descarte.

Pontuação 0 5 10 15-03 ou mais itens no local de trabalho sem providências de descarte. - 02 itens no local de trabalho sem providências de descarte. Ficha Auditoria do Programa 5S SENSO DE UTILIZAÇÃO/DESCARTE SEIRI - Separar o útil do inútil, eliminando o snecessário. Consiste em ixar no ambiente trabalho apenas o material útil, scartando ou stinando

Leia mais

CURSO ONLINE OS 8S s ADMINISTRATIVOS

CURSO ONLINE OS 8S s ADMINISTRATIVOS 1 CURSO ONLINE OS 8S s ADMINISTRATIVOS 2 ESSE CURSO FOI CRIADO E É PROMOVIDO PELA INSTITUIÇÃO Todos os Direitos Reservados 3 Bem Vindo ao Curso! _Seiri _Seiton _Seiso _Seiketsu _Shitsuke _Shido _Sitsuyaki

Leia mais

5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt

5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt 5S s Introdução a Engenharia de Produção Prof. Evandro Bittencourt Usado para solucionar os problemas comportamentais nas empresas, principalmente para formar uma cultura de combate ao desperdício, à desordem,

Leia mais

Má execução de obras de Engenharia com estudo de casos

Má execução de obras de Engenharia com estudo de casos Má execução de obras de Engenharia com estudo de casos Engª MsC Silvania Miranda do Amaral Engenheira Civil e de Segurança do Trabalho Especialista em Georreferenciamento Mestre em Engenharia Civil Má

Leia mais

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013

PGRSS PASSO A PASSO NATAL/RN NOV/2013 NATAL/RN NOV/2013 PLANO DE GERENCIAMENTO DE RSS Documento que aponta e descreve ações relativas ao manejo dos resíduos sólidos nos estabelecimentos assistenciais de saúde Considerando as Características

Leia mais

Apresentação do programa 5S

Apresentação do programa 5S Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência PIBID 2011 Ciências da Natureza Apresentação do programa 5S Dia 04 de janeiro de 2012 Local: Escola Elisa Ferrari Valls Horário: 09h O "Programa

Leia mais

COMPILAÇÃO FOTOGRÁFICA COMENTADA

COMPILAÇÃO FOTOGRÁFICA COMENTADA COMPILAÇÃO FOTOGRÁFICA COMENTADA CONSIDERAÇÕES As fotografias apresentadas foram registadas pelo autor deste trabalho ao longo de oito anos em obras sobre a sua responsabilidade e outras por onde passava

Leia mais

O Programa 5S ORIGEM. Serviu de base para a implantação dos programas de qualidade total naquele país. Surgiu no Japão no fim dos anos 60

O Programa 5S ORIGEM. Serviu de base para a implantação dos programas de qualidade total naquele país. Surgiu no Japão no fim dos anos 60 O Programa 5S ESCOLA POLITÉCNICA André Gilmar Hélio Surgiu no Japão no fim dos anos 60 Serviu de base para a implantação dos programas de qualidade total naquele país ORIGEM 5S para lembrar as 5 palavras

Leia mais

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94

Sinalização. Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Sinalização Catálogo de Placas EXTINTOR DE INCÊNDIO 164,2/21,3-2.329-K-W/ 10.513.146/0001-94 Materiais VINIL AUTO-ADESIVO PVC / PS Utilizado em ambientes internos e externos. Pode ser confeccionado com

Leia mais

Relatório de Estágio Curricular. Rafael Menezes Albuquerque

Relatório de Estágio Curricular. Rafael Menezes Albuquerque Instituto Tecnológico de Aeronáutica Divisão de Engenharia de Infra-Estrutura Aeronáutica Relatório de Estágio Curricular Rafael Menezes Albuquerque São José dos Campos Novembro2005 Relatório de Estágio

Leia mais

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente

Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Engenharia de Segurança e Meio Ambiente Introdução A Engemix possui uma equipe de Engenheiros de Segurança e Meio Ambiente capacitada para dar todo subsídio técnico para implantação, operação e desmobilização

Leia mais

SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS

SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS SOLUÇÕES DESMONTÁVEIS PARA CANTEIROS DE OBRAS Fundada em 2006, a Tuksen Equipamentos atua na área de fabricação e venda de equipamentos para construção civil e área agrícola. Lançou em 2009 os Containers

Leia mais

5S s NO CANTEIRO DE OBRA DE UM CONJUNTO HABITACIONAL Edinaldo Favareto Gonzalez (1); Antônio Edésio Jungles (2) RESUMO

5S s NO CANTEIRO DE OBRA DE UM CONJUNTO HABITACIONAL Edinaldo Favareto Gonzalez (1); Antônio Edésio Jungles (2) RESUMO 5S s NO CANTEIRO DE OBRA DE UM CONJUNTO HABITACIONAL Edinaldo Favareto Gonzalez (1); Antônio Edésio Jungles (2) (1) Universidade Federal de Santa Catarina - Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil

Leia mais

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária)

MANUAL TÉCNICO. (Proteção Periférica Primária e Secundária) MANUAL TÉCNICO (Proteção Periférica Primária e Secundária). 2 SUMÁRIO Proteção Periférica Primária e Secundária...03 Descrição Técnica...04 Sistema de Ancoragem...06 Norma Regulamentadora NR-18...07 Atualização

Leia mais

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Constituição de 1934 direito do trabalhador de higiene e segurança Constituição de 1937 - direito do trabalhador de

SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Constituição de 1934 direito do trabalhador de higiene e segurança Constituição de 1937 - direito do trabalhador de SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Constituição de 1934 direito do trabalhador de higiene e segurança Constituição de 1937 - direito do trabalhador de higiene e segurança Constituição de 1967 - direito do

Leia mais

Diagnóstico de melhorias baseado na metodologia 5S: estudo de caso realizado em uma fábrica de ração

Diagnóstico de melhorias baseado na metodologia 5S: estudo de caso realizado em uma fábrica de ração Diagnóstico de melhorias baseado na metodologia 5S: estudo de caso realizado em uma fábrica de ração Suelem Correia Garcia 1, Lohanne Oliveira Rodrigues 1, Rutiele Tamara Januário Rodrigues 1, Camilla

Leia mais

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO

ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE O PCMAT DE UMA OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL DE CRICIÚMA-SC COM A NR 18 - ESTUDO DE CASO RESUMO Lucas Vaz Franco Crispim (1), Clovis Norberto Savi (2) UNESC Universidade do Extremo

Leia mais

Manual de Segurança a e Saúde no Trabalho para a Indústria da Construçã. ção Civil - Edificaçõ. ções. Augusto Gouvêa Dourado

Manual de Segurança a e Saúde no Trabalho para a Indústria da Construçã. ção Civil - Edificaçõ. ções. Augusto Gouvêa Dourado Manual de Segurança a e Saúde no Trabalho para a Indústria da Construçã ção Civil - Edificaçõ ções Augusto Gouvêa Dourado Gerente de Segurança e Saúde no Trabalho Coleção Manuais / SST Finalidade Motivar

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Equipe UNAFIN

APRESENTAÇÃO. Equipe UNAFIN APRESENTAÇÃO O Programa 8 S, Mudança e Qualidade de Vida, está sendo implantado na Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí, pela UNAFIN (Unidade Administrativa Financeira) para aumentar a qualidade e

Leia mais

6 RESULTADOS OBTIDOS. 6.1 Sistematização do SHTM. 6.1.1 Modelagem sistêmica

6 RESULTADOS OBTIDOS. 6.1 Sistematização do SHTM. 6.1.1 Modelagem sistêmica 182 6 RESULTADOS OBTIDOS 6.1 Sistematização do SHTM 6.1.1 Modelagem sistêmica A tarefa de se construir prédios depende de um sistema organizado que funcione. Para que um prédio seja erguido, é necessário,

Leia mais

grandes responsáveis pelas reclamações dos trabalhadores, são substituídas por estes materiais ou mesmo eliminadas.

grandes responsáveis pelas reclamações dos trabalhadores, são substituídas por estes materiais ou mesmo eliminadas. 291 8. CONCLUSÃO A hipótese desta pesquisa - A deficiência de tecnologia empregada no escoramento e formagem de lajes durante a montagem e desmontagem, acarreta acidentes, lesões e lombalgias dos trabalhadores

Leia mais

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas

Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em alturas SECRETARIA MUNICIPAL DA SAÚDE COORDENAÇÃO DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE GERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE AMBIENTAL SUBGERÊNCIA DA VIGILÂNCIA EM SAÚDE DO TRABALHADOR Requisitos Técnicos para o trabalho seguro em

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP PCMSO/GEAP 6.1.23.1 Providenciar atestados e exames Todo trabalho em eletricidade deve ser planejado, organizado e executado por empregado capacitado e autorizado. Para executar trabalhos em altura, o

Leia mais

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br

e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br Assunto: Serviços Preliminares Prof. Ederaldo Azevedo Aula 2 e-mail: ederaldoazevedo@yahoo.com.br A obra de construção de edifícios tem seu início propriamente dito, com a implantação do canteiro de obras.

Leia mais

DISTRIBUIDORA DE COSMÉTICOS

DISTRIBUIDORA DE COSMÉTICOS 1. Identificação do Estabelecimento Razão Social: Nome Fantasia: CNPJ: Endereço: Bairro: Município: CEP: Fone: Fax: E-mail: Responsável Legal: CPF: Responsável Técnico: CPF: CR : 2. Inspeção Data: Objetivo:

Leia mais

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI

EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI Equipamento De Proteção Individual - EPI Definição: EPI é todo dispositivo de uso individual, destinado a proteger a integridade física do trabalhador. EPI (s)

Leia mais

A m e l h o r s o l u ç ã o p a r a s u a e m p r e s a. LINHA ARMÁRIOS

A m e l h o r s o l u ç ã o p a r a s u a e m p r e s a. LINHA ARMÁRIOS A m e l h o r s o l u ç ã o p a r a s u a e m p r e s a. LINHA ARMÁRIOS LINHA DE ARMÁRIOS PRESTO MAIS QUALIDADE POR MUITO MENOS QUALIDADE GARANTIDA Com um dos parques fabris mais modernos da América Latina,

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira

FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho. Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira FTST Formação Técnica em Segurança do Trabalho Módulo de Portuária e Construção Civil AULA 4 Prof.ª Marivaldo Oliveira COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE MÓDULO Lançar mão dos recursos e técnicas de

Leia mais

A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio

A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio A Importância dos Projetos de Sistemas de Proteções Coletivas Engº José Carlos de Arruda Sampaio Ciclo de Vida do Empreendimento: Todos os empreendimentos tem um ciclo de vida - têm um início, um crescimento

Leia mais

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas

1. FERRAMENTAS. Elevação e Marcação. Trenas de 5m e 30m. Nível a laser ou Nível alemão. Pág.4 1. Ferramentas ÍNDICE: 1. Ferramentas 2. Equipamentos de Proteção Individual - EPI 3. Serviços Preliminares 4. Marcação da Alvenaria 5. Instalação dos Escantilhões 6. Nivelamento das Fiadas 7. Instalação dos gabaritos

Leia mais

OSS SANTA MARCELINA HOSPITAL CIDADE TIRADENTES

OSS SANTA MARCELINA HOSPITAL CIDADE TIRADENTES OSS SANTA MARCELINA HOSPITAL CIDADE TIRADENTES CASE DE SUCESSO: 5S COMO FERRAMENTA DE CONSCIENTIZAÇÃO AMBIENTAL PARA AS EQUIPES DO HOSPITAL CIDADE TIRADENTES Responsável pela Instituição: Renata Souza

Leia mais

GRUPO 01 GRUPO 02 GRUPO 03 NÃO SE APLICA

GRUPO 01 GRUPO 02 GRUPO 03 NÃO SE APLICA CONCEITO DE AVALIAÇÃO CHECK LIST 1. MEMORIAL SOBRE CONDIÇÕES E MEIO AMBIENTE DE TRABALHO NAS NOTA MÉDIA FINAL: 6,71NOTA MÉDIA FINAL: 4,82NOTA MÉDIA FINAL: 8,97 ATIVIDADES E OPERAÇÕES a) O memorial contempla

Leia mais

Arquitetura do CME: seguindo as recomendações da RDC 15-15/03/12 Nome do autor

Arquitetura do CME: seguindo as recomendações da RDC 15-15/03/12 Nome do autor Arquitetura do CME: seguindo as recomendações da RDC 15-15/03/12 Nome do autor Rosa M. P. Fonseca Supervisora do CC / CME do Hospital Paulistano Diretora do conselho Fiscal da SOBECC gestão 2013-2015 200

Leia mais

5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação

5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação 5Ss: Aplicação em Bibliotecas e Centros de Informação Introdução Década de 50 Japão tenta se reerguer da derrota sofrida na Segunda Grande. Profissionais dos Estados Unidos vão ao Japão a ensinar como

Leia mais

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO

ALVENARIA ESTRUTURAL DE CONCRETO COM BLOCOS CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO ALVENARIA ESTRUTURAL COM BLOCOS DE CONCRETO CURSO DE FORMAÇÃO DE EQUIPES DE PRODUÇÃO PASSO A PASSO ALVENARIA ESTRUTURAL EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA 2 SEGURANÇA COLETIVA 3 SEGURANÇA COLETIVA ANDAIME COM GUARDA

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais. Aterramento. Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki

Instalações Elétricas Prediais. Aterramento. Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki Conceito Instalações Elétricas Prediais -É a Ligação intencional de um condutor à terra. -Significa colocar instalações de estruturas metálicas e equipamentos elétricos

Leia mais

TRABALHOS EM ALTURA. Nicolau Bello / Jorge C. Martos. Setor Prevenção de Riscos Laborais email:- nicobelo@hotmail.com. Autor: Nicolau Bello

TRABALHOS EM ALTURA. Nicolau Bello / Jorge C. Martos. Setor Prevenção de Riscos Laborais email:- nicobelo@hotmail.com. Autor: Nicolau Bello TRABALHOS EM ALTURA Nicolau Bello / Jorge C. Martos Setor Prevenção de Riscos Laborais email:- nicobelo@hotmail.com 1 nicobelo@hotmail.com Introdução Define-se trabalho em altura aqueles que são executados

Leia mais

PROGRAMA 5S: Parceiro na administração do tempo

PROGRAMA 5S: Parceiro na administração do tempo PROGRAMA 5S: Parceiro na administração do tempo Aliny MALAGUTI¹ - RGM 070591 Carolina Stoze NARDY¹ - RGM 070498 Lidiane Aparecida Dias COSTA¹ - RGM 067031 Renato Francisco Saldanha SILVA² Elcio Aloísio

Leia mais

USO E APLICAÇÕES. Módulo 4 Vidro Certo: Normas Obrigatórias

USO E APLICAÇÕES. Módulo 4 Vidro Certo: Normas Obrigatórias USO E APLICAÇÕES Módulo 4 Vidro Certo: Normas Obrigatórias SAIBA DIZER NÃO JUSTIFICANDO O SEU NÃO JUSTIFIQUE COM NORMAS DA ABNT ALGUMAS NORMAS OBRIGATÓRIAS NBR-NM294 2004 - Fabricação vidro float NBR-293

Leia mais

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM Uma abordagem multidisciplinar Prof. Fernando Dal Zot 1 Visão geral das atividades do Almoxarifado / Depósito / Armazém Início RECEBER

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA 1. JUSTIFICATIVA: Considerando que os serviços de manutenção predial são imprescindíveis e de natureza contínua. Ademais, existem fatores diversos que influenciam na preservação

Leia mais

UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga

UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga CENTRO DE EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL DE ÉVORA UFCD 5811 - Sistemas de transporte e elevação de carga 16 Valores Introdução No âmbito da ufcd 5811 Sistemas de transporte e elevação de cargas, foi-nos

Leia mais

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST

Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST Ministério da Educação Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação - FNDE Coordenação Geral de Infraestrutural Educacional CGEST MEMORIAL DESCRITIVO PROJETO PADRÃO PARA QUADRA POLIESPORTIVA COBERTA COM

Leia mais