Plano de Acção 2007/2008

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Plano de Acção 2007/2008"

Transcrição

1 Conselho Local de Acção Social de Trancoso Junho 2007

2 Nota de Apresentação O presente documento constitui-se como o primeiro Plano de Acção, elaborado para os anos de 2007/2008, para o Concelho de Trancoso, de acordo com as orientações metodológicas estabelecidas pelo Programa Rede Social. Este Plano de Acção foi elaborado tendo em linha de conta os Problemas definidos para cada Eixo de Intervenção Prioritário e respectivos Objectivos Gerais e Específicos, bem como as Estratégias apresentados e definidas no Plano de Desenvolvimento Social. Município de Trancoso 2

3 INDICE NOTA DE APRESENTAÇÃO...2 INTRODUÇÃO...4 METODOLOGIA Enquadramento Plano de acção...9 Eixo I: Promover as Competências Sócio-Educativas da População do Concelho...10 Eixo II: Promover os Níveis de Saúde da População...16 Eixo III: Promover a Empregabilidade e Dinamização Empresarial...20 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção...24 Eixo V: Promover a Dinamização das Associações Locais...34 Eixo VI: Promover o Turismo no Concelho de Trancoso...38 Eixo VII: Promover a Qualidade do Meio Ambiente no Concelho...43 Eixo Transversal: Promover o Voluntariado...46 Município de Trancoso 3

4 INTRODUÇÃO As dinâmicas sociais produzem situações cada vez mais atípicas, pelo que as respostas sociais devem e têm de ser, necessariamente, cada vez mais próximas da realidade e de acordo com os problemas reais da comunidade em que se inserem. Os pressupostos do desenvolvimento social prevêem uma noção de desenvolvimento sustentável, articulando o desenvolvimento social com o desenvolvimento económico e a protecção do meio ambiente envolvente, bem como a transparência na administração em todos os sectores, tentando envolver todas as organizações representativas da sociedade civil, numa parceria participativa e efectiva. O desenvolvimento local propõe a valorização dos recursos existentes, com a colaboração dos actores locais, visando a dinamização das populações através do conjunto de oportunidades que se apresentam viáveis. A integração social deve ser entendida como uma construção, assente na defesa dos direitos humanos, na participação social de todos, na protecção, reconhecimento e valorização da unidade familiar e da própria comunidade, por meio de dinâmicas sociais que se pretendem orientadoras. As parcerias locais da Rede Social, pela abrangência de entidades que possui, desde serviços desconcentrados do estado, às organizações de solidariedade, outras organizações privadas e cidadãos, contribuem também para uma mais efectiva mobilização e envolvimento de todos os actores, aos diversos níveis locais, incluindo as populações. Ao nível da implementação, cabe a estas redes sociais locais, em consonância com os respectivos diagnósticos e PDS, adequar as medidas de política nacionais às especificidades locais. A recente legislação sobre a Rede Social (DL nr. 115/2006) descreve as redes sociais locais como o instrumento por excelência de operacionalização do PNAI, considerando que poderão contribuir para uma melhor coordenação das políticas de inclusão social aos diversos níveis locais, prevendo-se também a constituição de uma plataforma supra-concelhia, para melhorar a capacidade de interlocução com a administração central. 1 Município de Trancoso 4

5 A articulação existente entre o PDS e os Planos Nacionais torna-se indispensável, no sentido de contextualizar as acções realizadas localmente, enquadrando-as na conjuntura do contexto nacional. O Plano de Acção agora apresentado foi elaborado de acordo com os 7 Eixos Estratégicos definidos no Plano de Desenvolvimento Social para o Concelho de Trancoso, pelo que as Acções definidas foram estruturadas a partir da relação entre os objectivos, os meios e a estratégia de implementação da Rede Social, tendo-se tido a preocupação de fundamentar e priorizar as necessidades locais, aproveitar os recursos existentes e procurar encontrar e realizar actividades conjuntas que promovam a parceria activa e consciente. O Plano definido neste documento pretende evidenciar a forma e os conteúdos de cada Actividade/Acção pensada e planeada, tendo como objectivo último o desenvolvimento social das populações. Importa pois que o Plano de Acção não descreva apenas as actividades a realizar, mas que demonstre e fundamente a priorização das actividades e acções, em função das necessidades e expectativas expressas no local, bem como dos recursos existentes. O Plano de Acção planifica de forma estruturada os Projectos (já a decorrer e/ou a iniciar), de acordo com as linhas orientadoras objectivos específicos, constituindo-se efectivamente redes de relacionamento, de suporte, específicas ou gerais, capazes e exequíveis. Município de Trancoso 5

6 METODOLOGIA Na construção de um Plano de Desenvolvimento Social destacam-se três etapas fundamentais que são: 1) Diagnóstico da situação; 2) Definição de linhas orientadoras (para resolução dos problemas identificados); 3) Operacionalização do Plano de Acção. Este Plano de Acção para 2007/2008, tem como principal finalidade definir as Actividades, Calendarização, Recursos e Intervenientes responsáveis para a concretização de cada um dos objectivos específicos definidos no Plano de Desenvolvimento Social, orientando a acção da intervenção social de forma a promover o Desenvolvimento Social do Concelho de Trancoso. O presente documento foi assim elaborado de acordo com a seguinte metodologia: Auscultação de todas as Entidades parceiras relativamente ao seu Plano de Actividades; Definição de Acções concretas, orientadas para a resolução dos problemas existentes; Relacionamento dos Objectivos a alcançar e das Estratégias de Intervenção escolhidas como as mais adequadas. Trata-se de um instrumento elaborado por todos os Parceiros, com responsabilidade na sua execução. De forma sintética, pode dizer-se que o Plano de Acção pretendeu responder a questões como: O Que fazer Definição das actividades, acções e tarefas a realizar; Quando fazer Calendarização das actividades, acções e tarefas a realizar; Quem faz o quê Definição e responsabilização dos parceiros, como intervenientes na execução de actividades, acções e tarefas a realizar; Como e Onde Fazer Definição dos meios necessários e métodos a utilizar para a realização das actividades, acções e tarefas. 1 1 Programa Rede Social Município de Trancoso 6

7 1. Enquadramento Município de Trancoso 7

8 Considerando a estratégia do Programa Rede Social, existe uma continuidade nos trabalhos de planeamento desenvolvidos de acordo com a planificação da intervenção social que se deve adequar aos objectivos de cada Parceiro, mas que também deve enquadrar as políticas locais no contexto nacional. Um plano é um instrumento que parte da identificação de problemas para a proposta de soluções para esses problemas. O Plano de Desenvolvimento Social inscreve-se num processo de planeamento estratégico, e traduz-se como um instrumento que orienta as respostas aos problemas individuais e colectivos mais prementes. Procura, pois, vincular as iniciativas de todos os agentes cujo âmbito de actuação tem repercussões no desenvolvimento social do(s) Concelho(s). O seu objectivo é servir de enquadramento a todos as intervenções para a promoção do desenvolvimento social. E, desta forma, o trabalho a desenvolver assenta numa perspectiva que visa, em primeiro lugar, o planeamento de forma integrada, tendo em atenção todas as dimensões de cada um dos problemas, assim como a forma de os resolver, prevendo-se a participação efectiva de todos os que estarão implicados no processo. Visa de igual modo planear, tendo um amplo conhecimento das reais oportunidades de mudança, de forma a potenciá-las, bem como dos obstáculos a contornar para ultrapassar possíveis problemas... As vantagens com a elaboração de um Plano de Desenvolvimento Social, produzido a nível concelhio são várias e tão importantes quanto reveladoras da realidade social local. Uma das questões mais relevantes é a de que não se dirige apenas a grupos sociais vulneráveis a situações de pobreza e exclusão social, reconhece, acima de tudo, as diferentes oportunidades de desenvolvimento sustentável não só a nível social, mas também económico, cultural e artístico, tendo sido construído no sentido de melhorar a qualidade de vida de todos os cidadãos do Concelho. Município de Trancoso 8

9 2. Plano de Acção Município de Trancoso 9

10 Eixo I: Promover as Competências Sócio-Educativas da População do Concelho Município de Trancoso 10

11 Eixo I: Promover as Competências Sócio-Educativas da População do Concelho Objectivo Geral - Fomentar uma estratégia de Aprendizagem ao Longo da Vida Objectivo Específico: Divulgar, mobilizar e estimular a população para a frequência e aplicação de metodologias de RVC e Cursos EFA Projecto 1.1. Formação da População Adulta Actividades/Acções Calendarização População-Alvo Entidades Envolvidas Resultados Esperados - Dinamização do Centro RVC Início Março Escola Profissional de - Aumento da qualificação e (Iniciativa Novas Trancoso escolarização da população Oportunidades): - Escolas do Concelho adulta * Balanço de competências: - Juntas de Freguesia - Reconhecimento, * Formação complementar nas validação, certificação de áreas-chave: LC/CE/MV/ TIC População com idade competências e * Certificação de competências 18 anos conhecimentos adquiridos ao longo da Vida - Cursos de Educação e 2007/ Entidades Formadoras do - Formação para a aquisição Formação de Adultos Concelho de competências pessoais e sociais - Programa de Aprendizagem - Contribuição para uma ao Longo da Vida: Cidadania activa, desenvolvimento da sociedade participativa, autónoma e do conhecimento independente Município de Trancoso 11

12 Eixo I: Promover as Competências Sócio-Educativas da População do Concelho Objectivo Estratégico - Fomentar a articulação entre Escola/Família/Comunidade Objectivo Específico: Combater o insucesso, absentismo e abandono escolar promovendo a integração social e a aquisição de competências pessoais e sociais Projecto 1.2. Promoção do Sucesso Educativo Projecto 1.3. Desenvolvimento de Actividades em Tempos Não Lectivos Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Elaboração da Carta Abril 2007 Escolar - Conselho Municipal de - Ordenamento da Rede Educativa do Concelho Educação Escolar/ Promoção do sucesso educativo Enriquecimento Curricular: Ano Lectivo 2007/2008 Escolar - Generalização das - Língua Estrangeira - Inglês (1º CEB) - Escolas do Concelho Actividades de - Expressão Musical Enriquecimento Curricular - Expressão Artística em várias áreas - Educação Física - Criar turmas para alunos Ano Lectivo 2007/ Crianças e jovens em - Escolas do Concelho - Reintegração de jovens em que se encontrem em risco risco de abandono * Interlocutor para o situação de abandono do de/efectivo abandono escolar escolar abandono escolar ensino tradicional Turmas PIEF - PEETI - Projecto de Intervenção Precoce Ano Lectivo 2007/ Crianças (0-6 anos) /Famílias - CDSS Guarda - Centro de Saúde - Representante da - Prevenção primária - Promoção da integração na Comunidade Educação Município de Trancoso 12

13 - Propôr percursos Todo o ano - Crianças e jovens com - Igualdade de curriculares alternativos necessidades - Escolas do Concelho oportunidade/ Adequação e - Implementar a formação educativas especiais * Interlocutor para o individualização das profissional a partir do 1º abandono escolar respostas educativas Ciclo (Cursos Educação e - CDSS Guarda - Contribuição para o Formação) - CPCJ Trancoso desenvolvimento integral - Sensibilizar a população em das crianças e jovens relação aos cursos facilitando a formação da profissionais, tecnológicos e sua identidade pessoal de educação/formação - Acção Social Escolar Ano Lectivo 2007/ Crianças e jovens - Minimização do absentismo (Serviços de apoio à família) Pré-Escolar/ 1º CEB - Escolas do Concelho e abandono - Comemoração de Dias (De acordo com os Planos Escolar - Aquisição de competências Temáticos: de Actividade das Escolas) - Escolas do Concelho pessoais e sociais * Carnaval - Parceiros Institucionais - Fortalecimento das * Natal - Rede Social/CLAS relações interpessoais * Dia da Árvore/Ambiente - Facilitação do processo de * Dia Mundial da Criança sociabilização * Visitas de Estudo * Convívios inter-escolas - Criação de um Programa de Períodos não-lectivos - Crianças e Jovens - Ajustar o ensino às Actividades para os períodos * Trancoso Eventos necessidades das famílias não lectivos (Animação sócio- - Rede Social - Promoção da sociabilidade educativa) - Escolas do Concelho Município de Trancoso 13

14 Eixo I: Promover as Competências Sócio-Educativas da População do Concelho Objectivo Estratégico - Fomentar a articulação entre Escola/Família (Pais/Filhos)/Comunidade Objectivo Específico: Promover e desenvolver condutas co-educativas e competências parentais Projecto 1.3. Sessões de Informação/Sensibilização Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Sessões de sensibilização Ano Lectivo 2007/2008 Escolar - Escolas do Concelho - Aumento do nível de sobre a importância da - Associações de Pais - Associações de Pais conhecimento e Escolarização dos Agrupamentos de competências na prevenção - Rentabilizar a dinâmica do Escolas e Escola - Articulação e concertação Conselho Municipal de Secundária da intervenção sócio- Educação - Rede Social/ Núcleo educativa no Concelho - Incentivar o Associativismo A partir do Executivo - Reforço da participação de Pais e Encarregados de 2º Semestre 2007 dos Pais Reforço das Educação (Encontros de Pais) competências parentais e - Dinamizar uma Escola de partilha de experiências Pais - Maior participação dos - Dinamização de acções de Pais/ Melhor desempenho promoção de competências dos papéis parentais junto dos encarregados de - Envolvimento da família no educação percurso educativo - Dinamização de acções - Melhoria do conjuntas Pais/Filhos relacionamento familiar Município de Trancoso 14

15 Eixo I: Promover as Competências Sócio-Educativas da População do Concelho Objectivo Estratégico Fomentar uma Práctica de Formação Contínua/ Avaliação do impacto da Formação Profissional Objectivo Específico: Aumentar as competências pessoais e profissionais da população activa Projecto 1.4. Concertação Formação/Emprego Projecto 1.5. Formação de Activos Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Elaboração de um 2º Semestre Empresas e - AENE Beira - Adequação da formação Diagnóstico de Necessidades Instituições do profissional às necessidades de Formação Concelho - Rede Social/CLAS das estruturas económicas e - Promover a articulação e a - Escolas do Concelho sociais locais partilha regular de informação * CENFORMAT (Centro - Adequação dos Planos de entre os diversos serviços de Formação) Formação ao Plano de - Operacionalizar Planos de - IEFP Pinhel Desenvolvimento Social Formação adequados - Entidades Formadoras - Renovação de do Concelho conhecimentos e correcção - Acções de valorização social - Funcionários de situações de desvio no das profissões: - Empregados decurso da actividade Para Técnicos profissional Para Funcionários - Formação dos Técnicos - Cursos de reciclagem/ - Promoção do actualização para funcionários desenvolvimento de das diversas Instituições competências dos activos empregados Município de Trancoso 15

16 Eixo II - Promover os Níveis de Saúde da População Município de Trancoso 16

17 Eixo II: Promover os Níveis de Saúde da População Objectivo Estratégico Expansão dos serviços da Rede de Cuidados Continuados Objectivo Específico: Prestar Cuidados Continuados de Saúde Projecto 2.1. Intensificar a Intervenção Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Intensificar o serviço - Centro de Saúde: - Identificação dos utentes prestado de cuidados - Médicos continuados de saúde no - Enfermeiros - Cobertura de todos os domicílio Sensibilizar as - Fisioterapeuta indivíduos identificados no Instituições Sociais para a - Psicóloga projecto necessidade de alargamento dos Cuidados Continuados de Todo o ano - Juntas de Freguesia - Adesão de todas as IPSS s Saúde - IPSS s do Concelho do Concelho - Rede Social/CLAS - Melhorar a qualidade dos - Melhoraria dos cuidados cuidados continuados de saúde da população - Avaliação dos serviços prestados Município de Trancoso 17

18 Eixo II: Promover os níveis de saúde da população Objectivo Geral Informar e mobilizar a população para Estilos de Vida saudável Objectivo Específico: Promover e divulgar Acções de Comportamentos para a Saúde Projecto 2.2. Programa de Actividades de Sensibilização/Informação Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: Articulação com as Escolas: 2007/ Centro de Saúde - Co-responsabilização da - Acções de Sensibilização Escolar - Escolas do Concelho Comunidade Primeiros Socorros - Instituições Sociais - Professores Hábitos Alimentares - Pessoal não docente - Melhoraria da Saúde Tabagismo Pública Higiene Corporal/Oral - Técnicos de Saúde Alcoolismo - Estagiários (Curso - Aquisição de competências Sexualidade Enfermagem) pessoais e sociais Prevenção de Acidentes - IPSS s do Concelho Articulação com as IPSS: - Adopção de - Acções de Formação comportamentos adequados Saúde e Higiene ao nível dos cuidados de Hábitos Alimentares saúde Cuidados de Saúde - Saúde Escolar/Saúde Oral: Ano Lectivo 2007/ Crianças e Jovens - Centro de Saúde - Promoção (e tratamento) - Rastreio da saúde oral junto da - Tratamento comunidade escolar Município de Trancoso 18

19 - Estabelecer um Plano de 2007/ Centro de Saúde - Sensibilização da Acção para Comemoração de - Escolas do Concelho Comunidade para a adopção Dias Temáticos: de estilos de vida saudável e * Exposições/ Seminários - Juntas de Freguesia de prevenção da doença * Concursos - Associações * Caminhadas/ Actividades - Instituições Sociais desportivas; * Semana Por uma Vida Saudável - Divulgar o CAJ (Centro de Todo o ano - Jovens - Equipa de Saúde de - Promoção de estilos de Atendimento ao Jovem) Jovens: vida saudáveis nos Jovens - Médico - Enfermeiro - Assistente Social - Psicóloga Município de Trancoso 19

20 Eixo III: Promover a Empregabilidade e a Dinamização Empresarial Município de Trancoso 20

21 Eixo III: Promover a Empregabilidade e a Dinamização Empresarial Objectivo Estratégico - Promover o Empreendorismo, Dinamizando a Criação de Emprego Objectivo Específico: Apoiar e estimular todos os programas de apoio ao investimento produtivo Projecto 3.1. Rede Empresarial/ Rede de Empregabilidade Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Programa de incentivos na - Empresários - Desenvolvimento de um implementação de novas - Empreendedores Plano de sensibilização e empresas: - Artesãos locais e - AENEBeira motivação para o * Programa de Apoio ao regionais - CCP (Confederação do empreendedorismo Investimento da CMT - Desempregados/ Comércio e Serviços de - Informação/Apoio à - Apoio à Iniciativa, Inovação 1º Emprego Portugal) constituição de Empresas e Empreendorismo: - CEC (Conselho - Elaboração de Projectos de * GANEC Empresarial do Centro) Investimento * GDE Todo o ano - AENE Beira - Apoio aos Empresários - Consultoria Económica e - IAPMEI - Adequação das medidas ao Empresarial Quadro de Referência Estatégico Nacional (QREN) - FINICIA / - Apoio à criação, AENE Beira/ IAPMEI/ implementação e - Empreendedores NORGARANTE/ BES desenvolvimento da actividade empresarial - Microcrédito - Raia Histórica/ Caixa Geral de Depósitos Município de Trancoso 21

22 Eixo III: Promover a Empregabilidade e a Dinamização Empresarial Objectivo Estratégico - Valorizar e promover o território, potenciando os recursos existentes Objectivo Específico: Incentivar o desenvolvimento económico Projecto 3.2. Divulgar as Tradições Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Feiras Março 2007/Março Empresários - AENE Beira - Promoção e divulgação * Feira do Fumeiro - Comerciantes - Câmara municipal dos produtos alimentares * Feira de S. Bartolomeu Agosto 2007/Agosto Artesãos locais, * Trancoso Eventos tradicionais da região (Feira das Actividades regionais e nacionais - Juntas de Freguesia - Promoção das Empresas Económicas) - Produtores regionais - Artesãos - Promoção e Venda de - Produtores locais Artesanato - Turistas - Empresas/ Empresários - Animação - Festas e Romarias Todo o ano (Espectáculos/Diversões) - Promoção das infraestruturas de base económica e logística - Certificação de produtos (Em processo de - AENE Beira - Preservação dos produtos típicos da Região aprovação) - Turistas típicos - Incentivo à produção de produtos típicos Município de Trancoso 22

23 Eixo III: Promover a Empregabilidade e a Dinamização Empresarial Objectivo Estratégico - Envolver os Agentes Económicos nas dinâmicas sociais concelhias Objectivo Específico: Promover a responsabilidade social dos diversos agentes económicos Projecto 3.3. Boas Prácticas Empresariais Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Generalizar iniciativas de - Distinção de empresas que Responsabilidade Social - - AENE Beira promovam boas prácticas Criação do Prémio - Empresas sociais Responsabilidade Social - Raia Histórica - Distinção de empresas que - Criação do Prémio promovam boas práticas Responsabilidade Ambiental ambientais - Atribuição de um selo amigo - Empresas do ambiente 2º Semestre Empresários - Sensibilização e motivação dos Empresários locais para - Promoção de um Ciclo de - AENE Beira a importância das iniciativas Conferências/Workshps/Boas de Responsabilidade Social Prácticas - Formação aos - Rede Social/Núcleo Empresários locais Executivo - Consciencialização dos diversos agentes económicos para a necessidade de promover a empregabilidade Município de Trancoso 23

24 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção Município de Trancoso 24

25 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção Objectivo Estratégico Proporcionar a Todos os Idosos do Concelho o Apoio de que Necessitam Objectivo Específico: Dinamizar respostas de qualidade de vida dirigidas à população Idosa Projecto 4.1. Apoio à População Idosa Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Dinamizar e apoiar a criação - Utentes de Lares e - Aumento da capacidade de de Lares de Acolhimento de Centros de Dia cobertura dos equipamentos Idosos; - Dinamizar e apoiar a criação de Centros de Dia - Ocupar os tempos livres dos - Instituições Sociais Idosos promover a Todo o ano - Rede Social/CLAS - Dinamização psicomotora actividade física com - Utentes de Lares e dos utentes orientação individual, Centros de Dia - Promoção do convívio vantagens do exercício físico, promoção do convívio (Encontro desportivo para Idosos) - Recolha do Património Oral - Utentes de Lares e - Juntas de Freguesia - Promoção da importância local e etnográfico: Centros de Dia - Rede Social das tradições/cultura/troca reportagem fotográfica de saberes: recuperação dos saberes tradicionais Município de Trancoso 25

26 - Animação sócio-cultural Todo o ano - Utentes de Lares e - Juntas de Freguesia - Fortalecimento das Comemoração de Dias Centros de Dia - Associações relações inter-pessoais Temáticos: - Rede Social/CLAS Dia Internacional do Idoso - Integração dos Idosos na Magusto S. Martinho - Instituições Sociais Comunidade Festa de Natal Passeio Sénior Dia Internacional da Família Dia Nacional dos Avós * Encontro Concelhio de Idosos - Sensibilização dos Dirigentes 2º Semestre Dirigentes - Rede Social/Núcleo - Qualificação das respostas para a necessidade de integrar - Técnicos Executivo sociais dirigidas a Idosos recursos humanos qualificados, - Funcionários - Instituições Sociais nomeadamente na área da - CDSS Guarda animação social e cultural Município de Trancoso 26

27 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção Objectivo Estratégico Desenvolvimento dos serviços de apoio à Infância e Juventude Objectivo Específico: Aumentar o Número de Crianças e Jovens a usufruírem dos Equipamentos Sociais do Concelho Projecto 4.1 Actividades lúdicas e de Formação para a Juventude Projecto 4.2. Criação de uma Creche/Jardim-de-Infância Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Realizar um estudo- 2º Semestre Definição de um plano de diagnóstico da população - Associações apoio estratégico para a jovem do Concelho - Escolas do Concelho Juventude do Concelho - Rede Social - Realizar um Encontro 2º Semestre IPJ Municipal da Juventude - Jovens (10-24 anos) - Juntas de Freguesia - Criar o Conselho Municipal - Igrejas da Juventude - Criar um Programa de - Promoção da práctica Actividades: promover * Trancoso Eventos desportiva Projectos desportivos, lúdicos, - Associações - Promoção do culturais para os Jovens - Juntas de Freguesia desenvolvimento integral - Rede Social/CLAS dos jovens - Criação da Casa da Junho Apoio aos Jovens Juventude - Construção de uma nova Crianças - Santa Casa da - Aumento do número de Creche /Jardim de Infância Misericórdia de Trancoso vagas em Jardim de Infância Município de Trancoso 27

28 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção Objectivo Estratégico Aumentar a capacidade de prevenção e actuação face a situações de risco Objectivo Específico: Melhorar a capacidade de resposta a situações de risco, apostando na prevenção Projecto 4.3. Articular a relação entre as várias Entidades Intervenientes Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Criar um sistema de apoio 2º Semestre Vítimas de violência - Apoio às famílias com para indivíduos em situação doméstica - CPCJ Trancoso jovens e crianças em de risco - Juntas de Freguesia situação de risco - Rede Social/CLAS - Informar/Sensibilizar as - Famílias disfuncionais - Técnicos Sociais - Promoção da articulação famílias, escolas e - Escolas do Concelho entre a CPCJ e a Rede Social comunidade em geral sobre a - Juntas de Freguesia problemática e os serviços - Diminuição dos factores de existentes (sinalização e risco e aumento da inserção encaminhamento de situações Todo o ano social de risco) Divulgação/protecção dos - Divulgação do trabalho direitos das crianças e jovens desenvolvido pela CPCJ Trancoso - Reforçar os meios de - CPCJ Trancoso sinalização e - Parceiros Institucionais - Consciencialização dos acompanhamento problemas sociais existentes Município de Trancoso 28

29 - Projecto de Intervenção - Crianças (0-6 anos) - Centro de Saúde - Reforço das competências Precoce: que apresentem - CDSS Guarda familiares como suporte da - Sinalização das crianças deficiência ou risco de - Representante da capacitação e autonomia da - Alargamento do Projecto atraso grave de Educação problemática em causa desenvolvimento/ Todo o ano Famílias - Criação da resposta social: - Pessoas em situação - Instituições Sociais - Acolhimento temporário de alojamento temporário de crise pessoas em situação de - Rede Social/CLAS vulnerabilidade - CDSS Guarda - Juntas de Freguesia Município de Trancoso 29

30 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção Objectivo Estratégico - Melhorar as condições de habitabilidade detectadas no Diagnóstico Objectivo Específico: Realizar a recuperação/ beneficiação de habitações degradadas de públicos desfavorecidos, juntamente com um plano de acompanhamento social Projecto 4.4. Intervenção junto de Grupos Específicos Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Sinalizar e preparar os - Garantia da melhoria das processos objecto de condições de vida de intervenção públicos desfavorecidos * Relatório social - CDSS Guarda - Melhoria das condições de - Elaboração de um Plano de - Famílias carenciadas - NLI Trancoso habitabilidade Acompanhamento Social: Todo o ano a residirem em habitações - Juntas de Freguesia * Acções de valorização degradadas - INH ( Instituto - Desenvolvimento de social Nacional de Habitação) competências pessoais e sociais das famílias - Recuperar as habitações degradadas de públicos - Inserção social de famílias desfavorecidos disfuncionais Município de Trancoso 30

31 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção Objectivo Estratégico - Melhorar a Qualidade das Respostas Sociais Objectivo Específico: Promover a qualificação das Respostas existentes no Concelho Projecto 4.5. Formação dos Recursos Humanos/Qualificação das Respostas Sociais Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Elaboração de um - Conhecimento das diagnóstico de necessidades necessidades de Formação de Formação (Diagnóstico ao nível das várias respostas participado) sociais - Diversificação de - Elaborar um Programa de - Instituições Sociais - Instituições Sociais metodologias de Formação Formação dos Recursos 2º Semestre Técnicos - Rede Social/CLAS - Qualificação dos Humanos na área social - Funcionários desempenhos e prácticas Definir metodologias de - Entidades Formadoras dos recursos humanos na Formação área social - Garantir a implementação do - Verificação da Sistema de Qualificação e percentagem das respostas Certificação das Respostas sociais das Entidades Sociais do Concelho certificadas Município de Trancoso 31

32 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção Objectivo Estratégico - Promover a Acção Social Concertada/Articular as medidas sociais existentes Objectivo Específico: Criar um Observatório Criar e Manter um Sistema de Diagnóstico Contínuo Projecto 4.6. Desenvolver dispositivos operacionais compatíveis com as necessidades de actualização do PDS e outros instrumentos estratégicos do Concelho Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Elaboração de uma base de - Definição de um modelo trabalho que permita consensualizado de recolha actualizar os dados mais de informação - Base de importantes de forma Dados concelhia sistemática (Base de dados) - Sistematização das informações recolhidas - Criação de um sistema de - Rede Social/CLAS - Qualificação do processo Diagnóstico contínuo e de Diagnósticos sectoriais 2007/2008 Comunidade - Rede Social/Núcleo Executivo de Diagnóstico - Entidades Institucionais - Participação e - Definição de Grupos de envolvimento dos Parceiros Trabalho no processo de Diagnóstico - Contribuir para a - Articulação entre as concretização dos objectivos diversas Comissões e a do PNAI e outros Planos estrutura da Rede Social Município de Trancoso 32

33 Eixo IV: Alargar e Dinamizar a Acção Social no Concelho, Promovendo a Qualidade da Intervenção Objectivo Estratégico Implementar uma política de desenvolvimento social Objectivo Específico: Promover a Acção Social Concertada Projecto 4.7. Dinamização da Rede Social Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Dinamizar o Dia da Acção - Garantia de uma maior Social/ Dia da Cidadania - Técnicos eficiência do conjunto de - Realizar as I Jornadas - Dirigentes respostas do Concelho Sociais de Trancoso - Desenvolvimento de uma - Elaboração de Pareceres a - Rede Social/CLAS Parceria/ Entre-ajuda Projectos na área do - Rede Social/Núcleo efectiva e dinâmica que Desenvolvimento Social Executivo articule a intervenção social - Criar equipas - Escolas do Concelho dos diferentes agentes locais pluridisciplinares de apoio ao 2º Semestre CDSS Guarda - Desenvolvimento e desenvolvimento das consolidação de uma competências pessoais e - Centro de Saúde consciência colectiva dos sociais - Instituições Sociais problemas sociais existentes - Promoção da inclusão - Fomentar Estágios - Estagiários social, da tolerância, do Curriculares, promovidos pela respeito aquisição de Rede Social, com o objectivo Valores que promovam a de realizar estudos em Cidadania activa diversas áreas Município de Trancoso 33

34 Eixo V: Promover a Dinamização das Associações Locais Município de Trancoso 34

35 Eixo V: Promover a Dinamização das Associações Locais Objectivo Estratégico - Promover o Trabalho em Parceria entre as diversas Associações Objectivo Específico: Qualificar os Dirigentes e Quadros Associativos Projecto 5.1. Promover o Associativismo, valorizando o Concelho Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Curso de valorização dos - Dirigentes, Técnicos e - Estabelecer e promover Agentes Associativos Associados - Juntas de Freguesia um Plano de Formação - Associações - Promoção de actividades - Todos os Parceiros - Rede Social/CLAS - Incentivo às Associações conjuntas - IEFP Pinhel locais para o - IPJ desenvolvimento de - Criação de um Centro de - Associações Actividades e Projectos em Recursos de Programas e 2º Semestre 2007 parceria Projectos de financiamento e outros (Sistema de - Apoio às Associações com Informação) Serviços Técnicos - Promover Encontros de - Promoção de Visitas ao várias modalidades - Associações - Juntas de Freguesia Concelho desportivas - Juntas de Freguesia - Associações - Incentivo da práctica - População de outros - Rede Social/CLAS desportiva Concelhos Município de Trancoso 35

36 Eixo V: Promover a Dinamização das Associações Locais Objectivo Estratégico - Valorizar as Dinâmicas Associativas Objectivo Específico: Responsabilizar as Associações pela realização de Eventos culturais, lúdicos, desportivos, educativos e recreativos, aproveitando os recursos e potencialidades existentes Projecto 5.2. Actividades Associativas Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Apoiar a dinamização do Todo o ano - Sensibilização dos Jovens associativismo juvenil - Associações para a participação nas - Escolas do Concelho actividades associativas - Realizar um estudo- - IPJ - Definição de um Plano da diagnóstico da população - Juntas de Freguesia Juventude jovem do Concelho - Conhecimento da (levantamento de Início 2º semestre 2007 população juvenil e das suas necessidades, potencialidades actividades e perspectivas e recursos para a Juventude) - Jovens - Sensibilização para - Férias Desportivas aspectos relacionados com a Implementar o Dia Radical promoção da saúde - Criação de Produtos de - Elaboração da Carta difusão acessíveis Guia de Desportiva - Associações Recursos - Elaboração da Carta - Juntas de Freguesia - Conhecimento e Associativa - Rede Social/CLAS valorização dos recursos existentes Município de Trancoso 36

37 - Encontros de Gerações: - Guia de Recursos com * Actividades tradicionais - Associações todas as infra-estruturas, * Lendas locais - Rede Social clubes e associações * Património Oral - Juntas de Freguesia desportivas, com a sua localização e contactos - Promover Convívios: - Promoção de actividades * Inter-Freguesias Todo o ano de animação e convívio * Inter-Associações - Potenciação das Actividades dos Jovens - Programar Encontros: - Crianças/Jovens enquanto agentes de * Jogos Infantis - Associações mudança * Jogos Juvenis - Rede Social - Promoção de actividades - Juntas de Freguesia desportivas com recurso aos - Escolas do Concelho equipamentos existentes Município de Trancoso 37

38 Eixo VI: Promover o Turismo no Concelho de Trancoso Município de Trancoso 38

39 Eixo VI: Promover o Turismo no Concelho de Trancoso Objectivo Geral Criar um grupo pluridisciplinar com o objectivo de definir uma Estratégia para o Turismo Objectivo Específico: Promover e valorizar o Turismo como forma de desenvolvimento económico do Concelho Projecto 6.1. Divulgar e potenciar os recursos existentes no Concelho Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Criação da APT Agência Todo o ano - Requalificação da Imagem para a Promoção de Trancoso - AENE Beira do Comércio Tradicional - Comerciantes locais - Afirmação de Trancoso - Promover a Qualidade e como espaço histórico- Boas Práticas junto de todos cultural e comercial os serviços associados ao - Posicionamento adequado Turismo Julho 2007 da oferta comercial - Apresentação do Trabalho - Rede Social tradicional de Investigação: O Turismo - Universidade de Évora - Promoção de sinergias como factor de entre a animação urbana e o desenvolvimento comércio tradicional - Intervenção de valorização Todo o ano - Divulgação do Programa no Castelo de Trancoso - IPPAR das Aldeias Históricas - Beneficiação dos arruamentos e Iluminação no Centro Histórico Município de Trancoso 39

40 Eixo VI: Promover o Turismo no Concelho de Trancoso Objectivo Geral Promover a Valorização, Recuperação e Manutenção do Património Objectivo Específico: Divulgar, promover e proteger o Património existente Projecto 6.2. Sensibilizar a população para a importância do Património Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Publicações das Actas das I Março a Dezembro Protecção e valorização do Jornadas do Património Judaico de Património existente, da Beira Interior Belmonte promoção de um Turismo de qualidade, ao nível da - Projecto: A Cultura Judaica Cultura e História no Concelho de Trancoso - Turistas - Divulgação do Património - Inventário dos Abrigos de 2007/2008 Natural do Concelho Pastor Freguesia do Feital - Departamento de Identificação, valorização e História classificação - Comemoração das Jornadas Setembro Rede Social Europeias do Património - Fomentar hábitos de consumo cultural: - Comemoração Dia Nacional 2008 aproximação das populações dos Centros Históricos aos usos e costumes e tradições - Concurso de Fotografia: Junho Participação da À descoberta do património * Trancoso Eventos comunidade em eventos de construído de Trancoso - Rede Social carácter histórico-cultural Município de Trancoso 40

41 - Construção de Museus: Oferta de um novo Pólo * Museu do Tempo Turístico * Museu Bandarra * Centro Interpretativo Isaac Incluir na comemoração do Cardoso Dia Mundial do Turismo ( * Museu Eduarda Lapa divulgar o património natural e arquitectónico de - Elaboração de Roteiros 2007/ Raia Histórica Trancoso) Turísticos/ Elaboração de - Turistas Associação de Desdobráveis Desenvolvimento - Promoção do Património histórico-cultural do - Visitas Guiadas Todo o ano - CMT/Posto de Turismo Concelho * Centro Histórico Trancoso * Trancoso (Moreira de Rei/Torre do Terrenho) - Intervenção do Património na Cogula 2007/ Divulgação do Programa Aldeias do Côa Município de Trancoso 41

42 Eixo VI: Promover o Turismo no Concelho de Trancoso Objectivo Geral - Aumentar e Melhorar a Oferta Cultural Objectivo Específico: Promover a animação cultural no Concelho Projecto 6.3. Criar uma Agenda Cultural Anual Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: Plano de Animação sócio- Todo o ano - Promoção/Coordenação de cultural: * Trancoso Eventos actividades culturais e - Escola Profissional recreativas - Recriação Histórica Junho/Julho - Raia Histórica - Aumentar a frequência de - Outras Populações - Viv arte crianças e jovens na - Encontros de Leitura e 2007/ Associações Biblioteca Municipal Escrita/ Prémio de Poesia - Incentivar e motivar a Infantil/Juvenil população em geral para a - Feira do Livro Leitura - Ateliers de Tempos Livres na - Crianças e Jovens - Promover as Artes/ Biblioteca Municipal formas Promover a Expressão informais de ocupação de Plástica/Expressão Tempos Livres Dramática - Encontro de Artesãos 2º Semestre Rede Social - Divulgar o Património - Turistas material e imaterial do - Exposições Comemorativas * Trancoso Eventos Concelho Município de Trancoso 42

43 Eixo VII: Promover a Qualidade do Meio Ambiente no Concelho Município de Trancoso 43

44 Eixo VII: Promover a Qualidade do Meio Ambiente no Concelho Objectivo Geral Preservar o Meio Ambiente enquanto Forma de Promoção de uma Vida Saudável Objectivo Específico: Envolver os Parceiros Sociais Projecto 7.1. Educação Ambiental Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Dinamização de campanhas Todo o ano - Câmara - Mudança de de informação e sensibilização Municipal/Gabinete comportamentos da ambiental dirigidas à Técnico Florestal população, tornando-se população: Saúde ambiental - Sapadores ambientalmente correctos * Comemoração Dia da Março - Bombeiros Árvore - Crianças - Agrupamentos de * Comemoração Dia do Junho - Jovens Escolas Ambiente - Escola Secundária * Reciclagem (Distribuição de Folhetos) - Enterramento de - Planeamento e contentores (Ecopontos) ordenamento dos espaços - Colocação de Ecopontos 2007/2008 rurais/urbanos do Município e em relação às questões de - Criação do Gabinete Técnico - Câmara Protecção Civil Florestal Municipal/Gabinete Técnico Florestal Município de Trancoso 44

45 - Elaboração do Plano - Comissão Municipal - Determinação de Acções Municipal de Defesa da /GTF necessárias à defesa contra Floresta contra Incêncios Março 2007 incêndios - Articulação com o Serviço de /GTF - Circulação adequada da Protecção Civil Distrital - Protecção Civil da informação Todo o ano Guarda - Informar - Sessões de informação/sensibilização /GTF - Induzir a mudança de para a prevenção dos comportamentos na incêncios Comunidade - Actividades lúdico- - Promover a interacção com pedagógicas no Parque - Escolas do Concelho o meio ambiente: Municipal Ano Lectivo 2007/ Rede Social património natural e cultural Escolar - Divulgar o Parque Municipal como espaço de lazer Município de Trancoso 45

46 Eixo Transversal: Promover o Voluntariado Município de Trancoso 46

47 Eixo Transversal: Promover o Voluntariado Objectivo Geral Criar uma Bolsa de Voluntários Objectivo Específico: Criar uma Bolsa de Voluntários para apoio a iniciativas de interesse social e comunitário Projecto: Acções de Sensibilização/Formação Actividades/Acções: Calendarização: Público-Alvo: Intervenientes: Resultados Esperados: - Dinamizar o Banco de - Promoção do Voluntariado Voluntariado: na Saúde * Apoio Social * Apoio na Saúde - Rede Social/CLAS - Promoção do Voluntariado * Apoio na Educação - Juntas de Freguesia na Acção Social * Animação 2º Semestre de Instituições Sociais - Párocos - Exercício de uma - Sessões de Sensibilização - CNPV (Comissão Cidadania solidária Nacional Promoção do - Sessões de Formação Voluntariado) - Promoção da inter-ajuda consciente e activa Município de Trancoso 47

48 Plano de Acção 2007 Município de Trancoso Município de Trancoso 48

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015

PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 PLANO DESENVOLVIMENTO SOCIAL MAFRA 2013-2015 APROVADO EM SESSÃO PLENÁRIA DO CLAS 21 DE MAIO DE 2013 1 NOTA INTRODUTÓRIA O Diagnóstico Social constituiu a base de trabalho da ação dos Parceiros Locais.

Leia mais

Projecto co-financiado pelo FSE

Projecto co-financiado pelo FSE CLAS DE MONDIM DE BASTO PLANO DE ACÇÃO 2012 REDE SOCIAL DE MONDIM DE BASTO Projecto co-financiado pelo FSE ÍNDICE ÍNDICE DE TABELAS... 3 CAPÍTULO I... 4 INTRODUÇÃO... 4 CAPÍTULO II... 6 PLANO DE ACÇÃO

Leia mais

Câmara Municipal de Almeida PROGRAMA REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ALMEIDA

Câmara Municipal de Almeida PROGRAMA REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ALMEIDA PROGRAMA REDE SOCIAL CONSELHO LOCAL DE ACÇÃO SOCIAL DE ALMEIDA 2008 ÍNDICE Considerações Gerais 3 PROJECTOS DO EIXO 1: Melhorar as Condições de Vida dos Idosos e sua Integração na Comunidade 1.1 PCHI Programa

Leia mais

6 Plano de Acção 2005/2006

6 Plano de Acção 2005/2006 1 6 Plano de Acção 2005/ A Rede social iniciou actividades efectivas em em 2003, tendo sido realizado, até 2004 o Pré-Diagnóstico, o Diagnóstico Social, o Plano de Desenvolvimento Social e o Plano de Acção

Leia mais

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA

DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015/2016 PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO 2015-2016 POR UM AGRUPAMENTO DE QUALIDADE E EXCELÊNCIA JI Fojo EB 1/JI Major David Neto EB 2,3 Prof. José Buísel E.S. Manuel Teixeira Gomes

Leia mais

ÍNDICE página 2 página 3 página 7 página 13 página 15 página 17

ÍNDICE página 2 página 3 página 7 página 13 página 15 página 17 CLAS de Boticas ÍNDICE Introdução página 2 Resumo do página 3 Eixo I Promoção da Qualidade de Vida de Grupos Vulneráveis página 7 Eixo II Qualificação e Empreendedorismo página 13 Eixo III Dinamização

Leia mais

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012

Plano de Acção. Rede Social 2011/2012 Plano de Acção - Rede Social Plano de Acção Rede Social Conselho Local da Acção Social de Figueira de Castelo Plano de Acção Rede Social Acções a desenvolver Objectivos Resultados esperados Calendarização

Leia mais

PLANO DE AÇÃO. Aprovar o Diagnóstico Social e o Plano de Desenvolvimento Social 2015-2017

PLANO DE AÇÃO. Aprovar o Diagnóstico Social e o Plano de Desenvolvimento Social 2015-2017 PLANO DE AÇÃO O presente plano de ação engloba um conjunto de ações consideradas relevantes para a execução do Plano de Desenvolvimento Social 2015-2017 (PDS) e para o funcionamento da Rede Social de Aveiro,

Leia mais

O Plano de Desenvolvimento Social

O Plano de Desenvolvimento Social O Plano de Desenvolvimento Social Introdução O Plano de Desenvolvimento Social (PDS) é um instrumento de definição conjunta e negociada de objectivos prioritários para a promoção do Desenvolvimento Social

Leia mais

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018

Casa do Povo de Vilarandelo. Plano de Ação 2015-2018 Plano de Ação 2015-2018 Eixo de Intervenção 1 Emprego, Formação e Qualificação a) Estabelecimento da Parceria com o Instituto de Emprego e Formação Profissional, I.P., com o objetivo de facilitar os processos

Leia mais

Pág. 19 Pág. 20 Pág. 21 Pág. 22-23

Pág. 19 Pág. 20 Pág. 21 Pág. 22-23 1 Indice Implementação do Cartão Social..... Pág. 3 Implementação da Oficina Doméstica.. Pág. 4 Promover o Envelhecimento com Qualidade de Vida.. Pág. 5 Promover o Envelhecimento com Qualidade de Vida...

Leia mais

Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola. Uma estratégia para O Projeto Educativo Local

Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola. Uma estratégia para O Projeto Educativo Local Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola Uma estratégia para O Projeto Educativo Local Famalicão Cidade Educadora Vila Nova de Famalicão, cidade educadora, aderente ao movimento das Cidades Educadoras,

Leia mais

Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra

Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra Rede Social do Concelho de Pampilhosa da Serra O Plano de para o ano de 2006 constitui-se enquanto instrumento de trabalho tendo sido construído com base no Plano Desenvolvimento Social. Apresenta um conjunto

Leia mais

Escola Secundária da Ramada. Plano Plurianual de Atividades. Pro Qualitate (Pela Qualidade)

Escola Secundária da Ramada. Plano Plurianual de Atividades. Pro Qualitate (Pela Qualidade) Escola Secundária da Ramada Plano Plurianual de Atividades Pro Qualitate (Pela Qualidade) 2014 A Escola está ao serviço de um Projeto de aprendizagem (Nóvoa, 2006). ii ÍNDICE GERAL Pág. Introdução 1 Dimensões

Leia mais

Politicas Municipais de Apoio à Criança

Politicas Municipais de Apoio à Criança Politicas Municipais de Apoio à Criança MUNICIPIO DA MOITA DASC / Divisão de Assuntos Sociais Projectos Dirigidos à Comunidade em Geral Bibliotecas - Biblioteca Fora d Horas - Pé Direito Juventude - Férias

Leia mais

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1. Oferta Formativa 1.1. Dinamizar e consolidar a oferta formativa 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1.1.2. Promover o funcionamento de ciclos de estudos em regime

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES Inovação e Qualidade Plano de Ação Estratégico - 2012/2013 ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL TEIXEIRA GOMES PROJECTO DE INTERVENÇÃO PLANO DE ACÇÃO ESTRATÉGICO 2012/2013 Escola de Oportunidades e de Futuro Telmo

Leia mais

Rede Social PLANO DE AÇÃO

Rede Social PLANO DE AÇÃO Rede Social PLANO DE AÇÃO 2011 R E D E SOCIAL DO CONCELHO DE VILA DO BISPO 1 Rede Social Rede Social do Concelho de Vila do PLANO DE ACÇÃO 2011 Ficha Técnica Entidade Promotora: Câmara Municipal de Vila

Leia mais

Regulamento Interno» Pré-Diagnóstico» Diagnóstico» PDS» Diagnósticos 2014» PDS 2015-2017»

Regulamento Interno» Pré-Diagnóstico» Diagnóstico» PDS» Diagnósticos 2014» PDS 2015-2017» Regulamento Interno» Pré-Diagnóstico» Diagnóstico» PDS» Diagnósticos 2014» PDS 2015-2017» A Rede Social foi criada através de uma Resolução do Conselho de Ministros, e 18 de Novembro de 1997, num contexto

Leia mais

CONCLUSÕES GT CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA

CONCLUSÕES GT CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA CONCLUSÕES GT CIDADÃOS COM DEFICIÊNCIA Fiscalizar os prazos para adaptações previstas no Decreto lei 163 e aplicação de coimas. Campanha de sensibilização para comerciantes, etc. Publicação quais os seus

Leia mais

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015/2016

PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015/2016 Plano Anual de Atividades 2015/ 2016 Ser,Intervir e Aprender PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2015/2016 Sede: ES de Mem Martins EB23 Maria Alberta Menéres; EB1 de Mem Martins n.º2; EB1 com JI da Serra das Minas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I, BEJA Plano Estratégico de Melhoria 2011-2012 Uma escola de valores, que educa para os valores Sustentabilidade, uma educação de, e para o Futuro 1. Plano Estratégico

Leia mais

Relatório de Avaliação

Relatório de Avaliação PDS Plano de Acção 2005 Relatório de Avaliação Rede Social CLAS de Vieira do Minho Introdução Este documento pretende constituir-se como um momento de avaliação e análise do trabalho que tem vindo a ser

Leia mais

PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016

PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016 PLANO ESTRATÉGICO ANO LETIVO 2015-2016 1. INTRODUÇÃO E ENQUADRAMENTO Nos termos do Artigo 15.º, do Despacho Normativo n.º7/2013, 11 de julho No final de cada ano escolar, o conselho pedagógico avalia o

Leia mais

Às sextas na Cidade. Águeda - cidade inclusiva

Às sextas na Cidade. Águeda - cidade inclusiva Às sextas na Cidade Águeda - cidade inclusiva Índice Águeda - cidade inclusiva: Como pode a cidade ser mais inclusiva? idosos, crianças, pessoas com necessidades especiais A cidade é de TODOS! Índice INCLUSÃO

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7 5. Propostas

Leia mais

Ficha de Caracterização de Projecto

Ficha de Caracterização de Projecto Ficha de Caracterização de Projecto Projecto +Skillz E5G Programa Escolhas Promotor: Associação Mais Cidadania 2 A. IDENTIFICAÇÃO GERAL DA ENTIDADE Projecto Projecto +Skillz E5G Promotor: Associação Mais

Leia mais

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações:

I EMJ 8 de Junho de 2013 Recomendações finais Participantes nos grupos de trabalho que produziram as recomendações: Nr Área Recomendação Valido Abstenh o-me C/6 E/7 F/7 Voluntariado Aproveitar espaços sem utilização para fazer jardins, espaços para convívio e locais de desporto para a população. Promover a limpeza dos

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES Agrupamento de Escolas Elias Garcia 2013/2016 1 PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES 2013/2016 O Plano Plurianual de Atividades (PPA) constitui um dos documentos de autonomia,

Leia mais

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES

PLANO PLURIANUAL DE ATIVIDADES O Plano Plurianual de Atividades é um documento de planeamento que define, em função do Projeto Educativo, os objetivos, as formas de organização e de programação das atividades e que procede à identificação

Leia mais

Gabinete de Apoio à Família

Gabinete de Apoio à Família Gabinete de Apoio à Família 1- Enquadramento do Projecto A freguesia de São Julião do Tojal, no concelho de Loures, é caracterizada por uma complexidade de problemas inerentes ao funcionamento da família.

Leia mais

ÍNDICE. Plano de Desenvolvimento Social 5. Capitulo I. Capítulo II. Capítulo III. Capítulo IV. Capítulo V. Capítulo VI. Capítulo VII.

ÍNDICE. Plano de Desenvolvimento Social 5. Capitulo I. Capítulo II. Capítulo III. Capítulo IV. Capítulo V. Capítulo VI. Capítulo VII. ÍNDICE Capitulo I A Rede Social em 3 Plano de Desenvolvimento Social 5 Capítulo II Metodologia 7 Capítulo III Diagnóstico da situação 10 Diagnóstico Social Síntese 21 Capítulo IV Definição de Estratégias

Leia mais

Projectar o Algarve no Futuro

Projectar o Algarve no Futuro Projectar o Algarve no Futuro Os Novos Desafios do Algarve Região Digital paulo.bernardo@globalgarve.pt 25 Maio 2007 Auditório Portimão Arena Um mundo em profunda mudança O Mundo enfrenta hoje um processo

Leia mais

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015

Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Projeto Pedagógico e de Animação Do Estremoz Férias 2015 Índice 1. Objetivos gerais:... 4 2. Objetivos específicos:... 5 3. Estratégias Educativas e Pedagógicas... 6 4. Atividades Sócio-Educativas... 7

Leia mais

Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos

Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos Relatório de Actividades no Agrupamento de Escolas de Arraiolos Ano lectivo 2007-2008 Projecto ParticipAR Inovação para a inclusão em Arraiolos Arraiolos Outubro 2008 Introdução O presente documento apresenta

Leia mais

Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso

Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso Área de Intervenção IV: Qualidade de vida do idoso 64 ÁREA DE INTERVENÇÃO IV: QUALIDADE DE VIDA DO IDOSO 1 Síntese do Problemas Prioritários Antes de serem apresentadas as estratégias e objectivos para

Leia mais

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM

PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM PLANO TIC PLANO DE AÇÃO ANUAL PARA A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO APOIO AO ENSINO E À APRENDIZAGEM Ano Letivo 2011/2012 Marinha Grande, Setembro de 2011 1. Índice: Índice 2 1. Introdução 3 2. Caracterização

Leia mais

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha

Centro Comunitário Bairro Social de Paradinha A Cáritas Diocesana de Viseu no Bairro Social de Paradinha A Cáritas continua com um trabalho de relevante interesse social no Bairro Social de Paradinha. No ano de 2008, a Cáritas continuou a desenvolver

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2010. Acções Calendarização Recursos Humanos Recursos Materiais. Dirigentes das IPSS`s. Outras Entidades Locais

PLANO DE ACÇÃO 2010. Acções Calendarização Recursos Humanos Recursos Materiais. Dirigentes das IPSS`s. Outras Entidades Locais PLANO DE ACÇÃO 2010 EIXOI PROMOÇÃO DA QUALIDADE DE VIDA DA POPULAÇÃO IDOSOS OBJECTIVO GERAL: Requalificação de Equipamentos e Serviços sociais de Apoio a Idosos Objectivos específicos Acções Calendarização

Leia mais

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Arganil 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DE SUSTENTABILIDADE

Leia mais

O Plano Regional Integra:

O Plano Regional Integra: O Plano Regional Integra: 1. Acções estratégicas de combate à pobreza e exclusão social com efeitos a médio e longo prazo; 2. Acções/eventos com o objectivo de mobilizar e envolver a sociedade civil desenvolvidas

Leia mais

Agenda 21 Local de Figueiró dos Vinhos 3ª Sessão do Fórum Participativo

Agenda 21 Local de Figueiró dos Vinhos 3ª Sessão do Fórum Participativo Agenda 21 Local de Figueiró dos Vinhos 3ª Sessão do Fórum Participativo 22 de Fevereiro de 2010 Índice Índice PARTE I SÍNTESE DO 2º FÓRUM PARTICIPATIVO (10 minutos) PARTE II SÍNTESE DA ESTRATÉGIA DA SUSTENTABILIDADE

Leia mais

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu

UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu UNIÃO EUROPEIA Fundo Social Europeu Rede Social de Aljezur Plano de Acção (2009) Equipa de Elaboração do Plano de Acção de 2009 / Parceiros do Núcleo Executivo do CLAS/Aljezur Ana Pinela Centro Distrital

Leia mais

PLANO DE ACTIVIDADES 2011

PLANO DE ACTIVIDADES 2011 PLANO DE ACTIVIDADES 2011 MARÇO DE 2011 Este documento apresenta os objectivos estratégicos e as acções programáticas consideradas prioritárias para o desenvolvimento da ESE no ano 2011. O Plano de Actividades

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Castelo de Vide. Conselho Local de Acção Social de Castelo de Vide. Programa Rede Social.

Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Castelo de Vide. Conselho Local de Acção Social de Castelo de Vide. Programa Rede Social. Conselho Local de Acção Social de Castelo de Vide Programa Rede Social Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Castelo de Vide (período 2006-2009) Julho de 2006 Projecto co-financiado pelo Fundo

Leia mais

Entidades parceiras (Núcleo Executivo do CLAS de Borba): Maria do Carmo Cavaco Agrupamento de Escolas do Concelho de Borba

Entidades parceiras (Núcleo Executivo do CLAS de Borba): Maria do Carmo Cavaco Agrupamento de Escolas do Concelho de Borba 2015 PLANO DE AÇÃO Elaborado no âmbito do Programa Rede Social Plano de Ação do Concelho de 2015 s parceiras (Núcleo Executivo do CLAS de ): António Anselmo - Sofia Alexandra Dias - Crispim Francisco Lopes

Leia mais

JUNTA DE FREGUESIA DA UNIÃO DE FREGUESIAS DE SACAVÉM E PRIOR. Projeto Pedagógico e de Animação de Campos de Férias

JUNTA DE FREGUESIA DA UNIÃO DE FREGUESIAS DE SACAVÉM E PRIOR. Projeto Pedagógico e de Animação de Campos de Férias JUNTA DE FREGUESIA DA UNIÃO DE FREGUESIAS DE SACAVÉM E PRIOR Projeto Pedagógico e de Animação de Campos de Férias ÍNDICE 2 Introdução Pág. 3 Princípios e Valores Pág. 3 Objetivos Gerais Pág. 4 Objetivos

Leia mais

O relatório de avaliação do plano é aprovado pelo Conselho Pedagógico e apresentado na última reunião do ano letivo do Conselho Geral.

O relatório de avaliação do plano é aprovado pelo Conselho Pedagógico e apresentado na última reunião do ano letivo do Conselho Geral. Nos termos do Artigo 15.º, do Despacho Normativo n.º7/2013, 11 de julho No final de cada ano escolar, o conselho pedagógico avalia o impacto que as atividades desenvolvidas tiveram nos resultados escolares

Leia mais

Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola 2013/1014. Uma estratégia para O Projeto Educativo Local

Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola 2013/1014. Uma estratégia para O Projeto Educativo Local Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola 2013/1014 Uma estratégia para O Projeto Educativo Local O que é um PMMEE? O Plano Municipal de Melhoria e Eficácia da Escola consiste num conjunto de objetivos

Leia mais

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social

Linhas de Acção. 1. Planeamento Integrado. Acções a desenvolver: a) Plano de Desenvolvimento Social PLANO DE ACÇÃO 2007 Introdução O CLASA - Conselho Local de Acção Social de Almada, de acordo com a filosofia do Programa da Rede Social, tem vindo a suportar a sua intervenção em dois eixos estruturantes

Leia mais

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA

PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA PLANO DE AÇÃO ESTRATÉGICO - PROJETO DO CONTRATO DE AUTONOMIA ANEXO II DOMÍNIO: GESTÃO E DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Estudex PROJETOS ATIVIDADES ESTRATÉGIAS PARCERIAS CALENDARIZAÇÃO Sala de estudo para o

Leia mais

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora»

Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora» Normas de Participação no Concurso Jovens Talentos - «Almada, Cidade Educadora» 1. Disposições Gerais A Câmara Municipal de Almada promove o «Concurso Jovens Talentos 2012 - Almada, Cidade Educadora» com

Leia mais

O QUE É? EXEMPLOS DE INTERVENÇÕES RECOMENDAÇÕES DE POLÍTICA

O QUE É? EXEMPLOS DE INTERVENÇÕES RECOMENDAÇÕES DE POLÍTICA O QUE É? EXEMPLOS DE INTERVENÇÕES RECOMENDAÇÕES DE POLÍTICA ? O QUE É A ANIMAÇÃO TERRITORIAL A Animação Territorial é um processo dinâmico de intervenção social, que pressupõe uma atitude reflexiva activa

Leia mais

PROJETO EDUCATIVO. Revisão: 02. Data: 26/01/2015. Pág.: 1/ 08

PROJETO EDUCATIVO. Revisão: 02. Data: 26/01/2015. Pág.: 1/ 08 PROJETO EDUCATIVO Revisão: 02 Data: 26/01/2015 Pág.: 1/ 08 Uma Escola com Identidade FINALIDADES E PRINCIPIOS GERAIS O projeto educativo de uma Escola Profissional mais do que um referencial de ação, nos

Leia mais

Centro Social e Paroquial de São Nicolau Plano Estratégico 2014 2016

Centro Social e Paroquial de São Nicolau Plano Estratégico 2014 2016 Centro Social e Paroquial de São Nicolau Plano Estratégico 2014 2016 Com a Comunidade fazemos a ponte; porque a ponte é uma passagem para muitas margens. Maio 2014 Missão O CSPSN, enquanto Centro Comunitário,

Leia mais

PROJECTO EDUCATIVO DE AGRUPAMENTO

PROJECTO EDUCATIVO DE AGRUPAMENTO Agrupamento Vertical de Escolas São Vicente/Telheiras (171931) PROJECTO EDUCATIVO DE AGRUPAMENTO 2009 2012 Sede: ESCOLA BÁSICA 2, 3 DE TELHEIRAS Nª 2 Rua Fernando Namora 1600-454 LISBOA Telef.: 217121260

Leia mais

PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. Plano da sessão

PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA. Plano da sessão plano estratégico del desenvolvimento económico local PLANOESTRATÉGICO DO DESENVOLVIMENTOECONÓMICOLOCAL ECONÓMICO LOCAL DE S. JOÃO DA MADEIRA Equipa técnica: Assessor: João Pedro Guimarães Colaboradores:

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO. Indicações para Operacionalização 2012-2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO. Indicações para Operacionalização 2012-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE REDONDO PROJETO EDUCATIVO Indicações para Operacionalização 2012-2015 O Plano Anual de Atividades do Agrupamento é relevante para toda a Comunidade Educativa. Por ele se operacionalizam

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL

PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL PROJETO PEDAGÓGICO 2015/2016 CATL A vida é a arte de pintar e sentir a nossa própria história. Somos riscos, rabiscos, traços, curvas e cores que fazem da nossa vida uma verdadeira obra de arte! Autor

Leia mais

Projeto Educativo. Creche Humanus C.A.M. Resposta Social Creche D O C. 0 0 3. 0 2. C R E. Página 1 de 11. Funcionamento com apoio:

Projeto Educativo. Creche Humanus C.A.M. Resposta Social Creche D O C. 0 0 3. 0 2. C R E. Página 1 de 11. Funcionamento com apoio: Projeto Educativo Creche Humanus C.A.M. 1 de 11 Índice Introdução... 3 Quem somos?...3 As Dimensões do Projeto Educativo Dimensão Global da Criança.. 5 Dimensão Individual.... 6 Dimensão das Aquisições..

Leia mais

Projetos Educativos Municipais e Promoção do Sucesso Educativo

Projetos Educativos Municipais e Promoção do Sucesso Educativo 4º ciclo de seminários de aprofundamento em administração e organização escolar Painel A escola, o município e a melhoria das aprendizagens Projetos Educativos Municipais e Promoção do Sucesso Educativo

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Barrancos 2007 2009 INTRODUÇÃO

Plano de Desenvolvimento Social de Barrancos 2007 2009 INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO O presente documento surge no âmbito do Programa Rede Social, que tem como principal objectivo a articulação e congregação de esforços das entidades públicas e das entidades privadas sem fins

Leia mais

Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015

Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015 Recomendações Encontro Nacional de Juventude 2015 O Conselho Nacional de Juventude (CNJ) organizou, de 30 de outubro a 1 de novembro de 2015, em Cascais, na Escola de Hotelaria e Turismo do Estoril, o

Leia mais

P L A N O D E A C T I V I D A D E S

P L A N O D E A C T I V I D A D E S Agência Regional de Energia e Ambiente do Norte Alentejano e Tejo P L A N O D E A C T I V I D A D E S = 2008 = Janeiro de 2008 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. ACTIVIDADES A DESENVOLVER NO ANO DE 2008... 5

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2013/2014

PLANO DE AÇÃO 2013/2014 Plano de Ação 2013/ PLANO DE AÇÃO 2013/ 1 Plano de Ação 2013/ Eixo de Desenvolvimento: Promover a qualificação escolar/profissional, o empreendedorismo e a empregabilidade. Objetivo geral: Dinamização

Leia mais

2007/2010. Conselho Local de Acção Social de Belmonte CLAS/B

2007/2010. Conselho Local de Acção Social de Belmonte CLAS/B 2007/2010 Conselho Local de Acção Social de Belmonte CLAS/B 1 Plano de Desenvolvimento Social do Concelho de Belmonte 2007-2008 2007/2010 Câmara Municipal de Belmonte Rua Pedro Alvares Cabral, 135 6250-088

Leia mais

Agrupamento de Escolas de Arronches. Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar

Agrupamento de Escolas de Arronches. Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar Agrupamento de Escolas de Arronches Metas Estratégicas para a Promoção da Cidadania ACTIVA e do Sucesso Escolar João Garrinhas Agrupamento de Escolas de Arronches I. PRINCIPIOS, VALORES E MISSÃO DO AGRUPAMENTO

Leia mais

António José Cardoso Pires da Silva

António José Cardoso Pires da Silva (PLANO DE INTERVENÇÃO APRESENTADO PELO DIRECTOR AO CONSELHO GERAL TRANSITÓRIO) Quadriénio 2010/2014 Director António José Cardoso Pires da Silva INTRODUÇÃO O conhecimento do Agrupamento Marquês de Pombal

Leia mais

Agrupamento Vertical de Escolas de Marco de Canaveses 2010/2011. A Coordenadora: Maria José Castro Inácio. Ano Lectivo 201o/2011 1

Agrupamento Vertical de Escolas de Marco de Canaveses 2010/2011. A Coordenadora: Maria José Castro Inácio. Ano Lectivo 201o/2011 1 Agrupamento Vertical de Escolas de Marco de Canaveses 2010/2011 A Coordenadora: Maria José Castro Inácio Ano Lectivo 201o/2011 1 Pode não passar de uma banalidade de senso comum, mas nem por isso é menos

Leia mais

Jardim de Infância Professor António José Ganhão

Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância Professor António José Ganhão Jardim de Infância nº2 ( Brejo ) Jardim de Infância do Centro Escolar de Samora Correia Agrupamento de Escolas de Samora Correia Direcção Executiva Conselho

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO CRATO 2010-2012

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DO CRATO 2010-2012 O que é? Um Plano de Desenvolvimento Social é um instrumento de definição conjunta e negociada de objectivos prioritários para a promoção do desenvolvimento social local. Tem em vista não só a produção

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2008. 25 Março 08

PLANO DE ACÇÃO 2008. 25 Março 08 PLANO DE ACÇÃO 2008 25 Março 08 INTRODUÇÃO O Plano de Acção do CLASA tem vindo a referenciar-se às ideias de aprofundamento da cultura de partenariado e promoção do desenvolvimento social do concelho.

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DO CONSELHO GERAL. Relatório de Avaliação do Projecto Educativo do Agrupamento, 2007 2010

COMISSÃO PERMANENTE DO CONSELHO GERAL. Relatório de Avaliação do Projecto Educativo do Agrupamento, 2007 2010 Relatório de Avaliação do Projecto Educativo do Agrupamento, 2007 2010 O presente relatório traduz a avaliação do Projecto Educativo do Agrupamento Vertical de Escolas de Leça da Palmeira/Santa Cruz do

Leia mais

Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA )

Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA ) Regulamento da Universidade Sénior de Almada ( USALMA ) Preâmbulo O regulamento da Universidade Sénior de Almada (USALMA) foi aprovado pela Associação de Professores do Concelho de Almada (APCA) em reunião

Leia mais

Nº 13 AEC - Papel e Acção na Escola. e-revista ISSN 1645-9180

Nº 13 AEC - Papel e Acção na Escola. e-revista ISSN 1645-9180 1 A Escola a Tempo Inteiro em Matosinhos: dos desafios estruturais à aposta na formação dos professores das AEC Actividades de Enriquecimento Curricular Correia Pinto (*) antonio.correia.pinto@cm-matosinhos.pt

Leia mais

Plano de Actividades 2009

Plano de Actividades 2009 Plano de Actividades 2009 Introdução No prosseguimento da sua missão consultiva, instituída no quadro da Lei de Bases do Sistema Educativo de 1986, e tendo por referência a Lei Orgânica (Decreto-lei nº

Leia mais

Casa do Povo de Porto Judeu Instituição Particular de Solidariedade Social Contribuinte n.º 512 007 136

Casa do Povo de Porto Judeu Instituição Particular de Solidariedade Social Contribuinte n.º 512 007 136 Contribuinte n.º 512 007 136 PLANO DE ACTIVIDADES ANO DE 2009 I INTRODUÇÃO A Casa do Povo de Porto Judeu, como instituição de solidariedade social, e com algum peso no desenvolvimento desta freguesia no

Leia mais

Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional. Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010

Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional. Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010 Plano Anual de Actividades, Conta de Exploração Previsional e Orçamento de Investimentos e Desinvestimentos 2010 Nome: Centro Social de Cultura e Recreio da Silva Natureza Jurídica: Associação - Instituição

Leia mais

Introdução Freguesia de Odivelas Junta Freguesia de Odivelas Comissão Social de Freguesia de Odivelas

Introdução Freguesia de Odivelas Junta Freguesia de Odivelas Comissão Social de Freguesia de Odivelas Introdução A Freguesia de Odivelas é uma realidade complexa que a todos diz respeito, uma realidade que deve ser alvo de uma intervenção de todos que nela participam para que seja executado um trabalho

Leia mais

Plano de Acção Ano 2011. Avaliação

Plano de Acção Ano 2011. Avaliação Rede Social de Pombal de Pombal Plano de Acção Ano 2011 Avaliação Prioridade 1- (PNAI) (Combater a pobreza das crianças e dos idosos, através de medidas que asseguremos seus direitos básicos de cidadania)

Leia mais

Índice. 1. Nota Introdutória... 1. 2. Actividades a desenvolver...2. 3. Notas Finais...5

Índice. 1. Nota Introdutória... 1. 2. Actividades a desenvolver...2. 3. Notas Finais...5 Índice Pág. 1. Nota Introdutória... 1 2. Actividades a desenvolver...2 3. Notas Finais...5 1 1. Nota Introdutória O presente documento consiste no Plano de Acção para o ano de 2011 da Rede Social do concelho

Leia mais

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico

GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico INSPECÇÃO-GERAL DA EDUCAÇÃO GESTÃO CURRICULAR Educação Pré-Escolar e 1.º Ciclo do Ensino Básico Relatório 008-009 Colecção Relatórios FICHA TÉCNICA Título Gestão Curricular na Educação Pré-Escolar e no

Leia mais

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8

ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 ÍNDICE ENQUADRAMENTO 2 CORPOS SOCIAIS TRIÉNIO 2007/2009 3 APRESENTAÇÃO DA ENTIDADE 4 ACTIVIDADES A DESENVOLVER 2007/2008 7 ESTATUTO DE IPSS 8 CASINHA DA ROUPA 9 OS RATINHOS DE REBOREDA 10 CRIAÇÃO DA COMISSÃO

Leia mais

Plano de Acção 2010. Concelho do Marco de Canaveses. CLAS mc. Conselho Local de Acção Social do Marco de Canaveses Fevereiro de 2010

Plano de Acção 2010. Concelho do Marco de Canaveses. CLAS mc. Conselho Local de Acção Social do Marco de Canaveses Fevereiro de 2010 Plano de Acção 2010 Concelho do Marco de Canaveses 2010 2011 CLAS mc Conselho Local de Acção Social do Marco de Canaveses Fevereiro de 2010 Nível de Incidência Principais Conteúdos CONCEPÇÃO Pertinência

Leia mais

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL

PLANO DE ACÇÃO 2009 (Aprovado em CLASS de 13.3.2009) PARCEIRO RESPONSÁVEL OBJECTIVO DO PDSS ACTIVIDADE/ACÇÃO PARCEIROS ENVOLVIDOS PARCEIRO RESPONSÁVEL INDICADORES DE AVALIAÇÃO EXECUÇÃO TEMPORAL SOLIDARIEDADE SOCIAL Reforçar o apoio alimentar concelhio Melhorar o conhecimento

Leia mais

Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04

Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04 Índice de Quadros, Gráficos, Imagens, Figuras e Diagramas Introdução 01 Figura 1: Processo de implementação da Rede Social. 04 Parte I: Enquadramentos da Intervenção Social no Concelho de Bragança 08 Quadro

Leia mais

PROJETO ANUAL DA LUDOTECA

PROJETO ANUAL DA LUDOTECA O FAZ DE CONTA PROJETO ANUAL DA LUDOTECA ANO LECTIVO 2014/2015 Inês Matos ÍNDICE I- INTRODUÇÃO 3 II- PROJETOS 5 2.1. Semana da Alimentação 4 2.2. Formação Técnica 6 2.3. Acompanhamento às famílias 6 2.4.

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL PLANO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL AGUIAR DA BEIRA 2011 INDICE I-Enquadrammento----------------------------------------3 II-Metodologia--------------------------------------------4 III-Do Diagnóstico ao Plano------------------------------5

Leia mais

Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR

Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR Comissão Social de Freguesia de São Julião do Tojal Intervenção Psicossocial na Freguesia de São Julião do Tojal, especificamente no Bairro CAR 1- Enquadramento do Projecto A freguesia de São Julião do

Leia mais

Regimento do Conselho Municipal de Educação

Regimento do Conselho Municipal de Educação Considerando que: 1- No Município do Seixal, a construção de um futuro melhor para os cidadãos tem passado pela promoção de um ensino público de qualidade, através da assunção de um importante conjunto

Leia mais

Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa Sector da Rede Social

Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa Sector da Rede Social REDE SOCIAL Instituto da Segurança Social, I.P. Centro Distrital de Lisboa Sector da Rede Social REDE SOCIAL A Rede Social pretende constituir um novo tipo de parceria entre entidades públicas e privadas

Leia mais

Plano Anual de Actividades

Plano Anual de Actividades 2016 2016 CENTRO SOCIAL DA SÉ CATEDRAL DO PORTO Plano Anual de Actividades Resposta Social: Centro Comunitário Porto, 2016 1. INTRODUÇÃO O presente plano tem como objectivo definir e delinear estratégias

Leia mais

1.3. Envelhecimento Activo. 1.4. Plano de Actividades dirigido à população Idosa. 1.5. Semana Sénior

1.3. Envelhecimento Activo. 1.4. Plano de Actividades dirigido à população Idosa. 1.5. Semana Sénior Rede Social de Pombal de Pombal Largo do Cardal 3100-440 Pombal Plano de Acção Ano 2011 Prioridade 1- (PNAI) (Combater a pobreza das crianças e dos idosos, através de medidas que asseguremos seus direitos

Leia mais

PROGRAMA DO XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL

PROGRAMA DO XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL PROGRAMA DO XIX GOVERNO CONSTITUCIONAL 1 Na concretização destas políticas dar-se-á seguimento à execução do actual Plano para a Integração dos Imigrantes onde o Governo contará com os contributos da sociedade

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017

Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Página 2 de 29 Plano de Desenvolvimento Social de Ponte de Lima 2014-2017 Índice Índice de Siglas. 4 Nota Prévia... 5 Exposição e Explicação dos

Leia mais

Plano de Comunicação e Educação para a Sustentabilidade

Plano de Comunicação e Educação para a Sustentabilidade Plano de Comunicação e Educação para a Sustentabilidade Versão 2.0 de 4 de Junho de 2007 Promotores: Co-financiamento: Introdução A Agenda 21 do Vale do Minho é um processo de envolvimento dos cidadãos

Leia mais

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Graça, Tânia. Experiência profissional. Apelido / Nome(s)

Curriculum Vitae. Informação pessoal. Graça, Tânia. Experiência profissional. Apelido / Nome(s) Curriculum Vitae Informação pessoal Apelido / Nome(s) Morada Rua Ricardo Durão,79 2090-137 Alpiarça Telemóvel 926944712 Correio electrónico taniagraca@gmail.com Nacionalidade Portuguesa de nascimento 26.08.1982

Leia mais

Projeto de Intervenção

Projeto de Intervenção Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, Braga Projeto de Intervenção 2014/2018 Hortense Lopes dos Santos candidatura a diretora do Agrupamento de Escolas Carlos Amarante, Braga Braga, 17 abril de 2014

Leia mais

Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores. Projeto Educativo. Educar para a Cidadania

Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores. Projeto Educativo. Educar para a Cidadania Escola Profissional do Sindicato do Escritório e Comércio da Região Autónoma dos Açores Projeto Educativo Educar para a Cidadania Preâmbulo O Projeto Educativo é o documento que consagra a orientação educativa

Leia mais

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro

DGEstE Direção de Serviços da Região Centro DGEstE Direção de Serviços da Região Centro Bibliotecas Escolares - Plano Anual de Atividades (PAA) Ano letivo 2014/2015 Este PAA encontra-se estruturado em 4 domínios (seguindo as orientações da RBE)

Leia mais