Organização e catalogação do arquivo fotográfico da escritora Patricia Bins

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Organização e catalogação do arquivo fotográfico da escritora Patricia Bins"

Transcrição

1 Organização e catalogação do arquivo fotográfico da escritora Patricia Bins Carolina Silva Skolaude 1 O objetivo desse artigo é relatar a importância da organização e descrição dos itens pertencentes ao acervo fotográfico da escritora Patricia Bins, vinculado ao DELFOS- Espaço de Documentação e Memória Cultural da Biblioteca Central Irmão José Otão da PUCRS. O acervo fotográfico é composto por fotografias, sendo algumas em preto e branco e outras coloridas, que retratam a vida da escritora, de seus familiares e amigos. A escritora Patricia Bins nasceu no Rio de Janeiro em 24 de julho de Filha de mãe inglesa de Londres, Íris Holliday, e pai húngaro de Budapeste, Andor Ströh. O casal veio aventurar-se às novas terras. O local escolhido foi o Brasil, Rio de Janeiro. Queriam fazer novas amizades, ganhar experiência e dinheiro, e depois retornar à Europa. Patricia residiu no Rio de Janeiro até os cinco anos de idade. Em 1934 a família foi transferida para Belo Horizonte e Patricia, então, com seis anos de idade, começou a frequentar uma escola particular e aprendeu a ler. A cultura com que Patricia conviveu desde criança era a cultura européia e a língua falada era somente o inglês. Mesmo morando no Brasil, seus pais e amigos, em sua maioria divorciados e sem filhos, não abriam mão do espírito europeu. Isso deu à escritora mais sensibilidade e experiência, já que o Brasil não estava habituado a certas modernidades, que para ela eram normais. p.04), comenta: Patricia Bins, em uma entrevista publicada em Autores Gaúchos (Vol 28, 1990, Os amigos de meus pais eram todos meio loucos, desajustados, poliglotas, eram quase todos desquitados. Convivi então, com essa coisa européia, pouco conhecida no Brasil, das pessoas se divorciarem, casarem de novo, terem um outro companheiro ou companheira. Mas eles não tinham filhos, ou os filhos tinham ficado com as mulheres anteriores. Tudo isso era muito normal para mim e colaborou para o meu amadurecimento. Patricia teve uma infância solitária e viveu esse período rodeada por adultos. Encantou-se muito cedo com as palavras. Sua primeira criação literária deu-se entre os dez e os doze anos, concretizada em um poema intitulado O beijo. Desde criança, Patricia 1 Acadêmica do curso de Letras da PUCRS, bolsista BPA de Iniciação Cientifica do Delfos Espaço de Documentação e Memória Cultura da PUCRS. Atua no projeto denominado Organização e catalogação do arquivo fotográfico da escritora Patricia Bins.

2 47 nunca deixou de ler e a biblioteca da família nunca teve restrições, recebia livros dos avós da Europa que iam desde contos de fadas até versões para crianças de Dickens, Shakespeare, etc. Teve também o privilégio de ter tido uma educação bilíngue, em razão das origens dos seus pais e da freqüência com que os dois idiomas, Português e Inglês, eram falados em sua casa. Educada para retornar à Europa e ao mesmo tempo apaixonada pelo Brasil e pela língua portuguesa, Patricia comenta (Autores Gaúchos, Vol. 28, 1990, p.04): Fui educada para retornar, não para ficar, mas me apaixonei de tal forma pela cor do Brasil, pelo idioma, que acabei sendo uma escritora brasileira. Um ano depois de a família estar residindo na cidade mineira, nasceu a sua irmã caçula, Elizabeth-Anne. Com diferença de sete anos em relação à irmã, Patricia muitas vezes cumpria o papel de mãe. Em 1940 sua família vem residir no Rio Grande do Sul, na cidade de Porto Alegre. Patricia, então com doze anos, ingressa na quarta série do Colégio Americano. Ganhou alguns prêmios literários, como o Prêmio Joyce Almeida e o Prêmio de contos concedido pela Academia Literária Feminina. Era aluna dedicada e formou-se em primeiro lugar no curso secundário. Aos quatorze anos começa a dar aulas particulares de inglês em sua residência, e aos dezessete foi convidada a lecionar no Instituto Cultural Brasileiro Norte Americano. Lecionou também na escola de idiomas Yázigi. Em 1946 ingressou na Faculdade de Belas Artes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e, no mesmo ano, conheceu o professor e arquiteto Roberto Bins, seu futuro marido. Formou-se em Artes Plásticas em 1950 e recebeu uma bolsa de estudos para dar seguimento à sua formação na América do Norte. Não aceitou o prêmio, pois Roberto, na época seu noivo, não concordava com a mudança de Patricia para outro país. Em 31 de janeiro de 1952 Patricia casou-se, na igreja Nossa Senhora Auxiliadora, com Roberto Bins. Um ano depois, nasceu Roberto Bins Jr., seu filho mais velho, e em 1956, Carlos Henrique Bins. Já nos anos 70, Roberto Bins, ainda bastante jovem, sofreu um derrame cerebral, modificando, dessa forma, a rotina da família. Patricia, nessa época, já era avó e estava cursando jornalismo há dois anos na UFRGS, mas envolvida com a nova situação familiar, desistiu do curso, pois a doença do marido exigia tempo e cuidados. Para amenizar as modificações familiares ocorridas, Patricia resolveu abrir um antiquário, o Ilhantiga.

3 Segundo Patricia, era um escritório/loja de assessoria artística, de decoração e literatura. Vários amigos frequentavam o local para conversas agradáveis e animadas, trazendo muitos benefícios para Roberto, pois tinha trabalho e contato com as pessoas. A escritora, com o apoio de Lara de Lemos, de Paulo F. Gastal e da editora Lygia Nunes, seguiu sua busca pela arte. Em 1968, a convite de Breno Caldas, diretor das Empresas Jornalísticas Caldas Junior, começou a coordenar o Suplemento Mulher, da Folha da Tarde, sob a direção do jornalista Edmundo Soares, o que lhe proporcionou contato com diversos escritores que enviavam seus livros e trabalhos para serem publicados. Com o apoio e colaboração de jornalistas e escritores como Lya Luft e Olga Reverbel, organizou um caderno literário. Permaneceu durante dezoito anos no Jornal Correio do Povo. Em 1981, Patricia lançou O assassinato dos pombos cronicontos, denominado dessa forma pela escritora, pois se trata de uma coletânea de contos e crônicas que haviam sido publicadas no Correio do Povo. O livro levou o título de uma crônica sobre um concurso de tiro ao alvo, sendo que o alvo eram os pombos. Patricia, indignada com o fato, escreveu sobre ecologia. No seguinte ano, ingressou na Academia Feminina de Letras do Rio Grande do Sul, na cadeira 26, a convite da poetisa Stella Brum, ocupou o lugar de Lila Ripoll. Em 1983, lançou Jogo de fiar, primeiro volume da Trilogia da Solidão, pela Editora Nova Fronteira. Em 1984 a obra recebeu a Grande Medalha Grau Ouro, do Governo de Minas Gerais. Em seguida, a escritora lançou o segundo volume dessa Trilogia, intitulado Antes que o amor acabe e três anos depois, o terceiro volume, Janela do Sonho. Em 1989 publicou o primeiro volume da Trilogia da Paixão, intitulado Pele nua do espelho que, segundo a autora, foi um dos mais difíceis de escrever. Foi escolhido para representar o Brasil na Feira Internacional de Frankfurt, Alemanha. A escritora, em Autores Gaúchos (Vol.28, 1990, p.06), comenta: Pele nua do espelho - foi o mais arrojado e o mais difícil porque não é como escrever uma história linear com princípio, meio e fim. É uma história caleidoscópica, como já falei; é uma história estilhaçada que tem cortes constantes, mas que não perde o fio. Eleita por unanimidade, ingressou na Academia de Letras do Brasil, cadeira número trinta, patrono Érico Veríssimo, que é sediada em Brasília e presidida por Almeida Fischer.

4 49 Patricia completou a Trilogia com os livros Theodora, de 1991, e Sara e os anjos, de A terceira trilogia, de Eros ou da Sedução, criada por Patricia, não chegou a ser concluída. Teve seu primeiro volume, Caçador de memórias, lançado em 1995 e Instantes do mundo em O terceiro volume permaneceu inacabado. Patricia participou de Trilogias e Antologias, fez traduções e publicou as obras O dia da árvore em 1996, Pedro e Pietrina em 1997, na área da Literatura Infanto-Juvenil. Um ano após perder o marido, Patricia foi eleita patrona da 44ª Feira do livro de Porto Alegre, com o lema O Mundo na praça, que pretendeu contribuir para o intercâmbio com autores estrangeiros e inserir o evento no circuito internacional. A Feira, que ocorreu na Praça da Alfândega, como de costume, contou com a participação de quarenta autores de outros estados e quinze estrangeiros, oriundos da Rússia, Estados Unidos, Portugal, França, Espanha e Mercosul. Patricia Bins, em janeiro de 2003 doou à Faculdade de Letras da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) o seu acervo fotográfico, juntamente com os seus manuscritos, correspondências e outros. O acervo faz parte do DELFOS- Espaço de Documentação e Memória Cultural, localizado no sétimo andar da Biblioteca Central Irmão José Otão da PUCRS. O DELFOS é responsável por um grande número de acervos de escritores, poetas, artistas plásticos, jornalistas, historiadores, arquitetos, no qual trabalham professores-pesquisadores e alunos-pesquisadores que são treinados para manter e pesquisar nesses acervos de forma diferenciada. É importante salientar que, apesar de Patricia ter nascido no Rio de Janeiro, isto é, ser carioca, ela assumiu o Estado do Rio Grande do Sul como seu lugar de origem e de história, justificando, dessa forma, seu acervo junto a outros de escritores gaúchos. Atualmente o projeto desenvolvido no acervo da escritora é denominado Organização e Catalogação do Arquivo Fotográfico da Escritora Patricia Bins. Está sendo desenvolvido pela professora Dr. Helenita Rosa Franco e tem apoio da auxiliar de pesquisa, a graduanda da Faculdade de Letras Carolina Silva Skolaude. As fotografias doadas pela escritora precisavam ser organizadas e armazenadas de forma moderna e segura por serem delicadas e retratarem não só a vida de Patricia Bins, mas juntamente com seus contemporâneos. Um dos principais objetivos do projeto é a preservação desses documentos, bem como a criação de uma metodologia que ajude os pesquisadores a terem

5 nas fotografias uma ferramenta eficaz no desenvolvimento da memória social. Nesse sentido, o objetivo é também a realização de pesquisas que irão contribuir para o aumento do conhecimento a respeito da produção existente. Os registros fotográficos doados por Patricia Bins pertencem à classe dos documentos audiovisuais. Documento, segundo Ataliba Teixeira Castilho (1991, p 28.) é o testemunho da atividade do homem, fixado num suporte durável. Através dos documentos, pode-se estabelecer um Arquivo Permanente ou Histórico que poderá interagir com diversos órgãos de cultura. A ficha catalográfica utilizada para descrição das fotografias foi elaborada pela equipe da biblioteca com base no software Aleph, programa já usado em outros projetos desenvolvidos pelo grupo de pesquisadores ao qual o acervo de Patricia Bins pertence e também é programa utilizado em bibliotecas do mundo todo. Essa organização facilitará a pesquisa informatizada aos interessados. O processo de catalogação inicia com a descrição do documento, organizando-se em séries e fundos, a partir dos documentos de recuperação da informação nele contida. Tais instrumentos são: o registro de entrada e a classificação com arranjo e ordenação. A ordenação deve submeter-se às estruturas e à natureza do material a ser ordenado, conforme preceitua a arquivística, ciência que se relaciona com a ciência da informação. A arquivística é um conjunto de princípios, conceitos e técnicas a serem observados na produção, organização, guarda, preservação e uso de documentos em arquivos. As pastas onde são armazenadas as fotografias devem ser identificadas por numeração, que obedecerá às normas de arranjo e ordenação. A catalogação será feita por meio de ficha catalográfica, com entradas relativas ao código do material, acervo, categoria, gênero, localização, autor, instituição produtora e local de publicação. Os arquivos com inúmeras peças devem ser devidamente organizadas e catalogadas, gerando, assim, um banco de dados. O trabalho de descrição das fotografias foi realizado com a ajuda de alguns bolsistas que fizeram a pesquisa em livros, revistas e jornais com publicações sobre a vida da escritora e também com a colaboração da professora Dr. Helenita Rosa Franco, coordenadora do projeto, por ter tido contato com a escritora, e ter conhecimento de particularidades de sua vida, reconhecer o contexto histórico das fotografias e conhecer as personalidades, os locais e os eventos retratados nos

6 51 documentos. As descrições resultam em um inventário do acervo fotográfico, juntamente com um índice dos assuntos e personalidades retratados, com o objetivo de auxiliar as pesquisas e consultar o acervo fotográfico. A fotografia é o registro de uma imagem congelada em um determinado momento, o que nos favorece considerar as questões de tempo e espaço. Segundo Kossoy (1989, p.6): A imagem fotográfica é o que resta do acontecimento, sob os olhos e a intromissão de um fotógrafo. A imagem fotográfica possibilita apresentar os sujeitos através de suas vestes e comportamentos que parecem configurar uma realidade vivida, porém o que está impresso deve ser considerado não como uma verdade e sim enquanto elaboração de uma versão daquilo de que se gostaria tivesse sido vivido. A fotografia é sempre uma construção ideal, as roupas, os objetos que se mostram em uma cena de um retrato, com certeza foram escolhidos para compor a referida imagem. Michelon & Tavares (2008, p. 101). Para que exista a fotografia tem que ter existido um momento real e um fotógrafo disponível que tenha captado o instante do acontecimento. A fotografia, como fonte histórica, é complexa e inesgotável. Ela proporciona conexões não somente com o fotógrafo ou com o personagem principal na foto, mas com todo relacionamento de tempo, espaço e pessoas que vivenciaram, presenciaram, ou tiveram conhecimento desse momento. Devemos também considerar a importância que a fotografia proporciona dentro da dispersão cultural, social, econômica, política, estética, religiosa, histórica, etc. Segundo Mazzochi & Kirst (2000, p.169), A fotografia é uma linguagem que tal como a literatura, em certa medida, recria o mundo, acumulando infinitas impressões nas cenas que se interligam e associam, conforme os significados atribuídos pelos espectadores. [...] Ao vermos uma fotografia e nos interessarmos por ela, estamos criando uma versão do mesmo e nos reconstruindo pelos caminhos da memória e suas reconfigurações. A fotografia, além de ser uma fonte histórica, determina diferentes leituras e interpretações, dessa forma, resultando em um processo de construção de sentido. Do ponto de vista temporal, a fotografia também permite a reconstrução do passado, como uma mensagem que se verifica através do tempo. Sabendo-se que são muitas as ideias, considerações atribuídas às imagens fotográficas, assim como a forma de interpretação das

7 mesmas, destaca-se a necessidade de preservação das imagens fotográficas para a interpretação do passado e seu progresso. A organização completa dos arquivos fotográficos dos periódicos é uma necessidade não só para a conservação das peças, mas principalmente para aperfeiçoar o tempo de busca e o aproveitamento das imagens em outras matérias a elas relacionadas. É importante também destacar que, através dos anos, têm-se descoberto dados importantes do passado através da fotografia, pois ao idealizá-la o fotógrafo dá origem a um ato de comunicação que, assim como a escrita ou a abordagem oral, pode ter infinitas interpretações e descobertas a serem feitas. As fotografias são suportes de memória muito significativos, dessa forma, os acervos fotográficos tornam-se importante como valor histórico e documental e nesse caso, retratando não somente a vida da escritora Patrícia Bins, mas salientando a fotografia como parte essencial do patrimônio cultural devendo ser considerada pelo seu valor artístico e documental. O trabalho de Organização do Arquivo Fotográfico da Escritora Patricia Bins traz como experiência a reflexão sobre a importância dos acervos fotográficos, reavivando dessa forma a sua história de vida e a memória de seus familiares e amigos na interação com as imagens. Salienta-se a importância do projeto, pois o conhecimento do passado pelas futuras gerações de pesquisadores será possível através desse trabalho. Referências BINS, Patricia. Instantes do mundo. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, Caçados de memórias: romance. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, Sarah e os anjos: romance. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, Theodora. Rio de janeiro: Bertrand Brasil, Pele nua do espelho: romance. Rio de janeiro: Bertrand, Janela do sonho. Rio de janeiro: Nova Fronteira, Antes que o amor acabe. Rio de janeiro: Nova Fronteira, 1984.

8 53. Jogo de fiar. Rio de janeiro: Nova Fronteira, O assassinato dos pombos. Porto Alegre: Metrópole, O dia da árvores. Porto Alegre: Bertrand Brasil, Pedro e Pietrina. Porto Alegre: Bertrand Brasil, BORDINI, Maria da Glória. Cadernos do Centro de Pesquisas Literárias da PUCRS. v.1, Porto Alegre: EDIPUCRS, BURGI, Sérgio. Introdução à preservação e conservação de Acervos Fotográficos: técnicas, métodos e materiais. Rio de janeiro: FUNART, CASTILHO, Ataliba (Org.). A sistematização dos arquivos públicos. Campinas: Editora da Unicamp, CURY, Maria Zilda Ferreira. A pesquisa em acervos e o remanejo da crítica. In: Manuscrítica revista de crítica genética. São Paulo: APML, FRANCO, Helenita Rosa. Organization and analysis of the arquives of the Contemporary Brazilian Author Patricia Bins fls. Tese (Doutorado em Letras) - The University of New Mexico. Albuquerque, New Mexico, U.S.A HOUAISS, Antônio. Elementos de bibliografia. v 1. Rio de janeiro: Instituto Nacional do Livro, IEL. Patricia Bins. Porto Alegre: IEL, Col. Autores gaúchos, v. 28. KOSSOY, Boris. Fotografia e história. São Paulo: Ática, LAUFER, Roger. Introdução à textologia. São Paulo: Perspectiva, MARTINS, José de Souza. Sociologia da fotografia e da imagem. São Paulo: Contexto, MAZZOCHI, Nilcia Peres; KIRST, Patrícia Gomes. A Fotografia como tecnologia da inteligência. IN: PELLANDA, Nize Maria Campos. Ciberespaço: Um hipertexto com Pierre Lévy. Porto Alegre: Artes e ofícios, MICHELON, Francisca Ferreira. TAVARES, Francine Silveira. Fotografia e memória Ensaios. Pelotas: Editora e gráfica Universitária da UFPEL, SALLES, Cecília Almeida. Gesto Inacabado processo de criação artística. São Paulo: FAPESP, Annablume, 2004.

9 WILLEMART, Philippe. Antes do começo dos começos. In: Manuscrítica revista de crítica genética. São Paulo: APML, 1993.

A FOTOTECA DE PATRICIA BINS - DIFICULDADES NO PROCESSO DE CATALOGAÇÃO

A FOTOTECA DE PATRICIA BINS - DIFICULDADES NO PROCESSO DE CATALOGAÇÃO A FOTOTECA DE PATRICIA BINS - DIFICULDADES NO PROCESSO DE CATALOGAÇÃO Viviane Sampaio 1 Genericamente, poderíamos dizer que a fotografia de hoje não é apenas a devolução mecânica de uma realidade visual.

Leia mais

Organização e Manutenção do Acervo Arquitetônico de Theo Wiederspahn

Organização e Manutenção do Acervo Arquitetônico de Theo Wiederspahn 2155 X Salão de Iniciação Científica PUCRS Organização e Manutenção do Acervo Arquitetônico de Theo Wiederspahn Helga Pfeifer Koelln (bolsista apresentador), Paulo Renato Silveira Bicca (orientador) Faculdade

Leia mais

Organização e Manutenção do Acervo Fotográfico da Revista do Globo

Organização e Manutenção do Acervo Fotográfico da Revista do Globo 3106 X Salão de Iniciação Científica PUCRS Organização e Manutenção do Acervo Fotográfico da Revista do Globo Diego Barros dos Santos, Profª Dr. Alice Therezinha Campos Moreira (orientador) Faculdade de

Leia mais

Foi notícia: Reunião geral marca abertura do ano para pós-graduação

Foi notícia: Reunião geral marca abertura do ano para pós-graduação Olá. Eis o segundo Notícias FALE de 2015: fique atento, a partir deste novo número traremos sempre um pequeno índice dos textos. Na edição de maio, sendo assim, falamos do encontro do PPGL, da participação

Leia mais

Coleção Particular. Veiga Cabral. (Versão Pesquisador)

Coleção Particular. Veiga Cabral. (Versão Pesquisador) Coleção Particular Veiga Cabral (Versão Pesquisador) Rio de Janeiro 2015 Ficha Técnica Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal da Casa Civil Prefeito Eduardo Paes Secretário Guilherme

Leia mais

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho

PROPOSTA PEDAGÓGICA. Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Elaborada por Ana Carolina Carvalho PROPOSTA PEDAGÓGICA Crianças do Brasil Suas histórias, seus brinquedos, seus sonhos elaborada por ANA CAROLINA CARVALHO livro de JOSÉ SANTOS ilustrações

Leia mais

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez.

PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. PROJETO DE LEITURA E ESCRITA Era uma vez... E conte outra vez. CARACTERIZAÇÃO DO PROJETO TEMA; PROJETO DE LEITURA E ESCRITA. Era uma vez... E conte outra vez. INSTITUIÇÃO Escola Estadual Lino Villachá

Leia mais

Módulo Estratégia RPG: Trabalho Final

Módulo Estratégia RPG: Trabalho Final Pontifícia Universidade Católica Departamento de Artes & Design Curso de Especialização O Lugar do Design na Leitura Nome: Giselle Rodrigues Leal Matrícula: 072.997.007 Data: 19/05/08 Módulo Estratégia

Leia mais

JOGO DE FIAR: FICÇÃO OU AUTOBIOGRAFIA? UMA ANÁLISE SOBRE A VIDA E A OBRA DE PATRICIA BINS

JOGO DE FIAR: FICÇÃO OU AUTOBIOGRAFIA? UMA ANÁLISE SOBRE A VIDA E A OBRA DE PATRICIA BINS JOGO DE FIAR: FICÇÃO OU AUTOBIOGRAFIA? UMA ANÁLISE SOBRE A VIDA E A OBRA DE PATRICIA BINS Luciana de Carvalho Chaves 1 Biografia, autobiografia, autor e protagonista Desde Plutarco (aprox. 50 d.c.) estuda-se

Leia mais

Convivência. Revista do PEN Clube do Brasil. 2ª Fase - 1º Semestre 2012 - Número 2 - Rio de Janeiro Brasil / ISSN 1518-9996 ESPECIAL

Convivência. Revista do PEN Clube do Brasil. 2ª Fase - 1º Semestre 2012 - Número 2 - Rio de Janeiro Brasil / ISSN 1518-9996 ESPECIAL Convivência Revista do PEN Clube do Brasil 2ª Fase - 1º Semestre 2012 - Número 2 - Rio de Janeiro Brasil / ISSN 1518-9996 ESPECIAL PEN CLUBE DO BRASIL: 76 ANOS (1936-2012) Cláudio Aguiar O sentido de qualquer

Leia mais

ACERVO A. TITO FILHO:

ACERVO A. TITO FILHO: ACERVO A. TITO FILHO: PROPOSTAS PARA UMA PESQUISA NA INTERNET Jordan Bruno Oliveira Ferreira * A pesquisa sobre a obra de A. Tito Filho 1 começou como projeto do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 79 Memória Institucional - Documentação 17 de abril de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através

Leia mais

SE O MEU TELEMÓVEL VOASSE

SE O MEU TELEMÓVEL VOASSE SE O MEU TELEMÓVEL VOASSE CONCURSO SOBRE OS DIREITOS DAS CRIANÇAS 1. Apresentação TEMA GERAL DIREITO À DIFERENÇA EU MAIS TU REGULAMENTO DO CONCURSO O IAC-CEDI, Centro de Estudos, Documentação e Informação

Leia mais

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA

LUÍS REIS TORGAL. SUB Hamburg A/522454 ESTADO NOVO. Ensaios de História Política e Cultural [ 2. IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA LUÍS REIS TORGAL SUB Hamburg A/522454 ESTADOS NOVOS ESTADO NOVO Ensaios de História Política e Cultural [ 2. a E D I Ç Ã O R E V I S T A ] I u IMPRENSA DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA 2 0 0 9 ' C O I M B R

Leia mais

Poesia Viva a poesia bate à sua porta

Poesia Viva a poesia bate à sua porta POESIA VIVA - A POESIA BATE À SUA PORTA com os Poetas do Jornal Aldrava Cultural RESPONSÁVEL PELO PROJETO: Andreia Aparecida Silva Donadon Leal Leitura em casa Doação de livros e Jornais Santa Bárbara

Leia mais

Governo da Paraíba Secretaria de educação do estado Prêmio mestres da educação Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Luiz Neto

Governo da Paraíba Secretaria de educação do estado Prêmio mestres da educação Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Luiz Neto Governo da Paraíba Secretaria de educação do estado Prêmio mestres da educação Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio José Luiz Neto Maria José Almeida Silva Projeto: A literatura de cordel como

Leia mais

Paula Almozara «Paisagem-ficção»

Paula Almozara «Paisagem-ficção» Rua da Atalaia, 12 a 16 1200-041 Lisboa + (351) 21 346 0881 salgadeiras@sapo.pt www.salgadeiras.com Paula Almozara «Paisagem-ficção» No âmbito da sua estratégia internacional, a Galeria das Salgadeiras

Leia mais

Literatura infantil e juvenil Formação de leitores

Literatura infantil e juvenil Formação de leitores Coleção educação em análise A literatura é um campo privilegiado para ocultar/desocultar sentidos, e os livros contemporâneos (muitas vezes plenos de mensagens que vão além do texto literário, estabelecendo

Leia mais

Coleção Particular. Francisco Duarte. (Versão Pesquisador)

Coleção Particular. Francisco Duarte. (Versão Pesquisador) Coleção Particular Francisco Duarte (Versão Pesquisador) Rio de Janeiro 2015 Ficha Técnica Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal da Casa Civil Prefeito Eduardo Paes Secretário Guilherme

Leia mais

ESPAÇO DE INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA REGULAMENTO GERAL DO ATELIÊ ABERTO #7 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PARA ARTISTAS E PESQUISADORES EM ARTE.

ESPAÇO DE INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA REGULAMENTO GERAL DO ATELIÊ ABERTO #7 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PARA ARTISTAS E PESQUISADORES EM ARTE. ESPAÇO DE INVESTIGAÇÃO ARTÍSTICA REGULAMENTO GERAL DO ATELIÊ ABERTO #7 PROGRAMA DE RESIDÊNCIA PARA ARTISTAS E PESQUISADORES EM ARTE. A Casa Tomada abre inscrições para a seleção de projetos da residência

Leia mais

As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL

As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL As práticas do historiador: experiências do Laboratório de Documentação do Curso de História da Universidade Cruzeiro do Sul UNICSUL Profa. Dra. Ana Barbara A. Pederiva Professora da Universidade Cruzeiro

Leia mais

Autor (a): Januária Alves

Autor (a): Januária Alves Nome do livro: Crescer não é perigoso Editora: Gaivota Autor (a): Januária Alves Ilustrações: Nireuda Maria Joana COMEÇO DO LIVRO Sempre no fim da tarde ela ouvia no volume máximo uma musica, pois queria

Leia mais

Candomblé: Fé e Cultura 1. Priscilla LIRA 2 Bira NUNES 3 Tenaflae LORDÊLO 4 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE

Candomblé: Fé e Cultura 1. Priscilla LIRA 2 Bira NUNES 3 Tenaflae LORDÊLO 4 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE Candomblé: Fé e Cultura 1 Priscilla LIRA 2 Bira NUNES 3 Tenaflae LORDÊLO 4 Faculdade do Vale do Ipojuca, Caruaru, PE RESUMO O presente trabalho apresenta, por meio de um ensaio fotográfico, a cultura do

Leia mais

Um na Estrada Caio Riter

Um na Estrada Caio Riter Um na Estrada Caio Riter PROJETO DE LEITURA 1 O autor Caio Riter nasceu em 24 de dezembro, em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. É bacharel em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Pontifícia

Leia mais

SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO SEDUC CENTRO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES CEFAPRO ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA

SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO SEDUC CENTRO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES CEFAPRO ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA SECRETARIA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DE MATO GROSSO SEDUC CENTRO DE FORMAÇÃO E APERFEIÇOAMENTO DE PROFESSORES CEFAPRO ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO BÁSICA ANDRÉ ANTÔNIO MAGGI SACOLA MÁGICA E LATA LITERÁRIA Claudia

Leia mais

Cao Guimarães: "Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i

Cao Guimarães: Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i Cao Guimarães: "Não conseguir ficar sozinho é a maior solidão i O cineasta mineiro Cao Guimarães, 41, terá seu filme mais recente "Andarilho" (2006) exibido pela primeira vez na Quinzena de Realizadores,

Leia mais

COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR

COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR O USO DO BLOG COM CRIANÇAS INGRESSANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA EXPERIÊNCIA POSSÍVEL NOS DIFERENTES MODOS DE ENSINAR Isnary Aparecida Araujo da Silva 1 Introdução A sociedade atual vive um boom da tecnologia,

Leia mais

MUSEU DE ARTE. de São Paulo "Assis Chateaubriand" o Museu sempre foi incentivador dos fatos ABRIL '73 FOTOGRAFIAS DE KOSSOY

MUSEU DE ARTE. de São Paulo Assis Chateaubriand o Museu sempre foi incentivador dos fatos ABRIL '73 FOTOGRAFIAS DE KOSSOY MUSEU DE ARTE de São Paulo "Assis Chateaubriand" ',' Avenida Paulista, 1578 - Tels: 287-2829 e 287-8481 ABRIL '73 As atividades culturais do Museu são realizadas em convênio com o Governo do Estado de

Leia mais

p r o j e t o De 27/09 a 21/10/2010

p r o j e t o De 27/09 a 21/10/2010 p r o j e t o Oficinas de Criação Deneir Lúcia Fidalgo Domi Junior Marco Antonio Cândido De 27/09 a 21/10/2010 Escola Municipal Dr. Deoclécio Dias Machado Filho, rua Carlos Frahia, 101, Cosmorama, - RJ

Leia mais

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO EM PERNAMBUCO: 13 ANOS DE HISTÓRIA Margarete Maria da Silva meghamburgo@yahoo.com.br Graduanda em Pedagogia e membro do NEPHEPE Universidade Federal de

Leia mais

RELATÓRIO DO ESTÁGIO NO NÚCLEO DE PESQUISA EM HISTÓRIA

RELATÓRIO DO ESTÁGIO NO NÚCLEO DE PESQUISA EM HISTÓRIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE HISTÓRIA ESTÁGIO PRELIMINAR NÚCLEO DE PESQUISA EM HISTÓRIA ALEXANDRA CODA HELENA CANCELA CATTANI RAFAEL

Leia mais

Literatura na escola: um projeto de incentivo à leitura

Literatura na escola: um projeto de incentivo à leitura Literatura na escola: um projeto de incentivo à leitura Renata Cavalcanti Eichenberg (PUCRS) Orientadora: Vera Teixeira de Aguiar (PUCRS) De acordo com Bruno Bettelheim (1980), a criança, à medida que

Leia mais

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA

PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE A AUTORA, SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO Para o professor Ou isto

Leia mais

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma.

Duração: Aproximadamente um mês. O tempo é flexível diante do perfil de cada turma. Projeto Nome Próprio http://pixabay.com/pt/cubo-de-madeira-letras-abc-cubo-491720/ Público alvo: Educação Infantil 2 e 3 anos Disciplina: Linguagem oral e escrita Duração: Aproximadamente um mês. O tempo

Leia mais

A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva

A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva A inclusão das Línguas Estrangeiras Modernas no Programa Nacional do Livro Didático (PNLD) Por Ana Paula Seixas Vial e Jonathan Zotti da Silva Pela primeira vez, o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD)

Leia mais

Fotografia - Instrumento de registro e alguns efeitos de inovações tecnológicas 1. Mariana Capeletti CALAÇA 2 Erick Rôso HUBER 3

Fotografia - Instrumento de registro e alguns efeitos de inovações tecnológicas 1. Mariana Capeletti CALAÇA 2 Erick Rôso HUBER 3 Fotografia - Instrumento de registro e alguns efeitos de inovações tecnológicas 1 Mariana Capeletti CALAÇA 2 Erick Rôso HUBER 3 Resumo Nós conseguimos nos definir enquanto indivíduo e enquanto grupo, baseado

Leia mais

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014

BOLETIM MUSEU DA IMIGRAÇÃO Setembro Outubro 2014 O Boletim do Museu da Imigração chega à sua vigésima segunda edição. Este veículo tem a proposta de manter as comunidades e o público geral informados sobre o MI, destacando ainda as atividades e ações

Leia mais

Espero do fundo do meu coração que possamos também contar a sua história, conte com a gente!

Espero do fundo do meu coração que possamos também contar a sua história, conte com a gente! PROPOSTA BRASIL - 2016 / 2017 WWW.EDUARDOPERAZZOLI.COM.BR Olá! Aqui começamos a desenhar uma relação que precisa ir além de um contrato, a escolha do seu fotógrafo precisa ser fundamentada em uma base

Leia mais

Organização e Divulgação do Acervo Luiz de Miranda

Organização e Divulgação do Acervo Luiz de Miranda PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL DELFOS - ESPAÇO DE DOCUMENTAÇÃO E MEMÓRIA CULTURAL PROJETO Organização e Divulgação do Acervo Luiz de Miranda Coordenadora e Pesquisadora Prof.ª Dr.

Leia mais

Este foi o título que dei a um primeiro importante trabalho em serigrafia.

Este foi o título que dei a um primeiro importante trabalho em serigrafia. [ensaio de imagem] Mônica Schoenacker 1967. Artista plástica, Mestre em Printmaking (gravura) no Royal College of Art (RCA) em Londres como bolsista da Capes (1999), quando foi agraciada com o Tim Mara

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 TÍTULO DO PROGRAMA Balinha e Dentinho. 2 EPISÓDIO TRABALHADO Conhecendo o Rosquinha. 3 SINOPSE DO EPISÓDIO ESPECÍFICO Balinha e Dentinho encontram um cachorro perdido

Leia mais

A EDUCAÇÃO E A BUSCA PELA PAZ ENTREVISTA COM PROFESSOR PIERRE WEIL

A EDUCAÇÃO E A BUSCA PELA PAZ ENTREVISTA COM PROFESSOR PIERRE WEIL A EDUCAÇÃO E A BUSCA PELA PAZ ENTREVISTA COM PROFESSOR PIERRE WEIL Por: Daniela Borges Lima de Souza1 e Bruno Mourão Paiva2 Francês, nascido em 1924, o professor Pierre Weil é escritor, educador e psicólogo

Leia mais

Pedagogia in Foco. Faculdade Polis das Artes. Faculdade Polis das Artes na construção do Plano Municipal de Educação

Pedagogia in Foco. Faculdade Polis das Artes. Faculdade Polis das Artes na construção do Plano Municipal de Educação Pedagogia in Foco Faculdade Polis das Artes Volume 1, edição 1 2º Semestre de 2015 Destaques Faculdade Polis das Artes na construção do Plano Municipal de Educação O Plano Municipal de Educação PME, é

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL

ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA PRODUÇÃO DE TEXTOS DO JORNAL REPORTAGEM RESENHA CRÍTICA TEXTO DE OPINIÃO CARTA DE LEITOR EDITORIAL ORIENTAÇÕES PARA OS GRUPOS QUE ESTÃO PRODUZINDO UMA: REPORTAGEM Tipos de Textos Características

Leia mais

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS

ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS ARTES DA INFÂNCIA 1/5 CABEÇAS 2 3 Artes da Infância infans Do latim, infans significa aquele que ainda não teve acesso à linguagem falada. Na infância adquirimos conhecimentos, acumulamos vivências e construímos

Leia mais

Entre 1940 a 1960, uma coleção de romances intitulada Biblioteca

Entre 1940 a 1960, uma coleção de romances intitulada Biblioteca I M A G E M N O B R A S I L COM A PALAVRA, AS IMAGENS! representações do feminino nas capas dos romances da Biblioteca das Moças (1940-1960) Maria Teresa Santos Cunha Entre 1940 a 1960, uma coleção de

Leia mais

Fundação Romi. Centro de Documentação

Fundação Romi. Centro de Documentação Fundação Romi Centro de Documentação Neste espaço os mais importantes períodos da história barbarense são pontuados, partindo dos povos primitivos, passando pela fundadora, a cana-de-açúcar, os impactos

Leia mais

A INTERATIVIDADE DA IMAGEM COM A (RE)LEITURA DO MUNDO: UMA PROPOSTA DE INCENTIVO À LEITURA ATRAVÉS DO ESTÍMULO VISUAL

A INTERATIVIDADE DA IMAGEM COM A (RE)LEITURA DO MUNDO: UMA PROPOSTA DE INCENTIVO À LEITURA ATRAVÉS DO ESTÍMULO VISUAL A INTERATIVIDADE DA IMAGEM COM A (RE)LEITURA DO MUNDO: UMA PROPOSTA DE INCENTIVO À LEITURA ATRAVÉS DO ESTÍMULO VISUAL Deise Belisário * Pedro Ivo Silveira Andretta ** Resumo: Este artigo refere-se ao uso

Leia mais

6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães

6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicasdiadasmaes 6 Dinâmicas de Grupo para o Dia das Mães Apresentamos uma seleção com 6 dinâmicas de grupo para o Dia das Mães, são atividades que podem

Leia mais

COMO ESCREVER UM LIVRO INFANTIL. Emanuel Carvalho

COMO ESCREVER UM LIVRO INFANTIL. Emanuel Carvalho COMO ESCREVER UM LIVRO INFANTIL Emanuel Carvalho 2 Prefácio * Edivan Silva Recebi o convite para prefaciar uma obra singular, cujo título despertou e muita minha atenção: Como escrever um livro infantil,

Leia mais

Arquivo CÂNDIDO DE MELLO NETO: organização e disponibilização dos acervos sobre Anarquismo, Integralismo e Documentos Particulares

Arquivo CÂNDIDO DE MELLO NETO: organização e disponibilização dos acervos sobre Anarquismo, Integralismo e Documentos Particulares Arquivo CÂNDIDO DE MELLO NETO: organização e disponibilização dos acervos sobre Anarquismo, Integralismo e Documentos Particulares Professora Elizabeth Johansen ( UEPG) Jessica Monteiro Stocco (UEPG) Tatiane

Leia mais

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE

PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE PROJETO TERRA CHÃO - DANÇA E ARTE 1. JUSTIFICATIVA A região do Baixo Tocantins apresenta-se na área cultural e artística, é um grande celeiro de talentos, que vem enraizado culturalmente em nosso povo,

Leia mais

SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano

SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano 1 SANTA TERESA DE JESUS, UMA APROXIMAÇÃO PEDAGÓGICO-PASTORAL Por ocasião do V Centenário do Nascimento de Santa Teresa de Jesus, o Colégio Teresiano assumiu o compromisso de fazer memória da vida singular

Leia mais

Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos.

Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos. Leitura na escola reflexões pedagógicas sobre os processos de formação de leitores e escritores na educação infantil, jovens e adultos. Diogo Vieira do Nascimento 1 (UERJ/EDU) Fabiana da Silva 2 (UERJ/EDU)

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO ACADÊMICA EM PROJETOS DE EXTENSÃO E SUA IMPORTÂNCIA PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL

A PARTICIPAÇÃO ACADÊMICA EM PROJETOS DE EXTENSÃO E SUA IMPORTÂNCIA PARA O PROCESSO DE FORMAÇÃO PROFISSIONAL 11. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( X ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA A PARTICIPAÇÃO

Leia mais

AUTORRETRATO... EU COMO SOU? SOU ÚNICO!

AUTORRETRATO... EU COMO SOU? SOU ÚNICO! AUTORRETRATO... EU COMO SOU? SOU ÚNICO! Maria da Penha Rodrigues de Assis EMEF SERRA DOURADA No ano de 2010 escolhi como posto de trabalho a EMEF Serra Dourada para lecionar como arte-educadora de séries

Leia mais

Arquivo Estrutura Básica Necessária Recursos Humanos

Arquivo Estrutura Básica Necessária Recursos Humanos 1/7 2. Técnicas de atendimento (presencial e a distância) ao cliente interno e externo: técnicas de triagem, organização e registro fluxo documental; planejamento e organização do ambiente de trabalho/

Leia mais

MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR. Introdução

MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR. Introdução 23 4 MISSÃO NA CIDADE UM NOVO OLHAR Introdução Chegamos ao último encontro de nossa série de 11 anos. Ao longo dessas semanas, conversamos, sob a luz do texto de Mateus 28.19-20a, a respeito dos olhares

Leia mais

ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS

ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS ARTEBR EXPOSIÇÃO DE FERNANDO VILELA CIDADES GRÁFICAS A empresa ARTEBR desenvolve projetos em arte, educação e literatura para diversas instituições culturais brasileiras. Atua nas áreas de consultoria

Leia mais

CINECLUBE FESP PROJETO PIPOCA E BALA PIPPER. Itamar da Silva Bonfim Idealizador e Coordenador do Projeto Pipoca e Bala Pipper

CINECLUBE FESP PROJETO PIPOCA E BALA PIPPER. Itamar da Silva Bonfim Idealizador e Coordenador do Projeto Pipoca e Bala Pipper CINECLUBE FESP PROJETO PIPOCA E BALA PIPPER INTEGRANTE Itamar da Silva Bonfim Idealizador e Coordenador do Projeto Pipoca e Bala Pipper Videocinegrafista desde 1980, quando começou a registrar, em imagens

Leia mais

DECRETO Nº 11.112/14, DE 29 DE ABRIL DE 2014.

DECRETO Nº 11.112/14, DE 29 DE ABRIL DE 2014. DECRETO Nº 11.112/14, DE 29 DE ABRIL DE 2014. Regulamenta a Lei Municipal nº 3.071/14, que Institui o Programa Videira Cultural, e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL DE VIDEIRA, no uso de suas

Leia mais

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão.

COLEÇÃO IMAGÉTICA: FOTOGRAFIA, EXTENSÃO, ENSINO E PESQUISA NO PROJETO FOCA FOTO. PALAVRAS-CHAVE Fotografia. Coleção fotográfica. Lapa. Extensão. 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( X ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

Bazar das Nações é uma exposição itinerante que tem como objetivo pesquisar, documentar, exibir e divulgar os tradicionais Mercados Centrais,

Bazar das Nações é uma exposição itinerante que tem como objetivo pesquisar, documentar, exibir e divulgar os tradicionais Mercados Centrais, Bazar das Nações é uma exposição itinerante que tem como objetivo pesquisar, documentar, exibir e divulgar os tradicionais Mercados Centrais, oriundos do Brasil Colônia próximos aos portos e alfândegas,

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1

ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1 CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL Publicidade e Propaganda Rádio e Televisão Relações Públicas ATIVIDADES COMPLEMENTARES: REGULAMENTO CONCLUINTES EM 2015/1 DEFINIÇÃO

Leia mais

SUGESTÕES DE ATIVIDADES

SUGESTÕES DE ATIVIDADES PROJETO DE LEITURA PRÉ-LEITURA ATIVIDADES ANTERIORES À LEITURA INTENÇÃO: LEVANTAR HIPÓTESES SOBRE A AUTORA, SOBRE O LIVRO, INSTIGAR A CURIOSIDADE E AMPLIAR O REPERTÓRIO DO ALUNO. Antes de você iniciar

Leia mais

PROJETO ACADEMIA MARIA ESTER DE LEITURA E ESCRITA AME

PROJETO ACADEMIA MARIA ESTER DE LEITURA E ESCRITA AME PROJETO ACADEMIA MARIA ESTER DE LEITURA E ESCRITA AME Ana Cláudia Gouveia de Sousa Ofinartes Centro de vivência, estudo e pesquisa educativa Ana Emília Nogueira Colégio Maria Ester Resumo O projeto Academia

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015

PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015 PRESIDÊNCIA DO GOVERNO Resolução do Conselho do Governo n.º 145/2015 de 16 de Setembro de 2015 Considerando que José Christiano de Freitas Henrique Júnior foi um açoriano, nascido e criado nos Açores,

Leia mais

colégio santo américo

colégio santo américo prosa centro de estudos 1º semestre / 2010,,,,, colégio santo américo P a l e s t r a s A arte do desenho na educação O desenho é um fazer criativo e reflexivo, imprescindível na escola. Seu percurso na

Leia mais

Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1. Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana Xavier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE

Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1. Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana Xavier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE Arcoverde: Páginas que Ninguém Leu 1 Aline de Souza Silva SIQUEIRA 2 Adriana avier Dória MATOS 3 Universidade Católica de Pernambuco, Recife, PE RESUMO Este trabalho se propõe uma jornada Arcoverde adentro

Leia mais

Circuito de Oficinas: Mediação de Leitura em Bibliotecas Públicas

Circuito de Oficinas: Mediação de Leitura em Bibliotecas Públicas Circuito de Oficinas: Mediação de Leitura em Bibliotecas Públicas outubro/novembro de 2012 A leitura mediada na formação do leitor. Professora Marta Maria Pinto Ferraz martampf@uol.com.br A leitura deve

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO FRANCISCO DE ASSIS BARBOSA

GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO FRANCISCO DE ASSIS BARBOSA GOVERNO DO ESTADO DE MINAS GERAIS SECRETARIA DE ESTADO DE CULTURA ARQUIVO PÚBLICO MINEIRO INVENTÁRIO DO FUNDO FRANCISCO DE ASSIS BARBOSA Revisão e Atualização Diretoria de Arquivos Permanentes Diretoria

Leia mais

Programa ADAI Projetos Brasileiros

Programa ADAI Projetos Brasileiros Programa ADAI Projetos Brasileiros Brasil 1999 1ª Convocatória Arquivo Público da Cidade de Belo Horizonte: Conservação preventiva de acervo audiovisual. Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami:

Leia mais

Questões de gênero. Masculino e Feminino

Questões de gênero. Masculino e Feminino 36 Questões de gênero Masculino e Feminino Pepeu Gomes Composição: Baby Consuelo, Didi Gomes e Pepeu Gomes Ôu! Ôu! Ser um homem feminino Não fere o meu lado masculino Se Deus é menina e menino Sou Masculino

Leia mais

Jornal do Círculo. blogdocirculo.blospot.com.br UM JORNAL PRODUZIDO PELOS ALUNOS DO COLÉGIO ESTADUAL CÍRCULO OPERÁRIO

Jornal do Círculo. blogdocirculo.blospot.com.br UM JORNAL PRODUZIDO PELOS ALUNOS DO COLÉGIO ESTADUAL CÍRCULO OPERÁRIO Jornal do Círculo Desde 2011 blogdocirculo.blospot.com.br UM JORNAL PRODUZIDO PELOS ALUNOS DO COLÉGIO ESTADUAL CÍRCULO OPERÁRIO Diretora de Redação: Profa. Luana Cunha Xerém - Duque de Caxias/RJ Outubro

Leia mais

COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO COLÉGIO ESTADUAL ALCIDES MUNHOZ ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO Rua Marechal Floriano Peixoto, 61 Cep:84430-000 Fone/Fax:(42)34361327 e-mail: iuvalcidesmunhoz@seed.pr.gov.br Imbituva - Paraná Projeto de Leitura

Leia mais

PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA

PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA 1. IDENTIFICAÇÃO PROJETO FAZENDO ARTE ESPÍRITA Elaborado pelos jovens, participantes da COJEDF de 2004 Executante: Diretoria de Infância e Juventude/DIJ da Federação Espírita do Distrito Federal/FEDF Previsão

Leia mais

XXIV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA - 2007

XXIV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA - 2007 Associação Nacional de História ANPUH XXIV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA - 2007 A produção da Família Brasileira através de uma Revista produzida em família: um estudo de gênero na experiência da Revista

Leia mais

RESENHA/REVIEW. ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. 128 p.

RESENHA/REVIEW. ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. 128 p. RESENHA/REVIEW ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009. 128 p. Resenhado por/by: Acir Mario KARWOSKI (Universidade Federal do Triângulo Mineiro)

Leia mais

Arquitetura e Urbanismo nas Cidades Brasileiras Contemporâneas. Embu das Artes

Arquitetura e Urbanismo nas Cidades Brasileiras Contemporâneas. Embu das Artes Arquitetura e Urbanismo nas Cidades Brasileiras Contemporâneas Embu das Artes A produção literária referente à arquitetura e urbanismo sempre foi caracterizada pela publicação de poucos títulos, baixa

Leia mais

EDITAL 01/2014 CONCURSO FOTOGRÁFICO RIO DAS PEDRAS BRILHANTES

EDITAL 01/2014 CONCURSO FOTOGRÁFICO RIO DAS PEDRAS BRILHANTES EDITAL 01/2014 CONCURSO FOTOGRÁFICO RIO DAS PEDRAS BRILHANTES FACULDADE ALIANÇA DE ITABERAI, ESTADO DE GOIÁS, por meio da Direção Acadêmica, Coordenações de Cursos e CEIC, torna público o concurso institucional

Leia mais

Espaço, tempo e seus desdobramentos na obra de Rafael Pagatini

Espaço, tempo e seus desdobramentos na obra de Rafael Pagatini Espaço, tempo e seus desdobramentos na obra de Rafael Pagatini Luísa Kiefer...a nossa experiência diária parece mostrar que nos constituímos como seres que se deslocam pela vida, com a única certeza da

Leia mais

MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL/IPHAN Gabinete da Presidência

MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL/IPHAN Gabinete da Presidência MINISTÉRIO DA CULTURA INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL/IPHAN Gabinete da Presidência EDITAL DE CONCURSO nº. 02/2015 3ª. EDIÇÃO DO PRÊMIO LUIZ DE CASTRO FARIA/2015 O INSTITUTO DO PATRIMÔNIO

Leia mais

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras

A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA. Ficha Autoras: Romance histórico. As autoras A vivência como professoras A Corte Chegou Cândida Vilares e Vera Vilhena PROJETO DE LEITURA 1 As autoras A vivência como professoras foi a base de trabalho das autoras. Na sala de aula, puderam conviver com a realidade de leitura

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO E ARQUIVOS

DOCUMENTAÇÃO E ARQUIVOS DOCUMENTAÇÃO E ARQUIVOS Para você que trabalha com diferentes documentos de um setor de serviços, é importante rever alguns conhecimentos básicos sobre documentos, documentação e a função social dessas

Leia mais

ESCOLA MONTEIRO LOBATO Unidade 2 Luís Eduardo Magalhães Bahia

ESCOLA MONTEIRO LOBATO Unidade 2 Luís Eduardo Magalhães Bahia PROFESSOR (A): MARGARIDA MIEKO NOCE KURODA DISCIPLINA: LÍNGUA PORTUGUESA / REDAÇÃO ATIVIDADES PROJETO DE LEITURA (OBRAS): - AS MIL E UMA NOITES (CONTOS), VERSÃO ADAPTADA DE PAULO SÉRGIO DE VACONCELOS.

Leia mais

Corrigir ou não corrigir: eis a questão

Corrigir ou não corrigir: eis a questão Corrigir ou não corrigir: eis a questão Resumo Ana Carolina de Lima Santos (UERJ/EDU) Caroline da Silva Albuquerque (UERJ/EDU) Eixo Temático 1: Leitura é problema de quem? O presente artigo tem por finalidade

Leia mais

Antropologia da Face Gloriosa. Arthur Omar

Antropologia da Face Gloriosa. Arthur Omar Antropologia da Face Gloriosa Arthur Omar Arthur Omar é um artista brasileiro múltiplo, com presença de ponta em várias áreas da produção artística contemporânea. Formado em antropologia e etnografia,

Leia mais

Dalcídio Jurandir inspira projeto teatral Por Luciana Medeiros, colaboradora do Guiart

Dalcídio Jurandir inspira projeto teatral Por Luciana Medeiros, colaboradora do Guiart Dalcídio Jurandir inspira projeto teatral Por Luciana Medeiros, colaboradora do Guiart Ponta de Pedras, ilha do Marajó, Pará, 10 de janeiro de 1909. Nasce ali e naquela data uma das maiores expressões

Leia mais

COORDENADORIA NACIONAL DAS ENTIDADES DE SENHORAS DE ROTARIANOS

COORDENADORIA NACIONAL DAS ENTIDADES DE SENHORAS DE ROTARIANOS COORDENADORIA NACIONAL DAS ENTIDADES DE SENHORAS DE ROTARIANOS Projeto Novas Gerações Gestão 2014/2016 Coordenadora do Projeto Claudete H. Mallmann Que você tenha, de tudo um pouco. Sensibilidade, para

Leia mais

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5

Jornal Marco Zero 1. Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 1 Jornal Marco Zero 1 Larissa GLASS 2 Hamilton Marcos dos SANTOS JUNIOR 3 Roberto NICOLATO 4 Tomás BARREIROS 5 Faculdade internacional de Curitiba (Facinter) RESUMO O jornal-laboratório Marco Zero 6 é

Leia mais

Olhares sobre a Fotografia de Henri Cartier-Bresson 1. Sara Lemes Perenti Vitor 2 Luciano Guimarães 3. Universidade Estadual Paulista, Bauru/ SP

Olhares sobre a Fotografia de Henri Cartier-Bresson 1. Sara Lemes Perenti Vitor 2 Luciano Guimarães 3. Universidade Estadual Paulista, Bauru/ SP Olhares sobre a Fotografia de Henri Cartier-Bresson 1 Sara Lemes Perenti Vitor 2 Luciano Guimarães 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru/ SP RESUMO Dentre diversos fotojornalistas importantes, um de

Leia mais

A GENTE RECRIA POESIAS COM PALAVRAS E IMAGENS

A GENTE RECRIA POESIAS COM PALAVRAS E IMAGENS A GENTE RECRIA POESIAS COM PALAVRAS E IMAGENS Diana Carvalho (E. M. Argentina Sala de Leitura) Eixo temático: Fazendo escola com múltiplas linguagens RESUMO Este texto relata uma experiência em leitura

Leia mais

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS

RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS RELENDO A HISTÓRIA AO LER HISTÓRIAS BRASÍLIA ECHARDT VIEIRA (CENTRO DE ATIVIDADES COMUNITÁRIAS DE SÃO JOÃO DE MERITI - CAC). Resumo Na Baixada Fluminense, uma professora que não está atuando no magistério,

Leia mais

O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 0 O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL 1 O PAPEL DA CONTAÇÃO DE HISTÓRIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL Renato da Guia Oliveira 2 FICHA CATALOGRÁFICA OLIVEIRA. Renato da Guia. O Papel da Contação

Leia mais

Edital de Produção Audiovisual Escola de Ciências Sociais FGV/CPDOC Núcleo de Audiovisual e Documentário

Edital de Produção Audiovisual Escola de Ciências Sociais FGV/CPDOC Núcleo de Audiovisual e Documentário Edital de Produção Audiovisual Escola de Ciências Sociais FGV/CPDOC Núcleo de Audiovisual e Documentário O Núcleo de Audiovisual e Documentário do CPDOC convida alunos inscritos regularmente em cursos

Leia mais

Edital para Exposições na Galeria de Artes do SESC

Edital para Exposições na Galeria de Artes do SESC Edital para Exposições na Galeria de Artes do SESC A Coordenação Cultura do SESC-TO; através da Promotoria de Artes Plásticas, comunica aos interessados que estará recebendo de 20 de março a 20 de novembro

Leia mais

MINHA HISTÓRIA, MINHA VIDA

MINHA HISTÓRIA, MINHA VIDA ESCOLA ESTADUAL ALMIRANTE TOYODA-2014 PROJETO IDENTIDADE MINHA HISTÓRIA, MINHA VIDA TURMA: 1º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL (AZALÉIA E ACÁCIA) PROFESSORAS: GENISMEYRE E LUCILEILA Projeto Identidade Público

Leia mais

ANAIS DA 66ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - RIO BRANCO, AC - JULHO/2014

ANAIS DA 66ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - RIO BRANCO, AC - JULHO/2014 1 ANAIS DA 66ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC - RIO BRANCO, AC - JULHO/2014 O Pibid: ações de formação de professores que impactam a escola e a universidade Maurivan Güntzel Ramos mgramos@pucrs.br O presente texto

Leia mais

ANEXO II VIVÊNCIAS E TÉCNICAS DE DINÂMICAS DE GRUPO PARA ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RÁPIDO PARTICIPATIVO URBANO (DRPU)

ANEXO II VIVÊNCIAS E TÉCNICAS DE DINÂMICAS DE GRUPO PARA ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RÁPIDO PARTICIPATIVO URBANO (DRPU) ANEXO II VIVÊNCIAS E TÉCNICAS DE DINÂMICAS DE GRUPO PARA ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO RÁPIDO PARTICIPATIVO URBANO (DRPU) As dinâmicas aqui apresentadas podem e devem ser adaptadas de acordo com os objetivos

Leia mais