ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS"

Transcrição

1 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidades 07 Tipos de estocagem Sistema de estocagem Principais técnicas Equipamentos de estocagem 1

2 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidades 08 Funções da armazenagem Princípios básicos da armazenagem Objetivos da armazenagem Fatores críticos Classificação de armazéns 2

3 ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS E PATRIMONIAIS Unidades 09 Objetivos da embalagem Espécie de embalagens Tipos de embalagens 3

4 01.Conceito: É a atividade que compreende o planejamento, coordenação, controle e desenvolvimento das operações destinadas a abrigar, manter adequadamente estocado e em condições de uso, bem como expedir no momento oportuno os materiais necessários à empresa. 02.Objetivos da Logística de Armazenagem: Facilitar a movimentação interna do Maximizar o uso dos espaços; Depósito; Facilitar o acesso aos itens do Depósito; Maximizar a utilização de mão - de - obra Proteger e abrigar os materiais; e equipamentos. 03.Vantagens e desvantagens do armazenamento: VANTAGENS Diminui os Custos com Transportes; Aproxima a empresa de seus clientes e fornecedores; Agiliza o processo de entrega; Compensa defasagens de produção. DESVANTAGENS Imobilização de capital; Envelhecimento das mercadorias; Aumento dos Custos com movimentação; Necessidade de mais controles e gerenciamento; 4

5 04. Funções da Armazenagem: A) Abrigo de Produtos B) Consolidação FORNECEDOR A Parcelada FORNECEDOR B Transporte local DEPÓSITO DE CONSOLIDAÇÃO FÁBRICA FORNECEDOR C C) Transferência Parcelada Kg Carga completa para vagão ferroviário CLIENTE A FÁBRICA Kg DEPÓSITO Kg CLIENTE B Kg 5 CLIENTE C

6 D) Transbordo: CLIENTE A Kg FÁBRICA Kg DEPÓSITO OU TERMINAL Kg CLIENTE B } Longa Distância Kg } CLIENTE C E) Agrupamento: Curta Distância CLIENTE A FÁBRICA FÁBRICA Produto A Produto B DEPÓSITO DE AGRUPAMENTO Produtos A, B e C Produtos A e B CLIENTE B FÁBRICA Produto C Produto B e C CLIENTE C 6

7 05. Tipos de Depósitos: A) De acordo com a propriedade: Próprios; Alugados; Terceirizados. B) De acordo com o tipo de produto armazenado (Creed Jenkins): Armazém de commodities: Madeira, algodão, tabaco e cereais; Armazém para granel: Produtos líquidos, petróleo, xaropes, etc; Aramzéns frigorificados: Produtos perecíveis, frutas, comida congelada, etc; Armazéns para utilidades domésticas e mobiliário: Produtos domésticos e mobiliário; Armazéns de mercadorias em geral: Produtos diversos. 06.Localização de Fábricas e Depósitos: A) Objetivo do estudo de Localização: Minimizar os Custos de uma Rede Logística definindo as posições mais racionais para as edificações, baseada numa previsão de demanda e um Nível de Serviço estabelecido. 7

8 B) Processo de Análise: Previsão de demanda Limitação de capacidade Localização dos Clientes Possíveis ligações Taxas de Produção Custos com Transportes Análise Localização das Fábricas Quem fornecerá Quantos CD s Localização dos CD s Abrangência dos CD s Produtos distribuídos C) Organização dos Estudos de Localização: Nível Estratégico: determinação do número, tamanho e localização de fábricas e depósitos. Nível Tático: definição da alocação dos clientes aos centros de distribuição e dos centros de distribuição às fábricas. Nível Operacional: elaboração de planos de contingência, onde se pretende realocar de forma ótima os clientes em caso, por exemplo, da parada de uma linha de produção em uma fábricas. 8

9 06.Dimensionamento do Espaço Físico: Metodologia que define as dimensões necessárias às instalações de armazenamento, bem como a quantidade de materiais disponíveis. ESPAÇO PRÓPRIO OU ALUGADO PARTE NUM ESPAÇO PRÓPRIO OU ALUGADO E PARTE NUM ESPAÇO TERCEIRIZADO ESPAÇO TERCEIRIZADO O espaço físico deve atender ao máximo de estoque em uma temporada Combinar de forma tal que se utilize os espaços de terceiros nos picos de armazenagem. Não há necessidade de dimensionamento do espaço físico. A) Fatores a se considerar: Tipo de material (características, embalagens); Quantidade de materiais a ser mantida em estoque; Unidades de estocagem; Equipamento e métodos de estocagem. B) Grau de aproveitamento: Da área: GAA = Área Ocupada / Área Disponível Do volume: GAV = Volume Ocupado / Volume Disponível 9

10 06.Definição do Lay - Out do Depósito: Um bom Lay - Out aumenta o grau de acessibilidade ao material, facilita o fluxo de materiais, diminuem os locais de áreas obstruídas, aumenta a eficiência da mão-de-obra, a segurança do pessoal e do armazém. Passos para a definição do Lay - Out: a) Definir a localização de todos os obstáculos; b) Localizar as áreas de recebimento e expedição; c) Localizar as áreas primárias e secundárias de separação de pedidos e estocagem; d) Definir o sistema de localização do estoque; Instalações de Armazenamento: São áreas destinadas ao recebimento, conferência, estocagem e expedição de materiais. a) Tipos de instalações: - Armazém: edificação com piso, cobertura, paredes frontais e laterais; - Galpão: Edificação com piso, cobertura e, quando necessário, cercos frontais e laterais; - Pátio: Área coberta, com piso drenado, compactado e, quando necessário, pavimentado e provido de limitações frontais e laterais; 10

11 b) Caracterização das Áreas de Instalações: - Área da Administração: - Área de Movimentação ou Serviço; - Área de Estocagem; - Área de Circulação Principal; - Área de Circulação Secundária; - Corredores de Acesso; - Área de Segurança; Área de Circulação Principal Área de Segurança Processamento de Pedidos Corredores de Acesso Recebimento Área de estocagem Expedição Área de Circulação Secundária Administração 11

12 Alguns exemplos de Lay - Out Armazém de Consolidação Armazém de Transferência Doca de Descarga Armazenagem A B Recebimento C D Baias de Carga E Expedição 12

13 Alguns exemplos de Lay - Out Armazém de Transbordo Armazém de Agrupamento Armazenagem Temporária Docas de Carga e Descarga Fábrica A Fábrica B Fábrica C Produto A Produto B Produto C Cliente 01 Cliente 02 Cliente 03 13

14 01.Conceito: O Manuseio ou Movimentação Interna significa transportar pequenas quantidades de bens por distâncias relativamente pequenas. É executada dentro de depósitos, fábricas e lojas, assim como no transbordo entre modais de transporte. 02.Unitização de Cargas: A) Conceito: Consiste no processo de arranjar várias unidades menores em outras maiores de forma que constituam uma só unidade com o objetivo de facilitar o manuseio e o transporte. B) Vantagens: Redução do tempo de carga e descarga; Otimização do espaço cúbico; Redução do tempo de inventário; Flexibilidade nas mudanças de arranjo físico. C) Tipos de cargas unitizadas: Cargas conteinerizada; Cargas contetorizada; Carga paletizada; Carga auto - utilizada (cintas); Carga Pré - lingada (tubos). 14

15 D) Paletização: - Palete: Plataforma de apoio e acondicionamento de carga, com dimensões padronizadas com apoio para garfo de empilhadeira ou outro equipamento, podendo ser de plástico, madeira ou metal. - Tipos de Paletes: SC-01 Palete Padrão Abras PBR x mm SC-02 Palete Padrão Abras PBR x mm SC-03 4 Entradas Dupla Face - Reversível SC-11 2 Entradas - Face Simples 15

16 03.Tipos de Movimentação:: A) Manual; B) Mecanizada; C) Automatizada. 04. Equipamentos de Movimentação: A) Empilhadeiras e Pequenos Veículos Empilhadeira com garfo Paleteira Rebocador Elétrico Empilhadeira Trilateral 16

17 B) Transportadores: Pista transportadora c/ Roletes Pista transportadora c/ Esteira Elevadores de Caneca C) Outros Equipamentos: Pórticos Móveis Guinchos de Coluna 17

18 05. Estruturas de Armazenamento: SISTEMA PORTA PALETE CARACTERÍSTICAS: Acesso direto a cada palete armazenado; Possibilidade de retirar qualquer mercadoria sem ter a necessidade de mover ou deslocar as restantes; Controle fácil de estoques, já que cada espaço pertence à um palete; Adaptabilidade a qualquer tipo de carga, tanto por peso quanto por volume. RECOMENDADO PARA: Empresas que trabalham com grandes quantidades de itens; Produtos com variedade de peso e tamanho. 18

19 ESTANTE PARA PALETIZAÇÃO COMPACTA - DRIVE IN CARACTERÍSTICAS: Requer o mínimo de corredores para manobrar; Máxima utilização do espaço disponível (85%); Ideal para armazenar produtos homogêneos, cuja rotação ou acesso direto não seja um fator determinante. RECOMENDADO PARA: Armazéns de Consolidação; Empresas que trabalham com produtos bastante padronizados; 19

20 ESTOQUE DINÂMICO CARACTERÍSTICAS: Os paletes são colocados na parte superior e são deslocados por gravidade; Rotação perfeita do produto (PEPS); Polpa tempo na manipulação dos paletes; Elimina interferências na preparação dos pedidos, ao contar com corredores de carga e descarga; Possibilita manter um inventário permanente e controlar saldo; Excelente controle do produto armazenado. RECOMENDADO PARA: Empresas que trabalham com produtos com prazo de validade pequena; Locais onde o espaço não seja tão importante. 20

21 ARMAZÉNS AUTO PORTANTES CARACTERÍSTICAS: Não é necessária a construção de um grande edifício previamente para instalar um armazém; Evitam - se perdas de espaço, visto que o armazém é projetado para se ajustar às medidas necessárias; Menos custos de investimento e menos tempo de execução. RECOMENDADO PARA: Empresas que precisam estocar em grandes altitudes. 21

22 ARMAZÉNS MIDI LOADS CARACTERÍSTICAS: Automação Total; O produto vai ao operador; Evita perdas no armazém, visto que um operador manipula somente uma caixa; Maximização do espaço disponível; Comodidade e facilidade de acesso às caixas. RECOMENDADO PARA: Empresas que trabalham com pequenos volumes; Produtos não paletizados e colocados em caixa; Empresas que fracionam seus volumes. 22

23 PORTA PALETE LEVE CARACTERÍSTICAS: Armazena produtos leves e pequenos; Proporciona maior agilidade no processo de preparação de encomendas; RECOMENDADO PARA: Empresas que manuseiam manualmente os produtos. 23

24 SISTEMA FLOW - RACK CARACTERÍSTICAS: Ideal para trabalhar o sistema PEPS Comporta o maior número de itens na parte frontal das estantes; Diminui o tempo de operação das encomendas; Maximiza os espaços de operação. RECOMENDADO PARA: Empresas que trabalham com produtos com data de validade restrita; Ideal para pequenos volumes; Mercadorias não paletizadas. 24

25 ESTANTES SIMPLES CARACTERÍSTICAS: Facilita a montagem; Grande capacidade de carga; Estabilidade perfeita; Estética adaptável, que lhe permite harmonizar com qualquer ambiente; Combinações múltiplas e possibilidade de níveis; Adaptabilidade total aos espaços disponíveis RECOMENDADO PARA: Empresas que trabalham com itens pequenos e que precisam ser movimentados ligeiramente; Empresas que manuseiem de forma manual; Armazéns alugados, onde já existe o espaço pré - definido. 25

26 MEZANINOS METÁLICOS CARACTERÍSTICAS: Multiplica o espaço de armazenagem da empresa; Montagem rápida, fácil e limpa; Adaptável às necessidades concretas de cada cliente, devido à grande variedade de medidas, tipos de piso, sistemas de construção, etc. RECOMENDADO PARA: Empresas que precisam aumentar seu espaço de estocagem; Situações onde o investimento em novos locais de armazenagem não compensa o valor do terreno. 26

27 CANTILEVE CARACTERÍSTICAS: Ideais para produtos compridos; Possibilidade de regulagem da altura sem problemas; Regulagem autônoma dos braços. RECOMENDADO PARA: Empresas que trabalham com tubos, barras, perfis, madeira, etc. 27

28 ARMÁRIOS MÓVEIS CARACTERÍSTICAS: Grande aproveitamento do espaço; Grande capacidade de adaptação a qualquer espaço disponível; Segurança total dos produtos armazenados, tanto contra intrusos como incêndios ou deteriorações; Facilidade de montagem. RECOMENDADO PARA: Empresas que trabalham produtos pequenos mas com alto valor agregado. 28

29 06. Tipos de Armazenamento: A) Armazenamento por grupo; B) Armazenagem por tamanho, peso e volume; C) Armazenagem por freqüência; D) Armazenagem por local de montagem. 07.Identificação da Localização em Estoque: é o sistema que visa a correta e eficiente localização dos materiais dentro do armazém. A) Codificação de Endereço: XX.XX.XX.XX.XX.XX Prédio Rua Fileira Posição Pilha Andar 29

30 B) Tipos de Endereçamentos: Sistema de Endereçamento Fixo; Sistema de endereçamento variável. 08.Considerações para o aumento da eficiência dos armazéns: A) Divisão do depósito em seções: Diferenciar produtos espaciais dos demais; Evitar roubos e furtos (pequenos objetos). B) Rotatividade do Estoque: Estoque com baixa rotatividade = Locais de estocagem largos e profundos, com empilhamento alto. Estoque com alta rotatividade = Locais de estocagem com baixa altura e rasos, com empilhamento mínimo. C) Sequenciação dos Pedidos: Sequenciação por produto: apanhar os itens do pedido de acordo com a seqüência do roteiro a ser percorrido no armazém; Coleta por zoneamento: Coletores responsáveis por áreas específicas; Decomposição do Pedido: Designar os produtos do pedido de acordo com o local de armazenagem. 30

31 09.Expedição: é o conjunto de operações relacionadas com a entrega do material pela função de armazenagem aos requisitantes usuários, transportadoras ou qualquer outro. A) Tipos de Expedição: Para Usuários: Vendas; Para outras unidades de atendimento: Transferências; Para terceiros: Devolução ou empréstimos. B) Recomendações Gerais para a Expedição de Produtos: Função privativa do Armazenamento; Todo processo deve estar respaldado de documentação; A expedição deve ser planejada de modo a facilitar as operações de armazenagem; Os materiais expedidos devem sempre estar acondicionados e embalados; Atrasos na expedição pode acarretar: - Insatisfação ao requisitante; - Atraso ou paralisação da produção; - Acumulação de materiais na expedição. 31

32 C) 10 regras para aumentar a produtividade na separação de pedidos: 01.Eliminar ou combinar operações: - Separar e embalar (pick - pack); - Levar o material ao separador; - Separar por agrupamento de pedidos; - Carrinhos / contendores com divisórias para separar um grupo de pedido; - Retirar do estoque de acordo com o número de etiquetas auto - adesiva; - Separar e dar baixa simultaneamente (carrossel) 02.Localizar produtos populares nos locais mais acessíveis. 03.Equilibrar as atividades de entrada e saída: - Evitar congestionamentos na zona de itens A; - Estabelecer horários diferentes de entrada e saída; - Rotas com fluxos definidos nos corredores. 04.Distribuir itens que saem juntos em uma área comum: - Formação de kits; - Estabelecer células de estocagem / separação 32

33 05.Dividir a área de estoque da separação 06.Agrupar os pedidos na separação para reduzir tempo: - Separação de múltiplos pedidos; 07.Listar itens na seqüência da rota de separação: - Eliminar idas e vindas; - Dividir por zonas de separação; 08.Estabelecer códigos de identificação e localização: - Cores nas estanteiras; - Marcação no piso; - Mostradores ao nível dos olhos; - Caracteres nítidos e simples. 09.Selecione os veículos de movimentação: - Fornecer simplicidade e conforto ao separador; - Evitar abrir caixas; 10.Selecionar a melhor combinação de estruturas de estocagem com os equipamentos de movimentação. 33

34 D) Devoluções de Materiais: Incorporar ao estoque ou atribuir um destino mais conveniente aos materiais oriundos de sobra ou desativação na linha de produção ou em outros locais da empresa. 01.Classificação: - Materiais em condições normais de uso; - Materiais sujeitos a recuperação; - Materiais inutilizáveis. 02.Triagem: - Para estoque; - Para recuperação; - Para transformação; - Para alienação (inutilidade). D) Inventário: É uma contagem física de materiais de um determinado grupo ou todos os itens em estoque com as quantidades contabilizadas. 34

35 MÉTODO PARA DIAGNOSTICAR PROBLEMAS NA ARMAZENAGEM (1) Permite identificar a existência ou não de problemas de armazenagem com relação à produção, tráfego, pessoal e dispositivos internos A. Quanto à PRODUÇÃO 1. A produção é interrompida por falta de abastecimento? 2. Há materiais que não foram consumidos no exercício? 3. Há erros nas quantidades dos materiais que entram e saem do almoxarifado? 4. Há rotações pequenas em materiais caros? B. Quanto ao TRÁFEGO 1. Há casos de empilhamentos poucos seguros? 2. Há tráfego excessivo de pessoal e carros com pouca carga? 3. Há excessivo serviço de material leve? 4. Há frequentes mudanças de prateleiras? 5. Há muitas mudanças de embalagem? 6. Há manuseio inadequado de material pesado? 7. Estão os centros consumidores muito distantes? 35

36 MÉTODO PARA DIAGNOSTICAR PROBLEMAS NA ARMAZENAGEM (2) Permite identificar a existência ou não de problemas de armazenagem com relação à produção, tráfego, pessoal e dispositivos internos C. Quanto ao MATERIAL propriamente dito 1. Há muito material danificado ou deteriorado? 2. Perderam-se materiais? 3. Existem materiais inúteis nas entradas e saídas do almoxarifado? 4. Há acúmulo de materiais em locais inadequados? 5. O serviço é lento, com atraso na entrega aos requisitantes? D. Quanto ao ESPAÇO 1. Há materiais em desordem nas prateleiras e mesmo no chão? 2. O espaço vertical é bem aproveitado? 3. Há má distribuição dos materiais nas prateleiras, ficando algumas abarrotadas e outras vazias? 36

37 MÉTODO PARA DIAGNOSTICAR PROBLEMAS NA ARMAZENAGEM (3) Permite identificar a existência ou não de problemas de armazenagem com relação à produção, tráfego, pessoal e dispositivos internos E. Quanto aos DISPOSITIVOS INTERNOS 1. Há suportes inadequados para materiais pesados? 2. Há falta de transporte interno gerando atrasos? 3. Existem áreas desiguais de armazenagem e passagem? 4. Há equipamentos antiquados ou freqüentemente avariados? 5. Há pessoal parado a espera de auxílio para executar o trabalho? 6. Há deficiência no serviço de higiene e segurança? Este diagnóstico poderá ser aplicado individualmente e posteriormente reunir-se todas as opiniões, apresentandose um relatório final. 37

38 EMBALAGEM EMBALAGEM Proteção externa da mercadoria, para a sua apresentação no mercado. EMBALAR Acondicionar, empacotar, proteger conteúdo. 38 o

39 EMBALAGEM Principalmente, para as médias e grandes empresas, quando o número de itens em estoque aumenta, os tipos de embalagens e sua homogeneidade são fatores fundamentais para um perfeito arranjo no estoque. Isto acarreta economia de espaço e uma facilidade no transporte, resultando assim, numa diminuição de custos para a empresa. Recepção Almoxarifado Produção Centro distribuição Recepção Recepção 39

40 EMBALAGEM Geralmente a seleção do material (*) de embalagens dependerá: Da peça específica; Do método de transporte; Do método de manuseio e movimentação desejados pela empresa. Dois são os tipos fundamentais (*) de embalagens: Aquelas que são utilizadas uma e depois destruídas; Embalagens devolvíeis, que podem ser utilizadas inúmeras vezes. (*) empresas e consumidores conscientes valorizam a utilização de embalagens recicláveis. 40

41 DIMENSIONAMENTO DE EMBALAGEM Uma embalagem bem dimensionada é aquela que além de ser esteticamente agradável, tem melhor relação volume interno/quantidade de material utilizado, deve facilitar sua utilização na operação de envase, permite um excelente aproveitamento das embalagens coletivas e, proporciona uma otimização na paletização, facilitando as operações envolvidas na logística e distribuição do produto. É bom sempre ter em mente que, a embalagem primária é parte de um todo e, como tal influi direta e decisivamente em todas as demais que fazem parte do sistema. Portanto, antes de concluir seu dimensionamento, planeje todas as demais e, avalie os reflexos finais no sistema de embalagem. Um bom exercício, é também fazer o caminho inverso, ou seja, como deveria ser a embalagem coletiva ideal (Por ex.: caixas de papelão ondulado) para que se tenha uma otimização na logística e distribuição do produto e, a partir dela, projetar e dimensionar as embalagens intermediárias e, finalmente chegar na primária. Outra medida importante é a eliminação das folgas de todas as embalagens, pois, muitas vezes ao contrário dos benefícios que se supõem ter, como facilidade em se trabalhar nas máquinas, elas atrapalham. Além de agregarem custos desnecessários, acarretam folgas nas embalagens intermediárias, coletivas e na de transporte, prejudiciais à resistência física destas, podendo causar danos fatais à integridade do produto. Além disso, a eliminação de folgas nas embalagens, contribui para a redução na utilização de materiais de embalagens e, conseqüentemente ajuda na preservação do meio-ambiente, pela menor geração de detritos sólidos. Fonte: Hélio Kinoshita Diretor Técnico da Indatack 41

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM Os consumidores quando vão às prateleiras das lojas esperam encontrar os produtos que necessitam, não importando se os produtores estão a 10 ou 2.500 Km de distância. Este é o trabalho da logística: prover

Leia mais

Aula II Armazenagem; Inventário. Professor Argélio Lima Paniago

Aula II Armazenagem; Inventário. Professor Argélio Lima Paniago Aula II Armazenagem; Inventário Professor Argélio Lima Paniago Armazenagem Armazenagem de matérias merece um planejamento especifico, Condições impróprias de materiais geram desperdícios, Não acrescenta

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL

LOGÍSTICA EMPRESARIAL LOGÍSTICA EMPRESARIAL FORNECEDORES Erros de compras são dispendiosos Canais de distribuição * Compra direta - Vendedores em tempo integral - Representantes dos fabricantes Compras em distribuidores Localização

Leia mais

Armazenagem. Por que armazenar?

Armazenagem. Por que armazenar? Armazenagem Introdução Funções da armazenagem Atividades na armazenagem Objetivos do planejamento de operações de armazenagem Políticas da armazenagem Pilares da atividade de armazenamento Armazenagem

Leia mais

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM Uma abordagem multidisciplinar Prof. Fernando Dal Zot 1 Visão geral das atividades do Almoxarifado / Depósito / Armazém Início RECEBER

Leia mais

Projeto de Armazéns. Ricardo A. Cassel. Projeto de Armazéns

Projeto de Armazéns. Ricardo A. Cassel. Projeto de Armazéns Ricardo A. Cassel FRANCIS, R.; McGINNIS, L.; WHITE, J. Facility Layout and Location: an analytical approach. New Jersey: Prentice Hall, 2ed., 1992. BANZATTO, E.; FONSECA, L.R.P.. São Paulo: IMAN, 2008

Leia mais

Armazenagem e Movimentação de Materiais II

Armazenagem e Movimentação de Materiais II Tendências da armazenagem de materiais Embalagem: classificação, arranjos de embalagens em paletes, formação de carga paletizada, contêineres Controle e operação do armazém Equipamentos de movimentação

Leia mais

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM

LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM LOGÍSTICA DE ARMAZENAGEM Logística e Cadeia de Suprimentos UNISO Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves É a atividade que compreende o planejamento, coordenação, controle e desenvolvimento das operações destinadas

Leia mais

Sistemas de Armazenagem de Materiais

Sistemas de Armazenagem de Materiais Sistemas de Armazenagem de Materiais Características e conceitos para utilização de Sistemas de armazenagem de materiais Objetivos Destacar a importância dos equipamentos de armazenagem de materiais na

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem

NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem Tecnologia em Gestão Pública Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 9 Prof. Rafael Roesler Sumário Introdução Objetivo da armazenagem Arranjo

Leia mais

DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM

DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM DESIGN INTELIGENTE PARA ARMAZENAGEM A EMPRESA NOSSAS SOLUÇÕES PARA ARMAZENAGEM 25 DE AGOSTO DE 1969 Dar continuidade ao legado do pai, exímio ferreiro e artesão. Esse foi o sonho que impulsionou os irmãos

Leia mais

Verticalização dos Estoques

Verticalização dos Estoques Verticalização dos Estoques Considerações Iniciais A principal prioridade dos operadores é reduzir o tempo de ciclo dos pedidos e não economizar espaço. As soluções que permitem economizar espaço não permitem

Leia mais

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA I AULA 05: LOGÍSTICA INTEGRADA E OUTRAS QUESTÕES TÓPICO 05: MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAS O manuseio de materiais representa atividade de maior custo logístico, além de consumir

Leia mais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais

Contextualização 01/03/2013. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais. Movimentação de Materiais Contextualização A transformação da matéria-prima em produto acabado requer que pelo menos um dos três elementos básicos de produção (trabalhador, máquina e material) seja movimentado. Para a maioria dos

Leia mais

Soluções de armazenagem

Soluções de armazenagem Soluções de armazenagem Seja qual for o seu produto, temos a solução ideal para o armazenar 50 anos a oferecer soluções de armazenagem 3 Presença em mais de 70 países 3 11 centros de produção 3 4 centros

Leia mais

Sistemas de Armazenagem e Movimentação

Sistemas de Armazenagem e Movimentação Sistemas de Armazenagem e Movimentação O que é a armazenagem? Gerenciar eficazmente o espaço tridimensional de um local adequado e seguro, colocando à disposição para guarda de mercadorias que serão movimentadas

Leia mais

Sistemas de Armazenagem de

Sistemas de Armazenagem de Sistemas de Armazenagem de Materiais Características e conceitos para utilização de Sistemas de armazenagem de materiais Objetivos Destacar a importância do lay-out out, dos equipamentos de armazenagem

Leia mais

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 06 FILIPE S. MARTINS

AUTOMAÇÃO LOGÍSTICA AULA 06 FILIPE S. MARTINS AULA 06 FILIPE S. MARTINS ROTEIRO EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS PALETEIRA EMPILHADEIRA ESTEIRA TRANSPORTADORA TRANSPORTADOR DE ROLETES MONOVIA / TALHA ELÉTRICA TRANSELEVADORES

Leia mais

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia

Armazenagem e controle. Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem e controle Prof. Paulo Medeiros FATEC - Pompéia Armazenagem Armazenagem e manuseio de mercadorias são componentes essenciais do conjunto de atividades logísticas.seus custos podem absorver

Leia mais

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Administração de Materiais. Profª Neuza

FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas. Módulo: Administração de Materiais. Profª Neuza FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Módulo: Administração de Materiais Profª Neuza Aula Anterior: Cadastramento de Materiais CADASTRAMENTO DE MATERIAIS O QUE É??? O CADASTRAMENTO DE MATERIAIS

Leia mais

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação

Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Armazenamento e TI: sistema de controle e operação Pós-Graduação Latu-Sensu em Gestão Integrada da Logística Disciplina: TI aplicado à Logística Professor: Mauricio Pimentel Alunos: RA Guilherme Fargnolli

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Ricardo A. Cassel A movimentação de materiais é uma atividade importante a ser ponderada quando se deseja iniciar o projeto de novas instalações. Existe uma forte relação entre

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Introdução Vamos abordar aqui meios de armazenagem para melhor aproveitar o Pé direito, equipamentos que facilite movimentação em armazenagem

Leia mais

O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA

O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA O FOMENTO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE CRICIÚMA PELA LOGÍSTICA Como obter mais resultados com menos despesas Thomas Burger - Arquiteto Burger Arquitetos Arquitetura e Gerenciamento de Projetos Porto Alegre

Leia mais

APSP. Análise do Projeto do Sistema Produtivo. Movimentação e Armazenagem de Materiais. Administração de Fluxos de Materiais

APSP. Análise do Projeto do Sistema Produtivo. Movimentação e Armazenagem de Materiais. Administração de Fluxos de Materiais Movimentação e Armazenagem de Materiais APSP Análise do Projeto do Sistema Produtivo Aula 8 Por: Lucia Balsemão Furtado 1 Administração de Fluxos de Materiais Organização Modal A organização modal é um

Leia mais

Armazenagem, Controle. Aula 2. Contextualização. Equipamentos de Armazenagem. Principais Atribuições. Embalagens. Instrumentalização

Armazenagem, Controle. Aula 2. Contextualização. Equipamentos de Armazenagem. Principais Atribuições. Embalagens. Instrumentalização Armazenagem, Controle e Distribuição Aula 2 Contextualização Prof. Walmar Rodrigues da Silva Equipamentos de Armazenagem Simplicidade Barato Flexível Relação custo e benefício Principais Atribuições Peculiaridade

Leia mais

Sistemas de esteiras transportadoras de paletes

Sistemas de esteiras transportadoras de paletes Sistemas de esteiras transportadoras de paletes Sistemas de esteiras transportadoras de paletes Intelligrated A Intelligrated oferece uma linha completa de sistemas de esteiras transportadoras de paletes

Leia mais

Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível.

Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível. Push-back Push-back é um sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidade, por cada nível. Características gerais do sistema Push-back As estantes Push-back

Leia mais

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993

Logistica e Distribuição. Manuseio de Materiais. Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Manuseio de Materiais / Gestão de Informações Primárias Apoio 1 2 Manuseio de Materiais Refere-se aos deslocamentos de materiais

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM WMS WAREHOUSE MANAGEMENT SYSTEM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ARMAZÉM/DEP M/DEPÓSITO WMS Software de gerenciamento de depósito que auxilia as empresas na busca de melhorias nos

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Suprimentos. WMS Gerenciamento de Armazém Bloco Suprimentos WMS Gerenciamento de Armazém Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo WMS, que se encontra no Bloco Suprimentos. Todas informações aqui disponibilizadas foram

Leia mais

3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO

3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO 3 CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO O capítulo 3 apresenta o conceito de distribuição física, com enfoque nos centros de distribuição. São incluídos os processos de distribuição Cross docking, Merge in Transit e

Leia mais

LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI

LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI LUCIANO JOSÉ PELOGIA FREZATTI LEVANTAMENTO E TRANSPORTE DE CARGAS Posição vertical: Dotar o posto de trabalho com regulagem de altura; Suporte para peças; Considerar dados antropométricos, na dúvida colocar

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção Curso de Engenharia de Produção Organização do Trabalho na Produção Organização do Trabalho na Produção Projeto do Trabalho -Objetivo: criar um ambiente produtivo e eficiente, onde cada um saiba o que

Leia mais

Automatizando a armazenagem. Armazenagem automatizada

Automatizando a armazenagem. Armazenagem automatizada Automatizando a armazenagem Armazenagem automatizada Com a verticalização da armazenagem a automatização tornou-se necessária também, pois os armazéns passaram a utilizar os espaços do piso ao teto. E

Leia mais

Block Plus sistema convencional

Block Plus sistema convencional SOLUÇÕES DE ARMAZENAGEM Block Plus sistema convencional Block Plus sistema convencional estantes convencionais Trata-se do sistema de armazenagem mais comum e generalizado, adequado para armazenagem dedicada

Leia mais

Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem

Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem Tire suas dúvidas sobre Sistemas de Armazenagem Os chamados Sistemas de Armazenagem fazem parte de um grupo de acessórios e equipamentos bastante utilizados na indústria como uma maneira mais simplificada

Leia mais

LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO E DISTRIBUIÇÃO - ESTUDO DE CASO PROF.ROBSON SELEME CASO 5: MARMITOU

LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO E DISTRIBUIÇÃO - ESTUDO DE CASO PROF.ROBSON SELEME CASO 5: MARMITOU CASO 5: MARMITOU A Marmitou fabrica e distribui uma gama de produtos de condimento: molhos de tomate, mostarda, condimentos, pimenta, maionese etc. Esses produtos são direcionados a clientes variando de

Leia mais

Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS

Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS Considerações para o sucesso de um investimento em sistemas AS/RS Escolha o melhor fornecedor de sistemas e tecnologia e ganhe flexibilidade, rendimento e eficiência operacional automação que traz resultados

Leia mais

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht

Logística e Administração de Estoque. Definição - Logística. Definição. Profª. Patricia Brecht Administração Logística e Administração de. Profª. Patricia Brecht Definição - Logística O termo LOGÍSTICA conforme o dicionário Aurélio vem do francês Logistique e significa parte da arte da guerra que

Leia mais

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns

WMS. Agenda. Warehouse Management Systems (WMS) Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns WMS Warehouse Management Systems Sistema de Gerenciamento de Armazéns Breno Amorim brenoamorim@hotmail.com Informática Aplicada a Logística Profº Breno Amorimsexta-feira, 11 de setembro de 2009 Agenda

Leia mais

Soluções de armazenagem

Soluções de armazenagem Soluções de armazenagem Seja qual for seu produto, conhecemos a melhor solução para armazená-lo A Mecalux oferece soluções de armazenagem Experiência de mais de 50 anos Presença em mais de 70 países 11

Leia mais

AULA 05 Movimentação e Armazenagem de Materiais Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves

AULA 05 Movimentação e Armazenagem de Materiais Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves AULA 05 Movimentação e Armazenagem de Materiais Prof. Dr. Daniel Bertoli Gonçalves É a atividade que compreende o planejamento, coordenação, controle e desenvolvimento das operações destinadas a abrigar,

Leia mais

Estantes para Push-back. Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal

Estantes para Push-back. Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal Estantes para Push-back Sistema de armazenagem por acumulação que permite armazenar até quatro paletes em profundidades por cada canal Características gerais do sistema Push-back As estantes Push-back

Leia mais

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins

Armazenagem & Automação de Instalações. Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins Armazenagem & Automação de Instalações Prof. Fernando Augusto Silva Marins fmarins@feg.unesp.br www.feg.unesp.br/~fmarins 1 Sumário - Armazenagem Estratégica - Automação na Armazenagem 2 Armazenagem -

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E DEFINIÇÃO DE Gerenciar eficazmente o espaço tridimensional de um local adequado e seguro, colocado à disposição para a guarda de mercadorias que serão movimentadas rápida e facilmente, com

Leia mais

Aula Nº13 - Armazenagem

Aula Nº13 - Armazenagem Aula Nº13 - Armazenagem Objetivos da aula: Você já conhece os diversos tipos de sistemas de manuseio: mecanizados, semi-automáticos e automáticos. Agora, é necessário estudarmos a armazenagem propriamente

Leia mais

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte.

Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. GERENCIAMENTO DO TRANSPORTE Focaliza o aspecto econômico e de formação de preços dos serviços de transporte. Trade-off CUSTO x NÍVEL DE SERVIÇO FORMAÇÃO DO PREÇO FINAL Para elaboração de uma estratégia

Leia mais

CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS LOGÍSTICA CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS A MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAL É O PROCESSO DO QUAL APRESENTA A MUDANÇA LOCAL DE UM DETERMINADO ITEM, DENTRO DE UMA DETERMINADA CIRCUNSTÂNCIA.

Leia mais

Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas

Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas Sistemas de esteiras transportadoras de caixas, bolsas e embalagens plásticas As soluções em esteiras transportadoras da Intelligrated

Leia mais

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva

Unidade IV GERENCIAMENTO DE. Prof. Altair da Silva Unidade IV GERENCIAMENTO DE TRANSPORTE Prof. Altair da Silva Transporte em area urbana Perceba o volume de caminhões que circulam nas áreas urbanas em nosso país. Quais são os resultados para as empresas

Leia mais

Logistica e Distribuição

Logistica e Distribuição Mas quais são as atividades da Logística? Ballou, 1993 Logística e Distribuição Armazenagem e Movimentação Primárias Apoio 1 2 A armazenagem corresponde a atividades de estocagem ordenada e a distribuição

Leia mais

Logística: o endereçamento como ferramenta fundamental na armazenagem e estocagem

Logística: o endereçamento como ferramenta fundamental na armazenagem e estocagem Logística: o endereçamento como ferramenta fundamental na armazenagem e estocagem Juliano Jacinto Luciano Heil Márcio Fernandes de Souza Sidnei Rodrigues RESUMO Este artigo apresenta a importância da logística

Leia mais

Unidade III MOVIMENTAÇÃO E. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade III MOVIMENTAÇÃO E. Prof. Jean Cavaleiro Unidade III MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Introdução Conhecer as necessidades de gestão de armazém é fundamental; Aqui vamos conhecer os tipos de armazenagem; Tipos de armazenagens São

Leia mais

SISTEMAS E TÉCNICAS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS: UM ENFOQUE NO ARRANJO DE LAYOUT DE ESTOQUE APLICADO A UMA MONTADORA DE COMPUTADORES

SISTEMAS E TÉCNICAS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS: UM ENFOQUE NO ARRANJO DE LAYOUT DE ESTOQUE APLICADO A UMA MONTADORA DE COMPUTADORES SISTEMAS E TÉCNICAS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS: UM ENFOQUE NO ARRANJO DE LAYOUT DE ESTOQUE APLICADO A UMA MONTADORA DE COMPUTADORES Cristina Pereira Medeiros (UESC) cris_eps@hotmail.com

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MANUAL DE RECEBIMENTO E ARMAZENAMENTO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS Rev 02 1/5 1. Objetivo Este manual tem por objetivo orientar os usuários / clientes quanto aos itens a serem

Leia mais

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA

22/02/2009 LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO POR QUE A LOGÍSTICA ESTÁ EM MODA POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA LOGÍSTICA DE DISTRIBUIÇÃO A melhor formação cientifica, prática e metodológica. 1 POSIÇÃO DE MERCADO DA LOGÍSTICA Marketing Vendas Logística ANTES: foco no produto - quantidade de produtos sem qualidade

Leia mais

Sistemas de separação

Sistemas de separação Intelligrated Com mais de 100 anos de experiência em separação e milhares de instalações, a Intelligrated oferece sistemas de separação para operações de distribuição e abastecimento automatizados eficientes,

Leia mais

UM MODELO DE OTIMIZAÇÃO PARA ÁREAS DE ARMAZENAMENTO BASEADO EM CLASSES DE PRODUTOS

UM MODELO DE OTIMIZAÇÃO PARA ÁREAS DE ARMAZENAMENTO BASEADO EM CLASSES DE PRODUTOS A pesquisa Operacional e os Recursos Renováveis 4 a 7 de novembro de 2003, Natal-RN UM MODELO DE OTIMIZAÇÃO PARA ÁREAS DE ARMAZENAMENTO BASEADO EM CLASSES DE PRODUTOS Marco Antônio Farah Caldas Universidade

Leia mais

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu;

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Fazemos uma parceria total com o cliente, combinando redução de custos fixos e otimização de recursos

Leia mais

LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS. rfsouza@fatecinternacional.com.br

LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS. rfsouza@fatecinternacional.com.br LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS PROF. RODRIGO FREITAS DE SOUZA REVISÃO rfsouza@fatecinternacional.com.br Objetivo da Logística Fazer chegar a quantidade certa das mercadorias certas ao local certo, no

Leia mais

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007.

Operações Terminais Armazéns. PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Operações Terminais Armazéns AULA 6 PLT RODRIGUES, Paulo R.A. Gestão Estratégica da Armazenagem. 2ª ed. São Paulo: Aduaneiras, 2007. Cargas, embalagens e unitização Modulação, Unitização, Acondicionamento

Leia mais

Dick s Sporting Goods

Dick s Sporting Goods Dick s Sporting Goods Atualizações no sistema de seleção e de esteira transportadora dão à Dick s uma margem competitiva automação que traz resultados Atualizações no sistema de seleção e de esteira transportadora

Leia mais

Soluções de armazenagem

Soluções de armazenagem Soluções de armazenagem Uma solução para cada necessidade de armazenagem Cargas paletizadas Estantes para paletização convencional 3 Solução adequada para armazéns com mercadoria paletizada e grande variedade

Leia mais

Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação Latu Senso Gestão Integrada da Logística

Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação Latu Senso Gestão Integrada da Logística Universidade São Judas Tadeu Pós Graduação Latu Senso Gestão Integrada da Logística Adriana dos Santos Gomes Estela Paulino da Silva Luiz Cássio Jorquera Wesley Felipe de Oliveira ARMAZENAGEM E TI São

Leia mais

3 Centro de Distribuição

3 Centro de Distribuição 3 Centro de Distribuição Uma questão básica do gerenciamento logístico é como estruturar sistemas de distribuição capazes de atender de forma econômica os mercados geograficamente distantes das fontes

Leia mais

Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III 3 CUSTOS DOS ESTOQUES A formação de estoques é essencial para atender à demanda; como não temos como prever com precisão a necessidade, a formação

Leia mais

Transferência e distribuição

Transferência e distribuição Transferência e Distribuição Transferência e distribuição O sistema logístico inclui, na maioria dos casos, dois tipos de transporte de produtos: A transferência: envolve deslocamento maciços entre dois

Leia mais

Empilhadoras Elétricas IXION SPE125/SPE160. Controle Sensi-lift

Empilhadoras Elétricas IXION SPE125/SPE160. Controle Sensi-lift Empilhadoras Elétricas Os empilhadores com braços de suporte oferecem uma solução efetiva e econômica para todos os tipos de armazém grandes ou pequenos. A BT oferece o grupo mais completo de empilhadores

Leia mais

Armazenagem: Centros de Distribuição, Compras

Armazenagem: Centros de Distribuição, Compras Armazenagem: Centros de Distribuição, movimentação física e Compras Tipos de Armazenagem Depósitos Área destinada a guarda de pequenos produtos. Almoxarifados Na manufatura, é um depósito que armazena

Leia mais

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS

GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Unidade III GESTÃO DE RECURSOS PATRIMONIAIS E LOGÍSTICOS Prof. Fernando Leonel Conteúdo da aula de hoje 1. Custos dos estoques 2. Custos diretamente proporcionais 3. Custos inversamente proporcionais 4.

Leia mais

1 - MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

1 - MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS 1 - MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS Introdução Para que a matéria prima possa transformar-se ou ser beneficiada, pelo menos um dos três elementos básicos de produção, homem, máquina ou material, deve movimentar-se;

Leia mais

Revista Perspectiva em Educação, Gestão & Tecnologia, v.1, n.3, janeiro-junho/2013

Revista Perspectiva em Educação, Gestão & Tecnologia, v.1, n.3, janeiro-junho/2013 SISTEMA LOGÍSTICO EMPRESARIAL Revista Perspectiva em Educação, Gestão & Tecnologia, v.1, n.3, janeiro-junho/2013 Creonice Silva de Moura Shirley Aparecida Fida Prof. Engº. Helder Boccaletti Fatec Tatuí

Leia mais

Movimentação de materiais O setor de movimentação de materiais

Movimentação de materiais O setor de movimentação de materiais Movimentação de materiais O setor de movimentação de materiais A movimentação de materiais não necessita exatamente ser um setor dentro da organização, na maioria dos casos, é uma tarefa atrelada ao almoxarifado

Leia mais

Pontos consumo de vapor (economia linhas alta pressão) Almoxarifado Administração Unidade recreativa (gases de combustão) Caldeira

Pontos consumo de vapor (economia linhas alta pressão) Almoxarifado Administração Unidade recreativa (gases de combustão) Caldeira Interligação das Unidades O estudo do arranjo físico das edi cações de uma indústria gera a Planta de Locação, relacionando as várias unidades de produção entre si e vinculandoas demais unidades auxiliares,

Leia mais

DIRETRIZES P/ O PLANEJAMENTO OU EXPANSÃO DAS INSTALAÇÕES 1 - Planeje o futuro layout com todos os detalhes. 2 - Projete as expansões em pelo menos

DIRETRIZES P/ O PLANEJAMENTO OU EXPANSÃO DAS INSTALAÇÕES 1 - Planeje o futuro layout com todos os detalhes. 2 - Projete as expansões em pelo menos CHECK SEU LAYOUT Com a quantidade a produzir, o planejamento do fluxo geral dos materiais, os métodos de trabalho planejados, mais o trabalho padrão especificado, nós podemos determinar e dimensionar os

Leia mais

WMS Warehouse Management System

WMS Warehouse Management System WMS Warehouse Management System [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO ETIQUETAS SERVIÇOS. soluções definitivas

IDENTIFICAÇÃO ETIQUETAS SERVIÇOS. soluções definitivas IDENTIFICAÇÃO ETIQUETAS SERVIÇOS soluções definitivas paralogística Identificação Placas de Rua O início da sinalização e o endereçamento de um armazém começam pelas placas de rua. Elas devem ser instaladas

Leia mais

Prof. Clesio Landini Jr. Unidade III PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO

Prof. Clesio Landini Jr. Unidade III PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO Prof. Clesio Landini Jr. Unidade III PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO Planejamento e operação por categoria de produto Nesta unidade veremos o Planejamento e Operação por Categoria de Produto

Leia mais

REDES DE DISTRIBUIÇÃO

REDES DE DISTRIBUIÇÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO De uma maneira geral, as redes de distribuição são constituídas por: 1. Um conjunto de instalações que fazem a recepção, armazenagem e expedição de materiais; 2. Um conjunto de rotas

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009. Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( )

PLANO DE ENSINO 2009. Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS

MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS 98 MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE MATERIAIS Roberta Ferreira dos Santos Graduando em Logística do Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), Rio de Janeiro, RJ, Brasil roberta.santos94@yahoo.com.br Leandro

Leia mais

CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999)

CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999) CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSTICO (fevereiro de 1999) INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. SERVIÇOS LOGÍSITICOS 3. O CONCEITO DO OPERADOR LOGÍSITICO 3.1 DEFINIÇÃO 3.2 CARACTERIZAÇÃO DE OPERADOR LOGÍSTICO 4. DEFINIÇÕES

Leia mais

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes

Elevador para Cabinas Elevador para Cabinas / Montacarga Elevador para Paletes Elevador Contínuo / Elevador para Pequenos Volumes Forma Construtiva dos Transelevadores Modo de Funcionamento dos Transelevadores Sistemas de Transferência Transelevadores para Armazém Autoportante Transelevadores para Armazém Autoportante Climatizado

Leia mais

Slides com o Tema Escolhido. GRUPO AZUL: Ana Clara Araújo Côrte Luana Salgado Diego Pereira Bruno Reis

Slides com o Tema Escolhido. GRUPO AZUL: Ana Clara Araújo Côrte Luana Salgado Diego Pereira Bruno Reis Slides com o Tema Escolhido GRUPO AZUL: Ana Clara Araújo Côrte Luana Salgado Diego Pereira Bruno Reis Planejamento da Administração da Armazenagem Missão da Armazenagem Viabilizar a melhor gestão possível

Leia mais

SISTEMAS'DE'ARMAZENAGEM

SISTEMAS'DE'ARMAZENAGEM Desafios para os Profissionais de Armazéns SISTEMAS'DE'ARMAZENAGEM Executar mais, menores transações Movimentar e estocar muitos itens Prover maior customização de serviços Oferecer mais serviços de valor

Leia mais

PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO. Unidade III

PLANEJAMENTO E OPERAÇÃO POR CATEGORIA DE PRODUTO. Unidade III Unidade III 3 LAYOUT NO ARMAZÉM 3.1 Considerações sobre o layout do armazém A realização de uma operação eficiente e efetiva de armazenagem depende muito da existência de um bom layout do armazém, que

Leia mais

SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS

SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS SISTEMAS DE ORDER FULFILLMENT REAL TIME SOLUTIONS Sistemas de Order Fulfillment Real Time Solutions Atualmente, a operação de order fulfillment desempenha um papel primordial na cadeia de abastecimento

Leia mais

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES T É C N I C O E M A D M I N I S T R A Ç Ã O P R O F. D I E G O B O L S I M A R T I N S 2015 ESTOQUES São acumulações de matérias-primas, suprimentos, componentes,

Leia mais

Unidade I MOVIMENTAÇÃO E. Prof. Jean Cavaleiro

Unidade I MOVIMENTAÇÃO E. Prof. Jean Cavaleiro Unidade I MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Armazenagem e a logística Qual é o papel da armazenagem na logística? Armazenagem e a logística Auxilia no atendimento à Missao da Logística. Qual

Leia mais

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR.

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Barbara Monfroi (Unioeste) bmonfroi@gmail.com Késsia Cruz (Unioeste) kessia.cruz@hotmail.com

Leia mais

SISTEMAS DE TRANSPORTADORES CONTINUOS

SISTEMAS DE TRANSPORTADORES CONTINUOS Consiste na movimentação constante entre dois pontos pré-determinados. d São utilizados em mineração, indústrias, terminais de carga e descarga, terminais de recepção e expedição ou em armazéns. Esteiras

Leia mais

Os produtos da Royal 4 têm como base as ferramentas PROGRESS, banco de dados e linguagens de quarta geração (4GL), bastante atuais e abertas.

Os produtos da Royal 4 têm como base as ferramentas PROGRESS, banco de dados e linguagens de quarta geração (4GL), bastante atuais e abertas. Nos mais de 16 anos passados desde sua fundação, Royal 4 tem disponibilizado soluções de software empresariais para companhias de médio e grande porte dos segmentos de manufatura, varejo, atacado e distribuição.

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA DT-124/2007 R-00

DECISÃO TÉCNICA DT-124/2007 R-00 /27 R- RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO, EXPEDIÇÃO E CONTROLE DE MATERIAIS DE ESTOQUE NAS DOCUMENTO NORMATIVO I MAR/27 Í N D I C E 1 OBJETIVO...1 2 DISPOSIÇÕES GERAIS...1 2.1 APLICAÇÃO...1 2.2 RESPONSABILIDADE...1

Leia mais

A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM

A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM A SOLUÇÃO SOB MEDIDA PARA SUA ARMAZENAGEM E ESTOCAGEM A CESTARI PRODUTOS GALVANIZADOS produz equipamentos para todo processamento de produtos em geral que asseguram o melhor resultado para a indústria

Leia mais

Paletizadoras e despaletizadoras

Paletizadoras e despaletizadoras Paletizadoras e despaletizadoras Paletizadoras e despaletizadoras Intelligrated Com sua marca de equipamentos Alvey, a Intelligrated tem mais de 60 anos de experiência em soluções essenciais de paletização

Leia mais

Gestão do armazém: organização do espaço, artigos, documentos

Gestão do armazém: organização do espaço, artigos, documentos 1 1 2 A gestão do armazém está directamente relacionada com o processo de transferência de produtos para os clientes finais, e têm em conta aspectos como a mão-de-obra, o espaço, as condições do armazém

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza

LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza LOGÍSTICA Professor: Dr. Edwin B. Mitacc Meza edwin@engenharia-puro.com.br www.engenharia-puro.com.br/edwin Gerenciamento Logístico Gerenciamento Logístico A missão do gerenciamento logístico é planejar

Leia mais

Sistemas de abastecimento de pedidos

Sistemas de abastecimento de pedidos Sistemas de abastecimento de pedidos Sistemas de abastecimento de pedidos Intelligrated Densidade de separação A Intelligrated usa suas décadas de experiência e centenas de instalações para oferecer as

Leia mais