SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE"

Transcrição

1 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE MANUAL DE RECEBIMENTO E ARMAZENAMENTO DE REVESTIMENTOS CERÂMICOS Rev 02 1/5

2 1. Objetivo Este manual tem por objetivo orientar os usuários / clientes quanto aos itens a serem verificados no recebimento e armazenamento dos revestimentos cerâmicos, desde a necessidade de realizar uma inspeção de recebimento até a forma correta de estocagem dos produtos 2. Condições de recebimento Ao receber o material na obra não libere a transportadora antes de verificar: Se as embalagens estão adequadas e livres de avarias. Observar se os produtos sofreram algum dano durante o transporte, como por exemplo: quebra de cantos, trincas, lascamentos, etc. Notas fiscais conferir se os produtos que estão sendo entregues correspondem aos da nota fiscal, observando: referência, tonalidade, tamanho e classe. Estas informações são encontradas na vista principal da embalagem Pedido - é importante certificar-se de que os produtos entregues correspondem ao pedido de compra. Caso o produto que está sendo entregue não confira com a nota fiscal, não receba o produto e entre em contato com a Assistência Técnica da Eliane. Caso encontrar peças danificadas, informar imediatamente a Assistência Técnica Não esquecer de registrar sua observação no conhecimento de frete da transportadora O contato com a Assistência Técnica Eliane pode ser realizado através dos telefones ou ou através do 3. Inspeção do produto No processo de fabricação de revestimentos cerâmicos podem ocorrer variações de tamanho e tonalidade. Segundo as normas brasileiras e internacionais do setor, 95 % das peças devem estar livres de defeitos visíveis. Se o número de peças defeituosas estiver dentro deste limite (5% do lote adquirido), separe-as e use-as para recortes. Caso o número exceder a este limite, entre em contato com a Assistência Técnica Eliane antes de assentar as peças. Nunca misture revestimentos cerâmicos de tonalidades e tamanhos diferentes em um mesmo ambiente Lembre que é importante reservar uma certa quantidade do mesmo produto para detalhes, como acabamentos de registros, recortes sanitários, entre outros 4. Condições de armazenamento e estocagem no canteiro de obras A data de entrega assim como o local de estocagem devem ser planejados com antecedência para evitar pré-estocagem em local inadequado e economizar área de canteiro. 2/5

3 O local para a estocagem / armazenamento deve ser protegido da umidade e estar próximo à área onde o material será utilizado ou do transporte vertical, diminuindo o manuseio e o risco de quebras. Na estocagem / armazenamento, os produtos devem ser separados de forma que, em cada pilha estejam produtos de mesma referência, tonalidade, tamanho e classe. Isso facilitará a retirada dos produtos quando forem assentados e evitará a mistura de tonalidade e/ou tamanho. No caso de estocagem / armazenamento em lajes, verifique antes a sua capacidade de resistência para evitar sobrecarga e possível ruptura da mesma. Nota: As empresas de transporte são amparadas por lei, no que diz respeito à entrega dos produtos: obrigatoriedade em entregar o produto numa distância de no máximo 30 metros do veículo e em linha reta. Situações de entregas diferentes à esta definição são de responsabilidade do cliente. Cada remessa poderá ser fornecida em uma ou mais tonalidades e tamanhos. Estas tonalidades e tamanhos poderão ser diferentes daqueles entregues na remessa anterior. Sendo assim, a cada novo armazenamento estes dados devem ser observados seguindo as recomendações anteriores. Confira as informações de referência, tonalidade, tamanho e classe na vista principal da embalagem. Não esqueça de confrontar as informações com a nota fiscal. 5. Empilhamento / estocagem No empilhamento das caixas ou pallets, é importante que as embalagens estejam empilhadas de maneira correta a fim de evitar danos ao produto como quebra de cantos ou até mesmo da peça. As embalagens (caixas) devem ser empilhadas cuidadosamente até uma altura máxima de 1,5 metros (para empilhamento avulso) e os pallets empilhados com altura máxima de 4,5 metros (para empilhamento paletizado), sobre piso regular / nivelado. Deposite sempre as embalagens (caixas) verticalmente. Exceto para produtos telados. 3/5

4 Os produtos telados deverão ser estocados em estrutura porta-pallets, com as caixas depositadas horizontalmente nos pallets Estrutura porta-pallets Na estocagem dos produtos, deve haver um espaçamento mínimo entre os pallets, a fim de possibilitar a circulação de pessoas e facilitar assim a visualização das informações descritas nas embalagens. Espaçamento entre pallets Manter espaço adequado nos corredores para facilitar o acesso / manobra das máquinas empilhadeiras, evitando assim avarias no produto devido a movimentação do estoque. Espaço entre as pilhas / corredores 4/5

5 É importante empilhar corretamente os pallets a fim de que as pilhas fiquem alinhadas verticalmente (não esquecer da altura máxima permitida 4,5 metros). Isso evitará quedas de pallets, garantindo a segurança dos usuários, a integridade dos produtos e a segurança no armazém Pilhas alinhadas verticalmente Pallets fracionados deverão ser empilhados sempre na parte superior da pilha, por questões de segurança e para evitar danos ao produto Empilhamento de pallets fracionados Muito importante: Os revestimentos cerâmicos devem ser manuseados cuidadosamente, especialmente os produtos retificados. Por possuírem cantos vivos eles são mais suscetíveis ao lascamento no caso de batidas. Lembre sempre: produto assentado é considerado produto aceito

Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos

Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos Orientações de manuseio e estocagem de revestimentos cerâmicos RECEBIMENTO Quando o produto for recebido na loja ou obra, ou mesmo na entrega ao cliente, é importante que alguns cuidados sejam tomados

Leia mais

MANUAL DO C L I E N T E

MANUAL DO C L I E N T E MANUAL DO C L I E N T E 1 Recebendo o revestimento na obra 1.1 Comparar a nota fiscal com o pedido SUMÁRIO 2 3 4 5 Manuseio e armazenamento 2.1 2.2 Ter cuidado no manuseio Empilhamento dos revestimentos

Leia mais

Instruções de manuseio e movimentação de produtos

Instruções de manuseio e movimentação de produtos Instruções de manuseio e movimentação de produtos Big Bag Instruções de manuseio e movimentação 1. Composição do Big Bag BIG BAG 1.250 kg: Big Bag de Ráfia/Vinil, cilíndrico/travado, com capacidade para

Leia mais

DICAS DE ESTOCAGEM DE EMBALAGENS

DICAS DE ESTOCAGEM DE EMBALAGENS DICAS DE ESTOCAGEM DE EMBALAGENS EMPILHAMENTO Os pontos de maior resistência da embalagem estão nos quatro cantos (arestas verticais), nos quais estão concentrados 64% da resistência à compressão. Por

Leia mais

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste

Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Aspectos de Segurança - Discos de Corte e Desbaste Os discos de corte e desbaste são produzidos e controlados com rigor, sendo submetidos a testes internos que objetivam a reprodução da qualidade lote

Leia mais

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM

Prof. Jean Cavaleiro. Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Prof. Jean Cavaleiro Unidade II MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM Introdução Vamos abordar aqui meios de armazenagem para melhor aproveitar o Pé direito, equipamentos que facilite movimentação em armazenagem

Leia mais

Movimentação Paletização Armazenamento e Transporte

Movimentação Paletização Armazenamento e Transporte Movimentação Paletização Armazenamento e Transporte 0 1 INTRODUÇÃO A primeira embalagem de papelão ondulado surgiu há mais de 100 anos e percorreu um longo caminho até os dias de hoje, evoluindo gradativamente

Leia mais

Manuseio de Compressor

Manuseio de Compressor Manuseio de Compressor Índice Item... Página 1 - Introdução... 02 2 - Remover o palete... 03 3 - Deslocar o palete... 04 4 - Erguer o palete... 05 5 - Movimentar o palete... 06 6 - Empilhar o palete...

Leia mais

Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS

Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS Caixa Múltipla de Esgoto CAIXA DE GORDURA, CAIXA DE INSPEÇÃO E COMPLEMENTOS Localização no Website Tigre: Obra Predial Esgoto CAIXA MÚLTIPLA ESGOTO Função: A linha Caixa Múltipla Esgoto completa a solução

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem

NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem NOÇÕES BÁSICAS DE ALMOXARIFADO Armazenagem Tecnologia em Gestão Pública Administração de Recursos Materiais e Patrimoniais Aula 9 Prof. Rafael Roesler Sumário Introdução Objetivo da armazenagem Arranjo

Leia mais

Dimensionamento de espaço

Dimensionamento de espaço Dimensionamento de espaço Definindo os volumes de produtos e os tipos de produtos que serão tratados no projeto, teremos condições, a partir de agora, de dimensionar o tamanho do armazém, suas características

Leia mais

Boas Práticas para Estocagem de Medicamentos

Boas Práticas para Estocagem de Medicamentos Boas Práticas para Estocagem de Medicamentos Manual Elaborado por PEDRO PAULO TRIGO VALERY Considerações Gerais Estocar e administrar um almoxarifado de medicamentos não é como estocar alimentos apesar

Leia mais

CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS

CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS LOGÍSTICA CONCEITOS E PRINCÍPIOS DO SISTEMA DE MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAIS A MOVIMENTAÇÃO DE MATERIAL É O PROCESSO DO QUAL APRESENTA A MUDANÇA LOCAL DE UM DETERMINADO ITEM, DENTRO DE UMA DETERMINADA CIRCUNSTÂNCIA.

Leia mais

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DO SUL DO ESTADO DE ALAGOAS PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO

CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DO SUL DO ESTADO DE ALAGOAS PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Este POP tem como objetivo fixar procedimentos para assegurar o correto recebimento de medicamentos, tanto em quantidade quanto em qualidade dos medicamentos. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO TÍTULO: Recebimento

Leia mais

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 05/14 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I

PREGÃO ELETRÔNICO Nº 05/14 ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I MEMORIAL DESCRITIVO ANEXO I TUBOS DE PEAD 1 - OBJETIVO 1.1 A presente licitação tem por objeto o fornecimento e entrega, pela empresa a ser CONTRATADA, de tubos de POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE PE 100

Leia mais

Amanco Fossa Séptica

Amanco Fossa Séptica MANUAL DE INSTALAÇÃO Amanco Fossa Séptica M a n u a l d e I n s t a l a ç ã o A m a n c o F o s s a S é p t i c a Este manual também pode ser visualizado através do site > Produtos > Predial > Esgoto e

Leia mais

Caixa de Inspeção e Interligação

Caixa de Inspeção e Interligação Caixa de Inspeção e Interligação Localização no website Tigre: Obra predial Esgoto CAIXA DE INSPEÇÃO e/ou Obra predial Águas Pluviais CAIXA DE INTERLIGAÇÃO Função/Aplicação: Caixa de Inspeção: destinada

Leia mais

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP

REGISTRO DE ATIVIDADES DO PROCESSO - RAP 6.2.24.1 Efetuar o carregamento dos tubos Efetuar o carregamento dos tubos. A carroceria deve estar livre de pregos e projeções. O empilhamento dos tubos sobre a carroceria do caminhão deve ser feito,

Leia mais

Verticalização dos Estoques

Verticalização dos Estoques Verticalização dos Estoques Considerações Iniciais A principal prioridade dos operadores é reduzir o tempo de ciclo dos pedidos e não economizar espaço. As soluções que permitem economizar espaço não permitem

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CHAVES DE AFERIÇÃO

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CHAVES DE AFERIÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA CHAVES DE AFERIÇÃO 1. OBJETIVO Este Termo de Referência define requisitos que devem ser observados pelos interessados, para o fornecimento de chave de aferição à CEEE-D, em complementação

Leia mais

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot

Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM. Uma abordagem multidisciplinar. Prof. Fernando Dal Zot Aula 7 Sistemas de Armazenagem e Movimentação de Carga ARMAZENAGEM Uma abordagem multidisciplinar Prof. Fernando Dal Zot 1 Visão geral das atividades do Almoxarifado / Depósito / Armazém Início RECEBER

Leia mais

USO E APLICAÇÕES. Módulo 5 Manuseio, Transporte e Armazenagem

USO E APLICAÇÕES. Módulo 5 Manuseio, Transporte e Armazenagem USO E APLICAÇÕES Módulo 5 Manuseio, Transporte e Armazenagem MANUSEIO, TRANSPORTE e ARMAZENAGEM MANUSEIO DOS VIDROS AS CHAPAS DE VIDRO DEVEM SEMPRE SER MANUSEADAS DE MANEIRA QUE NÃO ENTREM EM CONTATO COM

Leia mais

www.desperdiciozero.com.br www.tetrapak.com.br

www.desperdiciozero.com.br www.tetrapak.com.br AF_folhetoV3-Sem-TBA_9x13cm.pdf 1 6/7/12 11:04 P Para mais informações e curso on-line, visite nosso site: www.desperdiciozero.com.br www.tetrapak.com.br AF_folhetoV3-Sem-TBA_9x13cm.pdf 2 6/7/12 11:04

Leia mais

SAD Gestor ERP. Manual Venda Futura. treinamento@worksoft.inf.br

SAD Gestor ERP. Manual Venda Futura. treinamento@worksoft.inf.br treinamento@worksoft.inf.br Venda futura, o que é? A venda futura é aquela utilizada geralmente em vendas que o cliente tem a necessidade de retirar posteriormente a mercadoria, onde o comprador realiza

Leia mais

Medidor de Resistência de Isolamento Analógico Modelo ITMG 800. Manual do Usuário

Medidor de Resistência de Isolamento Analógico Modelo ITMG 800. Manual do Usuário Medidor de Resistência de Isolamento Analógico Modelo ITMG 800 Manual do Usuário 1. Sumário O novo estilo de Verificador de Resistência de Isolamento Analógico é IT801A. Seu design é moderno e conta com

Leia mais

M A N U A L DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Compressores de ar D 1 / D 2 / D 3

M A N U A L DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO. Compressores de ar D 1 / D 2 / D 3 Rev.03-06/23 M A N U A L DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Compressores de ar D 1 / D 2 / D 3 Rua Major Carlos Del Prete, 19 - Bairro Cerâmica CEP 09530-0 - São Caetano do Sul - SP - Brasil Fone/Fax: (11) 4224-3080

Leia mais

Manual de Instruções e Montagem - Bicicleta Ergométrica Dobrável Rosa

Manual de Instruções e Montagem - Bicicleta Ergométrica Dobrável Rosa Manual de Instruções e Montagem - Bicicleta Ergométrica Dobrável Rosa Parabéns, você acabou de adquirir a Bicicleta Ergométrica Dobrável Rosa! Um produto ideal para você cuidar da sua saúde e do seu corpo

Leia mais

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu;

Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Estamos presentes no mercado de prestação de serviços logísticos há 11 anos; Temos Know-how europeu; Fazemos uma parceria total com o cliente, combinando redução de custos fixos e otimização de recursos

Leia mais

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA

ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA COORDENAÇÃO DE COMPRAS COSCOM (GESUS) 1 de 9 OBJETIVO: Este Termo de Referência tem por objetivo definir o escopo do processo licitatório de constituição de Registro de Preço para eventual contratação

Leia mais

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO

SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO SISTEMAS CONSTRUTIVOS Professor:Regialdo BLOCOS DE CONCRETO CONCEITO A tipologia estrutural composta por bloco, argamassa, graute e eventualmente armações é responsável por um dos sistemas construtivos

Leia mais

E-BOOK GUIA PRÁTICO DE ARMAZENAMENTO E PRODUÇÃO SEM DESPERDÍCIOS

E-BOOK GUIA PRÁTICO DE ARMAZENAMENTO E PRODUÇÃO SEM DESPERDÍCIOS E-BOOK GUIA PRÁTICO DE ARMAZENAMENTO E PRODUÇÃO SEM DESPERDÍCIOS INTRODUÇÃO O seu estoque é organizado? Apesar de parecer algo simples, a desorganização do estoque pode gerar grandes prejuízos. A falta

Leia mais

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS

PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS PROJETO DE RESOLUÇÃO Nº 001/2010 Estabelece normas e procedimentos para aquisição de serviços e recebimento, controle, guarda e distribuição de materiais permanentes e de consumo no âmbito do Poder Legislativo

Leia mais

MUITO MAIS QUE UM TELHADO. É EUROTOP!

MUITO MAIS QUE UM TELHADO. É EUROTOP! MUITO MAIS QUE UM TELHADO. É EUROTOP! CATÁLOGO DE PRODUTOS A Empresa EUROTOP - Uma empresa do Grupo Estrutural. Localizada em Itu - SP, possui duas unidades de produção, contando com a mais alta tecnologia

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE ARMAZENAGEM E SERVIÇOS

CONDIÇÕES GERAIS DE ARMAZENAGEM E SERVIÇOS CONDIÇÕES GERAIS DE ARMAZENAGEM E SERVIÇOS 1 GARANTIA DOS SERVIÇOS PRESTADOS: 1. O armazém recebe as mercadorias congeladas para depósito, garantindo em suas câmaras uma temperatura ambiente inferior à

Leia mais

OPERAÇÃO LOGÍSTICA CL CLIENTES DIVERSOS

OPERAÇÃO LOGÍSTICA CL CLIENTES DIVERSOS 1. OBJETIVO Estabelecer procedimento padrão para todos os colaboradores da Irapuru que estão envolvidos na operação logística dos de recebimento, armazenagem e expedição. 2. REGRAS/CONSIDERAÇÕES GERAIS

Leia mais

LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO E DISTRIBUIÇÃO - ESTUDO DE CASO PROF.ROBSON SELEME CASO 5: MARMITOU

LOGÍSTICA DE SUPRIMENTO E DISTRIBUIÇÃO - ESTUDO DE CASO PROF.ROBSON SELEME CASO 5: MARMITOU CASO 5: MARMITOU A Marmitou fabrica e distribui uma gama de produtos de condimento: molhos de tomate, mostarda, condimentos, pimenta, maionese etc. Esses produtos são direcionados a clientes variando de

Leia mais

ÍNDICE. Armazenamento dos rolos 04. Separação de cortes 05. Qualidade da peça confeccionada 06 Diferença de tonalidade na peça confeccionada

ÍNDICE. Armazenamento dos rolos 04. Separação de cortes 05. Qualidade da peça confeccionada 06 Diferença de tonalidade na peça confeccionada ÍNDICE Armazenamento dos rolos 04 Separação de cortes 05 Qualidade da peça confeccionada 06 Diferença de tonalidade na peça confeccionada Padrões Tear Têxtil 07 Composição Largura total Peso Classificação

Leia mais

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens

Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens Variadores e redutores de velocidade e manutenção de engrenagens A UU L AL A Um conjunto de engrenagens cônicas pertencente a uma máquina começou a apresentar ruídos estranhos. O operador da máquina ficou

Leia mais

Projeto de Armazéns. Ricardo A. Cassel. Projeto de Armazéns

Projeto de Armazéns. Ricardo A. Cassel. Projeto de Armazéns Ricardo A. Cassel FRANCIS, R.; McGINNIS, L.; WHITE, J. Facility Layout and Location: an analytical approach. New Jersey: Prentice Hall, 2ed., 1992. BANZATTO, E.; FONSECA, L.R.P.. São Paulo: IMAN, 2008

Leia mais

Rev. 01 MANUAL TÉCNICO. Kit Porta Pronto

Rev. 01 MANUAL TÉCNICO. Kit Porta Pronto MANUAL TÉCNICO Kit Porta Pronto Carga e Descarga Os produtos são carregados na empresa e preparados de modo a assegurar sua proteção. Durante o transporte até o cliente é imprescindível que sejam mantidas

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ITIQUIRA INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL Nº 002/2013, DE 22 DE JANEIRO DE 2013.

ESTADO DE MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE ITIQUIRA INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL Nº 002/2013, DE 22 DE JANEIRO DE 2013. INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL Nº 002/2013, DE 22 DE JANEIRO DE 2013. Versão nº 01 Aprovação em: 22/01/2013 Ato de Aprovação: Decreto Municipal nº 010/2013 Unidade Responsável: Departamento de Compras e Patrimônio/Comissão

Leia mais

Armazenagem e Movimentação de Materiais II

Armazenagem e Movimentação de Materiais II Tendências da armazenagem de materiais Embalagem: classificação, arranjos de embalagens em paletes, formação de carga paletizada, contêineres Controle e operação do armazém Equipamentos de movimentação

Leia mais

Unioeste Diretoria de Concursos

Unioeste Diretoria de Concursos Unioeste Diretoria de Concursos Concurso Público para o Provimento de Cargos Públicos para Atuação no Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP) PROVA OBJETIVA Almoxarife Instruções para a Prova

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PROJETO PROEDUCAR MANUAL DE ORIENTAÇÃO 1 - O QUE É O PROJETO PROEDUCAR? O projeto PROEDUCAR leva o nome do Consórcio que ganhou a licitação para atualizar os equipamentos distribuídos por meio do programa

Leia mais

MÓDULO 4 4.1 - PROCEDIMENTOS DE ESTOCAGEM E MANUSEIO

MÓDULO 4 4.1 - PROCEDIMENTOS DE ESTOCAGEM E MANUSEIO MÓDULO 4 4.1 - PROCEDIMENTOS DE ESTOCAGEM E MANUSEIO A estocagem e o manuseio de tubos e conexões devem obedecer a preceitos mínimos que assegurem a integridade dos materiais, bem como o desempenho esperado.

Leia mais

TANQUE DE FIBRA DE VIDRO Série TFV

TANQUE DE FIBRA DE VIDRO Série TFV Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções TANQUE DE FIBRA DE VIDRO Série TFV Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual traz

Leia mais

MANUAL DO FABRICANTE:

MANUAL DO FABRICANTE: MANUAL DO FABRICANTE: ALVENARIA ESTRUTURAL Características e especificações, instruções de transporte, estocagem e utilização. GESTOR: Engenheiro civil EVERTON ROBSON DOS SANTOS LISTA DE TABELAS Tabela

Leia mais

POLÍTICA DE PÓS-VENDA 2014

POLÍTICA DE PÓS-VENDA 2014 SISTEMA DE TROCA EXPRESSA ABRANGÊNCIA SUPORTE TÉCNICO TROCA EXPRESSA PROCEDIMENTO DE GARANTIA POLÍTICA DE PÓS-VENDA 2014 PROCEDIMENTO DE REPARO SISTEMA DE REPARO PROCEDIMENTO DE ENVIO V. OUT.2014 1. Objetivo

Leia mais

MTS Criterion Série 40 Manual Title

MTS Criterion Série 40 Manual Title MTS Criterion Série 40 Manual Title Instruções para Levantamento Additional e Movimentação Information be certain. 100-238-293 A Informações sobre Direitos Autorais Informações sobre Marca Registrada Informação

Leia mais

Manual de Instruções

Manual de Instruções Manual de Instruções Kit de Instrumental para Cirurgia do Túnel do Carpo VOLMED Nome Técnico: KIT CIRÚRGICO Fabricante: VOLMED BRASIL EQUIPAMENTOS LTDA -ME AV. SÃO GABRIEL, 291 JD. PAULISTA CEP: 13574-540

Leia mais

bloco de vidro ficha técnica do produto

bloco de vidro ficha técnica do produto 01 Descrição: votomassa é uma argamassa leve de excelente trabalhabilidade e aderência, formulada especialmente para assentamento e rejuntamento de s. 02 Classificação técnica: ANTES 205 Bloco votomassa

Leia mais

Phantom. Manual de Instruções. Parabéns!

Phantom. Manual de Instruções. Parabéns! Phantom 1308 Manual de Instruções Parabéns! Você acaba de adquirir um produto CANDIDE. Saiba que fez uma excelente escolha. Sempre pensamos em um brinquedo seguro que estimule a criatividade e dê alegria

Leia mais

Unioeste Diretoria de Concursos

Unioeste Diretoria de Concursos Unioeste Diretoria de Concursos 9º Concurso Público para o Provimento de Cargos Públicos para Atuação no Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP) PROVA OBJETIVA Técnico Administrativo Instruções

Leia mais

COMPRESSOR MANUAL DO PROPRIETÁRIO DENTAL/MEDICAL OIL-FREE WWW.SCHUSTER.IND.BR PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS

COMPRESSOR MANUAL DO PROPRIETÁRIO DENTAL/MEDICAL OIL-FREE WWW.SCHUSTER.IND.BR PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS COMPRESSOR S45 DENTAL/MEDICAL OIL-FREE MANUAL DO PROPRIETÁRIO COMPRESSOR S45 110V PERIFÉRICOS ODONTOLÓGICOS WWW.SCHUSTER.IND.BR 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. INTRODUÇÃO... 3 3. TERMOS DE GARANTIA... 3 4. ESPECIFICAÇÕES

Leia mais

Página 1. Procedimento Padrão RM Recebimento de Mercadoria

Página 1. Procedimento Padrão RM Recebimento de Mercadoria Página 1 Procedimento Padrão RM Recebimento de Mercadoria Página 2 Rotinas de procedimento padrão no uso do Winthor 203 - Cadastrar Produto Esta rotina tem por objetivo cadastrar produtos, descrições,

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011. 1 INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 005/2011, de 19 de setembro de 2011. Disciplina o recebimento, a armazenagem, a estocagem e a distribuição de materiais pelos almoxarifados da UDESC. O Pró-Reitor de Administração

Leia mais

Módulo 3 Custo e nível dos Estoques

Módulo 3 Custo e nível dos Estoques Módulo 3 Custo e nível dos Estoques O armazenamento de produtos produz basicamente quatro tipos de custos. 1. Custos de capital (juros, depreciação) 2. Custos com pessoal (salários, encargos sociais) 3.

Leia mais

DECISÃO TÉCNICA DT-124/2007 R-00

DECISÃO TÉCNICA DT-124/2007 R-00 /27 R- RECEBIMENTO, ARMAZENAMENTO, EXPEDIÇÃO E CONTROLE DE MATERIAIS DE ESTOQUE NAS DOCUMENTO NORMATIVO I MAR/27 Í N D I C E 1 OBJETIVO...1 2 DISPOSIÇÕES GERAIS...1 2.1 APLICAÇÃO...1 2.2 RESPONSABILIDADE...1

Leia mais

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES

GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES GESTÃO DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA - ESTOQUES T É C N I C O E M A D M I N I S T R A Ç Ã O P R O F. D I E G O B O L S I M A R T I N S 2015 ESTOQUES São acumulações de matérias-primas, suprimentos, componentes,

Leia mais

PARA ENTENDER A GESTÃO DO PROGRAMA DE MEDICAMENTOS DE DISPENSAÇÃO EM CARÁTER EXCEPCIONAL

PARA ENTENDER A GESTÃO DO PROGRAMA DE MEDICAMENTOS DE DISPENSAÇÃO EM CARÁTER EXCEPCIONAL _9864_parte01_01_06_RN_JC 7/1/04 19:57 Page 1 PARA ENTENDER A GESTÃO DO PROGRAMA DE MEDICAMENTOS DE DISPENSAÇÃO EM CARÁTER EXCEPCIONAL _9864_parte01_01_06_RN_JC 7/1/04 19:57 Page 2 Equipe de elaboração

Leia mais

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção.

Índice. 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. MODELO: BYG AR 1533 Índice 1. Advertência. 2. Características técnicas. 3. Aplicações. 4. Estrutura. 5. Instruções de uso e operação. 6. Manutenção. 7. Diagrama elétrico. 8. Diagrama hidráulico. 9. Peças

Leia mais

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS

EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS EXERCÍCIO PROJETO DO CANTEIRO DE OBRAS DE EDIFÍCIOS Você foi incumbido do planejamento da execução do edifício habitacional, constituído por um subsolo, um pavimento térreo e oito pavimentos tipo, com

Leia mais

Dicas importantes. Original SACHS Service. SACHS: a embreagem mundial

Dicas importantes. Original SACHS Service. SACHS: a embreagem mundial Original SACHS Service Dicas importantes SACHS: a embreagem mundial - Hábitos incorretos ao dirigir que prejudicam a embreagem - O correto manuseio e armazenamento de embreagens - Remanufaturados x Recondicionados

Leia mais

Contêineres rígidos para esterilização

Contêineres rígidos para esterilização Por Silvia Baffi 1. Introdução Contêineres rígidos para esterilização Contêineres são recipientes rígidos e reutilizáveis para a esterilização. São compostos por diferentes dispositivos que podem ser denominados

Leia mais

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO

MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO MANUAL MEIO AMBIENTE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO PVP SOCIEDADE ANÔNIMA Fundada em 1962 1 Índice Introdução...... 04 Política de Saúde e Segurança do Trabalho... 06 1. Prevenção e Controle de Riscos...

Leia mais

ANEXO 01. Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall.

ANEXO 01. Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall. ANEXO 01 Sala MEV DW DW B B Figura 1 - Planta da área a ser trabalhada. DW indica os locais a serem trabalhados com drywall. 1 Figura 2 Detalhes das portas em drywall. A porta P11, destinada a acesso à

Leia mais

MODELO VT550B(branco) / VT550P(preto) VENTILADOR DE MESA E COLUNA MANUAL DE INSTRUÇÕES. Ventilador de Mesa e Coluna

MODELO VT550B(branco) / VT550P(preto) VENTILADOR DE MESA E COLUNA MANUAL DE INSTRUÇÕES. Ventilador de Mesa e Coluna MODELO VT550B(branco) / VT550P(preto) VENTILADOR DE MESA E COLUNA MANUAL DE INSTRUÇÕES Ventilador de Mesa e Coluna Leia estas instruções antes de usar o produto Silenciosos - Noites mais tranquilas Muito

Leia mais

MANUAL DO ALMOXARIFADO

MANUAL DO ALMOXARIFADO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA BAIANO CAMPUS BOM JESUS DA LAPA BR 349 - Km 14 Zona Rural - Caixa Postal 34

Leia mais

Sky Rider 22. Helicóptero com Radiocontrole. Manual do Usuário CÓD. 6406 GARANTIA. Candide Indústria e Comércio Ltda.

Sky Rider 22. Helicóptero com Radiocontrole. Manual do Usuário CÓD. 6406 GARANTIA. Candide Indústria e Comércio Ltda. GARANTIA A Candide Indústria e Comércio Ltda. garante este produto pelo período de 90 dias, contados a partir da data de emissão da nota fiscal de compra, desde que o mesmo tenha sido instalado e manuseado

Leia mais

MESTRE MARCENEIRO. Estocagem de material

MESTRE MARCENEIRO. Estocagem de material Estocagem de material A Madeira e seus derivados, por ser o principal insumo utilizado na fabricação de móveis, é um material orgânico e exige cuidados especiais no seu armazenamento. O armazenamento deve

Leia mais

Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES

Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES A U T O M A Ç Ã O Servoacionamento série CuiDADoS E PrECAuÇÕES Recomendamos a completa leitura deste manual antes da colocação em funcionamento dos equipamentos. 1 Sumário Garantia Estendida Akiyama 3

Leia mais

Armazenagem. Por que armazenar?

Armazenagem. Por que armazenar? Armazenagem Introdução Funções da armazenagem Atividades na armazenagem Objetivos do planejamento de operações de armazenagem Políticas da armazenagem Pilares da atividade de armazenamento Armazenagem

Leia mais

Sistema de Forros Trevo Drywall

Sistema de Forros Trevo Drywall Nome da Empresa Endereço Tel/Fax (88) 3571-6019 Site E-mail DADOS DO FABRICANTE Trevo Industrial de Acartonados S/A. Av.Josias Inojosa de Oliveira 5000 - Distrito Industrial do Cariri Juazeiro do Norte

Leia mais

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996

PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 PORTARIA DNC Nº 27, DE 16.9.1996 - DOU 17.9.1996 Estabelece condições mínimas de segurança das instalações de armazenamento de recipientes transportáveis de GLP. O DIRETOR DO DEPARTAMENTO NACIONAL DE COMBUSTÍVEIS,

Leia mais

RESUMO DA 3ª AVALIAÇÃO

RESUMO DA 3ª AVALIAÇÃO UNIPAC UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA. 1 RESUMO DA 3ª AVALIAÇÃO Disciplina: Movimentação e Armazenagem de Materiais CARGA UNITÁRIA 1.4

Leia mais

Aula II Armazenagem; Inventário. Professor Argélio Lima Paniago

Aula II Armazenagem; Inventário. Professor Argélio Lima Paniago Aula II Armazenagem; Inventário Professor Argélio Lima Paniago Armazenagem Armazenagem de matérias merece um planejamento especifico, Condições impróprias de materiais geram desperdícios, Não acrescenta

Leia mais

MÁSCARA DE SOLDA COM ESCURECIMENTO AUTOMÁTICO

MÁSCARA DE SOLDA COM ESCURECIMENTO AUTOMÁTICO MÁSCARA DE SOLDA COM ESCURECIMENTO AUTOMÁTICO MANUAL DO USUÁRIO MUITA ATENÇÃO PARA RESGUARDAR E LER ESSE MANUAL CUIDADOSAMENTE ENQUANTO INSTALANDO OU OPERANDO ESSE PRODUTO. Máscara de Soldagem de Escurecimento

Leia mais

NR 11. E-Book. NR 11 Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais. E-Book

NR 11. E-Book. NR 11 Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais. E-Book Transporte, Movimentação, Armazenagem e Manuseio de Materiais Nós da DPS Consultoria e Assessoria em Segurança do Trabalho, queremos inicialmente manifestar nossa satisfação pelo seu interesse em nosso

Leia mais

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX

QUALITY FIX DO BRASIL INDÚSTRIA, COMÉRCIO, IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO LTDA. MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX MANUAL DO USUÁRIO CONECTORES QUALITY FIX 1 Sumário Treinamento específico e essencial.... 3 Manutenção, serviço e armazenamento.... 3 Inspeção... 3 Uso... 4 Tempo de vida do Produto.... 4 Garantia... 4

Leia mais

Manual de Montagem e Operação Pórtico Manual Serie FX

Manual de Montagem e Operação Pórtico Manual Serie FX 1 Manual de Montagem e Operação Pórtico Manual Serie FX Manual No. 103-0001 R EV. 8/07 ISO 9001 REGISTERED CONTEUDO 2 Advertencias... 3 Recebimento... 5 Ajustes...6 Kit de Transporte...8 Instalação dos

Leia mais

MATRIZ DA QUALIDADE. QUALIFICAÇÃO D Credenciamento QUALIFICAÇÃO C QUALIFICAÇÃO B QUALIFICAÇÃO A

MATRIZ DA QUALIDADE. QUALIFICAÇÃO D Credenciamento QUALIFICAÇÃO C QUALIFICAÇÃO B QUALIFICAÇÃO A CONTROLES / DISPOSIÇÕES NECESSÁRIAS PARA QUALIFICAÇÃO DE LAJES PRÉ-FABRICADAS MATRIZ DA QUALIDADE Prazos de vigência 6 meses 12 meses 12 meses QUALIFI Credenciamento A.CREDENCIAMENTO / DOCUMENTAÇÃO 1.Protocolo

Leia mais

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES

ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ANEXO II CADERNO DE ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS ARQUIVOS DESLIZANTES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE ARQUIVOS DESLIZANTES DESTINADOS À EDIFICAÇÃO DA AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES ANATEL RIO GRANDE DO SUL,

Leia mais

WMS Warehouse Management System

WMS Warehouse Management System WMS Warehouse Management System [Digite seu endereço] [Digite seu telefone] [Digite seu endereço de email] MANUAL MANUAL AVANÇO INFORMÁTICA AVANÇO INFORMÁTICA Material Desenvolvido para a Célula Materiais

Leia mais

LOGÍSTICA EMPRESARIAL

LOGÍSTICA EMPRESARIAL LOGÍSTICA EMPRESARIAL FORNECEDORES Erros de compras são dispendiosos Canais de distribuição * Compra direta - Vendedores em tempo integral - Representantes dos fabricantes Compras em distribuidores Localização

Leia mais

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR

MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Indústria e Comércio de Bombas D Água Beto Ltda Manual de Instruções MISTURADOR SUBMERSO RÁPIDO MSR Parabéns! Nossos produtos são desenvolvidos com a mais alta tecnologia Bombas Beto. Este manual traz

Leia mais

Sistema de Paredes Trevo Drywall

Sistema de Paredes Trevo Drywall Nome da Empresa DADOS DO FABRICANTE Trevo Industrial de Acartonados S/A. Endereço Av.Josias Inojosa de Oliveira 5000 - Distrito Industrial do Cariri Juazeiro do Norte - CE - CEP 63045-010 Tel/Fax (88)

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM A GESTÃO DA ARMAZENAGEM

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM A GESTÃO DA ARMAZENAGEM DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM A GESTÃO DA ARMAZENAGEM A GESTÃO DA ARMAZENAGEM INSTALAÇÕES DE ARMAZENAGEM Complexo de espaços de diferentes naturezas e finalidades, situados em áreas cobertas e descobertas,

Leia mais

Balança Digital para Uso Pessoal com Medição do Percentual de Água, Gordura e Massa Muscular Corporal

Balança Digital para Uso Pessoal com Medição do Percentual de Água, Gordura e Massa Muscular Corporal Manual do Usuário Balança Digital para Uso Pessoal com Medição do Percentual de Água, Gordura e Massa Muscular Corporal Modelo Glass 2 FW Importado por: ACCUMED PRODUTOS MÉDICO-HOSPITALARES LTDA R. São

Leia mais

QUINTA-FEIRA, 31 DE DEZEMBRO DE 1998 MINISTÉRIO DA SAÚDE - SECRETARIA DE VIGILÂNCIA SANIT... PORTARIA Nº 1.051, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1998

QUINTA-FEIRA, 31 DE DEZEMBRO DE 1998 MINISTÉRIO DA SAÚDE - SECRETARIA DE VIGILÂNCIA SANIT... PORTARIA Nº 1.051, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1998 QUINTA-FEIRA, 31 DE DEZEMBRO DE 1998 MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA PORTARIA Nº 1.051, DE 29 DE DEZEMBRO DE 1998 CONSULTA PÚBLICA O Secretário de Vigilância Sanitária do Ministério

Leia mais

Proposta de implantação de um sistema de armazenagem automática através de transelevadores no depósito de uma indústria calçadista

Proposta de implantação de um sistema de armazenagem automática através de transelevadores no depósito de uma indústria calçadista Proposta de implantação de um sistema de armazenagem automática através de transelevadores no depósito de uma indústria calçadista José de Souza (ISI SIM) souza.jose@senairs.org.br Eraldo Almeida Camargo

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES MACACO PORTATIL HIDRAULICO COM MALETA- 2TON TMHP2T

MANUAL DE INSTRUÇÕES MACACO PORTATIL HIDRAULICO COM MALETA- 2TON TMHP2T MANUAL DE INSTRUÇÕES MACACO PORTATIL HIDRAULICO COM MALETA- 2TON TMHP2T www.tanderequipamentos.com.br assistencia@tanderequipamentos.com.br Conteúdo I. INSTRUÇÕES DE OPERAÇÃO... 3 III. INSTRUÇÕES DE USO...

Leia mais

RESPONSABILIDADES DO OPERADOR

RESPONSABILIDADES DO OPERADOR RESPONSABILIDADES DO OPERADOR Assegure-se sempre que a sua empilhadeira encontra-se em boas condições de funcionamento antes de começar o trabalho. Não tente realizar consertos ou reparos. Informe imediatamente

Leia mais

Embalagens, acondicionamento e unitização

Embalagens, acondicionamento e unitização Embalagens, acondicionamento e unitização A embalagem e a Logística As condições atuais e futuras exercem importância cada vez maior sobre as interações efetivas entre a embalagem e a movimentação de materiais.

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 003/2015.

INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 003/2015. INSTRUÇÃO NORMATIVA SCL SISTEMA DE COMPRAS, LICITAÇÕES E CONTRATOS Nº 003/2015. DISPÕE SOBRE O PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ESTOQUE, QUANTO AO RECEBIMENTO, ARMAZENAGEM, ENVIO DE MATERIAIS ADQUIRIDOS PELA

Leia mais

01. Apresentação. 02. Introdução

01. Apresentação. 02. Introdução 01. Apresentação Parabéns, você está adquirindo um produto inovador, com a qualidade e a garantia AGRAL! O monitor de plantio AG 8000 oferece um sistema único de funcionamento, permitindo a instalação

Leia mais

GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ARAMES MIG-MAG

GUIA DE SOLUÇÕES PARA SOLDAGEM COM ARAMES MIG-MAG 01/14 VENDAS SUDESTE São Paulo Tel. (11) 3094-6600 Fax (11) 3094-6303 e-mail: atendimentogerdau.sp@gerdau.com.br Rio de Janeiro Tel. (21) 3974-7529 Fax (21) 3974-7592 e-mail: atendimentogerdau.rj@gerdau.com.br

Leia mais