DESIGN E EVENTOS FEIRÍSTICOS:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DESIGN E EVENTOS FEIRÍSTICOS:"

Transcrição

1 Ano 01 Cláudio Lima FERREIRA Melissa Ramos da Silva OLIVEIRA n. 02 DESIGN E EVENTOS FEIRÍSTICOS: A LÓGICA DO MARKETING URBANO NA CIDADE MILÃO p Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio CEUNSP Salto-SP P. 1 1

2 DESIGN E EVENTOS FEIRÍSTICOS: A LÓGICA DO MARKETING URBANO NA CIDADE MILÃO CLAUDIO LIMA FERREIRA Arquiteto pela Universidade Paulista (UNIP), mestre em Urbanismo pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCCAMP) e doutorando do Instituto de Artes - UNICAMP. Coordenador do Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Anhembi Morumbi e professor do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP/Salto). MELISSA RAMOS DA SILVA OLIVEIRA Arquiteta pela UNESP-Bauru, especialista em Patrimônio Arquitetônico Teoria e Projeto pela PUC- Campinas, mestre em Dinâmica Territorial e Análise Ambiental pelo IG/UNICAMP, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Geografia da UNICAMP. Coordenadora e professora dos Cursos de Arquitetura e Urbanismo e Decoração e Design do Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio (CEUNSP/Salto). Resumo Este artigo se propõe a analisar as estratégias de (re)criação ou consolidação da imagem da cidade de Milão como mercadoria, principalmente no que se refere sobre a valorização de espaços urbanos da cidade a partir da apropriação do design e dos eventos feirísticos. A tradição dos eventos feirísticos, cuja importância econômica e comercial prevalece mais de meio século em Milão, associado à imagem de centro do design e da moda, constituem componentes relevantes na (re) construção da identidade territorial milanêsa e nas decisões sobre o planejamento estratégico. A criação do pavilhão Fiera Milano para a realização de feiras faz parte da idéia de evitar que a cidade se torne antiquada e superada, proporcionando a inserção de sua imagem no novo milênio como símbolo de modernidade e inovação urbanística. A alteração no espaço é estratégico para a atração de investimentos e aumento de lucros para os empreendedores e os diversos setores envolvidos. Palavras chave: Design, Milão, eventos feirísticos, Fiera Milano, marketing urbano P

3 DESIGN AND EVENT FAIR: THE LOGIC OF THE URBAN MARKETING IN MILAN Abstract This article analyzes the strategies that produce and consolidate the city of Milan s image as merchandise, mainly in reference to the increase of valorization of the urban spaces through association with event fair and design. The tradition of the event fair, whose economic and commercial importance persist more than fifty years in Milan, associated to the image of design and fashion center, constitutes relevant elements in the reconstruction of Milanese territorial identity and in the decisions of strategic planning. The creation of the Fiera Milano s pavilion as a place of event fair, is one way to prevent that the city becomes "obsolete and surpassed" and then, create a new image as symbol of modernity and urban innovation. So, the space s transformations are strategical to attract investments and increase the profits for the enterprisers and the all involved sectors. Key words: Design, Milão, event fairs, Fiera Milano, urban marketing A atual competição entre as cidades, embasada pela economia global, enfatiza a produção e difusão de imagens que são configuradas para a (re) criação ou consolidação da cidade como mercadoria. As estratégias de alteração dos espaços de Milão, por meio do design e dos eventos feirísticos, são utilizadas com o objetivo de acumular distinção e capital simbólico, por meio de parcerias entre o poder público local e grandes empresas ligadas ao setor de serviços. A produção, difusão e venda da imagem constituem instrumentos da política de marketing urbano consolidado pelos governos urbanos, sobretudo nas últimas décadas. Para a materialização dessas estratégias houve a consolidação da Fiera Milano spa, que é uma fundação i especializada na organização de eventos feirísticos (gerencia as obras/projetos, organiza o uso do espaço, o marketing e os serviços das feiras). Ademais, foi a responsável pelas diretrizes de construção do pavilhão feirístico da Fiera Milano, bem como o gerenciador do projeto para a construção (refuncionalização) de um espaço polifuncional na área da antiga feira, situada no centro da cidade, denominado Fiera Milano City. Além dessas ações, a fundação também expande a sua área de atuação participando como consultora e, principalmente, vendendo a sua marca para espaços feirísticos em outros países, por exemplo o projeto de implementação da Feira Brasil no município de Guarulhos-SP (Brasil), obtendo assim uma renda de monopólio sobre a imagem e marca Fiera Milano. A Fiera Milano spa lidera o mercado de feiras, eventos e congressos na Itália. Na atualidade, a Feira já se constitui como a segunda maior empresa do setor no mundo, com cerca de 44% de seu P

4 capital no mercado. Em média, ocorrem cerca de 70 feiras por ano no Centro de Exposições Fiera Milano, a maioria voltada para operadores profissionais, com 30 mil expositores. Como aconteceu com muitos empreendimentos feirísticos no mundo, a Fundação Fiera Milano estava, na última década, numa condição muito insatisfatória em termos de retorno de lucro. No entanto, nos últimos anos deu uma guinada fazendo uma reviravolta na maneira de trabalhar, passando a não só explorar a locação dos espaços de exposição, mas principalmente os serviços paralelos os eventos. A Feira propicia a obtenção da renda monopolista, por meio do espaço, assim como do patenteamento da marca Fiera Milano. David Harvey (2001, p. 224) considera que para a renda monopolista se materializar, é preciso encontrar algum modo de conservar únicos e particulares as mercadorias ou os lugares mantendo a vantagem monopolista numa economia mercantil e, freqüentemente, muito competitiva. Para manter o monopólio e, conseqüentemente, um poder monopolista sobre produtos e áreas, é necessário adquirir mecanismos de proteção de marcas, símbolos, patentes ou acordo de licenciamento. O mesmo mecanismo tem sido utilizado em relação à mercadoria cidade. Trata-se de uma nova lógica de apropriação e domínio do espaço que se reproduz reordenando e redirecionando a produção e o consumo do espaço. Os principais centros feirísticos internacionais como Madri, Berlim, Lisboa, Londres, Amsterdan, Bruxelas e Barcelona estão acompanhando o desenvolvimento da cidade de Milão, que nos últimos anos está se destacando como a cidade de maior importância para a realização de feiras e eventos. Para esta materialização como pólo feirístico mundial, o poder público local e as corporações financiadoras têm direcionado suas estratégias de planejamento urbano e arquitetônico para a construção de marcos referenciais que possibilitem a visibilidade e difusão da imagem de principal centro feirístico mundial. Na cidade de Milão, condições de oferta de equipamentos e instalações de maior capacidade estão sendo criadas a partir da parceria público-privada que tem investido pesadamente na construção de recintos feirísticos dotados de infra-estrutura e em estratégias de reestruturação urbana com o propósito de gerar diferenciais sobre a melhoria das ofertas de serviços. Na atualidade, existem dois grandes empreendimentos em Milão que propõem alterações no espaço para interesses imobiliários: o pavilhão feirístico Fiera Milano, inaugurado em 2005, e o projeto de refuncionalização da área central onde funcionava antigamente as feiras, denominado Feira Milano City (em projeto), que prevê espaço destinado à exposição, mostras e estudo da moda e do design italiano. As propostas para evitar que a cidade se torne antiquada e superada formam as estratégias usadas para a expansão e reprodução do capital, por meio da incorporação e (re)valorização de áreas. Aplicadas sob o rótulo de recuperação paisagística estas estratégias de valorização são P

5 utilizadas tanto nas áreas degradadas (projeto de refuncionalização Fiera Milano City) como também nas áreas denominadas de vazios urbanos (pavilhão Fiera Milano). O pólo feirístico milanês demonstra a associação do capital imobiliário e do capital financeiro formando conglomerados que atuam na reprodução do espaço, alterando a morfologia e o conteúdo que propiciam novas formas de territorialização na reprodução ampliada do capital. O pavilhão Feirístico Fiera Milano é um caso emblemático desse processo. Sua implementação teve como objetivo evidenciar, na cidade e no país, um espaço expositivo de nível internacional, nos campos urbanísticos, arquitetônicos, através da apropriação e difusão do design, assim, criando um monopólio ou oligopólio capaz de competir com as maiores feiras do mundo. A construção do pavilhão feirístico em Milão iniciou-se a partir da parceria da Prefeitura de Milão com a junta diretiva da Fiera Milano spa, cujo objetivo consistiu na transferência da tradicional sede de exposições feirísticas ii situada a apenas dois quilômetros da Plazza Del Duomo para uma área fora da área central de Milão. O empreendimento, que foi oficialmente inaugurado no dia 31 de março de 2005, teve um investimento de 750 milhões de euros, dos quais, 100 milhões foram destinados à compra do terreno e 650 milhões aos custos de construção. A construção do moderno pavilhão feirístico Fiera Milano tem servido de palco para a exposição dos mais variados serviços e produtos do setor ferial, possibilitando que a cidade consolide sua imagem e adquira potencial competitivo em novos ramos. O pavilhão feirístico milanês (Fiera Milano) está localizado no Distrito de Rho-Pero, situado a oito quilômetros do centro de Milão, entre os principais cruzamentos das redes ferroviárias e rodoviárias e nas proximidades do aeroporto internacional de Malpensa. Para complementar as estratégias de desenvolvimento imobiliário do empreendimento e do entorno foi essencial a construção de uma nova linha de metrô, chamada Rho Fieram, que interliga o pavilhão feirístico ao centro da cidade. Nos períodos de férias de verão, em que o pavilhão fica fechado e na há exposições, essa linha é pouco utilizada, visto que praticamente não há passageiros para esse destino. Assim, as lojas, bares ou serviços localizados nessa estação ficam fechados por falta de público, como demonstra a figura 01. Esse fato demonstra o poder e a importância desse empreendimento, que construiu e implantou uma infra-estrura para ser utilizada apenas em períodos determinados do ano, sem questionar o custo dessa ociosidade temporária. P

6 Figura 01. Metrô Rho Fieram Fiera Milano Foto: Melissa R. S. Oliveira, 2007 Implantado numa área de m 2 (onde anteriormente funcionava a empresa AGIP, refinaria e distribuição de GPL), essa estrutura espacial estratégica alterou o espaço e viabilizou uma logística que possibilitou uma maior fluidez de pessoas, mercadorias e capitais. A localização foi uma condição essencial para que o empreendimento tivesse sucesso, principalmente, para os investidores capitalistas que visam auferir renda monopolista ao local e entorno. Dessa maneira, a construção de um edifício com grandes áreas de exposição proporcionou a alteração do espaço, a valorização de uma área e o aumento do preço da terra. O interesse dos empreendedores imobiliários sobre a valorização da área é evidenciada quando justificam que o complexo feirístico tem uma grande importância urbanística, pois tem como função recuperar uma vasta área abandonada do subúrbio, ocupada durante muitos anos por uma refinaria de petróleo. O arquiteto Massimiliano Fuksas, autor do projeto, declara que esta área deixou de ser apenas periferia para tornar-se paisagem. Essa prática espacial mostra a construção de marcos de distinção para a valorização de áreas, enfatizando o consumo de imagens que garantam a lógica de reprodução ampliada do capital imobiliário, viabilizado pela moda, design e eventos feirísticos. Arquitetonicamente, o novo pavilhão foi construído para ser o marco de distinção do local, ou seja, é difundido como imagem e monumento urbano. Para a realização do projeto arquitetônico e inserção da primeira marca do empreendimento foi contratado Massimiliano Fuksas, um dos mais reconhecidos arquitetos da atualidade. O pavilhão feirístico atraiu grandes investimentos financeiros, comerciais e serviços. Foi concebido com racionalidade e disciplinaridade para o uso mercantil do espaço. Para tal, utilizou tecnologias avançadas e concepções arquitetônicas capazes de possibilitar a configuração de um espaço flexível de alocações de provisões e recursos, adaptáveis ao movimento de circulação de pessoas, ou seja, dinâmica requerida ao processo de (re)produção, acumulação do capital, além de viabilizar uma marca espacial, uma imagem. P

7 O pavilhão feirístico, arquitetonicamente, é considerado um espetáculo a ser visitado pois, além de espaços destinados a exposições, o edifício inclui centros de serviços (sala de imprensa, secretaria lingüística, banco, correio, guarda-malas, farmácia, agência de viagens, centro de fotocópias e fax) e de convenções (nove salas modulares em dois pavimentos e auditório), oito gigantescos pavilhões, 64 salas de reuniões, 20 restaurantes, 57 bares, lanchonetes e cafés. Externamente, há espaço de 60 mil metros quadrados para exibições ao ar livre, estacionamento para mais de 20 mil visitantes, além de garagens especiais (para expositores e caminhões) e heliporto. Ao projeto estão sendo acrescentados dois hotéis, uma galeria comercial com 200 lojas e setores de recreação e cultura. Por enquanto, tudo isso funciona somente nos períodos de eventos feirísticos. Além da marca Fuksas, sobrenome do renomado arquiteto inserida a imagem do empreendimento, também criou-se dois novos símbolos denominados de vulcão e vela (ou véu) os quais tornaram ainda mais singular o pavilhão feirístico. O primeiro é o vulcão, também chamado de Logo, porque seu desenho foi incorporado ao logotipo da feira, sendo formado por uma estrutura de aço e vidro, com 37 metros de altura, conforme pode ser observado na figura 02. O segundo símbolo é uma onda de aço e vidro, de 1,3 metros de extensão e 45,5 mil metros quadrados de superfície, que se desenvolve em formas livres e sinuosas como uma vela ao vento, refletindo as variações de altura das fachadas dos edifícios laterais. A largura de 31,57 metros aumenta para 40,59 metros, nas entradas leste e oeste. A altura, que varia entre 16 e 23 metros, desce em mergulho até o solo, em alguns pontos formando crateras, como se observa na figura 03. Principais símbolos da obra, o vulcão e a vela são deformações plásticas compostas de um complexo sistema de concavidades e convexidades, a qual se contrapõem as linearidades dos pavilhões, criando espaços vazios fluidos que impactam a percepção. Figura 02. Cobertura em forma de vulcão Fiera Milano Foto: Melissa R. S. Oliveira, 2007 P

8 Figura 03. Cobertura em forma de vela Fiera Milano Foto: Melissa R. S. Oliveira, 2007 O vidro e o aço nos revestimentos das fachadas e das grandes aberturas das edificações proporcionam ao ambiente um aspecto dinâmico e cenográfico. O vazio é exaltado pela forma, vertentes anônimas e volumes expressivos. Guy Debord (1997) mostra como a aparência fictícia constrói os limites entre o falso e o verdadeiro, por meio de belos monumentos, onde os indivíduos são meros espectadores unidimensionais, ou seja, um espaço homogeneizado para seu uso com uma arquitetura. As intervenções arquitetônicas e urbanísticas financiadas e implementadas pelo poder público-privado têm um fim específico, o cenográfico, estrategicamente pensado para atrair o olhar e o lucro voltado para a cidade. A estrutura colossal do edifício está embasada na concepção de marco de distinção, usada para consolidar a imagem de Milão como centro do design mundial. A concepção arquitetônica e urbanística concebida pelo pavilhão feirístico milanês, marcado por volumetria inusitada, bem como pelo materiais utilizados, constituíram-se em elementos importantes para a consolidação de uma imagem de singular. Como afirma Guy Debord (1997: 33): o espetáculo é o capital em tal grau de acumulação que se tornou imagem. Assim, a concepção dos espaços das feiras, geradora de sociabilidade, é totalmente simulada e confinada em um novo espaço capaz de acelerar o processo de reprodução do capital. O edifício da Fiera Milano evidencia a inovação e a monumentalidade. Construir marcos de distinção para a difusão e venda de cenários projetados para um espetáculo na cidade, produzido para uma platéia específica e elitizada, tem como objetivo a valorização de áreas e defesa dos interesses de grandes empreendedores em especial os que investem no setor imobiliário. Conclusão A imagem das cidades pode ser estrategicamente (re)criada pelo poder público local, juntamente com corporações, para que promovam desejos de consumo a partir da valorização do P

9 local e, conseqüentemente, gerem altas taxas de lucro para seus investidores, principalmente pela elevação do capital imobiliário. Milão, visando consolidar a imagem de centro da moda e do design, produz e reproduz novos (re)arranjos espaciais, com a logística pautada em uma infra-estrutura urbana eficaz e moderna, com a implementação de um transporte funcional aeroportos, ferrovias e rodovias, para atingir uma cobertura ampla dos fluxos de capital, mercadorias, comunicação e signos. A sinergia dos meios de deslocamento e a consolidação de novos espaços urbanos em Milão estão visando à questão de valorização do espaço e aumento do preço da terra. A consolidação de Milão em cidade-mercadoria vem indicar que o processo de mercantilização do espaço atinge outro patamar, produto do desenvolvimento do mundo da mercadoria, da realização do capitalismo e do processo de globalização. Assim, a cidade de Milão mostra a importância cada vez maior do espaço no capitalismo e, sobretudo, a orientação e estratégia para a conquista do espaço por meio de imagens que são postas em circulação num mercado mundial, evidenciando a produção, o consumo e a competitividade global. BIBLIOGRAFIA ARANTES, O. Urbanismo em fim de linha e outros estudos sobre o colapso da modernização arquitetônica. São Paulo: Edusp, O lugar da arquitetura depois dos modernos. São Paulo: Edusp, Uma estratégia fatal: a cultura nas novas gestões urbanas. In: ARANTES, O.; VAINER, C.B. e MARICATO, E. (orgs.). A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Petrópolis, Vozes, 2000, p BENKO, Georges. Economia, espaço e globalização na aurora do século XXI. 3 a ed. São Paulo: Hucitec/Annablume, BORJA, J. La ciudad mundial. In: MEYER, R. (org.). Memória, encontro, século XXI. São Paulo: Ed. Viva o Centro, 1994, p Politicas para la ciudad europea de hoy. In: DE FORN, M. & BORJA, J. (dirs.). Barcelona y el sistema urbano europeo. Barcelona: Ayuntamiento de Barcelona As cidades e o planejamento estratégico. Uma reflexão européia e latino-americana. In: FISCHER, T. (org.). Gestão contemporânea. Cidades estratégicas e organizações locais. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, BORJA, J. e CASTELLS, M. As cidades como atores políticos. Revista Novos Estudos, São Paulo: Cebrap, n. 45, p , jul Local y global. La gestión de las ciudades en la era de la información. Madrid : United Nations for Human Settlements/Taurus/Pensamiento, DEBORD, G. A sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Contraponto, P

10 FERRARA, L. A. Design em espaços. São Paulo: Rosari, HARVEY, D. Condição Pós-Moderna. 7 a ed. São Paulo: Loyola, Espaços de esperança. São Paulo: Loyola, Do gerenciamento ao empreendedorismo: a transformação da administração urbana no capitalismo tardio. Espaço & Debates, São Paulo, nº 39, 1996, p LASH, S. e URRY, J. Economias de signos y espacio: sobre o capitalismo de la posorganización. Buenos Aires: Amorrortu, OLIVEIRA, F. A metáfora cidade-empresa no planejamento estratégico de cidades. Cadernos IPPUR, Rio de Janeiro, ano XIII, n o 1, 1999, p OURIQUES, H. R. A produção do turismo: fetichismo e dependência. Campinas: Alínea, SÁNCHEZ, F. Cidade espetáculo: política, planejamento e city marketing. Curitiba: Casa da Palavra, A reinvenção das cidades para um mercado mundial Tese (Doutorado em Geografia Humana). DG/FFLCH/USP, São Paulo. SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo. Razão e emoção. São Paulo: Hucitec, SASSEN, S. As cidades na economia mundial. São Paulo: Studio Nobel, VAINER, C. B. Pátria, empresa e mercadoria: notas sobre a estratégia discursiva do planejamento estratégico urbano. In: ARANTES, O.; VAINER, C. B. e MARICATO, E. (orgs.). A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Rio de Janeiro: Vozes, 2000, p Os liberais também fazem planejamento urbano? Glosas ao plano estratégico do Rio de Janeiro. In: ARANTES, O.; VAINER, C. B. e MARICATO, E. (orgs.). A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. Rio de Janeiro: Vozes, 2000, p ZUKIN, Sharon. Paisagens urbanas pós-modernas: mapeando cultura e poder. In: ARANTES, Antonio (org). O espaço da diferença. Campinas: Papirus, 2000, p Sites COSMIT. <URL>: Acesso em 20 out EGIDE. <URL>: Acesso em 20 out IESA. <URL>: Acesso em 20 out i Em todos os documentos analisados a Fiera Milano é citada como uma fundação. Não encontramos dados suficientes sobre a definição de Fundação na Itália para que pudéssemos comparar com a definição no Brasil e principalmente com a definição de empresa. ii O primeiro evento feirístico em Milão data de P

As transformações na paisagem da área central do Rio de Janeiro: o espaço da cidade tornado mercadoria

As transformações na paisagem da área central do Rio de Janeiro: o espaço da cidade tornado mercadoria As transformações na paisagem da área central do Rio de Janeiro: o espaço da cidade tornado mercadoria Horacio Nogueira Pizzolante Graduando em Geografia, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO PAVILHÕES Os edifícios para grandes exposições têm marcado a história da Arquitetura desde 1851, com a construção do Palácio de Cristal, concebido por Joseph Paxton para a primeira Exposição Universal,

Leia mais

Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia.

Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia. Projetos de intervenção urbanística no Centro Velho de São Paulo: estudo sobre seus impactos nos movimentos sociais por moradia. Leianne Theresa Guedes Miranda lannethe@gmail.com Orientadora: Arlete Moysés

Leia mais

Sorocaba - Visão de FUTURO

Sorocaba - Visão de FUTURO Sorocaba - Visão de FUTURO AGENDA A cidade de Sorocaba Sistema de Inovação Parque Tecnológico de Sorocaba Centro de Inovação Oportunidades História da Cidade de Sorocaba Fundada em 1654, pelo capitão Baltazar

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉTICO E CITY MARKETING: A NOVA FACE DAS CIDADES NO FINAL DO SÉCULO XX

PLANEJAMENTO ESTRATÉTICO E CITY MARKETING: A NOVA FACE DAS CIDADES NO FINAL DO SÉCULO XX CAMINHOS DE GEOGRAFIA - REVISTA ON LINE PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA INSTITUTO DE GEOGRAFIA UFU PLANEJAMENTO ESTRATÉTICO E CITY MARKETING: A NOVA FACE DAS CIDADES NO FINAL DO SÉCULO XX Georges

Leia mais

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital

{ 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 2 } Parque Tecnológico Capital Digital { 3 } 1. INTRODUÇÃO: PARQUE TECNOLÓGICO CAPITAL DIGITAL - PTCD Principal polo de desenvolvimento Científico, Tecnológico e de Inovação do Distrito Federal, o PTCD

Leia mais

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA

CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO / NOTURNO PROGRAMA DE DISCIPLINA DISCIPLINA: Legislação urbana e ambiental: Ergonomia Urbana CÓDIGO: URB033 CLASSIFICAÇÃO: G5 PRÉ-REQUISITO: NÃO CARGA HORÁRIA: TÉORICA

Leia mais

itabira diagnóstico e propostas

itabira diagnóstico e propostas itabira diagnóstico e propostas A CVRD foi constituída, em 1942, a partir de ativos minerários existentes, sobretudo as minas de Itabira. Cauê foi a maior mina de minério de ferro do Brasil As operações

Leia mais

Torre Montparnasse: A melhor e imperdível - vista de Paris

Torre Montparnasse: A melhor e imperdível - vista de Paris Torre Montparnasse: A melhor e imperdível - vista de Paris A Torre Montparnasse é o ponto ideal para se admirar Paris e seus mais belos monumentos. Situado na parte central da capital francesa, o arranha-céu

Leia mais

Centro Cultural e de Exposições de Maceió

Centro Cultural e de Exposições de Maceió Centro Cultural e de Exposições de Maceió Descrição Administrar, explorar comercialmente e desenvolver eventos culturais, de lazer e de negócios no Centro Cultural e de Exposições de Maceió, localizado

Leia mais

Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais

Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais Rodolfo Finatti rodolfofinatti@yahoo.com.br FFLCH/USP Palavras-chave: condomínio empresarial, Região

Leia mais

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI

Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Requalificação da Frente Ribeirinha do Concelho de Vila Franca de Xira Polis & Polis XXI Luís Matas de Sousa Director do Projecto de Requalificação Urbana da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira Área

Leia mais

REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS

REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS REVITALIZAÇÕES PORTUÁRIAS NO MUNDO A TRANSFORMAÇÃO DAS CIDADES E A INCORPORAÇÃO DE NOVOS CONCEITOS FRENTE MARÍTIMA ALGUMAS DAS CIDADES MAIS FASCINANTES DO MUNDO, COMO GÊNOVA, LISBOA, LONDRES, BARCELONA,

Leia mais

A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE

A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE A REVITALIZAÇÃO DO CAIS MAUÁ E A PRIVATIZAÇÃO DO ESPAÇO PÚBLICO EM PORTO ALEGRE Meriene Santos de Moraes merienemoraes@yahoo.com.br Mestranda em Geografia, bolsista PET SESu/MEC, UFRGS Pedro Toscan Contassot

Leia mais

Foto Andrés Otero. pavilhão ciccillo matarazzo espaço aberto para a economia criativa

Foto Andrés Otero. pavilhão ciccillo matarazzo espaço aberto para a economia criativa Foto Andrés Otero pavilhão ciccillo matarazzo espaço aberto para a economia criativa São Paulo Fashion Week, 15ª edição, Verão 2003-2004 Foto Andrés Otero Foto Andrés Otero A política de uso do Pavilhão

Leia mais

6º SIMPÓSIO IBERO-AMERICANO DE HISTÓRIA DA CARTOGRAFIA

6º SIMPÓSIO IBERO-AMERICANO DE HISTÓRIA DA CARTOGRAFIA www.6siahc.cl 6º SIMPÓSIO IBERO-AMERICANO DE HISTÓRIA DA CARTOGRAFIA DO MUNDO AO MAPA E DO MAPA AO MUNDO: OBJETOS, ESCALAS E IMAGINÁRIOS DO TERRITÓRIO 19, 2O e 21 DE ABRIL DE 2O16 SANTIAGO, CHILE Imagem:

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL PROJETO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Autores: Claudio Libeskind, Sandra Llovet, Mario Lotfi, David Ruscalleda Nesta cidade, feita de sucessivas adições, de fragmentos, o projeto sobrepõe outros, criando

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL CABO FRIO: TERRAS DAS ÁGUAS Autor: Edvan Isac Santos Filho Cabo Frio e a Concepção Paisagens naturais praianas em tons pastéis que passeiam do branco, bege, ocre e terra das areias, do verde oliva das

Leia mais

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP)

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Mariana Ferreira Cisotto maricisotto@yahoo.com.br IG/UNICAMP Antonio Carlos Vitte IG/UNICAMP Palavras-chave:

Leia mais

Alphamondo (LANÇAMENTO 2013) Rio da Ostras VGV: 160 MM PREVISÃO DE LANÇAMENTO JULHO DE 2013

Alphamondo (LANÇAMENTO 2013) Rio da Ostras VGV: 160 MM PREVISÃO DE LANÇAMENTO JULHO DE 2013 Atuando desde 1986 no mercado da construção, a SINCO desenvolve e aplica em seus empreendimentos engenharia de ponta, com qualidade e pontualidade na entrega desuas obras. Ao longo de todos esses anos,

Leia mais

PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE TRABALHO

PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO DE TRABALHO UNIÃO DE ENSINO E CULTURA DE GUARAPUAVA - UNIGUA FACULDADE GUARAPUAVA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO PERFIL DO CURSO INFORMAÇÕES SOBRE AS ATRIBUIÇÕES DOS ARQUITETOS E URBANISTAS INFORMAÇÕES SOBRE O MERCADO

Leia mais

Os novos empreendimentos comerciais de uma metrópole competitiva

Os novos empreendimentos comerciais de uma metrópole competitiva Os novos empreendimentos comerciais de uma metrópole competitiva Marcelo Pereira Matos Doutorando em Geografia pela UNESP (Rio Claro) e pesquisador do Grupo de Estudos Terciários (GETER) do Departamento

Leia mais

Recreio dos Bandeirantes. Fotos Ilustrativas

Recreio dos Bandeirantes. Fotos Ilustrativas Praia, sol e mar inspirando seus negócios e suas férias. No Heritage você terá um belíssimo cartão postal na sua janela e serviços de primeira classe ao seu alcance. Ande descalço, sinta a leveza do mar,

Leia mais

Concessão de Uso do. Imigrantes. Apresentação do Projeto. Conselho do PEFI

Concessão de Uso do. Imigrantes. Apresentação do Projeto. Conselho do PEFI Governo do Estado de São Paulo Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional Concessão de Uso do Centro de Exposições Imigrantes Apresentação do Projeto Conselho do PEFI SP, 13/09/2012 Agenda

Leia mais

ECO SHOPPING LAGOA DO PERI

ECO SHOPPING LAGOA DO PERI Boletim do Investimento Urbano Sustentável ECO SHOPPING LAGOA DO PERI A agenda estratégica de desenvolvimento sustentável Floripa 2030, constitui um marco para a mudança das formas de uso e ocupação do

Leia mais

LOCALIZAÇÃO. Rua Doutor Pedrosa, 151 EAST BATEL

LOCALIZAÇÃO. Rua Doutor Pedrosa, 151 EAST BATEL LOCALIZAÇÃO Rua Doutor Pedrosa, 151 EAST BATEL FACHADA OPEN SPACE E APARTAMENTOS DE 2 DORMS. 34 A 76M² HOME Informações Gerais 202 unidades. 17 pavimentos. 02 elevadores sociais. 01 elevador de serviço.

Leia mais

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco

Projeto Cidade da Copa : influência na mobilidade da Zona da Mata Norte do Estado de Pernambuco Danilo Corsino de Queiróz Albuquerque¹ Ana Regina Marinho Dantas Barboza da Rocha Serafim² ¹Graduando do 5º Período no Curso de Licenciatura em Geografia pela Universidade de Pernambuco (UPE), E-mail:

Leia mais

L U M E A R Q U I T E T U R A. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento.

L U M E A R Q U I T E T U R A. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento. c a p a Salas de exposições do mezanino. Obras de arte receberam mesmo sistema de iluminação flexível

Leia mais

Principais Fatos e Números

Principais Fatos e Números Principais Fatos e Números BRAZIL Brasil Minas Gerais Região Metropolitana de Classificado como a 6ª maior economia em 2011, esperando chegar à 5ª posição até 2016. 3 ª maior economia dentre os 27 Estados

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS COORDENAÇÃO DO CURSO DE GEOGRAFIA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIAS SÓCIO-ECONÔMICAS E HUMANAS DE ANÁPOLIS COORDENAÇÃO DO CURSO DE GEOGRAFIA 1. EMENTA O processo de urbanização e as redes urbanas. As novas tendências do crescimento urbano. A produção e a (re) produção da cidade e dos espaços urbanos, a estrutura, interna e sua relação com a

Leia mais

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA

PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA PLANO DE ENSINO DE DISCIPLINA CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO Disciplina: Projeto Urbano e Paisagístico I PUP I Carga horária: 80 horas Ano Letivo: 2012 Série: 2ª Série Justificativa da Inclusão da Disciplina

Leia mais

ENSINO DE GEOGRAFIA, CULTURA POPULAR E TEMAS TRANSVERSAIS: uma proposta de transversalidade a partir dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN s)

ENSINO DE GEOGRAFIA, CULTURA POPULAR E TEMAS TRANSVERSAIS: uma proposta de transversalidade a partir dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN s) ENSINO DE GEOGRAFIA, CULTURA POPULAR E TEMAS TRANSVERSAIS: uma proposta de transversalidade a partir dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN s) Kálita Tavares da SILVA 1 ; Estevane de Paula Pontes MENDES

Leia mais

Turismo em Fortaleza: City Marketing e Reestruturação Urbana

Turismo em Fortaleza: City Marketing e Reestruturação Urbana Turismo em Fortaleza: City Marketing e Reestruturação Urbana Autora: Amíria Bezerra Brasil e-mail: amiria@uol.com.br Instituição: Mestrado em Desenvolvimento Urbano (MDU), Universidade Federal de Pernambuco

Leia mais

COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo

COPA. Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo. José Roberto Bernasconi. Presidente Sinaenco São Paulo COPA Morumbi ou Outra Arena? As Marcas de um Novo Estádio na Dinâmica Urbana de São Paulo José Roberto Bernasconi Presidente Sinaenco São Paulo SP/Agosto/ 2010 1 1 Um histórico Os dois principais estádios

Leia mais

FER IA IBEROAMERI C A N A DE GA S T R O N O M Í A

FER IA IBEROAMERI C A N A DE GA S T R O N O M Í A 17,18,19 DE NOVIEMBRE 2015 APRESENTAÇÃO DE FIBEGA A oferta cultural iberoamericana, que tantas manifestações artísticas abarca, deve incluir, também, a gastronomia, tanto em sua vertente criativa como

Leia mais

A transformação espacial da Zona Portuária do Rio de Janeiro: o projeto Porto Maravilha como instrumento de segregação espacial

A transformação espacial da Zona Portuária do Rio de Janeiro: o projeto Porto Maravilha como instrumento de segregação espacial A transformação espacial da Zona Portuária do Rio de Janeiro: o projeto Porto Maravilha como instrumento de segregação espacial Mayara Rangel Silva Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro mayara.mrangel@gmail.com

Leia mais

CÓDIGO NOME (T-P) Cr. GCC854 Espaço Urbano Regional:Teorias e Reflexões 4 (60 horas)

CÓDIGO NOME (T-P) Cr. GCC854 Espaço Urbano Regional:Teorias e Reflexões 4 (60 horas) Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Naturais e Exatas Programa de Pós-Graduação em Geografia IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: CÓDIGO NOME (T-P) Cr GCC854 Espaço Urbano

Leia mais

L B O C A L I Z A R ÇÃO A S I L

L B O C A L I Z A R ÇÃO A S I L L O C A L I Z A Ç Ã O BRASIL L O C A L I Z A Ç Ã O B R A S I L B R A S I L NOVA REALIDADE 6º PIB DO MUNDO 5ª MAIOR ECONOMIA EM 2015 OLIMPÍADAS E COPA DO MUNDO U M P A Í S EM DESTAQUE SANTA CATARINA L O

Leia mais

REVITALIZAÇÃO URBANA NO PROCESSO DE PLANEJAMENTO LOCAL PRESIDENTE PRUDENTE E A CENTRALIDADE URBANA

REVITALIZAÇÃO URBANA NO PROCESSO DE PLANEJAMENTO LOCAL PRESIDENTE PRUDENTE E A CENTRALIDADE URBANA Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 292 REVITALIZAÇÃO URBANA NO PROCESSO DE PLANEJAMENTO LOCAL PRESIDENTE PRUDENTE E A CENTRALIDADE URBANA Laís Motta

Leia mais

CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO

CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO CATEGORIA PRODUTOS E LANÇAMENTOS IMOBILIÁRIOS DO ANO EMPREENDIMENTOS DE PEQUENO PORTE 01 APRESENTAÇÃO MELNICK EVEN DA EMPRESA APRESENTAÇÃO DA EMPRESA A Melnick Even, com 20 anos de atuação no mercado gaúcho

Leia mais

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios

São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios São Paulo: múltiplas oportunidades que impulsionam seus negócios A importância da economia paulista transcende as fronteiras brasileiras. O Estado é uma das regiões mais desenvolvidas de toda a América

Leia mais

nada é referência por acaso. corporate&offices

nada é referência por acaso. corporate&offices lançamento Um produto Melnick Even corporate&offices nada é referência por acaso. A Melnick Even usou toda sua expertise para trazer à rua Anita Garibaldi um empreendimento comercial pensado cuidadosamente

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta 02 Critérios específicos 03 Condições Gerais 05 Zonas de Proteção Específica 1 Uma tabuleta por estabelecimento e não ser colocada acima do piso térreo;

Leia mais

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados)

Plano de Negócio. MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) Plano de Negócio MATERIAL PARA TREINAMENTO (Dados e informações poderão ser alterados) O Projeto 04 Cenário Econômico A Demanda Concorrência Estratégia Comercial Operação Rentabilidade O Empreendedor 06

Leia mais

Palácio da Inconfidência: Projeto original perspectiva externa. Palácio da Inconfidência: croqui sistema estrutural Fonte: Revista Acrópole nº 283

Palácio da Inconfidência: Projeto original perspectiva externa. Palácio da Inconfidência: croqui sistema estrutural Fonte: Revista Acrópole nº 283 O grande hall interno pretendia dar continuidade à praça externa para o visitante que seguia para o plenário. No memorial do projeto publicado pela Revista Acrópole nº 283, os arquitetos afirmaram que

Leia mais

DISPUTAS TERRITORIAIS ENTRE DIFERENTES ATORES SOCIAIS E A REESTRUTURAÇÃO URBANA. O CASO DA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO 1

DISPUTAS TERRITORIAIS ENTRE DIFERENTES ATORES SOCIAIS E A REESTRUTURAÇÃO URBANA. O CASO DA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO 1 DISPUTAS TERRITORIAIS ENTRE DIFERENTES ATORES SOCIAIS E A REESTRUTURAÇÃO URBANA. O CASO DA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO 1 Universidade Federal do Rio de Janeiro brunopereira.ufrj@gmail.com Bruno Pereira

Leia mais

A MODERNIDADE ESQUECIDA: Marcelo Saldanha Sutil 1. dossiê ART DÉCO

A MODERNIDADE ESQUECIDA: Marcelo Saldanha Sutil 1. dossiê ART DÉCO dossiê ART DÉCO A MODERNIDADE ESQUECIDA: O art déco em Curitiba Marcelo Saldanha Sutil 1 Modernidade era a palavra de ordem para aqueles que viveram as décadas de 20 e 30 do século passado. Sozinho, o

Leia mais

PLANO DE CURSO I EMENTA

PLANO DE CURSO I EMENTA Disciplina: Geografia Regional do Mundo I Carga horária total: 90H PLANO DE CURSO I EMENTA Formas de agrupamento dos países segundo a lógica econômica; Globalização e geopolítica internacional; Questões

Leia mais

GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS

GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS 1960 01 GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS HISTÓRIA 02 O edifício Metrópole e Centro Metropolitano de Compras, projetado pelos arquitetos Salvador Candia e Gian Carlo Gasperini, é um importante

Leia mais

O MUSEU HISTÓRICO E A MEMÓRIA DA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE.

O MUSEU HISTÓRICO E A MEMÓRIA DA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE. O MUSEU HISTÓRICO E A MEMÓRIA DA CIDADE DE PRESIDENTE PRUDENTE. 68 Hélio Hirao Arquiteto e Mestre em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo USP. Doutorando em Geografia Urbana

Leia mais

GERAL. Porto Olímpico

GERAL. Porto Olímpico Porto Olímpico projeto O Porto Maravilha e o Porto Olímpico N Porto Olímpico aprox. 145.000m2 de área Porto Maravilha aprox. 5.000.000m2 de área aprox. 100.000m2 aprox. 45.000m2 Porquê o Porto? Porquê

Leia mais

CASTRIOTA, L.B. Patrimônio Cultural. Conceitos, políticas, instrumentos. São Paulo: Annablume; Belo Horizonte: IEDS, 2009.

CASTRIOTA, L.B. Patrimônio Cultural. Conceitos, políticas, instrumentos. São Paulo: Annablume; Belo Horizonte: IEDS, 2009. INVENTÁRIO DE BENS CULTURAIS DE RIBEIRÃO PRETO SP Henrique Telles Vichnewski 1 Lílian Rodrigues de O. Rosa 2 Nainôra Maria B. de Freitas 3 O Inventário de Bens Culturais de Ribeirão Preto faz parte do

Leia mais

A Nova Velha Praça do Ferreira: signo da requalificação do Centro de Fortaleza.

A Nova Velha Praça do Ferreira: signo da requalificação do Centro de Fortaleza. A Nova Velha Praça do Ferreira: signo da requalificação do Centro de Fortaleza. Ricardo Alexandre Paiva FAUUSP-DAUUFC paiva_ricardo@yahoo.com.br O objeto de estudo do presente trabalho é uma análise do

Leia mais

Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global

Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global Rede de Áreas Protegidas, Turismo e Inclusão Social: de uma perspectiva da América do Sul para uma perspectiva global (texto extraído da publicação IRVING, M.A.; BOTELHO, E.S.; SANCHO, A.; MORAES, E &

Leia mais

Aimplementação da estratégia Caminhos da Bahia fundamenta-se no aporte de infraestrutura

Aimplementação da estratégia Caminhos da Bahia fundamenta-se no aporte de infraestrutura PPA 2004-2007 Caminhos da Bahia: Infra-estrutura e Logística Aimplementação da estratégia Caminhos da Bahia fundamenta-se no aporte de infraestrutura nas áreas de transportes e energia, com o objetivo

Leia mais

Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007

Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007 Anexo 1.50 Museu Aberto da Ferrovia Paranapiacaba 2007 1. EDIFÍCIO HISTÓRICO Endereço: acesso pela rodovia SP 122 Ribeirão Pires Paranapiacaba, Santo André SP, Brasil. Autoria: a vila foi construída pela

Leia mais

Terceira Ponte Lago Sul - Brasília/DF

Terceira Ponte Lago Sul - Brasília/DF Terceira Ponte Lago Sul - Brasília/DF Alexandre Chan - arquiteto e urbanista A Cidade e a Circulação Trinta e oito anos depois de sua inauguração, Brasília ultrapassou todas as expectativas para seu desenvolvimento.

Leia mais

Ano. p. 69-80 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 P. 1. Patrícia Ceroni SCARABELLI. Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD

Ano. p. 69-80 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 P. 1. Patrícia Ceroni SCARABELLI. Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD Ano 01 Patrícia Ceroni SCARABELLI n. 01 ACESSIBILIDADE ATUAÇÃO PROFISSIONAL E NBR 9050 p. 69-80 Instituto de Engenharia Arquitetura e Design INSEAD Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio CEUNSP

Leia mais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS NA ZONA OESTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PARA COPA DO MUNDO EM 2014 E AS OLIMPÍADAS DE 2016 Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino

Leia mais

Associação Nacional de História ANPUH XXIV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA - 2007

Associação Nacional de História ANPUH XXIV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA - 2007 Associação Nacional de História ANPUH XXIV SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA - 2007 A Lógica Mercantil do Planejamento Estratégico de Cidades Maria Lúcia Duriguetto 1 Resumo O presente trabalho coloca em discussão

Leia mais

BMW Welt Munique. Dados e fatos

BMW Welt Munique. Dados e fatos BMW Welt Munique BMW Welt Munique A BMW Welt no norte de Munique é uma obra-prima da arquitetura inovadora. Desde outubro de 2007 ela serve de palco multifuncional para todos os tipos de eventos: concertos,

Leia mais

PAISAGEM URBANA DE DUBAI: PRODUTO DE UMA GOVERNANÇA PARA O CONSUMO

PAISAGEM URBANA DE DUBAI: PRODUTO DE UMA GOVERNANÇA PARA O CONSUMO Revista Geográfica de América Central Número Especial EGAL, 2011- Costa Rica II Semestre 2011 pp. 1-10 PAISAGEM URBANA DE DUBAI: PRODUTO DE UMA GOVERNANÇA PARA O CONSUMO Resumo 1 A paisagem urbana materializa

Leia mais

Todo mundo vai passar aqui. EMARKI CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.

Todo mundo vai passar aqui. EMARKI CONSTRUÇÃO E INCORPORAÇÃO - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS. Todo mundo vai passar aqui. 3 Todo mundo vai te ver aqui. Mais de 150 lojas. A maior vitrine de Brasília. 4 5 No coração de Águas Claras O Vitrinni Shopping está localizado na única quadra inteira ainda

Leia mais

Está nascendo o empreendimento que vai mudar a paisagem da hotelaria e do turismo de negócios em Minas Gerais.

Está nascendo o empreendimento que vai mudar a paisagem da hotelaria e do turismo de negócios em Minas Gerais. Está nascendo o empreendimento que vai mudar a paisagem da hotelaria e do turismo de negócios em Minas Gerais. A economia de Belo Horizonte se destaca entre as principais cidades brasileiras. É um capítulo

Leia mais

O Corporate feito na medida certa para os dias de hoje: moderno, eficiente e econômico, como as empresas mais competitivas.

O Corporate feito na medida certa para os dias de hoje: moderno, eficiente e econômico, como as empresas mais competitivas. HD873 CORPORATE O Corporate feito na medida certa para os dias de hoje: moderno, eficiente e econômico, como as empresas mais competitivas. HD873 CORPORATE Todo empresário sabe como é importante a escolha

Leia mais

XIX Workshop Anprotec

XIX Workshop Anprotec XIX Workshop Anprotec $ustentabilidade dos Parques Tecnológicos: Sustentabilidade financeira e competitividade do território 24 e 25 de outubro de 2011 Porto Alegre/RS Parque Tecnológico São José dos Campos

Leia mais

COORDENAÇÃO Lorí Crízel

COORDENAÇÃO Lorí Crízel COORDENAÇÃO Lorí Crízel Arquiteto e Urbanista graduado pela Universidade Católica RS; Mestre em Conforto Ambiental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ; Professor Substituto do Curso de Arquitetura

Leia mais

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO

XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO XIII Encontro de Iniciação Científica IX Mostra de Pós-graduação 06 a 11 de outubro de 2008 BIODIVERSIDADE TECNOLOGIA DESENVOLVIMENTO MPH0813 PLANO NACIONAL DE TURISMO: UM CAMINHO PARA A BUSCA DO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Reforma, revitalização e modernização do prédio, instalações e equipamentos e restauração de detalhes arquitetônicos e obras de arte.

Reforma, revitalização e modernização do prédio, instalações e equipamentos e restauração de detalhes arquitetônicos e obras de arte. RETRO, do latim: movimentar-se para trás; FIT, do inglês: adaptação, ajuste. Valorização de velhos edifícios, a fim de aumentar sua vida útil, através da incorporação de avançadas tecnologias em sistemas

Leia mais

BMW Welt Munique Divisões fluidas de ambientes em vários níveis

BMW Welt Munique Divisões fluidas de ambientes em vários níveis BMW Welt Munique BMW Welt Munique A BMW Welt no norte de Munique é uma obra-prima da arquitetura inovadora. Desde outubro de 2007 ela serve de palco multifuncional para todos os tipos de eventos: concertos,

Leia mais

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE

INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 244 INCLUSÃO DE HABITAÇÕES SOCIAIS PARA REQUALIFICAÇÃO DA ÁREA CENTRAL DE PRESIDENTE PRUDENTE João Victor de Souza

Leia mais

CADERNO DE CAMPO (GRUPO 13) DO IDEAL À REALIDADE EM TRANSFORMAÇÃO CONSIDERAÇÕES SOBRE A TRAJETÓRIA URBANO-ESTRUTURAL DO DISTRITO FEDERAL

CADERNO DE CAMPO (GRUPO 13) DO IDEAL À REALIDADE EM TRANSFORMAÇÃO CONSIDERAÇÕES SOBRE A TRAJETÓRIA URBANO-ESTRUTURAL DO DISTRITO FEDERAL UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE FILOSOFIA, LETRAS E CIÊNCIAS HUMANAS DEPARTAMENTO DE GEOGRAFIA FLG0435 - TRABALHO DE CAMPO EM GEOGRAFIA I PROF. DR. TARIK REZENDE DE AZEVEDO CADERNO DE CAMPO (GRUPO

Leia mais

PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA E PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BRASIL CONTEMPORÂNEO: UMA INTERPRETAÇÃO A PARTIR DA IMPRENSA ESPECIALIZADA

PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA E PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BRASIL CONTEMPORÂNEO: UMA INTERPRETAÇÃO A PARTIR DA IMPRENSA ESPECIALIZADA Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 492 PRODUÇÃO IMOBILIÁRIA E PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO NO BRASIL CONTEMPORÂNEO: UMA INTERPRETAÇÃO A PARTIR DA IMPRENSA

Leia mais

quem somos ...otimiza o ambiente de trabalho, adapta as diversas possibilidades do empreendimento... Solução completa para espaços corporativos.

quem somos ...otimiza o ambiente de trabalho, adapta as diversas possibilidades do empreendimento... Solução completa para espaços corporativos. 2006/2009 quem somos Solução completa para espaços corporativos. A Std Office traz toda expertise do Grupo Stadia, com novas tecnologias, aplicada a arquitetura e engenharia otimiza o ambiente de trabalho,

Leia mais

Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO

Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO Capítulo 3 CONDOMÍNIOS-CLUBE NA CIDADE DE SÃO PAULO Vista da Rua Schilling, no ano de 1981 Fonte : Júnior Manuel Lobo Fonte:Vila Hamburguesa sub-distrito da Lapa município da capital de São Paulo Vila

Leia mais

Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo

Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo Mercado Municipal do Estado de Sa o Paulo O Mercado Municipal de São Paulo é uma construção histórica localizada na região central da capital. Obra projetada pelo arquiteto Franscisco de Paula Ramos de

Leia mais

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia)

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia) MUSEU DO CARRO ELÉTRICO Inaugurado em 1992, o Museu do Carro Elétrico nasceu da dedicação e voluntarismo de um pequeno grupo de entusiastas e apaixonados por este meio de transporte coletivo, impulsionados

Leia mais

A menor distância entre você mil consumidores

A menor distância entre você mil consumidores A menor distância entre você e 200 mil consumidores O privilégio de estar localizado no melhor pontode Cotia! Entrada da Cidade Av. Antônio Mathias de Camargo São Roque Itapevi Barueri Jandira Carapicuíba

Leia mais

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA

ESPELHO DE EMENDA INICIATIVA SISTEMA DE ELABORAÇÃO DE S ÀS LEIS ORÇAMENTÁRIAS ESPELHO DE 001 - Construção do Contorno Ferroviário de Curitiba AUTOR DA Luciano Ducci 37050001 539 0141 - Promover a expansão da malha ferroviária federal

Leia mais

RENEX SOUTH AMERICA 2014

RENEX SOUTH AMERICA 2014 RENEX SOUTH AMERICA 2014 O mercado sul-americano de energia renovável em um só lugar 26a 28 Novembro 2014 Porto Alegre - 14h às 20h no Centro de Eventos FIERGS Entre em contato e acompanhe a RENEX pelas

Leia mais

Internacional. Singular geometria

Internacional. Singular geometria Internacional Singular geometria Escultórica e geometricamente complexa, a Casa da Música, criação do arquiteto holandês Rem Koolhaas, torna-se o mais novo edifício-ícone de Portugal. Criticada por sua

Leia mais

DECLARACÃO DO CONGRESSO INTERNACIONAL DE REITORES LATINO-AMERICANOS E CARIBENHOS O COMPROMISSO SOCIAL DAS UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA E CARIBE

DECLARACÃO DO CONGRESSO INTERNACIONAL DE REITORES LATINO-AMERICANOS E CARIBENHOS O COMPROMISSO SOCIAL DAS UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA E CARIBE DECLARACÃO DO CONGRESSO INTERNACIONAL DE REITORES LATINO-AMERICANOS E CARIBENHOS O COMPROMISSO SOCIAL DAS UNIVERSIDADES DA AMÉRICA LATINA E CARIBE UFMG, BELO HORIZONTE, BRASIL 16 a 19 de setembro de 2007.

Leia mais

ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar

ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar ARTE E ARQUITETURA: desenhos do lugar Maria Luiza Fatorelli (Malu Fatorelli) - UERJ RESUMO O artigo examina a questão da escala e da dimensão consideradas no âmbito de obras artísticas da autora. Escala

Leia mais

Palestra proferida durante a mesa de abertura da Mostra de Arquitetura e Urbanismo 18 de outubro de 2014 Cidade neoliberal Profa.

Palestra proferida durante a mesa de abertura da Mostra de Arquitetura e Urbanismo 18 de outubro de 2014 Cidade neoliberal Profa. Palestra proferida durante a mesa de abertura da Mostra de Arquitetura e Urbanismo 18 de outubro de 2014 Cidade neoliberal Profa. Clarice Cassab Pensar Juiz de Fora no contexto das cidades neoliberais

Leia mais

A decorecom é uma versão ampliada do salão design+decoração, acrescentando o segmento de acabamento à proposta do evento anterior.

A decorecom é uma versão ampliada do salão design+decoração, acrescentando o segmento de acabamento à proposta do evento anterior. A COM EVENTOS organizou o salão design+decoração, que aconteceu de 7 a 11 de abril, no Expo Unimed (Universidade Positivo). O evento contou com cerca de 50 expositores de lojas do setor da decoração com

Leia mais

PRODUÇÃO DO ESPAÇO E A VERTICALIZAÇÃO EM PONTA NEGRA, NATAL-RN

PRODUÇÃO DO ESPAÇO E A VERTICALIZAÇÃO EM PONTA NEGRA, NATAL-RN Mariana de Vasconcelos Pinheiro¹ Márcio Moraes Valença (Orientador da Pesquisa)² ¹UFRN - marianavasconcelos@globo.com ²UFRN marciovalenca@ufrnet.br PRODUÇÃO DO ESPAÇO E A VERTICALIZAÇÃO EM PONTA NEGRA,

Leia mais

A VIOLÊNCIA DA NOTÍCIA NA GLOBALIZAÇÃO: AS AGÊNCIAS TRANSNACIONAIS E O COMANDO DOS CÍRCULOS DE INFORMAÇÕES

A VIOLÊNCIA DA NOTÍCIA NA GLOBALIZAÇÃO: AS AGÊNCIAS TRANSNACIONAIS E O COMANDO DOS CÍRCULOS DE INFORMAÇÕES A VIOLÊNCIA DA NOTÍCIA NA GLOBALIZAÇÃO: AS AGÊNCIAS TRANSNACIONAIS E O COMANDO DOS CÍRCULOS DE INFORMAÇÕES André B. Pasti AGB-Campinas pasti@cotuca.unicamp.br INTRODUÇÃO No atual período da globalização

Leia mais

Hevelyn Baer Villar_ Trabajo Final de Graduação Interdisciplinar

Hevelyn Baer Villar_ Trabajo Final de Graduação Interdisciplinar Trabalho Final de Graduação Interdisciplinar Centro Cultural Maembipe O projeto foi indicado pela Universidade Estadual de Londrina para participar no concurso Ópera Prima de projetos de Fim de Graduação.

Leia mais

SAPIENS PARQUE PARQUE DE INOVAÇÃO. Pilares SAPIENS. Clusters SAPIENS. Atores SAPIENS. Estrutura SAPIENS

SAPIENS PARQUE PARQUE DE INOVAÇÃO. Pilares SAPIENS. Clusters SAPIENS. Atores SAPIENS. Estrutura SAPIENS PARQUE DE INOVAÇÃO Pilares SAPIENS SAPIENS PARQUE Clusters SAPIENS Scientia - Unidades acadêmicas e de P&D voltadas para a geração de conhecimentos científicos e tecnológicos avançados. Tecnologia - Empresas

Leia mais

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA. Élcio Aloisio FRAGOSO 1

O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA. Élcio Aloisio FRAGOSO 1 1 O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO: UM EMBATE ENTRE O ATUAL E A MEMÓRIA Élcio Aloisio FRAGOSO 1 Resumo O novo acordo ortográfico já rendeu uma série de discussões sob pontos de vistas bem distintos. O acordo

Leia mais

Palavras-chave: design de interiores; perímetros da profissão; modernidade líquida; design de ambientes.

Palavras-chave: design de interiores; perímetros da profissão; modernidade líquida; design de ambientes. Além dos limites do Design de Interiores CARVALHO a, Maria Luiza de Ulhôa; BADAN a, Rosane; REZENDE a, Wagner Palavras-chave: design de interiores; perímetros da profissão; modernidade líquida; design

Leia mais

Projeto devolverá área nobre da cidade aos gaúchos

Projeto devolverá área nobre da cidade aos gaúchos PRESS RELEASE Agosto/2015 Projeto devolverá área nobre da cidade aos gaúchos Um dos mais belos pontos turísticos de Porto Alegre terá sua área totalmente revitalizada e integrada às atividades diárias

Leia mais

Trens turísticos e o patrimônio cultural. Roberta Abalen Dias

Trens turísticos e o patrimônio cultural. Roberta Abalen Dias Trens turísticos e o patrimônio cultural Roberta Abalen Dias Atualmente o Turismo é considerado uma atividade de grande importância econômica, responsável por geração de emprego e renda. Tal atividade

Leia mais

GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação

GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação GESTÃO TERRITORIAL DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE TERRITÓRIOS a REGIÃO como espaço de atuação e inovação Nova condição territorial Na era da integração econômica regional e global, situações locais são

Leia mais

Segundo semestre de 2013: segundas e terças-feiras das 14h às 18h no Estúdio 4

Segundo semestre de 2013: segundas e terças-feiras das 14h às 18h no Estúdio 4 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DEPARTAMENTO DE PROJETO GRUPO DE DISCIPLINAS DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES AUP 0154 - ARQUITETURA - PROJETO 4 Segundo semestre de 2013: segundas

Leia mais

comunicação visual para a

comunicação visual para a projetos de design e comunicação visual para a cidade contemporânea solange de oliveira patrícia a. nascimento sheila nicolini neto orgel ramos júnior estudo de casos Parque das Nações (Lisboa); Estação

Leia mais

Educação Patrimonial / Turismo Subprefeitura de Parelheiros

Educação Patrimonial / Turismo Subprefeitura de Parelheiros Educação Patrimonial / Turismo Subprefeitura de Parelheiros Bens preservados em destaque: A. Igreja e Cemitério de Parelheiros B. Igreja e Cemitério de Colônia C. Vila e Estação Ferroviária Evangelista

Leia mais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais

COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil. Ações do Governo de Minas Gerais COPA DO MUNDO FIFA 2014 Belo Horizonte Brasil Ações do Governo de Minas Gerais 27 de Outubro de 2009 Roteiro Estratégia de Execução Modernização do Mineirão Reforma dos Estádios Alternativos Mobilidade

Leia mais

Lançamento. I n f o r m a ç õ e s : 3893.0000 www.tradepenhaoffice.com.br. R e a l i z a ç ã o e i n c o r p o r a ç ã o :

Lançamento. I n f o r m a ç õ e s : 3893.0000 www.tradepenhaoffice.com.br. R e a l i z a ç ã o e i n c o r p o r a ç ã o : Lançamento I n f o r m a ç õ e s : 3893.0000 www.tradepenhaoffice.com.br R e a l i z a ç ã o e i n c o r p o r a ç ã o : c o n s t r u ç ã o : F I N A N C I A M E N T O : v e n d a s : Central de Atendimento:

Leia mais

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E O DIREITO À CIDADE EM SÃO CAETANO DO SUL SP: LIMITES E POSSIBILIDADES

A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E O DIREITO À CIDADE EM SÃO CAETANO DO SUL SP: LIMITES E POSSIBILIDADES A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO E O DIREITO À CIDADE EM SÃO CAETANO DO SUL SP: LIMITES E POSSIBILIDADES Eduardo Donizeti Girotto 1 David Augusto Santos 2 Eixo temático: O CAMPO E A CIDADE RESUMO: A cidade

Leia mais