UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2013 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2010-2012 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO"

Transcrição

1 PAVILHÕES Os edifícios para grandes exposições têm marcado a história da Arquitetura desde 1851, com a construção do Palácio de Cristal, concebido por Joseph Paxton para a primeira Exposição Universal, em Londres [Fig.01]. Na verdade, com esse palácio, prenunciavam-se as majestosas obras envidraçadas do século XX. Fig. 01: Palácio de Cristal, Londres, Joseph Paxton. Os edifícios construídos para abrigar grandes exposições, recorrentemente chamados de pavilhões, devido às suas dimensões, marcam a paisagem e, geralmente, são concebidos como verdadeiros símbolos arquitetônicos. Na história da Arquitetura brasileira, destacam-se, por exemplo, o pavilhão projetado com formas livres por Lúcio Costa e Oscar Niemeyer, para a Feira Internacional de Nova York (1939). (Figs. 02 e 03). Fig. 02: Pavilhão brasileiro para Feira Internacional de Nova York, Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Fig. 03: Croqui do pavilhão brasileiro para Feira Internacional de Nova York, Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. 3

2 4

3 Outro projeto é o pavilhão para a Expo Osaka (1970), de Paulo Mendes da Rocha, projetado como uma caixa bruta de concreto armado com vãos de até 30m (Figs. 07 e 08). Fig. 07: Pavilhão de Osaka, 1970 Paulo Mendes da Rocha. Fig. 08: Croqui do Pavilhão de Osaka, Paulo Mendes da Rocha. Esses quatro pavilhões tiveram como características comuns a integração com a paisagem, a busca pela leveza das formas e a liberdade espacial. Embora as grandes feiras internacionais tenham feito sucesso, elas tornaram-se obsoletas. Pode-se também verificar que as exposições universais foram se transformando e se decompondo em outras feiras de caráter e de temas mais específicos, tais como as Feiras de Milão, as Feiras Internacionais de Informática, os Salões do Automóvel, as Feiras Alimentícias, as Feiras Industriais, etc. No entanto, ainda nos dias de hoje, os projetos para grandes feiras continuam sendo construídos. Esses espaços agora são projetados para atender a uma variedade de eventos, como realizações de exposições diversas, feiras e convenções, tendo quase sempre como premissas a flexibilidade e a multifuncionalidade. Um exemplo brasileiro é o Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais (Expominas), edificado em Belo Horizonte, projetado por Gustavo Penna, em 2006 (Figs. 09, 10 e 11). De acordo com as informações contidas no website do escritório do arquiteto, o projeto é assim descrito: A visão do Centro para quem chega pela frente da Avenida Amazonas é monumental e alegre. Na grande extensão plana, abre-se um portal na escala do conjunto que marca a sua entrada nobre, o eixo principal dos percursos. Tudo contribui para se criar um clima de festa e de amplidão. As claraboias de iluminação e ventilação dos pavilhões, em ritmo, atraem o olhar para o corpo principal do edifício e fazem o jogo lúdico das formas. Em todas as partes, observa-se a elegância e simplicidade de modo a assegurar aos empreendimentos rapidez de execução e baixo custo, sem a perda de valores plásticos e simbólicos exigidos para um espaço que sintetiza a cultura, a tecnologia e a economia do nosso Estado. Daí utilizamos uma estética industrial com coberturas metálicas em vãos de 25 metros e o fechamento lateral com telhas termoacústicas. É uma imagem tecnológica, vibrante, contemporânea e em harmonia volumétrica com os edifícios existentes. A versatilidade é a característica principal deste Centro. São três pavilhões de dimensões variáveis autônomos e com possibilidade de interligações através de grandes portas acústicas corrediças, modulados de forma a permitir diferentes arranjos das feiras. 5

4 A galeria de acesso tem a forma de varanda aberta, com 15 metros de vão e se presta a múltiplas funções. Junto à galeria, em nível inferior, foram localizados os auditórios e as salas de reuniões de apoio às exposições. O resultado é um conjunto urbanístico-arquitetônico digno e eficiente, harmonizado com preservação e valorização dos edifícios históricos do Parque, dentro de modernos conceitos de revitalização urbana para se configurar num marco da vocação mineira como polo nacional de exposições e eventos e constituir instrumentos eficazes de promoção e desenvolvimento de negócios. Disponível em: < Acesso em: 5 nov Fig. 9: Croqui do Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais, Belo Horizonte, Gustavo Penna. Fig. 10: Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais, Belo Horizonte, Gustavo Penna. Fig. 11: Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais, Belo Horizonte, Gustavo Penna. 6

5 FONTES DAS IMAGENS: Fig. 01: Palácio de Cristal, Londres, Joseph Paxton. Disponível em: < Acesso em: 1 nov Fig. 02: Pavilhão Brasileiro para Feira Internacional de Nova York, Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Disponível em: < Acesso em: 1 mar Fig. 03: Croqui do Pavilhão Brasileiro para Feira Internacional de Nova York, Lúcio Costa e Oscar Niemeyer. Disponível em: < Acesso em 1 mar Fig. 04: Pavilhão Brasileiro para a Exposição Universal de Bruxelas, Sérgio Bernardes. Disponível em: < Acesso em: 2 nov Fig. 05: Croqui do pavilhão Brasileiro para a Exposição Universal de Bruxelas, Sérgio Bernardes. Disponível em: < Acesso em: 2 nov Fig. 06: Pavilhão de São Cristóvão, Rio de Janeiro, Sérgio Bernardes. Disponível em: < Acesso em: 4 nov Fig. 07: Pavilhão de Osaka, Paulo Mendes da Rocha. Fonte: Revista Acrópole, São Paulo, n. 372, p. 27, Fig. 08: Croqui do Pavilhão de Osaka, Paulo Mendes da Rocha. Fonte: ARTIGAS, Rosa. Paulo Mendes da Rocha. São Paulo: Cosac & Naify, p. 79. Fig. 9: Croqui do Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais, Belo Horizonte, Gustavo Penna. Disponível em: < Acesso em: 5 nov Fig. 10: Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais, Belo Horizonte, Gustavo Penna. Disponível em: < Acesso em: 5 nov Fig. 11: Centro de Feiras e Exposições de Minas Gerais, Belo Horizonte, Gustavo Penna. Disponível em: < Acesso em: 5 nov

6 QUESTÕES DA PROVA Com base no texto e nas imagens apresentadas nas páginas anteriores, elabore um Pavilhão de Exposições concebido para abrigar uma ampla variedade de eventos de grande porte e público. Nesse pavilhão multifuncional, ocorrerão feiras de negócios, convenções empresariais, shows internacionais e mostras industriais. Para a realização desta prova, conceba este Pavilhão de Exposições abrigando um Salão de Automóveis. O espaço deverá ter capacidade para expor, aproximadamente, 20 carros de passeio, 15 caminhões e 10 ônibus. Utilize como referência espacial os modelos de veículos que acompanham esta prova. O terreno é plano e o perfil deste Pavilhão de Exposições deverá surgir como um marco na paisagem do lugar. Sua concepção deverá ser representada nesta prova por 3 produtos: 1 (1ª questão) Montagem de uma miniatura com os materiais disponíveis. Os materiais disponíveis são: base de borracha, cartão rígido, papel transparente, tesoura, fita crepe, tecido, palitos e barbante. Os modelos de veículos poderão facilitar o dimensionamento do ambiente concebido. 2 (2ª questão) Desenhos que representem os ambientes interiores e exteriores. Represente seus desenhos em até duas páginas de papel A4 disponíveis. Esses desenhos podem ser acompanhados de anotações por escrito. Os desenhos podem ser desenvolvidos com lápis e/ou caneta esferográfica de cor azul ou preta, de corpo transparente. 3 (3ª questão) Relato textual da sua concepção. Esse relato pode ser acompanhado de desenhos. Esse relato deve ocupar, no máximo, uma página de papel A4 disponível e desenvolvido, obrigatoriamente, com caneta esferográfica de cor azul ou preta, de corpo transparente. 8

7 RASCUNHO 1ª QUESTÃO 9

8 RASCUNHO DA 1ª QUESTÃO 10

9 RASCUNHO 2ª QUESTÃO 11

10 RASCUNHO DA 2ª QUESTÃO 12

11 DESENVOLVIMENTO DA 2ª QUESTÃO 13

12 DESENVOLVIMENTO DA 2ª QUESTÃO 14

13 RASCUNHO 3ª QUESTÃO 15

14 RASCUNHO 3ª QUESTÃO 16

15 DESENVOLVIMENTO DA 3ª QUESTÃO 17

A arquitetura dos memoriais

A arquitetura dos memoriais PARTE 01: Conteúdo para a prova A arquitetura dos memoriais Você já ouviu falar em memorial ou já visitou um espaço arquitetônico destinado à memória de alguma personalidade, de um povo ou de algum fato

Leia mais

COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD VESTIBULAR 2011 E PISM III

COMISSÃO PERMANENTE DE SELEÇÃO COPESE PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PROGRAD VESTIBULAR 2011 E PISM III O arquiteto italiano Bruno Zevi (1918-2000), em seu livro A linguagem moderna da arquitetura: guia ao código anticlássico, publicado em 1973, apresenta esquemas gráficos ilustrando a noção de que a arquitetura

Leia mais

PRAÇA DAS GERAÇOES. Autores: Ana Luiza Ribeiro¹; Junia Caldeira¹ Afiliações: 1 - UniCeub Keywords: praça, revitalizaçao, espaço publico

PRAÇA DAS GERAÇOES. Autores: Ana Luiza Ribeiro¹; Junia Caldeira¹ Afiliações: 1 - UniCeub Keywords: praça, revitalizaçao, espaço publico PRAÇA DAS GERAÇOES Autores: Ana Luiza Ribeiro¹; Junia Caldeira¹ Afiliações: 1 - UniCeub Keywords: praça, revitalizaçao, espaço publico INTRODUÇÃO O artigo aborda o tema das áreas verdes nas quadras 700.

Leia mais

A escala usada nesta miniatura é de 1:400, como no exemplo acima.

A escala usada nesta miniatura é de 1:400, como no exemplo acima. Antes de um edifício, uma casa ou um auditório ser erguidos, são necessárias algumas etapas como desenhos, plantas e sua construção em miniatura. A miniatura é uma reprodução tridimensional de algum projeto

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL CABO FRIO: TERRAS DAS ÁGUAS Autor: Edvan Isac Santos Filho Cabo Frio e a Concepção Paisagens naturais praianas em tons pastéis que passeiam do branco, bege, ocre e terra das areias, do verde oliva das

Leia mais

SUSTENTÁVEL 2007 CRIAÇÃO AMBIENTAÇÃO ESPAÇOS CONCEITO

SUSTENTÁVEL 2007 CRIAÇÃO AMBIENTAÇÃO ESPAÇOS CONCEITO SUSTENTÁVEL 2007 CRIAÇÃO AMBIENTAÇÃO ESPAÇOS CONCEITO Esta apresentação é uma releitura calcada inteiramente no texto de autoria do Arq.José Daher Caligrafia de Idéias & Negócios AGENDA INTRODUÇÃO PREMISSAS

Leia mais

CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1. ARQUITETURA DE INTERIORES 2. ARQUITETURA E CENOGRAFIA ARQUITETURA DE INTERIORES

CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1. ARQUITETURA DE INTERIORES 2. ARQUITETURA E CENOGRAFIA ARQUITETURA DE INTERIORES CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 1. ARQUITETURA DE INTERIORES 2. ARQUITETURA E CENOGRAFIA ARQUITETURA DE INTERIORES APRESENTAÇÃO O curso oferece, a arquitetos e a profissionais de áreas afins, um perfil

Leia mais

Alexandre Brasil André Prado. Carlos A. Maciel Danilo Matoso. Revitalização do Centro de Goiânia Goiânia, GO projeto: 2000 concurso 1o lugar

Alexandre Brasil André Prado. Carlos A. Maciel Danilo Matoso. Revitalização do Centro de Goiânia Goiânia, GO projeto: 2000 concurso 1o lugar Alexandre Brasil André Prado Carlos A. Maciel Danilo Matoso projeto: 2000 concurso 1o lugar O conjunto objeto desta proposta se constitui de três partes de caráter notadamente diferenciadas: a primeira,

Leia mais

nada é referência por acaso. corporate&offices

nada é referência por acaso. corporate&offices lançamento Um produto Melnick Even corporate&offices nada é referência por acaso. A Melnick Even usou toda sua expertise para trazer à rua Anita Garibaldi um empreendimento comercial pensado cuidadosamente

Leia mais

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo

vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo vestibular nacional UNICAMP Aptidão Arquitetura e Urbanismo 1. INTRODUÇÃO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UNICAMP tem o propósito de preparar o arquiteto para ser um profissional capaz de compreender

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2005 e 1 o semestre letivo de 2006 CURSO de ARQUITETURA E URBANISMO

UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2005 e 1 o semestre letivo de 2006 CURSO de ARQUITETURA E URBANISMO UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2005 e 1 o semestre letivo de 2006 CURSO de ARQUITETURA E URBANISMO Verifique se este caderno contém : INSTRUÇÕES AO CANDIDATO PROVA

Leia mais

Engenharia e Arquitetura no século XIX

Engenharia e Arquitetura no século XIX AUH0154 História e Teorias da Arquitetura III Engenharia e Arquitetura no século XIX Camilla Bernal P. L. Mendes - 6817461 Fernanda Adams Domingos - 6816870 Fernanda Nogueira Ribeiro - 6816932 Guilherme

Leia mais

GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS

GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS 1960 01 GALERIA METRÓPOLE E CENTRO METROPOLITANO DE COMPRAS HISTÓRIA 02 O edifício Metrópole e Centro Metropolitano de Compras, projetado pelos arquitetos Salvador Candia e Gian Carlo Gasperini, é um importante

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA CASA VIZINHA

Leia mais

05/09/12. ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso

05/09/12. ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso TEORIA E HISTÓRIA DA ARQUITETURA V Profa. Dra Deusa Maria R. Boaventura ANÁLISE DOS PROJETOS: ARQUITETÔNICO/ URBANO Guia para estudo do projeto e estudos de caso REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS SUGESTÃO DE

Leia mais

EDITAL 144/2014 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS

EDITAL 144/2014 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA MINAS GERAIS CAMPUS SANTA LUZIA EDITAL 144/2014 CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E

Leia mais

SofiSticação despojada

SofiSticação despojada [ D E C O R A Ç Ã O ] Sofá na cor uva ganha destaque em meio à decoração sóbria com cores neutras e poucos modismos, apartamento de jovem casal ganha requinte na medida certa A busca do casamento perfeito

Leia mais

A ARQUITETURA. Professor H. Oliveira

A ARQUITETURA. Professor H. Oliveira A ARQUITETURA Professor H. Oliveira Quando os primeiros colonizadores portugueses fortificaram o litoral brasileiro e as ordens religiosas construíram os conventos e as igrejas, a arquitetura figurou como

Leia mais

José Elias, 141. Conceito:

José Elias, 141. Conceito: Conceito: menu No meio do jardim tem um escritório. Na beira da janela, uma floreira. Na alma,inspiração. Nasce no ponto mais valorizado do Alto da Lapa o único projeto comercial que leva o verde para

Leia mais

Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha.

Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha. Análise de obra arquitetônica: O prédio do Museu Brasileiro da Escultura (MUBE), de Paulo Mendes da Rocha. Por Talles Lucena, educador do MuBE. O prédio do Museu Brasileiro da Escultura é um projeto do

Leia mais

ALMARES A história como exemplo, o mar como inspiração

ALMARES A história como exemplo, o mar como inspiração Edif cio ALMARES A história como exemplo, o mar como inspiração Edif cio ALMARES O RESPEITO E A PRESERVAÇÃO DA HISTÓRIA, DE POSSUIR O MAIOR PORTO DA AMÉRICA LATINA E, CLARO, O MAR, FAZEM COM QUE SANTOS

Leia mais

O QUE É SER ALTO PADRÃO?

O QUE É SER ALTO PADRÃO? O PRODUTO IMPERADOR Concebido para atender as exigências do mercado de Alto Padrão, o produto conta com tudo que hoje é imprescindível para diferenciá-lo dos demais. Imponência, estilo único, elegância

Leia mais

COMÉRCIO E ESPAÇO COLETIVO

COMÉRCIO E ESPAÇO COLETIVO COMÉRCIO E ESPAÇO COLETIVO CONCEITO-HISTÓRICO-PROJETO Prof Ms Arq Aroldo Marcio Ferreira ESPAÇO COLETIVO-CONCEITO ESPAÇO URBANO PÚBLICO OU PRIVADO DE MANIFESTAÇÕES SOCIAIS COLETIVAS CONVIVENCIA-LAZER-CONTEMPLAÇÃO-ALIMENTAÇÃO-CULTURAL

Leia mais

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I

HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I HISTÓRIA E TEORIA ARQ. PAISAGISMO E URBANISMO I União Educacional do Norte Faculdade Uninorte Professora: Edinete Oliveira Arquiteta e Urbanista Tema: A ignorância da Arquitetura & As várias idades do

Leia mais

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves

Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves Acadêmicos: Erick Carbone Gabriel Gonçalves História da Arquitetura 2008 O Concurso O Grand Palais começou a ser construído em 1897 para abrigar a Exposição Universal de 1900, envolvendo um complexo processo

Leia mais

Residência Rua Vicente Racioppi. Arquiteto Joel Campolina

Residência Rua Vicente Racioppi. Arquiteto Joel Campolina Residência Rua Vicente Racioppi Arquiteto Joel Campolina Depoimento do Arquiteto Primeiros croquis e estudos Evolução até o anteprojeto aprovado Interfaces com os projetos complementares A evolução até

Leia mais

TÍTULO: OSCAR NIEMEYER: TRAÇOS DE UM CARIOCA PERDIDO NA PAULICEIA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA

TÍTULO: OSCAR NIEMEYER: TRAÇOS DE UM CARIOCA PERDIDO NA PAULICEIA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA TÍTULO: OSCAR NIEMEYER: TRAÇOS DE UM CARIOCA PERDIDO NA PAULICEIA. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: ENGENHARIAS E ARQUITETURA SUBÁREA: ARQUITETURA E URBANISMO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE ANHEMBI MORUMBI AUTOR(ES):

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME

PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME PADRONIZAÇÃO DE PAINÉIS EM LIGHT STEEL FRAME ANITA OLIVEIRA LACERDA - anitalic@terra.com.br PEDRO AUGUSTO CESAR DE OLIVEIRA SÁ - pedrosa@npd.ufes.br 1. INTRODUÇÃO O Light Steel Frame (LSF) é um sistema

Leia mais

Feiras, pavilhões e exposições

Feiras, pavilhões e exposições Feiras, pavilhões e exposições 2 Experiente e confiável. Estandes de feiras e exposições, pavilhões e eventos temporários -a experiência de inúmeros projetos nos torna parceiros confiáveis, que dá aos

Leia mais

INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES

INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES INTERVENÇÕES METÁLICAS EM EDIFICAÇÕES DE VALOR HISTÓRICO E CULTURAL: ESTUDOS DE CASO DE INTERFACES Profª. Msc. Carolina Albuquerque de Moraes Prof. Dr. Luiz Fernando Loureiro Ribeiro São Paulo, Brasil

Leia mais

TORRE DE TV: PROPORCIONANDO BEM ESTAR

TORRE DE TV: PROPORCIONANDO BEM ESTAR TORRE DE TV: PROPORCIONANDO BEM ESTAR Authors: Eliete Araujo¹, Ivana Santos¹, Fabiana Rajão¹, Laura Guerreiro¹ Affiliation: 1 - UniCEUB Keywords: Torre. Requalificar. Inteligente. I. INTRODUÇÃO Este trabalho

Leia mais

L U M E A R Q U I T E T U R A. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento.

L U M E A R Q U I T E T U R A. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento. Projetores Air Landing, normalmente utilizados para faróis de aviões, enfatizam a leveza do monumento. c a p a Salas de exposições do mezanino. Obras de arte receberam mesmo sistema de iluminação flexível

Leia mais

Faça. Numa. Seu EVENTO BOA. Lapa. E no melhor endereço da

Faça. Numa. Seu EVENTO BOA. Lapa. E no melhor endereço da Faça Seu EVENTO Numa BOA E no melhor endereço da Lapa O Bar da Boa Show Lapa transforma seu evento em um sonho. O que parece tão simples na verdade requer prática e profissionalismo. O Bar da Boa Lapa

Leia mais

Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço

Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço Desenvolvimento de diretrizes para projeto de edificações para fins didáticos com sistema estrutural construtivo modular em aço Maria Emília Penazzi mepenazzi@yahoo.com.br Prof. Dr. Alex Sander Clemente

Leia mais

Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (5,0 pontos)

Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (5,0 pontos) Prova de Conhecimentos Específicos 1 a QUESTÃO: (5,0 pontos) Está sendo apresentado, abaixo, um estudo para uma residência unifamiliar (planta baixa, planta de situação e cobertura, além de perspectiva).

Leia mais

Segundo semestre de 2013: segundas e terças-feiras das 14h às 18h no Estúdio 4

Segundo semestre de 2013: segundas e terças-feiras das 14h às 18h no Estúdio 4 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ARQUITETURA E URBANISMO DEPARTAMENTO DE PROJETO GRUPO DE DISCIPLINAS DE PROJETO DE EDIFICAÇÕES AUP 0154 - ARQUITETURA - PROJETO 4 Segundo semestre de 2013: segundas

Leia mais

Vitrallis. Um novo modo de viver. Bem melhor.

Vitrallis. Um novo modo de viver. Bem melhor. Vitrallis. Um novo modo de viver. Bem melhor. Criamos o Vitrallis como um condomínio completo, pensado para os dias de hoje e para o seu futuro. Nos primeiros pavimentos, você encontrará todas as conveniências,

Leia mais

Sofisticação UM PROJETO TÃO SOFISTICADO COMO ESTE NÃO PODERIA TER OUTRA LOCALIZAÇÃO.

Sofisticação UM PROJETO TÃO SOFISTICADO COMO ESTE NÃO PODERIA TER OUTRA LOCALIZAÇÃO. Sofisticação UM PROJETO TÃO SOFISTICADO COMO ESTE NÃO PODERIA TER OUTRA LOCALIZAÇÃO. Horto Florestal. Nobre, único, desejado. Um dos bairros mais valorizados de Salvador reserva para a sua família o conforto,

Leia mais

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR

BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR BEM-VINDO AO ESPAÇO DO PROFESSOR APRESENTAÇÃO Nosso objetivo é inaugurar um espaço virtual para o encontro, o diálogo e a troca de experiências. Em seis encontros, vamos discutir sobre arte, o ensino da

Leia mais

Foto Andrés Otero. pavilhão ciccillo matarazzo espaço aberto para a economia criativa

Foto Andrés Otero. pavilhão ciccillo matarazzo espaço aberto para a economia criativa Foto Andrés Otero pavilhão ciccillo matarazzo espaço aberto para a economia criativa São Paulo Fashion Week, 15ª edição, Verão 2003-2004 Foto Andrés Otero Foto Andrés Otero A política de uso do Pavilhão

Leia mais

14/05/2015 AVALIAÇÃO DOS PROJETOS EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 2015. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille

14/05/2015 AVALIAÇÃO DOS PROJETOS EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 2015. Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille AVALIAÇÃO DOS PROJETOS Profa. Dra. Giovanna M. Ronzani Borille 14/05/2015 1 EDI 64 ARQUITETURA E URBANISMO_ 2015 Avaliação: o Conceitos de projeto (I: 50%, II: 50% e para Exame: 30%) o Representação gráfica

Leia mais

SAIA do LUgAR comum. MATERIAL PROVISóRIO SUJEITO À ALTERAçãO.

SAIA do LUgAR comum. MATERIAL PROVISóRIO SUJEITO À ALTERAçãO. saia do lugar comum. nine ipiranga conceito saia do lugar comum. Por que morar do mesmo jeito e nos mesmos lugares? A resposta menos óbvia você encontra no Nine. Um empreendimento construído para desconstruir

Leia mais

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL

INSTITUTO DE ARQUITETOS DO BRASIL Menção Honrosa Nova Friburgo Autor: Luis Eduardo Loiola de Menezes Aproximações O terreno destinado a implantação do Centro Cultural de Eventos e Exposições consiste em uma gleba, de posse do governo do

Leia mais

www.grupohabitat.net Vendas : Imagens:

www.grupohabitat.net Vendas : Imagens: Imagens: Vendas : www.grupohabitat.net De acordo com a lei n 4591/64, informamos que as ilustrações têm caráter exclusivamente promocional. Os móveis e eletrodomésticos são de dimensões comerciais e não

Leia mais

CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral

CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral CASA CIRURGIÕES Local Botucatu Ano 2011-2014 Escritório FGMF Autoras: Jéssica Lucena e Tamires Cabral Implantação e partido formal A casa Cirurgiões é uma residência unifamiliar de uso regular projetada

Leia mais

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO

AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO AS PRINCIPAIS MUDANÇAS PROPOSTAS PELA PREFEITURA DE SÃO PAULO PARA O NOVO PLANO DIRETOR ESTRATÉGICO DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO Marcia Heloisa P. S. Buccolo, consultora jurídica de Edgard Leite Advogados

Leia mais

Recreio dos Bandeirantes. Fotos Ilustrativas

Recreio dos Bandeirantes. Fotos Ilustrativas Praia, sol e mar inspirando seus negócios e suas férias. No Heritage você terá um belíssimo cartão postal na sua janela e serviços de primeira classe ao seu alcance. Ande descalço, sinta a leveza do mar,

Leia mais

SESC Guarulhos SESC Guarulhos Guarulhos - SP - 2009. 11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br

SESC Guarulhos SESC Guarulhos Guarulhos - SP - 2009. 11 3159 1970 www.apiacasarquitetos.com.br SESC Guarulhos SESC Guarulhos Guarulhos - SP - 2009 11 3159 1970 MEMORIAL A concepção Quando da visita ao terreno, ansiosos por conhecer o lugar a ser implantado o novo edifício do SESC, tivemos uma

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA A CASA HUBBE, PROJETADA POR MIES VAN DER ROHE, POSSUI FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA ESQUADRIAS/PANOS

Leia mais

AQUECIMENTO IMOBILIÁRIO:

AQUECIMENTO IMOBILIÁRIO: AQUECIMENTO IMOBILIÁRIO: Como efeito inevitável do bom momento econômico do país e de todo o processo de revitalização da cidade em função da Copa de 2014 e da Olimpíada de 2016, o Rio de Janeiro vive

Leia mais

A ARQUITETURA MAIS RENOMADA DO MUNDO CHEGA EM SÃO LUÍS. Material para treinamento. Uso exclusivo interno.

A ARQUITETURA MAIS RENOMADA DO MUNDO CHEGA EM SÃO LUÍS. Material para treinamento. Uso exclusivo interno. A ARQUITETURA MAIS RENOMADA DO MUNDO CHEGA EM SÃO LUÍS. Material para treinamento. Uso exclusivo interno. Barcelona, Catalunha. A terra de Gaudí, Miró e Dalí. Consagrada mundialmente como capital da arte,

Leia mais

Eventos Bourbon Mais de 26.000 m 2 em área de convenções

Eventos Bourbon Mais de 26.000 m 2 em área de convenções Eventos Bourbon Mais de 26.000 m 2 em área de convenções Com 14 empreendimentos na América Latina, possui a maior estrutura de convenções em hotéis no Brasil com mais de 12.000 m 2, e é gestora do maior

Leia mais

Entre belos horizontes, existem grandes maravilhas. para se conhecer.

Entre belos horizontes, existem grandes maravilhas. para se conhecer. Entre belos horizontes, existem grandes maravilhas para se conhecer. Daniel Mansur Belo Horizonte é uma cidade que, a cada dia, revela seu potencial para o turismo. Gastronomia, esportes, lazer, moda,

Leia mais

Terceira Ponte Lago Sul - Brasília/DF

Terceira Ponte Lago Sul - Brasília/DF Terceira Ponte Lago Sul - Brasília/DF Alexandre Chan - arquiteto e urbanista A Cidade e a Circulação Trinta e oito anos depois de sua inauguração, Brasília ultrapassou todas as expectativas para seu desenvolvimento.

Leia mais

Rua Correia Dias, 184 Paraíso - São Paulo SP CEP: 04104-000. Promorar-constru@bol.com.br l www.promorar-constru.com

Rua Correia Dias, 184 Paraíso - São Paulo SP CEP: 04104-000. Promorar-constru@bol.com.br l www.promorar-constru.com O objetivo do programa PROMORAR é reforçar a importância da sustentabilidade social para projetos habitacionais. A proposta nasce, em um momento muito propício e favorável, a oferta de unidades de interesse

Leia mais

Débora Machado. Relação de arquitetura e cidade como uma proposta de ocupação do espaço público, a importância da calçada no contexto urbano

Débora Machado. Relação de arquitetura e cidade como uma proposta de ocupação do espaço público, a importância da calçada no contexto urbano Débora Machado Relação de arquitetura e cidade como uma proposta de ocupação do espaço público, a importância da calçada no contexto urbano Avaliando as questões de transformação da sociedade, o texto

Leia mais

Arquitetura: do repertório à prática

Arquitetura: do repertório à prática Arquitetura: do repertório à prática Arquiteto: - tecton, em grego, designava um artífice ligado à construção de objetos por junção de peças; - arqui, prefixo que indica superioridade. Arquitetura: Aurélio:

Leia mais

Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui.

Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui. Beira-Mar de São José kplatz.com.br Grande Florianópolis: Os melhores negócios acontecem aqui. Crescer e se desenvolver. Palavras-chave que destacam a Região Metropolitana da Grande Florianópolis. As mais

Leia mais

PERSIANAS. XXL (á medida) MULTIUSO-BANHO METÁLICA MULTICANTOS BÁSICA. Para móveis de cozinha, banho, sala de estar, escritório e decoração em geral

PERSIANAS. XXL (á medida) MULTIUSO-BANHO METÁLICA MULTICANTOS BÁSICA. Para móveis de cozinha, banho, sala de estar, escritório e decoração em geral PERSIANAS Para móveis de cozinha, banho, sala de estar, escritório e decoração em geral XXL (á medida) MULTIUSO-BANHO METÁLICA MULTICANTOS BÁSICA KIT PERSIANA Design, Elegância e Modernidade são as características

Leia mais

1. o Vestibular 2002 PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ARQUITETURA E URBANISMO. Programa de Avaliação Seriada Subprograma 1999 3.

1. o Vestibular 2002 PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS ARQUITETURA E URBANISMO. Programa de Avaliação Seriada Subprograma 1999 3. PROVA DE HABILIDADES ESPECÍFICAS 1. o Vestibular 2002 ARQUITETURA E URBANISMO Programa de Avaliação Seriada Subprograma 1999 3. a Etapa SALA N. o DE CONTROLE RESULTADO FINAL NOME INSCRIÇÃO Assinatura:

Leia mais

GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA. As profissões. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor

GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA. As profissões. Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor GUIÃO DO PROFESSOR BRINCAR CIÊNCIA Exploração de conteúdos Preparação da visita Caderno do professor As profissões Introdução Preparação da visita A Casa Inacabada é um dos espaços que faz parte da exposição

Leia mais

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2014 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2013-2015 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO

UFJF CONCURSO VESTIBULAR 2014 E MÓDULO III DO PISM TRIÊNIO 2013-2015 PROVA DE HABILIDADE ESPECÍFICA ARQUITETURA E URBANISMO A Prova de Habilidade Específica do Vestibular 2016 para o Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF tem como objetivo aferir as habilidades e as capacidades potenciais

Leia mais

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia)

Horários: 10h30 12h30 / 15h00 20h00 (com marcação prévia) MUSEU DO CARRO ELÉTRICO Inaugurado em 1992, o Museu do Carro Elétrico nasceu da dedicação e voluntarismo de um pequeno grupo de entusiastas e apaixonados por este meio de transporte coletivo, impulsionados

Leia mais

Projeto II Trabalho 1: Residência Unifamiliar (300m²) 1ª Etapa: Pesquisa, Programa e Implantação

Projeto II Trabalho 1: Residência Unifamiliar (300m²) 1ª Etapa: Pesquisa, Programa e Implantação 1ª Etapa: Pesquisa, Programa e Implantação Pesquisa: Tema (Residência); Região (histórico da ocupação, exemplares arquitetônicos); Legislação Urbanística. Precedentes arquitetônicos. Programa: Descrição

Leia mais

vidro de proteção contra incêndios

vidro de proteção contra incêndios vidro de proteção contra incêndios CONHEÇA-NOS Cada vez mais os edifícios requerem melhores prestações, tanto em serviços como em proteção, e tudo isto da mão da estética e do design. Na arquitetura contemporânea

Leia mais

Artigo publicado em 17 de dezembro de 2008-12-17 www.partes.com.br ISSN 1678-8419. Arquitetura Moderna: A UFSM como protagonista deste cenário.

Artigo publicado em 17 de dezembro de 2008-12-17 www.partes.com.br ISSN 1678-8419. Arquitetura Moderna: A UFSM como protagonista deste cenário. Artigo publicado em 17 de dezembro de 2008-12-17 www.partes.com.br ISSN 1678-8419 Arquitetura Moderna: A UFSM como protagonista deste cenário. Leila Adriana Baptaglin 1 Introdução As vezes convivemos em

Leia mais

P O R T O M A R A V I L H A

P O R T O M A R A V I L H A P O R T O M A R A V I L H A P O R T O M A R A V I L H A Porto do Rio Zona Portuária Hoje Da fundação aos dias de hoje Oficialmente, o Porto do Rio de Janeiro foi inaugurado em 1910, o que impulsionou o

Leia mais

DIRETRIZES PROJETUAIS PARA A REABILITAÇÃO DO CENTRO OLÍMPICO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP

DIRETRIZES PROJETUAIS PARA A REABILITAÇÃO DO CENTRO OLÍMPICO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 213 DIRETRIZES PROJETUAIS PARA A REABILITAÇÃO DO CENTRO OLÍMPICO DE PRESIDENTE PRUDENTE SP Melina Yumi Koyama¹; Hélio

Leia mais

São Paulo é o principal centro financeiro, corporativo e mercantil da América Latina.

São Paulo é o principal centro financeiro, corporativo e mercantil da América Latina. Local do Congresso São Paulo - SP São Paulo é o principal centro financeiro, corporativo e mercantil da América Latina. São Paulo é mundialmente conhecida, e exerce significativa influência nacional e

Leia mais

CASA EN TERRAVILLE. Implantação e Partido Formal. Local: Porto Alegre Ano: 2010 Escritório MAPA Autoras : Ana Elísia da Costa e Thaís Gerhardt

CASA EN TERRAVILLE. Implantação e Partido Formal. Local: Porto Alegre Ano: 2010 Escritório MAPA Autoras : Ana Elísia da Costa e Thaís Gerhardt CASA EN TERRAVILLE Local: Porto Alegre Ano: 2010 Escritório MAPA Autoras : Ana Elísia da Costa e Thaís Gerhardt Implantação e Partido Formal A Casa em Terraville é uma residência unifamiliar de uso regular

Leia mais

Em conexão com a cidade

Em conexão com a cidade Em conexão com a cidade O mundo exige conexão. Na vida virtual, na vida real, é preciso estar sempre perto de tudo, pronto para ir a qualquer lugar de forma rápida, acessível para quem precisar se conectar

Leia mais

Hotel Green Hill, tudo para sua felicidade num só lugar!

Hotel Green Hill, tudo para sua felicidade num só lugar! Apresentação Você está prestes a conhecer a mais completa e inovadora proposta de hospedagem, lazer, entretenimento e eventos da região. Com estrutura diversificada e qualidade de atendimento, o Hotel

Leia mais

A Revolução Industrial

A Revolução Industrial textos de José Manuel Russo A Revolução Industrial A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL Introdução Embora o século XIX seja conhecido como o da Revolução Industrial, as suas origens centram-se nas transformações assistidas

Leia mais

ECO SHOPPING LAGOA DO PERI

ECO SHOPPING LAGOA DO PERI Boletim do Investimento Urbano Sustentável ECO SHOPPING LAGOA DO PERI A agenda estratégica de desenvolvimento sustentável Floripa 2030, constitui um marco para a mudança das formas de uso e ocupação do

Leia mais

8º ENCONTRO. da ARQUITETURA E DA ENGENHARIA CONSULTIVA de SÃO PAULO MOBILIDADE URBANA E INFRAESTRUTURA PARA A COPA DO MUNDO DE 2014

8º ENCONTRO. da ARQUITETURA E DA ENGENHARIA CONSULTIVA de SÃO PAULO MOBILIDADE URBANA E INFRAESTRUTURA PARA A COPA DO MUNDO DE 2014 8º ENCONTRO da ARQUITETURA E DA ENGENHARIA CONSULTIVA de SÃO PAULO MOBILIDADE URBANA E INFRAESTRUTURA PARA A COPA DO MUNDO DE 2014 O DESAFIO DAS ARENAS CONSTRUÇÃO, MODERNIZAÇÃO E ACESSO Eng. VLADIMIR ANTONIO

Leia mais

O Interface de Transportes

O Interface de Transportes O Interface de Transportes Tipologias de funcionamento e morfologia espacial - aplicação ao projecto Resumo Alargado Inês Isabel do Nascimento Piedade Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Arquitectura

Leia mais

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO PARQUE DOM PEDRO II

PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO PARQUE DOM PEDRO II PROJETO DE REVITALIZAÇÃO DO PARQUE DOM PEDRO II UFJF Faculdade de Engenharia - Dep. de Arquitetura e Urbanismo Disciplina: Projeto VIII Prof: Luciane Tasca Grupo: Jeanny Vieira, Livia Cosentino, Marília

Leia mais

SEMINÁRIO HIS SUSTENTÁVEL. Projeto da Habitação de Interesse Social Sustentável. Desenho Universal

SEMINÁRIO HIS SUSTENTÁVEL. Projeto da Habitação de Interesse Social Sustentável. Desenho Universal SEMINÁRIO HIS SUSTENTÁVEL Projeto da Habitação de Interesse Social Sustentável Desenho Universal Agosto/2010 CONTEXTO Protocolo de intenções firmado entre a Secretaria de Estado da Habitação, a Secretaria

Leia mais

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO?

O QUE É UMA EXPOSIÇÃO? O QUE É UMA EXPOSIÇÃO? O que torna as exposições diferentes entre si? O que torna as exposições diferentes entre si? Local da exposição? Num parque Sob céu aberto... Num Museu... No corredor de um Shopping...

Leia mais

3.3 O Largo do Carmo e seu entorno

3.3 O Largo do Carmo e seu entorno 3.3 O Largo do Carmo e seu entorno O Largo do Carmo, como ainda é conhecido o espaço público na frente das igrejas da Ordem Primeira e Terceira do Carmo, e ao lado do Teatro Vasques. Seu entorno conserva

Leia mais

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção

Curso de Engenharia de Produção. Organização do Trabalho na Produção Curso de Engenharia de Produção Organização do Trabalho na Produção Organização do Trabalho na Produção Projeto do Trabalho -Objetivo: criar um ambiente produtivo e eficiente, onde cada um saiba o que

Leia mais

Paisagista. "Profissional que trabalha com projetos de paisagens naturais e urbanas"

Paisagista. Profissional que trabalha com projetos de paisagens naturais e urbanas Paisagista "Profissional que trabalha com projetos de paisagens naturais e urbanas" Fonte: Dicionário Michaelis O que é ser um paisagista? Paisagista, ou arquiteto paisagista é o profissional que trabalha

Leia mais

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL

MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Curso Superior de Tecnologia em Construção de Edifícios MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Prof. Leandro Candido de Lemos Pinheiro leandro.pinheiro@riogrande.ifrs.edu.br Porque construir? Necessidade de se

Leia mais

PADRÃO PLÁSTICO TOM.

PADRÃO PLÁSTICO TOM. PADRÃO PLÁSTICO TOM. Os princípios de dinâmica de um padrão tonal são muito parecidos com o que vimos em relação aos da linha. Ao colocarmos algumas pinceladas de preto sobre um campo, eles articulam uma

Leia mais

PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO CENPES Centro de Pesquisa da Petrobras. Autor: Siegbert Zanettini Co-autor: José Wagner Garcia

PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO CENPES Centro de Pesquisa da Petrobras. Autor: Siegbert Zanettini Co-autor: José Wagner Garcia PROJETO DE AMPLIAÇÃO DO CENPES Centro de Pesquisa da Petrobras Autor: Siegbert Zanettini Co-autor: José Wagner Garcia PARTIDO ARQUITETÔNICO DIRETRIZES GERAIS O edital do concurso aliado ao interesse por

Leia mais

Aula 7 : Desenho de Ventilação

Aula 7 : Desenho de Ventilação Aula 7 : Desenho de Ventilação Definições: NBR 10821:2001, Caixilho para edificação: Janela Caixilho, geralmente envidraçado, destinado a preencher um vão, em fachadas ou não. Entre outras, sua finalidade

Leia mais

COM A FORMA INSPIRADA NUM CORPO CELESTE, O PLANETÁRIO DO CARMO OFERECE AS CONDIÇÕES TÉCNICAS IDEAIS PARA ESPETÁCULOS ASTRONÔMICOS

COM A FORMA INSPIRADA NUM CORPO CELESTE, O PLANETÁRIO DO CARMO OFERECE AS CONDIÇÕES TÉCNICAS IDEAIS PARA ESPETÁCULOS ASTRONÔMICOS CÉU DE AÇO E FIBRA COM A FORMA INSPIRADA NUM CORPO CELESTE, O PLANETÁRIO DO CARMO OFERECE AS CONDIÇÕES TÉCNICAS IDEAIS PARA ESPETÁCULOS ASTRONÔMICOS Com inspiração na forma espiralada de uma nebulosa,

Leia mais

Hevelyn Baer Villar_ Trabajo Final de Graduação Interdisciplinar

Hevelyn Baer Villar_ Trabajo Final de Graduação Interdisciplinar Trabalho Final de Graduação Interdisciplinar Centro Cultural Maembipe O projeto foi indicado pela Universidade Estadual de Londrina para participar no concurso Ópera Prima de projetos de Fim de Graduação.

Leia mais

BMW Welt Munique. Dados e fatos

BMW Welt Munique. Dados e fatos BMW Welt Munique BMW Welt Munique A BMW Welt no norte de Munique é uma obra-prima da arquitetura inovadora. Desde outubro de 2007 ela serve de palco multifuncional para todos os tipos de eventos: concertos,

Leia mais

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA

FUNCIONAL ENTORNO ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS TOPOGRAFIA FUNCIONAL ENTORNO IDENTIFICAR A RELAÇÃO DO EDIFÍCIO COM OS ELEMENTOS DE ENTORNO, CONSIDERANDO OS ATRIBUTOS DO LUGAR - MASSAS EDIFICADAS, RELAÇÕES DE PROXIMIDADE, DIÁLOGO, INTEGRAÇÃO OU AUTONOMIA MURO CERCA

Leia mais

design arquitetura tendência

design arquitetura tendência design arquitetura tendência HOME office mall Lindóia Lindóia ( ) A Melnick Even apresenta mais um produto da linha (HOM), baseado em um conceito inovador: o Mixed Use. Considerados uma solução de grande

Leia mais

EMPRESAS, GOVERNO E SOCIEDADE CIVIL TRABALHANDO JUNTOS PARA O BEM COMUM

EMPRESAS, GOVERNO E SOCIEDADE CIVIL TRABALHANDO JUNTOS PARA O BEM COMUM EMPRESAS, GOVERNO E SOCIEDADE CIVIL TRABALHANDO JUNTOS PARA O BEM COMUM XXV CONGRESSO MUNDIAL UNIAPAC 10º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE SUSTENTABILIDADE 30 DE SETEMBRO 1º E 2 DE OUTUBRO BEM COMUM Conjunto

Leia mais

comunicação visual para a

comunicação visual para a projetos de design e comunicação visual para a cidade contemporânea solange de oliveira patrícia a. nascimento sheila nicolini neto orgel ramos júnior estudo de casos Parque das Nações (Lisboa); Estação

Leia mais

Destaque ARQUITECTURA

Destaque ARQUITECTURA ARQUITECTURA ARQUITECTURA Edificio Bloom Space for Business Localização Este edifício situa-se na Rua de Campolide em Lisboa. Com sua localização privilegiada sobre o Parque do Monsanto, coração verde

Leia mais

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta

CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta CRITÉRIOS DE ISENÇÃO suporte publicitário. tabuleta 02 Critérios específicos 03 Condições Gerais 05 Zonas de Proteção Específica 1 Uma tabuleta por estabelecimento e não ser colocada acima do piso térreo;

Leia mais

Desenho de observação

Desenho de observação QUESTÃO 1 Desenho de observação Tomando por base o que você está observando nesta sala, desenhe uma visão do espaço, incluindo pessoas, mobiliário e objetos. Na avaliação do seu desenho, serão considerados

Leia mais

Cores e Formas. Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras.

Cores e Formas. Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras. Cores e Formas 1) Objetivo Geral Aplicando os conceitos da reciclagem, fazer uso das formas geométricas como materiais para a composição e decomposição de figuras. 2) Objetivo Específico Reconhecimento,

Leia mais

A ARTE DIZ O INDIZÍVEL; EXPRIME O INEXPRIMÍVEL, TRADUZ O INTRADUZÍVEL. LEONARDO DA VINCI

A ARTE DIZ O INDIZÍVEL; EXPRIME O INEXPRIMÍVEL, TRADUZ O INTRADUZÍVEL. LEONARDO DA VINCI A ARTE DIZ O INDIZÍVEL; EXPRIME O INEXPRIMÍVEL, TRADUZ O INTRADUZÍVEL. LEONARDO DA VINCI A INSPIRAÇÃO As linhas, os contornos, os tons, a vista. O encanto de uma das regiões mais bonitas de Fortaleza,

Leia mais

ARQUITETURA E URBANISMO

ARQUITETURA E URBANISMO FEAR -Faculdade de Engenharia e Arquitetura FEAR CAMPUS Fig.1 Mapa Campus I (Adaptado pela autora) Fonte: WebSite www.upf.com.br FEAR ENSINO O curso de Arquitetura e Urbanismo da UPF, iniciou suas atividades

Leia mais

c) Colônia de Férias do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB). Rio de Janeiro,

c) Colônia de Férias do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB). Rio de Janeiro, c) Colônia de Férias do Instituto de Resseguros do Brasil (IRB). Rio de Janeiro, 1943. Arqs. MMM Roberto A obra dos irmãos Roberto 19 é importante em, pelo menos, três aspectos: o primeiro, revelado por

Leia mais