CONDIÇÕES DVOCAIS E DE TRABALHO EM PROFESSORES DE ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONDIÇÕES DVOCAIS E DE TRABALHO EM PROFESSORES DE ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES"

Transcrição

1 CONDIÇÕES DVOCAIS E DE TRABALHO EM PROFESSORES DE ESCOLAS PÚBLICAS E PARTICULARES Autores: CÍNTIA NAIARA JANUÁRIO DE FREITAS, DANILO AUGUSTO DE HOLANDA FERREIRA, ANNA ALICE ALMEIDA, VANDERSSOM CORREIA LIMA, LEIR ALVES DE SOUZA NETA, SUELY MARIA ALVES DE SOUZA, MARIA FABIANA BONFIM DE LIMA, PALAVRAS-CHAVE: distúrbios da voz, docentes e condições de trabalho INTRODUÇÃO Dentre os trabalhadores que utilizam a voz profissionalmente, o professor tem se destacado como a categoria em potencial a desenvolver distúrbio de voz relacionado ao trabalho - DVRT, devido à multifatoriedade característica do seu contexto de trabalho. O adoecimento vocal, principalmente da categoria docente, é destacado em pesquisas nacionais 1-6 e internacionais 7-13 como resultante de dois fatores, que seriam as condições ambientais desfavoráveis das escolas com relação aos níveis de ruídos, estado de limpeza, ventilação, iluminação e temperatura, somadas à organização de trabalho insatisfatória, com excesso de atividades, ausência de momentos de descanso e fiscalização excessiva Tais fatores prejudicam a saúde física e mental dos professores, além de, em conjunto, contribuírem para o desencadeamento de provável distúrbio de voz Pesquisas nacionais referem à precariedade das condições de trabalho das escolas públicas, o que resulta em deficiências na estrutura física, nos equipamentos, no material didático, na política salarial e na carreira profissional Autores 24, ao investigar professores da rede particular, encontraram relação entre a condição de trabalho e a saúde desses trabalhadores.

2 Em um estudo realizado 25 em escolas do ensino fundamental da rede pública e particular de Campinas (São Paulo) não foram encontradas diferenças significativas entre os professores das duas escolas. Dessa forma, os dois grupos (docentes de escola pública e da particular) apresentaram alta prevalência de distúrbio de voz. Tal fato pode ser justificado pela multifatoriedade existente no contexto de trabalho do docente. Dessa forma, a literatura aponta que os sintomas vocais mais encontrados nesta categoria são: rouquidão, fadiga vocal, voz fraca, falha na voz, dor ou desconforto ao falar, garganta seca, pigarro, tosse persistente, dificuldade de projetar a voz. Esses sintomas podem levar o profissional a situações de afastamento ou readaptação, uma vez que se encontram impossibilitados de realizar suas funções com excelência. Dessa forma, os sintomas vocais ligados às condições de trabalho desfavoráveis permitem considerar os professores como grupo de risco para os distúrbios de voz 29. Levando em consideração que as condições de trabalho desfavoráveis dos professores podem resultar no desenvolvimento de um distúrbio de voz neste profissional, originou-se a seguinte questão: será que os professores de escolas públicas tem as condições de trabalho e de saúde vocal semelhantes aos professores da rede particular? OBJETIVO Identificar se existe correlação entre as condições de voz e de trabalho de professores das escolas públicas e particulares, e compará-las entre os professores da duas rede de ensino. MÉTODOS O presente estudo se caracterizou por ser do tipo observacional, descritivo, transversal e de caráter quantitativo. O mesmo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos da instituição de origem, sob processo de número 091/13, para que haja um respaldo ético perante os participantes da pesquisa.

3 Após a aceitação da direção dessas escolas, todos os professores foram convidados a participar da pesquisa. Fizeram parte deste estudo 183 docentes pertencentes equitativamente às cinco escolas, pública e particular. Antes do início dos procedimentos, todos os professores assinaram o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. A pesquisa constou da aplicação do questionário de autopercepção, denominado Condição de Produção Vocal do Professor (CPV P) 26. O questionário CPV-P é composto por 81 questões relativas aos seguintes aspectos: identificação do questionário; identificação do entrevistado; situação funcional; aspectos gerais de saúde; hábitos vocais e aspectos vocais. Todas as questões desse instrumento foram documentadas, porém, para esta pesquisa, foram utilizados os dados referentes às variáveis: sociodemográficas (idade, gênero, escolaridade, estado civil, e carga horária de trabalho); a autorreferência de queixa vocal (presença de distúrbio de voz no passado ou presente); os sintomas vocais (rouquidão, falha na voz, perda de voz, falta de ar, voz fina, voz grossa, voz variando grossa/ fina, voz fraca); e as sensações laringofaríngeas (garganta seca, tosse seca, pigarro, cansaço ao falar, esforço ao falar, ardor na garganta, tosse com catarro, secreção na garganta, picada na garganta, dor ao falar, dor ao engolir, bola na garganta, areia na garganta, dificuldade de engolir). A análise estatística foi realizada com o apoio do Software Statistical Package for Social Sciences (SPSS), versão Foi realizada a análise descritiva dos dados pessoais (idade/gênero/escolaridade), características das condições de trabalho (escola ruidosa, ruído forte, ruído desagradável, acústica da sala satisfatória, eco, poeira, fumaça, umidade, temperatura, ambiente calmo, ritmo estressante, local de descanso, estresse presente no seu trabalho, fatores do ambiente interferem na sua vida pessoal ou em sua saúde), características físicas do local de trabalho (acústica, eco, ruído, poeira, fumaça, umidade, temperatura) e as características de condição vocal (autorreferência de queixa vocal, presença de sintomas vocais e de sensações laringofaríngeas).

4 Quanto à condição vocal, dos 21 sintomas/sensações, foram selecionados 14 sintomas/sensações (rouquidão, perda da voz, quebras na voz, voz grossa, garganta seca, tosse seca, pigarro, cansaço ao falar, tosse com catarro, secreção na garganta, dor ao falar, dor ao engolir) baseado em um estudo 30, que classificou o risco para distúrbio da voz por meio do cálculo do Índice de Triagem para o Distúrbio de Voz - ITDV. Tanto as questões que abordavam as condições de trabalho quanto as que retratavam a condição vocal foram pontuadas com escores. Para as questões com respostas dicotômicas os escores foram de 0 (pior condição) e 100 (melhor condição), já para as perguntas com respostas em escala (por exemplo: nunca, raramente, às vezes e sempre) pontuou-se com valores gradativos também variando de 0 (pior condição) à 100 (melhor condição). Em seguida, foi feita uma média das pontuações tanto das questões referentes às condições de trabalho, quanto das de condição vocal. Em seguida foram aplicados os testes estatísticos. O teste de normalidade Kolmogorov-Smirnov foi realizado para verificar a distribuição dos dados quanto aos valores obtidos quanto às condições de trabalho e ITDV. Foram efetuadas análises de correlação por meio do teste de correlação de Pearson. O teste de associação Quiquadrado para relacionar a autorreferência de alteração vocal e os tipos de escolas. O teste t não pareado foi utilizado para comparar as duas variáveis quanto ao tipo de escola. O teste ANOVA a um fator foi realizado para comparar as médias da variável ITDV quanto à carga horária semanal. O nível de significância utilizado nesse estudo foi de 5% e o intervalo de confiança de 95%. Por fim, para comparar a distribuição da pontuação do ITDV de cada grupo foi utilizado o Test Many-whitney. RESULTADOS Participaram deste estudo 183 professores, sendo 122 pertencentes a escola pública e 61 a escola particular. As mulheres foram maioria (73,2%), tanto nas escolas públicas

5 (76,2%) quanto na particular (67,2%). A média de idade dos professores foi de 42 anos (DP=10,01), possuindo os de escola pública, em média, 42,03 anos (DP=10,77) e os de escola particular 41,98 anos (DP=8,39). Quanto ao tempo de magistério, os docentes atuavam em sala de aula, em média, há 16,68 anos (DP=9,88), sendo que os da escola particular, em média, há 19,39 anos (DP=8,60), e os de escola pública há 15,07 anos (DP=10,52). Essa diferença de tempo de atuação na profissão foi estatisticamente significante (p=0,006). A maioria dos professores das escolas públicas apresentou carga horária semanal entre 10 e 20 horas (32%), enquanto que os de escola particular entre 20 e 30 horas (29,5%), conforme Tabela 1. Tabela 1 Distribuição dos professores quanto à carga horária semanal de sala de aula, de acordo com o tipo de escola. Carga horária semanal Tipo de escola Menos de 10h Entre 10h e E 20h ntre 20h e E 30h ntre 30h e 40h Mais de 40h Total n ,0% 35 28,7% 27 22,1% 8 6,6% 122 Pública 10,7% 100,0% % n ,2% 18 29,5% 14 23,0% 5 8,2% 61 Particular 13,1% 100,0% % Como mostra as Tabelas 2 e 3, respectivamente, os principais sintomas vocais relatados foram rouquidão, falha na voz e voz grossa, já as sensações foram de garganta seca, tosse seca e pigarro. Tabela 2 - Distribuição numérica (n) e percentual (%) dos sintomas vocais autorreferidos pelos professores Variável n % SINTOMAS VOCAIS Rouquidão Falha na voz Voz grossa Falta de ar Perda de voz ,2% ,1% 93 50,8% 82 44,8% 82 44,8% Voz fraca 79 43,2%

6 Voz grossa/fina 60 32,8% Voz fina 43 23,5% Outros 15 8,2% Total de participantes % Tabela 3 - Distribuição numérica (n) e percentual (%) das sensações vocais autorreferidas pelos professores Variável n % Garganta seca ,9% Tosse seca ,0% Pigarro ,1% Cansaço ao falar ,6% Esforço ao falar ,1% Ardor na garganta ,4% Tosse com catarro ,3% SENSAÇÕES LARINGOFARÍNGEAS Secreção na garganta 99 54,1% Picada na garganta 81 44,3% Dor ao falar 68 37,2% Dor ao engolir 68 37,2% Bola na garganta 64 35,0% Areia na garganta 61 33,3% Dificuldade de engolir 61 33,3% Total de participantes 100% Outras sensações 7,7% Dos 122 professores de escola pública, 86,89% relataram já ter apresentado, em algum momento, qualquer alteração vocal, já nas escolas particulares, esse percentual foi

7 63,93%. Isso representa uma associação significativa (p<0,001), de modo que os professores de escola pública apresentaram 3,74 vezes mais chance de referirem alguma alteração vocal que os da escola particular (Tabela 4). Tabela 4 Proporção de casos de autorreferência de alteração vocal em professores de escolas públicas e particulares. Tipo de Escola Alteração Vocal Presente Ausente Total Valor p* OddsRatio Pública (86,89%) (13,11%) (100%) Particular (63,93%) (36,07%) (100%) <0,001 3, 74 *Teste Qui - quadrado Ao se analisar os dados referentes às condições de trabalho, os professores de ambos os tipos de instituição referiram piores pontuações para os aspectos ambientais do que aos organizacionais. Comparando-se as condições de trabalho, os professores de escola particular apresentaram, na maioria das questões, melhores pontuações e com diferenças estatisticamente significantes. A pontuação global nas escolas públicas foi inferior a das escolas particulares, apresentando valores médios de 52,27 (DP=13,03) e 62,40 pontos (DP=12,97), respectivamente (p<0,001), conforme a Tabela 5. Tabela 5 Pontuações referentes às condições de trabalho em cada item analisado, em uma escala de 0 (pior condição) a 100 pontos (melhor condição). Pontuação - Condições de trabalho Valor Perguntas Pública Particular p* Média DP n Média DP n A escola é ruidosa? 72,79 10, ,17 12,08 61 <0,001 O ruído observado é forte? 67,21 11, ,81 10,37 61 <0,001 O ruído observado é desagradável? 69,40 12, ,26 11,95 61 <0,001 A acústica da sala é satisfatória? 43,98 16, ,23 13,51 61 <0,001

8 A sala tem eco? 30,22 14, ,37 14,44 61 <0,001 Há poeira no local? 70,49 14, ,15 13, ,761 Há fumaça no local? 19,11 8, ,51 14,62 61 <0,001 Há umidade no local? 33,67 13, ,58 13, ,021 A temperatura da escola é agradável? 54,10 15, ,48 11,48 61 <0,001 Seu ambiente de trabalho é calmo? 54,37 13, ,65 9,38 61 <0,001 O ritmo de trabalho é 58,95 14, ,91 7,42 61 <0,001 estressante? Existe local adequado para descanso dos professores na 47,79 19, ,72 19,83 61 <0,001 escola? O estresse está presente no seu 68,49 13, ,71 10, ,004 trabalho? Você acha que os fatores do ambiente de trabalho interferem 41,15 14, ,11 14, ,081 na sua vida pessoal ou em sua saúde? GLOBAL 52,27 13, ,40 12,97 61 <0,001 * Teste de Mann-Whitney O Índice de Triagem para Distúrbio de Voz (ITDV) obtido para os dois grupos apresentou diferença estatisticamente significativa (p=0,017), como mostra a Tabela 6. Tabela 6 - Comparação entre as medidas do Índice de Triagem para Distúrbio de Voz (ITDV) de professores de escola pública e particular. I T D V Tipo de Escola Desvio Valor p* Média Mediana Mínimo Máximo padrão 3, 03 0,017 Particular 3, , * Teste de Mann - Whitney 4, Pública No entanto, ao se correlacionar as condições de trabalho ao ITDV dos professores, verificou-se uma correlação negativa significante (r=-0,264; p<0,001). Na Figura 1 está representado o diagrama de dispersão das pontuações obtidas nessa última análise.

9 Figura 1 Diagrama de dispersão das pontuações obtidas das respostas dos professores. CONCLUSÃO Existe uma correlação negativa entre as condições vocais e de trabalho dos professores de escola pública e particular. Os professores de escola pública relataram piores condições de trabalho do que os da rede particular bem como apresentaram maior ITDV e alta ocorrência de distúrbio da voz. REFERÊNCIAS 1. Silvany Neto AM, Araújo TM, Dultra FRD, Azi GR, Alves RL, Kavalkievick C, Reis EJFB. Condições de trabalho e saúde de professores da rede particular de ensino de Salvador, BA. Rev Baiana Saúde Pública. 2000;24(1/2): Masson MLV. Professor, como está sua voz? Distúrb Comun. 2001;13(1): Simões M, Latorre MRDO. Alteração vocal em professores: uma revisão. J Bras Fonoaudiol. 2002;3(11):

10 4. Ferreira LP, Giannini SPP, Figueira S, Silva EE, Karmann DF, Souza TMT. Condições de produção vocal de professores da Prefeitura do Município de São Paulo. Distúrb Comun. 2003;14(2): Delcor NS, Araújo TM, Reis EJBF, Porto LA, Carvalho FM, Silva MO. Condições de trabalho e saúde dos professores da rede particular de ensino de Vitória da Conquista, Bahia, Brasil. Cad Saúde Pública. 2004;20(1): Servilha EAM. Estresse em professores universitários na área de fonoaudiologia. Rev Ciênc Méd. 2005;14(1): Yiu EM. Impact and prevention of voice problems in the teaching profession: embracing the consumers view. J Voice. 2002;16(2): Skarlatos D, Manatakis M. Effects of classroom noise on students and teachers in Greece. Percept Mot Skills. 2003;96(2): Roy N, Merrill RM, Thibeault S, Parsa RA, Gray SD, Smith EM. Prevalence of voice disorders in teachers and the general population. J Speech Lang Hear Res. 2004;47(2): Simberg S, Sala E, Vehmas K, Laine A. Changes in the prevalence of vocal symptoms among teachers during a twelve-year period. J Voice. 2005;19(1): Sliwinska-Kowalska M, Niebudek-Bogusz E, Fiszer M, Los-Spychalska T, Kotylo P, Sznurowska-Przygocka B, Modrzewska M. The prevalence and risk factors for occupational voice disorders in teachers. Folia Phoniatr Logop. 2006;58(2): Preciado J, Pérez C, Calzada M, Preciado P. Prevalence and incidence studies of voice disorders among teaching staff of La Rioja, Spain. Clinical study: questionnaire, function vocal examination, acoustic analysis and videolaryngostroboscopy. Acta Otorrinolaringol Esp. 2005;56(5): Salas Sánchez WA, Centeno Huamán J, Landa Contreras E, Amaya Chunga JM, Benites Galvez MR. Prevalencia de disfonía en profesores del distrito de Pampas Tayacaja - Huancavelica. Rev Med Hered. 2004;15(3):

11 14. Skarlatos D, Manatakis M. Effects of classroom noise on students and teachers in Greece. Percept Mot Skills. 2003; 96(2): Ortiz E, Alves LEA, Costa E. Saúde vocal de professores da rede municipal de ensino de cidade do interior de São Paulo. Rev Bras Méd Trabalho.2004; 2(4): Porto LA, Reis IC, Andrade JM, Nascimento CR, Carvalho FM. Doenças ocupacionais em professores atendidos pelo Centro de Estudos da Saúde do Trabalhador (CESAT). Rev Baiana Saúde Pública. 2004; 28(1): Dreossi RCF, Momensohn-Santos T. O ruído e sua interferência sobre estudantes em uma sala de aula: revisão de literatura. Pró-Fono. 2005; 17(2): Simberg S, Sala E, Vehmas K, Laine A. Changes in the prevalence of vocal symptoms among teachers during a twelve-year period. J Voice. 2005; 19(1): Thibeault SL, Merrill RM, Roy N, Gray SD, Smith EM. Occupational risk factors associated with voice disorders among teachers. Ann Epidemiol. 2004; 14(10): Roy N, Merrill RM, Thibeault S, Gray SD, Smith EM. Voice disorders in teachers and the general population: effects on work performance, attendance and future career choices. J Speech Lang Hear Res. 2004; 47(3): Batista JBV, Carlotto MS, Coutinho AS, Pereira DAM, Augusto LGS. Educação e conforto térmico: implicações no desempenho de universitários. In: IV Congresso Brasileiro de Psicologia do Desenvolvimento; 2003 novembro 19-23; João Pessoa. Anais. João Pessoa: Universitária; 2003: Vedovato TG, Monteiro MI. Perfil sociodemográfico e condições de saúde e trabalho dos professores de nove escolas estaduais paulista. Revista Salto Para o Futuro. 2008; 42: Pereira DA. Análise da capacidade de trabalho e das condições térmicas e acústicas às quais estão submetidos os professores de escolas públicas municipais de João Pessoa [dissertação]. João Pessoa: UFPB; Araújo TM, Reis TE, Sinany-Neto A, Kawalkievicz C. Processo de desgaste da saúde dos professores. Revista Textual. 2003;1(3):14-21.

12 25. Guimarães I. Os problemas de voz nos professores: prevalência, causas, efeitos e formas de prevenção. Rev. Portug. de Saú Pub. 2004; 22(4): Ferreira LP, Giannini SPP,Latorre MRDO, Simões-Zenari M. Distúrbio de voz relacionado ao trabalho: proposta de um instrumento para avaliação de professores. Distúrb. Comum. 2007;19(1): Marcal CCB, Peres MA. Alteração vocal auto-referida em professores: prevalência e fatores associados. Rev. Saúde Pública. 2011; 45(3) : Roy N, Merrill RM, Thibeault S, Parsa RA, GraySD, Smith EM. Prevalence of voice disorders in teachers and the general population. J Speech Lang Hear Res. 2004; 47(2): Oliveira IB. Desempenho vocal do professor: Avaliação multidimensional. [Tese]. Campinas: Pontifica Universidade Católica; Ghirardi ACAM, Ferreira LP, Giannini SPP, Latorre MRDO. Screening Index for Voice Disorder (SIVD): Development and Validation. J Voice. 2013;27(2).

ASSOCIAÇÃO ENTRE SENSAÇÕES LARINGOFARINGEAS E CAUSAS AUTORREFERIDAS POR PROFESSORES.

ASSOCIAÇÃO ENTRE SENSAÇÕES LARINGOFARINGEAS E CAUSAS AUTORREFERIDAS POR PROFESSORES. ASSOCIAÇÃO ENTRE SENSAÇÕES LARINGOFARINGEAS E CAUSAS AUTORREFERIDAS POR PROFESSORES. Autores: LAISE FERNANDES DE PAIVA, DANILO AUGUSTO DE HOLANDA FERREIRA, ALINE MENEZES GUEDES DIAS DE ARAÚJO, YOLANDA

Leia mais

RISCOS OCUPACIONAIS À SAÚDE E VOZ DE PROFESSORES: ESPECIFICIDADES DAS UNIDADES DE REDE MUNICIPAL DE ENSINO

RISCOS OCUPACIONAIS À SAÚDE E VOZ DE PROFESSORES: ESPECIFICIDADES DAS UNIDADES DE REDE MUNICIPAL DE ENSINO RISCOS OCUPACIONAIS À SAÚDE E VOZ DE PROFESSORES: ESPECIFICIDADES DAS UNIDADES DE REDE MUNICIPAL DE ENSINO As relações entre o professor e seu trabalho motivam pesquisas, em nível mundial, pelas repercussões

Leia mais

Mara Behlau, Fabiana Zambon, Ana Cláudia Guerrieri, Nelson Roy e GVP(*) Instituições: Panorama epidemiológico sobre a voz do professor no Brasil

Mara Behlau, Fabiana Zambon, Ana Cláudia Guerrieri, Nelson Roy e GVP(*) Instituições: Panorama epidemiológico sobre a voz do professor no Brasil Mara Behlau, Fabiana Zambon, Ana Cláudia Guerrieri, Nelson Roy e GVP(*) Instituições: Centro de Estudos da Voz CEV, Sindicato dos Professores de São Paulo SINPRO-SP e University of Utah, EUA Panorama epidemiológico

Leia mais

QUEIXAS E SINTOMAS VOCAIS PRÉ FONOTERAPIA EM GRUPO

QUEIXAS E SINTOMAS VOCAIS PRÉ FONOTERAPIA EM GRUPO QUEIXAS E SINTOMAS VOCAIS PRÉ FONOTERAPIA EM GRUPO [ALMEIDA, Anna Alice Figueirêdo de; SILVA, Priscila Oliveira Costa; FERNANDES, Luana Ramos; SOUTO, Moama Araújo; LIMA-SILVA, Maria Fabiana Bonfim] Centro

Leia mais

DOCENTES DO CURSO DE JORNALISMO: CONHECIMENTO SOBRE SAÚDE VOCAL

DOCENTES DO CURSO DE JORNALISMO: CONHECIMENTO SOBRE SAÚDE VOCAL DOCENTES DO CURSO DE JORNALISMO: CONHECIMENTO SOBRE SAÚDE VOCAL Rayné Moreira Melo Santos (CESMAC) raynefono@yahoo.com.br Rozana Machado Bandeira de Melo (CESMAC) rmbmelo@ig.com.br Zelita Caldeira Ferreira

Leia mais

Questionário Condição de Produção Vocal Professor (CPV-P): comparação. Autores: SUSANA PIMENTEL PINTO GIANNINI, MARIA DO ROSÁRIO DIAS

Questionário Condição de Produção Vocal Professor (CPV-P): comparação. Autores: SUSANA PIMENTEL PINTO GIANNINI, MARIA DO ROSÁRIO DIAS Questionário Condição de Produção Vocal Professor (CPV-P): comparação entre respostas em duas escalas. Autores: SUSANA PIMENTEL PINTO GIANNINI, MARIA DO ROSÁRIO DIAS DE OLIVEIRA LATORRE, LÉSLIE PICCOLOTTO

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE UM TRABALHO DE ASSESSORIA VOCAL COM PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS

AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE UM TRABALHO DE ASSESSORIA VOCAL COM PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS AVALIAÇÃO DA EFICÁCIA DE UM TRABALHO DE ASSESSORIA VOCAL COM PROFESSORES UNIVERSITÁRIOS Máryam de Paula Arbach Faculdade de Medicina Centro de Ciências da Vida maryarbach@puccamp.edu.br Emilse Aparecida

Leia mais

Pró-Fono Revista de Atualização Científica. 2008 jan-mar;20(1).

Pró-Fono Revista de Atualização Científica. 2008 jan-mar;20(1). Mudanças em comportamentos relacionados com o uso da voz após intervenção fonoaudiológica junto a educadoras de creche*** Changes in behavior associated to the use of voice after a speech therapy intervention

Leia mais

PROFESSOR ESPECIALIZADO NA ÁREA DA DEFICIÊNCIA VISUAL: OS SENTIDOS DA VOZ

PROFESSOR ESPECIALIZADO NA ÁREA DA DEFICIÊNCIA VISUAL: OS SENTIDOS DA VOZ PROFESSOR ESPECIALIZADO NA ÁREA DA DEFICIÊNCIA VISUAL: OS SENTIDOS DA VOZ Denise Cintra Villas Boas Léslie Piccolotto Ferreira Instituição: Pontifícia Universidade Católica de São Paulo- PUC/SP Área: Voz

Leia mais

AUTOPERCEPÇÃO DE ALTERAÇÕES VOCAIS E DE ABSENTEÍSMO EM PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO

AUTOPERCEPÇÃO DE ALTERAÇÕES VOCAIS E DE ABSENTEÍSMO EM PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO AUTOPERCEPÇÃO DE ALTERAÇÕES VOCAIS E DE ABSENTEÍSMO EM PROFESSORES DO ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO MEDEIROS, Camila Macêdo Araújo de 1 FRANÇA, Fernanda Pereira 2 SILVA, Ingrid Jessie Freitas Coutinho da

Leia mais

RISCOS OCUPACIONAIS À SAÚDE E VOZ DE PROFESSORES: ESPECIFICIDADES DAS UNIDADES DE REDE MUNICIPAL DE ENSINO

RISCOS OCUPACIONAIS À SAÚDE E VOZ DE PROFESSORES: ESPECIFICIDADES DAS UNIDADES DE REDE MUNICIPAL DE ENSINO 109 RISCOS OCUPACIONAIS À SAÚDE E VOZ DE PROFESSORES: ESPECIFICIDADES DAS UNIDADES DE REDE MUNICIPAL DE ENSINO Occupational risks to the health and voice of teachers: specificities of municipal education

Leia mais

Distúrbio de voz relacionado ao trabalho docente: um estudo caso-controle.

Distúrbio de voz relacionado ao trabalho docente: um estudo caso-controle. Distúrbio de voz relacionado ao trabalho docente: um estudo caso-controle. Susana Pimentel Pinto Giannini Maria do Rosário Dias de Oliveira Latorre Leslie Piccolotto Ferreira O professor ocupa lugar privilegiado

Leia mais

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE

DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM SITUAÇÕES DE TRABALHO PRECOCE Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 18 a 22 de outubro, 2010 337 DIMENSÕES DO TRABAHO INFANTIL NO MUNICÍPIO DE PRESIDENTE PRUDENTE: O ENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES EM

Leia mais

TREINAMENTO VOCAL PODE SER FATOR PROTETOR CONTRA DORES

TREINAMENTO VOCAL PODE SER FATOR PROTETOR CONTRA DORES TREINAMENTO VOCAL PODE SER FATOR PROTETOR CONTRA DORES Autores: Thays Vaiano, Mara Behlau, Ana Cláudia Guerrieri Palavras Chave: Dor, Voz, canto Introdução: Dor pode ser definida como "experiência sensitiva

Leia mais

SAÚDE VOCAL: LEVANTAMENTO DAS LEIS BRASILEIRAS 1

SAÚDE VOCAL: LEVANTAMENTO DAS LEIS BRASILEIRAS 1 SAÚDE VOCAL: LEVANTAMENTO DAS LEIS BRASILEIRAS 1 Léslie Piccolotto Ferreira Emilse Aparecida Merlin Servilha 3 Maria Lúcia Vaz Masson 4 Micheline Baldini de Figueiredo Maciel Reinaldi 5 RESUMO Objetivo:

Leia mais

Distúrbio de voz relacionado ao trabalho docente: um estudo caso-controle

Distúrbio de voz relacionado ao trabalho docente: um estudo caso-controle Artigo Original Original Article Distúrbio de voz relacionado ao trabalho docente: um estudo caso-controle Susana Pimentel Pinto Giannini 1,2 Maria do Rosário Dias de Oliveira Latorre 2 Léslie Piccolotto

Leia mais

Regressão logística como modelo de decisão para a disfonia em professores e não professores

Regressão logística como modelo de decisão para a disfonia em professores e não professores Priscila Oliveira Costa Silva¹ Luciana Alves da Nóbrega¹ Anna Alice Figueirêdo de Almeida¹ César Cavalcanti da Silva¹ Logistic regression for model decision as to dysphonia in teachers and non teachers

Leia mais

aspectos do sofrimento vocal profissional

aspectos do sofrimento vocal profissional aspectos do sofrimento vocal profissional Fabiana Zambon Fonoaudióloga Especialista em Voz Mestranda em Distúrbios da Comunicação Humana pela UNIFESP-EPM Fonoaudióloga responsável pelo programa de Saúde

Leia mais

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE E TRABALHO ENTRE TÉCNICOS DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA - MT

AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE E TRABALHO ENTRE TÉCNICOS DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA - MT AVALIAÇÃO DAS CONDIÇÕES DE SAÚDE E TRABALHO ENTRE TÉCNICOS DE ENFERMAGEM DE UM HOSPITAL ESTADUAL DO MUNICÍPIO DE ALTA FLORESTA - MT 1 TATIANA CORREA YAMACIRO DOS REIS 2 FRANCIANNE BARONI ZANDONADI 1 Bacharel

Leia mais

ADOECIMENTO VOCAL EM PROFESSORES

ADOECIMENTO VOCAL EM PROFESSORES ADOECIMENTO VOCAL EM PROFESSORES Lhaís Renata Mestre Faculdade de Fonoaudiologia Centro de Ciências da Vida lhais.rm@puccampinas.edu.br Resumo: Os professores apresentam alta prevalência de distúrbios

Leia mais

TRABALHADORES DE SAÚDE DE UM MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO SUL

TRABALHADORES DE SAÚDE DE UM MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO SUL AVALIAÇÃO DA SÍNDROME S DE BURNOUT EM TRABALHADORES DE SAÚDE DE UM MUNICÍPIO DO RIO GRANDE DO SUL AUTORES: KALINE LÍGIA F. CAUDURO VICTOR N. FONTANIVE PAULO V. N. FONTANIVE INTRODUÇÃO A saúde do trabalhador

Leia mais

TRABALHO DOCENTE E SAÚDE DO PROFESSOR

TRABALHO DOCENTE E SAÚDE DO PROFESSOR TRABALHO DOCENTE E SAÚDE DO PROFESSOR Carla Roane de Souza Santana¹; Ana Priscila da Silva Lima²; Albertina Marília Alves Guedes³ ¹Aluna do curso de Licenciatura em Química do Instituto Federal do Sertão

Leia mais

AÇÕES DE SAÚDE VOCAL O QUE O PROFESSOR UTILIZA NA ROTINA PROFISSIONAL EM LONGO PRAZO?

AÇÕES DE SAÚDE VOCAL O QUE O PROFESSOR UTILIZA NA ROTINA PROFISSIONAL EM LONGO PRAZO? AÇÕES DE SAÚDE VOCAL O QUE O PROFESSOR UTILIZA NA ROTINA Autora: Maria Lúcia Suzigan Dragone PROFISSIONAL EM LONGO PRAZO? Instituição: Centro Universitário de Araraquara, UNIARA. Programa de Pós-Graduação

Leia mais

Palavras-chave: Professores de Educação Física; alterações vocais;

Palavras-chave: Professores de Educação Física; alterações vocais; PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FÍSICA: INCIDÊNCIA DE ALTERAÇÕES VOCAIS Roberta Moreno Sas, UFSCar/ Sao Carlos-SP robertasas@hotmail.com Sheila Glaucieli Fenske, UFSCar/ Sao Carlos-SP sheilafenske@yahoo.com.br

Leia mais

Prevalência de alteração vocal em educadoras e sua relação com a auto-percepção

Prevalência de alteração vocal em educadoras e sua relação com a auto-percepção Rev Saúde Pública 2006;40(6):1013-8 Marcia Simões I Maria do Rosário Dias de Oliveira Latorre II Prevalência de alteração vocal em educadoras e sua relação com a auto-percepção Prevalence of voice alteration

Leia mais

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil

CONSELHO DE CLASSE. A visão dos professores sobre educação no Brasil CONSELHO DE CLASSE A visão dos professores sobre educação no Brasil INTRODUÇÃO Especificações Técnicas Data do Campo 19/06 a 14/10 de 2014 Metodologia Técnica de coleta de dados Abrangência geográfica

Leia mais

Faculdade de Ciências Humanas Programa de Pós-Graduação em Educação RESUMO EXPANDIDO DO PROJETO DE PESQUISA

Faculdade de Ciências Humanas Programa de Pós-Graduação em Educação RESUMO EXPANDIDO DO PROJETO DE PESQUISA RESUMO EXPANDIDO DO PROJETO DE PESQUISA TÍTULO: TRABALHO DOCENTE NO ESTADO DE SÃO PAULO: ANÁLISE DA JORNADA DE TRABALHO E SALÁRIOS DOS PROFESSORES DA REDE PÚBLICA PAULISTA RESUMO O cenário atual do trabalho

Leia mais

SINTOMA VOCAL E SUA PROVÁVEL CAUSA: LEVANTAMENTO DE DADOS EM UMA POPULAÇÃO

SINTOMA VOCAL E SUA PROVÁVEL CAUSA: LEVANTAMENTO DE DADOS EM UMA POPULAÇÃO 110 SINTOMA VOCAL E SUA PROVÁVEL CAUSA: LEVANTAMENTO DE DADOS EM UMA POPULAÇÃO Vocal sympton and its probable cause: data colleting in a population Léslie Piccolotto Ferreira (1), Janine Galvão dos Santos

Leia mais

CONDIÇÃO DE PRODUÇÃO VOCAL PROFESSOR

CONDIÇÃO DE PRODUÇÃO VOCAL PROFESSOR CONDIÇÃO DE PRODUÇÃO VOCAL PROFESSOR Prezado professor: O questionário CPV-P tem como objetivo fazer um levantamento das condições da voz do professor. Por gentileza, responda todas as questões marcando

Leia mais

A percepção do handicap em adultos candidatos ao uso de aparelhos. auditivos. Fabiane Acco Mattia Fonoaudióloga Especialização em Audiologia

A percepção do handicap em adultos candidatos ao uso de aparelhos. auditivos. Fabiane Acco Mattia Fonoaudióloga Especialização em Audiologia A percepção do handicap em adultos candidatos ao uso de aparelhos auditivos Fabiane Acco Mattia Fonoaudióloga Especialização em Audiologia Karlin Fabianne Klagenberg Fonoaudióloga Doutorado em Distúrbios

Leia mais

ANÁLISE DE RELATOS DE PAIS E PROFESSORES DE ALUNOS COM DIAGNÓSTICO DE TDAH

ANÁLISE DE RELATOS DE PAIS E PROFESSORES DE ALUNOS COM DIAGNÓSTICO DE TDAH Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 660 ANÁLISE DE RELATOS DE PAIS E PROFESSORES DE ALUNOS COM DIAGNÓSTICO DE TDAH Camila Rodrigues Costa 1, 2 Matheus

Leia mais

TRABALHO EM TELEATENDIMENTO

TRABALHO EM TELEATENDIMENTO Associação Paulista de Medicina Associação Paulista de Medicina do Trabalho Reunião Técnica TRABALHO EM TELEATENDIMENTO João Silvestre Jr joaossj@gmail.com twitter.com/joaosilvestrejr São Paulo, maio de

Leia mais

Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil

Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Merlin Servilha, Emilse Aparecida; Teixeira Fialho da Costa, Aline CONHECIMENTO VOCAL E A IMPORTÂNCIA DA VOZ COMO RECURSO PEDAGÓGICO

Leia mais

A variação da velocidade de fala como estratégia comunicativa na expressão de atitudes

A variação da velocidade de fala como estratégia comunicativa na expressão de atitudes A variação da velocidade de fala como estratégia comunicativa na expressão de atitudes Palavras-chave: velocidade de fala, comunicação, atitude Introdução Uma das principais funções da prosódia é a expressão

Leia mais

INVESTIGAÇÃO ACERCA DA PRINCIPAL FINALIDADE DO USO DE PLANTAS MEDICINAIS EM CRIANÇAS DE 0 A 2 ANOS

INVESTIGAÇÃO ACERCA DA PRINCIPAL FINALIDADE DO USO DE PLANTAS MEDICINAIS EM CRIANÇAS DE 0 A 2 ANOS INVESTIGAÇÃO ACERCA DA PRINCIPAL FINALIDADE DO USO DE PLANTAS MEDICINAIS EM CRIANÇAS DE 0 A 2 ANOS COSTA, Eliene Pereira. Discente do curso de Enfermagem do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, da

Leia mais

AVALIAÇÃO VOCAL NA PERSPECTIVA DE PROFESSORES E FONOAUDIÓLOGOS: SIMILITUDES RELACIONADAS À QUALIDADE VOCAL

AVALIAÇÃO VOCAL NA PERSPECTIVA DE PROFESSORES E FONOAUDIÓLOGOS: SIMILITUDES RELACIONADAS À QUALIDADE VOCAL AVALIAÇÃO VOCAL NA PERSPECTIVA DE PROFESSORES E FONOAUDIÓLOGOS: SIMILITUDES RELACIONADAS À QUALIDADE VOCAL Palavras-chave: distúrbios da voz, docentes, qualidade da voz. Os estudos fonoaudiológicos que

Leia mais

Voz e disfunção temporomandibular em professores

Voz e disfunção temporomandibular em professores Voz e disfunção temporomandibular em professores Ilza Maria Machado Leslie Piccolotto Ferreira Esther Mandelbaum Gonçalves Bianchini Marta Assumpção de Andrada e Silva Instituição: Pontifícia Universidade

Leia mais

Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm

Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm Comportamento Da Pressão Arterial De Jovens Normotensos Após Realização Dos Testes De 1rm E 10rm Siomara F. M. de Araújo; Dyego F. Facundes; Erika M. Costa; Lauane L. Inês; Raphael Cunha. siomarafma@hotmail.com

Leia mais

XX Encontro de Iniciação à Pesquisa Universidade de Fortaleza 20 à 24 de Outubro de 2014

XX Encontro de Iniciação à Pesquisa Universidade de Fortaleza 20 à 24 de Outubro de 2014 XX Encontro de Iniciação à Pesquisa Universidade de Fortaleza 20 à 24 de Outubro de 2014 AVALIAÇÃO DO OPERADOR NO POSTO DE TRABALHO DO TRATOR AGRÍCOLA DURANTE O PREPARO DO SOLO Mara Alice Maciel dos Santos

Leia mais

PREVENÇÃO ÀS LER/DORT

PREVENÇÃO ÀS LER/DORT PREVENÇÃO ÀS LER/DORT Introdução Durante os dias 19, 20 e 23 de julho o Datafolha ouviu os trabalhadores paulistanos sobre sua vida no trabalho (atividades desempenhadas, carga horária, realização de horas

Leia mais

Preditividade das sentenças do protocolo de avaliação da inteligibilidade da fala nas disartrias

Preditividade das sentenças do protocolo de avaliação da inteligibilidade da fala nas disartrias Preditividade das sentenças do protocolo de avaliação da inteligibilidade da fala nas disartrias Alexandre E, Barreto SS, Ortiz KZ Palavras-chave: Inteligibilidade da Fala; Percepção da Fala; Disartria.

Leia mais

GRANDE ÁREA CIENCIAS DA SAUDE ÁREA DE PESQUISA FONOAUDIOLOGIA

GRANDE ÁREA CIENCIAS DA SAUDE ÁREA DE PESQUISA FONOAUDIOLOGIA GRANDE ÁREA- 4.00.00.00-1- CIENCIAS DA SAUDE ÁREA DE PESQUISA- 4.07.00.00-3- FONOAUDIOLOGIA TÍTULO- INFLUÊNCIA DE FATORES AMBIENTAIS E ORGANIZACIONAIS NOS DISTÚRBIOS DE VOZ DE PROFESSORES AUTOR- SUELI

Leia mais

Condições de trabalho, qualidade de vida e disfonia entre docentes. Work conditions, quality of life, and voice disorders in teachers.

Condições de trabalho, qualidade de vida e disfonia entre docentes. Work conditions, quality of life, and voice disorders in teachers. ARTIGO ARTICLE 2439 Condições de trabalho, qualidade de vida e disfonia entre docentes Work conditions, quality of life, and voice disorders in teachers Renata Jardim 1 Sandhi Maria Barreto 1 Ada Ávila

Leia mais

Políticas públicas e voz do professor: caracterização das leis brasileiras. Public policy and teachers voice: characterization of Brazilian laws

Políticas públicas e voz do professor: caracterização das leis brasileiras. Public policy and teachers voice: characterization of Brazilian laws Políticas públicas e voz do professor: caracterização das leis brasileiras Public policy and teachers voice: characterization of Brazilian laws Léslie Piccolotto Ferreira 1, Emilse Aparecida Merlin Servilha

Leia mais

A influência do ruído ambiental no desempenho de escolares nos testes de padrão tonal de frequência e padrão tonal de duração

A influência do ruído ambiental no desempenho de escolares nos testes de padrão tonal de frequência e padrão tonal de duração A influência do ruído ambiental no desempenho de escolares nos testes de padrão tonal de frequência e padrão tonal de duração Palavras-chave: Ruído, Testes auditivos, percepção auditiva INTRODUÇÃO A poluição

Leia mais

PERFIL VOCAL DA PESSOA COM DISFONIA: ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESVANTAGEM VOCAL.

PERFIL VOCAL DA PESSOA COM DISFONIA: ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESVANTAGEM VOCAL. PERFIL VOCAL DA PESSOA COM DISFONIA: ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESVANTAGEM VOCAL. Marina Bizigato Faculdade de Fonoaudiologia Centro de Ciências da Vida mabizi19@hotmail.com Iara Bittante de Oliveira Grupo

Leia mais

Palavras-chave: criança de rua; distúrbios da comunicação; voz profissional.

Palavras-chave: criança de rua; distúrbios da comunicação; voz profissional. Distúrbios da comunicação e audição entre escolares com queixas vocais, com e sem história de situação de rua, em Aracaju, Brasil. Autor: Neuza Josina Sales, Ricardo Queiroz Gurgel. Instituição: Universidade

Leia mais

Achados Audiológicos em Policiais Militares: Avaliação Audiológica Básica e Emissões Otoacústicas Produto de Distorção. Introdução Material e Método

Achados Audiológicos em Policiais Militares: Avaliação Audiológica Básica e Emissões Otoacústicas Produto de Distorção. Introdução Material e Método Achados Audiológicos em Policiais Militares: Avaliação Audiológica Básica e Emissões Otoacústicas Produto de Distorção. Palavras Chaves: Perda auditiva induzida por ruído, audição, militares. Introdução

Leia mais

AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA GONÇALVES, RAFAEL MONTEIRO BORGES, VANESSA FURTADO REIS

AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA GONÇALVES, RAFAEL MONTEIRO BORGES, VANESSA FURTADO REIS TÍTULO: QUALIDADE DE VIDA DE CUIDADORES DE IDOSOS COM DEMÊNCIA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU AUTOR(ES): CAMILA QUINTELLA

Leia mais

Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil

Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Fontes Luchesi, Karen; Figueiredo Mourão, Lucia; Kitamura, Satoshi Efetividade de um programa de aprimoramento vocal para professores

Leia mais

TÍTULO: A RELAÇÃO DE DOR OSTEOMUSCULAR E A QUALIDADE DE VIDA DOS MILITARES DO BATALHÃO DO CORPO DE BOMBEIROS.

TÍTULO: A RELAÇÃO DE DOR OSTEOMUSCULAR E A QUALIDADE DE VIDA DOS MILITARES DO BATALHÃO DO CORPO DE BOMBEIROS. TÍTULO: A RELAÇÃO DE DOR OSTEOMUSCULAR E A QUALIDADE DE VIDA DOS MILITARES DO BATALHÃO DO CORPO DE BOMBEIROS. CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: CENTRO

Leia mais

PAF Programa de Acompanhamento Funcional

PAF Programa de Acompanhamento Funcional PAF Programa de Acompanhamento Funcional MINISTÉRIO PÚBLICO MILITAR Márcio de Moura Pereira Motivação do Projeto SITUAÇÃO PROBLEMA Necessidade de atender a demandas já existentes de servidores e membros

Leia mais

RADIO 2011 Contribuição dos domínios do WHOQOL-Bref na qualidade de vida de trabalhadores de uma instalação radiativa

RADIO 2011 Contribuição dos domínios do WHOQOL-Bref na qualidade de vida de trabalhadores de uma instalação radiativa RADIO 2011 Contribuição dos domínios do WHOQOL-Bref na qualidade de vida de trabalhadores de uma instalação radiativa Ivani M. Fernandes, Amanda J. da Silva, Maria da Penha A. Potiens e Janete C. G. G.

Leia mais

Análise de voz e comunicação oral de professores de curso pré-vestibular. Voice and oral communication analysis of preparatory school teachers

Análise de voz e comunicação oral de professores de curso pré-vestibular. Voice and oral communication analysis of preparatory school teachers Artigo Original Análise de voz e comunicação oral de professores de curso pré-vestibular Voice and oral communication analysis of preparatory school teachers Andressa Consentino Vieira 1, Mara Behlau 2

Leia mais

Influence of Stretching Program in Factory Workers, Prevalence of Musculoskeletal Symptoms

Influence of Stretching Program in Factory Workers, Prevalence of Musculoskeletal Symptoms Influence of Stretching Program in Factory Workers, Prevalence of Musculoskeletal Symptoms Prevalência de Sintomatologia Músculoesquelética em Operários Fabris, Comparação da sua Capacidade para o Trabalho

Leia mais

VARIÁVEIS PREDITORAS DA AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DE VIDA EM PESSOAS ACIMA DE 50 ANOS COM HIV/AIDS

VARIÁVEIS PREDITORAS DA AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DE VIDA EM PESSOAS ACIMA DE 50 ANOS COM HIV/AIDS VARIÁVEIS PREDITORAS DA AVALIAÇÃO DE QUALIDADE DE VIDA EM PESSOAS ACIMA DE 50 ANOS COM HIV/AIDS Josevania da Silva UNIPÊ/UEPB josevaniasco@gmail.com Renata Pires Mendes da Nóbrega UNIPÊ - renata_pmn@hotmail.com

Leia mais

SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL

SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL SATISFAÇÃO DO IDOSO NO PROGRAMA JOÃO PESSOA VIDA SAUDÁVEL Priscilla Pinto Costa da Silva 1 Emília Amélia Pinto Costa da Silva 2 Luiz Arthur Cavalcanti Cabral 1 Eronaldo de Sousa Queiroz Junior 1 Nayrla

Leia mais

O DISTÚRBIO DE VOZ RELACIONADO AO TRABALHO DO PROFESSOR E A LEGISLAÇÃO ATUAL

O DISTÚRBIO DE VOZ RELACIONADO AO TRABALHO DO PROFESSOR E A LEGISLAÇÃO ATUAL 628 O DISTÚRBIO DE VOZ RELACIONADO AO TRABALHO DO PROFESSOR E A LEGISLAÇÃO ATUAL The voice disorders related to work of teacher and current legislation Cristiane Cunha Soderini Ferracciu (1), Marcia Soalheiro

Leia mais

O que pensam os professores da educação básica de Campinas sobre a aprendizagem dos alunos: evidências da Prova Brasil 2013. Por Stella Silva Telles

O que pensam os professores da educação básica de Campinas sobre a aprendizagem dos alunos: evidências da Prova Brasil 2013. Por Stella Silva Telles O que pensam os professores da educação básica de Campinas sobre a aprendizagem dos alunos: evidências da Prova Brasil 2013 Por Stella Silva Telles - Apresentação; - Quem são os professores que responderam

Leia mais

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ

Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica. Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Etapas da Metodologia da Pesquisa Científica Maria da Conceição Muniz Ribeiro Mestre em Enfermagem pela UERJ Metodologia da Pesquisa Cientifica Metodologia Como se procederá a pesquisa? Caminhos para se

Leia mais

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública

Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Capítulo 3 Adultos Jovens no Trabalho em Micro e Pequenas Empresas e Política Pública Maria Inês Monteiro Mestre em Educação UNICAMP; Doutora em Enfermagem USP Professora Associada Depto. de Enfermagem

Leia mais

BARBOSA, Bruno Ferreira do Serrado 1 LOURENÇO, Bruno da Silva 2 SOUZA, Camila Cruz de 3 GONÇALVES, Albina Nascimento da Rocha 4

BARBOSA, Bruno Ferreira do Serrado 1 LOURENÇO, Bruno da Silva 2 SOUZA, Camila Cruz de 3 GONÇALVES, Albina Nascimento da Rocha 4 O QUE TE ESTRESSA, PROFESSOR? PANORAMA DO ESTRESSE DE PROFESSORES DA ESCOLA DE SAÚDE DO MEIO AMBIENTE DE UMA UNIVERSIDADE DA ZONA OESTE DO RIO DE JANEIRO BARBOSA, Bruno Ferreira do Serrado 1 LOURENÇO,

Leia mais

DESCRIÇÃO DO PERFILVOCAL DE PROFESSORES ASSISTIDOS POR UM PROGRAMA DE ASSESSORIA EM VOZ

DESCRIÇÃO DO PERFILVOCAL DE PROFESSORES ASSISTIDOS POR UM PROGRAMA DE ASSESSORIA EM VOZ DESCRIÇÃO DO PERFILVOCAL DE PROFESSORES ASSISTIDOS POR UM PROGRAMA DE ASSESSORIA EM VOZ MASCARENHAS 1, Vanessa SOUZA 2, Vânia ALVES³, Jônatas LIMA- SILVA, Maria Fabiana ALMEIDA, Anna Alice Centro de Ciências

Leia mais

Ciência & Saúde Coletiva ISSN: 1413-8123 cecilia@claves.fiocruz.br. Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva.

Ciência & Saúde Coletiva ISSN: 1413-8123 cecilia@claves.fiocruz.br. Associação Brasileira de Pós-Graduação em Saúde Coletiva. Ciência & Saúde Coletiva ISSN: 8 cecilia@claves.fiocruz.br Associação Brasileira de PósGraduação em Saúde Coletiva Brasil Gampel, Deborah; Karsch, Ursula Margarida; Piccolotto Ferreira, Léslie Percepção

Leia mais

Mônica Lima Universidade Federal da Bahia Monica Aparecida Tomé Pereira Universidade Federal do Vale do São Francisco

Mônica Lima Universidade Federal da Bahia Monica Aparecida Tomé Pereira Universidade Federal do Vale do São Francisco 349 PERCEPÇÃO DOS ESTUDANTES SOBRE INFRAESTRUTURA DOS CURSOS DE PSICOLOGIA: CONSIDERAÇÕES A PARTIR DO ENADE-2006 Mônica Lima Universidade Federal da Bahia Monica Aparecida Tomé Pereira Universidade Federal

Leia mais

ADOECIMENTO MENTAL EM DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL I e II

ADOECIMENTO MENTAL EM DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL I e II ADOECIMENTO MENTAL EM DOCENTES DO ENSINO FUNDAMENTAL I e II Laísa Karine da Silva (PIBIC/FA), Ana Lúcia De Grandi (Orientadora), e-mail: laisas@live.com Universidade Estadual do Norte do Paraná/Campus

Leia mais

OTRABALHO NOTURNO E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ESTUDO EXPLORATÓRIO EM TAUBATÉ E SÃO JOSÉ DOS CAMPOS

OTRABALHO NOTURNO E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ESTUDO EXPLORATÓRIO EM TAUBATÉ E SÃO JOSÉ DOS CAMPOS OTRABALHO NOTURNO E A SAÚDE DO TRABALHADOR: ESTUDO EXPLORATÓRIO EM TAUBATÉ E SÃO JOSÉ DOS CAMPOS Tatiane Paula de Oliveira 1, Adriana Leonidas de Oliveira (orientadora) 2 1 Universidade de Taubaté/ Departamento

Leia mais

QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE E SUA ASSOCIAÇÃO COM EXCESSO DE PESO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES

QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE E SUA ASSOCIAÇÃO COM EXCESSO DE PESO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES QUALIDADE DE VIDA RELACIONADA À SAÚDE E SUA ASSOCIAÇÃO COM EXCESSO DE PESO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES Sandra Fiorelli de Almeida Penteado Simeão e-mail: ssimeao@usc.br; Márcia Aparecida Nuevo Gatti e-mail:

Leia mais

CARACTERÍSTICAS POSTURAIS DE IDOSOS

CARACTERÍSTICAS POSTURAIS DE IDOSOS CARACTERÍSTICAS POSTURAIS DE IDOSOS 1INTRODUÇÃO A partir dos 40 anos, a estatura começa a se reduzir em torno de um centímetro por década¹.a capacidade de manter o equilíbrio corporal é um prérequisito

Leia mais

Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP

Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP Relatório Estatístico da Pesquisa Realizada no 23º Congresso Estadual da APEOESP (1 a 3 de dezembro de 2010) Objetivos da Pesquisa: 1) Gerais: Conhecer mais profundamente a saúde e condições de trabalho

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA, ESTADO NUTRICIONAL E PREOCUPAÇÕES COM A IMAGEM CORPORAL EM ADOLESCENTES

ATIVIDADE FÍSICA, ESTADO NUTRICIONAL E PREOCUPAÇÕES COM A IMAGEM CORPORAL EM ADOLESCENTES ATIVIDADE FÍSICA, ESTADO NUTRICIONAL E PREOCUPAÇÕES COM A IMAGEM CORPORAL EM ADOLESCENTES Maria Fernanda Laus; Diana Cândida Lacerda Mota; Rita de Cássia Margarido Moreira;Telma Maria Braga Costa; Sebastião

Leia mais

Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população

Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população Poluição sonora no município de São Paulo: avaliação do ruído e o impacto da exposição na saúde da população Introdução O ruído pode ser definido como um som desagradável e indesejável que pode afetar

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE O USO PROFISSIONAL DA VOZ DE PROFESSORES DO CURSO DE FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL DA UFSM

UM ESTUDO SOBRE O USO PROFISSIONAL DA VOZ DE PROFESSORES DO CURSO DE FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL DA UFSM UM ESTUDO SOBRE O USO PROFISSIONAL DA VOZ DE PROFESSORES DO CURSO DE FORMAÇÃO EM EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL DA UFSM Clarice Terezinha Tomazzetti - UFSM Cláudia Ribeiro Bellochio - UFSM RESUMO

Leia mais

1. Problema Geral de Investigação

1. Problema Geral de Investigação O CONTRIBUTO DO DISTRESS, BURNOUT E BEM-ESTAR PARA O ABSENTISMO E SATISFAÇÃO: UM ESTUDO COM TRABALHADORES DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM CONTEXTO UNIVERSITÁRIO Sónia Borges Índice 1. Enquadramento Geral da

Leia mais

ESTUDO COMPARATIVO DA APLICAÇÃO ISOLADA E SIMULTÂNEA DAS ANÁLISES ESPECTROGRÁFICA E PERCEPTIVO-AUDITIVA NA CONFIABILIDADE DA AVALIAÇÃO DA VOZ

ESTUDO COMPARATIVO DA APLICAÇÃO ISOLADA E SIMULTÂNEA DAS ANÁLISES ESPECTROGRÁFICA E PERCEPTIVO-AUDITIVA NA CONFIABILIDADE DA AVALIAÇÃO DA VOZ ESTUDO COMPARATIVO DA APLICAÇÃO ISOLADA E SIMULTÂNEA DAS ANÁLISES ESPECTROGRÁFICA E PERCEPTIVO-AUDITIVA NA CONFIABILIDADE DA AVALIAÇÃO DA VOZ Introdução: A voz é produzida no trato vocal e é resultado

Leia mais

Distúrbio de Voz Relacionado ao Trabalho. Saúde do Trabalhador Protocolo de Complexidade Diferenciada

Distúrbio de Voz Relacionado ao Trabalho. Saúde do Trabalhador Protocolo de Complexidade Diferenciada MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador Distúrbio de Voz Relacionado ao Trabalho Saúde do Trabalhador Protocolo de Complexidade Diferenciada

Leia mais

CURSO PRÉ-VESTIBULAR UNE-TODOS: CONTRIBUINDO PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO *

CURSO PRÉ-VESTIBULAR UNE-TODOS: CONTRIBUINDO PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO * CURSO PRÉ-VESTIBULAR UNE-TODOS: CONTRIBUINDO PARA A EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA NA UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MATO GROSSO * COSTA, Marcia de Souza 1, PAES, Maria Helena Rodrigues 2 ; Palavras-chave: Pré-vestibular

Leia mais

Palavras-chave: Aptidão Física. Saúde. Projeto Esporte Brasil.

Palavras-chave: Aptidão Física. Saúde. Projeto Esporte Brasil. APTIDÃO FÍSICA RELACIONADA Á SAÚDE DE CRIANÇAS E JOVENS DO PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL EM APODI/RN Jorge Alexandre Maia de Oliveira Maria Lúcia Lira de Andrade Maikon Moisés de Oliveira

Leia mais

Questionário de Auto-avaliação Vocal: Instrumento Epidemiológico de Controle da Síndrome Disfônica Ocupacional em Professores

Questionário de Auto-avaliação Vocal: Instrumento Epidemiológico de Controle da Síndrome Disfônica Ocupacional em Professores Artigo Original Questionário de Auto-avaliação Vocal: Instrumento Epidemiológico de Controle da Síndrome Disfônica Ocupacional em Professores Vocal Self Assessment Questionnaire: Epidemological Control

Leia mais

Orientações e Dicas para a Saúde Vocal do Docente

Orientações e Dicas para a Saúde Vocal do Docente Orientações e Dicas para a Saúde Vocal do Docente Prezado (a) Professor (a), A sua voz é um instrumento indispensável para o seu trabalho; por isso, atenção e cuidados especiais devem ser dados a ela.

Leia mais

INCIDÊNCIA DA SÍNDROME DE BURNOUT EM PROFESSORES DA ÁREA DA SAÚDE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ PR

INCIDÊNCIA DA SÍNDROME DE BURNOUT EM PROFESSORES DA ÁREA DA SAÚDE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ PR 20 a 24 de outubro de 2008 INCIDÊNCIA DA SÍNDROME DE BURNOUT EM PROFESSORES DA ÁREA DA SAÚDE DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE MARINGÁ PR Ilario Eing Granado 1 ; Fernanda Ferreti Vasconcelos¹; Joaquim Martins

Leia mais

Sintomas vocais e causas autorreferidas em professores

Sintomas vocais e causas autorreferidas em professores Revista CEFAC Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal doi: 10.1590/1982-021620161817915 Artigos originais Sintomas vocais e causas autorreferidas em professores Vocal symptoms and self-reported

Leia mais

ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ

ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ ROTULAGEM NUTRICIONAL: VOCÊ SABE O QUE ESTÁ COMENDO? F. F. Paiva, G. Cavada, E. Helbig, L. R. Borges Flávia Fernandes Paiva Gramado, 2012 Introdução Vida mais corrida Modificações alimentares + Maus hábitos

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Estatísticas Educacionais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Estatísticas Educacionais Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Diretoria de Estatísticas Educacionais NOTA TÉCNICA Nº 4/214 Brasília, 17 de dezembro de 214 Indicador para

Leia mais

PERFIL DE IDOSOS COM ALTERAÇÕES PODAIS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA

PERFIL DE IDOSOS COM ALTERAÇÕES PODAIS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA PERFIL DE IDOSOS COM ALTERAÇÕES PODAIS ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE GERIATRIA INTRODUÇÃO Saemmy Grasiely Estrela de Albuquerque 1 Mayara Muniz Dias Rodrigues 2 Maria das Graças Melo Fernandes 3 Fabiana

Leia mais

Faculdade de Enfermagem/Universidade Federal de Goiás (FEN/UFG)

Faculdade de Enfermagem/Universidade Federal de Goiás (FEN/UFG) Prevalência e fatores associados à incapacidade funcional para Atividades de Vida Diária em idosos de Goiânia, Goiás Dayana Clênia CASTRO 1 ; Adélia Yaeko Kyosen NAKATANI 2 ; Valéria PAGOTTO 3 ; Ivania

Leia mais

ANÁLISE DESCRITIVA DO NÍVEL DE STRESS EM PARTICIPANTES DE UM PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO E REEQUILÍBRIO POSTURAL EM GRUPO

ANÁLISE DESCRITIVA DO NÍVEL DE STRESS EM PARTICIPANTES DE UM PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO E REEQUILÍBRIO POSTURAL EM GRUPO 90 ANÁLISE DESCRITIVA DO NÍVEL DE STRESS EM PARTICIPANTES DE UM PROGRAMA DE ORIENTAÇÃO E REEQUILÍBRIO POSTURAL EM GRUPO Débora Fernandes dos Santos, Jessica Jessica Ribeiro, Letícia Endsfeldz Teixeira,

Leia mais

HIGIENE E SEGURANÇA NO TRABALHO Segundo a OMS, a verificação de condições de Higiene e Segurança consiste num estado de bem-estar estar físico, mental e social e não somente a ausência de doença e enfermidades.

Leia mais

Oficina 2. Maria Izabel Azevedo Noronha SAÚDE MENTAL E TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO. 29 de Novembro de 2008. Palestrante:

Oficina 2. Maria Izabel Azevedo Noronha SAÚDE MENTAL E TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO. 29 de Novembro de 2008. Palestrante: Palestrante: Seminário Nacional de Saúde Mental e Trabalho São Paulo, 28 e 29 de novembro de 2008 Maria Izabel Azevedo Noronha Oficina 2 SAÚDE MENTAL E TRABALHADORES DA EDUCAÇÃO 29 de Novembro de 2008

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E BEM ESTAR ANIMAL: ATUAÇÃO DE PROFESSORES DA VILA FLORESTAL EM LAGOA SECA/PB

EDUCAÇÃO AMBIENTAL E BEM ESTAR ANIMAL: ATUAÇÃO DE PROFESSORES DA VILA FLORESTAL EM LAGOA SECA/PB EDUCAÇÃO AMBIENTAL E BEM ESTAR ANIMAL: ATUAÇÃO DE PROFESSORES DA VILA FLORESTAL EM LAGOA SECA/PB Alfredo Rosas de Lima Júnior; Ana Carolina Bezerra; Luana da Silva Barbosa; Ewerton Guilherme Alves de Sousa;

Leia mais

Audiometria Tonal de Alta-Frequência (AT-AF) em crianças ouvintes normais

Audiometria Tonal de Alta-Frequência (AT-AF) em crianças ouvintes normais Audiometria Tonal de Alta-Frequência (AT-AF) em crianças ouvintes normais Palavras Chave: Audiometria, limiar auditivo, criança. Introdução: Além do exame audiométrico convencional, que testa as freqüências

Leia mais

RELAÇÃO ENTRE RUÍDO AUTORREFERIDO EM SALA DE AULA E SUAS CONSEQUÊNCIAS SOBRE A VOZ

RELAÇÃO ENTRE RUÍDO AUTORREFERIDO EM SALA DE AULA E SUAS CONSEQUÊNCIAS SOBRE A VOZ RELAÇÃO ENTRE RUÍDO AUTORREFERIDO EM SALA DE AULA E SUAS CONSEQUÊNCIAS SOBRE A VOZ Flávia Andressa Justo Faculdade de Medicina Centro de Ciências da Vida flavia.a.j@puc-campinas.edu.br Emilse Aparecida

Leia mais

Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano

Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano 17 Projeto de Qualidade de Vida para Motoristas de Ônibus Urbano Lilian de Fatima Zanoni Terapeuta Ocupacional pela Universidade de Sorocaba Especialista em Gestão de Qualidade de Vida na Empresa pela

Leia mais

Tipos de violência contra o idoso

Tipos de violência contra o idoso VIOLÊNCIA CONTRA O IDOSO: FREQUÊNCIA E PERFIL SOCIODEMOGRÁFICO DE VÍTIMAS E ACUSADOS EM PROCEDIMENTOS NO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Alba Apolinario 1, Juliana Rosas 3, Valeska Marinho

Leia mais

Manual do Bem-Estar Vocal

Manual do Bem-Estar Vocal Manual do Bem-Estar Vocal e i u a Programa Municipal de Saúde Vocal - SP Prefeito Fernando Haddad Secretária Municipal de Planejamento, Orçamento e Gestão Leda Maria Paulani Coordenadora de Gestão de Pessoas

Leia mais

QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Unidade Acadêmica: Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva - NESC/UFG

QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Unidade Acadêmica: Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva - NESC/UFG QUALIDADE NO REPROCESSAMENTO DE ARTIGOS PELO VAPOR SATURADO SOB PRESSÃO. Alline Cristhiane da Cunha MENDONÇA 1 ; Ana Lúcia Queiroz BEZERRA 2 ; Anaclara Ferreira Veiga TIPPLE 3. Unidade Acadêmica: Núcleo

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO

IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO Eliane de Sousa Leite/Universidade Federal de Campina Grande/UFCG. E-mail: elianeleitesousa@yahoo.com.br Jeruzete Almeida de Menezes/ Universidade

Leia mais

CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL

CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL ISSN 2316-7785 CAMPO CONCEITUAL E REPRESENTAÇÕES SEMIÓTICAS DO CONCEITO DE FUNÇÃO: ANÁLISE DE LIVROS DIDÁTICOS DE MATEMÁTICA DO ENSINO FUNDAMENTAL Jéssica Goulart da Silva Universidade Federal do Pampa

Leia mais

UNIVERSIDADE DOS AÇORES

UNIVERSIDADE DOS AÇORES UNIVERSIDADE DOS AÇORES DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA Curso de Psicologia Estatística Aplicada à Psicologia É um erro capital teorizar sem se ter dados. Insensivelmente, começamos a distorcer os factos para

Leia mais

Análise do desempenho das escolas públicas de Campinas

Análise do desempenho das escolas públicas de Campinas Análise do desempenho das escolas públicas de Campinas Por Prof. Dr. Dalton Francisco de Andrade e Prof. Dra. Maria Ines Fini 1. Introdução A análise apresentada foi elaborada a partir do estudo realizado

Leia mais