A percepção do handicap em adultos candidatos ao uso de aparelhos. auditivos. Fabiane Acco Mattia Fonoaudióloga Especialização em Audiologia

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A percepção do handicap em adultos candidatos ao uso de aparelhos. auditivos. Fabiane Acco Mattia Fonoaudióloga Especialização em Audiologia"

Transcrição

1 A percepção do handicap em adultos candidatos ao uso de aparelhos auditivos Fabiane Acco Mattia Fonoaudióloga Especialização em Audiologia Karlin Fabianne Klagenberg Fonoaudióloga Doutorado em Distúrbios da Comunicação RESUMO Objetivo: Verificar o grau de percepção do handicap em adultos com indicação ao uso de aparelho de amplificação sonora (AASI). Material e método: Foram selecionados 39 prontuários de indivíduos candidatos ao uso de AASI e analisados os dados sobre o questionário de auto-avaliação Hearing Handicap Inventory for Adults (HHIA), que foi aplicado no momento da avaliação audiológica. Resultados: 100% dos indivíduos apresentaram algum tipo de percepção do handicap, sendo que 82% apresentaram percepção severa. Não houve relação significativa entre o grau de handicap com o sexo, tipo ou grau de perda auditiva. Conclusão: Este estudo mostrou que as variáveis utilizadas não são suficientes para estimar o grau de handicap, além de ressaltar a importância da pesquisa dos aspectos psicossociais durante o processo de indicação e adaptação dos AASI.

2 INTRODUÇÃO A deficiência auditiva é uma das principais deficiências físicas que acomete o indivíduo em qualquer fase da vida, limitando-o ou impedindo-o de desempenhar seu papel social de forma plena e integrada. 1-3 A audição é apontada como o primeiro dos sentidos a apresentar perdas funcionais detectáveis de maneira objetiva, sendo que, em média, é por volta dos 30 anos que se inicia o processo de envelhecimento auditivo. 3 Os ajustes emocionais e psicológicos frente a uma perda auditiva na vida adulta são altamente variáveis e dependentes das experiências de vida, das expectativas relacionadas à saúde, do modo costumeiro de gerenciar desafios, da habilidade de se adaptar a um dado conjunto de limitações e do grau de sociabilidade do indivíduo. Assim, pessoas com perdas auditivas semelhantes podem experimentar diferentes dificuldades comunicativas, sociais e emocionais em situações de vida diária e ter percepções distintas da sua qualidade de vida. 2 Há duas importantes consequências da deficiência auditiva: a incapacidade auditiva, que se refere a qualquer limitação ou falta de habilidade para desempenhar uma atividade devido aos problemas auditivos vivenciados pelo indivíduo com perda; e o handicap (desvantagem), que diz respeito aos aspectos não-auditivos resultantes da deficiência e da incapacidade auditivas, os quais restringem a participação do individuo nas atividades de vida diária e comprometem suas relações sociais. 5 Com os aspectos não auditivos interferindo cada vez mais na vida das pessoas com perda auditiva, houve a necessidade de incluir essas informações no

3 processo de seleção e adaptação de próteses auditivas, principalmente em indivíduos adultos e idosos. Em 1982, Ventry e Weinstein desenvolveram e padronizaram o questionário Hearing Handicap Inventory for the Elderly (HHIE), constituído por 25 questões que abrangiam dados sobre as dificuldades de comunicação e consequências sociais e emocionais da deficiência auditiva no idoso. 6 O questionário Hearing Handicap Inventory for Adults (HHIA), é uma modificação do questionário HHIE, desenvolvido por Newman, Weinstein, Jacobson e Hug e traduzido para o português por Almeida 4, com a intenção de avaliar indivíduos com idade inferior a 65 anos. Eles se diferenciam em apenas três questões, que na versão para adultos, estão relacionadas ao ambiente de trabalho e lazer. 5, 6 Como em sua maioria, os indivíduos adultos relutam em aceitar a existência da perda auditiva, e buscar recursos para minimizar a desvantagem e a incapacidade geradas pela deficiência auditiva. Então, o objetivo deste trabalho foi verificar o grau de percepção do handicap em adultos com indicação ao uso de aparelho de amplificação sonora (AASI).

4 PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS Para a composição da amostra deste estudo foram selecionados 39 indivíduos, 20 do sexo masculino e 19 do sexo feminino, com idade entre 40 e 65 anos com média de idade de 57,02 anos, candidatos ao uso de AASI. Todos os indivíduos atenderam aos critérios de elegibilidade: perda auditiva sensório neural ou mista, de grau moderado a severo, adultos e que não fizeram uso de AASI anteriormente. Posteriormente foi feita a análise retrospectiva dos prontuários na busca de dados sobre o questionário Hearing Handicap Inventory for Adults (HHIA) que foi aplicado no momento da avaliação audiológica. O HHIA foi analisado com base em pontuações que variam de 0 a 100%, sendo que quanto menor a porcentagem, menor a percepção da desvantagem do individuo em relação a sua deficiência. Resultados inferiores a 16% indicam não haver percepção do handicap, de 18 a 42% indicam uma percepção leve a moderada e acima de 42%, indicam percepção severa ou significativa do handicap. 6 A pesquisa foi realizada na Clinica de Fonoaudiologia Champagnat na cidade de Toledo/PR, credenciada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) no serviço de Média Complexidade. As informações coletadas tiveram a garantia do sigilo que assegura a privacidade e o anonimato dos sujeitos quanto aos dados confidenciais envolvidos na pesquisa. Aplicaram-se os testes de Fisher e t de Student com a finalidade de verificar significância entre as variáveis: sexo, tipo e grau de perda auditiva com os

5 resultados do questionário HHIA. Fixou-se 0,05 ou 5% o nível de rejeição na hipótese de nulidade. RESULTADOS O resultado da pontuação do HHIA na população pesquisada demonstrou que sete pacientes (18%) apresentaram percepção leve a moderada do handicap e 32 pacientes (82%) apresentaram percepção severa do handicap. Na tabela 1 estão as comparações da pontuação do handicap entre o sexo masculino e feminino. TABELA 1 ESTATÍSTICAS DESCRITIVAS E TESTE DE DIFERENÇA DE MÉDIAS (TESTE t DE STUDENT) DOS HANDICAPS SEXO N MÉDIA MÍNINO MÁXIMO DESVIO PADRÃO p Feminino 19 65,9 % 19,0 % 91,0 % 18,3 % 0,4637 Masculino 20 61,3 % 19,0 % 90,0 % 20,7 % Nota: n número Considerando-se o nível de significância de 0,05 (5%), verifica-se que não existe diferença significativa entre handicap dos sexos feminino e masculino (p>0,05). A relação entre a percepção do handicap e o tipo da perda auditiva está demonstrada na tabela 2.

6 TABELA 2 COMPARAÇÃO ENTRE PERCEPÇÃO DO HANDICAP E TIPO DA PERDA AUDITIVA PERCEPÇÃO DO HANDICAP Leve a moderada Severa ou significativa TIPO DA PERDA AUDITIVA Sensório neural Mista p 0,6784 Por meio do teste de Fisher, ao nível de significância de 0,05 (5%), verificase que não existe relação significativa entre a percepção do handicap e o tipo de perda auditiva, pois resultou em p > 0,05. A relação entre a pontuação do handicap e o grau da perda auditiva está demonstrada na tabela 3. TABELA 3 COMPARAÇÃO ENTRE PERCEPÇÃO DO HANDICAP E GRAU DA PERDA AUDITIVA PERCEPÇÃO DO HANDICAP Leve a moderada Severa ou significativa GRAU DA PERDA AUDITIVA Severa Moderada Moderada/severa p 0,5956

7 Por meio do teste de Fisher, considerando-se apenas duas categorias do grau de perda auditiva (moderada e moderada/severa), para que possibilitasse a aplicação do mesmo, ao nível de significância de 0,05 (5%), verifica-se que não existe relação significativa entre a percepção do handicap e o grau perda auditiva (moderada e moderada/severa), pois resultou em p > 0,05. DISCUSSÃO Pode-se observar que os indivíduos do sexo feminino (65,9%) apresentaram maior percepção do handicap do que os indivíduos do sexo masculino (61,3%), porém essa diferença não foi estatisticamente significante. Concordante com a pesquisa 8 que avaliou adultos usuários de AASI, e as diferenças de percepção do handicap entre homens e mulheres não foram significativas. Resultados semelhantes também foram observados em outros estudos. 7,2 A relação entre o tipo e grau da perda auditiva e o grau de percepção do handicap, observou-se que não existe relação significativa. Assim, é possível afirmar que diferentes tipos e graus de perda auditiva podem apresentar percepções variadas de handicap. Esses achados são concordantes com os encontrados na literatura. 7,8 Vale ressaltar que todos os pacientes tiveram algum grau de handicap, ou seja, todos apresentaram algum tipo de desvantagem auditiva que os limitam ou impedem de desenvolver normalmente as suas funções, seja no trabalho, em casa ou mesmo em situações de lazer. O handicap auditivo é uma das consequências da perda auditiva que deve ser investigada sempre que existir a queixa auditiva, pois esses dados revelam

8 importantes informações sobre os aspectos comunicativos, social e emocional de cada individuo. Além disso, os questionários de auto-avaliação ajudam os próprios indivíduos com perda auditiva a refletir sobre as suas dificuldades e compreender melhor as suas necessidades. Com relação à seleção e adaptação do AASI, os questionários ajudam o profissional a conhecer os problemas psicossociais e as dificuldades auditivas que podem comprometer a adaptação do AASI. 4,8,9 O estudo 10 mostra que o handicap auditivo melhora após o uso do AASI, onde o desempenho do individuo sem e com AASI mostra o beneficio trazido pela amplificação. CONCLUSÃO A partir da análise dos resultados obtidos no presente estudo, conclui-se: - 100% dos pesquisados apresentaram algum grau de handicap; - As variáveis sexo, tipo e grau da perda auditiva não são suficientes para estimar o grau de handicap auditivo; - A união das informações subjetivas fornecidas pelos questionários de autoavaliação e os dados audiométricos auxiliarão o profissional responsável a alcançar o sucesso na reabilitação.

9 REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. RUSSO, I. C. P.; ALMEIDA, K. O processo de reabilitação audiológica do deficiente auditivo idoso. In: MARCHESAN, I. Q. (Org.). Tópicos em fonoaudiologia. São Paulo: Lovise, p LIMA, I. I. de; AIELLO, C. P.; FERRARI, D. V.. Correlações audiométricas do questionário de handicap auditivo para adultos. Rev. CEFAC, [online]. ahead of print, pp Epub 18-Jun ISSN MANSUR, L.L.; VIÚDE, A. Aspectos fonoaudiológicos do envelhecimento. In: Papaléo Netto M. Gerontologia: a velhice e o envelhecimento em visão globalizada. São Paulo: Atheneu; p ALMEIDA, K. Avaliação objetiva e subjetiva do benefício de próteses auditivas em adultos [tese]. São Paulo (SP): Universidade Federal de São Paulo Escola Paulista de Medicina; ROSIS, A. C. A.; SOUZA, M. R. F.; IÓRIO, M. C. M., Questionário Hearing Handicap Inventory for the Elderly - Screening version (HHIE-S): estudo da sensibilidade e especificidade, Rev. Soc. Bras. Fonoaudiol; 2009;14(3):p MATAS, C. G.; IÓRIO, M. C. M. Verificação e validação do processo de seleção e adaptação de próteses auditivas. In: ALMEIDA, K.; IÓRIO, M.C.M. Próteses auditivas. São Paulo: Lovise; 2003,p CORREA, G.F.; RUSSO, I.C.P. Autopercepção do handicap em deficientes auditivos adultos e idosos. Rev. CEFAC. 1999; 1(1): WIESELBERG, M.B. A auto-avaliação do handicap em idosos portadores de deficiência auditiva: o uso do H.H.I.E. [Dissertação] São Paulo (SP): Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, MESQUITA, C.D.S. Análise da efetividade de um inventário auditivo para idosos [Dissertação]. São Paulo (SP): Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, BUZO, B.C., UBRIG, M.T., NOVAES, B.C., Adaptação de aparelho de amplificação sonora individual: relações entre a auto-percepcão do handicap auditivo e a avaliação da percepção de fala. Disturbios da Comunicação.2004;16(1):17-25.

Relações entre handicap

Relações entre handicap Relações entre handicap auditivo, desempenho dos aparelhos de amplificação sonora individuais, benefício e satisfação em adultos atendidos por um programa de saúde auditiva credenciado ao SUS. Palavras

Leia mais

APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL: ESTUDO DOS FATORES DE ATRASO E DE ADIAMENTO DA ADAPTAÇÃO... 272

APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL: ESTUDO DOS FATORES DE ATRASO E DE ADIAMENTO DA ADAPTAÇÃO... 272 APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL: ESTUDO DOS FATORES DE ATRASO E DE ADIAMENTO DA ADAPTAÇÃO.... 272 APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL: ESTUDO DOS FATORES DE ATRASO E DE ADIAMENTO DA ADAPTAÇÃO.

Leia mais

ASSOCIAÇÃO ENTRE HANDICAP AUDITIVO E RESULTADOS AUDIOMÉTRICOS EM IDOSOS PRESBIACÚSICOS QUE USAM O APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL

ASSOCIAÇÃO ENTRE HANDICAP AUDITIVO E RESULTADOS AUDIOMÉTRICOS EM IDOSOS PRESBIACÚSICOS QUE USAM O APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL ASSOCIAÇÃO ENTRE HANDICAP AUDITIVO E RESULTADOS AUDIOMÉTRICOS EM IDOSOS PRESBIACÚSICOS QUE USAM O APARELHO DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL Andréa Grano Marques 1 ; Karla Pereira de Paula 2 ; Régio Márcio

Leia mais

Revista Brasileira de Otorrinolaringologia Print ISSN 0034-7299

Revista Brasileira de Otorrinolaringologia Print ISSN 0034-7299 Revista Brasileira de Otorrinolaringologia Print ISSN 0034-7299 Rev. Bras. Otorrinolaringol. vol.70 no.6 São Paulo Nov./Dec. 2004 doi: 10.1590/S0034-72992004000600017 ARTIGO ORIGINAL Reabilitação auditiva

Leia mais

AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO

AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO AVALIAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE AUDITIVA SOB A PERSPECTIVA DO USUÁRIO: PROPOSTA DE INSTRUMENTO Armigliato ME; Prado DAG; Melo TM; Lopes AC; Martinez MANS; Amantini RCB; Bevilacqua MC. Palavras-chaves: Avaliação

Leia mais

Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil

Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Silva de Barros, Paula Fernanda; Manchester Queiroga, Bianca Arruda AS DIFICULDADES ENCONTRADAS NO PROCESSO DE ADAPTAÇÃO DE APARELHO

Leia mais

Palavras-chave: Presbiacusia, AASI, Reabilitação Auditiva

Palavras-chave: Presbiacusia, AASI, Reabilitação Auditiva Análise do Aproveitamento de um Programa de Reabilitação para Idosos Usuários de AASI Em geral a presbiacusia não está associada somente à diminuição da intensidade com que os sons são ouvidos, mas sim

Leia mais

PROTOCOLO DE ADAPTAÇÃO DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAIS AASI- EM ADULTOS

PROTOCOLO DE ADAPTAÇÃO DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAIS AASI- EM ADULTOS PROTOCOLO DE ADAPTAÇÃO DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAIS AASI- EM ADULTOS 1 Introdução: Dentre as diversas áreas de atuação do profissional fonoaudiólogo, a audiologia compreende desde o

Leia mais

OBJETIVO. Palavras-chave: Saúde pública, perda auditiva e linguagem

OBJETIVO. Palavras-chave: Saúde pública, perda auditiva e linguagem LEVANTAMENTO DOS ASPECTOS RELACIONADOS AO USO E MANUTENÇÃO DO AASI E À TERAPIA FONOAUDIOLÓGICA EM CRIANÇAS E JOVENS COM PERDA AUDITIVA NA CIDADE DE SÃO PAULO. Palavras-chave: Saúde pública, perda auditiva

Leia mais

Texto apresentado para consulta pública. PROTOCOLO DE ADAPTAÇÃO DE AASI EM ADULTOS (com adendo para idosos)

Texto apresentado para consulta pública. PROTOCOLO DE ADAPTAÇÃO DE AASI EM ADULTOS (com adendo para idosos) Fórum: AASI / Protocolo de Adaptação de AASI em Adultos Data: 15 de abril de 2012 EIA Bauru 10h30 as 12h00 Coordenadores: Maria Cecilia Bevilacqua, Thelma Costa, Sonia Bortoluzzi Convidados: Deborah Ferrari,

Leia mais

BENEFÍCIO SUBJETIVO NA ADAPTAÇÃO DE APARELHOS AUDITIVOS EM ADULTOS E IDOSOS. Suzana Campos de Avila Piccoli

BENEFÍCIO SUBJETIVO NA ADAPTAÇÃO DE APARELHOS AUDITIVOS EM ADULTOS E IDOSOS. Suzana Campos de Avila Piccoli 1 BENEFÍCIO SUBJETIVO NA ADAPTAÇÃO DE APARELHOS AUDITIVOS EM ADULTOS E IDOSOS Suzana Campos de Avila Piccoli Monografia apresentada como exigência parcial do Curso de Especialização em Neuropsicologia

Leia mais

TEMA: Intervenção cirúrgica para tratamento de otosclerose coclear

TEMA: Intervenção cirúrgica para tratamento de otosclerose coclear NTRR 79/2014 Solicitante: Juiz Dr Eduardo Soares de Araújo Comarca de Andradas Número do processo: 0019642-3.2014.8.13.0026 Réu: Estado de Minas Data: 03/05/2014 Medicamento Material Procedimento x Cobertura

Leia mais

RESUMO PARA O CONGRESSO AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA 2011

RESUMO PARA O CONGRESSO AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA 2011 RESUMO PARA O CONGRESSO AVALIAÇÃO PSICOLÓGICA 2011 Modalidade: Mesa Redonda TÍTULO DA MESA: UTILIZAÇÃO DOS SUBTESTES RACIOCÍNIO MATRICIAL E CÓDIGOS DO BETA III EM DIVERSOS CONTEXTOS Coordenador da mesa:

Leia mais

AVALIAÇÃO AUDITIVA DE BOLSISTAS VINCULADOS A UM PROJETO EXTENSIONISTA SOBRE SAÚDE AUDITIVA DESENVOLVIDO NA CIDADE DE MACAÉ, RIO DE JANEIRO.

AVALIAÇÃO AUDITIVA DE BOLSISTAS VINCULADOS A UM PROJETO EXTENSIONISTA SOBRE SAÚDE AUDITIVA DESENVOLVIDO NA CIDADE DE MACAÉ, RIO DE JANEIRO. AVALIAÇÃO AUDITIVA DE BOLSISTAS VINCULADOS A UM PROJETO EXTENSIONISTA SOBRE SAÚDE AUDITIVA DESENVOLVIDO NA CIDADE DE MACAÉ, RIO DE JANEIRO. VIVIAN DE OLIVEIRA SOUSA 1 IZABELLA MENDES NOGUEIRA1 ARIADNE

Leia mais

IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO

IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO IMPORTÂNCIA DA RECREAÇÃO PARA O IDOSO INSTITUCIONALIZADO Eliane de Sousa Leite/Universidade Federal de Campina Grande/UFCG. E-mail: elianeleitesousa@yahoo.com.br Jeruzete Almeida de Menezes/ Universidade

Leia mais

Programa de Orientação a Usuários de Prótese Auditiva e Questionários de Auto-avaliação: Importantes Instrumentos para uma Adaptação Auditiva Efetiva

Programa de Orientação a Usuários de Prótese Auditiva e Questionários de Auto-avaliação: Importantes Instrumentos para uma Adaptação Auditiva Efetiva Artigo Original Programa de Orientação a Usuários de Prótese Auditiva e Questionários de Auto-avaliação: Importantes Instrumentos para uma Adaptação Auditiva Efetiva Hearing Aid Program and Self-assesment

Leia mais

ATA DO FÓRUM DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL 27º. ENCONTRO INTERNACIONAL DE AUDIOLOGIA, BAURU SÃO PAULO - 15 DE ABRIL DE 2012

ATA DO FÓRUM DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL 27º. ENCONTRO INTERNACIONAL DE AUDIOLOGIA, BAURU SÃO PAULO - 15 DE ABRIL DE 2012 ATA DO FÓRUM DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL 27º. ENCONTRO INTERNACIONAL DE AUDIOLOGIA, BAURU SÃO PAULO - 15 DE ABRIL DE 2012 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23

Leia mais

PERFIL VOCAL DA PESSOA COM DISFONIA: ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESVANTAGEM VOCAL.

PERFIL VOCAL DA PESSOA COM DISFONIA: ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESVANTAGEM VOCAL. PERFIL VOCAL DA PESSOA COM DISFONIA: ANÁLISE DO ÍNDICE DE DESVANTAGEM VOCAL. Marina Bizigato Faculdade de Fonoaudiologia Centro de Ciências da Vida mabizi19@hotmail.com Iara Bittante de Oliveira Grupo

Leia mais

Dificuldades e benefícios com o uso de prótese auditiva: percepção do idoso e sua família

Dificuldades e benefícios com o uso de prótese auditiva: percepção do idoso e sua família Artigo Original Dificuldades e benefícios com o uso de prótese auditiva: percepção do idoso e sua família Difficulties and benefits with the use of hearing aid: family and elderly perception Elisiane Crestani

Leia mais

ATENÇÃO À SAÚDE DA PESSOA IDOSO COM PRESBIACUSIA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA

ATENÇÃO À SAÚDE DA PESSOA IDOSO COM PRESBIACUSIA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA ATENÇÃO À SAÚDE DA PESSOA IDOSO COM PRESBIACUSIA: UMA REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA Jeová Alves de Souza(1); Sandra dos Santos Sales(2); Layze Armando L. Almeida(3); Maria de Fátima da Nóbrega(4) (1)Universidade

Leia mais

Análise da percepção de um grupo de idosos a respeito de seu handicap auditivo antes e após o uso do aparelho auditivo

Análise da percepção de um grupo de idosos a respeito de seu handicap auditivo antes e após o uso do aparelho auditivo 739 Análise da percepção de um grupo de idosos a respeito de seu handicap auditivo antes e após o uso do aparelho auditivo Analysis of the perception of a group of seniors about their hearing handicap

Leia mais

SOS Prótese Auditiva relato de um estudo de caso realizado na Clínica de Fonoaudiologia da UTP

SOS Prótese Auditiva relato de um estudo de caso realizado na Clínica de Fonoaudiologia da UTP Ângela Ribas et al. 9 SOS Prótese Auditiva relato de um estudo de caso realizado na Clínica de Fonoaudiologia da UTP Ângela Ribas Fonoaudióloga Mestre em Distúrbios da Comunicação Docente do Curso de Fonoaudiologia

Leia mais

O IMPACTO DA DOR CRÔNICA NA VIDA DAS PESSOAS QUE ENVELHECEM

O IMPACTO DA DOR CRÔNICA NA VIDA DAS PESSOAS QUE ENVELHECEM O IMPACTO DA DOR CRÔNICA NA VIDA DAS PESSOAS QUE ENVELHECEM Eliane de Sousa Leite. Universidade Federal de Campina Grande/UFCG. Email: elianeleitesousa@yahoo.com.br. Jéssica Barreto Pereira. Universidade

Leia mais

SATISFAÇÃO DE USUÁRIOS DE PRÓTESES AUDITIVAS

SATISFAÇÃO DE USUÁRIOS DE PRÓTESES AUDITIVAS SATISFAÇÃO DE USUÁRIOS DE PRÓTESES AUDITIVAS Satisfaction of hearing implant users Quezia Peruzzo (), Dioni Ceolin (), Lenita da Silva Quevedo () RESUMO Objetivo: analisar, por meio do questionário Satisfaction

Leia mais

TREINO COGNITIVO E ENVELHECIMENTO: na busca da autonomia dos idosos

TREINO COGNITIVO E ENVELHECIMENTO: na busca da autonomia dos idosos TREINO COGNITIVO E ENVELHECIMENTO: na busca da autonomia dos idosos Samara Pereira Cabral - UFPB samarapcj@hotmail.com Monica Dias Palitot - UFPB monicadiaspt@yahoo.com.br Joseane da Silva Meireles - UFPB

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Karina Angel Bento

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Karina Angel Bento UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Karina Angel Bento ESTUDO SOBRE O PERFIL SOCIOHISTÓRICO DE PACIENTES ATENDIDOS NA CLÍNICA DE FONOAUDIOLOGIA DA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ. CURITIBA, 2010 1 ESTUDO SOBRE

Leia mais

AVALIAÇÃO DO PROCESSAMENTO AUDITIVO EM INDIVÍDUOS COM PERDA AUDITIVA NEUROSSENSORIAL DE GRAU LEVE A MODERADO

AVALIAÇÃO DO PROCESSAMENTO AUDITIVO EM INDIVÍDUOS COM PERDA AUDITIVA NEUROSSENSORIAL DE GRAU LEVE A MODERADO AVALIAÇÃO DO PROCESSAMENTO AUDITIVO EM INDIVÍDUOS COM PERDA AUDITIVA NEUROSSENSORIAL DE GRAU LEVE A MODERADO INTRODUÇÃO O sistema auditivo é constituído pelos sistemas periférico e central, os quais recebem,

Leia mais

Estudo do perfil audiológico de pacientes com idade acima de 60 anos

Estudo do perfil audiológico de pacientes com idade acima de 60 anos Estudo do perfil audiológico de idade acima de 60 anos Ana Paula Krempel Jurca 1 Fernanda Carla Chagas Pinheiro 1 Karina de Castro Martins 1 Lilian Francisca Herrera 1 Luciane Marins Colleone Sandra de

Leia mais

PRESBIACUSIA: ENVELHECIMENTO DA AUDIÇÃO SUAS CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS ATRAVÉS DO LEVANTAMENTO DA LITERATURA

PRESBIACUSIA: ENVELHECIMENTO DA AUDIÇÃO SUAS CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS ATRAVÉS DO LEVANTAMENTO DA LITERATURA PRESBIACUSIA: ENVELHECIMENTO DA AUDIÇÃO SUAS CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS ATRAVÉS DO LEVANTAMENTO DA LITERATURA Maria Zélia Araújo (1); Maria Aparecida Araújo Dantas (1); Maria Joselita Alves (2); Monica Maria

Leia mais

Implante Coclear e Meningite - estudo da percepção de fala com amostras pareadas

Implante Coclear e Meningite - estudo da percepção de fala com amostras pareadas Implante Coclear e Meningite - estudo da percepção de fala com amostras pareadas Descritores: implante coclear, meningite, percepção de fala. Introdução: O Implante Coclear (IC) é um dispositivo capaz

Leia mais

A expressão da atitude de CERTEZA em indivíduos com perda auditiva bilateral: análise prosódica.

A expressão da atitude de CERTEZA em indivíduos com perda auditiva bilateral: análise prosódica. A expressão da atitude de CERTEZA em indivíduos com perda auditiva bilateral: análise prosódica. Autores: Carla Aparecida de Vasconcelos Bruna Ferreira de Oliveira Sirley Alves Carvalho César Reis A partir

Leia mais

Não se consideraram como deficiência mental as perturbações ou doenças mentais como autismo, neurose, esquizofrenia e psicose.

Não se consideraram como deficiência mental as perturbações ou doenças mentais como autismo, neurose, esquizofrenia e psicose. Pessoas com deficiência Informações pessoas com deficiência em Porto Alegre, por região de Orçamento participativo e por tipo de deficiência Adriana Furtado O Observatório da Cidade apresenta informações

Leia mais

Título: Teste de fala filtrada em indivíduos com perda auditiva neurossensorial em freqüências altas associada à presença de zonas mortas na cóclea.

Título: Teste de fala filtrada em indivíduos com perda auditiva neurossensorial em freqüências altas associada à presença de zonas mortas na cóclea. Título: Teste de fala filtrada em indivíduos com perda auditiva neurossensorial em freqüências altas associada à presença de zonas mortas na cóclea. Palavras chaves: audiometria, ruído, mascaramento, perda

Leia mais

Achados Audiológicos em Policiais Militares: Avaliação Audiológica Básica e Emissões Otoacústicas Produto de Distorção. Introdução Material e Método

Achados Audiológicos em Policiais Militares: Avaliação Audiológica Básica e Emissões Otoacústicas Produto de Distorção. Introdução Material e Método Achados Audiológicos em Policiais Militares: Avaliação Audiológica Básica e Emissões Otoacústicas Produto de Distorção. Palavras Chaves: Perda auditiva induzida por ruído, audição, militares. Introdução

Leia mais

Degree of satisfaction among hearing aid users

Degree of satisfaction among hearing aid users Artigo Original Int. Arch. Otorhinolaryngol. 2013;17(1):51-56. DOI: 10.7162/S1809-97772013000100009 Degree of satisfaction among hearing aid users Avaliação do grau de satisfação entre os usuários de amplificação.

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013

AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO 2013 1 AVALIAÇÃO DOS PLANOS DE SAÚDE PELOS USUÁRIOS ANO II SÃO PAULO Temas 2 Objetivo e metodologia Utilização dos serviços do plano de saúde e ocorrência de problemas Reclamação ou recurso contra o plano de

Leia mais

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO

Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO Apêndice IV ao Anexo A do Edital de Credenciamento nº 05/2015, do COM8DN DEFINIÇÃO DA TERMINOLOGIA UTILIZADA NO PROJETO BÁSICO - Abordagem multiprofissional e interdisciplinar - assistência prestada por

Leia mais

DOENÇAS DO OUVIDO E DA APÓFISE MASTÓIDE (H60 H95) Justificativa Tipos N máximo de sessões Pedido médico + Laudo médico + Exames complementares

DOENÇAS DO OUVIDO E DA APÓFISE MASTÓIDE (H60 H95) Justificativa Tipos N máximo de sessões Pedido médico + Laudo médico + Exames complementares DOENÇAS DO OUVIDO E DA APÓFISE MASTÓIDE (H60 H95) Guias SP/SADT Protocolo Conduta Indicação Clinica Perda Auditiva Justificativa Tipos N máximo de sessões Pedido médico + Laudo médico + Exames complementares

Leia mais

A eficiência de um programa de reabilitação audiológica em idosos com presbiacusia e seus familiares

A eficiência de um programa de reabilitação audiológica em idosos com presbiacusia e seus familiares Artigo Original A eficiência de um programa de reabilitação audiológica em idosos com presbiacusia e seus familiares The efficiency of an auditory rehabilitation program in elderly people with presbycusis

Leia mais

A percepção da melhora da capacidade funcional em indivíduos da Terceira Idade praticantes de hidroginástica

A percepção da melhora da capacidade funcional em indivíduos da Terceira Idade praticantes de hidroginástica A percepção da melhora da capacidade funcional em indivíduos da Terceira Idade praticantes de hidroginástica Lillian Garcez Santos 1 Marcus Vinícius Patente Alves 2 RESUMO O número de pessoas acima de

Leia mais

BENEFÍCIO FORNECIDO PELO USO DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL EM IDOSOS DE UM PROGRAMA DE SAUDE AUDITIVA DE PORTO VELHO RO

BENEFÍCIO FORNECIDO PELO USO DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL EM IDOSOS DE UM PROGRAMA DE SAUDE AUDITIVA DE PORTO VELHO RO 1170 BENEFÍCIO FORNECIDO PELO USO DE APARELHOS DE AMPLIFICAÇÃO SONORA INDIVIDUAL EM IDOSOS DE UM PROGRAMA DE SAUDE AUDITIVA DE PORTO VELHO RO Benefit provided by the use of individual amplification device

Leia mais

Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil

Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Revista CEFAC ISSN: 1516-1846 revistacefac@cefac.br Instituto Cefac Brasil Mesquita Fialho, Indiara de; Bortoli, Daniela; Gomes de Mendonça, Gabriella; Frizzo Pagnosim, Débora; Silva Scholze, Alessandro

Leia mais

O sentido da deficiência auditiva e uso de aparelhos de amplificação sonora para idosos

O sentido da deficiência auditiva e uso de aparelhos de amplificação sonora para idosos Karen Christyna Formaris Costa O sentido da deficiência auditiva e uso de aparelhos de amplificação sonora para idosos Mestrado em Fonoaudiologia Pontifícia Universidade Católica de São Paulo 2006 Karen

Leia mais

Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo

Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Diminui a mortalidade por Aids no Estado de São Paulo Em 2012, ocorreram 2.767 óbitos por Aids no Estado de São Paulo, o que representa importante queda em relação ao pico observado em 1995 (7.739). A

Leia mais

COMO AS CRIANÇAS ENFRENTAM SUAS ALTERAÇÕES DE FALA OU FLUÊNCIA?

COMO AS CRIANÇAS ENFRENTAM SUAS ALTERAÇÕES DE FALA OU FLUÊNCIA? COMO AS CRIANÇAS ENFRENTAM SUAS ALTERAÇÕES DE FALA OU FLUÊNCIA? Autores: ANA BÁRBARA DA CONCEIÇÃO SANTOS, AYSLAN MELO DE OLIVEIRA, SUSANA DE CARVALHO, INTRODUÇÃO No decorrer do desenvolvimento infantil,

Leia mais

PERFIL AUDITIVO DOS SUJEITOS ATENDIDOS EM UM PROJETO DE EXTENSÃO NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO LAURO WANDERLEY

PERFIL AUDITIVO DOS SUJEITOS ATENDIDOS EM UM PROJETO DE EXTENSÃO NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO LAURO WANDERLEY PERFIL AUDITIVO DOS SUJEITOS ATENDIDOS EM UM PROJETO DE EXTENSÃO NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO LAURO WANDERLEY FERNANDES, Alexandre Dantas 1 CAVALCANTI, Hannalice Gottschalck 2 ANDRADE, Wagner Teobaldo Lopes

Leia mais

INDICADORES SOCIAIS E CLÍNICOS DE IDOSOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO

INDICADORES SOCIAIS E CLÍNICOS DE IDOSOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO INDICADORES SOCIAIS E CLÍNICOS DE IDOSOS EM TRATAMENTO HEMODIALÍTICO Rosângela Alves Almeida Bastos - Universidade Federal da Paraíba- email: rosalvesalmeida2008@hotmail.com Maria das Graças Melo Fernandes

Leia mais

O IDOSO EM CONTEXTO INSTITUCIONAL DE CURTA E LONGA PERMANÊNCIA

O IDOSO EM CONTEXTO INSTITUCIONAL DE CURTA E LONGA PERMANÊNCIA O IDOSO EM CONTEXTO INSTITUCIONAL DE CURTA E LONGA PERMANÊNCIA Aline Arruda da Fonseca Maria do Socorro Lemos de Oliveira Maria Isabel Alves Batista Oliveira Samara Melo Silva Thiago dos Santos Aguiar

Leia mais

Audiometria Tonal de Alta-Frequência (AT-AF) em crianças ouvintes normais

Audiometria Tonal de Alta-Frequência (AT-AF) em crianças ouvintes normais Audiometria Tonal de Alta-Frequência (AT-AF) em crianças ouvintes normais Palavras Chave: Audiometria, limiar auditivo, criança. Introdução: Além do exame audiométrico convencional, que testa as freqüências

Leia mais

A SEXUALIDADE DA PESSOA IDOSA SOB A ÓTICA DE JOVENS UNIVERSITÁRIOS

A SEXUALIDADE DA PESSOA IDOSA SOB A ÓTICA DE JOVENS UNIVERSITÁRIOS A SEXUALIDADE DA PESSOA IDOSA SOB A ÓTICA DE JOVENS UNIVERSITÁRIOS Kay Francis Leal Vieira UNIPÊ - kayvieira@yahoo.com.br Priscila Monique de Melo Veiga UNIPÊ - prismonique25@hotmail.com Regina Irene Diaz

Leia mais

Pessoas com Deficiência nos Censos Demográficos Brasileiros

Pessoas com Deficiência nos Censos Demográficos Brasileiros Pessoas com Deficiência nos Censos Demográficos Brasileiros Alicia Bercovich IBGE VI Fórum Senado Debate Brasil Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência Painel 2: Quem são, onde estão,

Leia mais

Terapia Comportamental de Casais

Terapia Comportamental de Casais CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DEPARTAMENTO DE PSICOLOGIA GERAL E ANÁLISE DO COMPORTAMENTO PSICOLOGIA CLÍNICA NA ANÁLISE DO COMPORTAMENTO Terapia Comportamental de Casais Ana Paula M. Carvalho Cinthia Cavalcante

Leia mais

A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo.

A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo. A surdez é uma deficiência que fisicamente não é visível, e atinge uma pequena parte da anatomia do indivíduo. Porém, traz para o surdo consequências sociais, educacionais e emocionais amplas e intangíveis.

Leia mais

SISTEMA FREQUENCIA MODULADA (FM)

SISTEMA FREQUENCIA MODULADA (FM) SISTEMA FREQUENCIA MODULADA (FM) CONCEITO: O Sistema de Frequência Modulada (Sistema FM) consiste de um transmissor com uma frequência de rádio específica, com uma antena e um receptor compatível, sendo

Leia mais

CARACTERÍSTICAS POSTURAIS DE IDOSOS

CARACTERÍSTICAS POSTURAIS DE IDOSOS CARACTERÍSTICAS POSTURAIS DE IDOSOS 1INTRODUÇÃO A partir dos 40 anos, a estatura começa a se reduzir em torno de um centímetro por década¹.a capacidade de manter o equilíbrio corporal é um prérequisito

Leia mais

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como

Desenvolvimento motor do deficiente auditivo. A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada a outras deficiências, como Texto de apoio ao Curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira Desenvolvimento motor do deficiente auditivo A deficiência auditiva aparece, por vezes, associada

Leia mais

Compreendendo o idoso usuário de próteses auditivas. Understanding the elderly user of auditory prostheses

Compreendendo o idoso usuário de próteses auditivas. Understanding the elderly user of auditory prostheses 2927 Compreendendo o idoso usuário de próteses auditivas Understanding the elderly user of auditory prostheses TEMAS LIVRES FREE THEMES Karina Mary de Paiva 1 Paulete Maria Ambrósio Maciel 2 Letícia Guedes

Leia mais

Maria da Glória Canto de Sousa O SENTIDO DA AUDIÇÃO E AS DIFICULDADES AUDITIVAS ATRIBUÍDAS POR UM GRUPO DE IDOSOS. Mestrado em Fonoaudiologia

Maria da Glória Canto de Sousa O SENTIDO DA AUDIÇÃO E AS DIFICULDADES AUDITIVAS ATRIBUÍDAS POR UM GRUPO DE IDOSOS. Mestrado em Fonoaudiologia Maria da Glória Canto de Sousa O SENTIDO DA AUDIÇÃO E AS DIFICULDADES AUDITIVAS ATRIBUÍDAS POR UM GRUPO DE IDOSOS Mestrado em Fonoaudiologia Pontifícia Universidade Católica de São Paulo 2007 Maria da

Leia mais

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Camila Nascimento Franciscato A HABILIDADE DE ATENÇÃO SELETIVA EM UM GRUPO DE IDOSOS PORTADORES DE PERDA AUDITIVA

UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Camila Nascimento Franciscato A HABILIDADE DE ATENÇÃO SELETIVA EM UM GRUPO DE IDOSOS PORTADORES DE PERDA AUDITIVA UNIVERSIDADE TUIUTI DO PARANÁ Camila Nascimento Franciscato A HABILIDADE DE ATENÇÃO SELETIVA EM UM GRUPO DE IDOSOS PORTADORES DE PERDA AUDITIVA CURITIBA, 2011 A HABILIDADE DE ATENÇÃO SELETIVA EM UM GRUPO

Leia mais

Deficiência Auditiva. Definição. Definição, Classificação, Características e Causas

Deficiência Auditiva. Definição. Definição, Classificação, Características e Causas Deficiência Auditiva Definição, Classificação, Características e Causas Definição Impossibilidade total ou parcial de ouvir, e possui níveis de graduação que vão do leve ao profundo. Diferença existente

Leia mais

Sensibilidade e Especificidade de Perguntas Sobre a Audição para a Identificação da Perda Auditiva em Idosos

Sensibilidade e Especificidade de Perguntas Sobre a Audição para a Identificação da Perda Auditiva em Idosos 53 Sensibilidade e Especificidade de Perguntas Sobre a Audição para a Identificação da Perda Auditiva em Idosos Sensitivity and Specificity Questions about Hearing for the Identification of Hearing Loss

Leia mais

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB

Deficiência auditiva parcial. Annyelle Santos Franca. Andreza Aparecida Polia. Halessandra de Medeiros. João Pessoa - PB 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA COMITÊ DE INCLUSÃO E ACESSIBILIDADE MATERIAL DIDÁTICO- ORIENTAÇÕES AOS DOCENTES Deficiência auditiva parcial Annyelle Santos Franca Andreza Aparecida Polia Halessandra

Leia mais

Satisfação de Usuários de Próteses Auditivas, com Perda Auditiva de Graus Severo e Profundo

Satisfação de Usuários de Próteses Auditivas, com Perda Auditiva de Graus Severo e Profundo Artigo Original Satisfação de Usuários de Próteses Auditivas, com Perda Auditiva de Graus Severo e Profundo Satisfaction of Hearing Aids Users With Hearing Loss of Severe and Deep Degree Alexandre Hundertmarck

Leia mais

CONDIÇÃO BUCAL DO IDOSO E NUTRIÇÃO: REFLEXÕES DA EXPERIÊNCIA EXTENSIONISTA.

CONDIÇÃO BUCAL DO IDOSO E NUTRIÇÃO: REFLEXÕES DA EXPERIÊNCIA EXTENSIONISTA. CONDIÇÃO BUCAL DO IDOSO E NUTRIÇÃO: REFLEXÕES DA EXPERIÊNCIA EXTENSIONISTA. William Alves de Melo Júnior- UFCG-williamgeronto@gmail.com Ana Lígia Soares Amorim - UFCG - ligiamorim@globomail.com Augusto

Leia mais

1.4 Objeto e Metodologia

1.4 Objeto e Metodologia 1.4 Objeto e Metodologia O objeto a pesquisa cujos dados serão apresentados foi definido juntamente com a SAS- Secretaria de Assistência Social de Presidente Prudente em especial com a equipe do CREAS

Leia mais

DEFICIÊNCIA AUDITIVA: ÊNFASE NA REABILITAÇÃO PRECOCE. Clay Rienzo Balieiro* Altair C. Pupo* Luisa B. Ficker* RESUMO

DEFICIÊNCIA AUDITIVA: ÊNFASE NA REABILITAÇÃO PRECOCE. Clay Rienzo Balieiro* Altair C. Pupo* Luisa B. Ficker* RESUMO DEFICIÊNCIA AUDITIVA: ÊNFASE NA REABILITAÇÃO PRECOCE Clay Rienzo Balieiro* Altair C. Pupo* Luisa B. Ficker* RESUMO Muitos estudos e investimentos têm sido feitos na elaboração de procedimentos de identificação

Leia mais

PERFIL DE IDOSOS RESIDENTES EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA NA CIDADE DE MOSSORÓ

PERFIL DE IDOSOS RESIDENTES EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA NA CIDADE DE MOSSORÓ PERFIL DE IDOSOS RESIDENTES EM UMA INSTITUIÇÃO DE LONGA PERMANÊNCIA NA CIDADE DE MOSSORÓ INTRODUÇÃO O envelhecimento populacional é hoje um fenômeno universal, observado tanto nos países desenvolvidos

Leia mais

ESTUDO DA PREVALÊNCIA DA INDICAÇÃO DE PRÓTESE AUDITIVA BINAURAL NA CIDADE DE TERESINA

ESTUDO DA PREVALÊNCIA DA INDICAÇÃO DE PRÓTESE AUDITIVA BINAURAL NA CIDADE DE TERESINA ESTUDO DA PREVALÊNCIA DA INDICAÇÃO DE PRÓTESE AUDITIVA BINAURAL NA CIDADE DE TERESINA INTRODUÇÃO Aline de Miranda Santos Graduanda em Fonoaudiologia - NOVAFAPI Mirian da Silva Rios Graduando em Fonoaudiologia

Leia mais

CAPACITAÇÃO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE EM SAÚDE AUDITIVA INFANTIL: EFETIVIDADE DA VIDEOCONFERÊNCIA

CAPACITAÇÃO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE EM SAÚDE AUDITIVA INFANTIL: EFETIVIDADE DA VIDEOCONFERÊNCIA CAPACITAÇÃO DE AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE EM SAÚDE AUDITIVA INFANTIL: EFETIVIDADE DA VIDEOCONFERÊNCIA Melo TM, Alvarenga KF, Blasca WQ. Faculdade de Odontologia de Bauru - Universidade de São Paulo.

Leia mais

RESUMO EXPANDIDO SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE DAS PROVAS MONOTERMAIS NO DIAGNÓSTICO OTONEUROLÓGICO

RESUMO EXPANDIDO SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE DAS PROVAS MONOTERMAIS NO DIAGNÓSTICO OTONEUROLÓGICO RESUMO EXPANDIDO Título SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE DAS PROVAS MONOTERMAIS NO DIAGNÓSTICO OTONEUROLÓGICO Palavras Chave Eletronistagmografia; Vertigem; Tontura. Autores Mercia Castro Lima 1, Tatiane

Leia mais

Análise de Regressão. Tópicos Avançados em Avaliação de Desempenho. Cleber Moura Edson Samuel Jr

Análise de Regressão. Tópicos Avançados em Avaliação de Desempenho. Cleber Moura Edson Samuel Jr Análise de Regressão Tópicos Avançados em Avaliação de Desempenho Cleber Moura Edson Samuel Jr Agenda Introdução Passos para Realização da Análise Modelos para Análise de Regressão Regressão Linear Simples

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC-SP. Ana Carolina Almendra Cruz

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC-SP. Ana Carolina Almendra Cruz Pontifícia Universidade Católica de São Paulo PUC-SP Ana Carolina Almendra Cruz Investigação sobre a influência do uso de aparelho de amplificação sonora individual na habilidade de resolução temporal

Leia mais

HANSENÍASE EM IDOSOS NO BRASIL NO ANO DE 2012

HANSENÍASE EM IDOSOS NO BRASIL NO ANO DE 2012 HANSENÍASE EM IDOSOS NO BRASIL NO ANO DE 2012 Ana Elisa P. Chaves (1), Kleane Maria F. Araújo (2) Maria Luísa A. Nunes (3),Thainá Vieira Chaves (4), Lucas Chaves Araújo (5) 1 Docente Saúde Coletiva-UFCG

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA

PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA PERFIL DO CONSUMO DE ÀLCOOL EM MULHERES DE UM NÚCLEO DE SAÚDE DA FAMÍLIA AGNES MERI YASUDA; Juliana Maria Marques Megale, Quitéria de Lourdes Lourosa; Aldaísa Cassanho Forster; Clarissa Lin Yasuda HOSPITAL

Leia mais

Resultados do teste de reconhecimento de fala em pacientes idosos pós adaptação da prótese auditiva

Resultados do teste de reconhecimento de fala em pacientes idosos pós adaptação da prótese auditiva Resultados do teste de reconhecimento de fala em pacientes idosos pós adaptação da prótese auditiva Angela Ribas Fonoaudióloga Professora do Programa de Mestrado e Doutorado em Distúrbios da Comunicação

Leia mais

NTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS

NTRODUÇÃO MATERIAL E MÉTODOS Características socioeconômicas, demográficas, nutricionais, controle glicêmico e atividade física de adolescentes portadores de diabetes melito tipo 1 Izabela Zibetti de ALBUQUERQUE 1 ; Maria Raquel Hidalgo

Leia mais

Estatísticas sobre as Pessoas com Deficiência

Estatísticas sobre as Pessoas com Deficiência Estatísticas sobre as Pessoas com Deficiência Alicia Bercovich IETS Seminário Internacional sobre Cidades e Inclusão Social Instituto JNG Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2014 Principais Temas Pessoas

Leia mais

PROJETO JOVEM DOUTOR BRASIL UMA ESTRATEGIA DE EDUCAÇÃO EM SAUDE. Wanderléia Blasca

PROJETO JOVEM DOUTOR BRASIL UMA ESTRATEGIA DE EDUCAÇÃO EM SAUDE. Wanderléia Blasca PROJETO JOVEM DOUTOR BRASIL UMA ESTRATEGIA DE EDUCAÇÃO EM SAUDE Wanderléia Blasca Colaboradores: Andressa da Silva, Ana C. Spinardi, Thaís Gonçalves, Giédre Berretin-Félix, Deborah Ferrari, Alcione Brasolotto,

Leia mais

AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA

AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA Laboratório de Psicofísica e Percepção AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA Fga. Joseane dos Santos Piola Doutoranda do Programa de Pós graduação em Psicobiologia 2009 AVALIAÇÃO AUDIOLÓGICA CLÍNICA: sentimentos-k-sinto-no-coraxao.blogspot.com

Leia mais

ATIVIDADE FÍSICA ASILAR. Departamento de Psicologia e Educação Física

ATIVIDADE FÍSICA ASILAR. Departamento de Psicologia e Educação Física ATIVIDADE FÍSICA ASILAR Departamento de Psicologia e Educação Física 1. INTRODUÇÃO Compreensivelmente, à medida que envelhecemos podemos observar várias mudanças, tanto com relação aos nossos órgãos e

Leia mais

3 Método. 3.1 Sujeitos

3 Método. 3.1 Sujeitos 30 3 Método 3.1 Sujeitos A amostra deste estudo foi composta de idosos atendidos no ambulatório de geriatria de um hospital público do estado do Rio de Janeiro. Foram investigados 51 idosos com diagnóstico

Leia mais

I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA

I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA I - ÁREA PROFISSIONAL FONOAUDIOLOGIA FONOAUDIOLOGIA HOSPITALAR EM FUNÇÕES OROFACIAIS Titulação: Aprimoramento Supervisora: Profª Drª Cláudia Regina Furquim de Andrade Características: (duração 12 meses)

Leia mais

Área: 576.300,8km 2. 1. População

Área: 576.300,8km 2. 1. População Área: 576.300,8km 2 1. População Capitais Habitantes* Curitiba PR 1.587.315 Florianópolis SC 342.315 Porto Alegre RS 1.360.590 Total 3.290.220 *IBGE, censo 2004. 2. Estudantes Estudantes matriculados*

Leia mais

PERFIL DOS PACIENTES PORTADORES DA OSTEOPOROSE ATENDIDOS PELO COMPONENTE ESPECIALIZADO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

PERFIL DOS PACIENTES PORTADORES DA OSTEOPOROSE ATENDIDOS PELO COMPONENTE ESPECIALIZADO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA PERFIL DOS PACIENTES PORTADORES DA OSTEOPOROSE ATENDIDOS PELO COMPONENTE ESPECIALIZADO DA ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Raquel Lino de Menezes 8, Francielda Geremias da Costa Luz¹, Maycon Allison Horácio de

Leia mais

Com base nesses pressupostos, o objetivo deste estudo foi conhecer como vem se dando a inserção e a empregabilidade, nas empresas do Pólo Industrial

Com base nesses pressupostos, o objetivo deste estudo foi conhecer como vem se dando a inserção e a empregabilidade, nas empresas do Pólo Industrial Introdução Esta proposta de estudo insere-se na linha de pesquisa Trabalho, Gênero e Políticas Sociais do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da PUCRJ e buscou conhecer questões referentes à inserção

Leia mais

ENVELHECIMENTO, SUBJETIVIDADE E SAÚDE: EXPERIÊNCIAS DE INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA POR MEIO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA

ENVELHECIMENTO, SUBJETIVIDADE E SAÚDE: EXPERIÊNCIAS DE INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA POR MEIO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA ENVELHECIMENTO, SUBJETIVIDADE E SAÚDE: EXPERIÊNCIAS DE INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA POR MEIO DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Hilma Khoury Psicóloga, Doutora em Psicologia, Professora na Universidade Federal do Pará

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007

AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 AVALIAÇÃO DA EPIDEMIA DE AIDS NO RIO GRANDE DO SUL dezembro de 2007 Notas importantes: O Banco de dados (BD) do Sistema de Informação Nacional de Agravos de Notificação (SINAN) vem sofrendo nos últimos

Leia mais

INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL

INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL INFLUÊNCIA DOS ASPECTOS SOCIOECONÔMICOS NO RESULTADO DA TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL CARNEIRO 1 Cláudia; CAVALVANTI 2 Hannalice; NETA 3 Ivanilde; SOUZA 4 Dayse Centro de Ciências da Saúde /Departamento de

Leia mais

O efeito da aclimatização no reconhecimento de sentenças no silêncio e no ruído: avaliação sem as próteses auditivas.

O efeito da aclimatização no reconhecimento de sentenças no silêncio e no ruído: avaliação sem as próteses auditivas. O efeito da aclimatização no reconhecimento de sentenças no silêncio e no ruído: avaliação sem as próteses auditivas. Palavras-chaves: Aclimatização; Discriminação de Fala; Plasticidade neuronal. Autores:

Leia mais

PERFIL AUDIOLÓGICO EM CRIANÇAS NA FAIXA ETÁRIA DE SETE A DEZ ANOS DA ESCOLA VISCONDE DE MAUÁ ATENDIDAS NA UNIDADE DE SAÚDE DO SESI- DR/AMAPÁ EM 2009.

PERFIL AUDIOLÓGICO EM CRIANÇAS NA FAIXA ETÁRIA DE SETE A DEZ ANOS DA ESCOLA VISCONDE DE MAUÁ ATENDIDAS NA UNIDADE DE SAÚDE DO SESI- DR/AMAPÁ EM 2009. PERFIL AUDIOLÓGICO EM CRIANÇAS NA FAIXA ETÁRIA DE SETE A DEZ ANOS DA ESCOLA VISCONDE DE MAUÁ ATENDIDAS NA UNIDADE DE SAÚDE DO SESI- DR/AMAPÁ EM 2009. INTRODUÇÃO RODRIGO LIMA COIMBRA¹ SHEILA CRISTINA CUNHA

Leia mais

Aplicação do questionário APHAB para análise do benefício da prótese auditiva

Aplicação do questionário APHAB para análise do benefício da prótese auditiva Aplicação do questionário APHAB para análise do benefício da prótese auditiva Lorena Kozlowski Fonoaudióloga Professora do Programa de Pós-Graduação Mestrado e Doutorado em Distúrbios da Comunicação -

Leia mais

3.2 Descrição e aplicação do instrumento de avaliação

3.2 Descrição e aplicação do instrumento de avaliação Após uma revisão literária dos vários autores que se debruçaram sobre a temática do nosso estudo, passamos a apresentar os procedimentos metodológicos adoptados no presente estudo. Neste capítulo apresentamos

Leia mais

Gastos com medicamentos para tratamento da Doença de Alzheimer pelo Ministério da Saúde, 2007-2011

Gastos com medicamentos para tratamento da Doença de Alzheimer pelo Ministério da Saúde, 2007-2011 Gastos com medicamentos para tratamento da Doença de Alzheimer pelo Ministério da Saúde, 2007-2011 Marina Guimarães Lima, Cristiane Olinda Coradi Departamento de Farmácia Social da Faculdade de Farmácia

Leia mais

TÍTULO: A INFLUÊNCIA DA DANÇA DO VENTRE NOS SINTOMAS DEPRESSIVOS EM IDOSAS DA COMUNIDADE

TÍTULO: A INFLUÊNCIA DA DANÇA DO VENTRE NOS SINTOMAS DEPRESSIVOS EM IDOSAS DA COMUNIDADE Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: A INFLUÊNCIA DA DANÇA DO VENTRE NOS SINTOMAS DEPRESSIVOS EM IDOSAS DA COMUNIDADE CATEGORIA:

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E R A L P A Í S R

Leia mais

AULA 13 Dados verbais

AULA 13 Dados verbais 1 AULA 13 Dados verbais Ernesto F. L. Amaral 05 de maio de 2011 Metodologia (DCP 033) Fonte: Flick, Uwe. 2009. Desenho da pesquisa qualitativa. Porto Alegre: Artmed. pp.105-118. OBJETIVO DA AULA 2 Apresentar

Leia mais

TÍTULO: IDOSO E LAZER: CONCEPÇÃO, BENEFÍCIOS E DIFICULDADES DE MORADORES DE SÃO PAULO

TÍTULO: IDOSO E LAZER: CONCEPÇÃO, BENEFÍCIOS E DIFICULDADES DE MORADORES DE SÃO PAULO TÍTULO: IDOSO E LAZER: CONCEPÇÃO, BENEFÍCIOS E DIFICULDADES DE MORADORES DE SÃO PAULO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: PSICOLOGIA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE SÃO JUDAS TADEU

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AUDIOLOGIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AUDIOLOGIA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE PSICOLOGIA CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM AUDIOLOGIA PERCEPÇÃO DE DESVANTAGEM AUDITIVA EM IDOSOS: ESTUDO DA SENSIBILIDADE E ESPECIFICIDADE DO HEARING

Leia mais

Sound for a Young Generation Second Latin American Pediatric Conference

Sound for a Young Generation Second Latin American Pediatric Conference Sound for a Young Generation Second Latin American Pediatric Conference Foto criança Espectro da Neuropatia Auditiva Santiago - Chile 26-27 Novembro de 2010 Phonak Profa. Dra. Doris R. Lewis Pontifícia

Leia mais