O Movimento Paralímpico. Aula 2 Esportes Paralímpicos Parte 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "O Movimento Paralímpico. Aula 2 Esportes Paralímpicos Parte 1"

Transcrição

1

2 O Movimento Paralímpico Aula 2 Esportes Paralímpicos Parte 1

3 Objetivos 1 2 Apresentar a classificação funcional dos esportes Paralímpicos. Conhecer os seguintes esportes Paralímpicos: atletismo, halterofilismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, paraciclismo, natação, paratriatlo, canoagem, remo e vela.

4 Introdução Recebem o nome de Paralímpicos somente os esportes presentes nos Jogos Paralímpicos. O Comitê Paralímpico Internacional decide quais esportes participam dos Jogos seguindo os seguintes critérios norteadores: QUANTIDADE (número expressivo de atletas) QUALIDADE (bom nível de desempenho) UNIVERSALIDADE (presença nas diversas partes do mundo) Atualmente, o programa dos Jogos de Verão é composto por 22 esportes e o de inverno por 5 esportes.

5 1 Classificação Funcional dos Esportes Paralímpicos

6 Capítulo 1 Classificação Funcional dos Esportes Paralímpicos O que é Classificação Funcional dos Esportes Paralímpicos? É um sistema de categorização aplicado através de testes para proporcionar aos atletas condições justas de competir, atribuindo a eles uma CLASSE ESPORTIVA. O sistema de CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL é pensado em termos esportivos e não em termos de deficiência. É a relação entre deficiência e atividade esportiva. Exemplo de classes esportivas do Atletismo

7 Capítulo 1 Classificação Funcional dos Esportes Paralímpicos O que é Classificação Funcional dos Esportes Paralímpicos? Estão dentro de uma mesma classe, competindo entre si, atletas com capacidades funcionais equivalentes. Assim, o DESEMPENHO É DETERMINADO PELA HABILIDADE TÉCNICA E TREINAMENTO e não pelo grau de deficiência.

8 Capítulo 1 Classificação Funcional dos Esportes Paralímpicos Atenção A classe de um atleta faz parte de sua identidade esportiva e pode ser revista ao longo de sua carreira, seja em função de uma deficiência degenerativa ou da mudança de parâmetros.

9 2 Esportes Paralímpicos

10 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Atletismo O Atletismo Paralímpico é composto pelas provas de: PISTA (100m, 200m, 400m, 800m, 1.500m, 5000m, m) REVEZAMENTO (4x100m e 4x400m) SALTOS (Altura,Distância,Triplo) PROVA DE RUA MARATONA ARREMESSO DE PESO Atletas cegos ou com baixa visão severa são acompanhados por GUIAS. Competidores com amputações nos membros inferiores utilizam PRÓTESES ESPECIAIS para corrida. Atletas cadeirantes competem em uma cadeira que tem formato de triciclo. COMBINADAS (Pentatlo, 5 provas variam de acordo com a classe do participante) LANÇAMENTOS (disco, dardo e club) No atletismo, as classes esportivas são precedidas das letras T (pista e salto) e F (arremessos e lançamentos).

11 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Halterofilismo FORÇA, MUITA FORÇA, É O QUE SE VÊ EM UMA COMPETIÇÃO DE HALTEROFILISMO. Os atletas chegam a levantar até três vezes o seu próprio peso corporal. Os atletas realizam um movimento de supino. Cada atleta tem direito a três tentativas. Vence aquele que levantar o maior peso. Participam homens e mulheres. Uma única classe esportiva, porém com diferentes categorias de peso.

12 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Basquete em cadeira de rodas O basquete em cadeira de rodas tem muita semelhança com o basquete convencional. A quadra tem as mesmas medidas do basquete convencional. O jogo tem 4 tempos de 10 minutos cada. Em caso de empate, há prorrogação de 10 minutos. Os atletas usam cadeiras específicas para o jogo de basquete. A classificação dos atletas é realizada por um sistema de pontos: 1 MAIS COMPROMETIDO MENOS COMPROMETIDO

13 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Bocha O bocha é um jogo de PRECISÃO, INTELIGÊNCIA e ESTRATÉGIA no qual homens e mulheres competem juntos. O OBJETIVO é lançar as bolas de cor vermelha ou azul o mais próximo de uma bola-alvo branca, chamada de Bolim ou bola-alvo (em inglês, Jack). As partidas podem ser INDIVIDUAIS, em DUPLAS ou TRIOS. E existem 4 classes esportivas. As bolas são feitas de couro e são pouco maiores que uma bola de tênis, pesando aproximadamente 275gr.

14 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Paraciclismo No paraciclismo, os atletas paralímpicos competem individualmente ou em equipe e em dois tipos de provas. As classes estão divididas em quatro grupos e definem o tipo de bicicleta que o atleta deverá utilizar. As provas são realizadas em número variado de voltas num circuito fechado de estradas. São divididas em: corrida de estrada, corrida de revezamento e contrarrelógio. As provas são realizadas em velódromos e são divididas em: contrarrelógio, perseguição e velocidade.

15 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Natação Na natação Paralímpica os atletas nadam provas individuais e de revezamento nos estilos: LIVRE COSTAS PEITO BORBOLETA MEDLEY São oferecidas provas de 50 a 400m. São oferecidas provas de 50 a 100m. São oferecidas provas de 50 a 100m. São oferecidas provas de 50 a 100m. São oferecidas provas de : 150m é composta por costas, peito e livre. 200m - é composta pelos estilos borboleta, costas, peito e livre. Os atletas são divididos em 14 classes esportivas. Quanto menor o número da classe, maior o comprometimento do atleta.

16 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Paratriatlo O PARATRIATLO FARÁ SUA ESTREIA NOS JOGOS PARALÍMPICOS NO RIO DE JANEIRO EM A competição consiste em 750M de natação, 20KM de ciclismo e 5KM de corrida. No ciclismo, os atletas podem usar uma bicicleta de mão (handcycle), uma bicicleta tandem ou uma bicicleta comum. Na corrida, podem fazer uso de cadeiras de corrida e os atletas cegos podem contar com um corredor guia. Dependendo da classe do atleta, poderá contar também com um auxiliar que ajudará com a troca de vestimenta e equipamentos.

17 Consolidando e testando seus conhecimentos Pesquise e descubra! Grande estreia Como acabamos de ver, em 2016 haverá a primeira participação do triatlo nos Jogos Paralímpicos. Pesquise mais sobre o triatlo Paralímpico e a trajetória desse esporte até a sua entrada nos Jogos.

18 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Paracanoagem A CANOAGEM PARALÍMPICA é um esporte náutico de velocidade. É disputado, geralmente, em canais construídos artificialmente. Utilizam-se dois tipos de embarcações. São oferecidas: provas masculinas e femininas, disputadas individualmente (sinalizadas pelo número um) e CAIAQUES identificados pela letra K CANOAS HAVAIANAS conhecidas como Va a e por isso identificadas pela letra V. O sistema de classificação é baseado na capacidade funcional do atleta para remar e aplicar força no finca-pé ou assento a fim de tocar o barco adiante. provas mistas, disputadas em duplas (sinalizadas pelo número dois).

19 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Remo As provas de remo são realizadas em barcos longos e estreitos. São tripulados por um, dois ou quatro remadores, usando um ou dois remos por atleta. O percurso é de 1000 metros. São seis raias de competição e duas de escape. O PRIMEIRO BARCO A CRUZAR A LINHA DE CHEGADA É O VENCEDOR.

20 Capítulo 2 Esportes Paralímpicos Vela No comando do veleiro, homens e mulheres competem juntos com o objetivo de percorrer o trajeto estipulado no menor tempo possível. As provas de vela são denominadas REGATAS e uma competição é composta por até 11 regatas. O local da competição é denominado RAIA e existem vários percursos possíveis, marcados por boias ou barcos. O vencedor é o velejador ou equipe com menos pontos, geralmente aqueles que conseguem imprimir uma maior velocidade nos barcos, realizar melhores manobras e buscar as melhores condições de vento.

21 Consolidando e testando seus conhecimentos Consolidando e testando seus conhecimentos Para complementar o que estudamos até aqui, assista ao depoimento do atleta paralímpico de Canoagem, Fernando Fernandes. Depoimentos - Fernando Fernandes

22 Relembrando A classificação funcional visa proporcionar ao atleta condições de participar de competições de forma mais justa. O atletismo Paralímpico é composto por: pista, salto, revezamento, prova de rua, combinadas, arremesso de peso e lançamentos. No halterofilismo, os atletas realizam um movimento de supino. Vence aquele que levantar o maior peso. O basquete em cadeira de rodas tem muita semelhança com o basquete convencional. O objetivo da bocha é lançar as bolas de cor vermelha ou azul o mais próximo de uma bola-alvo branca, chamada de Bolim ou bola-alvo. No paraciclismo existem dois tipos de provas: ciclismo de pista e ciclismo de estrada. Na natação paralímpica os atletas nadam provas individuais e de revezamento nos estilos: livre, costas, peito, borboleta e medley. O paratriatlo fará sua estreia nos Jogos Paralímpicos no Rio de Janeiro em A canoagem paralímpica é disputada, geralmente, em canais construídos artificialmente. As provas de remo são realizadas em barcos longos e estreitos com 1, 2 ou 4 remadores. As provas de vela são denominadas regatas e uma competição é composta por até 11 regatas.

23 Conclusão Você acaba de concluir a aula 2 do curso Movimento Paralímpico. Nesta aula você aprendeu sobre a classificação funcional dos esportes paralímpicos e também conheceu os seguintes esportes: atletismo, halterofilismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, paraciclismo, natação, paratriatlo, canoagem, remo e vela. Acesse a aula 3 e prossiga com seus estudos.

24 FICHA CATALOGRÁFICA Título: Esportes Paralímpicos Parte 1 Assunto: Movimento Paralímpico esportes Paralímpicos, classificação funcional, atletismo, Palavras-chave: halterofilismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, paraciclismo, natação, paratriatlo, canoagem, remo, vela Data da publicação: 09/2014 Edição: 1ª edição Autor/Criador: Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Colaboração: Comitê Paralímpico Brasileiro - CPB Banco de Imagens Rio 2016 Imagens: Getty Images Tipo de Documento: Aula Digital Idioma: Português (Brasil) Objeto Digital: Slide de Apresentação Formato:.pdf Local orignal:

Esportes de Interação com a Natureza

Esportes de Interação com a Natureza Esportes de Interação com a Natureza Aula 2 Canoagem e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria DE INTERAÇÃO COM A NATUREZA e suas principais regras. 2 Conhecer a história

Leia mais

Experimentação Esportiva

Experimentação Esportiva Experimentação Esportiva Aula 3 A categorização dos esportes Olímpicos e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Compreender a categorização dos esportes Olímpicos e por similaridade de movimentos, ações ou local

Leia mais

Esportes de Interação com a Natureza

Esportes de Interação com a Natureza Esportes de Interação com a Natureza Aula 1 Vela e remo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria ESPORTES DE INTERAÇÃO COM A NATUREZA e suas principais regras. 2 Conhecer a

Leia mais

Esportes de Interação com a Natureza

Esportes de Interação com a Natureza Esportes de Interação com a Natureza Aula 3 Hipismo, triatlo e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria ESPORTES DE INTERAÇÃO COM A NATUREZA e suas principais regras.

Leia mais

Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. DINÂMICA LOCAL INTERATIVA APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA

Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. DINÂMICA LOCAL INTERATIVA APRENDER A APRENDER APRENDER A APRENDER EDUCAÇÃO FÍSICA A A Aula 10.2 Conteúdo: Os esportes indígenas na cultura não indígena. 2 A A Habilidades: Reconhecer os jogos com heranças indígenas. 3 A A O esporte indígena na cultura não indígena: A cultura brasileira

Leia mais

Esportes de Combate. Aula 1. Judô e taekwondo

Esportes de Combate. Aula 1. Judô e taekwondo Esportes de Combate Aula 1 Judô e taekwondo Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria de COMBATE e suas principais regras. 2 Conhecer a história desses esportes e sua entrada para os Jogos Olímpicos

Leia mais

Experimentação Esportiva

Experimentação Esportiva Experimentação Esportiva Aula 4 Criando um Plano Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Conhecer um passo a passo para trabalhar com a categorização de esportes. 2 Identificar sugestões de planejamento para as

Leia mais

Experimentação Esportiva

Experimentação Esportiva Experimentação Esportiva Aula 2 O Movimento e o Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Analisar o desenvolvimento e o amadurecimento dos aspectos motores. 2 Relacionar os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs)

Leia mais

Esportes de Invasão. Aula 2. Futebol, futebol de 5 e futebol de 7. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Invasão. Aula 2. Futebol, futebol de 5 e futebol de 7. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Invasão Aula 2 Futebol, futebol de Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria INVASÃO. 2 Conhecer a história desses esportes e a entrada para os Jogos Olímpicos

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário Organizando Voluntariado na Escola Aula 1 Ser Voluntário Objetivos 1 Entender o que é ser voluntário. 2 Conhecer os benefícios de ajudar. 3 Perceber as oportunidades proporcionadas pelo voluntariado. 4

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 4. Badminton e goalball Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 4. Badminton e goalball Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 4 Badminton e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria de REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história do surgimento desses esportes e

Leia mais

Esportes de Invasão. Aula 3. Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo aquático. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Invasão. Aula 3. Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo aquático. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Invasão Aula 3 Rugby, rugby em cadeira de rodas e polo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria INVASÃO. 2 Conhecer a história desses esportes e a sua entrada

Leia mais

O Movimento Olímpico. Aula 1 Olimpismo. Rio 2016 Versão 1.0

O Movimento Olímpico. Aula 1 Olimpismo. Rio 2016 Versão 1.0 O Movimento Olímpico Aula 1 Olimpismo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Definir o Olimpismo, compreendendo sua filosofia. 2 Identificar os Valores Olímpicos. 3 Reconhecer a estrutura da Família Olímpica.

Leia mais

Esportes de Invasão. Aula 1. Basquetebol, basquetebol em cadeira de rodas e handebol. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Invasão. Aula 1. Basquetebol, basquetebol em cadeira de rodas e handebol. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Invasão Aula 1 Basquetebol, de rodas e handebol Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar três esportes da categoria INVASÃO e suas principais regras. 2 Conhecer a história desses esportes

Leia mais

Na aba visualizar PDE você verifica o plano e pode fazer os últimos ajustes antes de encaminhar para a análise do Comitê.

Na aba visualizar PDE você verifica o plano e pode fazer os últimos ajustes antes de encaminhar para a análise do Comitê. Preencher o Plano de Ação Financiáveis Aqui, você vai começar a inserir um Plano de Ação para cada problema priorizado, definindo as estratégias e ações a serem desenvolvidas. Na aba visualizar PDE você

Leia mais

O Movimento Olímpico. Aula 2 Os Símbolos Olímpicos. Rio 2016 Versão 1.0

O Movimento Olímpico. Aula 2 Os Símbolos Olímpicos. Rio 2016 Versão 1.0 O Movimento Olímpico Aula 2 Os Símbolos Olímpicos Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Identificar os principais símbolos olímpicos. 2 Compreender a importância e a função de cada símbolo olímpico. Introdução

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 1. Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 1. Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 1 Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar três esportes da categoria REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história desses

Leia mais

Regras e Regulamentos IPC-Atletismo 2014-2015. 16-11-2014 Federação Portuguesa de Atletismo 1

Regras e Regulamentos IPC-Atletismo 2014-2015. 16-11-2014 Federação Portuguesa de Atletismo 1 Regras e Regulamentos IPC-Atletismo 2014-2015 Federação Portuguesa de Atletismo 1 Atletismo para pessoas com Deficiência Federação Portuguesa de Atletismo 2 Jogos Paralímpicos A modalidade está no programa

Leia mais

Experimentação Esportiva

Experimentação Esportiva Experimentação Esportiva Aula 1 O Movimento e o Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Resgatar alguns conceitos sobre o movimento e o desenvolvimento motor e suas fases. 2 Definir habilidade motora e identificar

Leia mais

XXVII JOGOS ESCOLARES MUNICIPAIS JEMs 2013 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO

XXVII JOGOS ESCOLARES MUNICIPAIS JEMs 2013 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO REGULAMENTO ESPECÍFICO DO ATLETISMO Art. 1º - As competições serão regidas pelas Regras Oficiais da Federação Internacional de Atletismo Amador e da Confederação Brasileira de Atletismo em tudo que não

Leia mais

ATLETISMO. Alyne Rayane

ATLETISMO. Alyne Rayane ATLETISMO Alyne Rayane O QUE É ATLETISMO? O atletismo é um conjunto de esportes constituído por três modalidades: corrida, lançamentos e saltos. ATLETISMO QUANDO SURGIU? Atletismo tempo dos ancestrais;

Leia mais

Guia de Mídia Canoagem Brasileira. Remando em busca do sonho olímpico

Guia de Mídia Canoagem Brasileira. Remando em busca do sonho olímpico Guia de Mídia Canoagem Brasileira Remando em busca do sonho olímpico Remando em busca do sonho olímpico A Confederação Brasileira de Canoagem vem trabalhando intensamente pelo desenvolvimento da canoagem

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 2. Tênis e tênis de mesa. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 2. Tênis e tênis de mesa. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 2 Tênis e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar três esportes da categoria de REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história do surgimento desses esportes e sua

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 3. Golfe e hóquei sobre grama Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 3. Golfe e hóquei sobre grama Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 3 Golfe e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria de REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história do surgimento desses esportes e sua

Leia mais

Água, fonte de vida. Aula 6 A conexão das águas. Rio 2016 Versão 1.0

Água, fonte de vida. Aula 6 A conexão das águas. Rio 2016 Versão 1.0 Água, fonte de vida Aula 6 A conexão das águas Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Conhecer o conceito de bacia hidrográfica 2 Identificar as bacias hidrográficas brasileiras e como acontece a gestão das suas

Leia mais

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA

V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA V. REGULAMENTAÇÃO RELATIVA À HOMOLOGAÇÃO DE RECORDES DE PORTUGAL, RECORDES NACIONAIS E RECORDES NACIONAIS DE ESTRADA A. Homologação de Recordes de Portugal 1. GENERALIDADES Para que uma marca possa ser

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Organizando Voluntariado na Escola Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Objetivos 1 Entender a importância de fazer um planejamento. 2 Aprender como planejar o projeto de voluntariado. 3 Conhecer ferramentas

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 2 Alegria do Esforço

Valores Educacionais. Aula 2 Alegria do Esforço Valores Educacionais Aula 2 Alegria do Esforço Objetivos 1 Apresentar o valor Alegria do Esforço. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Alegria do Esforço. Introdução As próximas aulas

Leia mais

SEMANA DA INTEGRAÇÃO FISMA/FCAA 2015

SEMANA DA INTEGRAÇÃO FISMA/FCAA 2015 SEMANA DA INTEGRAÇÃO FISMA/FCAA 2015 16 a 20 de março de 2015 EVENTO ESPORTIVO E CULTURAL COM OBJETIVO DE INTEGRAR OS CALOUROS AO AMBIENTE ACADÊMICO DA FISMA/FCAA PROGRAMAÇÃO Dia 16/03 Ginásio de Esportes

Leia mais

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02.

NORMA 12. CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02. NORMA 12 CATEGORIAS OFICIAIS DO ATLETISMO BRASILEIRO POR FAIXA ETÁRIA Aprovada pela Assembleia Geral em 26.04.2014 Atualizada em 19.02.2015 Art. 1º - As categorias e respectivas faixas etárias da Confederação

Leia mais

T.C.A. Trabalho Colaborativo de Autoria

T.C.A. Trabalho Colaborativo de Autoria T.C.A Trabalho Colaborativo de Autoria Jogos Paraolímpicos Logo do Comitê Paraolímpico Internacional Integrantes : Guilherme Souza Dantas Nº08 Gustavo Haruki Nº09 Marcelo Henrique Cordeiro Moraes Nº14

Leia mais

As tochas Olímpicas e Paralímpicas

As tochas Olímpicas e Paralímpicas As tochas Olímpicas e Paralímpicas Aula 2 A tocha dos Jogos Rio 2016 Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos Nesta aula, você irá conhecer: 1 As principais características da tocha dos Jogos Rio 2016 2 O revezamento

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

Olimpíadas Especiais UBM/PMBM Regulamento Técnico 2014

Olimpíadas Especiais UBM/PMBM Regulamento Técnico 2014 Olimpíadas Especiais UBM/PMBM Regulamento Técnico 2014 I - DOS JOGOS Art.1 - A Olimpíada Especial UBM/PMBM tem por finalidade desenvolver o intercâmbio desportivo e social entre os atletas, professores

Leia mais

PROGRAMAÇÃO OFICIAL ATLETISMO

PROGRAMAÇÃO OFICIAL ATLETISMO PROGRAMAÇÃO OFICIAL ATLETISMO SESSÃO TÉCNICA DATA:17/07/2015 SEXTA-FEIRA HORÁRIO: 16:00 LOCAL: GINÁSIO DE ESPORTES COL. EST. NILO CAIRO ENDEREÇO: RUA PROF ERASTO GAERTNER - CENTRO INÍCIO DA COMPETIÇÃO

Leia mais

A. Disposições Gerais

A. Disposições Gerais FEDERAÇÃO PORTUGUESA DE ATLETISMO Direcção Técnica Nacional Sector juvenil Versão de 29 de Maio de 2008 REGULAMENTO GERAL DE COMPETIÇÕES NORMAS RELACIONADAS COM OS ESCALÕES DO ATLETISMO JUVENIL A. Disposições

Leia mais

SÃO PAULO, DEZEMBRO 2014

SÃO PAULO, DEZEMBRO 2014 SÃO PAULO, DEZEMBRO 2014 Objetivo e público Programa para incentivar a prática esportiva nas escolas, democratizar o acesso ao esporte, desenvolver e difundir valores olímpicos e paraolímpicos entre estudantes

Leia mais

Classificação no Ciclismo

Classificação no Ciclismo Classificação no Ciclismo A classificação é uma forma de estrutura criada para a organização das competições com atletas que possuem alguma deficiência. Antes de participar de qualquer competição, o atleta

Leia mais

Festival Paralímpico de Montes Claros

Festival Paralímpico de Montes Claros Festival Paralímpico de Montes Claros Realização: Associação das Pessoas com Deficiência de Montes Claros-ADEMOC Prefeitura Municipal de Montes Claros Apoio: Secretaria Municipal de Esporte Conselho Municipal

Leia mais

Jogos Paralímpicos Rio 2016 GUIA DE INGRESSOS

Jogos Paralímpicos Rio 2016 GUIA DE INGRESSOS Jogos Paralímpicos Rio 2016 GUIA DE INGRESSOS Setembro de 2015 2 JOGOS PARALÍMPICOS 7 a 18 de setembro de 2016 É a vez do Rio! Os Jogos Paralímpicos se aproximam e é com grande honra que o Comitê Rio 2016

Leia mais

A Proposta da IAAF 03. Campeonato para 13-15 anos de idade 03. Formato da Competição 04. Organização da Competição 05.

A Proposta da IAAF 03. Campeonato para 13-15 anos de idade 03. Formato da Competição 04. Organização da Competição 05. Índice: A Proposta da IAAF 03 Campeonato para 3-5 anos de idade 03 Formato da Competição 04 Organização da Competição 05 Resultados 06 Arbitragem necessária para o Evento 07 Preparação do Equipamento Necessário

Leia mais

1. Na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos os atletas da delegação da Grécia são sempre os primeiros que desfilam. Está informação está correta?

1. Na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos os atletas da delegação da Grécia são sempre os primeiros que desfilam. Está informação está correta? 1. Na cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos os atletas da delegação da Grécia são sempre os primeiros que desfilam. Está informação está correta? Sim, os atletas da Grécia são sempre os primeiros a

Leia mais

MATEMÁTICA ANO: 2013 IFPB QUESTÃO 01

MATEMÁTICA ANO: 2013 IFPB QUESTÃO 01 MATEMÁTICA ANO: 2013 IFPB QUESTÃO 01 Os Jogos Olímpicos foram criados pelos gregos por volta de 2500 a.c. e foram retomados por iniciativa do Barão de Coubertin no final do século XIX. Em 1960, foram disputados

Leia mais

Jogos Paraolímpicos. Profs. Bruno Crestani Calegaro e Eder Ferrari

Jogos Paraolímpicos. Profs. Bruno Crestani Calegaro e Eder Ferrari Jogos Paraolímpicos Profs. Bruno Crestani Calegaro e Eder Ferrari Jogos Paraolímpicos O que são? As Paraolimpíadas são o equivalente das Olimpíadas tradicionais porém ocorre a participação somente de atletas

Leia mais

ATLETISMO PARA TETRAPLÉGICO POR LESÃO MEDULAR: ESTUDO DE UM CASO. RESUMO

ATLETISMO PARA TETRAPLÉGICO POR LESÃO MEDULAR: ESTUDO DE UM CASO. RESUMO 1 ATLETISMO PARA TETRAPLÉGICO POR LESÃO MEDULAR: ESTUDO DE UM CASO. Lincoln dos Santos Andrade 1 Lucas Camilo Richter Barbosa da Silva 1 Gisele Cristina Galli 1 Rosangela Marques Busto 2 Abdallah Achour

Leia mais

Guia Escolar Paralímpico

Guia Escolar Paralímpico Guia Escolar Paralímpico Uma parceria: Guia Escolar Paralímpico 1 2 3 Movimento Paralímpico... 4 1.2 O Comitê Paralímpico Internacional 10 1.3 O símbolo e lema Paralímpicos 11 1.4 O esporte Paralímpico

Leia mais

Entendendo o tamanho dos Jogos

Entendendo o tamanho dos Jogos Entendendo o tamanho dos Jogos Copa X Olimpíadas 32 nações 204 nações 723 atletas 15 mil atletas 15 em trânsito no Rio seleções todas no Rio olímpicos e paralímpicos X 15 mil voluntários 1 esporte futebol

Leia mais

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DE VELOCIDADE

F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DE VELOCIDADE F E D E R A Ç Ã O P O R T U G U E S A D E C A N O A G E M REGULAMENTO DE VELOCIDADE Em vigor a partir de 27 de Janeiro de 2010 INDICE 1. CAMPEONATO NACIONAL DE REGATAS EM LINHA... 3 2. DEFINIÇÃO... 3 3.

Leia mais

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Educação Física

UNIVERSIDADE DO CONTESTADO UnC Curso de Educação Física EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS Disciplina: BIOLOGIA Características gerais dos seres vivos. Química da célula. Citologia. Microscopia. Divisão celular. Formas de reprodução. Histologia. Disciplina: ANATOMIA

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 1 Educação Olímpica

Valores Educacionais. Aula 1 Educação Olímpica Valores Educacionais Aula 1 Educação Olímpica Objetivos 1 Apresentar os objetivos da Educação Olímpica. 2 Indicar as possibilidades de trabalho com a temática Valores Educacionais integrada aos conteúdos

Leia mais

EJA 5ª FASE PROF. KIM RAONE PROF. MARCUS MELO

EJA 5ª FASE PROF. KIM RAONE PROF. MARCUS MELO EJA 5ª FASE PROF. KIM RAONE PROF. MARCUS MELO Unidade II CULTURA: A pluralidade na expressão humana. 2 Aula 7.2 Conteúdo: A interação do homem com o meio ambiente através dos esportes. 3 Habilidade: Valorizar

Leia mais

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER EDIÇÃO 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO CICLISMO

PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER EDIÇÃO 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO CICLISMO PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE ESPORTES E LAZER EDIÇÃO 2015 REGULAMENTO ESPECÍFICO DO CICLISMO PREFEITURA DE PALMAS SECRETARIA MUNICIPAL DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO

Leia mais

Jogos Paralímpicos Rio 2016 GUIA DE INGRESSOS

Jogos Paralímpicos Rio 2016 GUIA DE INGRESSOS Jogos Paralímpicos Rio 2016 GUI DE INGRESSOS Maio de 2016 JOGOS PRLÍMPICOS 7 a 18 de setembro de 2016 É VEZ DO RIO! Os Jogos Paralímpicos se aproximam e é com grande honra que o Comitê Rio 2016 anuncia

Leia mais

REGULAMENTO DE ATLETISMO

REGULAMENTO DE ATLETISMO CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - A Competição de Atletismo, modalidade individual dos JOGOS ESCOLARES TV SERGIPE- 2014, será realizada de acordo com as Normas das OLIMPÌADAS ESCOLARES

Leia mais

Moutain biking Uma modalidade de ciclismo na qual o atleta deve fazer vários percursos com obstáculos e irregularidades

Moutain biking Uma modalidade de ciclismo na qual o atleta deve fazer vários percursos com obstáculos e irregularidades Moutain biking Uma modalidade de ciclismo na qual o atleta deve fazer vários percursos com obstáculos e irregularidades surgiu na Califórnia na década de 1950, através das brincadeiras de alguns ciclistas

Leia mais

Políticas para o Esporte de Alto Rendimento. Ricardo Leyser Secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento

Políticas para o Esporte de Alto Rendimento. Ricardo Leyser Secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento Políticas para o Esporte de Alto Rendimento Ricardo Leyser Secretário Nacional de Esporte de Alto Rendimento Oportunidade histórica III Conferência Nacional do Esporte Junho de 2010: Por Um Time Chamado

Leia mais

Quiz temático Esportes (fevereiro)

Quiz temático Esportes (fevereiro) Quiz temático Esportes (fevereiro) Primeira semana - Quiz Temático Esportes Durante todo o mês de fevereiro, o Programa de Relacionamento da Prysmian vai testar seus conhecimentos sobre esportes! Nesta

Leia mais

Água, fonte de vida. Aula 1 Água para todos. Rio 2016 Versão 1.0

Água, fonte de vida. Aula 1 Água para todos. Rio 2016 Versão 1.0 Água, fonte de vida Aula 1 Água para todos Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Analisar a quantidade de água potável disponível em nosso planeta 2 Identificar os diferentes estados da água 3 Conhecer o ciclo

Leia mais

Esportes de Interação com a Natureza

Esportes de Interação com a Natureza Esportes de Interação com a Natureza Aula 4 Ciclismo, ciclismo BMX e paraciclismo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar mais três esportes da categoria ESPORTES DE INTERAÇÃO COM A NATUREZA e suas

Leia mais

Triathlon Faculdades FKB. Regulamento Geral

Triathlon Faculdades FKB. Regulamento Geral DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Triathlon Faculdades FKB Regulamento Geral Art. 1 Este Regulamento Geral é o conjunto de disposições que regem a 1ª Prova de Triathlon Faculdades FKB 2011 e implica obediência

Leia mais

REGULAMENTO GERAL O EVENTO

REGULAMENTO GERAL O EVENTO REGULAMENTO GERAL O EVENTO O CIRCUITO JOVEM PAN X-TREME consiste em um evento multiesportivo composto por duas etapas, envolvendo as modalidades CORRIDA RÚSTICA, CAMINHADA, DESAFIO MULTIEPORTIVO SOLO E

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 4 Respeito pelos Outros

Valores Educacionais. Aula 4 Respeito pelos Outros Valores Educacionais Aula 4 Respeito pelos Outros Objetivos 1 Apresentar o valor Respeito pelos Outros. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Respeito pelos Outros. Introdução Esta

Leia mais

salto em distância. Os resultados tiveram diferenças bem significativas.

salto em distância. Os resultados tiveram diferenças bem significativas. 1 Análise de comparação dos resultados dos alunos/atletas do Atletismo, categoria infanto, nos Jogos Escolares Brasiliense & Olimpíadas Escolares Brasileira. Autora: Betânia Pereira Feitosa Orientador:

Leia mais

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE CICLISMO JERNS 2014

REGULAMENTO ESPECÍFICO DE CICLISMO JERNS 2014 GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO, DA EDUCAÇÃO E DA CULTURA COORDENADORIA DE DESPORTOS DESPORTO ESCOLAR CODESP REGULAMENTO ESPECÍFICO DE CICLISMO JERNS 2014 Art.1º- As competições

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2015

ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2015 1 ORIENTAÇÃO TÉCNICA 2015 1. FINALIDADE Regular a Orientação Técnica de 2015 às Federações filiadas à CBPM. 2. REFERÊNCIAS - Estatuto da CBPM; - Regulamento Técnico da CBPM; - Calendário Desportivo da

Leia mais

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CICLISMO COMUNICADO PISTA 2013

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CICLISMO COMUNICADO PISTA 2013 COMUNICADO PISTA 2013 Informações Gerais: - O uso de capacete rígido é obrigatório para todos os corredores dentro da pista e deve estar sempre abotoado, mesmo no aquecimento. - Os corredores não podem

Leia mais

Meio: Jornal 10 Minutos

Meio: Jornal 10 Minutos Meio: Jornal 10 Minutos Editoria:Esporte Caderno: Cidade Data:10/7/2015 Meio: Site Globo Esporte Editoria:Esporte Hora: -- Data:10/7/2015 Link para assistir: http://globoesporte.globo.com/am/videos/t/edicoes/v/manaus-sedia-etapa-nacional-dotriathlon-do-sesc/4313441/

Leia mais

texto I partes I e II Língua Portuguesa e Matemática Futebol de rua De preferência os novos, do colégio.

texto I partes I e II Língua Portuguesa e Matemática Futebol de rua De preferência os novos, do colégio. partes I e II Língua Portuguesa e Matemática texto I Futebol de rua Pelada é o futebol de campinho, de terreno baldio. Mas existe um tipo de futebol ainda mais rudimentar do que a pelada. É o futebol de

Leia mais

4ª Edição da Meia Maratona Sesc de Revezamento

4ª Edição da Meia Maratona Sesc de Revezamento Meio: Amazonas Notícias Editoria: Esportes Hora: - Data: 20/10/15 4ª Edição da Meia Maratona Sesc de Revezamento O Sesc AM realiza, no próximo dia 31, a 4ª edição da Meia Maratona Sesc de Revezamento.

Leia mais

REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I

REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I I MACEIÓ-AL, 2015 REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO I DA FINALIDADE DO EVENTO Art. 1º - O esporte é considerado um fenômeno cultural da humanidade capaz de propiciar inúmeros benefícios aos seus praticantes.

Leia mais

Andrew PARSONS Presidente Comitê Paraolímpico Brasileiro Membro do Conselho Executivo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Para Membro do Comitê

Andrew PARSONS Presidente Comitê Paraolímpico Brasileiro Membro do Conselho Executivo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Para Membro do Comitê Andrew PARSONS Presidente Comitê Paraolímpico Brasileiro Membro do Conselho Executivo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Para Membro do Comitê Executivo Comitê Paraolímpico Internacional Presidente

Leia mais

Valores educacionais do Olimpismo

Valores educacionais do Olimpismo Valores educacionais do Olimpismo Aula 3 Busca pela excelência e equilíbrio entre corpo, vontade e mente Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Detalhar o valor busca pela excelência 2 Apresentar estratégias

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO

REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO REGULAMENTO TÉCNICO ATLETISMO 1 A Competição de Atletismo do JIUDESC 2014 será regida pelas Regras Internacionais da IAAF e pelo que dispõe este Regulamento. 2 Cada Centro poderá inscrever, no máximo,

Leia mais

柔 道 パウリスタ. Informações sobre valores, favorecidos e contratantes de convênios e pagamentos relativos aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016:

柔 道 パウリスタ. Informações sobre valores, favorecidos e contratantes de convênios e pagamentos relativos aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016: Informações sobre valores, favorecidos e contratantes de convênios e pagamentos relativos aos Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016: Convênios Número do Convênio SIAFI: 755940 Situação: Aguardando Prestação

Leia mais

2. DATA DA REALIZAÇÃO

2. DATA DA REALIZAÇÃO REGULAMENTO 1. DEFINIÇÃO É uma ação esportiva desenvolvida na modalidade corrida de rua, entre os empregados dos Correios e comunidade. 2. DATA DA REALIZAÇÃO Prova Regional: 27/02/2011 3. HORÁRIO 08 horas

Leia mais

EC PINHEIROS OLÍMPICO AQUÁTICOS

EC PINHEIROS OLÍMPICO AQUÁTICOS EC PINHEIROS OLÍMPICO AQUÁTICOS ESPORTE CLUBE PINHEIROS NÚMEROS QUE IMPRESSIONAM 112 ANOS de existência umas das instituições mais tradicionais do país, oferecendo atividades esportivas, sociais e culturais

Leia mais

CAMPEONATO ESTADUAL DE NATAÇÃO DE VERÃO TROFÉU ALEXANDRE VISCARDI, TROFÉU MARCOS CHAIBEN INFANTIL JUVENIL JUNIOR SENIOR TROFÉU PARANÁ ABSOLUTO

CAMPEONATO ESTADUAL DE NATAÇÃO DE VERÃO TROFÉU ALEXANDRE VISCARDI, TROFÉU MARCOS CHAIBEN INFANTIL JUVENIL JUNIOR SENIOR TROFÉU PARANÁ ABSOLUTO CAMPEONATO ESTADUAL DE NATAÇÃO DE VERÃO TROFÉU ALEXANDRE VISCARDI, TROFÉU MARCOS CHAIBEN INFANTIL JUVENIL JUNIOR SENIOR TROFÉU PARANÁ ABSOLUTO Data :04 A 07 DE NOVEMBRO DE 2015 Inscrição: 28 de outubro

Leia mais

II Jogos Estudantis do Colégio Vital Brazil

II Jogos Estudantis do Colégio Vital Brazil II Jogos Estudantis do Colégio Vital Brazil Antes da pretensão de promover um campeonato, deve-se promover o homem em sua infinita potencialidade e complexidade, REVERDITO, SCAGLIA E MONTAGNER 2013....

Leia mais

3 MODALIDADES DO CICLISMO

3 MODALIDADES DO CICLISMO 3 MODALIDADES DO CICLISMO Não há muitos registros sobre cada modalidade, além de haver uma variedade muito grande de informações sobre uma mesma modalidade. PORTE (1996), porém, nos relata sobre os vários

Leia mais

Participação do Brasil nos Jogos Paraolímpicos de Sydney: apresentação e análise

Participação do Brasil nos Jogos Paraolímpicos de Sydney: apresentação e análise ARTIGO ORIGINAL Participação do Brasil nos Jogos Paraolímpicos de Sydney: apresentação e análise Alberto Martins da Costa 1 e Sílvio Soares dos Santos 2 RESUMO Na Paraolimpíada de Sydney, o Brasil demonstrou

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 3 Jogo Limpo

Valores Educacionais. Aula 3 Jogo Limpo Valores Educacionais Aula 3 Jogo Limpo Objetivos 1 Apresentar o valor Jogo Limpo. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Jogo Limpo. Introdução Esta aula apresenta definições e sugestões

Leia mais

Jogos Escolares de Belo Horizonte JEBH/2015. Regulamento Específico Ciclismo

Jogos Escolares de Belo Horizonte JEBH/2015. Regulamento Específico Ciclismo Jogos Escolares de Belo Horizonte JEBH/2015 Regulamento Específico Ciclismo Art. 1º - A competição de ciclismo dos Jogos Escolares de Belo Horizonte JEBH/2015 obedecerá às regras oficiais da UCI e da Confederação

Leia mais

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em várias etapas.

Art. 3º - Os Campeonatos são disputados anualmente, podendo ser realizados em várias etapas. Art. 1º - Os CAMPEONATOS ESTADUAIS CAIXA DE ATLETISMO MIRIM têm por propósito básico a integração estadual, a difusão do Atletismo e a verificação do desenvolvimento de seu estágio técnico nos diversos

Leia mais

Produzindo e divulgando fotos e vídeos. Aula 3 Divulgação de fotos e vídeos

Produzindo e divulgando fotos e vídeos. Aula 3 Divulgação de fotos e vídeos Produzindo e divulgando fotos e vídeos Aula 3 Divulgação de fotos e vídeos Objetivos 1 Entender o que são as redes sociais. 2 Definir Marketing Viral. 3 Entender como divulgar fotos e vídeos nas redes

Leia mais

DISCIPLINA. Regulamento Geral

DISCIPLINA. Regulamento Geral REGULAMENTO GERAL ENSINA-ME A SER OBEDIENTE ÀS REGRAS DO JOGO ENSINA-ME A NÃO PROFERIR NEM RECEBER ELOGIO IMERECIDO ENSINA-ME A GANHAR, SE ME FOR POSSÍVEL MAS, SE EU PERDER, ACIMA DE TUDO ENSINA-ME A PERDER

Leia mais

Unidade: 01. 6 Ano Ensino Fundamental Atletismo. Prof.º Leonardo Delgado

Unidade: 01. 6 Ano Ensino Fundamental Atletismo. Prof.º Leonardo Delgado 6 Ano Ensino Fundamental Atletismo Unidade: 01 Prof.º Leonardo Delgado 1. HISTÓRIA DO ATLETISMO O atletismo é a forma organizada mais antiga de esporte e se vem celebrando há milhares de anos, sendo utilizado

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO CIRCUITO BRASIL CAIXA LOTERIAS DE ATLETISMO, HALTEROFILISMO E NATAÇÃO 2014 SEÇÃO I - DA COMPETIÇÃO

REGULAMENTO GERAL DO CIRCUITO BRASIL CAIXA LOTERIAS DE ATLETISMO, HALTEROFILISMO E NATAÇÃO 2014 SEÇÃO I - DA COMPETIÇÃO REGULAMENTO GERAL DO CIRCUITO BRASIL CAIXA LOTERIAS DE ATLETISMO, HALTEROFILISMO E NATAÇÃO 2014 I DOS OBJETIVOS SEÇÃO I - DA COMPETIÇÃO Artigo 1º - O Circuito Brasil Caixa Loterias de Atletismo, Halterofilismo

Leia mais

III Torneio de Atletismo Master

III Torneio de Atletismo Master III Torneio de Atletismo Master GOVERNADOR VALADARES-MG 18 de Julho de 2015 Realização: AMAVA - Associação Master de Atletismo Vale do Aço Apoio: Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer de Governador

Leia mais

PRÁTICAS CORPORAIS ATIVIDADE FÍSICA ESPORTES PESSOAS COM DEFICIÊNCIA LIMITAÇÃO POTENCIALIDADE

PRÁTICAS CORPORAIS ATIVIDADE FÍSICA ESPORTES PESSOAS COM DEFICIÊNCIA LIMITAÇÃO POTENCIALIDADE PRÁTICAS CORPORAIS ATIVIDADE FÍSICA ESPORTES PESSOAS COM DEFICIÊNCIA LIMITAÇÃO POTENCIALIDADE SAÚDE QUALIDADE DE VIDA O TEMA DO SÉCULO Discussão acadêmica, científica, política e social na busca da qualidade

Leia mais

Conceito da Modalidade Esporte para Todas as Idades Sustentabilidade Financeira e Ecológica Estudos de Logomarca

Conceito da Modalidade Esporte para Todas as Idades Sustentabilidade Financeira e Ecológica Estudos de Logomarca Conceito da Modalidade Esporte para Todas as Idades Sustentabilidade Financeira e Ecológica Estudos de Logomarca 1. CONCEITO E DEFINIÇÃO Modalidade esportiva de prova de longa distância - mínimo de 80

Leia mais

www.fncvo.com.br Regata de Março/2014 - Regata Quatenus

www.fncvo.com.br Regata de Março/2014 - Regata Quatenus Regata de Março/2014 - Regata Quatenus No dia 22 de Março de 2014, foi realizada a segunda regata valida para o Ranking da Federação Norte Catarinense de veleiros de Oceano, classe Oceano. Sábado de sol

Leia mais

REGULAMENTO DE REMO 2007 2008

REGULAMENTO DE REMO 2007 2008 REGULAMENTO DE REMO 2007 2008 REGATAS OFICIAIS E CAMPEONATOS ESTADUAIS CAPÍTULO I DOS REMADORES E SUAS CATEGORIAS: Artigo 1º O(a)(s) remador(a)(es)(as) que vierem a participar de regatas da serão divididos

Leia mais

Rua Domingos Costa Resende, 385 - Bairro Braúnas/Pampulha. Rodovia Prefeito Américo Renê Gianetti - Bairro Serra Verde

Rua Domingos Costa Resende, 385 - Bairro Braúnas/Pampulha. Rodovia Prefeito Américo Renê Gianetti - Bairro Serra Verde LOCAIS DE PROVAS Academia da Polícia Militar Rua Diabase, 320 - Bairro Prado Clube dos Oficiais da Polícia Militar de Minas Gerais Rua Diabase, 200 - Bairro Prado Colégio Municipal Marconi Avenida do Contorno,

Leia mais

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição

TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição TROFÉU BRASIL CAIXA DE ATLETISMO XXXIII Edição Art. 1º - Art. 2º - Art. 3º - O Troféu Brasil de Atletismo é uma competição realizada anualmente que têm por propósito básico a difusão do Atletismo e a verificação

Leia mais

Regulamento Circuito Paulista de Natação (Filiados) 2015

Regulamento Circuito Paulista de Natação (Filiados) 2015 FEDERAÇÃO PAULISTA DE DESPORTOS PARA CEGOS Regulamento Circuito Paulista de Natação (Filiados) 2015 Circuito Paulista de Natação para Deficientes Visuais NATAÇÃO SEÇÃO I - DA COMPETIÇÃO I DOS OBJETIVOS

Leia mais

VI Seminário de Educação Inclusiva Direito à Diversidade ESPORTE ADAPTADO Ana Leonídia Soares Prof. Educação Física analeonsoares@bol.com.

VI Seminário de Educação Inclusiva Direito à Diversidade ESPORTE ADAPTADO Ana Leonídia Soares Prof. Educação Física analeonsoares@bol.com. VI Seminário de Educação Inclusiva Direito à Diversidade ESPORTE ADAPTADO Ana Leonídia Soares Prof. Educação Física analeonsoares@bol.com.br Quem somos? Onde estamos? Pessoa com deficiência; quase ¼ da

Leia mais

COMISSÃO DO ESPORTE DILIGÊNCIA VISITA TÉCNICA ÀS OBRAS DOS JOGOS OLÍMPICOS E PARALÍMPICOS RIO 2016

COMISSÃO DO ESPORTE DILIGÊNCIA VISITA TÉCNICA ÀS OBRAS DOS JOGOS OLÍMPICOS E PARALÍMPICOS RIO 2016 Não é possível exibir esta imagem no momento. COMISSÃO DO ESPORTE DILIGÊNCIA VISITA TÉCNICA ÀS OBRAS DOS JOGOS OLÍMPICOS E PARALÍMPICOS RIO 2016 13 DE ABRIL DE 2015 Sumário Apresentação... 2 1. Visita

Leia mais

OPEN BRASIL CAIXA LOTERIAS DE NATAÇÃO 2014 22 a 27 de Abril São Paulo, SP - Brasil INFORMAÇÕES GERAIS

OPEN BRASIL CAIXA LOTERIAS DE NATAÇÃO 2014 22 a 27 de Abril São Paulo, SP - Brasil INFORMAÇÕES GERAIS OPEN BRASIL CAIXA LOTERIAS DE NATAÇÃO 2014 22 a 27 de Abril São Paulo, SP - Brasil INFORMAÇÕES GERAIS 1. Comitê Organizador Local Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) 1.1. Contatos Nome: Ricardo Melo Amaranta

Leia mais

Campeonato Estadual de Verão - Infantil a Sênior 2013 Regulamento

Campeonato Estadual de Verão - Infantil a Sênior 2013 Regulamento Campeonato Estadual de Verão - Infantil a Sênior 2013 Regulamento 29 e 30 de novembro de 2013. Local : Piscina de 50m do Parque Aquático do Grêmio Náutico União ( GNU ), localizado na Rua Quintino Bocaiúva,

Leia mais