Experimentação Esportiva

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Experimentação Esportiva"

Transcrição

1

2 Experimentação Esportiva Aula 1 O Movimento e o Rio 2016 Versão 1.0

3 Objetivos 1 Resgatar alguns conceitos sobre o movimento e o desenvolvimento motor e suas fases. 2 Definir habilidade motora e identificar suas classificações. 3 Relacionar atividades e habilidades motoras com cada etapa do desenvolvimento motor.

4 Introdução Nesta aula vamos aprender um pouco sobre o desenvolvimento motor, suas fases e habilidades motoras. Vamos entender cada fase do desenvolvimento e amadurecimento e relaciona-las com os aspectos motores. Para um melhor entendimento precisamos conhecer o conceitos de MOVIMENTO E AÇÃO. Veja a seguir!

5 Introdução Movimentos Movimentos são características de comportamento de um membro específico ou de uma combinação de membros. Ações Ações são respostas a metas que consistem em movimentos do corpo e/ou de membros. Também são chamadas de famílias de movimentos. (Magill, 2000) Ações são classes equivalentes de movimentos. (Schmidt, 2003)

6 1 Desenvolvimento Motor

7 Capítulo 1 DESENVOLVIMENTO MOTOR É a continua alteração no comportamento motor ao longo do ciclo da vida, proporcionada pela interação entre as necessidades do indivíduo e as condições do ambiente. O desenvolvimento é relacionado a idade mas não depende dela. (Gallahue & Ozmun, 2005)

8 Capítulo 1 FASES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR 12 A 18 MESES 18 MESES A 2 ANOS 2 A 3 ANOS 3 A 4 ANOS 4 A 5 ANOS De 12 a 18 meses Anda e explora a casa e seus arredores; Empilha 2 ou 3 cubos; Enche recipientes; Pronuncia 5 ou 6 palavras; Manifesta ciúmes e reações de rivalidade no jogo, com irmãos mais velhos.

9 Capítulo 1 FASES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR 12 A 18 MESES 18 MESES A 2 ANOS 2 A 3 ANOS 3 A 4 ANOS 4 A 5 ANOS De 18 meses a 2 anos Sobe e desce escada, inicialmente segura por uma mão, depois sozinha, apoiando-se; Mostra seus olhos, seu nariz e empilha materiais; Associa palavras e enriquece o vocabulário; Reproduz um traço no papel; Aprende a comer sozinha; Interesse pelo que fazem os adultos e a imitar seus gestos; Interesse crescente pelas outras crianças.

10 Aula 1 O Movimento e o Capítulo 1 Dicas O que deve ser estimulado nessa fase? Imagem corporal identificar as diferentes partes do corpo e explorar o que cada uma dessas partes é capaz de fazer. Devemos estimular os movimentos naturais de forma global sem se preocupar com excelência ou refinamento. Preferencialmente podemos explorar o ambiente de convivência. Ex: correr, saltar, rolar, lançar/arremessar, equilibrar.

11 Capítulo 1 FASES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR 12 A 18 MESES 18 MESES A 2 ANOS 2 A 3 ANOS 3 A 4 ANOS 4 A 5 ANOS De 2 a 3 anos: Aprende a pular e depois a pular com uma perna só; Desenvolve a linguagem e usa o 'eu'; Começa a fazer perguntas; Compreende a maioria das palavras que lhe são ditas; Pode reproduzir formas; Começa a brincar com os outros.

12 Aula 1 O Movimento e o Capítulo 1 Dicas O que deve ser estimulado nessa fase? Podemos aumentar o lastro da imagem corporal e associar com a consciência corporal. Além de expandir o conhecimento de quais movimentos cada parte do corpo pode realizar podemos começar a explorar como pode ser realizado. Por estarem em uma fase de querer brincar com os outros, podemos começar a estimular a convivência com as diferenças.

13 Capítulo 1 FASES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR 12 A 18 MESES 18 MESES A 2 ANOS 2 A 3 ANOS 3 A 4 ANOS 4 A 5 ANOS De 3 a 4 anos: Anda na ponta dos pés e veste-se sozinha; Desenha figura humana com cabeça e tronco e reconhece cores; Diz seu nome, idade e fala de maneira inteligível, conservando a linguagem do meio infantil; Pergunta muito e se interessa como nascem os bebês; Ouve histórias, pedindo aquelas que mais gosta; Brinca com outras crianças e demonstra afeição; Realiza tarefas simples.

14 Aula 1 O Movimento e o Capítulo 1 Dicas O que deve ser estimulado nessa fase? Podemos começar a fazer associações com os esportes, tais como identificar os movimentos realizados no seu cotidiano com aqueles encontrados no esportes. Podemos a estimular as discussões dos valores encontrados nos esportes, bem como as diferenças corpóreas de cada modalidade. Outra possibilidade é a utilização de materiais alternativos e recicláveis. A imitação é algo muito presente nessa fase.

15 Capítulo 1 FASES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR 12 A 18 MESES 18 MESES A 2 ANOS 2 A 3 ANOS 3 A 4 ANOS 4 A 5 ANOS De 4 a 5 anos: Salta, pula, sobe e desce, escala; Desenha figura humana com cabeça, membros e partes principais; Fala de maneira completamente inteligível; Sabe contar seus dedos; Sabe sua idade e os dias da semana; Pergunta muito; protesta quando impedida de fazer o que quer; Conhece tamanho e forma; Interesse pelas atividades dos adultos.

16 Aula 1 O Movimento e o Capítulo 1 Dicas O que deve ser estimulado nessa fase? Podemos explorar mais os esportes através de atividades pré-desportivas. Não precisamos ter preocupação com eficiência técnica, porém a convivência, ajuda, tolerância e resoluções de problemas podem ser ferramentas eficazes na formação da personalidade da criança. Ex: jogos cooperativos, como voleibol. Confecção de materiais esportivos de modo estimular o cognitivo dos alunos.

17 Capítulo 1 FASES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR A partir dos 7 anos começam os estágios: Estágio de Aplicação Estágio de Utilização Permanente Estágio de Transição Caracterizado pelas primeiras tentativas do indivíduo de refinar e combinar padrões maduros. Com as crianças acontece o aumento do interesse pelo padrão de desempenho. Aumenta o interesse pela prática do esporte, observa-se aumento no grau de habilidade esportiva por compreender a ideia. Nesta fase a habilidade e a competência são limitadas.

18 Capítulo 1 FASES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR A partir dos 7 anos começam os estágios: Estágio de Transição Estágio de Utilização Permanente Estágio de Aplicação O individuo torna-se mais consciente de seus recursos físicos e pessoais e de suas limitações e decorrente disto ele concentra-se em determinados tipos de esportes. A experimentação e repetição é a chave para a maturação. No estagio de transição refinam-se, tanto as habilidades mais complexas usadas em esporte oficiais bem como atividades recreativas ou de competição.

19 Capítulo 1 FASES DO DESENVOLVIMENTO MOTOR A partir dos 7 anos começam os estágios: Estágio de Transição Estágio de Aplicação Estágio de Utilização Permanente Os indivíduos reduzem a área de suas buscas atléticas, escolhendo algumas atividades para participar regularmente de situações competitivas, recreativas ou na vida diária. Definem o seu esporte decorrente de seus interesses e suas habilidades e com isso criam-se responsabilidades com fatores externos.

20 Capítulo 2 Habilidades Motoras Vamos relacionar a faixa etária com os estágios de desenvolvimento? FAIXA ETÁRIA ESTÁGIOS 07 a 10 anos Transição 11 a 13 anos Aplicação 14 anos em diante Utilização permanente *Referencias baseadas em Gallaheu.

21 2 Habilidades Motoras

22 CONCEITOS Capítulo 2 Habilidades Motoras HABILIDADE Habilidade significa uma tarefa com uma finalidade específica a ser atingida. (Magill, 2000) HABILIDADE MOTORA São movimentos voluntários do corpo e/ou de membros para atingir o objetivo. (Magill, 2000) HABILIDADE MOTORA ESPORTIVA É o refinamento ou a combinação de padrões de movimento fundamentais ou de habilidades motoras para desempenhar atividades relacionadas a esportes. (Gallahue & Ozmun, 2005)

23 Capítulo 2 Habilidades Motoras Saiba mais... PADRÃO DE MOVIMENTO é uma série organizada de movimentos relacionados. Representa o desempenho de um movimento isolado. Neste caso o segmento corporal é analisado apenas biomecanicamente. PADRÃO DE MOVIMENTO FUNDAMENTAL refere-se ao desempenho observável de movimentos básicos locomotores, manipulativos e estabilizadores. Envolvem a combinação de padrões de dois ou mais segmentos corporais. Exemplos: correr, pular, derrubar, arremessar e girar (Gallahue & Ozmun, 2005)

24 Capítulo 2 Habilidades Motoras CLASSIFICAÇÃO DAS HABILIDADES MOTORAS HABILIDADE MOTORA GROSSA Quando as pessoas necessitam utilizar grandes grupamentos musculares para realizar as ações. Normalmente requerem menor precisão de movimentos do que as habilidades motoras finas. (Magill, 2000) HABILIDADE MOTORA FINA São aquelas que requerem maior controles dos menores grupamentos musculares. Estão intimamente envolvidos na coordenação mãos-olhos. Demoram mais a se manifestar, pois dependem da maturação do sistema nervoso central. (Magill, 2000)

25 Capítulo 2 Habilidades Motoras CLASSIFICAÇÃO DAS HABILIDADES MOTORAS HABILIDADE MOTORA FECHADA Habilidades Motoras Fechadas: São aquelas desempenhadas em ambientes estáveis, isto é, ele não se altera enquanto a pessoa está desempenhando a ação. Em outras palavras, o objeto sobre o qual se age não muda durante o desempenho da Habilidade. (Magill, 2000) Exemplos: atleta no tiro com arco; primeira tacada no jogo do golf; jogador de basquete cobrando lance livre; um corredor durante uma corrida rasa. HABILIDADE MOTORA ABERTA Habilidades Motoras Abertas: São aquelas desempenhadas em ambientes não estáveis, onde o objeto ou o contexto variam durante o desempenho da habilidade. O indivíduo deve agir de acordo com a ação do objeto. (Magill, 2000) Exemplos: Goleiro em processo de defesa; jogador de tênis de mesa durante uma troca de rebatidas; atletas de BMX durante a prova.

26 Capítulo 2 Habilidades Motoras CATEGORIAS DAS HABILIDADES MOTORAS* 1 LOCOMOTORAS: correr, caminhar, saltar. 2 ESTABILIZADORAS: equilibrar, rolar, girar, balançar. 3 MANIPULADAS: arremessar, receber, chutar, rebater, quicar, impelir, atingir. *Referências baseadas em Gallaheu.

27 Capítulo 2 Habilidades Motoras VAMOS RELACIONAR CADA HABILIDADE COM OS ESTÁGIOS DE DESENVOLVIMENTO. FAIXA ETÁRIA ATITUDE MOTORA ESPERADA ESTÁGIOS 07 a 10 anos Combinar as habilidades básicas. Transição 11 a 13 anos Aplicar as habilidades básicas. Aplicação 14 anos em diante Aplicar na vida permanente. Utilização permanente *Referências baseadas em Gallaheu.

28 Capítulo 2 Habilidades Motoras Dicas SUGESTÕES DE ATIVIDADES POR FAIXA ETÁRIA 6 a 10 anos: esportes como natação, atletismo, ginástica artística, entre outros. 11 a 14 anos: qualquer esporte, refinando os movimentos. 14 anos em diante: qualquer esporte, estimulando o processo autônomo dos alunos.

29 Aula 1 O Movimento e o VÍDEO Consolidando e testando seus conhecimentos Para refletir um pouco sobre o que estudamos até aqui, assista ao vídeo. E veja a importância do esporte no desenvolvimento e na saúde de uma pessoa. Esporte ajuda no desenvolvimento de jovens com deficiência.

30 Aula 1 O Movimento e o QUIZ Consolidando e testando seus conhecimentos Teste seus conhecimentos respondendo às questões a seguir.

31 Aula 1 O Movimento e o QUIZ QUIZ! 1. Qual das atividades abaixo é mais indicada para uma aula com crianças de 8 anos? a) Esporte de marca ou rítmicos. b) Qualquer categoria de esporte que estimula o processo autônomo. c) Movimentos esportivos especializados.

32 Aula 1 O Movimento e o QUIZ QUIZ! 2. Definir o seu esporte decorrente de seus interesses e suas habilidades e com isso criar responsabilidades com fatores externos é característico de qual estágio do desenvolvimento? a) Transição; b) Aplicação; c) Utilização Permanente.

33 Aula 1 O Movimento e o QUIZ QUIZ! Qual das afirmativas abaixo está incorreta? a) Um exemplo de habilidade locomotora é pular. b) Habilidade Motora Grossa são aquelas que requerem maior controles dos menores grupamentos musculares. c) A criança entre 7 a 10 anos está na fase de transição.

34 Aula 1 O Movimento e o QUIZ Consolidando e testando seus conhecimentos Confira suas resposta: 1. A 2. C 3. B

35 Relembrando O desenvolvimento motor é a contínua alteração no comportamento motor ao longo do ciclo da vida e está relacionado a idade mas não depende dela. A partir dos 7 anos o desenvolvimento motor pode ser classificado em três estágios: transição, aplicação e utilização permanente. As habilidades motoras são movimentos voluntários do corpo e/ou de membros para atingir o objetivo. Elas são classificadas como: habilidades motoras finas, grossas, fechadas e abertas. As habilidades motoras também subdividem-se em três categorias: locomotoras, estabilizadoras e manipuladas.

36 Conclusão Você acaba de concluir a aula 1 do curso Experimentação Esportiva. Nesta aula, você conheceu os principais conceitos relacionados ao desenvolvimento motor e suas fases. Estudou sobre as habilidades motoras relacionandoas às fases do desenvolvimento motor. Acesse a aula 2 e prossiga com seus estudos.

37 Quer promover uma ação solidária? Acesse aqui o curso Organizando Voluntariado na Escola e entenda tudo o que você precisa fazer para tornar este desejo uma feliz realidade.

38 FICHA CATALOGRÁFICA Título: O Movimento e o Assunto: Experimentação esportiva Palavras-chave: movimento, desenvolvimento motor, habilidades motoras, fases do desenvolvimento motor, ações Data da publicação: 11/2014 Edição: 1ª edição Autor/Criador: Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 Gylton da Matta Colaboração: Doutor em Aprendizagem Motora Youth Sports Academy Banco de Imagens Rio 2016 Imagens: Getty Images Tipo de Documento: Aula Digital Idioma: Português (Brasil) Objeto Digital: Slide de Apresentação Formato:.pptx e.pdf Local orignal:

Experimentação Esportiva

Experimentação Esportiva Experimentação Esportiva Aula 2 O Movimento e o Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Analisar o desenvolvimento e o amadurecimento dos aspectos motores. 2 Relacionar os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs)

Leia mais

MAURICIO.KUSNICK@PONTAGROSSA.PR.GOV.BR

MAURICIO.KUSNICK@PONTAGROSSA.PR.GOV.BR MAURICIO.KUSNICK@PONTAGROSSA.PR.GOV.BR SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CORPO EM MOVIMENTO na Educação Infantil Onde existe vida, existe movimento e onde existem crianças, Existe movimento quase perpétuo.

Leia mais

Experimentação Esportiva

Experimentação Esportiva Experimentação Esportiva Aula 3 A categorização dos esportes Olímpicos e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Compreender a categorização dos esportes Olímpicos e por similaridade de movimentos, ações ou local

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 3 Jogo Limpo

Valores Educacionais. Aula 3 Jogo Limpo Valores Educacionais Aula 3 Jogo Limpo Objetivos 1 Apresentar o valor Jogo Limpo. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Jogo Limpo. Introdução Esta aula apresenta definições e sugestões

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL: CONHECENDO O DESENVOLVIMENTO MOTOR

EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL: CONHECENDO O DESENVOLVIMENTO MOTOR EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL: CONHECENDO O DESENVOLVIMENTO MOTOR Priscila Reinaldo Venzke Ana Eleonora Sebrão Assis RESUMO Este trabalho é resultado da pesquisa realizada para a construção do referencial teórico

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

PROFESSOR CÉLIO SOUZA/ prof_celiosouza@oi.com.br

PROFESSOR CÉLIO SOUZA/ prof_celiosouza@oi.com.br 1 DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM MOTORA COMPORTAMENTO MOTOR O comportamento motor estuda de que maneiras seu cérebro e sistema nervoso se desenvolveram e se ajustaram a fim de melhorar seu controle e sua

Leia mais

Esportes de Interação com a Natureza

Esportes de Interação com a Natureza Esportes de Interação com a Natureza Aula 1 Vela e remo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria ESPORTES DE INTERAÇÃO COM A NATUREZA e suas principais regras. 2 Conhecer a

Leia mais

Consiste em uma série de movimentos realizados com exatidão e precisão.

Consiste em uma série de movimentos realizados com exatidão e precisão. HABILIDADES MOTORAS HABILIDADE MOTORA Consiste em uma série de movimentos realizados com exatidão e precisão. Gallahue, 2008 Atos motores que surgem dos movimentos da vida diária do ser humano e dos animais,

Leia mais

A INFLUÊNCIA DA INICIAÇÃO DESPORTIVA DO FUTEBOL NO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE CRIANÇAS DO SEXO MASCULINO COM IDADES ENTRE 11 A 13 ANOS.

A INFLUÊNCIA DA INICIAÇÃO DESPORTIVA DO FUTEBOL NO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE CRIANÇAS DO SEXO MASCULINO COM IDADES ENTRE 11 A 13 ANOS. A INFLUÊNCIA DA INICIAÇÃO DESPORTIVA DO FUTEBOL NO DESENVOLVIMENTO MOTOR DE CRIANÇAS DO SEXO MASCULINO COM IDADES ENTRE 11 A 13 ANOS. Introdução AUTOR: JOÃO EDUARDO BICCA CARMO CORONEL Faculdade Metodista

Leia mais

Experimentação Esportiva

Experimentação Esportiva Experimentação Esportiva Aula 4 Criando um Plano Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Conhecer um passo a passo para trabalhar com a categorização de esportes. 2 Identificar sugestões de planejamento para as

Leia mais

O Movimento Olímpico. Aula 1 Olimpismo. Rio 2016 Versão 1.0

O Movimento Olímpico. Aula 1 Olimpismo. Rio 2016 Versão 1.0 O Movimento Olímpico Aula 1 Olimpismo Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Definir o Olimpismo, compreendendo sua filosofia. 2 Identificar os Valores Olímpicos. 3 Reconhecer a estrutura da Família Olímpica.

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 1. Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado. Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 1. Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado. Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 1 Voleibol, vôlei de praia e voleibol sentado Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar três esportes da categoria REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história desses

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Organizando Voluntariado na Escola Aula 3 Planejando a Ação Voluntária Objetivos 1 Entender a importância de fazer um planejamento. 2 Aprender como planejar o projeto de voluntariado. 3 Conhecer ferramentas

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA

DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO FUNDAMENTAL 2014 DIRETRIZES CURRICULARES 1º ao 5º ANO EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVO GERAL Favorecer o desenvolvimento corporal e mental harmônicos, consolidar hábitos

Leia mais

Água, fonte de vida. Aula 6 A conexão das águas. Rio 2016 Versão 1.0

Água, fonte de vida. Aula 6 A conexão das águas. Rio 2016 Versão 1.0 Água, fonte de vida Aula 6 A conexão das águas Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Conhecer o conceito de bacia hidrográfica 2 Identificar as bacias hidrográficas brasileiras e como acontece a gestão das suas

Leia mais

Educação Física Inclusiva

Educação Física Inclusiva LUIZ HENRIQUE DE PAULA CONCEIÇÃO 1 RODRIGO HÜBNER MENDES 2 Educação Física Inclusiva O esporte para pessoas com deficiência teve seu início após a Primeira Guerra Mundial, como forma de tratamento de soldados

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 1 Ser Voluntário Organizando Voluntariado na Escola Aula 1 Ser Voluntário Objetivos 1 Entender o que é ser voluntário. 2 Conhecer os benefícios de ajudar. 3 Perceber as oportunidades proporcionadas pelo voluntariado. 4

Leia mais

Ciclo de Vida das atividades esportivas nos clubes da implantação ao encerramento Case Esperia: Reestruturação de atividade esportiva

Ciclo de Vida das atividades esportivas nos clubes da implantação ao encerramento Case Esperia: Reestruturação de atividade esportiva Ciclo de Vida das atividades esportivas nos clubes da implantação ao encerramento Case Esperia: Reestruturação de atividade esportiva O PIDE - Programa de Iniciação Desportiva do Clube Esperia foi criado

Leia mais

MOVIMENTO E CORPOREIDADE MATERNAL II MAPA DE HABILIDADES 1ª ETAPA/2013. Habilidades Físicas:

MOVIMENTO E CORPOREIDADE MATERNAL II MAPA DE HABILIDADES 1ª ETAPA/2013. Habilidades Físicas: MOVIMENTO E CORPOREIDADE MATERNAL II Conhecer, identificar e nomear esquema corporal (partes do corpo). Imitar posturas corporais (sentado, de pé, deitado). Conhecer limites e possibilidades e o cuidado

Leia mais

COLÉGIO MAGNUM BURITIS

COLÉGIO MAGNUM BURITIS COLÉGIO MAGNUM BURITIS ENSINO FUNDAMENTAL PROGRAMAÇÃO 1ª ETAPA / 2013 MATERNAL III PROGRAMAÇÃO DA 1ª ETAPA 2013 MATERNAL 3 ANOS Organize suas atividades de forma ordenada, dando a cada uma o seu tempo

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Planejamento Anual - 2012 Prof. Helcio Denis - CREF 002163-G/SP - G/SP - CRP-124.184-LP 5ª série 6º ano do Ensino Fundamental II Educação

Leia mais

Seqüência de Desenvolvimento

Seqüência de Desenvolvimento Seqüência de Desenvolvimento Motor, Padrões Fundamentais de Movimento e TGMD-2 2Test Seqüência de Desenvolvimento Motor q (GALLAHUE & OZMUN, 1998) Seqüência de Desenvolvimento Motor (TANI, MANOEL, KOKUBUM

Leia mais

O Movimento Paralímpico. Aula 2 Esportes Paralímpicos Parte 1

O Movimento Paralímpico. Aula 2 Esportes Paralímpicos Parte 1 O Movimento Paralímpico Aula 2 Esportes Paralímpicos Parte 1 Objetivos 1 2 Apresentar a classificação funcional dos esportes Paralímpicos. Conhecer os seguintes esportes Paralímpicos: atletismo, halterofilismo,

Leia mais

Água, fonte de vida. Aula 1 Água para todos. Rio 2016 Versão 1.0

Água, fonte de vida. Aula 1 Água para todos. Rio 2016 Versão 1.0 Água, fonte de vida Aula 1 Água para todos Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Analisar a quantidade de água potável disponível em nosso planeta 2 Identificar os diferentes estados da água 3 Conhecer o ciclo

Leia mais

ENSINO FUNDAMENTAL COORDENADORA SANDRA MARA KUCHNIR

ENSINO FUNDAMENTAL COORDENADORA SANDRA MARA KUCHNIR ENSINO FUNDAMENTAL COORDENADORA SANDRA MARA KUCHNIR 2014 EDUCAÇÃO FÍSICA EDUCAÇÃO FÍSICA PRODUÇÃO CULTURAL DA SOCIEDADE EXPRESSADA ATRAVÉS DO MOVIMENTO EDUCAÇÃO FÍSICA CONTEÚDOS EDUCAÇÃO FÍSICA EIXOS ESPORTE

Leia mais

Introdução à disciplina Aprendizagem e Controle Motor

Introdução à disciplina Aprendizagem e Controle Motor Disciplina: Aprendizagem e Controle Motor Professora: Caroline de Oliveira Martins 1 Introdução à disciplina Aprendizagem e Controle Motor Caro(a) aluno(a), os temas devem ser lidos antes das aulas, bem

Leia mais

Condutas psicomotoras: brinquedos tradicionais e diversões de antigamente ainda encantam?

Condutas psicomotoras: brinquedos tradicionais e diversões de antigamente ainda encantam? Condutas psicomotoras: brinquedos tradicionais e diversões de antigamente ainda encantam? Profª. Ms. Cláudia Yazlle Profª. Ms. Gabriela Maffei 5 e 6 de junho Objetivos da aula de hoje As crianças de 4

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO FÍSICA Prof. Dr. Victor H. A. Okazaki http://okazaki.webs.com Material de Apoio: Desenvolvimento & Aprendizado

Leia mais

PALAVRAS-CHAVES: Estágio supervisionado II, educação física, jogo.

PALAVRAS-CHAVES: Estágio supervisionado II, educação física, jogo. O JOGO COMO CONTEÚDO NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO ENSINO FUNDAMENTAL I: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA NO ESTÁGIO SUPERVISIONADO II QUEIROZ, Bruna Leite de Discente do 7º período do curso de Licenciatura

Leia mais

Esportes de Interação com a Natureza

Esportes de Interação com a Natureza Esportes de Interação com a Natureza Aula 2 Canoagem e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria DE INTERAÇÃO COM A NATUREZA e suas principais regras. 2 Conhecer a história

Leia mais

Água, fonte de vida. Aula 2 O caminho das águas. Rio 2016 Versão 1.0

Água, fonte de vida. Aula 2 O caminho das águas. Rio 2016 Versão 1.0 Água, fonte de vida Aula 2 O caminho das águas Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Aprender o caminho que a água percorre de sua nascente até a foz 2 Conhecer a forma como a água chega até as nossas casas

Leia mais

Desenvolvimento Motor de Crianças Prof. Maicon Albuquerque

Desenvolvimento Motor de Crianças Prof. Maicon Albuquerque Desenvolvimento Motor de Crianças Prof. Maicon Albuquerque O Desenvolvimento Motor (DM) pode ser entendido como um processo seqüencial, contínuo e relacionado à idade cronológica, pelo qual o ser humano

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 2 Alegria do Esforço

Valores Educacionais. Aula 2 Alegria do Esforço Valores Educacionais Aula 2 Alegria do Esforço Objetivos 1 Apresentar o valor Alegria do Esforço. 2 Indicar possibilidades de aplicação pedagógica do valor Alegria do Esforço. Introdução As próximas aulas

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDOS CURRICULARES. Rosana Nascentes de Melo E. M. Prof. Leôncio do Carmo Chaves UDI - rosananascentes@terra.com.

ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDOS CURRICULARES. Rosana Nascentes de Melo E. M. Prof. Leôncio do Carmo Chaves UDI - rosananascentes@terra.com. ORGANIZAÇÃO DE CONTEÚDOS CURRICULARES Rosana Nascentes de Melo E. M. Prof. Leôncio do Carmo Chaves UDI - rosananascentes@terra.com.br Resumo A Educação Física, como disciplina escolar, deve estar inserida

Leia mais

AVALIAÇÃO SEMESTRAL DO ALUNO Maternal I

AVALIAÇÃO SEMESTRAL DO ALUNO Maternal I Departamento Pedagógico Seção de Educação Infantil AVALIAÇÃO SEMESTRAL DO ALUNO Maternal I...a mudança da avaliação é fundamental para que deixe de atrapalhar a prática pedagógica e ajude a qualificá-la.

Leia mais

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição?

Mas, como utilizar essa ferramenta tão útil e que está à sua disposição? Caríssimo aluno da Rede CEJA, Seja muito bem vindo à sua escola! Estamos muito felizes que você tenha optado por dar continuidade aos seus estudos conosco, confiando e acreditando em tudo o que poderemos

Leia mais

1. O QUE É. Existem mais de 60 desafios repartidos por 4 categorias de atividade física: Força, Destreza, Velocidade e Expressão Corporal.

1. O QUE É. Existem mais de 60 desafios repartidos por 4 categorias de atividade física: Força, Destreza, Velocidade e Expressão Corporal. 1. O QUE É O Sporttable Box resulta de uma surpreendente fusão entre jogos de tabuleiro e atividade física. É, sobretudo, um projeto que procura promover a Atividade Física e a sua importância no desenvolvimento

Leia mais

Valores educacionais do Olimpismo

Valores educacionais do Olimpismo Valores educacionais do Olimpismo Aula 3 Busca pela excelência e equilíbrio entre corpo, vontade e mente Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Detalhar o valor busca pela excelência 2 Apresentar estratégias

Leia mais

Valores Educacionais. Aula 1 Educação Olímpica

Valores Educacionais. Aula 1 Educação Olímpica Valores Educacionais Aula 1 Educação Olímpica Objetivos 1 Apresentar os objetivos da Educação Olímpica. 2 Indicar as possibilidades de trabalho com a temática Valores Educacionais integrada aos conteúdos

Leia mais

EDUCAÇÃO INFANTIL. PRÉ I Professoras Caroline e Ana Lucia Habilidades vivenciadas no 2º bimestre 2011

EDUCAÇÃO INFANTIL. PRÉ I Professoras Caroline e Ana Lucia Habilidades vivenciadas no 2º bimestre 2011 EDUCAÇÃO INFANTIL Prezados Pais e/ou Responsáveis, Estamos vivenciando o segundo bimestre letivo e o processo de aprendizagem representa pra nós, motivo de alegria e conquistas diárias. Confiram as habilidades

Leia mais

http://obaudoeducador.blogs.sapo.pt/ https://www.facebook.com/profeducespecialfatimagomes CENCAL ALCOBAÇA UFCD 3245 FORMADORA FÁTIMA GOMES

http://obaudoeducador.blogs.sapo.pt/ https://www.facebook.com/profeducespecialfatimagomes CENCAL ALCOBAÇA UFCD 3245 FORMADORA FÁTIMA GOMES CENCAL ALCOBAÇA UFCD 3245 FORMADORA FÁTIMA GOMES OBJETIVOS DA UFCD Reconhecer a importância dos vários fatores que condicionam o desenvolvimento da criança; Identificar teorias do desenvolvimento infantil

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA

DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA CENTRO EDUCACIONAL CHARLES DARWIN ENSINO INFANTIL 2013 DIRETRIZES CURRICULARES INFANTIL III E IV EDUCAÇÃO FÍSICA OBJETIVOS GERAIS Favorecer o desenvolvimento corporal e mental harmônicos, a melhoria da

Leia mais

Meu nome é Rosângela Gera. Sou médica e mãe de uma garotinha de sete anos que é cega.

Meu nome é Rosângela Gera. Sou médica e mãe de uma garotinha de sete anos que é cega. Prezado Editor, Meu nome é Rosângela Gera. Sou médica e mãe de uma garotinha de sete anos que é cega. Gostaria de compartilhar com os demais leitores desta revista, minha experiência como mãe, vivenciando

Leia mais

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*.

EMENTÁRIO. Princípios de Conservação de Alimentos 6(4-2) I e II. MBI130 e TAL472*. EMENTÁRIO As disciplinas ministradas pela Universidade Federal de Viçosa são identificadas por um código composto por três letras maiúsculas, referentes a cada Departamento, seguidas de um número de três

Leia mais

INTRODUÇÃO. 11 3507.0500 / 11 3742.0691 www.rentapro.com.br

INTRODUÇÃO. 11 3507.0500 / 11 3742.0691 www.rentapro.com.br MENU DE MODALIDADES INTRODUÇÃO O Rent a Pro é uma empresa que disponibiliza aulas de esportes em diferentes locais, entre eles: escolas, condomínios residenciais e empresas, além de organizar eventos esportivos

Leia mais

EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA

EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA EXPRESSÃO CORPORAL: UMA REFLEXÃO PEDAGÓGICA Rogério Santos Grisante 1 ; Ozilia Geraldini Burgo 2 RESUMO: A prática da expressão corporal na disciplina de Artes Visuais no Ensino Fundamental II pode servir

Leia mais

O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL

O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL O SISTEMA DE CLASSIFICAÇÃO FUNCIONAL PARA ATLETAS PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL Prof. MsC Cláudio Diehl Nogueira Professor Assistente do Curso de Educação Física da UCB Classificador Funcional Sênior

Leia mais

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011

IV EDIPE Encontro Estadual de Didática e Prática de Ensino 2011 NATAÇÃO E DESEMPENHO ESCOLAR: EXPERIÊNCIA DE UMA EXTENSÃO DA UFG COM UMA ESCOLA PÚBLICA Poliana Siqueira Pedroza 1 Luís César de Souza 2 RESUMO Comunidade Aquática é um projeto de extensão do curso de

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina

Universidade Estadual de Londrina Universidade Estadual de Londrina Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Londrina 2010 1 Josiane de Freitas Santos Relatório de Estágio em Educação Infantil Relatório final

Leia mais

O momento do gol. Parece muito fácil marcar um gol de pênalti, mas na verdade o espaço que a bola tem para entrar é pequeno. Observe na Figura 1:

O momento do gol. Parece muito fácil marcar um gol de pênalti, mas na verdade o espaço que a bola tem para entrar é pequeno. Observe na Figura 1: O momento do gol A UU L AL A Falta 1 minuto para terminar o jogo. Final de campeonato! O jogador entra na área adversária driblando, e fica de frente para o gol. A torcida entra em delírio gritando Chuta!

Leia mais

INFORMATIVO 2015 GRUPO

INFORMATIVO 2015 GRUPO INFORMATIVO 2015 GRUPO 5 Considerar a criança como sujeito é levar em conta, nas relações que com ela estabelecemos, que ela tem desejos, ideias, opiniões, capacidade de decidir, de criar, e de inventar,

Leia mais

COMO TRABALHAR COM BLOCOS LÓGICOS

COMO TRABALHAR COM BLOCOS LÓGICOS I. Descrição do Material: COMO TRABALHAR COM BLOCOS LÓGICOS Material criado por Dienes. Constitui-se de 48 peças, que combinam quatro atributos em cada uma sendo: Tamanho (grande e pequeno) Cor (amarelo,

Leia mais

Critérios de Avaliação

Critérios de Avaliação AGRUPAMENTO DE ESCOLAS PEDRO EANES LOBATO Critérios de Avaliação Educação Pré Escolar Departamento Educação Pré Escolar Ano letivo 2013/2014 A avaliação do processo permite reconhecer a pertinência e sentido

Leia mais

7 7 E8BOOK7CURSO7DE7 ORATÓRIA7

7 7 E8BOOK7CURSO7DE7 ORATÓRIA7 HTTP://WWW.SUPEREDESAFIOS.COM.BR/SEGREDO/FORMULANEGOCIOONLINE E8BOOKCURSODE ORATÓRIA Prof.DaniloMota Prof.&Danilo&Mota& &Blog&Supere&Desafios& 1 Introdução:Tempodeouvir,tempodefalar. Não saber ouvir bem,

Leia mais

Papo com a Especialista

Papo com a Especialista Papo com a Especialista Silvie Cristina (Facebook) - Que expectativas posso ter com relação à inclusão da minha filha portadora da Síndrome de Down na Educação Infantil em escola pública? Quando colocamos

Leia mais

1) O que é a consciência fonológica?

1) O que é a consciência fonológica? 1) O que é a consciência fonológica? É a consciência de que a linguagem oral (frases, palavras ) é composta por sequências de sons com significado. Ter consciência fonológica proporciona a capacidade de

Leia mais

Instituto de Educação Marista Nossa Senhora das Graças Viamão RS USBEE União Sul Brasileira de Educação e Ensino. Tecnologias para Aprender e Ensinar

Instituto de Educação Marista Nossa Senhora das Graças Viamão RS USBEE União Sul Brasileira de Educação e Ensino. Tecnologias para Aprender e Ensinar Instituto de Educação Marista Nossa Senhora das Graças Viamão RS USBEE União Sul Brasileira de Educação e Ensino Tecnologias para Aprender e Ensinar Apresenta uma experiência na construção de jogos infantis

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As letrinhas mágicas 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): A máquina de pesadelos 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) Na série As letrinhas mágicas,

Leia mais

Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down

Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down Propostas para melhorias da fala de crianças com síndrome de down Resumo Esse vídeo pretende oferecer instrumentos aos professores da educação infantil e do ensino fundamental para as tarefas da educação

Leia mais

Esportes de Rebatida. Aula 4. Badminton e goalball Rio 2016 Versão 1.0

Esportes de Rebatida. Aula 4. Badminton e goalball Rio 2016 Versão 1.0 Esportes de Rebatida Aula 4 Badminton e Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Apresentar dois esportes da categoria de REBATIDA e suas principais regras. 2 Conhecer a história do surgimento desses esportes e

Leia mais

TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DO DESENVOLVIMENTO MOTOR ENTRE MENINOS E MENINAS DE 08 À 10 ANOS DE IDADE.

TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DO DESENVOLVIMENTO MOTOR ENTRE MENINOS E MENINAS DE 08 À 10 ANOS DE IDADE. TÍTULO: ESTUDO COMPARATIVO DO DESENVOLVIMENTO MOTOR ENTRE MENINOS E MENINAS DE 08 À 10 ANOS DE IDADE. CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: EDUCAÇÃO FÍSICA INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE

Leia mais

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR

20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR 20 perguntas para descobrir como APRENDER MELHOR Resultados Processo de aprendizagem EXPLORAÇÃO Busco entender como as coisas funcionam e descobrir as relações entre as mesmas. Essa busca por conexões

Leia mais

RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL

RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL RELATO DE EXPERIÊNCIA DE ESTÁGIO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NO CONTEXTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL Resumo MATUCHESKI, Franciele Luci PUCPR francielematucheski@yahoo.com.br Eixo Temático: Práticas e Estágios nas Licenciaturas

Leia mais

PROJETO AMARELINHA PROFESSORA: MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA. E.E Dr. MORATO DE OLIVEIRA

PROJETO AMARELINHA PROFESSORA: MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA. E.E Dr. MORATO DE OLIVEIRA PROJETO AMARELINHA PROFESSORA: MARILENE FERREIRA DE LIMA OLIVEIRA E.E Dr. MORATO DE OLIVEIRA TÍTULO: PROJETO AMARELINHA TURMA: 1º ANO E TEMPO PREVISTO: 1 MÊS PROFESSOR ORIENTADOR: MARILENE FERREIRA DE

Leia mais

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2011 INFANTIL IV EDUCAÇÃO INFANTIL

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2011 INFANTIL IV EDUCAÇÃO INFANTIL Colégio Cor Jesu Brasília DF Plano de Curso 2011 INFANTIL IV EDUCAÇÃO INFANTIL Disciplina: NATUREZA e SOCIEDADE Ano: INFANTIL IV Educação Infantil Competências Habilidades a serem desenvolvidas Eixo/Conteúdos

Leia mais

Atividade física adaptada

Atividade física adaptada Atividade Física Adaptada e Saúde para Todos Perspectivas Holística, Política, de Desenvolvimento e de Diversidade Atividade física adaptada Grupo alvo: portadores de deficiência mental Objetivos As atividades

Leia mais

FICHA DE DESENVOLVIMENTO Pré-Escolar - dos 3 aos 4 anos

FICHA DE DESENVOLVIMENTO Pré-Escolar - dos 3 aos 4 anos Centro Paroquial de Assistência de Santa Maria de Belém Abrigo Infantil de Santa Maria de Belém FICHA DE DESENVOLVIMENTO Pré-Escolar - dos 3 aos 4 anos 1. Período de Adaptação Observações: 1º Trimestre

Leia mais

O Movimento Olímpico. Aula 2 Os Símbolos Olímpicos. Rio 2016 Versão 1.0

O Movimento Olímpico. Aula 2 Os Símbolos Olímpicos. Rio 2016 Versão 1.0 O Movimento Olímpico Aula 2 Os Símbolos Olímpicos Rio 2016 Versão 1.0 Objetivos 1 Identificar os principais símbolos olímpicos. 2 Compreender a importância e a função de cada símbolo olímpico. Introdução

Leia mais

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM

ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM ANEXO I UNIVERSIDADE DA REGIÃO DE JOINVILLE UNIVILLE COLÉGIO DA UNIVILLE PLANEJAMENTO DE ENSINO E APRENDIZAGEM 1. Curso: Missão do Colégio: Promover o desenvolvimento do cidadão e, na sua ação educativa,

Leia mais

Universidade de Brasília Faculdade de Educação Física Decanato de Extensão. Prof.ª Dr.ª Rossana Travassos Benck

Universidade de Brasília Faculdade de Educação Física Decanato de Extensão. Prof.ª Dr.ª Rossana Travassos Benck Universidade de Brasília Faculdade de Educação Física Decanato de Extensão Prof.ª Dr.ª Rossana Travassos Benck Educação Física Desenvolvimento Motor Ensino Infantil Desenvolvimento Humano Afetivo Cognitivo

Leia mais

QUANTO É? PALAVRAS-CHAVE: Aulas investigativas, lúdico, aprendizagem. INTRODUÇÃO

QUANTO É? PALAVRAS-CHAVE: Aulas investigativas, lúdico, aprendizagem. INTRODUÇÃO QUANTO É? Danielle Ferreira do Prado - GEEM-UESB RESUMO Este trabalho trata sobre um trabalho que recebeu o nome de Quanto é? que foi desenvolvido depois de vários questionamentos a cerca de como criar

Leia mais

II Jogos Estudantis do Colégio Vital Brazil

II Jogos Estudantis do Colégio Vital Brazil II Jogos Estudantis do Colégio Vital Brazil Antes da pretensão de promover um campeonato, deve-se promover o homem em sua infinita potencialidade e complexidade, REVERDITO, SCAGLIA E MONTAGNER 2013....

Leia mais

Manual de Acolhimento das Piscinas Municipais de Oliveira do Bairro Programa Peixinhos

Manual de Acolhimento das Piscinas Municipais de Oliveira do Bairro Programa Peixinhos Horário: 2ª e 4ª feira das 10h15 às 11h Local: Piscinas Municipais de Oliveira do Bairro Manual de Acolhimento das Piscinas Municipais de Oliveira do Bairro Programa Peixinhos Âmbito Este programa, oferecido

Leia mais

Critérios Gerais de Avaliação

Critérios Gerais de Avaliação Critérios Gerais de Avaliação Educação Pré-Escolar 2014/15 CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DO PRÉ-ESCOLAR A avaliação é um elemento integrante e regulador da prática educativa em cada nível de educação e

Leia mais

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY.

O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. O PROCESSO DE AQUISIÇÃO DA LINGUA ESCRITA: FUNDAMENTADO EM EMILIA FERREIRO E ANA TEBEROSKY. Silvana da Silva Nogueira (FECLESC/UECE) Priscila Cavalcante Silva (FECLESC/UECE) Resumo O processo de aquisição

Leia mais

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna:

11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na segunda coluna: TÉCNICO EM ASSUNTOS EDUCACIONAIS 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Com base na Teoria Piagetiana, relacione os conceitos da primeira coluna de acordo com as definições apresentadas na

Leia mais

Imagens Mentais Por Alexandre Afonso

Imagens Mentais Por Alexandre Afonso 2 Imagens Mentais Por Alexandre Afonso 1ª Edição, 08/04/2016 As novas edições serão sempre disponibilizadas no link: http://alexandreafonso.com.br/e book imagens mentais 2016 alexandreafonso.com.br. Todos

Leia mais

Abordagens pedagógicas no ensino de Educação Física. Prof.ª Sara Caixeta

Abordagens pedagógicas no ensino de Educação Física. Prof.ª Sara Caixeta Abordagens pedagógicas no ensino de Educação Física Prof.ª Sara Caixeta Objetivo: Conhecer as diferentes tendências e abordagens pedagógicas da Educação física Brasileira identificando seus fundamentos

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec: PROFª NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias

Leia mais

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa

JONAS RIBEIRO. ilustrações de Suppa JONAS RIBEIRO ilustrações de Suppa Suplemento do professor Elaborado por Camila Tardelli da Silva Deu a louca no guarda-roupa Supl_prof_ Deu a louca no guarda roupa.indd 1 02/12/2015 12:19 Deu a louca

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA SÉRIE: 7º ANO PROFESSORA:

Leia mais

ESTILOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM MOTORA: IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA

ESTILOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM MOTORA: IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA ESTILOS DE ENSINO E APRENDIZAGEM MOTORA: IMPLICAÇÕES PARA A PRÁTICA Míriam Stock Palma Nádia Valentini Ricardo Petersen Herbert Ugrinowitsch PST e aquisição de habilidades motoras; Aprendizagem significativa;

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As Letrinhas Mágicas. 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S) Ideias Lunáticas. 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio Ideias Lunáticas faz parte

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Educação Física - Licenciatura

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO. Catálogo 2015 do Curso de Educação Física - Licenciatura EMENTÁRIO ANATOMIA I Ementa:. Estudo da forma, estrutura, função e localização de órgãos que compõem os sistemas que formam o aparelho locomotor: sistema esquelético, sistema articular, sistema muscular

Leia mais

Colégio Sagrado Coração de Jesus. EDUCAÇÃO INFANTIL Reunião de pais

Colégio Sagrado Coração de Jesus. EDUCAÇÃO INFANTIL Reunião de pais Colégio Sagrado Coração de Jesus EDUCAÇÃO INFANTIL Reunião de pais 2015 Que neste novo ano cada canto seja abençoado. Que sejamos todos acolhedores e que nos sintamos acolhidos. Queremos renovar nossa

Leia mais

Lição 3 Técnicas de Estudo e Aprendizagem a Distância

Lição 3 Técnicas de Estudo e Aprendizagem a Distância Estudo e Aprendizado a Distância 69 Lição 3 Técnicas de Estudo e Aprendizagem a Distância Após concluir o estudo desta lição, esperamos que você possa: associar os estilos de aprendizagem às respectivas

Leia mais

GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS

GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS GUIA DE CORREÇÃO E INTERPRETAÇÃO DE RESULTADOS TESTE 2 SEGUNDO SEMESTRE 2010 Presidência da República Federativa do Brasil Ministério da Educação Secretaria Executiva Presidência do Instituto Nacional

Leia mais

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA

PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA COLÉGIO VICENTINO IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Rui Barbosa, 1324, Toledo PR Fone: 3277-8150 PLANEJAMENTO ANUAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA SÉRIE: 6º ANO PROFESSORA:

Leia mais

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2010. Infantil II Segmento I

Colégio Cor Jesu Brasília DF. Plano de Curso 2010. Infantil II Segmento I Colégio Cor Jesu Brasília DF Plano de Curso 2010 Infantil II Segmento I PLANO DE CURSO 2009 INFANTIL II Disciplina: ARTES Série: INFANTIL II Segmento: I COMPETÊNCIAS HABILIDADES A SEREM DESENVOLVIDAS -

Leia mais

Presença das artes visuais na educação infantil: idéias e práticas correntes

Presença das artes visuais na educação infantil: idéias e práticas correntes Capítulo 15 - Artes Visuais Introdução As Artes Visuais expressam, comunicam e atribuem sentido a sensações, sentimentos, pensamentos e realidade por meio da organização de linhas, formas, pontos, tanto

Leia mais

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010

X Encontro Nacional de Educação Matemática Educação Matemática, Cultura e Diversidade Salvador BA, 7 a 9 de Julho de 2010 GESTÃO DA APRENDIZAGEM ESCOLAR EM MATEMÁTICA RELATO DE EXPERIÊNCIA NO PROGRAMA GESTAR II Sidnei Luís da Silva Escola Municipal Vereador Benedito Batista Congatem - MG sidneiluisdasilva@yahoo.com.br Camila

Leia mais

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS!

QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! QUER TER SUCESSO NOS NEGÓCIOS? CONFIRA NOSSAS DICAS! 4 Introdução 5 Conheça seu público 5 Crie uma identidade para sua empresa 6 Construa um site responsivo 6 Seja direto, mas personalize o máximo possível

Leia mais

INTRODUÇÃO. A educação física é uma disciplina curricular que pedagogicamente bem orientada contribui para o desenvolvimento integral do homem.

INTRODUÇÃO. A educação física é uma disciplina curricular que pedagogicamente bem orientada contribui para o desenvolvimento integral do homem. INTRODUÇÃO O ensino da educação física no 1º nível de ensino joga um papel importante no desenvolvimento das diferentes qualidades físicas, assim como das diversas habilidades motoras dos educandos. Através

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL

DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL DICA PEDAGÓGICA EDUCAÇÃO INFANTIL 1. TÍTULO DO PROGRAMA As histórias do Senhor Urso. 2. EPISÓDIO(S) TRABALHADO(S): Brincando num dia frio. 3. SINOPSE DO(S) EPISÓDIO(S) ESPECÍFICO(S) O episódio explora

Leia mais

AUTOPERCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO BACHARELADO FEFF - UFAM SOBRE ATIVIDADES DE LOCOMOÇÃO, MANIPULAÇÃO E COMBINAÇÃO.

AUTOPERCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO BACHARELADO FEFF - UFAM SOBRE ATIVIDADES DE LOCOMOÇÃO, MANIPULAÇÃO E COMBINAÇÃO. AUTOPERCEPÇÃO DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA DO BACHARELADO FEFF - UFAM SOBRE ATIVIDADES DE LOCOMOÇÃO, MANIPULAÇÃO E COMBINAÇÃO. JOHN LENNON MOURA LIMA JOSÉ CARDOSO NETO RITA MARIA DOS SANTOS PUGA BABOSA

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANUAL EDUCAÇÃO INFANTIL INFANTIL III - 2012 OBJETIVOS - CRIANÇAS DE TRÊS ANOS

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANUAL EDUCAÇÃO INFANTIL INFANTIL III - 2012 OBJETIVOS - CRIANÇAS DE TRÊS ANOS CONTEÚDO PROGRAMÁTICO ANUAL EDUCAÇÃO INFANTIL INFANTIL III - 2012 OBJETIVOS - CRIANÇAS DE TRÊS ANOS De acordo com o PCN e o Referencial Curricular da Educação Infantil, a instituição deve criar um ambiente

Leia mais

CRECHE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2012/2013. Telef: 238490000 Fax: 238490003 Av. Cidade da Covilhã Apto. 52 6290-322 Gouveia - www.abpg.

CRECHE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2012/2013. Telef: 238490000 Fax: 238490003 Av. Cidade da Covilhã Apto. 52 6290-322 Gouveia - www.abpg. CRECHE PLANO ANUAL DE ATIVIDADES ANO LETIVO 2012/2013 Unidade 1 Vamos à escola PLANO ANUAL DE ATIVIDADES 2012/2013 Unidade 2 Uma árvore de Natal muito familiar Mês: Outubro/Novembro/Dezembro Objetivos

Leia mais

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber...

Projeto: TE Conhecer, aprender, saber... Colégio Pe. João Bagozzi Formação de Educadores Tecnologias da Informação e da Comunicação - TICs http://blog.portalpositivo.com.br/ticbagozzi Projeto: TE Conhecer, aprender, 1 Objetivos e Atividades:

Leia mais